SlideShare uma empresa Scribd logo
SISTEMA SENSORIAL
Prof. Msc. Marília Gomes
Os órgãos dos sentidos
fundamentais do corpo humano constituem
as funções que
propiciam o nosso relacionamento com o
ambiente
Por meio dos sentidos,
o nosso corpo pode perceber
muitas coisas que nos rodeiam,
contribuindo para a nossa sobrevivência e
integração
com o ambiente em que vivemos
Isso só acontece porque
estruturas aperfeiçoadas existentes
na periferia do nosso corpo
recebem os estímulos externos
Em seguida nervos locais
conduzem os impulsos nervosos
ao cérebro e, finalmente,
esses impulsos são "processados"
resultando na capacidade de distinguir
percepções diversas
Sistema sensorial
• Constituído pelos órgãos do sentido:
1. Pele
2. Fossas nasais
3. Língua
4. Olhos
5. Ouvidos
• Sistema nervoso periférico possui
terminações sensitivas
• Os diferentes estímulos do
ambiente são transformados em
impulsos nervosos
• Os receptores podem ser classificados de acordo com o local
onde captam estímulos:
1. Exterorreceptores: superfície do corpo, estímulos provenientes do
ambiente (luz, calor, sons, pressão)
2. Propriorreceptores: músculos, tendões, juntas e órgãos internos,
estímulos do interior do corpo
3. Interorreceptores: percebem as condições internas do corpo (pH,
pressão osmótica, temperatura, composição do sangue)
• De acordo com a natureza do estímulo que captam:
1. Quimiorreceptores: detectam substâncias químicas
2. Fotorreceptores: detectam estímulos luminosos
3. Termorreceptores: detectam estímulos térmicos
4. Mecanorreceptores: detectam estímulos mecânicos
1 – Quimiorreceptores:
• Língua e nariz
• São perceptíveis à substâncias químicas
• Papilas gustativas situadas na língua estabelece distinção entre
cinco sabores
• Epitélio olfatório localizado no teto das cavidades nasais
• Responsáveis pelo paladar e o olfato
2 – Termorreceptores:
• Respondem pela variação da temperatura
• Captando estímulos de natureza térmica
• Sensação do tato
3 – Mecanorreceptores:
• Correspondem a estímulos mecânicos
• As estruturas responsáveis pela recepção dos estímulos sonoros
são o ouvido externo, o ouvido médio e a cóclea
• Sensação do tato
4 – Fotorreceptores:
• Detectam a luz
• Na retina estão situadas as células fotorreceptoras, cones e
bastonetes
TATO – PELE
• Termorreceptores
• Mecanorreceptores
• Percebe diferentes sensações na pele
• Terminações nervosas livres e corpúsculos = receptores táteis
• Mãos, pés e lábios tem maior número de receptores táteis
• Receptores táteis:
Terminações nervosas livres: percebe estímulos mecânicos,
térmicos e dolorosos
Corpúsculo de Ruffini: capta sensações do calor
Corpúsculo de Krause: capta sensações de frio
Corpúsculo de Meissner: capta sensações por toque
• Receptores captam informações e transmitem aos nervos
• Nervos encaminham as informações ao SNC
• No córtex cerebral as informações são processadas e devolvidas
OLFATO – FOSSAS NASAIS
• Quimiorreceptores
• Localizado no crânio
• Formado por espessamento epidérmico
• Capta odores quando os neuroreceptores recebem as moléculas
de uma substância por meio da dissolução no muco
• O teto das cavidades nasais
abriga o órgão olfatório
• Células sensoriais e neurônios
são estimulados e originam
impulsos nervosos
• Encaminhados ao lobo olfatório
cerebral produzindo a sensação
de cheiro
PALADAR – LÍNGUA
• Quimiorreceptores
• Sensação química percebida por células específicas - papilas
gustatórias
• Localizadas na língua e palato
• Promovem sensações táteis (papilas filiformes) e sabores (papilas
circunvaladas, fungiformes e foliáceas)
• Sabor = combinação de odores (80%) e gostos (20%)
• Textura, temperatura, ardência e cor dos alimentos influenciam
nas sensações palatais
• O gosto final é resultante do somatório de estímulos recebidos e
enviados ao cérebro
VISÃO - OLHOS
• Fotorreceptores
• Percebem a luz e a transformam em
impulsos elétricos, enviados ao cérebro
• Olhos são bolsas membranosas cheias de líquido
• Embutidas em cavidades ósseas do crânio - órbitas oculares
• Estão associadas a estruturas acessórias – pálpebras, cílios,
sobrancelhas, canal lacrimal, músculos
• Cílios, sobrancelhas e pálpebras protegem os olhos
• Pálpebras ajuda a distribuir a lágrima
• A conjuntiva é uma película resistente (tecido fibroso e elástico)
que envolve externamente o olho
• O aparelho lacrimal é uma glândula produtora de lágrima que
lubrifica o olho
• Canto interno palpebral existem um orifício e um canal que levam
a lágrima já usada para o nariz
• Lágrima: limpa, facilita o ato de piscar e nutri o olho
• Músculos: permitem movimento ocular, limitado pelo nervo
óptico, um feixe de fibras nervosas (do interior do globo ocular
em direção ao encéfalo)
• Cada olho gira dentro de sua órbita
• Globo ocular:
1. Esclerótica: cobertura protetora que confere rigidez ao olho,
proporciona resistência e elasticidade suficiente para suportar a
pressão intra-ocular, possui o tom branco
2. Córnea: membrana transparente, permite a entrada de raios de
luz no olho e a formação de uma imagem nítida na retina
3. Cristalino: lente biconvexa, transparente, flexível situada no
interior do olho, atrás da pupila, permite passar raios de luz até
focá-los sobre a retina, para conseguir uma imagem nítida
4. Humor vítreo: substância viscosa e transparente, que preenche
a porção entre o cristalino e a retina
5. Retina: camada nervosa, transforma estímulos luminosos em
nervosos, enviados ao cérebro pelo nervo óptico, localizada na
porção interna do olho, onde se encontram célula
fotorreceptoras:
Cones: responsáveis pela visão central e pelas cores e
Bastonetes: responsáveis pela visão periférica e noturna
AUDIÇÃO - OUVIDOS
• Mecanorreceptores
• Um corpo vibra e o ar que está em volta também
• As vibrações são percebidas pelo ouvido, que é capaz de captar
ondas com vibrações que se repetem de 16 a 20.000 vezes por
segundo
• O ouvido é dividido em três partes:
1. ouvido externo
2. ouvido médio
3. ouvido interno
• Transforma a energia das ondas em vibrações mais potentes para
serem captadas pelo sistema nervoso auditivo
• OUVIDO EXTERNO:
• Pavilhão e canal auditivo
• Termina no tímpano
• Pavilhão externo: capta som, pode ser fixo ou móvel
• Canal auditivo ou meato acústico externo: revestido internamente por
pele, pelos e glândulas sebáceas e ceruminosas
• Função: proteger o tímpano
• OUVIDO MÉDIO:
• Do tímpano até as janelas redonda e oval (membranas entre o ouvido
médio e interno)
• Contêm três minúsculos ossos que transmitem a vibração do tímpano
até a janela oval
1. Martelo
2. Bigorna
3. Estribo
• Um canal chamado trompa de
Eustáquio comunica o ouvido médio
com a faringe
• Este tubo serve para que as pressões
do ar de um lado e do outro do
tímpano fiquem equilibradas
• OUVIDO INTERNO:
• Janela oval que transmite vibrações ao ouvido interno
• Formado por:
1. Cóclea ou caracol (percepção dos sons) - terminações do nervo
auditivo
2. Canais semicirculares (relacionados com o equilíbrio)
obrigada

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

V.1 órgãos dos sentidos.
V.1 órgãos dos sentidos.V.1 órgãos dos sentidos.
V.1 órgãos dos sentidos.
Rebeca Vale
 
Sistema linfático e imune_Antônio
Sistema linfático e imune_AntônioSistema linfático e imune_Antônio
Sistema linfático e imune_Antônio
Marcia Regina
 
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointSistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Bio
 
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia HumanaFisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Herbert Santana
 
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologiaAula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
César Milani
 
Sistema sensorial fisiologia
Sistema sensorial   fisiologiaSistema sensorial   fisiologia
Sistema sensorial fisiologia
Malu Correia
 
Sistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humanaSistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humana
Marília Gomes
 
Trabalho sistema sensorial
Trabalho sistema sensorialTrabalho sistema sensorial
Trabalho sistema sensorial
Juliana Simas
 
Sistema nervososensorialsomatico
Sistema nervososensorialsomaticoSistema nervososensorialsomatico
Sistema nervososensorialsomatico
Douglas Tudella
 
Sistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial CompletoSistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial Completo
Renata Oliveira
 
Sistema nervoso central
Sistema nervoso centralSistema nervoso central
Sistema circulatorio powerpoint
Sistema circulatorio powerpointSistema circulatorio powerpoint
Sistema circulatorio powerpoint
isabelalexandrapinto
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfático
Catir
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
psicologiaisecensa
 
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexosAula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Hamilton Nobrega
 
Sistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humanaSistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humana
Marília Gomes
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
Nathanael Amparo
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
Cláudia Moura
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
Solange Ferreira de Paula
 

Mais procurados (20)

V.1 órgãos dos sentidos.
V.1 órgãos dos sentidos.V.1 órgãos dos sentidos.
V.1 órgãos dos sentidos.
 
Sistema linfático e imune_Antônio
Sistema linfático e imune_AntônioSistema linfático e imune_Antônio
Sistema linfático e imune_Antônio
 
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointSistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
 
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia HumanaFisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
 
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologiaAula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
 
SISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA NERVOSO
SISTEMA NERVOSO
 
Sistema sensorial fisiologia
Sistema sensorial   fisiologiaSistema sensorial   fisiologia
Sistema sensorial fisiologia
 
Sistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humanaSistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humana
 
Trabalho sistema sensorial
Trabalho sistema sensorialTrabalho sistema sensorial
Trabalho sistema sensorial
 
Sistema nervososensorialsomatico
Sistema nervososensorialsomaticoSistema nervososensorialsomatico
Sistema nervososensorialsomatico
 
Sistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial CompletoSistema Sensorial Completo
Sistema Sensorial Completo
 
Sistema nervoso central
Sistema nervoso centralSistema nervoso central
Sistema nervoso central
 
Sistema circulatorio powerpoint
Sistema circulatorio powerpointSistema circulatorio powerpoint
Sistema circulatorio powerpoint
 
O sistema linfático
O sistema linfáticoO sistema linfático
O sistema linfático
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
 
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexosAula 03   anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
Aula 03 anatomia e fisiologia do sistema tegumentar - pele e anexos
 
Sistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humanaSistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humana
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
Sistema circulatório
Sistema circulatórioSistema circulatório
Sistema circulatório
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 

Semelhante a Sistema sensorial - anatomia humana

Sistema sensorial - anatomia animal
Sistema sensorial - anatomia animalSistema sensorial - anatomia animal
Sistema sensorial - anatomia animal
Marília Gomes
 
Sistema sensorial veterinária
Sistema sensorial veterináriaSistema sensorial veterinária
Sistema sensorial veterinária
Marília Gomes
 
Topografia animal - órgãos do sentido
Topografia animal - órgãos do sentidoTopografia animal - órgãos do sentido
Topografia animal - órgãos do sentido
Marília Gomes
 
Sistema sensorial .. anatomia
Sistema sensorial   .. anatomiaSistema sensorial   .. anatomia
Sistema sensorial .. anatomia
Alenice Aliane
 
Órgãos dos Sentidos
Órgãos dos SentidosÓrgãos dos Sentidos
Órgãos dos Sentidos
Daniela José Arozi
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
Adrian Rafael Macedo
 
Estímulos Nervosos
Estímulos NervososEstímulos Nervosos
Estímulos Nervosos
marco :)
 
Sistema Sensorial- Anatomia
Sistema Sensorial- AnatomiaSistema Sensorial- Anatomia
Sistema Sensorial- Anatomia
Jonathan Ferreira
 
Órgãos dos sentidos
Órgãos dos sentidosÓrgãos dos sentidos
Órgãos dos sentidos
ClaudiaFael1
 
sistema sensorial.pdf
sistema sensorial.pdfsistema sensorial.pdf
sistema sensorial.pdf
ThulioEwerton1
 
Sistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humanaSistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humana
Marília Gomes
 
sistema_sensorial.pptx
sistema_sensorial.pptxsistema_sensorial.pptx
sistema_sensorial.pptx
EduWillame
 
PSICO 05 Sentidos.pdf
PSICO 05 Sentidos.pdfPSICO 05 Sentidos.pdf
PSICO 05 Sentidos.pdf
LuRabel
 
orgãos do sentido.pdf
orgãos do sentido.pdforgãos do sentido.pdf
orgãos do sentido.pdf
rickriordan
 
Apresentação orgaos do sentidos
Apresentação orgaos do  sentidosApresentação orgaos do  sentidos
Apresentação orgaos do sentidos
Marcionedes De Souza
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
Gustavo Sousa
 
Orgãos dos Sentidos
Orgãos dos SentidosOrgãos dos Sentidos
Orgãos dos Sentidos
Yolanda Moura
 
Sistema nervoso - Anatomia animal
Sistema nervoso - Anatomia animalSistema nervoso - Anatomia animal
Sistema nervoso - Anatomia animal
Marília Gomes
 
Os 5 sentidos do cão
Os 5 sentidos do cãoOs 5 sentidos do cão
Os 5 sentidos do cão
Hospital Veterinário do Porto
 
Slide de aula para Sistema Nervoso Sensorial
Slide de aula para Sistema Nervoso SensorialSlide de aula para Sistema Nervoso Sensorial
Slide de aula para Sistema Nervoso Sensorial
zsasukehdowna
 

Semelhante a Sistema sensorial - anatomia humana (20)

Sistema sensorial - anatomia animal
Sistema sensorial - anatomia animalSistema sensorial - anatomia animal
Sistema sensorial - anatomia animal
 
Sistema sensorial veterinária
Sistema sensorial veterináriaSistema sensorial veterinária
Sistema sensorial veterinária
 
Topografia animal - órgãos do sentido
Topografia animal - órgãos do sentidoTopografia animal - órgãos do sentido
Topografia animal - órgãos do sentido
 
Sistema sensorial .. anatomia
Sistema sensorial   .. anatomiaSistema sensorial   .. anatomia
Sistema sensorial .. anatomia
 
Órgãos dos Sentidos
Órgãos dos SentidosÓrgãos dos Sentidos
Órgãos dos Sentidos
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 
Estímulos Nervosos
Estímulos NervososEstímulos Nervosos
Estímulos Nervosos
 
Sistema Sensorial- Anatomia
Sistema Sensorial- AnatomiaSistema Sensorial- Anatomia
Sistema Sensorial- Anatomia
 
Órgãos dos sentidos
Órgãos dos sentidosÓrgãos dos sentidos
Órgãos dos sentidos
 
sistema sensorial.pdf
sistema sensorial.pdfsistema sensorial.pdf
sistema sensorial.pdf
 
Sistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humanaSistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humana
 
sistema_sensorial.pptx
sistema_sensorial.pptxsistema_sensorial.pptx
sistema_sensorial.pptx
 
PSICO 05 Sentidos.pdf
PSICO 05 Sentidos.pdfPSICO 05 Sentidos.pdf
PSICO 05 Sentidos.pdf
 
orgãos do sentido.pdf
orgãos do sentido.pdforgãos do sentido.pdf
orgãos do sentido.pdf
 
Apresentação orgaos do sentidos
Apresentação orgaos do  sentidosApresentação orgaos do  sentidos
Apresentação orgaos do sentidos
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
Orgãos dos Sentidos
Orgãos dos SentidosOrgãos dos Sentidos
Orgãos dos Sentidos
 
Sistema nervoso - Anatomia animal
Sistema nervoso - Anatomia animalSistema nervoso - Anatomia animal
Sistema nervoso - Anatomia animal
 
Os 5 sentidos do cão
Os 5 sentidos do cãoOs 5 sentidos do cão
Os 5 sentidos do cão
 
Slide de aula para Sistema Nervoso Sensorial
Slide de aula para Sistema Nervoso SensorialSlide de aula para Sistema Nervoso Sensorial
Slide de aula para Sistema Nervoso Sensorial
 

Mais de Marília Gomes

Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterináriaPossibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
Marília Gomes
 
Patologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutorPatologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutor
Marília Gomes
 
Patologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinárioPatologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinário
Marília Gomes
 
Bem-estar em avicultura e suinocultura
Bem-estar em avicultura e suinoculturaBem-estar em avicultura e suinocultura
Bem-estar em avicultura e suinocultura
Marília Gomes
 
Principais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciaisPrincipais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciais
Marília Gomes
 
Necropsia em aves
Necropsia em avesNecropsia em aves
Necropsia em aves
Marília Gomes
 
Tratamento via água e ração
Tratamento via água e raçãoTratamento via água e ração
Tratamento via água e ração
Marília Gomes
 
Medicina de mamíferos selvagens
Medicina de mamíferos selvagensMedicina de mamíferos selvagens
Medicina de mamíferos selvagens
Marília Gomes
 
Medicina de répteis
Medicina de répteisMedicina de répteis
Medicina de répteis
Marília Gomes
 
Medicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagensMedicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagens
Marília Gomes
 
Semiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagensSemiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagens
Marília Gomes
 
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagensConceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
Marília Gomes
 
Anatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesAnatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das aves
Marília Gomes
 
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicosTopografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
Marília Gomes
 
Patologias do sistema respiratório
Patologias do sistema respiratórioPatologias do sistema respiratório
Patologias do sistema respiratório
Marília Gomes
 
patologias do sistema cardiovascular
patologias do sistema cardiovascularpatologias do sistema cardiovascular
patologias do sistema cardiovascular
Marília Gomes
 
Topografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômenTopografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômen
Marília Gomes
 
Topografia veterinária - tórax
Topografia veterinária - tóraxTopografia veterinária - tórax
Topografia veterinária - tórax
Marília Gomes
 
Pigmentos e pigmentações
Pigmentos e pigmentaçõesPigmentos e pigmentações
Pigmentos e pigmentações
Marília Gomes
 
Calcificações patológicas
Calcificações patológicasCalcificações patológicas
Calcificações patológicas
Marília Gomes
 

Mais de Marília Gomes (20)

Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterináriaPossibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
Possibilidades de tratamentos integrativos na medicina veterinária
 
Patologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutorPatologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutor
 
Patologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinárioPatologias do sistema urinário
Patologias do sistema urinário
 
Bem-estar em avicultura e suinocultura
Bem-estar em avicultura e suinoculturaBem-estar em avicultura e suinocultura
Bem-estar em avicultura e suinocultura
 
Principais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciaisPrincipais doenças que acometem aves comerciais
Principais doenças que acometem aves comerciais
 
Necropsia em aves
Necropsia em avesNecropsia em aves
Necropsia em aves
 
Tratamento via água e ração
Tratamento via água e raçãoTratamento via água e ração
Tratamento via água e ração
 
Medicina de mamíferos selvagens
Medicina de mamíferos selvagensMedicina de mamíferos selvagens
Medicina de mamíferos selvagens
 
Medicina de répteis
Medicina de répteisMedicina de répteis
Medicina de répteis
 
Medicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagensMedicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagens
 
Semiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagensSemiologia de animais selvagens
Semiologia de animais selvagens
 
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagensConceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
Conceitos, biosseguridade e conservação de animais selvagens
 
Anatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das avesAnatomia topográfica das aves
Anatomia topográfica das aves
 
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicosTopografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
Topografia veterinária - membros torácicos e pélvicos
 
Patologias do sistema respiratório
Patologias do sistema respiratórioPatologias do sistema respiratório
Patologias do sistema respiratório
 
patologias do sistema cardiovascular
patologias do sistema cardiovascularpatologias do sistema cardiovascular
patologias do sistema cardiovascular
 
Topografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômenTopografia veterinária - abdômen
Topografia veterinária - abdômen
 
Topografia veterinária - tórax
Topografia veterinária - tóraxTopografia veterinária - tórax
Topografia veterinária - tórax
 
Pigmentos e pigmentações
Pigmentos e pigmentaçõesPigmentos e pigmentações
Pigmentos e pigmentações
 
Calcificações patológicas
Calcificações patológicasCalcificações patológicas
Calcificações patológicas
 

Último

Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Pastor Robson Colaço
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 

Último (20)

Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 

Sistema sensorial - anatomia humana

  • 2. Os órgãos dos sentidos fundamentais do corpo humano constituem as funções que propiciam o nosso relacionamento com o ambiente
  • 3. Por meio dos sentidos, o nosso corpo pode perceber muitas coisas que nos rodeiam, contribuindo para a nossa sobrevivência e integração com o ambiente em que vivemos
  • 4. Isso só acontece porque estruturas aperfeiçoadas existentes na periferia do nosso corpo recebem os estímulos externos
  • 5. Em seguida nervos locais conduzem os impulsos nervosos ao cérebro e, finalmente, esses impulsos são "processados" resultando na capacidade de distinguir percepções diversas
  • 6. Sistema sensorial • Constituído pelos órgãos do sentido: 1. Pele 2. Fossas nasais 3. Língua 4. Olhos 5. Ouvidos
  • 7. • Sistema nervoso periférico possui terminações sensitivas • Os diferentes estímulos do ambiente são transformados em impulsos nervosos
  • 8. • Os receptores podem ser classificados de acordo com o local onde captam estímulos: 1. Exterorreceptores: superfície do corpo, estímulos provenientes do ambiente (luz, calor, sons, pressão) 2. Propriorreceptores: músculos, tendões, juntas e órgãos internos, estímulos do interior do corpo 3. Interorreceptores: percebem as condições internas do corpo (pH, pressão osmótica, temperatura, composição do sangue)
  • 9. • De acordo com a natureza do estímulo que captam: 1. Quimiorreceptores: detectam substâncias químicas 2. Fotorreceptores: detectam estímulos luminosos 3. Termorreceptores: detectam estímulos térmicos 4. Mecanorreceptores: detectam estímulos mecânicos
  • 10. 1 – Quimiorreceptores: • Língua e nariz • São perceptíveis à substâncias químicas • Papilas gustativas situadas na língua estabelece distinção entre cinco sabores • Epitélio olfatório localizado no teto das cavidades nasais • Responsáveis pelo paladar e o olfato
  • 11. 2 – Termorreceptores: • Respondem pela variação da temperatura • Captando estímulos de natureza térmica • Sensação do tato
  • 12. 3 – Mecanorreceptores: • Correspondem a estímulos mecânicos • As estruturas responsáveis pela recepção dos estímulos sonoros são o ouvido externo, o ouvido médio e a cóclea • Sensação do tato
  • 13. 4 – Fotorreceptores: • Detectam a luz • Na retina estão situadas as células fotorreceptoras, cones e bastonetes
  • 14. TATO – PELE • Termorreceptores • Mecanorreceptores
  • 15. • Percebe diferentes sensações na pele • Terminações nervosas livres e corpúsculos = receptores táteis • Mãos, pés e lábios tem maior número de receptores táteis
  • 16. • Receptores táteis: Terminações nervosas livres: percebe estímulos mecânicos, térmicos e dolorosos Corpúsculo de Ruffini: capta sensações do calor Corpúsculo de Krause: capta sensações de frio Corpúsculo de Meissner: capta sensações por toque
  • 17.
  • 18.
  • 19. • Receptores captam informações e transmitem aos nervos • Nervos encaminham as informações ao SNC • No córtex cerebral as informações são processadas e devolvidas
  • 20. OLFATO – FOSSAS NASAIS • Quimiorreceptores • Localizado no crânio • Formado por espessamento epidérmico • Capta odores quando os neuroreceptores recebem as moléculas de uma substância por meio da dissolução no muco
  • 21. • O teto das cavidades nasais abriga o órgão olfatório • Células sensoriais e neurônios são estimulados e originam impulsos nervosos • Encaminhados ao lobo olfatório cerebral produzindo a sensação de cheiro
  • 22.
  • 23.
  • 24. PALADAR – LÍNGUA • Quimiorreceptores • Sensação química percebida por células específicas - papilas gustatórias • Localizadas na língua e palato • Promovem sensações táteis (papilas filiformes) e sabores (papilas circunvaladas, fungiformes e foliáceas)
  • 25. • Sabor = combinação de odores (80%) e gostos (20%) • Textura, temperatura, ardência e cor dos alimentos influenciam nas sensações palatais • O gosto final é resultante do somatório de estímulos recebidos e enviados ao cérebro
  • 26.
  • 27.
  • 28. VISÃO - OLHOS • Fotorreceptores • Percebem a luz e a transformam em impulsos elétricos, enviados ao cérebro
  • 29. • Olhos são bolsas membranosas cheias de líquido • Embutidas em cavidades ósseas do crânio - órbitas oculares • Estão associadas a estruturas acessórias – pálpebras, cílios, sobrancelhas, canal lacrimal, músculos
  • 30.
  • 31.
  • 32. • Cílios, sobrancelhas e pálpebras protegem os olhos • Pálpebras ajuda a distribuir a lágrima • A conjuntiva é uma película resistente (tecido fibroso e elástico) que envolve externamente o olho • O aparelho lacrimal é uma glândula produtora de lágrima que lubrifica o olho • Canto interno palpebral existem um orifício e um canal que levam a lágrima já usada para o nariz
  • 33. • Lágrima: limpa, facilita o ato de piscar e nutri o olho • Músculos: permitem movimento ocular, limitado pelo nervo óptico, um feixe de fibras nervosas (do interior do globo ocular em direção ao encéfalo) • Cada olho gira dentro de sua órbita
  • 34. • Globo ocular: 1. Esclerótica: cobertura protetora que confere rigidez ao olho, proporciona resistência e elasticidade suficiente para suportar a pressão intra-ocular, possui o tom branco 2. Córnea: membrana transparente, permite a entrada de raios de luz no olho e a formação de uma imagem nítida na retina
  • 35. 3. Cristalino: lente biconvexa, transparente, flexível situada no interior do olho, atrás da pupila, permite passar raios de luz até focá-los sobre a retina, para conseguir uma imagem nítida 4. Humor vítreo: substância viscosa e transparente, que preenche a porção entre o cristalino e a retina
  • 36. 5. Retina: camada nervosa, transforma estímulos luminosos em nervosos, enviados ao cérebro pelo nervo óptico, localizada na porção interna do olho, onde se encontram célula fotorreceptoras: Cones: responsáveis pela visão central e pelas cores e Bastonetes: responsáveis pela visão periférica e noturna
  • 37.
  • 38. AUDIÇÃO - OUVIDOS • Mecanorreceptores • Um corpo vibra e o ar que está em volta também • As vibrações são percebidas pelo ouvido, que é capaz de captar ondas com vibrações que se repetem de 16 a 20.000 vezes por segundo
  • 39. • O ouvido é dividido em três partes: 1. ouvido externo 2. ouvido médio 3. ouvido interno • Transforma a energia das ondas em vibrações mais potentes para serem captadas pelo sistema nervoso auditivo
  • 40. • OUVIDO EXTERNO: • Pavilhão e canal auditivo • Termina no tímpano • Pavilhão externo: capta som, pode ser fixo ou móvel • Canal auditivo ou meato acústico externo: revestido internamente por pele, pelos e glândulas sebáceas e ceruminosas • Função: proteger o tímpano
  • 41. • OUVIDO MÉDIO: • Do tímpano até as janelas redonda e oval (membranas entre o ouvido médio e interno) • Contêm três minúsculos ossos que transmitem a vibração do tímpano até a janela oval 1. Martelo 2. Bigorna 3. Estribo
  • 42. • Um canal chamado trompa de Eustáquio comunica o ouvido médio com a faringe • Este tubo serve para que as pressões do ar de um lado e do outro do tímpano fiquem equilibradas
  • 43. • OUVIDO INTERNO: • Janela oval que transmite vibrações ao ouvido interno • Formado por: 1. Cóclea ou caracol (percepção dos sons) - terminações do nervo auditivo 2. Canais semicirculares (relacionados com o equilíbrio)
  • 44.
  • 45.
  • 46.