SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
CONDUTAS EM  INFERTILIDADE SEM CAUSA APARENTE Condutas em Infertilidade Clínica Pró-Criar Reprodução Assistida Belo Horizonte – MG Brasil
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
CONCEITO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
POSSÍVEIS CAUSAS: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Stewart, 2003, modif
PROPEDÊUTICA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Hull, 1985; ASRM, 1992 TODOS SEM NENHUMA ALTERAÇÃO
TRATAMENTO DECISÃO IDADE TEMPO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Collings, 1995 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Tratamento ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Coito programado ,[object Object],[object Object],[object Object]
COITO PROGRAMADO CITRATO DE CLOMIFENO Fisch et al., 1989 Grupo CC –  3,4%  (10 gravidezes em 290) Grupo placebo –  1,5%  (4 gravidezes em 274) P  = 0.15 Glazener et al., 1990   Grupo CC –  8,1%  (24 gravidezes em 295) Grupo placebo –  5,1%  (15 gravidezes em 295) P  = 0.17 Harrison and O’Moore, 1983 Grupo CC –  3,1%  (5 gravidezes em 159) Grupo placebo –  0,6%  (1 gravidez em 158) P  = 0.15
Tadokoro et al., 1997 COITO PROGRAMADO - GONADOTROFINA
Tadokoro et al., 1997 COITO PROGRAMADO - GONADOTROFINA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],hMG
INSEMINAÇÃO INTRA UTERINA ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Coito Programado x Inseminação Intra Uterina - hMG Hughes, 1997
OR 1.84; 95% CI 1.30 –2.62 Coito Programado x Inseminação Intra Uterina - hMG Zeyneloglu et al., 1998
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],ALTA COMPLEXIDADE (FIV / ICSI)
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Guzick et al, 1998
FIV x Inseminação Intra Uterina com indução Goverde, 2000 Taxa de nascidos vivos/casal entre FIV e IIU com indução OR 1.15 95% CI 0.55 – 2.42
Collins, 2003
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Cochrane, 2003
[object Object],Guideline - RCOG ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Fertilização In Vitro IIU com  hMG, FSH Indução com CC Indução com  hMG, FSH IDADE TEMPO INFERTILIDADE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Suporte de fase lútea após trigger com agonista GnRH
Suporte de fase lútea após trigger com agonista GnRHSuporte de fase lútea após trigger com agonista GnRH
Suporte de fase lútea após trigger com agonista GnRHRenato Tomioka, MD
 
Trigger com agonista do GnRH: estado da arte
Trigger com agonista do GnRH: estado da arteTrigger com agonista do GnRH: estado da arte
Trigger com agonista do GnRH: estado da arteRenato Tomioka, MD
 
A IMPORTÂNCIA DA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS NA FERTILIDADE FEMININA, S...
A IMPORTÂNCIA DA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS NA FERTILIDADE FEMININA, S...A IMPORTÂNCIA DA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS NA FERTILIDADE FEMININA, S...
A IMPORTÂNCIA DA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS NA FERTILIDADE FEMININA, S...Van Der Häägen Brazil
 
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte i
3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte i3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte i
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte iLurdesmartins17
 
Inseminação artificial
Inseminação artificialInseminação artificial
Inseminação artificialRobson Oliveira
 
Carina santos infertilidade feminina 1405
Carina santos infertilidade feminina 1405Carina santos infertilidade feminina 1405
Carina santos infertilidade feminina 1405carlasalgueiro
 
A Infertilidade Humana
A Infertilidade HumanaA Infertilidade Humana
A Infertilidade HumanaMichele Pó
 
O que precisamos saber sobre os anticoncepcionais orais?
 O que precisamos saber sobre os anticoncepcionais orais? O que precisamos saber sobre os anticoncepcionais orais?
O que precisamos saber sobre os anticoncepcionais orais?Juliana Givisiéz
 
Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...
Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...
Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...Van Der Häägen Brazil
 
1 interrupçao voluntaria gravidez
1 interrupçao voluntaria gravidez1 interrupçao voluntaria gravidez
1 interrupçao voluntaria gravidezLurdesmartins17
 
Restrição de Crescimento Intrauterino - Beatriz Vargas
Restrição de Crescimento Intrauterino - Beatriz VargasRestrição de Crescimento Intrauterino - Beatriz Vargas
Restrição de Crescimento Intrauterino - Beatriz Vargasfetalufpr
 

Mais procurados (20)

Aula 15 Acompanhamento Obstétrico Após TRA
Aula 15   Acompanhamento Obstétrico Após TRAAula 15   Acompanhamento Obstétrico Após TRA
Aula 15 Acompanhamento Obstétrico Após TRA
 
Curso de g estação
Curso de g estaçãoCurso de g estação
Curso de g estação
 
Suporte de fase lútea após trigger com agonista GnRH
Suporte de fase lútea após trigger com agonista GnRHSuporte de fase lútea após trigger com agonista GnRH
Suporte de fase lútea após trigger com agonista GnRH
 
Resumos 2
Resumos 2Resumos 2
Resumos 2
 
Trigger com agonista do GnRH: estado da arte
Trigger com agonista do GnRH: estado da arteTrigger com agonista do GnRH: estado da arte
Trigger com agonista do GnRH: estado da arte
 
A IMPORTÂNCIA DA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS NA FERTILIDADE FEMININA, S...
A IMPORTÂNCIA DA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS NA FERTILIDADE FEMININA, S...A IMPORTÂNCIA DA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS NA FERTILIDADE FEMININA, S...
A IMPORTÂNCIA DA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS NA FERTILIDADE FEMININA, S...
 
Reprodução Assistida, Hoje.
Reprodução Assistida, Hoje.Reprodução Assistida, Hoje.
Reprodução Assistida, Hoje.
 
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte i
3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte i3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte i
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte i
 
Inseminação artificial
Inseminação artificialInseminação artificial
Inseminação artificial
 
Restrição do Crescimento Intrauterino
Restrição do Crescimento IntrauterinoRestrição do Crescimento Intrauterino
Restrição do Crescimento Intrauterino
 
Aula 02 Fatores PrognóSticos Para Resposta Ovariana
Aula 02   Fatores PrognóSticos Para Resposta OvarianaAula 02   Fatores PrognóSticos Para Resposta Ovariana
Aula 02 Fatores PrognóSticos Para Resposta Ovariana
 
Carina santos infertilidade feminina 1405
Carina santos infertilidade feminina 1405Carina santos infertilidade feminina 1405
Carina santos infertilidade feminina 1405
 
A Infertilidade Humana
A Infertilidade HumanaA Infertilidade Humana
A Infertilidade Humana
 
Corifolitropina vs FSH
Corifolitropina vs FSHCorifolitropina vs FSH
Corifolitropina vs FSH
 
O que precisamos saber sobre os anticoncepcionais orais?
 O que precisamos saber sobre os anticoncepcionais orais? O que precisamos saber sobre os anticoncepcionais orais?
O que precisamos saber sobre os anticoncepcionais orais?
 
Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...
Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...
Restrição de crescimento intrauterino (rciu) refere se a problemas de crescim...
 
1 interrupçao voluntaria gravidez
1 interrupçao voluntaria gravidez1 interrupçao voluntaria gravidez
1 interrupçao voluntaria gravidez
 
Falencia ovariana precoce - diagnostico - FIV - drogas
Falencia ovariana precoce - diagnostico - FIV - drogas Falencia ovariana precoce - diagnostico - FIV - drogas
Falencia ovariana precoce - diagnostico - FIV - drogas
 
SaúDe Da Mulher
SaúDe Da MulherSaúDe Da Mulher
SaúDe Da Mulher
 
Restrição de Crescimento Intrauterino - Beatriz Vargas
Restrição de Crescimento Intrauterino - Beatriz VargasRestrição de Crescimento Intrauterino - Beatriz Vargas
Restrição de Crescimento Intrauterino - Beatriz Vargas
 

Destaque

Causas de infertilidade e reprodução assistida
Causas de infertilidade e reprodução assistidaCausas de infertilidade e reprodução assistida
Causas de infertilidade e reprodução assistidaMaria Carolina Esteves
 
Como extrair a peça cirúrgica
Como extrair a peça cirúrgicaComo extrair a peça cirúrgica
Como extrair a peça cirúrgicaUrovideo.org
 
Laparoscopia em Uro-ginecologia
Laparoscopia em Uro-ginecologiaLaparoscopia em Uro-ginecologia
Laparoscopia em Uro-ginecologiaUrovideo.org
 
Endoscopy in gynaecology rabi
Endoscopy in gynaecology rabiEndoscopy in gynaecology rabi
Endoscopy in gynaecology rabiRabi Satpathy
 
cirurgias genecológica
cirurgias genecológicacirurgias genecológica
cirurgias genecológicaSara Rejane
 
Infertilidade humana
Infertilidade humanaInfertilidade humana
Infertilidade humanaBeatriz Matos
 
Pelve Masculina e Feminina
Pelve Masculina e FemininaPelve Masculina e Feminina
Pelve Masculina e FemininaNorberto Werle
 
Laparoscopy Basics, Principles, Instrumentation, Indication
Laparoscopy Basics, Principles, Instrumentation, IndicationLaparoscopy Basics, Principles, Instrumentation, Indication
Laparoscopy Basics, Principles, Instrumentation, IndicationAnil Haripriya
 

Destaque (20)

Dinâmica Ovariana
Dinâmica OvarianaDinâmica Ovariana
Dinâmica Ovariana
 
Infertilidade humana
Infertilidade humanaInfertilidade humana
Infertilidade humana
 
Causas de infertilidade e reprodução assistida
Causas de infertilidade e reprodução assistidaCausas de infertilidade e reprodução assistida
Causas de infertilidade e reprodução assistida
 
Como extrair a peça cirúrgica
Como extrair a peça cirúrgicaComo extrair a peça cirúrgica
Como extrair a peça cirúrgica
 
Aula 05 Condutas No Fato TubáRio
Aula 05   Condutas No Fato TubáRioAula 05   Condutas No Fato TubáRio
Aula 05 Condutas No Fato TubáRio
 
Indicações de laparoscopia no manejo de massas anexiais
Indicações de laparoscopia no manejo de massas anexiaisIndicações de laparoscopia no manejo de massas anexiais
Indicações de laparoscopia no manejo de massas anexiais
 
Aula 12 Como Monitorizar A InduçãO Da OvulaçãO
Aula 12   Como Monitorizar A InduçãO Da OvulaçãOAula 12   Como Monitorizar A InduçãO Da OvulaçãO
Aula 12 Como Monitorizar A InduçãO Da OvulaçãO
 
Investigação de massas anexiais
Investigação de massas anexiaisInvestigação de massas anexiais
Investigação de massas anexiais
 
Aula 08 Condutas Em Endometriose
Aula 08   Condutas Em EndometrioseAula 08   Condutas Em Endometriose
Aula 08 Condutas Em Endometriose
 
Videolaparoscopia na endometriose
Videolaparoscopia na endometrioseVideolaparoscopia na endometriose
Videolaparoscopia na endometriose
 
Tumores Ovarianos
Tumores OvarianosTumores Ovarianos
Tumores Ovarianos
 
Apresentação endometriose
Apresentação endometrioseApresentação endometriose
Apresentação endometriose
 
Laparoscopia em Uro-ginecologia
Laparoscopia em Uro-ginecologiaLaparoscopia em Uro-ginecologia
Laparoscopia em Uro-ginecologia
 
Endoscopy in gynaecology rabi
Endoscopy in gynaecology rabiEndoscopy in gynaecology rabi
Endoscopy in gynaecology rabi
 
Endometriose
EndometrioseEndometriose
Endometriose
 
cirurgias genecológica
cirurgias genecológicacirurgias genecológica
cirurgias genecológica
 
Abordagem Atual no Diagnostico dos Tumores Ovarianos
Abordagem Atual no Diagnostico dos Tumores OvarianosAbordagem Atual no Diagnostico dos Tumores Ovarianos
Abordagem Atual no Diagnostico dos Tumores Ovarianos
 
Infertilidade humana
Infertilidade humanaInfertilidade humana
Infertilidade humana
 
Pelve Masculina e Feminina
Pelve Masculina e FemininaPelve Masculina e Feminina
Pelve Masculina e Feminina
 
Laparoscopy Basics, Principles, Instrumentation, Indication
Laparoscopy Basics, Principles, Instrumentation, IndicationLaparoscopy Basics, Principles, Instrumentation, Indication
Laparoscopy Basics, Principles, Instrumentation, Indication
 

Semelhante a Aula 09 Condutas Em Infertilidade Sem Causa Aparente

Aspectos relacionados à preferência pela via de parto
Aspectos relacionados à preferência pela via de partoAspectos relacionados à preferência pela via de parto
Aspectos relacionados à preferência pela via de partoadrianomedico
 
Aspectos relacionados à preferência pela via de parto
Aspectos relacionados à preferência pela via de partoAspectos relacionados à preferência pela via de parto
Aspectos relacionados à preferência pela via de partoadrianomedico
 
A Epidemia De Cesarianas No Brasil
A Epidemia De Cesarianas No BrasilA Epidemia De Cesarianas No Brasil
A Epidemia De Cesarianas No BrasilIsabella Oliveira
 
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomarGravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomarfebrasgo
 
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomarGravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomarLuana Ortencio
 
Papel do ginecologista na infertilidade
Papel do ginecologista na infertilidadePapel do ginecologista na infertilidade
Papel do ginecologista na infertilidadeitpack
 
Parto cesáreo eletivo no brasil
Parto cesáreo eletivo no brasilParto cesáreo eletivo no brasil
Parto cesáreo eletivo no brasiladrianomedico
 
4.-Aula-Pré-natal.pdf
4.-Aula-Pré-natal.pdf4.-Aula-Pré-natal.pdf
4.-Aula-Pré-natal.pdfLivia Santana
 
Turner Syndrome: Fertility Preservation [Renato Tomioka, MD]
Turner Syndrome: Fertility Preservation [Renato Tomioka, MD]Turner Syndrome: Fertility Preservation [Renato Tomioka, MD]
Turner Syndrome: Fertility Preservation [Renato Tomioka, MD]Renato Tomioka, MD
 
Indicações de cesariana baseadas em evidências
Indicações de cesariana baseadas em evidênciasIndicações de cesariana baseadas em evidências
Indicações de cesariana baseadas em evidênciasadrianomedico
 
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento FamiliarPrograma de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento FamiliarProfessor Robson
 
Hipertireodismo na gravidez repercussões materno-fetais
Hipertireodismo na gravidez   repercussões materno-fetaisHipertireodismo na gravidez   repercussões materno-fetais
Hipertireodismo na gravidez repercussões materno-fetaisadrianomedico
 
Aula 6 câncer de mama associado à gestação
Aula 6   câncer de mama associado à gestaçãoAula 6   câncer de mama associado à gestação
Aula 6 câncer de mama associado à gestaçãoGuilherme Novita Garcia
 
Aula 6 - câncer de mama associado à gestação
Aula 6 - câncer de mama associado à gestaçãoAula 6 - câncer de mama associado à gestação
Aula 6 - câncer de mama associado à gestaçãoGuilherme Novita Garcia
 
Aula 2 - Ginecologia - Infertilidade, saúde sexual e reprodutiva, planejament...
Aula 2 - Ginecologia - Infertilidade, saúde sexual e reprodutiva, planejament...Aula 2 - Ginecologia - Infertilidade, saúde sexual e reprodutiva, planejament...
Aula 2 - Ginecologia - Infertilidade, saúde sexual e reprodutiva, planejament...Caroline Reis Gonçalves
 

Semelhante a Aula 09 Condutas Em Infertilidade Sem Causa Aparente (20)

Aspectos relacionados à preferência pela via de parto
Aspectos relacionados à preferência pela via de partoAspectos relacionados à preferência pela via de parto
Aspectos relacionados à preferência pela via de parto
 
Aspectos relacionados à preferência pela via de parto
Aspectos relacionados à preferência pela via de partoAspectos relacionados à preferência pela via de parto
Aspectos relacionados à preferência pela via de parto
 
Genética na Escola
Genética na EscolaGenética na Escola
Genética na Escola
 
PESQUISA NASCER NO BRASIL
PESQUISA NASCER NO BRASILPESQUISA NASCER NO BRASIL
PESQUISA NASCER NO BRASIL
 
A Epidemia De Cesarianas No Brasil
A Epidemia De Cesarianas No BrasilA Epidemia De Cesarianas No Brasil
A Epidemia De Cesarianas No Brasil
 
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomarGravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
 
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomarGravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
Gravidez após os 35 anos e cuidados a tomar
 
Papel do ginecologista na infertilidade
Papel do ginecologista na infertilidadePapel do ginecologista na infertilidade
Papel do ginecologista na infertilidade
 
Parto cesáreo eletivo no brasil
Parto cesáreo eletivo no brasilParto cesáreo eletivo no brasil
Parto cesáreo eletivo no brasil
 
4.-Aula-Pré-natal.pdf
4.-Aula-Pré-natal.pdf4.-Aula-Pré-natal.pdf
4.-Aula-Pré-natal.pdf
 
Turner Syndrome: Fertility Preservation [Renato Tomioka, MD]
Turner Syndrome: Fertility Preservation [Renato Tomioka, MD]Turner Syndrome: Fertility Preservation [Renato Tomioka, MD]
Turner Syndrome: Fertility Preservation [Renato Tomioka, MD]
 
Nova declaração da OMS sobre TAXAS de CESÁREAS
Nova declaração da OMS sobre TAXAS de CESÁREASNova declaração da OMS sobre TAXAS de CESÁREAS
Nova declaração da OMS sobre TAXAS de CESÁREAS
 
Aula 13 Condutas Em Perda Gestacional De RepetiçãO
Aula 13   Condutas Em Perda Gestacional De RepetiçãOAula 13   Condutas Em Perda Gestacional De RepetiçãO
Aula 13 Condutas Em Perda Gestacional De RepetiçãO
 
Indicações de cesariana baseadas em evidências
Indicações de cesariana baseadas em evidênciasIndicações de cesariana baseadas em evidências
Indicações de cesariana baseadas em evidências
 
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento FamiliarPrograma de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
Programa de Orientação sobre Anticoncepção - Planejamento Familiar
 
Hipertireodismo na gravidez repercussões materno-fetais
Hipertireodismo na gravidez   repercussões materno-fetaisHipertireodismo na gravidez   repercussões materno-fetais
Hipertireodismo na gravidez repercussões materno-fetais
 
Aula 6 câncer de mama associado à gestação
Aula 6   câncer de mama associado à gestaçãoAula 6   câncer de mama associado à gestação
Aula 6 câncer de mama associado à gestação
 
Aula 6 - câncer de mama associado à gestação
Aula 6 - câncer de mama associado à gestaçãoAula 6 - câncer de mama associado à gestação
Aula 6 - câncer de mama associado à gestação
 
Aula 2 - Ginecologia - Infertilidade, saúde sexual e reprodutiva, planejament...
Aula 2 - Ginecologia - Infertilidade, saúde sexual e reprodutiva, planejament...Aula 2 - Ginecologia - Infertilidade, saúde sexual e reprodutiva, planejament...
Aula 2 - Ginecologia - Infertilidade, saúde sexual e reprodutiva, planejament...
 
Anomalias mullerianas xvii congr fert assist mario approbato ago 2013
Anomalias mullerianas xvii congr fert assist   mario approbato  ago 2013Anomalias mullerianas xvii congr fert assist   mario approbato  ago 2013
Anomalias mullerianas xvii congr fert assist mario approbato ago 2013
 

Aula 09 Condutas Em Infertilidade Sem Causa Aparente

  • 1. CONDUTAS EM INFERTILIDADE SEM CAUSA APARENTE Condutas em Infertilidade Clínica Pró-Criar Reprodução Assistida Belo Horizonte – MG Brasil
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. COITO PROGRAMADO CITRATO DE CLOMIFENO Fisch et al., 1989 Grupo CC – 3,4% (10 gravidezes em 290) Grupo placebo – 1,5% (4 gravidezes em 274) P = 0.15 Glazener et al., 1990 Grupo CC – 8,1% (24 gravidezes em 295) Grupo placebo – 5,1% (15 gravidezes em 295) P = 0.17 Harrison and O’Moore, 1983 Grupo CC – 3,1% (5 gravidezes em 159) Grupo placebo – 0,6% (1 gravidez em 158) P = 0.15
  • 12. Tadokoro et al., 1997 COITO PROGRAMADO - GONADOTROFINA
  • 13.
  • 14.
  • 15. Coito Programado x Inseminação Intra Uterina - hMG Hughes, 1997
  • 16. OR 1.84; 95% CI 1.30 –2.62 Coito Programado x Inseminação Intra Uterina - hMG Zeyneloglu et al., 1998
  • 17.
  • 18.
  • 20. FIV x Inseminação Intra Uterina com indução Goverde, 2000 Taxa de nascidos vivos/casal entre FIV e IIU com indução OR 1.15 95% CI 0.55 – 2.42
  • 22.
  • 23.
  • 24. Fertilização In Vitro IIU com hMG, FSH Indução com CC Indução com hMG, FSH IDADE TEMPO INFERTILIDADE