SlideShare uma empresa Scribd logo
CriatividadeCriatividade
Os tempos estão chegados...
São chegados os tempos, dizem-nos
de todas as partes, marcados por Deus,
em que grandes acontecimentos se
vão dar para regeneração da
Humanidade.
Em que sentido se devem entender
essas palavras proféticas?
A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 1.
2
Os tempos estão chegados...
Para os incrédulos, nenhuma importância
têm; aos seus olhos, nada mais exprimem que
uma crença pueril, sem fundamento.
Para a maioria dos crentes, elas
apresentam qualquer coisa de místico e de
sobrenatural, parecendo-lhes prenunciadoras
da subversão das leis da natureza.
São igualmente errôneas ambas
essas interpretações...
A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 1.
3
Tudo na Criação é Harmonia
… o nosso globo, como tudo o que existe,
esta submetido à lei do progresso.
Ele progride, fisicamente, pela
transformação dos elementos que o
compõem e, moralmente, pela depuração
dos Espíritos encarnados e desencarnados
que o povoam. Ambos esses progressos se
realizam paralelamente, porquanto o
melhoramento da habitação
guarda relação com o do habitante.
A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 2.
4
Ciclo Evolutivo dos Planetas
Primitivo
Provas e
Expiações
Regeneração
Feliz
Puro
Criatividade
O que é Criatividade?
"A criatividade é a faculdade humana que
trata, em especial, da habilidade em criar e
inovar, construindo formas de ver, de se
relacionar e de realizar ações diferentes das
habituais. É caracterizada pela
originalidade de pensamento,
capacidade de imaginação, autoconfiança,
improvisação,
flexibilidade,
sensibilidade e
curiosidade.”
FEB, 2015
6
Rotina e Repetição 7
A rotina e a repetição ocupam o espaço
que deveríamos deixar para a
criatividade e a inovação
Chronos
x
Kairos
Nos acostumamos a andar somente
pelo “Caminho da Roça”?
8
Seguindo o Regulamento?
Bom dia. Por que acabas de apagar teu
lampião ?
- É o regulamento, respondeu o acendedor.
Bom dia.
- Qual é o regulamento?
- É apagar meu lampião. Boa noite.
E tornou a acender.
- Mas por que acabas de acendê-lo de novo?
- É o regulamento, respondeu o acendedor.
- Eu não compreendo, disse o príncipe.
- Não é para compreender, disse o acendedor.
Regulamento é regulamento. Bom dia.
9
Livro O Pequeno Príncipe,
Antoine de Saint-Exupéry
O mundo está mudando, mas o
regulamento não...
E apagou o lampião.
Em seguida enxugou a testa num lenço
xadrez vermelho.
- Eu executo uma tarefa terrível. No ano passado, era
mais sensato. Apagava de manhã e acendia à noite. Tinha o
resto do dia para descansar e o resto da noite para dormir...
- E depois mudou o regulamento?
- O regulamento não mudou, disse o acendedor. Aí é que
está o problema! O planeta a cada ano gira mais
depressa, e o regulamento não muda!
10
A Criatividade como alavanca
para Regeneração 11
Todos somos criativos? 12
Una os nove
pontos com 4
retas ligadas.
Todos somos criativos? 13
Una os nove
pontos com 4
retas ligadas.
para responder
precisamos
pensar fora da
Caixa!
Pensando fora da caixa! 14
Astúcia e Criatividade
“O instinto, por não possuir a faculdade de
pensar, adquire e exterioriza a astúcia, que
é um mecanismo, através do qual consegue
o que persegue.
Habilidade, perseverança, artimanhas
fazem parte dessa manifestação
que tipifica diversos animais dentre os quais
alguns seres humanos.”
15
Livro Amor Imbatível Amor, Capítulo Astúcia e Criatividade, Joanna de
Angelis, Divaldo P. Franco
Astúcia
“O astuto busca enganar, enganando-se.
Inseguro, tenta a lisonja, o enredo falso e se
emaranha na tecedura da rede de ilusões.
…
Essa couraça do medo que comprime e
libera os mecanismos de fuga da
realidade e do dever, deve ser removida
pela energia da razão...”
16
Livro Amor Imbatível Amor, Capítulo Astúcia e Criatividade, Joanna de
Angelis, Divaldo P. Franco
Criatividade
“A criatividade se deriva da faculdade de
pensar, que se renova sem cessar.
Considerava J. Paul Sartre que o homem se
reinventa, que está sempre engendrando
ideias, meios e formas para ser novo, para
estar novo.
Naturalmente, o homem criativo é capaz
de reinventar-se, de sair da rotina, de
buscar novos desafios e entregar-se a
contínuos anelos de evolução.”
17
Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis,
Divaldo P. Franco
Criatividade
“A criatividade inspira à busca do real,
embora no campo imaginário, conduzindo o
ser psicológico à aquisição de recursos que o
emulam ao desenvolvimento das
potencialidades nele jacentes.
Quando bem direcionada, supera a
fantasia, que se lhe pode antecipar,
penetrando no âmago das coisas e
ocorrências com que compõe novos cenários
e estabelece produtivos objetivos.”
18
Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis,
Divaldo P. Franco
Criatividade
“A criatividade dá sentido à
existência, que não estaciona ante o já
conseguido, demonstrando a excelência
de tudo quanto falta para ser alcançado.
Liberta do encarceramento elaborado
pelo ego, rompendo o círculo da
comodidade e impulsionando a novas
experiências.”
19
Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis,
Divaldo P. Franco
Criatividade
“A mente criativa é
atuante e renovadora,
propiciando beleza ao ser,
que se faz solidário no
grupo social, participante
dos interesses gerais, aos
quais se afeiçoa, enquanto
vive as próprias
expectativas elaboradas
pelo pensamento
idealista.”
20
Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade,
Joanna de Angelis, Divaldo P. Franco
Vivemos em um época de transição
A época atual é de transição,
confundem-se os elementos das
duas gerações.
Colocados no ponto intermédio,
assistimos à partida de uma e à chegada
da outra, já se assinalando cada uma, no
mundo, pelos caracteres que lhes são
peculiares.
A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 28.
21
“… uma menininha que estava numa aula de
desenho. Ela tinha seis anos e estava lá no
fundo, desenhando. A professora disse que
essa menininha quase nunca prestava
atenção na aula, e dessa vez ela prestou.
A professora ficou fascinada, foi até ela e
perguntou: "O que você está desenhando?" E
a menina respondeu: "Estou desenhando
Deus." E a professora disse: "Mas ninguém
conhece a aparência de Deus." E a menina
disse: "Vão conhecer num minuto."
Palestra de Ken Robinson, TED, As escolas acabam com
a criatividade
Histórias de Criatividade 22
“Gillian, como você se tornou dançarina?" E ela respondeu
que foi interessante, quando ela estava na escola, ela estava
desanimada. E a escola, nos anos 30, escreveu para os pais
dizendo: "Achamos que a Gillian tem dificuldade de
aprendizado." Ela não conseguia se concentrar, era inquieta.
… Então a mandaram para um especialista.
“… Mas enquanto os pais saiam da sala, o especialista ligou o
rádio que estava sobre a mesa. E quando eles saíram da sala,
ele disse para a mãe: "Só a escute e a observe." E assim
que eles deixaram a sala, ela disse, ela estava de pé, se
movendo com a música.”
"Sra. Lynne, a Gillian não está doente, ela é uma dançarina.
Leve-a para uma escola de dança."
Palestra de Ken Robinson, TED, As escolas acabam com a
criatividade
Histórias de Criatividade 23
Eu posso apressar o progresso de uma
criança, posso desenvolver sua inteligência,
mobiliar seu espírito; (...)
Quantas crianças não foram injustamente
taxadas de incapazes, porque não
conseguiam aprender as línguas mortas!
Quantas outras não foram qualificadas de
prodígios, porque aos dez anos faziam
maravilhosamente temas e versões, e foram
nulidades no mundo!
(Discurso de 1834, Denizard Rivail)
Educação Moral e Educação Material24
Estes resultados morais, os mais
importantes sem dúvida, que ele não terá
obtido senão às custas de perseverança e
habilidade, lhe serão frequentemente
contados como nada. (...)
Prefere-se o material, porque pode-se vê-lo,
porque ele cai sob os nossos sentidos; não se
despreza o outro resultado, mas ele é menos
apreciado, porque nos atinge menos
sensivelmente
(Discurso de 1834, Denizard Rivail)25/42
Educação Moral e Educação Material25
Características:
 Correm riscos;
 Confiança e ingenuidade;
 Curiosidade e interesse;
 Aprendizado com o meio e bons exemplos;
 Sinceridade e
afetividade;
 Fantasias e
Brincadeiras;
 Criatividade;
 Mediunidade
(ligação com o alto). Livro, Educação Segundo o Espiritismo, Dora Incontri
Aprendendo Criatividade
com as Crianças 26
Se esperais que o mundo se apazígue e que a luz
venha a brilhar no coração dos homens, deixai que
as crianças bebam livremente do fluxo da vida e
se banhem nas margens da Mãe Natureza.
Não as tranqueis em caixas de concreto, não as
obrigueis à rigidez do corpo e não a impúnheis
fórmulas prontas ao espírito!
Voltai ao campo, se
quiserdes salvar o
planeta...
Espírito Tagore, Livro Educação Segundo o
Espiritismo, Dora Incontri.
Aprendendo Criatividade
com a Natureza
27
Aprendendo com os Bons Espíritos
462. É sempre de dentro de si mesmos que os
homens inteligentes e de gênio tiram suas
ideias?
“Algumas vezes, elas lhes vêm do seu
próprio Espírito, porém, de outras muitas,
lhes são sugeridas por Espíritos que os
julgam capazes de compreendê-las e dignos de
vulgarizá-las. Quando tais homens não as
acham em si mesmos, apelam para a
inspiração. Fazem assim, sem o
suspeitarem, uma verdadeira evocação.”
28
Cap. IX – Intervenção dos espíritos no Mundo Corpóreo, Livros dos
Espíritos, Allan Kardec
Aprendendo com Jesus Cristo
“Não julgueis que vim trazer paz a Terra;
não vim trazer-lhe paz, mas espada; porque
vim separar o homem contra seu pai, e a filha
contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; e os
inimigos do homem serão os seus mesmos
domésticos.” (Mateus, X: 34-36).
Toda ideia nova encontra forçosamente
oposição, e não houve uma única que se
implantasse sem lutas.
O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, capítulo XXIII,
Moral Estranha
29
Transição Moral da Terra
Nestes tempos, porém, não se trata de
uma mudança parcial, de uma renovação
limitada a certa região, ou a um povo, a
uma raça.
Trata-se de um movimento universal, a
operar-se no sentido do progresso moral.
Mas, uma mudança tão radical como a
que se está elaborando não pode
realizar-se sem comoções.
A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 6.
30
Transição Moral da Terra
Há, inevitavelmente, luta de ideias.
Desse conflito forçosamente se originarão
passageiras perturbações, até que o terreno se
ache aplanado e restabelecido o equilíbrio.
É, pois, da luta das ideias que surgirão os
graves acontecimentos preditos e não de
cataclismos ou catástrofes puramente
materiais.
Os cataclismos gerais foram consequência do
estado de formação da Terra. Hoje, não são mais
as entranhas do planeta que se agitam:
são as da Humanidade.
A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 7.
31
Imenso progresso à realizar
Os homens, com a sua inteligência,
chegaram a resultados que jamais haviam
alcançado, sob o ponto de vista das
ciências, das artes e do bem-estar
material.
Resta-lhes ainda um imenso progresso a
realizar: o de fazerem que entre si reinem
a caridade, a fraternidade, a
solidariedade, que lhes assegurem
o bem-estar moral.
A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 5.
32
“Todos os seres que conhecemos, do verme ao
anjo, são herdeiros da Divindade que nos
confere a existência e todos somos
depositários de faculdades criadoras.”
“De um modo ou de outro, porém, tudo isto são
sempre as faculdades criadoras, herdadas de
Deus, em jogo permanente nos quadros da vida.
Todo ser é impulsionado a criar, na
organização, conservação e extensão
do Universo!”
Livro No Mundo Maior, André Luiz, Psicografia Chico Xavier
33
Cocriadores da evolução 33
Os trabalhadores da última hora
“Se, entre os chamados para o Espiritismo, muitos
se transviaram, quais os sinais pelos quais
reconheceremos os que se acham no bom
caminho?
Reconhecê-los eis pelos princípios da verdadeira
caridade que eles ensinarão e praticarão.
Reconhecê-los eis pelo número de aflitos a que
levem consolo; reconhecê-los eis pelo seu amor
ao próximo, pela sua abnegação, pelo seu
desinteresse pessoal; reconhecê-los eis,
finalmente, pelo triunfo de seus princípios,
porque Deus quer o triunfo de sua lei;”
O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, capítulo XX,
Os trabalhadores da última hora
34
Os trabalhadores da última hora
“Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as
coisas anunciadas para a transformação da
Humanidade.
Ditosos serão os que houverem trabalhado no
campo do Senhor, com desinteresse e sem outro
móvel, senão a caridade!
Ditosos os que hajam dito a seus irmãos:
“Trabalhemos juntos e unamos os nossos
esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar,
encontre acabada a obra...”
O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, capítulo XX,
Os trabalhadores da última hora
35
Trabalhadores da última hora
1019. Todos vós, homens de fé e de boa
vontade, trabalhai, portanto, com ânimo e zelo
na grande obra da regeneração, que colhereis pelo
cêntuplo o grão que houverdes semeado.
Ai dos que fecham os olhos à luz! Preparam
para si mesmos longos séculos de trevas e
decepções. Ai dos que fazem dos bens deste
mundo a fonte de todas as suas alegrias! ...
Ai, sobretudo, dos egoístas! Não acharão quem
os ajude a carregar o fardo de suas misérias.
São Luis”
36
Cap. II – Das penas e gozos futuros, Livros dos Espíritos Espíritos, Allan
Kardec
Não é fim do mundo material!
O que se prepara não é, pois, o fim do mundo
material, mas o fim do mundo moral.
É o velho mundo, o mundo dos
preconceitos, do orgulho, do egoísmo e do
fanatismo que se esboroa. Cada dia leva
consigo alguns destroços.
Tudo dele acabará com a geração que se vai e
a geração nova erguerá o novo edifício,
que as gerações seguintes
consolidarão e completarão.
Allan Kardec – Obras Póstumas – Regeneração da humanidade. 25 de
abril de 1866.
37
Pensamento e Vida38
Pensamento e vida, pois, são termos da equação
existencial do ser humano.
Pensando na necessidade de ascensão, os heróis,
os cientistas, os mártires, os educadores e os
santos edificaram o mundo melhor, que ainda
não alcançou o seu ápice, porque tu e outros
ainda não vos convencestes de pensar bem,
agindo melhor; para conquistardes a vitória
sobre as paixões, a dor e a infelicidade.
Livro Vida Feliz, Joanna de Angelis, Psicografia Divaldo Franco
É o início de um Mundo Fraterno!
Avistai ao longe as margens do futuro!
Mundo Fraterno 39
Lá está a terra prometida da paz e da
esperança, que a humanidade sonha desde
os mais antigos mitos…
Lá está o mundo pacificado, sem as
fronteiras do ódio e da ambição; lá está a ilha
da liberdade, cercada pelo universo, tornado
habitado pelas almas afins de outras
galáxias; lá está a fraternidade erigida em
traço comum da conduta de todos
os homens e mulheres...
Espírito do educador Comenius, Livro Educação
Segundo o Espiritismo, Dora Incontri
Mundo Fraterno 40
A Pergunta que fica…
Que “riscos” devo
correr em prol da
minha evolução
moral?
 A Gênese, Allan Kardec
 O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec
 O Livro dos Espíritos, Allan Kardec
 Apresentação Espiritismo e a Regeneração da Humanidade.
http://www.slideshare.net/gracinha45/o-espiritismo-e-a-regenerao-da-humanidade
 Apresentação sobre Criatividade, Feparana
 Livro O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry
 Revista Espírita, Allan Kardec, Maio 1867
 Apostila Orientação à Ação Evangelizadora Espírita da Infância, FEB, 2015
 Subsídios e Diretrizes
 Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis, Divaldo P. Franco
 Discurso do diretora de escola Denizard Rivail (Allan Kardec), 1834,
 Livro Educação Segundo o Espiritismo, Dora Incontri
 Palestra de Ken Robinson, TED, As escolas acabam com a criatividade,
https://www.ted.com/talks/ken_robinson_says_schools_kill_creativity/
 Livro No Mundo Maior, André Luiz, Psicografia Chico Xavier
 Livro Vida Feliz, Joanna de Angelis, Psicografia Divaldo Franco
 Apresentação sobre Criatividade, http://www.slideshare.net/Lavennder/criativity
Referências Bibliográficas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Palestra Espírita - Parábola do festim de bodas
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodasPalestra Espírita - Parábola do festim de bodas
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodas
Divulgador do Espiritismo
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
Graça Maciel
 
Ingratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestadosIngratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestados
Graça Maciel
 
O Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósO Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nós
Ricardo Azevedo
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
Jorge Luiz dos Santos
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
duadv
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
Izabel Cristina Fonseca
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
Ponte de Luz ASEC
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro Espírita
Ricardo Azevedo
 
Palestra Pública - A verdadeira cura
Palestra Pública - A verdadeira curaPalestra Pública - A verdadeira cura
Palestra Pública - A verdadeira cura
nelmarvoc
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A Vontade
A VontadeA Vontade
A Vontade
Ceile Bernardo
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Denise Aguiar
 
Estar Desperto
Estar DespertoEstar Desperto
Estar Desperto
Ricardo Azevedo
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
Izabel Cristina Fonseca
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Fernando Pinto
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A prece
A prece A prece
A prece
Graça Maciel
 

Mais procurados (20)

Palestra Espírita - Parábola do festim de bodas
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodasPalestra Espírita - Parábola do festim de bodas
Palestra Espírita - Parábola do festim de bodas
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
 
Ingratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestadosIngratidão por benefícios prestados
Ingratidão por benefícios prestados
 
O Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósO Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nós
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
A dor na nossa evolução
A dor na nossa evoluçãoA dor na nossa evolução
A dor na nossa evolução
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro Espírita
 
Palestra Pública - A verdadeira cura
Palestra Pública - A verdadeira curaPalestra Pública - A verdadeira cura
Palestra Pública - A verdadeira cura
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
A Vontade
A VontadeA Vontade
A Vontade
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
 
Estar Desperto
Estar DespertoEstar Desperto
Estar Desperto
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
 
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)Ese cap 8  bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
Ese cap 8 bem aventurados os que tem puro o coracao final (1)
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
 
A prece
A prece A prece
A prece
 

Destaque

Ag 110406-as predições do evangelho-são chegados os tempos
Ag 110406-as predições do evangelho-são chegados os temposAg 110406-as predições do evangelho-são chegados os tempos
Ag 110406-as predições do evangelho-são chegados os tempos
Carlos Alberto Freire De Souza
 
6920511 divaldo-franco-joanna-de-angelis-amor-imbativel-amor
6920511 divaldo-franco-joanna-de-angelis-amor-imbativel-amor6920511 divaldo-franco-joanna-de-angelis-amor-imbativel-amor
6920511 divaldo-franco-joanna-de-angelis-amor-imbativel-amor
Ana Cristina Freitas
 
Venezuela
VenezuelaVenezuela
Venezuela
israelconlago
 
O fim do mundo
O fim do mundoO fim do mundo
Congresso - A GÉNESE DOS NOVOS TEMPOS
Congresso - A GÉNESE DOS NOVOS TEMPOSCongresso - A GÉNESE DOS NOVOS TEMPOS
Congresso - A GÉNESE DOS NOVOS TEMPOS
Victor Passos
 
Chico xavier -_o_espirito_da_verdade
Chico xavier -_o_espirito_da_verdadeChico xavier -_o_espirito_da_verdade
Chico xavier -_o_espirito_da_verdade
havatar
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
feetins
 
Os visitantes de alcione
Os visitantes de alcioneOs visitantes de alcione
Os visitantes de alcione
Marcia 1810
 
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Fatima Carvalho
 
O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o EspiritismoIntroducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
CEVP - Divulgação
 

Destaque (11)

Ag 110406-as predições do evangelho-são chegados os tempos
Ag 110406-as predições do evangelho-são chegados os temposAg 110406-as predições do evangelho-são chegados os tempos
Ag 110406-as predições do evangelho-são chegados os tempos
 
6920511 divaldo-franco-joanna-de-angelis-amor-imbativel-amor
6920511 divaldo-franco-joanna-de-angelis-amor-imbativel-amor6920511 divaldo-franco-joanna-de-angelis-amor-imbativel-amor
6920511 divaldo-franco-joanna-de-angelis-amor-imbativel-amor
 
Venezuela
VenezuelaVenezuela
Venezuela
 
O fim do mundo
O fim do mundoO fim do mundo
O fim do mundo
 
Congresso - A GÉNESE DOS NOVOS TEMPOS
Congresso - A GÉNESE DOS NOVOS TEMPOSCongresso - A GÉNESE DOS NOVOS TEMPOS
Congresso - A GÉNESE DOS NOVOS TEMPOS
 
Chico xavier -_o_espirito_da_verdade
Chico xavier -_o_espirito_da_verdadeChico xavier -_o_espirito_da_verdade
Chico xavier -_o_espirito_da_verdade
 
Transição planetária
Transição planetáriaTransição planetária
Transição planetária
 
Os visitantes de alcione
Os visitantes de alcioneOs visitantes de alcione
Os visitantes de alcione
 
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
 
O espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidadeO espiritismo e a regeneração da humanidade
O espiritismo e a regeneração da humanidade
 
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o EspiritismoIntroducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
Introducao ao Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo
 

Semelhante a Criatividade e Regeneração

Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Tacaraci Fernandes Vieira
 
Crianças índigo
Crianças índigoCrianças índigo
Crianças índigo
Dalila Melo
 
Espiritismo e espíritas.pptx
Espiritismo e espíritas.pptxEspiritismo e espíritas.pptx
Espiritismo e espíritas.pptx
ssuser7710ea
 
Cegos nastrevascegosnaluzsemimagens
Cegos nastrevascegosnaluzsemimagensCegos nastrevascegosnaluzsemimagens
Cegos nastrevascegosnaluzsemimagens
maria garrido
 
Vozesdoalemsoniarinaldi/coloniasespirituais/suely
Vozesdoalemsoniarinaldi/coloniasespirituais/suelyVozesdoalemsoniarinaldi/coloniasespirituais/suely
Vozesdoalemsoniarinaldi/coloniasespirituais/suely
Aurora Boreal
 
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediunsLeon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
EWALDO DE SOUZA
 
Futuras gerações-Importância da Evangelização.
Futuras gerações-Importância da Evangelização.Futuras gerações-Importância da Evangelização.
Futuras gerações-Importância da Evangelização.
Dionara Espíndola
 
Fundação Emmanuel
Fundação EmmanuelFundação Emmanuel
Fundação Emmanuel
Osvaldo Brascher
 
Estudo do livro Roteiro lição 7
Estudo do livro Roteiro lição 7Estudo do livro Roteiro lição 7
Estudo do livro Roteiro lição 7
Candice Gunther
 
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristal
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristalVisão espírita sobre as crianças índigo e cristal
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristal
naidja
 
Ismael - Um Romance da Condição Humana - Daniel Quinn
Ismael - Um Romance da Condição Humana - Daniel QuinnIsmael - Um Romance da Condição Humana - Daniel Quinn
Ismael - Um Romance da Condição Humana - Daniel Quinn
Diego Silva
 
Allan kardec revista espirita 1865
Allan kardec revista espirita 1865Allan kardec revista espirita 1865
Allan kardec revista espirita 1865
Henrique Vieira
 
Crianças Indigo e Cristal
Crianças Indigo e CristalCrianças Indigo e Cristal
Crianças Indigo e Cristal
guestd2718d
 
Crianças índigo e_cristal_-_ek
Crianças índigo e_cristal_-_ekCrianças índigo e_cristal_-_ek
Crianças índigo e_cristal_-_ek
Jana Marques
 
Crianças índigos e_cristal
Crianças índigos e_cristalCrianças índigos e_cristal
Crianças índigos e_cristal
sarabolive
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 40 - Diante da Terra
Série Evangelho no Lar - Cap. 40 - Diante da TerraSérie Evangelho no Lar - Cap. 40 - Diante da Terra
Série Evangelho no Lar - Cap. 40 - Diante da Terra
Ricardo Azevedo
 
Espiritismo e kardec
Espiritismo e kardec Espiritismo e kardec
Espiritismo e kardec
Marcelle Dafré
 
O Livro dos Espíritos
O Livro dos EspíritosO Livro dos Espíritos
O Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação
 
Olivrodosespritos01 091215034126-phpapp01
Olivrodosespritos01 091215034126-phpapp01Olivrodosespritos01 091215034126-phpapp01
Olivrodosespritos01 091215034126-phpapp01
Alberto Barth
 
Não se envergonhar apresentação
Não se envergonhar  apresentaçãoNão se envergonhar  apresentação
Não se envergonhar apresentação
Izabel Cristina Fonseca
 

Semelhante a Criatividade e Regeneração (20)

Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
Allan kardec-150-anos-le-120528729896746-2
 
Crianças índigo
Crianças índigoCrianças índigo
Crianças índigo
 
Espiritismo e espíritas.pptx
Espiritismo e espíritas.pptxEspiritismo e espíritas.pptx
Espiritismo e espíritas.pptx
 
Cegos nastrevascegosnaluzsemimagens
Cegos nastrevascegosnaluzsemimagensCegos nastrevascegosnaluzsemimagens
Cegos nastrevascegosnaluzsemimagens
 
Vozesdoalemsoniarinaldi/coloniasespirituais/suely
Vozesdoalemsoniarinaldi/coloniasespirituais/suelyVozesdoalemsoniarinaldi/coloniasespirituais/suely
Vozesdoalemsoniarinaldi/coloniasespirituais/suely
 
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediunsLeon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
Leon denis-os-espiritos-e-os-mediuns
 
Futuras gerações-Importância da Evangelização.
Futuras gerações-Importância da Evangelização.Futuras gerações-Importância da Evangelização.
Futuras gerações-Importância da Evangelização.
 
Fundação Emmanuel
Fundação EmmanuelFundação Emmanuel
Fundação Emmanuel
 
Estudo do livro Roteiro lição 7
Estudo do livro Roteiro lição 7Estudo do livro Roteiro lição 7
Estudo do livro Roteiro lição 7
 
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristal
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristalVisão espírita sobre as crianças índigo e cristal
Visão espírita sobre as crianças índigo e cristal
 
Ismael - Um Romance da Condição Humana - Daniel Quinn
Ismael - Um Romance da Condição Humana - Daniel QuinnIsmael - Um Romance da Condição Humana - Daniel Quinn
Ismael - Um Romance da Condição Humana - Daniel Quinn
 
Allan kardec revista espirita 1865
Allan kardec revista espirita 1865Allan kardec revista espirita 1865
Allan kardec revista espirita 1865
 
Crianças Indigo e Cristal
Crianças Indigo e CristalCrianças Indigo e Cristal
Crianças Indigo e Cristal
 
Crianças índigo e_cristal_-_ek
Crianças índigo e_cristal_-_ekCrianças índigo e_cristal_-_ek
Crianças índigo e_cristal_-_ek
 
Crianças índigos e_cristal
Crianças índigos e_cristalCrianças índigos e_cristal
Crianças índigos e_cristal
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 40 - Diante da Terra
Série Evangelho no Lar - Cap. 40 - Diante da TerraSérie Evangelho no Lar - Cap. 40 - Diante da Terra
Série Evangelho no Lar - Cap. 40 - Diante da Terra
 
Espiritismo e kardec
Espiritismo e kardec Espiritismo e kardec
Espiritismo e kardec
 
O Livro dos Espíritos
O Livro dos EspíritosO Livro dos Espíritos
O Livro dos Espíritos
 
Olivrodosespritos01 091215034126-phpapp01
Olivrodosespritos01 091215034126-phpapp01Olivrodosespritos01 091215034126-phpapp01
Olivrodosespritos01 091215034126-phpapp01
 
Não se envergonhar apresentação
Não se envergonhar  apresentaçãoNão se envergonhar  apresentação
Não se envergonhar apresentação
 

Mais de Ricardo Azevedo

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - OferendasSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos IssoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Ricardo Azevedo
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - InimigosEvangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - ConflitoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição EspiritualSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a CrençaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoramSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Ricardo Azevedo
 
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de RetornoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Ricardo Azevedo
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - EspinhosEvangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Ricardo Azevedo
 
Sintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Sintonia - Escolha, Pensamento e ElevaçãoSintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Sintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 125 - Separação
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 125 - SeparaçãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 125 - Separação
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 125 - Separação
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 124 - Não Falta
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 124 - Não FaltaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 124 - Não Falta
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 124 - Não Falta
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 123 - Condição Comum
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 123 - Condição ComumSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 123 - Condição Comum
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 123 - Condição Comum
Ricardo Azevedo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 122 - Pecado e Pecador
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 122 - Pecado e PecadorSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 122 - Pecado e Pecador
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 122 - Pecado e Pecador
Ricardo Azevedo
 

Mais de Ricardo Azevedo (20)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - OferendasSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 139 - Oferendas
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos IssoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 140 - Vejamos Isso
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - InimigosEvangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 137 - Inimigos
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - ConflitoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 136 - Conflito
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição EspiritualSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 134 - Nutrição Espiritual
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 132 - Em tudo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a CrençaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 131 - O Mundo e a Crença
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 130 - Onde estão?
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoramSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 128 - É porque ignoram
 
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
Jesus - O Amor na forma humana (1a. edição)
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de RetornoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 127 - Lei de Retorno
 
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - EspinhosEvangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 126 - Espinhos
 
Sintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Sintonia - Escolha, Pensamento e ElevaçãoSintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
Sintonia - Escolha, Pensamento e Elevação
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 125 - Separação
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 125 - SeparaçãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 125 - Separação
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 125 - Separação
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 124 - Não Falta
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 124 - Não FaltaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 124 - Não Falta
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 124 - Não Falta
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 123 - Condição Comum
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 123 - Condição ComumSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 123 - Condição Comum
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 123 - Condição Comum
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 122 - Pecado e Pecador
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 122 - Pecado e PecadorSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 122 - Pecado e Pecador
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 122 - Pecado e Pecador
 

Último

Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (18)

Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 

Criatividade e Regeneração

  • 2. Os tempos estão chegados... São chegados os tempos, dizem-nos de todas as partes, marcados por Deus, em que grandes acontecimentos se vão dar para regeneração da Humanidade. Em que sentido se devem entender essas palavras proféticas? A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 1. 2
  • 3. Os tempos estão chegados... Para os incrédulos, nenhuma importância têm; aos seus olhos, nada mais exprimem que uma crença pueril, sem fundamento. Para a maioria dos crentes, elas apresentam qualquer coisa de místico e de sobrenatural, parecendo-lhes prenunciadoras da subversão das leis da natureza. São igualmente errôneas ambas essas interpretações... A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 1. 3
  • 4. Tudo na Criação é Harmonia … o nosso globo, como tudo o que existe, esta submetido à lei do progresso. Ele progride, fisicamente, pela transformação dos elementos que o compõem e, moralmente, pela depuração dos Espíritos encarnados e desencarnados que o povoam. Ambos esses progressos se realizam paralelamente, porquanto o melhoramento da habitação guarda relação com o do habitante. A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 2. 4
  • 5. Ciclo Evolutivo dos Planetas Primitivo Provas e Expiações Regeneração Feliz Puro Criatividade
  • 6. O que é Criatividade? "A criatividade é a faculdade humana que trata, em especial, da habilidade em criar e inovar, construindo formas de ver, de se relacionar e de realizar ações diferentes das habituais. É caracterizada pela originalidade de pensamento, capacidade de imaginação, autoconfiança, improvisação, flexibilidade, sensibilidade e curiosidade.” FEB, 2015 6
  • 7. Rotina e Repetição 7 A rotina e a repetição ocupam o espaço que deveríamos deixar para a criatividade e a inovação Chronos x Kairos
  • 8. Nos acostumamos a andar somente pelo “Caminho da Roça”? 8
  • 9. Seguindo o Regulamento? Bom dia. Por que acabas de apagar teu lampião ? - É o regulamento, respondeu o acendedor. Bom dia. - Qual é o regulamento? - É apagar meu lampião. Boa noite. E tornou a acender. - Mas por que acabas de acendê-lo de novo? - É o regulamento, respondeu o acendedor. - Eu não compreendo, disse o príncipe. - Não é para compreender, disse o acendedor. Regulamento é regulamento. Bom dia. 9 Livro O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry
  • 10. O mundo está mudando, mas o regulamento não... E apagou o lampião. Em seguida enxugou a testa num lenço xadrez vermelho. - Eu executo uma tarefa terrível. No ano passado, era mais sensato. Apagava de manhã e acendia à noite. Tinha o resto do dia para descansar e o resto da noite para dormir... - E depois mudou o regulamento? - O regulamento não mudou, disse o acendedor. Aí é que está o problema! O planeta a cada ano gira mais depressa, e o regulamento não muda! 10
  • 11. A Criatividade como alavanca para Regeneração 11
  • 12. Todos somos criativos? 12 Una os nove pontos com 4 retas ligadas.
  • 13. Todos somos criativos? 13 Una os nove pontos com 4 retas ligadas. para responder precisamos pensar fora da Caixa!
  • 14. Pensando fora da caixa! 14
  • 15. Astúcia e Criatividade “O instinto, por não possuir a faculdade de pensar, adquire e exterioriza a astúcia, que é um mecanismo, através do qual consegue o que persegue. Habilidade, perseverança, artimanhas fazem parte dessa manifestação que tipifica diversos animais dentre os quais alguns seres humanos.” 15 Livro Amor Imbatível Amor, Capítulo Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis, Divaldo P. Franco
  • 16. Astúcia “O astuto busca enganar, enganando-se. Inseguro, tenta a lisonja, o enredo falso e se emaranha na tecedura da rede de ilusões. … Essa couraça do medo que comprime e libera os mecanismos de fuga da realidade e do dever, deve ser removida pela energia da razão...” 16 Livro Amor Imbatível Amor, Capítulo Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis, Divaldo P. Franco
  • 17. Criatividade “A criatividade se deriva da faculdade de pensar, que se renova sem cessar. Considerava J. Paul Sartre que o homem se reinventa, que está sempre engendrando ideias, meios e formas para ser novo, para estar novo. Naturalmente, o homem criativo é capaz de reinventar-se, de sair da rotina, de buscar novos desafios e entregar-se a contínuos anelos de evolução.” 17 Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis, Divaldo P. Franco
  • 18. Criatividade “A criatividade inspira à busca do real, embora no campo imaginário, conduzindo o ser psicológico à aquisição de recursos que o emulam ao desenvolvimento das potencialidades nele jacentes. Quando bem direcionada, supera a fantasia, que se lhe pode antecipar, penetrando no âmago das coisas e ocorrências com que compõe novos cenários e estabelece produtivos objetivos.” 18 Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis, Divaldo P. Franco
  • 19. Criatividade “A criatividade dá sentido à existência, que não estaciona ante o já conseguido, demonstrando a excelência de tudo quanto falta para ser alcançado. Liberta do encarceramento elaborado pelo ego, rompendo o círculo da comodidade e impulsionando a novas experiências.” 19 Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis, Divaldo P. Franco
  • 20. Criatividade “A mente criativa é atuante e renovadora, propiciando beleza ao ser, que se faz solidário no grupo social, participante dos interesses gerais, aos quais se afeiçoa, enquanto vive as próprias expectativas elaboradas pelo pensamento idealista.” 20 Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis, Divaldo P. Franco
  • 21. Vivemos em um época de transição A época atual é de transição, confundem-se os elementos das duas gerações. Colocados no ponto intermédio, assistimos à partida de uma e à chegada da outra, já se assinalando cada uma, no mundo, pelos caracteres que lhes são peculiares. A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 28. 21
  • 22. “… uma menininha que estava numa aula de desenho. Ela tinha seis anos e estava lá no fundo, desenhando. A professora disse que essa menininha quase nunca prestava atenção na aula, e dessa vez ela prestou. A professora ficou fascinada, foi até ela e perguntou: "O que você está desenhando?" E a menina respondeu: "Estou desenhando Deus." E a professora disse: "Mas ninguém conhece a aparência de Deus." E a menina disse: "Vão conhecer num minuto." Palestra de Ken Robinson, TED, As escolas acabam com a criatividade Histórias de Criatividade 22
  • 23. “Gillian, como você se tornou dançarina?" E ela respondeu que foi interessante, quando ela estava na escola, ela estava desanimada. E a escola, nos anos 30, escreveu para os pais dizendo: "Achamos que a Gillian tem dificuldade de aprendizado." Ela não conseguia se concentrar, era inquieta. … Então a mandaram para um especialista. “… Mas enquanto os pais saiam da sala, o especialista ligou o rádio que estava sobre a mesa. E quando eles saíram da sala, ele disse para a mãe: "Só a escute e a observe." E assim que eles deixaram a sala, ela disse, ela estava de pé, se movendo com a música.” "Sra. Lynne, a Gillian não está doente, ela é uma dançarina. Leve-a para uma escola de dança." Palestra de Ken Robinson, TED, As escolas acabam com a criatividade Histórias de Criatividade 23
  • 24. Eu posso apressar o progresso de uma criança, posso desenvolver sua inteligência, mobiliar seu espírito; (...) Quantas crianças não foram injustamente taxadas de incapazes, porque não conseguiam aprender as línguas mortas! Quantas outras não foram qualificadas de prodígios, porque aos dez anos faziam maravilhosamente temas e versões, e foram nulidades no mundo! (Discurso de 1834, Denizard Rivail) Educação Moral e Educação Material24
  • 25. Estes resultados morais, os mais importantes sem dúvida, que ele não terá obtido senão às custas de perseverança e habilidade, lhe serão frequentemente contados como nada. (...) Prefere-se o material, porque pode-se vê-lo, porque ele cai sob os nossos sentidos; não se despreza o outro resultado, mas ele é menos apreciado, porque nos atinge menos sensivelmente (Discurso de 1834, Denizard Rivail)25/42 Educação Moral e Educação Material25
  • 26. Características:  Correm riscos;  Confiança e ingenuidade;  Curiosidade e interesse;  Aprendizado com o meio e bons exemplos;  Sinceridade e afetividade;  Fantasias e Brincadeiras;  Criatividade;  Mediunidade (ligação com o alto). Livro, Educação Segundo o Espiritismo, Dora Incontri Aprendendo Criatividade com as Crianças 26
  • 27. Se esperais que o mundo se apazígue e que a luz venha a brilhar no coração dos homens, deixai que as crianças bebam livremente do fluxo da vida e se banhem nas margens da Mãe Natureza. Não as tranqueis em caixas de concreto, não as obrigueis à rigidez do corpo e não a impúnheis fórmulas prontas ao espírito! Voltai ao campo, se quiserdes salvar o planeta... Espírito Tagore, Livro Educação Segundo o Espiritismo, Dora Incontri. Aprendendo Criatividade com a Natureza 27
  • 28. Aprendendo com os Bons Espíritos 462. É sempre de dentro de si mesmos que os homens inteligentes e de gênio tiram suas ideias? “Algumas vezes, elas lhes vêm do seu próprio Espírito, porém, de outras muitas, lhes são sugeridas por Espíritos que os julgam capazes de compreendê-las e dignos de vulgarizá-las. Quando tais homens não as acham em si mesmos, apelam para a inspiração. Fazem assim, sem o suspeitarem, uma verdadeira evocação.” 28 Cap. IX – Intervenção dos espíritos no Mundo Corpóreo, Livros dos Espíritos, Allan Kardec
  • 29. Aprendendo com Jesus Cristo “Não julgueis que vim trazer paz a Terra; não vim trazer-lhe paz, mas espada; porque vim separar o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; e os inimigos do homem serão os seus mesmos domésticos.” (Mateus, X: 34-36). Toda ideia nova encontra forçosamente oposição, e não houve uma única que se implantasse sem lutas. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, capítulo XXIII, Moral Estranha 29
  • 30. Transição Moral da Terra Nestes tempos, porém, não se trata de uma mudança parcial, de uma renovação limitada a certa região, ou a um povo, a uma raça. Trata-se de um movimento universal, a operar-se no sentido do progresso moral. Mas, uma mudança tão radical como a que se está elaborando não pode realizar-se sem comoções. A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 6. 30
  • 31. Transição Moral da Terra Há, inevitavelmente, luta de ideias. Desse conflito forçosamente se originarão passageiras perturbações, até que o terreno se ache aplanado e restabelecido o equilíbrio. É, pois, da luta das ideias que surgirão os graves acontecimentos preditos e não de cataclismos ou catástrofes puramente materiais. Os cataclismos gerais foram consequência do estado de formação da Terra. Hoje, não são mais as entranhas do planeta que se agitam: são as da Humanidade. A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 7. 31
  • 32. Imenso progresso à realizar Os homens, com a sua inteligência, chegaram a resultados que jamais haviam alcançado, sob o ponto de vista das ciências, das artes e do bem-estar material. Resta-lhes ainda um imenso progresso a realizar: o de fazerem que entre si reinem a caridade, a fraternidade, a solidariedade, que lhes assegurem o bem-estar moral. A Gênese, Allan Kardec, capítulo XVIII, São chegados os tempos, Item 5. 32
  • 33. “Todos os seres que conhecemos, do verme ao anjo, são herdeiros da Divindade que nos confere a existência e todos somos depositários de faculdades criadoras.” “De um modo ou de outro, porém, tudo isto são sempre as faculdades criadoras, herdadas de Deus, em jogo permanente nos quadros da vida. Todo ser é impulsionado a criar, na organização, conservação e extensão do Universo!” Livro No Mundo Maior, André Luiz, Psicografia Chico Xavier 33 Cocriadores da evolução 33
  • 34. Os trabalhadores da última hora “Se, entre os chamados para o Espiritismo, muitos se transviaram, quais os sinais pelos quais reconheceremos os que se acham no bom caminho? Reconhecê-los eis pelos princípios da verdadeira caridade que eles ensinarão e praticarão. Reconhecê-los eis pelo número de aflitos a que levem consolo; reconhecê-los eis pelo seu amor ao próximo, pela sua abnegação, pelo seu desinteresse pessoal; reconhecê-los eis, finalmente, pelo triunfo de seus princípios, porque Deus quer o triunfo de sua lei;” O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, capítulo XX, Os trabalhadores da última hora 34
  • 35. Os trabalhadores da última hora “Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da Humanidade. Ditosos serão os que houverem trabalhado no campo do Senhor, com desinteresse e sem outro móvel, senão a caridade! Ditosos os que hajam dito a seus irmãos: “Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra...” O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec, capítulo XX, Os trabalhadores da última hora 35
  • 36. Trabalhadores da última hora 1019. Todos vós, homens de fé e de boa vontade, trabalhai, portanto, com ânimo e zelo na grande obra da regeneração, que colhereis pelo cêntuplo o grão que houverdes semeado. Ai dos que fecham os olhos à luz! Preparam para si mesmos longos séculos de trevas e decepções. Ai dos que fazem dos bens deste mundo a fonte de todas as suas alegrias! ... Ai, sobretudo, dos egoístas! Não acharão quem os ajude a carregar o fardo de suas misérias. São Luis” 36 Cap. II – Das penas e gozos futuros, Livros dos Espíritos Espíritos, Allan Kardec
  • 37. Não é fim do mundo material! O que se prepara não é, pois, o fim do mundo material, mas o fim do mundo moral. É o velho mundo, o mundo dos preconceitos, do orgulho, do egoísmo e do fanatismo que se esboroa. Cada dia leva consigo alguns destroços. Tudo dele acabará com a geração que se vai e a geração nova erguerá o novo edifício, que as gerações seguintes consolidarão e completarão. Allan Kardec – Obras Póstumas – Regeneração da humanidade. 25 de abril de 1866. 37
  • 38. Pensamento e Vida38 Pensamento e vida, pois, são termos da equação existencial do ser humano. Pensando na necessidade de ascensão, os heróis, os cientistas, os mártires, os educadores e os santos edificaram o mundo melhor, que ainda não alcançou o seu ápice, porque tu e outros ainda não vos convencestes de pensar bem, agindo melhor; para conquistardes a vitória sobre as paixões, a dor e a infelicidade. Livro Vida Feliz, Joanna de Angelis, Psicografia Divaldo Franco É o início de um Mundo Fraterno!
  • 39. Avistai ao longe as margens do futuro! Mundo Fraterno 39
  • 40. Lá está a terra prometida da paz e da esperança, que a humanidade sonha desde os mais antigos mitos… Lá está o mundo pacificado, sem as fronteiras do ódio e da ambição; lá está a ilha da liberdade, cercada pelo universo, tornado habitado pelas almas afins de outras galáxias; lá está a fraternidade erigida em traço comum da conduta de todos os homens e mulheres... Espírito do educador Comenius, Livro Educação Segundo o Espiritismo, Dora Incontri Mundo Fraterno 40
  • 41. A Pergunta que fica… Que “riscos” devo correr em prol da minha evolução moral?
  • 42.  A Gênese, Allan Kardec  O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec  O Livro dos Espíritos, Allan Kardec  Apresentação Espiritismo e a Regeneração da Humanidade. http://www.slideshare.net/gracinha45/o-espiritismo-e-a-regenerao-da-humanidade  Apresentação sobre Criatividade, Feparana  Livro O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry  Revista Espírita, Allan Kardec, Maio 1867  Apostila Orientação à Ação Evangelizadora Espírita da Infância, FEB, 2015  Subsídios e Diretrizes  Livro Amor Imbatível Amor, Astúcia e Criatividade, Joanna de Angelis, Divaldo P. Franco  Discurso do diretora de escola Denizard Rivail (Allan Kardec), 1834,  Livro Educação Segundo o Espiritismo, Dora Incontri  Palestra de Ken Robinson, TED, As escolas acabam com a criatividade, https://www.ted.com/talks/ken_robinson_says_schools_kill_creativity/  Livro No Mundo Maior, André Luiz, Psicografia Chico Xavier  Livro Vida Feliz, Joanna de Angelis, Psicografia Divaldo Franco  Apresentação sobre Criatividade, http://www.slideshare.net/Lavennder/criativity Referências Bibliográficas

Notas do Editor

  1. O objetivo desta apresentação é unir criatividade e os valores morais cristãos para acelerar a evolução do nosso planeta.
  2. Esta é a eterna disputa entre chronos (o tempo dos homens, do relógio) e kairos (tempo indeterminado de algo especial),
  3. O Caminho da Roça tem ao mesmo tempo sabedoria, por encontrar o melhor meio de chegar a algum lugar, mas representa também o comodismo por repetir sempre o mesmo trajeto.
  4. O quinto planeta era muito curioso. Era o menor de todos. Tinha o espaço suficiente para um lampião e para um acendedor de lampiões... O Pequeno Príncipe não conseguia entender para que serviriam, no céu, num planeta sem casa e sem gente, um lampião e o acendedor de lampiões.
  5. As artimanhas do instinto preservam a vida do animal, quando se mimetiza a fim de livrar-se dos predadores, seus inimigos naturais que, não fosse esse valioso recurso da natureza, exterminariam as espécies de que se nutre e, graças às quais, sobrevive.
  6. A astúcia é instintiva e baseada em uma visão de escassez e redutivista do mundo. Como não tem para todo mundo deixa eu garantir o meu. O medo é o sentimento predominante.
  7. A criatividade é baseada em uma visão de possibilidades, de fatura, de potencialidades.
  8. Eu acho que hoje diriam que ela tinha TDAH. Não acham? Mas eram os anos 30, e TDAH não tinha sido inventado ainda. Não era uma doença disponível. (Risos) As pessoas não sabiam que podiam ter aquilo. Ela eventualmente fez um teste para a Royal Ballet School, se tornou uma solista e teve uma carreira fantástica na Royal Ballet. Ela eventualmente se formou na Royal Ballet School, fundou sua própria empresa, a Companhia de Dança Gillian Lynne, e conheceu Andrew Lloyd Weber. Ela foi responsável por alguns dos musicais mais bem sucedidos na história, deu alegria para milhões, e é multimilionária. Ela trabalhou em "Cats", e "O Fantasma da Ópera". Outra pessoa poderia ter receitado um remédio e dito para ela se acalmar.
  9. (…) posso fazê-la conceber mais cedo do que outros talvez poderiam; mas a natureza tem seus limites que eu não poderia transpor e esses limites não são os mesmos em todos os indivíduos; tal ideia será perceptível a uma criança de oito anos, mas para outra só será aos doze e para outra, aos quinze.
  10. … é preciso conhecer a fundo a natureza do espírito das crianças, a ordem e a maneira segundo os quais se desenvolvem as faculdades, as modificações da inteligência segundo a idade, as relações entre o físico e o psíquico; o efeito das influências exteriores, as causas que podem apressar ou atrasar o desenvolvimento das faculdades; as doenças do espírito, se assim posso me exprimir; a ordem segundo a qual nascem as ideias.
  11. Por quê Jesus gostava de falar com as crianças? É que na criança se refaz momentaneamente a pureza primitiva. Não há aí, nem hipocrisia, nem disfarce. De fato, a criança está mais perto de nossa essência divina do que o adulto já desvirtuado por uma falsa educação. Espírito Miro, Livro Educação Segundo o Espiritismo, Dora incontri.
  12. Esta lição serve muito para nós adultos para recuperarmos a simplicidade, a beleza e a grandeza da vida! Só a partir dessa ligação visceral com a natureza é que podeis falar em qualquer forma de Educação. Voltai ao campo, se quiserdes salvar o planeta e fazei de vossas crianças guardiãs de uma herança que elas desde já possam usufruir e que não lhes seja alheia e separada...
  13. 459. Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos? “Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.”
  14. Jesus vinha proclamar uma doutrina que minava pelas bases a situação de abusos em que viviam os fariseus, os escribas e os sacerdotes do seu tempo.
  15. A humanidade tem realizado, até o presente, incontestáveis progressos.
  16. Que sejamos “Sal da Terra”, “Luz do Mundo”. Que não sejamos motivo de escândalos.
  17. Eu sei as tuas obras, porque nem és frio nem quente; oxalá, foras frio ou quente ! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca." (Apocalipse, 3:15-16) 1019. Poderá jamais implantar-se na Terra o reinado do bem?
  18. Nós somos as gerações seguintes! Nós somos os trabalhadores da última hora!
  19. Para continuarmos neste fluxo e reflexão, a Pergunta que fica… Que riscos podemos correr: - Voltar a falar com um ente querido - Perdoar um desafeto, sem nada em troca - Expor o que pensa sem receio do que os outros vão dizer? - Abraçar de vez o espiritismo e ajudar na divulgação da Boa Nova de Jesus? - Liberar os filhos para explorarem o seu potencial divino? - Abandonar os velhos vícios? - Participar de um curso na Casa Espírita?