SlideShare uma empresa Scribd logo
Sanidade
112 DBO junho 2018
Fórum discute inovações
na saúde animal
Encontro em São Paulo aproxima startups agropecuárias de investidores nacionais
e estrangeiros interessados em novas tecnologias.
Renato Villela
renato.villela@revistadbo.com.br
E
mpreendedores brasileiros e de outros países
latino-americanos se reuniram em São Paulo,
SP, entre os dias 29 e 30 de maio, para apresen-
tar suas tecnologias durante o Fórum de Inovação para
Saúde Animal na América Latina. O encontro, promo-
vido pela instituição britânica Kisaco Research, foi uma
vitrine para startups à procura de um modelo de negó-
cios, pequenas empresas e até mesmo instituições de
pesquisa interessadas em oferecer ao mercado de saúde
animal novas tecnologias ou serviços. “Nossa missão é
aproximar inovadores de grandes empresas para ajudar
a criar oportunidades de investimento”, definiu Callan
Smith, diretor da Kisaco. O formato do fórum favoreceu
esse contato, ao promover reuniões privativas (sempre
cheias) em intervalos periódicos entre as apresentações.
Nem mesmo a greve dos caminhoneiros reduziu o públi-
co, composto por 126 pessoas previamente inscritas. Os
palestrantes que não puderam comparecer por causa da
greve falaram por videoconferência. O evento acontece
todos os anos na Europa, Ásia eAmérica Latina. Foi sua
segunda edição no Brasil.
Dentre as inovações apresentadas, um teste que extrai
DNA de amostras de leite, para diagnóstico de mastite.
“Sequenciamos a fita do material genético para identificar
quais patógenos estão presentes”, conta Polyana Tizioto,
gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da NGS Solu-
ções Genômicas, de Piracicaba, SP. Sem a necessidade
de cultivar a bactéria em laboratório para conhecer o tipo
de patógeno e, então, iniciar o tratamento, o teste garante
mais agilidade. “Identificamos a doença antes mesmo de
os sinais clínicos aparecerem”, explicou Polyana. O vete-
rinário Breno Castello Branco Beirão, da ImunovaAnáli-
ses Biológicas, Curitiba, PR, mostrou à plateia um apare-
lho para detecção de doenças semelhante aos dispositivos
usados por diabéticos para medição dos níveis de glicose
no sangue. O teste, ainda em fase piloto, está sendo utili-
zado para diagnóstico de distúrbios metabólicos em fran-
gos, mas Beirão acredita que a tecnologia também pode
ajudar a identificar causas de aborto em bovinos. “Por
meio da análise do material biológico, é possível revelar a
presença de vírus ou bactérias”, conta.
Oportunidades de inovação
Em um evento sobre inovações, não poderiam faltar
tecnologias de informação. E elas estavam lá. De aplica-
tivos para gerenciamento de rebanho e controle da pro-
dução às plataformas de venda on line, disponíveis em
desktops ou smartphones. Cada vez mais presentes no
campo, essas ferramentas estão criando novas formas
de comunicação dos produtores rurais com profissio-
nais do setor, principalmente técnicos. À frente do Vet
Smart, um dos principais aplicativos de veterinária para
grandes e pequenos animais, o publicitário Bruno Ducat-
ti acredita que o segredo está na simplicidade da lingua-
gem. “O conteúdo técnico precisa ser veiculado de forma
clara, simples, de modo que possa ser lido, compartilha-
do e viralizado nas redes sociais”, diz. Dentre os forma-
tos disponíveis para levar essa informação, Ducatti aposta
na plataforma de vídeos. “Existem dados estatísticos que
mostram que a retenção dos usuários é maior para o ví-
deo, que na minha opinião é um meio muito eficaz para
se contar uma história”.
Nesse caldeirão fervilhante de ideias e inovações,
James Lloyd, reitor e professor da Faculdade de Medi-
cina Veterinária da Flórida, evocou sua experiência para
fazer uma ponderação. “As oportunidades de inovação
não estão somente no desenvolvimento de novas tecno-
logias, mas na expansão das já existentes”. Esse parece
ser um desafio e tanto para o Brasil, não somente pela
ausência de instituições voltadas para extensão rural, a
quem caberia essa função, mas também pelo baixo in-
vestimento que caracteriza a atividade no País. Segun-
do a Vetnosis, companhia escocesa de pesquisas, o pro-
Sala cheia para
acompanhar as
propostas de
inovação
RENATOVILLELA
DBO junho 2018 113
dutor brasileiro gasta, em média, apenas US$ 3/cab/ano
em saúde animal, contra US$ 8/cab/ano dos australia-
nos, e US$ 22/animal/ano dos norte-americanos. “Ain-
da temos um nível baixo de tecnificação. Falta isso para
nosso produtor entender melhor os benefícios que pode
alcançar, se usar as tecnologias disponíveis”, disse Fá-
bio Paganini, diretor de SaúdeAnimal paraAmérica La-
tina da Boerhringer Ingelheim, que apresentou os dados.
Falta também financiamento para levar inovações até o
campo. É o caso de um produto inédito à base de an-
ticorpos policlonais que pode substituir os antibióticos
como promotores de crescimento. “Nos testes, o ganho
de peso foi 15% superior ao do tratamento com antibió-
ticos”, afirma o pesquisador Geraldo Balieiro Neto, doA
Apta-Ribeirão Preto, que detém a patente.
Celeridade nos processos
O último painel do Fórum – e também o mais debati-
do – foi dedicado ao papel governamental na implementa-
ção de tecnologias inovadoras, por meio do licenciamen-
to de novos produtos. Luís Eduardo Rangel, Secretário
de DefesaAgropecuária do Ministério daAgricultura, Pe-
cuária e Abastecimento, disse que “preocupa a pequena
quantidade de ‘reais inovações’ que chegam para análise
dos reguladores”. Antes de fazer uma mea-culpa dizendo
que o governo “pensa de modo cartesiano” e que talvez
por isso precise “repensar o conceito de inovação”, Ran-
gel justificou sua colocação afirmando que o modelo re-
gulatório atual, diferentemente de décadas passadas, re-
quer uma grande quantidade de testes para dar garantias
de segurança à sociedade. “Isso imprime um custo eleva-
do às empresas e retira 99% dos produtos da lista de ‘re-
gistráveis’”.
Mas não é só isso. Também falta celeridade na ava-
liação dos processos submetidos ao Ministério da
Agricultura, o que a própria pasta reconhece. Como
a demanda das empresas é muito maior do que a
capacidade de análise do órgão, que ainda sofre
com cortes de verbas, os prazos vêm aumentan-
do. “Vacinas já demandam 2,5 anos para análise.
Terapêuticos, 3,5 anos”, diz Flávia Schubert, dire-
tora de Assuntos Regulatórios da Elanco. Para zerar
esse “passivo regulatório” ou “Backlog” (acúmulo de
trabalho), como chamam os executivos – há processos
aguardando quatro anos na fila e que sequer foram ana-
lisados –, o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos
para Saúde Animal (Sindan) firmou uma parceria com
o Ministério da Agricultura se propondo a financiar um
grupo de trabalho nessa área.
Os integrantes desse grupo, espécie de força-tarefa,
estarão vinculados à Fundação Eliseu Alves, entidade de
apoio à pesquisa e desenvolvimento científico-tecnológi-
co, e que já trabalha em parceria com a Embrapa, em Bra-
sília, DF.Aexpectativa é de que as análises via Fundação
comecem a ser feitas a partir do segundo semestre des-
te ano. “A partir do momento em que conseguirmos ze-
rar esse estoque regulatório (o que deve levar dois anos),
acredito que em menos de seis meses seremos capazes de
responder a cada solicitação”, disse Janaína Garçone, di-
retora de Fiscalização de Insumos Pecuários do Mapa. n
Modelo
regulatório atual
retira 99% dos
produtos da lista
de ‘registráveis’ “.
Luiz Rangel,
do Mapa.
Callan Smith, diretor da Kisaco: “Objetivo é aproximar
desenvolvedores e empresas”.
James Lloyd, da Flórida: “A inovação também está na
expansão das tecnologias existentes”.
RENATOVILLELA
RENATOVILLELA

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Forum inovacao saudeanimal

Secretaria da Agricultura busca novas parcerias com empresas
Secretaria da Agricultura busca novas parcerias com empresasSecretaria da Agricultura busca novas parcerias com empresas
Secretaria da Agricultura busca novas parcerias com empresas
Agricultura Sao Paulo
 
11abril23_RevistaCFMV_Final2.pdf
11abril23_RevistaCFMV_Final2.pdf11abril23_RevistaCFMV_Final2.pdf
11abril23_RevistaCFMV_Final2.pdf
RogerioCansi1
 
Agricultores são reféns do clima dr carbonell
Agricultores são reféns do clima   dr carbonellAgricultores são reféns do clima   dr carbonell
Agricultores são reféns do clima dr carbonell
Agricultura Sao Paulo
 
Retomada da Produção Nacional de Insulina
Retomada da Produção Nacional de InsulinaRetomada da Produção Nacional de Insulina
Retomada da Produção Nacional de Insulina
Ministério da Saúde
 
Apresentação do ministro da Saúde sobre a retomada da produção nacional de in...
Apresentação do ministro da Saúde sobre a retomada da produção nacional de in...Apresentação do ministro da Saúde sobre a retomada da produção nacional de in...
Apresentação do ministro da Saúde sobre a retomada da produção nacional de in...
Palácio do Planalto
 
Facto 41 final-web
Facto 41 final-webFacto 41 final-web
Facto 41 final-web
Jose Gerardo
 
APTA: trabalho tem retorno de R$ 7 bi em dois anos
APTA: trabalho tem retorno de R$ 7 bi em dois anosAPTA: trabalho tem retorno de R$ 7 bi em dois anos
APTA: trabalho tem retorno de R$ 7 bi em dois anos
Agricultura Sao Paulo
 
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
Giselle Quartin
 
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisCampanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Oxya Agro e Biociências
 
Maginews - Edição especial de anivesário
Maginews - Edição especial de anivesárioMaginews - Edição especial de anivesário
Maginews - Edição especial de anivesário
MAGINEWSsuaparceiram
 
Kit para diagnosticar aids será produzido no país
Kit para diagnosticar aids será produzido no paísKit para diagnosticar aids será produzido no país
Kit para diagnosticar aids será produzido no país
Ministério da Saúde
 
Informe Agronegócios - Edição 7
Informe Agronegócios - Edição 7Informe Agronegócios - Edição 7
Informe Agronegócios - Edição 7
iicabrasil
 
Apresentacao SECTES
Apresentacao SECTESApresentacao SECTES
Apresentacao SECTES
Fabiana Tarabal
 
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo HorizontePalestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Sistema Mineiro de Inovação
 
Compromisso com a inovação
Compromisso com a inovaçãoCompromisso com a inovação
Compromisso com a inovação
Agricultura Sao Paulo
 
Secretaria de Agricultura lança programa de incentivo ao controle biológico
Secretaria de Agricultura lança programa de incentivo ao controle biológicoSecretaria de Agricultura lança programa de incentivo ao controle biológico
Secretaria de Agricultura lança programa de incentivo ao controle biológico
Agricultura Sao Paulo
 
Caderno valor 08_11_2012
Caderno valor 08_11_2012Caderno valor 08_11_2012
Caderno valor 08_11_2012
José Roberto Durço
 
Retrospectiva2010 far
Retrospectiva2010 farRetrospectiva2010 far
Retrospectiva2010 far
tissoni
 
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no paísSaúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Ministério da Saúde
 
Bioeconomia e o Setor Sucroenergético
Bioeconomia e o Setor SucroenergéticoBioeconomia e o Setor Sucroenergético
Bioeconomia e o Setor Sucroenergético
Wilson A. Araujo
 

Semelhante a Forum inovacao saudeanimal (20)

Secretaria da Agricultura busca novas parcerias com empresas
Secretaria da Agricultura busca novas parcerias com empresasSecretaria da Agricultura busca novas parcerias com empresas
Secretaria da Agricultura busca novas parcerias com empresas
 
11abril23_RevistaCFMV_Final2.pdf
11abril23_RevistaCFMV_Final2.pdf11abril23_RevistaCFMV_Final2.pdf
11abril23_RevistaCFMV_Final2.pdf
 
Agricultores são reféns do clima dr carbonell
Agricultores são reféns do clima   dr carbonellAgricultores são reféns do clima   dr carbonell
Agricultores são reféns do clima dr carbonell
 
Retomada da Produção Nacional de Insulina
Retomada da Produção Nacional de InsulinaRetomada da Produção Nacional de Insulina
Retomada da Produção Nacional de Insulina
 
Apresentação do ministro da Saúde sobre a retomada da produção nacional de in...
Apresentação do ministro da Saúde sobre a retomada da produção nacional de in...Apresentação do ministro da Saúde sobre a retomada da produção nacional de in...
Apresentação do ministro da Saúde sobre a retomada da produção nacional de in...
 
Facto 41 final-web
Facto 41 final-webFacto 41 final-web
Facto 41 final-web
 
APTA: trabalho tem retorno de R$ 7 bi em dois anos
APTA: trabalho tem retorno de R$ 7 bi em dois anosAPTA: trabalho tem retorno de R$ 7 bi em dois anos
APTA: trabalho tem retorno de R$ 7 bi em dois anos
 
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
E4P_PúblicoPrivadoBrasil_Bro_V31
 
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisCampanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
 
Maginews - Edição especial de anivesário
Maginews - Edição especial de anivesárioMaginews - Edição especial de anivesário
Maginews - Edição especial de anivesário
 
Kit para diagnosticar aids será produzido no país
Kit para diagnosticar aids será produzido no paísKit para diagnosticar aids será produzido no país
Kit para diagnosticar aids será produzido no país
 
Informe Agronegócios - Edição 7
Informe Agronegócios - Edição 7Informe Agronegócios - Edição 7
Informe Agronegócios - Edição 7
 
Apresentacao SECTES
Apresentacao SECTESApresentacao SECTES
Apresentacao SECTES
 
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo HorizontePalestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
Palestra do Glaucius Oliva no VIII Siminove - Belo Horizonte
 
Compromisso com a inovação
Compromisso com a inovaçãoCompromisso com a inovação
Compromisso com a inovação
 
Secretaria de Agricultura lança programa de incentivo ao controle biológico
Secretaria de Agricultura lança programa de incentivo ao controle biológicoSecretaria de Agricultura lança programa de incentivo ao controle biológico
Secretaria de Agricultura lança programa de incentivo ao controle biológico
 
Caderno valor 08_11_2012
Caderno valor 08_11_2012Caderno valor 08_11_2012
Caderno valor 08_11_2012
 
Retrospectiva2010 far
Retrospectiva2010 farRetrospectiva2010 far
Retrospectiva2010 far
 
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no paísSaúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
Saúde investe r$1,5 bi para produção de medicamentos biotecnológicos no país
 
Bioeconomia e o Setor Sucroenergético
Bioeconomia e o Setor SucroenergéticoBioeconomia e o Setor Sucroenergético
Bioeconomia e o Setor Sucroenergético
 

Mais de Renato Villela

Controle certeiro f2
Controle certeiro f2Controle certeiro f2
Controle certeiro f2
Renato Villela
 
Mulheres agronegocio
Mulheres agronegocio Mulheres agronegocio
Mulheres agronegocio
Renato Villela
 
Controle certeiro f1
Controle certeiro f1Controle certeiro f1
Controle certeiro f1
Renato Villela
 
Professor iveraldo
Professor iveraldoProfessor iveraldo
Professor iveraldo
Renato Villela
 
Coccidiose
CoccidioseCoccidiose
Coccidiose
Renato Villela
 
Rotacionado
RotacionadoRotacionado
Rotacionado
Renato Villela
 
Energia eletrica bombeamento
Energia eletrica bombeamentoEnergia eletrica bombeamento
Energia eletrica bombeamento
Renato Villela
 
Cure o umbigo
Cure o umbigoCure o umbigo
Cure o umbigo
Renato Villela
 
Muito alem da ilp
Muito alem da ilpMuito alem da ilp
Muito alem da ilp
Renato Villela
 
Pg 34
Pg 34Pg 34
Tristeza
TristezaTristeza
Tristeza
Renato Villela
 
Balanço
BalançoBalanço
Balanço
Renato Villela
 
Cigarrinha
CigarrinhaCigarrinha
Cigarrinha
Renato Villela
 
Bvd linkedin
Bvd linkedinBvd linkedin
Bvd linkedin
Renato Villela
 
Bvd linkedin
Bvd linkedinBvd linkedin
Bvd linkedin
Renato Villela
 
Especial confinamento cerca elétrica
Especial confinamento cerca elétricaEspecial confinamento cerca elétrica
Especial confinamento cerca elétrica
Renato Villela
 
Higiene para evitar abscessos
Higiene para evitar abscessosHigiene para evitar abscessos
Higiene para evitar abscessos
Renato Villela
 
Mosca dos chifres
Mosca dos chifresMosca dos chifres
Mosca dos chifres
Renato Villela
 
Aftosa julho
Aftosa julhoAftosa julho
Aftosa julho
Renato Villela
 
Dbo vacinacao pdf
Dbo vacinacao pdfDbo vacinacao pdf
Dbo vacinacao pdf
Renato Villela
 

Mais de Renato Villela (20)

Controle certeiro f2
Controle certeiro f2Controle certeiro f2
Controle certeiro f2
 
Mulheres agronegocio
Mulheres agronegocio Mulheres agronegocio
Mulheres agronegocio
 
Controle certeiro f1
Controle certeiro f1Controle certeiro f1
Controle certeiro f1
 
Professor iveraldo
Professor iveraldoProfessor iveraldo
Professor iveraldo
 
Coccidiose
CoccidioseCoccidiose
Coccidiose
 
Rotacionado
RotacionadoRotacionado
Rotacionado
 
Energia eletrica bombeamento
Energia eletrica bombeamentoEnergia eletrica bombeamento
Energia eletrica bombeamento
 
Cure o umbigo
Cure o umbigoCure o umbigo
Cure o umbigo
 
Muito alem da ilp
Muito alem da ilpMuito alem da ilp
Muito alem da ilp
 
Pg 34
Pg 34Pg 34
Pg 34
 
Tristeza
TristezaTristeza
Tristeza
 
Balanço
BalançoBalanço
Balanço
 
Cigarrinha
CigarrinhaCigarrinha
Cigarrinha
 
Bvd linkedin
Bvd linkedinBvd linkedin
Bvd linkedin
 
Bvd linkedin
Bvd linkedinBvd linkedin
Bvd linkedin
 
Especial confinamento cerca elétrica
Especial confinamento cerca elétricaEspecial confinamento cerca elétrica
Especial confinamento cerca elétrica
 
Higiene para evitar abscessos
Higiene para evitar abscessosHigiene para evitar abscessos
Higiene para evitar abscessos
 
Mosca dos chifres
Mosca dos chifresMosca dos chifres
Mosca dos chifres
 
Aftosa julho
Aftosa julhoAftosa julho
Aftosa julho
 
Dbo vacinacao pdf
Dbo vacinacao pdfDbo vacinacao pdf
Dbo vacinacao pdf
 

Forum inovacao saudeanimal

  • 1. Sanidade 112 DBO junho 2018 Fórum discute inovações na saúde animal Encontro em São Paulo aproxima startups agropecuárias de investidores nacionais e estrangeiros interessados em novas tecnologias. Renato Villela renato.villela@revistadbo.com.br E mpreendedores brasileiros e de outros países latino-americanos se reuniram em São Paulo, SP, entre os dias 29 e 30 de maio, para apresen- tar suas tecnologias durante o Fórum de Inovação para Saúde Animal na América Latina. O encontro, promo- vido pela instituição britânica Kisaco Research, foi uma vitrine para startups à procura de um modelo de negó- cios, pequenas empresas e até mesmo instituições de pesquisa interessadas em oferecer ao mercado de saúde animal novas tecnologias ou serviços. “Nossa missão é aproximar inovadores de grandes empresas para ajudar a criar oportunidades de investimento”, definiu Callan Smith, diretor da Kisaco. O formato do fórum favoreceu esse contato, ao promover reuniões privativas (sempre cheias) em intervalos periódicos entre as apresentações. Nem mesmo a greve dos caminhoneiros reduziu o públi- co, composto por 126 pessoas previamente inscritas. Os palestrantes que não puderam comparecer por causa da greve falaram por videoconferência. O evento acontece todos os anos na Europa, Ásia eAmérica Latina. Foi sua segunda edição no Brasil. Dentre as inovações apresentadas, um teste que extrai DNA de amostras de leite, para diagnóstico de mastite. “Sequenciamos a fita do material genético para identificar quais patógenos estão presentes”, conta Polyana Tizioto, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da NGS Solu- ções Genômicas, de Piracicaba, SP. Sem a necessidade de cultivar a bactéria em laboratório para conhecer o tipo de patógeno e, então, iniciar o tratamento, o teste garante mais agilidade. “Identificamos a doença antes mesmo de os sinais clínicos aparecerem”, explicou Polyana. O vete- rinário Breno Castello Branco Beirão, da ImunovaAnáli- ses Biológicas, Curitiba, PR, mostrou à plateia um apare- lho para detecção de doenças semelhante aos dispositivos usados por diabéticos para medição dos níveis de glicose no sangue. O teste, ainda em fase piloto, está sendo utili- zado para diagnóstico de distúrbios metabólicos em fran- gos, mas Beirão acredita que a tecnologia também pode ajudar a identificar causas de aborto em bovinos. “Por meio da análise do material biológico, é possível revelar a presença de vírus ou bactérias”, conta. Oportunidades de inovação Em um evento sobre inovações, não poderiam faltar tecnologias de informação. E elas estavam lá. De aplica- tivos para gerenciamento de rebanho e controle da pro- dução às plataformas de venda on line, disponíveis em desktops ou smartphones. Cada vez mais presentes no campo, essas ferramentas estão criando novas formas de comunicação dos produtores rurais com profissio- nais do setor, principalmente técnicos. À frente do Vet Smart, um dos principais aplicativos de veterinária para grandes e pequenos animais, o publicitário Bruno Ducat- ti acredita que o segredo está na simplicidade da lingua- gem. “O conteúdo técnico precisa ser veiculado de forma clara, simples, de modo que possa ser lido, compartilha- do e viralizado nas redes sociais”, diz. Dentre os forma- tos disponíveis para levar essa informação, Ducatti aposta na plataforma de vídeos. “Existem dados estatísticos que mostram que a retenção dos usuários é maior para o ví- deo, que na minha opinião é um meio muito eficaz para se contar uma história”. Nesse caldeirão fervilhante de ideias e inovações, James Lloyd, reitor e professor da Faculdade de Medi- cina Veterinária da Flórida, evocou sua experiência para fazer uma ponderação. “As oportunidades de inovação não estão somente no desenvolvimento de novas tecno- logias, mas na expansão das já existentes”. Esse parece ser um desafio e tanto para o Brasil, não somente pela ausência de instituições voltadas para extensão rural, a quem caberia essa função, mas também pelo baixo in- vestimento que caracteriza a atividade no País. Segun- do a Vetnosis, companhia escocesa de pesquisas, o pro- Sala cheia para acompanhar as propostas de inovação RENATOVILLELA
  • 2. DBO junho 2018 113 dutor brasileiro gasta, em média, apenas US$ 3/cab/ano em saúde animal, contra US$ 8/cab/ano dos australia- nos, e US$ 22/animal/ano dos norte-americanos. “Ain- da temos um nível baixo de tecnificação. Falta isso para nosso produtor entender melhor os benefícios que pode alcançar, se usar as tecnologias disponíveis”, disse Fá- bio Paganini, diretor de SaúdeAnimal paraAmérica La- tina da Boerhringer Ingelheim, que apresentou os dados. Falta também financiamento para levar inovações até o campo. É o caso de um produto inédito à base de an- ticorpos policlonais que pode substituir os antibióticos como promotores de crescimento. “Nos testes, o ganho de peso foi 15% superior ao do tratamento com antibió- ticos”, afirma o pesquisador Geraldo Balieiro Neto, doA Apta-Ribeirão Preto, que detém a patente. Celeridade nos processos O último painel do Fórum – e também o mais debati- do – foi dedicado ao papel governamental na implementa- ção de tecnologias inovadoras, por meio do licenciamen- to de novos produtos. Luís Eduardo Rangel, Secretário de DefesaAgropecuária do Ministério daAgricultura, Pe- cuária e Abastecimento, disse que “preocupa a pequena quantidade de ‘reais inovações’ que chegam para análise dos reguladores”. Antes de fazer uma mea-culpa dizendo que o governo “pensa de modo cartesiano” e que talvez por isso precise “repensar o conceito de inovação”, Ran- gel justificou sua colocação afirmando que o modelo re- gulatório atual, diferentemente de décadas passadas, re- quer uma grande quantidade de testes para dar garantias de segurança à sociedade. “Isso imprime um custo eleva- do às empresas e retira 99% dos produtos da lista de ‘re- gistráveis’”. Mas não é só isso. Também falta celeridade na ava- liação dos processos submetidos ao Ministério da Agricultura, o que a própria pasta reconhece. Como a demanda das empresas é muito maior do que a capacidade de análise do órgão, que ainda sofre com cortes de verbas, os prazos vêm aumentan- do. “Vacinas já demandam 2,5 anos para análise. Terapêuticos, 3,5 anos”, diz Flávia Schubert, dire- tora de Assuntos Regulatórios da Elanco. Para zerar esse “passivo regulatório” ou “Backlog” (acúmulo de trabalho), como chamam os executivos – há processos aguardando quatro anos na fila e que sequer foram ana- lisados –, o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) firmou uma parceria com o Ministério da Agricultura se propondo a financiar um grupo de trabalho nessa área. Os integrantes desse grupo, espécie de força-tarefa, estarão vinculados à Fundação Eliseu Alves, entidade de apoio à pesquisa e desenvolvimento científico-tecnológi- co, e que já trabalha em parceria com a Embrapa, em Bra- sília, DF.Aexpectativa é de que as análises via Fundação comecem a ser feitas a partir do segundo semestre des- te ano. “A partir do momento em que conseguirmos ze- rar esse estoque regulatório (o que deve levar dois anos), acredito que em menos de seis meses seremos capazes de responder a cada solicitação”, disse Janaína Garçone, di- retora de Fiscalização de Insumos Pecuários do Mapa. n Modelo regulatório atual retira 99% dos produtos da lista de ‘registráveis’ “. Luiz Rangel, do Mapa. Callan Smith, diretor da Kisaco: “Objetivo é aproximar desenvolvedores e empresas”. James Lloyd, da Flórida: “A inovação também está na expansão das tecnologias existentes”. RENATOVILLELA RENATOVILLELA