SlideShare uma empresa Scribd logo
PROTETORES AURICULARES
SOM
O som é uma vibração que se
propaga pelo ar em forma de
ondas e que é percebida pelo
ouvido humano. É uma sensação
agradável, em nível suportável e
que não irrita. Ele pode ser
mais ou menos perigoso
dependendo da sua frequência e
intensidade.
SOM
RUÍDO
O ruído é um som
prejudicial à saúde
que causa sensação
desagradável e
irritante.
O grau de risco
depende de outros
fatores.
FATORES QUE INFLUENCIAM O
RISCO
1 – Tempo de
exposição.
2 – Tipo de Ruído:
 Continuo (sem parar);
 Intermitente (ocorre
de vez em quando);
 Impacto ( Ocorre
de repente e de
pouca duração).
FATORES QUE INFLUENCIAM O
RISCO
3 – Distância
da Fonte
Geradora.
FATORES QUE INFLUENCIAM O
RISCO
4 – Intensidade;
Quanto maior a
intensidade,
maior o risco
para o
trabalhador.
FATORES QUE INFLUENCIAM O
RISCO
Quem conhece esta máquina ?
O QUE ESSES AGENTES PODEM CAUSAR?
Cóclea
NORMAL DANIFICADA
Efeitos do Ruído ao Organismo
Contrações Sustos
Musculares
Estreitamento
dos Vasos
Esquecimento Insônia Zumbido
Efeitos do Ruído no Trabalho
Má comunicação Baixa concentração Desconforto
Nervosismo Baixo Rendimento Acidentes
Efeitos do Ruído a Audição
Trauma
Acústico
Perda
Temporária
Perda
Permanente
Sinais de Alerta
Dificuldade
na
Conversação
Zumbido
Fala
Abafada
PROTETOR AURICULAR
É um aparelho de proteção projetado
para ser utilizado no canal auditivo
externo, que protege o trabalhador
contra barulhos acima dos níveis de
decibéis recomendados, contra a
entrada de água ou vento excessivo.
É geralmente utilizado por
trabalhadores da indústria que lidam
com máquinas barulhentas por longos
períodos de tempo.
NORMAS: NR 6 ANEXO 1 C
---NÍVEL DE RUÍDO MÁXIMA EXPOSIÇÃO DIÁRIA
DB (A) PERMISSÍVEL
85 8 horas
86 7 horas
87 6 horas
88 5 horas
89 4 horas e 30 minutos
90 4 horas
91 3 horas e 30 minutos
92 3 horas
93 2 horas e 40 minutos
94 2 horas e 15 minutos
95 2 horas
96 1 hora e 45 minutos
98 1 hora e 15 minutos
100 1 hora
102 45 minutos
104 35 minutos
PROTETOR AURICULAR PLUG SILICONE
 Protetor auricular do tipo
inserção pré-
moldado, confeccionado em
silicone, atóxico/antialérgico no
formato cônico com três
flanges, de diâmetros
variáveis, que torna o
equipamento macio e facilmente
adaptável ao canal auditivo.
Possui uma caixa com clipe para
armazenar o produto e assim
diminuir o risco de perda do
protetor.
 Atenuação 17dB (NRRsf)
PROTETOR AURICULAR PLUG
 Modelo de bolsa de ar avançado
com estabilizadores internos de
bloqueio de ruído. O perfil de
quatro flanges fornece melhor
vedação no canal auditivo. A
menor pressão no canal auditivo
elimina o desconforto. As flanges
arredondadas de formato afilado
se ajustam melhor ao canal
auditivo. A haste firme facilita a
inserção e a remoção. Excelente
proteção de bloqueio de ruído.
 Atenuação 17 dB (NRRsf)
PROTETOR AURICULAR TIPO ESPUMA
 Protetor auricular de
segurança de espuma
moldável do tipo inserção
em formato de cone, com
base plana e o topo
arredondado.
 AtenuaçãoNRR/sf 15dB
ESPUMA
 Protetor auditivo de espuma
perfeitamente moldável aos
canais auditivos dos
usuários, proporcionando uma
excelente vedação; Se
adaptam melhor a um maior
número de formatos e
tamanhos de canais auditivos;
 Por serem
descartáveis, reduzem as
chances de infecções por falta
de higienização dos protetores;
 Atenuação 15dB (NRRsf);
PROTETOR AURICULAR LEFT/RIGHT
 O abafador de ruídos
LEFT/RIGHT foi desenvolvido
baseado em um conceito
diferenciado de formato, com
personalização do lado
esquerdo e direito que
possibilita a perfeita
acomodação na cabeça e
garante um grande conforto e
maior produtividade.
 Atenuação: NRRsf 25 dB
PROTETOR AURICULAR MARK V
 O selo do Abafador é
fabricado em espuma
revestida com vinil na cor
preta.
O Abafador envolve
completamente os
ouvidos, amortecendo a
pressão e vedando
uniformemente as
conchas junto a cabeça
do trabalhador.
Atenuação NRR/sf 22dB
PROTETOR AURICULAR GLADIADOR
 Aplicações- protetores
auriculares é indicados para
proteção auditiva em locais com
excesso de ruído causado por
serra
elétrica, britadeira, furadeira, bate-
estaca ou outros ruídos. Muito
utilizado em indústria
metalúrgica, moveleiras, automobil
ística, construção civil, prestadores
de serviços, montadoras e
montagem industrial.
 Tamanho - Único
 Atenuação: NRR/sf 20dB
PROTETOR AURICULAR JUMBO
 Muito utilizado em
indústria
metalúrgica, moveleiras, a
utomobilística, construção
civil, prestadores de
serviços, montadoras e
montagem industrial.
 Atenuação NRR/sf 26dB
PROTETOR AURICULAR TIPO CONCHA RECOMENDADO
PARA AMBIENTES CLIMATIZADOS OU COM BAIXAS
TEMPERATURAS.
 Almofadas preenchidas
com fluido amortecedor e
espuma com anéis largos e
macios proporcionam o que
há de melhor para uma boa
selagem e conforto.
Resistentes sob ambientes
úmidos e agressivos
 Atenuação 20 dB (NRRsf);
PROTETOR AURICULAR PARA CAPACETE
 Apresenta perfeito
acoplamento no Capacete.
Um exclusivo “sistema de
encaixe” foi desenvolvido
permitindo um uso prático e
seguro.
 Atenuação: 22 dB (NRRsf);
PROTETOR AURICULAR EP3
 Produzido em silicone para
melhor comodidade em
cada ouvido;
 Lhe permite mobilidade,
Confortável;
 Possui um tampão para
fechar mais a entrada de
som em seu ouvido;
Produto importado dos EUA.
 Atenuação: 24dB (NRRsf)
PROTETOR AURICULAR COM HASTE
 Protetor auditivo tipo capa de
canal que tem como
características, a haste leve
e um par de espumas que
vedam confortavelmente a
entrada do canal
auditivo, dispensando a
necessidade de inserção.
 Atenuação 15dB (NRRsf)
MODO CORRETO DE USO
PROTETOR AURICULAR TIPO INSERÇÃO:
1-Com as mãos
limpas, aperte e role o
protetor entre os
dedos indicador e
polegar obter o
menor diâmetro
possível.
2-Para facilitar
Coloque a mão por trás
da cabeça, puxe a
orelha
para cima e coloque o
protetor no canal
auditivo.
3-Usando o dedo
indicador mantenha-o
pressionado
(aproximadamente por
30segundos)
até que ele
tenha se expandido.
PROTETOR AURICULAR TIPO CONCHA
1-Alinhe a altura
das conchas de
acordo com o
tamanho de sua
cabeça, de modo
que as conchas
cubram
completamente o
ouvido.
2- Com a boca
aberta ajeite o
protetor retirando
o excesso de
cabelo que estiver
entre o abafador e
o ouvido.
PROTETOR AURICULAR TIPO CONCHA
3 -Certifique-se de que
a veda esteja
completa, sem a
interferência de objetos
como elástico de
respiradores ou
armação de óculos,
obtendo veda
completa.
4-Devem ficar
alinhadas
verticalmente de
modo a proporcionar
a melhor veda
Nunca utilize com as
conchas viradas para
trás.
PROTETOR AURÍCLULAR DE INSERÇÃO
Passe uma das mãos de trás da cabeça e puxe
levemente a parte superior da orelha e,
Com a outra mão, introduza o protetor no canal
auditivo.
CUIDADOS A SEREM TOMADOS:
1 -Não manuseie o protetor com as mãos
sujas;
2 -Utilize os protetores durante todo o
período de trabalho;
3 - Após o uso, guarde o protetor na
embalagem;
4 -Lave regularmente seu protetor
auditivo, com água e sabão neutro.
OQUE É C.A.?
 C.A. é o Certificado de Aprovação emitido pelo MTE
Ministério do Trabalho e Emprego
QUAL É A IMPORTÂNCIA DO C.A.?
COMO EU ENCONTRO O C.A.?
COMO É ESSE C.A.?
QUAL É A RESPONSABILIDADE DO TÉCNICO DE
SEGURANÇA DO TRABALHO?
A principal função do TST é garantir a integridade
física e mental dos colaboradores.
APARELHOS DE MEDIÇÃO DE RUÍDOS
Dosímetro ou Audiodosímetro é um aparelho
utilizado para medir a intensidade sonora.
Utilizando a unidade de decibéis (dB) é utilizado
para medir em determinada frequência sonora.
Muito utilizado em indústrias, o aparelho por ser
portátil, é fixado em trabalhadores de diversas
funções. Sua aplicação visa mensurar a dosagem
de ruído que um trabalhador recebe durante sua
carga horária diária.
O aparelho conta com uma bateria, mostrador
digital (nos mais modernos) e com um microfone
que é colocado próximo à zona auditiva do
trabalhador que o transporta. Sua amostragem é
feita automaticamente pelo aparelho onde é colhido
o Leq (nível médio) para apresentação aos órgãos
competentes e para a prevenção de riscos
ocupacionais.
É empregado também como medidor de ruído de
fundo em ambientes fabris, vias
urbanas, campeonatos de som
(automotivo, entretenimento, etc).
Decibelímetro é um equipamento utilizado para realizar a
medição dos níveis de pressão sonora, sendo que o nível
de pressão sonora é uma grandeza que representa
razoavelmente bem a sensação auditiva de volume sonoro.
Atualmente no mercado brasileiro, existem equipamentos
digitais capazes de realizar medições entre 30 dB até 130
dB.
O microfone é peça vital no circuito, sendo sua função a de
transformar um sinal de pressão mecânica em um sinal
elétrico. O circuito integrador do medidor deve oferecer
diferentes tempos de integração, no mínimo tempo de
integração de resposta ``lenta e ``rápida. Medidores de
maior qualidade oferecem ainda o tempo de integração
``impulso, adequado para medições de sinais impulsivos
(disparo de arma, ruído gerado por prensa, ...).
Além da integração no tempo, também chamada de
ponderação no tempo, os medidores oferecem diferentes
curvas de ponderação na frequência. A ponderação A é a
mais utilizada, dando origem a níveis de pressão sonora
ponderados em A. Para indicar que foi aplicada a
ponderação A usa-se a pseudounidade dB(A).
APARELHOS DE MEDIÇÃO DE RUÍDOS
OBRIGADA PELA
ATENÇÃO!
Turma de T.S.T Senai – Toledo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula EPI - Apresentação
Aula EPI - ApresentaçãoAula EPI - Apresentação
Aula EPI - Apresentação
Rapha_Carvalho
 
NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 
Segurança no manuseio de produtos quimicos
Segurança no manuseio de produtos quimicosSegurança no manuseio de produtos quimicos
Segurança no manuseio de produtos quimicos
Sergio Roberto Silva
 
PCA - Programa de Conservação Auditiva
PCA -  Programa de Conservação AuditivaPCA -  Programa de Conservação Auditiva
PCA - Programa de Conservação Auditiva
Devania Silva
 
Integração de Segurança
Integração de SegurançaIntegração de Segurança
Integração de Segurança
Sergio Roberto Silva
 
NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e PericulosidadeNR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
Zanel EPIs de Raspa e Vaqueta
 
Treinamento pca e ppr
Treinamento pca e pprTreinamento pca e ppr
Treinamento pca e ppr
Hilmar Pereira
 
Treinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos QuímicosTreinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos Químicos
HugoDalevedove
 
Modelo pca 04_02_2013_ (1)
Modelo pca 04_02_2013_ (1)Modelo pca 04_02_2013_ (1)
Modelo pca 04_02_2013_ (1)
Sergio Freitas
 
Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)
Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)
Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 
4. treinamento ppr
4. treinamento ppr4. treinamento ppr
4. treinamento ppr
Nilton Goulart
 
Campanha adornos
Campanha adornosCampanha adornos
Campanha adornos
Ane Costa
 
TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06
Fabio Sousa
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Cristian Briet
 
Treinamento nr 06 epi
Treinamento nr  06   epiTreinamento nr  06   epi
Treinamento nr 06 epi
Lorraine Ingrid
 
Apresentação - Proteção Respiratória
Apresentação - Proteção RespiratóriaApresentação - Proteção Respiratória
Apresentação - Proteção Respiratória
segtrab
 
Manual dds
Manual ddsManual dds
Manual dds
prevencaonline
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
HP Safety Engenharia
 
Cartilha Riscos na Limpeza
Cartilha Riscos na LimpezaCartilha Riscos na Limpeza
Cartilha Riscos na Limpeza
Robson Peixoto
 
Treinamento NR-12
Treinamento NR-12Treinamento NR-12
Treinamento NR-12
Kaiton Andrade
 

Mais procurados (20)

Aula EPI - Apresentação
Aula EPI - ApresentaçãoAula EPI - Apresentação
Aula EPI - Apresentação
 
NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)NR - 06 EPI (Oficial)
NR - 06 EPI (Oficial)
 
Segurança no manuseio de produtos quimicos
Segurança no manuseio de produtos quimicosSegurança no manuseio de produtos quimicos
Segurança no manuseio de produtos quimicos
 
PCA - Programa de Conservação Auditiva
PCA -  Programa de Conservação AuditivaPCA -  Programa de Conservação Auditiva
PCA - Programa de Conservação Auditiva
 
Integração de Segurança
Integração de SegurançaIntegração de Segurança
Integração de Segurança
 
NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e PericulosidadeNR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
 
Treinamento pca e ppr
Treinamento pca e pprTreinamento pca e ppr
Treinamento pca e ppr
 
Treinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos QuímicosTreinamento - Produtos Químicos
Treinamento - Produtos Químicos
 
Modelo pca 04_02_2013_ (1)
Modelo pca 04_02_2013_ (1)Modelo pca 04_02_2013_ (1)
Modelo pca 04_02_2013_ (1)
 
Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)
Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)
Manuseio de Produtos Químicos (Oficial)
 
4. treinamento ppr
4. treinamento ppr4. treinamento ppr
4. treinamento ppr
 
Campanha adornos
Campanha adornosCampanha adornos
Campanha adornos
 
TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06TREINAMENTO DE EPI NR 06
TREINAMENTO DE EPI NR 06
 
Aula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.pptAula - NR 06 - EPI.ppt
Aula - NR 06 - EPI.ppt
 
Treinamento nr 06 epi
Treinamento nr  06   epiTreinamento nr  06   epi
Treinamento nr 06 epi
 
Apresentação - Proteção Respiratória
Apresentação - Proteção RespiratóriaApresentação - Proteção Respiratória
Apresentação - Proteção Respiratória
 
Manual dds
Manual ddsManual dds
Manual dds
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
Cartilha Riscos na Limpeza
Cartilha Riscos na LimpezaCartilha Riscos na Limpeza
Cartilha Riscos na Limpeza
 
Treinamento NR-12
Treinamento NR-12Treinamento NR-12
Treinamento NR-12
 

Semelhante a Protetores Auriculares

TREINAMENTO DE PROTEÇÃO AUDITIVA..ppt
TREINAMENTO DE PROTEÇÃO AUDITIVA..pptTREINAMENTO DE PROTEÇÃO AUDITIVA..ppt
TREINAMENTO DE PROTEÇÃO AUDITIVA..ppt
NilsonLemosMachado1
 
Prote o_auditiva
Prote  o_auditivaProte  o_auditiva
Prote o_auditiva
JB Silva
 
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.ppTreinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
ssuser238e8f
 
Protecao auditiva
Protecao auditivaProtecao auditiva
Protecao auditiva
claubertst
 
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco.pptx
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco.pptxApresentação de Slides Corporativo Preto e Branco.pptx
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco.pptx
PollyanaMonteiro
 
Cópia de TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
Cópia de TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptxCópia de TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
Cópia de TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
AnglicaArantes2
 
1. treinamento pca
1. treinamento pca1. treinamento pca
1. treinamento pca
Nilton Goulart
 
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptxPROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
Junior Segurança
 
Protetor auricular
Protetor auricularProtetor auricular
Protetor auricular
Mariene Candeia
 
Catálogo Abafadores
Catálogo Abafadores Catálogo Abafadores
Catálogo Abafadores
Control Service do Brasil Ltda
 
Prot audit-samir
Prot audit-samirProt audit-samir
Prot audit-samir
Fernanda Checchinato
 
Conect - Linha de Proteção Respiratória
Conect -  Linha de Proteção RespiratóriaConect -  Linha de Proteção Respiratória
Conect - Linha de Proteção Respiratória
CONECT
 
Melhores práticas para seleção de proteção auditiva
Melhores práticas para seleção de proteção auditiva Melhores práticas para seleção de proteção auditiva
Melhores práticas para seleção de proteção auditiva
Robson Peixoto
 
Edição 9
Edição 9Edição 9
Edição 9
gimenezeassociados
 
Proteção auditiva
Proteção auditivaProteção auditiva
Proteção auditiva
Gustavo3248
 
Proteção auditiva
Proteção auditivaProteção auditiva
Proteção auditiva
Gustavo3248
 
Proteoauditiva 140422100537-phpapp01
Proteoauditiva 140422100537-phpapp01Proteoauditiva 140422100537-phpapp01
Proteoauditiva 140422100537-phpapp01
Iara Silva Guimaraes
 
Cartilha de protecao auditiva
Cartilha de protecao auditivaCartilha de protecao auditiva
Cartilha de protecao auditiva
Cosmo Palasio
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptxTREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
HeleniceGonalves1
 
Programa de conservação auditiva PCA rev.00
Programa de conservação auditiva PCA rev.00Programa de conservação auditiva PCA rev.00
Programa de conservação auditiva PCA rev.00
Erick Luiz Coutinho dos Santos
 

Semelhante a Protetores Auriculares (20)

TREINAMENTO DE PROTEÇÃO AUDITIVA..ppt
TREINAMENTO DE PROTEÇÃO AUDITIVA..pptTREINAMENTO DE PROTEÇÃO AUDITIVA..ppt
TREINAMENTO DE PROTEÇÃO AUDITIVA..ppt
 
Prote o_auditiva
Prote  o_auditivaProte  o_auditiva
Prote o_auditiva
 
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.ppTreinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
Treinamento de Proteção Auditiva 2023.pp
 
Protecao auditiva
Protecao auditivaProtecao auditiva
Protecao auditiva
 
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco.pptx
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco.pptxApresentação de Slides Corporativo Preto e Branco.pptx
Apresentação de Slides Corporativo Preto e Branco.pptx
 
Cópia de TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
Cópia de TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptxCópia de TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
Cópia de TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
 
1. treinamento pca
1. treinamento pca1. treinamento pca
1. treinamento pca
 
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptxPROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
PROTEÇÃO AUDITIVA .pptx
 
Protetor auricular
Protetor auricularProtetor auricular
Protetor auricular
 
Catálogo Abafadores
Catálogo Abafadores Catálogo Abafadores
Catálogo Abafadores
 
Prot audit-samir
Prot audit-samirProt audit-samir
Prot audit-samir
 
Conect - Linha de Proteção Respiratória
Conect -  Linha de Proteção RespiratóriaConect -  Linha de Proteção Respiratória
Conect - Linha de Proteção Respiratória
 
Melhores práticas para seleção de proteção auditiva
Melhores práticas para seleção de proteção auditiva Melhores práticas para seleção de proteção auditiva
Melhores práticas para seleção de proteção auditiva
 
Edição 9
Edição 9Edição 9
Edição 9
 
Proteção auditiva
Proteção auditivaProteção auditiva
Proteção auditiva
 
Proteção auditiva
Proteção auditivaProteção auditiva
Proteção auditiva
 
Proteoauditiva 140422100537-phpapp01
Proteoauditiva 140422100537-phpapp01Proteoauditiva 140422100537-phpapp01
Proteoauditiva 140422100537-phpapp01
 
Cartilha de protecao auditiva
Cartilha de protecao auditivaCartilha de protecao auditiva
Cartilha de protecao auditiva
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptxTREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
TREINAMENTO PROTEÇÃO AUDITIVA.pptx
 
Programa de conservação auditiva PCA rev.00
Programa de conservação auditiva PCA rev.00Programa de conservação auditiva PCA rev.00
Programa de conservação auditiva PCA rev.00
 

Último

karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

Protetores Auriculares

  • 2. SOM O som é uma vibração que se propaga pelo ar em forma de ondas e que é percebida pelo ouvido humano. É uma sensação agradável, em nível suportável e que não irrita. Ele pode ser mais ou menos perigoso dependendo da sua frequência e intensidade.
  • 3. SOM
  • 4.
  • 5. RUÍDO O ruído é um som prejudicial à saúde que causa sensação desagradável e irritante. O grau de risco depende de outros fatores.
  • 6. FATORES QUE INFLUENCIAM O RISCO 1 – Tempo de exposição.
  • 7. 2 – Tipo de Ruído:  Continuo (sem parar);  Intermitente (ocorre de vez em quando);  Impacto ( Ocorre de repente e de pouca duração). FATORES QUE INFLUENCIAM O RISCO
  • 8. 3 – Distância da Fonte Geradora. FATORES QUE INFLUENCIAM O RISCO
  • 9. 4 – Intensidade; Quanto maior a intensidade, maior o risco para o trabalhador. FATORES QUE INFLUENCIAM O RISCO
  • 10. Quem conhece esta máquina ?
  • 11. O QUE ESSES AGENTES PODEM CAUSAR?
  • 13. Efeitos do Ruído ao Organismo Contrações Sustos Musculares Estreitamento dos Vasos Esquecimento Insônia Zumbido
  • 14. Efeitos do Ruído no Trabalho Má comunicação Baixa concentração Desconforto Nervosismo Baixo Rendimento Acidentes
  • 15. Efeitos do Ruído a Audição Trauma Acústico Perda Temporária Perda Permanente
  • 17. PROTETOR AURICULAR É um aparelho de proteção projetado para ser utilizado no canal auditivo externo, que protege o trabalhador contra barulhos acima dos níveis de decibéis recomendados, contra a entrada de água ou vento excessivo. É geralmente utilizado por trabalhadores da indústria que lidam com máquinas barulhentas por longos períodos de tempo.
  • 18. NORMAS: NR 6 ANEXO 1 C ---NÍVEL DE RUÍDO MÁXIMA EXPOSIÇÃO DIÁRIA DB (A) PERMISSÍVEL 85 8 horas 86 7 horas 87 6 horas 88 5 horas 89 4 horas e 30 minutos 90 4 horas 91 3 horas e 30 minutos 92 3 horas 93 2 horas e 40 minutos 94 2 horas e 15 minutos 95 2 horas 96 1 hora e 45 minutos 98 1 hora e 15 minutos 100 1 hora 102 45 minutos 104 35 minutos
  • 19. PROTETOR AURICULAR PLUG SILICONE  Protetor auricular do tipo inserção pré- moldado, confeccionado em silicone, atóxico/antialérgico no formato cônico com três flanges, de diâmetros variáveis, que torna o equipamento macio e facilmente adaptável ao canal auditivo. Possui uma caixa com clipe para armazenar o produto e assim diminuir o risco de perda do protetor.  Atenuação 17dB (NRRsf)
  • 20. PROTETOR AURICULAR PLUG  Modelo de bolsa de ar avançado com estabilizadores internos de bloqueio de ruído. O perfil de quatro flanges fornece melhor vedação no canal auditivo. A menor pressão no canal auditivo elimina o desconforto. As flanges arredondadas de formato afilado se ajustam melhor ao canal auditivo. A haste firme facilita a inserção e a remoção. Excelente proteção de bloqueio de ruído.  Atenuação 17 dB (NRRsf)
  • 21. PROTETOR AURICULAR TIPO ESPUMA  Protetor auricular de segurança de espuma moldável do tipo inserção em formato de cone, com base plana e o topo arredondado.  AtenuaçãoNRR/sf 15dB
  • 22. ESPUMA  Protetor auditivo de espuma perfeitamente moldável aos canais auditivos dos usuários, proporcionando uma excelente vedação; Se adaptam melhor a um maior número de formatos e tamanhos de canais auditivos;  Por serem descartáveis, reduzem as chances de infecções por falta de higienização dos protetores;  Atenuação 15dB (NRRsf);
  • 23. PROTETOR AURICULAR LEFT/RIGHT  O abafador de ruídos LEFT/RIGHT foi desenvolvido baseado em um conceito diferenciado de formato, com personalização do lado esquerdo e direito que possibilita a perfeita acomodação na cabeça e garante um grande conforto e maior produtividade.  Atenuação: NRRsf 25 dB
  • 24. PROTETOR AURICULAR MARK V  O selo do Abafador é fabricado em espuma revestida com vinil na cor preta. O Abafador envolve completamente os ouvidos, amortecendo a pressão e vedando uniformemente as conchas junto a cabeça do trabalhador. Atenuação NRR/sf 22dB
  • 25. PROTETOR AURICULAR GLADIADOR  Aplicações- protetores auriculares é indicados para proteção auditiva em locais com excesso de ruído causado por serra elétrica, britadeira, furadeira, bate- estaca ou outros ruídos. Muito utilizado em indústria metalúrgica, moveleiras, automobil ística, construção civil, prestadores de serviços, montadoras e montagem industrial.  Tamanho - Único  Atenuação: NRR/sf 20dB
  • 26. PROTETOR AURICULAR JUMBO  Muito utilizado em indústria metalúrgica, moveleiras, a utomobilística, construção civil, prestadores de serviços, montadoras e montagem industrial.  Atenuação NRR/sf 26dB
  • 27. PROTETOR AURICULAR TIPO CONCHA RECOMENDADO PARA AMBIENTES CLIMATIZADOS OU COM BAIXAS TEMPERATURAS.  Almofadas preenchidas com fluido amortecedor e espuma com anéis largos e macios proporcionam o que há de melhor para uma boa selagem e conforto. Resistentes sob ambientes úmidos e agressivos  Atenuação 20 dB (NRRsf);
  • 28. PROTETOR AURICULAR PARA CAPACETE  Apresenta perfeito acoplamento no Capacete. Um exclusivo “sistema de encaixe” foi desenvolvido permitindo um uso prático e seguro.  Atenuação: 22 dB (NRRsf);
  • 29. PROTETOR AURICULAR EP3  Produzido em silicone para melhor comodidade em cada ouvido;  Lhe permite mobilidade, Confortável;  Possui um tampão para fechar mais a entrada de som em seu ouvido; Produto importado dos EUA.  Atenuação: 24dB (NRRsf)
  • 30. PROTETOR AURICULAR COM HASTE  Protetor auditivo tipo capa de canal que tem como características, a haste leve e um par de espumas que vedam confortavelmente a entrada do canal auditivo, dispensando a necessidade de inserção.  Atenuação 15dB (NRRsf)
  • 32. PROTETOR AURICULAR TIPO INSERÇÃO: 1-Com as mãos limpas, aperte e role o protetor entre os dedos indicador e polegar obter o menor diâmetro possível. 2-Para facilitar Coloque a mão por trás da cabeça, puxe a orelha para cima e coloque o protetor no canal auditivo. 3-Usando o dedo indicador mantenha-o pressionado (aproximadamente por 30segundos) até que ele tenha se expandido.
  • 33. PROTETOR AURICULAR TIPO CONCHA 1-Alinhe a altura das conchas de acordo com o tamanho de sua cabeça, de modo que as conchas cubram completamente o ouvido. 2- Com a boca aberta ajeite o protetor retirando o excesso de cabelo que estiver entre o abafador e o ouvido.
  • 34. PROTETOR AURICULAR TIPO CONCHA 3 -Certifique-se de que a veda esteja completa, sem a interferência de objetos como elástico de respiradores ou armação de óculos, obtendo veda completa. 4-Devem ficar alinhadas verticalmente de modo a proporcionar a melhor veda Nunca utilize com as conchas viradas para trás.
  • 35. PROTETOR AURÍCLULAR DE INSERÇÃO Passe uma das mãos de trás da cabeça e puxe levemente a parte superior da orelha e, Com a outra mão, introduza o protetor no canal auditivo.
  • 36. CUIDADOS A SEREM TOMADOS: 1 -Não manuseie o protetor com as mãos sujas; 2 -Utilize os protetores durante todo o período de trabalho; 3 - Após o uso, guarde o protetor na embalagem; 4 -Lave regularmente seu protetor auditivo, com água e sabão neutro.
  • 37. OQUE É C.A.?  C.A. é o Certificado de Aprovação emitido pelo MTE Ministério do Trabalho e Emprego QUAL É A IMPORTÂNCIA DO C.A.? COMO EU ENCONTRO O C.A.? COMO É ESSE C.A.?
  • 38. QUAL É A RESPONSABILIDADE DO TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO? A principal função do TST é garantir a integridade física e mental dos colaboradores.
  • 39. APARELHOS DE MEDIÇÃO DE RUÍDOS Dosímetro ou Audiodosímetro é um aparelho utilizado para medir a intensidade sonora. Utilizando a unidade de decibéis (dB) é utilizado para medir em determinada frequência sonora. Muito utilizado em indústrias, o aparelho por ser portátil, é fixado em trabalhadores de diversas funções. Sua aplicação visa mensurar a dosagem de ruído que um trabalhador recebe durante sua carga horária diária. O aparelho conta com uma bateria, mostrador digital (nos mais modernos) e com um microfone que é colocado próximo à zona auditiva do trabalhador que o transporta. Sua amostragem é feita automaticamente pelo aparelho onde é colhido o Leq (nível médio) para apresentação aos órgãos competentes e para a prevenção de riscos ocupacionais. É empregado também como medidor de ruído de fundo em ambientes fabris, vias urbanas, campeonatos de som (automotivo, entretenimento, etc).
  • 40. Decibelímetro é um equipamento utilizado para realizar a medição dos níveis de pressão sonora, sendo que o nível de pressão sonora é uma grandeza que representa razoavelmente bem a sensação auditiva de volume sonoro. Atualmente no mercado brasileiro, existem equipamentos digitais capazes de realizar medições entre 30 dB até 130 dB. O microfone é peça vital no circuito, sendo sua função a de transformar um sinal de pressão mecânica em um sinal elétrico. O circuito integrador do medidor deve oferecer diferentes tempos de integração, no mínimo tempo de integração de resposta ``lenta e ``rápida. Medidores de maior qualidade oferecem ainda o tempo de integração ``impulso, adequado para medições de sinais impulsivos (disparo de arma, ruído gerado por prensa, ...). Além da integração no tempo, também chamada de ponderação no tempo, os medidores oferecem diferentes curvas de ponderação na frequência. A ponderação A é a mais utilizada, dando origem a níveis de pressão sonora ponderados em A. Para indicar que foi aplicada a ponderação A usa-se a pseudounidade dB(A). APARELHOS DE MEDIÇÃO DE RUÍDOS
  • 41.
  • 42. OBRIGADA PELA ATENÇÃO! Turma de T.S.T Senai – Toledo