SlideShare uma empresa Scribd logo
Disciplina Planejamento Educacional em Artes Visuais Grupo   Elisabete L. C. Pereira Maria da Graça Azambuja Roseli Souza Nunes Rossele Neto de Carvalho
ESCOLA NOVA
"Por educação nova entendemos a corrente que trata de mudar o rumo da educação tradicional, intelectualista e livresca, dando-lhe sentido vivo e ativo. Por isso se deu também a esse movimento o nome de: Escola Ativa"  (LUZURIAGA, 1980, p. 227).
(...) na escola tradicional a iniciativa cabia ao professor que era, ao mesmo tempo, o sujeito do processo, o elemento decisivo e decisório (...) na pedagogia nova a iniciativa desloca-se para o aluno, situando-se o nervo da ação educativa na relação professor-aluno, portanto a relação interpessoal, intersubjetiva... (SAVIANI, 1995, p.24).
"Do ponto de vista da Escola Nova, os conhecimentos já obtidos pela ciência e acumulados pela humanidade não precisariam ser transmitidos aos alunos, pois acreditava-se que, passando por esses métodos, eles seriam naturalmente encontrados e organizados" (FUSARI e FERRAZ, 1992, p. 28).
A Escola Nova foi um movimento de renovação do ensino que desenvolveu-se na primeira metade do século XX . No Brasil a Escola Nova sofreu impactos de transformações econômicas, políticas e sociais, ocasionando uma mudança significativa no ponto de vista intelectual brasileiro.
A necessidade de democratizar a sociedade fez com que o movimento da Escola Nova acontecesse paralelamente à pedagogia tradicional, buscando reformas educacionais urgentes, emergindo da própria população a necessidade de uma consciência nacional. A Escola Nova tem seus objetivos concentrados no aluno. Os educadores que adotam essa concepção acreditam em uma sociedade mais justa e igualitária, na qual caberia à educação adaptar os estudantes ao seu ambiente social.
A Pedagogia da Escola Nova parte para a criatividade e a livre-expressão, rompendo com as “cópias de modelos”.  A estética moderna privilegia a inspiração e a sensibilidade e a individualidade  do aluno. Criou-se uma postura não-diretiva, onde tudo em arte era permitido em nome da livre-expressão. A preocupação em Artes Visuais passa a ser como o "desenho livre" e o conhecimento é deixado de lado, caindo no espontaneísmo.  Na tentativa exagerada de busca da criatividade do aluno, muitos professores desviam-se da real proposta da Escola Nova e as atividades passam dos aspectos intelectuais para os afetivos. Os alunos são estimulados a trabalhar sobre ele mesmo, reconhecendo a importância de sua produção através da observação.
Objetivo Da Escola Nova Criatividade Espontaneidade (senso comum) Auto-liberação (reação aos modelos Clássicos voltados Aos desenhos) Originalidade
Sendo a área de Arte constituída pelas linguagens artísticas como as Artes Visuais, a Música, o Teatro e a Dança, seu ensino visa a formação dos indivíduos para criar, se expressar e apreciar estas diversas linguagens. A pluralidade de ações, a ligação da arte com outras áreas de conhecimento, o estabelecimento de vínculos entre os conhecimentos escolares sobre a arte e seus modos de produção e aplicação na sociedade são alguns dos pontos importantes tratados no PCN Arte.
Histórico do Ensino de Arte no Brasil 1816   -  É criada a Academia Imperial de Belas Artes. É instalado oficialmente o Ensino de Arte nas escolas. 1900  -  São valorizados o traço, a repetição de modelos e o desenho geométrico.  1922  -  Apesar da efervescência das manifestações da Semana de Arte Moderna, o ensino segue as tendências da escola tradicional, que defende a necessidade de copiar modelos para treinar habilidades manuais  1930 -  O compositor Heitor Villa-Lobos, no governo de Getúlio Vargas, institui o projeto de canto orfeônico nas escolas.  1935 -  O escritor Mario de Andrade promove um concurso de desenho para crianças com tema livre. O ganhador recebe uma quantia em dinheiro.  1948 -  É criada no Rio de Janeiro a primeira "Escolinha de Arte",  Em 1971, chega a 32 o número de instituições particulares desse tipo no país.
1960 -  As experimentações que marcam a sociedade, como o movimento da bossa nova, influenciam o ensino de Arte nas escolas de todo o país. É a época da tendência da livre expressão se expandir pelas redes de ensino.  1971 -  Segundo a  LDB, a Educação Artística (que inclui artes plásticas, educação musical e artes cênicas) passa a fazer parte do currículo escolar do Ensino Fundamental e Médio.  1973  -  Criação dos primeiros cursos de licenciatura em Arte,  voltados à formação de professores capazes de lecionar música, teatro, artes visuais, desenho, dança e desenho geométrico.  1989 -  Desde 1982 desenvolvendo pesquisas sobre três idéias  (fazer, ler imagens e estudar a história da arte), Ana Mae Barbosa cria a proposta triangular, que inova ao colocar obras como referência para os alunos.  1996  -  A LDB passa a considerar  a Arte como disciplina obrigatória da Educação Básica. Os Parâmetros Curriculares Nacionais definem que ela é composta de quatro linguagens: artes visuais, dança, música e teatro.
Na década de 30, Getúlio Vargas assume o governo provisório. Houve repressão e perseguição no campo educacional em relação ao Movimento da Escola Nova e inviabilizando a manutenção das reformas sustentadas pelos  envolvidos pelas idéias de Dewey e Durkheim que se aliaram e elaboraram o Manifesto dos Pioneiros da Escola Nova (1932), que teve como principal personagem Fernando de Azevedo que foi o redator e o primeiro signatário do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova  (A reconstrução educacional no Brasil), em 1932, em que se lançaram as bases e diretrizes de uma nova política de educação.  O documento defendia a universalização da escola pública, laica e gratuita.
Personagens importantes nas mudanças pedagógicas da Escola Nova. Lourenço Filho Reformou O ensino de  SP (1930) Getúlio  Vargas Escritora e professora Anísio Teixeira Fundador da Escola Parque
O grande nome do movimento Escola Nova na América foi o filósofo e pedagogo John Dewey, (1859-1952), filósofo norte americano que influenciou a elite brasileira.  Para John Dewey a Educação, é uma necessidade social e por causa dessa necessidade as pessoas devem ser aperfeiçoadas para que se afirme o prosseguimento social às suas idéias e conhecimentos, igualando as oportunidades perante a lei.. Para John Dewey a escola é  a própria vida. Assim, a educação tem como eixo norteador a vida-experiência e aprendizagem, fazendo com que a função da escola seja a de propiciar uma reconstrução permanente da experiência e da aprendizagem dentro de sua vida.
No Brasil, as idéias da Escola Nova foram inseridas em 1882 por Rui Barbosa (1849-1923).  A Escola Nova acredita que a educação é o exclusivo elemento eficaz para a construção de uma sociedade democrática, que leva em consideração as diversidades, respeitando a individualidade do sujeito, aptos a refletir sobre a sociedade e capaz de inserir-se nessa sociedade. De acordo com alguns educadores, a educação escolarizada deveria ser sustentada no indivíduo integrado à democracia, o cidadão atuante e democrático.
A evolução dos conceitos que orientam as aulas hoje . Na década de 1990, duas importantes inovações pavimentaram o caminho para o modelo atual: na Espanha, Fernando Hernández defendeu o estudo da chamada cultura visual. (segundo ele era necessário  trabalhar com videoclipes, internet, histórias em quadrinhos, objetos populares e da cultura de massa, rótulos e outdoors nas salas de aula).  No Brasil, Ana Mae Barbosa formulou a metodologia da proposta triangular (inspirada em idéias norte-americanas e inglesas, recuperou conteúdos e objetivos que tinham sido abandonados pela escola espontaneísta). Ela mostrou que o professor deveria usar o seguinte tripé em classe: o fazer artístico, a história da arte e a leitura de obras.
Metodologia da Escola Nova Foco:  não importa  o resultado E sim a experiência Estratégia  de  Ensino: Desenho livre e Vários materiais Livre expressão
Referências: http://educador.brasilescola.com/gestao-educacional/escola-nova.htm http://www.artenaescola.org.br/pesquise_artigos_texto.php?id_m=23 http://homolog.novaescola.abril.com.br/arte/fundamentos/conhecer-cultura-soltar-imaginacao-427722.shtml http://pt.wikipedia.org/wiki/Escola_Nova
http://www.artenaescola.org.br/sala_relatos_artigo.php?id=451 http://anasra.blogspot.com/2007/09/como-surgiu-o-ensino= da-arte-nashtml http://www.educacional.com.br/glossáriopedagogico/verbete.osp?apubwiki=9577 Fonte: Parâmetros Curriculares Nacionais /  Metodologia do Ensino da Arte , Maria Heloísa C. de T. Ferraz e Maria. F. de Rezende e Fusari /  Para gostar de aprender Arte: Sala de aula e formação de professores , Rosa Iavelberg

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Educação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slidesEducação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slides
Ines Chaves Preza Freitas
 
Slide história da educação - pdf
Slide   história da educação - pdfSlide   história da educação - pdf
Slide história da educação - pdf
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
Escola libertária seminário de teoria pedagógica i
Escola libertária   seminário de teoria pedagógica iEscola libertária   seminário de teoria pedagógica i
Escola libertária seminário de teoria pedagógica i
mefurb
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Freinet
FreinetFreinet
Freinet
Perseu Silva
 
Fundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da EducaçãoFundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da Educação
Herbert Santana
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Ilvanete Rosa Costa
 
TENDENCIAS PEDAGÓGICAS didática
TENDENCIAS PEDAGÓGICAS didáticaTENDENCIAS PEDAGÓGICAS didática
TENDENCIAS PEDAGÓGICAS didática
Vinicius O Resiliente
 
História da educação resumo
História da educação resumoHistória da educação resumo
História da educação resumo
zildamisseno
 
Escola Libertadora
Escola LibertadoraEscola Libertadora
Escola Libertadora
mefurb
 
Filosofia e Educação
Filosofia e EducaçãoFilosofia e Educação
Filosofia e Educação
Prof. Saulo Bezerra
 
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval SavianiPedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Natalia Ribeiro
 
As Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes Pedagógicas
Jessica Nuvens
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
Ananda Lima
 
Slide pedagogia nova
Slide pedagogia novaSlide pedagogia nova
Slide pedagogia nova
Kátia Lorrany
 
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃOHISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
Paulo David
 
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃOFUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
SUPORTE EDUCACIONAL
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
pibidsociais
 
Trajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didáticaTrajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didática
Universidade Salgado de Oliveira
 
A BNCC NA EDUCAÇÃO INFANTIL E NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.pptx
A BNCC NA EDUCAÇÃO INFANTIL E NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.pptxA BNCC NA EDUCAÇÃO INFANTIL E NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.pptx
A BNCC NA EDUCAÇÃO INFANTIL E NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.pptx
MannuellaAlmeida2
 

Mais procurados (20)

Educação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slidesEducação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slides
 
Slide história da educação - pdf
Slide   história da educação - pdfSlide   história da educação - pdf
Slide história da educação - pdf
 
Escola libertária seminário de teoria pedagógica i
Escola libertária   seminário de teoria pedagógica iEscola libertária   seminário de teoria pedagógica i
Escola libertária seminário de teoria pedagógica i
 
Curriculo
CurriculoCurriculo
Curriculo
 
Freinet
FreinetFreinet
Freinet
 
Fundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da EducaçãoFundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da Educação
 
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
Tendnciaspedaggicas 130210234115-phpapp01 - c ópia (1)
 
TENDENCIAS PEDAGÓGICAS didática
TENDENCIAS PEDAGÓGICAS didáticaTENDENCIAS PEDAGÓGICAS didática
TENDENCIAS PEDAGÓGICAS didática
 
História da educação resumo
História da educação resumoHistória da educação resumo
História da educação resumo
 
Escola Libertadora
Escola LibertadoraEscola Libertadora
Escola Libertadora
 
Filosofia e Educação
Filosofia e EducaçãoFilosofia e Educação
Filosofia e Educação
 
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval SavianiPedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
Pedagogia Histórico-Crítica de Dermeval Saviani
 
As Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes Pedagógicas
 
Slides planejamento escolar
Slides planejamento escolarSlides planejamento escolar
Slides planejamento escolar
 
Slide pedagogia nova
Slide pedagogia novaSlide pedagogia nova
Slide pedagogia nova
 
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃOHISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
 
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃOFUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
 
Trajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didáticaTrajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didática
 
A BNCC NA EDUCAÇÃO INFANTIL E NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.pptx
A BNCC NA EDUCAÇÃO INFANTIL E NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.pptxA BNCC NA EDUCAÇÃO INFANTIL E NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.pptx
A BNCC NA EDUCAÇÃO INFANTIL E NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.pptx
 

Destaque

O pensamento pedagógico da escola nova
O pensamento pedagógico da escola novaO pensamento pedagógico da escola nova
O pensamento pedagógico da escola nova
PET-PEDAGOGIA2012
 
Educadores Brasileiros
Educadores BrasileirosEducadores Brasileiros
Educadores Brasileiros
romoalda
 
Paschoal lemme
Paschoal lemmePaschoal lemme
Paschoal lemme
Silvilene Oliveira
 
Neoliberalismo
NeoliberalismoNeoliberalismo
Neoliberalismo
Edenilson Morais
 
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
Instituto Consciência GO
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
Diferenças entre o tradicional e o contemporâneo na educação
Diferenças entre o tradicional e o contemporâneo na educaçãoDiferenças entre o tradicional e o contemporâneo na educação
Diferenças entre o tradicional e o contemporâneo na educação
edivaniasilva
 
Pedagogia tecnicista
Pedagogia tecnicistaPedagogia tecnicista
Pedagogia tecnicista
Kátia Lorrany
 
HENRI WALLON
HENRI WALLONHENRI WALLON
HENRI WALLON
LIMA, Alan Lucas de
 
Slide filosofia
Slide filosofiaSlide filosofia
Slide filosofia
Alexandre Misturini
 
Apriorismo kantiano
Apriorismo kantianoApriorismo kantiano
Apriorismo kantiano
Alexandre Misturini
 
Períodos da Filosofia
Períodos da FilosofiaPeríodos da Filosofia
Períodos da Filosofia
Robson Santos
 
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
guest2e3f5d
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
Ivanderson da Silva
 
Pedagogía tecnicista
Pedagogía tecnicistaPedagogía tecnicista
Pedagogía tecnicista
Sandra Roberts
 
O Realismo
O RealismoO Realismo
O Realismo
MissBlackBerryBush
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Débora Silveira
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
Thiago de Almeida
 

Destaque (18)

O pensamento pedagógico da escola nova
O pensamento pedagógico da escola novaO pensamento pedagógico da escola nova
O pensamento pedagógico da escola nova
 
Educadores Brasileiros
Educadores BrasileirosEducadores Brasileiros
Educadores Brasileiros
 
Paschoal lemme
Paschoal lemmePaschoal lemme
Paschoal lemme
 
Neoliberalismo
NeoliberalismoNeoliberalismo
Neoliberalismo
 
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
 
Slide tendências pedagógicas
Slide   tendências pedagógicasSlide   tendências pedagógicas
Slide tendências pedagógicas
 
Diferenças entre o tradicional e o contemporâneo na educação
Diferenças entre o tradicional e o contemporâneo na educaçãoDiferenças entre o tradicional e o contemporâneo na educação
Diferenças entre o tradicional e o contemporâneo na educação
 
Pedagogia tecnicista
Pedagogia tecnicistaPedagogia tecnicista
Pedagogia tecnicista
 
HENRI WALLON
HENRI WALLONHENRI WALLON
HENRI WALLON
 
Slide filosofia
Slide filosofiaSlide filosofia
Slide filosofia
 
Apriorismo kantiano
Apriorismo kantianoApriorismo kantiano
Apriorismo kantiano
 
Períodos da Filosofia
Períodos da FilosofiaPeríodos da Filosofia
Períodos da Filosofia
 
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   SlidesPsicologia Do Desenvolvimento Humano   Publicar   Slides
Psicologia Do Desenvolvimento Humano Publicar Slides
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
Pedagogía tecnicista
Pedagogía tecnicistaPedagogía tecnicista
Pedagogía tecnicista
 
O Realismo
O RealismoO Realismo
O Realismo
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 

Semelhante a Escola nova

história da arte educação e seus movimentos.pdf
história da arte educação e seus movimentos.pdfhistória da arte educação e seus movimentos.pdf
história da arte educação e seus movimentos.pdf
Alexandre Pereira
 
Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino da Artes
Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino da ArtesFundamentos teóricos e metodológicos do ensino da Artes
Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino da Artes
Susanne Messias
 
Arte ierg prova
Arte ierg provaArte ierg prova
Arte ierg prova
F Figueiredo Habyby
 
Ensino das Artes Visuais no Brasil - Ana Mae Barbosa
Ensino das Artes Visuais no Brasil - Ana Mae BarbosaEnsino das Artes Visuais no Brasil - Ana Mae Barbosa
Ensino das Artes Visuais no Brasil - Ana Mae Barbosa
Mariana Brandão
 
O piá e a história
O piá e a históriaO piá e a história
O piá e a história
piaprograma
 
O PIÁ e a história - Val Lima
O PIÁ e a história - Val LimaO PIÁ e a história - Val Lima
O PIÁ e a história - Val Lima
piaprograma
 
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
Julhinha Camara
 
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a seriePCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
corescolar
 
Pedagogia 03
Pedagogia 03Pedagogia 03
Pedagogia 03
Convenção Cimadeba
 
Determinantes socioculturais
Determinantes socioculturais Determinantes socioculturais
Determinantes socioculturais
Lucas Braga
 
A leitura de imagem na sala de aula
A leitura de imagem na sala de aulaA leitura de imagem na sala de aula
A leitura de imagem na sala de aula
Beth Kozikoski
 
Determinantes socioculturais
Determinantes socioculturais Determinantes socioculturais
Determinantes socioculturais
Lucas Braga
 
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclosPCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
corescolar
 
Conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvasConteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Flávia Maria
 
Otm. conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Otm. conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvasOtm. conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Otm. conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
elannialins
 
CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E A...
CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E A...CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E A...
CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E A...
Gustavo Araújo
 
Concepções e práticas pedagógicas no ensino da arte na educação de jovens e a...
Concepções e práticas pedagógicas no ensino da arte na educação de jovens e a...Concepções e práticas pedagógicas no ensino da arte na educação de jovens e a...
Concepções e práticas pedagógicas no ensino da arte na educação de jovens e a...
Gustavo Araújo
 
Arte educação no brasil artigo Ana Mae
Arte educação no brasil   artigo Ana MaeArte educação no brasil   artigo Ana Mae
Arte educação no brasil artigo Ana Mae
Lucia Julia Almeida
 
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptxAula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Fernando Naize
 
Metodologia do ensino das artes visuais
Metodologia do ensino das artes visuais   Metodologia do ensino das artes visuais
Metodologia do ensino das artes visuais
HENRIQUE GOMES DE LIMA
 

Semelhante a Escola nova (20)

história da arte educação e seus movimentos.pdf
história da arte educação e seus movimentos.pdfhistória da arte educação e seus movimentos.pdf
história da arte educação e seus movimentos.pdf
 
Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino da Artes
Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino da ArtesFundamentos teóricos e metodológicos do ensino da Artes
Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino da Artes
 
Arte ierg prova
Arte ierg provaArte ierg prova
Arte ierg prova
 
Ensino das Artes Visuais no Brasil - Ana Mae Barbosa
Ensino das Artes Visuais no Brasil - Ana Mae BarbosaEnsino das Artes Visuais no Brasil - Ana Mae Barbosa
Ensino das Artes Visuais no Brasil - Ana Mae Barbosa
 
O piá e a história
O piá e a históriaO piá e a história
O piá e a história
 
O PIÁ e a história - Val Lima
O PIÁ e a história - Val LimaO PIÁ e a história - Val Lima
O PIÁ e a história - Val Lima
 
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
INTRODUZINDO A QUESTÃO DO PLANEJAMENTO: GLOBALIZAÇÃO, INTERDISCIPLINARIDADE E...
 
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a seriePCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
PCN Ensino Fundamental - 1a a 4a serie
 
Pedagogia 03
Pedagogia 03Pedagogia 03
Pedagogia 03
 
Determinantes socioculturais
Determinantes socioculturais Determinantes socioculturais
Determinantes socioculturais
 
A leitura de imagem na sala de aula
A leitura de imagem na sala de aulaA leitura de imagem na sala de aula
A leitura de imagem na sala de aula
 
Determinantes socioculturais
Determinantes socioculturais Determinantes socioculturais
Determinantes socioculturais
 
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclosPCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
PCN Ensino Fundamental - 3 e 4 ciclos
 
Conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvasConteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
 
Otm. conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Otm. conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvasOtm. conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
Otm. conteudos programaticos artes_ef_01_a_09_ano_curvas
 
CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E A...
CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E A...CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E A...
CONCEPÇÕES E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DA ARTE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E A...
 
Concepções e práticas pedagógicas no ensino da arte na educação de jovens e a...
Concepções e práticas pedagógicas no ensino da arte na educação de jovens e a...Concepções e práticas pedagógicas no ensino da arte na educação de jovens e a...
Concepções e práticas pedagógicas no ensino da arte na educação de jovens e a...
 
Arte educação no brasil artigo Ana Mae
Arte educação no brasil   artigo Ana MaeArte educação no brasil   artigo Ana Mae
Arte educação no brasil artigo Ana Mae
 
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptxAula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
Aula 02_As Tendências Pedagógicas na prática escolar.pptx
 
Metodologia do ensino das artes visuais
Metodologia do ensino das artes visuais   Metodologia do ensino das artes visuais
Metodologia do ensino das artes visuais
 

Último

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 

Último (20)

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 

Escola nova

  • 1. Disciplina Planejamento Educacional em Artes Visuais Grupo Elisabete L. C. Pereira Maria da Graça Azambuja Roseli Souza Nunes Rossele Neto de Carvalho
  • 3. "Por educação nova entendemos a corrente que trata de mudar o rumo da educação tradicional, intelectualista e livresca, dando-lhe sentido vivo e ativo. Por isso se deu também a esse movimento o nome de: Escola Ativa" (LUZURIAGA, 1980, p. 227).
  • 4. (...) na escola tradicional a iniciativa cabia ao professor que era, ao mesmo tempo, o sujeito do processo, o elemento decisivo e decisório (...) na pedagogia nova a iniciativa desloca-se para o aluno, situando-se o nervo da ação educativa na relação professor-aluno, portanto a relação interpessoal, intersubjetiva... (SAVIANI, 1995, p.24).
  • 5. "Do ponto de vista da Escola Nova, os conhecimentos já obtidos pela ciência e acumulados pela humanidade não precisariam ser transmitidos aos alunos, pois acreditava-se que, passando por esses métodos, eles seriam naturalmente encontrados e organizados" (FUSARI e FERRAZ, 1992, p. 28).
  • 6. A Escola Nova foi um movimento de renovação do ensino que desenvolveu-se na primeira metade do século XX . No Brasil a Escola Nova sofreu impactos de transformações econômicas, políticas e sociais, ocasionando uma mudança significativa no ponto de vista intelectual brasileiro.
  • 7. A necessidade de democratizar a sociedade fez com que o movimento da Escola Nova acontecesse paralelamente à pedagogia tradicional, buscando reformas educacionais urgentes, emergindo da própria população a necessidade de uma consciência nacional. A Escola Nova tem seus objetivos concentrados no aluno. Os educadores que adotam essa concepção acreditam em uma sociedade mais justa e igualitária, na qual caberia à educação adaptar os estudantes ao seu ambiente social.
  • 8. A Pedagogia da Escola Nova parte para a criatividade e a livre-expressão, rompendo com as “cópias de modelos”. A estética moderna privilegia a inspiração e a sensibilidade e a individualidade do aluno. Criou-se uma postura não-diretiva, onde tudo em arte era permitido em nome da livre-expressão. A preocupação em Artes Visuais passa a ser como o "desenho livre" e o conhecimento é deixado de lado, caindo no espontaneísmo. Na tentativa exagerada de busca da criatividade do aluno, muitos professores desviam-se da real proposta da Escola Nova e as atividades passam dos aspectos intelectuais para os afetivos. Os alunos são estimulados a trabalhar sobre ele mesmo, reconhecendo a importância de sua produção através da observação.
  • 9. Objetivo Da Escola Nova Criatividade Espontaneidade (senso comum) Auto-liberação (reação aos modelos Clássicos voltados Aos desenhos) Originalidade
  • 10. Sendo a área de Arte constituída pelas linguagens artísticas como as Artes Visuais, a Música, o Teatro e a Dança, seu ensino visa a formação dos indivíduos para criar, se expressar e apreciar estas diversas linguagens. A pluralidade de ações, a ligação da arte com outras áreas de conhecimento, o estabelecimento de vínculos entre os conhecimentos escolares sobre a arte e seus modos de produção e aplicação na sociedade são alguns dos pontos importantes tratados no PCN Arte.
  • 11. Histórico do Ensino de Arte no Brasil 1816 - É criada a Academia Imperial de Belas Artes. É instalado oficialmente o Ensino de Arte nas escolas. 1900 - São valorizados o traço, a repetição de modelos e o desenho geométrico. 1922 - Apesar da efervescência das manifestações da Semana de Arte Moderna, o ensino segue as tendências da escola tradicional, que defende a necessidade de copiar modelos para treinar habilidades manuais 1930 - O compositor Heitor Villa-Lobos, no governo de Getúlio Vargas, institui o projeto de canto orfeônico nas escolas. 1935 - O escritor Mario de Andrade promove um concurso de desenho para crianças com tema livre. O ganhador recebe uma quantia em dinheiro. 1948 - É criada no Rio de Janeiro a primeira "Escolinha de Arte", Em 1971, chega a 32 o número de instituições particulares desse tipo no país.
  • 12. 1960 - As experimentações que marcam a sociedade, como o movimento da bossa nova, influenciam o ensino de Arte nas escolas de todo o país. É a época da tendência da livre expressão se expandir pelas redes de ensino. 1971 - Segundo a LDB, a Educação Artística (que inclui artes plásticas, educação musical e artes cênicas) passa a fazer parte do currículo escolar do Ensino Fundamental e Médio. 1973 - Criação dos primeiros cursos de licenciatura em Arte, voltados à formação de professores capazes de lecionar música, teatro, artes visuais, desenho, dança e desenho geométrico. 1989 - Desde 1982 desenvolvendo pesquisas sobre três idéias (fazer, ler imagens e estudar a história da arte), Ana Mae Barbosa cria a proposta triangular, que inova ao colocar obras como referência para os alunos. 1996 - A LDB passa a considerar a Arte como disciplina obrigatória da Educação Básica. Os Parâmetros Curriculares Nacionais definem que ela é composta de quatro linguagens: artes visuais, dança, música e teatro.
  • 13. Na década de 30, Getúlio Vargas assume o governo provisório. Houve repressão e perseguição no campo educacional em relação ao Movimento da Escola Nova e inviabilizando a manutenção das reformas sustentadas pelos envolvidos pelas idéias de Dewey e Durkheim que se aliaram e elaboraram o Manifesto dos Pioneiros da Escola Nova (1932), que teve como principal personagem Fernando de Azevedo que foi o redator e o primeiro signatário do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova (A reconstrução educacional no Brasil), em 1932, em que se lançaram as bases e diretrizes de uma nova política de educação. O documento defendia a universalização da escola pública, laica e gratuita.
  • 14. Personagens importantes nas mudanças pedagógicas da Escola Nova. Lourenço Filho Reformou O ensino de SP (1930) Getúlio Vargas Escritora e professora Anísio Teixeira Fundador da Escola Parque
  • 15. O grande nome do movimento Escola Nova na América foi o filósofo e pedagogo John Dewey, (1859-1952), filósofo norte americano que influenciou a elite brasileira. Para John Dewey a Educação, é uma necessidade social e por causa dessa necessidade as pessoas devem ser aperfeiçoadas para que se afirme o prosseguimento social às suas idéias e conhecimentos, igualando as oportunidades perante a lei.. Para John Dewey a escola é a própria vida. Assim, a educação tem como eixo norteador a vida-experiência e aprendizagem, fazendo com que a função da escola seja a de propiciar uma reconstrução permanente da experiência e da aprendizagem dentro de sua vida.
  • 16. No Brasil, as idéias da Escola Nova foram inseridas em 1882 por Rui Barbosa (1849-1923). A Escola Nova acredita que a educação é o exclusivo elemento eficaz para a construção de uma sociedade democrática, que leva em consideração as diversidades, respeitando a individualidade do sujeito, aptos a refletir sobre a sociedade e capaz de inserir-se nessa sociedade. De acordo com alguns educadores, a educação escolarizada deveria ser sustentada no indivíduo integrado à democracia, o cidadão atuante e democrático.
  • 17. A evolução dos conceitos que orientam as aulas hoje . Na década de 1990, duas importantes inovações pavimentaram o caminho para o modelo atual: na Espanha, Fernando Hernández defendeu o estudo da chamada cultura visual. (segundo ele era necessário trabalhar com videoclipes, internet, histórias em quadrinhos, objetos populares e da cultura de massa, rótulos e outdoors nas salas de aula). No Brasil, Ana Mae Barbosa formulou a metodologia da proposta triangular (inspirada em idéias norte-americanas e inglesas, recuperou conteúdos e objetivos que tinham sido abandonados pela escola espontaneísta). Ela mostrou que o professor deveria usar o seguinte tripé em classe: o fazer artístico, a história da arte e a leitura de obras.
  • 18. Metodologia da Escola Nova Foco: não importa o resultado E sim a experiência Estratégia de Ensino: Desenho livre e Vários materiais Livre expressão
  • 19. Referências: http://educador.brasilescola.com/gestao-educacional/escola-nova.htm http://www.artenaescola.org.br/pesquise_artigos_texto.php?id_m=23 http://homolog.novaescola.abril.com.br/arte/fundamentos/conhecer-cultura-soltar-imaginacao-427722.shtml http://pt.wikipedia.org/wiki/Escola_Nova
  • 20. http://www.artenaescola.org.br/sala_relatos_artigo.php?id=451 http://anasra.blogspot.com/2007/09/como-surgiu-o-ensino= da-arte-nashtml http://www.educacional.com.br/glossáriopedagogico/verbete.osp?apubwiki=9577 Fonte: Parâmetros Curriculares Nacionais / Metodologia do Ensino da Arte , Maria Heloísa C. de T. Ferraz e Maria. F. de Rezende e Fusari / Para gostar de aprender Arte: Sala de aula e formação de professores , Rosa Iavelberg