Estados nacionais absolutismo-mercantilismo

26.533 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
1 comentário
15 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
26.533
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
56
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.052
Comentários
1
Gostaram
15
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estados nacionais absolutismo-mercantilismo

  1. 1. OS ESTADOS NACIONAIS MODERNOS Profª Daniela Torres
  2. 2. A FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS O REI FOI O ELEMENTO UNIFICADOR DE UMA NOBREZA EM CRISE, CONCILIANDO, QUANDO POSSÍVEL COM A RICA BURGUESIA, CONDIÇÕES MATERIAIS PARA O FINANCIAMENTO DO PRÓPRIO ESTADO NACIONAL .
  3. 3. <ul><li>MARCOS INICIAIS DA IDADE MODERNA (Séculos XIII e XIV): </li></ul><ul><li>Crise do Feudalismo; </li></ul><ul><li>b) Ascensão da Burguesia Comercial; </li></ul><ul><li>c) Centralização do poder nas mãos do Rei </li></ul>
  4. 4. No período da transição do feudalismo para o capitalismo, renasce o comércio, as cidades tornam-se referências de uma vida livre e distante das obrigações feudais para os que apostam nas novas oportunidades. A economia natural, da época do feudalismo, transforma-se em uma economia monetária. Tem início a &quot;Era do Capital”.
  5. 5. <ul><li>DESAPARECIMENTO GRADUAL DA SERVIDÃO </li></ul><ul><li>AS REVOLTAS CAMPONESAS CONTRA A EXPLORAÇÃO FEUDAL. </li></ul><ul><li>O DESENVOLVIMENTO DO COMÉRCIO URBANO. </li></ul><ul><li>A PRODUÇÃO AGRÍCOLA VOLTADA PARA O MERCADO. </li></ul><ul><li>ENFRAQUECIMENTO DO PODER LOCAL COM O FORTALECIMENTO DO PODER CENTRAL. </li></ul>Causas da formação dos Modernos Estados Nacionais
  6. 6. CARACTERÍSTICAS DOS ESTADOS NACIONAIS <ul><li>Poder centralizado </li></ul><ul><li>Monarquia Absolutista </li></ul><ul><li>Território nacional </li></ul><ul><li>Exército nacional </li></ul><ul><li>Impostos nacionais </li></ul><ul><li>Língua nacional </li></ul>
  7. 7. UM JOGO DE FORÇAS SOCIAIS <ul><li>O processo de centralização política enfrentou fortes resistências de grupos que não queriam perder seus poderes locais: </li></ul><ul><li>Os administradores das Comunas. </li></ul><ul><li>Os senhores feudais acostumados a mandar em suas regiões. </li></ul>
  8. 8. LEMBRETE IMPORTANTE NÃO PODEMOS ESQUECER QUE O ESTADO NACIONAL É RESULTADO DE UMA ALIANÇA ENTRE REI, BURGUESIA E ALGUNS SETORES DA NOBREZA, INTERESSADO NO FORTALECIMENTO DO PODER REAL PARA A SUA PRÓPRIA SEGURANÇA.
  9. 9. INTERESSES DAS FORÇAS ALIADAS NO FORTALECIMENTO DO PODER REAL <ul><li>REPRIMIR AS REVOLTAS CAMPONESAS CONTRA A NOBREZA FEUDAL, PROTEGER A PROPRIEDADE DAS TERRAS E OS PRIVILÉGIOS DA NOBREZA. </li></ul><ul><li>MELHORAR AS ESTRADAS E A SEGURANÇA PÚBLICA. </li></ul><ul><li>UNIFORMIZAR AS MOEDAS. </li></ul><ul><li>PADRONIZAR PESOS E MEDIDAS. </li></ul><ul><li>CRIAR LEIS E PROCEDIMENTOS JURÍDICOS DE ÂMBITO NACIONAL. </li></ul><ul><li>DESENVOLVIMENTO DO COMÉRCIO. </li></ul>
  10. 10. MEIOS PARA GARANTIR O CONTROLE POLÍTICO DA MONARQUIA. <ul><li>BUROCRACIA ADMINISTRATIVA – UM CORPO DE FUNCIONÁRIOS QUE, CUMPRINDO ORDENS DO REI,DESEMPENHAVAM AS TAREFAS DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. </li></ul><ul><li>FORÇA MILITAR – FORÇAS ARMADAS ( EXÉRCITO, MARINHA, POLÍCIA) PERMANENTES, PARA ASSEGURAR A ORDEM PÚBLICA E A AUTORIDADE DO GOVERNO. </li></ul><ul><li>LEIS E JUSTIÇA UNIFICADAS – LEGISLAÇÕES NACIONAIS E UMA JUSTIÇA PÚBLICA ATUANTE NO TERRITÓRIO DO ESTADO. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>SISTEMA TRIBUTÁRIO - SISTEMA DE TRIBUTOS (IMPOSTOS, TAXAS ETC.) REGULARES E OBRIGATÓRIOS, PARA SUSTENTAR AS DESPESAS DO GOVERNO E PATROCINAR A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. </li></ul><ul><li>IDIOMA NACIONAL – LÍNGUA OFICIAL DO ESTADO, QUE TRANSMITIA AS ORIGENS, AS TRADIÇÕES E OS COSTUMES DA NAÇÃO E VALORIZAVA A CULTURA DE CADA POVO, PARA SE CRIAR O SENTIDO DE IDENTIFICAÇÃO ENTRE OS MEMBROS DA SOCIEDADE. </li></ul>
  12. 12. MERCANTILISMO ATENÇÃO Poderíamos conceituar mercantilismo, como política econômica do Estado Absolutista ou doutrina econômica estabelecida pelos países da Europa nos séculos XVI e XVII (16 e 17). Mas, quando estamos estudando para o vestibular o conceito é o que menos interessa .
  13. 14. SE LIGUE NO MERCANTILISMO <ul><li>As formas de mercantilismo: </li></ul><ul><li>Mercantilismo metalístico ou bulionista, a Espanha viveu essa experiência. </li></ul><ul><li>Mercantilismo industrial - a França é o seu melhor representante; também chamado de Golbertismo. </li></ul><ul><li>Mercantilismo comercial, tendo a Inglaterra seu expoente. </li></ul><ul><li>Mercantilismo industrial e comercial- experiência Holandesa . </li></ul><ul><li>Mercantilismo de plantagem- experiência Portuguesa baseada na produção tropical. </li></ul>
  14. 15. CARACTERÍSTICAS DO MERCANTILISMO <ul><li>É a sua engrenagem, seu funcionamento, que você não deve esquecer. É assim que aparece nas questões de vestibular: balança comercial favorável, protecionismo, monopólio e o intervencionismo estatal ; não esquecer que no mercantilismo o ESTADO controla a economia. </li></ul>A ocupação portuguesa estruturou-se nos termos da política econômica mercantilista.
  15. 16. <ul><li>O mercantilismo não foi um sistema econômico e, portanto, não pode ser considerado um modo de produção, terminologia que se aplica ao feudalismo. </li></ul><ul><li>O mercantilismo é a lógica econômica da transição do feudalismo para o capitalismo. </li></ul>
  16. 17. ABSOLUTISMO <ul><li>Fundi-se com o mercantilismo, é normal encontrarmos uma fusão entre eles. Podemos aplicar um conceito de mercantilismo: como política econômica do absolutismo , ou ABSOLUTISMO, como doutrina política da economia mercantil. Veja os exemplos nas características do mercantilismo: O intervencionismo estatal, o estado e o rei são praticamente as mesmas coisas; o monopólio que é concedido pelo rei. </li></ul>
  17. 19. <ul><li>Tem o seu principal expoente Luis XVI, “o Estado sou eu ou o Estado é meu”. O rei era o dono da vida e da morte na sociedade francesa, ocupante dos cargos mais importantes de seu governo. O rei acumulava funções como: Chefe Supremo do Exército e Supremo Mandatário do Tribunal de Justiça. </li></ul>
  18. 20. <ul><li>Todos os luxos e gastos da corte eram mantidos pelos impostos e taxas pagos, principalmente, pela população mais pobre. Esta tinha pouco poder político para exigir ou negociar. Os reis usavam a força e a violência de seus exércitos para reprimir, prender ou até mesmo matar qualquer pessoa que fosse contrária aos interesses ou leis definidas pelos monarcas. </li></ul>
  19. 21. Exemplos de alguns reis deste período : <ul><li>Henrique VIII - Dinastia Tudor : governou a Inglaterra no século XVII </li></ul><ul><li>Elizabeth I - Dinastia Stuart - rainha da Inglaterra no século XVII </li></ul><ul><li>Luis XIV - Dinastia dos Bourbons - conhecido como Rei Sol - governou a França entre 1643 e 1715. </li></ul><ul><li>Fernando e Isabel - governaram a Espanha no século XVI. </li></ul>
  20. 22. ETAPAS DE FORMAÇÃO DO ABSOLUTISMO <ul><li>Insurreições camponesas –enfraquecem a nobreza. </li></ul><ul><li>Insurreições urbanas – reduz o poder da nobreza e corrompe a burguesia. </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do comércio – Gera a centralização do poder nas mãos do Rei. </li></ul><ul><li>Guerras – Exigiram disciplina e comando centralizado. </li></ul>
  21. 23. EVOLUÇÃO DO ABSOLUTISMO <ul><li>Expansão marítima e desenvolvimento do comércio internacional. </li></ul><ul><li>Reforma Protestante. </li></ul><ul><li>Exploração das colônias </li></ul>
  22. 24. <ul><li>Maquiavel - escreveu a obra: O príncipe, nele o autor reconhece que o chefe de Estado pode tudo para se manter no poder </li></ul><ul><li>( os fins justificam os meios). </li></ul><ul><li>Jacques Bossuet - escreveu a origem da sagrada escritura, nela o rei tem a autoridade dada por Deus. </li></ul><ul><li>Thomas Hobbes – escreveu Leviatã, a obra define a sociedade como um caos, e para regular, administrar esse “ monstro”, o rei aparece com todas suas potencialidades. </li></ul>0S TEÓRICOS ABSOLUTISTAS
  23. 25. <ul><li>Jean Bodin - autor de “A República” defende a idéia da soberania não partilhada. Para ele o poder também emana de Deus e o príncipe tem o poder de legislar sem precisar do consentimento de quem quer que seja. </li></ul><ul><li>Hugo Grotius - defende o governo despótico, o poder ilimitado do Estado, afirmando que sem ele estabeleceria o caos e a turbulência política. </li></ul>OS TEÓRICOS ABSOLUTISTAS
  24. 26. Não podemos esquecer que: <ul><li>O governo absolutista interferia muito na economia dos países. O objetivo principal destes governos era alcançar o máximo possível de desenvolvimento econômico, através do acúmulo de riquezas. Quanto maior a quantidade de riquezas dentro de um reino, maior seria seu prestígio, poder e respeito internacional.  </li></ul><ul><li>Podemos citar como principais características do sistema econômico mercantilista: Metalismo, Industrialização, Protecionismo Alfandegário, Pacto Colonial e a Balança Comercial Favorável. </li></ul>
  25. 27. Pesquise em casa as particularidades entre a formação dos Estados Modernos Europeus. (França, Espanha, Inglaterra e Portugal) E vamos aos exercícios.
  26. 28. <ul><li>O que foi o absolutismo? </li></ul><ul><li>O que é nação? </li></ul><ul><li>Como nasceu o Estado absolutista? </li></ul><ul><li>Quais foram as características das Monarquias Nacionais? </li></ul><ul><li>Todos os países eram iguais no governo absolutista? Justifique sua resposta. </li></ul><ul><li>O que significa a expressão “O Estado sou eu”? </li></ul>
  27. 29. <ul><li>Como os teóricos do direito divino dos reis explicavam a origem do Estado? Por que justificavam assim? </li></ul><ul><li>Quais eram as características do mercantilismo? </li></ul><ul><li>Por que o absolutismo e o mercantilismo foram práticas típicas da transição do feudalismo para o capitalismo? </li></ul>

×