SlideShare uma empresa Scribd logo
23/02/11
1
Cultura
Profa. Edenilce Oliveira
Prof. Antonio Tavares
edenilceoliveira2@yahoo.com.br
toni.atc@hotmail.com
23/02/11
2
Diversidade cultural
23/02/11
3
Conceito antropológico
• Bronislaw Malinovski:
antropólogo inglês concebia
as culturas como sistemas
funcionais e equilibrados
formados por elementos
interdependentes que lhes
davam características
próprias, principalmente no
tocante às necessidades
básicas, como alimento,
proteção e reprodução.
23/02/11
4
• Claude Lévi-Strauss, a
cultura deve ser
considerada como o
conjunto de sistemas
simbólicos, entre os quais
se incluem a linguagem, as
regras matrimonias, a arte,
a ciência, a religião e as
normas econômicas. Esses
sistemas se relacionam e
influenciam a realidade
social e física das diferentes
sociedades.
23/02/11
5
A cultura no cotidiano
• Cultura é conjunto de conhecimentos,
crenças, arte, moral, direito, costumes e
hábitos que o homem adquire como
membro das sociedades;
• É a maneira de falar (língua), a maneira
de vestir, de morar, de comer, de
trabalhar, de rezar, de se comunicar, etc.
A cultura é o segundo padrão
da organização social. Como a
estrutura social ela se
desenvolve, na interação ao
longo do tempo; determina boa
parte do que faz o indivíduo e
permite a continuidade, a
estabilidade e a previsibilidade
entre as pessoas.
A cultura é aprendida
Nossas idéias a respeito do mundo, são
aprendidas dos outros por meio da interação
entre famílias, escola e toda forma de
organização social, elas têm como alicerce nossa
vida em grupo. Nascemos em uma família e a
cultura que possuímos em comum nessa família,
torna-se fundamental para nosso modo de
pensar.
Os cenários culturais em que nascemos
e amadurecemos, influenciam nosso
comportamento, mas isso não significa
de que os humanos são privados de sua
individualidade ou do seu livre arbítrio, o
fato é que do nascimento até a morte,
estamos em interação com os outros,
certamente isso condiciona nossa
personalidade, os valores que
sustentamos e os valores que nos
engajamos. Nesse contexto também
levamos em conta os meios de
comunicação.
A cultura é uma herança social
Muitas organizações em que ingressamos
existem a muito tempo; as pessoas que nela têm
poder nos ensinam suas “verdades” estabelecidas
de longa data, para que nos tornemos bons
membros e para a organização social continuar. A
cultura é uma herança social, consiste em idéias
que podem ter se desenvolvido muito antes de
nascermos. Nossa sociedade por exemplo, tem
uma história mais longa do que a idade de qualquer
indivíduo, as idéias desenvolvidas no decorrer dos
tempos são ensinadas a cada geração.
As organizações também têm uma
história, assim como as
comunidades e grupos. Podemos
contribuir com idéias próprias, mas
sempre seremos confrontados,
com uma força poderosa, uma
cultura que se desenvolveu antes
de entrarmos em cena e teremos
pouca escolha além de aceitá-la se
quisermos continuar a interagir na
organização social.
Cada organização, tem um
modo de definir o mundo,
um modo de pensar e um
conjunto de regras.
Diversidade cultural
• Não são apenas as crenças culturais
que diferem através das culturas. A
diversidade das práticas e do
comportamento humano também é
notável. Formas aceitáveis de
comportamento variam amplamente de
cultura para cultura. Há notáveis
contrastes culturais.
Exemplos de contrastes
• Enquanto nós adotamos filhotes de
cachorros e gatos como bichinhos de
estimação e quase membros da família,
em um mercado chinês por exemplo
são vendidos como especiarias.
• No Ocidente moderno crianças entre 12
e 13 anos, como sendo muito novas
para o casamento, mas em algumas
culturas, casamentos são arranjados
entre crianças dessa idade como algo
natural.
Não podemos falar em cultura
sem falar em folclore,
principalmente no folclore
brasileiro que é muito rico e
vasto. Podemos definir folclore
como: conjunto de mitos,
crenças, histórias populares,
lendas, tradições e costumes
que são transmitidos de
geração em geração e fazem
parte da cultura popular.
Algumas lendas, mitos e contos
folclóricos do Brasil
Boitatá, Boto, Curupira, Mãe d'agua, mula
sem cabeça, saci pererê e etc.
23/02/11
16
Cultura Material
• Para sobreviver, o homem tem de entrar
em relação com a natureza e as suas
ações acontecem em dois níveis: prática
econômica e simbólica.
• Prática econômica (cultura material): o
homem produz coisas que se transformam
em bens materiais e consumíveis para se
manter vivo.
• Ex. alimento, roupa, abrigo, artefatos
domésticos, meios de transporte,
ferramentas, etc
23/02/11
17
Cultura não-Material
• Prática simbólica (cultura não-
material): a Produção de bens
simbólicos que o ajudam a dar
significado às suas ações e às coisas
por ele produzidas.
• Ex. valores, idéias, leis, regras
morais, linguagem, sonhos, fantasias,
religião, costumes, ideologia, artes,
ciência, etc...
23/02/11
18
• Cultura popular: É a cultura do povo.
Encontra expressão nos mitos e contos,
danças, música de sertaneja à cabocla,
artesanato rústico e cerâmica ou de madeira
ou pintura.
• Inclui também expressões urbanas recentes
como os grafites, o hip hop e sincretismos
musicais oriundos do interior ou das grandes
cidades.
23/02/11
19
Cultura Erudita: Fazem parte de
uma elite social, econômica, política
e cultural e seu conhecimento ser
proveniente do pensamento
científico, dos livros, das pesquisas
universitárias ou do estudo em
geral (erudito significa que tem
instrução vasta e variada adquirida
sobretudo pela leitura).
23/02/11
20
• Abrange expressões artísticas como a
música clássica de padrão europeu,
as artes plásticas, escultura e pintura,
o teatro e a literatura de cunho
universal.
23/02/11
21
INDÚSTRIA CULTURAL E OS MEIOS
DE COMUNICAÇÃO DE MASSA
• A expressão indústria cultural, foi utilizada
inicialmente por Theodor Adorno (1903-1969) e
Max Horkheimer (1895-1973) na década de 40.
23/02/11
22
• Este conceito permitia explicar o
fenômeno da exploração comercial,
vulgarização da cultura, indústria da
diversão de massa, veiculada pela
televisão, cinema, rádio, revista,
jornais, propagandas, músicas e etc.
• A mídia não se voltava apenas para
suprir as horas de lazer ou dar
informações, mas fazia parte do que
eles chamaram de industria cultural.
• A IC equivaleria a qualquer indústria,
organizada para atender uma massa:
Ex. discos, as reproduções de
pinturas, músicas...
23/02/11
23
IC - CARACTERÍSTICAS
• Remete à idéia de produção em série,
comercialização e lucratividade;
• Põe a felicidade imediatamente nas mãos
dos consumidores mediante a compra de
alguma mercadoria ou produto cultural;
• Leva à dependência, a alienação dos
homens ao maquiar o mundo nos anúncios
que divulga.
• Seduz e convence as massas para o
consumo das mercadorias culturais;
• Fuga da realidade – faz com que o
indivíduo se aliene aceitando a exploração
do sistema capitalista.
23/02/11
24
• No Brasil a influência da televisão
pode ser facilmente constatada no
dia-a-dia, com a adoção de gírias
(criados por personagens dos
programas de maior audiência),
gracejos, e modas, lançadas
principalmente pelas telenovelas...
23/02/11
25
CULTURA DE MASSA
• Cultura de massa: de multidões, padronizadas e
homogêneas.
23/02/11
26
CULTURA DE MASSA
• A expressão cultura de massa designa o
conjunto de comportamentos, mitos e
representações, produzidos e difundidos
conforme uma técnica industrial que
acompanha a expansão das mídias.
• O desenvolvimento da tecnologia,
principalmente nos meios de
comunicação, passou a atingir um grande
número de pessoas, dando origem à
“cultura de massa”.
23/02/11
27
• A cultura de massa não está ligada a
nenhum grupo social específico, pois
é transmitida de maneira
industrializada, para um público
generalizado, de diferentes camadas
sócio-econômicas.
• A cultura de massa destrói culturas
coletivas centenárias ou milenares
quando tenta impor uma lógica de
pensamento único.
23/02/11
28
Trocas culturais
• O desenvolvimento das tecnologias de
comunicação: o cinema, a televisão e a
internet, tornaram-se instrumentos de
trocas culturais intensas.
• Ex. Comemorações, Culinária, música...
23/02/11
29
ETNOCENTRISMO
• O etnocentrismo pode ser definido
como uma “atitude emocionalmente
condicionada que leva a considerar e
julgar sociedades culturalmente
diversas com critérios fornecidos pela
própria cultura.
• Os indivíduos vêem seu sistema de
valores, crenças e normas como
melhores do que os dos outros (Super
valorização da própria cultura).
Observa-se grande dificuldade
na aceitação das diversidades,
em uma sociedade ou entre
sociedades, pois os seres
humanos tendem a tomar seu
grupo ou sociedade como
referência para avaliar as
demais. Ou seja cada grupo
considera-se superior e olha
com desprezo ou desdém os
outros tidos como estranhos.
23/02/11
31
• “Todas as culturas são diferentes... não
há nem pode haver uma civilização
mundial no seu sentido absoluto, porque
civilização implica na coexistência de
culturas que oferecem o máximo de
diversidade entre elas”.
• Cada cultura tem um modo de vida
específico e particular.
• Não há normas e valores absolutos.
(relatividade cultural).
• Um costume pode ser válido num
ambiente cultural e não em outro. Ex.
Andar de mãos dadas, beijo na boca.
23/02/11
32
Conseqüências
• O etnocentrismo leva à intolerância, e a esta
leva aos conflitos e às tensões;
• Pode ser manifestado no comportamento
agressivo, atitudes de superioridade e
hostilidade.
• Outras formas de expressar o
etnocentrismo: discriminação, violência,
agressividade verbal, preconceito racial,
nacionalismo, preconceito de classe ou de
profissão, intolerância religiosa.
23/02/11
33
“Por incrível que pareça, alguns papas chegaram a autorizar a
escravização dos africanos. A Igreja Católica alegava que essa
era uma maneira de fazer os africanos "abandonarem as religiões
do diabo e conhecerem o cristianismo".” (Schmidt, 1999:102)
23/02/11
34
• Na antiguidade os romanos chamavam de
“bárbaros” aqueles que não eram de sua
cultura.
• Os europeus quando tiveram contato com os
povos americanos passaram a chamá-los de
“selvagens”.
• Nos dias atuais manifesta-se pela ideologia
racista da supremacia do branco sobre o
negro, ou de uma etnia sobre a outra.
Compressão espaço-tempo e
identidade
Que impacto tem a ultima fase da
globalização sobre as identidades
nacionais? Uma de suas características
principais e a “compressão espaço-tempo”,
a aceleração dos processos globais de
forma que se sente que o mundo é menor e
as distâncias mais curtas.
Que os eventos em um
determinado lugar, têm um
impacto imediato sobre as
pessoas e lugares situados
a uma grande distância
Quanto mais a vida social se
torna mediada pelo mercado
global de estilos, lugares e
imagens, pelas viagens
internacionais, pelas imagens
de mídia e pelos sistemas de
comunicação, globalmente
interligados, mais as
identidades se tornam
desvinculadas.
Desvinculadas- desalojadas- de
tempos, lugares, histórias e tradições
específicas e parecem “flutuar
livremente”. Somos confrontados
com uma gama de diferentes
identidades, dentre as quais parece
possível fazer uma escolha. Foi a
difusão do consumismo, seja como
realidade seja como sonho, que
contribuiu para esse efeito de
mercado cultural.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O que é cultura?
O que é cultura?O que é cultura?
O que é cultura?
Renata Telha
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
Beatriz Schnaider Tontini
 
história da sociologia
   história da sociologia   história da sociologia
história da sociologia
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Alienação e-trabalho
Alienação e-trabalhoAlienação e-trabalho
Alienação e-trabalho
Edirlene Fraga
 
Cultura erudita e cultura popular reformulado
Cultura erudita e cultura popular reformuladoCultura erudita e cultura popular reformulado
Cultura erudita e cultura popular reformulado
Celso Firmino Sociologia/Filosofia
 
Estética
EstéticaEstética
Estética
Edirlene Fraga
 
Raça e etnia
Raça e etniaRaça e etnia
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
Munis Pedro
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Carmem Rocha
 
Etnocentrismo
EtnocentrismoEtnocentrismo
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileira
brendazarza
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
rblfilos
 
Sociologia e Sociedade
Sociologia e SociedadeSociologia e Sociedade
Sociologia e Sociedade
Rosane Domingues
 
Trabalho e Sociedade
Trabalho e SociedadeTrabalho e Sociedade
Trabalho e Sociedade
Portal do Vestibulando
 
Cultura, o que é.
Cultura, o que é.Cultura, o que é.
Cultura, o que é.
Douglas Gregorio
 
Identidade cultural
Identidade culturalIdentidade cultural
Identidade cultural
Cristofer Castillo
 
A Cultura Brasileira sob o Olhar da Sociologia
A Cultura Brasileira sob o Olhar da Sociologia A Cultura Brasileira sob o Olhar da Sociologia
A Cultura Brasileira sob o Olhar da Sociologia
Paula Meyer Piagentini
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Indústria cultural
Indústria culturalIndústria cultural
Indústria cultural
Edenilson Morais
 
Industria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de MassaIndustria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de Massa
Elisama Lopes
 

Mais procurados (20)

O que é cultura?
O que é cultura?O que é cultura?
O que é cultura?
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
 
história da sociologia
   história da sociologia   história da sociologia
história da sociologia
 
Alienação e-trabalho
Alienação e-trabalhoAlienação e-trabalho
Alienação e-trabalho
 
Cultura erudita e cultura popular reformulado
Cultura erudita e cultura popular reformuladoCultura erudita e cultura popular reformulado
Cultura erudita e cultura popular reformulado
 
Estética
EstéticaEstética
Estética
 
Raça e etnia
Raça e etniaRaça e etnia
Raça e etnia
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
 
Etnocentrismo
EtnocentrismoEtnocentrismo
Etnocentrismo
 
Cultura Afro Brasileira
Cultura Afro BrasileiraCultura Afro Brasileira
Cultura Afro Brasileira
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
 
Sociologia e Sociedade
Sociologia e SociedadeSociologia e Sociedade
Sociologia e Sociedade
 
Trabalho e Sociedade
Trabalho e SociedadeTrabalho e Sociedade
Trabalho e Sociedade
 
Cultura, o que é.
Cultura, o que é.Cultura, o que é.
Cultura, o que é.
 
Identidade cultural
Identidade culturalIdentidade cultural
Identidade cultural
 
A Cultura Brasileira sob o Olhar da Sociologia
A Cultura Brasileira sob o Olhar da Sociologia A Cultura Brasileira sob o Olhar da Sociologia
A Cultura Brasileira sob o Olhar da Sociologia
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
 
Indústria cultural
Indústria culturalIndústria cultural
Indústria cultural
 
Industria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de MassaIndustria Cultural e Cultura de Massa
Industria Cultural e Cultura de Massa
 

Destaque

Tterritorio e desterritorializacao
Tterritorio e desterritorializacaoTterritorio e desterritorializacao
Tterritorio e desterritorializacao
Pessoal
 
A diversidade cultural
A diversidade culturalA diversidade cultural
A diversidade cultural
Manuel Nunes Correia
 
CCM etnocentrismo shideshare
CCM etnocentrismo shideshareCCM etnocentrismo shideshare
CCM etnocentrismo shideshare
UNIP. Universidade Paulista
 
Cultura e ideologia
Cultura e ideologiaCultura e ideologia
Cultura e ideologia
Hiatan Bicalho
 
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowskiAntropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
Celso Firmino Sociologia/Filosofia
 
Etnocentrismo...
Etnocentrismo...Etnocentrismo...
Etnocentrismo...
ALCIONE
 
Paleolítico e neolítico
Paleolítico e neolíticoPaleolítico e neolítico
Paleolítico e neolítico
Renata Telha
 
A Diversidade Cultural
A Diversidade CulturalA Diversidade Cultural
A Diversidade Cultural
juliana_f
 

Destaque (8)

Tterritorio e desterritorializacao
Tterritorio e desterritorializacaoTterritorio e desterritorializacao
Tterritorio e desterritorializacao
 
A diversidade cultural
A diversidade culturalA diversidade cultural
A diversidade cultural
 
CCM etnocentrismo shideshare
CCM etnocentrismo shideshareCCM etnocentrismo shideshare
CCM etnocentrismo shideshare
 
Cultura e ideologia
Cultura e ideologiaCultura e ideologia
Cultura e ideologia
 
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowskiAntropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
 
Etnocentrismo...
Etnocentrismo...Etnocentrismo...
Etnocentrismo...
 
Paleolítico e neolítico
Paleolítico e neolíticoPaleolítico e neolítico
Paleolítico e neolítico
 
A Diversidade Cultural
A Diversidade CulturalA Diversidade Cultural
A Diversidade Cultural
 

Semelhante a Cultura e diversidade cultural

CCM. CULTURA E IDENTIDADE
CCM. CULTURA E IDENTIDADECCM. CULTURA E IDENTIDADE
CCM. CULTURA E IDENTIDADE
UNIP. Universidade Paulista
 
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e SociedadetxSociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
marioaraujorosas1
 
Cultura - Sociologia
Cultura - SociologiaCultura - Sociologia
Cultura - Sociologia
Kely Cristina Metzker
 
Trabalho de sociologia
Trabalho de sociologiaTrabalho de sociologia
Trabalho de sociologia
Edvilson Itb
 
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcialCultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
EEEP MCVM - Secretariado 3'
 
capitulo 3 CULTURA avaliando as diversidades
capitulo 3 CULTURA avaliando as diversidadescapitulo 3 CULTURA avaliando as diversidades
capitulo 3 CULTURA avaliando as diversidades
nayaralpvale
 
Kelly roberta ativ5
Kelly roberta ativ5Kelly roberta ativ5
Sociologia v
Sociologia vSociologia v
Sociologia v
andrea almeida
 
2-01-sociologia-definicao-de-cultura-em13chs103-2024-1-30-14-33-26.pptx
2-01-sociologia-definicao-de-cultura-em13chs103-2024-1-30-14-33-26.pptx2-01-sociologia-definicao-de-cultura-em13chs103-2024-1-30-14-33-26.pptx
2-01-sociologia-definicao-de-cultura-em13chs103-2024-1-30-14-33-26.pptx
EdsonYouTube
 
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.pptCONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
RubensMartins36
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdfO Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
Luziane Santos
 
CULTURA.ppt
CULTURA.pptCULTURA.ppt
CULTURA.ppt
JosWilliam14
 
natureza-cultura-e-sociedade--soc-e-etica-2-sem-2017.pdf
natureza-cultura-e-sociedade--soc-e-etica-2-sem-2017.pdfnatureza-cultura-e-sociedade--soc-e-etica-2-sem-2017.pdf
natureza-cultura-e-sociedade--soc-e-etica-2-sem-2017.pdf
SianCarlosAlegre
 
Aula 20 cultura, conhecimento e poder
Aula 20   cultura, conhecimento e poderAula 20   cultura, conhecimento e poder
Aula 20 cultura, conhecimento e poder
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Ai 1 2_pessoa e cultura
Ai 1 2_pessoa e culturaAi 1 2_pessoa e cultura
Ai 1 2_pessoa e cultura
Carlos Henrique Tavares
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
aulasgege
 
Cultura diferentes significados (2).pptx
Cultura diferentes significados (2).pptxCultura diferentes significados (2).pptx
Cultura diferentes significados (2).pptx
BrunaMartins393336
 
Aula-01.ppt
Aula-01.pptAula-01.ppt
Aula-01.ppt
EDUARDOSOARESGUIA1
 
Capítulo 10 cultura
Capítulo 10 culturaCapítulo 10 cultura
Capítulo 10 cultura
Fabio Salvari
 
Sociologia civ i
Sociologia civ   iSociologia civ   i
Sociologia civ i
DiedNuenf
 

Semelhante a Cultura e diversidade cultural (20)

CCM. CULTURA E IDENTIDADE
CCM. CULTURA E IDENTIDADECCM. CULTURA E IDENTIDADE
CCM. CULTURA E IDENTIDADE
 
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e SociedadetxSociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
Sociologia, Cultura e Sociedade.ppSociologia, Cultura e Sociedadetx
 
Cultura - Sociologia
Cultura - SociologiaCultura - Sociologia
Cultura - Sociologia
 
Trabalho de sociologia
Trabalho de sociologiaTrabalho de sociologia
Trabalho de sociologia
 
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcialCultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
Cultura sociologia. 3 ano 1 semestre parcial
 
capitulo 3 CULTURA avaliando as diversidades
capitulo 3 CULTURA avaliando as diversidadescapitulo 3 CULTURA avaliando as diversidades
capitulo 3 CULTURA avaliando as diversidades
 
Kelly roberta ativ5
Kelly roberta ativ5Kelly roberta ativ5
Kelly roberta ativ5
 
Sociologia v
Sociologia vSociologia v
Sociologia v
 
2-01-sociologia-definicao-de-cultura-em13chs103-2024-1-30-14-33-26.pptx
2-01-sociologia-definicao-de-cultura-em13chs103-2024-1-30-14-33-26.pptx2-01-sociologia-definicao-de-cultura-em13chs103-2024-1-30-14-33-26.pptx
2-01-sociologia-definicao-de-cultura-em13chs103-2024-1-30-14-33-26.pptx
 
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.pptCONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
CONCEITO_ANTROPOLOGICO_DE_CULTURA.ppt
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdfO Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural (1).pdf
 
CULTURA.ppt
CULTURA.pptCULTURA.ppt
CULTURA.ppt
 
natureza-cultura-e-sociedade--soc-e-etica-2-sem-2017.pdf
natureza-cultura-e-sociedade--soc-e-etica-2-sem-2017.pdfnatureza-cultura-e-sociedade--soc-e-etica-2-sem-2017.pdf
natureza-cultura-e-sociedade--soc-e-etica-2-sem-2017.pdf
 
Aula 20 cultura, conhecimento e poder
Aula 20   cultura, conhecimento e poderAula 20   cultura, conhecimento e poder
Aula 20 cultura, conhecimento e poder
 
Ai 1 2_pessoa e cultura
Ai 1 2_pessoa e culturaAi 1 2_pessoa e cultura
Ai 1 2_pessoa e cultura
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Cultura diferentes significados (2).pptx
Cultura diferentes significados (2).pptxCultura diferentes significados (2).pptx
Cultura diferentes significados (2).pptx
 
Aula-01.ppt
Aula-01.pptAula-01.ppt
Aula-01.ppt
 
Capítulo 10 cultura
Capítulo 10 culturaCapítulo 10 cultura
Capítulo 10 cultura
 
Sociologia civ i
Sociologia civ   iSociologia civ   i
Sociologia civ i
 

Último

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 

Último (20)

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 

Cultura e diversidade cultural

  • 1. 23/02/11 1 Cultura Profa. Edenilce Oliveira Prof. Antonio Tavares edenilceoliveira2@yahoo.com.br toni.atc@hotmail.com
  • 3. 23/02/11 3 Conceito antropológico • Bronislaw Malinovski: antropólogo inglês concebia as culturas como sistemas funcionais e equilibrados formados por elementos interdependentes que lhes davam características próprias, principalmente no tocante às necessidades básicas, como alimento, proteção e reprodução.
  • 4. 23/02/11 4 • Claude Lévi-Strauss, a cultura deve ser considerada como o conjunto de sistemas simbólicos, entre os quais se incluem a linguagem, as regras matrimonias, a arte, a ciência, a religião e as normas econômicas. Esses sistemas se relacionam e influenciam a realidade social e física das diferentes sociedades.
  • 5. 23/02/11 5 A cultura no cotidiano • Cultura é conjunto de conhecimentos, crenças, arte, moral, direito, costumes e hábitos que o homem adquire como membro das sociedades; • É a maneira de falar (língua), a maneira de vestir, de morar, de comer, de trabalhar, de rezar, de se comunicar, etc.
  • 6. A cultura é o segundo padrão da organização social. Como a estrutura social ela se desenvolve, na interação ao longo do tempo; determina boa parte do que faz o indivíduo e permite a continuidade, a estabilidade e a previsibilidade entre as pessoas.
  • 7. A cultura é aprendida Nossas idéias a respeito do mundo, são aprendidas dos outros por meio da interação entre famílias, escola e toda forma de organização social, elas têm como alicerce nossa vida em grupo. Nascemos em uma família e a cultura que possuímos em comum nessa família, torna-se fundamental para nosso modo de pensar.
  • 8. Os cenários culturais em que nascemos e amadurecemos, influenciam nosso comportamento, mas isso não significa de que os humanos são privados de sua individualidade ou do seu livre arbítrio, o fato é que do nascimento até a morte, estamos em interação com os outros, certamente isso condiciona nossa personalidade, os valores que sustentamos e os valores que nos engajamos. Nesse contexto também levamos em conta os meios de comunicação.
  • 9. A cultura é uma herança social Muitas organizações em que ingressamos existem a muito tempo; as pessoas que nela têm poder nos ensinam suas “verdades” estabelecidas de longa data, para que nos tornemos bons membros e para a organização social continuar. A cultura é uma herança social, consiste em idéias que podem ter se desenvolvido muito antes de nascermos. Nossa sociedade por exemplo, tem uma história mais longa do que a idade de qualquer indivíduo, as idéias desenvolvidas no decorrer dos tempos são ensinadas a cada geração.
  • 10. As organizações também têm uma história, assim como as comunidades e grupos. Podemos contribuir com idéias próprias, mas sempre seremos confrontados, com uma força poderosa, uma cultura que se desenvolveu antes de entrarmos em cena e teremos pouca escolha além de aceitá-la se quisermos continuar a interagir na organização social.
  • 11. Cada organização, tem um modo de definir o mundo, um modo de pensar e um conjunto de regras.
  • 12. Diversidade cultural • Não são apenas as crenças culturais que diferem através das culturas. A diversidade das práticas e do comportamento humano também é notável. Formas aceitáveis de comportamento variam amplamente de cultura para cultura. Há notáveis contrastes culturais.
  • 13. Exemplos de contrastes • Enquanto nós adotamos filhotes de cachorros e gatos como bichinhos de estimação e quase membros da família, em um mercado chinês por exemplo são vendidos como especiarias. • No Ocidente moderno crianças entre 12 e 13 anos, como sendo muito novas para o casamento, mas em algumas culturas, casamentos são arranjados entre crianças dessa idade como algo natural.
  • 14. Não podemos falar em cultura sem falar em folclore, principalmente no folclore brasileiro que é muito rico e vasto. Podemos definir folclore como: conjunto de mitos, crenças, histórias populares, lendas, tradições e costumes que são transmitidos de geração em geração e fazem parte da cultura popular.
  • 15. Algumas lendas, mitos e contos folclóricos do Brasil Boitatá, Boto, Curupira, Mãe d'agua, mula sem cabeça, saci pererê e etc.
  • 16. 23/02/11 16 Cultura Material • Para sobreviver, o homem tem de entrar em relação com a natureza e as suas ações acontecem em dois níveis: prática econômica e simbólica. • Prática econômica (cultura material): o homem produz coisas que se transformam em bens materiais e consumíveis para se manter vivo. • Ex. alimento, roupa, abrigo, artefatos domésticos, meios de transporte, ferramentas, etc
  • 17. 23/02/11 17 Cultura não-Material • Prática simbólica (cultura não- material): a Produção de bens simbólicos que o ajudam a dar significado às suas ações e às coisas por ele produzidas. • Ex. valores, idéias, leis, regras morais, linguagem, sonhos, fantasias, religião, costumes, ideologia, artes, ciência, etc...
  • 18. 23/02/11 18 • Cultura popular: É a cultura do povo. Encontra expressão nos mitos e contos, danças, música de sertaneja à cabocla, artesanato rústico e cerâmica ou de madeira ou pintura. • Inclui também expressões urbanas recentes como os grafites, o hip hop e sincretismos musicais oriundos do interior ou das grandes cidades.
  • 19. 23/02/11 19 Cultura Erudita: Fazem parte de uma elite social, econômica, política e cultural e seu conhecimento ser proveniente do pensamento científico, dos livros, das pesquisas universitárias ou do estudo em geral (erudito significa que tem instrução vasta e variada adquirida sobretudo pela leitura).
  • 20. 23/02/11 20 • Abrange expressões artísticas como a música clássica de padrão europeu, as artes plásticas, escultura e pintura, o teatro e a literatura de cunho universal.
  • 21. 23/02/11 21 INDÚSTRIA CULTURAL E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA • A expressão indústria cultural, foi utilizada inicialmente por Theodor Adorno (1903-1969) e Max Horkheimer (1895-1973) na década de 40.
  • 22. 23/02/11 22 • Este conceito permitia explicar o fenômeno da exploração comercial, vulgarização da cultura, indústria da diversão de massa, veiculada pela televisão, cinema, rádio, revista, jornais, propagandas, músicas e etc. • A mídia não se voltava apenas para suprir as horas de lazer ou dar informações, mas fazia parte do que eles chamaram de industria cultural. • A IC equivaleria a qualquer indústria, organizada para atender uma massa: Ex. discos, as reproduções de pinturas, músicas...
  • 23. 23/02/11 23 IC - CARACTERÍSTICAS • Remete à idéia de produção em série, comercialização e lucratividade; • Põe a felicidade imediatamente nas mãos dos consumidores mediante a compra de alguma mercadoria ou produto cultural; • Leva à dependência, a alienação dos homens ao maquiar o mundo nos anúncios que divulga. • Seduz e convence as massas para o consumo das mercadorias culturais; • Fuga da realidade – faz com que o indivíduo se aliene aceitando a exploração do sistema capitalista.
  • 24. 23/02/11 24 • No Brasil a influência da televisão pode ser facilmente constatada no dia-a-dia, com a adoção de gírias (criados por personagens dos programas de maior audiência), gracejos, e modas, lançadas principalmente pelas telenovelas...
  • 25. 23/02/11 25 CULTURA DE MASSA • Cultura de massa: de multidões, padronizadas e homogêneas.
  • 26. 23/02/11 26 CULTURA DE MASSA • A expressão cultura de massa designa o conjunto de comportamentos, mitos e representações, produzidos e difundidos conforme uma técnica industrial que acompanha a expansão das mídias. • O desenvolvimento da tecnologia, principalmente nos meios de comunicação, passou a atingir um grande número de pessoas, dando origem à “cultura de massa”.
  • 27. 23/02/11 27 • A cultura de massa não está ligada a nenhum grupo social específico, pois é transmitida de maneira industrializada, para um público generalizado, de diferentes camadas sócio-econômicas. • A cultura de massa destrói culturas coletivas centenárias ou milenares quando tenta impor uma lógica de pensamento único.
  • 28. 23/02/11 28 Trocas culturais • O desenvolvimento das tecnologias de comunicação: o cinema, a televisão e a internet, tornaram-se instrumentos de trocas culturais intensas. • Ex. Comemorações, Culinária, música...
  • 29. 23/02/11 29 ETNOCENTRISMO • O etnocentrismo pode ser definido como uma “atitude emocionalmente condicionada que leva a considerar e julgar sociedades culturalmente diversas com critérios fornecidos pela própria cultura. • Os indivíduos vêem seu sistema de valores, crenças e normas como melhores do que os dos outros (Super valorização da própria cultura).
  • 30. Observa-se grande dificuldade na aceitação das diversidades, em uma sociedade ou entre sociedades, pois os seres humanos tendem a tomar seu grupo ou sociedade como referência para avaliar as demais. Ou seja cada grupo considera-se superior e olha com desprezo ou desdém os outros tidos como estranhos.
  • 31. 23/02/11 31 • “Todas as culturas são diferentes... não há nem pode haver uma civilização mundial no seu sentido absoluto, porque civilização implica na coexistência de culturas que oferecem o máximo de diversidade entre elas”. • Cada cultura tem um modo de vida específico e particular. • Não há normas e valores absolutos. (relatividade cultural). • Um costume pode ser válido num ambiente cultural e não em outro. Ex. Andar de mãos dadas, beijo na boca.
  • 32. 23/02/11 32 Conseqüências • O etnocentrismo leva à intolerância, e a esta leva aos conflitos e às tensões; • Pode ser manifestado no comportamento agressivo, atitudes de superioridade e hostilidade. • Outras formas de expressar o etnocentrismo: discriminação, violência, agressividade verbal, preconceito racial, nacionalismo, preconceito de classe ou de profissão, intolerância religiosa.
  • 33. 23/02/11 33 “Por incrível que pareça, alguns papas chegaram a autorizar a escravização dos africanos. A Igreja Católica alegava que essa era uma maneira de fazer os africanos "abandonarem as religiões do diabo e conhecerem o cristianismo".” (Schmidt, 1999:102)
  • 34. 23/02/11 34 • Na antiguidade os romanos chamavam de “bárbaros” aqueles que não eram de sua cultura. • Os europeus quando tiveram contato com os povos americanos passaram a chamá-los de “selvagens”. • Nos dias atuais manifesta-se pela ideologia racista da supremacia do branco sobre o negro, ou de uma etnia sobre a outra.
  • 35. Compressão espaço-tempo e identidade Que impacto tem a ultima fase da globalização sobre as identidades nacionais? Uma de suas características principais e a “compressão espaço-tempo”, a aceleração dos processos globais de forma que se sente que o mundo é menor e as distâncias mais curtas.
  • 36. Que os eventos em um determinado lugar, têm um impacto imediato sobre as pessoas e lugares situados a uma grande distância
  • 37. Quanto mais a vida social se torna mediada pelo mercado global de estilos, lugares e imagens, pelas viagens internacionais, pelas imagens de mídia e pelos sistemas de comunicação, globalmente interligados, mais as identidades se tornam desvinculadas.
  • 38. Desvinculadas- desalojadas- de tempos, lugares, histórias e tradições específicas e parecem “flutuar livremente”. Somos confrontados com uma gama de diferentes identidades, dentre as quais parece possível fazer uma escolha. Foi a difusão do consumismo, seja como realidade seja como sonho, que contribuiu para esse efeito de mercado cultural.