SlideShare uma empresa Scribd logo
- FATORES DETERMINANTES
  . As Cruzadas
  . Renascimento Comercial
  . Renascimento Urbano
  . Surgimento da burguesia
  . Crise do feudalismo e o enfraquecimento dos senhores feudais
  . Desintegração da servidão, que sustentava o feudalismo
  . Progressos técnicos nos armamentos militares, provocando a
   decadência da cavalaria
  . Surgimento dos exércitos reais ou profissionais
- PRINCIPAIS MONARQUIAS NACIONAIS EUROPÉIAS
  > PORTUGAL
    . Fim da Guerra da Reconquista
  > ESPANHA
    . Fim da Guerra da Reconquista
    . Casamento de Isabel e Fernando(Castela e Aragão)
  > FRANÇA
    . Guerra dos Cem Anos
    . Peste Negra
  > INGLATERRA
    . Guerra das Duas Rosas (Lancaster x York)
- ABSOLUTISMO MONÁRQUICO
  . Concentração total dos poderes nas mãos do rei.

   . O rei era visto como grande árbitro das questões nacionais.

  . Luxo e ostentação reforçavam a imagem do rei diante das
  massas miseráveis.

  . Cobrança cada vez maior de tributos, irritando burguesia e
  povão.

   . “casamento” da monarquia com a Igreja Católica.
JUSTIFICATIVAS PARA O ABSOLUTISMO
• Nicolau Maquiavel: na obra “O Príncipe”, afirma que os
  poderes do rei são ilimitados, desde que seus objetivos sejam a
  grandeza do Estado. Os fins justificam os meios.

• Thomas Hobbes: na obra “Leviatã”, menciona que é
  necessário o poder ilimitado do soberano para uma melhor
  organização e defesa da sociedade. Sem essa autoridade, a
  sociedade tende ao caos.

• Jacques Bossuet: na obra “Política Segundo a Sagrada
  Família”, o rei é um representante de Deus na Terra e todos os
  súditos devem respeitá-lo.
• Política econômica praticada pelos Estados Absolutistas.

  . Objetivos: fortalecer o Estado e a burguesia.

  . Princípios:
                  » Metalismo
                  » Balança Comercial favorável
                  » Intervenção do Estado na economia
                  » Protecionismo
- RENASCIMENTO

 * Transição da mentalidade medieval para a mentalidade
 moderna.
 * Patrocinado pelos mecenas (burgueses ricos).
 * Buscava o resgate da cultura greco-romana.
 * Períodos:
   . Trecento(séc.XIV): início, ainda muita religiosidade.
   . Quatrocento(séc.XV): apogeu do “reviver clássico”.
   . Cinqüecento(séc.XVI): declínio do Renascimento,
 influenciado pelas Grandes Navegações e a Contra-Reforma.
 Com a decadência, surge o Barroco.
- FATORES DETERMINANTES
  . Decadência moral do clero
  . Venda de indulgências(perdão dos pecados)
  . Simonia(venda de objetos considerados sagrados
  . O patrimônio acumulado pela Igreja
  . Centralização das monarquias nacionais( > poder)
  . O papa passou a ser visto como um líder estrangeiro
  . Ascensão da burguesia (condenação da usura)
- Reação da Igreja Católica contra as novas religiões.
- Medidas:
  . Concílio de Trento
    - manutenção do celibato
    - criação dos seminários
    - criação do catecismo
    - criação do Índex
  . Companhia de Jesus: combate às heresias e aos protestantes
  . Reativação do Tribunal da Inquisição
- CONSEQÜÊNCIAS DA REFORMA PROTESTANTE
  . Quebra da unidade do Cristianismo na Europa Ocidental.
  . Fortalecimento das monarquias nacionais.
  . Estímulo ao desenvolvimento capitalista.
  . Impulso à alfabetização(mais leitura).
  . Maior intolerância religiosa, tanto católica como
  protestante.
  . Impedimento ao livre desenvolvimento das ciências.
- Representou as idéias revolucionárias da burguesia
- Movimento intelectual do século XVIII
- Combatia: - o absolutismo monárquico
            - o privilégio de classes
            - a intolerância religiosa
            - a política mercantilista

- Defendia: - um governo constitucional
            - igualdade jurídica
            - liberdade de culto
            - liberalismo econômico
- O pensamento iluminista encontra sua origem no século XVII,
  quando os pensadores René Decartes, John Locke e Isaac
  Newton produziram uma verdadeira revolução científica.

- René Decartes: a razão é a única fonte de chegar ao
  conhecimento verdadeiro dos fatos.

- Isaac Newton: os acontecimentos da natureza são regidos por
  leis universais que governam e explicam os fenômenos
  naturais, sem a participação direta das forças divinas.

- John Locke: o governo existe pela necessidade de garantir os
  direitos e a segurança dos homens, mas seus poderes não
  podem ultrapassar os limites estabelecidos pelos que o
  escolheram.
- ILUMINISMO FRANCÊS
  . Montesquieu: na obra O Espírito das Leis, propôs a divisão
   dos poderes do Estado em Executivo, Legislativo e Judiciário.

  . François Marie Arouet, vulgo Voltaire, foi um vigoroso
   crítico da religião e da Monarquia. A liberdade consistia em
   ser governado por um código de leis legítimo, que se aplicasse
   igualmente a todos.

  . Rousseau: amado por muitos e odiado por outros, crente em
   Deus, defendeu a formação de um governo popular. É
   considerado o pai da democracia moderna. O início da
   desigualdade social teria sido a demarcação das propriedades.
- LIBERALISMO ECONÔMICO

 . Adam Smith:
   - o trabalho é a verdadeira fonte de riqueza.
   - o laissez faire(deixar fazer) não admitia a presença do
  Estado na economia.
   - o Estado só deve interferir na economia para evitar as
  injustiças e para promover a saúde pública e a educação.
   - suas idéias opunham-se à política mercantilista.
- INFLUÊNCIAS DO ILUMINISMO

 . Independência dos Estados Unidos.

 . Revolução Francesa.

 . Outros movimentos de independência.

 . Inconfidência Mineira.
- Iniciou na Inglaterra em fins do século XVIII:
  . Queda do absolutismo inglês (Revolução Gloriosa)
  . Acúmulo de capitais
  . Criação do Banco da Inglaterra
  . Política dos Cercamentos
  . Grande mercado fornecedor(colônias)
  . Amplo mercado interno
  . Vários e vantajosos tratados comerciais
  . Ato de Navegação
  . Ricas jazidas de ferro e carvão
- CONSEQÜÊNCIAS DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

  . Grande desenvolvimento dos meios de comunicação.
  . Disputa do mercado internacional pelos europeus.
  . Forte pressão sobre a classe trabalhadora.
  . Aparecimento de novas doutrinas sociais e econômicas.
  . Primeiras uniões de operários contra os patrões(sindicalismo)
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2
Formação dos estados nacionais 2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Absolutismo 8
Absolutismo 8Absolutismo 8
Absolutismo 8
Jorge Basílio
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
luizmourao23
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
Privada
 
Formação dos estados nacionais 1
Formação dos estados nacionais 1Formação dos estados nacionais 1
Formação dos estados nacionais 1
Jorge Basílio
 
Idade Moderna - Absolutismo
Idade Moderna - AbsolutismoIdade Moderna - Absolutismo
Idade Moderna - Absolutismo
Edenilson Morais
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
harlissoncarvalho
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Péricles Penuel
 
Seminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneoSeminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneo
Gian Vargas
 
Filosofia para-o-enem-5ª-seman
Filosofia para-o-enem-5ª-semanFilosofia para-o-enem-5ª-seman
Filosofia para-o-enem-5ª-seman
brunojmrezende
 
História Geral - Idade Moderna - Absolutismo, Mercantilismo, Reforma Protesta...
História Geral - Idade Moderna - Absolutismo, Mercantilismo, Reforma Protesta...História Geral - Idade Moderna - Absolutismo, Mercantilismo, Reforma Protesta...
História Geral - Idade Moderna - Absolutismo, Mercantilismo, Reforma Protesta...
Marco Aurélio Gondim
 
Absolutismo francês 2019
Absolutismo francês 2019Absolutismo francês 2019
Minorias históricas
Minorias históricasMinorias históricas
Minorias históricas
Paulo Alexandre
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Andre Borges
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
Jacqueline Matilde
 
O Antigo Regime e sua crise
O Antigo Regime e sua criseO Antigo Regime e sua crise
O Antigo Regime e sua crise
Alessandro Ferreira
 
O Absolutismo - 8o ano
O Absolutismo - 8o anoO Absolutismo - 8o ano
O Absolutismo - 8o ano
Lucas Degiovani
 
Resumo absolutismo monárquico
Resumo   absolutismo monárquicoResumo   absolutismo monárquico
Resumo absolutismo monárquico
Claudenilson da Silva
 
Iluminismos
IluminismosIluminismos
Iluminismos
REYSDS
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Valéria Shoujofan
 

Mais procurados (20)

Absolutismo 8
Absolutismo 8Absolutismo 8
Absolutismo 8
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Idade moderna
Idade modernaIdade moderna
Idade moderna
 
Formação dos estados nacionais 1
Formação dos estados nacionais 1Formação dos estados nacionais 1
Formação dos estados nacionais 1
 
Idade Moderna - Absolutismo
Idade Moderna - AbsolutismoIdade Moderna - Absolutismo
Idade Moderna - Absolutismo
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Seminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneoSeminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneo
 
Filosofia para-o-enem-5ª-seman
Filosofia para-o-enem-5ª-semanFilosofia para-o-enem-5ª-seman
Filosofia para-o-enem-5ª-seman
 
História Geral - Idade Moderna - Absolutismo, Mercantilismo, Reforma Protesta...
História Geral - Idade Moderna - Absolutismo, Mercantilismo, Reforma Protesta...História Geral - Idade Moderna - Absolutismo, Mercantilismo, Reforma Protesta...
História Geral - Idade Moderna - Absolutismo, Mercantilismo, Reforma Protesta...
 
Absolutismo francês 2019
Absolutismo francês 2019Absolutismo francês 2019
Absolutismo francês 2019
 
Minorias históricas
Minorias históricasMinorias históricas
Minorias históricas
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Absolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slideAbsolutismo e mercantilismo slide
Absolutismo e mercantilismo slide
 
O Antigo Regime e sua crise
O Antigo Regime e sua criseO Antigo Regime e sua crise
O Antigo Regime e sua crise
 
O Absolutismo - 8o ano
O Absolutismo - 8o anoO Absolutismo - 8o ano
O Absolutismo - 8o ano
 
Resumo absolutismo monárquico
Resumo   absolutismo monárquicoResumo   absolutismo monárquico
Resumo absolutismo monárquico
 
Iluminismos
IluminismosIluminismos
Iluminismos
 
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos ContratualistasAbsolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
Absolutismo Monárquico e a Crítica dos Contratualistas
 

Destaque

www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A formação dos estados nacionais
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A formação dos estados nacionaiswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A formação dos estados nacionais
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A formação dos estados nacionais
AulasDeHistoriaApoio
 
Formação dos estados nacionais
Formação dos estados nacionaisFormação dos estados nacionais
Formação dos estados nacionais
Leopoldo Galvão
 
Formação dos estados nacionais e o absolutismo
Formação dos estados nacionais e o absolutismoFormação dos estados nacionais e o absolutismo
Formação dos estados nacionais e o absolutismo
Hallan de Oliveira
 
Aula 3 a formação dos estados nacionais
Aula 3   a formação dos estados nacionaisAula 3   a formação dos estados nacionais
Aula 3 a formação dos estados nacionais
profnelton
 
Estados nacionais absolutismo-mercantilismo
Estados nacionais absolutismo-mercantilismoEstados nacionais absolutismo-mercantilismo
Estados nacionais absolutismo-mercantilismo
vr1a2011
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
Douglas Barraqui
 
Aula formacao-dos-estados-nacionais-absolutismo oficial
Aula formacao-dos-estados-nacionais-absolutismo oficialAula formacao-dos-estados-nacionais-absolutismo oficial
Aula formacao-dos-estados-nacionais-absolutismo oficial
Marcelo Ferreira Boia
 
156 abcd formação dos estados nacionais frança
156 abcd formação dos estados nacionais frança156 abcd formação dos estados nacionais frança
156 abcd formação dos estados nacionais frança
cristianoperinpissolato
 
155 abc formação dos estados nacionais inglaterra
155 abc formação dos estados nacionais inglaterra155 abc formação dos estados nacionais inglaterra
155 abc formação dos estados nacionais inglaterra
cristianoperinpissolato
 
Formação dos estados nacionais europeus
Formação dos estados nacionais europeusFormação dos estados nacionais europeus
Formação dos estados nacionais europeus
Vagner Roberto
 
Formacao dos-estados-nacionais-absolutismo
Formacao dos-estados-nacionais-absolutismoFormacao dos-estados-nacionais-absolutismo
Formacao dos-estados-nacionais-absolutismo
Marcio Cicchelli
 
A formação dos estados nacionais
A formação dos estados nacionaisA formação dos estados nacionais
A formação dos estados nacionais
Nelia Salles Nantes
 
O empreendimento colonial na América portuguesa
O empreendimento colonial na América portuguesaO empreendimento colonial na América portuguesa
O empreendimento colonial na América portuguesa
jefersondutra08
 
Filosofia PolíTica Blog
Filosofia PolíTica BlogFilosofia PolíTica Blog
Filosofia PolíTica Blog
guestc51fe5
 
Filosofia moderna 22 2 2
Filosofia moderna 22 2   2Filosofia moderna 22 2   2
Filosofia moderna 22 2 2
Alexandre Misturini
 
RazãO E ProporçãO
RazãO  E ProporçãORazãO  E ProporçãO
RazãO E ProporçãO
Ari_Avilez
 
Aula 13 filosofia política
Aula 13   filosofia políticaAula 13   filosofia política
Aula 13 filosofia política
professorleo1989
 
Mat utfrs 06. razao e proporcao
Mat utfrs 06. razao e proporcaoMat utfrs 06. razao e proporcao
Mat utfrs 06. razao e proporcao
trigono_metria
 
Mapas conceituais: tornando visíveis as estruturas de conhecimento durante o ...
Mapas conceituais: tornando visíveis as estruturas de conhecimento durante o ...Mapas conceituais: tornando visíveis as estruturas de conhecimento durante o ...
Mapas conceituais: tornando visíveis as estruturas de conhecimento durante o ...
Paulo Correia
 
Aula 3 - Matemática: razão e proporção
Aula 3 - Matemática: razão e proporçãoAula 3 - Matemática: razão e proporção
Aula 3 - Matemática: razão e proporção
WALTER ALENCAR DE SOUSA
 

Destaque (20)

www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A formação dos estados nacionais
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A formação dos estados nacionaiswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História -  A formação dos estados nacionais
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História - A formação dos estados nacionais
 
Formação dos estados nacionais
Formação dos estados nacionaisFormação dos estados nacionais
Formação dos estados nacionais
 
Formação dos estados nacionais e o absolutismo
Formação dos estados nacionais e o absolutismoFormação dos estados nacionais e o absolutismo
Formação dos estados nacionais e o absolutismo
 
Aula 3 a formação dos estados nacionais
Aula 3   a formação dos estados nacionaisAula 3   a formação dos estados nacionais
Aula 3 a formação dos estados nacionais
 
Estados nacionais absolutismo-mercantilismo
Estados nacionais absolutismo-mercantilismoEstados nacionais absolutismo-mercantilismo
Estados nacionais absolutismo-mercantilismo
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Aula formacao-dos-estados-nacionais-absolutismo oficial
Aula formacao-dos-estados-nacionais-absolutismo oficialAula formacao-dos-estados-nacionais-absolutismo oficial
Aula formacao-dos-estados-nacionais-absolutismo oficial
 
156 abcd formação dos estados nacionais frança
156 abcd formação dos estados nacionais frança156 abcd formação dos estados nacionais frança
156 abcd formação dos estados nacionais frança
 
155 abc formação dos estados nacionais inglaterra
155 abc formação dos estados nacionais inglaterra155 abc formação dos estados nacionais inglaterra
155 abc formação dos estados nacionais inglaterra
 
Formação dos estados nacionais europeus
Formação dos estados nacionais europeusFormação dos estados nacionais europeus
Formação dos estados nacionais europeus
 
Formacao dos-estados-nacionais-absolutismo
Formacao dos-estados-nacionais-absolutismoFormacao dos-estados-nacionais-absolutismo
Formacao dos-estados-nacionais-absolutismo
 
A formação dos estados nacionais
A formação dos estados nacionaisA formação dos estados nacionais
A formação dos estados nacionais
 
O empreendimento colonial na América portuguesa
O empreendimento colonial na América portuguesaO empreendimento colonial na América portuguesa
O empreendimento colonial na América portuguesa
 
Filosofia PolíTica Blog
Filosofia PolíTica BlogFilosofia PolíTica Blog
Filosofia PolíTica Blog
 
Filosofia moderna 22 2 2
Filosofia moderna 22 2   2Filosofia moderna 22 2   2
Filosofia moderna 22 2 2
 
RazãO E ProporçãO
RazãO  E ProporçãORazãO  E ProporçãO
RazãO E ProporçãO
 
Aula 13 filosofia política
Aula 13   filosofia políticaAula 13   filosofia política
Aula 13 filosofia política
 
Mat utfrs 06. razao e proporcao
Mat utfrs 06. razao e proporcaoMat utfrs 06. razao e proporcao
Mat utfrs 06. razao e proporcao
 
Mapas conceituais: tornando visíveis as estruturas de conhecimento durante o ...
Mapas conceituais: tornando visíveis as estruturas de conhecimento durante o ...Mapas conceituais: tornando visíveis as estruturas de conhecimento durante o ...
Mapas conceituais: tornando visíveis as estruturas de conhecimento durante o ...
 
Aula 3 - Matemática: razão e proporção
Aula 3 - Matemática: razão e proporçãoAula 3 - Matemática: razão e proporção
Aula 3 - Matemática: razão e proporção
 

Semelhante a Formação dos estados nacionais 2

Aula 03
Aula 03Aula 03
Aula 03
Patrick Mady
 
Seculo xviii iluminismo
Seculo xviii iluminismoSeculo xviii iluminismo
Seculo xviii iluminismo
Teresa Maia
 
Moderna
ModernaModerna
Revisanglo 7 E 8a
Revisanglo 7 E 8aRevisanglo 7 E 8a
Revisanglo 7 E 8a
Lucileida Castro
 
Ideias revolucionárias ilumismo
Ideias revolucionárias   ilumismoIdeias revolucionárias   ilumismo
Ideias revolucionárias ilumismo
Luise Moura
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
fernandacarolinestang
 
Aulas finais ps II
Aulas finais ps IIAulas finais ps II
Aulas finais ps II
Carlos Glufke
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Alessandra Pereira
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
Paulo Alexandre
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Paulo Alexandre
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Janayna Lira
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Gretiane Pinheiro
 
40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf
40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf
40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf
SamuelFernando44
 
REVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESAREVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESA
Cristina Soares
 
Iluminismo 2021
Iluminismo 2021Iluminismo 2021
Apostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - SagradoApostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - Sagrado
jorgeccpeixoto
 
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_iiModerna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Julia Selistre
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime
Laerciolns12
 
Iluminismo e revoluções inglesas
Iluminismo e revoluções inglesasIluminismo e revoluções inglesas
Iluminismo e revoluções inglesas
Ócio do Ofício
 
Absolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e MercantilismoAbsolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e Mercantilismo
Thiago Bro
 

Semelhante a Formação dos estados nacionais 2 (20)

Aula 03
Aula 03Aula 03
Aula 03
 
Seculo xviii iluminismo
Seculo xviii iluminismoSeculo xviii iluminismo
Seculo xviii iluminismo
 
Moderna
ModernaModerna
Moderna
 
Revisanglo 7 E 8a
Revisanglo 7 E 8aRevisanglo 7 E 8a
Revisanglo 7 E 8a
 
Ideias revolucionárias ilumismo
Ideias revolucionárias   ilumismoIdeias revolucionárias   ilumismo
Ideias revolucionárias ilumismo
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Aulas finais ps II
Aulas finais ps IIAulas finais ps II
Aulas finais ps II
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf
40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf
40123_8b227bc4a7182502604d43855c99ae0a.pdf
 
REVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESAREVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESA
 
Iluminismo 2021
Iluminismo 2021Iluminismo 2021
Iluminismo 2021
 
Apostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - SagradoApostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - Sagrado
 
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_iiModerna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
Moderna ii, contemporânea i,brasil_império_i,américa_ii
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime
 
Iluminismo e revoluções inglesas
Iluminismo e revoluções inglesasIluminismo e revoluções inglesas
Iluminismo e revoluções inglesas
 
Absolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e MercantilismoAbsolutismo e Mercantilismo
Absolutismo e Mercantilismo
 

Mais de Jorge Basílio

Questão de equação polinomial afa 97
Questão de equação polinomial   afa 97Questão de equação polinomial   afa 97
Questão de equação polinomial afa 97
Jorge Basílio
 
2 questão de conjuntos afa 97
2 questão de conjuntos   afa 972 questão de conjuntos   afa 97
2 questão de conjuntos afa 97
Jorge Basílio
 
Questão de conjuntos afa 97
Questão de conjuntos   afa 97Questão de conjuntos   afa 97
Questão de conjuntos afa 97
Jorge Basílio
 
Foe 2 ano - 1º bimestre
Foe 2 ano - 1º bimestreFoe 2 ano - 1º bimestre
Foe 2 ano - 1º bimestre
Jorge Basílio
 
Potenciacao 1
Potenciacao 1Potenciacao 1
Potenciacao 1
Jorge Basílio
 
2 lista exercicios_complementares
2 lista exercicios_complementares2 lista exercicios_complementares
2 lista exercicios_complementares
Jorge Basílio
 
Banco de-atividades-de-matematica-7c2ba-ano
Banco de-atividades-de-matematica-7c2ba-anoBanco de-atividades-de-matematica-7c2ba-ano
Banco de-atividades-de-matematica-7c2ba-ano
Jorge Basílio
 
Calendario
CalendarioCalendario
Calendario
Jorge Basílio
 

Mais de Jorge Basílio (20)

Questão de equação polinomial afa 97
Questão de equação polinomial   afa 97Questão de equação polinomial   afa 97
Questão de equação polinomial afa 97
 
2 questão de conjuntos afa 97
2 questão de conjuntos   afa 972 questão de conjuntos   afa 97
2 questão de conjuntos afa 97
 
Questão de conjuntos afa 97
Questão de conjuntos   afa 97Questão de conjuntos   afa 97
Questão de conjuntos afa 97
 
Foe 2 ano - 1º bimestre
Foe 2 ano - 1º bimestreFoe 2 ano - 1º bimestre
Foe 2 ano - 1º bimestre
 
Potenciacao 1
Potenciacao 1Potenciacao 1
Potenciacao 1
 
2 lista exercicios_complementares
2 lista exercicios_complementares2 lista exercicios_complementares
2 lista exercicios_complementares
 
Banco de-atividades-de-matematica-7c2ba-ano
Banco de-atividades-de-matematica-7c2ba-anoBanco de-atividades-de-matematica-7c2ba-ano
Banco de-atividades-de-matematica-7c2ba-ano
 
Calendario
CalendarioCalendario
Calendario
 
File1 16
File1 16File1 16
File1 16
 
File1 15
File1 15File1 15
File1 15
 
File1 1
File1 1File1 1
File1 1
 
File1 14
File1 14File1 14
File1 14
 
File1 13
File1 13File1 13
File1 13
 
File1 12
File1 12File1 12
File1 12
 
File1 11
File1 11File1 11
File1 11
 
File1 10
File1 10File1 10
File1 10
 
File1 9
File1 9File1 9
File1 9
 
File1 8
File1 8File1 8
File1 8
 
File1 7
File1 7File1 7
File1 7
 
File1 6
File1 6File1 6
File1 6
 

Formação dos estados nacionais 2

  • 1.
  • 2.
  • 3. - FATORES DETERMINANTES . As Cruzadas . Renascimento Comercial . Renascimento Urbano . Surgimento da burguesia . Crise do feudalismo e o enfraquecimento dos senhores feudais . Desintegração da servidão, que sustentava o feudalismo . Progressos técnicos nos armamentos militares, provocando a decadência da cavalaria . Surgimento dos exércitos reais ou profissionais
  • 4.
  • 5.
  • 6. - PRINCIPAIS MONARQUIAS NACIONAIS EUROPÉIAS > PORTUGAL . Fim da Guerra da Reconquista > ESPANHA . Fim da Guerra da Reconquista . Casamento de Isabel e Fernando(Castela e Aragão) > FRANÇA . Guerra dos Cem Anos . Peste Negra > INGLATERRA . Guerra das Duas Rosas (Lancaster x York)
  • 7. - ABSOLUTISMO MONÁRQUICO . Concentração total dos poderes nas mãos do rei. . O rei era visto como grande árbitro das questões nacionais. . Luxo e ostentação reforçavam a imagem do rei diante das massas miseráveis. . Cobrança cada vez maior de tributos, irritando burguesia e povão. . “casamento” da monarquia com a Igreja Católica.
  • 8. JUSTIFICATIVAS PARA O ABSOLUTISMO • Nicolau Maquiavel: na obra “O Príncipe”, afirma que os poderes do rei são ilimitados, desde que seus objetivos sejam a grandeza do Estado. Os fins justificam os meios. • Thomas Hobbes: na obra “Leviatã”, menciona que é necessário o poder ilimitado do soberano para uma melhor organização e defesa da sociedade. Sem essa autoridade, a sociedade tende ao caos. • Jacques Bossuet: na obra “Política Segundo a Sagrada Família”, o rei é um representante de Deus na Terra e todos os súditos devem respeitá-lo.
  • 9. • Política econômica praticada pelos Estados Absolutistas. . Objetivos: fortalecer o Estado e a burguesia. . Princípios: » Metalismo » Balança Comercial favorável » Intervenção do Estado na economia » Protecionismo
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. - RENASCIMENTO * Transição da mentalidade medieval para a mentalidade moderna. * Patrocinado pelos mecenas (burgueses ricos). * Buscava o resgate da cultura greco-romana. * Períodos: . Trecento(séc.XIV): início, ainda muita religiosidade. . Quatrocento(séc.XV): apogeu do “reviver clássico”. . Cinqüecento(séc.XVI): declínio do Renascimento, influenciado pelas Grandes Navegações e a Contra-Reforma. Com a decadência, surge o Barroco.
  • 17. - FATORES DETERMINANTES . Decadência moral do clero . Venda de indulgências(perdão dos pecados) . Simonia(venda de objetos considerados sagrados . O patrimônio acumulado pela Igreja . Centralização das monarquias nacionais( > poder) . O papa passou a ser visto como um líder estrangeiro . Ascensão da burguesia (condenação da usura)
  • 18.
  • 19.
  • 20. - Reação da Igreja Católica contra as novas religiões. - Medidas: . Concílio de Trento - manutenção do celibato - criação dos seminários - criação do catecismo - criação do Índex . Companhia de Jesus: combate às heresias e aos protestantes . Reativação do Tribunal da Inquisição
  • 21.
  • 22.
  • 23. - CONSEQÜÊNCIAS DA REFORMA PROTESTANTE . Quebra da unidade do Cristianismo na Europa Ocidental. . Fortalecimento das monarquias nacionais. . Estímulo ao desenvolvimento capitalista. . Impulso à alfabetização(mais leitura). . Maior intolerância religiosa, tanto católica como protestante. . Impedimento ao livre desenvolvimento das ciências.
  • 24. - Representou as idéias revolucionárias da burguesia - Movimento intelectual do século XVIII - Combatia: - o absolutismo monárquico - o privilégio de classes - a intolerância religiosa - a política mercantilista - Defendia: - um governo constitucional - igualdade jurídica - liberdade de culto - liberalismo econômico
  • 25. - O pensamento iluminista encontra sua origem no século XVII, quando os pensadores René Decartes, John Locke e Isaac Newton produziram uma verdadeira revolução científica. - René Decartes: a razão é a única fonte de chegar ao conhecimento verdadeiro dos fatos. - Isaac Newton: os acontecimentos da natureza são regidos por leis universais que governam e explicam os fenômenos naturais, sem a participação direta das forças divinas. - John Locke: o governo existe pela necessidade de garantir os direitos e a segurança dos homens, mas seus poderes não podem ultrapassar os limites estabelecidos pelos que o escolheram.
  • 26. - ILUMINISMO FRANCÊS . Montesquieu: na obra O Espírito das Leis, propôs a divisão dos poderes do Estado em Executivo, Legislativo e Judiciário. . François Marie Arouet, vulgo Voltaire, foi um vigoroso crítico da religião e da Monarquia. A liberdade consistia em ser governado por um código de leis legítimo, que se aplicasse igualmente a todos. . Rousseau: amado por muitos e odiado por outros, crente em Deus, defendeu a formação de um governo popular. É considerado o pai da democracia moderna. O início da desigualdade social teria sido a demarcação das propriedades.
  • 27. - LIBERALISMO ECONÔMICO . Adam Smith: - o trabalho é a verdadeira fonte de riqueza. - o laissez faire(deixar fazer) não admitia a presença do Estado na economia. - o Estado só deve interferir na economia para evitar as injustiças e para promover a saúde pública e a educação. - suas idéias opunham-se à política mercantilista.
  • 28. - INFLUÊNCIAS DO ILUMINISMO . Independência dos Estados Unidos. . Revolução Francesa. . Outros movimentos de independência. . Inconfidência Mineira.
  • 29.
  • 30.
  • 31. - Iniciou na Inglaterra em fins do século XVIII: . Queda do absolutismo inglês (Revolução Gloriosa) . Acúmulo de capitais . Criação do Banco da Inglaterra . Política dos Cercamentos . Grande mercado fornecedor(colônias) . Amplo mercado interno . Vários e vantajosos tratados comerciais . Ato de Navegação . Ricas jazidas de ferro e carvão
  • 32. - CONSEQÜÊNCIAS DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL . Grande desenvolvimento dos meios de comunicação. . Disputa do mercado internacional pelos europeus. . Forte pressão sobre a classe trabalhadora. . Aparecimento de novas doutrinas sociais e econômicas. . Primeiras uniões de operários contra os patrões(sindicalismo)