SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Respeita as Regras
                     Respeita os teus adversários
                           Respeita-te a ti próprio
Escola Secundária de S. João do Estoril       Maria Manuel Coelho 2007
Conceito de Doping

• USO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS OU MEIOS
 CAPAZES DE ALTERAR ARTIFICIALMENTE O
 DESEMPENHO NUMA ATIVIDADE FÍSICA OU
 INTELECTUAL




  Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Código Anti-doping do
 Movimento Olímpico - “doping”

• “É o uso de um expediente - substância ou método - que
  pode ser potencialmente prejudicial à saúde dos atletas
  e/ou adversários, capaz de aumentar seu desempenho
  e que resulta na presença de uma substância proibida
  ou na evidência do uso de um método proibido no
  organismo do atleta”.



   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
História
•   No ano 800 a.C. - atletas olímpicos da Grécia Antiga: cogumelos alucinogénos, chás
    de diversas ervas e sementes de gergelim.
•   Antigos egípcios utilizavam uma bebida preparada à base de cascos de equinos
    cozidos em óleo e aromatizados com pétalas de rosas.
•   Gladiadores de Roma utilizavam estimulantes misturados com álcool para suportar a
    fadiga e a dor.

Uso de Dopong no desporto
• Final do Séc. XIX - Recém-descoberta das propriedades estimulantes da cocaína.
• “Vin Mariani”: vinho para atletas - combinação de vinho e extracto de folhas de coca.
• 1896- Primeiros Jogos Olímpicos da Idade Moderna
• 1896- Primeiro caso de morte devido ao doping: ciclista galês Linton durante
   competição Bordeus-Paris (“trimetil”)
Histórico
• “Vin Mariani dá poder ao cérebro, força e elasticidade para os músculos e riqueza
   para o sangue. É um promotor de boa saúde e longevidade. Faz do velho jovem e
   mantém o jovem forte...”


     Escola Secundária de S. João do Estoril           Maria Manuel Coelho 2007
História
• Primeira legislação de combate ao “doping” no desporto
   foi introduzida :
               França 1963
               Bélgica 1965

1966 - FIFA estabeleceu o controle de doping pela 1ª vez
  na Taça do Mundo (Inglaterra)
1967 - A Comissão Médica do Comité Olímpico
  Internacional (COI) implementou o controle anti-doping
  no desporto e tornou pública uma lista de substâncias
  de uso proibido aos atletas.

   Escola Secundária de S. João do Estoril       Maria Manuel Coelho 2007
Casos mediáticos de doping
BEN JOHNSON
• 1988- Olimpíadas de
  Seúl Coreia
   – corrida dos 100m planos
     em 9.79s
   – Doping para esteróide
     anabolizante estanozolol)
• 1993-Montreal - Positivo
  para testosterona
   – Banido do desporto.




   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Casos mediáticos de doping
DIEGO MARADONA
• 1991-Jogador do Napoli (Itália)
   – Doping: cocaína
• 1994 - Taça dos EUA
   – Doping: efedrina
• 1997-Boca Juniores
  (Argentina)
   – (substância não
     revelada), encerra a carreira
• 2000- crise cardíaca por
  overdose no Uruguai
• 2004- crise cardíaca


    Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
COMITÊ OLÍMPICO INTERNACIONAL
       Código anti-doping


• Proíbe o uso do Doping;

• Relaciona substâncias e métodos proibidos;

• Determina a obrigatoriedade dos atletas submeterem-se
  ao controle;

• Estabelece as sanções.



   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Controle de Doping

Garante da:

• DEFESA DA ÉTICA DESPORTIVA E MÉDICA;

• OPORTUNIDADES IGUAIS NA COMPETIÇÃO;

• PROTECÇÃO DA SAÚDE DO ATLETA.




   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
A lista divulgada pela Agência Mundial Anti-doping
              (AMA) com vigência em 2007:


Substâncias Proibidas:
• S1. Agentes anabólicos
   – 1. Esteróides anabólicos androgênicos
   – 2. Outros agentes anabólicos
• S2. Hormônios e substâncias relacionadas
   – 1. Eritropoietina
   –   2. Hormona de crescimento (GH) e factor de crescimento
   –   semelhante à insulina (IGF-1)
   –   3. Gonadotrofinas (LH, hCG)
   –   4. Insulina
   –   5.Corticotrofinas


   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Substâncias Proibidas:

• S3. Agonistas beta-2
• S4. Agentes com atividade antiestrogênica
• S5. Diuréticos e outros agentes mascarantes
• S6. Estimulantes
• S7. Narcóticos
• S8. Canabinóides
• S9. Glicocorticóides


   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Métodos Proibidos
M1. Aumento de transportadores de oxigénio
  – a. Doping sanguíneo

  – b. Uso de produtos que aumentem a captação e o
      transporte de oxigénio

M2. Manipulação farmacológica, química e física

M3. Doping genético


   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Aumento de
transportadores de oxigénio
Doping sanguíneo
• Consiste na administração de sangue ou produtos
  que contenham glóbulos vermelhos a um atleta.
Objectivo (doping)
• Aumentar a capacidade de captação e transporte de
  O2 para os músculos.
Efectivo?
• Estudos têm demonstrado que esse procedimento
  aumenta em média 10% do poder aeróbico máximo.
  Mesmo em atletas treinados é quase impossível obter
  esse aumento.


    Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
MANIPULAÇÃO
    FARMACOLÓGICA, QUÍMICA E
            FÍSICA
• Refere-se ao uso de substâncias ou métodos proibidos
  que têm por objectivo alterar a validade e a integridade
  das amostras fornecidas pelos atletas

   – Ex. substituição da amostra, diluição ou adulteração
      da urina e a administração de substâncias inibidoras
      da excreção renal.




   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Doping Genético
• Terapia genética: Inicialmente desenvolvida para tratar
  doenças musculares (distrofia muscular).

• Lee Sweeney, 1998. Universidade de Pensilvânia
   – Aumento de cerca de 30% da força muscular em ratos.

   – Aumenta a massa muscular por mais tempo (meses).

   – Ainda não é detectado em exames anti-doping de urina ou
      sangue.



   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Substâncias proibidas num desporto específico
P1. Álcool
•   Poderia ser utilizado com o intuito de diminuir o nível de ansiedade e tensão,
•   Perda da coordenação motora, redução da capacidade de julgamento
•   O álcool é proibido somente em competição nalgumas modalidades desportivas:
     –   Aeronáutica (0,20g/L)
     –   Arco e flecha (0,10g/L)
     –   Automobilismo
     –   Futebol
     –   Karatê (0,40g/L)
     –   Motociclismo
P2. Beta bloqueadores
•   São utilizados para reduzir tremores e os efeitos da ansiedade em desportos como
    tiro ao alvo, arco e flecha, golfe, bilhar.
•   Observações: num estudo verificou-se aumento de desempenho em 22 dos 33
    atletas atiradores de elite
P3. Diuréticos
•   Proibidos como agentes mascarantes
•   Outros usos como doping:
•   -Reduzir o peso corporal de modo a colocar-se numa categoria inferior
    (culturismo, halterofilismo, pugilismo, judo).
    Escola Secundária de S. João do Estoril           Maria Manuel Coelho 2007
Suplementos Nutricionais
• São utilizados pelos praticantes desportivos com o
  intuito de resolver carências nutricionais e como forma
  de optimização do seu rendimento desportivo.
• A eficácia da ingestão de muitos destes suplementos
  nutricionais não está confirmada cientificamente.
• A ingestão equilibrada de alimentos ricos nos diversos
  macro nutrientes (glúcidos, lípidos e proteínas), micro
  nutrientes (vitaminas e minerais) e líquidos, alicerçada
  numa correcta educação nutricional, garante tudo aquilo
  que o praticante desportivo necessita para preservar a
  saúde e optimizar o seu rendimento desportivo.

   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Suplementos Nutricionais
• A investigação tem demonstrado:
  – a existência de substâncias não assinaladas nos
    rótulos (22%);
  – a inexistência de informação sobre os efeitos dos
    mesmos;
  – uma apreciável percentagem de suplementos
    nutricionais, comercializados actualmente, estão
    contaminados, intencionalmente ou não, com
    substâncias incluídas na Lista de substâncias e
    métodos proibidos da Agencia Mundial
    Antidopagem, em vigor no nosso país.

  Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Suplementos Nutricionais
• A entrada no mercado destes suplementos nutricionais
  não passa por qualquer tipo de controlo, ao contrário do
  que acontece habitualmente com qualquer medicamento
  que é comercializado nas farmácias portuguesas ou na
  maioria dos países a nível mundial.
• A responsabilidade de um caso positivo motivado pela
  ingestão de um suplemento nutricional contaminado é
  sempre do atleta, pelo que, embora esse facto possa
  explicar o sucedido e servir de eventual atenuante, não
  pode ser interpretado como uma desculpa que justifique
  a infracção cometida.

   Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007
Suplementos Nutricionais

Recomendados principalmente por:
   •Membros da família;
   •Amigos e colegas de equipa/desporto;
   •Treinadores e adjuntos/membros do clube;
   •Nutricionistas/dietistas;
   •Farmacêuticas/fisiatras.




  Escola Secundária de S. João do Estoril   Maria Manuel Coelho 2007

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão física
sirgmoraes
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
AMLDRP
 
Atividade fisica, aptidão física e saúde
Atividade fisica, aptidão física e saúdeAtividade fisica, aptidão física e saúde
Atividade fisica, aptidão física e saúde
washington carlos vieira
 
A corrupção vs verdade desportiva
A corrupção vs verdade desportivaA corrupção vs verdade desportiva
A corrupção vs verdade desportiva
Davide Ferreira
 
A Evolução do Desporto Ao Longo Dos Tempos
A Evolução do Desporto Ao Longo Dos TemposA Evolução do Desporto Ao Longo Dos Tempos
A Evolução do Desporto Ao Longo Dos Tempos
Ana Nunes
 

Mais procurados (20)

Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão física
 
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúdeA Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
 
Danças Sociais
Danças SociaisDanças Sociais
Danças Sociais
 
Fatores de saúde e riscos associados à prática das actividades físicas
Fatores de saúde e riscos associados à prática das actividades físicasFatores de saúde e riscos associados à prática das actividades físicas
Fatores de saúde e riscos associados à prática das actividades físicas
 
Basquetebol
BasquetebolBasquetebol
Basquetebol
 
Atividade fisica, aptidão física e saúde
Atividade fisica, aptidão física e saúdeAtividade fisica, aptidão física e saúde
Atividade fisica, aptidão física e saúde
 
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
As capacidades motoras e a sua importância para a melhoria da condição física...
 
A corrupção vs verdade desportiva
A corrupção vs verdade desportivaA corrupção vs verdade desportiva
A corrupção vs verdade desportiva
 
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicasFatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
Fatores de risco associados ã  prã¡tica das atividades fisicas
 
Trave - Esquemas de Ginástica de Aparelhos
Trave - Esquemas de Ginástica de AparelhosTrave - Esquemas de Ginástica de Aparelhos
Trave - Esquemas de Ginástica de Aparelhos
 
Doping no Esporte
Doping no EsporteDoping no Esporte
Doping no Esporte
 
A dimensão cultural da actividade física na actualidade
A dimensão cultural da actividade física na actualidadeA dimensão cultural da actividade física na actualidade
A dimensão cultural da actividade física na actualidade
 
Ética e Fairplay.
Ética e Fairplay.Ética e Fairplay.
Ética e Fairplay.
 
1. jogos olímpicos
1. jogos olímpicos1. jogos olímpicos
1. jogos olímpicos
 
Doping
DopingDoping
Doping
 
Especialização precoce
Especialização precoceEspecialização precoce
Especialização precoce
 
Atividades desportivas e a sua influencia na politica, economia e sociedade
Atividades desportivas e a sua influencia na politica, economia e sociedadeAtividades desportivas e a sua influencia na politica, economia e sociedade
Atividades desportivas e a sua influencia na politica, economia e sociedade
 
Ginástica Acrobática
Ginástica AcrobáticaGinástica Acrobática
Ginástica Acrobática
 
A Evolução do Desporto Ao Longo Dos Tempos
A Evolução do Desporto Ao Longo Dos TemposA Evolução do Desporto Ao Longo Dos Tempos
A Evolução do Desporto Ao Longo Dos Tempos
 
Ficha de Aquecimento de Educação Física
Ficha de Aquecimento de Educação FísicaFicha de Aquecimento de Educação Física
Ficha de Aquecimento de Educação Física
 

Semelhante a Doping na Atividade Física e Desportiva

Doping no esporte 8ª série
Doping no esporte   8ª sérieDoping no esporte   8ª série
Doping no esporte 8ª série
aluisiobraga
 
Consumo De SubstâNcias Psicoactivas O Doping
Consumo De SubstâNcias Psicoactivas   O DopingConsumo De SubstâNcias Psicoactivas   O Doping
Consumo De SubstâNcias Psicoactivas O Doping
guest3540020
 
Ne aula 4. suplementação
Ne   aula 4. suplementaçãoNe   aula 4. suplementação
Ne aula 4. suplementação
Eric Liberato
 
Exercicio Físico No Controle Do Diabetes Mellitus
Exercicio Físico No Controle Do Diabetes MellitusExercicio Físico No Controle Do Diabetes Mellitus
Exercicio Físico No Controle Do Diabetes Mellitus
Liga de Diabetes UFG
 
Dopin nos esporte
Dopin nos esporteDopin nos esporte
Dopin nos esporte
freitas57
 
trabalho chato de educação fisicaaaaaaaaaaaaaaaaaa
trabalho chato de educação fisicaaaaaaaaaaaaaaaaaatrabalho chato de educação fisicaaaaaaaaaaaaaaaaaa
trabalho chato de educação fisicaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Danilo Lima
 

Semelhante a Doping na Atividade Física e Desportiva (20)

Doping no esporte 8ª série
Doping no esporte   8ª sérieDoping no esporte   8ª série
Doping no esporte 8ª série
 
Doping no desporto.pptx
Doping no desporto.pptxDoping no desporto.pptx
Doping no desporto.pptx
 
Doping - De quem é a culpa?
Doping  -  De quem é a culpa? Doping  -  De quem é a culpa?
Doping - De quem é a culpa?
 
Suplementos
SuplementosSuplementos
Suplementos
 
doping.pptx
doping.pptxdoping.pptx
doping.pptx
 
Doping 2010
Doping 2010Doping 2010
Doping 2010
 
Dopping sanguineo..legal
Dopping sanguineo..legalDopping sanguineo..legal
Dopping sanguineo..legal
 
Uma visão mais próxima do doping
Uma visão mais próxima do dopingUma visão mais próxima do doping
Uma visão mais próxima do doping
 
Consumo De SubstâNcias Psicoactivas O Doping
Consumo De SubstâNcias Psicoactivas   O DopingConsumo De SubstâNcias Psicoactivas   O Doping
Consumo De SubstâNcias Psicoactivas O Doping
 
Doping
DopingDoping
Doping
 
Ne aula 4. suplementação
Ne   aula 4. suplementaçãoNe   aula 4. suplementação
Ne aula 4. suplementação
 
O.que.precisa.saber.sobre.doping
O.que.precisa.saber.sobre.dopingO.que.precisa.saber.sobre.doping
O.que.precisa.saber.sobre.doping
 
Estratégias nutricionais para o ganho de massa muscular
Estratégias nutricionais para o ganho de massa muscularEstratégias nutricionais para o ganho de massa muscular
Estratégias nutricionais para o ganho de massa muscular
 
Suplementação
Suplementação Suplementação
Suplementação
 
Doping e Suas consquencias
Doping e Suas consquencias Doping e Suas consquencias
Doping e Suas consquencias
 
Exercicio Físico No Controle Do Diabetes Mellitus
Exercicio Físico No Controle Do Diabetes MellitusExercicio Físico No Controle Do Diabetes Mellitus
Exercicio Físico No Controle Do Diabetes Mellitus
 
Nutricao e exercicio fisico - Unid 1.pptx
Nutricao e exercicio fisico - Unid 1.pptxNutricao e exercicio fisico - Unid 1.pptx
Nutricao e exercicio fisico - Unid 1.pptx
 
DOPING NO ESPORTE
DOPING NO  ESPORTEDOPING NO  ESPORTE
DOPING NO ESPORTE
 
Dopin nos esporte
Dopin nos esporteDopin nos esporte
Dopin nos esporte
 
trabalho chato de educação fisicaaaaaaaaaaaaaaaaaa
trabalho chato de educação fisicaaaaaaaaaaaaaaaaaatrabalho chato de educação fisicaaaaaaaaaaaaaaaaaa
trabalho chato de educação fisicaaaaaaaaaaaaaaaaaa
 

Mais de mmcoelho

Intensidade Atividade Física
Intensidade Atividade FísicaIntensidade Atividade Física
Intensidade Atividade Física
mmcoelho
 
e no final uns alongamentos
e no final uns alongamentose no final uns alongamentos
e no final uns alongamentos
mmcoelho
 
Folheto paredão
Folheto paredãoFolheto paredão
Folheto paredão
mmcoelho
 
dicas para passear no paredão
dicas para passear no paredãodicas para passear no paredão
dicas para passear no paredão
mmcoelho
 
Vamos aprender a reciclar - Jardim Infância
Vamos aprender a reciclar - Jardim InfânciaVamos aprender a reciclar - Jardim Infância
Vamos aprender a reciclar - Jardim Infância
mmcoelho
 
Direitos criança
Direitos criançaDireitos criança
Direitos criança
mmcoelho
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
mmcoelho
 
Factores risco AFD
Factores risco AFDFactores risco AFD
Factores risco AFD
mmcoelho
 
My pyramid
My pyramidMy pyramid
My pyramid
mmcoelho
 
Acesso ensino superior
Acesso ensino superiorAcesso ensino superior
Acesso ensino superior
mmcoelho
 
Fitness gram
Fitness gramFitness gram
Fitness gram
mmcoelho
 

Mais de mmcoelho (11)

Intensidade Atividade Física
Intensidade Atividade FísicaIntensidade Atividade Física
Intensidade Atividade Física
 
e no final uns alongamentos
e no final uns alongamentose no final uns alongamentos
e no final uns alongamentos
 
Folheto paredão
Folheto paredãoFolheto paredão
Folheto paredão
 
dicas para passear no paredão
dicas para passear no paredãodicas para passear no paredão
dicas para passear no paredão
 
Vamos aprender a reciclar - Jardim Infância
Vamos aprender a reciclar - Jardim InfânciaVamos aprender a reciclar - Jardim Infância
Vamos aprender a reciclar - Jardim Infância
 
Direitos criança
Direitos criançaDireitos criança
Direitos criança
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Factores risco AFD
Factores risco AFDFactores risco AFD
Factores risco AFD
 
My pyramid
My pyramidMy pyramid
My pyramid
 
Acesso ensino superior
Acesso ensino superiorAcesso ensino superior
Acesso ensino superior
 
Fitness gram
Fitness gramFitness gram
Fitness gram
 

Último

AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 

Último (20)

AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em criançasSlide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
Slide - HIV (1) edit.pptx hiv em crianças
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
 
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdfDiálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
Diálogo Crátilo de Platão sócrates daspdf
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 

Doping na Atividade Física e Desportiva

  • 1. Respeita as Regras Respeita os teus adversários Respeita-te a ti próprio Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 2. Conceito de Doping • USO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS OU MEIOS CAPAZES DE ALTERAR ARTIFICIALMENTE O DESEMPENHO NUMA ATIVIDADE FÍSICA OU INTELECTUAL Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 3. Código Anti-doping do Movimento Olímpico - “doping” • “É o uso de um expediente - substância ou método - que pode ser potencialmente prejudicial à saúde dos atletas e/ou adversários, capaz de aumentar seu desempenho e que resulta na presença de uma substância proibida ou na evidência do uso de um método proibido no organismo do atleta”. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 4. História • No ano 800 a.C. - atletas olímpicos da Grécia Antiga: cogumelos alucinogénos, chás de diversas ervas e sementes de gergelim. • Antigos egípcios utilizavam uma bebida preparada à base de cascos de equinos cozidos em óleo e aromatizados com pétalas de rosas. • Gladiadores de Roma utilizavam estimulantes misturados com álcool para suportar a fadiga e a dor. Uso de Dopong no desporto • Final do Séc. XIX - Recém-descoberta das propriedades estimulantes da cocaína. • “Vin Mariani”: vinho para atletas - combinação de vinho e extracto de folhas de coca. • 1896- Primeiros Jogos Olímpicos da Idade Moderna • 1896- Primeiro caso de morte devido ao doping: ciclista galês Linton durante competição Bordeus-Paris (“trimetil”) Histórico • “Vin Mariani dá poder ao cérebro, força e elasticidade para os músculos e riqueza para o sangue. É um promotor de boa saúde e longevidade. Faz do velho jovem e mantém o jovem forte...” Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 5. História • Primeira legislação de combate ao “doping” no desporto foi introduzida : França 1963 Bélgica 1965 1966 - FIFA estabeleceu o controle de doping pela 1ª vez na Taça do Mundo (Inglaterra) 1967 - A Comissão Médica do Comité Olímpico Internacional (COI) implementou o controle anti-doping no desporto e tornou pública uma lista de substâncias de uso proibido aos atletas. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14. Casos mediáticos de doping BEN JOHNSON • 1988- Olimpíadas de Seúl Coreia – corrida dos 100m planos em 9.79s – Doping para esteróide anabolizante estanozolol) • 1993-Montreal - Positivo para testosterona – Banido do desporto. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 15. Casos mediáticos de doping DIEGO MARADONA • 1991-Jogador do Napoli (Itália) – Doping: cocaína • 1994 - Taça dos EUA – Doping: efedrina • 1997-Boca Juniores (Argentina) – (substância não revelada), encerra a carreira • 2000- crise cardíaca por overdose no Uruguai • 2004- crise cardíaca Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 16. COMITÊ OLÍMPICO INTERNACIONAL Código anti-doping • Proíbe o uso do Doping; • Relaciona substâncias e métodos proibidos; • Determina a obrigatoriedade dos atletas submeterem-se ao controle; • Estabelece as sanções. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 17. Controle de Doping Garante da: • DEFESA DA ÉTICA DESPORTIVA E MÉDICA; • OPORTUNIDADES IGUAIS NA COMPETIÇÃO; • PROTECÇÃO DA SAÚDE DO ATLETA. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 18. A lista divulgada pela Agência Mundial Anti-doping (AMA) com vigência em 2007: Substâncias Proibidas: • S1. Agentes anabólicos – 1. Esteróides anabólicos androgênicos – 2. Outros agentes anabólicos • S2. Hormônios e substâncias relacionadas – 1. Eritropoietina – 2. Hormona de crescimento (GH) e factor de crescimento – semelhante à insulina (IGF-1) – 3. Gonadotrofinas (LH, hCG) – 4. Insulina – 5.Corticotrofinas Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 19. Substâncias Proibidas: • S3. Agonistas beta-2 • S4. Agentes com atividade antiestrogênica • S5. Diuréticos e outros agentes mascarantes • S6. Estimulantes • S7. Narcóticos • S8. Canabinóides • S9. Glicocorticóides Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 20. Métodos Proibidos M1. Aumento de transportadores de oxigénio – a. Doping sanguíneo – b. Uso de produtos que aumentem a captação e o transporte de oxigénio M2. Manipulação farmacológica, química e física M3. Doping genético Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 21. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 22.
  • 23. Aumento de transportadores de oxigénio Doping sanguíneo • Consiste na administração de sangue ou produtos que contenham glóbulos vermelhos a um atleta. Objectivo (doping) • Aumentar a capacidade de captação e transporte de O2 para os músculos. Efectivo? • Estudos têm demonstrado que esse procedimento aumenta em média 10% do poder aeróbico máximo. Mesmo em atletas treinados é quase impossível obter esse aumento. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 24. MANIPULAÇÃO FARMACOLÓGICA, QUÍMICA E FÍSICA • Refere-se ao uso de substâncias ou métodos proibidos que têm por objectivo alterar a validade e a integridade das amostras fornecidas pelos atletas – Ex. substituição da amostra, diluição ou adulteração da urina e a administração de substâncias inibidoras da excreção renal. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 25. Doping Genético • Terapia genética: Inicialmente desenvolvida para tratar doenças musculares (distrofia muscular). • Lee Sweeney, 1998. Universidade de Pensilvânia – Aumento de cerca de 30% da força muscular em ratos. – Aumenta a massa muscular por mais tempo (meses). – Ainda não é detectado em exames anti-doping de urina ou sangue. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 26. Substâncias proibidas num desporto específico P1. Álcool • Poderia ser utilizado com o intuito de diminuir o nível de ansiedade e tensão, • Perda da coordenação motora, redução da capacidade de julgamento • O álcool é proibido somente em competição nalgumas modalidades desportivas: – Aeronáutica (0,20g/L) – Arco e flecha (0,10g/L) – Automobilismo – Futebol – Karatê (0,40g/L) – Motociclismo P2. Beta bloqueadores • São utilizados para reduzir tremores e os efeitos da ansiedade em desportos como tiro ao alvo, arco e flecha, golfe, bilhar. • Observações: num estudo verificou-se aumento de desempenho em 22 dos 33 atletas atiradores de elite P3. Diuréticos • Proibidos como agentes mascarantes • Outros usos como doping: • -Reduzir o peso corporal de modo a colocar-se numa categoria inferior (culturismo, halterofilismo, pugilismo, judo). Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 27. Suplementos Nutricionais • São utilizados pelos praticantes desportivos com o intuito de resolver carências nutricionais e como forma de optimização do seu rendimento desportivo. • A eficácia da ingestão de muitos destes suplementos nutricionais não está confirmada cientificamente. • A ingestão equilibrada de alimentos ricos nos diversos macro nutrientes (glúcidos, lípidos e proteínas), micro nutrientes (vitaminas e minerais) e líquidos, alicerçada numa correcta educação nutricional, garante tudo aquilo que o praticante desportivo necessita para preservar a saúde e optimizar o seu rendimento desportivo. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 28. Suplementos Nutricionais • A investigação tem demonstrado: – a existência de substâncias não assinaladas nos rótulos (22%); – a inexistência de informação sobre os efeitos dos mesmos; – uma apreciável percentagem de suplementos nutricionais, comercializados actualmente, estão contaminados, intencionalmente ou não, com substâncias incluídas na Lista de substâncias e métodos proibidos da Agencia Mundial Antidopagem, em vigor no nosso país. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 29.
  • 30. Suplementos Nutricionais • A entrada no mercado destes suplementos nutricionais não passa por qualquer tipo de controlo, ao contrário do que acontece habitualmente com qualquer medicamento que é comercializado nas farmácias portuguesas ou na maioria dos países a nível mundial. • A responsabilidade de um caso positivo motivado pela ingestão de um suplemento nutricional contaminado é sempre do atleta, pelo que, embora esse facto possa explicar o sucedido e servir de eventual atenuante, não pode ser interpretado como uma desculpa que justifique a infracção cometida. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007
  • 31.
  • 32. Suplementos Nutricionais Recomendados principalmente por: •Membros da família; •Amigos e colegas de equipa/desporto; •Treinadores e adjuntos/membros do clube; •Nutricionistas/dietistas; •Farmacêuticas/fisiatras. Escola Secundária de S. João do Estoril Maria Manuel Coelho 2007