SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
DANIEL
na VITRINE
Associadas
no Mercado
Comitê
MetalValley
Encontro de
Negócios
www.sindimetalrs.org.br
Ano 7 - Nº 38 | Janeiro / Fevereiro - 2013
EspaçoEspaço
Ano internacional
da água
lá vamos nós, administrando
Eo tempo e os empreendimen-
tos, apostando que 2013, de
fato, poderá nos brindar com novida-
des positivas para a economia do
País.
O otimismo decorrente do
somatório de anúncios recentes do
governo federal, como a desoneração
da folha de pagamento para alguns
segmentos, queda nos juros, redução
do custo da energia elétrica e medi-
das na área de infraestrutura, talvez
contribuam para a implementação de
investimentos, mas não serão sufici-
entes. Ainda temos as temidas oscila-
ções do dólar e a qualificação de mão
de obra, que se não impedem a rea-
ção da indústria traz de volta o “efeito
gangorra”. Ora em cima, ora lá em
baixo, gerando instabilidade e incer-
tezas para quem produz e mantém a
economia deste País girando.
A FIERGS prevê crescimento
de 3,3% para a economia brasileira
em 2013. Os principais fatores devem
ser os investimentos do governo,
parcerias públicas - privadas e esto-
ques da indústria finalmente ajusta-
dos. Entre as associadas do
SINDIMETAL temos exemplos que
comprovam a tenacidade dos empre-
sários. É uma força que motiva e
impulsiona, mesmo na adversidade.
Ser empresário num País com
infraestrutura sucateada e atrasada,
com uma tributação tão elevada exige
garra e este querer chegar lá!
Nós, no SINDIMETAL, esta-
mos sempre atentos às oscilações do
mercado. Como pensamos no coleti-
vo e vislumbramos o futuro, temos
como “norte” o planejamento estraté-
gico, que não nos deixa acomodar,
muito pelo contrário, nos tira da zona
de conforto, colocando metas e desa-
fios.
Quando a economia não está a
todo vapor, “como formigas que traba-
lham no verão para ter comida no inver-
no”, vamos encontrando estratégias de
sobrevivência.
A “gangorra” que estava no
chão pode subir a qualquer momen-
to, por esta razão precisamos estar
preparados.
Uma agenda de atividades
está sendo divulgada neste informati-
vo justamente para, quem sabe, servir
de bússola. Em que direção encontrar
parceiros; onde buscar novos clientes;
como qualificar a equipe são apenas
alguns questionamentos que perpas-
sam pela nossa cabeça, que anda
sempre voltada para o sucesso do
negócio. Aqui no SINDIMETAL, não
temos respostas para todas as dúvi-
das e angústias, mas somos parceiros
nesta caminhada e confiamos que as
oportunidades oferecidas podem se
transformar em grandes possibilida-
des. Na prática, desejamos que as
opções possam ser um “norte” para
quem está procurando alternativas
para seguir na estrada e quem sabe
um “divisor de águas” para os empre-
sários que vivem um novo tempo em
suas gestões. O importante é cami-
nhar.
A diretoria eleita recentemen-
te, para o triênio 2013-2015, já esteve
reunida e demonstrou muita disposi-
ção em “dar vida” a programação
prevista para os próximos meses.
Estamos juntos e acreditando no
associativismo. Inclusive, pensando
neste alinhamento de boas intenções,
a partir desta edição, este espaço,
tradicionalmente assinado pelo presi-
dente do SINDIMETAL, passará a
contar, alternadamente, com a opi-
nião dos vice-presidentes e diretores
da entidade. Desejamos, com esta
iniciativa, ampliar a participação e
valorizar as nossas lideranças. A colu-
na deixará de ser a Palavra do Presi-
dente e passa já nesta primeira edição
do ano a ser identificada como Ponto
de Vista.
O ano está começando.
Vamos então semear boas iniciativas e
estruturar a jornada que, se depender
de todos nós, terá um final feliz.
Que bons ventos soprem
para todos em 2013!
ESPAÇO SINDIMETAL nº 38 chega,
O nesta primeira edição do ano, dando
as boas-vindas aos leitores. Desejamos que
2013 seja pleno de sucesso e traga “bons
ventos” para a economia e o desenvolvimento
das empresas, conforme também almeja o
presidente Raul Heller, na página 02.
Na página 04, apresentamos toda a
infraestrutura da entidade, que está disponível
aos associados e merece ser conferida de
perto. Já na página 05, damos início à série
que irá apresentar os coordenadores dos
comitês, através da coluna Na visão do
coordenador. Inaugurando o espaço, o
empresário Darlan Geremia, diretor do
SINDIMETAL e coordenador do MetalValley.
Na sequência, o sucesso do Meeting,
realizado em 2012, motivou o comitê de RH a
organizar uma nova edição. Os preparativos já
começaram.
Nos dias 20 e 21 de junho, o Centro
das Indústrias será palco do 10º Encontro de
Negócios Metalmecânico Vale do Sinos e
Metropolitana. Saiba mais na página 06. Os
serviços oferecidos pelo SINDIMETAL são um
diferencial, pela abrangência e qualidade.
Nesta edição, o destaque é a Assessoria em
Planejamento e Controladoria Empresarial.
Mais informações na página 07.
Como tradicionalmente acontece, o
ESPAÇO antecipa a agenda estratégica da
entidade, na página central. Vale destacar e
colocar no mural, para acompanhar tudo de
perto.
Que as empresas estão inovando é
fato. A coluna Mercado, a partir da página 14,
já cresceu. Nesta edição está apontando
novidades de três associadas, além da Vitrine,
que valoriza histórias como a da Metalúrgica
Daniel, uma referência em gestão.
Estas são algumas notícias que
dividimos com vocês, mas tem muito mais nas
16 páginas do ESPAÇO SINDIMETAL.
PRESIDENTE
Raul Heller
VICE – PRESIDENTES
Arno Tomasini
Celso Luiz Rodrigues
Marcelo Fleck
Norberto Cossio Dias
Pedro Vicente Isquierdo Gonçales
Roberto Dauber
SECRETÁRIO
Marcelo Mariani
TESOUREIRO
Sérgio de Bortoli Galera
DIRETORES
Ademir Luiz Costella
Christine Lange
Daniel Weber Brun
Darlan Geremia
Emílio Neuri Haag
Gilmar Antônio Rabaioli
José Eduardo Moraes
Leonardo Pedroso Filho
Paulo Roberto Jacobsen
Pedro Paulo Lamberty
Roberto Alexandre Schroer
Ronei Feltes
Silvino Geremia
Valdir Luiz Huning
Vitor Fabiano Ledur
CONSELHO FISCAL
TITULARES
Luiz Antônio Gonçalves
Marcelino Leopoldo Barth
Roberto Petroll
SUPLENTES
David Florindo Cardoso
Ramon Ariel Bonilla Cabrera
Ruben Antônio Duarte
DELEGADOS REPRESENTANTES
JUNTO À FIERGS
TITULARES
Raul Heller
Marcelo Fleck
SUPLENTES
Celso Luiz Rodrigues
Norberto Cossio Dias
DELEGADOS REPRESENTANTES
Sapucaia do Sul/Esteio
Ademir Luiz Costella
Sapiranga
Emílio Neuri Haag
São Sebastião do Caí/Montenegro
Vitor Fabiano Ledur
Estância Velha/Dois Irmãos/Ivoti
Marcelino Leopoldo Barth
Morro Reuter
Ronei Feltes
Vale Real
Roberto Petroll
COMITÊS
Desenvolvimento de Lideranças
Sofia Copé Heller Michel
MetalValley
Darlan Geremia
Recursos Humanos
Heloisa Gaelzer Müller
Saúde, Segurança e Meio Ambiente
Ana Cristina Curia
Valemetalsinos
Marcelo Mariani
iretoria | Gestão 2013 - 2015
Diretor Executivo: Valmir Pizzutti
Jornalista Neusa Medeiros (Mtb 5062)Redação:
Claudionor Oliveira Gomes JuniorCriação e arte:
Informativo bimestral
1750 exemplaresTiragem:
gratuita e dirigidaCirculação:
divulgaçãoFotos:
Edição 3 Comunicação EmpresarialEdição e Produção:
Ltda.
Impressos Portão Ltda.Gráfica:
Endereço
Rua José Bonifácio, nº 204 - 5º andar- Centro das
Indústrias
São Leopoldo/RS - Fone (51) 3590.7707
www.sindimetalrs.org.br
relacionamento@sindimetalrs.org.br
Frases do rodapé: UNESCO
Os trabalhos assinados são de responsabilidade de seus autores.
xpediente
O PAPEL DESTE INFORMATIVO É
PROVENIENTE DE ÁRVORES DE
FLORESTAMENTO.
100%
DOS IMPRESSOS EM PAPEL
FABRICADO NO
BRASIL
PROVÊM DE FLORESTAS
PL ANTADAS
Boa leitura!
E
AME • PRESERVE • RECICLE
gua é vida!
Estamos no Ano Internacional de
Cooperação pela Água, oficialmente lançado em
uma cerimônia, no dia 11 de fevereiro, na sede da
Organização das Nações Unidas para Educação,
Cultura e Ciência (UNESCO), em Paris, França.
Valorizando a iniciativa, o tema será abordado,
através de frases referentes a água, no rodapé das
páginas ímpares, em todas as edições do ESPAÇO
SINDIMETAL, durante 2013.
INFRAESTRUTURA DISPONÍVEL
Sindicato das Indústrias
OMetalúrgicas, Mecânicas e de
Material Elétrico e Eletrônico de
São Leopoldo (SINDIMETAL) reúne
aproximadamente 1300 empresas,
distribuídas na sua base territorial compos-
ta por 35 municípios, localizados nos vales
do Sinos, Caí e Encosta da Serra. Sob a
presidência do empresário Raul Heller, que
iniciou neste ano a sua quarta gestão de
trabalho consecutivo, a entidade tem
fortalecido a sua relação com as empresas
e ampliado o seu reconhecimento junto ao
meio empresarial gaúcho.
Localizado no Centro das
Indústrias, rua José Bonifácio, nº 204,
Centro, em São Leopoldo, o SINDIMETAL
possui uma estrutura adequada e bem
equipada para atender as demandas das
suas associadas e filiadas.
Três andares, incluindo o térreo,
são de garagens possuindo, no total, 83
boxes de estacionamento. O quarto andar
abriga a sala da Presidência, um auditório e
um espaço destinado a eventos.
A administração do SINDIMETAL
localiza-se no quinto andar. No sexto e no
térreo existem salas de treinamento e
reuniões. Já a cobertura do prédio contem-
pla uma sala de eventos, com terraço.
As salas de reuniões possuem
flip-chart, quadro branco, computador e
projetor multimídia. A sala de eventos, com
44 lugares, dispõe de TV LCD 54', flip-
chart, quadro branco, notebook e projetor
multimídia, cozinha equipada com
geladeira, freezer, fogão, forno elétrico e
churrasqueira. Já o auditório, com 118
lugares, é composto de palco, equipamen-
tos de áudio, notebook, projetor multimí-
dia e iluminação cênica. No mesmo andar,
está localizado o salão de eventos, com
capacidade para 250 pessoas. Todos os
ambientes são climatizados.
As empresas vinculadas ao
SINDIMETAL, que desejarem efetivar
reservas para eventos, especificamente
com foco empresarial, devem solicitar por
escrito, através do e-mail desenvolvimen-
to3@sindimetalrs.org.br, indicando data,
tipo do evento e número de pessoas.
Desde 2010, o SINDIMETAL possui
dois Pontos de Atendimento, um em
Sapiranga e outro em São Sebastião do
Caí. A meta é fomentar o desenvolvimen-
to das empresas nessas regiões, através
de capacitações, palestras e cursos, além
de oportunizar uma proximidade com as
empresas filiadas e associadas. Mais
informações poderão ser conferidas na
página 7 dessa edição.
Conheça o SINDIMETAL, sua
estrutura e serviços. Contatos através do
telefone (51) 3590-7707 ou pelo e-mail
relacionamento@sindimetalrs.org.br .
PONTOS DE ATENDIMENTO
Sala - 6º andar
Salão de Eventos - 12º andar
Auditório - 4º andar
Sala - Térreo
Administração - 5º andar
Salão de Eventos
COMITÊ METALVALLEY
comitê MetalValley desde 2007,
Oquando da sua criação, tem se
reinventado e modernizado
suas práticas, sempre focado nos resulta-
dos e na interação com as empresas
participantes.
Na coordenação, atuando como
elo entre as empresas participantes e a
direção da entidade, está o diretor do
SINDIMETAL Darlan Geremia, da Rijeza
Indústria Metalúrgica Ltda., com sede em
São Leopoldo.
O MetalValley é um facilitador
para os empresários que atuam no
mercado interno e externo. É também um
fórum de debates e iniciativas, que ganhou
mais força com o desenvolvimento do
Portal de Negócios onde, através da web,
as empresas divulgam seus produtos e
serviços. O site do MetalValley tem
recebido em média 5000 acessos no
último semestre e continua aprimorando
os seus serviços, com o uso do Google
Adwords.
Com a ferramenta comercial –
Presença Digital - vinculada ao site do
SINDIMETAL, são mapeados todos os
acessos e buscas ocorridas, nos produtos e
serviços ofertados pelas empresas
participantes. Estas informações podem
ser acessadas no site em três línguas
(Português, Inglês e Espanhol).
A participação do comitê
MetalValley é aberta às empresas associa-
das, que estão buscando novos caminhos
e formas para expandirem os seus
produtos e serviços, principalmente via
web.
Maiores informações sobre o
grupo e a agenda de reuniões poderão ser
obtidas através do telefone 3590-7710.
MEETING GESTÃO DE PESSOAS
comitê de Recursos Humanos,
Odo SINDIMETAL, em parceria
com o IEL/ FIERGS, promoveu,
no dia 13 de novembro, o Meeting Gestão
de Pessoas. O encontro, que teve lugar no
Centro das Indústrias, foi prestigiado por
138 profissionais da área de Recursos
Humanos e Gestão de Pessoas e discutiu
assuntos referentes à modernidade da
gestão de pessoas, focando nas
tendências globais de RH. A coordenação
do Comitê de RH, do SINDIMETAL, está a
cargo de Heloísa Gaelzer Müller.
A avaliação da iniciativa foi tão
positiva, que motivou o comitê a organizar
a segunda edição do Meeting de RH,
destinado a diretores, executivos e
profissionais atuantes na área de recursos
humanos das empresas associadas.
O evento está previsto para o dia
08 de maio, no turno da tarde, e ocorrerá
no Centro das Indústrias. O tema proposto
é Mudança e seus paradigmas. Os
palestrantes estão sendo contatados e em
breve serão anunciados.
Mais informações pelo telefone
(51) 3590-7710.
1 - Perfil das empresas, que inte-
gramoMetalValley.
No MetalValley, 90% são micro e
pequenas empresas e o restante dos
10% são médias empresas. Todas elas
com produtos diferenciados e que tem
por objetivo crescimento no mercado
nacional e internacional.
2 - Quais as atividades que são
pertinentesaocomitê?
1º - Atividades relacionadas à inclusão
das empresas no meio digital.
2º - Análise do comportamento do
consumidor que acessa o site para
direcionar o produto ou serviço dessas
empresas para o mercado.
3º - Buscar métodos alternativos para
melhorar a performance de divulgação
dos produtos e serviços dessas
empresas.
3 - Que iniciativas têm sido mais
relevantes para o fortalecimento do
MetalValley?
Busca de novas empresas para aumen-
tar a abrangência da ferramenta;
divulgação frequente das atividades e
ações das empresas e a manutenção
das empresas com ações do comitê.
4-Açõeseprojetosprevistos.
Palestras de fortalecimento do conheci-
mento referente às ferramentas digitais,
criação de ferramenta de controle e
monitoramento comercial.
5 - Receita para manter o grupo
focadonosobjetivospropostos.
É a possibilidade que estamos proporci-
onando para as empresas de gerar e
ampliar seus negócios com custo muito
próximo de zero.
Darlan Geremia
Recursos Humanos
RHRH
Trazendo inovações!Trazendo inovações!1010ººMetalmecânicoMetalmecânico
Encontro de NegóciosEncontro de Negócios
Vale do Sinos | MetropolitanaVale do Sinos | Metropolitana
eserve os dias 20 e 21 de junho
Rpara participar do 10º Encontro de
Negócios Metalmecânico Vale do
Sinos e Metropolitana, que será realiza-
do, à tarde, no Centro das Indústrias, em
São Leopoldo. A promoção é do
SINDIMETAL e do SEBRAE, que na sua
10ª edição inova o formato do concorrido
encontro empresarial, propiciando dois
dias de intensas possibilidades de
negócios.
A primeira fase das inscrições
para as empresas vendedoras iniciou no
dia 1º de dezembro de 2012 e encerram
no dia 28 de fevereiro de 2013. Já a
segunda fase irá ocorrer de março até
junho. As inscrições deverão ser realiza-
das através do site www.sebrae-
rs.com.br/rodadasdenegocios .
O Encontro oportuniza reuniões
de negócios em um mesmo local, entre
pequenas e grandes empresas vendedo-
ras e compradoras, viabiliza contatos e
negócios que dificilmente ocorreriam no
dia a dia das empresas. O evento divide-
se em:
Projeto Comprador – Local: 4º andar –
Neste espaço as compradoras, empresas
de médio e grande porte determinam
suas agendas de reuniões, com base nas
suas principais demandas.
Rodada de Negócios – Local: térreo -
Encontro de micro, pequenas e médias
empresas, que desejam comprar e
vender seus produtos. As reuniões são
agendadas no local do evento.
As reuniões de negócios são
agendadas com 20 minutos, onde cada
comprador terá oportunidade de realizar
14 agendas por dia. A participação das
empresas é gratuita.
A partir deste evento, conforme
a avaliação realizada, considerando
todas as edições e as necessidades das
empresas compradoras, o foco será os
fornecedores qualificados, buscando a
alta produtividade nas reuniões de
negócios. A estrutura adequada para o
encontro irá oportunizar novos contatos
e a visibilidade da imagem institucional.
Mais informações sobre o
evento poderão ser obtidas pelo telefone
(51) 3590-7710 ou através do e-mail
secretarioexecutivo@sindimetalrs.
org.br .
PDF consiste num programa de
Oqualificação de fornecedores,
com o objetivo de atender
grandes empresas associadas. É também
uma oportunidade ímpar de desenvolver
novas práticas e negócios para as peque-
nas e médias empresas.
São âncoras do Programa de
Desenvolvimento de Fornecedores, as
empresas Copé, Flecksteel, Stihl, Taurus e a
Weatherford, que iniciam as atividades
com suas fornecedoras a partir do mês de
março.
Para 2013/ 2014, haverá inovação
no desenvolvimento das ações, quando o
foco do PDF passa a ser o mercado. As
ações de qualificação estarão voltadas para
a melhoria dos processos de custo e venda.
Ocorrerão também reuniões mensais de
acompanhamento e avaliação com as
âncoras e os empresários fornecedores,
além de melhorias de acesso no site de
indicadores.
PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE
DEMETAL
Tributária
o dia 19 de fevereiro, teve lugar,
Nno Centro das Indústrias, às 17h, a
palestra Assuntos Tributários, que
abordou a unificação da alíquota ICMS nas
mercadorias importadas, que são transfe-
ridas entre os Estados; a contribuição sobre
a receita bruta x contribuição sobre a folha
(revisão), entre outros temas.
A mesma foi proferida pelos
advogados Marciano Buffon e Marina
Furlan, assessores Jurídicos do
SINDIMETAL, na área Tributarista.
Segundo os palestrantes, a proposta de
unificação do Imposto sobre Circulação de
Mercadorias e Serviços (ICMS) entre os
Estados é uma das matérias que compõem
a reforma tributária, por envolver todos os
entes da federação com o intuito de
reduzir a guerra fiscal.
O governo conseguiu recente-
mente cumprir três partes de reforma
tributária: a ampliação do Simples
Nacional, a devolução de crédito de PIS e
Cofins por investimentos em bens de
capital e a desoneração da folha de
salários das empresas de alguns setores.
Na opinião do presidente da
Confederação Nacional da Indústria (CNI),
Robson Braga de Andrade, “o governo
deveria iniciar um programa de desonera-
ção de investimentos, através de medidas
pontuais, mais fáceis de serem aprovadas
no Congresso, e não esperar por uma
reforma tributária”, enfatiza.
Assuntos atuais na pauta
ASSESSORIA EM PLANEJAMENTO
E CONTROLADORIA EMPRESARIAL
AColombo Consultoria Empre-
sarial Ltda. vem atuando, desde
2012, com um trabalho voltado
para a gestão contábil das empresas
associadas ao SINDIMETAL. O mesmo
consiste em transformar os balanços
contábeis das empresas, em dados que
possam ser utilizados como indicadores
de negócio. “Rentabilidade, resultado
financeiro, estoques, entre outras
informações podem ser acompanhadas
mensalmente pelos relatórios resultantes
deste serviço”, afirma Adelino Colombo,
diretor da consultoria.
A Assessoria em Planejamento e
Controladoria e Contabilidade Fiscal visa
prestar um atendimento inicial às
empresas associadas, sem ônus, possibili-
tando melhores ferramentas de gestão.
As atividades compreendem: Con-
tabilidade de Custos (Formação do Preço
de Venda); Contabilidade Gerencial;
Contabilidade Fiscal; Escrita Fiscal; Folha
de Pagamento; Avaliação de Resultados;
Métodos e Processos; Administração de
Materiais e Suprimentos; Racionalização
dos Processos de Fabricação.
Os diretores Adelino Alfredo
Colombo e Samarone Colombo estão à
disposição das associadas às terças-feiras,
das 13h30min às
17h, na sede do
S I N D I M E TA L,
rua José Bonifácio, nº 204, 5º andar,
Centro, em São Leopoldo. Para agenda-
mento, o telefone de contato é (51) 3590-
7702.
A Colombo Consultoria Empre-
sarial Ltda. possui escritório na rua Lucas
de Oliveira, nº 149, sala 104, Centro, em
Novo Hamburgo. Mais informações
poderão ser obtidas pelos telefones (51)
3066-9907, 3066-9908 e 3066-9930.
Adelino Colombo
SAPIRANGA E
SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ
ma iniciativa pioneira, que reúne
Uparceiros em duas cidades da
base territorial do SINDIMETAL,
foi lançada em 2010 e segue aproximando
empresários da entidade. Objetivando
fomentar o desenvolvimento das empre-
sas nas regiões em torno de Sapiranga e
São Sebastião do Caí, através de capacita-
ções, palestras, cursos e encontros
empresariais, o SINDIMETAL uniu
esforços e tem efetivado uma proximidade
com suas empresas filiadas e associadas.
Mensalmente, são realizadas
reuniões com os parceiros nas duas bases,
para avaliar o andamento do trabalho e
prospectar novas iniciativas, com vistas a
atender de forma mais eficaz as respecti-
vas regiões. As bases avançadas do
SINDIMETAL oportunizam o acesso a
cursos e oficinas para as empresas
associadas e filiadas investirem na
qualificação e na gestão.
Em Sapiranga, o Ponto de
Atendimento (PA) conta com a parceria do
SEBRAE, CDL local e, recentemente a CDL
Campo Bom. Está localizado na Av. João
Corrêa, nº 1260 – sala 17 – Centro, junto à
sede da CDL, e vem promovendo também
capacitações em Campo Bom, no Colégio
Sinodal Tiradentes. Os contatos podem
ser realizados através do telefone (51)
3599-1076.
No município de São Sebastião
do Caí, o Ponto localiza-se à Rua
Esperanto, nº 20, bairro Quilombo, e tem
como parceiros o SEBRAE, a ACIS e a CDL
locais. Informações, pelo telefone (51)
3635-1955.
Para conhecer a programação
completa do SINDIMETAL acesse o portal
www.sindimetalrs. org.br .
ATENÇÃO!
As agendas de atividades deste ano, junto
às bases de Sapiranga e São Sebastião do
Caí, estão sendo divulgadas na página
central deste informativo.
programa para microempresas
ONa Medida terá lugar nos pontos
de atendimentos de Sapiranga e
São Sebastião do Caí, numa iniciativa do
SEBRAE com apoio do SINDIMETAL e
demais parceiros.
O projeto Na Medida, idealizado
pelo SEBRAE, consiste numa forma
diferente de aumentar o conhecimento,
preparando a empresa e o empreendedor
para ampliar o seu mercado. Criado para
melhorar a vida das microempresas, o Na
Medida reúne cursos, oficinas, palestras,
consultorias e diálogos planejados de
acordo com as principais necessidades do
empresário.
Foram realizadas pelo SEBRAE
pesquisas nas cinco regiões do País, em
busca de dados; informações junto aos
empresários e colaboradores, com o
objetivo de descobrir quais os maiores
desafios do dia a dia. Com base nestas
informações, foi desenvolvido um projeto
que de forma simples e objetiva, traz
orientações práticas para aperfeiçoar a
gestão do negócio. É possível optar por
quantas soluções forem necessárias e
fazer parte do processo de capacitação
contínua.
NA MEDIDA
PONTO DE ATENDIMENTO
Janeiro
28/01 a 1º/02 - Curso de Cipa
Fevereiro
19 - Palestra Tributário - ICMS
21 - Oficina Administrando o Fluxo de Caixa – PA Sapiranga
26 e 27 - Oficina Negociação: Estratégias para Melhores Resultados - PA São Sebastião do Caí
Março
06 - Apresentação Capacitações Na Medida – PA Sapiranga
11 a 15 - Curso de Cipa
12 a 15 - Exposição Feira Polo Naval – Rio Grande/RS
12 e 13 - Curso NR35
13 e 14 - Curso NR10 Reciclagem
13 e 14 - Missão à Feira Polo Naval – Rio Grande/RS
18, 19, 21 e 22 - Curso Cultilider - Cultura de Liderança - PA Sapiranga
18, 19, 20, 21, 22/03 e 08/04 - Curso Liderança Estratégica - PA São Sebastião do Caí
19 e 20 - Missão à Feira MDA – São Paulo/SP
26 - Oficina Vencendo a Inadimplência – PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
Abril
08, 09, 11, e 12 - Curso Planejamento Estratégico Na Medida – PA Sapiranga
08 a 19 - Curso NR10 Básico
09 e 10 - Oficina Plano de Marketing Na Medida - PA São Sebastião do Caí
15 - Palestra Estabilidades - PA São Sebastião do Caí
16 e 17 - Missão à 5ª Feira de Fornecedores Industriais – Olinda/PE
16 a 19 - Curso Planejamento Estratégico Na Medida – PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
22 a 26 - Curso de Cipa
22, 23, 25, 29/04 e 16/05 - Curso Liderança Estratégica – PA Sapiranga
22 a 30 - Curso PPCP - Planejamento, Programação e Controle de Produção
22 a 26 - Curso Gestão Financeira Na Medida - PA São Sebastião do Caí
Maio
06 a 09 - Curso NR33
06, 07, 09, 13 e 14 - Curso Gestão Financeira Na Medida - PA Sapiranga
08 - Meeting RH
13 a 16 - Curso Ferramentas da Qualidade
13 a 17 - SIPAT Comunitária Feliz
16 - Curso Atualização Profissional IPI/ICMS-RS - PA Sapiranga
20, 21, 22, 23, 27 e 28 - Curso Gestão de Pessoas e Equipe Na Medida – PA São Sebastião do Caí
21, 22, 23, 27 e 28 - Curso Gestão Financeira Na Medida - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
Junho
03 a 14 - Curso Leitura e Interpretação de Desenho Mecânico
05 e 06 - Oficina Negociação: Estratégias para Melhores Resultados - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
05 e 06 - Missão à Feira Feimafe - São Paulo/SP
10 a 14 - SIPAT Comunitária Novo Hamburgo
10, 11, 13, 17 e 18 - Curso Atendimento ao Cliente - PA Sapiranga
17 a 20 - Curso Cultilíder – Cultura da Liderança – PA São Sebastião do Caí
20 e 21 - 10º Encontro de Negócios VS e Metropolitana
24 - Curso Gestão de Passivo Trabalhista - PA Sapiranga
25, 26 e 27/06 e 01 e 02/07 - Curso Atendimento ao Cliente - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
26 - Curso NR10 Reciclagem
26 e 27 - Missão à Feira Manutenção – Blumenau/SC
Julho
04 - Curso Atualização Profissional IPI/ICMS-RS - PA São Sebastião do Caí
08, 09, 11, 15, 16 e 18 - Curso Gestão de Pessoas e Equipes Na Medida - PA Sapiranga
11 e 12 - Missão à SIM 2013 – Belo Horizonte/MG
15 a 18 - Curso Setup
15 a 19 - Curso de Cipa
s empresas associadas e filiadas ao SINDIMETAL
Aterão oportunidade de investir em cursos, oficinas,
feiras e missões, durante o ano de 2013.
A agenda estratégica de atividades, elaborada
pelo SINDIMETAL, visa atender as demandas que estão
pulsando no mercado, contribuindo assim para o
crescimento e fortalecimento das empresas.
Julho (continuação)
15 a 19 - SIPAT Comunitária de Sapiranga
15 a 19 - Curso Criatividade em Gestão – PA São Sebastião do Caí
23, 24, 25, 30 e 31/07 e 01/08 - Curso Gestão de Pessoas e Equipe Na Medida - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
Agosto
05 - Curso Gestão de Passivo Trabalhista - PA São Sebastião do Caí
05 a 16 - Curso NR10 Básico
06 e 07 - Oficina Elaborando um Plano de Negócio - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
12 e 13 - Oficina Elaborando um Plano de Negócio - PA Sapiranga
19 a 23 - Curso de Cipa
19 a 27 - Curso PPCP - Planejamento, Programação e Controle de Produção
19, 20, 22, 26 e 27 - Curso Técnicas de Vendas - PA Sapiranga
22 e 23 - Missão à Feira Minas Parts – Belo Horizonte/MG
23 e 24 - Missão à Semana Rio Industrial – Rio de Janeiro/RJ
Setembro
02 a 06 - SIPAT Comunitária Sapucaia do Sul/Esteio
03, 04, 05, 09 e 10 - Curso Técnicas de Vendas - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
09 a 13 - Exposição Feira Intermach – Joinville/SC
09 a 13 – Curso Gestão e Técnicas da Produção – PA São Sebastião do Caí
11 e 12 - Missão à Feira Intermach – Joinville/SC
16 e 17 - Oficina Plano de Marketing Na Medida - PA Sapiranga
16 a 19 - Curso Ferramentas da Qualidade
24 e 25 - Oficina Plano de Marketing Na Medida - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
26 - 2º Fórum Sul Brasileiro Lean Manufacturing
Outubro
1º a 04 - Exposição à Feira Mercopar – Caxias do Sul/RS
1º, 02, 03, 07 e 08 - Curso Técnicas de Negociação - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
03 - Missão à Feira Mercopar - Caxias do Sul/RS
04 e 05 - Missão à Feira Rio Parts – Rio de Janeiro/RJ
07 a 10 - Curso TPM - Manutenção Preventiva Total - TPM
14 a 25 - Curso Leitura e Interpretação de Desenho Mecânico
15 a 18 - Exposição Feira FENAF – São Paulo/SP
16 e 17 - Missão à Feira FENAF – São Paulo/SP
21 a 25 - SIPAT Comunitária São Leopoldo
21, 22, 24, 28 e 29 - Curso Gestão e Técnicas da Produção - PA Sapiranga
22 - Oficina Análise de Custos, Despesas e Preço de Venda – PA São Sebastião do Caí
Novembro
04 a 12 - Curso Organização de Almoxarifados e Controle de Estoques
05, 06, 07, 11 e 12 - Curso Gestão e Técnicas da Produção - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
18 a 22 - Curso de Cipa
18, 19, 21, 25 e 26 - Curso Técnicas de Negociação - PA Sapiranga
18, 19, 20, 21, 25 e 26 - Curso Gestão de Pessoas e Equipe Na Medida – PA São Sebastião do Caí
Dezembro
02 a 06 – Curso Como Vender Mais e Melhor – PA São Sebastião do Caí
05 - Oficina Análise de Custos, Despesas e Preço de Venda - PA Sapiranga (realização em Campo Bom)
06 - Confraternização dos associados
09 - Confraternização dos comitês
* Programação sujeita à alteração.
As diferentes iniciativas serão realizadas, na sua
maioria, na sede da entidade, localizada na rua José
Bonifácio, nº 204, Centro, em São Leopoldo e nos Pontos
de Atendimento (PA) em Sapiranga, na rua João Corrêa,
nº 1260, sala 17, no Centro, junto à sede da CDL, e em
São Sebastião do Caí, na rua Esperanto, nº 20, bairro
Quilombo, na sede da CDL.
Mais informações poderão ser obtidas através
do e-mail desenvolvimento3@sindimetalrs.org.br ou
pelo telefone (51) 3590-7706.
SINDIMETAL tem sido parceiro
Oe incentivador do Programa
Pelotão Esperança, desde a sua
fundação.
O Pelotão Esperança é uma
iniciativa do 16º Grupo de Artilharia de
Campanha Autopropulsado (16º GAC
AP) de São Leopoldo-RS, tradicional
Unidade do Exército Brasileiro, sendo
desenvolvido desde o ano de 1996, com o
apoio de entidades assistenciais públicas
e privadas.
Entre os principais objetivos
estão contribuir com a formação cívica/
social e com a qualificação profissionali-
zante de meninos, oriundos de famílias
de baixa renda e moradoras de áreas
consideradas de vulnerabilidade social do
município de São Leopoldo. No ano de
2012, 56 alunos participaram das
atividades no Pelotão.
Os alunos são selecionados
pelos Centros de Referência e Assistência
Social (CRAS) do município. Os jovens
precisam ter entre 15 e 17 anos e estarem
matriculados, no mínimo, na 7ª série do
Ensino Fundamental. No 16° GAC AP, os
participantes permanecem no turno da
manhã, onde têm oportunidade de
frequentar os cursos fornecidos pelo
SENAI Lindolfo Collor, na área de Elétrica,
para 25 alunos; SENAC de São Leopoldo,
curso de Auxiliar Administrativo, para 14
alunos e Unisinos, que oportuniza o curso
de Informática, para 26 alunos. Além
disso, recebem instruções de civismo,
disciplina, patriotismo, educação física,
instrução religiosa e palestras educativas
(reciclagem, DST, drogas). O tempo de
permanência máxima no Pelotão é de
dois anos. Para o ano de 2013, as inscri-
ções nos CRAS já foram encerradas.
No dia 21 de fevereiro, ocorreu
uma palestra para os futuros alunos e
seus pais nas dependências do 16° GAC
AP. “Desta forma, os adolescentes
puderam conhecer de perto as atividades
que realizarão no projeto”, registra o
Oficial de Comunicação Social e coorde-
nador do Pelotão Esperança, 1º Tenente
Felipe Fanti.
Nestes 16 anos de Pelotão
Esperança, foram atendidos mais de 750
adolescentes. Segundo o coordenador “o
objetivo final do Programa é a inserção
dos adolescentes no mercado de
trabalho”. No ano de 2012, 27 alunos
foram empregados. “As empresas Stihl,
Rexnord, Metalúrgica Nunes e
Transportes Spolier deram a oportunida-
de do primeiro emprego a estes jovens”,
destaca o Tenente Fanti. O Sindicato das
Indústrias da Construção e do Mobiliário
de São Leopoldo (SINDUSCOM) inseriu
alguns jovens como aprendizes, na Escola
da Construção, junto ao CEP SENAI
Lindolfo Collor, em São Leopoldo.
CONTATO
Empresas interessadas em
contratar alunos do Pelotão Esperança
podem entrar em contato com o
Subtenente Nery, através do e-mail do
Pelotão Esperança: pelesp16@gmail.com
ou pelo do telefone 51 8587-2660.
Alunos do Programa Pelotão Esperança formados em dezembro de 2012
SESI e SENAI
presidente do SINDIMETAL,
Oempresário Raul Heller coorde-
na as reuniões dos presidentes
dos Conselhos Consultivos SESI e SENAI,
a cada dois meses, no Centro das
Indústrias, em São Leopoldo.
Entre os temas em pauta,
atividades voltadas à aplicação conscien-
te e criteriosa dos investimentos, sempre
buscando melhorias nas escolas e centros
de atendimento ao trabalhador, visando
igualmente à qualificação da mão de
obra. Além destes aspectos, tem sido
destacada a importância de atrair
talentos para as indústrias, valorizando a
formação dos alunos e os cursos ofereci-
dos. A partir de um trabalho conjunto
com os demais sindicatos, é possível
elaborar o perfil profissional de acordo
com as necessidades das indústrias.
Este espaço oportuniza troca
de informações, levantamento de
demandas e alinhamento de ações entre
os Conselhos.
A próxima reunião dos presi-
dentes dos Conselhos Consultivos SESI e
SENAI está prevista para o dia 27 de
março.
Confira os encontros previstos
para 2013.
27 de março29 de maio
31 de julho
25 de setembro27 de novembro
P
a
e
ç
l no at rã eo Esp
ojetr oP
PREPARANDO JOVENS PARA O FUTURO
Teve início, no dia 1º de janeiro, sob a
presidência do empresário Herberto
Henrique Fleck Júnior a gestão 2013 –
2015, relativa à diretoria do Sindicato das
Indústrias do Vestuário e do Calçado de
São Leopoldo. A eleição ocorreu, no dia 21
de novembro de 2012, no Centro das
Indústrias.
O SINDIVEST abrange os municípi-
os de São Leopoldo, Esteio, Sapucaia do
Sul e Portão.
A atual diretoria está assim constituí-
da:
DIRETORIA
PRESIDENTE: Herberto Henrique Fleck
Júnior
VICE-PRESIDENTE: José Aury Klein
DIRETORES: Pedro Luis Nunes
Luiz Fernando Lottermann
Carlos Alberto Dewes
CONSELHO FISCAL
TITULARES: João Paulo Scherer
Hermenegildo Ré
Luiz Fernando Dias Câmara
SUPLENTES: Claudir Pelison
Maria Luíza Sperafico Moro
Sandra Regina Rocha
REPRESENTANTES JUNTO À FIERGS
TITULARES: José Aury Klein
Herberto Henrique Fleck Junior
SUPLENTES: Pedro Luis Nunes
Luiz Fernando Lottermann
O
correu, no dia 08 de novembro, a
eleição dos membros da
Diretoria e do Conselho Fiscal do
Sindicato das Indústrias da Construção e
do Mobiliário de São Leopoldo
(SINDUSCOM-SL), para a gestão 2013/
2015. A solenidade de posse ocorrerá no
dia 21 de março.
A diretoria, eleita com chapa
única, iniciou a sua gestão no dia 1º de
janeiro, sob a presidência do engenheiro
Julio Cezar Steffen, contando com os
seguintes integrantes:
DIRETORIA
PRESIDENTE:Julio Cezar Steffen
VICE-PRESIDENTE: Rogério Haisser Corrêa
DIRETOR-SECRETÁRIO: José Antonio
Weissheimer
DIRETOR-TESOUREIRO:Marcelo Daudt
DIRETORES: Cássio Pontalti Drehmer,
Guilherme Henrique Poletto, Jair Sélio
Mantovani, Lúcio Afonso Goettert, Luiz
Renato Cavalieri, Márcia do Amaral,
Rejane Terezinha Manzoni Bravo, Roberto
Luis Potrick, Roque Büttenbender,
Vendelino Neumann
CONSELHOFISCAL
TITULARES: Cyro Carlos Bonetto Silva,
Delcio Luiz Chiamenti, Hugo Scipião
Ferreira Junior
SUPLENTES: Flávio Oliva Pinto, Hener de
Souza Nunes Junior, Luiz Charlez Mentz
REPRESENTANTESJUNTOÀFIERGS
TITULARES: Julio Cezar Steffen e Marcelo
Daudt
SUPLENTES: Hugo Scipião Ferreira Junior e
Rogério Haisser Corrêa
A base territorial do SINDUSCOM-
SL é composta pelos seguintes municípios:
Araricá, Bom Princípio, Campo Bom,
Capela de Santana, Dois Irmãos, Estância
Velha, Esteio, Ivoti, Lindolfo Collor, Morro
Reuter, Nova Hartz, Portão, Presidente
Lucena, Santa Maria do Herval, Sapiranga,
Sapucaia do Sul, São José do Hortêncio,
São Leopoldo, São Sebastião do Caí e São
Vendelino.
DIRETORIANOVA
Presidente Julio Cezar Steffen
InDIVEstInDIVEstsÃo lEoPolDosÃo lEoPolDo
SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO E DO CALÇADO DE SÃO LEOPOLDO
Presidente Herberto H. Fleck Júnior
DIRETORIA
Semana Interna de Prevenção de
AAcidentes no Trabalho ocorrerá
em cinco municípios, que
compõem a base territorial do
SINDIMETAL. As reuniões de alinhamen-
to, para elaboração da programação, já
estão sendo definidas pela comissão
organizadora, que conta com a parceria
do SESI e de empresas interessadas.
A primeira SIPAT Comunitária do
ano será na semana de 13 a 17 de maio, no
município de Feliz. Na sequência, de 10 a
14 de junho, ocorrerá em Novo
Hamburgo; de 15 a 19 de julho, em
Sapiranga; de 02 a 06 de setembro, em
Esteio e Sapucaia do Sul e, a última será
de 21 a 25 de outubro, em São Leopoldo.
Empresas interessadas em
participar, podem obter informações pelo
telefone (51) 3590-7708.
SIPAT COMUNITÁRIA EM CINCO EDIÇÕES
SIPAT2012
SIPA
T
Seguran
ça
Tra
balho
*Marina Furlan
OAB/RS 51.789
UNIFICAÇÃO DA ALÍQUOTA DO ICMS
EM OPERAÇÕES INTERESTADUAIS
COM MERCADORIAS IMPORTADAS
partir de 01 de janeiro de 2013, de acordo com as regras da
AResolução do Senado Federal nº 13, de 25 de abril de 2012, e
como forma de evitar a chamada “guerra fiscal”, foram estabe-
lecidos procedimentos de tributação pelo ICMS a serem observados
pelos Estados, nas saídas interestaduais de mercadorias importadas.
A alíquota aplicável, nestes casos, será de 4% (quatro por
cento). Referida alíquota aplica-se nas operações interestaduais
com bens e mercadorias importados do exterior que, após o desemba-
raço aduaneiro não tenham sido submetidos a processo de industriali-
zação ou que, mesmo que tenham sido submetidos a qualquer pro-
cesso de industrialização (transformação, beneficiamento, monta-
gem, acondicionamento, reacondicionamento, renovação ou recondi-
cionamento), resultem em mercadorias ou bens com conteúdo de
importação superior a 40% (quarenta por cento).
Entretanto, não se aplica a alíquota do ICMS de 4% (quatro
por cento) nas operações interestaduais: (a) com bens e mercadorias
importados do exterior que não tenham similar nacional – definidos em
lista editada pelo Conselho de Ministros da Câmara de Comércio
Exterior – CAMEX (Resolução CAMEX nº 79/2012); (b) com bens e
mercadorias produzidos em conformidade com os processos produti-
vos básicos de que tratam: o Decreto-Lei nº 288/1967, e as Leis nºs
8.248/1991, 8.387/1991, 10.176/2001, e 11.484/2007; e (c) com gás
natural importado do exterior.
O Conteúdo de Importação é o percentual correspondente ao
quociente entre o valor da parcela importada do exterior e o valor total
da operação de saída interestadual da mercadoria ou bem submetido
a processo de industrialização. O referido Conteúdo de Importação
deverá ser recalculado sempre que, após sua última aferição, a mer-
cadoria ou bem objeto de operação interestadual tenha sido submeti-
do a novo processo de industrialização.
Para fins de determinação do Conteúdo de Importação, con-
sidera-se: (a) o valor da parcela importada do exterior, o valor da base
de cálculo do ICMS incidente na importação; (b) valor total da opera-
ção de saída interestadual, o valor total da mercadoria, incluídos os
tributos incidentes na operação própria do remetente.
No caso de operações com bens ou mercadorias importados
que tenham sido submetidos a processo de industrialização, o contri-
buinte industrializador deverá preencher a Ficha de Conteúdo de
Importação - FCI, a partir de 01 de maio de 2013, conforme modelo
constante do Anexo Único do Ajuste em comento, na qual deverá
constar:
a - descrição da mercadoria ou bem resultante do processo
de industrialização;
b - o código de classificação na Nomenclatura Comum do
MERCOSUL- NCM/SH;
c - código do bem ou da mercadoria;
d - o código GTIN (Numeração Global de Item Comercial),
quando o bem ou mercadoria possuir;
e - unidade de medida;
f - valor da parcela importada do exterior;
g - valor total da saída interestadual;
h - conteúdo de importação calculado nos termos definidos
acima.
A Ficha de Conteúdo de Importação – FCI deverá ser preen-
chida e entregue de forma individualizada por bem ou mercadoria
produzidos. O valor unitário, a ser utilizado, será calculado pela média
aritmética ponderada, praticado no último período de apuração.
Será apresentada nova a Ficha de Conteúdo de Importação -
FCI toda vez que houver alteração em percentual superior a 5 % (cin-
co por cento) no Conteúdo de Importação ou que implique alteração
da alíquota interestadual aplicável à operação.
Deverá ser informado em campo próprio da Nota Fiscal Ele-
trônica - NF-e, no caso de bens ou mercadorias importados que
tenham sido submetidos a processo de industrialização no estabeleci-
mento do emitente, o valor da parcela importada do exterior, o número
da Ficha de Conteúdo de Importação - FCI e o Conteúdo de Importa-
ção expresso percentualmente. No caso de bens ou mercadorias
importados que não tenham sido submetidos a processo de industria-
lização no estabelecimento do emitente, deverá ser informado o valor
da importação.
O contribuinte que realize operações interestaduais com
bens e mercadorias importados ou com Conteúdo de Importação
deverá manter sob sua guarda pelo período decadencial os documen-
tos comprobatórios do valor da importação ou, quando for o caso, do
cálculo do Conteúdo de Importação.
Enquanto não forem criados campos próprios na NF-e, deve-
rão ser informados no campo "Informações Adicionais", por mercado-
ria ou bem o valor da parcela importada, o número da Ficha de Conte-
údo de Importação - FCI e o Conteúdo de Importação ou o valor da
importação do correspondente item da NF-e com a expressão: "Reso-
lução do Senado Federal nº 13/12, Valor da Parcela Importada R$
_______, Número da FCI _____, Conteúdo de Importação ___%,
Valor da Importação R$ ____________".
As disposições contidas no ajuste em comento aplicam-se
aos bens e mercadorias importadas, ou que possuam Conteúdo de
Importação, que estejam em estoque em 31 de dezembro de 2012.
Assessora Jurídica do SINDIMETAL I Advogada Tributaris-
ta I Buffon e FurlanAdvogadosAssociados
O fornecimento de alimentação ao
trabalhador, diferentemente do vale-
transporte, não é uma obrigação do emprega-
dor, pois não há lei que estabeleça tal obrigato-
riedade.
ANorma Regulamentadora nº 24 (NR
24), do Ministério do Trabalho e Emprego, que
trata das condições sanitárias e de conforto
nos locais de trabalho, prevê que empresas
com mais de 300 empregados devem dispor
de refeitório e, as empresas com mais de 30 e
até 300 empregados devem garantir condi-
ções suficientes de conforto para a ocasião
das refeições. Ou seja, a NR diz respeito às
obrigações do empregador quanto ao local
destinado à alimentação e não à obrigatorie-
dade em fornecê-la. Caso a empresa opte pelo
fornecimento, deve seguir as exigências esta-
belecidas na referida NR.
O Programa de Alimentação do Tra-
balhador – PAT foi instituído pela Lei nº 6.321,
de 14 de abril de 1976 e regulamentado pelo
Decreto nº 05, de 14 de janeiro de 1991, com o
objetivo melhorar as condições nutricionais e
de qualidade de vida dos trabalhadores, a
redução de acidentes e o aumento da produti-
vidade e é gerido pelo Ministério do Trabalho e
Emprego.
O PAT é destinado a todos os traba-
lhadores das empresas inscritas e tem como
prioridade o atendimento aos trabalhadores
de baixa renda, assim considerados na Lei
aqueles que ganham até 5 (cinco) salário
mínimos mensais. Os trabalhadores com
renda maior podem também ser incluídos no
Programa. Cabe ao empregador a iniciativa da
adesão ao PAT.
As empresas podem optar pelas
seguintes modalidades de serviços de alimen-
tação: a) Autogestão (assume toda a respon-
sabilidade pela elaboração das refeições); b)
terceirização: b.1) refeição transportada; b.2)
convênio (tíquetes para refeição em restau-
rante); e b.3) alimentação convênio (aquisição
de gêneros alimentícios em estabelecimentos
comerciais, cestas básicas).
Aadesão ao PAT poderá ser efetuada
a qualquer tempo e terá validade a partir da
data de registro por tempo indeterminado,
podendo ser cancelada por iniciativa da
empresa beneficiária ou em razão de decisão
do Ministério do Trabalho e Emprego, no caso
de execução inadequada do Programa, con-
forme disciplina contida na Portaria Interminis-
terial nº 05, de 30 de novembro de 1999. Ante-
riormente a esta Portaria, as empresas que
optassem por fornecer o benefício alimenta-
ção do PAT aos seus empregados deveriam
inscrever-se anualmente no Programa, entre
1º de janeiro e 31 de março. Atualmente, para
as empresas cadastradas, basta informar, no
campo 3 do Relatório Anual de Informações
Sociais - RAIS, se participa ou não do PAT.
A Recente Portaria SIT/DSST nº 343,
de 18 de fevereiro de 2013, publicada no Diá-
rio Oficial da União de 20 de fevereiro de 2013,
revogou a Seção I-A da Portaria SIT n° 03, de
1º de março de 2002 (com a redação dada
pela Portaria SIT nº 335, de 12 de setembro de
2012) e restaurou a vigência do caput e pará-
grafos do art. 2º e do art. 11 da Portaria SIT
nº03, de forma que, para inscrever-se no PAT
e usufruir dos benefícios fiscais, a empresa
deverá requerer sua inscrição à Secretaria de
Inspeção do Trabalho (SIT) em impresso
próprio para este fim a ser adquirido nos Cor-
reios ou por meio eletrônico utilizando formulá-
rio constante na página do Ministério do Traba-
lho na internet ( ), sendo que owww.mte.gov.br
formulário e o respectivo comprovante de
postagem ou o comprovante de adesão via
internet deve ser mantido à disposição da
fiscalização, assim como a documentação
relacionada aos gastos com o PAT e aos
incentivos dela decorrentes, de modo a possi-
bilitar seu exame e confronto com os registros
fiscais e contábeis exigidos.
Os dados constantes do seu registro
devem ser atualizados sempre que houver
alteração de informações cadastrais, sem
prejuízo da obrigatoriedade de prestar infor-
mações relativas ao PAT prevista na legisla-
ção trabalhista, tributária ou previdenciária. O
número de trabalhadores atendidos e de refei-
ções servidas deve ser atualizado apenas nos
meses de janeiro e julho de cada exercício,
devendo ser informado o número verificado ao
término dos meses imediatamente preceden-
tes. O comprovante de inscrição deve ser
mantido à disposição dos órgãos de fiscaliza-
ção, permitida a guarda centralizada, com a
concessão do prazo legal para disponibiliza-
ção da documentação para a inspeção.
Observados alguns critérios, a
empresa pode deduzir do Imposto de Renda
devido, com base no lucro real, o valor equiva-
lente à aplicação da alíquota cabível do Impos-
to de Renda sobre a soma das despesas de
custeio realizadas na execução do PAT, dimi-
nuída a participação dos empregados no custo
das refeições, que é limitada a 20% do custo
direto da refeição.
O art. 458, da CLT, dispõe que a ali-
mentação fornecida pelo empregador ao
empregado está compreendida no salário:
“Além do pagamento em dinheiro, compreen-
dem-se no salário, para todos os efeitos lega-
is, a alimentação, habitação, vestuário ou
outras prestações in natura que a empresa,
por força de contrato ou do costume, fornecer
habitualmente ao empregado. Em caso
algum, será permitido o pagamento em bebi-
das alcoólicas ou drogas nocivas.”.
Assim, o fornecimento de alimenta-
ção, pelo empregador, fora do Programa –
PAT – tem natureza salarial e gera reflexos
trabalhistas, da Previdência e do FGTS, em
aplicação do artigo 458 caput, da CLT.
Ressalte-se que no âmbito do PAT, a
parcela paga in natura pela empresa não tem
natureza salarial, não se incorpora à remune-
ração, não constitui base de incidência de
contribuição previdenciária ou do Fundo de
Garantia do Tempo de Serviço ( ) nem seFGTS
configura como rendimento tributável do tra-
balhador (art. 6º do Decreto 05/1991).
Alei dispõe sobre a ajuda alimentação
por parte do empregador e não no custeio
total, ou seja, o fornecimento de alimentação
pela empresa deve ser custeada parte pela
empresa e parte pelo empregado, pois o forne-
cimento de forma gratuita pode caracterizar
parcela de natureza salarial, incidindo assim,
todos os reflexos trabalhistas sobre o valor
pago.
Da mesma forma, poderá ser caracte-
rizada a natureza salarial o valor custeado
pelo empregador, independentemente de ser
parcial ou não, quando este conceder o bene-
fício aos empregados, sem ter aderido ao PAT.
Neste sentido, o Tribunal Superior do
Trabalho, ao editar a Súmula nº 241, uniformi-
zou o entendimento da seguinte forma: Salá-
rio-utilidade. Alimentação. O vale para refei-
ção, fornecido por força do contrato de traba-
lho, tem caráter salarial, integrando a remune-
ração do empregado, para todos os efeitos
legais”.
Por outro lado, através da Orientação
Jurisprudencial SDI-1 nº 133, o TST assim se
posicionou:Aajuda-alimentação fornecida por
empresa participante do programa de alimen-
tação ao trabalhador, instituído pela Lei nº
6.321/1976, não tem caráter salarial. Portanto,
não integra o salário para nenhum efeito
legal.”.
Assim como em vários outros aspec-
tos trabalhistas, a questão da alimentação
vem sendo regulada por acordo individual ou
normas coletivas, tal como previsto nas cláu-
sulas sobre Descontos Autorizados, constan-
tes nas Convenções Coletivas de Trabalho
firmadas pelo Sindimetal: “As empresas
somente poderão efetuar descontos nos salá-
rios de seus empregados quando expressa-
mente autorizados e quando se referirem a
empréstimos bancários na forma da Lei nº
10.820, de 17.12.2003, associações, funda-
ções, cooperativas, clubes, seguros, previ-
dência privada, transporte, refeições, compras
no próprio estabelecimento, inclusive de ferra-
mentas e utensílios de trabalho não devolvi-
dos e convênios com médicos, dentistas,
clínicas, ópticas, funerárias, farmácias, hospi-
tais, casas de saúde, laboratórios, lojas e
supermercados, bem como pelo fornecimento
de ranchos e compras intermediadas pelo
SESI.”
*Gisele de Morais Garcez
OAB/RS 68.534
PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO
DO TRABALHADOR – PAT
Entre as Campeãs da Inovação
Altero Design Indústria e Comércio
ALtda, com parque industrial locali-
zado em Sapiranga, ficou classifi-
cada em quarta posição, entre as 20
empresas mais inovadoras da Região Sul.
A cerimônia de premiação do
projeto Campeãs da Inovação ocorreu no
dia 29 de janeiro, em Porto Alegre. Em
destaque, os representantes das 50 com-
panhias mais inovadoras da região Sul,
eleitas a partir da pesquisa realizada pela
Revista AMANHÃ, em parceria com a
consultoria especializada Edusys e com o
apoio técnico da Fundação Dom Cabral.
Com 33 anos de fundação, é a
primeira empresa de seu segmento na
América Latina a utilizar a tecnologia PVD,
que garante acabamentos mais resistentes
e duráveis, com processos que não agri-
dem a natureza e permitem grande versa-
tilidade na escolha de cores.
A Altero possui mais de 30 mil m²
de área fabril e contabiliza aproximada-
mente 800 colaboradores. Com uma equi-
pe de representantes comerciais nos prin-
cipais mercados brasileiros, continua
expandindo sua atuação, contando com
uma rede de 15 lojas próprias e revendas
especializadas em todo o País.
É a quinta vez consecutiva, que a
Altero, associada do SINDIMETAL, recebe
o Prêmio da Inovação. Parabéns à direção
e aos colaboradores pelo merecido reco-
nhecimento.
Altero: abrindo portas no mercado
Fontes: Revista Amanhã e Altero
A inscrição da empresa no PAT é
duplamente vantajosa, pois, ao fornecer ali-
mentação no âmbito do programa, cria-se o
benefício para o empregado sem o risco de
caracterização de parcela de natureza salarial
e, em sendo tributada pelo sistema de lucro
real, a empresa pode beneficiar-se com incen-
tivo fiscal (dedução de até 4% do imposto de
renda devido). De qualquer modo, mesmo que
a empresa não possa usufruir do incentivo
fiscal (por ser tributada pelo lucro presumido
ou por não apresentar lucro no período), já
aufere vantagem ao beneficiar seu emprega-
do sem criar riscos.
Por fim, ressaltamos a forma como os
tribunais têm decidido a matéria:
AUXÍLIO–ALIMENTAÇÃO. INTEGRAÇÃO:
No art. 458, caput, da CLT consta disposição
expressa de que o benefício atinente ao vale-
refeição possui natureza salarial. A exclusão
dessa natureza somente se caracteriza nas
hipóteses de concessão do benefício por
empresa participante do Programa de Alimen-
tação do Trabalhador ou de previsão em
norma coletiva. Ocorre que na decisão regio-
nal não foi reconhecida nenhuma das hipóte-
ses referidas. Portanto, a determinação da
Corte regional de exclusão da condenação da
integração do auxílio-alimentação constitui
afronta ao disposto no art. 458 da CLT. Res-
salte-se, ainda, que a jurisprudência do TST já
se firmou no sentido de que o procedimento
utilizado pelo Hospital das Clínicas da Facul-
dade de Medicina de Ribeirão Preto da Univer-
sidade de São Paulo constitui mero expedien-
te para desvirtuar a natureza jurídica da parce-
la. Precedentes. Recurso de revista conheci-
do e provido. Recurso de revista conhecido e
provido. (TST RR 2065/2007-066-15-00.4
Rel. Min. Luiz Philippe Vieira de Mello Filho,
DJe 23.09.2011, p. 697).
A J U D A A L I M E N T A Ç Ã O .
I N S C R I Ç Ã O n o P A T . N Ã O
COMPROVAÇÃO: Não comprovada a filia-
ção empresarial ao programa de alimentação
do trabalhador, faz jus o autor à integração
salarial dos tíquetes fornecidos para alimenta-
ção, com fundamento na regra geral fixada no
art. 458 da clt e na súmula nº 241 do c. tst. Ora,
o simples desconto realizado pela emprega-
dora, mensalmente, não tem o condão de
afastar a natureza salarial da verba em análi-
se, paga de forma habitual, caso contrário,
bastaria para as empresas, a fim de burlar o
artigo 458 da clt, lançar qualquer quantia no
salário do empregado, sob essa rubrica e,
assim, desonerar-se das conseqüências lega-
i s . ( T R T 0 6 ª R . – R O 0 0 0 0 4 0 8 -
83.2010.5.06.0022. 2ª T. Relª Juíza Maria das
Graças de Arruda França, DJe 01.03.2011, p.
25).
I N S S . C O N T R I B U I Ç Ã O
PREVIDENCIÁRIA. CESTA BÁSICA E
T I C K E T R E F E I Ç Ã O . N Ã O
COMPROVAÇÃO da FILIAÇÃO ao PAT.
INEXISTÊNCIA DE NORMA COLETIVA.
NATUREZA SALARIAL: Consignado, no
acórdão regional, que a reclamada não
demonstrou estar filiada ao PAT, bem como
alegou que são inaplicáveis ao autor as nor-
mas coletivas que dispunham acerca da natu-
reza indenizatória da cesta básica e do ticket
refeição, resta inafastável se torna o caráter
salarial das referidas verbas, na forma do
artigo 458 da CLT. Assim, correta a decisão
por meio da qual foi determinada a incidência
da contribuição previdenciária. Recurso de
revista não conhecido neste tema. (TST RR
525/2007-052-15-00.7, Rel. Min. José Rober-
to Freire Pimenta, DJe 09.09.2011, p. 736).
A U X Í L I O - A L I M E N T A Ç Ã O .
E M P R E G A D A A D M I T I D A
ANTERIORMENTE À NORMA COLETIVAE
À A D E S Ã O A O P A T. N A T U R E Z A
SALARIAL: O fornecimento de auxílio-
alimentação, como regra geral insculpida no
art. 458 da CLT e na Súmula nº 241 desta
Corte, tem natureza salarial. Assim, a conces-
são do auxílio-alimentação anteriormente às
normas coletivas que previam a natureza
indenizatória dessa benesse, bem como a
posterior adesão da reclamada ao PAT, não
retiram o caráter salarial dessa parcela. Inci-
dência da Súmula nº 51, I, do TST. Recurso de
revista conhecido e provido. (TST ARR
52300-51.2008.5.15.0151. Relª Minª Dora
Maria da Costa, DJe 09.09.2011, p. 1728).
A U X Í L I O A L I M E N T A Ç Ã O .
INSCRIÇÃO no PAT. ÔNUS da EMPRESA:
É ônus da empresa fazer prova do fato impedi-
tivo do direito do autor, in casu, de sua inscri-
ção no Programa deAlimentação do Trabalha-
dor, uma vez que apenas a participação da
empresa no aludido programa tem o condão
de afastar a natureza salarial da parcela, pois
assim interpreta-se o conteúdo do artigo 3º da
Lei 6.321/76. Não comprovada essa circuns-
tância, é plenamente aplicável a diretriz conti-
da na Súmula 241 do C. TST, tendo em vista o
que dispõe o artigo 458 da CLT. (TRT 06ª R.
Proc. 0000777-89.2010.5.06.0018. 2ª T. Relª
Desª Maria Helena Guedes S. de P. Maciel,
DJe 30.08.2011, p. 114).
T Í Q U E T E - A L I M E N T A Ç Ã O .
PARTICIPAÇÃO do EMPREGADO no
C U S T E I O . D E S C O N T O M E N S A L .
S A L Á R I O I N N A T U R A . N Ã O
CARACTERIZADO: A gratuidade é requisito
indispensável à caracterização do salário in
natura (artigo 458 da CLT), pelo que, se há
participação do empregado no custeio do
tíquete-alimentação fornecido pelo emprega-
dor, mediante desconto em folha de pagamen-
to, não há falar em natureza salarial do benefí-
cio. Recurso provido. (TRT 24ª R. – RO 318-
31.2010.5.24.0004 – Rel. Des. André Luís
Moraes de Oliveira – DJe 22.06.2011 – p. 36).
Assessora Jurídica do SINDIMETAL IAdvo-
gada Trabalhista I Garcez Advogados
Associados
O
futuro já chegou para a Sebras
Portas Rápidas, que desde maio
de 2012, ocupa 2.200m² de área
construída no Distrito Málaga, em São
Leopoldo. Com a mudança, a empresa
aumentou em 25% o número de colabora-
dores, que passou para 42 funcionários.
Segundo o sócio-diretor da Sebras,
Valdir Huning, a nova fábrica é a realização
de um projeto de longa data, fruto de uma
jornada bastante trabalhosa. “Queremos
proporcionar boas condições de trabalho e
melhor qualidade de vida para todas as
pessoas que integram a empresa”, comenta
Valdir. “O nosso desejo é de que o investi-
mento sirva como impulsionador, para que
o trabalho seja realizado prazerosamente e
com qualidade, proporcionando também o
crescimento pessoal e profissional. Conto
com a colaboração de todos, que tem
mérito neste processo, para darmos
continuidade a este projeto”, justifica o
empresário.
“O novo espaço físico produtivo foi
imprescindível, pois estamos fabricando as
Portas MaxiDoor, nosso último lançamento.
São portas gigantes para grandes vãos”,
destaca Lurdes Regina da Silva, gerente
Comercial da Sebras. “Estamos iniciando a
produção, para um cliente do Rio de
Janeiro, de 16 Maxi Door, que variam de 17m
a 35m de largura x 16,50m de altura. No
início de fevereiro, concluímos a entrega de
24 Maxi Door, de 13m L x 12m A. Ou seja, se
estivéssemos no antigo prédio, localizado
na BR 116, ficaria inviável”, afirma Lurdes.
A mudança superou as expectativas
dos profissionais de todos os setores, que
agora estão mais motivados para desem-
penhar as atividades. O prédio atual possui
bastante iluminação natural. A empresa
disponibiliza ônibus para o deslocamento
dos funcionários e, diariamente, ao
chegarem à empresa é servido um café da
manhã, sem custo para os funcionários. A
Sebras também dispõe de refeitório e o
almoço é preparado no próprio local.
A equipe está orgulhosa de trabalhar
naSebras.Confiraalgunsdepoimentos:
“Sinto-me honrado em fazer parte
do quadro de profissionais da Sebras, pela
inovação constante dos processos. Com
nossa nova rotina do café da manhã, antes
do início do expediente, conseguimos
diminuir a quebra das atividades, aumen-
tando a produtividade”. Giovane Haubert,
TÉCNICOPCP
“Com certeza contribuiu para que
todos tenham condições de desempenhar
o seu trabalho com qualidade e satisfação.
O crescimento da empresa proporciona o
crescimento, pessoal e profissional
contínuo dos colaboradores. Melhoramos
a organização do setor comercial, inclusive
teremos maiores condições de prospecção
e vendas”. Vanessa Krause Pires,
COORDENADORADEVENDAS
“Agora temos maior espaço para
melhor organização e logística; autonomia
de trabalho; foco nos resultados e maior
qualidade de vida. Estou muito feliz com
esta mudança”. WagnerMaciel,MONTADOR
“Orgulho-me da proporção de
crescimento que a Sebras está alcançando.
Acredito que é resultado de muito trabalho
e dedicação de todos e que vai melhorar
consideravelmente com estas novas
condições de trabalho. Estou muito feliz e
motivado”. Paulo César Dutra Teixeira,
MONTADOR
“Houve uma melhora considerável
na qualidade de execução dos processos,
com mais espaço para o desenvolvimento
do trabalho, maiores condições e mais
oportunidades de organização e de
execução do programa 5 S's, que antes era
inviável em razão do espaço físico reduzi-
do. Com a nova fábrica, surgirão novas
ideias e uma nova filosofia, com maior
comunicação interna”. Luís Gustavo von
Hohendorff, ENGENHEIROMECÂNICO
Fonte:Sebras
Ampliação
Sebras nas novas instalações
ALamaço Artefatos de Aço Ltda. iniciou
2013 já em sua nova sede, no
Distrito Málaga, em São Leopoldo.
“Uma mudança significativa, pois passa-
mos de uma sede com 400m2 para
1000m2, numa área total de 3050m²”,
comemora Pedro Paulo Lamberty, sócio-
gerente da empresa.
“A transferência para o Málaga foi
um marco”, afirma, “pois tivemos que
concentrar todas as nossas energias, em
2012, para fabricar o pavilhão e atender os
nossos clientes”, relembra Lamberty. “Mas
valeu, mesmo não estando totalmente
pronto; estamos num espaço nosso, com
mais qualidade para desenvolver o
trabalho e oferecendo mais conforto para
nossos funcionários, clientes e fornecedo-
res”, avalia.
A Lamaço conta hoje com uma
equipe treinada e qualificada para atender
os clientes na área de corte dobra de
guilhotina e dobradeira CNC, oxicorte e
caldeiraria em geral. Com a transferência
para a nova sede, foram admitidos três
funcionários e, segundo o empresário,
“temos uma demanda de mais dois para
suprir a nossa necessidade”.
Em termos de faturamento, está
previsto, neste primeiro ano, um aumento
de até 40% em função do atual porte físico
da Lamaço. “Em 2012, estávamos no nosso
limite de espaço, dificultando e muito a
realização do trabalho”, destaca Lambery,
que enfatiza também o apoio do
SINDIMETAL e do SEBRAE, pela conquista
desta nova fase.
“Hoje já começo a perceber a
necessidade de uma certificação”, aponta
o empresário entusiasmado com o
momento vivido pela Lamaço. “No
Málaga, juntamente com as demais
empresas, vamos poder realizar metas em
conjunto, buscando sempre a economia e
a satisfação dos nossos colaboradores”,
projeta Lamberty.
Fonte:Lamaço
Na nova sede
Lamaço no Distrito Málaga
Aminha bandeira é a melhoria da
gestão e inovação” afirma a
diretora executiva da Metalúrgica
Daniel, Débora Oppitz Giacomet, que
possui no seu DNA o empreendedorismo.
“Um novo produto, processo ou serviço
para a Daniel é inovação”, salienta a
empresária que herdou da família também
o espírito visionário. Sua trajetória junto a
Daniel começou na área Comercial, em
1989. Atuando em vendas, visitou
os clientes para conhecer e
compreender o mercado. “Isto
tem sido fundamental para
administrar a empresa”, avalia a
diretora.
A Metalúrgica Daniel
Ltda., fundada por Almiro Oppitz
e Élio Antônio Giacomet, iniciou
as suas atividades em 10 de
janeiro de 1968, em Novo
Hamburgo. O avô Almiro,
competente matrizeiro, atuou na
serra gaúcha e posteriormente
fundou a Daniel com seu genro
Elio Antônio Giacomet que
seguem sendo motivo de orgulho
para a família. A origem do nome
da empresa foi uma homenagem
dos fundadores ao seu primeiro neto e
filho, Daniel.
A modesta metalúrgica, com
apenas dois colaboradores, produzia
somente fivelas estampadas em aço para
calçados, nos seus restritos 50m² de área
construída. Com o tempo, cresceu e
incorporou a seus processos produtivos as
linhas de injeção de zamac, em 1984, e
injeção de plásticos, em 1988. Tornou-se
uma empresa sólida, com investimentos
constantes em tecnologia e pessoal, além
de trabalhar no desenvolvimento de
diversos produtos para as indústrias do
calçado e de confecção. A partir desta
evolução, passou a ser considerada uma
das mais importantes fornecedoras de
componentes. “Em 1997, a Daniel inseriu-se
no segmento de peças técnicas, uma
estratégia de diversificação para minimizar
os efeitos sazonais da moda, relata Débora.
Atualmente, mantem em seu portfólio mais
de 70 mil itens, que atendem a uma rede de
clientes que segue num crescente. A
sustentabilidade é um compromisso
explícito nos valores da empresa, que
promove ações relacionadas a área social e
ambiental com foco na sensibilização e
redução dos impactos no meio ambiente.
Inovação permanente
“O sucesso é explicado pelo
profissionalismo e excelência na gestão”,
define a empresária. O divisor de águas foi
em 1994, quando ocorreu a implantação do
programa da qualidade. Em 1997, a
empresa aderiu ao Programa Gaúcho de
Qualidade e Produtividade e, em 2009,
conquistou o Prêmio Qualidade RS - Troféu
Prata. Desde 2000, mantém a certificação
ISO 9001. “Através do Sistema de Gestão
Daniel - SGD a empresa integra os
requisitos da ISO e as práticas de excelência
do PGQP”, registra a diretora.
Consolidada hoje como uma das
principais fornecedoras de componentes
metálicos e plásticos da América Latina, a
Daniel fornece soluções diferenciadas em
metais e plásticos. “A relação com o
mercado de Peças Técnicas foi fundamental
para acelerar investimentos em tecnologia
e gestão”. Ouvir clientes e colaboradores é
importantíssimo para definir diretrizes, mas
“não basta ter um planejamento, é preciso
ser efetivo na execução. No dia a dia
recebemos muitos sinais e devemos estar
sempre atentos”, argumenta.
A melhoria da gestão na Daniel é
permanente. “Esta responsabilidade deve
ser, acima de tudo, da liderança,
que deve conhecer a empresa de
fato. Além disto, o empresário
precisa ter disciplina e organiza-
ção, competências essenciais
para um bom líder. É comum ver
empresas familiares viverem em
verdadeiros ambientes informais.
A formalização é necessária para
o desenvolvimento da empresa, e
precisa ser tão dinâmica e rápida
quanto o mercado”, avalia.
A receita de sucesso “é
manter o foco na melhoria do
modelo de gestão da Daniel”.
Também pontua o conhecimento
como um ingrediente importante
na receita. "Ter a certeza de que
não sabemos tudo”.
Os próximos passos são aumen-
tar o ritmo, trabalhar num movimento
acelerado, visando a sustentabilidade e a
competitividade, e perseguir novas
conquistas. “Pessoas felizes e motivadas
são fundamentais para um bom ambiente e
desempenho no trabalho”. E sugere: “nunca
percam a oportunidade de atuar numa
entidade. Tão importante quanto o
conhecimento acadêmico é a experiência
sindical. Impulsionei o meu desenvolvi-
mento a partir desta relação estreita com as
entidades, que atuam e trabalham pelo
coletivo”.
Parabéns pela história de
sucesso! Vida longa para a Metalúrgica
Daniel, que orgulhosamente integra a rede
de associadas do SINDIMETAL!
45“
Diversidade de produtos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 66
Espaço SINDIMETAL 66Espaço SINDIMETAL 66
Espaço SINDIMETAL 66SINDIMETAL RS
 
Artigo - Profissões e Profissionais do Futuro
Artigo - Profissões e Profissionais do FuturoArtigo - Profissões e Profissionais do Futuro
Artigo - Profissões e Profissionais do FuturoCaput Consultoria
 
Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81 Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81 SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49SINDIMETAL RS
 
Espaco SINDIMETAL 18
Espaco SINDIMETAL 18Espaco SINDIMETAL 18
Espaco SINDIMETAL 18SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55SINDIMETAL RS
 
Discurso Armando Monteiro no Ministério do Desenvolvimento
Discurso Armando Monteiro no Ministério do DesenvolvimentoDiscurso Armando Monteiro no Ministério do Desenvolvimento
Discurso Armando Monteiro no Ministério do DesenvolvimentoPaulo Veras
 
Relatorio Administração 2011
Relatorio Administração 2011Relatorio Administração 2011
Relatorio Administração 2011ForjasTaurus
 
SINASEFE - Direção Nacional - Boletim 493º -
SINASEFE - Direção Nacional - Boletim 493º - SINASEFE - Direção Nacional - Boletim 493º -
SINASEFE - Direção Nacional - Boletim 493º - Fagner Lourenço
 
Espaço SINDIMETAL 40
Espaço SINDIMETAL 40Espaço SINDIMETAL 40
Espaço SINDIMETAL 40SINDIMETAL RS
 
A importancia do Contador nas micro e peuenas empresas no municipio de praia ...
A importancia do Contador nas micro e peuenas empresas no municipio de praia ...A importancia do Contador nas micro e peuenas empresas no municipio de praia ...
A importancia do Contador nas micro e peuenas empresas no municipio de praia ...karenwolas
 

Mais procurados (20)

Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82
 
Espaço SINDIMETAL 66
Espaço SINDIMETAL 66Espaço SINDIMETAL 66
Espaço SINDIMETAL 66
 
Artigo - Profissões e Profissionais do Futuro
Artigo - Profissões e Profissionais do FuturoArtigo - Profissões e Profissionais do Futuro
Artigo - Profissões e Profissionais do Futuro
 
Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81 Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81
 
Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68
 
Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49Espaço SINDIMETAL 49
Espaço SINDIMETAL 49
 
Espaco SINDIMETAL 18
Espaco SINDIMETAL 18Espaco SINDIMETAL 18
Espaco SINDIMETAL 18
 
Carta da Indústria - 2009
Carta da Indústria - 2009Carta da Indústria - 2009
Carta da Indústria - 2009
 
Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55
 
Discurso Armando Monteiro no Ministério do Desenvolvimento
Discurso Armando Monteiro no Ministério do DesenvolvimentoDiscurso Armando Monteiro no Ministério do Desenvolvimento
Discurso Armando Monteiro no Ministério do Desenvolvimento
 
Doc 660
Doc 660Doc 660
Doc 660
 
Relatorio Administração 2011
Relatorio Administração 2011Relatorio Administração 2011
Relatorio Administração 2011
 
Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1
Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1
Pequenos Negócios - Desafios e Perspectivas Vol 1
 
04827a
04827a04827a
04827a
 
SINASEFE - Direção Nacional - Boletim 493º -
SINASEFE - Direção Nacional - Boletim 493º - SINASEFE - Direção Nacional - Boletim 493º -
SINASEFE - Direção Nacional - Boletim 493º -
 
Novidades Legislativas Nº38 | 18/06/2013
Novidades Legislativas Nº38 | 18/06/2013Novidades Legislativas Nº38 | 18/06/2013
Novidades Legislativas Nº38 | 18/06/2013
 
Espaço SINDIMETAL 40
Espaço SINDIMETAL 40Espaço SINDIMETAL 40
Espaço SINDIMETAL 40
 
Roberta
RobertaRoberta
Roberta
 
Coord sistemica de condições e relações de trabalho
Coord sistemica de condições e relações de trabalhoCoord sistemica de condições e relações de trabalho
Coord sistemica de condições e relações de trabalho
 
A importancia do Contador nas micro e peuenas empresas no municipio de praia ...
A importancia do Contador nas micro e peuenas empresas no municipio de praia ...A importancia do Contador nas micro e peuenas empresas no municipio de praia ...
A importancia do Contador nas micro e peuenas empresas no municipio de praia ...
 

Semelhante a Espaço SINDIMETAL 38

Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 65
Espaço SINDIMETAL 65Espaço SINDIMETAL 65
Espaço SINDIMETAL 65SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 69
Espaço SINDIMETAL 69Espaço SINDIMETAL 69
Espaço SINDIMETAL 69SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 72
Espaço SINDIMETAL 72Espaço SINDIMETAL 72
Espaço SINDIMETAL 72SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 16
Espaço SINDIMETAL 16Espaço SINDIMETAL 16
Espaço SINDIMETAL 16SINDIMETAL RS
 
Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60SINDIMETAL RS
 
Conselhos Fecomercio Julho 2014
Conselhos Fecomercio Julho 2014Conselhos Fecomercio Julho 2014
Conselhos Fecomercio Julho 2014Plugged Research
 
Brasil chegar, ver e vencer ! rh magazine portugal junho 2014
Brasil   chegar, ver e vencer ! rh magazine portugal junho 2014Brasil   chegar, ver e vencer ! rh magazine portugal junho 2014
Brasil chegar, ver e vencer ! rh magazine portugal junho 2014Pcanoa
 
Mapa Estratégico do Comércio RIO DE JANEIRO 2014/2020
Mapa Estratégico do Comércio RIO DE JANEIRO 2014/2020Mapa Estratégico do Comércio RIO DE JANEIRO 2014/2020
Mapa Estratégico do Comércio RIO DE JANEIRO 2014/2020Luiz Paulo dos Santos
 
Espaço SINDIMETAL 58
Espaço SINDIMETAL 58Espaço SINDIMETAL 58
Espaço SINDIMETAL 58SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 43
Espaço SINDIMETAL 43Espaço SINDIMETAL 43
Espaço SINDIMETAL 43SINDIMETAL RS
 

Semelhante a Espaço SINDIMETAL 38 (20)

Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71
 
Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76
 
Espaço SINDIMETAL 65
Espaço SINDIMETAL 65Espaço SINDIMETAL 65
Espaço SINDIMETAL 65
 
Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74
 
Espaço SINDIMETAL 69
Espaço SINDIMETAL 69Espaço SINDIMETAL 69
Espaço SINDIMETAL 69
 
Espaço SINDIMETAL 72
Espaço SINDIMETAL 72Espaço SINDIMETAL 72
Espaço SINDIMETAL 72
 
Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67
 
Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46
 
Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77
 
Espaço SINDIMETAL 16
Espaço SINDIMETAL 16Espaço SINDIMETAL 16
Espaço SINDIMETAL 16
 
Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75
 
Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60
 
Conselhos Fecomercio Julho 2014
Conselhos Fecomercio Julho 2014Conselhos Fecomercio Julho 2014
Conselhos Fecomercio Julho 2014
 
Brasil chegar, ver e vencer ! rh magazine portugal junho 2014
Brasil   chegar, ver e vencer ! rh magazine portugal junho 2014Brasil   chegar, ver e vencer ! rh magazine portugal junho 2014
Brasil chegar, ver e vencer ! rh magazine portugal junho 2014
 
Mapa Estratégico do Comércio RIO DE JANEIRO 2014/2020
Mapa Estratégico do Comércio RIO DE JANEIRO 2014/2020Mapa Estratégico do Comércio RIO DE JANEIRO 2014/2020
Mapa Estratégico do Comércio RIO DE JANEIRO 2014/2020
 
Espaço SINDIMETAL 58
Espaço SINDIMETAL 58Espaço SINDIMETAL 58
Espaço SINDIMETAL 58
 
Espaço SINDIMETAL 43
Espaço SINDIMETAL 43Espaço SINDIMETAL 43
Espaço SINDIMETAL 43
 
Claudionor junior v2
Claudionor junior v2Claudionor junior v2
Claudionor junior v2
 
1º Relatório Anual de Sustentabilidade | Divulgação 09/06/2014
1º Relatório Anual de Sustentabilidade | Divulgação 09/06/20141º Relatório Anual de Sustentabilidade | Divulgação 09/06/2014
1º Relatório Anual de Sustentabilidade | Divulgação 09/06/2014
 
Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas - AVANÇOS 2011–2014
Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas -  AVANÇOS 2011–2014Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas -  AVANÇOS 2011–2014
Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas - AVANÇOS 2011–2014
 

Mais de SINDIMETAL RS

Espaço SINDIMETAL 78
Espaço SINDIMETAL 78 Espaço SINDIMETAL 78
Espaço SINDIMETAL 78 SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 54
Espaço SINDIMETAL 54Espaço SINDIMETAL 54
Espaço SINDIMETAL 54SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 53
Espaço SINDIMETAL 53Espaço SINDIMETAL 53
Espaço SINDIMETAL 53SINDIMETAL RS
 

Mais de SINDIMETAL RS (11)

Espaço SINDIMETAL 78
Espaço SINDIMETAL 78 Espaço SINDIMETAL 78
Espaço SINDIMETAL 78
 
Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73
 
Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70
 
Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63
 
Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62
 
Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61
 
Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59
 
Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57
 
Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56
 
Espaço SINDIMETAL 54
Espaço SINDIMETAL 54Espaço SINDIMETAL 54
Espaço SINDIMETAL 54
 
Espaço SINDIMETAL 53
Espaço SINDIMETAL 53Espaço SINDIMETAL 53
Espaço SINDIMETAL 53
 

Espaço SINDIMETAL 38

  • 1. DANIEL na VITRINE Associadas no Mercado Comitê MetalValley Encontro de Negócios www.sindimetalrs.org.br Ano 7 - Nº 38 | Janeiro / Fevereiro - 2013 EspaçoEspaço Ano internacional da água
  • 2. lá vamos nós, administrando Eo tempo e os empreendimen- tos, apostando que 2013, de fato, poderá nos brindar com novida- des positivas para a economia do País. O otimismo decorrente do somatório de anúncios recentes do governo federal, como a desoneração da folha de pagamento para alguns segmentos, queda nos juros, redução do custo da energia elétrica e medi- das na área de infraestrutura, talvez contribuam para a implementação de investimentos, mas não serão sufici- entes. Ainda temos as temidas oscila- ções do dólar e a qualificação de mão de obra, que se não impedem a rea- ção da indústria traz de volta o “efeito gangorra”. Ora em cima, ora lá em baixo, gerando instabilidade e incer- tezas para quem produz e mantém a economia deste País girando. A FIERGS prevê crescimento de 3,3% para a economia brasileira em 2013. Os principais fatores devem ser os investimentos do governo, parcerias públicas - privadas e esto- ques da indústria finalmente ajusta- dos. Entre as associadas do SINDIMETAL temos exemplos que comprovam a tenacidade dos empre- sários. É uma força que motiva e impulsiona, mesmo na adversidade. Ser empresário num País com infraestrutura sucateada e atrasada, com uma tributação tão elevada exige garra e este querer chegar lá! Nós, no SINDIMETAL, esta- mos sempre atentos às oscilações do mercado. Como pensamos no coleti- vo e vislumbramos o futuro, temos como “norte” o planejamento estraté- gico, que não nos deixa acomodar, muito pelo contrário, nos tira da zona de conforto, colocando metas e desa- fios. Quando a economia não está a todo vapor, “como formigas que traba- lham no verão para ter comida no inver- no”, vamos encontrando estratégias de sobrevivência. A “gangorra” que estava no chão pode subir a qualquer momen- to, por esta razão precisamos estar preparados. Uma agenda de atividades está sendo divulgada neste informati- vo justamente para, quem sabe, servir de bússola. Em que direção encontrar parceiros; onde buscar novos clientes; como qualificar a equipe são apenas alguns questionamentos que perpas- sam pela nossa cabeça, que anda sempre voltada para o sucesso do negócio. Aqui no SINDIMETAL, não temos respostas para todas as dúvi- das e angústias, mas somos parceiros nesta caminhada e confiamos que as oportunidades oferecidas podem se transformar em grandes possibilida- des. Na prática, desejamos que as opções possam ser um “norte” para quem está procurando alternativas para seguir na estrada e quem sabe um “divisor de águas” para os empre- sários que vivem um novo tempo em suas gestões. O importante é cami- nhar. A diretoria eleita recentemen- te, para o triênio 2013-2015, já esteve reunida e demonstrou muita disposi- ção em “dar vida” a programação prevista para os próximos meses. Estamos juntos e acreditando no associativismo. Inclusive, pensando neste alinhamento de boas intenções, a partir desta edição, este espaço, tradicionalmente assinado pelo presi- dente do SINDIMETAL, passará a contar, alternadamente, com a opi- nião dos vice-presidentes e diretores da entidade. Desejamos, com esta iniciativa, ampliar a participação e valorizar as nossas lideranças. A colu- na deixará de ser a Palavra do Presi- dente e passa já nesta primeira edição do ano a ser identificada como Ponto de Vista. O ano está começando. Vamos então semear boas iniciativas e estruturar a jornada que, se depender de todos nós, terá um final feliz. Que bons ventos soprem para todos em 2013!
  • 3. ESPAÇO SINDIMETAL nº 38 chega, O nesta primeira edição do ano, dando as boas-vindas aos leitores. Desejamos que 2013 seja pleno de sucesso e traga “bons ventos” para a economia e o desenvolvimento das empresas, conforme também almeja o presidente Raul Heller, na página 02. Na página 04, apresentamos toda a infraestrutura da entidade, que está disponível aos associados e merece ser conferida de perto. Já na página 05, damos início à série que irá apresentar os coordenadores dos comitês, através da coluna Na visão do coordenador. Inaugurando o espaço, o empresário Darlan Geremia, diretor do SINDIMETAL e coordenador do MetalValley. Na sequência, o sucesso do Meeting, realizado em 2012, motivou o comitê de RH a organizar uma nova edição. Os preparativos já começaram. Nos dias 20 e 21 de junho, o Centro das Indústrias será palco do 10º Encontro de Negócios Metalmecânico Vale do Sinos e Metropolitana. Saiba mais na página 06. Os serviços oferecidos pelo SINDIMETAL são um diferencial, pela abrangência e qualidade. Nesta edição, o destaque é a Assessoria em Planejamento e Controladoria Empresarial. Mais informações na página 07. Como tradicionalmente acontece, o ESPAÇO antecipa a agenda estratégica da entidade, na página central. Vale destacar e colocar no mural, para acompanhar tudo de perto. Que as empresas estão inovando é fato. A coluna Mercado, a partir da página 14, já cresceu. Nesta edição está apontando novidades de três associadas, além da Vitrine, que valoriza histórias como a da Metalúrgica Daniel, uma referência em gestão. Estas são algumas notícias que dividimos com vocês, mas tem muito mais nas 16 páginas do ESPAÇO SINDIMETAL. PRESIDENTE Raul Heller VICE – PRESIDENTES Arno Tomasini Celso Luiz Rodrigues Marcelo Fleck Norberto Cossio Dias Pedro Vicente Isquierdo Gonçales Roberto Dauber SECRETÁRIO Marcelo Mariani TESOUREIRO Sérgio de Bortoli Galera DIRETORES Ademir Luiz Costella Christine Lange Daniel Weber Brun Darlan Geremia Emílio Neuri Haag Gilmar Antônio Rabaioli José Eduardo Moraes Leonardo Pedroso Filho Paulo Roberto Jacobsen Pedro Paulo Lamberty Roberto Alexandre Schroer Ronei Feltes Silvino Geremia Valdir Luiz Huning Vitor Fabiano Ledur CONSELHO FISCAL TITULARES Luiz Antônio Gonçalves Marcelino Leopoldo Barth Roberto Petroll SUPLENTES David Florindo Cardoso Ramon Ariel Bonilla Cabrera Ruben Antônio Duarte DELEGADOS REPRESENTANTES JUNTO À FIERGS TITULARES Raul Heller Marcelo Fleck SUPLENTES Celso Luiz Rodrigues Norberto Cossio Dias DELEGADOS REPRESENTANTES Sapucaia do Sul/Esteio Ademir Luiz Costella Sapiranga Emílio Neuri Haag São Sebastião do Caí/Montenegro Vitor Fabiano Ledur Estância Velha/Dois Irmãos/Ivoti Marcelino Leopoldo Barth Morro Reuter Ronei Feltes Vale Real Roberto Petroll COMITÊS Desenvolvimento de Lideranças Sofia Copé Heller Michel MetalValley Darlan Geremia Recursos Humanos Heloisa Gaelzer Müller Saúde, Segurança e Meio Ambiente Ana Cristina Curia Valemetalsinos Marcelo Mariani iretoria | Gestão 2013 - 2015 Diretor Executivo: Valmir Pizzutti Jornalista Neusa Medeiros (Mtb 5062)Redação: Claudionor Oliveira Gomes JuniorCriação e arte: Informativo bimestral 1750 exemplaresTiragem: gratuita e dirigidaCirculação: divulgaçãoFotos: Edição 3 Comunicação EmpresarialEdição e Produção: Ltda. Impressos Portão Ltda.Gráfica: Endereço Rua José Bonifácio, nº 204 - 5º andar- Centro das Indústrias São Leopoldo/RS - Fone (51) 3590.7707 www.sindimetalrs.org.br relacionamento@sindimetalrs.org.br Frases do rodapé: UNESCO Os trabalhos assinados são de responsabilidade de seus autores. xpediente O PAPEL DESTE INFORMATIVO É PROVENIENTE DE ÁRVORES DE FLORESTAMENTO. 100% DOS IMPRESSOS EM PAPEL FABRICADO NO BRASIL PROVÊM DE FLORESTAS PL ANTADAS Boa leitura! E AME • PRESERVE • RECICLE gua é vida! Estamos no Ano Internacional de Cooperação pela Água, oficialmente lançado em uma cerimônia, no dia 11 de fevereiro, na sede da Organização das Nações Unidas para Educação, Cultura e Ciência (UNESCO), em Paris, França. Valorizando a iniciativa, o tema será abordado, através de frases referentes a água, no rodapé das páginas ímpares, em todas as edições do ESPAÇO SINDIMETAL, durante 2013.
  • 4. INFRAESTRUTURA DISPONÍVEL Sindicato das Indústrias OMetalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico e Eletrônico de São Leopoldo (SINDIMETAL) reúne aproximadamente 1300 empresas, distribuídas na sua base territorial compos- ta por 35 municípios, localizados nos vales do Sinos, Caí e Encosta da Serra. Sob a presidência do empresário Raul Heller, que iniciou neste ano a sua quarta gestão de trabalho consecutivo, a entidade tem fortalecido a sua relação com as empresas e ampliado o seu reconhecimento junto ao meio empresarial gaúcho. Localizado no Centro das Indústrias, rua José Bonifácio, nº 204, Centro, em São Leopoldo, o SINDIMETAL possui uma estrutura adequada e bem equipada para atender as demandas das suas associadas e filiadas. Três andares, incluindo o térreo, são de garagens possuindo, no total, 83 boxes de estacionamento. O quarto andar abriga a sala da Presidência, um auditório e um espaço destinado a eventos. A administração do SINDIMETAL localiza-se no quinto andar. No sexto e no térreo existem salas de treinamento e reuniões. Já a cobertura do prédio contem- pla uma sala de eventos, com terraço. As salas de reuniões possuem flip-chart, quadro branco, computador e projetor multimídia. A sala de eventos, com 44 lugares, dispõe de TV LCD 54', flip- chart, quadro branco, notebook e projetor multimídia, cozinha equipada com geladeira, freezer, fogão, forno elétrico e churrasqueira. Já o auditório, com 118 lugares, é composto de palco, equipamen- tos de áudio, notebook, projetor multimí- dia e iluminação cênica. No mesmo andar, está localizado o salão de eventos, com capacidade para 250 pessoas. Todos os ambientes são climatizados. As empresas vinculadas ao SINDIMETAL, que desejarem efetivar reservas para eventos, especificamente com foco empresarial, devem solicitar por escrito, através do e-mail desenvolvimen- to3@sindimetalrs.org.br, indicando data, tipo do evento e número de pessoas. Desde 2010, o SINDIMETAL possui dois Pontos de Atendimento, um em Sapiranga e outro em São Sebastião do Caí. A meta é fomentar o desenvolvimen- to das empresas nessas regiões, através de capacitações, palestras e cursos, além de oportunizar uma proximidade com as empresas filiadas e associadas. Mais informações poderão ser conferidas na página 7 dessa edição. Conheça o SINDIMETAL, sua estrutura e serviços. Contatos através do telefone (51) 3590-7707 ou pelo e-mail relacionamento@sindimetalrs.org.br . PONTOS DE ATENDIMENTO Sala - 6º andar Salão de Eventos - 12º andar Auditório - 4º andar Sala - Térreo Administração - 5º andar Salão de Eventos
  • 5. COMITÊ METALVALLEY comitê MetalValley desde 2007, Oquando da sua criação, tem se reinventado e modernizado suas práticas, sempre focado nos resulta- dos e na interação com as empresas participantes. Na coordenação, atuando como elo entre as empresas participantes e a direção da entidade, está o diretor do SINDIMETAL Darlan Geremia, da Rijeza Indústria Metalúrgica Ltda., com sede em São Leopoldo. O MetalValley é um facilitador para os empresários que atuam no mercado interno e externo. É também um fórum de debates e iniciativas, que ganhou mais força com o desenvolvimento do Portal de Negócios onde, através da web, as empresas divulgam seus produtos e serviços. O site do MetalValley tem recebido em média 5000 acessos no último semestre e continua aprimorando os seus serviços, com o uso do Google Adwords. Com a ferramenta comercial – Presença Digital - vinculada ao site do SINDIMETAL, são mapeados todos os acessos e buscas ocorridas, nos produtos e serviços ofertados pelas empresas participantes. Estas informações podem ser acessadas no site em três línguas (Português, Inglês e Espanhol). A participação do comitê MetalValley é aberta às empresas associa- das, que estão buscando novos caminhos e formas para expandirem os seus produtos e serviços, principalmente via web. Maiores informações sobre o grupo e a agenda de reuniões poderão ser obtidas através do telefone 3590-7710. MEETING GESTÃO DE PESSOAS comitê de Recursos Humanos, Odo SINDIMETAL, em parceria com o IEL/ FIERGS, promoveu, no dia 13 de novembro, o Meeting Gestão de Pessoas. O encontro, que teve lugar no Centro das Indústrias, foi prestigiado por 138 profissionais da área de Recursos Humanos e Gestão de Pessoas e discutiu assuntos referentes à modernidade da gestão de pessoas, focando nas tendências globais de RH. A coordenação do Comitê de RH, do SINDIMETAL, está a cargo de Heloísa Gaelzer Müller. A avaliação da iniciativa foi tão positiva, que motivou o comitê a organizar a segunda edição do Meeting de RH, destinado a diretores, executivos e profissionais atuantes na área de recursos humanos das empresas associadas. O evento está previsto para o dia 08 de maio, no turno da tarde, e ocorrerá no Centro das Indústrias. O tema proposto é Mudança e seus paradigmas. Os palestrantes estão sendo contatados e em breve serão anunciados. Mais informações pelo telefone (51) 3590-7710. 1 - Perfil das empresas, que inte- gramoMetalValley. No MetalValley, 90% são micro e pequenas empresas e o restante dos 10% são médias empresas. Todas elas com produtos diferenciados e que tem por objetivo crescimento no mercado nacional e internacional. 2 - Quais as atividades que são pertinentesaocomitê? 1º - Atividades relacionadas à inclusão das empresas no meio digital. 2º - Análise do comportamento do consumidor que acessa o site para direcionar o produto ou serviço dessas empresas para o mercado. 3º - Buscar métodos alternativos para melhorar a performance de divulgação dos produtos e serviços dessas empresas. 3 - Que iniciativas têm sido mais relevantes para o fortalecimento do MetalValley? Busca de novas empresas para aumen- tar a abrangência da ferramenta; divulgação frequente das atividades e ações das empresas e a manutenção das empresas com ações do comitê. 4-Açõeseprojetosprevistos. Palestras de fortalecimento do conheci- mento referente às ferramentas digitais, criação de ferramenta de controle e monitoramento comercial. 5 - Receita para manter o grupo focadonosobjetivospropostos. É a possibilidade que estamos proporci- onando para as empresas de gerar e ampliar seus negócios com custo muito próximo de zero. Darlan Geremia Recursos Humanos RHRH
  • 6. Trazendo inovações!Trazendo inovações!1010ººMetalmecânicoMetalmecânico Encontro de NegóciosEncontro de Negócios Vale do Sinos | MetropolitanaVale do Sinos | Metropolitana eserve os dias 20 e 21 de junho Rpara participar do 10º Encontro de Negócios Metalmecânico Vale do Sinos e Metropolitana, que será realiza- do, à tarde, no Centro das Indústrias, em São Leopoldo. A promoção é do SINDIMETAL e do SEBRAE, que na sua 10ª edição inova o formato do concorrido encontro empresarial, propiciando dois dias de intensas possibilidades de negócios. A primeira fase das inscrições para as empresas vendedoras iniciou no dia 1º de dezembro de 2012 e encerram no dia 28 de fevereiro de 2013. Já a segunda fase irá ocorrer de março até junho. As inscrições deverão ser realiza- das através do site www.sebrae- rs.com.br/rodadasdenegocios . O Encontro oportuniza reuniões de negócios em um mesmo local, entre pequenas e grandes empresas vendedo- ras e compradoras, viabiliza contatos e negócios que dificilmente ocorreriam no dia a dia das empresas. O evento divide- se em: Projeto Comprador – Local: 4º andar – Neste espaço as compradoras, empresas de médio e grande porte determinam suas agendas de reuniões, com base nas suas principais demandas. Rodada de Negócios – Local: térreo - Encontro de micro, pequenas e médias empresas, que desejam comprar e vender seus produtos. As reuniões são agendadas no local do evento. As reuniões de negócios são agendadas com 20 minutos, onde cada comprador terá oportunidade de realizar 14 agendas por dia. A participação das empresas é gratuita. A partir deste evento, conforme a avaliação realizada, considerando todas as edições e as necessidades das empresas compradoras, o foco será os fornecedores qualificados, buscando a alta produtividade nas reuniões de negócios. A estrutura adequada para o encontro irá oportunizar novos contatos e a visibilidade da imagem institucional. Mais informações sobre o evento poderão ser obtidas pelo telefone (51) 3590-7710 ou através do e-mail secretarioexecutivo@sindimetalrs. org.br . PDF consiste num programa de Oqualificação de fornecedores, com o objetivo de atender grandes empresas associadas. É também uma oportunidade ímpar de desenvolver novas práticas e negócios para as peque- nas e médias empresas. São âncoras do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, as empresas Copé, Flecksteel, Stihl, Taurus e a Weatherford, que iniciam as atividades com suas fornecedoras a partir do mês de março. Para 2013/ 2014, haverá inovação no desenvolvimento das ações, quando o foco do PDF passa a ser o mercado. As ações de qualificação estarão voltadas para a melhoria dos processos de custo e venda. Ocorrerão também reuniões mensais de acompanhamento e avaliação com as âncoras e os empresários fornecedores, além de melhorias de acesso no site de indicadores. PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE DEMETAL Tributária o dia 19 de fevereiro, teve lugar, Nno Centro das Indústrias, às 17h, a palestra Assuntos Tributários, que abordou a unificação da alíquota ICMS nas mercadorias importadas, que são transfe- ridas entre os Estados; a contribuição sobre a receita bruta x contribuição sobre a folha (revisão), entre outros temas. A mesma foi proferida pelos advogados Marciano Buffon e Marina Furlan, assessores Jurídicos do SINDIMETAL, na área Tributarista. Segundo os palestrantes, a proposta de unificação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) entre os Estados é uma das matérias que compõem a reforma tributária, por envolver todos os entes da federação com o intuito de reduzir a guerra fiscal. O governo conseguiu recente- mente cumprir três partes de reforma tributária: a ampliação do Simples Nacional, a devolução de crédito de PIS e Cofins por investimentos em bens de capital e a desoneração da folha de salários das empresas de alguns setores. Na opinião do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, “o governo deveria iniciar um programa de desonera- ção de investimentos, através de medidas pontuais, mais fáceis de serem aprovadas no Congresso, e não esperar por uma reforma tributária”, enfatiza. Assuntos atuais na pauta
  • 7. ASSESSORIA EM PLANEJAMENTO E CONTROLADORIA EMPRESARIAL AColombo Consultoria Empre- sarial Ltda. vem atuando, desde 2012, com um trabalho voltado para a gestão contábil das empresas associadas ao SINDIMETAL. O mesmo consiste em transformar os balanços contábeis das empresas, em dados que possam ser utilizados como indicadores de negócio. “Rentabilidade, resultado financeiro, estoques, entre outras informações podem ser acompanhadas mensalmente pelos relatórios resultantes deste serviço”, afirma Adelino Colombo, diretor da consultoria. A Assessoria em Planejamento e Controladoria e Contabilidade Fiscal visa prestar um atendimento inicial às empresas associadas, sem ônus, possibili- tando melhores ferramentas de gestão. As atividades compreendem: Con- tabilidade de Custos (Formação do Preço de Venda); Contabilidade Gerencial; Contabilidade Fiscal; Escrita Fiscal; Folha de Pagamento; Avaliação de Resultados; Métodos e Processos; Administração de Materiais e Suprimentos; Racionalização dos Processos de Fabricação. Os diretores Adelino Alfredo Colombo e Samarone Colombo estão à disposição das associadas às terças-feiras, das 13h30min às 17h, na sede do S I N D I M E TA L, rua José Bonifácio, nº 204, 5º andar, Centro, em São Leopoldo. Para agenda- mento, o telefone de contato é (51) 3590- 7702. A Colombo Consultoria Empre- sarial Ltda. possui escritório na rua Lucas de Oliveira, nº 149, sala 104, Centro, em Novo Hamburgo. Mais informações poderão ser obtidas pelos telefones (51) 3066-9907, 3066-9908 e 3066-9930. Adelino Colombo SAPIRANGA E SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ ma iniciativa pioneira, que reúne Uparceiros em duas cidades da base territorial do SINDIMETAL, foi lançada em 2010 e segue aproximando empresários da entidade. Objetivando fomentar o desenvolvimento das empre- sas nas regiões em torno de Sapiranga e São Sebastião do Caí, através de capacita- ções, palestras, cursos e encontros empresariais, o SINDIMETAL uniu esforços e tem efetivado uma proximidade com suas empresas filiadas e associadas. Mensalmente, são realizadas reuniões com os parceiros nas duas bases, para avaliar o andamento do trabalho e prospectar novas iniciativas, com vistas a atender de forma mais eficaz as respecti- vas regiões. As bases avançadas do SINDIMETAL oportunizam o acesso a cursos e oficinas para as empresas associadas e filiadas investirem na qualificação e na gestão. Em Sapiranga, o Ponto de Atendimento (PA) conta com a parceria do SEBRAE, CDL local e, recentemente a CDL Campo Bom. Está localizado na Av. João Corrêa, nº 1260 – sala 17 – Centro, junto à sede da CDL, e vem promovendo também capacitações em Campo Bom, no Colégio Sinodal Tiradentes. Os contatos podem ser realizados através do telefone (51) 3599-1076. No município de São Sebastião do Caí, o Ponto localiza-se à Rua Esperanto, nº 20, bairro Quilombo, e tem como parceiros o SEBRAE, a ACIS e a CDL locais. Informações, pelo telefone (51) 3635-1955. Para conhecer a programação completa do SINDIMETAL acesse o portal www.sindimetalrs. org.br . ATENÇÃO! As agendas de atividades deste ano, junto às bases de Sapiranga e São Sebastião do Caí, estão sendo divulgadas na página central deste informativo. programa para microempresas ONa Medida terá lugar nos pontos de atendimentos de Sapiranga e São Sebastião do Caí, numa iniciativa do SEBRAE com apoio do SINDIMETAL e demais parceiros. O projeto Na Medida, idealizado pelo SEBRAE, consiste numa forma diferente de aumentar o conhecimento, preparando a empresa e o empreendedor para ampliar o seu mercado. Criado para melhorar a vida das microempresas, o Na Medida reúne cursos, oficinas, palestras, consultorias e diálogos planejados de acordo com as principais necessidades do empresário. Foram realizadas pelo SEBRAE pesquisas nas cinco regiões do País, em busca de dados; informações junto aos empresários e colaboradores, com o objetivo de descobrir quais os maiores desafios do dia a dia. Com base nestas informações, foi desenvolvido um projeto que de forma simples e objetiva, traz orientações práticas para aperfeiçoar a gestão do negócio. É possível optar por quantas soluções forem necessárias e fazer parte do processo de capacitação contínua. NA MEDIDA PONTO DE ATENDIMENTO
  • 8. Janeiro 28/01 a 1º/02 - Curso de Cipa Fevereiro 19 - Palestra Tributário - ICMS 21 - Oficina Administrando o Fluxo de Caixa – PA Sapiranga 26 e 27 - Oficina Negociação: Estratégias para Melhores Resultados - PA São Sebastião do Caí Março 06 - Apresentação Capacitações Na Medida – PA Sapiranga 11 a 15 - Curso de Cipa 12 a 15 - Exposição Feira Polo Naval – Rio Grande/RS 12 e 13 - Curso NR35 13 e 14 - Curso NR10 Reciclagem 13 e 14 - Missão à Feira Polo Naval – Rio Grande/RS 18, 19, 21 e 22 - Curso Cultilider - Cultura de Liderança - PA Sapiranga 18, 19, 20, 21, 22/03 e 08/04 - Curso Liderança Estratégica - PA São Sebastião do Caí 19 e 20 - Missão à Feira MDA – São Paulo/SP 26 - Oficina Vencendo a Inadimplência – PA Sapiranga (realização em Campo Bom) Abril 08, 09, 11, e 12 - Curso Planejamento Estratégico Na Medida – PA Sapiranga 08 a 19 - Curso NR10 Básico 09 e 10 - Oficina Plano de Marketing Na Medida - PA São Sebastião do Caí 15 - Palestra Estabilidades - PA São Sebastião do Caí 16 e 17 - Missão à 5ª Feira de Fornecedores Industriais – Olinda/PE 16 a 19 - Curso Planejamento Estratégico Na Medida – PA Sapiranga (realização em Campo Bom) 22 a 26 - Curso de Cipa 22, 23, 25, 29/04 e 16/05 - Curso Liderança Estratégica – PA Sapiranga 22 a 30 - Curso PPCP - Planejamento, Programação e Controle de Produção 22 a 26 - Curso Gestão Financeira Na Medida - PA São Sebastião do Caí Maio 06 a 09 - Curso NR33 06, 07, 09, 13 e 14 - Curso Gestão Financeira Na Medida - PA Sapiranga 08 - Meeting RH 13 a 16 - Curso Ferramentas da Qualidade 13 a 17 - SIPAT Comunitária Feliz 16 - Curso Atualização Profissional IPI/ICMS-RS - PA Sapiranga 20, 21, 22, 23, 27 e 28 - Curso Gestão de Pessoas e Equipe Na Medida – PA São Sebastião do Caí 21, 22, 23, 27 e 28 - Curso Gestão Financeira Na Medida - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) Junho 03 a 14 - Curso Leitura e Interpretação de Desenho Mecânico 05 e 06 - Oficina Negociação: Estratégias para Melhores Resultados - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) 05 e 06 - Missão à Feira Feimafe - São Paulo/SP 10 a 14 - SIPAT Comunitária Novo Hamburgo 10, 11, 13, 17 e 18 - Curso Atendimento ao Cliente - PA Sapiranga 17 a 20 - Curso Cultilíder – Cultura da Liderança – PA São Sebastião do Caí 20 e 21 - 10º Encontro de Negócios VS e Metropolitana 24 - Curso Gestão de Passivo Trabalhista - PA Sapiranga 25, 26 e 27/06 e 01 e 02/07 - Curso Atendimento ao Cliente - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) 26 - Curso NR10 Reciclagem 26 e 27 - Missão à Feira Manutenção – Blumenau/SC Julho 04 - Curso Atualização Profissional IPI/ICMS-RS - PA São Sebastião do Caí 08, 09, 11, 15, 16 e 18 - Curso Gestão de Pessoas e Equipes Na Medida - PA Sapiranga 11 e 12 - Missão à SIM 2013 – Belo Horizonte/MG 15 a 18 - Curso Setup 15 a 19 - Curso de Cipa s empresas associadas e filiadas ao SINDIMETAL Aterão oportunidade de investir em cursos, oficinas, feiras e missões, durante o ano de 2013. A agenda estratégica de atividades, elaborada pelo SINDIMETAL, visa atender as demandas que estão pulsando no mercado, contribuindo assim para o crescimento e fortalecimento das empresas.
  • 9. Julho (continuação) 15 a 19 - SIPAT Comunitária de Sapiranga 15 a 19 - Curso Criatividade em Gestão – PA São Sebastião do Caí 23, 24, 25, 30 e 31/07 e 01/08 - Curso Gestão de Pessoas e Equipe Na Medida - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) Agosto 05 - Curso Gestão de Passivo Trabalhista - PA São Sebastião do Caí 05 a 16 - Curso NR10 Básico 06 e 07 - Oficina Elaborando um Plano de Negócio - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) 12 e 13 - Oficina Elaborando um Plano de Negócio - PA Sapiranga 19 a 23 - Curso de Cipa 19 a 27 - Curso PPCP - Planejamento, Programação e Controle de Produção 19, 20, 22, 26 e 27 - Curso Técnicas de Vendas - PA Sapiranga 22 e 23 - Missão à Feira Minas Parts – Belo Horizonte/MG 23 e 24 - Missão à Semana Rio Industrial – Rio de Janeiro/RJ Setembro 02 a 06 - SIPAT Comunitária Sapucaia do Sul/Esteio 03, 04, 05, 09 e 10 - Curso Técnicas de Vendas - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) 09 a 13 - Exposição Feira Intermach – Joinville/SC 09 a 13 – Curso Gestão e Técnicas da Produção – PA São Sebastião do Caí 11 e 12 - Missão à Feira Intermach – Joinville/SC 16 e 17 - Oficina Plano de Marketing Na Medida - PA Sapiranga 16 a 19 - Curso Ferramentas da Qualidade 24 e 25 - Oficina Plano de Marketing Na Medida - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) 26 - 2º Fórum Sul Brasileiro Lean Manufacturing Outubro 1º a 04 - Exposição à Feira Mercopar – Caxias do Sul/RS 1º, 02, 03, 07 e 08 - Curso Técnicas de Negociação - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) 03 - Missão à Feira Mercopar - Caxias do Sul/RS 04 e 05 - Missão à Feira Rio Parts – Rio de Janeiro/RJ 07 a 10 - Curso TPM - Manutenção Preventiva Total - TPM 14 a 25 - Curso Leitura e Interpretação de Desenho Mecânico 15 a 18 - Exposição Feira FENAF – São Paulo/SP 16 e 17 - Missão à Feira FENAF – São Paulo/SP 21 a 25 - SIPAT Comunitária São Leopoldo 21, 22, 24, 28 e 29 - Curso Gestão e Técnicas da Produção - PA Sapiranga 22 - Oficina Análise de Custos, Despesas e Preço de Venda – PA São Sebastião do Caí Novembro 04 a 12 - Curso Organização de Almoxarifados e Controle de Estoques 05, 06, 07, 11 e 12 - Curso Gestão e Técnicas da Produção - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) 18 a 22 - Curso de Cipa 18, 19, 21, 25 e 26 - Curso Técnicas de Negociação - PA Sapiranga 18, 19, 20, 21, 25 e 26 - Curso Gestão de Pessoas e Equipe Na Medida – PA São Sebastião do Caí Dezembro 02 a 06 – Curso Como Vender Mais e Melhor – PA São Sebastião do Caí 05 - Oficina Análise de Custos, Despesas e Preço de Venda - PA Sapiranga (realização em Campo Bom) 06 - Confraternização dos associados 09 - Confraternização dos comitês * Programação sujeita à alteração. As diferentes iniciativas serão realizadas, na sua maioria, na sede da entidade, localizada na rua José Bonifácio, nº 204, Centro, em São Leopoldo e nos Pontos de Atendimento (PA) em Sapiranga, na rua João Corrêa, nº 1260, sala 17, no Centro, junto à sede da CDL, e em São Sebastião do Caí, na rua Esperanto, nº 20, bairro Quilombo, na sede da CDL. Mais informações poderão ser obtidas através do e-mail desenvolvimento3@sindimetalrs.org.br ou pelo telefone (51) 3590-7706.
  • 10. SINDIMETAL tem sido parceiro Oe incentivador do Programa Pelotão Esperança, desde a sua fundação. O Pelotão Esperança é uma iniciativa do 16º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (16º GAC AP) de São Leopoldo-RS, tradicional Unidade do Exército Brasileiro, sendo desenvolvido desde o ano de 1996, com o apoio de entidades assistenciais públicas e privadas. Entre os principais objetivos estão contribuir com a formação cívica/ social e com a qualificação profissionali- zante de meninos, oriundos de famílias de baixa renda e moradoras de áreas consideradas de vulnerabilidade social do município de São Leopoldo. No ano de 2012, 56 alunos participaram das atividades no Pelotão. Os alunos são selecionados pelos Centros de Referência e Assistência Social (CRAS) do município. Os jovens precisam ter entre 15 e 17 anos e estarem matriculados, no mínimo, na 7ª série do Ensino Fundamental. No 16° GAC AP, os participantes permanecem no turno da manhã, onde têm oportunidade de frequentar os cursos fornecidos pelo SENAI Lindolfo Collor, na área de Elétrica, para 25 alunos; SENAC de São Leopoldo, curso de Auxiliar Administrativo, para 14 alunos e Unisinos, que oportuniza o curso de Informática, para 26 alunos. Além disso, recebem instruções de civismo, disciplina, patriotismo, educação física, instrução religiosa e palestras educativas (reciclagem, DST, drogas). O tempo de permanência máxima no Pelotão é de dois anos. Para o ano de 2013, as inscri- ções nos CRAS já foram encerradas. No dia 21 de fevereiro, ocorreu uma palestra para os futuros alunos e seus pais nas dependências do 16° GAC AP. “Desta forma, os adolescentes puderam conhecer de perto as atividades que realizarão no projeto”, registra o Oficial de Comunicação Social e coorde- nador do Pelotão Esperança, 1º Tenente Felipe Fanti. Nestes 16 anos de Pelotão Esperança, foram atendidos mais de 750 adolescentes. Segundo o coordenador “o objetivo final do Programa é a inserção dos adolescentes no mercado de trabalho”. No ano de 2012, 27 alunos foram empregados. “As empresas Stihl, Rexnord, Metalúrgica Nunes e Transportes Spolier deram a oportunida- de do primeiro emprego a estes jovens”, destaca o Tenente Fanti. O Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Leopoldo (SINDUSCOM) inseriu alguns jovens como aprendizes, na Escola da Construção, junto ao CEP SENAI Lindolfo Collor, em São Leopoldo. CONTATO Empresas interessadas em contratar alunos do Pelotão Esperança podem entrar em contato com o Subtenente Nery, através do e-mail do Pelotão Esperança: pelesp16@gmail.com ou pelo do telefone 51 8587-2660. Alunos do Programa Pelotão Esperança formados em dezembro de 2012 SESI e SENAI presidente do SINDIMETAL, Oempresário Raul Heller coorde- na as reuniões dos presidentes dos Conselhos Consultivos SESI e SENAI, a cada dois meses, no Centro das Indústrias, em São Leopoldo. Entre os temas em pauta, atividades voltadas à aplicação conscien- te e criteriosa dos investimentos, sempre buscando melhorias nas escolas e centros de atendimento ao trabalhador, visando igualmente à qualificação da mão de obra. Além destes aspectos, tem sido destacada a importância de atrair talentos para as indústrias, valorizando a formação dos alunos e os cursos ofereci- dos. A partir de um trabalho conjunto com os demais sindicatos, é possível elaborar o perfil profissional de acordo com as necessidades das indústrias. Este espaço oportuniza troca de informações, levantamento de demandas e alinhamento de ações entre os Conselhos. A próxima reunião dos presi- dentes dos Conselhos Consultivos SESI e SENAI está prevista para o dia 27 de março. Confira os encontros previstos para 2013. 27 de março29 de maio 31 de julho 25 de setembro27 de novembro P a e ç l no at rã eo Esp ojetr oP PREPARANDO JOVENS PARA O FUTURO
  • 11. Teve início, no dia 1º de janeiro, sob a presidência do empresário Herberto Henrique Fleck Júnior a gestão 2013 – 2015, relativa à diretoria do Sindicato das Indústrias do Vestuário e do Calçado de São Leopoldo. A eleição ocorreu, no dia 21 de novembro de 2012, no Centro das Indústrias. O SINDIVEST abrange os municípi- os de São Leopoldo, Esteio, Sapucaia do Sul e Portão. A atual diretoria está assim constituí- da: DIRETORIA PRESIDENTE: Herberto Henrique Fleck Júnior VICE-PRESIDENTE: José Aury Klein DIRETORES: Pedro Luis Nunes Luiz Fernando Lottermann Carlos Alberto Dewes CONSELHO FISCAL TITULARES: João Paulo Scherer Hermenegildo Ré Luiz Fernando Dias Câmara SUPLENTES: Claudir Pelison Maria Luíza Sperafico Moro Sandra Regina Rocha REPRESENTANTES JUNTO À FIERGS TITULARES: José Aury Klein Herberto Henrique Fleck Junior SUPLENTES: Pedro Luis Nunes Luiz Fernando Lottermann O correu, no dia 08 de novembro, a eleição dos membros da Diretoria e do Conselho Fiscal do Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Leopoldo (SINDUSCOM-SL), para a gestão 2013/ 2015. A solenidade de posse ocorrerá no dia 21 de março. A diretoria, eleita com chapa única, iniciou a sua gestão no dia 1º de janeiro, sob a presidência do engenheiro Julio Cezar Steffen, contando com os seguintes integrantes: DIRETORIA PRESIDENTE:Julio Cezar Steffen VICE-PRESIDENTE: Rogério Haisser Corrêa DIRETOR-SECRETÁRIO: José Antonio Weissheimer DIRETOR-TESOUREIRO:Marcelo Daudt DIRETORES: Cássio Pontalti Drehmer, Guilherme Henrique Poletto, Jair Sélio Mantovani, Lúcio Afonso Goettert, Luiz Renato Cavalieri, Márcia do Amaral, Rejane Terezinha Manzoni Bravo, Roberto Luis Potrick, Roque Büttenbender, Vendelino Neumann CONSELHOFISCAL TITULARES: Cyro Carlos Bonetto Silva, Delcio Luiz Chiamenti, Hugo Scipião Ferreira Junior SUPLENTES: Flávio Oliva Pinto, Hener de Souza Nunes Junior, Luiz Charlez Mentz REPRESENTANTESJUNTOÀFIERGS TITULARES: Julio Cezar Steffen e Marcelo Daudt SUPLENTES: Hugo Scipião Ferreira Junior e Rogério Haisser Corrêa A base territorial do SINDUSCOM- SL é composta pelos seguintes municípios: Araricá, Bom Princípio, Campo Bom, Capela de Santana, Dois Irmãos, Estância Velha, Esteio, Ivoti, Lindolfo Collor, Morro Reuter, Nova Hartz, Portão, Presidente Lucena, Santa Maria do Herval, Sapiranga, Sapucaia do Sul, São José do Hortêncio, São Leopoldo, São Sebastião do Caí e São Vendelino. DIRETORIANOVA Presidente Julio Cezar Steffen InDIVEstInDIVEstsÃo lEoPolDosÃo lEoPolDo SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO E DO CALÇADO DE SÃO LEOPOLDO Presidente Herberto H. Fleck Júnior DIRETORIA Semana Interna de Prevenção de AAcidentes no Trabalho ocorrerá em cinco municípios, que compõem a base territorial do SINDIMETAL. As reuniões de alinhamen- to, para elaboração da programação, já estão sendo definidas pela comissão organizadora, que conta com a parceria do SESI e de empresas interessadas. A primeira SIPAT Comunitária do ano será na semana de 13 a 17 de maio, no município de Feliz. Na sequência, de 10 a 14 de junho, ocorrerá em Novo Hamburgo; de 15 a 19 de julho, em Sapiranga; de 02 a 06 de setembro, em Esteio e Sapucaia do Sul e, a última será de 21 a 25 de outubro, em São Leopoldo. Empresas interessadas em participar, podem obter informações pelo telefone (51) 3590-7708. SIPAT COMUNITÁRIA EM CINCO EDIÇÕES SIPAT2012 SIPA T Seguran ça Tra balho
  • 12. *Marina Furlan OAB/RS 51.789 UNIFICAÇÃO DA ALÍQUOTA DO ICMS EM OPERAÇÕES INTERESTADUAIS COM MERCADORIAS IMPORTADAS partir de 01 de janeiro de 2013, de acordo com as regras da AResolução do Senado Federal nº 13, de 25 de abril de 2012, e como forma de evitar a chamada “guerra fiscal”, foram estabe- lecidos procedimentos de tributação pelo ICMS a serem observados pelos Estados, nas saídas interestaduais de mercadorias importadas. A alíquota aplicável, nestes casos, será de 4% (quatro por cento). Referida alíquota aplica-se nas operações interestaduais com bens e mercadorias importados do exterior que, após o desemba- raço aduaneiro não tenham sido submetidos a processo de industriali- zação ou que, mesmo que tenham sido submetidos a qualquer pro- cesso de industrialização (transformação, beneficiamento, monta- gem, acondicionamento, reacondicionamento, renovação ou recondi- cionamento), resultem em mercadorias ou bens com conteúdo de importação superior a 40% (quarenta por cento). Entretanto, não se aplica a alíquota do ICMS de 4% (quatro por cento) nas operações interestaduais: (a) com bens e mercadorias importados do exterior que não tenham similar nacional – definidos em lista editada pelo Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior – CAMEX (Resolução CAMEX nº 79/2012); (b) com bens e mercadorias produzidos em conformidade com os processos produti- vos básicos de que tratam: o Decreto-Lei nº 288/1967, e as Leis nºs 8.248/1991, 8.387/1991, 10.176/2001, e 11.484/2007; e (c) com gás natural importado do exterior. O Conteúdo de Importação é o percentual correspondente ao quociente entre o valor da parcela importada do exterior e o valor total da operação de saída interestadual da mercadoria ou bem submetido a processo de industrialização. O referido Conteúdo de Importação deverá ser recalculado sempre que, após sua última aferição, a mer- cadoria ou bem objeto de operação interestadual tenha sido submeti- do a novo processo de industrialização. Para fins de determinação do Conteúdo de Importação, con- sidera-se: (a) o valor da parcela importada do exterior, o valor da base de cálculo do ICMS incidente na importação; (b) valor total da opera- ção de saída interestadual, o valor total da mercadoria, incluídos os tributos incidentes na operação própria do remetente. No caso de operações com bens ou mercadorias importados que tenham sido submetidos a processo de industrialização, o contri- buinte industrializador deverá preencher a Ficha de Conteúdo de Importação - FCI, a partir de 01 de maio de 2013, conforme modelo constante do Anexo Único do Ajuste em comento, na qual deverá constar: a - descrição da mercadoria ou bem resultante do processo de industrialização; b - o código de classificação na Nomenclatura Comum do MERCOSUL- NCM/SH; c - código do bem ou da mercadoria; d - o código GTIN (Numeração Global de Item Comercial), quando o bem ou mercadoria possuir; e - unidade de medida; f - valor da parcela importada do exterior; g - valor total da saída interestadual; h - conteúdo de importação calculado nos termos definidos acima. A Ficha de Conteúdo de Importação – FCI deverá ser preen- chida e entregue de forma individualizada por bem ou mercadoria produzidos. O valor unitário, a ser utilizado, será calculado pela média aritmética ponderada, praticado no último período de apuração. Será apresentada nova a Ficha de Conteúdo de Importação - FCI toda vez que houver alteração em percentual superior a 5 % (cin- co por cento) no Conteúdo de Importação ou que implique alteração da alíquota interestadual aplicável à operação. Deverá ser informado em campo próprio da Nota Fiscal Ele- trônica - NF-e, no caso de bens ou mercadorias importados que tenham sido submetidos a processo de industrialização no estabeleci- mento do emitente, o valor da parcela importada do exterior, o número da Ficha de Conteúdo de Importação - FCI e o Conteúdo de Importa- ção expresso percentualmente. No caso de bens ou mercadorias importados que não tenham sido submetidos a processo de industria- lização no estabelecimento do emitente, deverá ser informado o valor da importação. O contribuinte que realize operações interestaduais com bens e mercadorias importados ou com Conteúdo de Importação deverá manter sob sua guarda pelo período decadencial os documen- tos comprobatórios do valor da importação ou, quando for o caso, do cálculo do Conteúdo de Importação. Enquanto não forem criados campos próprios na NF-e, deve- rão ser informados no campo "Informações Adicionais", por mercado- ria ou bem o valor da parcela importada, o número da Ficha de Conte- údo de Importação - FCI e o Conteúdo de Importação ou o valor da importação do correspondente item da NF-e com a expressão: "Reso- lução do Senado Federal nº 13/12, Valor da Parcela Importada R$ _______, Número da FCI _____, Conteúdo de Importação ___%, Valor da Importação R$ ____________". As disposições contidas no ajuste em comento aplicam-se aos bens e mercadorias importadas, ou que possuam Conteúdo de Importação, que estejam em estoque em 31 de dezembro de 2012. Assessora Jurídica do SINDIMETAL I Advogada Tributaris- ta I Buffon e FurlanAdvogadosAssociados
  • 13. O fornecimento de alimentação ao trabalhador, diferentemente do vale- transporte, não é uma obrigação do emprega- dor, pois não há lei que estabeleça tal obrigato- riedade. ANorma Regulamentadora nº 24 (NR 24), do Ministério do Trabalho e Emprego, que trata das condições sanitárias e de conforto nos locais de trabalho, prevê que empresas com mais de 300 empregados devem dispor de refeitório e, as empresas com mais de 30 e até 300 empregados devem garantir condi- ções suficientes de conforto para a ocasião das refeições. Ou seja, a NR diz respeito às obrigações do empregador quanto ao local destinado à alimentação e não à obrigatorie- dade em fornecê-la. Caso a empresa opte pelo fornecimento, deve seguir as exigências esta- belecidas na referida NR. O Programa de Alimentação do Tra- balhador – PAT foi instituído pela Lei nº 6.321, de 14 de abril de 1976 e regulamentado pelo Decreto nº 05, de 14 de janeiro de 1991, com o objetivo melhorar as condições nutricionais e de qualidade de vida dos trabalhadores, a redução de acidentes e o aumento da produti- vidade e é gerido pelo Ministério do Trabalho e Emprego. O PAT é destinado a todos os traba- lhadores das empresas inscritas e tem como prioridade o atendimento aos trabalhadores de baixa renda, assim considerados na Lei aqueles que ganham até 5 (cinco) salário mínimos mensais. Os trabalhadores com renda maior podem também ser incluídos no Programa. Cabe ao empregador a iniciativa da adesão ao PAT. As empresas podem optar pelas seguintes modalidades de serviços de alimen- tação: a) Autogestão (assume toda a respon- sabilidade pela elaboração das refeições); b) terceirização: b.1) refeição transportada; b.2) convênio (tíquetes para refeição em restau- rante); e b.3) alimentação convênio (aquisição de gêneros alimentícios em estabelecimentos comerciais, cestas básicas). Aadesão ao PAT poderá ser efetuada a qualquer tempo e terá validade a partir da data de registro por tempo indeterminado, podendo ser cancelada por iniciativa da empresa beneficiária ou em razão de decisão do Ministério do Trabalho e Emprego, no caso de execução inadequada do Programa, con- forme disciplina contida na Portaria Interminis- terial nº 05, de 30 de novembro de 1999. Ante- riormente a esta Portaria, as empresas que optassem por fornecer o benefício alimenta- ção do PAT aos seus empregados deveriam inscrever-se anualmente no Programa, entre 1º de janeiro e 31 de março. Atualmente, para as empresas cadastradas, basta informar, no campo 3 do Relatório Anual de Informações Sociais - RAIS, se participa ou não do PAT. A Recente Portaria SIT/DSST nº 343, de 18 de fevereiro de 2013, publicada no Diá- rio Oficial da União de 20 de fevereiro de 2013, revogou a Seção I-A da Portaria SIT n° 03, de 1º de março de 2002 (com a redação dada pela Portaria SIT nº 335, de 12 de setembro de 2012) e restaurou a vigência do caput e pará- grafos do art. 2º e do art. 11 da Portaria SIT nº03, de forma que, para inscrever-se no PAT e usufruir dos benefícios fiscais, a empresa deverá requerer sua inscrição à Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) em impresso próprio para este fim a ser adquirido nos Cor- reios ou por meio eletrônico utilizando formulá- rio constante na página do Ministério do Traba- lho na internet ( ), sendo que owww.mte.gov.br formulário e o respectivo comprovante de postagem ou o comprovante de adesão via internet deve ser mantido à disposição da fiscalização, assim como a documentação relacionada aos gastos com o PAT e aos incentivos dela decorrentes, de modo a possi- bilitar seu exame e confronto com os registros fiscais e contábeis exigidos. Os dados constantes do seu registro devem ser atualizados sempre que houver alteração de informações cadastrais, sem prejuízo da obrigatoriedade de prestar infor- mações relativas ao PAT prevista na legisla- ção trabalhista, tributária ou previdenciária. O número de trabalhadores atendidos e de refei- ções servidas deve ser atualizado apenas nos meses de janeiro e julho de cada exercício, devendo ser informado o número verificado ao término dos meses imediatamente preceden- tes. O comprovante de inscrição deve ser mantido à disposição dos órgãos de fiscaliza- ção, permitida a guarda centralizada, com a concessão do prazo legal para disponibiliza- ção da documentação para a inspeção. Observados alguns critérios, a empresa pode deduzir do Imposto de Renda devido, com base no lucro real, o valor equiva- lente à aplicação da alíquota cabível do Impos- to de Renda sobre a soma das despesas de custeio realizadas na execução do PAT, dimi- nuída a participação dos empregados no custo das refeições, que é limitada a 20% do custo direto da refeição. O art. 458, da CLT, dispõe que a ali- mentação fornecida pelo empregador ao empregado está compreendida no salário: “Além do pagamento em dinheiro, compreen- dem-se no salário, para todos os efeitos lega- is, a alimentação, habitação, vestuário ou outras prestações in natura que a empresa, por força de contrato ou do costume, fornecer habitualmente ao empregado. Em caso algum, será permitido o pagamento em bebi- das alcoólicas ou drogas nocivas.”. Assim, o fornecimento de alimenta- ção, pelo empregador, fora do Programa – PAT – tem natureza salarial e gera reflexos trabalhistas, da Previdência e do FGTS, em aplicação do artigo 458 caput, da CLT. Ressalte-se que no âmbito do PAT, a parcela paga in natura pela empresa não tem natureza salarial, não se incorpora à remune- ração, não constitui base de incidência de contribuição previdenciária ou do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço ( ) nem seFGTS configura como rendimento tributável do tra- balhador (art. 6º do Decreto 05/1991). Alei dispõe sobre a ajuda alimentação por parte do empregador e não no custeio total, ou seja, o fornecimento de alimentação pela empresa deve ser custeada parte pela empresa e parte pelo empregado, pois o forne- cimento de forma gratuita pode caracterizar parcela de natureza salarial, incidindo assim, todos os reflexos trabalhistas sobre o valor pago. Da mesma forma, poderá ser caracte- rizada a natureza salarial o valor custeado pelo empregador, independentemente de ser parcial ou não, quando este conceder o bene- fício aos empregados, sem ter aderido ao PAT. Neste sentido, o Tribunal Superior do Trabalho, ao editar a Súmula nº 241, uniformi- zou o entendimento da seguinte forma: Salá- rio-utilidade. Alimentação. O vale para refei- ção, fornecido por força do contrato de traba- lho, tem caráter salarial, integrando a remune- ração do empregado, para todos os efeitos legais”. Por outro lado, através da Orientação Jurisprudencial SDI-1 nº 133, o TST assim se posicionou:Aajuda-alimentação fornecida por empresa participante do programa de alimen- tação ao trabalhador, instituído pela Lei nº 6.321/1976, não tem caráter salarial. Portanto, não integra o salário para nenhum efeito legal.”. Assim como em vários outros aspec- tos trabalhistas, a questão da alimentação vem sendo regulada por acordo individual ou normas coletivas, tal como previsto nas cláu- sulas sobre Descontos Autorizados, constan- tes nas Convenções Coletivas de Trabalho firmadas pelo Sindimetal: “As empresas somente poderão efetuar descontos nos salá- rios de seus empregados quando expressa- mente autorizados e quando se referirem a empréstimos bancários na forma da Lei nº 10.820, de 17.12.2003, associações, funda- ções, cooperativas, clubes, seguros, previ- dência privada, transporte, refeições, compras no próprio estabelecimento, inclusive de ferra- mentas e utensílios de trabalho não devolvi- dos e convênios com médicos, dentistas, clínicas, ópticas, funerárias, farmácias, hospi- tais, casas de saúde, laboratórios, lojas e supermercados, bem como pelo fornecimento de ranchos e compras intermediadas pelo SESI.” *Gisele de Morais Garcez OAB/RS 68.534 PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO DO TRABALHADOR – PAT
  • 14. Entre as Campeãs da Inovação Altero Design Indústria e Comércio ALtda, com parque industrial locali- zado em Sapiranga, ficou classifi- cada em quarta posição, entre as 20 empresas mais inovadoras da Região Sul. A cerimônia de premiação do projeto Campeãs da Inovação ocorreu no dia 29 de janeiro, em Porto Alegre. Em destaque, os representantes das 50 com- panhias mais inovadoras da região Sul, eleitas a partir da pesquisa realizada pela Revista AMANHÃ, em parceria com a consultoria especializada Edusys e com o apoio técnico da Fundação Dom Cabral. Com 33 anos de fundação, é a primeira empresa de seu segmento na América Latina a utilizar a tecnologia PVD, que garante acabamentos mais resistentes e duráveis, com processos que não agri- dem a natureza e permitem grande versa- tilidade na escolha de cores. A Altero possui mais de 30 mil m² de área fabril e contabiliza aproximada- mente 800 colaboradores. Com uma equi- pe de representantes comerciais nos prin- cipais mercados brasileiros, continua expandindo sua atuação, contando com uma rede de 15 lojas próprias e revendas especializadas em todo o País. É a quinta vez consecutiva, que a Altero, associada do SINDIMETAL, recebe o Prêmio da Inovação. Parabéns à direção e aos colaboradores pelo merecido reco- nhecimento. Altero: abrindo portas no mercado Fontes: Revista Amanhã e Altero A inscrição da empresa no PAT é duplamente vantajosa, pois, ao fornecer ali- mentação no âmbito do programa, cria-se o benefício para o empregado sem o risco de caracterização de parcela de natureza salarial e, em sendo tributada pelo sistema de lucro real, a empresa pode beneficiar-se com incen- tivo fiscal (dedução de até 4% do imposto de renda devido). De qualquer modo, mesmo que a empresa não possa usufruir do incentivo fiscal (por ser tributada pelo lucro presumido ou por não apresentar lucro no período), já aufere vantagem ao beneficiar seu emprega- do sem criar riscos. Por fim, ressaltamos a forma como os tribunais têm decidido a matéria: AUXÍLIO–ALIMENTAÇÃO. INTEGRAÇÃO: No art. 458, caput, da CLT consta disposição expressa de que o benefício atinente ao vale- refeição possui natureza salarial. A exclusão dessa natureza somente se caracteriza nas hipóteses de concessão do benefício por empresa participante do Programa de Alimen- tação do Trabalhador ou de previsão em norma coletiva. Ocorre que na decisão regio- nal não foi reconhecida nenhuma das hipóte- ses referidas. Portanto, a determinação da Corte regional de exclusão da condenação da integração do auxílio-alimentação constitui afronta ao disposto no art. 458 da CLT. Res- salte-se, ainda, que a jurisprudência do TST já se firmou no sentido de que o procedimento utilizado pelo Hospital das Clínicas da Facul- dade de Medicina de Ribeirão Preto da Univer- sidade de São Paulo constitui mero expedien- te para desvirtuar a natureza jurídica da parce- la. Precedentes. Recurso de revista conheci- do e provido. Recurso de revista conhecido e provido. (TST RR 2065/2007-066-15-00.4 Rel. Min. Luiz Philippe Vieira de Mello Filho, DJe 23.09.2011, p. 697). A J U D A A L I M E N T A Ç Ã O . I N S C R I Ç Ã O n o P A T . N Ã O COMPROVAÇÃO: Não comprovada a filia- ção empresarial ao programa de alimentação do trabalhador, faz jus o autor à integração salarial dos tíquetes fornecidos para alimenta- ção, com fundamento na regra geral fixada no art. 458 da clt e na súmula nº 241 do c. tst. Ora, o simples desconto realizado pela emprega- dora, mensalmente, não tem o condão de afastar a natureza salarial da verba em análi- se, paga de forma habitual, caso contrário, bastaria para as empresas, a fim de burlar o artigo 458 da clt, lançar qualquer quantia no salário do empregado, sob essa rubrica e, assim, desonerar-se das conseqüências lega- i s . ( T R T 0 6 ª R . – R O 0 0 0 0 4 0 8 - 83.2010.5.06.0022. 2ª T. Relª Juíza Maria das Graças de Arruda França, DJe 01.03.2011, p. 25). I N S S . C O N T R I B U I Ç Ã O PREVIDENCIÁRIA. CESTA BÁSICA E T I C K E T R E F E I Ç Ã O . N Ã O COMPROVAÇÃO da FILIAÇÃO ao PAT. INEXISTÊNCIA DE NORMA COLETIVA. NATUREZA SALARIAL: Consignado, no acórdão regional, que a reclamada não demonstrou estar filiada ao PAT, bem como alegou que são inaplicáveis ao autor as nor- mas coletivas que dispunham acerca da natu- reza indenizatória da cesta básica e do ticket refeição, resta inafastável se torna o caráter salarial das referidas verbas, na forma do artigo 458 da CLT. Assim, correta a decisão por meio da qual foi determinada a incidência da contribuição previdenciária. Recurso de revista não conhecido neste tema. (TST RR 525/2007-052-15-00.7, Rel. Min. José Rober- to Freire Pimenta, DJe 09.09.2011, p. 736). A U X Í L I O - A L I M E N T A Ç Ã O . E M P R E G A D A A D M I T I D A ANTERIORMENTE À NORMA COLETIVAE À A D E S Ã O A O P A T. N A T U R E Z A SALARIAL: O fornecimento de auxílio- alimentação, como regra geral insculpida no art. 458 da CLT e na Súmula nº 241 desta Corte, tem natureza salarial. Assim, a conces- são do auxílio-alimentação anteriormente às normas coletivas que previam a natureza indenizatória dessa benesse, bem como a posterior adesão da reclamada ao PAT, não retiram o caráter salarial dessa parcela. Inci- dência da Súmula nº 51, I, do TST. Recurso de revista conhecido e provido. (TST ARR 52300-51.2008.5.15.0151. Relª Minª Dora Maria da Costa, DJe 09.09.2011, p. 1728). A U X Í L I O A L I M E N T A Ç Ã O . INSCRIÇÃO no PAT. ÔNUS da EMPRESA: É ônus da empresa fazer prova do fato impedi- tivo do direito do autor, in casu, de sua inscri- ção no Programa deAlimentação do Trabalha- dor, uma vez que apenas a participação da empresa no aludido programa tem o condão de afastar a natureza salarial da parcela, pois assim interpreta-se o conteúdo do artigo 3º da Lei 6.321/76. Não comprovada essa circuns- tância, é plenamente aplicável a diretriz conti- da na Súmula 241 do C. TST, tendo em vista o que dispõe o artigo 458 da CLT. (TRT 06ª R. Proc. 0000777-89.2010.5.06.0018. 2ª T. Relª Desª Maria Helena Guedes S. de P. Maciel, DJe 30.08.2011, p. 114). T Í Q U E T E - A L I M E N T A Ç Ã O . PARTICIPAÇÃO do EMPREGADO no C U S T E I O . D E S C O N T O M E N S A L . S A L Á R I O I N N A T U R A . N Ã O CARACTERIZADO: A gratuidade é requisito indispensável à caracterização do salário in natura (artigo 458 da CLT), pelo que, se há participação do empregado no custeio do tíquete-alimentação fornecido pelo emprega- dor, mediante desconto em folha de pagamen- to, não há falar em natureza salarial do benefí- cio. Recurso provido. (TRT 24ª R. – RO 318- 31.2010.5.24.0004 – Rel. Des. André Luís Moraes de Oliveira – DJe 22.06.2011 – p. 36). Assessora Jurídica do SINDIMETAL IAdvo- gada Trabalhista I Garcez Advogados Associados
  • 15. O futuro já chegou para a Sebras Portas Rápidas, que desde maio de 2012, ocupa 2.200m² de área construída no Distrito Málaga, em São Leopoldo. Com a mudança, a empresa aumentou em 25% o número de colabora- dores, que passou para 42 funcionários. Segundo o sócio-diretor da Sebras, Valdir Huning, a nova fábrica é a realização de um projeto de longa data, fruto de uma jornada bastante trabalhosa. “Queremos proporcionar boas condições de trabalho e melhor qualidade de vida para todas as pessoas que integram a empresa”, comenta Valdir. “O nosso desejo é de que o investi- mento sirva como impulsionador, para que o trabalho seja realizado prazerosamente e com qualidade, proporcionando também o crescimento pessoal e profissional. Conto com a colaboração de todos, que tem mérito neste processo, para darmos continuidade a este projeto”, justifica o empresário. “O novo espaço físico produtivo foi imprescindível, pois estamos fabricando as Portas MaxiDoor, nosso último lançamento. São portas gigantes para grandes vãos”, destaca Lurdes Regina da Silva, gerente Comercial da Sebras. “Estamos iniciando a produção, para um cliente do Rio de Janeiro, de 16 Maxi Door, que variam de 17m a 35m de largura x 16,50m de altura. No início de fevereiro, concluímos a entrega de 24 Maxi Door, de 13m L x 12m A. Ou seja, se estivéssemos no antigo prédio, localizado na BR 116, ficaria inviável”, afirma Lurdes. A mudança superou as expectativas dos profissionais de todos os setores, que agora estão mais motivados para desem- penhar as atividades. O prédio atual possui bastante iluminação natural. A empresa disponibiliza ônibus para o deslocamento dos funcionários e, diariamente, ao chegarem à empresa é servido um café da manhã, sem custo para os funcionários. A Sebras também dispõe de refeitório e o almoço é preparado no próprio local. A equipe está orgulhosa de trabalhar naSebras.Confiraalgunsdepoimentos: “Sinto-me honrado em fazer parte do quadro de profissionais da Sebras, pela inovação constante dos processos. Com nossa nova rotina do café da manhã, antes do início do expediente, conseguimos diminuir a quebra das atividades, aumen- tando a produtividade”. Giovane Haubert, TÉCNICOPCP “Com certeza contribuiu para que todos tenham condições de desempenhar o seu trabalho com qualidade e satisfação. O crescimento da empresa proporciona o crescimento, pessoal e profissional contínuo dos colaboradores. Melhoramos a organização do setor comercial, inclusive teremos maiores condições de prospecção e vendas”. Vanessa Krause Pires, COORDENADORADEVENDAS “Agora temos maior espaço para melhor organização e logística; autonomia de trabalho; foco nos resultados e maior qualidade de vida. Estou muito feliz com esta mudança”. WagnerMaciel,MONTADOR “Orgulho-me da proporção de crescimento que a Sebras está alcançando. Acredito que é resultado de muito trabalho e dedicação de todos e que vai melhorar consideravelmente com estas novas condições de trabalho. Estou muito feliz e motivado”. Paulo César Dutra Teixeira, MONTADOR “Houve uma melhora considerável na qualidade de execução dos processos, com mais espaço para o desenvolvimento do trabalho, maiores condições e mais oportunidades de organização e de execução do programa 5 S's, que antes era inviável em razão do espaço físico reduzi- do. Com a nova fábrica, surgirão novas ideias e uma nova filosofia, com maior comunicação interna”. Luís Gustavo von Hohendorff, ENGENHEIROMECÂNICO Fonte:Sebras Ampliação Sebras nas novas instalações ALamaço Artefatos de Aço Ltda. iniciou 2013 já em sua nova sede, no Distrito Málaga, em São Leopoldo. “Uma mudança significativa, pois passa- mos de uma sede com 400m2 para 1000m2, numa área total de 3050m²”, comemora Pedro Paulo Lamberty, sócio- gerente da empresa. “A transferência para o Málaga foi um marco”, afirma, “pois tivemos que concentrar todas as nossas energias, em 2012, para fabricar o pavilhão e atender os nossos clientes”, relembra Lamberty. “Mas valeu, mesmo não estando totalmente pronto; estamos num espaço nosso, com mais qualidade para desenvolver o trabalho e oferecendo mais conforto para nossos funcionários, clientes e fornecedo- res”, avalia. A Lamaço conta hoje com uma equipe treinada e qualificada para atender os clientes na área de corte dobra de guilhotina e dobradeira CNC, oxicorte e caldeiraria em geral. Com a transferência para a nova sede, foram admitidos três funcionários e, segundo o empresário, “temos uma demanda de mais dois para suprir a nossa necessidade”. Em termos de faturamento, está previsto, neste primeiro ano, um aumento de até 40% em função do atual porte físico da Lamaço. “Em 2012, estávamos no nosso limite de espaço, dificultando e muito a realização do trabalho”, destaca Lambery, que enfatiza também o apoio do SINDIMETAL e do SEBRAE, pela conquista desta nova fase. “Hoje já começo a perceber a necessidade de uma certificação”, aponta o empresário entusiasmado com o momento vivido pela Lamaço. “No Málaga, juntamente com as demais empresas, vamos poder realizar metas em conjunto, buscando sempre a economia e a satisfação dos nossos colaboradores”, projeta Lamberty. Fonte:Lamaço Na nova sede Lamaço no Distrito Málaga
  • 16. Aminha bandeira é a melhoria da gestão e inovação” afirma a diretora executiva da Metalúrgica Daniel, Débora Oppitz Giacomet, que possui no seu DNA o empreendedorismo. “Um novo produto, processo ou serviço para a Daniel é inovação”, salienta a empresária que herdou da família também o espírito visionário. Sua trajetória junto a Daniel começou na área Comercial, em 1989. Atuando em vendas, visitou os clientes para conhecer e compreender o mercado. “Isto tem sido fundamental para administrar a empresa”, avalia a diretora. A Metalúrgica Daniel Ltda., fundada por Almiro Oppitz e Élio Antônio Giacomet, iniciou as suas atividades em 10 de janeiro de 1968, em Novo Hamburgo. O avô Almiro, competente matrizeiro, atuou na serra gaúcha e posteriormente fundou a Daniel com seu genro Elio Antônio Giacomet que seguem sendo motivo de orgulho para a família. A origem do nome da empresa foi uma homenagem dos fundadores ao seu primeiro neto e filho, Daniel. A modesta metalúrgica, com apenas dois colaboradores, produzia somente fivelas estampadas em aço para calçados, nos seus restritos 50m² de área construída. Com o tempo, cresceu e incorporou a seus processos produtivos as linhas de injeção de zamac, em 1984, e injeção de plásticos, em 1988. Tornou-se uma empresa sólida, com investimentos constantes em tecnologia e pessoal, além de trabalhar no desenvolvimento de diversos produtos para as indústrias do calçado e de confecção. A partir desta evolução, passou a ser considerada uma das mais importantes fornecedoras de componentes. “Em 1997, a Daniel inseriu-se no segmento de peças técnicas, uma estratégia de diversificação para minimizar os efeitos sazonais da moda, relata Débora. Atualmente, mantem em seu portfólio mais de 70 mil itens, que atendem a uma rede de clientes que segue num crescente. A sustentabilidade é um compromisso explícito nos valores da empresa, que promove ações relacionadas a área social e ambiental com foco na sensibilização e redução dos impactos no meio ambiente. Inovação permanente “O sucesso é explicado pelo profissionalismo e excelência na gestão”, define a empresária. O divisor de águas foi em 1994, quando ocorreu a implantação do programa da qualidade. Em 1997, a empresa aderiu ao Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade e, em 2009, conquistou o Prêmio Qualidade RS - Troféu Prata. Desde 2000, mantém a certificação ISO 9001. “Através do Sistema de Gestão Daniel - SGD a empresa integra os requisitos da ISO e as práticas de excelência do PGQP”, registra a diretora. Consolidada hoje como uma das principais fornecedoras de componentes metálicos e plásticos da América Latina, a Daniel fornece soluções diferenciadas em metais e plásticos. “A relação com o mercado de Peças Técnicas foi fundamental para acelerar investimentos em tecnologia e gestão”. Ouvir clientes e colaboradores é importantíssimo para definir diretrizes, mas “não basta ter um planejamento, é preciso ser efetivo na execução. No dia a dia recebemos muitos sinais e devemos estar sempre atentos”, argumenta. A melhoria da gestão na Daniel é permanente. “Esta responsabilidade deve ser, acima de tudo, da liderança, que deve conhecer a empresa de fato. Além disto, o empresário precisa ter disciplina e organiza- ção, competências essenciais para um bom líder. É comum ver empresas familiares viverem em verdadeiros ambientes informais. A formalização é necessária para o desenvolvimento da empresa, e precisa ser tão dinâmica e rápida quanto o mercado”, avalia. A receita de sucesso “é manter o foco na melhoria do modelo de gestão da Daniel”. Também pontua o conhecimento como um ingrediente importante na receita. "Ter a certeza de que não sabemos tudo”. Os próximos passos são aumen- tar o ritmo, trabalhar num movimento acelerado, visando a sustentabilidade e a competitividade, e perseguir novas conquistas. “Pessoas felizes e motivadas são fundamentais para um bom ambiente e desempenho no trabalho”. E sugere: “nunca percam a oportunidade de atuar numa entidade. Tão importante quanto o conhecimento acadêmico é a experiência sindical. Impulsionei o meu desenvolvi- mento a partir desta relação estreita com as entidades, que atuam e trabalham pelo coletivo”. Parabéns pela história de sucesso! Vida longa para a Metalúrgica Daniel, que orgulhosamente integra a rede de associadas do SINDIMETAL! 45“ Diversidade de produtos