SlideShare uma empresa Scribd logo
Mauricio Cesar Soares
Técnico em Segurança do Trabalho
MTE: 0062851/SP
 O que é Equipamento de Proteção
Individual?
É todo dispositivo ou produto, de uso
individual utilizado pelo trabalhador,
destinado à proteção de riscos suscetíveis
de ameaçar a segurança e a saúde no
trabalho.
• Para a empresa adotar um EPI em seus
processos, a mesma deve requerer o CA,
que é um documento emitido pelo DSST –
Departamento de Saúde e Segurança do
Trabalho do MTE, o qual atesta mediante
ensaios laboratoriais, que o equipamento
reúne condições para cumprir a função a
qual se destina.
• Toda regulamentação pertinente aos
Equipamentos de proteção Individual
encontra-se disposta na NR 06 da Portaria
3214/78 do MTE.
• Nesta norma encontram-se descritas as
obrigações dos empregadores, dos
empregados e dos
Fabricantes/Importadores, pertinentes a
esse assunto.
• 6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos
empregados, gratuitamente, EPI adequado ao
risco e em perfeito estado de conservação e
funcionamento, nas seguintes circunstâncias:
• a) sempre que as medidas de ordem geral não
ofereçam completa proteção contra os riscos de
acidentes, ou doenças profissionais;
• b)enquanto as medidas de proteção coletiva
estiverem sendo implantadas;
• c)para atender situações de emergências.
▫ Usar, utilizando-o apenas para a finalidade
a que se destina;
▫ Responsabilizar-se pela guarda e
conservação;
▫ Comunicar ao empregador qualquer
alteração que o torne impróprio para uso e;
▫ Cumprir as determinações do empregador
sobre o uso adequado.
 cadastrar-se, segundo o ANEXO II, junto ao
órgão nacional competente em matéria de
segurança e saúde no trabalho;
 solicitar a emissão do CA, conforme o ANEXO
II;
 solicitar a renovação do CA, conforme o
ANEXO II, quando vencido o prazo de
validade estipulado pelo órgão nacional
competente em matéria de segurança e saúde
no trabalho;
 requerer novo CA, de acordo com o ANEXO II,
quando houver alteração das especificações
do equipamento aprovado;
 responsabilizar-se pela manutenção da
qualidade do EPI que deu origem ao
Certificado de Aprovação – CA.
Equipamentos de proteção individual
Avental de raspa de
couro, utilizado em
indústrias com
presença de agentes
abrasivos ou
escoriantes.
Ex: Serralheria,
carpintaria, etc.
Avental de PVC para manuseio
de produtos químicos e em
processos de fabricação onde
exista a manipulação de água.
• Perneiras de couro,
para trabalhos com
agentes abrasivos ou
escoriantes.
• Ex: Poda de árvores,
manipulação de
roçadeiras, etc.
• Capas de Chuva em PVC forrado, PVC laminado,
com manga, tipo morcego, conjuntos, aventais,
etc.
• Capuz
confeccionado em
tecido brim 260
g/m2.
• Para trabalhos em
colheitas e
aplicação de
defensivos
agrícolas em
produtos diversos.
• Macacão em Tyvek ® com
escafandro com viseira
para o uso em Apiários.
• Paletó confeccionado em
tecido com 480 g/m2,
fechamento botão de
pressão ou velcro®
(0pcionalmente pode ser
confeccionado com capuz.)
Para atividades em
frigoríficos, e em locais
onde exista umidade e frio
extremo.
• Calça confeccionada em
tecido com 480 g/m2,
ajuste na cintura com
cordão de algodão.
• Também indicado para
frigoríficos e locais com
frio extremo.
Equipamentos de proteção individual
• Aplicações:
• Manuseio de diversos
produtos químicos em
indústrias químicas,
farmacêuticas,
alimentícias , tintas,
petroquímicas, etc.
• É indicada para a proteção
de um número
considerável de produtos
químicos conhecidos,
sendo considerada
adequada para
atendimentos a
emergências químicas.
• Confeccionadas com
chapas de chumbo em seu
interior, são indicadas para
a área de Radiologia.
Para trabalhos
com materiais
escoriantes,
abrasivos ou
térmicos.
•Aplicações:
Indústria de
construção
civil, tarefas com
solda, serralherias,
carpintarias,
industrias navais,
etc.
• Luva de malha de aço
para trabalhos onde
existe risco de corte.
Uso reversível (destros e
canhotos).
• Ex: Açougues,
matadouros e indústrias
de alimentação coletiva.
• Luvas de PVC , para
trabalhos com alta
tensão.
• São seis classes de
isolamento, sendo a
menor “00” para uso
até 500V, e a maior “4”
para uso até 36 Kva.
• Luva de segurança tipo
poliaramida, para
contato com agentes
térmicos.
• Usadas em trabalhos
em fornos, fundição,
padarias, estufas,
injetoras
termoplásticas e
soldagens.
Equipamentos de proteção individual
• Protetor Auricular, tipo
abafador, fabricado
com material resistente
que proporciona alta
proteção do sistema
auditivo e excelente
conforto ao usuário.
• Tipo Plugue (Espuma,
PVC, Silicone,
Copolímero) c/ cordão.
Equipamentos de proteção individual
• Capacete de segurança
tipo aba frontal injetado
em plástico de polietileno
de alta densidade para
proteção da cabeça contra
impactos e penetração.
• Capacete de Segurança
Conjugado
• Capacete de segurança
com protetor facial, e
protetor auricular tipo
concha.
• Capacete Tipo aba total,
para impedir a formação
de arco voltaico, durante a
realização de tarefas com
alta tensão.
Equipamentos de proteção individual
• Sapato de
segurança c/
cadarço, cabedal
em couro vaqueta
curtida ao cromo
com espessura de
2,0 mm + - 0,2mm.
Palmilha
antibacteriana
solado poliuretano
monodensidade.
Botina de couro com solado
de PU com cadarços, bico de
polipropileno ou aço, cabedal
acolchoado e contraforte
reforçado.
• Botina c/ elástico
lateral coberto,
cabedal em couro
vaqueta curtida ao
cromo com espessura
de 2,0 mm + -
0,2mm.
• Cabedal estofado,
palmilha
antibacteriana Bayer,
solado poliuretano
monodensidade.
• Com elástico coberto nas
laterais, e bico de
polipropileno ou aço,
cabedal acolchoado e
solado bidensidade..
• Bota borracha
vulcanizada
• Cano médio ou curto
para trabalhos em
concretagem em
locais úmidos e
lamacentos ou
encharcados .
• Bota em borracha com altura
aproximada de 31 cm, com bico e
palmilha de aço para proteção de
queda de objetos e perfurações
no solado. Para uso em altas
temperaturas, isola o usuário em
temperaturas de até 60° Celsius
sem causar desconforto, tem
proteção em borracha no peito e
lateral do pé. Solado em borracha
com desenho antiderrapante de
grande resistência à abrasão.
Isolante elétrico para tensões
inferiores
a 600 volts.
Equipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individual
• Protetor facial, tipo
escudo para proteção
contra projeção de
partículas volantes
multidirecionais.
• Aplicações: Trabalhos
com serras policorte,
esmerilhadeiras,
politriz, serras
circulares e outras
ferramentas portáteis.
• Máscara de solda
constituída de escudo
confeccionado em
celeron com carneira
em material plástico
com regulagem de
tamanho através de
catraca.
• Com visor fixo ou
articulado.
• Máscara de Solda, com
escurecimento automático,
botão de ajuste de
tonalidade e carneira com
ajuste regulável.
• O ajuste de comutação
claro-escuro permite a
regulagem para cada tipo
de solda: elétrica,
oxiacetilênica, plasma,
TIG, etc.
Equipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individual
• AMPLA VISÃO
• Óculos de segurança
constituído de arco de
nylon flexível,
regulagem no
comprimento para
ajuste do tamanho, a
lente e a proteção
lateral são
confeccionados numa só
peça de policarbonato
com lente incolor ou
com a cor de acordo
com a atividade.
Utilizado em processos onde
exista a projeção de partículas
volantes multidirecionais.
Ex: Industrias mecânicas, etc.
• TIPO MERGULHADOR
• Confeccionado em
policarbonato, com
vedação moldável ao
formato do rosto.
• Utilizado em processos
químicos com formação
de névoas e neblinas
tóxicas.
Equipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individual
• Respirador:
• Respirador Tipo
PFF¹*,descartável
proteção das vias
respiratórias contra
odores de tintas,
vernizes, adesivos e
outros odores
incômodos.
• * Peça Facial Filtrante
• Respirador tipo PFF² com
válvula de exalação para
poeiras e névoas químicas,
geradas térmica e/ou
mecanicamente.
• Para trabalhos com soldas,
aplicação de tintas e
vernizes e trabalhos onde
a concentração de “ppm”*
não ultrapasse o limite de
tolerância.
* Partes por milhão
• Respirador tipo PFF³ com
válvula de exalação, para
névoas, fumos,
radionuclídeos, e
particulados altamente
tóxicos.
• Obs: consideram-se
altamente tóxicos os
materiais, cujo LT é
superior a 0,05 mg/m³.
• Respirador:
• Respirador purificador de
ar tipo peça “um quarto
facial” composto de
borracha e silicone, dotado
de um ou dois suportes
onde são rosqueados os
filtros mecânicos e
químicos ou combinados.
• Máscara do tipo “Peça
Facial Inteira”, com área
de vedação em silicone,
totalmente ajustável.
• Para locais com atmosferas
altamente tóxicas.
• Respirador purificador de ar,
motorizado com capuz e filtro
P³.
• Para espaços confinados.
Equipamentos de proteção individual
• Cinto tipo paraquedista,
Alpinista e Construção
Civil.
• Trava-Queda p/ corda ou
cabo de aço.
• Talabarte confeccionado em
aço SAE 1010.
• Garras com trava de
segurança.
• Fitas em nylon ou aramida.
• Confeccionado com cabo
inoxidável ou galvanizado
e/ou fita de nylon ou
aramida.
• Mecanismo de balancim para
suportar até 5 vezes o peso
do usuário.
Equipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individual
Deve ser usado quando a
substância
química identificada exigir o
mais alto nível de
proteção respiratória, para a
pele e os olhos.
Composta por:
• Aparelho autônomo de
proteção respiratória
com válvula de pressão
positiva;
• Roupa de proteção
encapsulada;
• Luvas internas;
• Botas resistentes aos
produtos químicos;
• Radio de comunicação
interno.
Deve ser usada quando o mais alto
índice de proteção respiratória e
olhos são
necessários, porém a proteção para a
pele
está em grau inferior.
Composta por:
• Aparelho autônomos de proteção
respiratórias com válvula de pressão
positiva;
• Luvas e botas resistentes a
produtos
químicos;
• Roupas de proteção química para
respingos.;
• Rádio de comunicação.
Deve ser usada quando se
pretende
um grau de proteção
respiratória inferior ao nível
“B”, porém com proteção para
a pele nas mesmas
condições.
Composta por:
• Purificador de ar com
proteção facial ou
equipamento de proteção
respiratória com válvula
de demanda convencional;
• Roupas de proteção química
para respingos;
• Luvas e botas resistentes a
produtos químicos.
Deve ser usada somente
como uniforme
ou roupa de trabalho e não
em locais sujeitos a riscos
às vias respiratórias ou à
pele e NÃO houver
contaminantes presentes na
atmosfera.
Composta por :
• Macacão TYVEK, uniformes
ou roupas de trabalho;
• Botas ou sapatos de couro
com solado resistente a
produtos químicos;
• Óculos ou protetor facial de
segurança.
Equipamentos de proteção individual
• São equipamentos utilizados para
proteção, enquanto um grupo de pessoas
realiza determinada atividade, ou
exercício.
• Devem ser construídos com materiais de
qualidade e instalados nos locais
necessários tão logo se detecte o risco.
Equipamentos de proteção individual
• Anteparos rígidos, com travessão
superior, intermediário e rodapé,
com tela ou outro dispositivo que
garanta o fechamento seguro das
aberturas.
• Principal: deve ser instalada no entorno do edifício após a
concretagem da 1º laje (1 pé direito acima do terreno) e só
retirada após o término do revestimento.
Aparador
• Secundária: instalada a cada 3 pavimentos, sendo
retirada após a vedação da periferia até a plataforma
superior estiver concluída.
• Barreira protetora
contra projeção de
materiais e ferramentas.
• O perímetro da
construção de edifícios
deve ser fechado com
tela a partir da
plataforma principal de
proteção.
 Protegem contra a
queda de objetos
em locais com
trabalhos
em altura como a
construção e
manutenção
de telhados.
• Evitam o acesso
de pessoas alheias
às atividades da
obra e protegem
os transeuntes da
projeção de
materiais.
Equipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individual
• Devem existir equipamentos
de combate à incêndio e
equipes especialmente
treinadas para o primeiro
combate ao fogo.
• Cones: 50cm, 75cm e
1,0m
Fita Zebrada, Pedestal,
Correntes e Cordas para
Pedestal, Coletes
Refletivos, Tinta de
Sinalização, Tachinhas
e Tachões, Placas de
Sinalização, Fita de
Demarcação e Anti-
derrapante, etc.
Segundo as normas de segurança ABNT (Associação Brasileira de
Normas Técnicas) nº 13434 / 13435 / 13437 Sinalização de
emergência e segurança fotoluminescente (fosforescente), em
saídas de emergência podem ser usadas fitas e placas
fotoluminosas, facilitando quando necessário, a evacuação imediata
de um local quando ocorre por exemplo a falta de luz.
• Visam identificar os locais que compõe o canteiro de obras,
acessos, circulação de equipamentos e máquinas, locais de
armazenamento e alertar quanto à obrigatoriedade de EPIs,
risco de quedas, áreas isoladas, manuseio de máquinas e
equipamentos, etc.
Equipamentos de proteção individual
Equipamentos de proteção individual
CONE DE
SINALIZAÇÃO
FITA DE
SINALIZAÇÃO
SINALIZADOR
STROBO
GRADE METÁLICA
DOBRÁVEL
TELA DE ISOLAMENTO
CERQUITE
BANQUETA
ISOLANTE
MANTA
ISOLANTE
COBERTURA
ISOLANTE
BIBLIOGRAFIA
• Norma Regulamentadora nº 06 – EPI, da
Portaria 3214/78 do MTE.
• Norma Regulamentadora nº 18 – PCMAT,
da Portaria 3214/78 do MTE.
• RTP 01 - RECOMENDAÇÃO TÉCNICA DE
PROCEDIMENTOS,
Medidas de Proteção Contra Quedas de
Altura, FUNDACENTRO, 1999.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

riscos ambientais
 riscos ambientais riscos ambientais
riscos ambientais
Day Vasconcellos
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
HP Safety Engenharia
 
Treinamento de epi novo reparado mecnil
Treinamento de epi novo reparado  mecnilTreinamento de epi novo reparado  mecnil
Treinamento de epi novo reparado mecnil
Ythia Karla
 
Epi e epc
Epi e epcEpi e epc
Epi e epc
Roberto Medina
 
Apresentaçao das nr.s
Apresentaçao das nr.sApresentaçao das nr.s
Apresentaçao das nr.s
Junior Almeida
 
Saúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no TrabalhoSaúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no Trabalho
Leonardo Machado
 
Normas regulamentadoras
Normas regulamentadorasNormas regulamentadoras
Normas regulamentadoras
Nicolle Henriques
 
Uso correto dos EPIs Sidinei
Uso correto dos EPIs   SidineiUso correto dos EPIs   Sidinei
Uso correto dos EPIs Sidinei
Sidiseguranca
 
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas RegulamentadorasAula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Ghiordanno Bruno
 
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Jonas B. Larrosa
 
NR 32
NR 32 NR 32
Aula 5 epi
Aula 5   epiAula 5   epi
Aula 5 epi
Daniel Moura
 
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPITreinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Sergio Silva
 
Riscos ocupacionais estrategias para evita los
Riscos ocupacionais estrategias para evita losRiscos ocupacionais estrategias para evita los
Riscos ocupacionais estrategias para evita los
Acd. Layane -UESPI Nunes de Sousa
 
Nr 32 treinamento básico
Nr 32 treinamento básicoNr 32 treinamento básico
Nr 32 treinamento básico
Ythia Karla
 
NR-1
NR-1NR-1
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Thaysa Brito
 
Acidente do trabalho e doenças ocupacionais
Acidente do trabalho e doenças ocupacionaisAcidente do trabalho e doenças ocupacionais
Acidente do trabalho e doenças ocupacionais
RONALDO COSTA
 
Aula 4 riscos ocupacionais
Aula 4   riscos ocupacionaisAula 4   riscos ocupacionais
Aula 4 riscos ocupacionais
Daniel Moura
 
NR7 PCMSO
NR7 PCMSONR7 PCMSO
NR7 PCMSO
Rose Oliveira
 

Mais procurados (20)

riscos ambientais
 riscos ambientais riscos ambientais
riscos ambientais
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
Treinamento de epi novo reparado mecnil
Treinamento de epi novo reparado  mecnilTreinamento de epi novo reparado  mecnil
Treinamento de epi novo reparado mecnil
 
Epi e epc
Epi e epcEpi e epc
Epi e epc
 
Apresentaçao das nr.s
Apresentaçao das nr.sApresentaçao das nr.s
Apresentaçao das nr.s
 
Saúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no TrabalhoSaúde e Segurança no Trabalho
Saúde e Segurança no Trabalho
 
Normas regulamentadoras
Normas regulamentadorasNormas regulamentadoras
Normas regulamentadoras
 
Uso correto dos EPIs Sidinei
Uso correto dos EPIs   SidineiUso correto dos EPIs   Sidinei
Uso correto dos EPIs Sidinei
 
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas RegulamentadorasAula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
 
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
 
NR 32
NR 32 NR 32
NR 32
 
Aula 5 epi
Aula 5   epiAula 5   epi
Aula 5 epi
 
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPITreinamento de Segurança no Trabalho e EPI
Treinamento de Segurança no Trabalho e EPI
 
Riscos ocupacionais estrategias para evita los
Riscos ocupacionais estrategias para evita losRiscos ocupacionais estrategias para evita los
Riscos ocupacionais estrategias para evita los
 
Nr 32 treinamento básico
Nr 32 treinamento básicoNr 32 treinamento básico
Nr 32 treinamento básico
 
NR-1
NR-1NR-1
NR-1
 
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalhoMedidas para prevenção de acidentes no trabalho
Medidas para prevenção de acidentes no trabalho
 
Acidente do trabalho e doenças ocupacionais
Acidente do trabalho e doenças ocupacionaisAcidente do trabalho e doenças ocupacionais
Acidente do trabalho e doenças ocupacionais
 
Aula 4 riscos ocupacionais
Aula 4   riscos ocupacionaisAula 4   riscos ocupacionais
Aula 4 riscos ocupacionais
 
NR7 PCMSO
NR7 PCMSONR7 PCMSO
NR7 PCMSO
 

Destaque

Curso basico de soldador - Parte 1/2
Curso basico de soldador - Parte 1/2Curso basico de soldador - Parte 1/2
Curso basico de soldador - Parte 1/2
ABCursos OnLine
 
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforadoEnvenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Joao Kleber Capistana Farias
 
defeitosemsoldagem
defeitosemsoldagemdefeitosemsoldagem
defeitosemsoldagem
Lucas Amorim
 
O uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
O uso Adequando do EPI em Atividades de NebulizaçõesO uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
O uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Livro de Medicamentos, NR 32 para Enfermeiros, Biossegurança e Manual de Enfe...
Livro de Medicamentos, NR 32 para Enfermeiros, Biossegurança e Manual de Enfe...Livro de Medicamentos, NR 32 para Enfermeiros, Biossegurança e Manual de Enfe...
Livro de Medicamentos, NR 32 para Enfermeiros, Biossegurança e Manual de Enfe...
Gabriela Montargil
 
Epi, nr 26 e 31
Epi, nr 26 e 31Epi, nr 26 e 31
Epi, nr 26 e 31
Elaine Helena
 
Defeitos de Soldagem
Defeitos de Soldagem Defeitos de Soldagem
Defeitos de Soldagem
Vinicius Borsatti
 
Epi e epc ifal
Epi e epc ifalEpi e epc ifal
Epi e epc ifal
jose oliveira
 
Lean Wastes
 Lean Wastes Lean Wastes
Lean Wastes
Engenharia Produção
 
Epi & Epc
Epi    &   EpcEpi    &   Epc
Epi & Epc
wendel_vascaino
 
Apresentação automação residencial final
Apresentação automação residencial finalApresentação automação residencial final
Apresentação automação residencial final
Sandra Pavan
 
Eletricidade básica
Eletricidade básicaEletricidade básica
Eletricidade básica
Kellecampos Kelle Campos
 
Proteção combate incendio
Proteção combate incendioProteção combate incendio
Proteção combate incendio
Mauricio Cesar Soares
 
LEGISLAÇÃO RADIOLÓGICA
LEGISLAÇÃO RADIOLÓGICALEGISLAÇÃO RADIOLÓGICA
LEGISLAÇÃO RADIOLÓGICA
Herculys Douglas Clímaco Marques
 
Slides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saude
Slides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saudeSlides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saude
Slides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saude
Veras Reis Reis
 
Hemodinâmica
HemodinâmicaHemodinâmica
Hemodinâmica
welberrj
 
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva TotalApresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
Engenharia Produção
 
Apresentação Takt Time
Apresentação Takt Time Apresentação Takt Time
Apresentação Takt Time
Engenharia Produção
 
Apresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Apresentação SMED Single Minute Exchange of DieApresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Apresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Engenharia Produção
 

Destaque (19)

Curso basico de soldador - Parte 1/2
Curso basico de soldador - Parte 1/2Curso basico de soldador - Parte 1/2
Curso basico de soldador - Parte 1/2
 
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforadoEnvenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
Envenenamento no trabalho organoclorado e organofosforado
 
defeitosemsoldagem
defeitosemsoldagemdefeitosemsoldagem
defeitosemsoldagem
 
O uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
O uso Adequando do EPI em Atividades de NebulizaçõesO uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
O uso Adequando do EPI em Atividades de Nebulizações
 
Livro de Medicamentos, NR 32 para Enfermeiros, Biossegurança e Manual de Enfe...
Livro de Medicamentos, NR 32 para Enfermeiros, Biossegurança e Manual de Enfe...Livro de Medicamentos, NR 32 para Enfermeiros, Biossegurança e Manual de Enfe...
Livro de Medicamentos, NR 32 para Enfermeiros, Biossegurança e Manual de Enfe...
 
Epi, nr 26 e 31
Epi, nr 26 e 31Epi, nr 26 e 31
Epi, nr 26 e 31
 
Defeitos de Soldagem
Defeitos de Soldagem Defeitos de Soldagem
Defeitos de Soldagem
 
Epi e epc ifal
Epi e epc ifalEpi e epc ifal
Epi e epc ifal
 
Lean Wastes
 Lean Wastes Lean Wastes
Lean Wastes
 
Epi & Epc
Epi    &   EpcEpi    &   Epc
Epi & Epc
 
Apresentação automação residencial final
Apresentação automação residencial finalApresentação automação residencial final
Apresentação automação residencial final
 
Eletricidade básica
Eletricidade básicaEletricidade básica
Eletricidade básica
 
Proteção combate incendio
Proteção combate incendioProteção combate incendio
Proteção combate incendio
 
LEGISLAÇÃO RADIOLÓGICA
LEGISLAÇÃO RADIOLÓGICALEGISLAÇÃO RADIOLÓGICA
LEGISLAÇÃO RADIOLÓGICA
 
Slides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saude
Slides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saudeSlides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saude
Slides nr-32-seguranca-e-saude-no-trabalho-em-servicos-de-saude
 
Hemodinâmica
HemodinâmicaHemodinâmica
Hemodinâmica
 
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva TotalApresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total
 
Apresentação Takt Time
Apresentação Takt Time Apresentação Takt Time
Apresentação Takt Time
 
Apresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Apresentação SMED Single Minute Exchange of DieApresentação SMED Single Minute Exchange of Die
Apresentação SMED Single Minute Exchange of Die
 

Semelhante a Equipamentos de proteção individual

Apresentação11
Apresentação11Apresentação11
Apresentação11
Fernandoprotec
 
Treinamento nr34 trabalho a quente novo
Treinamento nr34 trabalho a quente novoTreinamento nr34 trabalho a quente novo
Treinamento nr34 trabalho a quente novo
Marciel Bernardes
 
NR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptxNR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptx
AlfaTreinamentoseAss
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Cristian Briet
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Cristian Briet
 
EPI TREINAMENTO SIEL.ppt
EPI TREINAMENTO SIEL.pptEPI TREINAMENTO SIEL.ppt
EPI TREINAMENTO SIEL.ppt
SmmMm3
 
ANEXO III - CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
ANEXO III -  CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...ANEXO III -  CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
ANEXO III - CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
LucianaFernandes219481
 
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
CarolineNeves49
 
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPIEquipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Islania3
 
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
AmarildoSanttos
 
Epi's
Epi'sEpi's
Epi's
CEWK2010
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
Daniel Lira
 
EPI - Equipamento de Proteção Coletiva
EPI - Equipamento de Proteção ColetivaEPI - Equipamento de Proteção Coletiva
EPI - Equipamento de Proteção Coletiva
HugoDalevedove
 
NR 06 - EPI.pptx
NR 06 - EPI.pptxNR 06 - EPI.pptx
NR 06 - EPI.pptx
RafaelPacopedra
 
Epi e epc [modo de compatibilidade]
Epi e epc [modo de compatibilidade]Epi e epc [modo de compatibilidade]
Epi e epc [modo de compatibilidade]
Andre Guarizo
 
Epi e epc [modo de compatibilidade]
Epi e epc [modo de compatibilidade]Epi e epc [modo de compatibilidade]
Epi e epc [modo de compatibilidade]
Andre Guarizo
 
Treinamento EPI - Treinamento obrigatorio EPI.pptx
Treinamento EPI - Treinamento obrigatorio EPI.pptxTreinamento EPI - Treinamento obrigatorio EPI.pptx
Treinamento EPI - Treinamento obrigatorio EPI.pptx
Luiz997041
 
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUALEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
NewAge16
 
NR 6.pdf
NR 6.pdfNR 6.pdf
NR 6.pdf
RosinaldoSena
 
NR_10_SEP_Equipamentos_de_Protecao_Indiv.pdf
NR_10_SEP_Equipamentos_de_Protecao_Indiv.pdfNR_10_SEP_Equipamentos_de_Protecao_Indiv.pdf
NR_10_SEP_Equipamentos_de_Protecao_Indiv.pdf
JoshuaBrown621645
 

Semelhante a Equipamentos de proteção individual (20)

Apresentação11
Apresentação11Apresentação11
Apresentação11
 
Treinamento nr34 trabalho a quente novo
Treinamento nr34 trabalho a quente novoTreinamento nr34 trabalho a quente novo
Treinamento nr34 trabalho a quente novo
 
NR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptxNR06 - EPI.pptx
NR06 - EPI.pptx
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
 
EPI TREINAMENTO SIEL.ppt
EPI TREINAMENTO SIEL.pptEPI TREINAMENTO SIEL.ppt
EPI TREINAMENTO SIEL.ppt
 
ANEXO III - CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
ANEXO III -  CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...ANEXO III -  CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
ANEXO III - CONJUNTO DE REQUISITOS DE SEGURANCA_ MEIO AMBIENTE E SAUDE PARA ...
 
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
Condições de segurança e saúde no trbalaho na industria da construção - NR 18...
 
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPIEquipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
Equipamento de protecção individual-TREINAMENTO DE EPI
 
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
*Equipamento de Proteção Individual-NR 6
 
Epi's
Epi'sEpi's
Epi's
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
 
EPI - Equipamento de Proteção Coletiva
EPI - Equipamento de Proteção ColetivaEPI - Equipamento de Proteção Coletiva
EPI - Equipamento de Proteção Coletiva
 
NR 06 - EPI.pptx
NR 06 - EPI.pptxNR 06 - EPI.pptx
NR 06 - EPI.pptx
 
Epi e epc [modo de compatibilidade]
Epi e epc [modo de compatibilidade]Epi e epc [modo de compatibilidade]
Epi e epc [modo de compatibilidade]
 
Epi e epc [modo de compatibilidade]
Epi e epc [modo de compatibilidade]Epi e epc [modo de compatibilidade]
Epi e epc [modo de compatibilidade]
 
Treinamento EPI - Treinamento obrigatorio EPI.pptx
Treinamento EPI - Treinamento obrigatorio EPI.pptxTreinamento EPI - Treinamento obrigatorio EPI.pptx
Treinamento EPI - Treinamento obrigatorio EPI.pptx
 
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUALEQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
 
NR 6.pdf
NR 6.pdfNR 6.pdf
NR 6.pdf
 
NR_10_SEP_Equipamentos_de_Protecao_Indiv.pdf
NR_10_SEP_Equipamentos_de_Protecao_Indiv.pdfNR_10_SEP_Equipamentos_de_Protecao_Indiv.pdf
NR_10_SEP_Equipamentos_de_Protecao_Indiv.pdf
 

Último

Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
maripinkmarianne
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
guilhermefontenele8
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
Anderson1783
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
KauFelipo
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
paathizinhya
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
OttomGonalvesDaSilva
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
BrunaNeves80
 

Último (7)

Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
 
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
 

Equipamentos de proteção individual

  • 1. Mauricio Cesar Soares Técnico em Segurança do Trabalho MTE: 0062851/SP
  • 2.  O que é Equipamento de Proteção Individual? É todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.
  • 3. • Para a empresa adotar um EPI em seus processos, a mesma deve requerer o CA, que é um documento emitido pelo DSST – Departamento de Saúde e Segurança do Trabalho do MTE, o qual atesta mediante ensaios laboratoriais, que o equipamento reúne condições para cumprir a função a qual se destina.
  • 4. • Toda regulamentação pertinente aos Equipamentos de proteção Individual encontra-se disposta na NR 06 da Portaria 3214/78 do MTE. • Nesta norma encontram-se descritas as obrigações dos empregadores, dos empregados e dos Fabricantes/Importadores, pertinentes a esse assunto.
  • 5. • 6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias: • a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes, ou doenças profissionais; • b)enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; • c)para atender situações de emergências.
  • 6. ▫ Usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina; ▫ Responsabilizar-se pela guarda e conservação; ▫ Comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso e; ▫ Cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado.
  • 7.  cadastrar-se, segundo o ANEXO II, junto ao órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho;  solicitar a emissão do CA, conforme o ANEXO II;  solicitar a renovação do CA, conforme o ANEXO II, quando vencido o prazo de validade estipulado pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho;  requerer novo CA, de acordo com o ANEXO II, quando houver alteração das especificações do equipamento aprovado;  responsabilizar-se pela manutenção da qualidade do EPI que deu origem ao Certificado de Aprovação – CA.
  • 9. Avental de raspa de couro, utilizado em indústrias com presença de agentes abrasivos ou escoriantes. Ex: Serralheria, carpintaria, etc.
  • 10. Avental de PVC para manuseio de produtos químicos e em processos de fabricação onde exista a manipulação de água.
  • 11. • Perneiras de couro, para trabalhos com agentes abrasivos ou escoriantes. • Ex: Poda de árvores, manipulação de roçadeiras, etc.
  • 12. • Capas de Chuva em PVC forrado, PVC laminado, com manga, tipo morcego, conjuntos, aventais, etc.
  • 13. • Capuz confeccionado em tecido brim 260 g/m2. • Para trabalhos em colheitas e aplicação de defensivos agrícolas em produtos diversos.
  • 14. • Macacão em Tyvek ® com escafandro com viseira para o uso em Apiários.
  • 15. • Paletó confeccionado em tecido com 480 g/m2, fechamento botão de pressão ou velcro® (0pcionalmente pode ser confeccionado com capuz.) Para atividades em frigoríficos, e em locais onde exista umidade e frio extremo.
  • 16. • Calça confeccionada em tecido com 480 g/m2, ajuste na cintura com cordão de algodão. • Também indicado para frigoríficos e locais com frio extremo.
  • 18. • Aplicações: • Manuseio de diversos produtos químicos em indústrias químicas, farmacêuticas, alimentícias , tintas, petroquímicas, etc.
  • 19. • É indicada para a proteção de um número considerável de produtos químicos conhecidos, sendo considerada adequada para atendimentos a emergências químicas.
  • 20. • Confeccionadas com chapas de chumbo em seu interior, são indicadas para a área de Radiologia.
  • 21. Para trabalhos com materiais escoriantes, abrasivos ou térmicos. •Aplicações: Indústria de construção civil, tarefas com solda, serralherias, carpintarias, industrias navais, etc.
  • 22. • Luva de malha de aço para trabalhos onde existe risco de corte. Uso reversível (destros e canhotos). • Ex: Açougues, matadouros e indústrias de alimentação coletiva.
  • 23. • Luvas de PVC , para trabalhos com alta tensão. • São seis classes de isolamento, sendo a menor “00” para uso até 500V, e a maior “4” para uso até 36 Kva.
  • 24. • Luva de segurança tipo poliaramida, para contato com agentes térmicos. • Usadas em trabalhos em fornos, fundição, padarias, estufas, injetoras termoplásticas e soldagens.
  • 26. • Protetor Auricular, tipo abafador, fabricado com material resistente que proporciona alta proteção do sistema auditivo e excelente conforto ao usuário.
  • 27. • Tipo Plugue (Espuma, PVC, Silicone, Copolímero) c/ cordão.
  • 29. • Capacete de segurança tipo aba frontal injetado em plástico de polietileno de alta densidade para proteção da cabeça contra impactos e penetração.
  • 30. • Capacete de Segurança Conjugado • Capacete de segurança com protetor facial, e protetor auricular tipo concha.
  • 31. • Capacete Tipo aba total, para impedir a formação de arco voltaico, durante a realização de tarefas com alta tensão.
  • 33. • Sapato de segurança c/ cadarço, cabedal em couro vaqueta curtida ao cromo com espessura de 2,0 mm + - 0,2mm. Palmilha antibacteriana solado poliuretano monodensidade.
  • 34. Botina de couro com solado de PU com cadarços, bico de polipropileno ou aço, cabedal acolchoado e contraforte reforçado.
  • 35. • Botina c/ elástico lateral coberto, cabedal em couro vaqueta curtida ao cromo com espessura de 2,0 mm + - 0,2mm. • Cabedal estofado, palmilha antibacteriana Bayer, solado poliuretano monodensidade.
  • 36. • Com elástico coberto nas laterais, e bico de polipropileno ou aço, cabedal acolchoado e solado bidensidade..
  • 37. • Bota borracha vulcanizada • Cano médio ou curto para trabalhos em concretagem em locais úmidos e lamacentos ou encharcados .
  • 38. • Bota em borracha com altura aproximada de 31 cm, com bico e palmilha de aço para proteção de queda de objetos e perfurações no solado. Para uso em altas temperaturas, isola o usuário em temperaturas de até 60° Celsius sem causar desconforto, tem proteção em borracha no peito e lateral do pé. Solado em borracha com desenho antiderrapante de grande resistência à abrasão. Isolante elétrico para tensões inferiores a 600 volts.
  • 41. • Protetor facial, tipo escudo para proteção contra projeção de partículas volantes multidirecionais. • Aplicações: Trabalhos com serras policorte, esmerilhadeiras, politriz, serras circulares e outras ferramentas portáteis.
  • 42. • Máscara de solda constituída de escudo confeccionado em celeron com carneira em material plástico com regulagem de tamanho através de catraca. • Com visor fixo ou articulado.
  • 43. • Máscara de Solda, com escurecimento automático, botão de ajuste de tonalidade e carneira com ajuste regulável. • O ajuste de comutação claro-escuro permite a regulagem para cada tipo de solda: elétrica, oxiacetilênica, plasma, TIG, etc.
  • 46. • AMPLA VISÃO • Óculos de segurança constituído de arco de nylon flexível, regulagem no comprimento para ajuste do tamanho, a lente e a proteção lateral são confeccionados numa só peça de policarbonato com lente incolor ou com a cor de acordo com a atividade. Utilizado em processos onde exista a projeção de partículas volantes multidirecionais. Ex: Industrias mecânicas, etc.
  • 47. • TIPO MERGULHADOR • Confeccionado em policarbonato, com vedação moldável ao formato do rosto. • Utilizado em processos químicos com formação de névoas e neblinas tóxicas.
  • 51. • Respirador: • Respirador Tipo PFF¹*,descartável proteção das vias respiratórias contra odores de tintas, vernizes, adesivos e outros odores incômodos. • * Peça Facial Filtrante
  • 52. • Respirador tipo PFF² com válvula de exalação para poeiras e névoas químicas, geradas térmica e/ou mecanicamente. • Para trabalhos com soldas, aplicação de tintas e vernizes e trabalhos onde a concentração de “ppm”* não ultrapasse o limite de tolerância. * Partes por milhão
  • 53. • Respirador tipo PFF³ com válvula de exalação, para névoas, fumos, radionuclídeos, e particulados altamente tóxicos. • Obs: consideram-se altamente tóxicos os materiais, cujo LT é superior a 0,05 mg/m³.
  • 54. • Respirador: • Respirador purificador de ar tipo peça “um quarto facial” composto de borracha e silicone, dotado de um ou dois suportes onde são rosqueados os filtros mecânicos e químicos ou combinados.
  • 55. • Máscara do tipo “Peça Facial Inteira”, com área de vedação em silicone, totalmente ajustável. • Para locais com atmosferas altamente tóxicas.
  • 56. • Respirador purificador de ar, motorizado com capuz e filtro P³. • Para espaços confinados.
  • 58. • Cinto tipo paraquedista, Alpinista e Construção Civil. • Trava-Queda p/ corda ou cabo de aço.
  • 59. • Talabarte confeccionado em aço SAE 1010. • Garras com trava de segurança. • Fitas em nylon ou aramida.
  • 60. • Confeccionado com cabo inoxidável ou galvanizado e/ou fita de nylon ou aramida. • Mecanismo de balancim para suportar até 5 vezes o peso do usuário.
  • 63. Deve ser usado quando a substância química identificada exigir o mais alto nível de proteção respiratória, para a pele e os olhos. Composta por: • Aparelho autônomo de proteção respiratória com válvula de pressão positiva; • Roupa de proteção encapsulada; • Luvas internas; • Botas resistentes aos produtos químicos; • Radio de comunicação interno.
  • 64. Deve ser usada quando o mais alto índice de proteção respiratória e olhos são necessários, porém a proteção para a pele está em grau inferior. Composta por: • Aparelho autônomos de proteção respiratórias com válvula de pressão positiva; • Luvas e botas resistentes a produtos químicos; • Roupas de proteção química para respingos.; • Rádio de comunicação.
  • 65. Deve ser usada quando se pretende um grau de proteção respiratória inferior ao nível “B”, porém com proteção para a pele nas mesmas condições. Composta por: • Purificador de ar com proteção facial ou equipamento de proteção respiratória com válvula de demanda convencional; • Roupas de proteção química para respingos; • Luvas e botas resistentes a produtos químicos.
  • 66. Deve ser usada somente como uniforme ou roupa de trabalho e não em locais sujeitos a riscos às vias respiratórias ou à pele e NÃO houver contaminantes presentes na atmosfera. Composta por : • Macacão TYVEK, uniformes ou roupas de trabalho; • Botas ou sapatos de couro com solado resistente a produtos químicos; • Óculos ou protetor facial de segurança.
  • 68. • São equipamentos utilizados para proteção, enquanto um grupo de pessoas realiza determinada atividade, ou exercício. • Devem ser construídos com materiais de qualidade e instalados nos locais necessários tão logo se detecte o risco.
  • 70. • Anteparos rígidos, com travessão superior, intermediário e rodapé, com tela ou outro dispositivo que garanta o fechamento seguro das aberturas.
  • 71. • Principal: deve ser instalada no entorno do edifício após a concretagem da 1º laje (1 pé direito acima do terreno) e só retirada após o término do revestimento. Aparador
  • 72. • Secundária: instalada a cada 3 pavimentos, sendo retirada após a vedação da periferia até a plataforma superior estiver concluída.
  • 73. • Barreira protetora contra projeção de materiais e ferramentas. • O perímetro da construção de edifícios deve ser fechado com tela a partir da plataforma principal de proteção.
  • 74.  Protegem contra a queda de objetos em locais com trabalhos em altura como a construção e manutenção de telhados.
  • 75. • Evitam o acesso de pessoas alheias às atividades da obra e protegem os transeuntes da projeção de materiais.
  • 78. • Devem existir equipamentos de combate à incêndio e equipes especialmente treinadas para o primeiro combate ao fogo.
  • 79. • Cones: 50cm, 75cm e 1,0m Fita Zebrada, Pedestal, Correntes e Cordas para Pedestal, Coletes Refletivos, Tinta de Sinalização, Tachinhas e Tachões, Placas de Sinalização, Fita de Demarcação e Anti- derrapante, etc.
  • 80. Segundo as normas de segurança ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) nº 13434 / 13435 / 13437 Sinalização de emergência e segurança fotoluminescente (fosforescente), em saídas de emergência podem ser usadas fitas e placas fotoluminosas, facilitando quando necessário, a evacuação imediata de um local quando ocorre por exemplo a falta de luz.
  • 81. • Visam identificar os locais que compõe o canteiro de obras, acessos, circulação de equipamentos e máquinas, locais de armazenamento e alertar quanto à obrigatoriedade de EPIs, risco de quedas, áreas isoladas, manuseio de máquinas e equipamentos, etc.
  • 85. GRADE METÁLICA DOBRÁVEL TELA DE ISOLAMENTO CERQUITE
  • 87. BIBLIOGRAFIA • Norma Regulamentadora nº 06 – EPI, da Portaria 3214/78 do MTE. • Norma Regulamentadora nº 18 – PCMAT, da Portaria 3214/78 do MTE. • RTP 01 - RECOMENDAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS, Medidas de Proteção Contra Quedas de Altura, FUNDACENTRO, 1999.