SlideShare uma empresa Scribd logo
CUBISMO 
Professora: Cristiane Seibt
• A realidade é desintegrada e depois 
reorganizada numa nova estética! 
• O cubismo é consequência direta da 
optical arte. 
• O cubismo nega a ideia de que a arte 
deva imitar a natureza, nega os conceitos 
de perspectiva e noção de volume ou 
outro qualquer recurso que tenha um 
efeito ilusório para os olhos do 
espectador.
• O cubismo foi um dos mais importantes 
movimentos estéticos do século XX, 
considerado um divisor de águas na 
história da arte ocidental, que ocorreu 
entre 1907 e 1914 e teve como 
precursores Pablo Ruiz Picasso (1881- 
1973) e o ex-fauvista Georges Braque 
(1882-1963).
• Se formos buscar o verdadeiro 
responsável pelo cubismo, bateremos à 
porta de Cézanne, pois, ao representar a 
natureza em suas pinturas, geometrizava-a, 
tratava suas formas como cones, 
cilindros e esferas.
A cesta de maçãs 
(1893). O Instituto 
de Arte de Chicago 
( Cézanne)
Der Muhlstein 
(1894). Cézanne, 
(1894).Museu de 
Arte, 
Philadelphia
• Segundo alguns historiadores, Louis 
Vauxcelles, o mesmo crítico francês que 
batizou o fauvismo, seria também 
responsável pelo batismo do novo 
movimento. Vendo os trabalhos de 
Braque, mencionou uma realidade 
construída com cubos, por isso o nome 
cubismo.
• Esse movimento nega a ideia de que a 
arte deva imitar a natureza, nega os 
conceitos de perspectiva e noção de 
volume ou outro qualquer recurso que 
tenha um efeito ilusório para os olhos do 
espectador. Georges Braque afirmou um 
dia: “é um erro imitar o que se quer criar”.
• Como um cirurgião, o cubismo disseca 
tudo: corpos, frutas, paisagens, 
instrumentos musicais e todos os tipos de 
objeto. Decompõe o objeto em partes e 
mostra-as, todas abertas, num mesmo 
plano, sem a menor preocupação em 
guardar alguma relação com sua 
aparência real.
• A realidade é recriada e mostrada 
simultaneamente em vários ângulos por 
cubos, volumes e planos geométricos 
entrecortados. No espaço da recriação, 
forma e fundo se confundem e não há 
mais noção de profundidade.
• Em sua evolução, o cubismo, segundo 
alguns estudiosos, passou por três fases: 
• 1a fase: pré-cubismo ou fase 
“cezanniana”. Caracterizada pela 
influência de Cézanne na obra de Picasso 
e Braque, compreendida entre 1907 e 
1909.
• 2a fase: cubismo analítico. De 1910 a 1912, foi 
chamado de analítico, porque analisava as formas 
dos objetos e, em seguida, fragmentava-os e 
distribuía seus pedaços pela tela. Toda a 
tridimensionalidade dos corpos era submetida à 
bidimensionalidade da tela. Os responsáveis por essa 
fase foram Picasso e Braque. Trabalharam com 
poucas e escuras cores, como preto, cinza, marrom e 
ocre, representando figuras humanas e objetos como 
se fossem vistos por vários ângulos ao mesmo tempo, 
superpostos e representados simultaneamente. Foi 
uma fase de grande experimentação, levada a um 
extremo, em que os seres foram fragmentados de tal 
maneira que nada mais guardava relação com o 
mundo real. Nas telas cubistas, o mundo parecia ser visto 
por um caleidoscópio, aproximando-se da abstração.
• 3a fase: cubismo sintético. De 1912 a 
1914. Procurando tornar as formas 
novamente reconhecíveis, Picasso e 
Braque introduzem em suas obras signos 
como letras, números e palavras, com a 
técnica da colagem (papier collé), 
utilizando recortes de jornais, tecidos, 
madeiras e outros materiais. Nesta fase, 
as cores tornam-se mais vivas e 
pequenos traços de sombra tentam 
insinuar volumes.
PICASSO – FASE 
SINTÉTICA-TRÊS-MÚSICOS
• Nesse período, junta-se a eles Juan Gris, 
um jovem pintor espanhol que contribuiu 
em muito para essa fase do cubismo.
• Embora tentando recompor a realidade 
por meio de elementos do mundo visível, 
continuaram com a simultaneidade dos 
ângulos de visão, sem contudo devolver 
ao objeto a sua verdadeira dimensão no 
mundo real.
PICASSO 
• Picasso está para a arte, assim como 
Einstein está para a ciência: um mito, um 
gênio, que se perpetuou pela coragem de 
romper com todos os preceitos da 
convenção artística e com tudo o que era 
esteticamente aceito.
• Sem nenhuma modéstia, Picasso 
declarou a uma amiga: “Quando criança, 
minha mãe me disse: Se você for soldado, 
será um general. Se for padre, vai acabar 
sendo papa”. E ele continuou: “Em vez 
disso, tornei-me pintor e acabei sendo 
Picasso”.
• Nasceu em Málaga, na Espanha, em 25 
de outubro de 1881 e faleceu em 
Mougins, na França, em 8 de abril de 
1973. Desde criança, gostava de 
desenhar e, aos 13 anos, já havia 
desenvolvido um traço com muita 
personalidade. Incentivado pelo pai, um 
professor de desenho e pintura, fez seus 
primeiros estudos na Escola de Belas- 
Artes, em Barcelona, onde começou sua 
pintura com tendências acadêmicas.
• Em 1904, partiu para Paris, onde teve 
contato com as obras de Gauguin e 
Toulouse-Lautrec e conseguiu dar 
liberdade às suas experiências estéticas.
• Picasso não foi apenas pintor, ele foi 
desenhista, ceramista, escultor e 
gravador. Como grande experimentador, 
na gravura, experimentou todas as 
técnicas e materiais: a xilogravura, a 
litogravura, e, na gravura em metal, a 
água-forte, a água-tinta e a ponta-seca.
• Antes de se enveredar pelos caminhos do 
cubismo, Pablo Picasso passou por outras 
fases em sua pintura.
• Fase azul (1901-1904). Logo que chegou 
a Paris, vindo de Barcelona, suas telas 
estavam sob o domínio das cores frias, 
particularmente dos azuis – índigo e 
cobalto –, que ele utilizava para seus 
temas favoritos: figuras marginalizadas 
pela sociedade. Picasso é ainda jovem, 
pobre e desconhecido e sua pintura tem 
uma linguagem triste e sombria.
"A morte de 
Casagemas 
(Picasso)"
• Fase rosa (1905-1906). Picasso libertou-se 
de um período de depressão e sua 
paleta passou a ser habitada por 
delicadas cores rosa e tons terra. Seus 
temas preferidos eram então, artistas de 
circo, arlequins e palhaços, personagens 
que, durante toda sua carreira, voltariam a 
ocupar suas telas. Suas obras ganhavam, 
neste período, um toque de lirismo.
Rapaz com 
cachimbo, 1905 - 
Picasso
• Fase negra. Além das experiências 
pictóricas de Cézanne, a arte africana 
exerceu grande influência sobre o 
cubismo de Picasso. Esta fase é 
caracterizada pela força dos elementos da 
arte africana, presentes em uma de suas 
mais importantes obras: Les demoiselles 
d’Avignon.
• A influência da arte africana se deu pelo 
fato de muitos objetos de arte do 
continente africano, em razão do domínio 
colonial europeu na África, terem sido 
levados à Europa e terem causado grande 
curiosidade, a ponto de motivarem 
pesquisas no campo da antropologia e 
estudos sobre esses povos e suas 
culturas.
• Essa curiosidade também contagiou 
Picasso. E o que mais o fascinou nessa 
arte foi ter percebido que ela era, 
absolutamente, livre de qualquer 
tendência ou movimento estético, por isso 
seu contato com máscaras e outros 
objetos dessa arte se fizeram presentes 
em suas obras.
Pablo Picasso, Les 
demoiselles d’Avignon (1907). 
Óleo sobre tela. Museum of 
Modern Art (MoMa), em Nova 
Iorque. (FASE CEZANNIANA)
• Nota-se, claramente, a influência da arte 
africana nos rostos de algumas 
personagens de uma de suas mais 
famosas obras Les demoiselles 
d’Avignon, de 1907, obra que iniciaria a 
estética cubista e marcaria o 
lançamento do movimento em Paris.
• Outra importante obra de Picasso, foi 
Guernica, criada em 1937, no auge da 
Guerra Civil Espanhola (1936-1939), 
quando, indignado com os horrores da 
guerra, denunciou a covardia e a violência 
contra a população de Guernica, uma 
cidadezinha do país basco, bombardeada 
pelos nazistas em 26 de abril de 1937. 
Este ataque deixou 1.654 mortos e 889 
feridos, em uma população inferior a 7 mil 
habitantes.
Guernica 
• Essa pintura, considerada como uma obra 
de ruptura pelo fato de o artista romper 
completamente com a maneira de 
representar a figura humana, é 
importantíssima por: 
• marcar, oficialmente, o início do cubismo; 
• conseguir, “sozinha”, alterar os destinos da 
arte; 
• ser considerada uma das mais importantes 
obras do século XX.
Picasso, Guernica. Óleo sobre 
tela, 3,50 m por 7,82 m. Museu 
Reina Sofia, Madri, Espanha ( 
FASE ANALÍTICA)
• A visão de Guernica é a visão da morte em 
ação; o pintor não assiste ao fato com terror e 
piedade, mas está dentro do fato, não celebra 
nem se compadece das vítimas, mas está entre 
as vítimas. Com ele morre a arte, a civilização 
‘clássica’, a arte e a civilização cuja meta era o 
conhecimento, a compreensão plena da 
natureza e da história. (...) Com Les 
Demoiselles d’Avignon, Picasso detonava, 
desintegrava a linguagem tradicional da 
pintura; com Guernica, detonava a linguagem 
cubista (...).(Giulio Carlo Argan )
• No final de sua vida, Picasso confessou: 
“Levei a vida inteira para aprender a 
desenhar como criança”.
• Embora cubismo e Picasso sejam quase 
sinônimos, nomes que se confundem, ele 
não esteve sozinho neste estilo, Georges 
Braque participou, também, de seu 
nascimento; logo vieram Juan Gris e 
Fernand Léger, que acrescentaram linhas 
e formas curvas e tubulares ao universo 
angular cubista. Todos eles conduziram a 
representação pictórica para limites muito 
além dos imaginados por Cézanne.
Braque, Violino e cântaro, 117 x 73,5 cm. 
Museu da Arte, Basileia (cubismo analítico) 
1910.
Juan Gris, O vaso de gerânios (1915)
Juan Gris, A guitarra 
(1918)
F. Leger, a travessia 
ferroviária (1919). 
Instituto de Arte de 
Chicago.
F. Leger, Ainda vida 
com uma caneca de 
cerveja(1921)
Cubismo no Brasil 
• O cubismo, no Brasil, manifestou-se, logo 
após a Semana de Arte Moderna de 1992, 
por meio dos trabalhos de Tarsila do 
Amaral, Di Cavalcanti e Anita Malfatti, que 
já haviam se envolvido com as mudanças 
ocorridas na arte europeia. Esses artistas 
não foram genuinamente cubistas; 
apenas, a título de exercitarem uma nova 
experiência estética, transitaram pelo 
cubismo.
Antropofagia – 
1929 – Tarsila do 
Amaral

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
Michele Pó
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
VIVIAN TROMBINI
 
Picasso
PicassoPicasso
Picasso
hcaslides
 
Introdução ao Cubismo.
Introdução ao Cubismo.Introdução ao Cubismo.
Introdução ao Cubismo.
Ipsun
 
Aula 6 Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
Aula 6   Futurismo Purismo Orfismo VorticismoAula 6   Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
Aula 6 Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
Aline Okumura
 
GRAFITE E INSTALAÇÃO
GRAFITE  E INSTALAÇÃOGRAFITE  E INSTALAÇÃO
GRAFITE E INSTALAÇÃO
Cristiane Seibt
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Andrea Dressler
 
Movimentos Dadaísmo e Surrealismo
Movimentos Dadaísmo e SurrealismoMovimentos Dadaísmo e Surrealismo
Movimentos Dadaísmo e Surrealismo
Andrea Dressler
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
Silmara Nogueira
 
Bauhaus
BauhausBauhaus
Bauhaus
turmaweb2010
 
Arte cinética
Arte cinéticaArte cinética
Arte cinética
Karoline Oliveira
 
História da Arte: Realismo
História da Arte: RealismoHistória da Arte: Realismo
História da Arte: Realismo
Raphael Lanzillotte
 
Cubismo
Cubismo Cubismo
Cubismo
Sarinha Silva
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
Stefânia Balestero
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Paulo Fonseca
 
Hiper realismo (1)
Hiper realismo (1)Hiper realismo (1)
Hiper realismo (1)
isabella18
 
História da Arte: Futurismo
História da Arte: FuturismoHistória da Arte: Futurismo
História da Arte: Futurismo
Raphael Lanzillotte
 
Dadaísmo e Surrealismo
Dadaísmo e Surrealismo Dadaísmo e Surrealismo
Dadaísmo e Surrealismo
Gui Souza A
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
ggmota93
 
Op art
Op artOp art
Op art
sheilabeca
 

Mais procurados (20)

Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Picasso
PicassoPicasso
Picasso
 
Introdução ao Cubismo.
Introdução ao Cubismo.Introdução ao Cubismo.
Introdução ao Cubismo.
 
Aula 6 Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
Aula 6   Futurismo Purismo Orfismo VorticismoAula 6   Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
Aula 6 Futurismo Purismo Orfismo Vorticismo
 
GRAFITE E INSTALAÇÃO
GRAFITE  E INSTALAÇÃOGRAFITE  E INSTALAÇÃO
GRAFITE E INSTALAÇÃO
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Movimentos Dadaísmo e Surrealismo
Movimentos Dadaísmo e SurrealismoMovimentos Dadaísmo e Surrealismo
Movimentos Dadaísmo e Surrealismo
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Bauhaus
BauhausBauhaus
Bauhaus
 
Arte cinética
Arte cinéticaArte cinética
Arte cinética
 
História da Arte: Realismo
História da Arte: RealismoHistória da Arte: Realismo
História da Arte: Realismo
 
Cubismo
Cubismo Cubismo
Cubismo
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Hiper realismo (1)
Hiper realismo (1)Hiper realismo (1)
Hiper realismo (1)
 
História da Arte: Futurismo
História da Arte: FuturismoHistória da Arte: Futurismo
História da Arte: Futurismo
 
Dadaísmo e Surrealismo
Dadaísmo e Surrealismo Dadaísmo e Surrealismo
Dadaísmo e Surrealismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Op art
Op artOp art
Op art
 

Destaque

Cubismo
Cubismo  Cubismo
Cubismo
legiordano
 
As principais vanguardas artísticas
As principais vanguardas artísticasAs principais vanguardas artísticas
As principais vanguardas artísticas
npjorgecosta
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
Roger Pimentel
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Michele Pó
 
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e SurrealismoVanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
Colégio Santa Luzia
 
Cubismo literario
Cubismo literarioCubismo literario
Cubismo literario
Bárbara C.
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
Eline Lima
 

Destaque (7)

Cubismo
Cubismo  Cubismo
Cubismo
 
As principais vanguardas artísticas
As principais vanguardas artísticasAs principais vanguardas artísticas
As principais vanguardas artísticas
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e SurrealismoVanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
Vanguardas europeias: Futurismo, Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo e Surrealismo
 
Cubismo literario
Cubismo literarioCubismo literario
Cubismo literario
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
 

Semelhante a CUBISMO

Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
ggmota93
 
Cubismo mare junho 2011
Cubismo mare junho 2011Cubismo mare junho 2011
Cubismo mare junho 2011
ailzafreitas
 
Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!
Lu Rebordosa
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Jonny Peter
 
Cubismo ii
Cubismo iiCubismo ii
Cubismo ii
Alaor
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Jubiz
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Jubiz
 
pablopicasso-1227895378915390-8.pdf
pablopicasso-1227895378915390-8.pdfpablopicasso-1227895378915390-8.pdf
pablopicasso-1227895378915390-8.pdf
MateusRoberto15
 
[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo
Eduardo Novais
 
Arte Sec Xx
Arte Sec XxArte Sec Xx
Arte Sec Xx
jassis
 
PICASSO _ um artista único.docx
PICASSO _ um artista único.docxPICASSO _ um artista único.docx
PICASSO _ um artista único.docx
JoanaMarques823140
 
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
Roseli Gomes Martins
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Anacrislinda
 
Picasso
PicassoPicasso
Picasso
monteirorafa
 
Cubismo
CubismoCubismo
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
eduardoalves354978
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
eduardoalves354978
 
A arte de pablo picasso
A arte de pablo picassoA arte de pablo picasso
A arte de pablo picasso
Marcos Luis Christo
 
Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ramyldo Braga
 
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_20112C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
www.historiadasartes.com
 

Semelhante a CUBISMO (20)

Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Cubismo mare junho 2011
Cubismo mare junho 2011Cubismo mare junho 2011
Cubismo mare junho 2011
 
Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Cubismo ii
Cubismo iiCubismo ii
Cubismo ii
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
pablopicasso-1227895378915390-8.pdf
pablopicasso-1227895378915390-8.pdfpablopicasso-1227895378915390-8.pdf
pablopicasso-1227895378915390-8.pdf
 
[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo
 
Arte Sec Xx
Arte Sec XxArte Sec Xx
Arte Sec Xx
 
PICASSO _ um artista único.docx
PICASSO _ um artista único.docxPICASSO _ um artista único.docx
PICASSO _ um artista único.docx
 
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Picasso
PicassoPicasso
Picasso
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
 
A arte de pablo picasso
A arte de pablo picassoA arte de pablo picasso
A arte de pablo picasso
 
Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02
 
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_20112C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
 

Mais de Cristiane Seibt

Obras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidasObras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidas
Cristiane Seibt
 
16 artistas conceituais
16 artistas conceituais16 artistas conceituais
16 artistas conceituais
Cristiane Seibt
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
Cristiane Seibt
 
Arte e tecnologia
Arte e tecnologiaArte e tecnologia
Arte e tecnologia
Cristiane Seibt
 
Circo
CircoCirco
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
Cristiane Seibt
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Cristiane Seibt
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
Cristiane Seibt
 
Arte ambiental
Arte ambientalArte ambiental
Arte ambiental
Cristiane Seibt
 
ARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIAARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIA
Cristiane Seibt
 
10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo
Cristiane Seibt
 
Música
MúsicaMúsica
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
Cristiane Seibt
 
MÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADAMÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADA
Cristiane Seibt
 
BRINQUEDOS
BRINQUEDOSBRINQUEDOS
BRINQUEDOS
Cristiane Seibt
 
OP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ARTOP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ART
Cristiane Seibt
 
FUTURISMO
FUTURISMOFUTURISMO
FUTURISMO
Cristiane Seibt
 
DADAÍSMO
DADAÍSMODADAÍSMO
DADAÍSMO
Cristiane Seibt
 
FAUVISMO
FAUVISMOFAUVISMO
FAUVISMO
Cristiane Seibt
 
100 MARAVILHAS DO MUNDO
100 MARAVILHAS DO MUNDO100 MARAVILHAS DO MUNDO
100 MARAVILHAS DO MUNDO
Cristiane Seibt
 

Mais de Cristiane Seibt (20)

Obras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidasObras de arte mais caras ja vendidas
Obras de arte mais caras ja vendidas
 
16 artistas conceituais
16 artistas conceituais16 artistas conceituais
16 artistas conceituais
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
 
Arte e tecnologia
Arte e tecnologiaArte e tecnologia
Arte e tecnologia
 
Circo
CircoCirco
Circo
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
Arte ambiental
Arte ambientalArte ambiental
Arte ambiental
 
ARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIAARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIA
 
10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo10 obras mais caras do mundo
10 obras mais caras do mundo
 
Música
MúsicaMúsica
Música
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
MÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADAMÚSICA RECICLADA
MÚSICA RECICLADA
 
BRINQUEDOS
BRINQUEDOSBRINQUEDOS
BRINQUEDOS
 
OP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ARTOP - ART e POP - ART
OP - ART e POP - ART
 
FUTURISMO
FUTURISMOFUTURISMO
FUTURISMO
 
DADAÍSMO
DADAÍSMODADAÍSMO
DADAÍSMO
 
FAUVISMO
FAUVISMOFAUVISMO
FAUVISMO
 
100 MARAVILHAS DO MUNDO
100 MARAVILHAS DO MUNDO100 MARAVILHAS DO MUNDO
100 MARAVILHAS DO MUNDO
 

Último

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 

Último (20)

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 

CUBISMO

  • 2. • A realidade é desintegrada e depois reorganizada numa nova estética! • O cubismo é consequência direta da optical arte. • O cubismo nega a ideia de que a arte deva imitar a natureza, nega os conceitos de perspectiva e noção de volume ou outro qualquer recurso que tenha um efeito ilusório para os olhos do espectador.
  • 3. • O cubismo foi um dos mais importantes movimentos estéticos do século XX, considerado um divisor de águas na história da arte ocidental, que ocorreu entre 1907 e 1914 e teve como precursores Pablo Ruiz Picasso (1881- 1973) e o ex-fauvista Georges Braque (1882-1963).
  • 4. • Se formos buscar o verdadeiro responsável pelo cubismo, bateremos à porta de Cézanne, pois, ao representar a natureza em suas pinturas, geometrizava-a, tratava suas formas como cones, cilindros e esferas.
  • 5. A cesta de maçãs (1893). O Instituto de Arte de Chicago ( Cézanne)
  • 6. Der Muhlstein (1894). Cézanne, (1894).Museu de Arte, Philadelphia
  • 7. • Segundo alguns historiadores, Louis Vauxcelles, o mesmo crítico francês que batizou o fauvismo, seria também responsável pelo batismo do novo movimento. Vendo os trabalhos de Braque, mencionou uma realidade construída com cubos, por isso o nome cubismo.
  • 8. • Esse movimento nega a ideia de que a arte deva imitar a natureza, nega os conceitos de perspectiva e noção de volume ou outro qualquer recurso que tenha um efeito ilusório para os olhos do espectador. Georges Braque afirmou um dia: “é um erro imitar o que se quer criar”.
  • 9. • Como um cirurgião, o cubismo disseca tudo: corpos, frutas, paisagens, instrumentos musicais e todos os tipos de objeto. Decompõe o objeto em partes e mostra-as, todas abertas, num mesmo plano, sem a menor preocupação em guardar alguma relação com sua aparência real.
  • 10. • A realidade é recriada e mostrada simultaneamente em vários ângulos por cubos, volumes e planos geométricos entrecortados. No espaço da recriação, forma e fundo se confundem e não há mais noção de profundidade.
  • 11. • Em sua evolução, o cubismo, segundo alguns estudiosos, passou por três fases: • 1a fase: pré-cubismo ou fase “cezanniana”. Caracterizada pela influência de Cézanne na obra de Picasso e Braque, compreendida entre 1907 e 1909.
  • 12. • 2a fase: cubismo analítico. De 1910 a 1912, foi chamado de analítico, porque analisava as formas dos objetos e, em seguida, fragmentava-os e distribuía seus pedaços pela tela. Toda a tridimensionalidade dos corpos era submetida à bidimensionalidade da tela. Os responsáveis por essa fase foram Picasso e Braque. Trabalharam com poucas e escuras cores, como preto, cinza, marrom e ocre, representando figuras humanas e objetos como se fossem vistos por vários ângulos ao mesmo tempo, superpostos e representados simultaneamente. Foi uma fase de grande experimentação, levada a um extremo, em que os seres foram fragmentados de tal maneira que nada mais guardava relação com o mundo real. Nas telas cubistas, o mundo parecia ser visto por um caleidoscópio, aproximando-se da abstração.
  • 13. • 3a fase: cubismo sintético. De 1912 a 1914. Procurando tornar as formas novamente reconhecíveis, Picasso e Braque introduzem em suas obras signos como letras, números e palavras, com a técnica da colagem (papier collé), utilizando recortes de jornais, tecidos, madeiras e outros materiais. Nesta fase, as cores tornam-se mais vivas e pequenos traços de sombra tentam insinuar volumes.
  • 14. PICASSO – FASE SINTÉTICA-TRÊS-MÚSICOS
  • 15. • Nesse período, junta-se a eles Juan Gris, um jovem pintor espanhol que contribuiu em muito para essa fase do cubismo.
  • 16. • Embora tentando recompor a realidade por meio de elementos do mundo visível, continuaram com a simultaneidade dos ângulos de visão, sem contudo devolver ao objeto a sua verdadeira dimensão no mundo real.
  • 17. PICASSO • Picasso está para a arte, assim como Einstein está para a ciência: um mito, um gênio, que se perpetuou pela coragem de romper com todos os preceitos da convenção artística e com tudo o que era esteticamente aceito.
  • 18.
  • 19. • Sem nenhuma modéstia, Picasso declarou a uma amiga: “Quando criança, minha mãe me disse: Se você for soldado, será um general. Se for padre, vai acabar sendo papa”. E ele continuou: “Em vez disso, tornei-me pintor e acabei sendo Picasso”.
  • 20. • Nasceu em Málaga, na Espanha, em 25 de outubro de 1881 e faleceu em Mougins, na França, em 8 de abril de 1973. Desde criança, gostava de desenhar e, aos 13 anos, já havia desenvolvido um traço com muita personalidade. Incentivado pelo pai, um professor de desenho e pintura, fez seus primeiros estudos na Escola de Belas- Artes, em Barcelona, onde começou sua pintura com tendências acadêmicas.
  • 21. • Em 1904, partiu para Paris, onde teve contato com as obras de Gauguin e Toulouse-Lautrec e conseguiu dar liberdade às suas experiências estéticas.
  • 22. • Picasso não foi apenas pintor, ele foi desenhista, ceramista, escultor e gravador. Como grande experimentador, na gravura, experimentou todas as técnicas e materiais: a xilogravura, a litogravura, e, na gravura em metal, a água-forte, a água-tinta e a ponta-seca.
  • 23. • Antes de se enveredar pelos caminhos do cubismo, Pablo Picasso passou por outras fases em sua pintura.
  • 24. • Fase azul (1901-1904). Logo que chegou a Paris, vindo de Barcelona, suas telas estavam sob o domínio das cores frias, particularmente dos azuis – índigo e cobalto –, que ele utilizava para seus temas favoritos: figuras marginalizadas pela sociedade. Picasso é ainda jovem, pobre e desconhecido e sua pintura tem uma linguagem triste e sombria.
  • 25. "A morte de Casagemas (Picasso)"
  • 26. • Fase rosa (1905-1906). Picasso libertou-se de um período de depressão e sua paleta passou a ser habitada por delicadas cores rosa e tons terra. Seus temas preferidos eram então, artistas de circo, arlequins e palhaços, personagens que, durante toda sua carreira, voltariam a ocupar suas telas. Suas obras ganhavam, neste período, um toque de lirismo.
  • 27. Rapaz com cachimbo, 1905 - Picasso
  • 28.
  • 29. • Fase negra. Além das experiências pictóricas de Cézanne, a arte africana exerceu grande influência sobre o cubismo de Picasso. Esta fase é caracterizada pela força dos elementos da arte africana, presentes em uma de suas mais importantes obras: Les demoiselles d’Avignon.
  • 30. • A influência da arte africana se deu pelo fato de muitos objetos de arte do continente africano, em razão do domínio colonial europeu na África, terem sido levados à Europa e terem causado grande curiosidade, a ponto de motivarem pesquisas no campo da antropologia e estudos sobre esses povos e suas culturas.
  • 31. • Essa curiosidade também contagiou Picasso. E o que mais o fascinou nessa arte foi ter percebido que ela era, absolutamente, livre de qualquer tendência ou movimento estético, por isso seu contato com máscaras e outros objetos dessa arte se fizeram presentes em suas obras.
  • 32. Pablo Picasso, Les demoiselles d’Avignon (1907). Óleo sobre tela. Museum of Modern Art (MoMa), em Nova Iorque. (FASE CEZANNIANA)
  • 33. • Nota-se, claramente, a influência da arte africana nos rostos de algumas personagens de uma de suas mais famosas obras Les demoiselles d’Avignon, de 1907, obra que iniciaria a estética cubista e marcaria o lançamento do movimento em Paris.
  • 34. • Outra importante obra de Picasso, foi Guernica, criada em 1937, no auge da Guerra Civil Espanhola (1936-1939), quando, indignado com os horrores da guerra, denunciou a covardia e a violência contra a população de Guernica, uma cidadezinha do país basco, bombardeada pelos nazistas em 26 de abril de 1937. Este ataque deixou 1.654 mortos e 889 feridos, em uma população inferior a 7 mil habitantes.
  • 35. Guernica • Essa pintura, considerada como uma obra de ruptura pelo fato de o artista romper completamente com a maneira de representar a figura humana, é importantíssima por: • marcar, oficialmente, o início do cubismo; • conseguir, “sozinha”, alterar os destinos da arte; • ser considerada uma das mais importantes obras do século XX.
  • 36. Picasso, Guernica. Óleo sobre tela, 3,50 m por 7,82 m. Museu Reina Sofia, Madri, Espanha ( FASE ANALÍTICA)
  • 37.
  • 38. • A visão de Guernica é a visão da morte em ação; o pintor não assiste ao fato com terror e piedade, mas está dentro do fato, não celebra nem se compadece das vítimas, mas está entre as vítimas. Com ele morre a arte, a civilização ‘clássica’, a arte e a civilização cuja meta era o conhecimento, a compreensão plena da natureza e da história. (...) Com Les Demoiselles d’Avignon, Picasso detonava, desintegrava a linguagem tradicional da pintura; com Guernica, detonava a linguagem cubista (...).(Giulio Carlo Argan )
  • 39. • No final de sua vida, Picasso confessou: “Levei a vida inteira para aprender a desenhar como criança”.
  • 40. • Embora cubismo e Picasso sejam quase sinônimos, nomes que se confundem, ele não esteve sozinho neste estilo, Georges Braque participou, também, de seu nascimento; logo vieram Juan Gris e Fernand Léger, que acrescentaram linhas e formas curvas e tubulares ao universo angular cubista. Todos eles conduziram a representação pictórica para limites muito além dos imaginados por Cézanne.
  • 41. Braque, Violino e cântaro, 117 x 73,5 cm. Museu da Arte, Basileia (cubismo analítico) 1910.
  • 42. Juan Gris, O vaso de gerânios (1915)
  • 43. Juan Gris, A guitarra (1918)
  • 44. F. Leger, a travessia ferroviária (1919). Instituto de Arte de Chicago.
  • 45. F. Leger, Ainda vida com uma caneca de cerveja(1921)
  • 46. Cubismo no Brasil • O cubismo, no Brasil, manifestou-se, logo após a Semana de Arte Moderna de 1992, por meio dos trabalhos de Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti e Anita Malfatti, que já haviam se envolvido com as mudanças ocorridas na arte europeia. Esses artistas não foram genuinamente cubistas; apenas, a título de exercitarem uma nova experiência estética, transitaram pelo cubismo.
  • 47. Antropofagia – 1929 – Tarsila do Amaral