SlideShare uma empresa Scribd logo
[HA2012] 06 - Cubismo
CUBISMO
Movimento artístico de vanguarda, surgido na Europa
no início do Século XX, tendo à frente Pablo Picasso e
Georges Braque e que transformou as artes plásticas e
influenciou a música, a literatura e a arquitetura.

O movimento cubista começou em 1907 e chega ao seu
final enquanto movimento organizado com o advento
da Primeira Grande Guerra Mundial (1914), apesar de
continuar influenciando o trabalho de vários artistas.

O quadro “Les demoiselles d’Avignon”, de Picasso, 1907
é conhecido como marco inicial do Cubismo. Nesta obra
podemos ver claramente as inspirações do movimento.
[HA2012] 06 - Cubismo
Origens do Cubismo I

O Cubismo tem origem nas máscaras tribais africanas e
nas obras do pintor Paul Cézanne.

Durante o final do século XIX e o início do século XX, a
elite cultural européia lança um olhar curioso sobre as
artes e artefatos produzidos pelos povos nativos da África,
Ilhas do Pacífico e da América do Norte.

Artistas como Paul Gauguin, Henri Matisse e Pablo Picasso
são alguns dos nomes que se inspiram na simplicidade e
expressividade destas artes, sobretudo as máscaras tribais
originárias da África.
Máscaras africanas
Máscaras africanas
Origens do Cubismo II

Outra fonte de inspiração para o Cubismo é a obra do
pintor pós-impressionista francês Paul Cézanne (1839 –
1906). Cézanne criou um estilo próprio, introduzindo
distorções e alterações de perspectivas em suas
composições, ressaltando o volume o peso dos objetos.

Segundo Cézanne, suas obras buscavam ver a natureza
segundo as suas formas fundamentais: a esfera, o cilindro
e o cone.
Mulher com cafeteira (1890-1894)
Paul Cézanne
Natureza Morta com Maçãs e Laranjas (1895-1900)
Paul Cézanne
Château Noir (1900-1904)
Paul Cézanne
Mount Saint Victoire (1904-1906)
Paul Cézanne
Origens do Cubismo III

As paisagens pintadas por Cézanne são sutilmente
geométricas e retratam a região de Provença. Para ele, as
formas de uma maçã, árvore ou de uma cabeça possuem
uma estrutura através da qual manifestam sua existência.

Em suas naturezas mortas, Cézanne não utilizou o mesmo
ponto de vista para construir a perspectiva e preencher o
espaço da tela, como ocorre na perspectiva científica. Ao
contrário, trabalhava em diferentes pontos de vista,
produzindo vários planos, e permitindo uma angulação de
visão diversificada dos objetos, recurso que seria muito
utilizado pelo Cubismo
Detalhe - As damas d'avignon - Pablo Picasso
[HA2012] 06 - Cubismo
Máscaras africanas




                     Auto-retrato –
                     Pablo Picasso




                              Retrato de
                              Gertrude Stein –
                              Pablo Picasso
Fauvismo ou Fovismo
• Inicio em 1901
• Les Fauves (1905)
• Características expressionistas
  – arte é reflexo direto do mundo interior do artista
• Henri Matisse
• Uma arte do equilíbrio, da pureza e da
  serenidade, destituída de temas
  perturbadores ou deprimentes
Uso de cores intensas (rojo, verde, amarelo, azul e vermelho)
(As odaliscas, Matisse)
Busca de estabelecer harmonia, tranqüilidade, pureza e equilíbrio nas
obras de arte.
(The Siesta, Paul Gauguin)
Uso de formatos planos, grandes, simples e com traços largos;
(Portrait of Henri Matisse)
Intenção de demonstrar sentimentos nas obras;
(Petite faunesse dormant, Jean Puy)
Temas preferidos: cenas urbanas e rurais, retratos, ambientes internos, nus e cenas ao
ar livre (obras de Paul Cezánne)
O Cubismo nasce pela estreita colaboração entre o
espanhol Pablo Picasso e o francês Georges Braque,
ambos residentes em Paris à época. Eles se encontram
em 1907.

Picasso recebia grande influência de Gauguin, das
máscaras tribais africanas e da escultura ibérica,
enquanto Braque, que era fauvista, estava interessado
na idéia das múltiplas perspectivas, de Cézanne.

Outro ativo participante do Cubismo foi Juan Gris, pintor
e escultor espanhol. Em pouco tempo, o cubismo
espalhou-se por toda a Europa.
Picasso and Braque and
Penrose
          Vallauris, 1954
          © Lee Miller Archives
CARACTERÍSTICAS
DO CUBISMO
Os cubistas levaram adiante a proposta de
Cézanne, passando a representar os objetos com todas as
suas partes colocadas em um mesmo plano.

Em obras de arte cubista, os objetos são
divididos, analisados ​e re-montados, compondo formas
abstratas.

A geometrização das figuras resulta numa arte intuitiva e
abstrata, derivada da "experiência visual". Baseia-se
essencialmente na luz e na sombra.

O artista retrata o assunto a partir de uma multiplicidade de
pontos de vista para representar o sujeito em um contexto
maior. Os planos de fundo e objeto se interpenetram.
Não há uma representação realista, mas uma sugestão de
corpos ou da estrutura dos objetos, apresentados como se
pudéssemos vê-los sob todos ângulos visuais, por cima e por
baixo, percebendo-se todos os planos e volumes.

Tem-se a sensação de que os objetos estejam abertos, com
todos os seus lados expostos no plano frontal em relação ao
espectador. Esta decomposição dos objetos faz com as obras
não tenham nenhuma relação com o naturalismo, ou seja, a
aparência real das coisas.

O cubismo tenta representar a tridimensionalidade numa
superfície plana, com formas geométricas, com o predomínio
das linhas retas.
• Geometrização das formas e volumes;
• Renúncia à perspectiva;
• O claro-escuro perde sua função;
• Representação do volume colorido sobre superfícies
planas;
• Sensação de pintura escultórica;
• Cores austeras, do branco ao negro passando pelo cinza,
por um ocre apagado ou um castanho suave.
• "uma arte que trata primordialmente de
  formas, e quando uma forma é realizada, ela
  aí está para viver sua própria vida”
FASES DO CUBISMO
CUBISMO ANALÍTICO
Cubismo Analítico ou Hermético (1910-12)

Caracteriza-se pela decomposição da obra em partes, com o
registro de todos os seus elementos em planos sucessivos e
superpostos, procurando a visão total da figura, examinado-
a em todos os ângulos simultaneamente.

O Cubismo analítico é visto como uma evolução do cubismo
cezanniano. A prioridade dada à forma é máxima, tal que a
composição cromática aponte quase para uma só cor
(preto, cinza e tons de marrom e ocre).

O objeto é de tal forma distorcido que quase tende para a
abstração, ficando no limite do perceptível e do abstrato.
Retrato de Ambroise Vollard (1910)
Pablo Picasso
The Guitar Player (1910)
Pablo Picasso
L'Accordéoniste (1911)
Pablo Picasso
Portrait of Daniel-Henry
Kahnweiler (1910)
Pablo Picasso
Jeune Fille à la Mandoline (1910)
Pablo Picasso
The Pedestal Table (1911)
George Braque
Violin and Jug (1910)
George Braque
Violino e Castiçal (1910)
George Braque
Retrato de Picasso
(1912)Juan Gris
CUBISMO
SINTÉTICO
Cubismo Sintético

Caracteriza-se pela introdução de diferentes texturas,
colagens, papier collé e uma grande variedade de temas.
Era o início da utilização de materiais de colagem como
elemento constitutivo da pintura.

Essa inovação pode ser explicada pela intenção do artista
em criar efeitos plásticos e de ultrapassar os limites das
sensações visuais que a pintura sugere, despertando
também no observador as sensações táteis.
Cubismo Sintético

Os planos são mais redutores e esquemáticos em relação
ao cubismo analítico. A cor volta aqui a tomar
importância depois de ter sido desvalorizada na fase
analítica.

O cubismo sintético buscou recuperar um pouco
a imagem real do objeto tornando as cores mais fortes e
as formas mais decorativas.
"Still Life with Chair-Caning” (1912)
Picasso
Picasso - Still Life with Mandolin and Guitar
La bouteille de Suze (1912)
Picasso
Woman in an Armchair (1913)
Picasso
Três Músicos (1921)
 Picasso
Still Life with Violin and
Fruit (1912)
Picasso
Pablo Picasso Factory, Horta de Ebbo
La Ville (1919)
Fernand Léger
ESCULTURA
DO CUBISMO
Como acontece na pintura, predominam as formas
geométricas planas, e o pouco volume é conseguido com
sua superposição. Não há preocupação quanto ao ponto
de vista do observador, nem quanto à criação de
cavidades ou espaços, nem sequer quanto à direção da
luz.

O cubismo destaca-se dos movimentos artísticos
anteriores porque suas obras são pensadas e construídas
como nas colagens, com todo tipo de materiais: madeira,
metais, papelão, cordas e outros, todos reunidos com o
único fim de se obter uma escultura praticamente
experimental e não concebida para a posteridade em
mármores eternos e metais sólidos.
Picasso – Obra na cidade de Chicago – sem nome
Cabeça de mulher - Picasso
Mulher no Jardim -
Picasso
Still Life With Guitar -
Picasso
Otto Gutfreund - Cellista
Alexander Archipenko, -Walking Woman
O grande cavalo - Raymond Duchamp-Villon
(aqui vista em dois ângulos)
George Braque
Alerquim – Juan Gris
ESCULTURA
DO CUBISMO
Outro acontecimento importante foi a construção da
Robie House, em que Frank Lloyd Wright utiliza planos
em equilíbrio para criar linhas contínuas, num plano
assimétrico.
[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo
LEGADO DO
CUBISMO
Introduziu o conceito de representação independente da
natureza

Quando Picasso e Braque abandonaram a ilusão
tridimensional e recolocaram na pintura o plano
bidimensional, estabeleceram o design como o principal
elemento do processo criativo.

O uso de letras estampadas ou gravadas, em suas
pinturas, abriu novas possibilidades para a tipografia.

Cubismo influenciou vários movimentos futuros e
grandes artistas, entre eles, podemos citar: Marcel
Duchamp, Piet Mondrian e Kasimir Malevich.
"Nu Descendo a Escada" (1912)
Marcel Duchamp
Composition nº II (1913)
Piet Mondrian
The Knifegrinder (1912)
Kazimir Malevich
CUBISMO NO
BRASIL
O Cubismo chega ao Brasil após a Semana de Arte
Moderna de 22.

Não há registro de artistas brasileiros expressivos com
características exclusivamente cubistas.

No entanto, muitos pintores brasileiros foram
influenciados pelo movimento e apresentam
características do cubismo em suas obras, como Tarsila
do Amaral, Anita Malfatti e Di Cavalcanti.

Tarsila afirmou que o cubismo era a fragmentação da
forma, assim como o Impressionismo havia sido a
fragmentação da cor.
Cinco moças de Guaratinguetá – Di Cavalcanti
Tempos modernos – Di Cavalcanti
Nu cubista – Anita
Malfatti
O homem das sete cores –
Anita Malfatti
Operários – Tarsila do Amaral - 1923
Estrada de Ferro
Central do Brasil –
Tarsila do Amaral -
1924
CURIOSIDADES
[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Expressionismo slide
Expressionismo slideExpressionismo slide
Expressionismo slide
Apoliana Oliveira
 
Arte colonial brasileira
Arte colonial brasileiraArte colonial brasileira
Arte colonial brasileira
CEF16
 
História da Arte Brasileira (Pré Cabralino ao Academicismo): Introdução
História da Arte Brasileira (Pré Cabralino ao Academicismo): IntroduçãoHistória da Arte Brasileira (Pré Cabralino ao Academicismo): Introdução
História da Arte Brasileira (Pré Cabralino ao Academicismo): Introdução
Paula Poiet
 
Aula 4 Griffith
Aula 4 GriffithAula 4 Griffith
Aula 4 Griffith
ismaelfurtado
 
Aula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arteAula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arte
Lila Donato
 
Escala de planos
Escala de planosEscala de planos
Escala de planos
Horacio Guimaraes
 
Arte Chinesa
Arte ChinesaArte Chinesa
Arte Chinesa
Rodrigo Retka
 
Dadaismo
DadaismoDadaismo
Dadaismo
SusanavRosa
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
Michele Pó
 
Movimento Cubismo
Movimento CubismoMovimento Cubismo
Movimento Cubismo
Andrea Dressler
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Carlos Vieira
 
Expressionismo - 8º
Expressionismo - 8ºExpressionismo - 8º
Expressionismo - 8º
Lu Rebordosa
 
Arte rupestre 2 6o ano 2016
Arte rupestre 2   6o ano 2016Arte rupestre 2   6o ano 2016
Arte rupestre 2 6o ano 2016
Colégio Pedro II - Campus Centro
 
Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo Alemão
Michele Pó
 
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio  dadaísmo marcel duchampEnsino médio  dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
ArtesElisa
 
Historia da Fotografia
Historia da FotografiaHistoria da Fotografia
Historia da Fotografia
Cid Costa Neto
 
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaDireção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Mauricio Mallet Duprat
 
O Rosto E O Auto Retrato
O Rosto E O Auto RetratoO Rosto E O Auto Retrato
O Rosto E O Auto Retrato
jonybrother
 
Estampa africana
Estampa africanaEstampa africana
Estampa africana
rosangela13
 
Arte eletronica
Arte eletronicaArte eletronica
Arte eletronica
Unallowed
 

Mais procurados (20)

Expressionismo slide
Expressionismo slideExpressionismo slide
Expressionismo slide
 
Arte colonial brasileira
Arte colonial brasileiraArte colonial brasileira
Arte colonial brasileira
 
História da Arte Brasileira (Pré Cabralino ao Academicismo): Introdução
História da Arte Brasileira (Pré Cabralino ao Academicismo): IntroduçãoHistória da Arte Brasileira (Pré Cabralino ao Academicismo): Introdução
História da Arte Brasileira (Pré Cabralino ao Academicismo): Introdução
 
Aula 4 Griffith
Aula 4 GriffithAula 4 Griffith
Aula 4 Griffith
 
Aula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arteAula História da Arte_As funções da arte
Aula História da Arte_As funções da arte
 
Escala de planos
Escala de planosEscala de planos
Escala de planos
 
Arte Chinesa
Arte ChinesaArte Chinesa
Arte Chinesa
 
Dadaismo
DadaismoDadaismo
Dadaismo
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
Movimento Cubismo
Movimento CubismoMovimento Cubismo
Movimento Cubismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Expressionismo - 8º
Expressionismo - 8ºExpressionismo - 8º
Expressionismo - 8º
 
Arte rupestre 2 6o ano 2016
Arte rupestre 2   6o ano 2016Arte rupestre 2   6o ano 2016
Arte rupestre 2 6o ano 2016
 
Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo Alemão
 
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio  dadaísmo marcel duchampEnsino médio  dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
 
Historia da Fotografia
Historia da FotografiaHistoria da Fotografia
Historia da Fotografia
 
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no CinemaDireção de Arte e Fotografia no Cinema
Direção de Arte e Fotografia no Cinema
 
O Rosto E O Auto Retrato
O Rosto E O Auto RetratoO Rosto E O Auto Retrato
O Rosto E O Auto Retrato
 
Estampa africana
Estampa africanaEstampa africana
Estampa africana
 
Arte eletronica
Arte eletronicaArte eletronica
Arte eletronica
 

Destaque

4 cubismo
4 cubismo4 cubismo
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Michele Pó
 
Methods and approaches in presenting art subjects
Methods and approaches in presenting art subjectsMethods and approaches in presenting art subjects
Methods and approaches in presenting art subjects
Kyla Villanueva
 
Tipografia renascentista
Tipografia renascentistaTipografia renascentista
Tipografia renascentista
jueisa
 
Desde el Impresionismo al Futurismo
Desde el Impresionismo al Futurismo Desde el Impresionismo al Futurismo
Desde el Impresionismo al Futurismo
Julieta Magnano
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
xtone949
 
Cubismo
CubismoCubismo
Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ramyldo Braga
 
Surrealismo e Cubismo
Surrealismo e CubismoSurrealismo e Cubismo
Surrealismo e Cubismo
Anderson Rockenbach
 
Cubismo exposição
Cubismo exposiçãoCubismo exposição
Cubismo exposição
Nancihorta
 
George braque
George braqueGeorge braque
George braque
Jenny HB
 
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Viviane Marques
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
guestec22a6
 
HCA grupo B
HCA   grupo BHCA   grupo B
HCA grupo B
becresforte
 
A Publicidade e o Surrealismo
A Publicidade e o SurrealismoA Publicidade e o Surrealismo
A Publicidade e o Surrealismo
Marcioveras
 
O cubismo
O cubismoO cubismo
O cubismo
Céu Barros
 
Arte surrealista
Arte surrealistaArte surrealista
Arte surrealista
ceufaias
 
Cubismo arquitectura
Cubismo arquitecturaCubismo arquitectura
Cubismo arquitectura
Enrique Jonathan Castro Barreda
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
Erika Miranda
 

Destaque (20)

4 cubismo
4 cubismo4 cubismo
4 cubismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Methods and approaches in presenting art subjects
Methods and approaches in presenting art subjectsMethods and approaches in presenting art subjects
Methods and approaches in presenting art subjects
 
Tipografia renascentista
Tipografia renascentistaTipografia renascentista
Tipografia renascentista
 
Desde el Impresionismo al Futurismo
Desde el Impresionismo al Futurismo Desde el Impresionismo al Futurismo
Desde el Impresionismo al Futurismo
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02Ocubismo 110523084518-phpapp02
Ocubismo 110523084518-phpapp02
 
Surrealismo e Cubismo
Surrealismo e CubismoSurrealismo e Cubismo
Surrealismo e Cubismo
 
Cubismo exposição
Cubismo exposiçãoCubismo exposição
Cubismo exposição
 
George braque
George braqueGeorge braque
George braque
 
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
Arte contemporânea [modo de compatibilidade]
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
HCA grupo B
HCA   grupo BHCA   grupo B
HCA grupo B
 
A Publicidade e o Surrealismo
A Publicidade e o SurrealismoA Publicidade e o Surrealismo
A Publicidade e o Surrealismo
 
O cubismo
O cubismoO cubismo
O cubismo
 
Arte surrealista
Arte surrealistaArte surrealista
Arte surrealista
 
Cubismo arquitectura
Cubismo arquitecturaCubismo arquitectura
Cubismo arquitectura
 
Escola x dengue
Escola x dengueEscola x dengue
Escola x dengue
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 

Semelhante a [HA2012] 06 - Cubismo

Hd 2016.1 aula 6_influências das vanguardas europeias - cubismo
Hd 2016.1 aula 6_influências das vanguardas europeias - cubismoHd 2016.1 aula 6_influências das vanguardas europeias - cubismo
Hd 2016.1 aula 6_influências das vanguardas europeias - cubismo
Ticianne Darin
 
Pablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismoPablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismo
Meire Falco
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
ggmota93
 
CUBISMO
CUBISMOCUBISMO
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_20112C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
www.historiadasartes.com
 
Cubismo ii
Cubismo iiCubismo ii
Cubismo ii
Alaor
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Jonny Peter
 
Processos criativos em artes visuais
Processos criativos em artes  visuais  Processos criativos em artes  visuais
Processos criativos em artes visuais
Ediléia de Brito
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Anacrislinda
 
pablopicasso-1227895378915390-8.pdf
pablopicasso-1227895378915390-8.pdfpablopicasso-1227895378915390-8.pdf
pablopicasso-1227895378915390-8.pdf
MateusRoberto15
 
História da Arte: Cubismo
História da Arte: CubismoHistória da Arte: Cubismo
História da Arte: Cubismo
Raphael Lanzillotte
 
O cubismo
O cubismoO cubismo
O cubismo
Cardosia
 
História da Arte: Cubismo2
História da Arte: Cubismo2História da Arte: Cubismo2
História da Arte: Cubismo2
Raphael Lanzillotte
 
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
Roseli Gomes Martins
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
Roger Pimentel
 
Cubismo mare junho 2011
Cubismo mare junho 2011Cubismo mare junho 2011
Cubismo mare junho 2011
ailzafreitas
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
eloisecris
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
eloisecris
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Ipsun
 
Cubismofinalg2
Cubismofinalg2Cubismofinalg2
Cubismofinalg2
carolineborba
 

Semelhante a [HA2012] 06 - Cubismo (20)

Hd 2016.1 aula 6_influências das vanguardas europeias - cubismo
Hd 2016.1 aula 6_influências das vanguardas europeias - cubismoHd 2016.1 aula 6_influências das vanguardas europeias - cubismo
Hd 2016.1 aula 6_influências das vanguardas europeias - cubismo
 
Pablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismoPablo picasso e o cubismo
Pablo picasso e o cubismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
CUBISMO
CUBISMOCUBISMO
CUBISMO
 
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_20112C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
2C26_Cubismo_Museu Lasar Segall_2011
 
Cubismo ii
Cubismo iiCubismo ii
Cubismo ii
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Processos criativos em artes visuais
Processos criativos em artes  visuais  Processos criativos em artes  visuais
Processos criativos em artes visuais
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
pablopicasso-1227895378915390-8.pdf
pablopicasso-1227895378915390-8.pdfpablopicasso-1227895378915390-8.pdf
pablopicasso-1227895378915390-8.pdf
 
História da Arte: Cubismo
História da Arte: CubismoHistória da Arte: Cubismo
História da Arte: Cubismo
 
O cubismo
O cubismoO cubismo
O cubismo
 
História da Arte: Cubismo2
História da Arte: Cubismo2História da Arte: Cubismo2
História da Arte: Cubismo2
 
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
13. VANGUARDAS EUROPEIAS - EDIÇÃO 2020.pptx
 
Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.Pablo Picasso e o Cubismo.
Pablo Picasso e o Cubismo.
 
Cubismo mare junho 2011
Cubismo mare junho 2011Cubismo mare junho 2011
Cubismo mare junho 2011
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
 
Pablo Picasso
Pablo PicassoPablo Picasso
Pablo Picasso
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Cubismofinalg2
Cubismofinalg2Cubismofinalg2
Cubismofinalg2
 

Mais de Eduardo Novais

16 - design de marcas
16 - design de marcas16 - design de marcas
16 - design de marcas
Eduardo Novais
 
15 - escolha de tipos
15 - escolha de tipos15 - escolha de tipos
15 - escolha de tipos
Eduardo Novais
 
[DIG2012] Criando um grid
[DIG2012] Criando um grid[DIG2012] Criando um grid
[DIG2012] Criando um grid
Eduardo Novais
 
[HAD2012] 13 - construtivismo
[HAD2012] 13 - construtivismo[HAD2012] 13 - construtivismo
[HAD2012] 13 - construtivismo
Eduardo Novais
 
[dig2012] 11 - interfaces online
[dig2012] 11 - interfaces online[dig2012] 11 - interfaces online
[dig2012] 11 - interfaces online
Eduardo Novais
 
[dig2012] 12 - Interfaces mobile
[dig2012] 12 - Interfaces mobile[dig2012] 12 - Interfaces mobile
[dig2012] 12 - Interfaces mobile
Eduardo Novais
 
[HAD2012] 11 - Dadaismo
[HAD2012] 11 - Dadaismo[HAD2012] 11 - Dadaismo
[HAD2012] 11 - Dadaismo
Eduardo Novais
 
[HA2012] 03 - Raízes da arte e do design - 02
[HA2012] 03 - Raízes da arte e do design - 02[HA2012] 03 - Raízes da arte e do design - 02
[HA2012] 03 - Raízes da arte e do design - 02
Eduardo Novais
 
[HA2012] 02 - Raízes da arte e do design - 01
[HA2012] 02 - Raízes da arte e do design - 01[HA2012] 02 - Raízes da arte e do design - 01
[HA2012] 02 - Raízes da arte e do design - 01
Eduardo Novais
 
[ha2012] 01 - Apresentação da disciplina
[ha2012] 01 - Apresentação da disciplina[ha2012] 01 - Apresentação da disciplina
[ha2012] 01 - Apresentação da disciplina
Eduardo Novais
 
[dig2012] 02 - História do design de interfaces
[dig2012] 02 - História do design de interfaces[dig2012] 02 - História do design de interfaces
[dig2012] 02 - História do design de interfaces
Eduardo Novais
 
[dig2012] 04 - Hierarquia visual
[dig2012] 04 - Hierarquia visual[dig2012] 04 - Hierarquia visual
[dig2012] 04 - Hierarquia visual
Eduardo Novais
 
[dig2012] All type e tipografia na web
[dig2012] All type e tipografia na web[dig2012] All type e tipografia na web
[dig2012] All type e tipografia na web
Eduardo Novais
 
[DIG2012_1] Apresentação da disciplina
[DIG2012_1] Apresentação da disciplina[DIG2012_1] Apresentação da disciplina
[DIG2012_1] Apresentação da disciplina
Eduardo Novais
 
[cv - 2011.2] 17 - cores
[cv - 2011.2] 17 - cores[cv - 2011.2] 17 - cores
[cv - 2011.2] 17 - cores
Eduardo Novais
 
[cv - 2011.2] Orientações - trabalho final de Com Visual
[cv - 2011.2] Orientações - trabalho final de Com Visual[cv - 2011.2] Orientações - trabalho final de Com Visual
[cv - 2011.2] Orientações - trabalho final de Com Visual
Eduardo Novais
 
[cv - 2011.2] 16 - dicas finais sobre grids
[cv - 2011.2] 16 - dicas finais sobre grids[cv - 2011.2] 16 - dicas finais sobre grids
[cv - 2011.2] 16 - dicas finais sobre grids
Eduardo Novais
 
[cv - 2011.2] 16 - grids (cont)
[cv - 2011.2] 16 - grids (cont)[cv - 2011.2] 16 - grids (cont)
[cv - 2011.2] 16 - grids (cont)
Eduardo Novais
 
[cv - 2011.2] 14 - grids
[cv - 2011.2] 14 - grids[cv - 2011.2] 14 - grids
[cv - 2011.2] 14 - grids
Eduardo Novais
 
[cv - 2011.2] 13 - layout e proporção áurea
[cv - 2011.2] 13 - layout e proporção áurea[cv - 2011.2] 13 - layout e proporção áurea
[cv - 2011.2] 13 - layout e proporção áurea
Eduardo Novais
 

Mais de Eduardo Novais (20)

16 - design de marcas
16 - design de marcas16 - design de marcas
16 - design de marcas
 
15 - escolha de tipos
15 - escolha de tipos15 - escolha de tipos
15 - escolha de tipos
 
[DIG2012] Criando um grid
[DIG2012] Criando um grid[DIG2012] Criando um grid
[DIG2012] Criando um grid
 
[HAD2012] 13 - construtivismo
[HAD2012] 13 - construtivismo[HAD2012] 13 - construtivismo
[HAD2012] 13 - construtivismo
 
[dig2012] 11 - interfaces online
[dig2012] 11 - interfaces online[dig2012] 11 - interfaces online
[dig2012] 11 - interfaces online
 
[dig2012] 12 - Interfaces mobile
[dig2012] 12 - Interfaces mobile[dig2012] 12 - Interfaces mobile
[dig2012] 12 - Interfaces mobile
 
[HAD2012] 11 - Dadaismo
[HAD2012] 11 - Dadaismo[HAD2012] 11 - Dadaismo
[HAD2012] 11 - Dadaismo
 
[HA2012] 03 - Raízes da arte e do design - 02
[HA2012] 03 - Raízes da arte e do design - 02[HA2012] 03 - Raízes da arte e do design - 02
[HA2012] 03 - Raízes da arte e do design - 02
 
[HA2012] 02 - Raízes da arte e do design - 01
[HA2012] 02 - Raízes da arte e do design - 01[HA2012] 02 - Raízes da arte e do design - 01
[HA2012] 02 - Raízes da arte e do design - 01
 
[ha2012] 01 - Apresentação da disciplina
[ha2012] 01 - Apresentação da disciplina[ha2012] 01 - Apresentação da disciplina
[ha2012] 01 - Apresentação da disciplina
 
[dig2012] 02 - História do design de interfaces
[dig2012] 02 - História do design de interfaces[dig2012] 02 - História do design de interfaces
[dig2012] 02 - História do design de interfaces
 
[dig2012] 04 - Hierarquia visual
[dig2012] 04 - Hierarquia visual[dig2012] 04 - Hierarquia visual
[dig2012] 04 - Hierarquia visual
 
[dig2012] All type e tipografia na web
[dig2012] All type e tipografia na web[dig2012] All type e tipografia na web
[dig2012] All type e tipografia na web
 
[DIG2012_1] Apresentação da disciplina
[DIG2012_1] Apresentação da disciplina[DIG2012_1] Apresentação da disciplina
[DIG2012_1] Apresentação da disciplina
 
[cv - 2011.2] 17 - cores
[cv - 2011.2] 17 - cores[cv - 2011.2] 17 - cores
[cv - 2011.2] 17 - cores
 
[cv - 2011.2] Orientações - trabalho final de Com Visual
[cv - 2011.2] Orientações - trabalho final de Com Visual[cv - 2011.2] Orientações - trabalho final de Com Visual
[cv - 2011.2] Orientações - trabalho final de Com Visual
 
[cv - 2011.2] 16 - dicas finais sobre grids
[cv - 2011.2] 16 - dicas finais sobre grids[cv - 2011.2] 16 - dicas finais sobre grids
[cv - 2011.2] 16 - dicas finais sobre grids
 
[cv - 2011.2] 16 - grids (cont)
[cv - 2011.2] 16 - grids (cont)[cv - 2011.2] 16 - grids (cont)
[cv - 2011.2] 16 - grids (cont)
 
[cv - 2011.2] 14 - grids
[cv - 2011.2] 14 - grids[cv - 2011.2] 14 - grids
[cv - 2011.2] 14 - grids
 
[cv - 2011.2] 13 - layout e proporção áurea
[cv - 2011.2] 13 - layout e proporção áurea[cv - 2011.2] 13 - layout e proporção áurea
[cv - 2011.2] 13 - layout e proporção áurea
 

[HA2012] 06 - Cubismo

  • 3. Movimento artístico de vanguarda, surgido na Europa no início do Século XX, tendo à frente Pablo Picasso e Georges Braque e que transformou as artes plásticas e influenciou a música, a literatura e a arquitetura. O movimento cubista começou em 1907 e chega ao seu final enquanto movimento organizado com o advento da Primeira Grande Guerra Mundial (1914), apesar de continuar influenciando o trabalho de vários artistas. O quadro “Les demoiselles d’Avignon”, de Picasso, 1907 é conhecido como marco inicial do Cubismo. Nesta obra podemos ver claramente as inspirações do movimento.
  • 5. Origens do Cubismo I O Cubismo tem origem nas máscaras tribais africanas e nas obras do pintor Paul Cézanne. Durante o final do século XIX e o início do século XX, a elite cultural européia lança um olhar curioso sobre as artes e artefatos produzidos pelos povos nativos da África, Ilhas do Pacífico e da América do Norte. Artistas como Paul Gauguin, Henri Matisse e Pablo Picasso são alguns dos nomes que se inspiram na simplicidade e expressividade destas artes, sobretudo as máscaras tribais originárias da África.
  • 8. Origens do Cubismo II Outra fonte de inspiração para o Cubismo é a obra do pintor pós-impressionista francês Paul Cézanne (1839 – 1906). Cézanne criou um estilo próprio, introduzindo distorções e alterações de perspectivas em suas composições, ressaltando o volume o peso dos objetos. Segundo Cézanne, suas obras buscavam ver a natureza segundo as suas formas fundamentais: a esfera, o cilindro e o cone.
  • 9. Mulher com cafeteira (1890-1894) Paul Cézanne
  • 10. Natureza Morta com Maçãs e Laranjas (1895-1900) Paul Cézanne
  • 12. Mount Saint Victoire (1904-1906) Paul Cézanne
  • 13. Origens do Cubismo III As paisagens pintadas por Cézanne são sutilmente geométricas e retratam a região de Provença. Para ele, as formas de uma maçã, árvore ou de uma cabeça possuem uma estrutura através da qual manifestam sua existência. Em suas naturezas mortas, Cézanne não utilizou o mesmo ponto de vista para construir a perspectiva e preencher o espaço da tela, como ocorre na perspectiva científica. Ao contrário, trabalhava em diferentes pontos de vista, produzindo vários planos, e permitindo uma angulação de visão diversificada dos objetos, recurso que seria muito utilizado pelo Cubismo
  • 14. Detalhe - As damas d'avignon - Pablo Picasso
  • 16. Máscaras africanas Auto-retrato – Pablo Picasso Retrato de Gertrude Stein – Pablo Picasso
  • 17. Fauvismo ou Fovismo • Inicio em 1901 • Les Fauves (1905) • Características expressionistas – arte é reflexo direto do mundo interior do artista • Henri Matisse • Uma arte do equilíbrio, da pureza e da serenidade, destituída de temas perturbadores ou deprimentes
  • 18. Uso de cores intensas (rojo, verde, amarelo, azul e vermelho) (As odaliscas, Matisse)
  • 19. Busca de estabelecer harmonia, tranqüilidade, pureza e equilíbrio nas obras de arte. (The Siesta, Paul Gauguin)
  • 20. Uso de formatos planos, grandes, simples e com traços largos; (Portrait of Henri Matisse)
  • 21. Intenção de demonstrar sentimentos nas obras; (Petite faunesse dormant, Jean Puy)
  • 22. Temas preferidos: cenas urbanas e rurais, retratos, ambientes internos, nus e cenas ao ar livre (obras de Paul Cezánne)
  • 23. O Cubismo nasce pela estreita colaboração entre o espanhol Pablo Picasso e o francês Georges Braque, ambos residentes em Paris à época. Eles se encontram em 1907. Picasso recebia grande influência de Gauguin, das máscaras tribais africanas e da escultura ibérica, enquanto Braque, que era fauvista, estava interessado na idéia das múltiplas perspectivas, de Cézanne. Outro ativo participante do Cubismo foi Juan Gris, pintor e escultor espanhol. Em pouco tempo, o cubismo espalhou-se por toda a Europa.
  • 24. Picasso and Braque and Penrose Vallauris, 1954 © Lee Miller Archives
  • 26. Os cubistas levaram adiante a proposta de Cézanne, passando a representar os objetos com todas as suas partes colocadas em um mesmo plano. Em obras de arte cubista, os objetos são divididos, analisados ​e re-montados, compondo formas abstratas. A geometrização das figuras resulta numa arte intuitiva e abstrata, derivada da "experiência visual". Baseia-se essencialmente na luz e na sombra. O artista retrata o assunto a partir de uma multiplicidade de pontos de vista para representar o sujeito em um contexto maior. Os planos de fundo e objeto se interpenetram.
  • 27. Não há uma representação realista, mas uma sugestão de corpos ou da estrutura dos objetos, apresentados como se pudéssemos vê-los sob todos ângulos visuais, por cima e por baixo, percebendo-se todos os planos e volumes. Tem-se a sensação de que os objetos estejam abertos, com todos os seus lados expostos no plano frontal em relação ao espectador. Esta decomposição dos objetos faz com as obras não tenham nenhuma relação com o naturalismo, ou seja, a aparência real das coisas. O cubismo tenta representar a tridimensionalidade numa superfície plana, com formas geométricas, com o predomínio das linhas retas.
  • 28. • Geometrização das formas e volumes; • Renúncia à perspectiva; • O claro-escuro perde sua função; • Representação do volume colorido sobre superfícies planas; • Sensação de pintura escultórica; • Cores austeras, do branco ao negro passando pelo cinza, por um ocre apagado ou um castanho suave.
  • 29. • "uma arte que trata primordialmente de formas, e quando uma forma é realizada, ela aí está para viver sua própria vida”
  • 32. Cubismo Analítico ou Hermético (1910-12) Caracteriza-se pela decomposição da obra em partes, com o registro de todos os seus elementos em planos sucessivos e superpostos, procurando a visão total da figura, examinado- a em todos os ângulos simultaneamente. O Cubismo analítico é visto como uma evolução do cubismo cezanniano. A prioridade dada à forma é máxima, tal que a composição cromática aponte quase para uma só cor (preto, cinza e tons de marrom e ocre). O objeto é de tal forma distorcido que quase tende para a abstração, ficando no limite do perceptível e do abstrato.
  • 33. Retrato de Ambroise Vollard (1910) Pablo Picasso
  • 34. The Guitar Player (1910) Pablo Picasso
  • 36. Portrait of Daniel-Henry Kahnweiler (1910) Pablo Picasso
  • 37. Jeune Fille à la Mandoline (1910) Pablo Picasso
  • 38. The Pedestal Table (1911) George Braque
  • 39. Violin and Jug (1910) George Braque
  • 40. Violino e Castiçal (1910) George Braque
  • 43. Cubismo Sintético Caracteriza-se pela introdução de diferentes texturas, colagens, papier collé e uma grande variedade de temas. Era o início da utilização de materiais de colagem como elemento constitutivo da pintura. Essa inovação pode ser explicada pela intenção do artista em criar efeitos plásticos e de ultrapassar os limites das sensações visuais que a pintura sugere, despertando também no observador as sensações táteis.
  • 44. Cubismo Sintético Os planos são mais redutores e esquemáticos em relação ao cubismo analítico. A cor volta aqui a tomar importância depois de ter sido desvalorizada na fase analítica. O cubismo sintético buscou recuperar um pouco a imagem real do objeto tornando as cores mais fortes e as formas mais decorativas.
  • 45. "Still Life with Chair-Caning” (1912) Picasso
  • 46. Picasso - Still Life with Mandolin and Guitar
  • 47. La bouteille de Suze (1912) Picasso
  • 48. Woman in an Armchair (1913) Picasso
  • 50. Still Life with Violin and Fruit (1912) Picasso
  • 51. Pablo Picasso Factory, Horta de Ebbo
  • 54. Como acontece na pintura, predominam as formas geométricas planas, e o pouco volume é conseguido com sua superposição. Não há preocupação quanto ao ponto de vista do observador, nem quanto à criação de cavidades ou espaços, nem sequer quanto à direção da luz. O cubismo destaca-se dos movimentos artísticos anteriores porque suas obras são pensadas e construídas como nas colagens, com todo tipo de materiais: madeira, metais, papelão, cordas e outros, todos reunidos com o único fim de se obter uma escultura praticamente experimental e não concebida para a posteridade em mármores eternos e metais sólidos.
  • 55. Picasso – Obra na cidade de Chicago – sem nome
  • 56. Cabeça de mulher - Picasso
  • 57. Mulher no Jardim - Picasso
  • 58. Still Life With Guitar - Picasso
  • 59. Otto Gutfreund - Cellista
  • 61. O grande cavalo - Raymond Duchamp-Villon (aqui vista em dois ângulos)
  • 65. Outro acontecimento importante foi a construção da Robie House, em que Frank Lloyd Wright utiliza planos em equilíbrio para criar linhas contínuas, num plano assimétrico.
  • 70. Introduziu o conceito de representação independente da natureza Quando Picasso e Braque abandonaram a ilusão tridimensional e recolocaram na pintura o plano bidimensional, estabeleceram o design como o principal elemento do processo criativo. O uso de letras estampadas ou gravadas, em suas pinturas, abriu novas possibilidades para a tipografia. Cubismo influenciou vários movimentos futuros e grandes artistas, entre eles, podemos citar: Marcel Duchamp, Piet Mondrian e Kasimir Malevich.
  • 71. "Nu Descendo a Escada" (1912) Marcel Duchamp
  • 72. Composition nº II (1913) Piet Mondrian
  • 75. O Cubismo chega ao Brasil após a Semana de Arte Moderna de 22. Não há registro de artistas brasileiros expressivos com características exclusivamente cubistas. No entanto, muitos pintores brasileiros foram influenciados pelo movimento e apresentam características do cubismo em suas obras, como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti e Di Cavalcanti. Tarsila afirmou que o cubismo era a fragmentação da forma, assim como o Impressionismo havia sido a fragmentação da cor.
  • 76. Cinco moças de Guaratinguetá – Di Cavalcanti
  • 77. Tempos modernos – Di Cavalcanti
  • 78. Nu cubista – Anita Malfatti
  • 79. O homem das sete cores – Anita Malfatti
  • 80. Operários – Tarsila do Amaral - 1923
  • 81. Estrada de Ferro Central do Brasil – Tarsila do Amaral - 1924

Notas do Editor

  1. o cubismo recusa a idéia de arte como imitação da natureza, afastando noções como perspectiva e modelagem, assim como qualquer tipo de efeito ilusório.
  2. O Cubismo brota da tensão entre o apelo sensorial e intelectual da estrutura pictórica em conflito com o desafio de interpretar o tema. Tem forte relação com o processo de visão humana. Nossos olhos se deslocam e esquadrinham um objeto; nossa mente combina esses fragmentos em uma totalidade.
  3. As formas geométricas abstratas mostravam aos artistas europeus outra abordagem da arte e da representação.
  4. Cézanne defendiaque o pintordeviatratar a natureza sob
  5. Esta obra representa, para além de uma obra-prima do cubismo mundial, a violação de todas as tradições e convenções visuais naturalistas ocidentais, ao apresentar cinco aleivosas (prostitutas), representadas de forma cubista, como se nota na mulher nua sentada à direita, vista simultaneamente de frente e de costas.
  6. Os rostos das personagens refletem o início do "Período Negro" na obra de Pablo Picasso, quando este sofre uma forte influência da primitivismo assemelhando-se a máscaras e esculturas africanas
  7. O fovismo ou fauvismo (do francês lesfauves, "as feras", como foram chamados os pintores não seguidores do cânone impressionista, vigente à época) é uma corrente artística do início do século XX, que se desenvolveu sobretudo entre 1905 e 1907. Associada à busca da máxima expressão pictórica, o estilo começou em 1901 mas só foi denominado e reconhecido como um movimento artístico em 1905.
  8. Utilizavam essas percepções para construir uma pintura composta de planos geométricos rítmicos.
  9. considerada a primeira obra do cubismo analítico.
  10. Ao grudar nas suas telas fragmentos impressos e rótulos, eles sugeriram novas maneiras de combinar imagens e comunicar ideias. A textura dos elementos de colagem se prestava a significar objetos.
  11. Desenhando de memória, os cubistas inventaram formas que eram mais signos que representações do tema.
  12. The first collage
  13. Leger levou o cubismo para longe dos impulsos iniciais dos seus fundadores. Tomou o famoso dito de Cézanne sobre o cilindro, a esfera e o cone muito seriamente. Outros pintores como Robert Delaunay, Sonia Delaunay-Terk, Albert Gleizes, Jean Metzinger, Roger de laFresnaye se associam ao movimento.
  14. Vicente do Rego Monteiro, Antonio Gomide e sobretudo na obra de Tarsila do Amaral.
  15. Estevão Lucas, estudante e artista freelance, ganhou o primeiro lugar da categoria Design Gráfico, no concurso de Design da Universidade de Puc, no Paraná, com a tipografia inspirada na pintura de Pablo Picasso, As Senhoritas d´Avignon.