SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Situando o uso da mídia em contextos educacionais

Maria Cecília Martinsi

Dentre os pressupostos educacionais relevantes para a época atual, considera-se
que as múltiplas dimensões do ser humano - intelectual, emocional, social, cultural,
entre outras - precisam ser revitalizadas nas propostas educacionais atuais.

Assume-se que uma visão integrada do ser humano e de suas ações implica a
proposição de contextos nos quais os indivíduos se apercebam como múltiplos,
complexos,         dinâmicos,         criativos       e        responsáveis.

Com base nessa visão integrada, faz-se necessário compreender o indivíduo como
alguém que, impregnado pelo mundo social e cultural, se expressa em sua
totalidade física, emocional, intelectual e cultural. Assim, considerar a visão
integrada de indivíduo requer um atento olhar para o potencial expressivo e criador
inerente               a              todo              ser               humano.

Como pressuposto educacional atual, assume-se, também, que o conhecimento do
indivíduo se nutre e se desenvolve no contexto em que atua, que seus saberes são
recriados em seu fazer cotidiano, em interação com outros atores sociais e com os
signos presentes na sociedade. Assume -se, além disso, que o indivíduo se constitui
na totalidade das relações sociais, em espaços que permitam emergir vozes
diversas, estimulando o respeito e o diálogo entre seres “únicos”. Considera-se
ainda como base educativa, a possibilidade de os indivíduos encontrarem espaços e
tempos para se constituírem, contínua e dinamicamente, mediante experiências
múltiplas, podendo criar, por intermédio de ações, a vida em todas as suas
manifestações.

Integração de materiais e mídias diversificadas na prática educacional

No desencadeamento da prática educacional, destaca-se também a integração de
materiais e mídias diversificadas para que os alunos possam interpretar e dar
respostas ao que acontece no mundo que os cerca. Além dos recursos materiais e
tecnológicos, a proposição de atividades deve buscar relacionar o que é ensinado
na escola com as atuações dos alunos em determinados contextos. As at ividades
propostas devem desencadear situações que permitam a investigação, o
estabelecimento e o compartilhamento de idéias entre o grupo, deixando vir à tona
seus cotidianos e suas impressões sobre o mundo. O cultivo dessas premissas
favorece a manutenção de um compromisso com a paixão pelo aprender, pela
investigação,     pela    imaginação,      pela    reflexão,     pela    criação.

Em relação às práticas educacionais, o momento atual requer, essencialmente, uma
cultura que acredite no ser humano, em suas capacidades e potencialidades;
evidenciam, também, que a educação deve orientar-se para ganhos sociais
maiores, tais como afirmar a individualidade e confiança no ser humano, assegurar
que sua expressão possa ocorrer de diferentes formas e em diversas práticas
sociais.

Desafios          e         possibilidades           da         era         digital

Os desafios contemporâneos requerem um repensar da educação, diversificando os
recursos utilizados, oferecendo novas alternativas para os indivíduos interagirem e
se expressarem. Repensar a educação envolve diversificar as formas de agir e de
aprender, considerando a cultura e os meios de expressão que a permeiam.
Sob tais desafios, a era digital encerra novas possibilidades para os indivíduos
realizarem suas ações em contextos distintos e com mídias diferenciadas. As
tecnologias de informação e comunicação podem favorecer a constituição de uma
teia entre a escola e o cotidiano no qual o indivíduo atua, configurando novos
caminhos para ele interagir e desenvolver suas constantes compreensões sobre o
mundo             e           sobre           a            sua           cultura.

Diante dessas constatações e desafios, o uso de mídia em contextos educacionais
requer práticas que instiguem novas possibilidades de aprendizagem e a vivência
de processos criativos, com diálogos e interações múltiplas.

Processo de desenvolvimento e diversidade expressiva do ser humano
diante       dos        elementos         tecnológicos        atuais

O indivíduo, ao longo de sua vida, aprende sobre coisas variadas em diferenciadas
situações, integrando e relacionando vários conteúdos, articulando inúmeras
estratégias             e              formas               de             atuar.

No processo de desenvolvimento, o indivíduo aprende interagindo com diferentes
pessoas e objetos, realizando ações, investigando possibilidades, elaborando
criações em vários campos, utilizando variados artefatos culturais, mobilizado por
necessidades e interesses individuais e coletivos, assumindo desafios, enfrentando
suas limitações momentâneas e ampliando suas possibilidades múltiplas.

Há, na maioria de suas ações, inúmeros ingredientes que vão sendo elaborados,
transformados e mobilizados: representações, informações, opiniões, crenças,
hábitos, aptidões, saberes, estratégias, capacidades, noções, gostos, sentimentos,
atitudes, normas, modelos, valores, além de formas de fazer, de sentir, de
perceber,            de            refletir          (Perrenoud,            2001).

No processo de desenvolvimento do indivíduo, seu conhecimento e sua visão de
mundo são construídos e constantemente reconstruídos através das ações que
realiza e das interações estabelecidas com outras pessoas, bem como com os
elementos                    de                  sua                 cultura.

Conforme aborda Novaes (1992), o potencial de expressão dos indivíduos é imenso
e pluridimensionado, sendo utilizado, porém, de forma muito limitada. Segundo
essa autora, vem ocorrendo um desperdício das possibilidades humanas, muitas
delas sendo desconsideradas, bloqueadas ou inibidas por falta de orientação, de
estímulo e de um ambiente favorável e encorajador à atuação e ao
desenvolvimento                                                         pessoal.

Aliado à diversidade expressiva do ser humano, cumpre observar o fato de que
vivemos em uma sociedade cada vez mais informatizada e repleta de elementos
imagéticos, sonoros e textuais. Em várias atividades que exercemos em casa, no
trabalho ou no lazer, utilizamos intensivamente as tecnologias de comunicação e
informação. Cada vez mais, esses recursos são úteis e necessários para atuar em
situações que se transformam a cada momento, para desenvolver idéias, atribuir
sentido ao que nos rodeia e ver a realidade sob ângulos diversos.

Embora essas tecnologias estejam presentes em vários segmentos da nossa vida,
percebe-se ainda uma distância entre esses referenciais culturais e o seu uso em
contextos educacionais.

Dificuldades para apropriação de recursos tecnológicos na educação
Alguns fatores que dificultam a apropriação de recursos tecnológicos no contexto
educacional são as cristalizações nas configurações educacionais no que se refere a
espaços, tempos, atividades, conteúdos e formas de interação entre os alunos e
professores. Além da rigidez estrutural, há o distanciamento das propostas
educacionais com as demandas atuais da sociedade em termos de se atender ao
desenvolvimento integral e contínuo dos indivíduos considerando os aspectos
sociais, econômicos e culturais. Assim, as atividades e conteúdos são apresentados
desvinculados do cotidiano e do contexto em que o indivíduo vive. O fazer e o criar
são pouco promovidos. Desconsidera-se que o indivíduo, ao longo de sua vida,
aprende sobre coisas variadas em diferenciadas situações, integrando e
relacionando vários conteúdos, articulando inúmeras estratégias e formas de atuar.

Desconsidera-se também, que, no processo de desenvolvimento, o indivíduo
aprende interagindo com diferentes pessoas e objetos, realizando ações,
investigando possibilidades, elaborando criações em vários campos, utilizando
variados artefatos culturais, mobilizado por necessidades e interesses individuais e
coletivos, assumindo desafios, enfrentando suas limitações momentâneas e
ampliando                 suas                possibilidades              múltiplas.

Além da diversidade de interações e conteúdos que o indivíduo lida ao longo de seu
desenvolvimento, há, na maioria de suas ações, inúmeros ingredientes que vão
sendo elaborados, transformados e mobilizados: representações, informações,
opiniões, crenças, hábitos, aptidões, saberes, estratégias, capacidades, noções,
gostos, sentimentos, atitudes, normas, modelos, valores, além de formas de fazer,
de sentir, de perceber, de refletir (Perrenoud, 2001). Em relação à construção de
conhecimento, Ackermann (1991a) enfatiza também que o conhecimento se nutre
e se desenvolve no contexto em que o indivíduo atua, ou seja, que o conhecimento
é essencialmente situacional. No processo de desenvolvimento do indivíduo, seu
conhecimento e sua visão de mundo são construídos e constantemente
reconstruídos através das ações que realiza e das interações estabelecidas com
outras pessoas, bem como com os elementos de sua cultura.

Fluência                                                               tecnológica

Além da necessidade de o indivíduo atuar, estabelecendo interações,
desenvolvendo e nutrindo seus conhecimentos, a fluência tecnológica na era digital
requer a realização de ações em contextos distintos e por mídias diferenciadas. As
interações que se estabelecem com o uso de diferenciadas mídias também parecem
favorecer a construção de conhecimentos, uma vez que, segundo Vygotsky (1988),
o indivíduo constrói pessoalmente os seus conhecimentos nas interações com
outros atores sociais e a partir das interações com os signos e instrumentos
presentes na sociedade. O uso dos recursos das diferentes mídias pode contribuir
para o indivíduo desenvolver suas compreensões sobre o mundo e sobre a cultura
em que vive, além de provocar transformações nas formas de perceber e apreender
a                                                                       realidade.

Os novos caminhos configurados com os elementos tecnológicos podem,
potencialmente, ampliar as maneiras com que os indivíduos realizam algumas
atividades, as formas de interação e os espaços de socialização de saberes,
emoções,          afirmações,      investigações       e         indagações.

Diante das possibilidades de uso desses referenciais culturais em contextos
educacionais, há necessidade de se desenvolver propostas de trabalho que utilizem
vários tipos de tecnologias e meios de comunicação em atividades pedagógicas.

As atuais tecnologias de comunicação e interação apresentam novas possibilidades
para o indivíduo vivenciar processos criativos, estabelecendo aproximações e
associações inesperadas, juntando significados anteriormente desconexos e
ampliando a capacidade de interlocução por meio das diferentes linguagens que tais
recursos                                                               propiciam.

Diante das inúmeras possibilidades pedagógicas que as diferentes mídias oferecem,
da complexidade da realidade que o aluno vive atualmente, das mudanças de
representações, valores sociais e saberes disciplinares, a educação necessita ser
repensada, diversificando os recursos que utiliza (Edwards, 1999). Há necessidade
de se oferecer alternativas para que o aluno possa representar e expressar o
conhecimento e, assim, aprender a orientar-se e a encontrar referências que
permitam, de forma significativa, analisar, selecionar, interpretar e fazer uso da
avalanche de informações que recebe diariamente. Repensar a educação,
considerando a cultura e os meios de expressão que a permeiam, tem a função de
potencializar a interpretação do que está sendo aprendido a partir de diferentes
pontos de vista, favorecendo a tomada de consciência dos alunos sobre si mesmos
e       sobre         o      mundo         do        qual       fazem        parte.

Propostas educacionais baseadas no uso de várias mídias e recursos tecnológicos
são fundamentais para ajudar o aluno a compreender a realidade, examinar os
fenômenos que o rodeiam de uma maneira questionadora, contribuindo, não só
diante das experiências cotidianas, mas também diante de outros problemas e
realidades (Hernández, 2000). No contexto atual, torna-se indispensável a
capacidade de pensar a realidade criticamente, de conseguir selecionar a
informação    e    de    interrelacionar  conhecimentos    (Baccega,    1999).

Na atualidade temos a oportunidade e o desafio de repensar os contextos
educacionais abrindo espaço às novas possibilidades tecnológicas. Há que se
considerar o fato de que os espaços e tempos educativos estão ligados às formas
de comunicação, às linguagens utilizadas, aos meios empregados, às interações
que surgem no contexto em que a ação educativa ocorre. As novas configurações
possibilitadas pelas tecnologias da comunicação e da informação aportam novas
dimensões que permitem estruturar contextos educativos mais ricos, variados e
complexos. Para Alves (2001), tais reestruturações se tornam possíveis quando se
permite “incluir o mundo na aula” e a “aula no mundo”, fazendo, assim, caírem
alguns     dos   fortes  muros    conceituais,  arquitetônicos  e   tecnológicos.

A velocidade da transformação tecnológica nos locais de trabalho tem sido um dos
fatores que têm aumentado a importância da necessidade dos indivíduos
desenvolverem a capacidade de aprender novas habilidades, de assimilar novos
conceitos, de avaliar novas situações, de lidar com o inesperado. Outro fator tem
sido a necessidade de adoção de ações mais eficazes frente à multiplicidade,
diversidade e complexidade dos problemas mundiais existentes nas esferas
individual,                 social                  e                  planetária.

Diante da necessidade de serem diversificadas as possibilidades e formas de agir e
aprender, as tecnologias de informação e comunicação - rádio, televisão, vídeo,
computadores e todas as suas combinações - abrem oportunidades para a ação dos
indivíduos e a diversificação e transformação nos ambientes de aprendizagem.

Tais ambientes requerem novas dinâmicas, propostas, atuações e interações, bem
como novas organizações de tempos e espaços, para que os indivíduos possam
utilizar as novas mídias para expressarem e desenvolverem suas vozes particulares
e                                                                      coletivas.

i Doutora em Multimeios – Instituto de Artes da UNICAMP e Pesquisadora do Núcleo
de Informática Aplicada à Educação – NIED-UNICAMP.
Fonte

Postado por Joanirse às 16:40
25 de dezembro de 2008
http://midiasnaeducacao-joanirse.blogspot.com/2008/12/situando-o-uso-da-mdia-em-contextos.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

SíNtese Referencial Da EducomunicaçãO
SíNtese Referencial Da EducomunicaçãOSíNtese Referencial Da EducomunicaçãO
SíNtese Referencial Da EducomunicaçãONas Ondas do Rádio
 
CORRENTE PEDAGÓGICA NEOCOGNITIVISTA SEGUNDO LIBÂNEO
CORRENTE PEDAGÓGICA NEOCOGNITIVISTA SEGUNDO LIBÂNEOCORRENTE PEDAGÓGICA NEOCOGNITIVISTA SEGUNDO LIBÂNEO
CORRENTE PEDAGÓGICA NEOCOGNITIVISTA SEGUNDO LIBÂNEOPMAC
 
Uma Teoria Sociocrítica no Contexto da Cibercultura
Uma Teoria Sociocrítica no Contexto da CiberculturaUma Teoria Sociocrítica no Contexto da Cibercultura
Uma Teoria Sociocrítica no Contexto da CiberculturaMonica Aragon
 
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...Claudinei Gonçalves de Lima
 
Interdisciplinaridade e pluraridade cultural
Interdisciplinaridade e pluraridade culturalInterdisciplinaridade e pluraridade cultural
Interdisciplinaridade e pluraridade culturalcefaprodematupa
 
A Corrente Racional- Tecnológica e a Cibercultura
A Corrente Racional- Tecnológica e a CiberculturaA Corrente Racional- Tecnológica e a Cibercultura
A Corrente Racional- Tecnológica e a CiberculturaDiogo Myrrha
 
Okada a. a_mediacao_pedagogica_e_a_construcao_de_ecologias_cognitivas
Okada a. a_mediacao_pedagogica_e_a_construcao_de_ecologias_cognitivasOkada a. a_mediacao_pedagogica_e_a_construcao_de_ecologias_cognitivas
Okada a. a_mediacao_pedagogica_e_a_construcao_de_ecologias_cognitivasDanilo
 
Neocognivistas e a Cibercultura
Neocognivistas e a CiberculturaNeocognivistas e a Cibercultura
Neocognivistas e a Ciberculturafabiana dordan
 
Universidade federal fluminense
Universidade federal fluminenseUniversidade federal fluminense
Universidade federal fluminenseStg Shuba
 
Proposta Curricular de SC Educação e Tecnologia
Proposta Curricular  de SC Educação e TecnologiaProposta Curricular  de SC Educação e Tecnologia
Proposta Curricular de SC Educação e TecnologiaRichard Reinaldo
 
Correntes pós-modernas no contexto tecnológico
Correntes pós-modernas no contexto tecnológicoCorrentes pós-modernas no contexto tecnológico
Correntes pós-modernas no contexto tecnológicoEuzenir
 
Que educação, que tecnologias, para quem, com quais objetivos?
Que educação, que tecnologias, para quem, com quais objetivos?Que educação, que tecnologias, para quem, com quais objetivos?
Que educação, que tecnologias, para quem, com quais objetivos?Bianca Santana
 
A corrente neocognitivista
A corrente neocognitivistaA corrente neocognitivista
A corrente neocognitivistaCristina Maffra
 
Teorias pedagógicas e a cibercultura: Corrente Racional-Tecnológica
Teorias pedagógicas e a cibercultura: Corrente Racional-TecnológicaTeorias pedagógicas e a cibercultura: Corrente Racional-Tecnológica
Teorias pedagógicas e a cibercultura: Corrente Racional-TecnológicaDeise Diana Lava
 
Universidade federal fluminense pronto
Universidade federal fluminense prontoUniversidade federal fluminense pronto
Universidade federal fluminense prontoNicoly_caio
 
Teoria pedagógica contemporânea e cibercultura
Teoria pedagógica contemporânea e ciberculturaTeoria pedagógica contemporânea e cibercultura
Teoria pedagógica contemporânea e ciberculturaNaiane Nadia
 
1 proposta curricular geral
1   proposta curricular geral1   proposta curricular geral
1 proposta curricular geralEduardo Lopes
 
Autoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogicaAutoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogicaMyrian Laste
 

Mais procurados (20)

SíNtese Referencial Da EducomunicaçãO
SíNtese Referencial Da EducomunicaçãOSíNtese Referencial Da EducomunicaçãO
SíNtese Referencial Da EducomunicaçãO
 
CORRENTE PEDAGÓGICA NEOCOGNITIVISTA SEGUNDO LIBÂNEO
CORRENTE PEDAGÓGICA NEOCOGNITIVISTA SEGUNDO LIBÂNEOCORRENTE PEDAGÓGICA NEOCOGNITIVISTA SEGUNDO LIBÂNEO
CORRENTE PEDAGÓGICA NEOCOGNITIVISTA SEGUNDO LIBÂNEO
 
Uma Teoria Sociocrítica no Contexto da Cibercultura
Uma Teoria Sociocrítica no Contexto da CiberculturaUma Teoria Sociocrítica no Contexto da Cibercultura
Uma Teoria Sociocrítica no Contexto da Cibercultura
 
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
A ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO NA FORMAÇÃO DE SUJEITOS: UM OLHAR A PARTIR DA NOV...
 
Interdisciplinaridade e pluraridade cultural
Interdisciplinaridade e pluraridade culturalInterdisciplinaridade e pluraridade cultural
Interdisciplinaridade e pluraridade cultural
 
A Corrente Racional- Tecnológica e a Cibercultura
A Corrente Racional- Tecnológica e a CiberculturaA Corrente Racional- Tecnológica e a Cibercultura
A Corrente Racional- Tecnológica e a Cibercultura
 
Okada a. a_mediacao_pedagogica_e_a_construcao_de_ecologias_cognitivas
Okada a. a_mediacao_pedagogica_e_a_construcao_de_ecologias_cognitivasOkada a. a_mediacao_pedagogica_e_a_construcao_de_ecologias_cognitivas
Okada a. a_mediacao_pedagogica_e_a_construcao_de_ecologias_cognitivas
 
Neocognivistas e a Cibercultura
Neocognivistas e a CiberculturaNeocognivistas e a Cibercultura
Neocognivistas e a Cibercultura
 
Universidade federal fluminense
Universidade federal fluminenseUniversidade federal fluminense
Universidade federal fluminense
 
Teoria neocognitiva
Teoria neocognitivaTeoria neocognitiva
Teoria neocognitiva
 
Cibercultura e teorias sociocriticas
Cibercultura e teorias sociocriticasCibercultura e teorias sociocriticas
Cibercultura e teorias sociocriticas
 
Proposta Curricular de SC Educação e Tecnologia
Proposta Curricular  de SC Educação e TecnologiaProposta Curricular  de SC Educação e Tecnologia
Proposta Curricular de SC Educação e Tecnologia
 
Correntes pós-modernas no contexto tecnológico
Correntes pós-modernas no contexto tecnológicoCorrentes pós-modernas no contexto tecnológico
Correntes pós-modernas no contexto tecnológico
 
Que educação, que tecnologias, para quem, com quais objetivos?
Que educação, que tecnologias, para quem, com quais objetivos?Que educação, que tecnologias, para quem, com quais objetivos?
Que educação, que tecnologias, para quem, com quais objetivos?
 
A corrente neocognitivista
A corrente neocognitivistaA corrente neocognitivista
A corrente neocognitivista
 
Teorias pedagógicas e a cibercultura: Corrente Racional-Tecnológica
Teorias pedagógicas e a cibercultura: Corrente Racional-TecnológicaTeorias pedagógicas e a cibercultura: Corrente Racional-Tecnológica
Teorias pedagógicas e a cibercultura: Corrente Racional-Tecnológica
 
Universidade federal fluminense pronto
Universidade federal fluminense prontoUniversidade federal fluminense pronto
Universidade federal fluminense pronto
 
Teoria pedagógica contemporânea e cibercultura
Teoria pedagógica contemporânea e ciberculturaTeoria pedagógica contemporânea e cibercultura
Teoria pedagógica contemporânea e cibercultura
 
1 proposta curricular geral
1   proposta curricular geral1   proposta curricular geral
1 proposta curricular geral
 
Autoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogicaAutoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogica
 

Destaque

Roda d'agua calculo
Roda d'agua  calculoRoda d'agua  calculo
Roda d'agua calculoceliopcst
 
03 josé
03 josé03 josé
03 joséEUCAPPT
 
Aviso a veeduria ciudadana samec 01 de 2012
Aviso a veeduria ciudadana samec 01  de 2012Aviso a veeduria ciudadana samec 01  de 2012
Aviso a veeduria ciudadana samec 01 de 2012Alcaldia De Betulia
 
Actividades primero primaria 1
Actividades primero primaria 1Actividades primero primaria 1
Actividades primero primaria 1marigusti37
 
Trabajo final de mecanica y resistencia de materiles
Trabajo final de mecanica y resistencia de materilesTrabajo final de mecanica y resistencia de materiles
Trabajo final de mecanica y resistencia de materilesjorge ñiquen quesquen
 

Destaque (8)

Centros pos cosecha
Centros pos cosechaCentros pos cosecha
Centros pos cosecha
 
Roda d'agua calculo
Roda d'agua  calculoRoda d'agua  calculo
Roda d'agua calculo
 
03 josé
03 josé03 josé
03 josé
 
Presentación1
Presentación1Presentación1
Presentación1
 
Aviso a veeduria ciudadana samec 01 de 2012
Aviso a veeduria ciudadana samec 01  de 2012Aviso a veeduria ciudadana samec 01  de 2012
Aviso a veeduria ciudadana samec 01 de 2012
 
Actividades primero primaria 1
Actividades primero primaria 1Actividades primero primaria 1
Actividades primero primaria 1
 
Trabajo final de mecanica y resistencia de materiles
Trabajo final de mecanica y resistencia de materilesTrabajo final de mecanica y resistencia de materiles
Trabajo final de mecanica y resistencia de materiles
 
Planeaciones tics
Planeaciones tics Planeaciones tics
Planeaciones tics
 

Semelhante a Uso da mídia na educação

Desenvolvendo Competências no JI
Desenvolvendo Competências no JIDesenvolvendo Competências no JI
Desenvolvendo Competências no JIHenrique Santos
 
Cibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadas
Cibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadasCibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadas
Cibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadasMara Limias
 
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado FariasSantana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado FariasCursoTICs
 
Conhecimento em rede
Conhecimento em redeConhecimento em rede
Conhecimento em redeDiely Sampaio
 
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplosDesenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplosHenrique Santos
 
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes FilhoPPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes FilhoAna Paula Silva
 
A ciência e os avanços em sistemas de educação
A ciência e os avanços em sistemas de educaçãoA ciência e os avanços em sistemas de educação
A ciência e os avanços em sistemas de educaçãoFernando Alcoforado
 
O uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aulaO uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aulaEdison Paulo
 
Memorial - Ensinando e Aprendendo com as TIC
Memorial - Ensinando e Aprendendo com as TICMemorial - Ensinando e Aprendendo com as TIC
Memorial - Ensinando e Aprendendo com as TICvalma fideles
 
A cibercultura e as teorias pedagógicas – uma
A cibercultura e as teorias pedagógicas – umaA cibercultura e as teorias pedagógicas – uma
A cibercultura e as teorias pedagógicas – umawagner martins
 
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y Editora Moderna
 
Teorias Pedagógicas no Cntexto da Cibercultura
Teorias Pedagógicas no Cntexto da CiberculturaTeorias Pedagógicas no Cntexto da Cibercultura
Teorias Pedagógicas no Cntexto da CiberculturaVanilde Manfredi
 
Resumo da proposta de tempo integral
Resumo da proposta de tempo integralResumo da proposta de tempo integral
Resumo da proposta de tempo integralescolabeatriz
 
A base nacional comum curricular e as práticas pedagógicas. conceitos e práti...
A base nacional comum curricular e as práticas pedagógicas. conceitos e práti...A base nacional comum curricular e as práticas pedagógicas. conceitos e práti...
A base nacional comum curricular e as práticas pedagógicas. conceitos e práti...rodrigodelapaes
 
Articulação entre conteúdos e competências contextualizados à prática pedagógica
Articulação entre conteúdos e competências contextualizados à prática pedagógicaArticulação entre conteúdos e competências contextualizados à prática pedagógica
Articulação entre conteúdos e competências contextualizados à prática pedagógicaVanessa Aparecida R Anastacio
 
Diretrizes curriculares nacionais para educação infantil
Diretrizes curriculares nacionais para educação infantilDiretrizes curriculares nacionais para educação infantil
Diretrizes curriculares nacionais para educação infantilEMEI Julio Alves Pereira
 
1 criatividade e escola - limites e possibilidades segundo gestores e orient...
1 criatividade e escola - limites e possibilidades segundo  gestores e orient...1 criatividade e escola - limites e possibilidades segundo  gestores e orient...
1 criatividade e escola - limites e possibilidades segundo gestores e orient...Maria Izabel da Silva
 
Eixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículoEixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículoEunice Portela
 
Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)UyaraPortugal
 

Semelhante a Uso da mídia na educação (20)

Desenvolvendo Competências no JI
Desenvolvendo Competências no JIDesenvolvendo Competências no JI
Desenvolvendo Competências no JI
 
Cibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadas
Cibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadasCibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadas
Cibercultura e as teorias pedagógicas ressignificadas
 
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado FariasSantana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
 
Conhecimento em rede
Conhecimento em redeConhecimento em rede
Conhecimento em rede
 
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplosDesenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
Desenvolvimento curricular e tecnologias exemplos
 
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes FilhoPPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
PPP - E.E.B. Alexandre Ternes Filho
 
A ciência e os avanços em sistemas de educação
A ciência e os avanços em sistemas de educaçãoA ciência e os avanços em sistemas de educação
A ciência e os avanços em sistemas de educação
 
O uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aulaO uso responsável do celular na sala de aula
O uso responsável do celular na sala de aula
 
Memorial - Ensinando e Aprendendo com as TIC
Memorial - Ensinando e Aprendendo com as TICMemorial - Ensinando e Aprendendo com as TIC
Memorial - Ensinando e Aprendendo com as TIC
 
A cibercultura e as teorias pedagógicas – uma
A cibercultura e as teorias pedagógicas – umaA cibercultura e as teorias pedagógicas – uma
A cibercultura e as teorias pedagógicas – uma
 
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
Planejar 2011: planejando aulas para a Geração Y
 
Apresentação 2014 4
Apresentação 2014 4Apresentação 2014 4
Apresentação 2014 4
 
Teorias Pedagógicas no Cntexto da Cibercultura
Teorias Pedagógicas no Cntexto da CiberculturaTeorias Pedagógicas no Cntexto da Cibercultura
Teorias Pedagógicas no Cntexto da Cibercultura
 
Resumo da proposta de tempo integral
Resumo da proposta de tempo integralResumo da proposta de tempo integral
Resumo da proposta de tempo integral
 
A base nacional comum curricular e as práticas pedagógicas. conceitos e práti...
A base nacional comum curricular e as práticas pedagógicas. conceitos e práti...A base nacional comum curricular e as práticas pedagógicas. conceitos e práti...
A base nacional comum curricular e as práticas pedagógicas. conceitos e práti...
 
Articulação entre conteúdos e competências contextualizados à prática pedagógica
Articulação entre conteúdos e competências contextualizados à prática pedagógicaArticulação entre conteúdos e competências contextualizados à prática pedagógica
Articulação entre conteúdos e competências contextualizados à prática pedagógica
 
Diretrizes curriculares nacionais para educação infantil
Diretrizes curriculares nacionais para educação infantilDiretrizes curriculares nacionais para educação infantil
Diretrizes curriculares nacionais para educação infantil
 
1 criatividade e escola - limites e possibilidades segundo gestores e orient...
1 criatividade e escola - limites e possibilidades segundo  gestores e orient...1 criatividade e escola - limites e possibilidades segundo  gestores e orient...
1 criatividade e escola - limites e possibilidades segundo gestores e orient...
 
Eixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículoEixos estruturantes e transversais do currículo
Eixos estruturantes e transversais do currículo
 
Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)Atv.ling. metafora (1)
Atv.ling. metafora (1)
 

Mais de SergioMarcos

Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcosToo3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcosSergioMarcos
 
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcosToo3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcosSergioMarcos
 
Apresentação2 unidade3atividade2power pointe
Apresentação2 unidade3atividade2power pointeApresentação2 unidade3atividade2power pointe
Apresentação2 unidade3atividade2power pointeSergioMarcos
 
Apresentação2 unidade3atividade2power pointe
Apresentação2 unidade3atividade2power pointeApresentação2 unidade3atividade2power pointe
Apresentação2 unidade3atividade2power pointeSergioMarcos
 
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointeApresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointeSergioMarcos
 
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointeApresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointeSergioMarcos
 
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointeApresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointeSergioMarcos
 

Mais de SergioMarcos (12)

Atividade2
Atividade2Atividade2
Atividade2
 
Atividade2
Atividade2Atividade2
Atividade2
 
Atividade2
Atividade2Atividade2
Atividade2
 
Atividade2
Atividade2Atividade2
Atividade2
 
Atividade2
Atividade2Atividade2
Atividade2
 
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcosToo3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
 
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcosToo3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
Too3 tcc texto_informaticanoambienteescolar_sergio_marcos
 
Apresentação2 unidade3atividade2power pointe
Apresentação2 unidade3atividade2power pointeApresentação2 unidade3atividade2power pointe
Apresentação2 unidade3atividade2power pointe
 
Apresentação2 unidade3atividade2power pointe
Apresentação2 unidade3atividade2power pointeApresentação2 unidade3atividade2power pointe
Apresentação2 unidade3atividade2power pointe
 
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointeApresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
 
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointeApresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
 
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointeApresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
Apresentação2 unidade 3 atividade_2_power pointe
 

Último

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 

Último (20)

Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 

Uso da mídia na educação

  • 1. Situando o uso da mídia em contextos educacionais Maria Cecília Martinsi Dentre os pressupostos educacionais relevantes para a época atual, considera-se que as múltiplas dimensões do ser humano - intelectual, emocional, social, cultural, entre outras - precisam ser revitalizadas nas propostas educacionais atuais. Assume-se que uma visão integrada do ser humano e de suas ações implica a proposição de contextos nos quais os indivíduos se apercebam como múltiplos, complexos, dinâmicos, criativos e responsáveis. Com base nessa visão integrada, faz-se necessário compreender o indivíduo como alguém que, impregnado pelo mundo social e cultural, se expressa em sua totalidade física, emocional, intelectual e cultural. Assim, considerar a visão integrada de indivíduo requer um atento olhar para o potencial expressivo e criador inerente a todo ser humano. Como pressuposto educacional atual, assume-se, também, que o conhecimento do indivíduo se nutre e se desenvolve no contexto em que atua, que seus saberes são recriados em seu fazer cotidiano, em interação com outros atores sociais e com os signos presentes na sociedade. Assume -se, além disso, que o indivíduo se constitui na totalidade das relações sociais, em espaços que permitam emergir vozes diversas, estimulando o respeito e o diálogo entre seres “únicos”. Considera-se ainda como base educativa, a possibilidade de os indivíduos encontrarem espaços e tempos para se constituírem, contínua e dinamicamente, mediante experiências múltiplas, podendo criar, por intermédio de ações, a vida em todas as suas manifestações. Integração de materiais e mídias diversificadas na prática educacional No desencadeamento da prática educacional, destaca-se também a integração de materiais e mídias diversificadas para que os alunos possam interpretar e dar respostas ao que acontece no mundo que os cerca. Além dos recursos materiais e tecnológicos, a proposição de atividades deve buscar relacionar o que é ensinado na escola com as atuações dos alunos em determinados contextos. As at ividades propostas devem desencadear situações que permitam a investigação, o estabelecimento e o compartilhamento de idéias entre o grupo, deixando vir à tona seus cotidianos e suas impressões sobre o mundo. O cultivo dessas premissas favorece a manutenção de um compromisso com a paixão pelo aprender, pela investigação, pela imaginação, pela reflexão, pela criação. Em relação às práticas educacionais, o momento atual requer, essencialmente, uma cultura que acredite no ser humano, em suas capacidades e potencialidades; evidenciam, também, que a educação deve orientar-se para ganhos sociais maiores, tais como afirmar a individualidade e confiança no ser humano, assegurar que sua expressão possa ocorrer de diferentes formas e em diversas práticas sociais. Desafios e possibilidades da era digital Os desafios contemporâneos requerem um repensar da educação, diversificando os recursos utilizados, oferecendo novas alternativas para os indivíduos interagirem e se expressarem. Repensar a educação envolve diversificar as formas de agir e de aprender, considerando a cultura e os meios de expressão que a permeiam.
  • 2. Sob tais desafios, a era digital encerra novas possibilidades para os indivíduos realizarem suas ações em contextos distintos e com mídias diferenciadas. As tecnologias de informação e comunicação podem favorecer a constituição de uma teia entre a escola e o cotidiano no qual o indivíduo atua, configurando novos caminhos para ele interagir e desenvolver suas constantes compreensões sobre o mundo e sobre a sua cultura. Diante dessas constatações e desafios, o uso de mídia em contextos educacionais requer práticas que instiguem novas possibilidades de aprendizagem e a vivência de processos criativos, com diálogos e interações múltiplas. Processo de desenvolvimento e diversidade expressiva do ser humano diante dos elementos tecnológicos atuais O indivíduo, ao longo de sua vida, aprende sobre coisas variadas em diferenciadas situações, integrando e relacionando vários conteúdos, articulando inúmeras estratégias e formas de atuar. No processo de desenvolvimento, o indivíduo aprende interagindo com diferentes pessoas e objetos, realizando ações, investigando possibilidades, elaborando criações em vários campos, utilizando variados artefatos culturais, mobilizado por necessidades e interesses individuais e coletivos, assumindo desafios, enfrentando suas limitações momentâneas e ampliando suas possibilidades múltiplas. Há, na maioria de suas ações, inúmeros ingredientes que vão sendo elaborados, transformados e mobilizados: representações, informações, opiniões, crenças, hábitos, aptidões, saberes, estratégias, capacidades, noções, gostos, sentimentos, atitudes, normas, modelos, valores, além de formas de fazer, de sentir, de perceber, de refletir (Perrenoud, 2001). No processo de desenvolvimento do indivíduo, seu conhecimento e sua visão de mundo são construídos e constantemente reconstruídos através das ações que realiza e das interações estabelecidas com outras pessoas, bem como com os elementos de sua cultura. Conforme aborda Novaes (1992), o potencial de expressão dos indivíduos é imenso e pluridimensionado, sendo utilizado, porém, de forma muito limitada. Segundo essa autora, vem ocorrendo um desperdício das possibilidades humanas, muitas delas sendo desconsideradas, bloqueadas ou inibidas por falta de orientação, de estímulo e de um ambiente favorável e encorajador à atuação e ao desenvolvimento pessoal. Aliado à diversidade expressiva do ser humano, cumpre observar o fato de que vivemos em uma sociedade cada vez mais informatizada e repleta de elementos imagéticos, sonoros e textuais. Em várias atividades que exercemos em casa, no trabalho ou no lazer, utilizamos intensivamente as tecnologias de comunicação e informação. Cada vez mais, esses recursos são úteis e necessários para atuar em situações que se transformam a cada momento, para desenvolver idéias, atribuir sentido ao que nos rodeia e ver a realidade sob ângulos diversos. Embora essas tecnologias estejam presentes em vários segmentos da nossa vida, percebe-se ainda uma distância entre esses referenciais culturais e o seu uso em contextos educacionais. Dificuldades para apropriação de recursos tecnológicos na educação
  • 3. Alguns fatores que dificultam a apropriação de recursos tecnológicos no contexto educacional são as cristalizações nas configurações educacionais no que se refere a espaços, tempos, atividades, conteúdos e formas de interação entre os alunos e professores. Além da rigidez estrutural, há o distanciamento das propostas educacionais com as demandas atuais da sociedade em termos de se atender ao desenvolvimento integral e contínuo dos indivíduos considerando os aspectos sociais, econômicos e culturais. Assim, as atividades e conteúdos são apresentados desvinculados do cotidiano e do contexto em que o indivíduo vive. O fazer e o criar são pouco promovidos. Desconsidera-se que o indivíduo, ao longo de sua vida, aprende sobre coisas variadas em diferenciadas situações, integrando e relacionando vários conteúdos, articulando inúmeras estratégias e formas de atuar. Desconsidera-se também, que, no processo de desenvolvimento, o indivíduo aprende interagindo com diferentes pessoas e objetos, realizando ações, investigando possibilidades, elaborando criações em vários campos, utilizando variados artefatos culturais, mobilizado por necessidades e interesses individuais e coletivos, assumindo desafios, enfrentando suas limitações momentâneas e ampliando suas possibilidades múltiplas. Além da diversidade de interações e conteúdos que o indivíduo lida ao longo de seu desenvolvimento, há, na maioria de suas ações, inúmeros ingredientes que vão sendo elaborados, transformados e mobilizados: representações, informações, opiniões, crenças, hábitos, aptidões, saberes, estratégias, capacidades, noções, gostos, sentimentos, atitudes, normas, modelos, valores, além de formas de fazer, de sentir, de perceber, de refletir (Perrenoud, 2001). Em relação à construção de conhecimento, Ackermann (1991a) enfatiza também que o conhecimento se nutre e se desenvolve no contexto em que o indivíduo atua, ou seja, que o conhecimento é essencialmente situacional. No processo de desenvolvimento do indivíduo, seu conhecimento e sua visão de mundo são construídos e constantemente reconstruídos através das ações que realiza e das interações estabelecidas com outras pessoas, bem como com os elementos de sua cultura. Fluência tecnológica Além da necessidade de o indivíduo atuar, estabelecendo interações, desenvolvendo e nutrindo seus conhecimentos, a fluência tecnológica na era digital requer a realização de ações em contextos distintos e por mídias diferenciadas. As interações que se estabelecem com o uso de diferenciadas mídias também parecem favorecer a construção de conhecimentos, uma vez que, segundo Vygotsky (1988), o indivíduo constrói pessoalmente os seus conhecimentos nas interações com outros atores sociais e a partir das interações com os signos e instrumentos presentes na sociedade. O uso dos recursos das diferentes mídias pode contribuir para o indivíduo desenvolver suas compreensões sobre o mundo e sobre a cultura em que vive, além de provocar transformações nas formas de perceber e apreender a realidade. Os novos caminhos configurados com os elementos tecnológicos podem, potencialmente, ampliar as maneiras com que os indivíduos realizam algumas atividades, as formas de interação e os espaços de socialização de saberes, emoções, afirmações, investigações e indagações. Diante das possibilidades de uso desses referenciais culturais em contextos educacionais, há necessidade de se desenvolver propostas de trabalho que utilizem vários tipos de tecnologias e meios de comunicação em atividades pedagógicas. As atuais tecnologias de comunicação e interação apresentam novas possibilidades para o indivíduo vivenciar processos criativos, estabelecendo aproximações e
  • 4. associações inesperadas, juntando significados anteriormente desconexos e ampliando a capacidade de interlocução por meio das diferentes linguagens que tais recursos propiciam. Diante das inúmeras possibilidades pedagógicas que as diferentes mídias oferecem, da complexidade da realidade que o aluno vive atualmente, das mudanças de representações, valores sociais e saberes disciplinares, a educação necessita ser repensada, diversificando os recursos que utiliza (Edwards, 1999). Há necessidade de se oferecer alternativas para que o aluno possa representar e expressar o conhecimento e, assim, aprender a orientar-se e a encontrar referências que permitam, de forma significativa, analisar, selecionar, interpretar e fazer uso da avalanche de informações que recebe diariamente. Repensar a educação, considerando a cultura e os meios de expressão que a permeiam, tem a função de potencializar a interpretação do que está sendo aprendido a partir de diferentes pontos de vista, favorecendo a tomada de consciência dos alunos sobre si mesmos e sobre o mundo do qual fazem parte. Propostas educacionais baseadas no uso de várias mídias e recursos tecnológicos são fundamentais para ajudar o aluno a compreender a realidade, examinar os fenômenos que o rodeiam de uma maneira questionadora, contribuindo, não só diante das experiências cotidianas, mas também diante de outros problemas e realidades (Hernández, 2000). No contexto atual, torna-se indispensável a capacidade de pensar a realidade criticamente, de conseguir selecionar a informação e de interrelacionar conhecimentos (Baccega, 1999). Na atualidade temos a oportunidade e o desafio de repensar os contextos educacionais abrindo espaço às novas possibilidades tecnológicas. Há que se considerar o fato de que os espaços e tempos educativos estão ligados às formas de comunicação, às linguagens utilizadas, aos meios empregados, às interações que surgem no contexto em que a ação educativa ocorre. As novas configurações possibilitadas pelas tecnologias da comunicação e da informação aportam novas dimensões que permitem estruturar contextos educativos mais ricos, variados e complexos. Para Alves (2001), tais reestruturações se tornam possíveis quando se permite “incluir o mundo na aula” e a “aula no mundo”, fazendo, assim, caírem alguns dos fortes muros conceituais, arquitetônicos e tecnológicos. A velocidade da transformação tecnológica nos locais de trabalho tem sido um dos fatores que têm aumentado a importância da necessidade dos indivíduos desenvolverem a capacidade de aprender novas habilidades, de assimilar novos conceitos, de avaliar novas situações, de lidar com o inesperado. Outro fator tem sido a necessidade de adoção de ações mais eficazes frente à multiplicidade, diversidade e complexidade dos problemas mundiais existentes nas esferas individual, social e planetária. Diante da necessidade de serem diversificadas as possibilidades e formas de agir e aprender, as tecnologias de informação e comunicação - rádio, televisão, vídeo, computadores e todas as suas combinações - abrem oportunidades para a ação dos indivíduos e a diversificação e transformação nos ambientes de aprendizagem. Tais ambientes requerem novas dinâmicas, propostas, atuações e interações, bem como novas organizações de tempos e espaços, para que os indivíduos possam utilizar as novas mídias para expressarem e desenvolverem suas vozes particulares e coletivas. i Doutora em Multimeios – Instituto de Artes da UNICAMP e Pesquisadora do Núcleo de Informática Aplicada à Educação – NIED-UNICAMP.
  • 5. Fonte Postado por Joanirse às 16:40 25 de dezembro de 2008 http://midiasnaeducacao-joanirse.blogspot.com/2008/12/situando-o-uso-da-mdia-em-contextos.html