SlideShare uma empresa Scribd logo
MóduloMódulo VV
Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos
MóduloMódulo VV
Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos
Possibilitar entendimento do processoPossibilitar entendimento do processo
de comunicação dos Espíritos com ode comunicação dos Espíritos com o
mundo corporal.mundo corporal.
Possibilitar entendimento do processoPossibilitar entendimento do processo
de comunicação dos Espíritos com ode comunicação dos Espíritos com o
mundo corporal.mundo corporal.
Objetivo GeralObjetivo GeralObjetivo GeralObjetivo Geral
1.1. Influência dos Espíritos em nossosInfluência dos Espíritos em nossos
pensamentos e atos, e nos acontecimentospensamentos e atos, e nos acontecimentos
da vida.da vida.
2.2. Mediunidade e médium.Mediunidade e médium.
3.3. Mediunidade com Jesus.Mediunidade com Jesus.
1.1. Influência dos Espíritos em nossosInfluência dos Espíritos em nossos
pensamentos e atos, e nos acontecimentospensamentos e atos, e nos acontecimentos
da vida.da vida.
2.2. Mediunidade e médium.Mediunidade e médium.
3.3. Mediunidade com Jesus.Mediunidade com Jesus.
RoteirosRoteirosRoteirosRoteiros
Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos
MóduloMódulo VVMóduloMódulo VV
Roteiro 2Roteiro 2: Mediunidade e médium: Mediunidade e médiumRoteiro 2Roteiro 2: Mediunidade e médium: Mediunidade e médium
Objetivos específicos:Objetivos específicos:Objetivos específicos:Objetivos específicos:
 Emitir conceito de mediunidade eEmitir conceito de mediunidade e
de médium.de médium.
 Esclarecer a finalidade daEsclarecer a finalidade da
mediunidade.mediunidade.
 Emitir conceito de mediunidade eEmitir conceito de mediunidade e
de médium.de médium.
 Esclarecer a finalidade daEsclarecer a finalidade da
mediunidade.mediunidade.
A Mediunidade foiA Mediunidade foi
descoberta pelodescoberta pelo
Espiritismo?Espiritismo?
A Mediunidade foiA Mediunidade foi
descoberta pelodescoberta pelo
Espiritismo?Espiritismo?
Os profetas eram médiuns;Os profetas eram médiuns;
Os Caldeus e os Assírios tinhamOs Caldeus e os Assírios tinham
médiuns;médiuns;
Sócrates era dirigido por umSócrates era dirigido por um
Espírito;Espírito;
As inspirações de Joana d'Arc nãoAs inspirações de Joana d'Arc não
eram mais do que vozes de Espíritos.eram mais do que vozes de Espíritos.
O dom da mediunidade é antigo!O dom da mediunidade é antigo!
KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 31, item 11.. Cap. 31, item 11.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 31, item 11.. Cap. 31, item 11.
Então. O que é Mediunidade?Então. O que é Mediunidade?
[...] a mediunidade é inerente a uma[...] a mediunidade é inerente a uma
disposição orgânica, de que qualquerdisposição orgânica, de que qualquer
homem [Espírito encarnado] pode serhomem [Espírito encarnado] pode ser
dotado, como da de ver, de ouvir, dedotado, como da de ver, de ouvir, de
falar. [...]falar. [...]
[...] a mediunidade é inerente a uma[...] a mediunidade é inerente a uma
disposição orgânica, de que qualquerdisposição orgânica, de que qualquer
homem [Espírito encarnado] pode serhomem [Espírito encarnado] pode ser
dotado, como da de ver, de ouvir, dedotado, como da de ver, de ouvir, de
falar. [...]falar. [...]
KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o EspiritismoO Evangelho segundo o Espiritismo. Cap. 24, item 12. Cap. 24, item 12KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o EspiritismoO Evangelho segundo o Espiritismo. Cap. 24, item 12. Cap. 24, item 12
ConceitoConceito
Outro Conceito de MediunidadeOutro Conceito de Mediunidade
A faculdade mediúnica é umaA faculdade mediúnica é uma
propriedade do organismo e nãopropriedade do organismo e não
depende das qualidades moraisdepende das qualidades morais
do médium; [...]do médium; [...]
A faculdade mediúnica é umaA faculdade mediúnica é uma
propriedade do organismo e nãopropriedade do organismo e não
depende das qualidades moraisdepende das qualidades morais
do médium; [...]do médium; [...]
KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O que é o Espiritismo.O que é o Espiritismo. Cap. 2, item 79Cap. 2, item 79KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O que é o Espiritismo.O que é o Espiritismo. Cap. 2, item 79Cap. 2, item 79
Mais um conceito de MediunidadeMais um conceito de Mediunidade
Faculdade orgânica, a mediunidade seFaculdade orgânica, a mediunidade se
encontra, em quase todos osencontra, em quase todos os
indivíduos, não constituindo patrimônioindivíduos, não constituindo patrimônio
especial de grupos nem privilégio deespecial de grupos nem privilégio de
castas; [...]castas; [...]
Faculdade orgânica, a mediunidade seFaculdade orgânica, a mediunidade se
encontra, em quase todos osencontra, em quase todos os
indivíduos, não constituindo patrimônioindivíduos, não constituindo patrimônio
especial de grupos nem privilégio deespecial de grupos nem privilégio de
castas; [...]castas; [...]
FRANCO, Divaldo. Estudos Espíritas. (Joanna de Ângelis). Cap. 18FRANCO, Divaldo. Estudos Espíritas. (Joanna de Ângelis). Cap. 18FRANCO, Divaldo. Estudos Espíritas. (Joanna de Ângelis). Cap. 18FRANCO, Divaldo. Estudos Espíritas. (Joanna de Ângelis). Cap. 18
Conceito fisiopsíquico de MediunidadeConceito fisiopsíquico de Mediunidade
A mediunidade é expressão fisiopsíquicaA mediunidade é expressão fisiopsíquica
inerente ao homem [Espírito encarnado],inerente ao homem [Espírito encarnado],
por cujo meio é-lhe possível entrar empor cujo meio é-lhe possível entrar em
contato com outras faixas vibratórias,contato com outras faixas vibratórias,
além e aquém daquelas que são captadasalém e aquém daquelas que são captadas
pelos seus equipamentos sensoriais.pelos seus equipamentos sensoriais.
A mediunidade é expressão fisiopsíquicaA mediunidade é expressão fisiopsíquica
inerente ao homem [Espírito encarnado],inerente ao homem [Espírito encarnado],
por cujo meio é-lhe possível entrar empor cujo meio é-lhe possível entrar em
contato com outras faixas vibratórias,contato com outras faixas vibratórias,
além e aquém daquelas que são captadasalém e aquém daquelas que são captadas
pelos seus equipamentos sensoriais.pelos seus equipamentos sensoriais.
FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).
Capítulo: Psiquismo mediúnico.Capítulo: Psiquismo mediúnico.
FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).
Capítulo: Psiquismo mediúnico.Capítulo: Psiquismo mediúnico.
Se a mediunidade é “inerenteSe a mediunidade é “inerente
a uma disposição orgânica”,a uma disposição orgânica”,
onde ela estaria localizada?onde ela estaria localizada?
Se a mediunidade é “inerenteSe a mediunidade é “inerente
a uma disposição orgânica”,a uma disposição orgânica”,
onde ela estaria localizada?onde ela estaria localizada?
[...] “a mediunidade está ligada[...] “a mediunidade está ligada
ao corpo pelo espírito que a eleao corpo pelo espírito que a ele
se liga, mas não pertence aose liga, mas não pertence ao
corpo e sim ao perispírito” [...]corpo e sim ao perispírito” [...]
PIRES, José Herculano.PIRES, José Herculano. MediunidadeMediunidade. 9 ed. São Paulo: Editora Paidéia,. 9 ed. São Paulo: Editora Paidéia,
Cap. 9, p. 72.Cap. 9, p. 72.
PIRES, José Herculano.PIRES, José Herculano. MediunidadeMediunidade. 9 ed. São Paulo: Editora Paidéia,. 9 ed. São Paulo: Editora Paidéia,
Cap. 9, p. 72.Cap. 9, p. 72.
Opiniões de especialistas …Opiniões de especialistas …
Nessa ligação entre o perispírito e oNessa ligação entre o perispírito e o
corpo físico, [...] “acredita-se que acorpo físico, [...] “acredita-se que a
mediunidade acontece pelo funcionamentomediunidade acontece pelo funcionamento
da pineal, que capta o campoda pineal, que capta o campo
eletromagnético, através do qual aeletromagnético, através do qual a
espiritualidade interfere.”espiritualidade interfere.”
SOUZA, Paula Calloni de. Pineal - A União do Corpo e da Alma.
http://www.espirito.org.br/portal/publicacoes/esp-ciencia/003/pineal.html 
SOUZA, Paula Calloni de. Pineal - A União do Corpo e da Alma.
http://www.espirito.org.br/portal/publicacoes/esp-ciencia/003/pineal.html 
Opiniões de especialistas …Opiniões de especialistas …
Fund1Mod05Rot2e3-[2012]geraldo
[...] “No exercício mediúnico de qualquer[...] “No exercício mediúnico de qualquer
modalidade, a epífise [glândula pineal]modalidade, a epífise [glândula pineal]
desempenha o papel mais importante.desempenha o papel mais importante.
Através de suas forças equilibradas, aAtravés de suas forças equilibradas, a
mente humana intensifica o poder demente humana intensifica o poder de
emissão e recepção de raios peculiares àemissão e recepção de raios peculiares à
nossa esfera.” [...]nossa esfera.” [...] (1)(1)
(1)
XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito
André Luiz. Cap. 1: O psicógrafo.
(1)
XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito
André Luiz. Cap. 1: O psicógrafo.
Explicações do Espírito AlexandreExplicações do Espírito Alexandre (1)(1)
O que é serO que é ser
médium?médium?
O que é serO que é ser
médium?médium?
Conceito de MédiumConceito de Médium
[...] “O médium é o indivíduo que serve[...] “O médium é o indivíduo que serve
de traço de união aos Espíritos, parade traço de união aos Espíritos, para
que estes possam comunicar-seque estes possam comunicar-se
facilmente com os homens: Espíritosfacilmente com os homens: Espíritos
encarnados. Por conseguinte, semencarnados. Por conseguinte, sem
médium, não há comunicações tangíveis,médium, não há comunicações tangíveis,
mentais, escritas, físicas, de qualquermentais, escritas, físicas, de qualquer
natureza que seja.” [...]natureza que seja.” [...]
[...] “O médium é o indivíduo que serve[...] “O médium é o indivíduo que serve
de traço de união aos Espíritos, parade traço de união aos Espíritos, para
que estes possam comunicar-seque estes possam comunicar-se
facilmente com os homens: Espíritosfacilmente com os homens: Espíritos
encarnados. Por conseguinte, semencarnados. Por conseguinte, sem
médium, não há comunicações tangíveis,médium, não há comunicações tangíveis,
mentais, escritas, físicas, de qualquermentais, escritas, físicas, de qualquer
natureza que seja.” [...]natureza que seja.” [...]
KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 24, item 12.. Cap. 24, item 12.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 24, item 12.. Cap. 24, item 12.
Conceito de MédiumConceito de Médium
Médiuns, meu amigo, inclusive nós outros,Médiuns, meu amigo, inclusive nós outros,
os desencarnados, todos o somos, emos desencarnados, todos o somos, em
vista de sermos intermediários do bemvista de sermos intermediários do bem
que procede de mais alto, quando nosque procede de mais alto, quando nos
elevamos, ou portadores do mal, colhidoelevamos, ou portadores do mal, colhido
nas zonas inferiores, quando caímos emnas zonas inferiores, quando caímos em
desequilíbrio. [...]desequilíbrio. [...]
Médiuns, meu amigo, inclusive nós outros,Médiuns, meu amigo, inclusive nós outros,
os desencarnados, todos o somos, emos desencarnados, todos o somos, em
vista de sermos intermediários do bemvista de sermos intermediários do bem
que procede de mais alto, quando nosque procede de mais alto, quando nos
elevamos, ou portadores do mal, colhidoelevamos, ou portadores do mal, colhido
nas zonas inferiores, quando caímos emnas zonas inferiores, quando caímos em
desequilíbrio. [...]desequilíbrio. [...]
XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz.Missionários da luz. Pelo Espírito AndréPelo Espírito André
Luiz. 39 ed. RJ: FEB, 2004. Cap. 18.Luiz. 39 ed. RJ: FEB, 2004. Cap. 18.
XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz.Missionários da luz. Pelo Espírito AndréPelo Espírito André
Luiz. 39 ed. RJ: FEB, 2004. Cap. 18.Luiz. 39 ed. RJ: FEB, 2004. Cap. 18.
O perispíritoO perispírito
do médium sedo médium se
expandeexpande
O perispíritoO perispírito
do Espíritodo Espírito
comunicantecomunicante
também setambém se
expandeexpande
MECANISMOS DA MEDIUNIDADEMECANISMOS DA MEDIUNIDADE
O
Espírito transmite
O
Espírito transmite
sua vontade ao médium
sua vontade ao médium
www.cele.org.brwww.cele.org.br
Uma atmosfera fluídico-Uma atmosfera fluídico-
perispiritual comum é formadaperispiritual comum é formada
Informativo ComCiência Ano I – N. 2 (Jan-Fev/2006)Informativo ComCiência Ano I – N. 2 (Jan-Fev/2006)
http://mfo1977.googlepages.com/InformativoComCiencia2.pdfhttp://mfo1977.googlepages.com/InformativoComCiencia2.pdf
Informativo ComCiência Ano I – N. 2 (Jan-Fev/2006)Informativo ComCiência Ano I – N. 2 (Jan-Fev/2006)
http://mfo1977.googlepages.com/InformativoComCiencia2.pdfhttp://mfo1977.googlepages.com/InformativoComCiencia2.pdf
O Espírito comunicanteO Espírito comunicante
transmite seu pensamentotransmite seu pensamento
ao perispírito do médium,ao perispírito do médium,
o qual após ser captado,o qual após ser captado,
é encaminhado ao seué encaminhado ao seu
cérebro.cérebro.
O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO MEDIÚNICOO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO MEDIÚNICO
Pontos para nossa reflexão ...Pontos para nossa reflexão ...Pontos para nossa reflexão ...Pontos para nossa reflexão ...
““A mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qualA mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qual
se estabelecem as relações entre homens e espíritos.”se estabelecem as relações entre homens e espíritos.”
((PIRES, J. Herculano.PIRES, J. Herculano. MediunidadeMediunidade. Cap. 1, pag. 9. Cap. 1, pag. 9))
““A mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qualA mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qual
se estabelecem as relações entre homens e espíritos.”se estabelecem as relações entre homens e espíritos.”
((PIRES, J. Herculano.PIRES, J. Herculano. MediunidadeMediunidade. Cap. 1, pag. 9. Cap. 1, pag. 9))
[...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união[...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união
aos Espíritos, para que estes possam comunicar-seaos Espíritos, para que estes possam comunicar-se
facilmente com os homens: Espíritos encarnados.” [...]facilmente com os homens: Espíritos encarnados.” [...]
((KARDEC, A. O livro dos médiuns. Cap. XXVII, Item 306KARDEC, A. O livro dos médiuns. Cap. XXVII, Item 306))
[...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união[...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união
aos Espíritos, para que estes possam comunicar-seaos Espíritos, para que estes possam comunicar-se
facilmente com os homens: Espíritos encarnados.” [...]facilmente com os homens: Espíritos encarnados.” [...]
((KARDEC, A. O livro dos médiuns. Cap. XXVII, Item 306KARDEC, A. O livro dos médiuns. Cap. XXVII, Item 306))
[...] “A moral do médium determina seu comportamento[...] “A moral do médium determina seu comportamento
como criatura humana e regula as suas relações com oscomo criatura humana e regula as suas relações com os
espíritos.” [...] (espíritos.” [...] (PIRES, J. Herculano. Mediunidade. Cap. 9, pag. 71PIRES, J. Herculano. Mediunidade. Cap. 9, pag. 71).).
[...] “A moral do médium determina seu comportamento[...] “A moral do médium determina seu comportamento
como criatura humana e regula as suas relações com oscomo criatura humana e regula as suas relações com os
espíritos.” [...] (espíritos.” [...] (PIRES, J. Herculano. Mediunidade. Cap. 9, pag. 71PIRES, J. Herculano. Mediunidade. Cap. 9, pag. 71).).
AtividadesAtividades
Em duplasEm duplas
Primeira ETAPAPrimeira ETAPAPrimeira ETAPAPrimeira ETAPA
a)a) Ler atentamente osLer atentamente os subsídiossubsídios dodo
Roteiro, em duplas, fazendo asRoteiro, em duplas, fazendo as
anotações que julgar importantes.anotações que julgar importantes.
((10 minutos10 minutos))
a)a) Ler atentamente osLer atentamente os subsídiossubsídios dodo
Roteiro, em duplas, fazendo asRoteiro, em duplas, fazendo as
anotações que julgar importantes.anotações que julgar importantes.
((10 minutos10 minutos))
Aguardar aAguardar a
leitura dosleitura dos
subsídiossubsídios
((10 minutos10 minutos))
b)b) Recomenda-se a todas as duplasRecomenda-se a todas as duplas
responder, em papel em branco,responder, em papel em branco,
cada uma das seguintes questõescada uma das seguintes questões
propostas (2propostas (2°minutos por questão):minutos por questão):
b)b) Recomenda-se a todas as duplasRecomenda-se a todas as duplas
responder, em papel em branco,responder, em papel em branco,
cada uma das seguintes questõescada uma das seguintes questões
propostas (2propostas (2°minutos por questão):minutos por questão):
Segunda ETAPASegunda ETAPASegunda ETAPASegunda ETAPA
QuestõesQuestões
propostaspropostas
QuestõesQuestões
propostaspropostas
1. Que se entende por mediunidade?1. Que se entende por mediunidade?1. Que se entende por mediunidade?1. Que se entende por mediunidade?
2. Dar um conceito de médium.2. Dar um conceito de médium.2. Dar um conceito de médium.2. Dar um conceito de médium.
3. O desenvolvimento da mediunidade guarda3. O desenvolvimento da mediunidade guarda
relação com o desenvolvimento moral dosrelação com o desenvolvimento moral dos
médiuns? Explique.médiuns? Explique.
3. O desenvolvimento da mediunidade guarda3. O desenvolvimento da mediunidade guarda
relação com o desenvolvimento moral dosrelação com o desenvolvimento moral dos
médiuns? Explique.médiuns? Explique.
4. Por que a mediunidade não implica relações4. Por que a mediunidade não implica relações
habituais com os Espíritos superiores?habituais com os Espíritos superiores?
4. Por que a mediunidade não implica relações4. Por que a mediunidade não implica relações
habituais com os Espíritos superiores?habituais com os Espíritos superiores?
5. Qual a finalidade da mediunidade?5. Qual a finalidade da mediunidade?5. Qual a finalidade da mediunidade?5. Qual a finalidade da mediunidade?
c)c) 2 grupos (aleatórios) devem2 grupos (aleatórios) devem
responder a cada questão (de 1 aresponder a cada questão (de 1 a
5) em público. Se houver pontos5) em público. Se houver pontos
adicionais ou divergentes, osadicionais ou divergentes, os
demais podem se manifestar.demais podem se manifestar.
c)c) 2 grupos (aleatórios) devem2 grupos (aleatórios) devem
responder a cada questão (de 1 aresponder a cada questão (de 1 a
5) em público. Se houver pontos5) em público. Se houver pontos
adicionais ou divergentes, osadicionais ou divergentes, os
demais podem se manifestar.demais podem se manifestar.
Terceira ETAPATerceira ETAPATerceira ETAPATerceira ETAPA
Resultados doResultados do
estudo em grupoestudo em grupo
Questão 1Questão 1Questão 1Questão 1
Que se entende por mediunidade?Que se entende por mediunidade?Que se entende por mediunidade?Que se entende por mediunidade?
A mediunidade é uma faculdadeA mediunidade é uma faculdade
inerente ao homem [Espíritoinerente ao homem [Espírito
encarnado] que possibilita oencarnado] que possibilita o
intercâmbio entre os habitantesintercâmbio entre os habitantes
dos mundos: espiritual e físico.dos mundos: espiritual e físico.
A mediunidade é uma faculdadeA mediunidade é uma faculdade
inerente ao homem [Espíritoinerente ao homem [Espírito
encarnado] que possibilita oencarnado] que possibilita o
intercâmbio entre os habitantesintercâmbio entre os habitantes
dos mundos: espiritual e físico.dos mundos: espiritual e físico.
Questão 2Questão 2Questão 2Questão 2
Dar um conceito de médium.Dar um conceito de médium.Dar um conceito de médium.Dar um conceito de médium.
[...] “Todo aquele que sente, num[...] “Todo aquele que sente, num
grau qualquer, a influência dosgrau qualquer, a influência dos
Espíritos é, por esse fato, médium.Espíritos é, por esse fato, médium.
[...] Pode, pois, dizer-se que todos[...] Pode, pois, dizer-se que todos
são, mais ou menos, médiuns.” [...]são, mais ou menos, médiuns.” [...]
[...] “Todo aquele que sente, num[...] “Todo aquele que sente, num
grau qualquer, a influência dosgrau qualquer, a influência dos
Espíritos é, por esse fato, médium.Espíritos é, por esse fato, médium.
[...] Pode, pois, dizer-se que todos[...] Pode, pois, dizer-se que todos
são, mais ou menos, médiuns.” [...]são, mais ou menos, médiuns.” [...]
KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 24, item 12.. Cap. 24, item 12.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 24, item 12.. Cap. 24, item 12.
Questão 3Questão 3Questão 3Questão 3
O desenvolvimento da mediunidade guarda relaçãoO desenvolvimento da mediunidade guarda relação
com o desenvolvimento moral dos médiuns?com o desenvolvimento moral dos médiuns?
Explique.Explique.
O desenvolvimento da mediunidade guarda relaçãoO desenvolvimento da mediunidade guarda relação
com o desenvolvimento moral dos médiuns?com o desenvolvimento moral dos médiuns?
Explique.Explique.
"Não; a faculdade propriamente dita se"Não; a faculdade propriamente dita se
radica no organismo; independe do moral. Oradica no organismo; independe do moral. O
mesmo, porém, não se dá com o seu uso, quemesmo, porém, não se dá com o seu uso, que
pode ser bom, ou mau, conforme aspode ser bom, ou mau, conforme as
qualidades do médium."qualidades do médium."
"Não; a faculdade propriamente dita se"Não; a faculdade propriamente dita se
radica no organismo; independe do moral. Oradica no organismo; independe do moral. O
mesmo, porém, não se dá com o seu uso, quemesmo, porém, não se dá com o seu uso, que
pode ser bom, ou mau, conforme aspode ser bom, ou mau, conforme as
qualidades do médium."qualidades do médium."
KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 20, item 226.. Cap. 20, item 226.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 20, item 226.. Cap. 20, item 226.
Questão 4Questão 4Questão 4Questão 4
Por que a mediunidade não implica relaçõesPor que a mediunidade não implica relações
habituais com os Espíritos superiores?habituais com os Espíritos superiores?
Por que a mediunidade não implica relaçõesPor que a mediunidade não implica relações
habituais com os Espíritos superiores?habituais com os Espíritos superiores?
““A mediunidade é uma aptidão de que dispõeA mediunidade é uma aptidão de que dispõe
o Espírito encarnado para servir deo Espírito encarnado para servir de
instrumento mais ou menos dúctil aosinstrumento mais ou menos dúctil aos
Espíritos, em geral.” Isso não significa que oEspíritos, em geral.” Isso não significa que o
médium esteja automaticamente pronto paramédium esteja automaticamente pronto para
se comunicar com os Espíritos superiores.se comunicar com os Espíritos superiores.
““A mediunidade é uma aptidão de que dispõeA mediunidade é uma aptidão de que dispõe
o Espírito encarnado para servir deo Espírito encarnado para servir de
instrumento mais ou menos dúctil aosinstrumento mais ou menos dúctil aos
Espíritos, em geral.” Isso não significa que oEspíritos, em geral.” Isso não significa que o
médium esteja automaticamente pronto paramédium esteja automaticamente pronto para
se comunicar com os Espíritos superiores.se comunicar com os Espíritos superiores.
XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Dicionário da almaDicionário da alma. Verbete:. Verbete:
Mediunidade.Mediunidade.
XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Dicionário da almaDicionário da alma. Verbete:. Verbete:
Mediunidade.Mediunidade.
Questão 5Questão 5Questão 5Questão 5
Qual a finalidade da mediunidade?Qual a finalidade da mediunidade?Qual a finalidade da mediunidade?Qual a finalidade da mediunidade?
A mediunidade tem por finalidadeA mediunidade tem por finalidade
estabelecer um canal de comunicaçãoestabelecer um canal de comunicação
entre os Espíritos encarnados eentre os Espíritos encarnados e
desencarnados, visando contribuirdesencarnados, visando contribuir
para a renovação moral e intelectualpara a renovação moral e intelectual
da criatura terrena.da criatura terrena.
A mediunidade tem por finalidadeA mediunidade tem por finalidade
estabelecer um canal de comunicaçãoestabelecer um canal de comunicação
entre os Espíritos encarnados eentre os Espíritos encarnados e
desencarnados, visando contribuirdesencarnados, visando contribuir
para a renovação moral e intelectualpara a renovação moral e intelectual
da criatura terrena.da criatura terrena.
CONSIDERAÇÕESCONSIDERAÇÕES
FINAISFINAIS
KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. A prece segundo o EvangelhoA prece segundo o Evangelho. Parte III. Item 9.. Parte III. Item 9.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. A prece segundo o EvangelhoA prece segundo o Evangelho. Parte III. Item 9.. Parte III. Item 9.
““Para que o homem conheça as coisas doPara que o homem conheça as coisas do
mundo visível e desvende os segredos damundo visível e desvende os segredos da
Natureza material, Deus lhe deu a vista doNatureza material, Deus lhe deu a vista do
corpo, os sentidos e instrumentos especiais.corpo, os sentidos e instrumentos especiais.
Com o telescópio ele mergulha o olhar nasCom o telescópio ele mergulha o olhar nas
profundezas do espaço e com o microscópioprofundezas do espaço e com o microscópio
descobre o mundo dos infinitamentedescobre o mundo dos infinitamente
pequenos. Para que penetre no mundopequenos. Para que penetre no mundo
invisível, deu-lhe a mediunidade.”invisível, deu-lhe a mediunidade.”
Sobre a Mediunidade ...Sobre a Mediunidade ...
““A mediunidade é conferida semA mediunidade é conferida sem
distinção, a fim de que os Espíritosdistinção, a fim de que os Espíritos
possam trazer a luz a todas aspossam trazer a luz a todas as
camadas, a todas as classes dacamadas, a todas as classes da
sociedade, ao pobre como ao rico; aossociedade, ao pobre como ao rico; aos
retos, para fortificar no bem, aosretos, para fortificar no bem, aos
viciosos, para os corrigir.viciosos, para os corrigir.
““A mediunidade é conferida semA mediunidade é conferida sem
distinção, a fim de que os Espíritosdistinção, a fim de que os Espíritos
possam trazer a luz a todas aspossam trazer a luz a todas as
camadas, a todas as classes dacamadas, a todas as classes da
sociedade, ao pobre como ao rico; aossociedade, ao pobre como ao rico; aos
retos, para fortificar no bem, aosretos, para fortificar no bem, aos
viciosos, para os corrigir.viciosos, para os corrigir.
FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).
Capítulo: Psiquismo mediúnico.Capítulo: Psiquismo mediúnico.
FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).
Capítulo: Psiquismo mediúnico.Capítulo: Psiquismo mediúnico.
Outra visão sobre a Mediunidade ...Outra visão sobre a Mediunidade ...
Ser médium não é apenas receberSer médium não é apenas receber
Espíritos. [...] Ser médium é, acima deEspíritos. [...] Ser médium é, acima de
tudo, ser discípulo do bem, habilitando-setudo, ser discípulo do bem, habilitando-se
dia a dia, no intercâmbio regeneradordia a dia, no intercâmbio regenerador
com o Alto a proveito da reforma geralcom o Alto a proveito da reforma geral
da Humanidade, do planeta e de sida Humanidade, do planeta e de si
próprio. [...]próprio. [...]
Ser médium não é apenas receberSer médium não é apenas receber
Espíritos. [...] Ser médium é, acima deEspíritos. [...] Ser médium é, acima de
tudo, ser discípulo do bem, habilitando-setudo, ser discípulo do bem, habilitando-se
dia a dia, no intercâmbio regeneradordia a dia, no intercâmbio regenerador
com o Alto a proveito da reforma geralcom o Alto a proveito da reforma geral
da Humanidade, do planeta e de sida Humanidade, do planeta e de si
próprio. [...]próprio. [...]
PEREIRA, Yvonne A.PEREIRA, Yvonne A. À luz do Consolador.À luz do Consolador. 2 ed. RJ: FEB, 1994.2 ed. RJ: FEB, 1994.
Capítulo: O grande compromisso.Capítulo: O grande compromisso.
PEREIRA, Yvonne A.PEREIRA, Yvonne A. À luz do Consolador.À luz do Consolador. 2 ed. RJ: FEB, 1994.2 ed. RJ: FEB, 1994.
Capítulo: O grande compromisso.Capítulo: O grande compromisso.
O que é ser médium ...O que é ser médium ...
[...] Ser médium é, sobretudo, viver o[...] Ser médium é, sobretudo, viver o
Evangelho, seguir os ensinamentos deEvangelho, seguir os ensinamentos de
Jesus, amando o próximo, perdoando eJesus, amando o próximo, perdoando e
respeitando o semelhante, ajudando-o,respeitando o semelhante, ajudando-o,
inclusive, a crescer.inclusive, a crescer.
[...] Ser médium é, sobretudo, viver o[...] Ser médium é, sobretudo, viver o
Evangelho, seguir os ensinamentos deEvangelho, seguir os ensinamentos de
Jesus, amando o próximo, perdoando eJesus, amando o próximo, perdoando e
respeitando o semelhante, ajudando-o,respeitando o semelhante, ajudando-o,
inclusive, a crescer.inclusive, a crescer.
SCHUBERT, Suely.SCHUBERT, Suely. Testemunhos de Chico Xavier.Testemunhos de Chico Xavier. 2 ed. RJ: FEB,2 ed. RJ: FEB,
1998. Capítulo: Novos médiuns.1998. Capítulo: Novos médiuns.
SCHUBERT, Suely.SCHUBERT, Suely. Testemunhos de Chico Xavier.Testemunhos de Chico Xavier. 2 ed. RJ: FEB,2 ed. RJ: FEB,
1998. Capítulo: Novos médiuns.1998. Capítulo: Novos médiuns.
Outra visão sobre médium ...Outra visão sobre médium ...
“A mediunidade é coisa
santa, que deve ser praticada
santamente, religiosamente”
(Allan Kardec-Evangelho Segundo o Espiritismo)(Allan Kardec-Evangelho Segundo o Espiritismo)
“O exercício da mediunidade, nas
tarefas espíritas, exige larga
disciplina mental, moral e física,
gerando condicionamentos de
ductilidade indispensável à condução
por parte dos que a utilizam, tendo
em vista o relevante mister para o
qual deverá ser colocada.”
(Viana de Carvalho-Enfoques Espíritas)
DE GRAÇA RECEBESTES,
DE GRAÇA DAI.
TestandoTestando
nossonosso
aprendizado!aprendizado!
Em relação à mediunidade, como devemos avaliar
as seguintes afirmações? (Módulo V, Roteiro 2)
a)
A mediunidade é uma disposição
orgânica inerente ao Espírito
encarnado.
b)
A mediunidade não implica em relações
habituais com os Espíritos superiores.
c)
A faculdade mediúnica, em qualquer
situação, somente é dada aos Espíritos
mais evoluídos.
d)
O exercício da mediunidade pode ser
visto como um trabalho qualquer e,
portanto, pode ser remunerado.
V
VV
FF
FF
Em relação à condição de ser médium, podemos
afirmar que: (Módulo V, Roteiro 2)
a)
O médium é o indivíduo que serve de
traço de união aos Espíritos, para que
estes possam comunicar-se facilmente
com os homens.
b)
O bom médium é aquele que se comunica
facilmente com o plano espiritual.
c)
Para sermos considerados médiuns
temos que ter a faculdade de comunicar
com os Espíritos, por meio, da psicofonia,
psicografia, vidência etc.
d)
Todos nós, de alguma forma, somos
médiuns.
VV
FF
VV
FF
A mediunidade pode ser usada como
profissão? Por que?
a) sim; para sobrevivência do médium;a) sim; para sobrevivência do médium;
b) sim; desde que o pagamento não seja iniciativa dob) sim; desde que o pagamento não seja iniciativa do
médium;médium;
c) sim, em alguns casos. Quando o médium merecer;c) sim, em alguns casos. Quando o médium merecer;
d) nunca. Não se pode negociar algo que não lhed) nunca. Não se pode negociar algo que não lhe
pertença. Dai de graça o que de graça recebeste.pertença. Dai de graça o que de graça recebeste.
O que pode acontecer aos médiuns
interesseiros, quanto à sua mediunidade?
a) caso o interesse não seja financeiro, poderá
aumentar a qualidade de seus dons, pois está
servindo;
b) será abandonado pelos Espíritos bons, pois a
mediunidade deve ser praticada sem retribuição
material: dai de graça o que de graça recebeste.
c) nada, pois os Espíritos não se envolvem com
coisas materiais;
d) como castigo, perderá sua mediunidade.
Não é a mediunidade que teNão é a mediunidade que te
distingue.distingue.
É aquilo que fazes dela.É aquilo que fazes dela.XAVIER, Francisco Cândido. Seara dos médiuns.XAVIER, Francisco Cândido. Seara dos médiuns.
Pelo Espírito Emmanuel. Capítulo: Na mediunidadePelo Espírito Emmanuel. Capítulo: Na mediunidade

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Qualidade na prática mediúnica projeto manoel philomeno de miranda
Qualidade na prática mediúnica   projeto manoel philomeno de mirandaQualidade na prática mediúnica   projeto manoel philomeno de miranda
Qualidade na prática mediúnica projeto manoel philomeno de miranda
Helio Cruz
 
22.03 mediunidade
22.03   mediunidade22.03   mediunidade
Mediunidade aula 01
Mediunidade aula 01Mediunidade aula 01
Mediunidade aula 01
Candice Gunther
 
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
jcevadro
 
Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06
Leonardo Pereira
 
Seminário "caminhos mediúnicos"
Seminário "caminhos mediúnicos"Seminário "caminhos mediúnicos"
Seminário "caminhos mediúnicos"
Leonardo Pereira
 
Animismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoAnimismo e Espiritismo
Animismo e Espiritismo
Graça Maciel
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
Leonardo Pereira
 
Espiritismo e mediunidade 07
Espiritismo e mediunidade  07Espiritismo e mediunidade  07
Espiritismo e mediunidade 07
Leonardo Pereira
 
Mediunidade de parceria
Mediunidade de parceriaMediunidade de parceria
Mediunidade de parceria
espiritosemreligiao
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
Kleber Galo
 
Somos todos médiuns
Somos todos médiunsSomos todos médiuns
Somos todos médiuns
Helio Cruz
 
Terceiro Módulo - 12ª aula - O médium, sua sensibilidade, desenvolvimento med...
Terceiro Módulo - 12ª aula - O médium, sua sensibilidade, desenvolvimento med...Terceiro Módulo - 12ª aula - O médium, sua sensibilidade, desenvolvimento med...
Terceiro Módulo - 12ª aula - O médium, sua sensibilidade, desenvolvimento med...
CeiClarencio
 
Animismo
AnimismoAnimismo
Animismo
hamletcrs
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
Roberta Andrade
 
Animismo Mediunidade
Animismo MediunidadeAnimismo Mediunidade
Animismo Mediunidade
cab3032
 
Mediunidade aula 15 - reunioes mediunicas
Mediunidade   aula 15 - reunioes mediunicasMediunidade   aula 15 - reunioes mediunicas
Mediunidade aula 15 - reunioes mediunicas
Augusto Luvisotto
 
Reuniões Mediúnicas
Reuniões MediúnicasReuniões Mediúnicas
Reuniões Mediúnicas
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Mediunidade aula 00 inaugural
Mediunidade   aula 00 inauguralMediunidade   aula 00 inaugural
Mediunidade aula 00 inaugural
Augusto Luvisotto
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 

Mais procurados (20)

Qualidade na prática mediúnica projeto manoel philomeno de miranda
Qualidade na prática mediúnica   projeto manoel philomeno de mirandaQualidade na prática mediúnica   projeto manoel philomeno de miranda
Qualidade na prática mediúnica projeto manoel philomeno de miranda
 
22.03 mediunidade
22.03   mediunidade22.03   mediunidade
22.03 mediunidade
 
Mediunidade aula 01
Mediunidade aula 01Mediunidade aula 01
Mediunidade aula 01
 
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
 
Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06Espiritismo e mediunidade 06
Espiritismo e mediunidade 06
 
Seminário "caminhos mediúnicos"
Seminário "caminhos mediúnicos"Seminário "caminhos mediúnicos"
Seminário "caminhos mediúnicos"
 
Animismo e Espiritismo
Animismo e EspiritismoAnimismo e Espiritismo
Animismo e Espiritismo
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
 
Espiritismo e mediunidade 07
Espiritismo e mediunidade  07Espiritismo e mediunidade  07
Espiritismo e mediunidade 07
 
Mediunidade de parceria
Mediunidade de parceriaMediunidade de parceria
Mediunidade de parceria
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
 
Somos todos médiuns
Somos todos médiunsSomos todos médiuns
Somos todos médiuns
 
Terceiro Módulo - 12ª aula - O médium, sua sensibilidade, desenvolvimento med...
Terceiro Módulo - 12ª aula - O médium, sua sensibilidade, desenvolvimento med...Terceiro Módulo - 12ª aula - O médium, sua sensibilidade, desenvolvimento med...
Terceiro Módulo - 12ª aula - O médium, sua sensibilidade, desenvolvimento med...
 
Animismo
AnimismoAnimismo
Animismo
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
 
Animismo Mediunidade
Animismo MediunidadeAnimismo Mediunidade
Animismo Mediunidade
 
Mediunidade aula 15 - reunioes mediunicas
Mediunidade   aula 15 - reunioes mediunicasMediunidade   aula 15 - reunioes mediunicas
Mediunidade aula 15 - reunioes mediunicas
 
Reuniões Mediúnicas
Reuniões MediúnicasReuniões Mediúnicas
Reuniões Mediúnicas
 
Mediunidade aula 00 inaugural
Mediunidade   aula 00 inauguralMediunidade   aula 00 inaugural
Mediunidade aula 00 inaugural
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 

Destaque

11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
Wagner Quadros
 
Sintomas da mediunidade
Sintomas da mediunidadeSintomas da mediunidade
Sintomas da mediunidade
Comprador DVD Blu ray P1600
 
Sintomas precursores da mediunidade
Sintomas precursores da mediunidadeSintomas precursores da mediunidade
Sintomas precursores da mediunidade
jcevadro
 
Aura foto kirlian
Aura   foto kirlianAura   foto kirlian
Aura foto kirlian
carlos freire
 
2016 4-7-mediunidade-marisa l
2016 4-7-mediunidade-marisa l2016 4-7-mediunidade-marisa l
2016 4-7-mediunidade-marisa l
carlos freire
 
Olm 100929-inconvenientes e perigos-papel do médium nas comunicações
Olm 100929-inconvenientes e perigos-papel do médium nas comunicaçõesOlm 100929-inconvenientes e perigos-papel do médium nas comunicações
Olm 100929-inconvenientes e perigos-papel do médium nas comunicações
Carlos Alberto Freire De Souza
 
8ª aula do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
8ª aula   do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem8ª aula   do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
8ª aula do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
Wagner Quadros
 

Destaque (7)

11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
 
Sintomas da mediunidade
Sintomas da mediunidadeSintomas da mediunidade
Sintomas da mediunidade
 
Sintomas precursores da mediunidade
Sintomas precursores da mediunidadeSintomas precursores da mediunidade
Sintomas precursores da mediunidade
 
Aura foto kirlian
Aura   foto kirlianAura   foto kirlian
Aura foto kirlian
 
2016 4-7-mediunidade-marisa l
2016 4-7-mediunidade-marisa l2016 4-7-mediunidade-marisa l
2016 4-7-mediunidade-marisa l
 
Olm 100929-inconvenientes e perigos-papel do médium nas comunicações
Olm 100929-inconvenientes e perigos-papel do médium nas comunicaçõesOlm 100929-inconvenientes e perigos-papel do médium nas comunicações
Olm 100929-inconvenientes e perigos-papel do médium nas comunicações
 
8ª aula do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
8ª aula   do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem8ª aula   do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
8ª aula do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
 

Semelhante a Fund1Mod05Rot2e3-[2012]geraldo

( Espiritismo) perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade
( Espiritismo)   perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade( Espiritismo)   perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade
( Espiritismo) perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 2 - [2009]Euzebio.ppt
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 2 - [2009]Euzebio.pptFundamental I - Modulo V - Roteiro 2 - [2009]Euzebio.ppt
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 2 - [2009]Euzebio.ppt
GilvaniaKardinally
 
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritosmodulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
FilipeDuartedeBem
 
Estudando o espiritismo
Estudando o espiritismoEstudando o espiritismo
Estudando o espiritismo
anaccc2013
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
Leonardo Pereira
 
Comunicações mediúnicas!
Comunicações mediúnicas!Comunicações mediúnicas!
Comunicações mediúnicas!
Leonardo Pereira
 
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De RosaAula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
02 o-homem-e-seus-corpos
02 o-homem-e-seus-corpos02 o-homem-e-seus-corpos
02 o-homem-e-seus-corpos
Sandro Silva
 
Espiritismo e mediunidade 08
Espiritismo e mediunidade 08Espiritismo e mediunidade 08
Espiritismo e mediunidade 08
Leonardo Pereira
 
Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13
Roseli Lemes
 
Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05
Leonardo Pereira
 
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do PensametoAula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Breno Ortiz Tavares Costa
 
Sobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoSobrevivência do Espírito
Sobrevivência do Espírito
Denise Aguiar
 
A idéia da Comunicação com os Espíritos
A idéia da Comunicação com os EspíritosA idéia da Comunicação com os Espíritos
A idéia da Comunicação com os Espíritos
Eduardo Henrique Marçal
 
01 a idéia da comunicação com os espíritos
01 a idéia da comunicação com os espíritos01 a idéia da comunicação com os espíritos
01 a idéia da comunicação com os espíritos
Antonio SSantos
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptxAparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
M.R.L
 
Perispírito
PerispíritoPerispírito
Perispírito
contatodoutrina2013
 
Aula Introdução a Mediunidade
Aula Introdução a MediunidadeAula Introdução a Mediunidade
Aula Introdução a Mediunidade
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
06 perispírito
06   perispírito06   perispírito
06 perispírito
jcevadro
 

Semelhante a Fund1Mod05Rot2e3-[2012]geraldo (20)

( Espiritismo) perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade
( Espiritismo)   perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade( Espiritismo)   perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade
( Espiritismo) perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade
 
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 2 - [2009]Euzebio.ppt
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 2 - [2009]Euzebio.pptFundamental I - Modulo V - Roteiro 2 - [2009]Euzebio.ppt
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 2 - [2009]Euzebio.ppt
 
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritosmodulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
modulo V - 2.pdf tomo I - comunicabilidade dos espíritos
 
Estudando o espiritismo
Estudando o espiritismoEstudando o espiritismo
Estudando o espiritismo
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
 
Comunicações mediúnicas!
Comunicações mediúnicas!Comunicações mediúnicas!
Comunicações mediúnicas!
 
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De RosaAula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
 
02 o-homem-e-seus-corpos
02 o-homem-e-seus-corpos02 o-homem-e-seus-corpos
02 o-homem-e-seus-corpos
 
Espiritismo e mediunidade 08
Espiritismo e mediunidade 08Espiritismo e mediunidade 08
Espiritismo e mediunidade 08
 
Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13
 
Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05Espiritismo e mediunidade 05
Espiritismo e mediunidade 05
 
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do PensametoAula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
 
Sobrevivência do Espírito
Sobrevivência do EspíritoSobrevivência do Espírito
Sobrevivência do Espírito
 
A idéia da Comunicação com os Espíritos
A idéia da Comunicação com os EspíritosA idéia da Comunicação com os Espíritos
A idéia da Comunicação com os Espíritos
 
01 a idéia da comunicação com os espíritos
01 a idéia da comunicação com os espíritos01 a idéia da comunicação com os espíritos
01 a idéia da comunicação com os espíritos
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptxAparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
 
Perispírito
PerispíritoPerispírito
Perispírito
 
Aula Introdução a Mediunidade
Aula Introdução a MediunidadeAula Introdução a Mediunidade
Aula Introdução a Mediunidade
 
06 perispírito
06   perispírito06   perispírito
06 perispírito
 

Mais de Guto Ovsky

Fund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]gutoFund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Guto Ovsky
 
Fund1Mod06Rot4-Retorno à vida corporal
Fund1Mod06Rot4-Retorno à vida corporalFund1Mod06Rot4-Retorno à vida corporal
Fund1Mod06Rot4-Retorno à vida corporal
Guto Ovsky
 
Fund1Mod06Rot3
Fund1Mod06Rot3Fund1Mod06Rot3
Fund1Mod06Rot3
Guto Ovsky
 
Fund1Mod06Rot2
Fund1Mod06Rot2Fund1Mod06Rot2
Fund1Mod06Rot2
Guto Ovsky
 
Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1
Guto Ovsky
 
Fund1Mod06Rot4
Fund1Mod06Rot4Fund1Mod06Rot4
Fund1Mod06Rot4
Guto Ovsky
 
Fund1Mod01Rot1-[2012]guto
Fund1Mod01Rot1-[2012]gutoFund1Mod01Rot1-[2012]guto
Fund1Mod01Rot1-[2012]guto
Guto Ovsky
 
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebioFund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Guto Ovsky
 
Fund1Mod04Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod04Rot3e4-[2012]gutoFund1Mod04Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod04Rot3e4-[2012]guto
Guto Ovsky
 
Fund1Mod04Rot2-[2007]euzebio
Fund1Mod04Rot2-[2007]euzebioFund1Mod04Rot2-[2007]euzebio
Fund1Mod04Rot2-[2007]euzebio
Guto Ovsky
 
Fund1Mod04Rot1-[2009]euzebio
Fund1Mod04Rot1-[2009]euzebioFund1Mod04Rot1-[2009]euzebio
Fund1Mod04Rot1-[2009]euzebio
Guto Ovsky
 
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]gutoFund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Guto Ovsky
 
Fund1Mod03Rot1-[2008]nilson
Fund1Mod03Rot1-[2008]nilsonFund1Mod03Rot1-[2008]nilson
Fund1Mod03Rot1-[2008]nilson
Guto Ovsky
 
Fund1Mod03Rot2-[2008]euzebio
Fund1Mod03Rot2-[2008]euzebioFund1Mod03Rot2-[2008]euzebio
Fund1Mod03Rot2-[2008]euzebio
Guto Ovsky
 
Fund1Mod02Rot2-[2006 e 2007]
Fund1Mod02Rot2-[2006 e 2007]Fund1Mod02Rot2-[2006 e 2007]
Fund1Mod02Rot2-[2006 e 2007]
Guto Ovsky
 
Fund1Mod02Rot1-[2012]guto
Fund1Mod02Rot1-[2012]gutoFund1Mod02Rot1-[2012]guto
Fund1Mod02Rot1-[2012]guto
Guto Ovsky
 
Fund1Mod02Rot3e4-[2013]guto
Fund1Mod02Rot3e4-[2013]gutoFund1Mod02Rot3e4-[2013]guto
Fund1Mod02Rot3e4-[2013]guto
Guto Ovsky
 
Fund1Mod01Rot4-[2007]thais
Fund1Mod01Rot4-[2007]thaisFund1Mod01Rot4-[2007]thais
Fund1Mod01Rot4-[2007]thais
Guto Ovsky
 
Fund1Mod01Rot2-[2013]guto
Fund1Mod01Rot2-[2013]gutoFund1Mod01Rot2-[2013]guto
Fund1Mod01Rot2-[2013]guto
Guto Ovsky
 
Fund1Mod01Rot2-[2007]euzebio
Fund1Mod01Rot2-[2007]euzebioFund1Mod01Rot2-[2007]euzebio
Fund1Mod01Rot2-[2007]euzebio
Guto Ovsky
 

Mais de Guto Ovsky (20)

Fund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]gutoFund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
Fund1Mod07Rot3e5-[2012]guto
 
Fund1Mod06Rot4-Retorno à vida corporal
Fund1Mod06Rot4-Retorno à vida corporalFund1Mod06Rot4-Retorno à vida corporal
Fund1Mod06Rot4-Retorno à vida corporal
 
Fund1Mod06Rot3
Fund1Mod06Rot3Fund1Mod06Rot3
Fund1Mod06Rot3
 
Fund1Mod06Rot2
Fund1Mod06Rot2Fund1Mod06Rot2
Fund1Mod06Rot2
 
Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1Fund1Mod06Rot1
Fund1Mod06Rot1
 
Fund1Mod06Rot4
Fund1Mod06Rot4Fund1Mod06Rot4
Fund1Mod06Rot4
 
Fund1Mod01Rot1-[2012]guto
Fund1Mod01Rot1-[2012]gutoFund1Mod01Rot1-[2012]guto
Fund1Mod01Rot1-[2012]guto
 
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebioFund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
 
Fund1Mod04Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod04Rot3e4-[2012]gutoFund1Mod04Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod04Rot3e4-[2012]guto
 
Fund1Mod04Rot2-[2007]euzebio
Fund1Mod04Rot2-[2007]euzebioFund1Mod04Rot2-[2007]euzebio
Fund1Mod04Rot2-[2007]euzebio
 
Fund1Mod04Rot1-[2009]euzebio
Fund1Mod04Rot1-[2009]euzebioFund1Mod04Rot1-[2009]euzebio
Fund1Mod04Rot1-[2009]euzebio
 
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]gutoFund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
Fund1Mod03Rot3e4-[2012]guto
 
Fund1Mod03Rot1-[2008]nilson
Fund1Mod03Rot1-[2008]nilsonFund1Mod03Rot1-[2008]nilson
Fund1Mod03Rot1-[2008]nilson
 
Fund1Mod03Rot2-[2008]euzebio
Fund1Mod03Rot2-[2008]euzebioFund1Mod03Rot2-[2008]euzebio
Fund1Mod03Rot2-[2008]euzebio
 
Fund1Mod02Rot2-[2006 e 2007]
Fund1Mod02Rot2-[2006 e 2007]Fund1Mod02Rot2-[2006 e 2007]
Fund1Mod02Rot2-[2006 e 2007]
 
Fund1Mod02Rot1-[2012]guto
Fund1Mod02Rot1-[2012]gutoFund1Mod02Rot1-[2012]guto
Fund1Mod02Rot1-[2012]guto
 
Fund1Mod02Rot3e4-[2013]guto
Fund1Mod02Rot3e4-[2013]gutoFund1Mod02Rot3e4-[2013]guto
Fund1Mod02Rot3e4-[2013]guto
 
Fund1Mod01Rot4-[2007]thais
Fund1Mod01Rot4-[2007]thaisFund1Mod01Rot4-[2007]thais
Fund1Mod01Rot4-[2007]thais
 
Fund1Mod01Rot2-[2013]guto
Fund1Mod01Rot2-[2013]gutoFund1Mod01Rot2-[2013]guto
Fund1Mod01Rot2-[2013]guto
 
Fund1Mod01Rot2-[2007]euzebio
Fund1Mod01Rot2-[2007]euzebioFund1Mod01Rot2-[2007]euzebio
Fund1Mod01Rot2-[2007]euzebio
 

Último

11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 

Último (14)

11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 

Fund1Mod05Rot2e3-[2012]geraldo

  • 1. MóduloMódulo VV Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos MóduloMódulo VV Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos Possibilitar entendimento do processoPossibilitar entendimento do processo de comunicação dos Espíritos com ode comunicação dos Espíritos com o mundo corporal.mundo corporal. Possibilitar entendimento do processoPossibilitar entendimento do processo de comunicação dos Espíritos com ode comunicação dos Espíritos com o mundo corporal.mundo corporal. Objetivo GeralObjetivo GeralObjetivo GeralObjetivo Geral
  • 2. 1.1. Influência dos Espíritos em nossosInfluência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos, e nos acontecimentospensamentos e atos, e nos acontecimentos da vida.da vida. 2.2. Mediunidade e médium.Mediunidade e médium. 3.3. Mediunidade com Jesus.Mediunidade com Jesus. 1.1. Influência dos Espíritos em nossosInfluência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos, e nos acontecimentospensamentos e atos, e nos acontecimentos da vida.da vida. 2.2. Mediunidade e médium.Mediunidade e médium. 3.3. Mediunidade com Jesus.Mediunidade com Jesus. RoteirosRoteirosRoteirosRoteiros Comunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos EspíritosComunicabilidade dos Espíritos MóduloMódulo VVMóduloMódulo VV
  • 3. Roteiro 2Roteiro 2: Mediunidade e médium: Mediunidade e médiumRoteiro 2Roteiro 2: Mediunidade e médium: Mediunidade e médium Objetivos específicos:Objetivos específicos:Objetivos específicos:Objetivos específicos:  Emitir conceito de mediunidade eEmitir conceito de mediunidade e de médium.de médium.  Esclarecer a finalidade daEsclarecer a finalidade da mediunidade.mediunidade.  Emitir conceito de mediunidade eEmitir conceito de mediunidade e de médium.de médium.  Esclarecer a finalidade daEsclarecer a finalidade da mediunidade.mediunidade.
  • 4. A Mediunidade foiA Mediunidade foi descoberta pelodescoberta pelo Espiritismo?Espiritismo? A Mediunidade foiA Mediunidade foi descoberta pelodescoberta pelo Espiritismo?Espiritismo?
  • 5. Os profetas eram médiuns;Os profetas eram médiuns; Os Caldeus e os Assírios tinhamOs Caldeus e os Assírios tinham médiuns;médiuns; Sócrates era dirigido por umSócrates era dirigido por um Espírito;Espírito; As inspirações de Joana d'Arc nãoAs inspirações de Joana d'Arc não eram mais do que vozes de Espíritos.eram mais do que vozes de Espíritos. O dom da mediunidade é antigo!O dom da mediunidade é antigo! KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 31, item 11.. Cap. 31, item 11.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 31, item 11.. Cap. 31, item 11.
  • 6. Então. O que é Mediunidade?Então. O que é Mediunidade? [...] a mediunidade é inerente a uma[...] a mediunidade é inerente a uma disposição orgânica, de que qualquerdisposição orgânica, de que qualquer homem [Espírito encarnado] pode serhomem [Espírito encarnado] pode ser dotado, como da de ver, de ouvir, dedotado, como da de ver, de ouvir, de falar. [...]falar. [...] [...] a mediunidade é inerente a uma[...] a mediunidade é inerente a uma disposição orgânica, de que qualquerdisposição orgânica, de que qualquer homem [Espírito encarnado] pode serhomem [Espírito encarnado] pode ser dotado, como da de ver, de ouvir, dedotado, como da de ver, de ouvir, de falar. [...]falar. [...] KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o EspiritismoO Evangelho segundo o Espiritismo. Cap. 24, item 12. Cap. 24, item 12KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o EspiritismoO Evangelho segundo o Espiritismo. Cap. 24, item 12. Cap. 24, item 12 ConceitoConceito
  • 7. Outro Conceito de MediunidadeOutro Conceito de Mediunidade A faculdade mediúnica é umaA faculdade mediúnica é uma propriedade do organismo e nãopropriedade do organismo e não depende das qualidades moraisdepende das qualidades morais do médium; [...]do médium; [...] A faculdade mediúnica é umaA faculdade mediúnica é uma propriedade do organismo e nãopropriedade do organismo e não depende das qualidades moraisdepende das qualidades morais do médium; [...]do médium; [...] KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O que é o Espiritismo.O que é o Espiritismo. Cap. 2, item 79Cap. 2, item 79KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O que é o Espiritismo.O que é o Espiritismo. Cap. 2, item 79Cap. 2, item 79
  • 8. Mais um conceito de MediunidadeMais um conceito de Mediunidade Faculdade orgânica, a mediunidade seFaculdade orgânica, a mediunidade se encontra, em quase todos osencontra, em quase todos os indivíduos, não constituindo patrimônioindivíduos, não constituindo patrimônio especial de grupos nem privilégio deespecial de grupos nem privilégio de castas; [...]castas; [...] Faculdade orgânica, a mediunidade seFaculdade orgânica, a mediunidade se encontra, em quase todos osencontra, em quase todos os indivíduos, não constituindo patrimônioindivíduos, não constituindo patrimônio especial de grupos nem privilégio deespecial de grupos nem privilégio de castas; [...]castas; [...] FRANCO, Divaldo. Estudos Espíritas. (Joanna de Ângelis). Cap. 18FRANCO, Divaldo. Estudos Espíritas. (Joanna de Ângelis). Cap. 18FRANCO, Divaldo. Estudos Espíritas. (Joanna de Ângelis). Cap. 18FRANCO, Divaldo. Estudos Espíritas. (Joanna de Ângelis). Cap. 18
  • 9. Conceito fisiopsíquico de MediunidadeConceito fisiopsíquico de Mediunidade A mediunidade é expressão fisiopsíquicaA mediunidade é expressão fisiopsíquica inerente ao homem [Espírito encarnado],inerente ao homem [Espírito encarnado], por cujo meio é-lhe possível entrar empor cujo meio é-lhe possível entrar em contato com outras faixas vibratórias,contato com outras faixas vibratórias, além e aquém daquelas que são captadasalém e aquém daquelas que são captadas pelos seus equipamentos sensoriais.pelos seus equipamentos sensoriais. A mediunidade é expressão fisiopsíquicaA mediunidade é expressão fisiopsíquica inerente ao homem [Espírito encarnado],inerente ao homem [Espírito encarnado], por cujo meio é-lhe possível entrar empor cujo meio é-lhe possível entrar em contato com outras faixas vibratórias,contato com outras faixas vibratórias, além e aquém daquelas que são captadasalém e aquém daquelas que são captadas pelos seus equipamentos sensoriais.pelos seus equipamentos sensoriais. FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno). Capítulo: Psiquismo mediúnico.Capítulo: Psiquismo mediúnico. FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno). Capítulo: Psiquismo mediúnico.Capítulo: Psiquismo mediúnico.
  • 10. Se a mediunidade é “inerenteSe a mediunidade é “inerente a uma disposição orgânica”,a uma disposição orgânica”, onde ela estaria localizada?onde ela estaria localizada? Se a mediunidade é “inerenteSe a mediunidade é “inerente a uma disposição orgânica”,a uma disposição orgânica”, onde ela estaria localizada?onde ela estaria localizada?
  • 11. [...] “a mediunidade está ligada[...] “a mediunidade está ligada ao corpo pelo espírito que a eleao corpo pelo espírito que a ele se liga, mas não pertence aose liga, mas não pertence ao corpo e sim ao perispírito” [...]corpo e sim ao perispírito” [...] PIRES, José Herculano.PIRES, José Herculano. MediunidadeMediunidade. 9 ed. São Paulo: Editora Paidéia,. 9 ed. São Paulo: Editora Paidéia, Cap. 9, p. 72.Cap. 9, p. 72. PIRES, José Herculano.PIRES, José Herculano. MediunidadeMediunidade. 9 ed. São Paulo: Editora Paidéia,. 9 ed. São Paulo: Editora Paidéia, Cap. 9, p. 72.Cap. 9, p. 72. Opiniões de especialistas …Opiniões de especialistas …
  • 12. Nessa ligação entre o perispírito e oNessa ligação entre o perispírito e o corpo físico, [...] “acredita-se que acorpo físico, [...] “acredita-se que a mediunidade acontece pelo funcionamentomediunidade acontece pelo funcionamento da pineal, que capta o campoda pineal, que capta o campo eletromagnético, através do qual aeletromagnético, através do qual a espiritualidade interfere.”espiritualidade interfere.” SOUZA, Paula Calloni de. Pineal - A União do Corpo e da Alma. http://www.espirito.org.br/portal/publicacoes/esp-ciencia/003/pineal.html  SOUZA, Paula Calloni de. Pineal - A União do Corpo e da Alma. http://www.espirito.org.br/portal/publicacoes/esp-ciencia/003/pineal.html  Opiniões de especialistas …Opiniões de especialistas …
  • 14. [...] “No exercício mediúnico de qualquer[...] “No exercício mediúnico de qualquer modalidade, a epífise [glândula pineal]modalidade, a epífise [glândula pineal] desempenha o papel mais importante.desempenha o papel mais importante. Através de suas forças equilibradas, aAtravés de suas forças equilibradas, a mente humana intensifica o poder demente humana intensifica o poder de emissão e recepção de raios peculiares àemissão e recepção de raios peculiares à nossa esfera.” [...]nossa esfera.” [...] (1)(1) (1) XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. Cap. 1: O psicógrafo. (1) XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. Cap. 1: O psicógrafo. Explicações do Espírito AlexandreExplicações do Espírito Alexandre (1)(1)
  • 15. O que é serO que é ser médium?médium? O que é serO que é ser médium?médium?
  • 16. Conceito de MédiumConceito de Médium [...] “O médium é o indivíduo que serve[...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união aos Espíritos, parade traço de união aos Espíritos, para que estes possam comunicar-seque estes possam comunicar-se facilmente com os homens: Espíritosfacilmente com os homens: Espíritos encarnados. Por conseguinte, semencarnados. Por conseguinte, sem médium, não há comunicações tangíveis,médium, não há comunicações tangíveis, mentais, escritas, físicas, de qualquermentais, escritas, físicas, de qualquer natureza que seja.” [...]natureza que seja.” [...] [...] “O médium é o indivíduo que serve[...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união aos Espíritos, parade traço de união aos Espíritos, para que estes possam comunicar-seque estes possam comunicar-se facilmente com os homens: Espíritosfacilmente com os homens: Espíritos encarnados. Por conseguinte, semencarnados. Por conseguinte, sem médium, não há comunicações tangíveis,médium, não há comunicações tangíveis, mentais, escritas, físicas, de qualquermentais, escritas, físicas, de qualquer natureza que seja.” [...]natureza que seja.” [...] KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 24, item 12.. Cap. 24, item 12.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 24, item 12.. Cap. 24, item 12.
  • 17. Conceito de MédiumConceito de Médium Médiuns, meu amigo, inclusive nós outros,Médiuns, meu amigo, inclusive nós outros, os desencarnados, todos o somos, emos desencarnados, todos o somos, em vista de sermos intermediários do bemvista de sermos intermediários do bem que procede de mais alto, quando nosque procede de mais alto, quando nos elevamos, ou portadores do mal, colhidoelevamos, ou portadores do mal, colhido nas zonas inferiores, quando caímos emnas zonas inferiores, quando caímos em desequilíbrio. [...]desequilíbrio. [...] Médiuns, meu amigo, inclusive nós outros,Médiuns, meu amigo, inclusive nós outros, os desencarnados, todos o somos, emos desencarnados, todos o somos, em vista de sermos intermediários do bemvista de sermos intermediários do bem que procede de mais alto, quando nosque procede de mais alto, quando nos elevamos, ou portadores do mal, colhidoelevamos, ou portadores do mal, colhido nas zonas inferiores, quando caímos emnas zonas inferiores, quando caímos em desequilíbrio. [...]desequilíbrio. [...] XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz.Missionários da luz. Pelo Espírito AndréPelo Espírito André Luiz. 39 ed. RJ: FEB, 2004. Cap. 18.Luiz. 39 ed. RJ: FEB, 2004. Cap. 18. XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz.Missionários da luz. Pelo Espírito AndréPelo Espírito André Luiz. 39 ed. RJ: FEB, 2004. Cap. 18.Luiz. 39 ed. RJ: FEB, 2004. Cap. 18.
  • 18. O perispíritoO perispírito do médium sedo médium se expandeexpande O perispíritoO perispírito do Espíritodo Espírito comunicantecomunicante também setambém se expandeexpande MECANISMOS DA MEDIUNIDADEMECANISMOS DA MEDIUNIDADE O Espírito transmite O Espírito transmite sua vontade ao médium sua vontade ao médium www.cele.org.brwww.cele.org.br Uma atmosfera fluídico-Uma atmosfera fluídico- perispiritual comum é formadaperispiritual comum é formada
  • 19. Informativo ComCiência Ano I – N. 2 (Jan-Fev/2006)Informativo ComCiência Ano I – N. 2 (Jan-Fev/2006) http://mfo1977.googlepages.com/InformativoComCiencia2.pdfhttp://mfo1977.googlepages.com/InformativoComCiencia2.pdf Informativo ComCiência Ano I – N. 2 (Jan-Fev/2006)Informativo ComCiência Ano I – N. 2 (Jan-Fev/2006) http://mfo1977.googlepages.com/InformativoComCiencia2.pdfhttp://mfo1977.googlepages.com/InformativoComCiencia2.pdf O Espírito comunicanteO Espírito comunicante transmite seu pensamentotransmite seu pensamento ao perispírito do médium,ao perispírito do médium, o qual após ser captado,o qual após ser captado, é encaminhado ao seué encaminhado ao seu cérebro.cérebro. O PROCESSO DE COMUNICAÇÃO MEDIÚNICOO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO MEDIÚNICO
  • 20. Pontos para nossa reflexão ...Pontos para nossa reflexão ...Pontos para nossa reflexão ...Pontos para nossa reflexão ... ““A mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qualA mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qual se estabelecem as relações entre homens e espíritos.”se estabelecem as relações entre homens e espíritos.” ((PIRES, J. Herculano.PIRES, J. Herculano. MediunidadeMediunidade. Cap. 1, pag. 9. Cap. 1, pag. 9)) ““A mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qualA mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qual se estabelecem as relações entre homens e espíritos.”se estabelecem as relações entre homens e espíritos.” ((PIRES, J. Herculano.PIRES, J. Herculano. MediunidadeMediunidade. Cap. 1, pag. 9. Cap. 1, pag. 9)) [...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união[...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união aos Espíritos, para que estes possam comunicar-seaos Espíritos, para que estes possam comunicar-se facilmente com os homens: Espíritos encarnados.” [...]facilmente com os homens: Espíritos encarnados.” [...] ((KARDEC, A. O livro dos médiuns. Cap. XXVII, Item 306KARDEC, A. O livro dos médiuns. Cap. XXVII, Item 306)) [...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união[...] “O médium é o indivíduo que serve de traço de união aos Espíritos, para que estes possam comunicar-seaos Espíritos, para que estes possam comunicar-se facilmente com os homens: Espíritos encarnados.” [...]facilmente com os homens: Espíritos encarnados.” [...] ((KARDEC, A. O livro dos médiuns. Cap. XXVII, Item 306KARDEC, A. O livro dos médiuns. Cap. XXVII, Item 306)) [...] “A moral do médium determina seu comportamento[...] “A moral do médium determina seu comportamento como criatura humana e regula as suas relações com oscomo criatura humana e regula as suas relações com os espíritos.” [...] (espíritos.” [...] (PIRES, J. Herculano. Mediunidade. Cap. 9, pag. 71PIRES, J. Herculano. Mediunidade. Cap. 9, pag. 71).). [...] “A moral do médium determina seu comportamento[...] “A moral do médium determina seu comportamento como criatura humana e regula as suas relações com oscomo criatura humana e regula as suas relações com os espíritos.” [...] (espíritos.” [...] (PIRES, J. Herculano. Mediunidade. Cap. 9, pag. 71PIRES, J. Herculano. Mediunidade. Cap. 9, pag. 71).).
  • 22. Primeira ETAPAPrimeira ETAPAPrimeira ETAPAPrimeira ETAPA a)a) Ler atentamente osLer atentamente os subsídiossubsídios dodo Roteiro, em duplas, fazendo asRoteiro, em duplas, fazendo as anotações que julgar importantes.anotações que julgar importantes. ((10 minutos10 minutos)) a)a) Ler atentamente osLer atentamente os subsídiossubsídios dodo Roteiro, em duplas, fazendo asRoteiro, em duplas, fazendo as anotações que julgar importantes.anotações que julgar importantes. ((10 minutos10 minutos))
  • 23. Aguardar aAguardar a leitura dosleitura dos subsídiossubsídios ((10 minutos10 minutos))
  • 24. b)b) Recomenda-se a todas as duplasRecomenda-se a todas as duplas responder, em papel em branco,responder, em papel em branco, cada uma das seguintes questõescada uma das seguintes questões propostas (2propostas (2°minutos por questão):minutos por questão): b)b) Recomenda-se a todas as duplasRecomenda-se a todas as duplas responder, em papel em branco,responder, em papel em branco, cada uma das seguintes questõescada uma das seguintes questões propostas (2propostas (2°minutos por questão):minutos por questão): Segunda ETAPASegunda ETAPASegunda ETAPASegunda ETAPA
  • 25. QuestõesQuestões propostaspropostas QuestõesQuestões propostaspropostas 1. Que se entende por mediunidade?1. Que se entende por mediunidade?1. Que se entende por mediunidade?1. Que se entende por mediunidade? 2. Dar um conceito de médium.2. Dar um conceito de médium.2. Dar um conceito de médium.2. Dar um conceito de médium. 3. O desenvolvimento da mediunidade guarda3. O desenvolvimento da mediunidade guarda relação com o desenvolvimento moral dosrelação com o desenvolvimento moral dos médiuns? Explique.médiuns? Explique. 3. O desenvolvimento da mediunidade guarda3. O desenvolvimento da mediunidade guarda relação com o desenvolvimento moral dosrelação com o desenvolvimento moral dos médiuns? Explique.médiuns? Explique. 4. Por que a mediunidade não implica relações4. Por que a mediunidade não implica relações habituais com os Espíritos superiores?habituais com os Espíritos superiores? 4. Por que a mediunidade não implica relações4. Por que a mediunidade não implica relações habituais com os Espíritos superiores?habituais com os Espíritos superiores? 5. Qual a finalidade da mediunidade?5. Qual a finalidade da mediunidade?5. Qual a finalidade da mediunidade?5. Qual a finalidade da mediunidade?
  • 26. c)c) 2 grupos (aleatórios) devem2 grupos (aleatórios) devem responder a cada questão (de 1 aresponder a cada questão (de 1 a 5) em público. Se houver pontos5) em público. Se houver pontos adicionais ou divergentes, osadicionais ou divergentes, os demais podem se manifestar.demais podem se manifestar. c)c) 2 grupos (aleatórios) devem2 grupos (aleatórios) devem responder a cada questão (de 1 aresponder a cada questão (de 1 a 5) em público. Se houver pontos5) em público. Se houver pontos adicionais ou divergentes, osadicionais ou divergentes, os demais podem se manifestar.demais podem se manifestar. Terceira ETAPATerceira ETAPATerceira ETAPATerceira ETAPA
  • 27. Resultados doResultados do estudo em grupoestudo em grupo
  • 28. Questão 1Questão 1Questão 1Questão 1 Que se entende por mediunidade?Que se entende por mediunidade?Que se entende por mediunidade?Que se entende por mediunidade? A mediunidade é uma faculdadeA mediunidade é uma faculdade inerente ao homem [Espíritoinerente ao homem [Espírito encarnado] que possibilita oencarnado] que possibilita o intercâmbio entre os habitantesintercâmbio entre os habitantes dos mundos: espiritual e físico.dos mundos: espiritual e físico. A mediunidade é uma faculdadeA mediunidade é uma faculdade inerente ao homem [Espíritoinerente ao homem [Espírito encarnado] que possibilita oencarnado] que possibilita o intercâmbio entre os habitantesintercâmbio entre os habitantes dos mundos: espiritual e físico.dos mundos: espiritual e físico.
  • 29. Questão 2Questão 2Questão 2Questão 2 Dar um conceito de médium.Dar um conceito de médium.Dar um conceito de médium.Dar um conceito de médium. [...] “Todo aquele que sente, num[...] “Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dosgrau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium.Espíritos é, por esse fato, médium. [...] Pode, pois, dizer-se que todos[...] Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns.” [...]são, mais ou menos, médiuns.” [...] [...] “Todo aquele que sente, num[...] “Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dosgrau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium.Espíritos é, por esse fato, médium. [...] Pode, pois, dizer-se que todos[...] Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns.” [...]são, mais ou menos, médiuns.” [...] KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 24, item 12.. Cap. 24, item 12.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 24, item 12.. Cap. 24, item 12.
  • 30. Questão 3Questão 3Questão 3Questão 3 O desenvolvimento da mediunidade guarda relaçãoO desenvolvimento da mediunidade guarda relação com o desenvolvimento moral dos médiuns?com o desenvolvimento moral dos médiuns? Explique.Explique. O desenvolvimento da mediunidade guarda relaçãoO desenvolvimento da mediunidade guarda relação com o desenvolvimento moral dos médiuns?com o desenvolvimento moral dos médiuns? Explique.Explique. "Não; a faculdade propriamente dita se"Não; a faculdade propriamente dita se radica no organismo; independe do moral. Oradica no organismo; independe do moral. O mesmo, porém, não se dá com o seu uso, quemesmo, porém, não se dá com o seu uso, que pode ser bom, ou mau, conforme aspode ser bom, ou mau, conforme as qualidades do médium."qualidades do médium." "Não; a faculdade propriamente dita se"Não; a faculdade propriamente dita se radica no organismo; independe do moral. Oradica no organismo; independe do moral. O mesmo, porém, não se dá com o seu uso, quemesmo, porém, não se dá com o seu uso, que pode ser bom, ou mau, conforme aspode ser bom, ou mau, conforme as qualidades do médium."qualidades do médium." KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 20, item 226.. Cap. 20, item 226.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. O livro dos médiunsO livro dos médiuns. Cap. 20, item 226.. Cap. 20, item 226.
  • 31. Questão 4Questão 4Questão 4Questão 4 Por que a mediunidade não implica relaçõesPor que a mediunidade não implica relações habituais com os Espíritos superiores?habituais com os Espíritos superiores? Por que a mediunidade não implica relaçõesPor que a mediunidade não implica relações habituais com os Espíritos superiores?habituais com os Espíritos superiores? ““A mediunidade é uma aptidão de que dispõeA mediunidade é uma aptidão de que dispõe o Espírito encarnado para servir deo Espírito encarnado para servir de instrumento mais ou menos dúctil aosinstrumento mais ou menos dúctil aos Espíritos, em geral.” Isso não significa que oEspíritos, em geral.” Isso não significa que o médium esteja automaticamente pronto paramédium esteja automaticamente pronto para se comunicar com os Espíritos superiores.se comunicar com os Espíritos superiores. ““A mediunidade é uma aptidão de que dispõeA mediunidade é uma aptidão de que dispõe o Espírito encarnado para servir deo Espírito encarnado para servir de instrumento mais ou menos dúctil aosinstrumento mais ou menos dúctil aos Espíritos, em geral.” Isso não significa que oEspíritos, em geral.” Isso não significa que o médium esteja automaticamente pronto paramédium esteja automaticamente pronto para se comunicar com os Espíritos superiores.se comunicar com os Espíritos superiores. XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Dicionário da almaDicionário da alma. Verbete:. Verbete: Mediunidade.Mediunidade. XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Dicionário da almaDicionário da alma. Verbete:. Verbete: Mediunidade.Mediunidade.
  • 32. Questão 5Questão 5Questão 5Questão 5 Qual a finalidade da mediunidade?Qual a finalidade da mediunidade?Qual a finalidade da mediunidade?Qual a finalidade da mediunidade? A mediunidade tem por finalidadeA mediunidade tem por finalidade estabelecer um canal de comunicaçãoestabelecer um canal de comunicação entre os Espíritos encarnados eentre os Espíritos encarnados e desencarnados, visando contribuirdesencarnados, visando contribuir para a renovação moral e intelectualpara a renovação moral e intelectual da criatura terrena.da criatura terrena. A mediunidade tem por finalidadeA mediunidade tem por finalidade estabelecer um canal de comunicaçãoestabelecer um canal de comunicação entre os Espíritos encarnados eentre os Espíritos encarnados e desencarnados, visando contribuirdesencarnados, visando contribuir para a renovação moral e intelectualpara a renovação moral e intelectual da criatura terrena.da criatura terrena.
  • 34. KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. A prece segundo o EvangelhoA prece segundo o Evangelho. Parte III. Item 9.. Parte III. Item 9.KARDEC, Allan.KARDEC, Allan. A prece segundo o EvangelhoA prece segundo o Evangelho. Parte III. Item 9.. Parte III. Item 9. ““Para que o homem conheça as coisas doPara que o homem conheça as coisas do mundo visível e desvende os segredos damundo visível e desvende os segredos da Natureza material, Deus lhe deu a vista doNatureza material, Deus lhe deu a vista do corpo, os sentidos e instrumentos especiais.corpo, os sentidos e instrumentos especiais. Com o telescópio ele mergulha o olhar nasCom o telescópio ele mergulha o olhar nas profundezas do espaço e com o microscópioprofundezas do espaço e com o microscópio descobre o mundo dos infinitamentedescobre o mundo dos infinitamente pequenos. Para que penetre no mundopequenos. Para que penetre no mundo invisível, deu-lhe a mediunidade.”invisível, deu-lhe a mediunidade.” Sobre a Mediunidade ...Sobre a Mediunidade ...
  • 35. ““A mediunidade é conferida semA mediunidade é conferida sem distinção, a fim de que os Espíritosdistinção, a fim de que os Espíritos possam trazer a luz a todas aspossam trazer a luz a todas as camadas, a todas as classes dacamadas, a todas as classes da sociedade, ao pobre como ao rico; aossociedade, ao pobre como ao rico; aos retos, para fortificar no bem, aosretos, para fortificar no bem, aos viciosos, para os corrigir.viciosos, para os corrigir. ““A mediunidade é conferida semA mediunidade é conferida sem distinção, a fim de que os Espíritosdistinção, a fim de que os Espíritos possam trazer a luz a todas aspossam trazer a luz a todas as camadas, a todas as classes dacamadas, a todas as classes da sociedade, ao pobre como ao rico; aossociedade, ao pobre como ao rico; aos retos, para fortificar no bem, aosretos, para fortificar no bem, aos viciosos, para os corrigir.viciosos, para os corrigir. FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno). Capítulo: Psiquismo mediúnico.Capítulo: Psiquismo mediúnico. FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno).FRANCO, Divaldo. Temas da vida e da morte. (Manoel Philomeno). Capítulo: Psiquismo mediúnico.Capítulo: Psiquismo mediúnico. Outra visão sobre a Mediunidade ...Outra visão sobre a Mediunidade ...
  • 36. Ser médium não é apenas receberSer médium não é apenas receber Espíritos. [...] Ser médium é, acima deEspíritos. [...] Ser médium é, acima de tudo, ser discípulo do bem, habilitando-setudo, ser discípulo do bem, habilitando-se dia a dia, no intercâmbio regeneradordia a dia, no intercâmbio regenerador com o Alto a proveito da reforma geralcom o Alto a proveito da reforma geral da Humanidade, do planeta e de sida Humanidade, do planeta e de si próprio. [...]próprio. [...] Ser médium não é apenas receberSer médium não é apenas receber Espíritos. [...] Ser médium é, acima deEspíritos. [...] Ser médium é, acima de tudo, ser discípulo do bem, habilitando-setudo, ser discípulo do bem, habilitando-se dia a dia, no intercâmbio regeneradordia a dia, no intercâmbio regenerador com o Alto a proveito da reforma geralcom o Alto a proveito da reforma geral da Humanidade, do planeta e de sida Humanidade, do planeta e de si próprio. [...]próprio. [...] PEREIRA, Yvonne A.PEREIRA, Yvonne A. À luz do Consolador.À luz do Consolador. 2 ed. RJ: FEB, 1994.2 ed. RJ: FEB, 1994. Capítulo: O grande compromisso.Capítulo: O grande compromisso. PEREIRA, Yvonne A.PEREIRA, Yvonne A. À luz do Consolador.À luz do Consolador. 2 ed. RJ: FEB, 1994.2 ed. RJ: FEB, 1994. Capítulo: O grande compromisso.Capítulo: O grande compromisso. O que é ser médium ...O que é ser médium ...
  • 37. [...] Ser médium é, sobretudo, viver o[...] Ser médium é, sobretudo, viver o Evangelho, seguir os ensinamentos deEvangelho, seguir os ensinamentos de Jesus, amando o próximo, perdoando eJesus, amando o próximo, perdoando e respeitando o semelhante, ajudando-o,respeitando o semelhante, ajudando-o, inclusive, a crescer.inclusive, a crescer. [...] Ser médium é, sobretudo, viver o[...] Ser médium é, sobretudo, viver o Evangelho, seguir os ensinamentos deEvangelho, seguir os ensinamentos de Jesus, amando o próximo, perdoando eJesus, amando o próximo, perdoando e respeitando o semelhante, ajudando-o,respeitando o semelhante, ajudando-o, inclusive, a crescer.inclusive, a crescer. SCHUBERT, Suely.SCHUBERT, Suely. Testemunhos de Chico Xavier.Testemunhos de Chico Xavier. 2 ed. RJ: FEB,2 ed. RJ: FEB, 1998. Capítulo: Novos médiuns.1998. Capítulo: Novos médiuns. SCHUBERT, Suely.SCHUBERT, Suely. Testemunhos de Chico Xavier.Testemunhos de Chico Xavier. 2 ed. RJ: FEB,2 ed. RJ: FEB, 1998. Capítulo: Novos médiuns.1998. Capítulo: Novos médiuns. Outra visão sobre médium ...Outra visão sobre médium ...
  • 38. “A mediunidade é coisa santa, que deve ser praticada santamente, religiosamente” (Allan Kardec-Evangelho Segundo o Espiritismo)(Allan Kardec-Evangelho Segundo o Espiritismo)
  • 39. “O exercício da mediunidade, nas tarefas espíritas, exige larga disciplina mental, moral e física, gerando condicionamentos de ductilidade indispensável à condução por parte dos que a utilizam, tendo em vista o relevante mister para o qual deverá ser colocada.” (Viana de Carvalho-Enfoques Espíritas)
  • 42. Em relação à mediunidade, como devemos avaliar as seguintes afirmações? (Módulo V, Roteiro 2) a) A mediunidade é uma disposição orgânica inerente ao Espírito encarnado. b) A mediunidade não implica em relações habituais com os Espíritos superiores. c) A faculdade mediúnica, em qualquer situação, somente é dada aos Espíritos mais evoluídos. d) O exercício da mediunidade pode ser visto como um trabalho qualquer e, portanto, pode ser remunerado. V VV FF FF
  • 43. Em relação à condição de ser médium, podemos afirmar que: (Módulo V, Roteiro 2) a) O médium é o indivíduo que serve de traço de união aos Espíritos, para que estes possam comunicar-se facilmente com os homens. b) O bom médium é aquele que se comunica facilmente com o plano espiritual. c) Para sermos considerados médiuns temos que ter a faculdade de comunicar com os Espíritos, por meio, da psicofonia, psicografia, vidência etc. d) Todos nós, de alguma forma, somos médiuns. VV FF VV FF
  • 44. A mediunidade pode ser usada como profissão? Por que? a) sim; para sobrevivência do médium;a) sim; para sobrevivência do médium; b) sim; desde que o pagamento não seja iniciativa dob) sim; desde que o pagamento não seja iniciativa do médium;médium; c) sim, em alguns casos. Quando o médium merecer;c) sim, em alguns casos. Quando o médium merecer; d) nunca. Não se pode negociar algo que não lhed) nunca. Não se pode negociar algo que não lhe pertença. Dai de graça o que de graça recebeste.pertença. Dai de graça o que de graça recebeste.
  • 45. O que pode acontecer aos médiuns interesseiros, quanto à sua mediunidade? a) caso o interesse não seja financeiro, poderá aumentar a qualidade de seus dons, pois está servindo; b) será abandonado pelos Espíritos bons, pois a mediunidade deve ser praticada sem retribuição material: dai de graça o que de graça recebeste. c) nada, pois os Espíritos não se envolvem com coisas materiais; d) como castigo, perderá sua mediunidade.
  • 46. Não é a mediunidade que teNão é a mediunidade que te distingue.distingue. É aquilo que fazes dela.É aquilo que fazes dela.XAVIER, Francisco Cândido. Seara dos médiuns.XAVIER, Francisco Cândido. Seara dos médiuns. Pelo Espírito Emmanuel. Capítulo: Na mediunidadePelo Espírito Emmanuel. Capítulo: Na mediunidade

Notas do Editor

  1. Inferior ao depois
  2. Os mistérios de Elêusis eram ritos de iniciação ao culto das deusas agrícolas Demeter e Perséfone, que se celebravam em Elêusis, localidade da Grécia próxima a Atenas. Eram considerados os de maior importância entre todos os que se celebravam na antiguidade. Estes mitos e mistérios se transferiram ao Império Romano e sinais dele podem ser notados em práticas iniciáticas modernas. Os ritos e crenças eram guardados em segredo, só transmitidos a novos iniciados.
  3. Inferior ao depois
  4. Inferior ao depois
  5. Inferior ao depois
  6. Inferior ao depois
  7. Inferior ao depois
  8. P. Bourdieu fala de sentido comum como um fundo de evidências partilhadas por todos que assegura, nos limites dum universo social, um consenso primordial sobre o sentido do mundo, um conjunto de lugares comuns tacitamente aceites que tornam possível a confrontação, o diálogo, a concorrência, o conflito mesmo e entre os quais é necessário dar um lugar à parte aos princípios de classificação, tais como as grandes oposições que estruturam a percepção do mundo (1997:118). São estes esquemas de classificação que permitem que todos se refiram à mesmas oposições (alto/baixo, raro/comum,rico/pobre).
  9. P. Bourdieu fala de sentido comum como um fundo de evidências partilhadas por todos que assegura, nos limites dum universo social, um consenso primordial sobre o sentido do mundo, um conjunto de lugares comuns tacitamente aceites que tornam possível a confrontação, o diálogo, a concorrência, o conflito mesmo e entre os quais é necessário dar um lugar à parte aos princípios de classificação, tais como as grandes oposições que estruturam a percepção do mundo (1997:118). São estes esquemas de classificação que permitem que todos se refiram à mesmas oposições (alto/baixo, raro/comum,rico/pobre).
  10. P. Bourdieu fala de sentido comum como um fundo de evidências partilhadas por todos que assegura, nos limites dum universo social, um consenso primordial sobre o sentido do mundo, um conjunto de lugares comuns tacitamente aceites que tornam possível a confrontação, o diálogo, a concorrência, o conflito mesmo e entre os quais é necessário dar um lugar à parte aos princípios de classificação, tais como as grandes oposições que estruturam a percepção do mundo (1997:118). São estes esquemas de classificação que permitem que todos se refiram à mesmas oposições (alto/baixo, raro/comum,rico/pobre).
  11. Inferior ao depois
  12. Nesse conceito, o médium é visto propriamente como um intermediário entre o mundo espiritual e o físico e coloca como imprescindível em qualquer tipo de comunicação dos desencarnados com os encarnados.
  13. Nesse conceito de médium, a ênfase é dada na qualidade do médium e amplia o universo de intermediários para todos: encarnados e desencarnados. Está embutido nesse conceito, o sentido de que o médium é um mensageiro que carrega consigo as condições morais em que vive.
  14. Inferior ao depois
  15. Nesse conceito de médium, a ênfase é dada na qualidade do médium e amplia o universo de intermediários para todos: encarnados e desencarnados. Está embutido nesse conceito, o sentido de que o médium é um mensageiro que carrega consigo as condições morais em que vive.
  16. Nesse conceito de médium, a ênfase é dada na qualidade do médium e amplia o universo de intermediários para todos: encarnados e desencarnados. Está embutido nesse conceito, o sentido de que o médium é um mensageiro que carrega consigo as condições morais em que vive.