SlideShare uma empresa Scribd logo
ESTUDO DE CASO:
Berklee College of
Music
William Rawn Associates
Nomes: RA:
Izis Ferreira Paixão 718682
Henrique Fernandes Ventura Augusto 722011
Romerito Silva
CENTRO UNIVERESITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRE
ARQUITETURA E URBANISMO
Berklee College of Music
A INSTITUIÇÃO
• Fundada em 1922, por Lawrence Berk, Schillinger House é
a primeira escola dos EUA a ensinar a música popular da
época, o jazz;
• A faculdade evoluiu para refletir o estado da arte da
música e do negócio da música, liderando o caminho com os
primeiros estudos de bacharelado do mundo em jazz, rock e
outros estilos musicais;
• Possui um corpo estudantil diversificado e talentoso que
representa 96 países e ex-alunos que ganharam
coletivamente mais de 250 Grammys e Latin Grammys,
Berklee é o primeiro laboratório de aprendizado do mundo
para a música de hoje e de amanhã;
• Em 2016, se associou ao Conservatório de Boston,
ampliando ainda mais seu campus.
• Berklee College of Music é uma instituição sem fins
lucrativos e coeducacional de ensino superior ,credenciada
pela Associação de Escolas e Faculdades da Nova
Inglaterra e autorizada de acordo com a lei federal para
matricular estudantes não imigrantes e treinamento de
veteranos;
Figura 01: Campus Berklee College of Music
Fonte: Berklee.Edu, 2014
Berklee College of Music
Berklee College of Music
CAMPUS
PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO
• permitir instalações académicas aprimoradas, um
aumento na propriedade da faculdade Espaço
residencial e um aumento no espaço para atender a
outras demandas da comunidade
• Os planos incluem três projetos de construção maiores e
vários projetos menores de desenvolvimento de campus,
como também intervenções nos edifícios já existentes;
Figura 02: Projeto de Expansão da Berklee College of Music
Fonte: Breklee. Edu, 2014
Propostas de
intervenção
Edifícios existentes
Berklee
• PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: 160 – 168 Mass.
Avenue
• Integração da construção com o tecido urbano e
ampliação das calçadas (locais de locomoção e
vivencia);
• Área de comércio no nível térreo; primeiro, segundo e
terceiro andar para área de alimentação e
desempenho;
• Grande capacidade de capitação de luz solar;
• Transparência com a cidade nos locais de convivência;
• Melhorias de paisagismo e iluminação nas vias;
Figura 03: Projeto de Expanão Berklee College of Music
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Berklee College of MusicCAMPUS
• PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: 161- 171 Mass. Avenue
• renovação do espaço existente e uma adição de
aproximadamente 1.885,00 m² ao edifício a serem
utilizados para o espaço de tecnologia acadêmica e
musical;
• PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: 150 Mass. Avenue
• Transformação da antiga cafeteria adquirida no ano de
1986, possui quatro pavimentos superiores e dois
inferiores; Unidade de Estudos de Tecnologia, escritórios
da faculdade, estúdios e espaços associados;
Figura 05: Projeto de Expansão 161-171
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Figura 04: 161-171 Mass. Avenue
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Figura 06: Projeto de Expansão 150 Mass. Avenue
Berklee College of Music
CAMPUS
• PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: 161-171
Figura 08: Planta 161-171
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Figura 07: Planta do Pav. Térreo 161-171
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Berklee College of Music
CAMPUS
• PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: “A
Encruzilhada” - 130-136 da Miss. Avenue
• Reutilização da fachada existente do
antigo teatro;
• Aumentar a oportunidade de residência
para 450 alunos;
• Novo Centro de Desempenho;
• Espaço público multifuncional no piso
térreo/ lobby do teatro;
• Espaços de vivência para estudantes;
centro fitness; salas de estudos e espaços
para prática musical;
• Aumentar a largura das calçadas;
• Ponto de referência da Berklee College of
Music
Figura 09: Projeto de Expansão 130-136
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Berklee College of Music
CAMPUS
• PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: “A Encruzilhada” - 130-136 da Miss. Avenue
Figura 11: Planta do Pav. Tipo 130-136
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Figura 10: Planta Pav Térreo 130-136
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Berklee College of Music
CAMPUS
mobilidade
Estacionamento restrito
Estac. De tempo medido
Proibido Estacionar
Estacionamento
reservado Conser. Boston
Ponto de ônibus
Táxi
Manobrista
Permissão de Residência
Comercial apenas
Figura 12: Mobilidade – Veículos motorizados
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Figura 13: Mobilidade - Bicicleta
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Berklee College of Music
CAMPUS
mobilidade
Figura 14: Mobilidade – Pedestre
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Figura 15: Mobilidade – Pedestre, passeio
Fonte: Breklee.Edu, 2014
Berklee College of Music
CURSOS OFERECIDOS
Berklee College of
Music-Boston
Grau Duração
Desempenho
Contemporâneo
M.M 1 ano
Terapia Musical M.A 2 anos
Berklee College of
Music-Valencia,
Espanha
Grau Duração
Desempenho
Contemporâneo
M.M 1 ano
Entretenimento
Global e Negociação
Musical
M.A 1 ano
Produção,
Tecnologia e
Inovação Musical
M.M 1 ano
Pontuação para
Filmes, Televisão e
Videogames
M.M 1 ano
Berklee Online Grau Duração
Programa
de negócios de
música comercial
M.B.A
Conservatório de
Boston em Berklee
Grau Duração
Desempenho Bronze M.M 2 anos
Condução Coral M.M 2 anos
Piano Colaborativo M.M 2 anos
Composição M.M 2 anos
Desempenho de Música
Clássica
Contemporânea
M.M 2 anos
Harp Performance M.M 2 anos
Desempenho Marimba M.M 2 anos
Educação Musical –
Programa não
licenciado
M.M 2 anos
Educação Musical –
Concentração de
autismo
M.M 2 anos
Conservatório de Boston
em Berklee
Grau Duração
Teatro Musical M.F.
A
2 anos
Condução de Orquestra M.M 2 anos
Desempenho de Percussão M.M 2 anos
Desempenho de Piano M.M 2 anos
Desempenho de Corda M.M 2 anos
Pedagogia Vocal M.M 2 anos
Desempenho Vocal M.M 2 anos
Ópera Performance M.M 2 anos
Woodwing Performace -
Multiplo
M.M 2 anos
Woodwing Performace –
Fagote, Clarinete, Flauta,
Oboé e Saxofone
M.M 2 anos
“ A Arquitetura é musica congelada”
Arthur Schopenhauer
Berklee College of Music
ARQUITETOS
• William Rawn Associates , Arquitetos, Inc. é uma equipe de arquitetos formada em 1983 por William L. Rawn
II, Douglas C. Johnston, Clifford V. Gayley e Samuel M. Lasky em Boston, com projetos que incluem edifícios
urbanos de uso misto, instalações de artes cênicas de universidades e habitação. Projetos recentemente
concluídos incluem a Torre Berklee na Berklee College of Music , Tata Hall na Harvard Business School , um
plano geral de campus e projeto arquitetônico do distrito residencial West Campus emUniversidade do
Nordeste em Boston, o Centro de Teatro e Dança do 62 no Williams College, a Biblioteca Pública de Cambridge e
a Residência de Estudantes de Pós-Graduação MIT Ashdown.
Figura 16: Principais Membros do Escritório William Rawn Associates
Fonte: Rawn Arch, 2000
Berklee College of Music
LOCALIZAÇÃO
• O edifício foi construído em uma área de 155 m², em
Boston – EUA, em frente à Massachusetts Avenue, a
nova residência multi-usos da Berklee College of
Music fortalece as múltiplas conexões do Colégio;
• Está em um dos principais bairros de Boston de
interesse residência, comercial e empreserial;
PERÍODO
• O projeto iniciou-se no ano de 2011, sendo concluído
em setembro de 2013;
INSERÇÃO URBANA
• O Edifício foi construído em um terreno urbano onde
existia uma antiga construção de um pavimento, que
foi demolido completamente para a construção do
novo campus da Berklee College of Music, vizinho ao
edifício principal da escola.
• A construção esta inserida em uma nas avenidas
mais movimentadas da cidade, próximo a comércios,
bibliotecas e da Igreja de Ciência Cristã.
IMPLANTAÇÃO
Figura 18: Implantação
Fonte: ArchDaily, 2014
Figura 17: Implantação
Fonte: Berklee.Edu, 2014
Berklee College of Music
EXPRESSÃO ARQUITETONICA
• Com feição moderna, o edifício é
formado por dois volumes
principais, o primeiro mais
vertical, branco e geométrico e o
segundo horizontal, cuja fachada
transparente cria uma
comunicação do exterior para o
interior, tornando-a uma fachada
ativa com a vida urbana,
potencializando a entrada de luz
e vistas para o céu;
• Com um total de 16 andares,
possui formas simples, ângulos
retos, pilotis expressando o que os
modernistas chamavam de
sinceridade estrutural.
• USO ORIGINAL: Edifício
educacional de uso misto.
Figura 19: Perspectiva do Edifício Berklee
College of Music
Fonte:Lee Kennedy, 2014
PARTIDO ARQUITETÔNICO
• Pode-se verificar no edifício a
presença da influencia de dois
grandes arquitetos: Mies Van
de Rohe e Philip Johnson –
principalmente no que se
refere ao feição da construção;
• A configuração espacial dos
quatro primeiros pavimentos
pode ter sido inspirado nas
grelhas de Nova York;
Berklee College of Music
PLANTAS, CORTES E ELEVAÇÕES
Figura 20: Planta do 2º Subsolo
Fonte: ArchDaily, 2014
Figura 21: Planta do 1º Subsolo
Fonte: ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
PLANTAS, CORTES E ELEVAÇÕES
Figura 22: Planta do 1º Pavimento (térreo)
Fonte: ArchDaily, 2014
Figura 23: Planta do 2º Pavimento
Fonte: ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
PLANTAS, CORTES E ELEVAÇÕES
Figura 24: Planta do 2º Pavimento (mezanino)
Fonte: ArchDaily, 2014
Figura 25: Planta do 3º Pavimento
Fonte: ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
PLANTAS, CORTES E ELEVAÇÕES
Figura 27: Planta do Pavimento Tipo (12x)
Fonte: ArchDaily, 2014
Figura 26: Planta do 3º Pavimento
Fonte: ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃO
Figura 28: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃO
Figura 29: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃO
Figura 30: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃOFigura 31: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃOFigura 32: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃOFigura 33: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃOFigura 34: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃOFigura 35: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃO
Figura 36: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
SETORIZAÇÃO
Figura 37: Setorização
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
CIRCULAÇÃO
Figura 38: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
CIRCULAÇÃO
Figura 39: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
CIRCULAÇÃO
Figura 40: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
CIRCULAÇÃO
Figura 41: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
CIRCULAÇÃO
Figura 42: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
CIRCULAÇÃO
Figura 43: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
CIRCULAÇÃO
Figura 44: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
CIRCULAÇÃO
Figura 45: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
CIRCULAÇÃO
Figura 46: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
FLUXOS DE USUÁRIOS E VIÁRIO
Figura 47: Fluxos
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
CIRCULAÇÃO DE USUÁRIOS E VIÁRIO
Figura 48: Fluxos
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
CIRCULAÇÃO DE USUÁRIOS E VIÁRIO
Figura 49: Fluxos
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
CIRCULAÇÃO DE USUÁRIOS E VIÁRIO
Figura 50: Fluxos
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
CIRCULAÇÃO DE
USUÁRIOS E VIÁRIO
• "Ao longo dos três anos que esse
projeto evoluiu de desenhos iniciais
para ajuste fino, nosso principal
mandato era permanecer aberto a
mudanças. Mudanças de tecnologia,
reutilização de salas e
funcionalidade permaneceram
fluidos até o período de construção “
(Elliott-Brown, Judy, 2014)
DIAGRAMAS
• Circulação: A circulação se mantem livre e
fluida nos quatro primeiros pavimentos acima
do nível da rua, sendo os demais uma
circulação setorizada;
Figura 51: Circulação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
DIAGRAMAS
• Estrutura: verifica-se a existência de dois conjuntos de eixos na estrutura do edifício, definindo
espaços e composições dos ambientes
Figura 52: Estrutura
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
DIAGRAMAS
• Adição e Subtração: Possível verificar que a
porção que refere-se a adição faz com que a
obra seja entendida como um único elemento;
Figura 53: Adição e Subtração
• Simetria e Equilíbrio: Ainda que tendendo
mais para a sua porção esquerda, é possível
notar um equilíbrio no Edifício 160 – 168
Mass. Avenue, ainda que assimétrico;
Figura 54: Simetria e Equilíbrio
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014 Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
DIAGRAMAS
• Geometria: Verifica-se na geometria da planta
a presença de diversos triângulos, revelando a
racionalidade da construção;
Figura 55: Geometria
• Iluminação: Uma das necessidades que a
universidade possuía era um campus com
diversos espaços de vivencia e que pudesse
aproveitar a luz natural;
Figura 56: Iluminação
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014 Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
DIAGRAMAS
• Massa: a massa desse edifício é facilmente
identificada no passeio publico, como é possível
ver na imagem abaixo, sua configuração
tridimensional;
Figura 57: Massa
• Unidade e Conjunto: Também é facilmente
identificado, as duas unidades que compõem o
conjunto, formado pelo corpo dos pavimentos-
tipo e os 4 primeiros andares;
Figura 58: Unidade e Conjunto
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014 Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
DIAGRAMAS
• Repetitivo e Singular: A partir da modulação da estrutura, muitos dos ambientes se repetem;
mas também há a existência de ambientes singulares, presentes no pavimento-tipo e nas
primeiras plantas acima do nível da rua;
Figura 59: Repetitivo e Singular Figura 60: Repetitivo e singular
Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014 Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
Berklee College of Music
PROGRAMA DE NECESSIDADES
• 173 salas de residências para 369 alunos,
divididas em 12 pavimentos com banheiros
comuns masculinos e femininos;
• refeitório de 400 lugares que funciona como
um espaço de desempenho - à noite, o espaço
do refeitório é convertido em uma sala de
concertos para bandas de estudantes e
outros artistas. ;
• Lavanderia escolar central;
• 23 salas de prática artística;
• 6 áreas comuns de dois andares;
• centro de fitness;
• Um complexo de produção de música de 10
estúdios e seus ambientes complementares;
• Espaços de vivencia e aprendizado;
Figura 61: Ambiente interno
Fonte: Architect Magazine, 2014
Figura 62: Vista da área de alimentação
Fonte: Architect Magazine, 2014
Berklee College of Music
PROGRAMA DE NECESSIDADES
• O Edifício tinha como programa também a
interação entre os dois campus e a movimentada
avenida; onde a área de alimentação e o espaço de
desempenho estão voltados para a avenida;
Figura 63: Edifício 150 (antes)
Fonte: Architect Magazine, 2014
Figura 64: Proposta de integração
Fonte: Architect Magazine, 2014
• Entradas adicionais para o reforço da conexão
com a fachada do edifício 150;
• Área aberta para eventos ao ar livre ( 4º pav).
Berklee College of Music
MATERIAIS EMPREGADOS
• Estrutural: Estruturas metálicas e de concreto armado;
• Esquadrias e vedações: Esquadrias metálicas e vidro com
tratamento acústico.
• Revestimentos: Os acabamentos high-end incluiram
painéis de paredes de madeira, tetos metálicos perfurados,
paredes e pavimentos em uma variedade de tapetes,
azulejos de terrazzo e porcelanato.
SISTEMA ESTRUTURAL
• O edifício foi construído com estruturas metálicas e de
concreto, onde seu período inicial teve duração de 18
meses, focados nas fundações, sistemas de fachada,
condições ambientais e de logística.
• Sistema de fundação de tapetes de concreto armado com
pilhas de retenção
• Agressivo prazo de demolição e construção de 24 meses
Figura 65: Construção do Edificio
Fonte: Berklee.Edu, 2014
Berklee College of Music
ANÁLISE DO CONFORTO
AMBIENTAL
• As janelas oscilantes nos andares inferiores
funcionam como uma cama de percussão,
contribuindo para a qualidade sonora dos
ambientes internos, além de propiciar a
vista para os eventos noturnos que ocorrem
no interior do edifico;
• Os ambientes de gravação foram isolados
fisicamente através de espaços vazios da
estrutura do edifício, criando isolamento de
vibrações causadas pelo tráfego de
automóveis e linhas de metrô do lado
externo;
• CLIMATIZAÇÃO: Devido a necessidade de
isolamento acústico, as salas e estúdios
possuem climatização artificial. Os
ambientes de recreação possuem ventilação
e iluminação natural controlada.
• ILUMINAÇÃO: funciona com a mesma
lógica que a climatização, com vidros com
tratamento acústico, principalmente dos
estúdios.
Figura 66: Ambiente interno
Fonte: Architect Magazine, 2014
Figura 67: Ambiente Interno
Fonte: Architect Magazine, 2014
Berklee College of Music
SUSTENTABILIDADE
 O projeto é qualificado como um edifício com
certificação LEED no nível de prata. Materiais,
práticas, sistemas de construção e equipamentos
sustentáveis ​​utilizados incluem:
• Gestão de resíduos de construção;
• Conteúdo reciclado (por exemplo, aço estrutural) e
materiais regionais no edifício;
• Tintas e revestimentos de baixo teor de COV
(compostos orgânicos voláteis), adesivos e vedantes e
sistemas de piso;
• Materiais de telhado de cor clara para reduzir o
possível efeito da ilha de calor;
• Paisagismo eficiente em termos de água; e
• Caldeiras de gás de alta eficiência e resfriadores
elétricos de alta eficiência.
Figura 68: Vista do Edifício
Fonte: Berklee.Edu, 2014
Berklee College of Music
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• Verifica-se o Campus da Berklee
College of Music distribuído de forma
moderna e contemporânea, dentro do
contexto urbano da cidade de Boston, o
que propicia uma maior vivencia dos
alunos e funcionários da instituição;
• O novo campus estudado neste
trabalho procurou soluções eficientes e
sustentáveis para a elaboração do
projeto e sua construção, com grande
investimento na parte de conforto
acústico, devido suas instalações
musicais e artísticas, procurando
também o aproveitamento da luz
natural, desempenhando de forma
criativa o programa proposto;
Figura 69: Ilustração da Berklee College of Music
Fonte: WSDG, 2015
REFERÊNCIAS
• ARCHDAILY, Berklee College of Music / William Rawn
Associates. Março/2014. Disponível em:
<http://www.archdaily.com/485462/berklee-college-of-music-
william-rawn-associates>. Acesso em: 18 de agosto de 2017.
• ARCHITECT-MAGAZINE, Berklee College of Music 160
Massachusetts Avenue, Walters-Storyk Design Group.
Outubro, 2014. Disponível em:
<http://www.architectmagazine.com/project-gallery/berklee-
college-of-music-160-massachusetts-avenue-5588>. Acesso
em: 18 de agosto de 2017.
• BERKLEE-EDU. Transportation. Disponível em:
<https://www.berklee.edu/sites/
default/files/pdf/taskforce/IMP/7-Transportation.pdf>. Acesso
em 25 de agosto de 2017.
• BERKLEE-EDU. Proposed EMP Projects. Disponível em:
<https://www .berklee.edu/sites/default/files/pdf/taskforce/IMP/5-
IMP_Projects.pdf>. Acesso em 25 de agosto de 2017.
• BUSH, Allen. New Berklee Tower Opens. Fevereiro, 2014.
Disponível em: < https://www.berklee. edu/news/new-berklee-
tower-opens>. Acesso em 17 de agosto de 2017.
• LEE-KENNEDY, Berklee College of Music Mixed Use
Building. Dezembro, 2014. Disponível em:
<http://www.leekennedy.com/project/berklee-college-160-mass-
ave-mixed-use-building/>. Acesso em: 17 de agosto de 2017.
• RAWN ARCH, Berklee College of Music. Disponível em: <
http://www.rawnarch. com/berklee?t=2>. Acesso em 17 de
agosto de 2017.
• RAWN ARCH, Principals+Associates. Disponível em: <
http://www.rawn arch.com/firm-profile-overview>. Acesso em 17
de agosto de 2017.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arquitetura moderna e contemporanea parte 2
Arquitetura moderna e contemporanea parte 2Arquitetura moderna e contemporanea parte 2
Arquitetura moderna e contemporanea parte 2denise lugli
 
Lina Bo Bardi - Sesc Pompeia e MASP
Lina Bo Bardi - Sesc Pompeia e MASPLina Bo Bardi - Sesc Pompeia e MASP
Lina Bo Bardi - Sesc Pompeia e MASPBruna Fonseca
 
Panteão de Paris
Panteão de ParisPanteão de Paris
Panteão de Parishcaslides
 
Sesc Pompeia - Lina Bo Bardi (Estudo de Caso)
Sesc Pompeia - Lina Bo Bardi (Estudo de Caso)Sesc Pompeia - Lina Bo Bardi (Estudo de Caso)
Sesc Pompeia - Lina Bo Bardi (Estudo de Caso)François Urban, MBA
 
Conforto acústico
Conforto acústicoConforto acústico
Conforto acústicoleandrounip
 
03 os caminhos da arquitetura contemporânea
03 os caminhos da arquitetura contemporânea03 os caminhos da arquitetura contemporânea
03 os caminhos da arquitetura contemporâneaVítor Santos
 
Pracas-brasileiras-fabio-robba
Pracas-brasileiras-fabio-robbaPracas-brasileiras-fabio-robba
Pracas-brasileiras-fabio-robbaUrban Acabamentos
 
Arquitetura Brasileira
Arquitetura BrasileiraArquitetura Brasileira
Arquitetura BrasileiraCEF16
 
Escritório Brasil Arquitetura
Escritório Brasil Arquitetura Escritório Brasil Arquitetura
Escritório Brasil Arquitetura Matheus Garcia
 
Música renascentista
Música renascentistaMúsica renascentista
Música renascentistahelenavf1
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasilCEF16
 
05 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 205 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 2Vítor Santos
 
Bauhaus: nova arquitetura e seus reflexos.
Bauhaus: nova arquitetura e seus reflexos. Bauhaus: nova arquitetura e seus reflexos.
Bauhaus: nova arquitetura e seus reflexos. Matheus Garcia
 

Mais procurados (20)

Arquitetura moderna e contemporanea parte 2
Arquitetura moderna e contemporanea parte 2Arquitetura moderna e contemporanea parte 2
Arquitetura moderna e contemporanea parte 2
 
Villa Savoye - Estrutura.pdf
Villa Savoye - Estrutura.pdfVilla Savoye - Estrutura.pdf
Villa Savoye - Estrutura.pdf
 
Lina Bo Bardi - Sesc Pompeia e MASP
Lina Bo Bardi - Sesc Pompeia e MASPLina Bo Bardi - Sesc Pompeia e MASP
Lina Bo Bardi - Sesc Pompeia e MASP
 
Panteão de Paris
Panteão de ParisPanteão de Paris
Panteão de Paris
 
Sesc Pompeia - Lina Bo Bardi (Estudo de Caso)
Sesc Pompeia - Lina Bo Bardi (Estudo de Caso)Sesc Pompeia - Lina Bo Bardi (Estudo de Caso)
Sesc Pompeia - Lina Bo Bardi (Estudo de Caso)
 
Conforto acústico
Conforto acústicoConforto acústico
Conforto acústico
 
03 os caminhos da arquitetura contemporânea
03 os caminhos da arquitetura contemporânea03 os caminhos da arquitetura contemporânea
03 os caminhos da arquitetura contemporânea
 
A casa de vidro
A casa de vidroA casa de vidro
A casa de vidro
 
Viollet Le Duc
Viollet Le DucViollet Le Duc
Viollet Le Duc
 
Pracas-brasileiras-fabio-robba
Pracas-brasileiras-fabio-robbaPracas-brasileiras-fabio-robba
Pracas-brasileiras-fabio-robba
 
Arquitetura Brasileira
Arquitetura BrasileiraArquitetura Brasileira
Arquitetura Brasileira
 
Arquitetura moderna
Arquitetura modernaArquitetura moderna
Arquitetura moderna
 
A Arte Neoclássica
A Arte NeoclássicaA Arte Neoclássica
A Arte Neoclássica
 
Escritório Brasil Arquitetura
Escritório Brasil Arquitetura Escritório Brasil Arquitetura
Escritório Brasil Arquitetura
 
Música renascentista
Música renascentistaMúsica renascentista
Música renascentista
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasil
 
05 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 205 a cultura do palácio 2
05 a cultura do palácio 2
 
Arquitetura
ArquiteturaArquitetura
Arquitetura
 
Bauhaus: nova arquitetura e seus reflexos.
Bauhaus: nova arquitetura e seus reflexos. Bauhaus: nova arquitetura e seus reflexos.
Bauhaus: nova arquitetura e seus reflexos.
 
Centro Paula Souza - Santa Efigênia
Centro Paula Souza - Santa Efigênia  Centro Paula Souza - Santa Efigênia
Centro Paula Souza - Santa Efigênia
 

Mais de IZIS PAIXÃO

TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande AlvarengaTFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande AlvarengaIZIS PAIXÃO
 
Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
Complexo Cultural e Esportivo Grande AlvarengaComplexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
Complexo Cultural e Esportivo Grande AlvarengaIZIS PAIXÃO
 
Estudos de Caso: projetos hospitalares
Estudos de Caso: projetos  hospitalaresEstudos de Caso: projetos  hospitalares
Estudos de Caso: projetos hospitalaresIZIS PAIXÃO
 
Estudos de Caso de Projetos de Arquitetura de Interiores
Estudos de Caso de Projetos de Arquitetura de InterioresEstudos de Caso de Projetos de Arquitetura de Interiores
Estudos de Caso de Projetos de Arquitetura de InterioresIZIS PAIXÃO
 
Analise Arquitetônica do Serpentine Pavilion (2010) - Londres 2010, Jean Nouvel
Analise Arquitetônica do Serpentine Pavilion (2010) - Londres 2010, Jean NouvelAnalise Arquitetônica do Serpentine Pavilion (2010) - Londres 2010, Jean Nouvel
Analise Arquitetônica do Serpentine Pavilion (2010) - Londres 2010, Jean NouvelIZIS PAIXÃO
 
Resenha: Desinfectório Central
Resenha: Desinfectório CentralResenha: Desinfectório Central
Resenha: Desinfectório CentralIZIS PAIXÃO
 
Resenha: Residencia Bettega 1949
Resenha: Residencia Bettega 1949Resenha: Residencia Bettega 1949
Resenha: Residencia Bettega 1949IZIS PAIXÃO
 
Resenha: Vila Operaria Gamboa
Resenha: Vila Operaria GamboaResenha: Vila Operaria Gamboa
Resenha: Vila Operaria GamboaIZIS PAIXÃO
 
Resenha: Escola Carioca - Yves Bruand
Resenha: Escola Carioca - Yves BruandResenha: Escola Carioca - Yves Bruand
Resenha: Escola Carioca - Yves BruandIZIS PAIXÃO
 
Resenha: Secretaria da Agricultura, Ramos de Azevedo
Resenha: Secretaria da Agricultura, Ramos de AzevedoResenha: Secretaria da Agricultura, Ramos de Azevedo
Resenha: Secretaria da Agricultura, Ramos de AzevedoIZIS PAIXÃO
 
Relatório de Horas Complementares - língua estrangeira: Espanhol Báico
Relatório de Horas Complementares - língua estrangeira: Espanhol BáicoRelatório de Horas Complementares - língua estrangeira: Espanhol Báico
Relatório de Horas Complementares - língua estrangeira: Espanhol BáicoIZIS PAIXÃO
 
Relatório de Visita Técnica: Memorial de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Memorial de CuritibaRelatório de Visita Técnica: Memorial de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Memorial de CuritibaIZIS PAIXÃO
 
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de CuritibaRelatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de CuritibaIZIS PAIXÃO
 
Relatório de Visita Técnica: Casa de Vidro
Relatório de Visita Técnica: Casa de VidroRelatório de Visita Técnica: Casa de Vidro
Relatório de Visita Técnica: Casa de VidroIZIS PAIXÃO
 
Resenha Modernismo Pragmatico
Resenha Modernismo PragmaticoResenha Modernismo Pragmatico
Resenha Modernismo PragmaticoIZIS PAIXÃO
 
Resenha: A ARQUITETURA DOS JESUÍTAS NO BRASIL (Lucio Costa)
Resenha: A ARQUITETURA DOS JESUÍTAS NO BRASIL (Lucio Costa)Resenha: A ARQUITETURA DOS JESUÍTAS NO BRASIL (Lucio Costa)
Resenha: A ARQUITETURA DOS JESUÍTAS NO BRASIL (Lucio Costa)IZIS PAIXÃO
 
Resumo: Quadro da Arquitetura no Brasil
Resumo: Quadro da Arquitetura no Brasil Resumo: Quadro da Arquitetura no Brasil
Resumo: Quadro da Arquitetura no Brasil IZIS PAIXÃO
 
Resenha: Academia Imperial de Belas Artes
Resenha: Academia Imperial de Belas ArtesResenha: Academia Imperial de Belas Artes
Resenha: Academia Imperial de Belas ArtesIZIS PAIXÃO
 

Mais de IZIS PAIXÃO (18)

TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande AlvarengaTFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
 
Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
Complexo Cultural e Esportivo Grande AlvarengaComplexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
 
Estudos de Caso: projetos hospitalares
Estudos de Caso: projetos  hospitalaresEstudos de Caso: projetos  hospitalares
Estudos de Caso: projetos hospitalares
 
Estudos de Caso de Projetos de Arquitetura de Interiores
Estudos de Caso de Projetos de Arquitetura de InterioresEstudos de Caso de Projetos de Arquitetura de Interiores
Estudos de Caso de Projetos de Arquitetura de Interiores
 
Analise Arquitetônica do Serpentine Pavilion (2010) - Londres 2010, Jean Nouvel
Analise Arquitetônica do Serpentine Pavilion (2010) - Londres 2010, Jean NouvelAnalise Arquitetônica do Serpentine Pavilion (2010) - Londres 2010, Jean Nouvel
Analise Arquitetônica do Serpentine Pavilion (2010) - Londres 2010, Jean Nouvel
 
Resenha: Desinfectório Central
Resenha: Desinfectório CentralResenha: Desinfectório Central
Resenha: Desinfectório Central
 
Resenha: Residencia Bettega 1949
Resenha: Residencia Bettega 1949Resenha: Residencia Bettega 1949
Resenha: Residencia Bettega 1949
 
Resenha: Vila Operaria Gamboa
Resenha: Vila Operaria GamboaResenha: Vila Operaria Gamboa
Resenha: Vila Operaria Gamboa
 
Resenha: Escola Carioca - Yves Bruand
Resenha: Escola Carioca - Yves BruandResenha: Escola Carioca - Yves Bruand
Resenha: Escola Carioca - Yves Bruand
 
Resenha: Secretaria da Agricultura, Ramos de Azevedo
Resenha: Secretaria da Agricultura, Ramos de AzevedoResenha: Secretaria da Agricultura, Ramos de Azevedo
Resenha: Secretaria da Agricultura, Ramos de Azevedo
 
Relatório de Horas Complementares - língua estrangeira: Espanhol Báico
Relatório de Horas Complementares - língua estrangeira: Espanhol BáicoRelatório de Horas Complementares - língua estrangeira: Espanhol Báico
Relatório de Horas Complementares - língua estrangeira: Espanhol Báico
 
Relatório de Visita Técnica: Memorial de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Memorial de CuritibaRelatório de Visita Técnica: Memorial de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Memorial de Curitiba
 
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de CuritibaRelatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
Relatório de Visita Técnica: Centro Histórico de Curitiba
 
Relatório de Visita Técnica: Casa de Vidro
Relatório de Visita Técnica: Casa de VidroRelatório de Visita Técnica: Casa de Vidro
Relatório de Visita Técnica: Casa de Vidro
 
Resenha Modernismo Pragmatico
Resenha Modernismo PragmaticoResenha Modernismo Pragmatico
Resenha Modernismo Pragmatico
 
Resenha: A ARQUITETURA DOS JESUÍTAS NO BRASIL (Lucio Costa)
Resenha: A ARQUITETURA DOS JESUÍTAS NO BRASIL (Lucio Costa)Resenha: A ARQUITETURA DOS JESUÍTAS NO BRASIL (Lucio Costa)
Resenha: A ARQUITETURA DOS JESUÍTAS NO BRASIL (Lucio Costa)
 
Resumo: Quadro da Arquitetura no Brasil
Resumo: Quadro da Arquitetura no Brasil Resumo: Quadro da Arquitetura no Brasil
Resumo: Quadro da Arquitetura no Brasil
 
Resenha: Academia Imperial de Belas Artes
Resenha: Academia Imperial de Belas ArtesResenha: Academia Imperial de Belas Artes
Resenha: Academia Imperial de Belas Artes
 

Último

Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxmairaviani
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédioifbauab
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkLisaneWerlang
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosbiancaborges0906
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorCasa Ciências
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfLeandroTelesRocha2
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 

Último (20)

Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 

Estudo de Caso Berklee College of Music - EUA

  • 1. ESTUDO DE CASO: Berklee College of Music William Rawn Associates Nomes: RA: Izis Ferreira Paixão 718682 Henrique Fernandes Ventura Augusto 722011 Romerito Silva CENTRO UNIVERESITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRE ARQUITETURA E URBANISMO
  • 2. Berklee College of Music A INSTITUIÇÃO • Fundada em 1922, por Lawrence Berk, Schillinger House é a primeira escola dos EUA a ensinar a música popular da época, o jazz; • A faculdade evoluiu para refletir o estado da arte da música e do negócio da música, liderando o caminho com os primeiros estudos de bacharelado do mundo em jazz, rock e outros estilos musicais; • Possui um corpo estudantil diversificado e talentoso que representa 96 países e ex-alunos que ganharam coletivamente mais de 250 Grammys e Latin Grammys, Berklee é o primeiro laboratório de aprendizado do mundo para a música de hoje e de amanhã; • Em 2016, se associou ao Conservatório de Boston, ampliando ainda mais seu campus. • Berklee College of Music é uma instituição sem fins lucrativos e coeducacional de ensino superior ,credenciada pela Associação de Escolas e Faculdades da Nova Inglaterra e autorizada de acordo com a lei federal para matricular estudantes não imigrantes e treinamento de veteranos; Figura 01: Campus Berklee College of Music Fonte: Berklee.Edu, 2014
  • 4. Berklee College of Music CAMPUS PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO • permitir instalações académicas aprimoradas, um aumento na propriedade da faculdade Espaço residencial e um aumento no espaço para atender a outras demandas da comunidade • Os planos incluem três projetos de construção maiores e vários projetos menores de desenvolvimento de campus, como também intervenções nos edifícios já existentes; Figura 02: Projeto de Expansão da Berklee College of Music Fonte: Breklee. Edu, 2014 Propostas de intervenção Edifícios existentes Berklee • PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: 160 – 168 Mass. Avenue • Integração da construção com o tecido urbano e ampliação das calçadas (locais de locomoção e vivencia); • Área de comércio no nível térreo; primeiro, segundo e terceiro andar para área de alimentação e desempenho; • Grande capacidade de capitação de luz solar; • Transparência com a cidade nos locais de convivência; • Melhorias de paisagismo e iluminação nas vias; Figura 03: Projeto de Expanão Berklee College of Music Fonte: Breklee.Edu, 2014
  • 5. Berklee College of MusicCAMPUS • PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: 161- 171 Mass. Avenue • renovação do espaço existente e uma adição de aproximadamente 1.885,00 m² ao edifício a serem utilizados para o espaço de tecnologia acadêmica e musical; • PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: 150 Mass. Avenue • Transformação da antiga cafeteria adquirida no ano de 1986, possui quatro pavimentos superiores e dois inferiores; Unidade de Estudos de Tecnologia, escritórios da faculdade, estúdios e espaços associados; Figura 05: Projeto de Expansão 161-171 Fonte: Breklee.Edu, 2014 Figura 04: 161-171 Mass. Avenue Fonte: Breklee.Edu, 2014 Figura 06: Projeto de Expansão 150 Mass. Avenue
  • 6. Berklee College of Music CAMPUS • PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: 161-171 Figura 08: Planta 161-171 Fonte: Breklee.Edu, 2014 Figura 07: Planta do Pav. Térreo 161-171 Fonte: Breklee.Edu, 2014
  • 7. Berklee College of Music CAMPUS • PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: “A Encruzilhada” - 130-136 da Miss. Avenue • Reutilização da fachada existente do antigo teatro; • Aumentar a oportunidade de residência para 450 alunos; • Novo Centro de Desempenho; • Espaço público multifuncional no piso térreo/ lobby do teatro; • Espaços de vivência para estudantes; centro fitness; salas de estudos e espaços para prática musical; • Aumentar a largura das calçadas; • Ponto de referência da Berklee College of Music Figura 09: Projeto de Expansão 130-136 Fonte: Breklee.Edu, 2014
  • 8. Berklee College of Music CAMPUS • PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO: “A Encruzilhada” - 130-136 da Miss. Avenue Figura 11: Planta do Pav. Tipo 130-136 Fonte: Breklee.Edu, 2014 Figura 10: Planta Pav Térreo 130-136 Fonte: Breklee.Edu, 2014
  • 9. Berklee College of Music CAMPUS mobilidade Estacionamento restrito Estac. De tempo medido Proibido Estacionar Estacionamento reservado Conser. Boston Ponto de ônibus Táxi Manobrista Permissão de Residência Comercial apenas Figura 12: Mobilidade – Veículos motorizados Fonte: Breklee.Edu, 2014 Figura 13: Mobilidade - Bicicleta Fonte: Breklee.Edu, 2014
  • 10. Berklee College of Music CAMPUS mobilidade Figura 14: Mobilidade – Pedestre Fonte: Breklee.Edu, 2014 Figura 15: Mobilidade – Pedestre, passeio Fonte: Breklee.Edu, 2014
  • 11. Berklee College of Music CURSOS OFERECIDOS Berklee College of Music-Boston Grau Duração Desempenho Contemporâneo M.M 1 ano Terapia Musical M.A 2 anos Berklee College of Music-Valencia, Espanha Grau Duração Desempenho Contemporâneo M.M 1 ano Entretenimento Global e Negociação Musical M.A 1 ano Produção, Tecnologia e Inovação Musical M.M 1 ano Pontuação para Filmes, Televisão e Videogames M.M 1 ano Berklee Online Grau Duração Programa de negócios de música comercial M.B.A Conservatório de Boston em Berklee Grau Duração Desempenho Bronze M.M 2 anos Condução Coral M.M 2 anos Piano Colaborativo M.M 2 anos Composição M.M 2 anos Desempenho de Música Clássica Contemporânea M.M 2 anos Harp Performance M.M 2 anos Desempenho Marimba M.M 2 anos Educação Musical – Programa não licenciado M.M 2 anos Educação Musical – Concentração de autismo M.M 2 anos Conservatório de Boston em Berklee Grau Duração Teatro Musical M.F. A 2 anos Condução de Orquestra M.M 2 anos Desempenho de Percussão M.M 2 anos Desempenho de Piano M.M 2 anos Desempenho de Corda M.M 2 anos Pedagogia Vocal M.M 2 anos Desempenho Vocal M.M 2 anos Ópera Performance M.M 2 anos Woodwing Performace - Multiplo M.M 2 anos Woodwing Performace – Fagote, Clarinete, Flauta, Oboé e Saxofone M.M 2 anos
  • 12. “ A Arquitetura é musica congelada” Arthur Schopenhauer
  • 13. Berklee College of Music ARQUITETOS • William Rawn Associates , Arquitetos, Inc. é uma equipe de arquitetos formada em 1983 por William L. Rawn II, Douglas C. Johnston, Clifford V. Gayley e Samuel M. Lasky em Boston, com projetos que incluem edifícios urbanos de uso misto, instalações de artes cênicas de universidades e habitação. Projetos recentemente concluídos incluem a Torre Berklee na Berklee College of Music , Tata Hall na Harvard Business School , um plano geral de campus e projeto arquitetônico do distrito residencial West Campus emUniversidade do Nordeste em Boston, o Centro de Teatro e Dança do 62 no Williams College, a Biblioteca Pública de Cambridge e a Residência de Estudantes de Pós-Graduação MIT Ashdown. Figura 16: Principais Membros do Escritório William Rawn Associates Fonte: Rawn Arch, 2000
  • 14. Berklee College of Music LOCALIZAÇÃO • O edifício foi construído em uma área de 155 m², em Boston – EUA, em frente à Massachusetts Avenue, a nova residência multi-usos da Berklee College of Music fortalece as múltiplas conexões do Colégio; • Está em um dos principais bairros de Boston de interesse residência, comercial e empreserial; PERÍODO • O projeto iniciou-se no ano de 2011, sendo concluído em setembro de 2013; INSERÇÃO URBANA • O Edifício foi construído em um terreno urbano onde existia uma antiga construção de um pavimento, que foi demolido completamente para a construção do novo campus da Berklee College of Music, vizinho ao edifício principal da escola. • A construção esta inserida em uma nas avenidas mais movimentadas da cidade, próximo a comércios, bibliotecas e da Igreja de Ciência Cristã. IMPLANTAÇÃO Figura 18: Implantação Fonte: ArchDaily, 2014 Figura 17: Implantação Fonte: Berklee.Edu, 2014
  • 15. Berklee College of Music EXPRESSÃO ARQUITETONICA • Com feição moderna, o edifício é formado por dois volumes principais, o primeiro mais vertical, branco e geométrico e o segundo horizontal, cuja fachada transparente cria uma comunicação do exterior para o interior, tornando-a uma fachada ativa com a vida urbana, potencializando a entrada de luz e vistas para o céu; • Com um total de 16 andares, possui formas simples, ângulos retos, pilotis expressando o que os modernistas chamavam de sinceridade estrutural. • USO ORIGINAL: Edifício educacional de uso misto. Figura 19: Perspectiva do Edifício Berklee College of Music Fonte:Lee Kennedy, 2014 PARTIDO ARQUITETÔNICO • Pode-se verificar no edifício a presença da influencia de dois grandes arquitetos: Mies Van de Rohe e Philip Johnson – principalmente no que se refere ao feição da construção; • A configuração espacial dos quatro primeiros pavimentos pode ter sido inspirado nas grelhas de Nova York;
  • 16. Berklee College of Music PLANTAS, CORTES E ELEVAÇÕES Figura 20: Planta do 2º Subsolo Fonte: ArchDaily, 2014 Figura 21: Planta do 1º Subsolo Fonte: ArchDaily, 2014
  • 17. Berklee College of Music PLANTAS, CORTES E ELEVAÇÕES Figura 22: Planta do 1º Pavimento (térreo) Fonte: ArchDaily, 2014 Figura 23: Planta do 2º Pavimento Fonte: ArchDaily, 2014
  • 18. Berklee College of Music PLANTAS, CORTES E ELEVAÇÕES Figura 24: Planta do 2º Pavimento (mezanino) Fonte: ArchDaily, 2014 Figura 25: Planta do 3º Pavimento Fonte: ArchDaily, 2014
  • 19. Berklee College of Music PLANTAS, CORTES E ELEVAÇÕES Figura 27: Planta do Pavimento Tipo (12x) Fonte: ArchDaily, 2014 Figura 26: Planta do 3º Pavimento Fonte: ArchDaily, 2014
  • 20. SETORIZAÇÃO Figura 28: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 21. SETORIZAÇÃO Figura 29: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 22. SETORIZAÇÃO Figura 30: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 23. SETORIZAÇÃOFigura 31: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 24. SETORIZAÇÃOFigura 32: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 25. SETORIZAÇÃOFigura 33: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 26. SETORIZAÇÃOFigura 34: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 27. SETORIZAÇÃOFigura 35: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 28. SETORIZAÇÃO Figura 36: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 29. SETORIZAÇÃO Figura 37: Setorização Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 30. CIRCULAÇÃO Figura 38: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 31. CIRCULAÇÃO Figura 39: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 32. CIRCULAÇÃO Figura 40: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 33. CIRCULAÇÃO Figura 41: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 34. CIRCULAÇÃO Figura 42: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 35. CIRCULAÇÃO Figura 43: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 36. CIRCULAÇÃO Figura 44: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 37. CIRCULAÇÃO Figura 45: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 38. CIRCULAÇÃO Figura 46: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 39. Berklee College of Music FLUXOS DE USUÁRIOS E VIÁRIO Figura 47: Fluxos Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 40. Berklee College of Music CIRCULAÇÃO DE USUÁRIOS E VIÁRIO Figura 48: Fluxos Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 41. Berklee College of Music CIRCULAÇÃO DE USUÁRIOS E VIÁRIO Figura 49: Fluxos Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 42. Berklee College of Music CIRCULAÇÃO DE USUÁRIOS E VIÁRIO Figura 50: Fluxos Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 43. Berklee College of Music CIRCULAÇÃO DE USUÁRIOS E VIÁRIO • "Ao longo dos três anos que esse projeto evoluiu de desenhos iniciais para ajuste fino, nosso principal mandato era permanecer aberto a mudanças. Mudanças de tecnologia, reutilização de salas e funcionalidade permaneceram fluidos até o período de construção “ (Elliott-Brown, Judy, 2014) DIAGRAMAS • Circulação: A circulação se mantem livre e fluida nos quatro primeiros pavimentos acima do nível da rua, sendo os demais uma circulação setorizada; Figura 51: Circulação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 44. Berklee College of Music DIAGRAMAS • Estrutura: verifica-se a existência de dois conjuntos de eixos na estrutura do edifício, definindo espaços e composições dos ambientes Figura 52: Estrutura Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 45. Berklee College of Music DIAGRAMAS • Adição e Subtração: Possível verificar que a porção que refere-se a adição faz com que a obra seja entendida como um único elemento; Figura 53: Adição e Subtração • Simetria e Equilíbrio: Ainda que tendendo mais para a sua porção esquerda, é possível notar um equilíbrio no Edifício 160 – 168 Mass. Avenue, ainda que assimétrico; Figura 54: Simetria e Equilíbrio Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014 Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 46. Berklee College of Music DIAGRAMAS • Geometria: Verifica-se na geometria da planta a presença de diversos triângulos, revelando a racionalidade da construção; Figura 55: Geometria • Iluminação: Uma das necessidades que a universidade possuía era um campus com diversos espaços de vivencia e que pudesse aproveitar a luz natural; Figura 56: Iluminação Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014 Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 47. Berklee College of Music DIAGRAMAS • Massa: a massa desse edifício é facilmente identificada no passeio publico, como é possível ver na imagem abaixo, sua configuração tridimensional; Figura 57: Massa • Unidade e Conjunto: Também é facilmente identificado, as duas unidades que compõem o conjunto, formado pelo corpo dos pavimentos- tipo e os 4 primeiros andares; Figura 58: Unidade e Conjunto Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014 Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 48. Berklee College of Music DIAGRAMAS • Repetitivo e Singular: A partir da modulação da estrutura, muitos dos ambientes se repetem; mas também há a existência de ambientes singulares, presentes no pavimento-tipo e nas primeiras plantas acima do nível da rua; Figura 59: Repetitivo e Singular Figura 60: Repetitivo e singular Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014 Fonte: Elaborado pelo grupo, 2017 - Base ArchDaily, 2014
  • 49. Berklee College of Music PROGRAMA DE NECESSIDADES • 173 salas de residências para 369 alunos, divididas em 12 pavimentos com banheiros comuns masculinos e femininos; • refeitório de 400 lugares que funciona como um espaço de desempenho - à noite, o espaço do refeitório é convertido em uma sala de concertos para bandas de estudantes e outros artistas. ; • Lavanderia escolar central; • 23 salas de prática artística; • 6 áreas comuns de dois andares; • centro de fitness; • Um complexo de produção de música de 10 estúdios e seus ambientes complementares; • Espaços de vivencia e aprendizado; Figura 61: Ambiente interno Fonte: Architect Magazine, 2014 Figura 62: Vista da área de alimentação Fonte: Architect Magazine, 2014
  • 50. Berklee College of Music PROGRAMA DE NECESSIDADES • O Edifício tinha como programa também a interação entre os dois campus e a movimentada avenida; onde a área de alimentação e o espaço de desempenho estão voltados para a avenida; Figura 63: Edifício 150 (antes) Fonte: Architect Magazine, 2014 Figura 64: Proposta de integração Fonte: Architect Magazine, 2014 • Entradas adicionais para o reforço da conexão com a fachada do edifício 150; • Área aberta para eventos ao ar livre ( 4º pav).
  • 51. Berklee College of Music MATERIAIS EMPREGADOS • Estrutural: Estruturas metálicas e de concreto armado; • Esquadrias e vedações: Esquadrias metálicas e vidro com tratamento acústico. • Revestimentos: Os acabamentos high-end incluiram painéis de paredes de madeira, tetos metálicos perfurados, paredes e pavimentos em uma variedade de tapetes, azulejos de terrazzo e porcelanato. SISTEMA ESTRUTURAL • O edifício foi construído com estruturas metálicas e de concreto, onde seu período inicial teve duração de 18 meses, focados nas fundações, sistemas de fachada, condições ambientais e de logística. • Sistema de fundação de tapetes de concreto armado com pilhas de retenção • Agressivo prazo de demolição e construção de 24 meses Figura 65: Construção do Edificio Fonte: Berklee.Edu, 2014
  • 52. Berklee College of Music ANÁLISE DO CONFORTO AMBIENTAL • As janelas oscilantes nos andares inferiores funcionam como uma cama de percussão, contribuindo para a qualidade sonora dos ambientes internos, além de propiciar a vista para os eventos noturnos que ocorrem no interior do edifico; • Os ambientes de gravação foram isolados fisicamente através de espaços vazios da estrutura do edifício, criando isolamento de vibrações causadas pelo tráfego de automóveis e linhas de metrô do lado externo; • CLIMATIZAÇÃO: Devido a necessidade de isolamento acústico, as salas e estúdios possuem climatização artificial. Os ambientes de recreação possuem ventilação e iluminação natural controlada. • ILUMINAÇÃO: funciona com a mesma lógica que a climatização, com vidros com tratamento acústico, principalmente dos estúdios. Figura 66: Ambiente interno Fonte: Architect Magazine, 2014 Figura 67: Ambiente Interno Fonte: Architect Magazine, 2014
  • 53. Berklee College of Music SUSTENTABILIDADE  O projeto é qualificado como um edifício com certificação LEED no nível de prata. Materiais, práticas, sistemas de construção e equipamentos sustentáveis ​​utilizados incluem: • Gestão de resíduos de construção; • Conteúdo reciclado (por exemplo, aço estrutural) e materiais regionais no edifício; • Tintas e revestimentos de baixo teor de COV (compostos orgânicos voláteis), adesivos e vedantes e sistemas de piso; • Materiais de telhado de cor clara para reduzir o possível efeito da ilha de calor; • Paisagismo eficiente em termos de água; e • Caldeiras de gás de alta eficiência e resfriadores elétricos de alta eficiência. Figura 68: Vista do Edifício Fonte: Berklee.Edu, 2014
  • 54. Berklee College of Music CONSIDERAÇÕES FINAIS • Verifica-se o Campus da Berklee College of Music distribuído de forma moderna e contemporânea, dentro do contexto urbano da cidade de Boston, o que propicia uma maior vivencia dos alunos e funcionários da instituição; • O novo campus estudado neste trabalho procurou soluções eficientes e sustentáveis para a elaboração do projeto e sua construção, com grande investimento na parte de conforto acústico, devido suas instalações musicais e artísticas, procurando também o aproveitamento da luz natural, desempenhando de forma criativa o programa proposto; Figura 69: Ilustração da Berklee College of Music Fonte: WSDG, 2015
  • 55. REFERÊNCIAS • ARCHDAILY, Berklee College of Music / William Rawn Associates. Março/2014. Disponível em: <http://www.archdaily.com/485462/berklee-college-of-music- william-rawn-associates>. Acesso em: 18 de agosto de 2017. • ARCHITECT-MAGAZINE, Berklee College of Music 160 Massachusetts Avenue, Walters-Storyk Design Group. Outubro, 2014. Disponível em: <http://www.architectmagazine.com/project-gallery/berklee- college-of-music-160-massachusetts-avenue-5588>. Acesso em: 18 de agosto de 2017. • BERKLEE-EDU. Transportation. Disponível em: <https://www.berklee.edu/sites/ default/files/pdf/taskforce/IMP/7-Transportation.pdf>. Acesso em 25 de agosto de 2017. • BERKLEE-EDU. Proposed EMP Projects. Disponível em: <https://www .berklee.edu/sites/default/files/pdf/taskforce/IMP/5- IMP_Projects.pdf>. Acesso em 25 de agosto de 2017. • BUSH, Allen. New Berklee Tower Opens. Fevereiro, 2014. Disponível em: < https://www.berklee. edu/news/new-berklee- tower-opens>. Acesso em 17 de agosto de 2017. • LEE-KENNEDY, Berklee College of Music Mixed Use Building. Dezembro, 2014. Disponível em: <http://www.leekennedy.com/project/berklee-college-160-mass- ave-mixed-use-building/>. Acesso em: 17 de agosto de 2017. • RAWN ARCH, Berklee College of Music. Disponível em: < http://www.rawnarch. com/berklee?t=2>. Acesso em 17 de agosto de 2017. • RAWN ARCH, Principals+Associates. Disponível em: < http://www.rawn arch.com/firm-profile-overview>. Acesso em 17 de agosto de 2017.