SlideShare uma empresa Scribd logo
ESTROGÊNOS E
PROGESTOGÊNIOS
Moniele Tavares
MEDICINA-UEMA
1
DEFINIÇÃO
 Hormônios endógenos que possuem inúmeras
ações fisiológicas tanto em homens quanto em
mulheres.
Mulheres
Controle da
ovulação,
fertilização e
implantação.
Metabolismo:
Minerais,
lipídeos,proteínas
e carboidratos
Homens
Efeitos sobre
ossos,
comportamento
Espermatogênese
2
USO TERAPÊUTICO
 Usados no tratamento hormonal e contracepção;
 1- Antagonistas dos Estrógenos e Progestogênios:
Tratamento de Infertilidade e Câncer de
Mama
Obs: Moduladores seletivos dos receptores de
estrogênio (SERMs) Atv. Agonista e antagonista :
Prevenção do Câncer de Mama e Osteoporose
Principal uso dos antiprogestogênios é:
ABORTAMENTO NÃO CIRÚRGICO
3
ESTROGÊNIOS
 Ordem de potência conforme estrutura química:
Estradiol> Estrona> Estriol
 Biossíntese: Estrogênios tem origem na
androstenediona ou testosterona.
 Ovários: Principal fonte de estrógeno na pré-
menopausa, sendo o estradiol o principal produto
secretado.
 Nas mulheres na pós menopausa a principal
fonte de estrogênios é o : ESTROMA DO
TEC.ADIPOSO
 Nos homens: São produzidos pelos testículos;4
AÇÕES FISIOLÓGICAS E
FARMACOLÓGICAS
Meninas
Alterações
puberais e
características
sexuais
secundárias
Modelagem do
corpo e
fechamento das
epífises
Meninos
Deficiência
diminui o
estímulo ao
crescimento
puberal
Aumento das
gonadotrofinas,
macroquirdismo
e aumento de
testosterona
5
MECANISMO DE AÇÃO
 Hormônios difundem-se através da membrana celular
e se ligam com alta afinidade a proteínas receptoras
nucleares específicas.
 Receptores: α- Clássico
 ß- Homólogo ao α
 O complexo receptor-esteróide ativado interage com
a cromatina nuclear para dar início a síntese de RNA
hormônio-específico.
 Obs: É necessário a ligação de 2 receptores ligados a
estrógeno ao genoma para obter-se a resposta.
6
USOS TERAPÊUTICOS DOS
ESTRÓGENOS
 Contracepção;
 Terapia pós-
menopausa;
 Osteoporose;
 Reposição em
pacientes pré-
menopausicos;
7
HORMÔNIOTERAPIA PÓS-
MENOPAUSA
 Destinado àquelas que estão com sintomas
vasomotores;
Para mulheres que não sofreram histerectomia
Progestina+ Estrogênio
Mulheres que o útero foi removido
Tto Estrogênico
 Obs: Adesivos trans cutâneos de estradiol Eficaz
no tratamento da menopausa
8
OSPEOPOROSE
 Diminui a reabsorção do osso;
 Diminui a frequência de fraturas na bacia;
 Tratamento deve iniciar dentro de 2 a 3 anos da
menopausa ou antes;
9
FARMACOCINÉTICA
1. Estrógenos de ocorrência natural:
Esses fármacos e seus
derivados esterificados ou
conjugados são facilmente
absorvidos pelo TGI, pele e
mucosas;
Estrógeno é rapidamente
absorvido IM;
Estradiol tem melhor
biodisponibilidade;
10
2- Análogos Estrogênicos Sintéticos;
 Etilestradiol e Mestranol,bem absorvidos VO ou
através das membranas mucosas.
 Mestranol é oxidado a etinilestranol que é
biotransformado mais lentamente que o
estrógeno natural
Lipossolúveis(Armazen
ados no Tec adiposo)
Liberados
Lentamente!!!11
BIOTRANSFORMAÇÃO
 Transportados no sangue ligados à albumina ou
globulina ligadora de hormônio sexual;
 A biodisponibilidade VO é baixa!
 São hidroxilados no fígado;
 Sofrem excreção na Bile;
Indivíduos com lesão hepática( Níveis de
Estrógeno devido ao metabolismo )
12
EFEITOS ADVERSOS
 Dietilestilbestrol  Adenocarcinoma vaginal ou
cervical
Náuseas e Vômitos;
Sangramento Uterino;
Infarto/Problemas
trombolíticos;
Câncer de
Mama/Endometrial
13
BENEFÍCIOS DE REPOSIÇÃO
DE ESTRÓGENO
Osteoporose Vasomotores
Trato
Urogenital
14
MODULADORES SELETIVOS DE
RECEPTORES DE ESTRÓGENO
São fármacos que interagem com o
receptor do estrógeno mas tem efeitos
diferentes nos diversos tecidos.
RaloxifenoTamoxife
no
15
TAMOXIFENO
Compete com o hormônio natural pela ligação com
o receptor de estrogênio;
Usado no tratamento paliativo do câncer avançado
na mulher pós menopausa;
 Efeitos adversos:
Calorões,náuseas,vômitos,irregularidades
menstrual e sangramento vaginal.
 Atividade estrogênica no endométrio;
16
RALOXIFENO
 Tem pouco ou nenhum efeito sobre o endométrio;
 Diminui colesterol total e LDL;
 Aumenta o risco de episódios tromboembólicos;
Diminui a
reabsorção e a
renovação óssea;
Aumenta a
densidade do osso
e diminui as
fraturas vertebrais
17
RALOXIFENO
Utilizado no tratamento preventivo da
OSTEOPOROSE em mulheres pós-
menopausa.
 Farmacocinética: Bem absorvido VO; 95% ligados à
proteínas;Excretado pela Bile;
 Efeitos adversos:
 Aumenta o risco de trombose em veias profundas;
 Embolia pulmonar
 Deve ser evitado em mulheres grávidas;
 Co-Administração com colestiramina pode reduzir
absorção de raloxifeno;
18
TOREMIFENO/ CLOMIFENO
Toremifeno
Não aumenta
risco de
Câncer
Endometrial
Restrito à mulher
na pós-
menopausa com
câncer
metastático de
mama
Clomifeno
Agonista
estrogênico parcial
Aumenta secreção
de Gonadotropina
Usada com
sucesso em
pacientes
com
infertilidade
Efeitos adversos: Crescimento ovariano, calorões e
distúrbios visuais
19
PROGESTINAS
 Produzida em resposta ao LH;
 Promove o desenvolvimento de um endométrio
secretor;
 Efeitos adversos:
Aumenta glicogênio
hepático/Diminui a
reabsorção de Na+
Aumento da Temperatura
corporal/Diminui alguns
aminoácidos
Aumenta a Excreção do
Nitrogênio
20
USO TERAPÊUTICO
Corrigir
deficiência
hormonal e
contracepção
Controle de
sangramento
uterino,tto
dedismnorréia,
supressão da
lactação pós-
parto
Controle da
endometriose
e carcinomas
endometriais;
•Normalmente associado aos estrógenos;
•Progesterona natural tem baixa biodisponibilidade;
•Acetato de medroxiprogesterona, Acetato de
hidroxiprogesterona,noretindrona e norgestrel;
Tem
alguma
atividade
21
1. Farmacocinética: Rapidamente absorvida por
qualquer via, T1/2 curto, progestinas sintéticas são
biotransformadas mais lentamente; derivados
Hidroxi e medroxiprogesterona são administrados
IM.
2. Efeitos adversos: Edema e depressão;
progestinas tipo andrógenos podem aumentar a
relação LDL/HDL e causar tromboflebites, embolia
pulmonar,acne,hirsutismo e ganho de massa;
Aumenta a incidência de CA de
Mama
Estrógenos+ Progestinas
22
ANTIPROGESTINAS
 Mefiprestona(RU486)- Atv agonista parcial
 Potente antiglicorticóide;
 Administração em grávidas ABORTO!!!
 Efeitos adversos: Sangramento e abortos
incompletos;
 Pode ser usada como contraceptivos
23
CONTRACEPTIVOS ORAIS E
IMPLANTÁVEIS
1. Principais classes:
 Pílulas associadas: São + comuns
 Estrógenos: Etinilestradiol e mestranol
 Progestina: Noretindrona
 Pílula de progestina: Noretindrona
ouNorgestrel(São menos eficazes do que
associadas)
 Implantes de progestinas: Levorgestrel
oferecem contracepção por longa duração;
6cápsulas são implantadas no braço
Sangramentos menstruais irregulares e
cefaléia;24
CONTRACEPÇÃO PÓS-COITAL
 Etinilestradiol ou mestranol administrado até 72 h
após o coito
 Mecanismo de Ação: Estimula sangramento normal
no final do ciclo e espessa o muco cervical
dificultando o acesso do esperma;
 Efeitos adversos: Repleção da glândula mamária,
depressão, tontura, edema, cefaléia, náuseas e
vômitos
 Efeitos cardiovasculares: Tromboembolismo,
hipertensão,aumento da incidência de infarto;
 Cardiogenicidade:diminui a incidência de câncer
endometrial
 Metabólicos: Diminui absorção de carboidratos
 Lipídeos séricos:Estrógenos: Aumenta HDL
 Contra-indicação: Em doença tromboembolítica,
cerebrovascular,neoplasia,cefaléia tipo enxaqueca25

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Hiper e hipotireoidismo
Hiper e hipotireoidismoHiper e hipotireoidismo
Hiper e hipotireoidismo
Edienny Viana
 
TH climaterio
TH climaterioTH climaterio
Apostila de farmacologia 1
Apostila de farmacologia 1Apostila de farmacologia 1
Apostila de farmacologia 1
Rayssa Mendonça
 
Apresentação eclampsia
Apresentação eclampsiaApresentação eclampsia
Anti-hipertensivos
Anti-hipertensivosAnti-hipertensivos
Anti-hipertensivos
resenfe2013
 
Hiperplasia Prostática Benigna
Hiperplasia Prostática BenignaHiperplasia Prostática Benigna
Hiperplasia Prostática Benigna
Oncoguia
 
Hormônios Sexuais Masculinos
Hormônios Sexuais MasculinosHormônios Sexuais Masculinos
Hormônios Sexuais Masculinos
lira1234
 
Aula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Aula de Farmacologia sobre AntihistaminicosAula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Aula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Jaqueline Almeida
 
Hipertireoidismo e hipotireoidismo
Hipertireoidismo e hipotireoidismo Hipertireoidismo e hipotireoidismo
Hipertireoidismo e hipotireoidismo
Sara Cinthia
 
Métodos contraceptivos trabalho internato
Métodos contraceptivos   trabalho internatoMétodos contraceptivos   trabalho internato
Métodos contraceptivos trabalho internato
Thiago Henrique
 
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da GravidezDoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
chirlei ferreira
 
Climatério, Menopausa e Osteoporose
Climatério, Menopausa e OsteoporoseClimatério, Menopausa e Osteoporose
Climatério, Menopausa e Osteoporose
João Paulo França
 
Apresentação testosterona - reposição hormonal aula - Andrologia -
Apresentação testosterona - reposição hormonal aula - Andrologia - Apresentação testosterona - reposição hormonal aula - Andrologia -
Apresentação testosterona - reposição hormonal aula - Andrologia -
Conrado Alvarenga
 
Anticoncepcionais
Anticoncepcionais Anticoncepcionais
Anticoncepcionais
Cláudia Hellena Ribeiro
 
Puberdade Precoce
Puberdade PrecocePuberdade Precoce
Puberdade Precoce
blogped1
 
Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
HIAGO SANTOS
 
Anemia e sindrome nefrótica
Anemia e sindrome nefróticaAnemia e sindrome nefrótica
Anemia e sindrome nefrótica
LAURA EMANUELLA MARINHO
 
Tudo Sobre Câncer de Próstata
Tudo Sobre Câncer de PróstataTudo Sobre Câncer de Próstata
Tudo Sobre Câncer de Próstata
Oncoguia
 
Malformação Congênitas
Malformação CongênitasMalformação Congênitas
Malformação Congênitas
Universidade Norte do Paraná
 
DOENÇAS BENÍGNAS DA MAMA
DOENÇAS BENÍGNAS DA MAMADOENÇAS BENÍGNAS DA MAMA
DOENÇAS BENÍGNAS DA MAMA
Douglas Ribeiro da Silva
 

Mais procurados (20)

Hiper e hipotireoidismo
Hiper e hipotireoidismoHiper e hipotireoidismo
Hiper e hipotireoidismo
 
TH climaterio
TH climaterioTH climaterio
TH climaterio
 
Apostila de farmacologia 1
Apostila de farmacologia 1Apostila de farmacologia 1
Apostila de farmacologia 1
 
Apresentação eclampsia
Apresentação eclampsiaApresentação eclampsia
Apresentação eclampsia
 
Anti-hipertensivos
Anti-hipertensivosAnti-hipertensivos
Anti-hipertensivos
 
Hiperplasia Prostática Benigna
Hiperplasia Prostática BenignaHiperplasia Prostática Benigna
Hiperplasia Prostática Benigna
 
Hormônios Sexuais Masculinos
Hormônios Sexuais MasculinosHormônios Sexuais Masculinos
Hormônios Sexuais Masculinos
 
Aula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Aula de Farmacologia sobre AntihistaminicosAula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
Aula de Farmacologia sobre Antihistaminicos
 
Hipertireoidismo e hipotireoidismo
Hipertireoidismo e hipotireoidismo Hipertireoidismo e hipotireoidismo
Hipertireoidismo e hipotireoidismo
 
Métodos contraceptivos trabalho internato
Métodos contraceptivos   trabalho internatoMétodos contraceptivos   trabalho internato
Métodos contraceptivos trabalho internato
 
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da GravidezDoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
DoençA Hipertensiva EspecíFica Da Gravidez
 
Climatério, Menopausa e Osteoporose
Climatério, Menopausa e OsteoporoseClimatério, Menopausa e Osteoporose
Climatério, Menopausa e Osteoporose
 
Apresentação testosterona - reposição hormonal aula - Andrologia -
Apresentação testosterona - reposição hormonal aula - Andrologia - Apresentação testosterona - reposição hormonal aula - Andrologia -
Apresentação testosterona - reposição hormonal aula - Andrologia -
 
Anticoncepcionais
Anticoncepcionais Anticoncepcionais
Anticoncepcionais
 
Puberdade Precoce
Puberdade PrecocePuberdade Precoce
Puberdade Precoce
 
Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
 
Anemia e sindrome nefrótica
Anemia e sindrome nefróticaAnemia e sindrome nefrótica
Anemia e sindrome nefrótica
 
Tudo Sobre Câncer de Próstata
Tudo Sobre Câncer de PróstataTudo Sobre Câncer de Próstata
Tudo Sobre Câncer de Próstata
 
Malformação Congênitas
Malformação CongênitasMalformação Congênitas
Malformação Congênitas
 
DOENÇAS BENÍGNAS DA MAMA
DOENÇAS BENÍGNAS DA MAMADOENÇAS BENÍGNAS DA MAMA
DOENÇAS BENÍGNAS DA MAMA
 

Destaque

Hormônios Esteroides
Hormônios EsteroidesHormônios Esteroides
Hormônios Esteroides
Yasmin Casini
 
Câncer de mama enfoque hormonal
Câncer de mama enfoque hormonalCâncer de mama enfoque hormonal
Câncer de mama enfoque hormonal
Guilherme Novita Garcia
 
Biologia slidesshare
Biologia slidesshareBiologia slidesshare
Biologia slidesshare
Joseane Macena
 
Aula métodos contraceptivos
Aula métodos contraceptivosAula métodos contraceptivos
Aula métodos contraceptivos
Marcos Franco
 
Hormônios prova
Hormônios provaHormônios prova
Hormônios prova
deisevf
 
Alterações fisiológicas durante a gestação, aleitamento e (1)
Alterações fisiológicas durante a gestação, aleitamento e (1)Alterações fisiológicas durante a gestação, aleitamento e (1)
Alterações fisiológicas durante a gestação, aleitamento e (1)
LAURA EMANUELLA MARINHO
 
Aula.gravidez.mauer.2013
Aula.gravidez.mauer.2013Aula.gravidez.mauer.2013
Aula.gravidez.mauer.2013
Mauer Alexandre Ascensão Gonçalves
 
201 testosterona
201 testosterona201 testosterona
201 testosterona
Alemo Lopes
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
João Paulo jp
 
Métodos contraceptivos pilula
Métodos contraceptivos pilulaMétodos contraceptivos pilula
Métodos contraceptivos pilula
esas8e
 
Reprodução humana o ato sexual
Reprodução humana o ato sexualReprodução humana o ato sexual
Reprodução humana o ato sexual
Erivelto Teixeira
 
metodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos oraismetodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos orais
ineslilin
 
Farmacologia da reprodução
Farmacologia da reproduçãoFarmacologia da reprodução
Farmacologia da reprodução
Wdson Magalhães
 
Hormônios Gonadotróficos
Hormônios Gonadotróficos Hormônios Gonadotróficos
Hormônios Gonadotróficos
David Alcantara
 
Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes
Alterações fisiológicas da gravidez   curso de pré-natal - jean mendesAlterações fisiológicas da gravidez   curso de pré-natal - jean mendes
Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes
drjeanmendes
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Herbert Santana
 
12.FecundaçãO, Desenvolvimento EmbrionáRio E GestaçãO
12.FecundaçãO, Desenvolvimento EmbrionáRio E GestaçãO12.FecundaçãO, Desenvolvimento EmbrionáRio E GestaçãO
12.FecundaçãO, Desenvolvimento EmbrionáRio E GestaçãO
Leonor Vaz Pereira
 
Modificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestaçãoModificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestação
clinicansl
 
Hormônios do Parto
Hormônios do Parto Hormônios do Parto
Hormônios do Parto
Aláya Dullius
 
Conhecendo A Fisiologia Da GestaçãO JúNia Mata
Conhecendo A Fisiologia Da GestaçãO  JúNia MataConhecendo A Fisiologia Da GestaçãO  JúNia Mata
Conhecendo A Fisiologia Da GestaçãO JúNia Mata
guestaeeeaa5
 

Destaque (20)

Hormônios Esteroides
Hormônios EsteroidesHormônios Esteroides
Hormônios Esteroides
 
Câncer de mama enfoque hormonal
Câncer de mama enfoque hormonalCâncer de mama enfoque hormonal
Câncer de mama enfoque hormonal
 
Biologia slidesshare
Biologia slidesshareBiologia slidesshare
Biologia slidesshare
 
Aula métodos contraceptivos
Aula métodos contraceptivosAula métodos contraceptivos
Aula métodos contraceptivos
 
Hormônios prova
Hormônios provaHormônios prova
Hormônios prova
 
Alterações fisiológicas durante a gestação, aleitamento e (1)
Alterações fisiológicas durante a gestação, aleitamento e (1)Alterações fisiológicas durante a gestação, aleitamento e (1)
Alterações fisiológicas durante a gestação, aleitamento e (1)
 
Aula.gravidez.mauer.2013
Aula.gravidez.mauer.2013Aula.gravidez.mauer.2013
Aula.gravidez.mauer.2013
 
201 testosterona
201 testosterona201 testosterona
201 testosterona
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Métodos contraceptivos pilula
Métodos contraceptivos pilulaMétodos contraceptivos pilula
Métodos contraceptivos pilula
 
Reprodução humana o ato sexual
Reprodução humana o ato sexualReprodução humana o ato sexual
Reprodução humana o ato sexual
 
metodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos oraismetodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos orais
 
Farmacologia da reprodução
Farmacologia da reproduçãoFarmacologia da reprodução
Farmacologia da reprodução
 
Hormônios Gonadotróficos
Hormônios Gonadotróficos Hormônios Gonadotróficos
Hormônios Gonadotróficos
 
Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes
Alterações fisiológicas da gravidez   curso de pré-natal - jean mendesAlterações fisiológicas da gravidez   curso de pré-natal - jean mendes
Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
 
12.FecundaçãO, Desenvolvimento EmbrionáRio E GestaçãO
12.FecundaçãO, Desenvolvimento EmbrionáRio E GestaçãO12.FecundaçãO, Desenvolvimento EmbrionáRio E GestaçãO
12.FecundaçãO, Desenvolvimento EmbrionáRio E GestaçãO
 
Modificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestaçãoModificações sistêmicas da gestação
Modificações sistêmicas da gestação
 
Hormônios do Parto
Hormônios do Parto Hormônios do Parto
Hormônios do Parto
 
Conhecendo A Fisiologia Da GestaçãO JúNia Mata
Conhecendo A Fisiologia Da GestaçãO  JúNia MataConhecendo A Fisiologia Da GestaçãO  JúNia Mata
Conhecendo A Fisiologia Da GestaçãO JúNia Mata
 

Semelhante a Estrogênos e progestogênios

Ginecomastia
GinecomastiaGinecomastia
Ginecomastia
karin wachholz
 
Ginecomastia
GinecomastiaGinecomastia
Ginecomastia
karin wachholz
 
Apresentação aticocepcional menor com sua utilização
Apresentação aticocepcional menor com sua utilizaçãoApresentação aticocepcional menor com sua utilização
Apresentação aticocepcional menor com sua utilização
thiago barbosa da silva
 
4102497
41024974102497
4102497
Aline Souza
 
ApresentaçãO ClimatéRio Menopausa
ApresentaçãO ClimatéRio  MenopausaApresentaçãO ClimatéRio  Menopausa
ApresentaçãO ClimatéRio Menopausa
vi_uema
 
Climaterio
Climaterio Climaterio
Aula de saúde ginecológica pronta para preparatório 2014
Aula de saúde ginecológica pronta para preparatório 2014Aula de saúde ginecológica pronta para preparatório 2014
Aula de saúde ginecológica pronta para preparatório 2014
angelalessadeandrade
 
Slides
SlidesSlides
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).pptAULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
MarcoAurlioSoaresFer1
 
Deficiência do hormônio do crescimento adulto
Deficiência do hormônio do crescimento adultoDeficiência do hormônio do crescimento adulto
Deficiência do hormônio do crescimento adulto
Van Der Häägen Brazil
 
Deficiência do hormônio do crescimento adulto
Deficiência do hormônio do crescimento adultoDeficiência do hormônio do crescimento adulto
Deficiência do hormônio do crescimento adulto
Van Der Häägen Brazil
 
Rubberhormone
RubberhormoneRubberhormone
Rubberhormone
suzi.cristina
 
Testoviron enantato-bula-em-pdf
Testoviron enantato-bula-em-pdfTestoviron enantato-bula-em-pdf
Testoviron enantato-bula-em-pdf
Basefitness
 
Anticoncepcionais Orais e Histerectomia
Anticoncepcionais Orais e HisterectomiaAnticoncepcionais Orais e Histerectomia
Anticoncepcionais Orais e Histerectomia
Jessica Gonçalves
 
BioesteroidogêNesekarina
BioesteroidogêNesekarinaBioesteroidogêNesekarina
BioesteroidogêNesekarina
pennai
 
Artigo homens prostata estrogenio progesterona
Artigo homens prostata estrogenio progesteronaArtigo homens prostata estrogenio progesterona
Artigo homens prostata estrogenio progesterona
Andre Eichstaedt
 
Anabolizantes
AnabolizantesAnabolizantes
Ciclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo femininoCiclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo feminino
Rafaela Dal Piva
 
Sistema genito reprodutor
Sistema genito reprodutorSistema genito reprodutor
Sistema genito reprodutor
Rúben Freitas
 
DROGASATUAMSISTEMAENDROCRINO.pdf
DROGASATUAMSISTEMAENDROCRINO.pdfDROGASATUAMSISTEMAENDROCRINO.pdf
DROGASATUAMSISTEMAENDROCRINO.pdf
MarciaRodrigues615662
 

Semelhante a Estrogênos e progestogênios (20)

Ginecomastia
GinecomastiaGinecomastia
Ginecomastia
 
Ginecomastia
GinecomastiaGinecomastia
Ginecomastia
 
Apresentação aticocepcional menor com sua utilização
Apresentação aticocepcional menor com sua utilizaçãoApresentação aticocepcional menor com sua utilização
Apresentação aticocepcional menor com sua utilização
 
4102497
41024974102497
4102497
 
ApresentaçãO ClimatéRio Menopausa
ApresentaçãO ClimatéRio  MenopausaApresentaçãO ClimatéRio  Menopausa
ApresentaçãO ClimatéRio Menopausa
 
Climaterio
Climaterio Climaterio
Climaterio
 
Aula de saúde ginecológica pronta para preparatório 2014
Aula de saúde ginecológica pronta para preparatório 2014Aula de saúde ginecológica pronta para preparatório 2014
Aula de saúde ginecológica pronta para preparatório 2014
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).pptAULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
AULA 4 MODULO 3 INTERACOES MEDICAMENTOSAS (1).ppt
 
Deficiência do hormônio do crescimento adulto
Deficiência do hormônio do crescimento adultoDeficiência do hormônio do crescimento adulto
Deficiência do hormônio do crescimento adulto
 
Deficiência do hormônio do crescimento adulto
Deficiência do hormônio do crescimento adultoDeficiência do hormônio do crescimento adulto
Deficiência do hormônio do crescimento adulto
 
Rubberhormone
RubberhormoneRubberhormone
Rubberhormone
 
Testoviron enantato-bula-em-pdf
Testoviron enantato-bula-em-pdfTestoviron enantato-bula-em-pdf
Testoviron enantato-bula-em-pdf
 
Anticoncepcionais Orais e Histerectomia
Anticoncepcionais Orais e HisterectomiaAnticoncepcionais Orais e Histerectomia
Anticoncepcionais Orais e Histerectomia
 
BioesteroidogêNesekarina
BioesteroidogêNesekarinaBioesteroidogêNesekarina
BioesteroidogêNesekarina
 
Artigo homens prostata estrogenio progesterona
Artigo homens prostata estrogenio progesteronaArtigo homens prostata estrogenio progesterona
Artigo homens prostata estrogenio progesterona
 
Anabolizantes
AnabolizantesAnabolizantes
Anabolizantes
 
Ciclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo femininoCiclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo feminino
 
Sistema genito reprodutor
Sistema genito reprodutorSistema genito reprodutor
Sistema genito reprodutor
 
DROGASATUAMSISTEMAENDROCRINO.pdf
DROGASATUAMSISTEMAENDROCRINO.pdfDROGASATUAMSISTEMAENDROCRINO.pdf
DROGASATUAMSISTEMAENDROCRINO.pdf
 

Estrogênos e progestogênios

  • 2. DEFINIÇÃO  Hormônios endógenos que possuem inúmeras ações fisiológicas tanto em homens quanto em mulheres. Mulheres Controle da ovulação, fertilização e implantação. Metabolismo: Minerais, lipídeos,proteínas e carboidratos Homens Efeitos sobre ossos, comportamento Espermatogênese 2
  • 3. USO TERAPÊUTICO  Usados no tratamento hormonal e contracepção;  1- Antagonistas dos Estrógenos e Progestogênios: Tratamento de Infertilidade e Câncer de Mama Obs: Moduladores seletivos dos receptores de estrogênio (SERMs) Atv. Agonista e antagonista : Prevenção do Câncer de Mama e Osteoporose Principal uso dos antiprogestogênios é: ABORTAMENTO NÃO CIRÚRGICO 3
  • 4. ESTROGÊNIOS  Ordem de potência conforme estrutura química: Estradiol> Estrona> Estriol  Biossíntese: Estrogênios tem origem na androstenediona ou testosterona.  Ovários: Principal fonte de estrógeno na pré- menopausa, sendo o estradiol o principal produto secretado.  Nas mulheres na pós menopausa a principal fonte de estrogênios é o : ESTROMA DO TEC.ADIPOSO  Nos homens: São produzidos pelos testículos;4
  • 5. AÇÕES FISIOLÓGICAS E FARMACOLÓGICAS Meninas Alterações puberais e características sexuais secundárias Modelagem do corpo e fechamento das epífises Meninos Deficiência diminui o estímulo ao crescimento puberal Aumento das gonadotrofinas, macroquirdismo e aumento de testosterona 5
  • 6. MECANISMO DE AÇÃO  Hormônios difundem-se através da membrana celular e se ligam com alta afinidade a proteínas receptoras nucleares específicas.  Receptores: α- Clássico  ß- Homólogo ao α  O complexo receptor-esteróide ativado interage com a cromatina nuclear para dar início a síntese de RNA hormônio-específico.  Obs: É necessário a ligação de 2 receptores ligados a estrógeno ao genoma para obter-se a resposta. 6
  • 7. USOS TERAPÊUTICOS DOS ESTRÓGENOS  Contracepção;  Terapia pós- menopausa;  Osteoporose;  Reposição em pacientes pré- menopausicos; 7
  • 8. HORMÔNIOTERAPIA PÓS- MENOPAUSA  Destinado àquelas que estão com sintomas vasomotores; Para mulheres que não sofreram histerectomia Progestina+ Estrogênio Mulheres que o útero foi removido Tto Estrogênico  Obs: Adesivos trans cutâneos de estradiol Eficaz no tratamento da menopausa 8
  • 9. OSPEOPOROSE  Diminui a reabsorção do osso;  Diminui a frequência de fraturas na bacia;  Tratamento deve iniciar dentro de 2 a 3 anos da menopausa ou antes; 9
  • 10. FARMACOCINÉTICA 1. Estrógenos de ocorrência natural: Esses fármacos e seus derivados esterificados ou conjugados são facilmente absorvidos pelo TGI, pele e mucosas; Estrógeno é rapidamente absorvido IM; Estradiol tem melhor biodisponibilidade; 10
  • 11. 2- Análogos Estrogênicos Sintéticos;  Etilestradiol e Mestranol,bem absorvidos VO ou através das membranas mucosas.  Mestranol é oxidado a etinilestranol que é biotransformado mais lentamente que o estrógeno natural Lipossolúveis(Armazen ados no Tec adiposo) Liberados Lentamente!!!11
  • 12. BIOTRANSFORMAÇÃO  Transportados no sangue ligados à albumina ou globulina ligadora de hormônio sexual;  A biodisponibilidade VO é baixa!  São hidroxilados no fígado;  Sofrem excreção na Bile; Indivíduos com lesão hepática( Níveis de Estrógeno devido ao metabolismo ) 12
  • 13. EFEITOS ADVERSOS  Dietilestilbestrol  Adenocarcinoma vaginal ou cervical Náuseas e Vômitos; Sangramento Uterino; Infarto/Problemas trombolíticos; Câncer de Mama/Endometrial 13
  • 14. BENEFÍCIOS DE REPOSIÇÃO DE ESTRÓGENO Osteoporose Vasomotores Trato Urogenital 14
  • 15. MODULADORES SELETIVOS DE RECEPTORES DE ESTRÓGENO São fármacos que interagem com o receptor do estrógeno mas tem efeitos diferentes nos diversos tecidos. RaloxifenoTamoxife no 15
  • 16. TAMOXIFENO Compete com o hormônio natural pela ligação com o receptor de estrogênio; Usado no tratamento paliativo do câncer avançado na mulher pós menopausa;  Efeitos adversos: Calorões,náuseas,vômitos,irregularidades menstrual e sangramento vaginal.  Atividade estrogênica no endométrio; 16
  • 17. RALOXIFENO  Tem pouco ou nenhum efeito sobre o endométrio;  Diminui colesterol total e LDL;  Aumenta o risco de episódios tromboembólicos; Diminui a reabsorção e a renovação óssea; Aumenta a densidade do osso e diminui as fraturas vertebrais 17
  • 18. RALOXIFENO Utilizado no tratamento preventivo da OSTEOPOROSE em mulheres pós- menopausa.  Farmacocinética: Bem absorvido VO; 95% ligados à proteínas;Excretado pela Bile;  Efeitos adversos:  Aumenta o risco de trombose em veias profundas;  Embolia pulmonar  Deve ser evitado em mulheres grávidas;  Co-Administração com colestiramina pode reduzir absorção de raloxifeno; 18
  • 19. TOREMIFENO/ CLOMIFENO Toremifeno Não aumenta risco de Câncer Endometrial Restrito à mulher na pós- menopausa com câncer metastático de mama Clomifeno Agonista estrogênico parcial Aumenta secreção de Gonadotropina Usada com sucesso em pacientes com infertilidade Efeitos adversos: Crescimento ovariano, calorões e distúrbios visuais 19
  • 20. PROGESTINAS  Produzida em resposta ao LH;  Promove o desenvolvimento de um endométrio secretor;  Efeitos adversos: Aumenta glicogênio hepático/Diminui a reabsorção de Na+ Aumento da Temperatura corporal/Diminui alguns aminoácidos Aumenta a Excreção do Nitrogênio 20
  • 21. USO TERAPÊUTICO Corrigir deficiência hormonal e contracepção Controle de sangramento uterino,tto dedismnorréia, supressão da lactação pós- parto Controle da endometriose e carcinomas endometriais; •Normalmente associado aos estrógenos; •Progesterona natural tem baixa biodisponibilidade; •Acetato de medroxiprogesterona, Acetato de hidroxiprogesterona,noretindrona e norgestrel; Tem alguma atividade 21
  • 22. 1. Farmacocinética: Rapidamente absorvida por qualquer via, T1/2 curto, progestinas sintéticas são biotransformadas mais lentamente; derivados Hidroxi e medroxiprogesterona são administrados IM. 2. Efeitos adversos: Edema e depressão; progestinas tipo andrógenos podem aumentar a relação LDL/HDL e causar tromboflebites, embolia pulmonar,acne,hirsutismo e ganho de massa; Aumenta a incidência de CA de Mama Estrógenos+ Progestinas 22
  • 23. ANTIPROGESTINAS  Mefiprestona(RU486)- Atv agonista parcial  Potente antiglicorticóide;  Administração em grávidas ABORTO!!!  Efeitos adversos: Sangramento e abortos incompletos;  Pode ser usada como contraceptivos 23
  • 24. CONTRACEPTIVOS ORAIS E IMPLANTÁVEIS 1. Principais classes:  Pílulas associadas: São + comuns  Estrógenos: Etinilestradiol e mestranol  Progestina: Noretindrona  Pílula de progestina: Noretindrona ouNorgestrel(São menos eficazes do que associadas)  Implantes de progestinas: Levorgestrel oferecem contracepção por longa duração; 6cápsulas são implantadas no braço Sangramentos menstruais irregulares e cefaléia;24
  • 25. CONTRACEPÇÃO PÓS-COITAL  Etinilestradiol ou mestranol administrado até 72 h após o coito  Mecanismo de Ação: Estimula sangramento normal no final do ciclo e espessa o muco cervical dificultando o acesso do esperma;  Efeitos adversos: Repleção da glândula mamária, depressão, tontura, edema, cefaléia, náuseas e vômitos  Efeitos cardiovasculares: Tromboembolismo, hipertensão,aumento da incidência de infarto;  Cardiogenicidade:diminui a incidência de câncer endometrial  Metabólicos: Diminui absorção de carboidratos  Lipídeos séricos:Estrógenos: Aumenta HDL  Contra-indicação: Em doença tromboembolítica, cerebrovascular,neoplasia,cefaléia tipo enxaqueca25