SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Baixar para ler offline
www.cursocejus.com.br
DIREITO ADMINISTRATIVO
Segunda Fase – Prof. José Aras
ATOS ADMINISTRATIVOS
1. Conceito:
- É uma atuação feita em nome da Administração Pública;
- Esses atos são marcados pelos atributos + elementos (ou requisitos);
2. Elementos ou Requisitos dos Atos Administrativos:
- Art. 2º da Lei nº 4717/65 (Lei da Ação Popular);
- São elementos:
a) sujeito, também chamado de competência;
b) forma;
c) objeto ou conteúdo;
d) motivo;
e) finalidade;
3. Sujeito:
- Também é chamado de elemento competência;
- O sujeito ou competência é aquele a quem a lei atribui a prática do ato
administrativo;
- Esse elemento sujeito apresenta duas condições de validade:
a) capacidade = maior de idade e em pleno gozo das capacidades mentais;
a.1. Capacidade Civil;
a.2. Capacidade Administrativa: nos processos administrativos, além da
capacidade civil, o agente não pode está em situação de impedimento, e nem
também em situação de suspeição; impedimento = absoluto; suspeição = relativa
(ex: amizade ou inimizade);
- Pág. 1037 da coletânea = Lei 9784/99;
CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF.
JOSÉ ARAS
2
Art. 18 da lei = grifar todo; nulidade absoluta
Art. 19 da lei = grifar todo, inclusive o § único; não convalida
Art. 20 da lei = “poderá” = competência relativa;
Art. 21 da lei = relativa;
b) competência = é estabelecida SEMPRE por força de lei; é a lei que dá
competência;
4. Objeto:
- Também conhecido como conteúdo;
- Corresponde à declaração jurídica que emana do ato administrativo;
- O objeto é o próprio ato;
- É aquilo que o ato ou conteúdo contém;
- O elemento objeto ou conteúdo;
- O objeto apresenta quatro condições de validade;
a) Ato Legal;
b) O objeto tem que ser moral;
c) Objeto certo ou determinado;
d) Objeto seja possível;
- As condições de validade aplicam-se “de per si”, ou seja, cada uma tem
autonomia e é necessária para a validade do ato; o ato legal, porém imoral é ato
inválido;
5. Forma:
- São duas visões de forma:
a) Forma Livre: prevalece o princípio do informalismo (precisa apenas existir no
mundo jurídico); nesse contexto, a forma corresponde ao revestimento exterior do
ato administrativo; daí porque o ato administrativo pode ser simbólico, luminoso,
escrito, sonoro, verbal;
b) Forma Solene: o ato deve atender ao princípio do formalismo, não basta ser
externado; essa forma impõe duas formas de validade:
CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF.
JOSÉ ARAS
3
b.1. Publicação (diferente de publicidade);
b.2. Motivação (diferente de motivo): a motivação é SEMPRE obrigatória, quando o
ato for decisório, ou quando altere a relação jurídica; motivação = fundamentação;
- A motivação corresponde à exposição dos fatos e dos fundamentos jurídicos que
levaram à prática do ato. A motivação deve ser clara, congruente e pelo menos
concomitante a prática do ato;
- A motivação pode ser feita com base em outros processos já julgados; chama-se
motivação aliunde (de outro lugar);
- Pág. 1035 da Lei 9784/99;
Art.2º da lei = grifar o caput + inciso VII (Art. 50 da Lei 9784/99);
Art. 50 da lei = conceito de motivação = grifar todo;
6. Motivo:
- Corresponde ao pressuposto de fato e de direito, que leva a prática do ato
administrativo;
- NÃO confundir motivo com motivação; motivação é a exposição do motivo;
- Motivo = Causa; o que leva a prática do ato;
- O motivo apresenta uma condição de validade:
a) o motivo ser real, verdadeiro; existente;
OBS: O motivo tem que ser antecedente à prática do ato;
OBS: O motivo NÃO se confunde com motivação; a motivação é uma condição de
validade; não ter motivação o ato é invalido; não ter motivo, o ato é inexistente; um
ato sem motivo, não é ato;
6.1. Teoria dos Motivos Determinantes:
- Estabelece que, uma vez motivado o ato administrativo a Administração Pública
fica presa / adstrita / vinculada ao motivo que apresentou;
CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF.
JOSÉ ARAS
4
- Pág. 29 do livro azul – Exercício.
7. Finalidade:
- Corresponde ao sentido da atuação administrativa;
- É aquilo que se busca com o ato administrativo;
- É o alcance do interesse público;
- A consecução do interesse público;
- O alcance do interesse público é a ÚNICA condição de validade;
- O vício quanto a finalidade caracteriza o DESVIO DE FINALIDADE;
7.1. Abuso de poder é gênero, do qual são espécies:
- Abuso de Poder também poderia configurar abuso de autoridade, mas essa última
é material penal;
a) Excesso de poder: a pessoa tem competência, mas excede o seu poder; abusa
da competência;
b) Desvio de poder (também chamado de Desvio de Finalidade): atinge a
finalidade; Art. 2º da Lei 4717/65;
8. Convalidação:
- Corresponde ao aproveitamento do ato viciado;
- A convalidação pode ser efetivada (ato discricionário), desde estejam presentes
três requisitos:
a) Não ofender interesse público;
b) Não violar direito de terceiros de boa fé;
c) O vício deve ser sanável (nulidade relativa); são vícios sanáveis:
c.1. Os vícios de forma LIVRE;
c.2. O vício de incapacidade civil;
c.3. O vício de suspeição;
c.4. O vício de incompetência relativa;
- Art. 55 da lei 9784/99 = requisitos da convalidação; grifar = “(...) interesse público
nem prejuízo a terceiros, os atos que apresentarem defeitos sanáveis poderão ser
convalidados pela própria Administração.”
CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF.
JOSÉ ARAS
5
9. Atributos do Ato Administrativo:
a) Presunção de:
a.1. Legalidade: presume-se cumpre a lei;
a.2. Legitimidade: presume-se que os atos estão de acordo também com os
princípios;
a.3. Veracidade: presume-se que os atos são verdadeiros;
- Os atos administrativos gozam de um preconceito (conceito prévio), um pré-
entendimento, de que, atendem a lei (presunção de legalidade), atendem aos
princípios, e que, os fatos alegados pela Administração são verdadeiros.
OBS: A principal consequência dessa presunção é o DEVER de obediência às
ordens que partem da Administração Pública; a Administração dando uma ordem, o
particular tem que cumprir;
OBS: É por isso que os atos administrativos gozam de fé pública;
OBS: Essa presunção de legalidade, legitimidade e veracidade, é APENAS relativa
como regra, ou seja, admite prova em contrário; “juris tantum”;
OBS: Nessa hipótese de ter que provar ao contrário, o ônus da prova é do
individuo; não havendo que se falar em inversão de ônus da prova; quem alega
prova;
OBS: Enquanto não houver uma declaração formal da própria Administração
Pública, ou do Poder Judiciário, no sentido de que o ato é ilegítimo, ilegal ou
inverídico, permanece o dever de obediência ao particular; particular ainda terá o
dever de cumprir;
b) Imperatividade: em razão da imperatividade a Administração Pública impõe
ordens e cumprimento de obrigações, INDEPENDENTEMENTE do consentimento
do particular;
CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF.
JOSÉ ARAS
6
OBS: A imperatividade se traduz numa relação vertical que liga a Administração
Pública aos particulares;
OBS: A imperatividade não se confunde com a hierarquia; A hierarquia se aplica
apenas no âmbito interno da Administração Pública, enquanto que, a
Imperatividade aplica-se de forma genérica, ou seja, à todos os indivíduos;
c) Autoexecutoriedade: ou simplesmente executoriedade; a própria Administração
cumpre e executa os seus próprios atos INDEPENDENTEMENTE da anuência do
Poder Judiciário; isso corresponde ao atributo MAIS importante do Ato
Administração; a Administração não apenas imite a ordem, mas ela própria
cumpre, executa a ordem; supremacia do interesse público sobre o interesse
privado;
- A Administração goza de vários atos de executoriedade:
a) Interdição;
b) lacre (de máquinas, de materiais);
c) Remoção;
d) Exigibilidade: corresponde a possibilidade de que, a Administração Pública
estabelece comandos jurídicos ao particular, os quais uma vez não atendidos
somente permite a imposição pela via judicial;
OBS: Na Autoexecutoriedade existe uma coerção direta em que a Administração
Pública compele materialmente o individuo, já na exigibilidade a coerção é tão
somente indireta, uma vez que, a Administração Pública não compele
materialmente o individuo;
e) Tipicidade: a Administração Pública deve atuar através de figuras típicas, ou
seja, de padrões previstos em leis (tipos); a tipicidade estabelece uma segurança
aos indivíduos (ou em favor dos indivíduos), na medida em que a Administração
Pública não pode atuar fora desses padrões típicos;
10. Extinção dos Atos Administrativos:
CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF.
JOSÉ ARAS
7
- Corresponde exatamente a “morte” do ato administrativo;
- Espécies de extinção do ato administrativo:
a) Renúncia: corresponde a extinção do ato administrativo pelo PARTICULAR;
b) Perecimento, que pode ser:
b.1. Sujeito: ex: servidor aposentado sem dependentes morre = com a morte
desaparece o sujeito, implica na extinção do perecimento do sujeito;
b.2. Objeto: o perecimento, desaparecimento, do objeto, implica na extinção do ato
por perecimento do objeto;
c) Exaurimento dos efeitos jurídicos: corresponde a forma natural de extinção;
d) Retirada: provoca a morte;
d.1. Contraposição: ocorre como a edição de um ato (um ato que mata outro ato)
em razão do advento de outro ato com efeitos opostos, antagônicos, ao que vai ser
extinto; ex: demissão x nomeação, a nomeação insere, a demissão de forma
contraposta retira;
d.2. Caducidade: ocorre em razão da edição de uma lei, que extingue o ato
administrativo, é uma visão nova de extinção; edição de uma lei incompatível com
o ato que será extinto; provocada pelo Poder Legislativo;
d.3. Cassação: é uma espécie de extinção, que decorre de um vício praticado
APÓS o reconhecimento jurídico de um direito;
d.4. Anulação: é um ato que contenha vício de legalidade pode ocorrer tanto pelo
Poder Judiciário (controle externo) quanto pela própria Administração Pública
(controle interno); é uma espécie de extinção, que decorre de um vício praticado
ANTES o reconhecimento jurídico de um direito; ex: falsificação de carteira de
identidade, para demonstrar maior idade – consegue a carteira, depois o DETRAN
descobre que houve a falsificação do documento, o DETRAN irá anular a licença
de dirigir, porque a falsificação ocorreu ANTES da emissão da carteira de
habilitação;
CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF.
JOSÉ ARAS
8
d.5. Revogação: é modalidade de extinção de ato administrativo que ocorre por
razões de oportunidade e conveniência;
11. Elementos Vinculados X Elementos Discricionários:
Elementos: Vinculados Discricionários
Sujeito V V
Objeto V D
Forma V Livre = discricionário
Solene = vinculado
Motivo V D
Finalidade (interesse
público)
V V
- Vinculados: Todos os elementos estão previstos em lei; a lei que manda;
- O ato discricionário que não se confunde com o ato arbitrário; quando é
discricionário ele tem que seguir a lei, somente alguns aspectos é que envolve o
mérito (conveniência e oportunidade);
- Forma livre: a forma é discricionária; “a prova irá dizer se é livre ou não, se não
disser, será solene”;
- Forma solene: a forma é vinculada;
- Discricionário: APENAS o objeto e o motivo;
OBS: quando o ato é discricionário, os elementos objeto e motivo são
discricionários, razão pela qual o mérito do ato administrativo reside apenas nos
elementos objeto e motivo;
12. Planos dos Atos Administrativos:
12.1. Plano da Existência: fala-se que é existente quando o ato cumpre o seu ciclo
de formação;
12.2. Plano da Validade: ocorre quando o ciclo de existência se deu com a
observância da lei e dos princípios;
CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF.
JOSÉ ARAS
9
12.3. Plano da Eficácia: fala-se que é eficaz quando o ato estiver apto a produzir
efeitos jurídicos; quando não está sujeito nem a termo e nem a condição; termo =
evento futuro e certo; condição = efeito futuro e incerto;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Questoes de-direito-administrativo-separado-por-assunto
Questoes de-direito-administrativo-separado-por-assuntoQuestoes de-direito-administrativo-separado-por-assunto
Questoes de-direito-administrativo-separado-por-assunto
rodrigocp1986
 
Poderes administrativos parte ii adm i
Poderes administrativos parte ii adm iPoderes administrativos parte ii adm i
Poderes administrativos parte ii adm i
Ana Cristina Freitas
 
Questões Comentadas - Dir. Adm - Prof. Luís Gustavo
Questões Comentadas - Dir. Adm - Prof. Luís GustavoQuestões Comentadas - Dir. Adm - Prof. Luís Gustavo
Questões Comentadas - Dir. Adm - Prof. Luís Gustavo
Isabelly Sarmento
 
1º simulado princípios e poderes
1º simulado princípios e poderes1º simulado princípios e poderes
1º simulado princípios e poderes
Fabricio Francisco
 
Caderno de exercicios manual de direito adm.
Caderno de exercicios manual de direito adm.Caderno de exercicios manual de direito adm.
Caderno de exercicios manual de direito adm.
Lucas Almeida
 

Mais procurados (16)

Dir Adm Ponto Marcelo Alexandrino ExercíCios 04
Dir Adm   Ponto   Marcelo Alexandrino   ExercíCios 04Dir Adm   Ponto   Marcelo Alexandrino   ExercíCios 04
Dir Adm Ponto Marcelo Alexandrino ExercíCios 04
 
Dir Adm Ponto Marcelo Alexandrino ExercíCios 05
Dir Adm   Ponto   Marcelo Alexandrino   ExercíCios 05Dir Adm   Ponto   Marcelo Alexandrino   ExercíCios 05
Dir Adm Ponto Marcelo Alexandrino ExercíCios 05
 
Atos administrativos
Atos administrativosAtos administrativos
Atos administrativos
 
Direito administrativo
Direito administrativoDireito administrativo
Direito administrativo
 
4 atos_adm
4  atos_adm4  atos_adm
4 atos_adm
 
Questoes de-direito-administrativo-separado-por-assunto
Questoes de-direito-administrativo-separado-por-assuntoQuestoes de-direito-administrativo-separado-por-assunto
Questoes de-direito-administrativo-separado-por-assunto
 
Dir adm mat_comp
Dir adm mat_compDir adm mat_comp
Dir adm mat_comp
 
Dir Adm Ponto Marcelo Alexandrino ExercíCios 01
Dir Adm   Ponto   Marcelo Alexandrino   ExercíCios 01Dir Adm   Ponto   Marcelo Alexandrino   ExercíCios 01
Dir Adm Ponto Marcelo Alexandrino ExercíCios 01
 
Direito Administrativo - Aula 2 - Poderes e deveres
Direito Administrativo - Aula 2 - Poderes e deveresDireito Administrativo - Aula 2 - Poderes e deveres
Direito Administrativo - Aula 2 - Poderes e deveres
 
Exercicios resolvidos adm
Exercicios resolvidos admExercicios resolvidos adm
Exercicios resolvidos adm
 
Exercicios reformas administrativas_39
Exercicios reformas administrativas_39Exercicios reformas administrativas_39
Exercicios reformas administrativas_39
 
Poderes administrativos parte ii adm i
Poderes administrativos parte ii adm iPoderes administrativos parte ii adm i
Poderes administrativos parte ii adm i
 
Dir Adm Ponto Marcelo Alexandrino ExercíCios 03
Dir Adm   Ponto   Marcelo Alexandrino   ExercíCios 03Dir Adm   Ponto   Marcelo Alexandrino   ExercíCios 03
Dir Adm Ponto Marcelo Alexandrino ExercíCios 03
 
Questões Comentadas - Dir. Adm - Prof. Luís Gustavo
Questões Comentadas - Dir. Adm - Prof. Luís GustavoQuestões Comentadas - Dir. Adm - Prof. Luís Gustavo
Questões Comentadas - Dir. Adm - Prof. Luís Gustavo
 
1º simulado princípios e poderes
1º simulado princípios e poderes1º simulado princípios e poderes
1º simulado princípios e poderes
 
Caderno de exercicios manual de direito adm.
Caderno de exercicios manual de direito adm.Caderno de exercicios manual de direito adm.
Caderno de exercicios manual de direito adm.
 

Semelhante a Atos administrativos

Adm administrativo marinela
Adm administrativo marinelaAdm administrativo marinela
Adm administrativo marinela
Wanessa Kelly
 

Semelhante a Atos administrativos (20)

Atos Administrativo - Prof. Luis Eduardo de Jesus - Aula 01 - Curso GMX BRASIL
Atos Administrativo - Prof. Luis Eduardo de Jesus - Aula 01 - Curso GMX BRASILAtos Administrativo - Prof. Luis Eduardo de Jesus - Aula 01 - Curso GMX BRASIL
Atos Administrativo - Prof. Luis Eduardo de Jesus - Aula 01 - Curso GMX BRASIL
 
Aula atos vc 1f[1]
Aula atos vc 1f[1]Aula atos vc 1f[1]
Aula atos vc 1f[1]
 
171156032017 dpc diradm_mat_completo
171156032017 dpc diradm_mat_completo171156032017 dpc diradm_mat_completo
171156032017 dpc diradm_mat_completo
 
Atos administrativos poderes da administração publica
Atos administrativos   poderes da administração publicaAtos administrativos   poderes da administração publica
Atos administrativos poderes da administração publica
 
Atos administrativo sa
Atos administrativo saAtos administrativo sa
Atos administrativo sa
 
Caderno teoria e_exercicios-poderes-administrativos_esaf-
Caderno teoria e_exercicios-poderes-administrativos_esaf-Caderno teoria e_exercicios-poderes-administrativos_esaf-
Caderno teoria e_exercicios-poderes-administrativos_esaf-
 
APOSTILA DE DIREITO ADMINISTRATIVO
APOSTILA DE DIREITO ADMINISTRATIVOAPOSTILA DE DIREITO ADMINISTRATIVO
APOSTILA DE DIREITO ADMINISTRATIVO
 
Administrativo
AdministrativoAdministrativo
Administrativo
 
+++Administrativo
+++Administrativo+++Administrativo
+++Administrativo
 
Aula 9 processo administrativo
Aula 9   processo administrativoAula 9   processo administrativo
Aula 9 processo administrativo
 
Aula 8 revisão
Aula 8   revisãoAula 8   revisão
Aula 8 revisão
 
Mat completo dir. adm carreiras jurídicas 2015
Mat completo dir. adm carreiras jurídicas 2015Mat completo dir. adm carreiras jurídicas 2015
Mat completo dir. adm carreiras jurídicas 2015
 
Material Completo D. ADM CERS 2015
Material Completo D. ADM CERS 2015Material Completo D. ADM CERS 2015
Material Completo D. ADM CERS 2015
 
Adm administrativo marinela
Adm administrativo marinelaAdm administrativo marinela
Adm administrativo marinela
 
Direito Administrativo - Atos Administrativos
Direito Administrativo - Atos AdministrativosDireito Administrativo - Atos Administrativos
Direito Administrativo - Atos Administrativos
 
Direito Administrativo - Atos Administrativos
Direito Administrativo - Atos AdministrativosDireito Administrativo - Atos Administrativos
Direito Administrativo - Atos Administrativos
 
Pdf material completo
Pdf material completoPdf material completo
Pdf material completo
 
Princípios esquema
Princípios   esquemaPrincípios   esquema
Princípios esquema
 
Princípios esquema
Princípios   esquemaPrincípios   esquema
Princípios esquema
 
Curso de direito administrativo
Curso de direito administrativoCurso de direito administrativo
Curso de direito administrativo
 

Mais de Antonio Moreira

Direito constitucional material suplementar qudro comparativo
Direito constitucional material suplementar qudro comparativoDireito constitucional material suplementar qudro comparativo
Direito constitucional material suplementar qudro comparativo
Antonio Moreira
 
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoasCartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Antonio Moreira
 
Constituicao de sociedade anonima
Constituicao de sociedade anonimaConstituicao de sociedade anonima
Constituicao de sociedade anonima
Antonio Moreira
 
Súmulas vinculantes comentadas
Súmulas vinculantes comentadasSúmulas vinculantes comentadas
Súmulas vinculantes comentadas
Antonio Moreira
 
Quadro geral da classificação das constituições
Quadro geral da classificação das constituiçõesQuadro geral da classificação das constituições
Quadro geral da classificação das constituições
Antonio Moreira
 
Vesticon noções de direito administrativo muito bom ...estudar ...............
Vesticon   noções de direito administrativo muito bom ...estudar ...............Vesticon   noções de direito administrativo muito bom ...estudar ...............
Vesticon noções de direito administrativo muito bom ...estudar ...............
Antonio Moreira
 
130742414 direito-administrativo-lfg-intensivo-i-2012
130742414 direito-administrativo-lfg-intensivo-i-2012130742414 direito-administrativo-lfg-intensivo-i-2012
130742414 direito-administrativo-lfg-intensivo-i-2012
Antonio Moreira
 
856 inquerito e_acao_penal_liberdade_2013
856 inquerito e_acao_penal_liberdade_2013856 inquerito e_acao_penal_liberdade_2013
856 inquerito e_acao_penal_liberdade_2013
Antonio Moreira
 
6 novo acordo ortográfico
6  novo acordo ortográfico6  novo acordo ortográfico
6 novo acordo ortográfico
Antonio Moreira
 
Dicas de ética e estatuto da oab
Dicas de ética e estatuto da oabDicas de ética e estatuto da oab
Dicas de ética e estatuto da oab
Antonio Moreira
 
Inquérito policial e ação penal
Inquérito policial e ação penalInquérito policial e ação penal
Inquérito policial e ação penal
Antonio Moreira
 
éTica profissional apostila
éTica profissional apostilaéTica profissional apostila
éTica profissional apostila
Antonio Moreira
 
6832798 700-questoes-para-estudo-exame-oab
6832798 700-questoes-para-estudo-exame-oab6832798 700-questoes-para-estudo-exame-oab
6832798 700-questoes-para-estudo-exame-oab
Antonio Moreira
 
74715849 quais-sao-os-crimes-hediondos penal
74715849 quais-sao-os-crimes-hediondos penal74715849 quais-sao-os-crimes-hediondos penal
74715849 quais-sao-os-crimes-hediondos penal
Antonio Moreira
 
D. penal lei penal - espécies
D. penal   lei penal - espéciesD. penal   lei penal - espécies
D. penal lei penal - espécies
Antonio Moreira
 

Mais de Antonio Moreira (20)

55104394 resumao-etica-e-oab
55104394 resumao-etica-e-oab55104394 resumao-etica-e-oab
55104394 resumao-etica-e-oab
 
Súmulas do stj
Súmulas do stjSúmulas do stj
Súmulas do stj
 
Direito constitucional material suplementar qudro comparativo
Direito constitucional material suplementar qudro comparativoDireito constitucional material suplementar qudro comparativo
Direito constitucional material suplementar qudro comparativo
 
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoasCartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
Cartilha.de.procedimentos.para.os.juizados.criminais.do.estado.de.alagoas
 
Imunidades tributárias
Imunidades tributáriasImunidades tributárias
Imunidades tributárias
 
Constituicao de sociedade anonima
Constituicao de sociedade anonimaConstituicao de sociedade anonima
Constituicao de sociedade anonima
 
Súmulas vinculantes comentadas
Súmulas vinculantes comentadasSúmulas vinculantes comentadas
Súmulas vinculantes comentadas
 
Quadro geral da classificação das constituições
Quadro geral da classificação das constituiçõesQuadro geral da classificação das constituições
Quadro geral da classificação das constituições
 
Vesticon noções de direito administrativo muito bom ...estudar ...............
Vesticon   noções de direito administrativo muito bom ...estudar ...............Vesticon   noções de direito administrativo muito bom ...estudar ...............
Vesticon noções de direito administrativo muito bom ...estudar ...............
 
130742414 direito-administrativo-lfg-intensivo-i-2012
130742414 direito-administrativo-lfg-intensivo-i-2012130742414 direito-administrativo-lfg-intensivo-i-2012
130742414 direito-administrativo-lfg-intensivo-i-2012
 
Doc cartilhacriminal
Doc cartilhacriminalDoc cartilhacriminal
Doc cartilhacriminal
 
856 inquerito e_acao_penal_liberdade_2013
856 inquerito e_acao_penal_liberdade_2013856 inquerito e_acao_penal_liberdade_2013
856 inquerito e_acao_penal_liberdade_2013
 
6 novo acordo ortográfico
6  novo acordo ortográfico6  novo acordo ortográfico
6 novo acordo ortográfico
 
Dicas de ética e estatuto da oab
Dicas de ética e estatuto da oabDicas de ética e estatuto da oab
Dicas de ética e estatuto da oab
 
Inquérito policial e ação penal
Inquérito policial e ação penalInquérito policial e ação penal
Inquérito policial e ação penal
 
éTica profissional apostila
éTica profissional apostilaéTica profissional apostila
éTica profissional apostila
 
6832798 700-questoes-para-estudo-exame-oab
6832798 700-questoes-para-estudo-exame-oab6832798 700-questoes-para-estudo-exame-oab
6832798 700-questoes-para-estudo-exame-oab
 
74715849 quais-sao-os-crimes-hediondos penal
74715849 quais-sao-os-crimes-hediondos penal74715849 quais-sao-os-crimes-hediondos penal
74715849 quais-sao-os-crimes-hediondos penal
 
23623952 tipos-de-crime
23623952 tipos-de-crime23623952 tipos-de-crime
23623952 tipos-de-crime
 
D. penal lei penal - espécies
D. penal   lei penal - espéciesD. penal   lei penal - espécies
D. penal lei penal - espécies
 

Atos administrativos

  • 1. www.cursocejus.com.br DIREITO ADMINISTRATIVO Segunda Fase – Prof. José Aras ATOS ADMINISTRATIVOS 1. Conceito: - É uma atuação feita em nome da Administração Pública; - Esses atos são marcados pelos atributos + elementos (ou requisitos); 2. Elementos ou Requisitos dos Atos Administrativos: - Art. 2º da Lei nº 4717/65 (Lei da Ação Popular); - São elementos: a) sujeito, também chamado de competência; b) forma; c) objeto ou conteúdo; d) motivo; e) finalidade; 3. Sujeito: - Também é chamado de elemento competência; - O sujeito ou competência é aquele a quem a lei atribui a prática do ato administrativo; - Esse elemento sujeito apresenta duas condições de validade: a) capacidade = maior de idade e em pleno gozo das capacidades mentais; a.1. Capacidade Civil; a.2. Capacidade Administrativa: nos processos administrativos, além da capacidade civil, o agente não pode está em situação de impedimento, e nem também em situação de suspeição; impedimento = absoluto; suspeição = relativa (ex: amizade ou inimizade); - Pág. 1037 da coletânea = Lei 9784/99;
  • 2. CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF. JOSÉ ARAS 2 Art. 18 da lei = grifar todo; nulidade absoluta Art. 19 da lei = grifar todo, inclusive o § único; não convalida Art. 20 da lei = “poderá” = competência relativa; Art. 21 da lei = relativa; b) competência = é estabelecida SEMPRE por força de lei; é a lei que dá competência; 4. Objeto: - Também conhecido como conteúdo; - Corresponde à declaração jurídica que emana do ato administrativo; - O objeto é o próprio ato; - É aquilo que o ato ou conteúdo contém; - O elemento objeto ou conteúdo; - O objeto apresenta quatro condições de validade; a) Ato Legal; b) O objeto tem que ser moral; c) Objeto certo ou determinado; d) Objeto seja possível; - As condições de validade aplicam-se “de per si”, ou seja, cada uma tem autonomia e é necessária para a validade do ato; o ato legal, porém imoral é ato inválido; 5. Forma: - São duas visões de forma: a) Forma Livre: prevalece o princípio do informalismo (precisa apenas existir no mundo jurídico); nesse contexto, a forma corresponde ao revestimento exterior do ato administrativo; daí porque o ato administrativo pode ser simbólico, luminoso, escrito, sonoro, verbal; b) Forma Solene: o ato deve atender ao princípio do formalismo, não basta ser externado; essa forma impõe duas formas de validade:
  • 3. CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF. JOSÉ ARAS 3 b.1. Publicação (diferente de publicidade); b.2. Motivação (diferente de motivo): a motivação é SEMPRE obrigatória, quando o ato for decisório, ou quando altere a relação jurídica; motivação = fundamentação; - A motivação corresponde à exposição dos fatos e dos fundamentos jurídicos que levaram à prática do ato. A motivação deve ser clara, congruente e pelo menos concomitante a prática do ato; - A motivação pode ser feita com base em outros processos já julgados; chama-se motivação aliunde (de outro lugar); - Pág. 1035 da Lei 9784/99; Art.2º da lei = grifar o caput + inciso VII (Art. 50 da Lei 9784/99); Art. 50 da lei = conceito de motivação = grifar todo; 6. Motivo: - Corresponde ao pressuposto de fato e de direito, que leva a prática do ato administrativo; - NÃO confundir motivo com motivação; motivação é a exposição do motivo; - Motivo = Causa; o que leva a prática do ato; - O motivo apresenta uma condição de validade: a) o motivo ser real, verdadeiro; existente; OBS: O motivo tem que ser antecedente à prática do ato; OBS: O motivo NÃO se confunde com motivação; a motivação é uma condição de validade; não ter motivação o ato é invalido; não ter motivo, o ato é inexistente; um ato sem motivo, não é ato; 6.1. Teoria dos Motivos Determinantes: - Estabelece que, uma vez motivado o ato administrativo a Administração Pública fica presa / adstrita / vinculada ao motivo que apresentou;
  • 4. CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF. JOSÉ ARAS 4 - Pág. 29 do livro azul – Exercício. 7. Finalidade: - Corresponde ao sentido da atuação administrativa; - É aquilo que se busca com o ato administrativo; - É o alcance do interesse público; - A consecução do interesse público; - O alcance do interesse público é a ÚNICA condição de validade; - O vício quanto a finalidade caracteriza o DESVIO DE FINALIDADE; 7.1. Abuso de poder é gênero, do qual são espécies: - Abuso de Poder também poderia configurar abuso de autoridade, mas essa última é material penal; a) Excesso de poder: a pessoa tem competência, mas excede o seu poder; abusa da competência; b) Desvio de poder (também chamado de Desvio de Finalidade): atinge a finalidade; Art. 2º da Lei 4717/65; 8. Convalidação: - Corresponde ao aproveitamento do ato viciado; - A convalidação pode ser efetivada (ato discricionário), desde estejam presentes três requisitos: a) Não ofender interesse público; b) Não violar direito de terceiros de boa fé; c) O vício deve ser sanável (nulidade relativa); são vícios sanáveis: c.1. Os vícios de forma LIVRE; c.2. O vício de incapacidade civil; c.3. O vício de suspeição; c.4. O vício de incompetência relativa; - Art. 55 da lei 9784/99 = requisitos da convalidação; grifar = “(...) interesse público nem prejuízo a terceiros, os atos que apresentarem defeitos sanáveis poderão ser convalidados pela própria Administração.”
  • 5. CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF. JOSÉ ARAS 5 9. Atributos do Ato Administrativo: a) Presunção de: a.1. Legalidade: presume-se cumpre a lei; a.2. Legitimidade: presume-se que os atos estão de acordo também com os princípios; a.3. Veracidade: presume-se que os atos são verdadeiros; - Os atos administrativos gozam de um preconceito (conceito prévio), um pré- entendimento, de que, atendem a lei (presunção de legalidade), atendem aos princípios, e que, os fatos alegados pela Administração são verdadeiros. OBS: A principal consequência dessa presunção é o DEVER de obediência às ordens que partem da Administração Pública; a Administração dando uma ordem, o particular tem que cumprir; OBS: É por isso que os atos administrativos gozam de fé pública; OBS: Essa presunção de legalidade, legitimidade e veracidade, é APENAS relativa como regra, ou seja, admite prova em contrário; “juris tantum”; OBS: Nessa hipótese de ter que provar ao contrário, o ônus da prova é do individuo; não havendo que se falar em inversão de ônus da prova; quem alega prova; OBS: Enquanto não houver uma declaração formal da própria Administração Pública, ou do Poder Judiciário, no sentido de que o ato é ilegítimo, ilegal ou inverídico, permanece o dever de obediência ao particular; particular ainda terá o dever de cumprir; b) Imperatividade: em razão da imperatividade a Administração Pública impõe ordens e cumprimento de obrigações, INDEPENDENTEMENTE do consentimento do particular;
  • 6. CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF. JOSÉ ARAS 6 OBS: A imperatividade se traduz numa relação vertical que liga a Administração Pública aos particulares; OBS: A imperatividade não se confunde com a hierarquia; A hierarquia se aplica apenas no âmbito interno da Administração Pública, enquanto que, a Imperatividade aplica-se de forma genérica, ou seja, à todos os indivíduos; c) Autoexecutoriedade: ou simplesmente executoriedade; a própria Administração cumpre e executa os seus próprios atos INDEPENDENTEMENTE da anuência do Poder Judiciário; isso corresponde ao atributo MAIS importante do Ato Administração; a Administração não apenas imite a ordem, mas ela própria cumpre, executa a ordem; supremacia do interesse público sobre o interesse privado; - A Administração goza de vários atos de executoriedade: a) Interdição; b) lacre (de máquinas, de materiais); c) Remoção; d) Exigibilidade: corresponde a possibilidade de que, a Administração Pública estabelece comandos jurídicos ao particular, os quais uma vez não atendidos somente permite a imposição pela via judicial; OBS: Na Autoexecutoriedade existe uma coerção direta em que a Administração Pública compele materialmente o individuo, já na exigibilidade a coerção é tão somente indireta, uma vez que, a Administração Pública não compele materialmente o individuo; e) Tipicidade: a Administração Pública deve atuar através de figuras típicas, ou seja, de padrões previstos em leis (tipos); a tipicidade estabelece uma segurança aos indivíduos (ou em favor dos indivíduos), na medida em que a Administração Pública não pode atuar fora desses padrões típicos; 10. Extinção dos Atos Administrativos:
  • 7. CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF. JOSÉ ARAS 7 - Corresponde exatamente a “morte” do ato administrativo; - Espécies de extinção do ato administrativo: a) Renúncia: corresponde a extinção do ato administrativo pelo PARTICULAR; b) Perecimento, que pode ser: b.1. Sujeito: ex: servidor aposentado sem dependentes morre = com a morte desaparece o sujeito, implica na extinção do perecimento do sujeito; b.2. Objeto: o perecimento, desaparecimento, do objeto, implica na extinção do ato por perecimento do objeto; c) Exaurimento dos efeitos jurídicos: corresponde a forma natural de extinção; d) Retirada: provoca a morte; d.1. Contraposição: ocorre como a edição de um ato (um ato que mata outro ato) em razão do advento de outro ato com efeitos opostos, antagônicos, ao que vai ser extinto; ex: demissão x nomeação, a nomeação insere, a demissão de forma contraposta retira; d.2. Caducidade: ocorre em razão da edição de uma lei, que extingue o ato administrativo, é uma visão nova de extinção; edição de uma lei incompatível com o ato que será extinto; provocada pelo Poder Legislativo; d.3. Cassação: é uma espécie de extinção, que decorre de um vício praticado APÓS o reconhecimento jurídico de um direito; d.4. Anulação: é um ato que contenha vício de legalidade pode ocorrer tanto pelo Poder Judiciário (controle externo) quanto pela própria Administração Pública (controle interno); é uma espécie de extinção, que decorre de um vício praticado ANTES o reconhecimento jurídico de um direito; ex: falsificação de carteira de identidade, para demonstrar maior idade – consegue a carteira, depois o DETRAN descobre que houve a falsificação do documento, o DETRAN irá anular a licença de dirigir, porque a falsificação ocorreu ANTES da emissão da carteira de habilitação;
  • 8. CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF. JOSÉ ARAS 8 d.5. Revogação: é modalidade de extinção de ato administrativo que ocorre por razões de oportunidade e conveniência; 11. Elementos Vinculados X Elementos Discricionários: Elementos: Vinculados Discricionários Sujeito V V Objeto V D Forma V Livre = discricionário Solene = vinculado Motivo V D Finalidade (interesse público) V V - Vinculados: Todos os elementos estão previstos em lei; a lei que manda; - O ato discricionário que não se confunde com o ato arbitrário; quando é discricionário ele tem que seguir a lei, somente alguns aspectos é que envolve o mérito (conveniência e oportunidade); - Forma livre: a forma é discricionária; “a prova irá dizer se é livre ou não, se não disser, será solene”; - Forma solene: a forma é vinculada; - Discricionário: APENAS o objeto e o motivo; OBS: quando o ato é discricionário, os elementos objeto e motivo são discricionários, razão pela qual o mérito do ato administrativo reside apenas nos elementos objeto e motivo; 12. Planos dos Atos Administrativos: 12.1. Plano da Existência: fala-se que é existente quando o ato cumpre o seu ciclo de formação; 12.2. Plano da Validade: ocorre quando o ciclo de existência se deu com a observância da lei e dos princípios;
  • 9. CURSO OAB - 2ª FASE - ADMINISTRATIVO – PLANO DE ESTUDO E PROGRAMA DO CURSO®DCDMJ!PROF. JOSÉ ARAS 9 12.3. Plano da Eficácia: fala-se que é eficaz quando o ato estiver apto a produzir efeitos jurídicos; quando não está sujeito nem a termo e nem a condição; termo = evento futuro e certo; condição = efeito futuro e incerto;