SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Manuel Bandeira
Morte e Melancolia
Camila Machado, 3
Isabella Rossini, 15 3ºC
Mariane Romildo, 23
Thainá Britto, 28
Obra
Poesia:
A Cinza das Horas (1917)
Carnaval (1919)
O Ritmo Dissoluto (1924)
Libertinagem (1930)
Estrela da Manhã (1936)
Lira dos Cinquen’Anos (1940)
Belo, Belo (1948)
Mafuá do Malungo (1948)
Opus 10 (1952)
Estrela da Tarde (1963)
Estrela da Vida Inteira (1966)
Prosa:
Crônicas da Província do Brasil (1937)
Guia de Ouro Preto (1938)
Noções de História das Literaturas (1940)
Literatura Hispano-Americana (1949)
Gonçalves Dias (1952)
Itinerário de Pasárgada (1954)
De Poetas e de Poesia (1954)
Flauta de Papel (1957)
Andorinha, Andorinha (1966)
Colóquio Unilateralmente Sentimental (1968)
Manuel Bandeira
(Recife, 1886 - Rio, 1968)
Biografia
o Manuel Carneiro de
Souza Bandeira Filho nasceu
no Recife no dia 19 de abril de
1886.
o A família muda do Recife para
o Rio de Janeiro, em 1896.
Bandeira cursa o Externato
do Colégio Pedro II.
o Em 1903 a família se muda
para São Paulo
onde Bandeira se matricula na
Escola Politécnica,
pretendendo tornar-se
arquiteto. Estuda também
desenho e pintura no Liceu de
Artes e Ofícios.
o No final do ano de 1904, o
autor fica sabendo que está
tuberculoso, abandona suas
atividades e volta para o Rio
de Janeiro. Em busca de
melhores climas para sua
saúde, passa temporadas em
diversas cidades.
o A fim de se tratar no
Sanatório de Clavadel, na
Suíça, embarca em junho de
1913 para a Europa.
o Volta ao Brasil em 1914;
o Em 1916 falece sua mãe,
Francelina. No ano seguinte
publica seu primeiro livro: A
cinza das horas.
o O autor perde a irmã, Maria
Cândida de Souza Bandeira,
em 1918. No ano seguinte
publica seu segundo
livro, Carnaval. João Ribeiro
elogia este livro que desperta
entusiasmo entre os paulistas
iniciadores do modernismo.
o O pai de Bandeira, Manuel
Carneiro, falece em 1920.
o Em 1921, conhece Mário de
Andrade, Oswald de Andrade
e Sérgio Buarque de Holanda.
o Inicia então, em 1922, a se
corresponder com Mário de
Andrade. Bandeira não
participa da Semana de Arte
Moderna, realizada em
fevereiro em são Paulo, no
Teatro Municipal. Na ocasião,
porém, Ronald de Carvalho lê
o poema "Os Sapos”. Ainda nesse
ano morre seu irmão, Antônio
Ribeiro de Souza Bandeira.
o A partir de 1925 começa a
escrever na imprensa.
o Foi nomeado Professor de
literatura Universal no
Colégio Pedro II, em 1938.
o Em 1942, Professor de
Literaturas Hispano-
americanas na Faculdade
Nacional de Filosofia.
o Em 1940 é eleito para a
Academia Brasileira de
Letras.
o Recebe o prêmio de poesia do
IBEC por conjunto de obra,
em 1946.
o Traduz Macbeth, de Shakespeare,
e La Machine Infernale, de Jean
Cocteau, em 1956.
o Comemora 80 anos, em 1966,
recebendo muitas
homenagens.
o Com problemas de
saúde, Manuel Bandeira deixa
seu apartamento se transfere
para o de Maria de Lourdes
Heitor de Souza, sua
companheira dos últimos anos.
o No dia 13 de outubro de 1968
morre o poeta Manuel
Bandeira em Botafogo.
Características de seus
poemas
Um assunto que está muito
presente em suas obras é a
morte. Bandeira trata da
morte de várias formas,
com conformismo, com
pavor, com indiferença e
muitas vezes combinada
com lembranças de sua a
infância.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Oswald de andrade
Oswald de andradeOswald de andrade
Oswald de andrade
 
Movimento Surrealista - Prof. Altair Aguilar
Movimento Surrealista - Prof. Altair AguilarMovimento Surrealista - Prof. Altair Aguilar
Movimento Surrealista - Prof. Altair Aguilar
 
Rock
RockRock
Rock
 
Concretismo No Brasil
Concretismo No BrasilConcretismo No Brasil
Concretismo No Brasil
 
Modernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICAModernismo: FASE HERÓICA
Modernismo: FASE HERÓICA
 
João Cabral de Melo Neto
João Cabral de Melo NetoJoão Cabral de Melo Neto
João Cabral de Melo Neto
 
Pré modernismo I
Pré modernismo IPré modernismo I
Pré modernismo I
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de AndradeCarlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Mário de andrade
Mário de andradeMário de andrade
Mário de andrade
 
Marcos Rey / Sétimo Ano
Marcos Rey / Sétimo AnoMarcos Rey / Sétimo Ano
Marcos Rey / Sétimo Ano
 
Quarto de despejo -Carolina de Jesus
Quarto de despejo -Carolina de JesusQuarto de despejo -Carolina de Jesus
Quarto de despejo -Carolina de Jesus
 
José saramago
José saramagoJosé saramago
José saramago
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Oswald de Andrade
Oswald de AndradeOswald de Andrade
Oswald de Andrade
 
Impressionismo em fotografia
Impressionismo em fotografiaImpressionismo em fotografia
Impressionismo em fotografia
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Segunda fase do modernismo – (poesia)
Segunda fase do modernismo – (poesia)Segunda fase do modernismo – (poesia)
Segunda fase do modernismo – (poesia)
 
Literatura contemporânea
Literatura contemporâneaLiteratura contemporânea
Literatura contemporânea
 
Maria theresa horta
Maria theresa hortaMaria theresa horta
Maria theresa horta
 

Destaque

Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)
Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)
Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)Andriane Cursino
 
Análise do poema os sapos, de manuel bandeira
Análise do poema os sapos, de manuel bandeiraAnálise do poema os sapos, de manuel bandeira
Análise do poema os sapos, de manuel bandeirama.no.el.ne.ves
 
Análise do poema poética, de manuel bandeira
Análise do poema poética, de manuel bandeiraAnálise do poema poética, de manuel bandeira
Análise do poema poética, de manuel bandeirama.no.el.ne.ves
 
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeiraAnálise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeirama.no.el.ne.ves
 

Destaque (8)

Manuel bandeira
Manuel bandeiraManuel bandeira
Manuel bandeira
 
Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)
Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)
Análise Libertinagem (Manuel Bandeira)
 
Análise do poema os sapos, de manuel bandeira
Análise do poema os sapos, de manuel bandeiraAnálise do poema os sapos, de manuel bandeira
Análise do poema os sapos, de manuel bandeira
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Análise do poema poética, de manuel bandeira
Análise do poema poética, de manuel bandeiraAnálise do poema poética, de manuel bandeira
Análise do poema poética, de manuel bandeira
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeiraAnálise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
Análise de meus poemas preferidos, de manuel bandeira
 

Semelhante a Folder Manuel Bandeira

1º fase do modernismo
1º fase do modernismo1º fase do modernismo
1º fase do modernismoYasmin Pessoa
 
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel BandeiraAnalise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel BandeiraMayara Maia
 
Manuel Bandeira Vida e obras
Manuel Bandeira Vida e obras Manuel Bandeira Vida e obras
Manuel Bandeira Vida e obras Sirleide Silva
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel TorgaGabriela
 
Autores prosa modernista 2º fase
Autores prosa modernista 2º faseAutores prosa modernista 2º fase
Autores prosa modernista 2º faseElisangela Carvalho
 
Modernismono brasil ii fase
Modernismono brasil ii faseModernismono brasil ii fase
Modernismono brasil ii faserillaryalvesj
 
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02Brigitte Lispector
 
Segunda fase do Modernismo no Brasil
Segunda fase do Modernismo no BrasilSegunda fase do Modernismo no Brasil
Segunda fase do Modernismo no Brasileeadolpho
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte modernaAna Batista
 
A segunda geração modernista no brasil
A segunda geração modernista no brasilA segunda geração modernista no brasil
A segunda geração modernista no brasilMaria De Lourdes Ramos
 
10 escolas literarias_modernismo_1_2_3_geracoes
10 escolas literarias_modernismo_1_2_3_geracoes10 escolas literarias_modernismo_1_2_3_geracoes
10 escolas literarias_modernismo_1_2_3_geracoesNincia Teixeira
 
CóPia De ApresentaçãO
CóPia De ApresentaçãOCóPia De ApresentaçãO
CóPia De ApresentaçãORita Pereira
 

Semelhante a Folder Manuel Bandeira (20)

1º fase do modernismo
1º fase do modernismo1º fase do modernismo
1º fase do modernismo
 
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel BandeiraAnalise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
Analise sobre o poema ''Poética'' de Manuel Bandeira
 
Artigo martha
Artigo  marthaArtigo  martha
Artigo martha
 
Manuel Bandeira Vida e obras
Manuel Bandeira Vida e obras Manuel Bandeira Vida e obras
Manuel Bandeira Vida e obras
 
Murilo Mendes
Murilo MendesMurilo Mendes
Murilo Mendes
 
Miguel Torga
Miguel TorgaMiguel Torga
Miguel Torga
 
Modernismo ii fase
Modernismo ii faseModernismo ii fase
Modernismo ii fase
 
Autores prosa modernista 2º fase
Autores prosa modernista 2º faseAutores prosa modernista 2º fase
Autores prosa modernista 2º fase
 
Modernismono brasil ii fase
Modernismono brasil ii faseModernismono brasil ii fase
Modernismono brasil ii fase
 
Oswalddeandrade
OswalddeandradeOswalddeandrade
Oswalddeandrade
 
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
Segundafasedomodernismonobrasil 120509063705-phpapp02
 
Segunda fase do Modernismo no Brasil
Segunda fase do Modernismo no BrasilSegunda fase do Modernismo no Brasil
Segunda fase do Modernismo no Brasil
 
Oswald de Andrade
Oswald de AndradeOswald de Andrade
Oswald de Andrade
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
A segunda geração modernista no brasil
A segunda geração modernista no brasilA segunda geração modernista no brasil
A segunda geração modernista no brasil
 
10 escolas literarias_modernismo_1_2_3_geracoes
10 escolas literarias_modernismo_1_2_3_geracoes10 escolas literarias_modernismo_1_2_3_geracoes
10 escolas literarias_modernismo_1_2_3_geracoes
 
Pablo neruda
Pablo nerudaPablo neruda
Pablo neruda
 
Vinícius de moraes
Vinícius de moraesVinícius de moraes
Vinícius de moraes
 
João Cabral de Melo Neto
João Cabral de Melo NetoJoão Cabral de Melo Neto
João Cabral de Melo Neto
 
CóPia De ApresentaçãO
CóPia De ApresentaçãOCóPia De ApresentaçãO
CóPia De ApresentaçãO
 

Mais de maariane27

Volver  Pedro Almodóvar
Volver  Pedro AlmodóvarVolver  Pedro Almodóvar
Volver  Pedro Almodóvarmaariane27
 
Fibras têxteis
Fibras têxteis Fibras têxteis
Fibras têxteis maariane27
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeiramaariane27
 
Novelas Caballeria
Novelas CaballeriaNovelas Caballeria
Novelas Caballeriamaariane27
 
Formas de produção de energia
Formas de produção de energiaFormas de produção de energia
Formas de produção de energiamaariane27
 
Ameaça terrorista
Ameaça terrorista Ameaça terrorista
Ameaça terrorista maariane27
 
Ameaça terrorista
Ameaça terroristaAmeaça terrorista
Ameaça terroristamaariane27
 
Nanotecnologia
NanotecnologiaNanotecnologia
Nanotecnologiamaariane27
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terra Viagens na minha terra
Viagens na minha terra maariane27
 
Romanceiro da Inconfidência
Romanceiro da InconfidênciaRomanceiro da Inconfidência
Romanceiro da Inconfidênciamaariane27
 
Viagens na minha terra (Garrett)
Viagens na minha terra (Garrett)Viagens na minha terra (Garrett)
Viagens na minha terra (Garrett)maariane27
 
Isótopos e suas aplicações
Isótopos e suas aplicaçõesIsótopos e suas aplicações
Isótopos e suas aplicaçõesmaariane27
 
Células tronco (2012)
Células tronco (2012)Células tronco (2012)
Células tronco (2012)maariane27
 
História da Comédia Grega
História da Comédia GregaHistória da Comédia Grega
História da Comédia Gregamaariane27
 
Síndrome de turner X0
Síndrome de turner X0Síndrome de turner X0
Síndrome de turner X0maariane27
 
Expressionismo e o Contexto Social Alemão
Expressionismo e o Contexto Social AlemãoExpressionismo e o Contexto Social Alemão
Expressionismo e o Contexto Social Alemãomaariane27
 
Sindrome de turner
Sindrome de turnerSindrome de turner
Sindrome de turnermaariane27
 

Mais de maariane27 (20)

Volver  Pedro Almodóvar
Volver  Pedro AlmodóvarVolver  Pedro Almodóvar
Volver  Pedro Almodóvar
 
Fibras têxteis
Fibras têxteis Fibras têxteis
Fibras têxteis
 
Manuel Bandeira
Manuel BandeiraManuel Bandeira
Manuel Bandeira
 
Ap bandeira
Ap bandeiraAp bandeira
Ap bandeira
 
Novelas Caballeria
Novelas CaballeriaNovelas Caballeria
Novelas Caballeria
 
Formas de produção de energia
Formas de produção de energiaFormas de produção de energia
Formas de produção de energia
 
Ameaça terrorista
Ameaça terrorista Ameaça terrorista
Ameaça terrorista
 
Ameaça terrorista
Ameaça terroristaAmeaça terrorista
Ameaça terrorista
 
Nanotecnologia
NanotecnologiaNanotecnologia
Nanotecnologia
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terra Viagens na minha terra
Viagens na minha terra
 
Romanceiro da Inconfidência
Romanceiro da InconfidênciaRomanceiro da Inconfidência
Romanceiro da Inconfidência
 
Viagens na minha terra (Garrett)
Viagens na minha terra (Garrett)Viagens na minha terra (Garrett)
Viagens na minha terra (Garrett)
 
Artrópodes
Artrópodes Artrópodes
Artrópodes
 
Isótopos e suas aplicações
Isótopos e suas aplicaçõesIsótopos e suas aplicações
Isótopos e suas aplicações
 
Células tronco (2012)
Células tronco (2012)Células tronco (2012)
Células tronco (2012)
 
História da Comédia Grega
História da Comédia GregaHistória da Comédia Grega
História da Comédia Grega
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
 
Síndrome de turner X0
Síndrome de turner X0Síndrome de turner X0
Síndrome de turner X0
 
Expressionismo e o Contexto Social Alemão
Expressionismo e o Contexto Social AlemãoExpressionismo e o Contexto Social Alemão
Expressionismo e o Contexto Social Alemão
 
Sindrome de turner
Sindrome de turnerSindrome de turner
Sindrome de turner
 

Último

o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 

Último (20)

o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 

Folder Manuel Bandeira

  • 1. Manuel Bandeira Morte e Melancolia Camila Machado, 3 Isabella Rossini, 15 3ºC Mariane Romildo, 23 Thainá Britto, 28 Obra Poesia: A Cinza das Horas (1917) Carnaval (1919) O Ritmo Dissoluto (1924) Libertinagem (1930) Estrela da Manhã (1936) Lira dos Cinquen’Anos (1940) Belo, Belo (1948) Mafuá do Malungo (1948) Opus 10 (1952) Estrela da Tarde (1963) Estrela da Vida Inteira (1966) Prosa: Crônicas da Província do Brasil (1937) Guia de Ouro Preto (1938) Noções de História das Literaturas (1940) Literatura Hispano-Americana (1949) Gonçalves Dias (1952) Itinerário de Pasárgada (1954) De Poetas e de Poesia (1954) Flauta de Papel (1957) Andorinha, Andorinha (1966) Colóquio Unilateralmente Sentimental (1968) Manuel Bandeira
  • 2. (Recife, 1886 - Rio, 1968) Biografia o Manuel Carneiro de Souza Bandeira Filho nasceu no Recife no dia 19 de abril de 1886. o A família muda do Recife para o Rio de Janeiro, em 1896. Bandeira cursa o Externato do Colégio Pedro II. o Em 1903 a família se muda para São Paulo onde Bandeira se matricula na Escola Politécnica, pretendendo tornar-se arquiteto. Estuda também desenho e pintura no Liceu de Artes e Ofícios. o No final do ano de 1904, o autor fica sabendo que está tuberculoso, abandona suas atividades e volta para o Rio de Janeiro. Em busca de melhores climas para sua saúde, passa temporadas em diversas cidades. o A fim de se tratar no Sanatório de Clavadel, na Suíça, embarca em junho de 1913 para a Europa. o Volta ao Brasil em 1914; o Em 1916 falece sua mãe, Francelina. No ano seguinte publica seu primeiro livro: A cinza das horas. o O autor perde a irmã, Maria Cândida de Souza Bandeira, em 1918. No ano seguinte publica seu segundo livro, Carnaval. João Ribeiro elogia este livro que desperta entusiasmo entre os paulistas iniciadores do modernismo. o O pai de Bandeira, Manuel Carneiro, falece em 1920. o Em 1921, conhece Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Sérgio Buarque de Holanda. o Inicia então, em 1922, a se corresponder com Mário de Andrade. Bandeira não participa da Semana de Arte Moderna, realizada em fevereiro em são Paulo, no Teatro Municipal. Na ocasião, porém, Ronald de Carvalho lê o poema "Os Sapos”. Ainda nesse
  • 3. ano morre seu irmão, Antônio Ribeiro de Souza Bandeira. o A partir de 1925 começa a escrever na imprensa. o Foi nomeado Professor de literatura Universal no Colégio Pedro II, em 1938. o Em 1942, Professor de Literaturas Hispano- americanas na Faculdade Nacional de Filosofia. o Em 1940 é eleito para a Academia Brasileira de Letras. o Recebe o prêmio de poesia do IBEC por conjunto de obra, em 1946. o Traduz Macbeth, de Shakespeare, e La Machine Infernale, de Jean Cocteau, em 1956. o Comemora 80 anos, em 1966, recebendo muitas homenagens. o Com problemas de saúde, Manuel Bandeira deixa seu apartamento se transfere para o de Maria de Lourdes Heitor de Souza, sua companheira dos últimos anos. o No dia 13 de outubro de 1968 morre o poeta Manuel Bandeira em Botafogo. Características de seus poemas Um assunto que está muito presente em suas obras é a morte. Bandeira trata da morte de várias formas, com conformismo, com pavor, com indiferença e muitas vezes combinada com lembranças de sua a infância.