SlideShare uma empresa Scribd logo
Codigo conduta etica_ssmd (1)
Sistema de Saúde
Mãe de Deus
Congregação das Irmãs Missionárias
de São Carlos Borromeo Scalabrinianas
Julho/2012
Codigo conduta etica_ssmd (1)
ÍNDICE
❙❙ Apresentação
❙❙ Por que temos um código
❙❙ Missão e Visão
❙❙ Princípios e Valores
❙❙ Ética profissional
❙❙ O código se aplica a todos do SSMD
❙❙ Compartilhe suas
preocupações sem medo
❙❙ Políticas de não retaliação
❙❙ Recursos para fazer perguntas
ou informar preocupações
❙❙ 1. Compromisso com as leis,
regulamentos e normas
❙❙ 2. Atitude e comportamento
❙❙ 3. Patrimônio do Sistema
de Saúde Mãe de Deus
❙❙ 4. Saúde e Segurança do Trabalho
❙❙ 5. Atuação dos gestores
❙❙ 6. Relação com os
colegas de trabalho
6
7
8
9
11
12
14
17
12
14
23
18
27
30
35
❙❙ 7. Relação com o cliente
❙❙ 8. Assistência ao paciente
❙❙ 9. Relação com a Tecnologia
da Informação
❙❙ 10. Relação com os fornecedores
❙❙ 11. Relação com operadoras de
planos de assistência à saúde
❙❙ 12. Relação com o corpo clínico
❙❙ 13. Controles internos e
procedimentos contábeis
❙❙ 14. Relação com o Meio Ambiente
❙❙ 15. Relação com a imprensa
❙❙ 16. Relação com ensino e pesquisa
❙❙ 17. Das infrações e penalidades
❙❙ 18. Gestão do Código
de Conduta Ética
❙❙ 19. Contato seguro
70
73
75
41
45
52
57
59
61
79
48
65
69
6
Apresentação
O Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde
Mãe de Deus tem como objetivo explicitar e pautar
o comportamento esperado dos colaboradores,
bem como reforçar a missão e os valores da
instituição, apresentando regras e normas que
sistematizam a postura dos colaboradores da
instituição, mostrando o que se espera deles em
suas atividades profissionais e também para que
conheçam mais sobre os valores e estratégias
corporativas.
Compromisso com leis, regulamentos e contrato
de trabalho, valorização integral do indivíduo,
relacionamento com os diferentes públicos e
aceitação da diversidade são alguns dos itens que
devem estar presentes na mente e na rotina de
todos os colaboradores.
A missão, visão, os princípios e valores da instituição
direcionam as relações entre todas as partes
interessadas. As orientações contidas neste manual
devem ser observadas e atendidas por todos os
colaboradores no desempenho de suas funções.
7
Por que temos
um código de
Conduta Ética
Nosso negócio é sermos reconhecidos pela socie-
dade e pelos médicos como hospital de referência
em soluções completas de saúde e de alta comple-
xidade, com sustentabilidade econômica e social.
Acreditamos que a maneira pela qual conduzimos
nossos negócios é tão importante quanto os ne-
gócios que fazemos. Falando de maneira simples,
trabalhar com integridade e com altos padrões de
ética é o modo do SSMD de fazer negócio. Este
Código de Conduta Ética oferece uma orientação
para lidar com clientes, fornecedores, colaborado-
res, concorrentes e com o público com integrida-
de e de forma ética e apropriada.
Este código não pode descrever todas as leis, re-
gulamentações ou as políticas do SSMD que se
aplicam a nós ou a uma determinada situação.
Em vez disso, este código cria uma estrutura de
padrões éticos dentro dos quais todos os colabo-
radores devem trabalhar. Esses padrões normal-
mente são mais altos do que as obrigações legais.
O código é um guia de referência importante,
pois lutamos para conduzir nossos negócios de
uma forma ética e apropriada.
8
Missão
Garantir soluções
completas e integradas
em saúde, com
desenvolvimento
científico, tecnológico
e humano.
Visão
Ser reconhecido pela
sociedade e pelos
médicos como hospital
de referência em
soluções completas
de saúde e de alta
complexidade, com
sustentabilidade
econômica e social.
9
Princípios e Valores
❙❙ Hospital Mãe de Deus – crescimento
e fortalecimento de imagem;
❙❙ Cliente – assegurar solução completa e integrada;
❙❙ Segurança assistencial – divulgação de resultados;
❙❙ Ação social – transformação de realidades;
❙❙ Médico – compromisso com o modelo assistencial;
❙❙ Colaboradores – valorização e atitude;
❙❙ Gestão – inovadora, centrada no
cliente e com resultados;
❙❙ Sustentabilidade econômica –
perenidade institucional;
❙❙ Ensino e pesquisa – conhecimento e inovação;
❙❙ Acolhida, compaixão, justiça e
ética – atributos institucionais.
10
11
Ética
profissional
As profissões têm outros normativos éticos e ór-
gãos garantidores de tais princípios (exemplo:
Conselho Regional de Medicina, Código de Ética
Médica, etc.), para atividades profissionais específi-
cas, como, por exemplo, a prática médica.
Eventuais infrações éticas ou condutas que digam
respeito, exclusivamente, a aspectos éticos adstri-
tos à atividade profissional deverão ser julgadas à
luz de tais normativos pelos órgãos competentes.
O Código de Conduta Ética do SSMD tem por ob-
jetivo pautar e explicitar o comportamento espe-
rado pelos profissionais na instituição, obedecen-
do às leis e aos órgãos que regem as profissões.
12
o código se aplica
a todos do ssmd
Sim. Cada um tem a obrigação de ler e enten-
der este Código de Conduta Ética. Este Código de
Conduta se aplica a todos os colaboradores do
SSMD. Isso inclui os colaboradores (funcionários,
terceiros, residentes, estudantes, pesquisadores,
estagiários, etc.) , diretores e membros do Conse-
lho de Administração. Se um costume, uma cultu-
ra ou uma lei local aplicar um padrão diferente do
Código de Conduta, você deve consultar a área de
Recursos Humanos. Cada um de nós é responsável
por assegurar nossa própria conformidade com o
código. Informar suspeitas de violações e coope-
rar com a investigação da instituição em relação a
possíveis violações.
compartilhe suas
preocupações sem medo
Se você souber de uma questão relacionada ao
Código de Conduta Ética, podem existir muitas ra-
zões para você não querer compartilhar isso com
ninguém. Você pode não ter certeza do que acon-
teceu. Você pode ter medo de “causar problemas”
ou de que alguém“queira se vingar”de você. Você
pode pensar que é responsabilidade de outra pes-
soa, mas o certo é que você deve comunicar.
13
Os colaboradores que revelam suas preocupações
desempenham um papel importante na manuten-
ção da ética no local de trabalho. Você tem a res-
ponsabilidade de compartilhar as informações para
que a instituição possa responder de forma rápida
e tomar as medidas necessárias. Uma das manei-
ras mais importantes pelas quais você pode fazer a
diferença é: ao ficar ciente de atividades antiéticas
ou ilícitas no local de trabalho, informá-las imedia-
tamente, pode ser para sua chefia ou para algum
Consultor da área de Recursos Humanos (RH).
Vi o líder de minha equipe fazer algo que
pareceu antiético, mas estou com medo
de informar essa suposta violação. Terei
problemas ou mancharei sua reputação
ao fazer uma Comunicação?
Não. Você não terá problemas ou
manchará a reputação do líder de sua
equipe se fizer uma comunicação do fato.
Você não será considerado responsável
pelas comunicações feitas de boa-fé, mesmo
se elas se mostrarem infundadas. A pesquisa
e avaliação serão conduzidas de forma
objetiva, justa e confidencial para assegurar
a proteção da reputação dos colaboradores.
14
Políticas de não
retaliação
Você não perderá seu emprego ou seus benefícios
e não será rebaixado, suspenso, ameaçado, asse-
diado ou discriminado por levantar uma preocu-
pação relacionada ao Código de Conduta Ética de
forma honesta. Informar de forma honesta signi-
fica que você está sendo verdadeiro e preciso. Se
acreditar que está sofrendo retaliação por parte de
alguém, informe sobre isso como faria com uma
violação do código. Todas as preocupações com o
código e as informações de retaliação serão inte-
gralmente avaliadas.
Recursos para fazer
perguntas ou informar
preocupações
Informar suspeitas de violações ao Código de
Conduta Ética é fundamental para que a institui-
ção possa determinar adequadamente se há um
problema que precisa ser resolvido. Por essa razão,
todos têm a obrigação de informar suspeitas de
violação do Código de Conduta Ética. Se tiver per-
guntas sobre o código ou tiver ciência de possíveis
violações, há diversos recursos disponíveis:
15
❙❙ Seu líder de equipe:
Encorajamos que você leve suas perguntas e preo-
cupações para o seu líder de equipe. Se não quiser
falar com seu líder de equipe sobre sua preocupa-
ção ou se não acredita que ele tomou as medidas
necessárias, há outras pessoas a quem você pode-
rá recorrer:
❙❙ Outro líder de equipe
❙❙ Qualquer consultor da equipe de RH.
Tenho uma preocupação, mas ela não é
abordada pelo Código de Conduta Ética.
Isso significa que não há problema?
Não. É impossível que o Código de
Conduta Ética responda a todas as questões
ou a todos os dilemas éticos. Se algo não
parecer certo para você, pergunte ao líder
de sua equipe ou para um consultor de RH.
16
17
1. Compromisso
com as leis,
regulamentos
e normas
O Sistema de Saúde Mãe de Deus (SSMD) prima
pelo cumprimento das leis, regulamentos e nor-
mas aplicáveis às suas atividades, bem como po-
líticas e procedimentos internos.
2. Atitude e
comportamento
19
Os colaboradores do SSMD devem pautar sua atu-
ação profissional pelos seguintes parâmetros de
conduta:
❙❙ Coibir atitudes que se caracterizem como
comportamento abusivo, intencional e recorrente
que possa ferir a integridade física ou moral de
qualquer um dos seus colaboradores e clientes;
❙❙ Garantir um ambiente de trabalho no qual
prevaleça o respeito. Os colaboradores do hospital
devem tratar clientes, fornecedores, parceiros,
concorrentes, colegas de trabalho e comunidade
em geral com o máximo de respeito;
❙❙ Utilizar o nome do SSMD, de recursos ou do
cargo para obter vantagens pessoais constitui
prática rejeitada pela instituição;
❙❙ É vedada a utilização de recursos e instalações
do hospital para qualquer finalidade que não a
atividade-fim da instituição;
❙❙ É vedada a venda ou comercialização de
qualquer tipo de serviço ou produto que não os
da atividade-fim da instituição;
❙❙ Referir-se aos gerentes, coordenadores e
supervisores mantendo o respeito à hierarquia e
acatando as orientações e regras por eles definidas,
em conformidade com as diretrizes da instituição;
20
❙❙ Para minimizar eventuais danos ao trabalho,
os colaboradores devem reconhecer os erros
cometidos e comunicá-los, imediatamente, ao
superior hierárquico;
❙❙ Todos os colaboradores devem exercer suas
atribuições com efetividade, eliminando situações
que levem a erros ou a atrasos na prestação do
serviço;
❙❙ Todos os colaboradores devem respeitar a
diversidade de opiniões, culturas, credos, e todo
tipo de diferença entre seus colaboradores, desde
que isso não interfira no ambiente de trabalho e
não comprometa o desempenho das atividades;
❙❙ Todos os colaboradores que atuam no
SSMD devem adotar postura ética, civilizada e
responsável na condução do seu trabalho, visando
atingir o principal objetivo da instituição, que é
assegurar qualidade e segurança no atendimento
aos clientes;
❙❙ Todos os colaboradores da instituição devem
manter sua conduta interna e externa de maneira
a não afetar, sob qualquer forma, seu desempenho
profissional, o dos demais colaboradores ou dos
objetivos e propósitos do SSMD.
❙❙ Sigilo, confiabilidade e preservação do bom
nome da instituição e dos colegas de trabalho são
atitudes esperadas no ambiente de trabalho e fora
dele;
21
❙❙ Não é permitido aos colaboradores ações
e reações agressivas, assim como ofensas ou
humilhações a qualquer pessoa, mesmo diante de
situações de conflito;
❙❙ Não é permitido utilizar para fins particulares
tempo que contratualmente deveria ser dedicado
à atividade da instituição;
❙❙ Não é permitido alterar o teor de nenhum
documento, informação ou dado da instituição;
❙❙ Não são permitidos conversas e comentários so-
bre assuntos inadequados, de caráter institucional
ou não, em locais de circulação de pessoas dentro
do hospital;
❙❙ Não é permitida a demonstração de atitudes
que discriminem pessoas em decorrência de raça,
cor, sexo, opção sexual, de religião ou falta dela, de
origem, classe social, idade, incapacidade física ou
mental, bem como de quaisquer outras formas de
preconceito.
22
23
3. Patrimônio do
Sistema de Saúde
Mãe de Deus
24
Os objetos materiais e equipamentos que consti-
tuem o patrimônio do Sistema de Saúde Mãe de
Deus devem ser utilizados com atenção, zelo e cui-
dado por seus usuários, com o objetivo de evitar
danos e/ou deterioração. Os recursos da institui-
ção incluem mas não se limitam a:
❙❙ Equipamentos, maquinários, ferramentas e
peças de reposição;
❙❙ Estoque e suprimentos;
❙❙ Telefones, máquinas de cópia e de fax;
❙❙ Computadores, impressoras e outros recursos de
tecnologia;
❙❙ Sistemas e ferramentas de acesso à Internet e a
e-mail;
❙❙ Informações e registros confidenciais;
25
❙❙ Invenções e ideias;
❙❙ Reputação, etc.
Caso o usuário não tenha a devida preparação
para lidar com algum objeto do patrimônio do
SSMD, ou ainda, em caso de dúvida, deverá soli-
citar treinamento e orientação para utilizá-lo, bem
como mantê-lo no devido lugar e em condições
adequadas de uso.
Não será permitido o uso dos objetos do patrimô-
nio em benefício próprio ou retirá-los do local de
trabalho, sem autorização formal da chefia da área.
26
27
4. Saúde e
Segurança do
Trabalho
Nossa instituição acredita que os ferimentos e as
doenças ocupacionais são passíveis de prevenção
e podem ser eliminados. Para isso, contamos
com Serviço Especializado em Engenharia de
Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), que
tem por objetivo zelar pela saúde e segurança do
trabalho. Estamos comprometidos a:	
❙❙ Garantir que a segurança seja um valor
fundamental para a instituição, integrado em
nossas atividades diárias;
❙❙ Obedecer às normas e regras relativas à Saúde
e Segurança no Trabalho, cujas premissas e
orientações asseguram os cuidados aos próprios
colaboradores, aos clientes, aos pacientes e a todos
que atuam na instituição;
❙❙ Utilizar equipamentos de proteção individual
(EPIs) apropriadamente (solicitando e recebendo
treinamentoparatanto),higienizá-los,conservá-los,
guardá-los e, quando danificados ou extraviados,
substituí-los conforme orientação da instituição;
28
❙❙ Estabelecer nossos próprios padrões de higiene
e segurança ocupacional e orientação técnica com
base em melhores práticas;
❙❙ Esforçar-nos para melhorar continuamente nosso
desempenho em higiene e segurança ocupacional;
❙❙ Encorajar todo o pessoal do SSMD para contribuir
com as melhorias de segurança;
❙❙ Comparecer, sempre que solicitado, ao setor de
Saúde no Trabalho, para exames laboratoriais e
consulta médica periódica, conforme orientado
e previsto no Programa de Controle em Medicina
Saúde Ocupacional (PCMSO);
❙❙ Usar o uniforme identificador da instituição,
de acordo com as exigências do setor em que o
colaborador atua, mantendo-o em condições de
uso;
❙❙ Usar o crachá de identificação pessoal, desde a
entrada na instituição até a saída desta.
O que não permitimos:
❙❙ Uso de tatuagens e piercings aparentes/
expostos;
❙❙ Trabalhar sob o efeito de drogas ou álcool;
29
❙❙ O descomprometimento com qualquer um
dos itens citados na seção Saúde e Segurança do
Trabalho.
DICA DE CONDUTA
Lembre-se destes três compromissos bási-
cos para a segurança no local de trabalho
em suas atividades diárias:
1. Eu me recuso a executar qualquer ação
que considerar insegura ou qualquer tarefa
para a qual não fui treinado de forma ade-
quada ou para a qual não possuo as condi-
ções adequadas.
2. Interromperei imediatamente qualquer
pessoa que esteja prestes a executar ou
que esteja executando qualquer ação que
considere insegura e evitarei que qualquer
pessoa execute uma tarefa para a qual não
esteja preparada.
3. Interromperei imediatamente o que esti-
ver fazendo se alguém me questionar sobre
uma tarefa que eu esteja executando. Acata-
rei a preocupação com respeito e boa von-
tade, solicitando assistência de outra pessoa,
se necessário, antes de continuar.
30
5. Atuação dos
Gestores
31
A atuação dos gestores deve ser pautada pelo
adequado relacionamento com os colaboradores
por eles coordenados e com a instituição, pelos
seguintes parâmetros de conduta:
❙❙ Cumprir e fazer cumprir as diretrizes da
instituição;
❙❙ Empenhar-se para manter um bom clima
organizacional;
❙❙ Estimular e participar no desenvolvimento
profissional dos colaboradores;
❙❙ Mostrarem-se abertos a solucionar as dúvidas
que lhes sejam apresentadas;
❙❙ Procurar pacificar eventuais conflitos;
❙❙ Realizarfeedbackperiódicosobreodesempenho
dos seus colaboradores;
❙❙ Zelar pelo patrimônio do hospital que lhes for
confiado e orientar o seu uso;
32
❙❙ Divulgar as informações que sejam relevantes
para o bom desempenho das atividades
profissionais dos colaboradores coordenados;
❙❙ Acatar as regras e normas da instituição e zelar
para que sua equipe também as siga de forma
integral;
❙❙ Buscar atender às metas estabelecidas pela
instituição;
❙❙ Demonstrar periodicamente à Diretoria do
hospital aanálisedasmetaseresultadospropostos,
em seu planejamento estratégico e operacional.
O que não permitimos:
❙❙ Usar a função para solicitar favores ou serviços
pessoais a subordinados;
❙❙ Tolerar ou exercer atitudes que configurem
assédio moral ou sexual.
33
Em relação ao Código de Ética o gestor deve:
❙❙ Certificar-se de que conhece e entende o código
e basear seu comportamento nele;
❙❙ Deixar claro para a equipe que está disponível
para discutir suas preocupações;
❙❙ Apoiar os membros da equipe que trazem
preocupações de forma honesta e tratá-los com
respeito;
❙❙ Levar a sério as questões e as preocupações da
equipe;
❙❙ Sentir-se livre para buscar orientação antes de
responder;
❙❙ Agir para interromper as violações do código e
da lei por parte dos membros da sua equipe;
❙❙ Levar todas as preocupações ao conhecimento
dos níveis hierárquicos apropriados;
❙❙ Nunca deixar que o colaborador sinta que suas
preocupações estão sendo ignoradas;
❙❙ Assegurar-se de que não haja retaliação contra
alguém que informa uma suspeita de violação do
Código de Conduta Ética.
34
35
6. Relação com
os Colegas de
trabalho
36
O SSMD preza pelo bom relacionamento entre to-
dos os colaboradores na forma como se tratam e
se comunicam. Estamos comprometidos em ofe-
recer a nossos colaboradores um ambiente de tra-
balho livre de preconceitos, assédio, intimidação
e de outros comportamentos inapropriados. Para
isso, os colaboradores devem pautar sua atuação
profissional em equipe pelos seguintes parâme-
tros de conduta:
❙❙ Apresentar sugestões e críticas construtivas,
visando aprimorar a qualidade do trabalho;
❙❙ Respeitar e valorizar os colegas de trabalho;
❙❙ Não compactuar com qualquer ação que fira a
imagem e integridade da instituição e dos colegas.
❙❙ Exercer suas funções buscando superar desafios,
sempre com espírito empreendedor, visando à
consecução da missão institucional;
❙❙ Não criar dificuldades artificiais no exercício de
seu cargo, função ou atribuição, com o objetivo
de supervalorizar sua atuação profissional ou
minimizar a atuação dos colegas;
Constitui-se em elemento imprescindível à integri-
dade profissional em equipe auxiliar os colegas no
37
desempenho de suas funções, sempre que possí-
vel e solicitado.
Não é admissível que dificuldades que porventu-
ra venham a existir, de caráter pessoal ou coletivo,
possam prejudicar o bom relacionamento profis-
sional entre os colegas na instituição.
Violência no local
de trabalho
Estamos comprometidos com um local de traba-
lho livre de violência. Cada um de nós deve:
❙❙ Informar qualquer ato, seja físico ou psicológico,
que ameace ou atinja um colaborador de maneira
violenta ou potencialmente violenta;
❙❙ Não portar ou usar uma arma enquanto estiver
presente nas instalações ou eventos da instituição;
Qualquer situação informada que contiver a
mínima possibilidade de violência no local de
trabalho, mesmo que executada como uma
brincadeira, será avaliada pelo departamento de
Recursos Humanos.
38
Ouvi um colega ameaçar outro
colaborador e este está com medo de
informar o incidente. O que devo fazer?
Informe o incidente imediatamente. O
SSMD não tolerará ações ou ameaças de
violência e investigará todas as informações.
Vocêtemaresponsabilidadedeagirquando
souber de uma ameaça ou de um risco para
qualquer um de nossos colaboradores.
Exemplos de assédio podem incluir:
❙❙ Avanços sexuais indesejados, solicitação
de favores sexuais e outras condutas físicas
ou verbais de natureza sexual;
❙❙ Conversas, piadas, imagens e comentários
ofensivos que envolvam raça, cor, sexo,
orientação sexual, identidade de gênero,
idade, religião, credo, nacionalidade,
deficiência, status de veterano ou outras
categorias protegidas.
respeito no local
de trabalho
39
Exemplos de comportamento
inapropriado podem incluir:
❙❙ Gritos de irritação;
❙❙ Xingamentos;
❙❙ Grosserias dirigidas a outras pessoas;
❙❙ Ameaças e intimidação;
❙❙ Deboche/ridicularização em público.
40
41
7. Relação com
o cliente
42
Estamos comprometidos a oferecer serviços que
sejam seguros e satisfaçam nossos clientes. A
qualidade e a segurança do serviço não são de
responsabilidade de uma equipe ou de uma área.
Cada um de nós tem uma responsabilidade pessoal
de estar em conformidade com as políticas de
qualidade e segurança da instituição. O SSMD tem
por objetivo prestar assistência à saúde, buscando
garantirsoluçõescompletaseintegradasemsaúde,
com desenvolvimento científico, tecnológico e
humano. A relação com o cliente deve ser pautada
pelos seguintes parâmetros de conduta:
❙❙ Acolher os clientes com humanismo,
profissionalismo, competência, dedicação,
cordialidade, atenção, presteza, segurança e
respeito;
❙❙ Respeitar os direitos dos clientes, oferecendo-
lhes um tratamento digno e uma entrega dos
serviços e produtos com alto padrão de qualidade
e segurança;
❙❙ Dar respostas às suas solicitações, de forma
cordial, ágil e profissional, em prazo adequado;
43
❙❙ Prestar informação de forma clara, objetiva e
compreensível ao cliente, certificando-se de que
houve o entendimento mútuo;
❙❙ Ser receptivo às opiniões dos clientes e buscar as
melhorias necessárias e viáveis;
❙❙ Oferecer os serviços da instituição pautado pelo
compromisso e de acordo com as diretrizes éticas
do SSMD;
❙❙ Reconhecer eventuais erros cometidos e
comunicá-los imediatamente ao superior
hierárquico ou a área responsável;
❙❙ Colocar-se à disposição do cliente, seja ele
paciente ou acompanhante, para atender às
suas demandas, apresentar-lhe as explicações
ou justificativas cabíveis, pessoalmente ou por
telefone;
❙❙ Se tiver ciência de um erro, seja ele em favor do
SSMD ou não, corrija-o.
44
45
8. Assistência
ao paciente
46
Estamos comprometidos a oferecer uma assistên-
cia segura e com qualidade aos nossos pacientes,
por meio das melhores práticas e em conformida-
de com os padrões estabelecidos.
Com o objetivo de garantir a qualidade e seguran-
ça na assistência aos pacientes do SSMD e zelar
pela credibilidade e reputação da imagem da insti-
tuição, não serão permitidos:
❙❙ O ato de insubordinação ou negligência no
atendimento ao paciente;
❙❙ A recusa a atender ou apoiar o cliente, paciente
ou acompanhante;
❙❙ A falta de respeito com os clientes (paciente/
acompanhante), colegas ou superiores
hierárquicos;
❙❙ O não registro de eventos adversos;
❙❙ A desatenção no manuseio de documentos
relativos ao prontuário do paciente (em virtude do
risco de acarretar inadequação, perda ou extravio
de suas informações);
47
❙❙ A manifestação e demonstração, aos atendidos,
de insatisfações pessoais ou profissionais;
❙❙ O acesso ou manuseio de bens e
itens pertencentes aos pacientes e seus
acompanhantes;
❙❙ Insinuações ao paciente ou a seu acompanhante
sobre eventuais problemas de assistência
a eles, dentro do hospital, ou insinuações
relegando/transferindo para outro setor/colega a
responsabilidade por tais problemas;
❙❙ O não seguimento das prescrições e orientações
dos médicos e outros profissionais de saúde a
serem proporcionadas ao paciente;
❙❙ A alteração de documentos, informações ou
dados integrantes do prontuário do paciente;
❙❙ A falta de sigilo com as informações do
prontuário do paciente;
❙❙ Quaisquer outros comportamentos contrários
aos princípios de ética, honestidade e idoneidade.
48
9. Relação com
a tecnologia
da informação
49
Estamos comprometidos a proteger as informa-
ções confidenciais e os recursos de informática do
SSMD. A relação com a Tecnologia da Informação
(TI) deve ser pautada pelos seguintes parâmetros
de conduta:
❙❙ Os computadores, impressoras, softwares e
equipamentos de informática do SSMD e seus
respectivos recursos de rede devem ser utilizados
somente para serviços da instituição, salvo
mediante autorização prévia dos gestores;
❙❙ Nos recursos dos computadores e de rede
incluem-se o correio eletrônico (e-mail), telefone,
serviços de Internet, hardwares, softwares,
impressoras e copiadoras;
❙❙ É direito da instituição filtrar, monitorar e
bloquear qualquer conteúdo que possa ser
acessado em seus computadores;
❙❙ É proibida a instalação de softwares e
equipamentos não homologados pela área de
Tecnologia da Informação (TI) e que não sejam de
propriedade da instituição;
❙❙ Não é permitida a movimentação de
equipamentos de informática, salvo quando
realizada apenas pelos profissionais da área de TI;
❙❙ A senha é individual e de uso exclusivo de
cada usuário. Em nenhuma hipótese deverá ser
fornecida ou divulgada a terceiros/outros.
50
Trabalho como voluntário em uma
Organização Não Governamental (ONG)
local. Todo mês eles precisam que eu
faça cópias de folhetos. Se eu trouxer o
papel, poderei usar o equipamento da
instituição?
Não. Você não pode usar os recursos
do SSMD para trabalho voluntário. Mesmo
que esteja usando seu próprio papel, ainda
estará usando recursos da instituição, como
toner, tinta e largura de banda de rede, etc.
Um novo colaborador ainda não tem
acesso à rede. Posso emprestar minha
senha a ele?
Não. Ele deve aguardar até receber a
própria senha. Você é o responsável por
qualquer atividade processada com sua
senha. Ao manter um controle rígido de
sua senha e alterá-la periodicamente, você
estará protegendo os dados do SSMD de
usuários não autorizados.
51
Tenho um blog pessoal no qual
compartilho meus pensamentos e
sentimentos com meus amigos. O que
preciso considerar antes de incluir
informações relacionadas ao trabalho?
Seja cuidadoso. Ferramentas
de mídia como blogs, wikis, redes de
relacionamento, etc. estão sujeitas às
mesmas regras que os outros meios de
comunicação. Não revele informações
comerciais confidenciais. Por exemplo, não
escreva sobre mudanças organizacionais,
relacionamentos com clientes, pacientes
ou fornecedores, informações financeiras,
informações pessoais de colaboradores
(endereço, número de telefone, números de
identificação de colaboradores, etc.), fotos
da instituição, de pacientes, colaboradores
ou qualquer outra informação reservada ou
confidencial.
DICA DE CONDUTA
Não envie imagens de processos,
equipamentos ou maquinário da instituição
por e-mail sem prévio consentimento.
52
10. Relação com
fornecedores
53
A relação com os fornecedores está pautada pelo
compromisso de uma negociação justa. Desde sua
seleção até sua avaliação, está baseada nas diretri-
zes que norteiam as ações do SSMD. O objetivo é
compartilhar nossos valores e princípios e reafir-
mar o compromisso com as boas práticas comer-
ciais, prezando sempre pela ética e transparência.
❙❙ A escolha e a contratação de fornecedores
deverão basear-se em critérios técnicos,
profissionais e éticos, dentro das necessidades da
instituição;
❙❙ Ao comprar produtos ou serviços em nome da
instituição, trate todos os potenciais fornecedores
de forma justa e honesta;
❙❙ Independentemente da posição que ocupem,
os colaboradores do SSMD são proibidos de
aceitar, para benefício próprio, quaisquer tipos de
brindes e/ou gratificações de qualquer pessoa ou
empresa com as quais mantenham relações de
compra, venda ou prestação de serviço;
❙❙ Nunca aceite itens de fornecedores do SSMD
para uso pessoal. Se for para ou em nome da
instituição, apenas as áreas autorizadas poderão
analisar e verificar se não há conflitos de interesse;
❙❙ Não ofereça presentes, entretenimento ou
favores para ganhar ou manter negócios;
54
❙❙ Não ofereça presentes ou entretenimentos
que possam dar a impressão de violar nosso
compromisso e nosso respeito uns com os outros.
PRESENTES,
ENTRETENIMENTO E
OUTROS FAVORES
Aceitar ou oferecer presentes, entretenimento
(shows, esportes, etc.) e outros favores pode
criar um conflito de interesse, real ou potencial.
“Presentes, entretenimento e outros favores”
significaqualquercoisadevalor.Exemplosincluem,
mas não estão limitados a: refeições, hospedagem,
descontos, prêmios, viagens, ingressos para shows,
cursos, congressos, etc., dinheiro em qualquer
forma ou ações.
Aceitar presentes,
entretenimento
ou favores
Durante seu trabalho para o SSMD, clientes, forne-
cedores ou outros contatos comerciais poderão
oferecer presentes, entretenimento ou outros fa-
vores a você. Aceitar presentes, entretenimento ou
favores normalmente nos deixa com a sensação
de que devemos fazer algo em troca. Isso poderá
afetar nossa capacidade de tomar decisões comer-
55
ciais objetivas levando em consideração os melho-
res interesses do SSMD. Os únicos tipos de presen-
tes e entretenimento que você poderá aceitar de
alguém que negocia ou poderá vir a negociar com
o SSMD são:
❙❙ Presentes ocasionais de baixo valor, como
canetas, calendários, agendas ou pequenos itens
promocionais relacionados a negócios.
Se receber algo que não corresponda a essas dire-
trizes, deverá devolver e explicar que nossa política
não permite que você aceite em benefício próprio;
nestes casos você deve orientar o fornecedor a en-
trar em contato com as áreas de Suprimentos ou
Universidade Corporativa para oferecer em nome
da instituição.
Recebi de um fornecedor a informação
dequeelepodemepagarumapassagem
e hospedagem para um congresso
importante na minha área de atuação
profissional. Como isso reduz custo para
a instituição, posso aceitar?
Não. Você deve informar o fornecedor
de que o presente só poderá ser aceito pelo
SSMD, que avaliará a oferta e quem poderá,
de acordo com a política institucional, ir ao
congresso.
Codigo conduta etica_ssmd (1)
57
11. Relação com
operadoras
de plano de
assistência
à saúde
A relação dos colaboradores do SSMD com as Ope-
radoras de Planos de Assistência à Saúde e com as
instituições conveniadas ao SSMD são pautadas
pela legislação vigente, bem como em contratos
previamente negociados e assinados entre as par-
tes. Deve-se agir com honestidade, integridade e
idoneidade nos contatos com seus funcionários.
Não será permitido:
❙❙ Depreciar a imagem de operadoras ou de
convênios perante seus usuários, ainda que estes
a depreciem;
❙❙ Depreciar a imagem do hospital perante os
representantes de operadoras ou de convênios;
❙❙ Emitir opiniões sobre a qualidade de operadoras
ou de convênios.
58
59
12. Relação com
o corpo clínico
A relação com o Corpo Clínico está baseada nas
diretrizes que norteiam as ações do SSMD. A prá-
tica médica no SSMD visa maximizar a qualidade
assistencial e a segurança do paciente na busca
da melhoria contínua dos resultados da instituição
prezando a ética. O profissional integrante do Cor-
po Clinico deverá:
❙❙ Zelar pelo nome da instituição;
❙❙ Prezar pelo desenvolvimento das suas atividades
e pela excelência no atendimento ao cliente a que
se compromete no exercício da sua atividade
profissional;
❙❙ Efetuar registros, como evolução, prescrição,
etc., que reflitam de forma clara e precisa a sua
atividade profissional, a segurança do paciente e
da instituição;
❙❙ Respeitarosdemaiscolaboradoresdainstituição;
60
61
13. Controles
internos e
procedimentos
contábeis
62
Estamos comprometidos a efetuar registros da
instituição que reflitam de forma justa e precisa
as nossas atividades diárias. A instituição manterá
controles internos adequados para avaliar e geren-
ciar os riscos às atividades, aos colaboradores e à
reputação.
❙❙ Os registros das atividades financeiras e
contábeis devem ser realizados de forma precisa,
completa e verdadeira, em conformidade com os
preceitos legais e as normas contábeis vigentes e
aceitas.
❙❙ A instituição e os colaboradores cooperarão sem
restrições com a auditoria interna e externa.
❙❙ Os bens físicos, financeiros e intelectuais serão
protegidos e usados de forma eficiente e para as
finalidades para os quais são disponibilizados e a
que se destinam.
63
O fim do ano está chegando e tenho
dinheiro sobrando em meu orçamento.
Posso pagar antecipadamente uma
despesaqueseiquetereinopróximoano
para que ela seja aplicada ao orçamento
deste ano?
Não. Você deve registrar as despesas no
período contábil apropriado. Registre as
atividades no ano no qual elas ocorrem. Se
precisar pagar antecipadamente este ano
por uma atividade que acontecerá no ano
seguinte, entre em contato com sua equipe
financeira local.
64
65
14. Relação com
o meio ambiente
66
O SSMD é uma instituição comprometida com a
qualidade de vida de seus colaboradores e com a
saúde ambiental do planeta e da sociedade. O co-
laborador do SSMD deverá responsabilizar-se pelo
cumprimento das normas de preservação do meio
ambiente. A relação deve ser pautada pelos seguin-
tes parâmetros de conduta:
❙❙ Não fumar nas dependências do hospital;
❙❙ Descartar corretamente os resíduos conforme as
normas internas e as exigências legais;
❙❙ Utilizar adequadamente os insumos disponibi-
lizados para o exercício da atividade profissional,
inclusive formulários e material de escritório;
❙❙ Alimentar-se somente em áreas autorizadas para
alimentação;
❙❙ Manter os banheiros em perfeitas condições de
higiene depois de utilizá-los;
❙❙ Consumir ou utilizar água e energia elétrica de
forma racional e sem desperdício;
❙❙ SeguirasnormasdoProgramadeGerenciamento
de Resíduos de Serviços de Saúde da instituição.
67
Observei atividades no hospital que
podem comprometer o meio ambiente
ou criar um perigo ambiental. O que
devo fazer?
Informe. Caso tenha ciência de
qualquer violação da lei ou das políticas
ou dos procedimentos da instituição, é sua
responsabilidade informar.
68
69
15. Relação com
a imprensa
O SSMD é comprometido com as declarações à
imprensa. Declarações serão feitas exclusivamente
por representantes formalmente autorizados, com
a prévia aprovação da presidência ou diretoria da
instituição e com o envolvimento da assessoria de
imprensa. Não é permitido aos colaboradores:
❙❙ Prestar declarações à imprensa pessoalmente,
por telefone ou meio eletrônico;
❙❙ Fornecerdocumentos,fotos,etc.paraaimprensa.
Fui abordado pela imprensa, que
me solicitou informações sobre a
instituição. O que devo fazer?
Deverá explicar que existe uma área
responsável pelo relacionamento com a
imprensa (Marketing) e com esta é que se
deve fazer o contato.
70
16. Relação com
ensino e pesquisa
71
Estamos comprometidos com o Ensino e Pesquisa
baseando nossas ações em princípios éticos se-
guindo as diretrizes internacionais e nacionais que
regem as atividades científicas. A relação deve ser
pautada pelos seguintes parâmetros de conduta:
❙❙ Os colaboradores do SSMD não podem fornecer
informações, participar ou realizar pesquisas
na instituição sem a comprovação (Parecer de
Aprovação) de que a pesquisa foi autorizada pelo
Comitê de Ética em Pesquisa do SSMD (CEP);
❙❙ Pesquisadores que necessitem utilizar dados de
prontuários dos pacientes devem apresentar o
Termo de Compromisso para Utilização de Dados
assinado por todos os participantes da pesquisa e
aprovado pelo CEP, garantindo o respeito devido à
dignidade humana.
❙❙ A instituição deve garantir a supervisão
permanente das atividades de ensino por um
profissional com especialidade em causa ou título
superior ou possuidor de qualificação equivalente;
❙❙ Toda atividade de ensino no SSMD deve ser
supervisionada por um profissional autorizado
pela instituição;
❙❙ Não é permitida a realização de atividades de
ensino (estágios curriculares, residência médica,
etc.) sem a supervisão de um profissional.
72
73
17. Das infrações
e penalidades
A ação, a omissão ou a conivência que impliquem
desobediência ou inobservância das disposições
do Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde
Mãe de Deus são consideradas infrações à ética. As
penalidades a que os infratores estão sujeitos são:
❙❙ Advertência verbal;
❙❙ Advertência por escrito;
❙❙ Suspensão não remunerada, conforme a
legislação trabalhista;
❙❙ Demissão por justa causa.
O empregador poderá aplicar uma penalidade
para cada infração, nos termos das disposições le-
gais e de acordo com a gravidade e as circunstân-
cias da falta cometida.
74
75
18. Gestão do
código de
conduta ética
76
Caberá à Presidência, à Superintendência, aos Dire-
tores do SSMD e aos gestores de cada área gerirem
e aplicarem o presente Código de Conduta Ética.
No cumprimento da atribuição de gerir e aplicar o
presente Código de Conduta Ética, deverão:
❙❙ Divulgar o presente Código de Ética entre os
colaboradores da instituição;
❙❙ Avaliar permanentemente a atualidade e per-
tinência do presente Código de Conduta Ética,
encaminhando sugestões de alteração à área de
Recursos Humanos;
❙❙ Sanar casos omissos deste Código de Conduta
Ética e interpretar suas disposições, esclarecendo
as dúvidas de qualquer colaborador do SSMD,
sempre que solicitados.
77
A leitura deste código não representa
um fim em si mesmo. Em vez disso, é im-
portante que todos sempre ajam com
ética, dentro da lei e em conformidade
com este Código de Conduta Ética. Fazer
o que é certo é o jeito do SSMD. Cada um
de nós é responsável por agir em confor-
midade com o código, por informar sus-
peitas de violações e por cooperar com
as investigações da instituição em rela-
ção a possíveis violações. Você não pode
perder seu emprego ou seus benefícios,
ou ser rebaixado, suspenso, ameaçado,
assediado ou discriminado, por levantar
de forma honesta uma questão relacio-
nada ao Código de Conduta Ética.
78
79
19. cONTATO
SEGURO
80
O que é?
Contato Seguro é um canal de comunicação dire-
to entre os colaboradores e os gestores da organi-
zação. Esse sistema disponibiliza aos funcionários
uma ferramenta segura e anônima, para que infor-
mem a ocorrência de fatos, fraudulentos ou não,
potencialmente lesivos à Organização. Dessa for-
ma, consegue-se corrigir em tempo hábil as con-
sequências de eventuais problemas que estejam
ocorrendo, limitar os efeitos dessas violações e, si-
multaneamente, prevenir e desencorajar condutas
similares no futuro.
COMo funciona
❙❙ Contato Seguro por Telefone Ao Vivo
A Contato Seguro disponibiliza um número de
telefone gratuito (0800-6021832) e próprio para
cada organização contratante.
As ligações são sempre atendidas por ouvidores
com formação em Psicologia, especialmente trei-
nados para obter o máximo de informações a res-
81
peito da comunicação ou da sugestão relatadas,
possibilitando que a organização identifique o
problema apontado. O número do telefone a par-
tir do qual se originar a ligação não será identifica-
do em nenhuma hipótese.
❙❙ Contato Seguro pela Internet
A Contato Seguro disponibiliza uma página na
Internet na qual os funcionários, colaboradores e
parceiros podem registrar eletronicamente, online,
sua denúncia ou sugestão, mantendo o anonima-
to e a segurança. O registro é feito a partir de um
formulário especialmente desenvolvido para obter
o máximo de informações possíveis. O IP do com-
putador do usuário do sistema não é identificado
em nenhuma hipótese. O anonimato e o sigilo es-
tarão sempre garantidos, confirmando-se ou não
as denúncias apontadas. Após o registro da suges-
tão ou inconformidade, a Contato Seguro enca-
minhará essas informações a um comitê específi-
co, formado por funcionários e colaboradores do
SSMD para sua análise e averiguação, mesmo que
digam respeito a pessoas dos mais altos escalões.
Esse comitê será o responsável pela avaliação da
inconformidade. Todas as comunicações e suges-
82
tões recebem um número de protocolo, por meio
do qual o usuário pode, posteriormente, comple-
mentar o seu registro ou acompanhar anonima-
mente os seus desdobramentos. Esse número de
protocolo possibilita, também, que a organização
e o usuário“dialoguem”, mediante perguntas e res-
postas, preservando-se sempre o anonimato.
❙❙ Ouvidoria
A ouvidoria da Contato Seguro é o órgão respon-
sável por receber as comunicações e as sugestões,
podendo ser acionada pelos públicos interno e
externo do SSMD. A ouvidoria é sempre imparcial
e atua de forma a garantir a segurança, a confiden-
cialidade e o anonimato dos colaboradores que a
procuram. Os ouvidores estão à disposição 24 ho-
ras por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano, e
as ligações são sempre gratuitas, de qualquer lugar
do país.
83
❙❙ Comunicação Segura
Possibilita que os funcionários e colaboradores co-
muniquem, anonimamente ou não, a ocorrência
de não conformidades ou a existência de condu-
tas inapropriadas e antiéticas que possam afetar a
imagem, o resultado financeiro e o ambiente de
trabalho na organização. É um canal de comuni-
cação seguro e eficaz para que se registrem e se
informem as inconformidades referentes a fraudes
e a más práticas que eventualmente estejam ocor-
rendo ou prestes a ocorrer, possibilitando que se
iniciem e se aprofundem as investigações e, se for
o caso, corrijam-se os problemas identificados.
❙❙ Sugestão Segura
Possibilita que os funcionários, colaboradores e
parceiros apresentem, anonimamente ou não, su-
gestões para a melhoria das não conformidades
constatadas.
Codigo conduta etica_ssmd (1)
PARA O CORPO CLÍNICO
Termo de recebimento e
compromisso
Declaro, para todos os fins e efeitos, que recebi uma cópia inte-
gral do Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde Mãe de
Deus, tomei conhecimento de todas as suas disposições e me
comprometo a cumpri-las integralmente.
Declaro, ainda, que fui comunicado da obrigatoriedade de sua
observância em todas as situações e circunstâncias que este-
jam direta ou indiretamente dispostas no contrato de trabalho
firmado por mim.
Declaro, por fim, que na hipótese de ocorrerem situações em
que não haja no presente Código de Conduta Ética previsão
expressa em relação à conduta exigida ou esperada, informarei
imediatamente o fato ao Gestor da área onde atuo ou a um
dos responsáveis do setor de Recursos Humanos.
Nome do Médico: .........................................................
......................................................................................................
Matrícula n.º: ....................................................................
CRM n.º: ................................................................................
Local e data: ......................................................................
Assinatura
Codigo conduta etica_ssmd (1)
PARA os FUNCIONários
Termo de recebimento e
compromisso
Declaro, para todos os fins e efeitos, que recebi uma cópia inte-
gral do Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde Mãe de
Deus, tomei conhecimento de todas as suas disposições e me
comprometo a cumpri-las integralmente.
Declaro, ainda, que fui comunicado da obrigatoriedade de sua
observância em todas as situações e circunstâncias que estejam
diretaouindiretamentedispostasnocontratodetrabalhofirma-
do por mim.
Declaro, por fim, que na hipótese de ocorrerem situações em
que não haja no presente Código de Conduta Ética previsão
expressa em relação à conduta exigida ou esperada, informarei
imediatamente o fato ao Gestor da área onde atuo ou a um dos
responsáveis do setor de Recursos Humanos.
Nome do Funcionário: .............................................
.......................................................................................................
Matrícula: ............................................................................
Local e data: .......................................................................
Assinatura
Codigo conduta etica_ssmd (1)
PARA os terceiros
Termo de recebimento e
compromisso
Declaro, para todos os fins e efeitos, que recebi uma cópia inte-
gral do Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde Mãe de
Deus, tomei conhecimento de todas as suas disposições e me
comprometo a cumpri-las integralmente.
Declaro, ainda, que fui comunicado da obrigatoriedade de sua
observância em todas as situações e circunstâncias que estejam
diretaouindiretamentedispostasnocontratodetrabalhofirma-
do por mim.
Declaro, por fim, que na hipótese de ocorrerem situações em
que não haja no presente Código de Conduta Ética previsão
expressa em relação à conduta exigida ou esperada, informarei
imediatamente o fato ao Gestor da área onde atuo ou a um dos
responsáveis do setor de Recursos Humanos.
Nome do Colaborador: .............................................
.......................................................................................................
Empresa: ..............................................................................
Local e data: .......................................................................
Assinatura
Codigo conduta etica_ssmd (1)
Codigo conduta etica_ssmd (1)
www.maededeus.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Postura ética
Postura éticaPostura ética
Postura ética
leojusto
 
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimentoSaúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Vida Mental Consultoria de Saúde Mental e Nutricional
 
Relatorio profiler
Relatorio profilerRelatorio profiler
Relatorio profiler
Thiago Athanázio
 
Aula 3 noções de ética profissional
Aula 3   noções de ética profissionalAula 3   noções de ética profissional
Aula 3 noções de ética profissional
Luiz Siles
 
Stress no local de trabalho
Stress no local de trabalhoStress no local de trabalho
Stress no local de trabalho
isabelourenco
 
Atendimento humanizado ao idoso
Atendimento humanizado ao idosoAtendimento humanizado ao idoso
Atendimento humanizado ao idoso
Jamessonjr Leite Junior
 
Alzheimer
Alzheimer Alzheimer
Alzheimer
KarolaineSantos
 
Vínculos do individuo com a organização e o trabalho
Vínculos do individuo com a organização e o trabalhoVínculos do individuo com a organização e o trabalho
Vínculos do individuo com a organização e o trabalho
Psicologia_2015
 
UFCD - 6568 - Noções Gerais sobre Sistema Neurológico, Endócrino e Órgãos dos...
UFCD - 6568 - Noções Gerais sobre Sistema Neurológico, Endócrino e Órgãos dos...UFCD - 6568 - Noções Gerais sobre Sistema Neurológico, Endócrino e Órgãos dos...
UFCD - 6568 - Noções Gerais sobre Sistema Neurológico, Endócrino e Órgãos dos...
Nome Sobrenome
 
Promoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idosoPromoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idoso
Joice Lins
 
Depressão geriatria
Depressão geriatriaDepressão geriatria
Depressão geriatria
Cláudia Sofia
 
Aula 1 - Gestão hospitalar.pdf
Aula 1 - Gestão hospitalar.pdfAula 1 - Gestão hospitalar.pdf
Aula 1 - Gestão hospitalar.pdf
AlineBarreto56
 
O Cuidar
O CuidarO Cuidar
Estereótipos da velhice
Estereótipos da velhiceEstereótipos da velhice
Estereótipos da velhice
Sonia Sousa
 
MAIORES PALESTRANTES DO BRASIL-JULIO CESAR
MAIORES PALESTRANTES DO BRASIL-JULIO CESARMAIORES PALESTRANTES DO BRASIL-JULIO CESAR
MAIORES PALESTRANTES DO BRASIL-JULIO CESAR
Julio C França Franco
 
A alimentação
A alimentaçãoA alimentação
A alimentação
e.ferreira
 
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapiaNutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
KetlenBatista
 
(4) como orientar novos funcionários
(4) como orientar novos funcionários(4) como orientar novos funcionários
Depressao no idoso
Depressao no idosoDepressao no idoso
Depressao no idoso
Isabel Teixeira
 
Programa saude e bem estar seminario para slide share
Programa saude e bem estar seminario  para slide sharePrograma saude e bem estar seminario  para slide share
Programa saude e bem estar seminario para slide share
Liene Campos
 

Mais procurados (20)

Postura ética
Postura éticaPostura ética
Postura ética
 
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimentoSaúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
Saúde mental e trabalho: prazer, sofrimento e adoecimento
 
Relatorio profiler
Relatorio profilerRelatorio profiler
Relatorio profiler
 
Aula 3 noções de ética profissional
Aula 3   noções de ética profissionalAula 3   noções de ética profissional
Aula 3 noções de ética profissional
 
Stress no local de trabalho
Stress no local de trabalhoStress no local de trabalho
Stress no local de trabalho
 
Atendimento humanizado ao idoso
Atendimento humanizado ao idosoAtendimento humanizado ao idoso
Atendimento humanizado ao idoso
 
Alzheimer
Alzheimer Alzheimer
Alzheimer
 
Vínculos do individuo com a organização e o trabalho
Vínculos do individuo com a organização e o trabalhoVínculos do individuo com a organização e o trabalho
Vínculos do individuo com a organização e o trabalho
 
UFCD - 6568 - Noções Gerais sobre Sistema Neurológico, Endócrino e Órgãos dos...
UFCD - 6568 - Noções Gerais sobre Sistema Neurológico, Endócrino e Órgãos dos...UFCD - 6568 - Noções Gerais sobre Sistema Neurológico, Endócrino e Órgãos dos...
UFCD - 6568 - Noções Gerais sobre Sistema Neurológico, Endócrino e Órgãos dos...
 
Promoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idosoPromoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idoso
 
Depressão geriatria
Depressão geriatriaDepressão geriatria
Depressão geriatria
 
Aula 1 - Gestão hospitalar.pdf
Aula 1 - Gestão hospitalar.pdfAula 1 - Gestão hospitalar.pdf
Aula 1 - Gestão hospitalar.pdf
 
O Cuidar
O CuidarO Cuidar
O Cuidar
 
Estereótipos da velhice
Estereótipos da velhiceEstereótipos da velhice
Estereótipos da velhice
 
MAIORES PALESTRANTES DO BRASIL-JULIO CESAR
MAIORES PALESTRANTES DO BRASIL-JULIO CESARMAIORES PALESTRANTES DO BRASIL-JULIO CESAR
MAIORES PALESTRANTES DO BRASIL-JULIO CESAR
 
A alimentação
A alimentaçãoA alimentação
A alimentação
 
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapiaNutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
Nutrição normal e dietética: introdução a dietoterapia
 
(4) como orientar novos funcionários
(4) como orientar novos funcionários(4) como orientar novos funcionários
(4) como orientar novos funcionários
 
Depressao no idoso
Depressao no idosoDepressao no idoso
Depressao no idoso
 
Programa saude e bem estar seminario para slide share
Programa saude e bem estar seminario  para slide sharePrograma saude e bem estar seminario  para slide share
Programa saude e bem estar seminario para slide share
 

Destaque

Ec forum educacao inovadora - personalized learning - 20100805-2
Ec   forum educacao inovadora - personalized learning - 20100805-2Ec   forum educacao inovadora - personalized learning - 20100805-2
Ec forum educacao inovadora - personalized learning - 20100805-2
Eduardo Chaves
 
Código de Conduta
Código de CondutaCódigo de Conduta
Código de Conduta
Keko-Acessorios
 
Comitê Digital - Código de Conduta Digital
Comitê Digital - Código de Conduta DigitalComitê Digital - Código de Conduta Digital
Comitê Digital - Código de Conduta Digital
aberje
 
09 maria joao_etica_cp5
09 maria joao_etica_cp509 maria joao_etica_cp5
09 maria joao_etica_cp5
mariajoao500
 
Directores De Equipa CóDigo De Conduta Do Rugby
Directores De Equipa   CóDigo De Conduta Do RugbyDirectores De Equipa   CóDigo De Conduta Do Rugby
Directores De Equipa CóDigo De Conduta Do Rugby
Carlos Leite
 
Codigo de etica_e_conduta
Codigo de etica_e_condutaCodigo de etica_e_conduta
Codigo de etica_e_conduta
Elisa Juste
 
Ekado codigo deconduta
Ekado codigo decondutaEkado codigo deconduta
Ekado codigo deconduta
Mauro Tanaka Riyis
 
Codigo de etica do Grupo Pão de Açúcar
Codigo de etica do Grupo Pão de AçúcarCodigo de etica do Grupo Pão de Açúcar
Codigo de etica do Grupo Pão de Açúcar
Priscila Brandao
 
Conduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Conduta Ética - Prof. Reinaldo BulgarelliConduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Conduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Sustentare Escola de Negócios
 
codigodecondutaetica
codigodecondutaeticacodigodecondutaetica
codigodecondutaetica
nathaliakcorreia
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
enfanhanguera
 
2308201114334062 codigo de_conduta
2308201114334062 codigo de_conduta2308201114334062 codigo de_conduta
2308201114334062 codigo de_conduta
Sandra Dória
 
Estresse ocupacional do profissional de enfermagem
Estresse ocupacional do profissional de enfermagemEstresse ocupacional do profissional de enfermagem
Estresse ocupacional do profissional de enfermagem
Coren-BA
 
Códigos de Ética Profissional
Códigos de Ética ProfissionalCódigos de Ética Profissional
Códigos de Ética Profissional
Halan Ridolphi
 
Não existe ética coletiva, bem como moral individual
Não existe ética coletiva, bem como moral individualNão existe ética coletiva, bem como moral individual
Não existe ética coletiva, bem como moral individual
Carlos Nepomuceno (Nepô)
 
Etica no-trabalho
Etica no-trabalhoEtica no-trabalho
Etica no-trabalho
Elenirsilva
 
1289687806 cp5 _dr4_globalização
1289687806 cp5 _dr4_globalização1289687806 cp5 _dr4_globalização
1289687806 cp5 _dr4_globalização
Paulacapinha1962
 
Dress code
Dress codeDress code
Power point etica individual e coletiva
Power point etica individual e coletivaPower point etica individual e coletiva
Power point etica individual e coletiva
Helena Cordeiro
 
Codigo de Conduta Votorantim
Codigo de Conduta VotorantimCodigo de Conduta Votorantim
Codigo de Conduta Votorantim
Blan Tavares
 

Destaque (20)

Ec forum educacao inovadora - personalized learning - 20100805-2
Ec   forum educacao inovadora - personalized learning - 20100805-2Ec   forum educacao inovadora - personalized learning - 20100805-2
Ec forum educacao inovadora - personalized learning - 20100805-2
 
Código de Conduta
Código de CondutaCódigo de Conduta
Código de Conduta
 
Comitê Digital - Código de Conduta Digital
Comitê Digital - Código de Conduta DigitalComitê Digital - Código de Conduta Digital
Comitê Digital - Código de Conduta Digital
 
09 maria joao_etica_cp5
09 maria joao_etica_cp509 maria joao_etica_cp5
09 maria joao_etica_cp5
 
Directores De Equipa CóDigo De Conduta Do Rugby
Directores De Equipa   CóDigo De Conduta Do RugbyDirectores De Equipa   CóDigo De Conduta Do Rugby
Directores De Equipa CóDigo De Conduta Do Rugby
 
Codigo de etica_e_conduta
Codigo de etica_e_condutaCodigo de etica_e_conduta
Codigo de etica_e_conduta
 
Ekado codigo deconduta
Ekado codigo decondutaEkado codigo deconduta
Ekado codigo deconduta
 
Codigo de etica do Grupo Pão de Açúcar
Codigo de etica do Grupo Pão de AçúcarCodigo de etica do Grupo Pão de Açúcar
Codigo de etica do Grupo Pão de Açúcar
 
Conduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Conduta Ética - Prof. Reinaldo BulgarelliConduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
Conduta Ética - Prof. Reinaldo Bulgarelli
 
codigodecondutaetica
codigodecondutaeticacodigodecondutaetica
codigodecondutaetica
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
2308201114334062 codigo de_conduta
2308201114334062 codigo de_conduta2308201114334062 codigo de_conduta
2308201114334062 codigo de_conduta
 
Estresse ocupacional do profissional de enfermagem
Estresse ocupacional do profissional de enfermagemEstresse ocupacional do profissional de enfermagem
Estresse ocupacional do profissional de enfermagem
 
Códigos de Ética Profissional
Códigos de Ética ProfissionalCódigos de Ética Profissional
Códigos de Ética Profissional
 
Não existe ética coletiva, bem como moral individual
Não existe ética coletiva, bem como moral individualNão existe ética coletiva, bem como moral individual
Não existe ética coletiva, bem como moral individual
 
Etica no-trabalho
Etica no-trabalhoEtica no-trabalho
Etica no-trabalho
 
1289687806 cp5 _dr4_globalização
1289687806 cp5 _dr4_globalização1289687806 cp5 _dr4_globalização
1289687806 cp5 _dr4_globalização
 
Dress code
Dress codeDress code
Dress code
 
Power point etica individual e coletiva
Power point etica individual e coletivaPower point etica individual e coletiva
Power point etica individual e coletiva
 
Codigo de Conduta Votorantim
Codigo de Conduta VotorantimCodigo de Conduta Votorantim
Codigo de Conduta Votorantim
 

Semelhante a Codigo conduta etica_ssmd (1)

Manual de conduta ética (portuguese only)
Manual de conduta ética (portuguese only)Manual de conduta ética (portuguese only)
Manual de conduta ética (portuguese only)
vigor_ri
 
Ética e o Profissional da Educação.ppt
Ética e o Profissional da Educação.pptÉtica e o Profissional da Educação.ppt
Ética e o Profissional da Educação.ppt
ShayrAlfHariAbdullah
 
Codigo de etica_iii
Codigo de etica_iiiCodigo de etica_iii
Codigo de etica_iii
moniqueli
 
éTica empresarial – para quê.para o eudes
éTica empresarial – para quê.para o eudeséTica empresarial – para quê.para o eudes
éTica empresarial – para quê.para o eudes
Beth Chaves
 
Trabalho sobre Ética
Trabalho sobre  ÉticaTrabalho sobre  Ética
Trabalho sobre Ética
Mattxaviier
 
Apresentação integridade empreendedora
Apresentação integridade empreendedoraApresentação integridade empreendedora
Apresentação integridade empreendedora
Clecynha Lima
 
Apresentação integridade empreendedora
Apresentação integridade empreendedoraApresentação integridade empreendedora
Apresentação integridade empreendedora
Clecynha Lima
 
Filosofia e ética empresarial
Filosofia e ética empresarialFilosofia e ética empresarial
Trabalho de etica e deontologia profissional
Trabalho de etica e deontologia profissionalTrabalho de etica e deontologia profissional
Trabalho de etica e deontologia profissional
Osvaldo Gimo
 
Ética e o profissional da educação
Ética e o profissional da educaçãoÉtica e o profissional da educação
Ética e o profissional da educação
Gerisval Pessoa
 
kisserana.docx
kisserana.docxkisserana.docx
kisserana.docx
cybercom1
 
etica no trabalho
 etica no trabalho etica no trabalho
etica no trabalho
Mila Rosa
 
Ética nas Organizações - artigo administração
Ética nas Organizações - artigo administraçãoÉtica nas Organizações - artigo administração
Ética nas Organizações - artigo administração
fernandofaria155515
 
ética e deontologia- Curso TAG
ética e deontologia- Curso TAGética e deontologia- Curso TAG
ética e deontologia- Curso TAG
Maria Raimundo
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
carinefraga
 
guia para pmes familizarizando-se com as obrigacoes do complaince
guia para pmes familizarizando-se com as obrigacoes do complainceguia para pmes familizarizando-se com as obrigacoes do complaince
guia para pmes familizarizando-se com as obrigacoes do complaince
lucas371992
 
Código de ética versão dez-08
Código de ética   versão dez-08Código de ética   versão dez-08
Código de ética versão dez-08
Débora Müller
 
Compliance: principais benefícios e geração de valor para as empresas
Compliance: principais benefícios e geração de valor para as empresasCompliance: principais benefícios e geração de valor para as empresas
Compliance: principais benefícios e geração de valor para as empresas
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
A importância do comp. ético nas...... (1)
A importância do comp. ético nas...... (1)A importância do comp. ético nas...... (1)
A importância do comp. ético nas...... (1)
Adaias Ramos
 
Aula ÉTICA PROFISSIONAL - processos humanizados de trabalho
Aula ÉTICA PROFISSIONAL - processos humanizados de trabalhoAula ÉTICA PROFISSIONAL - processos humanizados de trabalho
Aula ÉTICA PROFISSIONAL - processos humanizados de trabalho
RainaraResende1
 

Semelhante a Codigo conduta etica_ssmd (1) (20)

Manual de conduta ética (portuguese only)
Manual de conduta ética (portuguese only)Manual de conduta ética (portuguese only)
Manual de conduta ética (portuguese only)
 
Ética e o Profissional da Educação.ppt
Ética e o Profissional da Educação.pptÉtica e o Profissional da Educação.ppt
Ética e o Profissional da Educação.ppt
 
Codigo de etica_iii
Codigo de etica_iiiCodigo de etica_iii
Codigo de etica_iii
 
éTica empresarial – para quê.para o eudes
éTica empresarial – para quê.para o eudeséTica empresarial – para quê.para o eudes
éTica empresarial – para quê.para o eudes
 
Trabalho sobre Ética
Trabalho sobre  ÉticaTrabalho sobre  Ética
Trabalho sobre Ética
 
Apresentação integridade empreendedora
Apresentação integridade empreendedoraApresentação integridade empreendedora
Apresentação integridade empreendedora
 
Apresentação integridade empreendedora
Apresentação integridade empreendedoraApresentação integridade empreendedora
Apresentação integridade empreendedora
 
Filosofia e ética empresarial
Filosofia e ética empresarialFilosofia e ética empresarial
Filosofia e ética empresarial
 
Trabalho de etica e deontologia profissional
Trabalho de etica e deontologia profissionalTrabalho de etica e deontologia profissional
Trabalho de etica e deontologia profissional
 
Ética e o profissional da educação
Ética e o profissional da educaçãoÉtica e o profissional da educação
Ética e o profissional da educação
 
kisserana.docx
kisserana.docxkisserana.docx
kisserana.docx
 
etica no trabalho
 etica no trabalho etica no trabalho
etica no trabalho
 
Ética nas Organizações - artigo administração
Ética nas Organizações - artigo administraçãoÉtica nas Organizações - artigo administração
Ética nas Organizações - artigo administração
 
ética e deontologia- Curso TAG
ética e deontologia- Curso TAGética e deontologia- Curso TAG
ética e deontologia- Curso TAG
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
 
guia para pmes familizarizando-se com as obrigacoes do complaince
guia para pmes familizarizando-se com as obrigacoes do complainceguia para pmes familizarizando-se com as obrigacoes do complaince
guia para pmes familizarizando-se com as obrigacoes do complaince
 
Código de ética versão dez-08
Código de ética   versão dez-08Código de ética   versão dez-08
Código de ética versão dez-08
 
Compliance: principais benefícios e geração de valor para as empresas
Compliance: principais benefícios e geração de valor para as empresasCompliance: principais benefícios e geração de valor para as empresas
Compliance: principais benefícios e geração de valor para as empresas
 
A importância do comp. ético nas...... (1)
A importância do comp. ético nas...... (1)A importância do comp. ético nas...... (1)
A importância do comp. ético nas...... (1)
 
Aula ÉTICA PROFISSIONAL - processos humanizados de trabalho
Aula ÉTICA PROFISSIONAL - processos humanizados de trabalhoAula ÉTICA PROFISSIONAL - processos humanizados de trabalho
Aula ÉTICA PROFISSIONAL - processos humanizados de trabalho
 

Codigo conduta etica_ssmd (1)

  • 2. Sistema de Saúde Mãe de Deus Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo Scalabrinianas Julho/2012
  • 4. ÍNDICE ❙❙ Apresentação ❙❙ Por que temos um código ❙❙ Missão e Visão ❙❙ Princípios e Valores ❙❙ Ética profissional ❙❙ O código se aplica a todos do SSMD ❙❙ Compartilhe suas preocupações sem medo ❙❙ Políticas de não retaliação ❙❙ Recursos para fazer perguntas ou informar preocupações ❙❙ 1. Compromisso com as leis, regulamentos e normas ❙❙ 2. Atitude e comportamento ❙❙ 3. Patrimônio do Sistema de Saúde Mãe de Deus ❙❙ 4. Saúde e Segurança do Trabalho ❙❙ 5. Atuação dos gestores ❙❙ 6. Relação com os colegas de trabalho 6 7 8 9 11 12 14 17 12 14 23 18 27 30 35
  • 5. ❙❙ 7. Relação com o cliente ❙❙ 8. Assistência ao paciente ❙❙ 9. Relação com a Tecnologia da Informação ❙❙ 10. Relação com os fornecedores ❙❙ 11. Relação com operadoras de planos de assistência à saúde ❙❙ 12. Relação com o corpo clínico ❙❙ 13. Controles internos e procedimentos contábeis ❙❙ 14. Relação com o Meio Ambiente ❙❙ 15. Relação com a imprensa ❙❙ 16. Relação com ensino e pesquisa ❙❙ 17. Das infrações e penalidades ❙❙ 18. Gestão do Código de Conduta Ética ❙❙ 19. Contato seguro 70 73 75 41 45 52 57 59 61 79 48 65 69
  • 6. 6 Apresentação O Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde Mãe de Deus tem como objetivo explicitar e pautar o comportamento esperado dos colaboradores, bem como reforçar a missão e os valores da instituição, apresentando regras e normas que sistematizam a postura dos colaboradores da instituição, mostrando o que se espera deles em suas atividades profissionais e também para que conheçam mais sobre os valores e estratégias corporativas. Compromisso com leis, regulamentos e contrato de trabalho, valorização integral do indivíduo, relacionamento com os diferentes públicos e aceitação da diversidade são alguns dos itens que devem estar presentes na mente e na rotina de todos os colaboradores. A missão, visão, os princípios e valores da instituição direcionam as relações entre todas as partes interessadas. As orientações contidas neste manual devem ser observadas e atendidas por todos os colaboradores no desempenho de suas funções.
  • 7. 7 Por que temos um código de Conduta Ética Nosso negócio é sermos reconhecidos pela socie- dade e pelos médicos como hospital de referência em soluções completas de saúde e de alta comple- xidade, com sustentabilidade econômica e social. Acreditamos que a maneira pela qual conduzimos nossos negócios é tão importante quanto os ne- gócios que fazemos. Falando de maneira simples, trabalhar com integridade e com altos padrões de ética é o modo do SSMD de fazer negócio. Este Código de Conduta Ética oferece uma orientação para lidar com clientes, fornecedores, colaborado- res, concorrentes e com o público com integrida- de e de forma ética e apropriada. Este código não pode descrever todas as leis, re- gulamentações ou as políticas do SSMD que se aplicam a nós ou a uma determinada situação. Em vez disso, este código cria uma estrutura de padrões éticos dentro dos quais todos os colabo- radores devem trabalhar. Esses padrões normal- mente são mais altos do que as obrigações legais. O código é um guia de referência importante, pois lutamos para conduzir nossos negócios de uma forma ética e apropriada.
  • 8. 8 Missão Garantir soluções completas e integradas em saúde, com desenvolvimento científico, tecnológico e humano. Visão Ser reconhecido pela sociedade e pelos médicos como hospital de referência em soluções completas de saúde e de alta complexidade, com sustentabilidade econômica e social.
  • 9. 9 Princípios e Valores ❙❙ Hospital Mãe de Deus – crescimento e fortalecimento de imagem; ❙❙ Cliente – assegurar solução completa e integrada; ❙❙ Segurança assistencial – divulgação de resultados; ❙❙ Ação social – transformação de realidades; ❙❙ Médico – compromisso com o modelo assistencial; ❙❙ Colaboradores – valorização e atitude; ❙❙ Gestão – inovadora, centrada no cliente e com resultados; ❙❙ Sustentabilidade econômica – perenidade institucional; ❙❙ Ensino e pesquisa – conhecimento e inovação; ❙❙ Acolhida, compaixão, justiça e ética – atributos institucionais.
  • 10. 10
  • 11. 11 Ética profissional As profissões têm outros normativos éticos e ór- gãos garantidores de tais princípios (exemplo: Conselho Regional de Medicina, Código de Ética Médica, etc.), para atividades profissionais específi- cas, como, por exemplo, a prática médica. Eventuais infrações éticas ou condutas que digam respeito, exclusivamente, a aspectos éticos adstri- tos à atividade profissional deverão ser julgadas à luz de tais normativos pelos órgãos competentes. O Código de Conduta Ética do SSMD tem por ob- jetivo pautar e explicitar o comportamento espe- rado pelos profissionais na instituição, obedecen- do às leis e aos órgãos que regem as profissões.
  • 12. 12 o código se aplica a todos do ssmd Sim. Cada um tem a obrigação de ler e enten- der este Código de Conduta Ética. Este Código de Conduta se aplica a todos os colaboradores do SSMD. Isso inclui os colaboradores (funcionários, terceiros, residentes, estudantes, pesquisadores, estagiários, etc.) , diretores e membros do Conse- lho de Administração. Se um costume, uma cultu- ra ou uma lei local aplicar um padrão diferente do Código de Conduta, você deve consultar a área de Recursos Humanos. Cada um de nós é responsável por assegurar nossa própria conformidade com o código. Informar suspeitas de violações e coope- rar com a investigação da instituição em relação a possíveis violações. compartilhe suas preocupações sem medo Se você souber de uma questão relacionada ao Código de Conduta Ética, podem existir muitas ra- zões para você não querer compartilhar isso com ninguém. Você pode não ter certeza do que acon- teceu. Você pode ter medo de “causar problemas” ou de que alguém“queira se vingar”de você. Você pode pensar que é responsabilidade de outra pes- soa, mas o certo é que você deve comunicar.
  • 13. 13 Os colaboradores que revelam suas preocupações desempenham um papel importante na manuten- ção da ética no local de trabalho. Você tem a res- ponsabilidade de compartilhar as informações para que a instituição possa responder de forma rápida e tomar as medidas necessárias. Uma das manei- ras mais importantes pelas quais você pode fazer a diferença é: ao ficar ciente de atividades antiéticas ou ilícitas no local de trabalho, informá-las imedia- tamente, pode ser para sua chefia ou para algum Consultor da área de Recursos Humanos (RH). Vi o líder de minha equipe fazer algo que pareceu antiético, mas estou com medo de informar essa suposta violação. Terei problemas ou mancharei sua reputação ao fazer uma Comunicação? Não. Você não terá problemas ou manchará a reputação do líder de sua equipe se fizer uma comunicação do fato. Você não será considerado responsável pelas comunicações feitas de boa-fé, mesmo se elas se mostrarem infundadas. A pesquisa e avaliação serão conduzidas de forma objetiva, justa e confidencial para assegurar a proteção da reputação dos colaboradores.
  • 14. 14 Políticas de não retaliação Você não perderá seu emprego ou seus benefícios e não será rebaixado, suspenso, ameaçado, asse- diado ou discriminado por levantar uma preocu- pação relacionada ao Código de Conduta Ética de forma honesta. Informar de forma honesta signi- fica que você está sendo verdadeiro e preciso. Se acreditar que está sofrendo retaliação por parte de alguém, informe sobre isso como faria com uma violação do código. Todas as preocupações com o código e as informações de retaliação serão inte- gralmente avaliadas. Recursos para fazer perguntas ou informar preocupações Informar suspeitas de violações ao Código de Conduta Ética é fundamental para que a institui- ção possa determinar adequadamente se há um problema que precisa ser resolvido. Por essa razão, todos têm a obrigação de informar suspeitas de violação do Código de Conduta Ética. Se tiver per- guntas sobre o código ou tiver ciência de possíveis violações, há diversos recursos disponíveis:
  • 15. 15 ❙❙ Seu líder de equipe: Encorajamos que você leve suas perguntas e preo- cupações para o seu líder de equipe. Se não quiser falar com seu líder de equipe sobre sua preocupa- ção ou se não acredita que ele tomou as medidas necessárias, há outras pessoas a quem você pode- rá recorrer: ❙❙ Outro líder de equipe ❙❙ Qualquer consultor da equipe de RH. Tenho uma preocupação, mas ela não é abordada pelo Código de Conduta Ética. Isso significa que não há problema? Não. É impossível que o Código de Conduta Ética responda a todas as questões ou a todos os dilemas éticos. Se algo não parecer certo para você, pergunte ao líder de sua equipe ou para um consultor de RH.
  • 16. 16
  • 17. 17 1. Compromisso com as leis, regulamentos e normas O Sistema de Saúde Mãe de Deus (SSMD) prima pelo cumprimento das leis, regulamentos e nor- mas aplicáveis às suas atividades, bem como po- líticas e procedimentos internos.
  • 19. 19 Os colaboradores do SSMD devem pautar sua atu- ação profissional pelos seguintes parâmetros de conduta: ❙❙ Coibir atitudes que se caracterizem como comportamento abusivo, intencional e recorrente que possa ferir a integridade física ou moral de qualquer um dos seus colaboradores e clientes; ❙❙ Garantir um ambiente de trabalho no qual prevaleça o respeito. Os colaboradores do hospital devem tratar clientes, fornecedores, parceiros, concorrentes, colegas de trabalho e comunidade em geral com o máximo de respeito; ❙❙ Utilizar o nome do SSMD, de recursos ou do cargo para obter vantagens pessoais constitui prática rejeitada pela instituição; ❙❙ É vedada a utilização de recursos e instalações do hospital para qualquer finalidade que não a atividade-fim da instituição; ❙❙ É vedada a venda ou comercialização de qualquer tipo de serviço ou produto que não os da atividade-fim da instituição; ❙❙ Referir-se aos gerentes, coordenadores e supervisores mantendo o respeito à hierarquia e acatando as orientações e regras por eles definidas, em conformidade com as diretrizes da instituição;
  • 20. 20 ❙❙ Para minimizar eventuais danos ao trabalho, os colaboradores devem reconhecer os erros cometidos e comunicá-los, imediatamente, ao superior hierárquico; ❙❙ Todos os colaboradores devem exercer suas atribuições com efetividade, eliminando situações que levem a erros ou a atrasos na prestação do serviço; ❙❙ Todos os colaboradores devem respeitar a diversidade de opiniões, culturas, credos, e todo tipo de diferença entre seus colaboradores, desde que isso não interfira no ambiente de trabalho e não comprometa o desempenho das atividades; ❙❙ Todos os colaboradores que atuam no SSMD devem adotar postura ética, civilizada e responsável na condução do seu trabalho, visando atingir o principal objetivo da instituição, que é assegurar qualidade e segurança no atendimento aos clientes; ❙❙ Todos os colaboradores da instituição devem manter sua conduta interna e externa de maneira a não afetar, sob qualquer forma, seu desempenho profissional, o dos demais colaboradores ou dos objetivos e propósitos do SSMD. ❙❙ Sigilo, confiabilidade e preservação do bom nome da instituição e dos colegas de trabalho são atitudes esperadas no ambiente de trabalho e fora dele;
  • 21. 21 ❙❙ Não é permitido aos colaboradores ações e reações agressivas, assim como ofensas ou humilhações a qualquer pessoa, mesmo diante de situações de conflito; ❙❙ Não é permitido utilizar para fins particulares tempo que contratualmente deveria ser dedicado à atividade da instituição; ❙❙ Não é permitido alterar o teor de nenhum documento, informação ou dado da instituição; ❙❙ Não são permitidos conversas e comentários so- bre assuntos inadequados, de caráter institucional ou não, em locais de circulação de pessoas dentro do hospital; ❙❙ Não é permitida a demonstração de atitudes que discriminem pessoas em decorrência de raça, cor, sexo, opção sexual, de religião ou falta dela, de origem, classe social, idade, incapacidade física ou mental, bem como de quaisquer outras formas de preconceito.
  • 22. 22
  • 23. 23 3. Patrimônio do Sistema de Saúde Mãe de Deus
  • 24. 24 Os objetos materiais e equipamentos que consti- tuem o patrimônio do Sistema de Saúde Mãe de Deus devem ser utilizados com atenção, zelo e cui- dado por seus usuários, com o objetivo de evitar danos e/ou deterioração. Os recursos da institui- ção incluem mas não se limitam a: ❙❙ Equipamentos, maquinários, ferramentas e peças de reposição; ❙❙ Estoque e suprimentos; ❙❙ Telefones, máquinas de cópia e de fax; ❙❙ Computadores, impressoras e outros recursos de tecnologia; ❙❙ Sistemas e ferramentas de acesso à Internet e a e-mail; ❙❙ Informações e registros confidenciais;
  • 25. 25 ❙❙ Invenções e ideias; ❙❙ Reputação, etc. Caso o usuário não tenha a devida preparação para lidar com algum objeto do patrimônio do SSMD, ou ainda, em caso de dúvida, deverá soli- citar treinamento e orientação para utilizá-lo, bem como mantê-lo no devido lugar e em condições adequadas de uso. Não será permitido o uso dos objetos do patrimô- nio em benefício próprio ou retirá-los do local de trabalho, sem autorização formal da chefia da área.
  • 26. 26
  • 27. 27 4. Saúde e Segurança do Trabalho Nossa instituição acredita que os ferimentos e as doenças ocupacionais são passíveis de prevenção e podem ser eliminados. Para isso, contamos com Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), que tem por objetivo zelar pela saúde e segurança do trabalho. Estamos comprometidos a: ❙❙ Garantir que a segurança seja um valor fundamental para a instituição, integrado em nossas atividades diárias; ❙❙ Obedecer às normas e regras relativas à Saúde e Segurança no Trabalho, cujas premissas e orientações asseguram os cuidados aos próprios colaboradores, aos clientes, aos pacientes e a todos que atuam na instituição; ❙❙ Utilizar equipamentos de proteção individual (EPIs) apropriadamente (solicitando e recebendo treinamentoparatanto),higienizá-los,conservá-los, guardá-los e, quando danificados ou extraviados, substituí-los conforme orientação da instituição;
  • 28. 28 ❙❙ Estabelecer nossos próprios padrões de higiene e segurança ocupacional e orientação técnica com base em melhores práticas; ❙❙ Esforçar-nos para melhorar continuamente nosso desempenho em higiene e segurança ocupacional; ❙❙ Encorajar todo o pessoal do SSMD para contribuir com as melhorias de segurança; ❙❙ Comparecer, sempre que solicitado, ao setor de Saúde no Trabalho, para exames laboratoriais e consulta médica periódica, conforme orientado e previsto no Programa de Controle em Medicina Saúde Ocupacional (PCMSO); ❙❙ Usar o uniforme identificador da instituição, de acordo com as exigências do setor em que o colaborador atua, mantendo-o em condições de uso; ❙❙ Usar o crachá de identificação pessoal, desde a entrada na instituição até a saída desta. O que não permitimos: ❙❙ Uso de tatuagens e piercings aparentes/ expostos; ❙❙ Trabalhar sob o efeito de drogas ou álcool;
  • 29. 29 ❙❙ O descomprometimento com qualquer um dos itens citados na seção Saúde e Segurança do Trabalho. DICA DE CONDUTA Lembre-se destes três compromissos bási- cos para a segurança no local de trabalho em suas atividades diárias: 1. Eu me recuso a executar qualquer ação que considerar insegura ou qualquer tarefa para a qual não fui treinado de forma ade- quada ou para a qual não possuo as condi- ções adequadas. 2. Interromperei imediatamente qualquer pessoa que esteja prestes a executar ou que esteja executando qualquer ação que considere insegura e evitarei que qualquer pessoa execute uma tarefa para a qual não esteja preparada. 3. Interromperei imediatamente o que esti- ver fazendo se alguém me questionar sobre uma tarefa que eu esteja executando. Acata- rei a preocupação com respeito e boa von- tade, solicitando assistência de outra pessoa, se necessário, antes de continuar.
  • 31. 31 A atuação dos gestores deve ser pautada pelo adequado relacionamento com os colaboradores por eles coordenados e com a instituição, pelos seguintes parâmetros de conduta: ❙❙ Cumprir e fazer cumprir as diretrizes da instituição; ❙❙ Empenhar-se para manter um bom clima organizacional; ❙❙ Estimular e participar no desenvolvimento profissional dos colaboradores; ❙❙ Mostrarem-se abertos a solucionar as dúvidas que lhes sejam apresentadas; ❙❙ Procurar pacificar eventuais conflitos; ❙❙ Realizarfeedbackperiódicosobreodesempenho dos seus colaboradores; ❙❙ Zelar pelo patrimônio do hospital que lhes for confiado e orientar o seu uso;
  • 32. 32 ❙❙ Divulgar as informações que sejam relevantes para o bom desempenho das atividades profissionais dos colaboradores coordenados; ❙❙ Acatar as regras e normas da instituição e zelar para que sua equipe também as siga de forma integral; ❙❙ Buscar atender às metas estabelecidas pela instituição; ❙❙ Demonstrar periodicamente à Diretoria do hospital aanálisedasmetaseresultadospropostos, em seu planejamento estratégico e operacional. O que não permitimos: ❙❙ Usar a função para solicitar favores ou serviços pessoais a subordinados; ❙❙ Tolerar ou exercer atitudes que configurem assédio moral ou sexual.
  • 33. 33 Em relação ao Código de Ética o gestor deve: ❙❙ Certificar-se de que conhece e entende o código e basear seu comportamento nele; ❙❙ Deixar claro para a equipe que está disponível para discutir suas preocupações; ❙❙ Apoiar os membros da equipe que trazem preocupações de forma honesta e tratá-los com respeito; ❙❙ Levar a sério as questões e as preocupações da equipe; ❙❙ Sentir-se livre para buscar orientação antes de responder; ❙❙ Agir para interromper as violações do código e da lei por parte dos membros da sua equipe; ❙❙ Levar todas as preocupações ao conhecimento dos níveis hierárquicos apropriados; ❙❙ Nunca deixar que o colaborador sinta que suas preocupações estão sendo ignoradas; ❙❙ Assegurar-se de que não haja retaliação contra alguém que informa uma suspeita de violação do Código de Conduta Ética.
  • 34. 34
  • 35. 35 6. Relação com os Colegas de trabalho
  • 36. 36 O SSMD preza pelo bom relacionamento entre to- dos os colaboradores na forma como se tratam e se comunicam. Estamos comprometidos em ofe- recer a nossos colaboradores um ambiente de tra- balho livre de preconceitos, assédio, intimidação e de outros comportamentos inapropriados. Para isso, os colaboradores devem pautar sua atuação profissional em equipe pelos seguintes parâme- tros de conduta: ❙❙ Apresentar sugestões e críticas construtivas, visando aprimorar a qualidade do trabalho; ❙❙ Respeitar e valorizar os colegas de trabalho; ❙❙ Não compactuar com qualquer ação que fira a imagem e integridade da instituição e dos colegas. ❙❙ Exercer suas funções buscando superar desafios, sempre com espírito empreendedor, visando à consecução da missão institucional; ❙❙ Não criar dificuldades artificiais no exercício de seu cargo, função ou atribuição, com o objetivo de supervalorizar sua atuação profissional ou minimizar a atuação dos colegas; Constitui-se em elemento imprescindível à integri- dade profissional em equipe auxiliar os colegas no
  • 37. 37 desempenho de suas funções, sempre que possí- vel e solicitado. Não é admissível que dificuldades que porventu- ra venham a existir, de caráter pessoal ou coletivo, possam prejudicar o bom relacionamento profis- sional entre os colegas na instituição. Violência no local de trabalho Estamos comprometidos com um local de traba- lho livre de violência. Cada um de nós deve: ❙❙ Informar qualquer ato, seja físico ou psicológico, que ameace ou atinja um colaborador de maneira violenta ou potencialmente violenta; ❙❙ Não portar ou usar uma arma enquanto estiver presente nas instalações ou eventos da instituição; Qualquer situação informada que contiver a mínima possibilidade de violência no local de trabalho, mesmo que executada como uma brincadeira, será avaliada pelo departamento de Recursos Humanos.
  • 38. 38 Ouvi um colega ameaçar outro colaborador e este está com medo de informar o incidente. O que devo fazer? Informe o incidente imediatamente. O SSMD não tolerará ações ou ameaças de violência e investigará todas as informações. Vocêtemaresponsabilidadedeagirquando souber de uma ameaça ou de um risco para qualquer um de nossos colaboradores. Exemplos de assédio podem incluir: ❙❙ Avanços sexuais indesejados, solicitação de favores sexuais e outras condutas físicas ou verbais de natureza sexual; ❙❙ Conversas, piadas, imagens e comentários ofensivos que envolvam raça, cor, sexo, orientação sexual, identidade de gênero, idade, religião, credo, nacionalidade, deficiência, status de veterano ou outras categorias protegidas. respeito no local de trabalho
  • 39. 39 Exemplos de comportamento inapropriado podem incluir: ❙❙ Gritos de irritação; ❙❙ Xingamentos; ❙❙ Grosserias dirigidas a outras pessoas; ❙❙ Ameaças e intimidação; ❙❙ Deboche/ridicularização em público.
  • 40. 40
  • 42. 42 Estamos comprometidos a oferecer serviços que sejam seguros e satisfaçam nossos clientes. A qualidade e a segurança do serviço não são de responsabilidade de uma equipe ou de uma área. Cada um de nós tem uma responsabilidade pessoal de estar em conformidade com as políticas de qualidade e segurança da instituição. O SSMD tem por objetivo prestar assistência à saúde, buscando garantirsoluçõescompletaseintegradasemsaúde, com desenvolvimento científico, tecnológico e humano. A relação com o cliente deve ser pautada pelos seguintes parâmetros de conduta: ❙❙ Acolher os clientes com humanismo, profissionalismo, competência, dedicação, cordialidade, atenção, presteza, segurança e respeito; ❙❙ Respeitar os direitos dos clientes, oferecendo- lhes um tratamento digno e uma entrega dos serviços e produtos com alto padrão de qualidade e segurança; ❙❙ Dar respostas às suas solicitações, de forma cordial, ágil e profissional, em prazo adequado;
  • 43. 43 ❙❙ Prestar informação de forma clara, objetiva e compreensível ao cliente, certificando-se de que houve o entendimento mútuo; ❙❙ Ser receptivo às opiniões dos clientes e buscar as melhorias necessárias e viáveis; ❙❙ Oferecer os serviços da instituição pautado pelo compromisso e de acordo com as diretrizes éticas do SSMD; ❙❙ Reconhecer eventuais erros cometidos e comunicá-los imediatamente ao superior hierárquico ou a área responsável; ❙❙ Colocar-se à disposição do cliente, seja ele paciente ou acompanhante, para atender às suas demandas, apresentar-lhe as explicações ou justificativas cabíveis, pessoalmente ou por telefone; ❙❙ Se tiver ciência de um erro, seja ele em favor do SSMD ou não, corrija-o.
  • 44. 44
  • 46. 46 Estamos comprometidos a oferecer uma assistên- cia segura e com qualidade aos nossos pacientes, por meio das melhores práticas e em conformida- de com os padrões estabelecidos. Com o objetivo de garantir a qualidade e seguran- ça na assistência aos pacientes do SSMD e zelar pela credibilidade e reputação da imagem da insti- tuição, não serão permitidos: ❙❙ O ato de insubordinação ou negligência no atendimento ao paciente; ❙❙ A recusa a atender ou apoiar o cliente, paciente ou acompanhante; ❙❙ A falta de respeito com os clientes (paciente/ acompanhante), colegas ou superiores hierárquicos; ❙❙ O não registro de eventos adversos; ❙❙ A desatenção no manuseio de documentos relativos ao prontuário do paciente (em virtude do risco de acarretar inadequação, perda ou extravio de suas informações);
  • 47. 47 ❙❙ A manifestação e demonstração, aos atendidos, de insatisfações pessoais ou profissionais; ❙❙ O acesso ou manuseio de bens e itens pertencentes aos pacientes e seus acompanhantes; ❙❙ Insinuações ao paciente ou a seu acompanhante sobre eventuais problemas de assistência a eles, dentro do hospital, ou insinuações relegando/transferindo para outro setor/colega a responsabilidade por tais problemas; ❙❙ O não seguimento das prescrições e orientações dos médicos e outros profissionais de saúde a serem proporcionadas ao paciente; ❙❙ A alteração de documentos, informações ou dados integrantes do prontuário do paciente; ❙❙ A falta de sigilo com as informações do prontuário do paciente; ❙❙ Quaisquer outros comportamentos contrários aos princípios de ética, honestidade e idoneidade.
  • 48. 48 9. Relação com a tecnologia da informação
  • 49. 49 Estamos comprometidos a proteger as informa- ções confidenciais e os recursos de informática do SSMD. A relação com a Tecnologia da Informação (TI) deve ser pautada pelos seguintes parâmetros de conduta: ❙❙ Os computadores, impressoras, softwares e equipamentos de informática do SSMD e seus respectivos recursos de rede devem ser utilizados somente para serviços da instituição, salvo mediante autorização prévia dos gestores; ❙❙ Nos recursos dos computadores e de rede incluem-se o correio eletrônico (e-mail), telefone, serviços de Internet, hardwares, softwares, impressoras e copiadoras; ❙❙ É direito da instituição filtrar, monitorar e bloquear qualquer conteúdo que possa ser acessado em seus computadores; ❙❙ É proibida a instalação de softwares e equipamentos não homologados pela área de Tecnologia da Informação (TI) e que não sejam de propriedade da instituição; ❙❙ Não é permitida a movimentação de equipamentos de informática, salvo quando realizada apenas pelos profissionais da área de TI; ❙❙ A senha é individual e de uso exclusivo de cada usuário. Em nenhuma hipótese deverá ser fornecida ou divulgada a terceiros/outros.
  • 50. 50 Trabalho como voluntário em uma Organização Não Governamental (ONG) local. Todo mês eles precisam que eu faça cópias de folhetos. Se eu trouxer o papel, poderei usar o equipamento da instituição? Não. Você não pode usar os recursos do SSMD para trabalho voluntário. Mesmo que esteja usando seu próprio papel, ainda estará usando recursos da instituição, como toner, tinta e largura de banda de rede, etc. Um novo colaborador ainda não tem acesso à rede. Posso emprestar minha senha a ele? Não. Ele deve aguardar até receber a própria senha. Você é o responsável por qualquer atividade processada com sua senha. Ao manter um controle rígido de sua senha e alterá-la periodicamente, você estará protegendo os dados do SSMD de usuários não autorizados.
  • 51. 51 Tenho um blog pessoal no qual compartilho meus pensamentos e sentimentos com meus amigos. O que preciso considerar antes de incluir informações relacionadas ao trabalho? Seja cuidadoso. Ferramentas de mídia como blogs, wikis, redes de relacionamento, etc. estão sujeitas às mesmas regras que os outros meios de comunicação. Não revele informações comerciais confidenciais. Por exemplo, não escreva sobre mudanças organizacionais, relacionamentos com clientes, pacientes ou fornecedores, informações financeiras, informações pessoais de colaboradores (endereço, número de telefone, números de identificação de colaboradores, etc.), fotos da instituição, de pacientes, colaboradores ou qualquer outra informação reservada ou confidencial. DICA DE CONDUTA Não envie imagens de processos, equipamentos ou maquinário da instituição por e-mail sem prévio consentimento.
  • 53. 53 A relação com os fornecedores está pautada pelo compromisso de uma negociação justa. Desde sua seleção até sua avaliação, está baseada nas diretri- zes que norteiam as ações do SSMD. O objetivo é compartilhar nossos valores e princípios e reafir- mar o compromisso com as boas práticas comer- ciais, prezando sempre pela ética e transparência. ❙❙ A escolha e a contratação de fornecedores deverão basear-se em critérios técnicos, profissionais e éticos, dentro das necessidades da instituição; ❙❙ Ao comprar produtos ou serviços em nome da instituição, trate todos os potenciais fornecedores de forma justa e honesta; ❙❙ Independentemente da posição que ocupem, os colaboradores do SSMD são proibidos de aceitar, para benefício próprio, quaisquer tipos de brindes e/ou gratificações de qualquer pessoa ou empresa com as quais mantenham relações de compra, venda ou prestação de serviço; ❙❙ Nunca aceite itens de fornecedores do SSMD para uso pessoal. Se for para ou em nome da instituição, apenas as áreas autorizadas poderão analisar e verificar se não há conflitos de interesse; ❙❙ Não ofereça presentes, entretenimento ou favores para ganhar ou manter negócios;
  • 54. 54 ❙❙ Não ofereça presentes ou entretenimentos que possam dar a impressão de violar nosso compromisso e nosso respeito uns com os outros. PRESENTES, ENTRETENIMENTO E OUTROS FAVORES Aceitar ou oferecer presentes, entretenimento (shows, esportes, etc.) e outros favores pode criar um conflito de interesse, real ou potencial. “Presentes, entretenimento e outros favores” significaqualquercoisadevalor.Exemplosincluem, mas não estão limitados a: refeições, hospedagem, descontos, prêmios, viagens, ingressos para shows, cursos, congressos, etc., dinheiro em qualquer forma ou ações. Aceitar presentes, entretenimento ou favores Durante seu trabalho para o SSMD, clientes, forne- cedores ou outros contatos comerciais poderão oferecer presentes, entretenimento ou outros fa- vores a você. Aceitar presentes, entretenimento ou favores normalmente nos deixa com a sensação de que devemos fazer algo em troca. Isso poderá afetar nossa capacidade de tomar decisões comer-
  • 55. 55 ciais objetivas levando em consideração os melho- res interesses do SSMD. Os únicos tipos de presen- tes e entretenimento que você poderá aceitar de alguém que negocia ou poderá vir a negociar com o SSMD são: ❙❙ Presentes ocasionais de baixo valor, como canetas, calendários, agendas ou pequenos itens promocionais relacionados a negócios. Se receber algo que não corresponda a essas dire- trizes, deverá devolver e explicar que nossa política não permite que você aceite em benefício próprio; nestes casos você deve orientar o fornecedor a en- trar em contato com as áreas de Suprimentos ou Universidade Corporativa para oferecer em nome da instituição. Recebi de um fornecedor a informação dequeelepodemepagarumapassagem e hospedagem para um congresso importante na minha área de atuação profissional. Como isso reduz custo para a instituição, posso aceitar? Não. Você deve informar o fornecedor de que o presente só poderá ser aceito pelo SSMD, que avaliará a oferta e quem poderá, de acordo com a política institucional, ir ao congresso.
  • 57. 57 11. Relação com operadoras de plano de assistência à saúde A relação dos colaboradores do SSMD com as Ope- radoras de Planos de Assistência à Saúde e com as instituições conveniadas ao SSMD são pautadas pela legislação vigente, bem como em contratos previamente negociados e assinados entre as par- tes. Deve-se agir com honestidade, integridade e idoneidade nos contatos com seus funcionários. Não será permitido: ❙❙ Depreciar a imagem de operadoras ou de convênios perante seus usuários, ainda que estes a depreciem; ❙❙ Depreciar a imagem do hospital perante os representantes de operadoras ou de convênios; ❙❙ Emitir opiniões sobre a qualidade de operadoras ou de convênios.
  • 58. 58
  • 59. 59 12. Relação com o corpo clínico A relação com o Corpo Clínico está baseada nas diretrizes que norteiam as ações do SSMD. A prá- tica médica no SSMD visa maximizar a qualidade assistencial e a segurança do paciente na busca da melhoria contínua dos resultados da instituição prezando a ética. O profissional integrante do Cor- po Clinico deverá: ❙❙ Zelar pelo nome da instituição; ❙❙ Prezar pelo desenvolvimento das suas atividades e pela excelência no atendimento ao cliente a que se compromete no exercício da sua atividade profissional; ❙❙ Efetuar registros, como evolução, prescrição, etc., que reflitam de forma clara e precisa a sua atividade profissional, a segurança do paciente e da instituição; ❙❙ Respeitarosdemaiscolaboradoresdainstituição;
  • 60. 60
  • 62. 62 Estamos comprometidos a efetuar registros da instituição que reflitam de forma justa e precisa as nossas atividades diárias. A instituição manterá controles internos adequados para avaliar e geren- ciar os riscos às atividades, aos colaboradores e à reputação. ❙❙ Os registros das atividades financeiras e contábeis devem ser realizados de forma precisa, completa e verdadeira, em conformidade com os preceitos legais e as normas contábeis vigentes e aceitas. ❙❙ A instituição e os colaboradores cooperarão sem restrições com a auditoria interna e externa. ❙❙ Os bens físicos, financeiros e intelectuais serão protegidos e usados de forma eficiente e para as finalidades para os quais são disponibilizados e a que se destinam.
  • 63. 63 O fim do ano está chegando e tenho dinheiro sobrando em meu orçamento. Posso pagar antecipadamente uma despesaqueseiquetereinopróximoano para que ela seja aplicada ao orçamento deste ano? Não. Você deve registrar as despesas no período contábil apropriado. Registre as atividades no ano no qual elas ocorrem. Se precisar pagar antecipadamente este ano por uma atividade que acontecerá no ano seguinte, entre em contato com sua equipe financeira local.
  • 64. 64
  • 65. 65 14. Relação com o meio ambiente
  • 66. 66 O SSMD é uma instituição comprometida com a qualidade de vida de seus colaboradores e com a saúde ambiental do planeta e da sociedade. O co- laborador do SSMD deverá responsabilizar-se pelo cumprimento das normas de preservação do meio ambiente. A relação deve ser pautada pelos seguin- tes parâmetros de conduta: ❙❙ Não fumar nas dependências do hospital; ❙❙ Descartar corretamente os resíduos conforme as normas internas e as exigências legais; ❙❙ Utilizar adequadamente os insumos disponibi- lizados para o exercício da atividade profissional, inclusive formulários e material de escritório; ❙❙ Alimentar-se somente em áreas autorizadas para alimentação; ❙❙ Manter os banheiros em perfeitas condições de higiene depois de utilizá-los; ❙❙ Consumir ou utilizar água e energia elétrica de forma racional e sem desperdício; ❙❙ SeguirasnormasdoProgramadeGerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde da instituição.
  • 67. 67 Observei atividades no hospital que podem comprometer o meio ambiente ou criar um perigo ambiental. O que devo fazer? Informe. Caso tenha ciência de qualquer violação da lei ou das políticas ou dos procedimentos da instituição, é sua responsabilidade informar.
  • 68. 68
  • 69. 69 15. Relação com a imprensa O SSMD é comprometido com as declarações à imprensa. Declarações serão feitas exclusivamente por representantes formalmente autorizados, com a prévia aprovação da presidência ou diretoria da instituição e com o envolvimento da assessoria de imprensa. Não é permitido aos colaboradores: ❙❙ Prestar declarações à imprensa pessoalmente, por telefone ou meio eletrônico; ❙❙ Fornecerdocumentos,fotos,etc.paraaimprensa. Fui abordado pela imprensa, que me solicitou informações sobre a instituição. O que devo fazer? Deverá explicar que existe uma área responsável pelo relacionamento com a imprensa (Marketing) e com esta é que se deve fazer o contato.
  • 71. 71 Estamos comprometidos com o Ensino e Pesquisa baseando nossas ações em princípios éticos se- guindo as diretrizes internacionais e nacionais que regem as atividades científicas. A relação deve ser pautada pelos seguintes parâmetros de conduta: ❙❙ Os colaboradores do SSMD não podem fornecer informações, participar ou realizar pesquisas na instituição sem a comprovação (Parecer de Aprovação) de que a pesquisa foi autorizada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do SSMD (CEP); ❙❙ Pesquisadores que necessitem utilizar dados de prontuários dos pacientes devem apresentar o Termo de Compromisso para Utilização de Dados assinado por todos os participantes da pesquisa e aprovado pelo CEP, garantindo o respeito devido à dignidade humana. ❙❙ A instituição deve garantir a supervisão permanente das atividades de ensino por um profissional com especialidade em causa ou título superior ou possuidor de qualificação equivalente; ❙❙ Toda atividade de ensino no SSMD deve ser supervisionada por um profissional autorizado pela instituição; ❙❙ Não é permitida a realização de atividades de ensino (estágios curriculares, residência médica, etc.) sem a supervisão de um profissional.
  • 72. 72
  • 73. 73 17. Das infrações e penalidades A ação, a omissão ou a conivência que impliquem desobediência ou inobservância das disposições do Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde Mãe de Deus são consideradas infrações à ética. As penalidades a que os infratores estão sujeitos são: ❙❙ Advertência verbal; ❙❙ Advertência por escrito; ❙❙ Suspensão não remunerada, conforme a legislação trabalhista; ❙❙ Demissão por justa causa. O empregador poderá aplicar uma penalidade para cada infração, nos termos das disposições le- gais e de acordo com a gravidade e as circunstân- cias da falta cometida.
  • 74. 74
  • 75. 75 18. Gestão do código de conduta ética
  • 76. 76 Caberá à Presidência, à Superintendência, aos Dire- tores do SSMD e aos gestores de cada área gerirem e aplicarem o presente Código de Conduta Ética. No cumprimento da atribuição de gerir e aplicar o presente Código de Conduta Ética, deverão: ❙❙ Divulgar o presente Código de Ética entre os colaboradores da instituição; ❙❙ Avaliar permanentemente a atualidade e per- tinência do presente Código de Conduta Ética, encaminhando sugestões de alteração à área de Recursos Humanos; ❙❙ Sanar casos omissos deste Código de Conduta Ética e interpretar suas disposições, esclarecendo as dúvidas de qualquer colaborador do SSMD, sempre que solicitados.
  • 77. 77 A leitura deste código não representa um fim em si mesmo. Em vez disso, é im- portante que todos sempre ajam com ética, dentro da lei e em conformidade com este Código de Conduta Ética. Fazer o que é certo é o jeito do SSMD. Cada um de nós é responsável por agir em confor- midade com o código, por informar sus- peitas de violações e por cooperar com as investigações da instituição em rela- ção a possíveis violações. Você não pode perder seu emprego ou seus benefícios, ou ser rebaixado, suspenso, ameaçado, assediado ou discriminado, por levantar de forma honesta uma questão relacio- nada ao Código de Conduta Ética.
  • 78. 78
  • 80. 80 O que é? Contato Seguro é um canal de comunicação dire- to entre os colaboradores e os gestores da organi- zação. Esse sistema disponibiliza aos funcionários uma ferramenta segura e anônima, para que infor- mem a ocorrência de fatos, fraudulentos ou não, potencialmente lesivos à Organização. Dessa for- ma, consegue-se corrigir em tempo hábil as con- sequências de eventuais problemas que estejam ocorrendo, limitar os efeitos dessas violações e, si- multaneamente, prevenir e desencorajar condutas similares no futuro. COMo funciona ❙❙ Contato Seguro por Telefone Ao Vivo A Contato Seguro disponibiliza um número de telefone gratuito (0800-6021832) e próprio para cada organização contratante. As ligações são sempre atendidas por ouvidores com formação em Psicologia, especialmente trei- nados para obter o máximo de informações a res-
  • 81. 81 peito da comunicação ou da sugestão relatadas, possibilitando que a organização identifique o problema apontado. O número do telefone a par- tir do qual se originar a ligação não será identifica- do em nenhuma hipótese. ❙❙ Contato Seguro pela Internet A Contato Seguro disponibiliza uma página na Internet na qual os funcionários, colaboradores e parceiros podem registrar eletronicamente, online, sua denúncia ou sugestão, mantendo o anonima- to e a segurança. O registro é feito a partir de um formulário especialmente desenvolvido para obter o máximo de informações possíveis. O IP do com- putador do usuário do sistema não é identificado em nenhuma hipótese. O anonimato e o sigilo es- tarão sempre garantidos, confirmando-se ou não as denúncias apontadas. Após o registro da suges- tão ou inconformidade, a Contato Seguro enca- minhará essas informações a um comitê específi- co, formado por funcionários e colaboradores do SSMD para sua análise e averiguação, mesmo que digam respeito a pessoas dos mais altos escalões. Esse comitê será o responsável pela avaliação da inconformidade. Todas as comunicações e suges-
  • 82. 82 tões recebem um número de protocolo, por meio do qual o usuário pode, posteriormente, comple- mentar o seu registro ou acompanhar anonima- mente os seus desdobramentos. Esse número de protocolo possibilita, também, que a organização e o usuário“dialoguem”, mediante perguntas e res- postas, preservando-se sempre o anonimato. ❙❙ Ouvidoria A ouvidoria da Contato Seguro é o órgão respon- sável por receber as comunicações e as sugestões, podendo ser acionada pelos públicos interno e externo do SSMD. A ouvidoria é sempre imparcial e atua de forma a garantir a segurança, a confiden- cialidade e o anonimato dos colaboradores que a procuram. Os ouvidores estão à disposição 24 ho- ras por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano, e as ligações são sempre gratuitas, de qualquer lugar do país.
  • 83. 83 ❙❙ Comunicação Segura Possibilita que os funcionários e colaboradores co- muniquem, anonimamente ou não, a ocorrência de não conformidades ou a existência de condu- tas inapropriadas e antiéticas que possam afetar a imagem, o resultado financeiro e o ambiente de trabalho na organização. É um canal de comuni- cação seguro e eficaz para que se registrem e se informem as inconformidades referentes a fraudes e a más práticas que eventualmente estejam ocor- rendo ou prestes a ocorrer, possibilitando que se iniciem e se aprofundem as investigações e, se for o caso, corrijam-se os problemas identificados. ❙❙ Sugestão Segura Possibilita que os funcionários, colaboradores e parceiros apresentem, anonimamente ou não, su- gestões para a melhoria das não conformidades constatadas.
  • 85. PARA O CORPO CLÍNICO Termo de recebimento e compromisso Declaro, para todos os fins e efeitos, que recebi uma cópia inte- gral do Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde Mãe de Deus, tomei conhecimento de todas as suas disposições e me comprometo a cumpri-las integralmente. Declaro, ainda, que fui comunicado da obrigatoriedade de sua observância em todas as situações e circunstâncias que este- jam direta ou indiretamente dispostas no contrato de trabalho firmado por mim. Declaro, por fim, que na hipótese de ocorrerem situações em que não haja no presente Código de Conduta Ética previsão expressa em relação à conduta exigida ou esperada, informarei imediatamente o fato ao Gestor da área onde atuo ou a um dos responsáveis do setor de Recursos Humanos. Nome do Médico: ......................................................... ...................................................................................................... Matrícula n.º: .................................................................... CRM n.º: ................................................................................ Local e data: ...................................................................... Assinatura
  • 87. PARA os FUNCIONários Termo de recebimento e compromisso Declaro, para todos os fins e efeitos, que recebi uma cópia inte- gral do Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde Mãe de Deus, tomei conhecimento de todas as suas disposições e me comprometo a cumpri-las integralmente. Declaro, ainda, que fui comunicado da obrigatoriedade de sua observância em todas as situações e circunstâncias que estejam diretaouindiretamentedispostasnocontratodetrabalhofirma- do por mim. Declaro, por fim, que na hipótese de ocorrerem situações em que não haja no presente Código de Conduta Ética previsão expressa em relação à conduta exigida ou esperada, informarei imediatamente o fato ao Gestor da área onde atuo ou a um dos responsáveis do setor de Recursos Humanos. Nome do Funcionário: ............................................. ....................................................................................................... Matrícula: ............................................................................ Local e data: ....................................................................... Assinatura
  • 89. PARA os terceiros Termo de recebimento e compromisso Declaro, para todos os fins e efeitos, que recebi uma cópia inte- gral do Código de Conduta Ética do Sistema de Saúde Mãe de Deus, tomei conhecimento de todas as suas disposições e me comprometo a cumpri-las integralmente. Declaro, ainda, que fui comunicado da obrigatoriedade de sua observância em todas as situações e circunstâncias que estejam diretaouindiretamentedispostasnocontratodetrabalhofirma- do por mim. Declaro, por fim, que na hipótese de ocorrerem situações em que não haja no presente Código de Conduta Ética previsão expressa em relação à conduta exigida ou esperada, informarei imediatamente o fato ao Gestor da área onde atuo ou a um dos responsáveis do setor de Recursos Humanos. Nome do Colaborador: ............................................. ....................................................................................................... Empresa: .............................................................................. Local e data: ....................................................................... Assinatura