SlideShare uma empresa Scribd logo
Ano 8 - nº 49 | Novembro/ Dezembro – 2014
Educaçãowww.sindimetalrs.org.br
06
Grupo de Estudos
Comitê de RH
09
Integração
dos Comitês
08
Exposições e
missões 2015
16
Grupo Plínio Fleck
na VITRINE
JovemEmpreendedor:
peçafundamentalparaosucesso
Na atual conjuntura econômica são
i n d i s p e n s á v e i s p e s s o a s
empreendedoras e perspicazes à
frente de nossas empresas.
É v á l i d o d e s t a c a r q u e o
e m p re e n d e d o r i s m o é u m b e m
necessário para o crescimento
econômico do País e para a melhoria
das condições de vida da população.
No entanto, para um profissional ser
um empreendedor de sucesso não
basta “apenas” ter habilidades,
vontade, dedicação, foco e boas ideias.
O s d e s a fi o s d o a t u a l j o v e m
empreendedor estão, além de todos
esses quesitos, fundamentados no
desenvolvimento de uma ampla visão
com relação aos negócios.
O dia a dia nas empresas exige
rapidez nas decisões, para que possam
ser vislumbradas novas possibilidades,
antecipando, muitas vezes, os
acontecimentos. Ou seja, é preciso ter um
sexto sentido para alcançar o sucesso.
Todos esses fatores devem estar ligados à
capacidade estratégica de articular
recursos para atingir os objetivos finais,
caso contrário, dificilmente a empresa
sobreviverá à competitividade atual.
As oscilações do mercado exigem,
cada vez mais, que a atuação das equipes
seja empreendedora e constantemente
a t e n t a à s m u d a n ç a s . A b u s c a
permanente pela inovação e por
métodos eficazes de desenvolvimento
humano devem estar bem mais
presentes nas equipes de trabalho.
Munir-se de conhecimento técnico e
comportamental, assim como conhecer
novas ferramentas para o sucesso de seu
negócio, passou a ser um diferencial
necessário.
O comodismo não condiz com os
tempos atuais e nem pode ser
característica na gestão de nenhuma
empresa. É imprescindível, além de
desafiar sua equipe, também desafiar a si
mesmo, ser ousado, mas ao mesmo
tempo agir com bom senso, não se
arriscando em vão. Buscar atingir novos
negócios exige sensibilidade, pois em
muitos casos simples ideias podem se
tornar grandes oportunidades.
Outro fator determinante é o
“pensamento fora da caixa”. A famosa
expressão representa os limites do
pensamento criativo, uma barreira, que
impede a pessoa de ser original ou até
mesmo contribui para que se tenha uma
imagem distorcida do que seja estar
realizado no trabalho. É, muitas vezes,
um trabalho de desconstrução para que
novas reflexões apareçam e façam a
d i f e re n ç a . A i d e i a é a b a l a r o
conformismo, que impede as pessoas de
crescer e realizar mudanças na forma de
enxergar e atuar no mundo dos
negócios.
“Pensar fora da caixa” nos ajuda a
fomentar novas formas de gestão
empresarial, ampliando conceitos e até
quebrando paradigmas. Torna-se
indispensável, manter-se em estado de
alerta, diante da concorrência desleal
de outros países. Precisamos contribuir
para que seja ainda mais relevante o
papel do empreendedor.
Planejar estrategicamente e
vislumbrar as possibilidades de
alcançarmos resultados positivos, passa a
ser uma opção, onde se calcula o risco. É
analisar a importância de desconstruir
para reconstruir a partir de uma visão de
mundo, mais rica e consciente, capaz de
realmente contribuir para o sucesso na
carreira.
Em uma análise final, podemos
concluir que os jovens empreendedores,
além de todos esses elementos
essenciais, são pessoas diferenciadas,
que possuem motivação singular.
Apaixonados pelo que fazem não se
contentam em ser apenas mais uma
pessoa em meio à multidão, mas estão
sempre desafiando os seus limites e
conquistando novos espaços, vivendo
com intensidade todas as etapas,
construindo o futuro sem medo de ser
feliz.
‘’Munir-se de conhecimento técnico e
comportamental, assim como conhecer novas
ferramentas para o sucesso de seu negócio,
passouaserumdiferencialnecessário.’’
xpediente
ŸO PAPEL DESTE INFORMATIVO É
PROVENIENTE DE ÁRVORES DE
FLORESTAMENTO.
100%
DOS IMPRESSOS EM PAPEL
FABRICADO NO
BRASIL
PROVÊM DE FLORESTAS
PL ANTADAS
E
AME • PRESERVE • RECICLE
Editorial
“Educar é semear com sabedoria e colher com paciência”. (Augusto Cury)
stá circulando o ESPAÇO SINDIMETAL nº 49,
E incluindo em suas páginas atividades
desenvolvidas pela entidade e suas associadas, em
dois meses de intensa programação. Na página 04,
podemos acompanhar a participação do
SINDIMETAL, no 9º Encontro Nacional da Indústria
(ENAI), onde esteve representado pelo diretor
Executivo, Valmir Pizzutti. Já na página 05, a 4ª Feira
Agrometal do Mato Grosso do Sul, que oportunizou
a troca de experiências na área de gestão, ocasião
em que a entidade foi convidada a apresentar o seu
case de sucesso.
Confira também na página 06 o destaque para a
entrega de certificados aos participantes dos
Grupos de Estudos, que encerraram as atividades
relativas às Ações Motivacionais e Indicadores de
Gestão de RH, além do Meeting Gestão de Pessoas,
sempre tão enriquecedor. Já na página 08, os
empresários avaliam a participação nas exposições
e missões e, na página 09, os comitês do
SINDIMETAL concluem suas atividades e divulgam
as ações para 2015.
'Histórias que marcam', como o tema da festa
sugeriu, motivou o lançamento do livro SINDICATO
DAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E
DE MATERIAL ELÉTRICO E ELETRÔNICO DE SÃO
L E O P O L D O - S I N D I M E TA L : H I S TÓ R I A ,
REPRESENTAÇÃO E MEMÓRIA, que relata a história
da entidade. O lançamento, muito prestigiado,
ocorreu na Confraternização de Final de Ano das
Associadas do SINDIMETAL. Acompanhe a cobertu-
ra deste evento no encarte especial.
Artigos com temas atuais, relacionados às áreas
jurídica Ambiental, Trabalhista e Tributária têm
contribuído para prestar esclarecimentos importan-
tes aos associados. Veja, nesta edição, os temas que
estão sendo abordados nas páginas 12, 13 e 14. Na
sequência, o espaço é destinado ao Mercado, que
apresenta ações e momentos especiais das
empresas associadas. E, encerrando esta edição, a
Vitrine com o Grupo Plínio Fleck, que comemora 65
anos e contempla a Flecksteel, hoje a maior
produtora mundial de biqueiras de aço para
calçados de segurança. Conheça esta história de
sucesso, que ilustra merecidamente a contracapa
desse informativo.
Boas Festas!
Até a próxima edição, em fevereiro de 2015!
Diretor Executivo: Valmir Pizzutti
Redação: Jornalista Neusa Medeiros (Mtb 5062)
Criação e Arte: Wiliam Gonçalves
Relacionamento Institucional: Andrea Maganha
Informativo bimestral
Tiragem: 2000 exemplares
Circulação: gratuita e dirigida
Fotos: divulgação
Edição e Produção: Edição 3 Comunicação
Empresarial Ltda.
Gráfica: Impressos Portão Ltda.
Endereço:
Rua José Bonifácio, nº 204 - 5º andar-
Centro das Indústrias
São Leopoldo/RS - Fone (51) 3590.7707
relacionamento@sindimetalrs.org.br
www.sindimetalrs.org.br
Frases do rodapé: www.frasescurtas.net/frases-de-educacao.html
Os trabalhos assinados são de responsabilidade de seus autores.
A indústria brasileira tem pressa. Pressa para
solucionar seu problema de competitividade. Pressa
para voltar a ser o centro dinâmico do crescimento
brasileiro. Pressa para contribuir para o Brasil
avançar no seu desenvolvimento econômico, social e
político.
Nos últimos anos, a indústria cresceu muito
pouco, muito menos que a economia. A manufatura
– o segmento que mais sofre com a perda de
competitividade – se mantém estagnada desde
2010 e a produção da indústria geral encontra-se
abaixo da registrada na pré-crise de 2008. Como
resultado, a participação da indústria no PIB é de
25%, dez pontos percentuais a menos que nos
anos 90. A indústria de transformação representa
hoje apenas 13% do PIB.
O Brasil não pode se contentar em ser um
coadjuvante no cenário industrial mundial. A
participação do Brasil no valor da transformação
industrial mundial ficou praticamente estagnada
de 2000 a 2013.
Foco na competitividade e governança para
enfrentar os problemas
Nossas dificuldades têm suas raízes na falta de
competitividade.
Nossos custos crescem mais que a
produtividade, alijando nossos produtos dos
mercados.
OBrasilprecisaterumaagendacommetasclaras
e objetivos definidos sobre o que pretende alcançar
para tornar-se mais competitivo em curto e médio
prazo. Isso exige uma governança especial capaz
d e g e r i r, c o o rd e n a r e m o n i t o r a r a s
transformações requeridas.
Pontos fundamentais para serem
resolvidos até 2018.
O Brasil precisa estar preparado, para, em
2018, responder sobre o quanto melhoraram os
indicadores de competitividade. Daqui a quatro
anos queremos afirmar que:
O sistema tributário está livre das principais
ineficiências que o caracterizavam em 2014
(cumulatividade, oneraçāo das exportações e
investimentos, descasamento entre prazos dos
pagamentos de tributos e prazo de vendas). Sua
complexidade reduziu-se de forma expressiva,
tornando-se compatível com os padrões
internacionais;
O sistema de relações de trabalho evoluiu em
direção ao reconhecimento da negociação com
legislação moderna, compatível com as atuais
condições de trabalho e com segurança jurídica;
Os investimentos em infraestrutura cresceram
em relação ao PIB por meio de maior participação
do capital privado e de maior alocação de
recursos públicos;
A política fiscal evoluiu de forma a propiciar o
crescimento da taxa de investimento, redução da
taxa de juros a níveis próximos do internacional e
uma taxa de câmbio mais estável e competitiva;
A política comercial ativa, desburocratizada e
com foco em mercados estratégicos permitiu uma
maior e melhor inserção internacional para um
número expressivo de empresas brasileiras de todos
osportesesetores;
A qualidade da educação mostrou avanços
expressivos, retratados nos exames de proficiência
dos alunos tanto da Prova Brasil quanto do PISA,
da OCDE.
A agenda da indústria está explicitada no Mapa
Estratégico e nas 42 propostas apresentadas aos
candidatos às eleições de 2014. Esse será o roteiro
da nossa ação para os próximos anos. A CNI fará
o monitoramento da evolução dessas propostas
e publicará, anualmente, o painel de
acompanhamento da implementação das
propostas e das metas estabelecidas no Mapa
Estratégico.
É tempo de correção de rota
A indústria do futuro já está hoje no presente,
com suas impressoras em 3D e na massificação
de robôs causando uma revolução nos métodos
de produção. A crise mundial fez as economias
avançadas reavaliarem suas estratégias. A
indústria nos Estados Unidos, epicentro da crise,
já retoma sua capacidade de competir e se
reestrutura. A Europa busca equacionar seus
problemas de custos. Acordos regionais de
comércio e políticas voltadas para a maior
integração a cadeias globais de valor se
proliferam no mundo.
A maioria dos países emergentes faz o
mesmo: se torna mais competitivo e se insere no
mercado global. Essa é a prioridade para o Brasil.
Além da indústria
O processo de crescimento, em especial a
e x p a n s ã o d a c l a s s e m é d i a , p ro d u z
transformações e novas demandas. As novas
gerações têm novas expectativas. A agenda do
Estado eficiente e profissional é uma prioridade
para a sociedade e para a indústria. O Estado
precisa oferecer serviços públicos de qualidade
(sobretudo a educação), aumentar a sua
eficiência na execução de projetos - em especial
de infraestrutura, garantir a segurança jurídica
necessária à operação dos empreendedores e ter
capacidade de conduzir as reformas necessárias
para o Brasil crescer mais e melhor.
Para o Brasil avançar, o aperfeiçoamento
contínuo das instituições é essencial. Essa agenda
requer a evolução das instituições guardiãs da
moeda e das contas públicas, da Justiça, da
educação e da ciência e tecnologia, da segurança
pública, das agências reguladoras, do sistema de
proteção aos direitos de propriedade e das
instituições provedoras de bens públicos. Da
mesma forma, as organizações da sociedade civil
e as empresas precisam estar aptas a enfrentar os
desafios colocados pelas transformações do
Brasil.
É o avanço do capital institucional que
garantirá o crescimento sustentável do país.
O desenvolvimento econômico e social
conecta-se com o desenvolvimento político. Esse
é um tema em que a indústria, como parte da
sociedade, tem expectativas. O sistema político
precisa enfrentar os desafios que estão postos.
Propostas e diálogo
A indústria, ao apresentar as suas propostas
ao país, espera abrir um diálogo permanente e
profundo com as forças da sociedade, o
Congresso, o Executivo e o Judiciário para o Brasil
enfrentar os seus desafios e criar condições para
a sua evolução em direção a uma sociedade justa
e próspera.
proximadamente 1800 empresários e
Agestores participaram, nos dias 05 e 06
de novembro, em Brasília, do 9º
Encontro Nacional da Indústria (ENAI). Uma
comitiva de 70 integrantes, liderada pelo
presidente do Sistema FIERGS/ CIERGS, Heitor
José Müller, participou desta edição, sendo que
o SINDIMETAL esteve representado pelo diretor
Executivo, Valmir Pizzutti.
Durante o ENAI, foram debatidas questões
como produtividade, reforma tributária,
educação, infraestrutura, relações do trabalho,
segurança jurídica e integração do Brasil à
economia internacional. O presidente da
Confederação Nacional da Indústria (CNI),
Robson Braga de Andrade apresentou um
balanço dos avanços alcançados e dos
obstáculos que as empresas e o País terão de
superar nos próximos quatro anos.
Ao final do evento, os empresários
apresentaram a Carta da Indústria, com as
propostas do setor produtivo ao novo governo,
que transcrevemos abaixo.
CartadaIndústria2014
Fonte: ENAI 2014
Comitiva gaúcha
Crédito Miguel Ângelo
SINDIMETALpresentenoENAI2014
Entidaderepresentadana4ªFeira
AgrometalemMatoGrossodoSul
F
oi realizada, no dia 28 de outubro, no
SINDIMETAL, uma reunião de
apresentação da situação atual do
Programa Pelotão Esperança, incluindo as
iniciativas previstas para 2015/ 2016.
O Pelotão Esperança, do 16º Grupo de
Artilharia Autopropulsado (GAC/AP) de São
Leopoldo, recebe uma atenção especial do
SINDIMETAL, que acredita na formação
profissional. O programa educa, forma
cidadãos e incentiva os jovens a terem uma
profissão.
Durante o encontro foi discutida
t a m b é m a f o r m a i d e a l p a r a o
encaminhamento da agenda dos jovens,
durante os dois anos de projeto. A sugestão,
apresentada é que, no primeiro ano, sejam
reforçadas as atividades de formação de
cidadania e disciplina no 16º GAC e,
posteriormente, no 2º ano, mediante
critério de merecimento, os jovens sejam
encaminhados para as empresas, onde
poderão atuar como estagiários na área
administrativa ou como cotistas do SENAI
ou SENAC.
“Educar é crescer. E crescer é viver. Educação é, assim, vida no sentido mais autêntico da palavra”. (Anísio Teixeira)
Odiretor Executivo do SINDIMETAL,
Valmir Pizzutti foi um dos palestran-
tes na 4ª Feira Agrometal do Mato
Grosso do Sul, dia 23 de outubro, no municí-
pio de Dourados. O espaço, para troca de
experiências na área de gestão, foi oportuni-
zado pelo SEBRAE/ MS, sendo que Pizzutti
abordou o tema 'Diálogo Empresarial Gestão
Sindical Eficiente'.
A 4ª Feira Agrometal foi realizada pela
Prefeitura de Dourados, em Mato Grosso do
Sul, através da Secretaria de
D e s e n v o l v i m e n t o
Econômico Sustentável de
Dourados (SEMDES) e o
Sindicato das Indústrias
Metal Mecânicas e de
Materiais Elétricos da
G r a n d e D o u r a d o s
(SIMMME). Na ocasião,
Pizzutti apresentou a
e x p e r i ê n c i a d o
SINDIMETAL, ao adotar um
sistema de gestão estratégi-
ca. A entidade, que abrange
35 municípios, localizados
no Vale do Sinos, Caí e Encosta da Serra, tem
sido uma das referências sindicais patronais
no País.
Ao detalhar sobre a estrutura organizacio-
nal, o diretor Executivo, que atua como um elo
entre a equipe Executiva e a diretoria, também
informou que ocupa uma função tática no
Planejamento Estratégico. Além de acompa-
nhar os projetos existentes desde a sua
criação, implementação até a avaliação,
exerce, atualmente, uma função estratégica
nas negociações coletivas, como coordena-
dor da comissão de negociação, sendo o
principal mediador entre o Sindicato Patronal
e o Sindicato dos Trabalhadores.
VISITA AO SINDIMETAL – Esteve no Rio
grande do Sul, conhecendo a infraestrutura
do SINDIMETAL, nos dias 17 e 18 de novembro,
o presidente do Sindicato Intermunicipal das
Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de
Material Elétrico da Grande Dourados
(SIMMME), Osvaldo Fleitas Centurion,
acompanhado do gerente do SEBRAE
Regional Sul – Dourados/MS, Hitalo Silva
Cunha.
A agenda incluiu visitas técnicas na
empresa do Grupo Delga e no Distrito
Industrial Málaga, em São Leopoldo, além de
reuniões de trabalho com o presidente do
SINDIMETAL, Raul Heller, com o diretor
Executivo da entidade, Valmir Pizzutti e
equipe, no Centro das Indústrias. Na ocasião,
os visitantes também
prestigiaram o Meeting
Gestão de Pessoas, que
esteve a cargo do conferen-
cista Jorge Geisler.
“Foi uma visita muito
produtiva e enriquecedora”,
registra Hitalo. “Só temos a
agradecer pelo empenho
em organizar nosso roteiro,
as visitas técnicas tão
proveitosas e a participação
no evento, que foi um
grande sucesso”, destacou.
“Sentimos-nos muito bem
acolhidos por todos e retornamos com o
compromisso de trabalhar para que tenha-
mos iniciativas exitosas, semelhantes ao
sindicato e empresas locais”, afirma.
SINDIMETAL presente na Agrometal
Reunião produtiva
PelotãoEsperançapromovereunião
dealinhamentoentreparceiros
P
a
e
ç
l no at rã eo Esp
ojetr oP
au, o líder é o canal! O papel
Uestratégico da liderança nos
p r o c e s s o s d e m u d a n ç a ,
transformação e crescimento das empresas
foi o tema da palestra, que ocorreu no dia 18
de novembro, por ocasião do 11º Meeting
Gestão de Pessoas. A promoção do
SINDIMETAL, através do seu comitê de
Recursos Humanos, em parceria com o
Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS) reuniu 144
pessoas. A atividade aconteceu no horário
das 8h30min às 11h, no Centro das
Indústrias, em São Leopoldo.
A palestra esteve a cargo do
conferencista Jorge Geisler, administrador
de empresas, professor universitário e autor
dos livros Falando e encantando o seu
público e Comunicação motivacional -
Mantenha seu Uau! “O sucesso empresarial
está, em grande parte, em transformar
valores em atitudes concretas no cotidiano”,
afirma o palestrante. “A credibilidade é o
nosso maior patrimônio. Se fizermos o
nosso melhor, isto será percebido”. Todo
resultado exige investimento de tempo e
muita dedicação. É preciso pagar o preço,
em tudo o que se faz, com responsabilidade,
para colher resultados mais satisfatórios,
explica.
Resultados positivos
Destinada aos empresários, executivos e
gestores das empresas associadas, o
Meeting abordou temas relacionados aos
modelos mentais; liderança positiva - foco
em talentos e fortalezas; entregando amor e
cobrando resultados; comunicação verbal e
não-verbal; liderança situacional; as novas
relações interpessoais e espiritualidade e
liderança - tudo a ver!
Heloísa Gaelzer Müller, coordenadora do
c o m i t ê d e R H , d a e n t i d a d e , n o
encerramento agradeceu a presença dos
participantes e afirmou estar satisfeita com
os resultados que têm sido alcançados,
através do Meeting Gestão de Pessoas.
Mais informações, sobre as próximas
edições, poderão ser obtidas junto ao
SINDIMETAL, através do telefone 3590-7710.
GruposdeEstudosencerramatividades
eprogramamnovasediçõespara2015
11ºMeetingGestãodePessoas
reuniugestoresnoSINDIMETAL
U
m evento marcou a entrega de
certificados aos participantes dos
Grupos de Estudos, que encerraram
as atividades relativas às Ações
Motivacionais e Indicadores de Gestão de
RH, no dia 10 de dezembro, no Centro das
Indústrias. A iniciativa do comitê de Recursos
Humanos, do SINDIMETAL, sob a
coordenação de Heloísa Gaelzer Müller, da
Rexnord, avaliou positivamente este projeto
piloto, que terá novas edições em 2015.
“Segundo pesquisa realizada entre os
participantes, 75% consideram válidas e
25% pontuam como boas as atividades
propostas, tendo avaliado com 100% de
satisfação o trabalho de coordenação das
facilitadoras”, registra o secretário Executivo
do SINDIMETAL, Paulo Ziegler, que
acompanhou as etapas propostas pelo
comitê de RH.
Na opinião da coordenadora Heloísa
“desejamos investir mais na metodologia e
preparar mais facilitadores, considerando as
avaliações e sugestões apresentadas pelos
participantes”.
N e s t a e d i ç ã o a t u a r a m c o m o
facilitadoras, Daiane Schmidt - Erps;
Estelamáris Bernardes - Altus; Najara Borba -
Sebras e Bianca de Medeiros - CRK.
Em 2015, os Grupos de Estudos serão
realizados nos meses de abril/ maio e, no
segundo semestre, em agosto/ setembro,
totalizando oito encontros, pelo período de
60 dias.
Mais informações pelo telefone 3590-
7710.
Recursos Humanos
Comitê do SINDIMETALRH
Jorge Geisler Público prestigiou a iniciativa
Grupos de Estudos em destaque
S
ob a coordenação do empresário
Marcelo Mariani, o Valemetalsinos
reuniu, no dia 25 de novembro, no
SINDIMETAL, as empresas que integram o
comitê para apresentação institucional,
incluindo a relação de produtos e serviços
prestados, principais insumos e matéria-
prima, além do histórico e dados para
contato.
Na ocasião, cada empresário comentou
também sobre seus projetos especiais e
metas previstas, destacando os principais
fornecedores e clientes, bem como os
segmentos de abrangência.
O espaço no site do SINDIMETAL, para a
página do comitê, tem beneficiado e
possibilitado a rápida disseminação de
informações, com fácil acessibilidade e
amplas possibilidades de visibilidade,
aproximando mais as empresas do mercado.
Participaram desta iniciativa diretores das
empresas: Sebras, Spheric, Metalúrgica SS,
Lamaço, RD Flex, Transmaq, Grefortec, CRK,
Ernesto Müller, Petec, Alu-Ce , Ifla, Sanlarte,
Metalúrgica Mariani, Viva Cor e ietti. O
encontro encerrou com um jantar de
confraternização e sorteio de brindes da
Metalúrgica Mariani e ietti.
CenárioEconômicopós-eleições
O
economista-chefe do Sistema
FIERGS, André Francisco Nunes de
Nunes, da Unidade de Estudos
Econômicos da Federação das Indústrias do
Rio Grande do Sul, participou da reunião do
comitê Valemetalsinos no dia 11 de
novembro, no Centro das Indústrias.
Na ocasião, fez uma análise referente aos
resultados pós-eleições no País e no Estado,
onde delineou perspectivas sobre o cenário
econômico em 2015, apontando também
desafios, que deverão ser enfrentados pela
economia brasileira.
Segundo aponta a Confederação
Nacional da Indústria (CNI), os principais
fatores, que podem impedir total ou
parcialmente a realização dos investimentos
planejados são: a incerteza econômica; a
reavaliação da demanda/ ociosidade
elevada; o custo do crédito/ financiamento;
o aumento inesperado no custo previsto do
investimento; a dificuldade de obtenção de
crédito/ financiamento e as dificuldades com
a burocracia.
Para Nunes “o principal desafio da
economia brasileira para os próximos anos
será o de encontrar meios para a retomada
do crescimento da indústria”. Diante desse
cenário apresentado, “a evolução nos custos
industriais tornou o Brasil um País caro para
produzir, ou seja, perdemos competitividade
externa e interna”, avalia o economista. “O
crescimento do mercado de crédito,
principalmente o direcionado, foi um dos
destaques positivos nesse cenário adverso”,
indica, “porém, a conjuntura externa, os
indicadores internos e as próprias indústrias
apontam para um período de maior
restrição de recursos”, afirma Nunes.
A atividade foi uma ação realizada em
conjunto pelos comitês Valemetalsinos e
Desenvolvimento de Lideranças.
“É na educação dos filhos que se revelam as virtudes dos pais”. (Coelho Neto)
Valemetalsinosrealizareunião
deencerramentodoanoComitê do SINDIMETAL
Duas reuniões foram realizadas pelo
comitê Desenvolvimento de
Lideranças 2, no Centro das
Indústrias, para apresentação das
empresas, que integram o grupo. A
atividade teve como objetivo a integração
dos participantes, além da divulgação do
trabalho desenvolvido nas suas empresas.
No dia 10 de novembro, Alu-Ce ,
Biomax, Copé, Delga, Exclusive, Gilmaq,
Grefortec, Lamaço e Spheric estiveram
relatando sobre os produtos e serviços
prestados e, no dia 24 de novembro, o
destaque ficou para o Escritório Garcez
Associados, Mecsul, SESI, Transmaq, Viva
Cor e ietti.
O comitê Desenvolvimento de
Lideranças promove a formação e o
for talecimento de lideranças, de
empresários e profissionais das empresas
associadas ao SINDIMETAL, tendo como
visão a formação de líderes comprometidos
com o meio associativo e empresarial.
Desenvolvimento
de Lideranças
Comitê do SINDIMETAL
DL
Turma2
Reunião realizada no Centro das Indústrias
Participantes dos comitês atentos às perspectivas para 2015
ma reunião para avaliação das feiras
Ue missões, que contou com a
participação de empresários do
SINDIMETAL, em 2014, ocorreu no dia 13 de
novembro, às 18h30min, no Centro das
Indústrias. Na ocasião, também houve a
apresentação dos prováveis projetos de
exposições e novas missões para 2015.
As empresas, que prestigiaram as
iniciativas promovidas pela entidade em
parceria com o SEBRAE, apontaram os
aspectos positivos e indicaram melhorias,
visando sempre resultados positivos para os
par ticipantes. Durante a reunião,
integrantes da equipe do SINDIMETAL
apresentaram os resultados da pesquisa de
opinião realizada com empresários, bem
como sugestões dos expositores para as
futuras ações.
Entre as opções apresentadas, para 2015,
foram citadas as feiras Mac Tools, de 11 a 14
de agosto, em Goiânia/GO; Intermach, de 1º
a 04 de setembro, em Joinville/SC; e a
Mercopar, de 06 a 09 de outubro, em Caxias
do Sul/RS, com possibilidade de contatos
para visitas técnicas.
Este evento de abertura para feiras e
missões de 2015, incluindo a avaliação de
2014, encaminha e mostra as opções para as
empresas associadas. A escolha ocorre a
partir do interesse da maioria, sendo o
SINDIMETAL o agente executor.
Mais informações poderão ser obtidas
através dos telefones 3590-7710 e 3590-
7708.
Curso Cozinha Brasil foi
Orealizado em parceria com o
Banco de Alimentos Vale do
Sinos, de 13 a 16 de outubro, no Largo Rui
Porto, em São Leopoldo, em comemora-
ção à Semana Mundial da Alimentação.
Neste ano, ocorreu uma turma de
multiplicadores, no turno da manhã;
quatro turmas com enfoque nas doenças
crônicas não transmissíveis (Obesidade,
Diabetes, Hiper tensão Ar terial e
Dislipidemias) e uma turma de comunida-
de à noite.
Preparar alimentos de maneira
racional, econômica e sem desperdícios é
uma forma de minimizar o problema da
fome no Brasil. Partindo dessa premissa, o
Conselho Nacional do SESI desenvolveu o
Programa Cozinha Brasil – Alimentação
Inteligente, em parceria com o Ministério
do Desenvolvimento Social e Combate à
Fome, tornando-se mais uma ação do
Programa Fome Zero, do Governo
Federal, com apoio das Federações das
Indústrias e Departamentos Regionais do
SESI de todo País.
Utilizando Unidades Móveis, adapta-
das como cozinhas experimentais
pedagógicas projetadas para ensinar, são
realizados os cursos para a população
sobre como preparar alimentos de baixo
custo e alto valor nutritivo, aproveitando
os alimentos de forma integral, preferen-
cialmente, com receitas que utilizam
produtos da própria região, respeitando
as diversidades culturais.
Maiores informações sobre o
Programa SESI Cozinha Brasil, no Rio
Grande do Sul, através da Central de
Atendimento SESI 0800518555 e pelo e-
mail cozinhabrasil sesirs.org.br.
Empresáriosavaliamparticipaçãonasexposições
emissõesedivulgamaçõespara2015
ProgramaSESICozinhaBrasil-AlimentaçãoInteligente
•AUTOMEC – São Paulo/SP - 08 e 09/04
•FEIMAFE – São Paulo/SP – 20 e 21/05
•MACTOOLS – Goiânia/GO – 12 e 13/08
•INTERMACH – Joinville/SC – 02 e 03/09
•FENAF – São Paulo/SP – 29 e 30/09
•MERCOPAR – Caxias do Sul/RS – 08/10
•POLO NAVAL – Rio Grande/RS – 20 e 21/10
•MÊCANICA – Belo Horizonte/MG – 03 a 05/11
•MACTOLLS – Goiânia/GO - 11 a 14/08
• INTERMACH – Joinville/SC - 1º a 04/09
• FENAF– São Paulo/SP - 28/09 a 1º/10
• MERCOPAR– Caxias do Sul - 06 a 09/10
Missões Exposições
*Está prevista também uma missão empresarial internacional, em 2015.
Fonte: SESI
Unidade Móvel - Cozinha Brasil
Encarte Especial
proximadamente 160 pessoas estiveram reunidas, num
Aclima de muita integração, para prestigiar a
Confraternização de Final de Ano das Associadas do
SINDIMETAL, no dia 05 de dezembro, no Centro das Indústrias,
em São Leopoldo.
.
Espaço SINDIMETAL 49
esta edição da Confraternização
Ndas Associadas do SINDIMETAL, o
momento cultural contou com a
apresentação de Daniel Hunger e Banda. O
show foi conduzido pelo presidente do
Sindicato das Indústrias da Construção e do
Mobiliário de São Leopoldo (SINDUSCOM-
SL), engenheiro Julio Cezar Steffen, que
além de integrar a banda, na ocasião, como
baterista, fez um link com o crescimento,
direcionado para três eixos principais:
Construção, Educação e Arte, relatando
momentos significativos da história da
entidade, reconhecida nacionalmente.
“A construção de uma entidade é cheia
de planejamentos, sonhos, projetos,
colaboradores, empresários e de
engenheiros, mas, como na construção de
uma obra, sem uma direção competente
ela não anda. É o Mestre. O mestre da obra”
enfatizou Steffen. “Somente com pessoas
c o m e s t a q u a l i fi c a ç ã o é q u e o
associativismo pode se desenvolver e
transformar, o sonho, que iniciou em 1948,
nesta entidade que é o SINDIMETAL hoje”,
afirma.
Músicas de Noel Rosa, Lupicínio
Rodrigues, Tom Jobim, Vinícius de Moraes,
João Gilberto e The Beatles, empolgaram a
plateia, que cantou e aplaudiu a iniciativa,
pedindo “bis”.
Ao final da apresentação cultural, todos
participaram do jantar de Confraternização
de Final de Ano do SINDIMETAL, que teve
lugar no Salão de Eventos da entidade.
Créditodasfotos:NecaCarrasco
Comitêsconcluematividades
Comitê do SINDIMETAL
Saúde, Segurança
e Meio Ambiente
Comitê do SINDIMETAL
SSMA
Desenvolvimento
de Lideranças
Comitê do SINDIMETAL
DL
Lean
Manufacturing
Comitê do SINDIMETAL
LM
Recursos Humanos
Comitê do SINDIMETAL
RH
“Educação nunca foi despesa. Sempre foi investimento com retorno garantido.” (Arthur Le is)
O
ano foi movimentado para os
participantes dos seis comitês,
que integram o SINDIMETAL.
Formados por empresários, executivos e
funcionários das empresas associadas à
entidade, objetivam o desenvolvimento de
assuntos estratégicos, buscando soluções
nas suas respectivas áreas.
No dia 08 de dezembro, durante o
encerramento das atividades dos comitês,
no Centro das Indústrias, o diretor Executivo
da entidade, Valmir Pizzutti destacou o
trabalho realizado durante 2014 e convidou
os coordenadores dos comitês, acompa-
nhados de um integrante, para relatar sobre
o trabalho que será desenvolvido no
próximo ano.
Apresentação
O comitê Valemetalsinos, sob a coorde-
nação de Marcelo Mariani, da Metalúrgica
Mariani, foi apresentado por David
Cardoso, da CRK, que destacou dois
projetos para 2015. Desenvolver e imple-
mentar a capacidade criativa e investir na
formação de um 'cluster'. O case foi
apresentado por Giuliano Ho mann, da
Spheric, que elogiou a sinergia criativa
existente entre os integrantes do
Valemetalsinos.
Heloísa Müller, da Rexnord, coordenado-
ra do comitê de RH, convidou Rosângela
Rodrigues, da Flec steel para apresentação.
Na ocasião, enfatizou o comprometimento
e o desenvolvimento, a partir de objetivos
macro, disseminando o
c o n h e c i m e n t o e a s
melhores práticas na
atividade do RH. Bianca de
M e d e i r o s , d a C R K ,
destacou, no seu depoi-
mento, o compartilha-
mento de problemas, mas
também de soluções, além da multiplicação
de conhecimento, como fatores positivos do
comitê.
Para Caroline Costella Foerth, da
Fercorte, o comitê Desenvolvimento de
Lideranças 1, coordenado por Sofia Copé
Heller Michel, da Copé, contribuiu para o
aprimoramento da missão, fortalecendo a
liderança. As ações serão pautadas em
capacitações sobre os temas Ponderação,
Conduta política, Intracepção, Nível de
comunicação e Integração. Segundo
Vanessa Schmidt, da Erps, os encontros
foram de grande valia, pois abriram novos
horizontes e uma oportunidade ímpar de
fortalecer e capacitar as lideranças. Já o
Desenvolvimento de Lideranças 2,
coordenado pelo advogado Cláudio
Garcez, foi apresentado pela Kassiane Loc s,
do SESI, que destacou o compromisso com
a formação e o fortalecimento de lideranças.
Para José Augusto Stroeher, da Viva Cor, a
experiência de crescer com a empresa,
contribui para que os participantes vençam
o s d e s a fi o s , p e r p e t u a n d o e s t e
comprometimento com o SINDIMETAL.
O comitê SSMA – Saúde, Segurança e
Meio Ambiente, coordenado por Ana Lídia
Andrade, da Copé, teve a participação de
Marco Batistella, da Rexnord, que destacou
positivamente a disseminação do conheci-
mento às empresas. Entre os projetos
previstos estão desenvolver fornecedores
na área. Para Luís Felipe Motta, do Grupo
Delga o ano de 2014 foi atípico. “Tivemos
muitos desafios a serem vencidos”, afirma.
E, encerrando as atividades, o comitê
ean Manufacturing, coordenado por
Juliano Ilha, da Artestampo. A sinergia entre
os integrantes promoveu bons resultados,
com previsão de visitas técnicas e também
de um Meeting para 2015. “O ean é o que
há de melhor”, justifica Tiago Simioni, do
Grupo Delga. Já para José Argemi, da Copé,
as empresas participantes aprenderam, na
prática, que “conhecer, compartilhar e
aplicar é igual a atingir resultados”.
No encerramento dos trabalhos, o
presidente do SINDIMETAL, Raul Heller
registrou a sua satisfação em acompanhar a
evolução dos comitês. “A integração, o foco
nos resultados e o comprometimento dos
participantes têm contribuído para o
crescimento destes profissionais.
Trabalhando em conjunto temos chances de
mudar o País para melhor”, destacou Heller.
Evento de encerramento no salão do SINDIMETAL
O
encerramento da programação
da SIPAT Comunitária São
Leopoldo ocorreu no dia 09 de
novembro, pela manhã, com a 4ª Corrida
Rústica, que contou com 194 participantes, e
a 1ª Caminhada do Trabalhador, com 50
integrantes. O trajeto da corrida iniciou no
CAT SESI e seguiu até a empresa Stihl,
totalizando cerca de 4 m, envolvendo
trabalhadores, empresários, familiares e
integrantes dos grupos de corrida do SESI.
Já a caminhada orientada teve um percurso
de 2 m. A largada de ambas as modalidades
ficou a cargo do gerente de Operações do
SESI, Cláudio Camacho.
Um dos destaques foi novamente o chip
c o l o c a d o n o s t ê n i s d o s
participantes, que marcou com precisão o
tempo da corrida. Uma tecnologia de ponta
utilizada pela segunda vez nesta
competição, que agradou a todos. Leandro
Ferraz foi o vencedor, na categoria
masculina, seguido por Rômulo da Silva e
Vagner dos Santos. Na categoria feminina, o
destaque ficou com Vanessa Dias e entre os
veteranos, o campeão foi Valmir Pizzutti,
diretor Executivo do SINDIMETAL.
Numa promoção do SINDIMETAL e do
SESI, juntamente com 10 empresas
parceiras, a SIPAT Comunitária São
Leopoldo iniciou no dia 03 de novembro,
reunindo a cada dia 120 trabalhadores,
beneficiando mais de 600 pessoas durante
toda a semana de atividades. As palestras
foram realizadas no Centro de Atividades do
SESI, bairro Rio Branco, em São Leopoldo,
das 15h45min às 17h até quinta-feira e, na
sexta, no horário das 13h45min às 15h.
O concurso de slogans, ocorrido
antecipadamente, premiou, com o 1º lugar,
Cátia Franco Pereira, da empresa Copé, com
o slogan “Percepção e conscientização,
primeiros passos para a prevenção”.
Segundo o diretor Executivo do
SINDIMETAL, Valmir Pizzutti “a programação
foi diversificada e oportunizou muitos
esclarecimentos sobre temas voltados à
segurança, saúde e meio ambiente,
contribuindo para a melhoria da qualidade
de vida dos trabalhadores, que certamente
multiplicarão as informações obtidas”.
Participaram desta edição as seguintes
empresas: Altus Sistemas de Automação
S.A.; Copé Cia Ltda.; Higra Industrial Ltda.;
Metalúrgica Nunes Ltda.; Mult'Moldes
Matrizaria Ltda.; Rexnord Brasil Sistemas de
Transmissão e Movimentação Ltda.; Rijeza
Indústria Metalúrgica Ltda.; Sebras Ind. e
Com. Ltda.; Stihl Ferramentas Motorizadas
Ltda.; VALGE – Valdir Geremia Ind. e Com.
Ltda.
A próxima SIPAT Comunitária São
Leopoldo ocorrerá provavelmente no
primeiro semestre de 2015.
Espaçoparanovasempresas
participaremdoSPESINDIMETAL
Aevolução do Fórum sobre ean
desencadeou o Comitê, que elaborou o
Projeto de Desenvolvimento Sistema de
Produção Enxuta (SPE), o qual vem sendo
divulgado e incentivado entre as empresas
associadas ao SINDIMETAL. A implantação do
conceito de ean Manufacturing abrange todas
as atividades operacionais de uma empresa e
concentra, através da eliminação do
desperdício e da otimização dos processos
produtivos, uma série de vantagens, entre elas,
o aumento da produtividade e da melhoria
contínua.
As turmas dos steps 1 – Pensamento ean e 2
– Pessoas ean, que compreendem o SPE, serão
constituídas pelas empresas que irão aderir ao
projeto, no ano de 2015. As empresas
interessadas em participar podem contatar com
o SINDIMETAL, para obter mais informações. Os
steps 3 – Padronização e 4 – Estabilidade serão
realizados pelas empresas que concluíram os
steps anteriores, no ano de 2014.
- Kanban
- VSM
-Andon
-Gestão visual
a out
-Ferramentas da
qualidade
-FMEA
-Po a o e
-Kaizen
-Autonomação jido a/
automatização de
baixo custo
-TPM / OEE
-TRF / SMED
-Planejamento A3
-Produção sincronizada
/Heijun a
eam eader
-Planejamento
Estratégico
-5S
-Gerenciamento por
diretrizes
Pensamento Lean
Pessoas Lean
Padronização
Estabilidade
Melhoria Contínua
Fluxo Contínuo/ JIP
-Princípios, valores e
as vantagens do lean
-As oito perdas
SIPATCOMUNITÁRIASãoLeopoldo
encerrapromovendoasaúde
SIPAT2014
SIPAT
Segurança
Trabalho
Step 1
Step 2
Step 3
Step 4
Step 5
Step 6
Lean
Manufacturing
Comitê do SINDIMETAL
LM
Preparação para a corrida
Cursos na modalidade Pronatec
este ano, na sede do SINDIMETAL, em São Leopoldo, 831
Npessoas foram beneficiadas com 33 atividades, que somaram
404 horas e contemplaram 371 empresas.
ponto de Atendimento em Sapiranga, reúne os parceiros
OSINDIMETAL, SEBRAE, CDL Campo Bom e CDL Sapiranga.
Em 2014, 511 pessoas participaram das 24 atividades propostas,
que totalizaram 323 horas e envolveram 13 empresas do setor na
região, além de empresas vinculadas ao comércio.
(51)3590.7707
relacionamento@sindimetalrs.org.br
(51)3599.1076
sebrae@cdlsap.com.br
Ponto de Atendimento Sede São Leopoldo
C
om o intuito de beneficiar as
empresas vinculadas, com as
capacitações do Pronatec, voltadas
ao setor produtivo, o SINDIMETAL preparou
um projeto piloto, dos cursos do Plano Brasil
Maior, em parceria com o Ministério do
Desenvolvimento, Indústria e Comércio
Exterior (MDIC).
A empresa Polimetal Metalurgia e
Plásticos Ltda., de São Leopoldo, programou
seis turmas fechadas, que estão ocorrendo,
com término previsto para dezembro,
janeiro e fevereiro. Uma das turmas
contemplou mais duas empresas: Delga e
Metalúrgica Preciuse Ltda. A ideia inicial foi
verificar, na prática, o funcionamento desta
nova modalidade do Pronatec, via MDIC,
com uma empresa, para então oportunizar o
preenchimento de vagas junto às demais
indústrias da região.
Segundo a gerente de Gestão de
Pessoas, da Polimetal, Carla De Marchi “a
parceria com o Pronatec foi extremamente
válida e importante para nós pela
capacitação técnica dos instrutores, pela
facilidade/ flexibilidade em organizar turmas
fechadas, pelo atendimento específico às
necessidades técnicas e pelo total apoio do
SINDIMETAL na viabilidade deste projeto”,
registra Carla. “Diante da nossa dificuldade
em encontrar mão de obra qualificada, a
nível técnico, esta parceria com o Pronatec
nos ajudou a evoluir no desenvolvimento e
aperfeiçoamento de nossos colaboradores,
resultando em novas oportunidades de
crescimento profissional”, esclarece.
SENAI CETEMP
• Soldador no Processo MIG/MAG
turma 13 vagas
22/09/2014 a 1º/12/2014
Carga horária: 200 horas
• Soldador no Processo MIG/MAG
turma 12 vagas
27/10/2014 a 09/01/2015
Carga horária: 200 horas
SENAI Lindolfo Collor
• Ajustador Mecânico – turma 25 vagas
22/09/2014 a 16/12/2014
Carga horária: 240 horas
• Operador de Máquinas de Usinagem com
Comando Numérico Computadorizado (CNC) –
turma 20 vagas
29/09/2014 a 16/12/2014
Carga horária: 220 horas
• Fresador Mecânico – turma 25 vagas
23/10/2014 a 02/02/2015
Carga horária: 260 horas
•Ajustador Mecânico - turma 25 vagas
(participantes da Delga, Preciuse e Polimetal)
03/11/2014 a 09/02/2014
Carga horária: 240 horas
curso de Aprendizagem
OIndustrial, realizado pelo SENAI,
é destinado aos jovens de 14 a
24 anos, que podem participar da ação,
como aprendizes. A indicação de jovens
maiores de 16 anos possibilita o ingresso
diretamente na indústria, após a
conclusão do curso, que tem duração de
dois anos.
Mais informações através das
unidades do SENAI na região: CETEMP,
CETEPO e Lindolfo Collor em São
Leopoldo, Eletromecânica em Sapucaia
do Sul, Gustavo Copé em Novo
Hamburgo, aldemar Strassburger em
Sapiranga e nova unidade em São
Sebastião do Caí ou através do site
.senairs.org.br.
Cursos promovidos
Aprendizagem Industrial
o desenvolvimento das atividades
Nna indústria metalúrgica é
imprescindível o aquecimento e
fundição de metais. É através do calor que,
por exemplo, o metal toma forma, que o aço
é cortado e que peças de alumínio são
conectadas para criar engrenagens e
máquinas. E é do calor que derivam vapores
e fumus metálicos decorrentes do processo
de aquecimento do metal.
Até então tudo estaria bem caso tais
resíduos, lançados à atmosfera, não fossem
nocivos à saúde dos seres vivos e poluíssem
todo o meio ambiente. Note-se que o termo
“seres vivos” foi utilizado justamente porque
abarca não só os homens, mas também
todos os animais e vegetais, motivo da
preocupação, inclusive do próprio setor
secundário.
Recentemente, o Ministério do Trabalho
e Emprego promoveu uma série de
notificações às indústrias do segmento
m e t a l - m e c â n i c o , p a r a q u e t a i s
apresentassem ou adotassem medidas
protetivas coletivas com o intuito de expedir
os fumus metálicos, decorrentes de soldas
nos ambientes de trabalho, com maior
eficiência, visando salvaguardar a saúde e o
bem-estar dos trabalhadores.
Entende-se que a competência funcional
do Setor de auditorias do Ministério do
Tr a b a l h o e E m p r e g o é l i m i t a d a
( c o n s i d e r a n d o s u a s a t r i b u i ç õ e s
determinadas pela Constituição Federal),
mas é oportuno questionar-se: a indústria
deve ser mais eficaz em livrar seus
empregados da poeira metálica, mas e a
sociedade e o meio ambiente, que
justamente receberão esses resíduos, como
ficam
O Poder Executivo tem se posicionado
de maneira contundente, promovendo
ações positivas e concretas contra o
problema em questão. Limita-se, contudo, a
firmar protocolos genéricos, com medidas
de alcance a longo prazo, assim como
elabora normativas restritas a categorias de
pessoas ou regiões, sem pensar no meio
ambiente como um sistema integrado e
complexo. E não bastasse isso, a
administração pública acaba por exonerar-
se de qualquer responsabilidade, impondo
o ônus tão somente ao setor privado de se
adequar, quase de maneira imediata, às
normas legais, sem qualquer prévio estudo
técnico e impacto financeiro.
A legislação tem mostrado pouca
preocupação com a emissão e exaustão de
vapores oriundos de soldagem e dos
processos produtivos de forjarias.
Nesse sentido, cumpre registrar que a
Resolução número 001/86 do Conama
define como impacto o ambiental,
justamente a consequência dos atos,
qualquer alteração das propriedades físicas,
químicas e biológicas do meio ambiente,
causada por qualquer forma de matéria ou
energia resultante das atividades humanas
que, direta ou indiretamente, e que afetem:
a saúde, a segurança e o bem-estar da
população; as atividades sociais e
econômicas; a biota; as condições estéticas
e sanitárias do meio ambiente; a qualidade
dos recursos ambientais.
Por sua vez, a atuação do Poder
Judiciário tem sido muito pontual, oriundo
de medidas provocatórias promovidas pelas
Defensorias Públicas e pelo Ministério
Público, que determinam o ajuizamento de
ações civis públicas e resultam em
condenações indenizatórias e obrigações
de reparação do ambiente natural ao
empresariado.
E é diante dessa realidade que sugere à
indústria metalúrgica que passe a pensar em
novas perspectivas com relação ao meio
ambiente, no que se refere aos sistemas de
exaustão e a poeira metálica.
O mercado nacional e estrangeiro já
oferece sistemas menos geradores de
poeira metálica nas atividades de soldagem,
tais como eletrodos revestidos de aço
inoxidável, soldagem tipo TIG (que não
consome o eletrodo de tungstênio no
processo) e soldagem tipo plasma (com alta
concentração de energia e sem consumo do
eletrodo). Os cortes à laser também são
mais precisos e produzem menos vapores,
pois o nível de erros são menores.
A i n d a , o p o r t u n o r e f e r i r q u e
procedimentos de soldas sem a utilização
de metais como manganês, cromo, níquel,
chumbo e mercúrio (em caráter originário
ou residual) são medidas interessantes e que
previnem danos ao ambiente natural.
Em processos de fundição e forjaria a
utilização de filtros, instalados em
aspiradores e coifas de uso coletivo, ainda é
o meio mais sugerido e eficaz, vez que não
se pode substituir o uso dos metais por
outras matérias primas.
Nesse sentido, os filtros e catalisadores
dos tipos cartucho e modular cumpre papel
importante no processo de não exaustão de
poeira metálica no ar, mas demandam o
correto descarte após o uso. Novos filtros
vêm sendo desenvolvidos e que utilizam de
compartimentos com água para o depósito
e posterior decantação do resíduo metálico,
bem como a reutilização no processo
produtivo na indústria.
Conclui-se, portanto, que a indústria
deve se antecipar às demandas punitivas e
pedagógicas promovidas pelo Estado,
através de ações positivas que promovam o
cumprimento da legislação ambiental, assim
como o correto descarte do fumus
metálicos no meio ambiente, a fim de
resguardá-lo.
*Advogados integrantes da equipe de
profissionais do escritório Garcez Advogados
Associados – Assessoria Jurídica do
SINDIMETAL,nasáreasTrabalhista,Ambientale
deRepresentaçãoComercial.
OsSistemasdeExaustãoeaIndústriaMetalúrgica:
preocupaçãocomomeioambienteeasociedade
esde o ano de 2012, vem sendo
Dimplantado o Processo Judicial
Eletrônico na Justiça do Trabalho.
Atualmente, todas as comarcas da região
metropolitana já contam com o sistema em
funcionamento.
Assim como toda novidade, num primeiro
momento, o processo eletrônico causa
d i fi c u l d a d e e a t é m e s m o a l g u m
aborrecimento aos usuários do sistema.
Todavia, com o passar do tempo e a sua
utilização, o usuário se adapta, e, na maioria
das vezes, passa a preferir o sistema utilizado
em relação ao procedimento antigo. Certo é
que a utilização do processo eletrônico
acarreta em economia para as empresas, na
medida em que não é mais necessário efetuar
cópias de diversos documentos para serem
juntados ao processo. O meio ambiente
agradece a economia de papel e outros
acessórios.
O procedimento do preposto, com
exceção de um único comando, é o mesmo
da época do processo em papel: reúne a
documentação requerida pelo advogado e
passa na máquina de reprografia. A diferença
é que, na mesma máquina, antes se tiravam
cópias, agora escaneia-se e envia por email
ou pen dri e ao advogado.
Contudo, algumas dificuldades vêm
sendo enfrentadas pelas empresas na
utilização do PJe (Processo Judicial
Eletrônico), que são: O acesso à petição inicial
e a remessa dos documentos necessários
para a elaboração da contestação, para o
escritório responsável.Nos processos
eletrônicos, a Justiça do Trabalho não remete
mais a cópia da petição inicial juntamente
com a notificação da audiência, como era
procedida com os processos físicos. As
empresas recebem tão somente a notificação
inicial onde consta uma chave eletrônica, para
acesso ao processo, através do site do PJE.
O acesso ao PJe é através do site
http:// .trt4.jus.br, basta (1) clicar em
Processo judicial Eletrônico, no lado direito da
página. No menu “CIDAD O”, clicar em (2)
Consulta de documentos pela chave – 1º
grau.
O procedimento é simples, deve-se
apenas digitar a chave de acesso que consta
na notificação inicial para acessar a petição
inicial do processo. O navegador de internet
que obrigatoriamente deve ser utilizado para
acesso é o ire o (Os demais navegadores
Internet Explorer e Google Chrome não
permitem acesso ao sistema). O do nload
d e s t e n a v e g a d o r p o d e s e r f e i t o
g r a t u i t a m e n t e p e l o s i t e
(https:// .mozilla.org/pt-BR/firefox/ne /).
No site do PJE, também consta o “Manual
do Cidadão”, onde tem todo passo a passo
bem detalhado, do procedimento para
acesso ao sistema e à petição inicial.
Feito aquele procedimento, passa-se à
segunda etapa, que é o envio da petição
inicial e documentos para o escritório
responsável para a elaboração da defesa.
Aqui não entraremos no mérito acerca de
quais documentos devem ser enviados, mas
tão somente quanto à forma que eles devem
ser remetidos.
Após tomar conhecimento da petição
inicial e realizada a separação dos
documentos para o envio, estes devem ser
digitalizados com a utilização de um scanner.
e somente aceita ar uivos em
ormato . Não é possível tirar fotografias
dos documentos, nem mesmo digitaliza-los
em outro formato (JPG, DOC. e PNG por
exemplo), pois não será possível a sua
inclusão no sistema.
Outra atenção que deve ter o usuário é
quanto ao taman o o ar uivo. Somente
podem ser enviados arquivos com tamanho
máximo de 1,5 (ou 1.500KB). Esta tem
sido a maior dificuldade das empresas, pois
muitas vezes remetem ao advogado os
documentos com tamanho superior ao
permitido, o que impossibilita a sua anexação
ao processo eletrônico, gerando o retrabalho
de digitalizar novamente ou processar o
arquivo do documento.
Em razão de tanto, sugerimos que:
• Os documentos devem sempre ser
digitalizados em preto e branco, nunca
colorido, pois isto torna o arquivo mais
pesado;
• Não se deve utilizar uma resolução
muito alta no scanner (a resolução máxima
obrigatoriamente deve ser de 300 dpi);
•Documentos da mesma natureza e com
poucas páginas cada, devem ser agrupados
num único arquivo, a fim de evitar diversos
arquivos com tamanho muito reduzido. Por
exemplo: Contrato de trabalho, acordos de
compensação de jornada e ficha de registro
do empregado podem ser colocados no
mesmo arquivo. Via de regra estes
documentos contém apenas uma ou duas
páginas cada, sendo que se colocados juntos,
não extrapolarão o limite máximo de 1,5MB
por arquivo;
• Os arquivos devem ser nomeados
corretamente, de acordo com o seu
conteúdo, por exemplo: Cartões ponto do
ano de 2013, recibos de pagamento do ano
de 2014, termo de rescisão, etc;
• Os arquivos devem seguir uma ordem
cronológica. Por exemplo, cartões ponto
devem ser digitalizados mês a mês, do mais
antigo para o mais recente, assim como os
recibos de pagamento.
Importante registrar, também, que
existem diversos sites na internet que
possuem recursos para juntar diferentes
arquivos de PDF ( .pdfjoin.com), separar
arquivos de PDF ( .splitpdf.com), e reduzir
o tamanho do arquivo ( .smallpdf.com).
Este último é o mais interessante. Pois se a
empresa, ao digitalizar o documento,
verificou que o arquivo ficou com mais de
1,5MB, pode utilizar este recurso para reduzir
o tamanho do arquivo, ao invés de digitalizar
tudo novamente.
Estas são apenas algumas considerações
para garantir a eficiência e agilidade dos
procedimentos necessários para acesso à
petição inicial e o envio de documentos para
a contestação. Em caso de dúvidas, converse
com seu advogado!
*Advogado integrante da equipe de
profissionais do escritório Garcez Advogados
Associados – Assessoria Jurídica do SINDIMETAL,
nas áreas Trabalhista, Ambiental e de
RepresentaçãoComercial.
Errata – Na edição nº 48 do ESPAÇO
SINDIMETAL, página 13, o título correto do artigo
assinado pelo advogado Fernando de Morais
GarcezéMonitoramentoporvídeodoambientede
trabalho.
ProcessoJudicialEletrônico:aremessade
documentosparaaelaboraçãodadefesa* Rodolfo Assis Bordinhão
OAB/RS 85.811
“Educação gera conhecimento. Conhecimento gera sabedoria. Só um povo sábio pode mudar seu destino”. (Autor desconhecido)
A liberdade em tempos
de culto à felicidade *Marciano Buffon
OAB/RS 34.668
s sociedades de massa
Ae x i s t e n t e s , n o q u e s e
convencionou denominar de
p ó s - m o d e r n i d a d e , t ê m u m a
característica comum: o apreço pelo
indivíduo. Como se cada qual pudesse
t e r u m a v i d a a u t ô n o m a e
desconectada do restante, esquece-se
o alerta que já fizera Tocqueville –
conforme lembra o sociólogo polonês
Zygmunt Bauman: “o indivíduo é o pior
inimigo do cidadão”. Nestes tempos
de culto ao individualismo, há uma
busca irrefreável por sentir-se único –
social, econômica e esteticamente
desejável – como uma espécie de
mercadoria posta na prateleira do “Sr.
Mercado”, para ser cobiçada e
admirada pelo restante dos indivíduos,
que também almejam ocupar o
mesmo espaço. Na linha de Bauman,
os seres humanos transformam-se em
mercadorias e vivem para satisfazer
suas necessidades de consumo.
Segundo tal lógica, isso permitiria
alcançar aquilo que mais se pode
buscar: a felicidade. uando se passa a
discutir o que significa isso, as
respostas são as mais variadas
possíveis. Porém, percebe-se que
felicidade, no mais das vezes, associa-
se a possibilidade de ter acesso a tudo
que supostamente permitiria sentir-se
único, notadamente o acesso a
determinados padrões de consumo.
Acredita-se, que “ter” algo possa
propiciar um sentimento de satisfação
e alegria, sem finitude.
Isso se torna particularmente
per verso nas relações que se
de s envolvem no âm b ito d as
denominadas redes sociais. Neste
universo, é essencialmente necessário
parecer feliz, pois o contrário é
revelador de certa incompetência em
gerir o destino. Constroem-se vidas
perfeitas e, portanto, fictícias, as quais
geram um sentimento de frustração e
insegurança, por parte daqueles que
acreditam nesse verdadeiro “conto de
fadas” automidiático, quando
constatam que suas próprias vidas são
comuns e pequenas diante de tantos
“felizes” que povoam tais redes.
Incrivelmente, esse sentimento é
recíproco, pois aqueles que vendem tal
imagem também se sentem dessa
forma, uma vez que, intimamente,
sabem que seu – eficazmente vendido
– mar eting pessoal, nada mais é do
que uma pura obra de ficção.
Tudo é tão avassalador que, mesmo
dando-se conta disso, é difícil não se
submeter aos seus efeitos negativos.
De qualquer forma, este texto não tem
a pretensão de convencer alguém
acerca das armadilhas deste mito, nem
pretende vender uma nova fórmula
para alcançar este intento, como o
fazem tantos livros de autoajuda, cujos
autores são os principais “ajudados”. O
que se pretende aqui, singelamente, é
sugerir uma reflexão: é possível ser
feliz, sem ser livre
É certo que, a convivência coletiva
impõe limites no plano individual, que
frustram a liberdade no seu estado
original. Isso acontece porque só é
possível ser verdadeiramente livre no
seio de uma sociedade. O ser humano
não se realiza como tal, a não ser
coexistindo. Numa ilha deserta, o ser
humano nada mais é do que sua
versão primordial de evolução, à
medida que está condenado a
satisfazer apenas seus instintos
básicos. Portanto, os limites impostos
pela convivência coletiva são meios de
garantia da própria liberdade.
Desconsiderando o outro, o ser
humano faz da liberdade sua primeira
vítima e de si próprio um verdadeiro
escravo de seus instintos.
Ocorre que, na atualidade, não são
esses limites que comprometem a
liberdade. Uma vez que se assume a
tarefa de ser aceito pela sociedade de
consumo, automaticamente passa-se
a agir de acordo com os padrões
estabelecidos por ela. São normas não
escritas e leis concretamente
i n e x i s t e n t e s , a s q u a i s ,
imperceptivelmente, balizam o modo
de agir. Desde a necessidade de
adquirir determinados bens, até a
manifestação de determinadas
opiniões, age-se de acordo com modo
de viver e pensar, que é sutilmente
imposto como condição para alcançar
aquilo que se diz ser felicidade. Por
mais paradoxal que pareça, quanto
mais brilhante for o aluno, mais
provavelmente restará frustrado e
infeliz, ao perceber a euforia esvaindo-
se tão rapidamente. No dia seguinte,
novos desejos, ar tificialmente
produzidos, haverão de ser satisfeitos.
Por isso, nestes bons tempos que
permeiam o final e o início de um novo
ano, vale pensar o quanto se deve
buscar a decantada felicidade, que se
vende tal qual anúncio publicitário de
margarina, quanto isso significa
comprometer algo indissociável à
própria condição humana: ser livre.
Portanto, neste ano que nos bate à
porta, melhor do que desejarmos
“Feliz 2015”, poderíamos dizer:
“Sejamos livres em 2015!”. Pelo menos,
não sejamos reféns de normas e leis
concretamente inexistentes e
faticamente inúteis. Sejamos felizes,
sem deixar de ser livres. Ou melhor,
sejamos livres, pois só assim
poderemos ser verdadeiramente
felizes...
Advogado integrante da equipe Buffon
& Furlan Advogados Associados I
Assessoria Jurídica do SINDIMETAL, na
áreaTributária.
o dia 23 de setembro, no s o room
Nda Metalúrgica Reuter ocorreu o
evento de Lançamento da Nova
Coleção Inverno 2015, intitulado e ecret
arden. A iniciativa contou com a presença
de mais de 80 pessoas entre grandes clientes,
imprensa e instituições voltadas à moda.
O e v e n t o f o i a b e r t o c o m a s
considerações do diretor Ronei Feltes
agradecendo a presença e o empenho de
todos em participar. Em seguida foi
apresentada a estrutura, as inovações da
empresa em gestão, investimentos em
sustentabilidade e processos, pelo assessor
da direção, Junior Oliveira. Logo após, Daniel
Theisen, da área de desenvolvimentos da
Metalúrgica Reuter, apresentou a nova
coleção de peças da linha confecção,
mostrando a inspiração baseada nas
tendências de moda inverno 2015 e o
produto que gerou. Na sequência, Lisa
Oliveira, design de moda, apresentou macro
tendências de moda, levando os
participantes a se inspirarem, através de
fotografias de lojas conceituadas na Europa,
futuras tendências no mercado.
Na ocasião, os convidados aproveitaram
para conhecer as peças de outras coleções e
produtos clássicos, como botões, enfeites,
ilhoses, placas, armações de bolsas e todos
os outros metais para a moda. O salão foi
inaugurado após muitos anos de
planejamento, prospecção e empenho dos
funcionários, clientes e parceiros da empresa.
O lançamento da coleção verão ummer
rip 2016 está previsto para março, na Feira
FIMEC, em Novo Hamburgo.
Metalúrgica Reuter
Lançamento da Nova Coleção Inverno 2015N O S S O E S T I LO É I N O VA R
Fonte: Metalúrgica Reuter
“A educação é um processo social, é desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é a própria vida”. (John De ey)
Metalúrgica Mariani
inaugura showroom
AMariani Metais está com novo
produto na linha de decoração. São
as luminárias de mesa, de coluna e
tripés disponibilizados em várias cores.
No dia 20 de novembro, o s o room,
apresentando as novidades, foi inaugurado,
reunindo fornecedores, clientes e amigos,
que conferiram de perto os lançamentos,
além de conhecerem o espaço Outlet.
Os diretores Marcelo Mariani e
Jacqueline Mariani trabalham com uma
concepção moderna de indústria,
desenvolvendo usinagem de peças sob
encomenda e, desde 2006, investem numa
linha de produtos próprios, que leva a marca
Mariani Metais.
Estes produtos, assim como as lareiras a
álcool e algumas mesinhas de apoio, podem
ser adquiridos no s o room da fábrica,
localizado na Av. São Borja, nº 1587, bairro
São Borja, em São Leopoldo.
Fonte: Mariani Metais Diretores apresentam showroom
C
om sede no município de Sapucaia do
Sul, na Rodovia RS 118, a associada
Transmaq, fabricante de redutores de
velocidade, comemorou, no dia 31 de
outubro, 42 anos de atividades, juntamente
com a sua equipe de colaboradores,
fornecedores e parceiros. Contando com os
sócios Leonardo Pedroso Filho, Milena
Pedroso, Sydonita Pedroso e Elisabeth
Pedroso, a empresa orgulha-se da sua
trajetória e das conquistas obtidas ao longo
desta caminhada.
Valorizando a missão de “Produzir e
comercializar produtos eletromecânicos de
transmissão, com qualidade e agilidade”, a
Transmaq atua com base na gestão da
qualidade total, desenvolvendo soluções
personalizadas tanto na fabricação de
produtos, quanto na prestação de serviços.
Com uma equipe interna especializada em
ouvir os clientes, mantém atualizações
constantes, garantindo um bom atendimento
e fortalecendo a marca, nestas décadas de
trabalho. Além disso, é uma empresa atenta
ao meio ambiente, conservando uma área de
mata nativa, com flora e fauna características e
arborização plantada pelos fundadores.
Também está atenta a redução de
desperdícios e incentiva a reciclagem de
materiais.
Cumprimentos à direção e colaboradores
da Transmaq pelos 42 anos de história!
comemora 42 anos
Fonte: Transmaq
Data festiva comemorada em equipe
Espaço SINDIMETAL 49

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 65
Espaço SINDIMETAL 65Espaço SINDIMETAL 65
Espaço SINDIMETAL 65
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55
SINDIMETAL RS
 
Empreendedorismo no mundo da inovação
Empreendedorismo no mundo da inovaçãoEmpreendedorismo no mundo da inovação
Empreendedorismo no mundo da inovação
Inventta
 
Inovação para um mundo em transição: como fazer
Inovação para um mundo em transição: como fazerInovação para um mundo em transição: como fazer
Inovação para um mundo em transição: como fazer
Inventta
 
Ser Empreendedor
Ser EmpreendedorSer Empreendedor
Ser Empreendedor
Luis Rasquilha
 
Recrutar é Um Talento
Recrutar é Um TalentoRecrutar é Um Talento
Recrutar é Um Talento
Adeildo Caboclo
 
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays PortugalGuia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
Hays Portugal
 
Contabilidade e o mercado de trabalho
Contabilidade e o mercado de trabalhoContabilidade e o mercado de trabalho
Contabilidade e o mercado de trabalho
Fábio Guilhon
 
Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas Educação Empreendedora Vol 4
Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas Educação Empreendedora Vol 4Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas Educação Empreendedora Vol 4
Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas Educação Empreendedora Vol 4
Ramon Ubaldo Waldir da Silva Júnior, MBA
 
GVexecutivo - n. 01 | Jan/Fev 2017
GVexecutivo - n. 01 | Jan/Fev 2017GVexecutivo - n. 01 | Jan/Fev 2017
GVexecutivo - n. 01 | Jan/Fev 2017
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Boletim Schmitz Auditores 01
Boletim Schmitz Auditores 01Boletim Schmitz Auditores 01
Boletim Schmitz Auditores 01
Marcus Vinicius Schmitz Feijó
 
Rh Apas
Rh ApasRh Apas
Rh Apas
gueste4d915
 
Amostra de textos Cesar Valente
Amostra de textos   Cesar ValenteAmostra de textos   Cesar Valente
Amostra de textos Cesar Valente
Cesar Valente
 
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 12 - Janeiro de 2014
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 12 - Janeiro de 2014FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 12 - Janeiro de 2014
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 12 - Janeiro de 2014
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & YoungA hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
BR&M Tecnologia
 
2013_06_20 Entrevista HR Portugal Rob Urquhart & Luis Madureira
2013_06_20 Entrevista HR Portugal Rob Urquhart & Luis Madureira2013_06_20 Entrevista HR Portugal Rob Urquhart & Luis Madureira
2013_06_20 Entrevista HR Portugal Rob Urquhart & Luis Madureira
NOVA IMS, FELU, ISEG, SKEMA
 
Pages from de 2011 09-13 - liberty
Pages from de 2011 09-13 - libertyPages from de 2011 09-13 - liberty
Pages from de 2011 09-13 - liberty
Citymed Seguros Lda
 
GUIA PRÁTICO SECTORIAL DE EMPREENDEDORISMO E DA PROMOÇÃO DA COMPETITIVIDADE
GUIA PRÁTICO SECTORIAL  DE EMPREENDEDORISMO  E DA PROMOÇÃO DA  COMPETITIVIDADEGUIA PRÁTICO SECTORIAL  DE EMPREENDEDORISMO  E DA PROMOÇÃO DA  COMPETITIVIDADE
GUIA PRÁTICO SECTORIAL DE EMPREENDEDORISMO E DA PROMOÇÃO DA COMPETITIVIDADE
Cláudio Carneiro
 

Mais procurados (19)

Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46
 
Espaço SINDIMETAL 65
Espaço SINDIMETAL 65Espaço SINDIMETAL 65
Espaço SINDIMETAL 65
 
Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55Espaço SINDIMETAL 55
Espaço SINDIMETAL 55
 
Empreendedorismo no mundo da inovação
Empreendedorismo no mundo da inovaçãoEmpreendedorismo no mundo da inovação
Empreendedorismo no mundo da inovação
 
Inovação para um mundo em transição: como fazer
Inovação para um mundo em transição: como fazerInovação para um mundo em transição: como fazer
Inovação para um mundo em transição: como fazer
 
Ser Empreendedor
Ser EmpreendedorSer Empreendedor
Ser Empreendedor
 
Recrutar é Um Talento
Recrutar é Um TalentoRecrutar é Um Talento
Recrutar é Um Talento
 
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays PortugalGuia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
Guia do Mercado Laboral 2015 - Hays Portugal
 
Contabilidade e o mercado de trabalho
Contabilidade e o mercado de trabalhoContabilidade e o mercado de trabalho
Contabilidade e o mercado de trabalho
 
Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas Educação Empreendedora Vol 4
Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas Educação Empreendedora Vol 4Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas Educação Empreendedora Vol 4
Pequenos Negócios Desafios e Perspectivas Educação Empreendedora Vol 4
 
GVexecutivo - n. 01 | Jan/Fev 2017
GVexecutivo - n. 01 | Jan/Fev 2017GVexecutivo - n. 01 | Jan/Fev 2017
GVexecutivo - n. 01 | Jan/Fev 2017
 
Boletim Schmitz Auditores 01
Boletim Schmitz Auditores 01Boletim Schmitz Auditores 01
Boletim Schmitz Auditores 01
 
Rh Apas
Rh ApasRh Apas
Rh Apas
 
Amostra de textos Cesar Valente
Amostra de textos   Cesar ValenteAmostra de textos   Cesar Valente
Amostra de textos Cesar Valente
 
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 12 - Janeiro de 2014
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 12 - Janeiro de 2014FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 12 - Janeiro de 2014
FGV/EAESP - Caderno de Inovacao | Vol. 12 - Janeiro de 2014
 
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & YoungA hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
 
2013_06_20 Entrevista HR Portugal Rob Urquhart & Luis Madureira
2013_06_20 Entrevista HR Portugal Rob Urquhart & Luis Madureira2013_06_20 Entrevista HR Portugal Rob Urquhart & Luis Madureira
2013_06_20 Entrevista HR Portugal Rob Urquhart & Luis Madureira
 
Pages from de 2011 09-13 - liberty
Pages from de 2011 09-13 - libertyPages from de 2011 09-13 - liberty
Pages from de 2011 09-13 - liberty
 
GUIA PRÁTICO SECTORIAL DE EMPREENDEDORISMO E DA PROMOÇÃO DA COMPETITIVIDADE
GUIA PRÁTICO SECTORIAL  DE EMPREENDEDORISMO  E DA PROMOÇÃO DA  COMPETITIVIDADEGUIA PRÁTICO SECTORIAL  DE EMPREENDEDORISMO  E DA PROMOÇÃO DA  COMPETITIVIDADE
GUIA PRÁTICO SECTORIAL DE EMPREENDEDORISMO E DA PROMOÇÃO DA COMPETITIVIDADE
 

Semelhante a Espaço SINDIMETAL 49

Espaço SINDIMETAL 78
Espaço SINDIMETAL 78 Espaço SINDIMETAL 78
Espaço SINDIMETAL 78
SINDIMETAL RS
 
GVexecutivo - n. 03 | Maio /Junho 2017
GVexecutivo - n. 03 | Maio /Junho 2017GVexecutivo - n. 03 | Maio /Junho 2017
GVexecutivo - n. 03 | Maio /Junho 2017
FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 58
Espaço SINDIMETAL 58Espaço SINDIMETAL 58
Espaço SINDIMETAL 58
SINDIMETAL RS
 
Humangext Magazine nº 15
Humangext Magazine nº 15Humangext Magazine nº 15
Revista sescon2013
Revista sescon2013Revista sescon2013
Revista sescon2013
FACE Digital
 
Espaço SINDIMETAL 79
Espaço SINDIMETAL 79 Espaço SINDIMETAL 79
Espaço SINDIMETAL 79
SINDIMETAL RS
 
Estudo StartUps Brasileiras 2014 Fundação Dom Cabral
Estudo StartUps Brasileiras 2014 Fundação Dom CabralEstudo StartUps Brasileiras 2014 Fundação Dom Cabral
Estudo StartUps Brasileiras 2014 Fundação Dom Cabral
FAIR PLAY AD / @VeronicaRRSouza
 
Apostila de Gstão de Pessoas
Apostila de Gstão de PessoasApostila de Gstão de Pessoas
Apostila de Gstão de Pessoas
Cássio Morelli
 
Inovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e comoInovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e como
Inventta
 
Inovação em Foco
Inovação em FocoInovação em Foco
Inovação em Foco
Enox On-life Network
 
emprendedorismo & inovação
emprendedorismo & inovaçãoemprendedorismo & inovação
emprendedorismo & inovação
annoni
 
8 tendencias series of articles - portugues
8 tendencias   series of articles - portugues8 tendencias   series of articles - portugues
8 tendencias series of articles - portugues
joaogali
 
Encontro SBGC - O Valor do Conhecimento no Século 21 - Beto do Valle
Encontro SBGC - O Valor do Conhecimento no Século 21 - Beto do ValleEncontro SBGC - O Valor do Conhecimento no Século 21 - Beto do Valle
Encontro SBGC - O Valor do Conhecimento no Século 21 - Beto do Valle
Impakt Consultoria
 
Espaço SINDIMETAL 69
Espaço SINDIMETAL 69Espaço SINDIMETAL 69
Espaço SINDIMETAL 69
SINDIMETAL RS
 
Outubro e novembro 2016
Outubro e novembro 2016Outubro e novembro 2016
Outubro e novembro 2016
Aportesol
 
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP - Por que muitas startups falham? Dicas ...
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP  -  Por que muitas startups falham? Dicas ...Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP  -  Por que muitas startups falham? Dicas ...
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP - Por que muitas startups falham? Dicas ...
Nei Grando
 
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptxConceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Ricardo Santos
 
Pitch Deck: Uma das ferramentas utilizadas para o empreendedorismo
Pitch Deck: Uma das ferramentas utilizadas para o empreendedorismoPitch Deck: Uma das ferramentas utilizadas para o empreendedorismo
Pitch Deck: Uma das ferramentas utilizadas para o empreendedorismo
Caio Flavio Stettiner
 

Semelhante a Espaço SINDIMETAL 49 (20)

Espaço SINDIMETAL 78
Espaço SINDIMETAL 78 Espaço SINDIMETAL 78
Espaço SINDIMETAL 78
 
GVexecutivo - n. 03 | Maio /Junho 2017
GVexecutivo - n. 03 | Maio /Junho 2017GVexecutivo - n. 03 | Maio /Junho 2017
GVexecutivo - n. 03 | Maio /Junho 2017
 
Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71Espaço SINDIMETAL 71
Espaço SINDIMETAL 71
 
Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60
 
Espaço SINDIMETAL 58
Espaço SINDIMETAL 58Espaço SINDIMETAL 58
Espaço SINDIMETAL 58
 
Humangext Magazine nº 15
Humangext Magazine nº 15Humangext Magazine nº 15
Humangext Magazine nº 15
 
Revista sescon2013
Revista sescon2013Revista sescon2013
Revista sescon2013
 
Espaço SINDIMETAL 79
Espaço SINDIMETAL 79 Espaço SINDIMETAL 79
Espaço SINDIMETAL 79
 
Estudo StartUps Brasileiras 2014 Fundação Dom Cabral
Estudo StartUps Brasileiras 2014 Fundação Dom CabralEstudo StartUps Brasileiras 2014 Fundação Dom Cabral
Estudo StartUps Brasileiras 2014 Fundação Dom Cabral
 
Apostila de Gstão de Pessoas
Apostila de Gstão de PessoasApostila de Gstão de Pessoas
Apostila de Gstão de Pessoas
 
Inovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e comoInovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e como
 
Inovação em Foco
Inovação em FocoInovação em Foco
Inovação em Foco
 
emprendedorismo & inovação
emprendedorismo & inovaçãoemprendedorismo & inovação
emprendedorismo & inovação
 
8 tendencias series of articles - portugues
8 tendencias   series of articles - portugues8 tendencias   series of articles - portugues
8 tendencias series of articles - portugues
 
Encontro SBGC - O Valor do Conhecimento no Século 21 - Beto do Valle
Encontro SBGC - O Valor do Conhecimento no Século 21 - Beto do ValleEncontro SBGC - O Valor do Conhecimento no Século 21 - Beto do Valle
Encontro SBGC - O Valor do Conhecimento no Século 21 - Beto do Valle
 
Espaço SINDIMETAL 69
Espaço SINDIMETAL 69Espaço SINDIMETAL 69
Espaço SINDIMETAL 69
 
Outubro e novembro 2016
Outubro e novembro 2016Outubro e novembro 2016
Outubro e novembro 2016
 
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP - Por que muitas startups falham? Dicas ...
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP  -  Por que muitas startups falham? Dicas ...Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP  -  Por que muitas startups falham? Dicas ...
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP - Por que muitas startups falham? Dicas ...
 
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptxConceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
Conceitos fundamentais em empreendedorismo.pptx
 
Pitch Deck: Uma das ferramentas utilizadas para o empreendedorismo
Pitch Deck: Uma das ferramentas utilizadas para o empreendedorismoPitch Deck: Uma das ferramentas utilizadas para o empreendedorismo
Pitch Deck: Uma das ferramentas utilizadas para o empreendedorismo
 

Mais de SINDIMETAL RS

Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81 Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 80
Espaço SINDIMETAL 80 Espaço SINDIMETAL 80
Espaço SINDIMETAL 80
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76
SINDIMETAL RS
 
Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 72
Espaço SINDIMETAL 72Espaço SINDIMETAL 72
Espaço SINDIMETAL 72
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 66
Espaço SINDIMETAL 66Espaço SINDIMETAL 66
Espaço SINDIMETAL 66
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 64
Espaço SINDIMETAL 64Espaço SINDIMETAL 64
Espaço SINDIMETAL 64
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57
SINDIMETAL RS
 
Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56
SINDIMETAL RS
 

Mais de SINDIMETAL RS (20)

Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82Espaço SINDIMETAL 82
Espaço SINDIMETAL 82
 
Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81 Espaço SINDIMETAL 81
Espaço SINDIMETAL 81
 
Espaço SINDIMETAL 80
Espaço SINDIMETAL 80 Espaço SINDIMETAL 80
Espaço SINDIMETAL 80
 
Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77Espaço SINDIMETAL 77
Espaço SINDIMETAL 77
 
Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76Espaço SINDIMETAL 76
Espaço SINDIMETAL 76
 
Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75Espaco SINDIMETAL 75
Espaco SINDIMETAL 75
 
Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74Espaço SINDIMETAL 74
Espaço SINDIMETAL 74
 
Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73Espaço SINDIMETAL 73
Espaço SINDIMETAL 73
 
Espaço SINDIMETAL 72
Espaço SINDIMETAL 72Espaço SINDIMETAL 72
Espaço SINDIMETAL 72
 
Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70Espaço SINDIMETAL 70
Espaço SINDIMETAL 70
 
Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68Espaço SINDIMETAL 68
Espaço SINDIMETAL 68
 
Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67Espaço SINDIMETAL 67
Espaço SINDIMETAL 67
 
Espaço SINDIMETAL 66
Espaço SINDIMETAL 66Espaço SINDIMETAL 66
Espaço SINDIMETAL 66
 
Espaço SINDIMETAL 64
Espaço SINDIMETAL 64Espaço SINDIMETAL 64
Espaço SINDIMETAL 64
 
Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63Espaço SINDIMETAL 63
Espaço SINDIMETAL 63
 
Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62Espaço SINDIMETAL 62
Espaço SINDIMETAL 62
 
Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61Espaço SINDIMETAL 61
Espaço SINDIMETAL 61
 
Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59Espaço SINDIMETAL 59
Espaço SINDIMETAL 59
 
Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57Espaço SINDIMETAL 57
Espaço SINDIMETAL 57
 
Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56Espaço SINDIMETAL 56
Espaço SINDIMETAL 56
 

Espaço SINDIMETAL 49

  • 1. Ano 8 - nº 49 | Novembro/ Dezembro – 2014 Educaçãowww.sindimetalrs.org.br 06 Grupo de Estudos Comitê de RH 09 Integração dos Comitês 08 Exposições e missões 2015 16 Grupo Plínio Fleck na VITRINE
  • 2. JovemEmpreendedor: peçafundamentalparaosucesso Na atual conjuntura econômica são i n d i s p e n s á v e i s p e s s o a s empreendedoras e perspicazes à frente de nossas empresas. É v á l i d o d e s t a c a r q u e o e m p re e n d e d o r i s m o é u m b e m necessário para o crescimento econômico do País e para a melhoria das condições de vida da população. No entanto, para um profissional ser um empreendedor de sucesso não basta “apenas” ter habilidades, vontade, dedicação, foco e boas ideias. O s d e s a fi o s d o a t u a l j o v e m empreendedor estão, além de todos esses quesitos, fundamentados no desenvolvimento de uma ampla visão com relação aos negócios. O dia a dia nas empresas exige rapidez nas decisões, para que possam ser vislumbradas novas possibilidades, antecipando, muitas vezes, os acontecimentos. Ou seja, é preciso ter um sexto sentido para alcançar o sucesso. Todos esses fatores devem estar ligados à capacidade estratégica de articular recursos para atingir os objetivos finais, caso contrário, dificilmente a empresa sobreviverá à competitividade atual. As oscilações do mercado exigem, cada vez mais, que a atuação das equipes seja empreendedora e constantemente a t e n t a à s m u d a n ç a s . A b u s c a permanente pela inovação e por métodos eficazes de desenvolvimento humano devem estar bem mais presentes nas equipes de trabalho. Munir-se de conhecimento técnico e comportamental, assim como conhecer novas ferramentas para o sucesso de seu negócio, passou a ser um diferencial necessário. O comodismo não condiz com os tempos atuais e nem pode ser característica na gestão de nenhuma empresa. É imprescindível, além de desafiar sua equipe, também desafiar a si mesmo, ser ousado, mas ao mesmo tempo agir com bom senso, não se arriscando em vão. Buscar atingir novos negócios exige sensibilidade, pois em muitos casos simples ideias podem se tornar grandes oportunidades. Outro fator determinante é o “pensamento fora da caixa”. A famosa expressão representa os limites do pensamento criativo, uma barreira, que impede a pessoa de ser original ou até mesmo contribui para que se tenha uma imagem distorcida do que seja estar realizado no trabalho. É, muitas vezes, um trabalho de desconstrução para que novas reflexões apareçam e façam a d i f e re n ç a . A i d e i a é a b a l a r o conformismo, que impede as pessoas de crescer e realizar mudanças na forma de enxergar e atuar no mundo dos negócios. “Pensar fora da caixa” nos ajuda a fomentar novas formas de gestão empresarial, ampliando conceitos e até quebrando paradigmas. Torna-se indispensável, manter-se em estado de alerta, diante da concorrência desleal de outros países. Precisamos contribuir para que seja ainda mais relevante o papel do empreendedor. Planejar estrategicamente e vislumbrar as possibilidades de alcançarmos resultados positivos, passa a ser uma opção, onde se calcula o risco. É analisar a importância de desconstruir para reconstruir a partir de uma visão de mundo, mais rica e consciente, capaz de realmente contribuir para o sucesso na carreira. Em uma análise final, podemos concluir que os jovens empreendedores, além de todos esses elementos essenciais, são pessoas diferenciadas, que possuem motivação singular. Apaixonados pelo que fazem não se contentam em ser apenas mais uma pessoa em meio à multidão, mas estão sempre desafiando os seus limites e conquistando novos espaços, vivendo com intensidade todas as etapas, construindo o futuro sem medo de ser feliz. ‘’Munir-se de conhecimento técnico e comportamental, assim como conhecer novas ferramentas para o sucesso de seu negócio, passouaserumdiferencialnecessário.’’
  • 3. xpediente ŸO PAPEL DESTE INFORMATIVO É PROVENIENTE DE ÁRVORES DE FLORESTAMENTO. 100% DOS IMPRESSOS EM PAPEL FABRICADO NO BRASIL PROVÊM DE FLORESTAS PL ANTADAS E AME • PRESERVE • RECICLE Editorial “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência”. (Augusto Cury) stá circulando o ESPAÇO SINDIMETAL nº 49, E incluindo em suas páginas atividades desenvolvidas pela entidade e suas associadas, em dois meses de intensa programação. Na página 04, podemos acompanhar a participação do SINDIMETAL, no 9º Encontro Nacional da Indústria (ENAI), onde esteve representado pelo diretor Executivo, Valmir Pizzutti. Já na página 05, a 4ª Feira Agrometal do Mato Grosso do Sul, que oportunizou a troca de experiências na área de gestão, ocasião em que a entidade foi convidada a apresentar o seu case de sucesso. Confira também na página 06 o destaque para a entrega de certificados aos participantes dos Grupos de Estudos, que encerraram as atividades relativas às Ações Motivacionais e Indicadores de Gestão de RH, além do Meeting Gestão de Pessoas, sempre tão enriquecedor. Já na página 08, os empresários avaliam a participação nas exposições e missões e, na página 09, os comitês do SINDIMETAL concluem suas atividades e divulgam as ações para 2015. 'Histórias que marcam', como o tema da festa sugeriu, motivou o lançamento do livro SINDICATO DAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO E ELETRÔNICO DE SÃO L E O P O L D O - S I N D I M E TA L : H I S TÓ R I A , REPRESENTAÇÃO E MEMÓRIA, que relata a história da entidade. O lançamento, muito prestigiado, ocorreu na Confraternização de Final de Ano das Associadas do SINDIMETAL. Acompanhe a cobertu- ra deste evento no encarte especial. Artigos com temas atuais, relacionados às áreas jurídica Ambiental, Trabalhista e Tributária têm contribuído para prestar esclarecimentos importan- tes aos associados. Veja, nesta edição, os temas que estão sendo abordados nas páginas 12, 13 e 14. Na sequência, o espaço é destinado ao Mercado, que apresenta ações e momentos especiais das empresas associadas. E, encerrando esta edição, a Vitrine com o Grupo Plínio Fleck, que comemora 65 anos e contempla a Flecksteel, hoje a maior produtora mundial de biqueiras de aço para calçados de segurança. Conheça esta história de sucesso, que ilustra merecidamente a contracapa desse informativo. Boas Festas! Até a próxima edição, em fevereiro de 2015! Diretor Executivo: Valmir Pizzutti Redação: Jornalista Neusa Medeiros (Mtb 5062) Criação e Arte: Wiliam Gonçalves Relacionamento Institucional: Andrea Maganha Informativo bimestral Tiragem: 2000 exemplares Circulação: gratuita e dirigida Fotos: divulgação Edição e Produção: Edição 3 Comunicação Empresarial Ltda. Gráfica: Impressos Portão Ltda. Endereço: Rua José Bonifácio, nº 204 - 5º andar- Centro das Indústrias São Leopoldo/RS - Fone (51) 3590.7707 relacionamento@sindimetalrs.org.br www.sindimetalrs.org.br Frases do rodapé: www.frasescurtas.net/frases-de-educacao.html Os trabalhos assinados são de responsabilidade de seus autores.
  • 4. A indústria brasileira tem pressa. Pressa para solucionar seu problema de competitividade. Pressa para voltar a ser o centro dinâmico do crescimento brasileiro. Pressa para contribuir para o Brasil avançar no seu desenvolvimento econômico, social e político. Nos últimos anos, a indústria cresceu muito pouco, muito menos que a economia. A manufatura – o segmento que mais sofre com a perda de competitividade – se mantém estagnada desde 2010 e a produção da indústria geral encontra-se abaixo da registrada na pré-crise de 2008. Como resultado, a participação da indústria no PIB é de 25%, dez pontos percentuais a menos que nos anos 90. A indústria de transformação representa hoje apenas 13% do PIB. O Brasil não pode se contentar em ser um coadjuvante no cenário industrial mundial. A participação do Brasil no valor da transformação industrial mundial ficou praticamente estagnada de 2000 a 2013. Foco na competitividade e governança para enfrentar os problemas Nossas dificuldades têm suas raízes na falta de competitividade. Nossos custos crescem mais que a produtividade, alijando nossos produtos dos mercados. OBrasilprecisaterumaagendacommetasclaras e objetivos definidos sobre o que pretende alcançar para tornar-se mais competitivo em curto e médio prazo. Isso exige uma governança especial capaz d e g e r i r, c o o rd e n a r e m o n i t o r a r a s transformações requeridas. Pontos fundamentais para serem resolvidos até 2018. O Brasil precisa estar preparado, para, em 2018, responder sobre o quanto melhoraram os indicadores de competitividade. Daqui a quatro anos queremos afirmar que: O sistema tributário está livre das principais ineficiências que o caracterizavam em 2014 (cumulatividade, oneraçāo das exportações e investimentos, descasamento entre prazos dos pagamentos de tributos e prazo de vendas). Sua complexidade reduziu-se de forma expressiva, tornando-se compatível com os padrões internacionais; O sistema de relações de trabalho evoluiu em direção ao reconhecimento da negociação com legislação moderna, compatível com as atuais condições de trabalho e com segurança jurídica; Os investimentos em infraestrutura cresceram em relação ao PIB por meio de maior participação do capital privado e de maior alocação de recursos públicos; A política fiscal evoluiu de forma a propiciar o crescimento da taxa de investimento, redução da taxa de juros a níveis próximos do internacional e uma taxa de câmbio mais estável e competitiva; A política comercial ativa, desburocratizada e com foco em mercados estratégicos permitiu uma maior e melhor inserção internacional para um número expressivo de empresas brasileiras de todos osportesesetores; A qualidade da educação mostrou avanços expressivos, retratados nos exames de proficiência dos alunos tanto da Prova Brasil quanto do PISA, da OCDE. A agenda da indústria está explicitada no Mapa Estratégico e nas 42 propostas apresentadas aos candidatos às eleições de 2014. Esse será o roteiro da nossa ação para os próximos anos. A CNI fará o monitoramento da evolução dessas propostas e publicará, anualmente, o painel de acompanhamento da implementação das propostas e das metas estabelecidas no Mapa Estratégico. É tempo de correção de rota A indústria do futuro já está hoje no presente, com suas impressoras em 3D e na massificação de robôs causando uma revolução nos métodos de produção. A crise mundial fez as economias avançadas reavaliarem suas estratégias. A indústria nos Estados Unidos, epicentro da crise, já retoma sua capacidade de competir e se reestrutura. A Europa busca equacionar seus problemas de custos. Acordos regionais de comércio e políticas voltadas para a maior integração a cadeias globais de valor se proliferam no mundo. A maioria dos países emergentes faz o mesmo: se torna mais competitivo e se insere no mercado global. Essa é a prioridade para o Brasil. Além da indústria O processo de crescimento, em especial a e x p a n s ã o d a c l a s s e m é d i a , p ro d u z transformações e novas demandas. As novas gerações têm novas expectativas. A agenda do Estado eficiente e profissional é uma prioridade para a sociedade e para a indústria. O Estado precisa oferecer serviços públicos de qualidade (sobretudo a educação), aumentar a sua eficiência na execução de projetos - em especial de infraestrutura, garantir a segurança jurídica necessária à operação dos empreendedores e ter capacidade de conduzir as reformas necessárias para o Brasil crescer mais e melhor. Para o Brasil avançar, o aperfeiçoamento contínuo das instituições é essencial. Essa agenda requer a evolução das instituições guardiãs da moeda e das contas públicas, da Justiça, da educação e da ciência e tecnologia, da segurança pública, das agências reguladoras, do sistema de proteção aos direitos de propriedade e das instituições provedoras de bens públicos. Da mesma forma, as organizações da sociedade civil e as empresas precisam estar aptas a enfrentar os desafios colocados pelas transformações do Brasil. É o avanço do capital institucional que garantirá o crescimento sustentável do país. O desenvolvimento econômico e social conecta-se com o desenvolvimento político. Esse é um tema em que a indústria, como parte da sociedade, tem expectativas. O sistema político precisa enfrentar os desafios que estão postos. Propostas e diálogo A indústria, ao apresentar as suas propostas ao país, espera abrir um diálogo permanente e profundo com as forças da sociedade, o Congresso, o Executivo e o Judiciário para o Brasil enfrentar os seus desafios e criar condições para a sua evolução em direção a uma sociedade justa e próspera. proximadamente 1800 empresários e Agestores participaram, nos dias 05 e 06 de novembro, em Brasília, do 9º Encontro Nacional da Indústria (ENAI). Uma comitiva de 70 integrantes, liderada pelo presidente do Sistema FIERGS/ CIERGS, Heitor José Müller, participou desta edição, sendo que o SINDIMETAL esteve representado pelo diretor Executivo, Valmir Pizzutti. Durante o ENAI, foram debatidas questões como produtividade, reforma tributária, educação, infraestrutura, relações do trabalho, segurança jurídica e integração do Brasil à economia internacional. O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade apresentou um balanço dos avanços alcançados e dos obstáculos que as empresas e o País terão de superar nos próximos quatro anos. Ao final do evento, os empresários apresentaram a Carta da Indústria, com as propostas do setor produtivo ao novo governo, que transcrevemos abaixo. CartadaIndústria2014 Fonte: ENAI 2014 Comitiva gaúcha Crédito Miguel Ângelo SINDIMETALpresentenoENAI2014
  • 5. Entidaderepresentadana4ªFeira AgrometalemMatoGrossodoSul F oi realizada, no dia 28 de outubro, no SINDIMETAL, uma reunião de apresentação da situação atual do Programa Pelotão Esperança, incluindo as iniciativas previstas para 2015/ 2016. O Pelotão Esperança, do 16º Grupo de Artilharia Autopropulsado (GAC/AP) de São Leopoldo, recebe uma atenção especial do SINDIMETAL, que acredita na formação profissional. O programa educa, forma cidadãos e incentiva os jovens a terem uma profissão. Durante o encontro foi discutida t a m b é m a f o r m a i d e a l p a r a o encaminhamento da agenda dos jovens, durante os dois anos de projeto. A sugestão, apresentada é que, no primeiro ano, sejam reforçadas as atividades de formação de cidadania e disciplina no 16º GAC e, posteriormente, no 2º ano, mediante critério de merecimento, os jovens sejam encaminhados para as empresas, onde poderão atuar como estagiários na área administrativa ou como cotistas do SENAI ou SENAC. “Educar é crescer. E crescer é viver. Educação é, assim, vida no sentido mais autêntico da palavra”. (Anísio Teixeira) Odiretor Executivo do SINDIMETAL, Valmir Pizzutti foi um dos palestran- tes na 4ª Feira Agrometal do Mato Grosso do Sul, dia 23 de outubro, no municí- pio de Dourados. O espaço, para troca de experiências na área de gestão, foi oportuni- zado pelo SEBRAE/ MS, sendo que Pizzutti abordou o tema 'Diálogo Empresarial Gestão Sindical Eficiente'. A 4ª Feira Agrometal foi realizada pela Prefeitura de Dourados, em Mato Grosso do Sul, através da Secretaria de D e s e n v o l v i m e n t o Econômico Sustentável de Dourados (SEMDES) e o Sindicato das Indústrias Metal Mecânicas e de Materiais Elétricos da G r a n d e D o u r a d o s (SIMMME). Na ocasião, Pizzutti apresentou a e x p e r i ê n c i a d o SINDIMETAL, ao adotar um sistema de gestão estratégi- ca. A entidade, que abrange 35 municípios, localizados no Vale do Sinos, Caí e Encosta da Serra, tem sido uma das referências sindicais patronais no País. Ao detalhar sobre a estrutura organizacio- nal, o diretor Executivo, que atua como um elo entre a equipe Executiva e a diretoria, também informou que ocupa uma função tática no Planejamento Estratégico. Além de acompa- nhar os projetos existentes desde a sua criação, implementação até a avaliação, exerce, atualmente, uma função estratégica nas negociações coletivas, como coordena- dor da comissão de negociação, sendo o principal mediador entre o Sindicato Patronal e o Sindicato dos Trabalhadores. VISITA AO SINDIMETAL – Esteve no Rio grande do Sul, conhecendo a infraestrutura do SINDIMETAL, nos dias 17 e 18 de novembro, o presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico da Grande Dourados (SIMMME), Osvaldo Fleitas Centurion, acompanhado do gerente do SEBRAE Regional Sul – Dourados/MS, Hitalo Silva Cunha. A agenda incluiu visitas técnicas na empresa do Grupo Delga e no Distrito Industrial Málaga, em São Leopoldo, além de reuniões de trabalho com o presidente do SINDIMETAL, Raul Heller, com o diretor Executivo da entidade, Valmir Pizzutti e equipe, no Centro das Indústrias. Na ocasião, os visitantes também prestigiaram o Meeting Gestão de Pessoas, que esteve a cargo do conferen- cista Jorge Geisler. “Foi uma visita muito produtiva e enriquecedora”, registra Hitalo. “Só temos a agradecer pelo empenho em organizar nosso roteiro, as visitas técnicas tão proveitosas e a participação no evento, que foi um grande sucesso”, destacou. “Sentimos-nos muito bem acolhidos por todos e retornamos com o compromisso de trabalhar para que tenha- mos iniciativas exitosas, semelhantes ao sindicato e empresas locais”, afirma. SINDIMETAL presente na Agrometal Reunião produtiva PelotãoEsperançapromovereunião dealinhamentoentreparceiros P a e ç l no at rã eo Esp ojetr oP
  • 6. au, o líder é o canal! O papel Uestratégico da liderança nos p r o c e s s o s d e m u d a n ç a , transformação e crescimento das empresas foi o tema da palestra, que ocorreu no dia 18 de novembro, por ocasião do 11º Meeting Gestão de Pessoas. A promoção do SINDIMETAL, através do seu comitê de Recursos Humanos, em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS) reuniu 144 pessoas. A atividade aconteceu no horário das 8h30min às 11h, no Centro das Indústrias, em São Leopoldo. A palestra esteve a cargo do conferencista Jorge Geisler, administrador de empresas, professor universitário e autor dos livros Falando e encantando o seu público e Comunicação motivacional - Mantenha seu Uau! “O sucesso empresarial está, em grande parte, em transformar valores em atitudes concretas no cotidiano”, afirma o palestrante. “A credibilidade é o nosso maior patrimônio. Se fizermos o nosso melhor, isto será percebido”. Todo resultado exige investimento de tempo e muita dedicação. É preciso pagar o preço, em tudo o que se faz, com responsabilidade, para colher resultados mais satisfatórios, explica. Resultados positivos Destinada aos empresários, executivos e gestores das empresas associadas, o Meeting abordou temas relacionados aos modelos mentais; liderança positiva - foco em talentos e fortalezas; entregando amor e cobrando resultados; comunicação verbal e não-verbal; liderança situacional; as novas relações interpessoais e espiritualidade e liderança - tudo a ver! Heloísa Gaelzer Müller, coordenadora do c o m i t ê d e R H , d a e n t i d a d e , n o encerramento agradeceu a presença dos participantes e afirmou estar satisfeita com os resultados que têm sido alcançados, através do Meeting Gestão de Pessoas. Mais informações, sobre as próximas edições, poderão ser obtidas junto ao SINDIMETAL, através do telefone 3590-7710. GruposdeEstudosencerramatividades eprogramamnovasediçõespara2015 11ºMeetingGestãodePessoas reuniugestoresnoSINDIMETAL U m evento marcou a entrega de certificados aos participantes dos Grupos de Estudos, que encerraram as atividades relativas às Ações Motivacionais e Indicadores de Gestão de RH, no dia 10 de dezembro, no Centro das Indústrias. A iniciativa do comitê de Recursos Humanos, do SINDIMETAL, sob a coordenação de Heloísa Gaelzer Müller, da Rexnord, avaliou positivamente este projeto piloto, que terá novas edições em 2015. “Segundo pesquisa realizada entre os participantes, 75% consideram válidas e 25% pontuam como boas as atividades propostas, tendo avaliado com 100% de satisfação o trabalho de coordenação das facilitadoras”, registra o secretário Executivo do SINDIMETAL, Paulo Ziegler, que acompanhou as etapas propostas pelo comitê de RH. Na opinião da coordenadora Heloísa “desejamos investir mais na metodologia e preparar mais facilitadores, considerando as avaliações e sugestões apresentadas pelos participantes”. N e s t a e d i ç ã o a t u a r a m c o m o facilitadoras, Daiane Schmidt - Erps; Estelamáris Bernardes - Altus; Najara Borba - Sebras e Bianca de Medeiros - CRK. Em 2015, os Grupos de Estudos serão realizados nos meses de abril/ maio e, no segundo semestre, em agosto/ setembro, totalizando oito encontros, pelo período de 60 dias. Mais informações pelo telefone 3590- 7710. Recursos Humanos Comitê do SINDIMETALRH Jorge Geisler Público prestigiou a iniciativa Grupos de Estudos em destaque
  • 7. S ob a coordenação do empresário Marcelo Mariani, o Valemetalsinos reuniu, no dia 25 de novembro, no SINDIMETAL, as empresas que integram o comitê para apresentação institucional, incluindo a relação de produtos e serviços prestados, principais insumos e matéria- prima, além do histórico e dados para contato. Na ocasião, cada empresário comentou também sobre seus projetos especiais e metas previstas, destacando os principais fornecedores e clientes, bem como os segmentos de abrangência. O espaço no site do SINDIMETAL, para a página do comitê, tem beneficiado e possibilitado a rápida disseminação de informações, com fácil acessibilidade e amplas possibilidades de visibilidade, aproximando mais as empresas do mercado. Participaram desta iniciativa diretores das empresas: Sebras, Spheric, Metalúrgica SS, Lamaço, RD Flex, Transmaq, Grefortec, CRK, Ernesto Müller, Petec, Alu-Ce , Ifla, Sanlarte, Metalúrgica Mariani, Viva Cor e ietti. O encontro encerrou com um jantar de confraternização e sorteio de brindes da Metalúrgica Mariani e ietti. CenárioEconômicopós-eleições O economista-chefe do Sistema FIERGS, André Francisco Nunes de Nunes, da Unidade de Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, participou da reunião do comitê Valemetalsinos no dia 11 de novembro, no Centro das Indústrias. Na ocasião, fez uma análise referente aos resultados pós-eleições no País e no Estado, onde delineou perspectivas sobre o cenário econômico em 2015, apontando também desafios, que deverão ser enfrentados pela economia brasileira. Segundo aponta a Confederação Nacional da Indústria (CNI), os principais fatores, que podem impedir total ou parcialmente a realização dos investimentos planejados são: a incerteza econômica; a reavaliação da demanda/ ociosidade elevada; o custo do crédito/ financiamento; o aumento inesperado no custo previsto do investimento; a dificuldade de obtenção de crédito/ financiamento e as dificuldades com a burocracia. Para Nunes “o principal desafio da economia brasileira para os próximos anos será o de encontrar meios para a retomada do crescimento da indústria”. Diante desse cenário apresentado, “a evolução nos custos industriais tornou o Brasil um País caro para produzir, ou seja, perdemos competitividade externa e interna”, avalia o economista. “O crescimento do mercado de crédito, principalmente o direcionado, foi um dos destaques positivos nesse cenário adverso”, indica, “porém, a conjuntura externa, os indicadores internos e as próprias indústrias apontam para um período de maior restrição de recursos”, afirma Nunes. A atividade foi uma ação realizada em conjunto pelos comitês Valemetalsinos e Desenvolvimento de Lideranças. “É na educação dos filhos que se revelam as virtudes dos pais”. (Coelho Neto) Valemetalsinosrealizareunião deencerramentodoanoComitê do SINDIMETAL Duas reuniões foram realizadas pelo comitê Desenvolvimento de Lideranças 2, no Centro das Indústrias, para apresentação das empresas, que integram o grupo. A atividade teve como objetivo a integração dos participantes, além da divulgação do trabalho desenvolvido nas suas empresas. No dia 10 de novembro, Alu-Ce , Biomax, Copé, Delga, Exclusive, Gilmaq, Grefortec, Lamaço e Spheric estiveram relatando sobre os produtos e serviços prestados e, no dia 24 de novembro, o destaque ficou para o Escritório Garcez Associados, Mecsul, SESI, Transmaq, Viva Cor e ietti. O comitê Desenvolvimento de Lideranças promove a formação e o for talecimento de lideranças, de empresários e profissionais das empresas associadas ao SINDIMETAL, tendo como visão a formação de líderes comprometidos com o meio associativo e empresarial. Desenvolvimento de Lideranças Comitê do SINDIMETAL DL Turma2 Reunião realizada no Centro das Indústrias Participantes dos comitês atentos às perspectivas para 2015
  • 8. ma reunião para avaliação das feiras Ue missões, que contou com a participação de empresários do SINDIMETAL, em 2014, ocorreu no dia 13 de novembro, às 18h30min, no Centro das Indústrias. Na ocasião, também houve a apresentação dos prováveis projetos de exposições e novas missões para 2015. As empresas, que prestigiaram as iniciativas promovidas pela entidade em parceria com o SEBRAE, apontaram os aspectos positivos e indicaram melhorias, visando sempre resultados positivos para os par ticipantes. Durante a reunião, integrantes da equipe do SINDIMETAL apresentaram os resultados da pesquisa de opinião realizada com empresários, bem como sugestões dos expositores para as futuras ações. Entre as opções apresentadas, para 2015, foram citadas as feiras Mac Tools, de 11 a 14 de agosto, em Goiânia/GO; Intermach, de 1º a 04 de setembro, em Joinville/SC; e a Mercopar, de 06 a 09 de outubro, em Caxias do Sul/RS, com possibilidade de contatos para visitas técnicas. Este evento de abertura para feiras e missões de 2015, incluindo a avaliação de 2014, encaminha e mostra as opções para as empresas associadas. A escolha ocorre a partir do interesse da maioria, sendo o SINDIMETAL o agente executor. Mais informações poderão ser obtidas através dos telefones 3590-7710 e 3590- 7708. Curso Cozinha Brasil foi Orealizado em parceria com o Banco de Alimentos Vale do Sinos, de 13 a 16 de outubro, no Largo Rui Porto, em São Leopoldo, em comemora- ção à Semana Mundial da Alimentação. Neste ano, ocorreu uma turma de multiplicadores, no turno da manhã; quatro turmas com enfoque nas doenças crônicas não transmissíveis (Obesidade, Diabetes, Hiper tensão Ar terial e Dislipidemias) e uma turma de comunida- de à noite. Preparar alimentos de maneira racional, econômica e sem desperdícios é uma forma de minimizar o problema da fome no Brasil. Partindo dessa premissa, o Conselho Nacional do SESI desenvolveu o Programa Cozinha Brasil – Alimentação Inteligente, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, tornando-se mais uma ação do Programa Fome Zero, do Governo Federal, com apoio das Federações das Indústrias e Departamentos Regionais do SESI de todo País. Utilizando Unidades Móveis, adapta- das como cozinhas experimentais pedagógicas projetadas para ensinar, são realizados os cursos para a população sobre como preparar alimentos de baixo custo e alto valor nutritivo, aproveitando os alimentos de forma integral, preferen- cialmente, com receitas que utilizam produtos da própria região, respeitando as diversidades culturais. Maiores informações sobre o Programa SESI Cozinha Brasil, no Rio Grande do Sul, através da Central de Atendimento SESI 0800518555 e pelo e- mail cozinhabrasil sesirs.org.br. Empresáriosavaliamparticipaçãonasexposições emissõesedivulgamaçõespara2015 ProgramaSESICozinhaBrasil-AlimentaçãoInteligente •AUTOMEC – São Paulo/SP - 08 e 09/04 •FEIMAFE – São Paulo/SP – 20 e 21/05 •MACTOOLS – Goiânia/GO – 12 e 13/08 •INTERMACH – Joinville/SC – 02 e 03/09 •FENAF – São Paulo/SP – 29 e 30/09 •MERCOPAR – Caxias do Sul/RS – 08/10 •POLO NAVAL – Rio Grande/RS – 20 e 21/10 •MÊCANICA – Belo Horizonte/MG – 03 a 05/11 •MACTOLLS – Goiânia/GO - 11 a 14/08 • INTERMACH – Joinville/SC - 1º a 04/09 • FENAF– São Paulo/SP - 28/09 a 1º/10 • MERCOPAR– Caxias do Sul - 06 a 09/10 Missões Exposições *Está prevista também uma missão empresarial internacional, em 2015. Fonte: SESI Unidade Móvel - Cozinha Brasil
  • 9. Encarte Especial proximadamente 160 pessoas estiveram reunidas, num Aclima de muita integração, para prestigiar a Confraternização de Final de Ano das Associadas do SINDIMETAL, no dia 05 de dezembro, no Centro das Indústrias, em São Leopoldo.
  • 10. .
  • 12. esta edição da Confraternização Ndas Associadas do SINDIMETAL, o momento cultural contou com a apresentação de Daniel Hunger e Banda. O show foi conduzido pelo presidente do Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Leopoldo (SINDUSCOM- SL), engenheiro Julio Cezar Steffen, que além de integrar a banda, na ocasião, como baterista, fez um link com o crescimento, direcionado para três eixos principais: Construção, Educação e Arte, relatando momentos significativos da história da entidade, reconhecida nacionalmente. “A construção de uma entidade é cheia de planejamentos, sonhos, projetos, colaboradores, empresários e de engenheiros, mas, como na construção de uma obra, sem uma direção competente ela não anda. É o Mestre. O mestre da obra” enfatizou Steffen. “Somente com pessoas c o m e s t a q u a l i fi c a ç ã o é q u e o associativismo pode se desenvolver e transformar, o sonho, que iniciou em 1948, nesta entidade que é o SINDIMETAL hoje”, afirma. Músicas de Noel Rosa, Lupicínio Rodrigues, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, João Gilberto e The Beatles, empolgaram a plateia, que cantou e aplaudiu a iniciativa, pedindo “bis”. Ao final da apresentação cultural, todos participaram do jantar de Confraternização de Final de Ano do SINDIMETAL, que teve lugar no Salão de Eventos da entidade. Créditodasfotos:NecaCarrasco
  • 13. Comitêsconcluematividades Comitê do SINDIMETAL Saúde, Segurança e Meio Ambiente Comitê do SINDIMETAL SSMA Desenvolvimento de Lideranças Comitê do SINDIMETAL DL Lean Manufacturing Comitê do SINDIMETAL LM Recursos Humanos Comitê do SINDIMETAL RH “Educação nunca foi despesa. Sempre foi investimento com retorno garantido.” (Arthur Le is) O ano foi movimentado para os participantes dos seis comitês, que integram o SINDIMETAL. Formados por empresários, executivos e funcionários das empresas associadas à entidade, objetivam o desenvolvimento de assuntos estratégicos, buscando soluções nas suas respectivas áreas. No dia 08 de dezembro, durante o encerramento das atividades dos comitês, no Centro das Indústrias, o diretor Executivo da entidade, Valmir Pizzutti destacou o trabalho realizado durante 2014 e convidou os coordenadores dos comitês, acompa- nhados de um integrante, para relatar sobre o trabalho que será desenvolvido no próximo ano. Apresentação O comitê Valemetalsinos, sob a coorde- nação de Marcelo Mariani, da Metalúrgica Mariani, foi apresentado por David Cardoso, da CRK, que destacou dois projetos para 2015. Desenvolver e imple- mentar a capacidade criativa e investir na formação de um 'cluster'. O case foi apresentado por Giuliano Ho mann, da Spheric, que elogiou a sinergia criativa existente entre os integrantes do Valemetalsinos. Heloísa Müller, da Rexnord, coordenado- ra do comitê de RH, convidou Rosângela Rodrigues, da Flec steel para apresentação. Na ocasião, enfatizou o comprometimento e o desenvolvimento, a partir de objetivos macro, disseminando o c o n h e c i m e n t o e a s melhores práticas na atividade do RH. Bianca de M e d e i r o s , d a C R K , destacou, no seu depoi- mento, o compartilha- mento de problemas, mas também de soluções, além da multiplicação de conhecimento, como fatores positivos do comitê. Para Caroline Costella Foerth, da Fercorte, o comitê Desenvolvimento de Lideranças 1, coordenado por Sofia Copé Heller Michel, da Copé, contribuiu para o aprimoramento da missão, fortalecendo a liderança. As ações serão pautadas em capacitações sobre os temas Ponderação, Conduta política, Intracepção, Nível de comunicação e Integração. Segundo Vanessa Schmidt, da Erps, os encontros foram de grande valia, pois abriram novos horizontes e uma oportunidade ímpar de fortalecer e capacitar as lideranças. Já o Desenvolvimento de Lideranças 2, coordenado pelo advogado Cláudio Garcez, foi apresentado pela Kassiane Loc s, do SESI, que destacou o compromisso com a formação e o fortalecimento de lideranças. Para José Augusto Stroeher, da Viva Cor, a experiência de crescer com a empresa, contribui para que os participantes vençam o s d e s a fi o s , p e r p e t u a n d o e s t e comprometimento com o SINDIMETAL. O comitê SSMA – Saúde, Segurança e Meio Ambiente, coordenado por Ana Lídia Andrade, da Copé, teve a participação de Marco Batistella, da Rexnord, que destacou positivamente a disseminação do conheci- mento às empresas. Entre os projetos previstos estão desenvolver fornecedores na área. Para Luís Felipe Motta, do Grupo Delga o ano de 2014 foi atípico. “Tivemos muitos desafios a serem vencidos”, afirma. E, encerrando as atividades, o comitê ean Manufacturing, coordenado por Juliano Ilha, da Artestampo. A sinergia entre os integrantes promoveu bons resultados, com previsão de visitas técnicas e também de um Meeting para 2015. “O ean é o que há de melhor”, justifica Tiago Simioni, do Grupo Delga. Já para José Argemi, da Copé, as empresas participantes aprenderam, na prática, que “conhecer, compartilhar e aplicar é igual a atingir resultados”. No encerramento dos trabalhos, o presidente do SINDIMETAL, Raul Heller registrou a sua satisfação em acompanhar a evolução dos comitês. “A integração, o foco nos resultados e o comprometimento dos participantes têm contribuído para o crescimento destes profissionais. Trabalhando em conjunto temos chances de mudar o País para melhor”, destacou Heller. Evento de encerramento no salão do SINDIMETAL
  • 14. O encerramento da programação da SIPAT Comunitária São Leopoldo ocorreu no dia 09 de novembro, pela manhã, com a 4ª Corrida Rústica, que contou com 194 participantes, e a 1ª Caminhada do Trabalhador, com 50 integrantes. O trajeto da corrida iniciou no CAT SESI e seguiu até a empresa Stihl, totalizando cerca de 4 m, envolvendo trabalhadores, empresários, familiares e integrantes dos grupos de corrida do SESI. Já a caminhada orientada teve um percurso de 2 m. A largada de ambas as modalidades ficou a cargo do gerente de Operações do SESI, Cláudio Camacho. Um dos destaques foi novamente o chip c o l o c a d o n o s t ê n i s d o s participantes, que marcou com precisão o tempo da corrida. Uma tecnologia de ponta utilizada pela segunda vez nesta competição, que agradou a todos. Leandro Ferraz foi o vencedor, na categoria masculina, seguido por Rômulo da Silva e Vagner dos Santos. Na categoria feminina, o destaque ficou com Vanessa Dias e entre os veteranos, o campeão foi Valmir Pizzutti, diretor Executivo do SINDIMETAL. Numa promoção do SINDIMETAL e do SESI, juntamente com 10 empresas parceiras, a SIPAT Comunitária São Leopoldo iniciou no dia 03 de novembro, reunindo a cada dia 120 trabalhadores, beneficiando mais de 600 pessoas durante toda a semana de atividades. As palestras foram realizadas no Centro de Atividades do SESI, bairro Rio Branco, em São Leopoldo, das 15h45min às 17h até quinta-feira e, na sexta, no horário das 13h45min às 15h. O concurso de slogans, ocorrido antecipadamente, premiou, com o 1º lugar, Cátia Franco Pereira, da empresa Copé, com o slogan “Percepção e conscientização, primeiros passos para a prevenção”. Segundo o diretor Executivo do SINDIMETAL, Valmir Pizzutti “a programação foi diversificada e oportunizou muitos esclarecimentos sobre temas voltados à segurança, saúde e meio ambiente, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores, que certamente multiplicarão as informações obtidas”. Participaram desta edição as seguintes empresas: Altus Sistemas de Automação S.A.; Copé Cia Ltda.; Higra Industrial Ltda.; Metalúrgica Nunes Ltda.; Mult'Moldes Matrizaria Ltda.; Rexnord Brasil Sistemas de Transmissão e Movimentação Ltda.; Rijeza Indústria Metalúrgica Ltda.; Sebras Ind. e Com. Ltda.; Stihl Ferramentas Motorizadas Ltda.; VALGE – Valdir Geremia Ind. e Com. Ltda. A próxima SIPAT Comunitária São Leopoldo ocorrerá provavelmente no primeiro semestre de 2015. Espaçoparanovasempresas participaremdoSPESINDIMETAL Aevolução do Fórum sobre ean desencadeou o Comitê, que elaborou o Projeto de Desenvolvimento Sistema de Produção Enxuta (SPE), o qual vem sendo divulgado e incentivado entre as empresas associadas ao SINDIMETAL. A implantação do conceito de ean Manufacturing abrange todas as atividades operacionais de uma empresa e concentra, através da eliminação do desperdício e da otimização dos processos produtivos, uma série de vantagens, entre elas, o aumento da produtividade e da melhoria contínua. As turmas dos steps 1 – Pensamento ean e 2 – Pessoas ean, que compreendem o SPE, serão constituídas pelas empresas que irão aderir ao projeto, no ano de 2015. As empresas interessadas em participar podem contatar com o SINDIMETAL, para obter mais informações. Os steps 3 – Padronização e 4 – Estabilidade serão realizados pelas empresas que concluíram os steps anteriores, no ano de 2014. - Kanban - VSM -Andon -Gestão visual a out -Ferramentas da qualidade -FMEA -Po a o e -Kaizen -Autonomação jido a/ automatização de baixo custo -TPM / OEE -TRF / SMED -Planejamento A3 -Produção sincronizada /Heijun a eam eader -Planejamento Estratégico -5S -Gerenciamento por diretrizes Pensamento Lean Pessoas Lean Padronização Estabilidade Melhoria Contínua Fluxo Contínuo/ JIP -Princípios, valores e as vantagens do lean -As oito perdas SIPATCOMUNITÁRIASãoLeopoldo encerrapromovendoasaúde SIPAT2014 SIPAT Segurança Trabalho Step 1 Step 2 Step 3 Step 4 Step 5 Step 6 Lean Manufacturing Comitê do SINDIMETAL LM Preparação para a corrida
  • 15. Cursos na modalidade Pronatec este ano, na sede do SINDIMETAL, em São Leopoldo, 831 Npessoas foram beneficiadas com 33 atividades, que somaram 404 horas e contemplaram 371 empresas. ponto de Atendimento em Sapiranga, reúne os parceiros OSINDIMETAL, SEBRAE, CDL Campo Bom e CDL Sapiranga. Em 2014, 511 pessoas participaram das 24 atividades propostas, que totalizaram 323 horas e envolveram 13 empresas do setor na região, além de empresas vinculadas ao comércio. (51)3590.7707 relacionamento@sindimetalrs.org.br (51)3599.1076 sebrae@cdlsap.com.br Ponto de Atendimento Sede São Leopoldo C om o intuito de beneficiar as empresas vinculadas, com as capacitações do Pronatec, voltadas ao setor produtivo, o SINDIMETAL preparou um projeto piloto, dos cursos do Plano Brasil Maior, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). A empresa Polimetal Metalurgia e Plásticos Ltda., de São Leopoldo, programou seis turmas fechadas, que estão ocorrendo, com término previsto para dezembro, janeiro e fevereiro. Uma das turmas contemplou mais duas empresas: Delga e Metalúrgica Preciuse Ltda. A ideia inicial foi verificar, na prática, o funcionamento desta nova modalidade do Pronatec, via MDIC, com uma empresa, para então oportunizar o preenchimento de vagas junto às demais indústrias da região. Segundo a gerente de Gestão de Pessoas, da Polimetal, Carla De Marchi “a parceria com o Pronatec foi extremamente válida e importante para nós pela capacitação técnica dos instrutores, pela facilidade/ flexibilidade em organizar turmas fechadas, pelo atendimento específico às necessidades técnicas e pelo total apoio do SINDIMETAL na viabilidade deste projeto”, registra Carla. “Diante da nossa dificuldade em encontrar mão de obra qualificada, a nível técnico, esta parceria com o Pronatec nos ajudou a evoluir no desenvolvimento e aperfeiçoamento de nossos colaboradores, resultando em novas oportunidades de crescimento profissional”, esclarece. SENAI CETEMP • Soldador no Processo MIG/MAG turma 13 vagas 22/09/2014 a 1º/12/2014 Carga horária: 200 horas • Soldador no Processo MIG/MAG turma 12 vagas 27/10/2014 a 09/01/2015 Carga horária: 200 horas SENAI Lindolfo Collor • Ajustador Mecânico – turma 25 vagas 22/09/2014 a 16/12/2014 Carga horária: 240 horas • Operador de Máquinas de Usinagem com Comando Numérico Computadorizado (CNC) – turma 20 vagas 29/09/2014 a 16/12/2014 Carga horária: 220 horas • Fresador Mecânico – turma 25 vagas 23/10/2014 a 02/02/2015 Carga horária: 260 horas •Ajustador Mecânico - turma 25 vagas (participantes da Delga, Preciuse e Polimetal) 03/11/2014 a 09/02/2014 Carga horária: 240 horas curso de Aprendizagem OIndustrial, realizado pelo SENAI, é destinado aos jovens de 14 a 24 anos, que podem participar da ação, como aprendizes. A indicação de jovens maiores de 16 anos possibilita o ingresso diretamente na indústria, após a conclusão do curso, que tem duração de dois anos. Mais informações através das unidades do SENAI na região: CETEMP, CETEPO e Lindolfo Collor em São Leopoldo, Eletromecânica em Sapucaia do Sul, Gustavo Copé em Novo Hamburgo, aldemar Strassburger em Sapiranga e nova unidade em São Sebastião do Caí ou através do site .senairs.org.br. Cursos promovidos Aprendizagem Industrial
  • 16. o desenvolvimento das atividades Nna indústria metalúrgica é imprescindível o aquecimento e fundição de metais. É através do calor que, por exemplo, o metal toma forma, que o aço é cortado e que peças de alumínio são conectadas para criar engrenagens e máquinas. E é do calor que derivam vapores e fumus metálicos decorrentes do processo de aquecimento do metal. Até então tudo estaria bem caso tais resíduos, lançados à atmosfera, não fossem nocivos à saúde dos seres vivos e poluíssem todo o meio ambiente. Note-se que o termo “seres vivos” foi utilizado justamente porque abarca não só os homens, mas também todos os animais e vegetais, motivo da preocupação, inclusive do próprio setor secundário. Recentemente, o Ministério do Trabalho e Emprego promoveu uma série de notificações às indústrias do segmento m e t a l - m e c â n i c o , p a r a q u e t a i s apresentassem ou adotassem medidas protetivas coletivas com o intuito de expedir os fumus metálicos, decorrentes de soldas nos ambientes de trabalho, com maior eficiência, visando salvaguardar a saúde e o bem-estar dos trabalhadores. Entende-se que a competência funcional do Setor de auditorias do Ministério do Tr a b a l h o e E m p r e g o é l i m i t a d a ( c o n s i d e r a n d o s u a s a t r i b u i ç õ e s determinadas pela Constituição Federal), mas é oportuno questionar-se: a indústria deve ser mais eficaz em livrar seus empregados da poeira metálica, mas e a sociedade e o meio ambiente, que justamente receberão esses resíduos, como ficam O Poder Executivo tem se posicionado de maneira contundente, promovendo ações positivas e concretas contra o problema em questão. Limita-se, contudo, a firmar protocolos genéricos, com medidas de alcance a longo prazo, assim como elabora normativas restritas a categorias de pessoas ou regiões, sem pensar no meio ambiente como um sistema integrado e complexo. E não bastasse isso, a administração pública acaba por exonerar- se de qualquer responsabilidade, impondo o ônus tão somente ao setor privado de se adequar, quase de maneira imediata, às normas legais, sem qualquer prévio estudo técnico e impacto financeiro. A legislação tem mostrado pouca preocupação com a emissão e exaustão de vapores oriundos de soldagem e dos processos produtivos de forjarias. Nesse sentido, cumpre registrar que a Resolução número 001/86 do Conama define como impacto o ambiental, justamente a consequência dos atos, qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente, e que afetem: a saúde, a segurança e o bem-estar da população; as atividades sociais e econômicas; a biota; as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente; a qualidade dos recursos ambientais. Por sua vez, a atuação do Poder Judiciário tem sido muito pontual, oriundo de medidas provocatórias promovidas pelas Defensorias Públicas e pelo Ministério Público, que determinam o ajuizamento de ações civis públicas e resultam em condenações indenizatórias e obrigações de reparação do ambiente natural ao empresariado. E é diante dessa realidade que sugere à indústria metalúrgica que passe a pensar em novas perspectivas com relação ao meio ambiente, no que se refere aos sistemas de exaustão e a poeira metálica. O mercado nacional e estrangeiro já oferece sistemas menos geradores de poeira metálica nas atividades de soldagem, tais como eletrodos revestidos de aço inoxidável, soldagem tipo TIG (que não consome o eletrodo de tungstênio no processo) e soldagem tipo plasma (com alta concentração de energia e sem consumo do eletrodo). Os cortes à laser também são mais precisos e produzem menos vapores, pois o nível de erros são menores. A i n d a , o p o r t u n o r e f e r i r q u e procedimentos de soldas sem a utilização de metais como manganês, cromo, níquel, chumbo e mercúrio (em caráter originário ou residual) são medidas interessantes e que previnem danos ao ambiente natural. Em processos de fundição e forjaria a utilização de filtros, instalados em aspiradores e coifas de uso coletivo, ainda é o meio mais sugerido e eficaz, vez que não se pode substituir o uso dos metais por outras matérias primas. Nesse sentido, os filtros e catalisadores dos tipos cartucho e modular cumpre papel importante no processo de não exaustão de poeira metálica no ar, mas demandam o correto descarte após o uso. Novos filtros vêm sendo desenvolvidos e que utilizam de compartimentos com água para o depósito e posterior decantação do resíduo metálico, bem como a reutilização no processo produtivo na indústria. Conclui-se, portanto, que a indústria deve se antecipar às demandas punitivas e pedagógicas promovidas pelo Estado, através de ações positivas que promovam o cumprimento da legislação ambiental, assim como o correto descarte do fumus metálicos no meio ambiente, a fim de resguardá-lo. *Advogados integrantes da equipe de profissionais do escritório Garcez Advogados Associados – Assessoria Jurídica do SINDIMETAL,nasáreasTrabalhista,Ambientale deRepresentaçãoComercial. OsSistemasdeExaustãoeaIndústriaMetalúrgica: preocupaçãocomomeioambienteeasociedade
  • 17. esde o ano de 2012, vem sendo Dimplantado o Processo Judicial Eletrônico na Justiça do Trabalho. Atualmente, todas as comarcas da região metropolitana já contam com o sistema em funcionamento. Assim como toda novidade, num primeiro momento, o processo eletrônico causa d i fi c u l d a d e e a t é m e s m o a l g u m aborrecimento aos usuários do sistema. Todavia, com o passar do tempo e a sua utilização, o usuário se adapta, e, na maioria das vezes, passa a preferir o sistema utilizado em relação ao procedimento antigo. Certo é que a utilização do processo eletrônico acarreta em economia para as empresas, na medida em que não é mais necessário efetuar cópias de diversos documentos para serem juntados ao processo. O meio ambiente agradece a economia de papel e outros acessórios. O procedimento do preposto, com exceção de um único comando, é o mesmo da época do processo em papel: reúne a documentação requerida pelo advogado e passa na máquina de reprografia. A diferença é que, na mesma máquina, antes se tiravam cópias, agora escaneia-se e envia por email ou pen dri e ao advogado. Contudo, algumas dificuldades vêm sendo enfrentadas pelas empresas na utilização do PJe (Processo Judicial Eletrônico), que são: O acesso à petição inicial e a remessa dos documentos necessários para a elaboração da contestação, para o escritório responsável.Nos processos eletrônicos, a Justiça do Trabalho não remete mais a cópia da petição inicial juntamente com a notificação da audiência, como era procedida com os processos físicos. As empresas recebem tão somente a notificação inicial onde consta uma chave eletrônica, para acesso ao processo, através do site do PJE. O acesso ao PJe é através do site http:// .trt4.jus.br, basta (1) clicar em Processo judicial Eletrônico, no lado direito da página. No menu “CIDAD O”, clicar em (2) Consulta de documentos pela chave – 1º grau. O procedimento é simples, deve-se apenas digitar a chave de acesso que consta na notificação inicial para acessar a petição inicial do processo. O navegador de internet que obrigatoriamente deve ser utilizado para acesso é o ire o (Os demais navegadores Internet Explorer e Google Chrome não permitem acesso ao sistema). O do nload d e s t e n a v e g a d o r p o d e s e r f e i t o g r a t u i t a m e n t e p e l o s i t e (https:// .mozilla.org/pt-BR/firefox/ne /). No site do PJE, também consta o “Manual do Cidadão”, onde tem todo passo a passo bem detalhado, do procedimento para acesso ao sistema e à petição inicial. Feito aquele procedimento, passa-se à segunda etapa, que é o envio da petição inicial e documentos para o escritório responsável para a elaboração da defesa. Aqui não entraremos no mérito acerca de quais documentos devem ser enviados, mas tão somente quanto à forma que eles devem ser remetidos. Após tomar conhecimento da petição inicial e realizada a separação dos documentos para o envio, estes devem ser digitalizados com a utilização de um scanner. e somente aceita ar uivos em ormato . Não é possível tirar fotografias dos documentos, nem mesmo digitaliza-los em outro formato (JPG, DOC. e PNG por exemplo), pois não será possível a sua inclusão no sistema. Outra atenção que deve ter o usuário é quanto ao taman o o ar uivo. Somente podem ser enviados arquivos com tamanho máximo de 1,5 (ou 1.500KB). Esta tem sido a maior dificuldade das empresas, pois muitas vezes remetem ao advogado os documentos com tamanho superior ao permitido, o que impossibilita a sua anexação ao processo eletrônico, gerando o retrabalho de digitalizar novamente ou processar o arquivo do documento. Em razão de tanto, sugerimos que: • Os documentos devem sempre ser digitalizados em preto e branco, nunca colorido, pois isto torna o arquivo mais pesado; • Não se deve utilizar uma resolução muito alta no scanner (a resolução máxima obrigatoriamente deve ser de 300 dpi); •Documentos da mesma natureza e com poucas páginas cada, devem ser agrupados num único arquivo, a fim de evitar diversos arquivos com tamanho muito reduzido. Por exemplo: Contrato de trabalho, acordos de compensação de jornada e ficha de registro do empregado podem ser colocados no mesmo arquivo. Via de regra estes documentos contém apenas uma ou duas páginas cada, sendo que se colocados juntos, não extrapolarão o limite máximo de 1,5MB por arquivo; • Os arquivos devem ser nomeados corretamente, de acordo com o seu conteúdo, por exemplo: Cartões ponto do ano de 2013, recibos de pagamento do ano de 2014, termo de rescisão, etc; • Os arquivos devem seguir uma ordem cronológica. Por exemplo, cartões ponto devem ser digitalizados mês a mês, do mais antigo para o mais recente, assim como os recibos de pagamento. Importante registrar, também, que existem diversos sites na internet que possuem recursos para juntar diferentes arquivos de PDF ( .pdfjoin.com), separar arquivos de PDF ( .splitpdf.com), e reduzir o tamanho do arquivo ( .smallpdf.com). Este último é o mais interessante. Pois se a empresa, ao digitalizar o documento, verificou que o arquivo ficou com mais de 1,5MB, pode utilizar este recurso para reduzir o tamanho do arquivo, ao invés de digitalizar tudo novamente. Estas são apenas algumas considerações para garantir a eficiência e agilidade dos procedimentos necessários para acesso à petição inicial e o envio de documentos para a contestação. Em caso de dúvidas, converse com seu advogado! *Advogado integrante da equipe de profissionais do escritório Garcez Advogados Associados – Assessoria Jurídica do SINDIMETAL, nas áreas Trabalhista, Ambiental e de RepresentaçãoComercial. Errata – Na edição nº 48 do ESPAÇO SINDIMETAL, página 13, o título correto do artigo assinado pelo advogado Fernando de Morais GarcezéMonitoramentoporvídeodoambientede trabalho. ProcessoJudicialEletrônico:aremessade documentosparaaelaboraçãodadefesa* Rodolfo Assis Bordinhão OAB/RS 85.811 “Educação gera conhecimento. Conhecimento gera sabedoria. Só um povo sábio pode mudar seu destino”. (Autor desconhecido)
  • 18. A liberdade em tempos de culto à felicidade *Marciano Buffon OAB/RS 34.668 s sociedades de massa Ae x i s t e n t e s , n o q u e s e convencionou denominar de p ó s - m o d e r n i d a d e , t ê m u m a característica comum: o apreço pelo indivíduo. Como se cada qual pudesse t e r u m a v i d a a u t ô n o m a e desconectada do restante, esquece-se o alerta que já fizera Tocqueville – conforme lembra o sociólogo polonês Zygmunt Bauman: “o indivíduo é o pior inimigo do cidadão”. Nestes tempos de culto ao individualismo, há uma busca irrefreável por sentir-se único – social, econômica e esteticamente desejável – como uma espécie de mercadoria posta na prateleira do “Sr. Mercado”, para ser cobiçada e admirada pelo restante dos indivíduos, que também almejam ocupar o mesmo espaço. Na linha de Bauman, os seres humanos transformam-se em mercadorias e vivem para satisfazer suas necessidades de consumo. Segundo tal lógica, isso permitiria alcançar aquilo que mais se pode buscar: a felicidade. uando se passa a discutir o que significa isso, as respostas são as mais variadas possíveis. Porém, percebe-se que felicidade, no mais das vezes, associa- se a possibilidade de ter acesso a tudo que supostamente permitiria sentir-se único, notadamente o acesso a determinados padrões de consumo. Acredita-se, que “ter” algo possa propiciar um sentimento de satisfação e alegria, sem finitude. Isso se torna particularmente per verso nas relações que se de s envolvem no âm b ito d as denominadas redes sociais. Neste universo, é essencialmente necessário parecer feliz, pois o contrário é revelador de certa incompetência em gerir o destino. Constroem-se vidas perfeitas e, portanto, fictícias, as quais geram um sentimento de frustração e insegurança, por parte daqueles que acreditam nesse verdadeiro “conto de fadas” automidiático, quando constatam que suas próprias vidas são comuns e pequenas diante de tantos “felizes” que povoam tais redes. Incrivelmente, esse sentimento é recíproco, pois aqueles que vendem tal imagem também se sentem dessa forma, uma vez que, intimamente, sabem que seu – eficazmente vendido – mar eting pessoal, nada mais é do que uma pura obra de ficção. Tudo é tão avassalador que, mesmo dando-se conta disso, é difícil não se submeter aos seus efeitos negativos. De qualquer forma, este texto não tem a pretensão de convencer alguém acerca das armadilhas deste mito, nem pretende vender uma nova fórmula para alcançar este intento, como o fazem tantos livros de autoajuda, cujos autores são os principais “ajudados”. O que se pretende aqui, singelamente, é sugerir uma reflexão: é possível ser feliz, sem ser livre É certo que, a convivência coletiva impõe limites no plano individual, que frustram a liberdade no seu estado original. Isso acontece porque só é possível ser verdadeiramente livre no seio de uma sociedade. O ser humano não se realiza como tal, a não ser coexistindo. Numa ilha deserta, o ser humano nada mais é do que sua versão primordial de evolução, à medida que está condenado a satisfazer apenas seus instintos básicos. Portanto, os limites impostos pela convivência coletiva são meios de garantia da própria liberdade. Desconsiderando o outro, o ser humano faz da liberdade sua primeira vítima e de si próprio um verdadeiro escravo de seus instintos. Ocorre que, na atualidade, não são esses limites que comprometem a liberdade. Uma vez que se assume a tarefa de ser aceito pela sociedade de consumo, automaticamente passa-se a agir de acordo com os padrões estabelecidos por ela. São normas não escritas e leis concretamente i n e x i s t e n t e s , a s q u a i s , imperceptivelmente, balizam o modo de agir. Desde a necessidade de adquirir determinados bens, até a manifestação de determinadas opiniões, age-se de acordo com modo de viver e pensar, que é sutilmente imposto como condição para alcançar aquilo que se diz ser felicidade. Por mais paradoxal que pareça, quanto mais brilhante for o aluno, mais provavelmente restará frustrado e infeliz, ao perceber a euforia esvaindo- se tão rapidamente. No dia seguinte, novos desejos, ar tificialmente produzidos, haverão de ser satisfeitos. Por isso, nestes bons tempos que permeiam o final e o início de um novo ano, vale pensar o quanto se deve buscar a decantada felicidade, que se vende tal qual anúncio publicitário de margarina, quanto isso significa comprometer algo indissociável à própria condição humana: ser livre. Portanto, neste ano que nos bate à porta, melhor do que desejarmos “Feliz 2015”, poderíamos dizer: “Sejamos livres em 2015!”. Pelo menos, não sejamos reféns de normas e leis concretamente inexistentes e faticamente inúteis. Sejamos felizes, sem deixar de ser livres. Ou melhor, sejamos livres, pois só assim poderemos ser verdadeiramente felizes... Advogado integrante da equipe Buffon & Furlan Advogados Associados I Assessoria Jurídica do SINDIMETAL, na áreaTributária.
  • 19. o dia 23 de setembro, no s o room Nda Metalúrgica Reuter ocorreu o evento de Lançamento da Nova Coleção Inverno 2015, intitulado e ecret arden. A iniciativa contou com a presença de mais de 80 pessoas entre grandes clientes, imprensa e instituições voltadas à moda. O e v e n t o f o i a b e r t o c o m a s considerações do diretor Ronei Feltes agradecendo a presença e o empenho de todos em participar. Em seguida foi apresentada a estrutura, as inovações da empresa em gestão, investimentos em sustentabilidade e processos, pelo assessor da direção, Junior Oliveira. Logo após, Daniel Theisen, da área de desenvolvimentos da Metalúrgica Reuter, apresentou a nova coleção de peças da linha confecção, mostrando a inspiração baseada nas tendências de moda inverno 2015 e o produto que gerou. Na sequência, Lisa Oliveira, design de moda, apresentou macro tendências de moda, levando os participantes a se inspirarem, através de fotografias de lojas conceituadas na Europa, futuras tendências no mercado. Na ocasião, os convidados aproveitaram para conhecer as peças de outras coleções e produtos clássicos, como botões, enfeites, ilhoses, placas, armações de bolsas e todos os outros metais para a moda. O salão foi inaugurado após muitos anos de planejamento, prospecção e empenho dos funcionários, clientes e parceiros da empresa. O lançamento da coleção verão ummer rip 2016 está previsto para março, na Feira FIMEC, em Novo Hamburgo. Metalúrgica Reuter Lançamento da Nova Coleção Inverno 2015N O S S O E S T I LO É I N O VA R Fonte: Metalúrgica Reuter “A educação é um processo social, é desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é a própria vida”. (John De ey) Metalúrgica Mariani inaugura showroom AMariani Metais está com novo produto na linha de decoração. São as luminárias de mesa, de coluna e tripés disponibilizados em várias cores. No dia 20 de novembro, o s o room, apresentando as novidades, foi inaugurado, reunindo fornecedores, clientes e amigos, que conferiram de perto os lançamentos, além de conhecerem o espaço Outlet. Os diretores Marcelo Mariani e Jacqueline Mariani trabalham com uma concepção moderna de indústria, desenvolvendo usinagem de peças sob encomenda e, desde 2006, investem numa linha de produtos próprios, que leva a marca Mariani Metais. Estes produtos, assim como as lareiras a álcool e algumas mesinhas de apoio, podem ser adquiridos no s o room da fábrica, localizado na Av. São Borja, nº 1587, bairro São Borja, em São Leopoldo. Fonte: Mariani Metais Diretores apresentam showroom C om sede no município de Sapucaia do Sul, na Rodovia RS 118, a associada Transmaq, fabricante de redutores de velocidade, comemorou, no dia 31 de outubro, 42 anos de atividades, juntamente com a sua equipe de colaboradores, fornecedores e parceiros. Contando com os sócios Leonardo Pedroso Filho, Milena Pedroso, Sydonita Pedroso e Elisabeth Pedroso, a empresa orgulha-se da sua trajetória e das conquistas obtidas ao longo desta caminhada. Valorizando a missão de “Produzir e comercializar produtos eletromecânicos de transmissão, com qualidade e agilidade”, a Transmaq atua com base na gestão da qualidade total, desenvolvendo soluções personalizadas tanto na fabricação de produtos, quanto na prestação de serviços. Com uma equipe interna especializada em ouvir os clientes, mantém atualizações constantes, garantindo um bom atendimento e fortalecendo a marca, nestas décadas de trabalho. Além disso, é uma empresa atenta ao meio ambiente, conservando uma área de mata nativa, com flora e fauna características e arborização plantada pelos fundadores. Também está atenta a redução de desperdícios e incentiva a reciclagem de materiais. Cumprimentos à direção e colaboradores da Transmaq pelos 42 anos de história! comemora 42 anos Fonte: Transmaq Data festiva comemorada em equipe