SlideShare uma empresa Scribd logo
1. Discorra sobre o método construtivo do cais e a quantidade diária na dragagem.
1.1 - Método Construtivo do Cais:
Para construir o cais de expansão do Porto de Roterdã, foram utilizados vergalhões de grandes
dimensões e tubos dispostos estrategicamente para aterramento da nova área. O navio de dragagem
Vox Máxima executou uma operação de dragagem em larga escala para a deposição diária de areia.
Para garantir a resistência necessária para suportar as atividades portuárias, a parede do cais foi
construída com vergalhões submersos no solo com dimensões comparáveis a um edifício de 14 andares.
A parede do cais tinha dimensões de 7 metros de extensão, 1,2 metros de largura e 42 metros de
profundidade para cada seção. Isso demonstrava a grandeza da estrutura que foi construída.
A parede do cais preencheu uma seção com vinte e cinco caminhões de concreto, demonstrando a
quantidade significativa de material necessária para fortalecer an estrutura. Para facilitar an introdução
dos vergalhões, foi feita uma escavação de trincheiras usando lama de perfuração (bentonítica).
1.2 - Quantidade de Areia Diária na Dragagem:
A dragagem foi realizada pelo navio Vox Máxima e outros dez navios de dragagem an uma profundidade
de aproximadamente trinta metros.
A operação de dragagem do navio era extremamente eficiente e rápida, pois descarregava
aproximadamente 14 toneladas de areia por segundo an uma velocidade de 96 km/h e movia
aproximadamente 1.000.000 de toneladas por dia. A dragagem aumenta a capacidade do porto de
Roterdã em 200.000 metros quadrados por semana, criando assim uma nova área de terra. Após a
conclusão da obra, a área da Holanda aumentou em 07 km2, e Roterdã se tornou um porto capaz de
competir com os maiores do mundo e capaz de atender à grande demanda de navios e mercadorias. A
equipe concluiu a obra no prazo e com sucesso.
2. Cite a capacidade do Guindaste Pórtico de contêineres que opera no Porto de Roterdã e descreva
sobre a rotina diária dele.
Ao lidar com 3500 contêineres em um período de 24 horas, an operação portuária enfrenta um grande
desafio. Em tal situação, o Guindaste Pórtico de Contêineres do Porto de Roterdã é considerado um
elemento essencial para o sucesso do empreendimento. Sua capacidade de içar até 100 toneladas a
torna vital para a movimentação de contêineres. O guindaste possui quatro garras hidráulicas capazes
de erguer até 60 toneladas, demonstrando sua incrível capacidade para lidar com cargas pesadas.
Para atender às demandas do porto, a rotina diária do guindaste pórtico é planejada e executada com
cuidado. Localizar, içar e transportar os contêineres adequados para as áreas especificadas no convés ou
terminal do navio é uma tarefa crucial dos operadores portuários. Para garantir o fluxo contínuo de
mercadorias no porto, essa coordenação é essencial.
Além disso, an altura da cabine do guindaste de 45 metros acima do solo enfatiza a necessidade de uma
equipe altamente treinada e preparada para operar a máquina de maneira segura e eficaz. A presença
de funcionários no convés e no porão do navio é essencial para orientar e supervisionar as operações de
carga e descarga.
Por fim, o Guindaste Pórtico de Contêineres do Porto de Roterdã é muito importante para o
funcionamento e eficiência do porto. O sucesso das operações portuárias e a manutenção da reputação
de Roterdã como um dos maiores e mais importantes portos do mundo dependem de suas capacidades
impressionantes e de sua rotina diária minuciosamente planejada.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a ATIVIDADE 2 - Pós Eng. Port..docx

Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasilVantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
Carlos Benkendorf
 
Brochure Grupo ETE
Brochure Grupo ETEBrochure Grupo ETE
Brochure Grupo ETE
pmmendes
 
Operacao-Portuaria-Tipos-de-Cargas-e-Unitizadas.ppt
Operacao-Portuaria-Tipos-de-Cargas-e-Unitizadas.pptOperacao-Portuaria-Tipos-de-Cargas-e-Unitizadas.ppt
Operacao-Portuaria-Tipos-de-Cargas-e-Unitizadas.ppt
Marcos Boaventura
 
operacao-portuaria-tipos-de-cargas-e-unitizadas-230215025319-f4b18f80.ppt
operacao-portuaria-tipos-de-cargas-e-unitizadas-230215025319-f4b18f80.pptoperacao-portuaria-tipos-de-cargas-e-unitizadas-230215025319-f4b18f80.ppt
operacao-portuaria-tipos-de-cargas-e-unitizadas-230215025319-f4b18f80.ppt
Marcos Boaventura
 
infraestrutura-portuaria_compress.pdf
infraestrutura-portuaria_compress.pdfinfraestrutura-portuaria_compress.pdf
infraestrutura-portuaria_compress.pdf
Marcos Boaventura
 
ENAPOR – Portos de Cabo Verde
ENAPOR – Portos de Cabo Verde ENAPOR – Portos de Cabo Verde
ENAPOR – Portos de Cabo Verde
aplop
 
686343010-PLANEJAMENTO-OPERACIONAL-PORTUARIO.pdf
686343010-PLANEJAMENTO-OPERACIONAL-PORTUARIO.pdf686343010-PLANEJAMENTO-OPERACIONAL-PORTUARIO.pdf
686343010-PLANEJAMENTO-OPERACIONAL-PORTUARIO.pdf
Marcos Boaventura
 
A análise de Sines como ativo geoestratégico nacional: um cluster suportado n...
A análise de Sines como ativo geoestratégico nacional: um cluster suportado n...A análise de Sines como ativo geoestratégico nacional: um cluster suportado n...
A análise de Sines como ativo geoestratégico nacional: um cluster suportado n...
APS - Administração dos Portos de Sines e do Algarve, S.A.
 
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
Cláudio Carneiro
 
Revista APS N.º 58 – Dezembro 2012
Revista APS N.º 58 – Dezembro 2012Revista APS N.º 58 – Dezembro 2012
Apresentação 2 (1)
Apresentação 2 (1)Apresentação 2 (1)
Apresentação 2 (1)
Mayjö .
 
2009 copinaval 3
2009 copinaval 32009 copinaval 3
2009 copinaval 3
Newton Narciso Pereira
 
Transportes marítimos, 9º1
Transportes marítimos, 9º1Transportes marítimos, 9º1
Transportes marítimos, 9º1
Mayjö .
 
A operação comercial da portonave
A operação comercial da portonaveA operação comercial da portonave
A operação comercial da portonave
TriunfoRi
 
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo InternacionalConceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
ABRACOMEX
 
Navegacao e transporte maritimo de cargas tarefa 5 - Francisco Andre Barros...
Navegacao e transporte maritimo de cargas   tarefa 5 - Francisco Andre Barros...Navegacao e transporte maritimo de cargas   tarefa 5 - Francisco Andre Barros...
Navegacao e transporte maritimo de cargas tarefa 5 - Francisco Andre Barros...
André Conde
 
Transp maritimos 12-7
Transp maritimos 12-7Transp maritimos 12-7
Transp maritimos 12-7
Joao Paulo Curto
 
MARAVILHAS DO SÉCULO XXI
MARAVILHAS DO SÉCULO XXIMARAVILHAS DO SÉCULO XXI
MARAVILHAS DO SÉCULO XXI
Vania Lima "Somos Físicos"
 
Sines Logística Pedra Natural
Sines   Logística Pedra NaturalSines   Logística Pedra Natural
Maravilhas da engenharia
Maravilhas da engenhariaMaravilhas da engenharia
Maravilhas da engenharia
Ariana Martins
 

Semelhante a ATIVIDADE 2 - Pós Eng. Port..docx (20)

Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasilVantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
Vantagens e desvantagens do transporte aquaviário no brasil
 
Brochure Grupo ETE
Brochure Grupo ETEBrochure Grupo ETE
Brochure Grupo ETE
 
Operacao-Portuaria-Tipos-de-Cargas-e-Unitizadas.ppt
Operacao-Portuaria-Tipos-de-Cargas-e-Unitizadas.pptOperacao-Portuaria-Tipos-de-Cargas-e-Unitizadas.ppt
Operacao-Portuaria-Tipos-de-Cargas-e-Unitizadas.ppt
 
operacao-portuaria-tipos-de-cargas-e-unitizadas-230215025319-f4b18f80.ppt
operacao-portuaria-tipos-de-cargas-e-unitizadas-230215025319-f4b18f80.pptoperacao-portuaria-tipos-de-cargas-e-unitizadas-230215025319-f4b18f80.ppt
operacao-portuaria-tipos-de-cargas-e-unitizadas-230215025319-f4b18f80.ppt
 
infraestrutura-portuaria_compress.pdf
infraestrutura-portuaria_compress.pdfinfraestrutura-portuaria_compress.pdf
infraestrutura-portuaria_compress.pdf
 
ENAPOR – Portos de Cabo Verde
ENAPOR – Portos de Cabo Verde ENAPOR – Portos de Cabo Verde
ENAPOR – Portos de Cabo Verde
 
686343010-PLANEJAMENTO-OPERACIONAL-PORTUARIO.pdf
686343010-PLANEJAMENTO-OPERACIONAL-PORTUARIO.pdf686343010-PLANEJAMENTO-OPERACIONAL-PORTUARIO.pdf
686343010-PLANEJAMENTO-OPERACIONAL-PORTUARIO.pdf
 
A análise de Sines como ativo geoestratégico nacional: um cluster suportado n...
A análise de Sines como ativo geoestratégico nacional: um cluster suportado n...A análise de Sines como ativo geoestratégico nacional: um cluster suportado n...
A análise de Sines como ativo geoestratégico nacional: um cluster suportado n...
 
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
 
Revista APS N.º 58 – Dezembro 2012
Revista APS N.º 58 – Dezembro 2012Revista APS N.º 58 – Dezembro 2012
Revista APS N.º 58 – Dezembro 2012
 
Apresentação 2 (1)
Apresentação 2 (1)Apresentação 2 (1)
Apresentação 2 (1)
 
2009 copinaval 3
2009 copinaval 32009 copinaval 3
2009 copinaval 3
 
Transportes marítimos, 9º1
Transportes marítimos, 9º1Transportes marítimos, 9º1
Transportes marítimos, 9º1
 
A operação comercial da portonave
A operação comercial da portonaveA operação comercial da portonave
A operação comercial da portonave
 
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo InternacionalConceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
Conceitos e oportunidade no Transporte Marítimo Internacional
 
Navegacao e transporte maritimo de cargas tarefa 5 - Francisco Andre Barros...
Navegacao e transporte maritimo de cargas   tarefa 5 - Francisco Andre Barros...Navegacao e transporte maritimo de cargas   tarefa 5 - Francisco Andre Barros...
Navegacao e transporte maritimo de cargas tarefa 5 - Francisco Andre Barros...
 
Transp maritimos 12-7
Transp maritimos 12-7Transp maritimos 12-7
Transp maritimos 12-7
 
MARAVILHAS DO SÉCULO XXI
MARAVILHAS DO SÉCULO XXIMARAVILHAS DO SÉCULO XXI
MARAVILHAS DO SÉCULO XXI
 
Sines Logística Pedra Natural
Sines   Logística Pedra NaturalSines   Logística Pedra Natural
Sines Logística Pedra Natural
 
Maravilhas da engenharia
Maravilhas da engenhariaMaravilhas da engenharia
Maravilhas da engenharia
 

Mais de Marcos Boaventura

Estatistica_______________Inferencial.pdf
Estatistica_______________Inferencial.pdfEstatistica_______________Inferencial.pdf
Estatistica_______________Inferencial.pdf
Marcos Boaventura
 
ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE E EFICIÊNCIA EM TERMINAIS.pdf
ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE E EFICIÊNCIA EM TERMINAIS.pdfANÁLISE DA PRODUTIVIDADE E EFICIÊNCIA EM TERMINAIS.pdf
ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE E EFICIÊNCIA EM TERMINAIS.pdf
Marcos Boaventura
 
5486262-Terminales de carga seca a granel.pdf
5486262-Terminales de carga seca a granel.pdf5486262-Terminales de carga seca a granel.pdf
5486262-Terminales de carga seca a granel.pdf
Marcos Boaventura
 
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pdf
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pdfTipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pdf
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pdf
Marcos Boaventura
 
518516521512562- portos-aula-4_compress.pdf
518516521512562- portos-aula-4_compress.pdf518516521512562- portos-aula-4_compress.pdf
518516521512562- portos-aula-4_compress.pdf
Marcos Boaventura
 
Armazenagem de Carga nos Portos - 3.pptx
Armazenagem de Carga nos Portos - 3.pptxArmazenagem de Carga nos Portos - 3.pptx
Armazenagem de Carga nos Portos - 3.pptx
Marcos Boaventura
 
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.ppt
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pptTipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.ppt
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.ppt
Marcos Boaventura
 
Aula 5 - Transporte Hidroviário ou Aquaviário.ppt
Aula 5 - Transporte Hidroviário ou Aquaviário.pptAula 5 - Transporte Hidroviário ou Aquaviário.ppt
Aula 5 - Transporte Hidroviário ou Aquaviário.ppt
Marcos Boaventura
 
540203410-s09-s9-Material-Port-Terminals-and-Cargo-Operations-1.pptx
540203410-s09-s9-Material-Port-Terminals-and-Cargo-Operations-1.pptx540203410-s09-s9-Material-Port-Terminals-and-Cargo-Operations-1.pptx
540203410-s09-s9-Material-Port-Terminals-and-Cargo-Operations-1.pptx
Marcos Boaventura
 
6565165455566666665161-PORT-OPERATIONS.ppt
6565165455566666665161-PORT-OPERATIONS.ppt6565165455566666665161-PORT-OPERATIONS.ppt
6565165455566666665161-PORT-OPERATIONS.ppt
Marcos Boaventura
 
5245365485445633558 - Marketing Portuario.ppt
5245365485445633558 - Marketing Portuario.ppt5245365485445633558 - Marketing Portuario.ppt
5245365485445633558 - Marketing Portuario.ppt
Marcos Boaventura
 
PNV_3411_2017.ppt
PNV_3411_2017.pptPNV_3411_2017.ppt
PNV_3411_2017.ppt
Marcos Boaventura
 
6-teoria-de-filas-ppt.ppt
6-teoria-de-filas-ppt.ppt6-teoria-de-filas-ppt.ppt
6-teoria-de-filas-ppt.ppt
Marcos Boaventura
 
Diagramas de processo.pdf
Diagramas de processo.pdfDiagramas de processo.pdf
Diagramas de processo.pdf
Marcos Boaventura
 
Slides da aula de PPHO.pdf
Slides da aula de PPHO.pdfSlides da aula de PPHO.pdf
Slides da aula de PPHO.pdf
Marcos Boaventura
 
Slides da aula de PPHO.pdf
Slides da aula de PPHO.pdfSlides da aula de PPHO.pdf
Slides da aula de PPHO.pdf
Marcos Boaventura
 
AULA-11-REGRESSAO-LINEAR-pptx.pptx
AULA-11-REGRESSAO-LINEAR-pptx.pptxAULA-11-REGRESSAO-LINEAR-pptx.pptx
AULA-11-REGRESSAO-LINEAR-pptx.pptx
Marcos Boaventura
 
Linear Process Diagram by Slidesgo.pptx
Linear Process Diagram by Slidesgo.pptxLinear Process Diagram by Slidesgo.pptx
Linear Process Diagram by Slidesgo.pptx
Marcos Boaventura
 
Facebook Ads.pdf
Facebook Ads.pdfFacebook Ads.pdf
Facebook Ads.pdf
Marcos Boaventura
 
aulas-Gestao-Portuaria-2.ppt
aulas-Gestao-Portuaria-2.pptaulas-Gestao-Portuaria-2.ppt
aulas-Gestao-Portuaria-2.ppt
Marcos Boaventura
 

Mais de Marcos Boaventura (20)

Estatistica_______________Inferencial.pdf
Estatistica_______________Inferencial.pdfEstatistica_______________Inferencial.pdf
Estatistica_______________Inferencial.pdf
 
ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE E EFICIÊNCIA EM TERMINAIS.pdf
ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE E EFICIÊNCIA EM TERMINAIS.pdfANÁLISE DA PRODUTIVIDADE E EFICIÊNCIA EM TERMINAIS.pdf
ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE E EFICIÊNCIA EM TERMINAIS.pdf
 
5486262-Terminales de carga seca a granel.pdf
5486262-Terminales de carga seca a granel.pdf5486262-Terminales de carga seca a granel.pdf
5486262-Terminales de carga seca a granel.pdf
 
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pdf
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pdfTipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pdf
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pdf
 
518516521512562- portos-aula-4_compress.pdf
518516521512562- portos-aula-4_compress.pdf518516521512562- portos-aula-4_compress.pdf
518516521512562- portos-aula-4_compress.pdf
 
Armazenagem de Carga nos Portos - 3.pptx
Armazenagem de Carga nos Portos - 3.pptxArmazenagem de Carga nos Portos - 3.pptx
Armazenagem de Carga nos Portos - 3.pptx
 
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.ppt
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.pptTipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.ppt
Tipos de Cargas - Conhecendo suas Características e Classificações.ppt
 
Aula 5 - Transporte Hidroviário ou Aquaviário.ppt
Aula 5 - Transporte Hidroviário ou Aquaviário.pptAula 5 - Transporte Hidroviário ou Aquaviário.ppt
Aula 5 - Transporte Hidroviário ou Aquaviário.ppt
 
540203410-s09-s9-Material-Port-Terminals-and-Cargo-Operations-1.pptx
540203410-s09-s9-Material-Port-Terminals-and-Cargo-Operations-1.pptx540203410-s09-s9-Material-Port-Terminals-and-Cargo-Operations-1.pptx
540203410-s09-s9-Material-Port-Terminals-and-Cargo-Operations-1.pptx
 
6565165455566666665161-PORT-OPERATIONS.ppt
6565165455566666665161-PORT-OPERATIONS.ppt6565165455566666665161-PORT-OPERATIONS.ppt
6565165455566666665161-PORT-OPERATIONS.ppt
 
5245365485445633558 - Marketing Portuario.ppt
5245365485445633558 - Marketing Portuario.ppt5245365485445633558 - Marketing Portuario.ppt
5245365485445633558 - Marketing Portuario.ppt
 
PNV_3411_2017.ppt
PNV_3411_2017.pptPNV_3411_2017.ppt
PNV_3411_2017.ppt
 
6-teoria-de-filas-ppt.ppt
6-teoria-de-filas-ppt.ppt6-teoria-de-filas-ppt.ppt
6-teoria-de-filas-ppt.ppt
 
Diagramas de processo.pdf
Diagramas de processo.pdfDiagramas de processo.pdf
Diagramas de processo.pdf
 
Slides da aula de PPHO.pdf
Slides da aula de PPHO.pdfSlides da aula de PPHO.pdf
Slides da aula de PPHO.pdf
 
Slides da aula de PPHO.pdf
Slides da aula de PPHO.pdfSlides da aula de PPHO.pdf
Slides da aula de PPHO.pdf
 
AULA-11-REGRESSAO-LINEAR-pptx.pptx
AULA-11-REGRESSAO-LINEAR-pptx.pptxAULA-11-REGRESSAO-LINEAR-pptx.pptx
AULA-11-REGRESSAO-LINEAR-pptx.pptx
 
Linear Process Diagram by Slidesgo.pptx
Linear Process Diagram by Slidesgo.pptxLinear Process Diagram by Slidesgo.pptx
Linear Process Diagram by Slidesgo.pptx
 
Facebook Ads.pdf
Facebook Ads.pdfFacebook Ads.pdf
Facebook Ads.pdf
 
aulas-Gestao-Portuaria-2.ppt
aulas-Gestao-Portuaria-2.pptaulas-Gestao-Portuaria-2.ppt
aulas-Gestao-Portuaria-2.ppt
 

Último

AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
Consultoria Acadêmica
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
Vilson Stollmeier
 
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
marcosmpereira
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
Consultoria Acadêmica
 
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
carlos silva Rotersan
 

Último (7)

AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
 
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
 
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
AE03 - MATERIAIS DA CONSTRUÇÃO MECÂNICA UNICESUMAR 52/2024
 
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
 

ATIVIDADE 2 - Pós Eng. Port..docx

  • 1. 1. Discorra sobre o método construtivo do cais e a quantidade diária na dragagem. 1.1 - Método Construtivo do Cais: Para construir o cais de expansão do Porto de Roterdã, foram utilizados vergalhões de grandes dimensões e tubos dispostos estrategicamente para aterramento da nova área. O navio de dragagem Vox Máxima executou uma operação de dragagem em larga escala para a deposição diária de areia. Para garantir a resistência necessária para suportar as atividades portuárias, a parede do cais foi construída com vergalhões submersos no solo com dimensões comparáveis a um edifício de 14 andares. A parede do cais tinha dimensões de 7 metros de extensão, 1,2 metros de largura e 42 metros de profundidade para cada seção. Isso demonstrava a grandeza da estrutura que foi construída. A parede do cais preencheu uma seção com vinte e cinco caminhões de concreto, demonstrando a quantidade significativa de material necessária para fortalecer an estrutura. Para facilitar an introdução dos vergalhões, foi feita uma escavação de trincheiras usando lama de perfuração (bentonítica). 1.2 - Quantidade de Areia Diária na Dragagem: A dragagem foi realizada pelo navio Vox Máxima e outros dez navios de dragagem an uma profundidade de aproximadamente trinta metros. A operação de dragagem do navio era extremamente eficiente e rápida, pois descarregava aproximadamente 14 toneladas de areia por segundo an uma velocidade de 96 km/h e movia aproximadamente 1.000.000 de toneladas por dia. A dragagem aumenta a capacidade do porto de Roterdã em 200.000 metros quadrados por semana, criando assim uma nova área de terra. Após a conclusão da obra, a área da Holanda aumentou em 07 km2, e Roterdã se tornou um porto capaz de competir com os maiores do mundo e capaz de atender à grande demanda de navios e mercadorias. A equipe concluiu a obra no prazo e com sucesso. 2. Cite a capacidade do Guindaste Pórtico de contêineres que opera no Porto de Roterdã e descreva sobre a rotina diária dele. Ao lidar com 3500 contêineres em um período de 24 horas, an operação portuária enfrenta um grande desafio. Em tal situação, o Guindaste Pórtico de Contêineres do Porto de Roterdã é considerado um elemento essencial para o sucesso do empreendimento. Sua capacidade de içar até 100 toneladas a torna vital para a movimentação de contêineres. O guindaste possui quatro garras hidráulicas capazes de erguer até 60 toneladas, demonstrando sua incrível capacidade para lidar com cargas pesadas. Para atender às demandas do porto, a rotina diária do guindaste pórtico é planejada e executada com cuidado. Localizar, içar e transportar os contêineres adequados para as áreas especificadas no convés ou terminal do navio é uma tarefa crucial dos operadores portuários. Para garantir o fluxo contínuo de mercadorias no porto, essa coordenação é essencial. Além disso, an altura da cabine do guindaste de 45 metros acima do solo enfatiza a necessidade de uma equipe altamente treinada e preparada para operar a máquina de maneira segura e eficaz. A presença de funcionários no convés e no porão do navio é essencial para orientar e supervisionar as operações de carga e descarga. Por fim, o Guindaste Pórtico de Contêineres do Porto de Roterdã é muito importante para o funcionamento e eficiência do porto. O sucesso das operações portuárias e a manutenção da reputação
  • 2. de Roterdã como um dos maiores e mais importantes portos do mundo dependem de suas capacidades impressionantes e de sua rotina diária minuciosamente planejada.