Vidas sucessivas

1.126 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.126
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
220
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vidas sucessivas

  1. 1. AS VIDAS SUCESSIVASAS VIDAS SUCESSIVAS Cleto Brutes – Apresentação disponível emCleto Brutes – Apresentação disponível em www.searadomestre.com.brwww.searadomestre.com.br ““Nascer, Morrer,Nascer, Morrer, Renascer ainda eRenascer ainda e Progredir semProgredir sem cessar, tal é a lei.”cessar, tal é a lei.” (Allan Kardec)(Allan Kardec) ReinosReinos inferioresinferiores ReinoReino humanohumano AngelitudeAngelitude
  2. 2. AS VIDAS SUCESSIVASAS VIDAS SUCESSIVAS GESM - MAIO 2008 - CLETO BRUTESGESM - MAIO 2008 - CLETO BRUTES - Propósitos da vida.- Propósitos da vida. - Objetivos da reencarnação.- Objetivos da reencarnação. - Lógica da reencarnação.- Lógica da reencarnação. - Evidências da- Evidências da reencarnação.reencarnação. - Reencarnação passo a- Reencarnação passo a
  3. 3. PROPÓSITOSPROPÓSITOS DA VIDADA VIDA
  4. 4. PROPÓSITOS DA VIDAPROPÓSITOS DA VIDA Deus criou todos os EspíritosDeus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, ou seja, semsimples e ignorantes, ou seja, sem conhecimento.conhecimento. Deu a cada um deles umaDeu a cada um deles uma missão, com o fim de os esclarecermissão, com o fim de os esclarecer e progressivamente chegar ae progressivamente chegar a perfeiçãoperfeição, pelo, pelo conhecimento daconhecimento da verdadeverdade e para ose para os aproximar Deleaproximar Dele.. O Livro dos Espíritos – cap. I – Livro II- questão 115.O Livro dos Espíritos – cap. I – Livro II- questão 115.
  5. 5. Propósitos da vidaPropósitos da vida Os Espíritos adquirem oOs Espíritos adquirem o conhecimento passando pelasconhecimento passando pelas provasprovas que Deus lhes impõe.que Deus lhes impõe. AA felicidade eternafelicidade eterna e seme sem perturbações, eles aperturbações, eles a encontrarão nessaencontrarão nessa perfeiçãoperfeição.. O Livro dos Espíritos – cap. I – Livro II- questão 115.O Livro dos Espíritos – cap. I – Livro II- questão 115.
  6. 6. OBJETIVOS DAOBJETIVOS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO
  7. 7. Objetivos da reencarnaçãoObjetivos da reencarnação O Livro dos Espíritos – cap. I – Livro II- questão 171.O Livro dos Espíritos – cap. I – Livro II- questão 171. Todos os Espíritos tendem paraTodos os Espíritos tendem para aa perfeiçãoperfeição e Deus lhes faculta ose Deus lhes faculta os meios de alcançá-la,meios de alcançá-la, proporcionando-lhes asproporcionando-lhes as provaçõesprovações da vida corporal.da vida corporal. Sua justiça, porém, lhes concedeSua justiça, porém, lhes concede realizar, emrealizar, em novas existênciasnovas existências , o, o que não puderam fazer ou concluirque não puderam fazer ou concluir numa primeira prova.numa primeira prova.
  8. 8. LÓGICA DASLÓGICA DAS VIDASVIDAS SUCESSIVASSUCESSIVAS
  9. 9. Se fossemosSe fossemos criados por Deuscriados por Deus antes doantes do nascimento ...nascimento ... LÓGICA DAS VIDASLÓGICA DAS VIDAS SUCESSIVASSUCESSIVAS
  10. 10. Por que para uns aPor que para uns a fortunafortuna, a, a felicidade constante e parafelicidade constante e para outros aoutros a misériamiséria, a desgraça, a desgraça inevitável?inevitável? Para estes a força, aPara estes a força, a saúdesaúde,, a beleza; para aqueles aa beleza; para aqueles a fraqueza, afraqueza, a doençadoença, a fealdade?, a fealdade? LÓGICA DAS VIDASLÓGICA DAS VIDAS SUCESSIVASSUCESSIVAS O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII -O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII - As vidas sucessivas – Léon DenisAs vidas sucessivas – Léon Denis
  11. 11. Por que aPor que a inteligênciainteligência, o, o gênio, aqui; e, acolá, agênio, aqui; e, acolá, a imbecilidadeimbecilidade?? Como se encontram tantasComo se encontram tantas qualidadesqualidades morais admiráveis, amorais admiráveis, a par de tantospar de tantos víciosvícios e defeitos?e defeitos? LÓGICA DAS VIDASLÓGICA DAS VIDAS SUCESSIVASSUCESSIVAS O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII -O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII - As vidas sucessivas – Léon DenisAs vidas sucessivas – Léon Denis
  12. 12. Donde vêm tambémDonde vêm também os jovens-os jovens- prodígiosprodígios - músicos, pintores,- músicos, pintores, poetas, todos aqueles que, desde apoetas, todos aqueles que, desde a meninice, mostram disposiçõesmeninice, mostram disposições extraordinárias para as artes ou paraextraordinárias para as artes ou para as ciências, ao passo que tantosas ciências, ao passo que tantos outros ficam naoutros ficam na mediocridademediocridade toda atoda a vida, apesar de um labor insano?vida, apesar de um labor insano? LÓGICA DAS VIDASLÓGICA DAS VIDAS SUCESSIVASSUCESSIVAS O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII -O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII - As vidas sucessivas – Léon DenisAs vidas sucessivas – Léon Denis
  13. 13. ... tudo se explica, se torna claro... tudo se explica, se torna claro com a doutrina dascom a doutrina das vidasvidas sucessivas.sucessivas. AsAs desigualdadesdesigualdades que nosque nos chocam resultam das diferenteschocam resultam das diferentes situações ocupadas pelas almassituações ocupadas pelas almas nos seusnos seus graus infinitos degraus infinitos de evoluçãoevolução.. LÓGICA DAS VIDASLÓGICA DAS VIDAS SUCESSIVASSUCESSIVAS O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII -O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII - As vidas sucessivas – Léon DenisAs vidas sucessivas – Léon Denis
  14. 14. A Reencarnação:A Reencarnação: uma crençauma crença milenarmilenar
  15. 15. PlatãoPlatão (428-348 a.C) e(428-348 a.C) e SócratesSócrates (470-399 a.C)(470-399 a.C) admitiam as vidasadmitiam as vidas sucessivas.sucessivas. OsOs judeusjudeus acreditavamacreditavam na reencarnação.na reencarnação. Reencarnação: uma crença milenarReencarnação: uma crença milenar
  16. 16. OrígenesOrígenes, o mais distinto e ilustre, o mais distinto e ilustre entre todos os teólogos da antiga Igreja,entre todos os teólogos da antiga Igreja, ensinava a preexistência da alma,ensinava a preexistência da alma, segundo a idéia Platônica.segundo a idéia Platônica. No século VI, o Imperador Justiniano INo século VI, o Imperador Justiniano I declarou guerra aos discípulos dedeclarou guerra aos discípulos de Orígenes.Orígenes. No Sínodo de 553, em Constantinopla,No Sínodo de 553, em Constantinopla, os seus ensinos foram condenados.os seus ensinos foram condenados. Reencarnação: uma crença milenarReencarnação: uma crença milenar Você e a Reencarnação - Cap. XIX - Hernani G.Você e a Reencarnação - Cap. XIX - Hernani G. AndradeAndrade
  17. 17. A ReencarnaçãoA Reencarnação na Bíbliana Bíblia
  18. 18. Diálogo com Nicodemos ...Diálogo com Nicodemos ... Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. ... Necessário vos é nascer de novo.(João – Cap. 3, V 1-13(João – Cap. 3, V 1-13
  19. 19. Jesus e o cego de nascençaJesus e o cego de nascença Rabi, quem foi que pecou, ele ouRabi, quem foi que pecou, ele ou os pais, para ele nascer cego?os pais, para ele nascer cego? Ninguém pecou, nem ele nem osNinguém pecou, nem ele nem os pais. Foi para que nele sepais. Foi para que nele se manifestasse as obras de Deus.manifestasse as obras de Deus. (Jo 9, 1-(Jo 9, 1- 5)5)
  20. 20. João Batista e EliasJoão Batista e Elias (Mt 17, 10-13)(Mt 17, 10-13) ““É verdade que Elias há de vir eÉ verdade que Elias há de vir e restabelecer todas as coisas: - mas,restabelecer todas as coisas: - mas, eu vos declaro que Elias já veio eeu vos declaro que Elias já veio e eles não o conheceram e o tratarameles não o conheceram e o trataram como lhes aprouve. É assim quecomo lhes aprouve. É assim que farão sofrer o Filho do Homem.”farão sofrer o Filho do Homem.” Então, seus discípulosEntão, seus discípulos compreenderam que fora de Joãocompreenderam que fora de João Batista que ele falara.Batista que ele falara.
  21. 21. EVIDÊNCIAS DAEVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO
  22. 22. EVIDÊNCIAS DAEVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO -Crianças prodígios (L.E. – Q. 219);Crianças prodígios (L.E. – Q. 219); Qual a origem das faculdades extraordináriasQual a origem das faculdades extraordinárias dos indivíduos que, sem estudo prévio, parecemdos indivíduos que, sem estudo prévio, parecem ter a intuição de certos conhecimentos, o daster a intuição de certos conhecimentos, o das línguas, do cálculo, etc.?línguas, do cálculo, etc.? ““Lembrança do passado;Lembrança do passado; progressoprogresso anterior daanterior da alma, mas de que ela não tem consciência.alma, mas de que ela não tem consciência. Donde queres que venham tais conhecimentos?Donde queres que venham tais conhecimentos? O corpo muda, o Espírito, porém, não muda,O corpo muda, o Espírito, porém, não muda, embora troque de roupagem.”embora troque de roupagem.”
  23. 23. EVIDÊNCIAS DAEVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO -- Crianças que se lembram de vidasCrianças que se lembram de vidas anteriores (espontaneamente);anteriores (espontaneamente); - As reminiscências de vidas- As reminiscências de vidas passadas através do processo depassadas através do processo de revivência ou hipnose (terapiasrevivência ou hipnose (terapias regressivas);regressivas); - Pesquisas científicas sobre a- Pesquisas científicas sobre a reencarnação.reencarnação.
  24. 24. EVIDÊNCIAS DAEVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO Pesquisas:Pesquisas: Dr. Ian Stevenson – ProfessorDr. Ian Stevenson – Professor de Psiquiatria na Universidade dede Psiquiatria na Universidade de Virgínia:Virgínia: 2600 casos sugestivos de reencarnação:2600 casos sugestivos de reencarnação: crianças (2 a 4 anos) que tinhamcrianças (2 a 4 anos) que tinham lembranças de vidas anteriores.lembranças de vidas anteriores. 19661966 19181918 -- 20072007
  25. 25. EVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃO:EVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃO: pesquisas no Brasilpesquisas no Brasil Hernani Guimarães Andrade:Hernani Guimarães Andrade: 80 casos80 casos 19721972
  26. 26. EVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃO:EVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃO: pesquisas no Brasilpesquisas no Brasil HernaniHernani GuimarãesGuimarães Andrade:Andrade: oito casos queoito casos que sugeremsugerem renascimentorenascimento
  27. 27. EVIDÊNCIAS DAEVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO As pesquisas feitas porAs pesquisas feitas por Dr. João Alberto FiorineDr. João Alberto Fiorine ,, Delegado de Polícia do Paraná, especialista emDelegado de Polícia do Paraná, especialista em impressão digital.impressão digital. Em busca da comprovaçãoEm busca da comprovação científica da reencarnaçãocientífica da reencarnação vem trabalhando em suasvem trabalhando em suas pesquisas com os seguintespesquisas com os seguintes dados:dados: impressão digital,impressão digital, exame grafotécnico,exame grafotécnico, prosopográfico e marcasprosopográfico e marcas de nascença.de nascença. impressão digital, do mesmoimpressão digital, do mesmo padrão.padrão.
  28. 28. EVIDÊNCIAS DAEVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO Exame grafotécnicoExame grafotécnico Pesquisas Dr. João Alberto Fiorine.Pesquisas Dr. João Alberto Fiorine.
  29. 29. EVIDÊNCIAS DAEVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃOExame prosopográfico- Dr. João AlbertoExame prosopográfico- Dr. João Alberto FiorineFiorine
  30. 30. EVIDÊNCIAS DAEVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO Livro do NeurologistaLivro do Neurologista e Psiquiatra Brian L.e Psiquiatra Brian L. Weiss:Weiss: Recordações deRecordações de vidas passadas devidas passadas de uma paciente.uma paciente.
  31. 31. EVIDÊNCIAS DAEVIDÊNCIAS DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO Minha Vida na Outra VidaMinha Vida na Outra Vida conta a história deconta a história de JennyJenny, uma, uma mulher do interior dos Estados Unidos, que tem visões,mulher do interior dos Estados Unidos, que tem visões, sonhos e lembranças de sua última encarnação, comosonhos e lembranças de sua última encarnação, como MaryMary, uma mulher irlandesa que faleceu na década de, uma mulher irlandesa que faleceu na década de 1930. Intrigada, Jenny sai em busca de seus filhos da1930. Intrigada, Jenny sai em busca de seus filhos da vida passada.vida passada.
  32. 32. REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO : O DESAFIO DO: O DESAFIO DO RETORNORETORNO
  33. 33. REENCARNAÇÃO: O DESAFIO DOREENCARNAÇÃO: O DESAFIO DO RETORNORETORNO PerturbaçãoPerturbação:: Muito maior e sobretudoMuito maior e sobretudo maismais longalonga. Pela morte, o Espírito sai da escravidão;. Pela morte, o Espírito sai da escravidão; pelo nascimento, entra para ela.pelo nascimento, entra para ela. Instante da encarnaçãoInstante da encarnação :: Procede como oProcede como o viajante que embarca para uma travessiaviajante que embarca para uma travessia perigosa e queperigosa e que não sabenão sabe se encontrará ou nãose encontrará ou não a morte nas ondas que se decide a afrontar.a morte nas ondas que se decide a afrontar. SentimentosSentimentos:: À aproximação do momento deÀ aproximação do momento de reencarnar, sente uma espécie dereencarnar, sente uma espécie de agoniaagonia. (...). (...) pois que as provas da sua existência opois que as provas da sua existência o retardarão ou farão avançar, conforme asretardarão ou farão avançar, conforme as suporte.suporte. O Livro dos Espíritos – Questões 330 a 343O Livro dos Espíritos – Questões 330 a 343
  34. 34. 1.1. PLANEJAMENTOPLANEJAMENTO DADA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO
  35. 35. Helen WambrachHelen Wambrach (autora do livro Recordando(autora do livro Recordando Vidas Passadas)Vidas Passadas) :: 750 pacientes –750 pacientes – analisa o antes deanalisa o antes de nascer (como senascer (como se sentiam, quais ossentiam, quais os objetivos).objetivos). PLANEJAMENTO DAPLANEJAMENTO DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO
  36. 36. PLANEJAMENTO DAPLANEJAMENTO DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO Tais projetos envolvemTais projetos envolvem complexidades que mal podemoscomplexidades que mal podemos imaginar, tais como:imaginar, tais como: - pesquisas do passado,- pesquisas do passado, - avaliação de possibilidades- avaliação de possibilidades futuras,futuras, - identificação e localização de- identificação e localização de pessoas com as quais devam serpessoas com as quais devam ser negociadas futuras atividades,negociadas futuras atividades,Hermínio Miranda - Nossos Filhos são Espíritos. p.Hermínio Miranda - Nossos Filhos são Espíritos. p.
  37. 37. PLANEJAMENTO DAPLANEJAMENTO DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO - queque tendênciastendências estimular,estimular, desestimular ou combater, quedesestimular ou combater, que virtudesvirtudes enfatizar, queenfatizar, que erroserros corrigir,corrigir, até onde poderão suportar pressõesaté onde poderão suportar pressões corretivas,corretivas, - que problemas devem ficar paraque problemas devem ficar para “mais tarde”, em outras existências.“mais tarde”, em outras existências. Hermínio Miranda - Nossos Filhos são Espíritos. p.Hermínio Miranda - Nossos Filhos são Espíritos. p.
  38. 38. PLANEJAMENTO DAPLANEJAMENTO DA REENCARNAÇÃOREENCARNAÇÃO (...) inúmeras variáveis(...) inúmeras variáveis são postas em discussão esão postas em discussão e avaliação, a fim de armar-seavaliação, a fim de armar-se umum esquema viávelesquema viável dentro dodentro do possível, ainda que nem semprepossível, ainda que nem sempre o ideal.o ideal. Hermínio Miranda - Nossos Filhos são Espíritos. p.Hermínio Miranda - Nossos Filhos são Espíritos. p.
  39. 39. NOSSA PARTICIPAÇÃO NONOSSA PARTICIPAÇÃO NO PLANEJAMENTOPLANEJAMENTO RevistaRevista Internacional deInternacional de Espiritismo –Espiritismo – 05.200405.2004
  40. 40. Os selvagens ou semi-selvagensOs selvagens ou semi-selvagens constroem suas habitações em moldesconstroem suas habitações em moldes simples e rudimentares.simples e rudimentares. Todavia o homem, que jáTodavia o homem, que já desenvolveu padrões superiores,desenvolveu padrões superiores, constrói o larconstrói o lar organizando plantasorganizando plantas prévias.prévias. Manassés ComplexidadeComplexidade do planejamentodo planejamento Missionários da Luz – André Luiz / Chico XavierMissionários da Luz – André Luiz / Chico Xavier
  41. 41. ComplexidadeComplexidade do planejamentodo planejamento O corpo humano é aO corpo humano é a maismais importante moradiaimportante moradia para aquelespara aqueles que necessitam das vivências naque necessitam das vivências na dimensão física da Terra, por issodimensão física da Terra, por isso a importância de haver uma importância de haver um cuidadosocuidadoso planejamento para asplanejamento para as futuras habitaçõesfuturas habitações carnais.carnais. Missionários da Luz – André Luiz / Chico XavierMissionários da Luz – André Luiz / Chico Xavier Manassés
  42. 42. 2.2. APROXIMAÇÃOAPROXIMAÇÃO COM OS PAISCOM OS PAIS
  43. 43. 3. A REDUÇÃO3. A REDUÇÃO DO PERISPÍRITODO PERISPÍRITO
  44. 44. Aparelho de restringimento (compactação)Aparelho de restringimento (compactação)  Processo deProcesso de restringimento realizadorestringimento realizado nono Ministério daMinistério da RegeneraçãoRegeneração e ue utilizadotilizado nas reencarnaçõesnas reencarnações compulsórias;compulsórias;  OO perispíritoperispírito, após o, após o processo, resulta numprocesso, resulta num pequeníssimo corpopequeníssimo corpo ovaladoovalado, lembrando uma, lembrando uma pastilha.pastilha. CUNHA, Heigorina.CUNHA, Heigorina. Imagens do Além.Imagens do Além. Pelo Espírito Lúcius.Pelo Espírito Lúcius. Nível deNível de consciênciaconsciência e ae a reduçãoredução dependemdependem do níveldo nível evolutivo.evolutivo.
  45. 45. 4. A LIGAÇÃO4. A LIGAÇÃO ESPIRITUALESPIRITUAL
  46. 46. 5. A5. A FECUNDAÇÃOFECUNDAÇÃO FÍSICAFÍSICA
  47. 47. 6. A UNIÃO DA6. A UNIÃO DA ALMA COM OALMA COM O CORPOCORPO
  48. 48. União da alma e do corpoUnião da alma e do corpo Em que momento a alma se une aoEm que momento a alma se une ao corpo?corpo? A união começa na concepção, mas sóA união começa na concepção, mas só é completa por ocasião do nascimento.é completa por ocasião do nascimento. Desde o instante da concepção, oDesde o instante da concepção, o Espírito designado para habitar certoEspírito designado para habitar certo corpo a este se liga por um laçocorpo a este se liga por um laço fluídico, que cada vez mais se vaifluídico, que cada vez mais se vai apertando até ao instante em que aapertando até ao instante em que a criança vê a luz.criança vê a luz. O Livro dos Espíritos – questão 344.O Livro dos Espíritos – questão 344.
  49. 49. Desde a concepção até o nascimento,Desde a concepção até o nascimento, aa fusão opera-se lentamente, fibra por fibra,fusão opera-se lentamente, fibra por fibra, molécula por moléculamolécula por molécula . Pelo afluxo. Pelo afluxo crescente dos elementos materiais e dacrescente dos elementos materiais e da força vital fornecidos pelos genitores, osforça vital fornecidos pelos genitores, os movimentos vibratórios do perispírito damovimentos vibratórios do perispírito da criança vão diminuir e restringirem-se, aocriança vão diminuir e restringirem-se, ao mesmo tempo em que as faculdades damesmo tempo em que as faculdades da alma, a memória, a consciência esvai-se ealma, a memória, a consciência esvai-se e aniquilam-se.aniquilam-se. Ligação do Perispírito com a matériaLigação do Perispírito com a matéria O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII - As vidasO problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII - As vidas sucessivas – Léon Denissucessivas – Léon Denis
  50. 50. É a essa redução das vibrações fluídicas doÉ a essa redução das vibrações fluídicas do perispírito, à sua oclusão na carne que se deveperispírito, à sua oclusão na carne que se deve atribuir à perda da memória das vidasatribuir à perda da memória das vidas passadas.passadas. Um véu cada vez mais espesso envolve aUm véu cada vez mais espesso envolve a alma e apaga-lhe as radiações interiores.alma e apaga-lhe as radiações interiores. Todas as impressões da sua vida celeste e doTodas as impressões da sua vida celeste e do seu longo passado volvem às profundezas doseu longo passado volvem às profundezas do inconsciente e a emersão só se realiza nasinconsciente e a emersão só se realiza nas horas dehoras de exteriorizaçãoexteriorização ou por ocasião daou por ocasião da mortemorte ...... Esquecimento do passadoEsquecimento do passado O problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII - As vidasO problema do ser do destino e da dor - Cap. XIII - As vidas sucessivas – Léon Denissucessivas – Léon Denis
  51. 51. Esquecimento do passadoEsquecimento do passado Por que perde o Espírito encarnado aPor que perde o Espírito encarnado a lembrança do seu passado?lembrança do seu passado? ““Não pode o homem, nem deve, saberNão pode o homem, nem deve, saber tudo. Deus assim o quer em suatudo. Deus assim o quer em sua sabedoria. Sem o véu que lhe ocultasabedoria. Sem o véu que lhe oculta certas coisas, ficaria ofuscado, comocertas coisas, ficaria ofuscado, como quem, sem transição, saísse do escuroquem, sem transição, saísse do escuro para o claro. Esquecido de seu passado,para o claro. Esquecido de seu passado, ele é mais senhor de si.”ele é mais senhor de si.” O Livro dos Espíritos - Questão 392.O Livro dos Espíritos - Questão 392.
  52. 52. 7. A PROTEÇÃO7. A PROTEÇÃO
  53. 53. OUTROSOUTROS EXEMPLOSEXEMPLOS
  54. 54. REENCARNAÇÃO cuidadosamenteREENCARNAÇÃO cuidadosamente preparadapreparada 1 - Realizado o mapa da1 - Realizado o mapa da organização física;organização física; 2 - Fora submetido a2 - Fora submetido a tratamentos especiais notratamentos especiais no Perispírito;Perispírito; 3 - Conduzido ao futuro lar3 - Conduzido ao futuro lar - imantação inicial;- imantação inicial; Cap. 19 – Compromissos de LibertaçãoCap. 19 – Compromissos de Libertação
  55. 55. REENCARNAÇÃO cuidadosamenteREENCARNAÇÃO cuidadosamente preparadapreparada 4 - Após a redução4 - Após a redução perispiritual foi entregue àperispiritual foi entregue à futura mãe;futura mãe; 5 - Tocando o chakra5 - Tocando o chakra coronário, uma poderosa ondacoronário, uma poderosa onda mental alcançou determinadomental alcançou determinado gameta, que disparou comgameta, que disparou com maior velocidade;maior velocidade; 6 - Ao influxo dos Engenheiros6 - Ao influxo dos Engenheiros espirituais, iniciou-se a fusãoespirituais, iniciou-se a fusão das células.das células. Cap. 19 – Compromissos de LibertaçãoCap. 19 – Compromissos de Libertação
  56. 56. (...) O nosso futuro está em nossas(...) O nosso futuro está em nossas mãos e as nossas facilidades para omãos e as nossas facilidades para o bem aumentam na razão direta dosbem aumentam na razão direta dos nossos esforços para o praticarmos.nossos esforços para o praticarmos. Toda vida nobre e pura, toda missãoToda vida nobre e pura, toda missão superior é o resultado de umsuperior é o resultado de um passado imenso de lutas, depassado imenso de lutas, de derrotas sofridas, de vitórias ganhasderrotas sofridas, de vitórias ganhas contra nós mesmos;contra nós mesmos; O nosso futuro...O nosso futuro... O problema do ser do destino e da dor – Léon DenisO problema do ser do destino e da dor – Léon Denis
  57. 57. Cada faculdade brilhante, cadaCada faculdade brilhante, cada virtude sólida reclamou existênciasvirtude sólida reclamou existências multíplices de trabalho obscuro, demultíplices de trabalho obscuro, de combates violentos entre o espírito ecombates violentos entre o espírito e a carne, a paixão e o dever.a carne, a paixão e o dever. Para chegar ao talento, ao gênio, oPara chegar ao talento, ao gênio, o pensamento teve de amadurecerpensamento teve de amadurecer lentamente através dos séculos.lentamente através dos séculos. O nosso futuro...O nosso futuro... O problema do ser do destino e da dor – Léon DenisO problema do ser do destino e da dor – Léon Denis
  58. 58. AA GRATIDÃOGRATIDÃO ......
  59. 59. Pai de Infinita Bondade, sustenta-nos oPai de Infinita Bondade, sustenta-nos o coração no caminho que nos assinalaste.coração no caminho que nos assinalaste. Infunde-nos o desejo de ajudar àqueles queInfunde-nos o desejo de ajudar àqueles que nos cercam, dando-lhes das migalhas quenos cercam, dando-lhes das migalhas que possuímos para que a felicidade sepossuímos para que a felicidade se multiplique entre nós.multiplique entre nós. Dá-nos a força de lutar pela nossa própriaDá-nos a força de lutar pela nossa própria regeneração, nos círculos de trabalho emregeneração, nos círculos de trabalho em que fomos situados, por teus sábiosque fomos situados, por teus sábios desígnios.desígnios. Uma oração ...Uma oração ... AGAR / Chico Xavier (Nossos Filhos são Espíritos p.AGAR / Chico Xavier (Nossos Filhos são Espíritos p.
  60. 60. Auxilia-nos a conter nossas própriasAuxilia-nos a conter nossas próprias fraquezas, para que não venhamos afraquezas, para que não venhamos a cair nas trevas, vitimados pelacair nas trevas, vitimados pela violência.violência. Pai, não deixes que a alegria nosPai, não deixes que a alegria nos enfraqueça e nem permitas que a dorenfraqueça e nem permitas que a dor nos sufoque.nos sufoque. Ensina-nos a reconhecer tua bondadeEnsina-nos a reconhecer tua bondade em todos os acontecimentos e em todasem todos os acontecimentos e em todas as coisas.as coisas. Uma oração ...Uma oração ... AGAR / Chico Xavier (Nossos Filhos são EspíritosAGAR / Chico Xavier (Nossos Filhos são Espíritos
  61. 61. Nos dias de aflição, faze-nosNos dias de aflição, faze-nos contemplar tua luz, através decontemplar tua luz, através de nossas lágrimas, e, nas horas denossas lágrimas, e, nas horas de reconforto, auxilia-nos a estenderreconforto, auxilia-nos a estender tuas bênçãos com os nossostuas bênçãos com os nossos semelhantes.semelhantes. Dá-nos conformação no sofrimento,Dá-nos conformação no sofrimento, paciência no trabalho e socorro naspaciência no trabalho e socorro nas tarefas difíceis.tarefas difíceis. Uma oração ...Uma oração ... AGAR / Chico Xavier (Nossos Filhos são EspíritosAGAR / Chico Xavier (Nossos Filhos são Espíritos
  62. 62. Concede-nos, sobretudo, a graça deConcede-nos, sobretudo, a graça de compreender a tua vontade, seja comocompreender a tua vontade, seja como for, onde estivermos, a fim de quefor, onde estivermos, a fim de que saibamos servir em teu nome e parasaibamos servir em teu nome e para que sejamos filhos dignos de teuque sejamos filhos dignos de teu infinito amor.infinito amor. Assim seja!Assim seja! Uma oração ...Uma oração ... AGAR / Chico Xavier (Nossos Filhos são EspíritosAGAR / Chico Xavier (Nossos Filhos são Espíritos

×