SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
Consulte sempre um Médico Veterinário.
www.vallee.com.br
Disponíveis nas melhores lojas
e revendas agropecuárias.
/ValleeOficial/ValleeOficial 0800 882 5533@ValleeSA
A Terapia da Vaca Seca é o tema da 4ª edição do projeto “Saúde
Ponto a Ponto Vallée”. Saiba como o tratamento intramamário
realizado no chamado período seco, espaço de tempo que
compreende o intervalo entre lactações, pode influenciar
diretamente a saúde da glândula mamária, a produção de leite
e a prevenção de doenças.
O controle da mastite no período seco tem como objetivo principal assegurar
a saúde da glândula mamária para a próxima lactação. Para isso, a Terapia da
Vaca Seca cumpre dois papéis fundamentais: reduzir a incidência de mastite
no rebanho pela cura de infecções preexistentes e prevenir a ocorrência
de novos casos, uma vez que as vacas ficam extremamente vulneráveis a novas
infecções durante o período seco, quando as glândulas mamárias estão mais
expostas aos patógenos do ambiente.
SAÚDE
Julho-2015 | Terapia da Vaca Seca
4Controle
na secagem.
Tranquilidade
na lactação.
Use Prevmast na secagem
das vacas e previna a mastite.
Alta concentração de antibiótico.
Maior tempo de ação.
Fatores que favorecem novas infecções Procedimentos para o manejo da secagem do leite
Após o esgotamento total do leite, é feito o tratamento intramamário, que deve obedecer
a sequência de procedimentos abaixo:
Grande volume de leite acumulado
O leite acumulado aumenta a pressão interna do úbere,
o que pode levar à dilatação do teto, favorecendo
a penetração de bactérias pelo esfíncter.
Sujeira e umidade
O risco de novas infecções aumenta em condições
ambientais inadequadas, com excesso de lama e esterco.
Para obter sucesso no tratamento de vacas secas
é fundamental utilizar um produto específico para esse fim.
O medicamento escolhido deve conter uma alta concentração
de antibiótico dissolvido em uma base de liberação lenta,
capaz de manter altas concentrações da droga no tecido
mamário por um período de 21 até 50 dias.
SAÚDE
Fique de olho!
Estima-se que 40% dos casos de mastite que ocorrem no início da lactação seguinte são provenientes
de contaminações nas duas primeiras semanas após a secagem. Os principais fatores que favorecem
a instalação de novas infecções nesse período são:
Secagem abrupta Secagem intermitente
O que é Interrupção abrupta da ordenha
Redução da frequência diária de ordenha
ou do número de ordenha por semana
Como
proceder
Interrupção da ordenha em dia preestabelecido,
procedendo-se a esgota completa e aplicação
imediata dos produtos para tratamento da vaca
seca em todos os quartos
Ordenhar somente uma vez por dia durante
um período de sete dias. São desaconselháveis
métodos que mantêm a vaca sem ordenhar por
mais de 24 horas, pois, nesses casos, existe
maior risco de novas infecções
Cuidados com
a alimentação
Adotar um manejo nutricional que reduza a produção de leite no período que
for realizada a secagem
O que
não fazer
Deixar a vaca sem água ou comida para secar o leite enfraquece o sistema imunológico
do animal, tornando-o mais suscetível a contrair uma infecção
Fonte: Livro: “Estratégias para Controle de Mastite e Melhoria da Qualidade do Leite”. Adaptação Vallée.
Conheça os dois métodos mais comuns de secagem de vacas leiteiras:
Desinfecção com produto pós-dipping
Imersão dos tetos com produto para pós-dipping
após o esgotamento do leite, aguardando-se
30 segundos antes de secar com papel-toalha
individual descartável.
Desinfecção do esfíncter
Desinfetar completamente o esfíncter
(ponta do canal do teto) com um algodão
embebido em álcool 70%.
Infusão intramamária
Aplicação do medicamento via intramamária.
Em seguida, massagear o úbere para melhor
difusão do medicamento.
Desinfecção com produto pós-dipping
Imersão dos tetos com produto para pós-dipping.
Durante o período seco, as vacas devem
permanecer em local com a máxima higiene,
especialmente na semana após a secagem
e na semana pré-parto, que são os períodos
de maior risco de novas infecções causadas
por patógenos ambientais.
O produtor deve ficar atento para os sinais clínicos
que indiquem a ocorrência de mastite, como
inchaço do úbere, vermelhidão e dor à apalpação.
Nesse caso, a vaca deverá ser esgotada
novamente e feito o tratamento indicado para
mastite em lactação. Em seguida, com o animal
sadio, repete-se a Terapia da Vaca Seca.
Vantagens da Terapia da Vaca Seca
Maior taxa de cura do que na lactação
Possibilidade de usar maiores concentrações de antibióticos
Possibilidade de regeneração do tecido lesado antes do parto
Redução da mastite clínica nas primeiras semanas após o parto
Estudos indicam que a taxa de novas infecções causadas por coliformes é cerca
de quatro a cinco vezes maior no período seco do que durante a lactação.ATENÇÃO
Descanso merecido
O período seco é de extrema importância para a vaca leiteira, pois
é nessa fase que ocorre a recuperação dos tecidos responsáveis pela
produção de leite. De modo geral, recomenda-se que o período seco
tenha duração de 45 a 60 dias.
Eu só quero sombra,
água e grama fresca.
4

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Encarte 4º ponto_terapia da vaca seca

E-book-Bem-Estar-Animal.pdf
E-book-Bem-Estar-Animal.pdfE-book-Bem-Estar-Animal.pdf
E-book-Bem-Estar-Animal.pdfDeborah689757
 
TopVac, a vacina inativada contra a mastite bovina da Hipra
TopVac, a vacina inativada contra a mastite bovina da HipraTopVac, a vacina inativada contra a mastite bovina da Hipra
TopVac, a vacina inativada contra a mastite bovina da HipraAgriPoint
 
Manejo Ambiental, sanitário e repr..pptx
Manejo Ambiental, sanitário e repr..pptxManejo Ambiental, sanitário e repr..pptx
Manejo Ambiental, sanitário e repr..pptxTHAYZRODRIGUESENEDIN
 
Saladevacina 130912210756-phpapp01
Saladevacina 130912210756-phpapp01Saladevacina 130912210756-phpapp01
Saladevacina 130912210756-phpapp01Kelly Praxedes
 
Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216visacamacan
 
Abordagem inovadora no tratamento das mastites
Abordagem inovadora no tratamento das mastitesAbordagem inovadora no tratamento das mastites
Abordagem inovadora no tratamento das mastitesAgriPoint
 
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptxALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptxFranciscoFlorencio6
 
5CS da criação de bezerras
5CS da criação de bezerras5CS da criação de bezerras
5CS da criação de bezerrasAgriPoint
 
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?AgriPoint
 
NEWCASTLE LA SOTA.pdf
NEWCASTLE LA SOTA.pdfNEWCASTLE LA SOTA.pdf
NEWCASTLE LA SOTA.pdfMairarodrta
 
Mastite vacas 3
Mastite vacas 3Mastite vacas 3
Mastite vacas 3Fmodri3
 
Ebook mastite
Ebook mastiteEbook mastite
Ebook mastiteAgriPoint
 

Semelhante a Encarte 4º ponto_terapia da vaca seca (20)

E-book-Bem-Estar-Animal.pdf
E-book-Bem-Estar-Animal.pdfE-book-Bem-Estar-Animal.pdf
E-book-Bem-Estar-Animal.pdf
 
TopVac, a vacina inativada contra a mastite bovina da Hipra
TopVac, a vacina inativada contra a mastite bovina da HipraTopVac, a vacina inativada contra a mastite bovina da Hipra
TopVac, a vacina inativada contra a mastite bovina da Hipra
 
Aleitamento materno slide
Aleitamento materno slideAleitamento materno slide
Aleitamento materno slide
 
Encarte 6º ponto_af
Encarte 6º ponto_afEncarte 6º ponto_af
Encarte 6º ponto_af
 
Manejo Ambiental, sanitário e repr..pptx
Manejo Ambiental, sanitário e repr..pptxManejo Ambiental, sanitário e repr..pptx
Manejo Ambiental, sanitário e repr..pptx
 
Cuidados com bezerros
Cuidados com bezerrosCuidados com bezerros
Cuidados com bezerros
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Saladevacina 130912210756-phpapp01
Saladevacina 130912210756-phpapp01Saladevacina 130912210756-phpapp01
Saladevacina 130912210756-phpapp01
 
Cartilha sobre Aleitamento & Covid - UFRJ Macaé
Cartilha sobre Aleitamento & Covid - UFRJ Macaé Cartilha sobre Aleitamento & Covid - UFRJ Macaé
Cartilha sobre Aleitamento & Covid - UFRJ Macaé
 
Vacina triviral
Vacina triviralVacina triviral
Vacina triviral
 
Cartilha gicra
Cartilha gicraCartilha gicra
Cartilha gicra
 
Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216Cartilha gicra rdc 216
Cartilha gicra rdc 216
 
Abordagem inovadora no tratamento das mastites
Abordagem inovadora no tratamento das mastitesAbordagem inovadora no tratamento das mastites
Abordagem inovadora no tratamento das mastites
 
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptxALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
ALIMENTACAO.E.ALEITAMENTO.MATERNO.pptx
 
5CS da criação de bezerras
5CS da criação de bezerras5CS da criação de bezerras
5CS da criação de bezerras
 
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
 
NEWCASTLE LA SOTA.pdf
NEWCASTLE LA SOTA.pdfNEWCASTLE LA SOTA.pdf
NEWCASTLE LA SOTA.pdf
 
Mastite vacas 3
Mastite vacas 3Mastite vacas 3
Mastite vacas 3
 
Periodo puerperal
Periodo puerperalPeriodo puerperal
Periodo puerperal
 
Ebook mastite
Ebook mastiteEbook mastite
Ebook mastite
 

Mais de Renato Villela (20)

Controle certeiro f2
Controle certeiro f2Controle certeiro f2
Controle certeiro f2
 
Mulheres agronegocio
Mulheres agronegocio Mulheres agronegocio
Mulheres agronegocio
 
Controle certeiro f1
Controle certeiro f1Controle certeiro f1
Controle certeiro f1
 
Professor iveraldo
Professor iveraldoProfessor iveraldo
Professor iveraldo
 
Coccidiose
CoccidioseCoccidiose
Coccidiose
 
Forum inovacao saudeanimal
Forum inovacao saudeanimalForum inovacao saudeanimal
Forum inovacao saudeanimal
 
Rotacionado
RotacionadoRotacionado
Rotacionado
 
Energia eletrica bombeamento
Energia eletrica bombeamentoEnergia eletrica bombeamento
Energia eletrica bombeamento
 
Cure o umbigo
Cure o umbigoCure o umbigo
Cure o umbigo
 
Muito alem da ilp
Muito alem da ilpMuito alem da ilp
Muito alem da ilp
 
Pg 34
Pg 34Pg 34
Pg 34
 
Tristeza
TristezaTristeza
Tristeza
 
Balanço
BalançoBalanço
Balanço
 
Cigarrinha
CigarrinhaCigarrinha
Cigarrinha
 
Bvd linkedin
Bvd linkedinBvd linkedin
Bvd linkedin
 
Bvd linkedin
Bvd linkedinBvd linkedin
Bvd linkedin
 
Especial confinamento cerca elétrica
Especial confinamento cerca elétricaEspecial confinamento cerca elétrica
Especial confinamento cerca elétrica
 
Higiene para evitar abscessos
Higiene para evitar abscessosHigiene para evitar abscessos
Higiene para evitar abscessos
 
Mosca dos chifres
Mosca dos chifresMosca dos chifres
Mosca dos chifres
 
Aftosa julho
Aftosa julhoAftosa julho
Aftosa julho
 

Último

Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosThaiseGerber2
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdfIANAHAAS
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfDanieldaSade
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisbertoadelinofelisberto3
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdfHELLEN CRISTINA
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfDanieldaSade
 

Último (9)

Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
 

Encarte 4º ponto_terapia da vaca seca

  • 1.
  • 2. Consulte sempre um Médico Veterinário. www.vallee.com.br Disponíveis nas melhores lojas e revendas agropecuárias. /ValleeOficial/ValleeOficial 0800 882 5533@ValleeSA A Terapia da Vaca Seca é o tema da 4ª edição do projeto “Saúde Ponto a Ponto Vallée”. Saiba como o tratamento intramamário realizado no chamado período seco, espaço de tempo que compreende o intervalo entre lactações, pode influenciar diretamente a saúde da glândula mamária, a produção de leite e a prevenção de doenças. O controle da mastite no período seco tem como objetivo principal assegurar a saúde da glândula mamária para a próxima lactação. Para isso, a Terapia da Vaca Seca cumpre dois papéis fundamentais: reduzir a incidência de mastite no rebanho pela cura de infecções preexistentes e prevenir a ocorrência de novos casos, uma vez que as vacas ficam extremamente vulneráveis a novas infecções durante o período seco, quando as glândulas mamárias estão mais expostas aos patógenos do ambiente. SAÚDE Julho-2015 | Terapia da Vaca Seca 4Controle na secagem. Tranquilidade na lactação. Use Prevmast na secagem das vacas e previna a mastite. Alta concentração de antibiótico. Maior tempo de ação.
  • 3. Fatores que favorecem novas infecções Procedimentos para o manejo da secagem do leite Após o esgotamento total do leite, é feito o tratamento intramamário, que deve obedecer a sequência de procedimentos abaixo: Grande volume de leite acumulado O leite acumulado aumenta a pressão interna do úbere, o que pode levar à dilatação do teto, favorecendo a penetração de bactérias pelo esfíncter. Sujeira e umidade O risco de novas infecções aumenta em condições ambientais inadequadas, com excesso de lama e esterco. Para obter sucesso no tratamento de vacas secas é fundamental utilizar um produto específico para esse fim. O medicamento escolhido deve conter uma alta concentração de antibiótico dissolvido em uma base de liberação lenta, capaz de manter altas concentrações da droga no tecido mamário por um período de 21 até 50 dias. SAÚDE Fique de olho! Estima-se que 40% dos casos de mastite que ocorrem no início da lactação seguinte são provenientes de contaminações nas duas primeiras semanas após a secagem. Os principais fatores que favorecem a instalação de novas infecções nesse período são: Secagem abrupta Secagem intermitente O que é Interrupção abrupta da ordenha Redução da frequência diária de ordenha ou do número de ordenha por semana Como proceder Interrupção da ordenha em dia preestabelecido, procedendo-se a esgota completa e aplicação imediata dos produtos para tratamento da vaca seca em todos os quartos Ordenhar somente uma vez por dia durante um período de sete dias. São desaconselháveis métodos que mantêm a vaca sem ordenhar por mais de 24 horas, pois, nesses casos, existe maior risco de novas infecções Cuidados com a alimentação Adotar um manejo nutricional que reduza a produção de leite no período que for realizada a secagem O que não fazer Deixar a vaca sem água ou comida para secar o leite enfraquece o sistema imunológico do animal, tornando-o mais suscetível a contrair uma infecção Fonte: Livro: “Estratégias para Controle de Mastite e Melhoria da Qualidade do Leite”. Adaptação Vallée. Conheça os dois métodos mais comuns de secagem de vacas leiteiras: Desinfecção com produto pós-dipping Imersão dos tetos com produto para pós-dipping após o esgotamento do leite, aguardando-se 30 segundos antes de secar com papel-toalha individual descartável. Desinfecção do esfíncter Desinfetar completamente o esfíncter (ponta do canal do teto) com um algodão embebido em álcool 70%. Infusão intramamária Aplicação do medicamento via intramamária. Em seguida, massagear o úbere para melhor difusão do medicamento. Desinfecção com produto pós-dipping Imersão dos tetos com produto para pós-dipping. Durante o período seco, as vacas devem permanecer em local com a máxima higiene, especialmente na semana após a secagem e na semana pré-parto, que são os períodos de maior risco de novas infecções causadas por patógenos ambientais. O produtor deve ficar atento para os sinais clínicos que indiquem a ocorrência de mastite, como inchaço do úbere, vermelhidão e dor à apalpação. Nesse caso, a vaca deverá ser esgotada novamente e feito o tratamento indicado para mastite em lactação. Em seguida, com o animal sadio, repete-se a Terapia da Vaca Seca. Vantagens da Terapia da Vaca Seca Maior taxa de cura do que na lactação Possibilidade de usar maiores concentrações de antibióticos Possibilidade de regeneração do tecido lesado antes do parto Redução da mastite clínica nas primeiras semanas após o parto Estudos indicam que a taxa de novas infecções causadas por coliformes é cerca de quatro a cinco vezes maior no período seco do que durante a lactação.ATENÇÃO Descanso merecido O período seco é de extrema importância para a vaca leiteira, pois é nessa fase que ocorre a recuperação dos tecidos responsáveis pela produção de leite. De modo geral, recomenda-se que o período seco tenha duração de 45 a 60 dias. Eu só quero sombra, água e grama fresca. 4