SlideShare uma empresa Scribd logo
TÉCNICA DE TRATAMENTO
RESTAURADOR
ATRAUMÁTICO - UMA
ATUALIZAÇÃO
 “Conhecendo o passado nos ajuda a
compreender o presente e nos
orientar para o futuro”
Primórdios da odontologia
Extração dentária - aliviar a dor do
indivíduo
Logo após
Odontologia cirúrgico-restauradora,
repetitiva e ineficaz
Depois de descobrirem que as
restaurações não interrompiam o
processo da doença cárie....
Odontologia Preventiva
Controla a progressão da doença =
trata seus sintomas
Final dos anos 80 e início da
década de 90...
Abordagem Restauradora e
Preventiva
Promoção de Saúde
CÁRIE
 “Processo patológico que inicia-se após
a irrupção do elemento dentário, sendo
determinado pelo amolecimento do tecido
dentário duro, evoluindo para a
formação de uma cavidade”
(OMS)
 MALTZ (1996)- Este amolecimento que
acomete os tecidos calcificados,
representam a desmineralização da
porção inorgânica e destruição da
substância orgânica do dente
 KEYES (1962)- Tríade
Microbiota
Substrato
Dente
Cárie
TEMPO
 Avanços da odontologia moderna,
supervalorização dos conceitos
estéticos, novos materiais, novas
técnicas....
 Porém, o controle da doença cárie ainda
continua sendo um grande problema de
saúde pública, PORQUÊ???
 TOLEDO, 1995 - Extração dentária tem sido
apontada como principal procedimento
realizado na população de baixa condição
sócio-econômica-cultural
 Realidade atual divide a qualidade de saúde
bucal dos povos de acordo com a situação
geográfica que se encontram.
IMPARATO (2002)
X
Países Industrializados Países em
Desenvolvimento e
Países
Subdesenvolvidos
Como surgiu essa Técnica?
 TANZÂNIA, meados do ano de 1980 –
“Programa de atenção à saúde bucal na
Faculdade de Odontologia de Dar e
Salaam”, por J. Frencken
TRATAMENTO
RESTAURADOR
ATRAUMÁTICO - ART
 Foi inicialmente desenvolvido pela
necessidade de se encontrar um método
de preservação de dentes cariados em
pessoas de todas as idades, tanto em
países em desenvolvimento quanto em
comunidades carentes, no qual os
recursos são escassos, FRENCKEN
(1998)
ATUALMENTE...
 Também está disponível como mais uma
opção que o CD tem em seu consultório
particular ou serviço público, como por
exemplo:
 Bebês com cárie precoce (ECC)
 Pacientes com necessidades especiais,
entre outros...
SMALES (2000)
OMS, 7 de abril de 1994, Genebra,
lançou: Manual de Tratamento
Restaurador Atraumático
 “ ART: Método de remoção do tecido
cariado através da escavação da dentina
infectada, apenas com instrumentos
manuais cortantes, sob isolamento
relativo, sem anestesia e após limpeza
da cavidade, o seu preenchimento com
um material adesivo e liberador de
flúor, o CIV.”
PRINCÍPIOS DO ART
 Mínima intervenção operatória
 Preservação de estrutura dentária sadia
 Redução da possível necessidade de
Terapia Pulpar ou futura extração
 Não necessita de anestesia local
PRINCIPAL OBJETIVO
 Eficácia do ART como método alternativo
para população com alta prevalência de
lesões cariosas e que não tem acesso ao
tratamento odontológico especializado
Entretanto...
 Muitas escolas de odontologia defendem
essa técnica na clínica diária como
tratamento conservador definitivo
SEMPRE associando com estratégia
ampla de prevenção
Art graduação
 Muitas escolas de odontologia defendem
essa técnica na clínica diária como
tratamento conservador definitivo
SEMPRE associando com estratégia
ampla de prevenção
ART
ADEQUAÇÃO
DO
MEIO
≠
???
ART
ADEQUAÇÃO
DO MEIO
Restauradora
definitiva e preventiva
Curativo em massa e
provisória
GUEDES-PINTO & IMPARATO (2002)
INDICAÇÕES
 Fator comportamental: Pacientes
especiais, bebês, crianças não
colaboradoras ou com comprometimento
sistêmico. (NEVES et al., 1999)
 Lugares que não existam consultórios
odontológicos, zonas rurais, escolas
públicas, etc. (RAMOS et al., 2001)
 Tratamento em estágio precoce,
evitando extrações. (FRENCKEN, 2001)
CONTRA - INDICAÇÕES
 Lesões de cárie em estágios avançados,
com grande comprometimento de
estruturas dentárias, bem como dentes
com comprometimento pulpar.
(FRANCKEN & PHANTUMVANIT, 1994)
 Se o paciente apresentar fístulas,
abcessos ou outras lesões. (PARAJARA
& LEAL, 2002)
VANTAGENS
 Baixo custo, técnica simples e d fácil
execução. (EPPA, 1992)
 Técnica conservadora, preventiva e
cariostática. (FORSS, 1997)
 Não utiliza instrumentos rotatórios
 Não necessita de anestesia local
Art graduação
DESVANTAGENS
 Algumas vezes não atende as
necessidades curativas do paciente,
devido suas limitações – cáries em
estágio avançados. (MONICO et al.,
1998).
 Maior tempo quando comparado com a
utilização de instrumento rotatório. (YIP
et al., 2000)
DESVANTAGENS
 Cárie oculta, o esmalte está somente
com uma pequena abertura –
recomenda-se machados dental, para
romper a camada de esmalte socavado.
(FRENCKEN, 1998)
 Risco dos profissionais agirem sem o
devido rigor, devido a simplicidade da
técnica
Remoção Parcial de Dentina
Cariada ?!?
Art graduação
 WERHEIJH & GROEN (1999),
verificaram que três tipos de medidas
contribuem para a detenção do processo
carioso:
 Isolamento do processo, através do
selamento da cavidade
 Escavação da dentina cariada
 Uso de material restaurador cariostático
 Porém nenhuma medida detém o
processo carioso se usada isoladamente.
 FUSAYAMA et al., (1996), verificaram
que ao retirar dentina amolecida, deixa-
se dentina desmineralizada, mas não
infectada, possível de remineralização
Dentina Infectada
Dentina Contaminada
Consistência mole e
amarelada, sendo
constituída por uma zona
de dentina necrótica e
desorganizada
Textura parcialmente
mantida, semelhante a um
“tecido de couro”
CONSOLARO et al., (1996)
Material Restaurador Adesivo para
ART – Cimento de Ionômero de
Vidro
 Apresenta potencial significativo de
remineralização, devido a presença de
fluoretos na sua composição. TEM CATE
& VANDUINEN (1995).
 Além de propriedades de
remineralização, possui ação
antimicrobiana. FORS & SEPPA, 1980
Material Restaurador Adesivo para
ART – Cimento de Ionômero de
Vidro
 WEERHEIJN et al.(1996), verificaram a
superioridade do CIV, quando
comparado ao selante DELTON®
 PALENIK et al. (1992), observaram que
a placa bacteriana ao redor da
restauração com CIV, tinham uma
quantidade de bactéria significantemente
menor.
Material Restaurador Adesivo para
ART – Cimento de Ionômero de
Vidro
 Os CIVs Fuji IX® e Ketac Molar®, são os
materiais eleitos na técnica do ART,
devido:
 Fácil manipulação
 Alta resistência
 Menor absorção de água
 Técnica simples
DESCRIÇÃO DA TÉCNICA
DO ART
 Instrumental básico:
 Sonda exploradora
 Pinça
 Curetas dentinárias de vários tamanhos
 Instrumentos manuais como machado dental
 Espátula para inserção
 Esculpidor
 Espátula e bloco para manipulação do
material
TÉCNICA ART- PASSO A
PASSO (FRENCKEN, 2001)
1. Organizar os instrumentos e materiais
antes do preparo cavitário
2. Isolamento do campo operatório com
rolos de algodão
3. Exame do dente cariado – remoção da
placa com bolinhas de algodão secas
4. Acessar a lesão cariosa
Art graduação
Art graduação
TÉCNICA ART- PASSO A
PASSO (FRENCKEN, 2001)
5. Remover a dentina infectada,
amolecida e desmineralizada, com
cureta dentinária, fazendo movimentos
circulares de raspagem
6. Limpar e secar com bolinhas de
algodão
7. Condicionar a cavidade, fóssulas e
fissuras adjacentes com ác. Poliacrílico,
tartárico ou maleico ao redor de 35% de
10 a 15 seg.
Art graduação
TÉCNICA ART- PASSO A
PASSO (FRENCKEN, 2001)
8. Manipular o CIV, conforme indicação do
fabricante
9. Restaurar a cavidade e preencher
fóssulas e fissuras adjacentes,
utilizando ponta arredondada da
espátula de inserção, acomodando o
CIV ao redor das margens cavitárias
antes de preencher a porção central
Art graduação
Art graduação
TÉCNICA ART- PASSO A
PASSO (FRENCKEN, 2001)
10. Pressão digital sobre a restauração:
1. Esfregue uma pequena quantidade de
vaselina e pressione firme o CIV
2. Deslize a ponta do dedo suavemente de
vest/ling e M/D
3. Após alguns segundos retire o dedo com
movimento lateral
Art graduação
TÉCNICA ART- PASSO A
PASSO (FRENCKEN, 2001)
11. Remover o excesso do CIV com
esculpidor
12. Checagem e ajuste oclusal
13. Aplicar uma camada de vaselina ou
verniz com flúor
14. Remover rolos de algodão
15. Pedir para o paciente não comer por no
mínimo 1 hora
Art graduação
CAUSAS DO INSUCESSO
 Mistura pó/líquido inadequada
• + Líquido: CIV PROPRIEDADES
MECÂNICAS
• + Pó: CIV não adere ao tecido dentário,
tornando-se quebradiço
 Presença de cáries residuais
CAUSAS DO INSUCESSO
 Restaurações que apresentam excesso
de material causando sobrecontorno,
concentrando forças oclusais
iatrogênicas, quebrando a restauração
 Contaminação do material por saliva
 Tempo prolongado de inserção do
material na cavidade- perde
propriedade de adesão
CAUSAS DO INSUCESSO
 Instruções incorretas após restaurações
 Aplicação imprópria do CIV na cavidade
–presença de fendas marginais
CONSIDERAÇÕES SOBRE A
TÉCNICA
 MICKENAUTSCH et al., 2002 –
compararam o custo anual de
restauração com ART com tratamento
convecional, e verificaram que no ART
as despesas são 50% mais baixas
 BRECIANI (2002), verificou baixo Índice
de sucesso das restaurações de classe
II na dentição decídua, quando
comparadas as de classe I
CONSIDERAÇÕES SOBRE A
TÉCNICA
 PHANTUMVANT et al. (1998),
avaliaram restaurações de ART após 1
ano, e encontraram um grau de
sucesso de 79% em dentição decídua e
93% na dentição permanente
CONCLUI-SE ENTÃO....
 O ART é de conhecimento restrito,
necessitando de maior difusão da
mesma
 A principal vantagem do ART é a
prevenção do desenvolvimento de
lesões de cárie
 A técnica do ART está indicada para
todos os tipos de cavidade, além de
fóssulas e fissuras
 Técnica bastante conservadora
 A habilidade profissional também é um
fator determinante para o sucesso
“ A técnica do ART deve
estar sempre associada a
outros programas
preventivos...”
“ A técnica do ART deve estar
sempre associada a outros
programas preventivos...”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Endodontia Em Dentes Deciduos
Endodontia Em Dentes DeciduosEndodontia Em Dentes Deciduos
Endodontia Em Dentes Deciduos
Flavio Salomao-Miranda
 
doença periodontal
doença periodontaldoença periodontal
doença periodontal
Priscila Freitas
 
Implantes dentarios
Implantes dentariosImplantes dentarios
Implantes dentarios
Dr.João Calais.:
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentística
profguilhermeterra
 
Slides de seminário: Diagnóstico e Classificações das Doenças Periodontais
Slides de seminário: Diagnóstico e Classificações das Doenças PeriodontaisSlides de seminário: Diagnóstico e Classificações das Doenças Periodontais
Slides de seminário: Diagnóstico e Classificações das Doenças Periodontais
Vítor Genaro
 
Cárie dentária 2012 1
Cárie dentária 2012 1Cárie dentária 2012 1
Cárie dentária 2012 1
Guilherme Terra
 
Proteção contra cárie e doença periodontal
Proteção contra cárie e doença periodontalProteção contra cárie e doença periodontal
Proteção contra cárie e doença periodontal
Priscila Freitas
 
APOSTILA DE IMPLANTODONTIA
APOSTILA DE IMPLANTODONTIAAPOSTILA DE IMPLANTODONTIA
APOSTILA DE IMPLANTODONTIA
Rayssa Mendonça
 
Resinas compostas
Resinas compostasResinas compostas
Resinas compostas
Marlus Pedrosa
 
Cariologia
CariologiaCariologia
Selantes odontopediatria
Selantes odontopediatriaSelantes odontopediatria
Selantes odontopediatria
Gabriella Lourenço
 
Anestesia em mandíbula
Anestesia em mandíbulaAnestesia em mandíbula
Anestesia em mandíbula
politocasi
 
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelProteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Camilla Bringel
 
Técnicas anestésicas dentistica uni foa 2012-01-pedro
Técnicas anestésicas   dentistica uni foa 2012-01-pedroTécnicas anestésicas   dentistica uni foa 2012-01-pedro
Técnicas anestésicas dentistica uni foa 2012-01-pedro
Lucas Almeida Sá
 
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para OdontologiaDescubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
André Milioli Martins
 
Alterações do desenvolvimento dentário
Alterações do desenvolvimento dentárioAlterações do desenvolvimento dentário
Alterações do desenvolvimento dentário
Rômulo Augusto
 
APOSTILA DE PRÓTESE FIXA
APOSTILA DE PRÓTESE FIXAAPOSTILA DE PRÓTESE FIXA
APOSTILA DE PRÓTESE FIXA
Rayssa Mendonça
 
Stillman Modificado
Stillman ModificadoStillman Modificado
Stillman Modificado
Flavio Salomao-Miranda
 
Principios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitárioPrincipios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitário
profcelsoklein
 
Traumatismo dental em Odontopediatria
Traumatismo dental em OdontopediatriaTraumatismo dental em Odontopediatria
Traumatismo dental em Odontopediatria
Flavio Salomao-Miranda
 

Mais procurados (20)

Endodontia Em Dentes Deciduos
Endodontia Em Dentes DeciduosEndodontia Em Dentes Deciduos
Endodontia Em Dentes Deciduos
 
doença periodontal
doença periodontaldoença periodontal
doença periodontal
 
Implantes dentarios
Implantes dentariosImplantes dentarios
Implantes dentarios
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentística
 
Slides de seminário: Diagnóstico e Classificações das Doenças Periodontais
Slides de seminário: Diagnóstico e Classificações das Doenças PeriodontaisSlides de seminário: Diagnóstico e Classificações das Doenças Periodontais
Slides de seminário: Diagnóstico e Classificações das Doenças Periodontais
 
Cárie dentária 2012 1
Cárie dentária 2012 1Cárie dentária 2012 1
Cárie dentária 2012 1
 
Proteção contra cárie e doença periodontal
Proteção contra cárie e doença periodontalProteção contra cárie e doença periodontal
Proteção contra cárie e doença periodontal
 
APOSTILA DE IMPLANTODONTIA
APOSTILA DE IMPLANTODONTIAAPOSTILA DE IMPLANTODONTIA
APOSTILA DE IMPLANTODONTIA
 
Resinas compostas
Resinas compostasResinas compostas
Resinas compostas
 
Cariologia
CariologiaCariologia
Cariologia
 
Selantes odontopediatria
Selantes odontopediatriaSelantes odontopediatria
Selantes odontopediatria
 
Anestesia em mandíbula
Anestesia em mandíbulaAnestesia em mandíbula
Anestesia em mandíbula
 
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringelProteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
Proteção complexo dentino pulpar- camilla bringel
 
Técnicas anestésicas dentistica uni foa 2012-01-pedro
Técnicas anestésicas   dentistica uni foa 2012-01-pedroTécnicas anestésicas   dentistica uni foa 2012-01-pedro
Técnicas anestésicas dentistica uni foa 2012-01-pedro
 
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para OdontologiaDescubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
Descubra Como Calcular a Dose Máxima de Anestésico Local Para Odontologia
 
Alterações do desenvolvimento dentário
Alterações do desenvolvimento dentárioAlterações do desenvolvimento dentário
Alterações do desenvolvimento dentário
 
APOSTILA DE PRÓTESE FIXA
APOSTILA DE PRÓTESE FIXAAPOSTILA DE PRÓTESE FIXA
APOSTILA DE PRÓTESE FIXA
 
Stillman Modificado
Stillman ModificadoStillman Modificado
Stillman Modificado
 
Principios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitárioPrincipios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitário
 
Traumatismo dental em Odontopediatria
Traumatismo dental em OdontopediatriaTraumatismo dental em Odontopediatria
Traumatismo dental em Odontopediatria
 

Destaque

PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
Oyara Mello
 
Orientação em Saúde Bucal
Orientação em Saúde BucalOrientação em Saúde Bucal
Orientação em Saúde Bucal
Oyara Mello
 
Clinica Odontologica Infantil - passo a passo
Clinica Odontologica Infantil - passo a passoClinica Odontologica Infantil - passo a passo
Clinica Odontologica Infantil - passo a passo
GracieleSonobe1
 
Cimento de ionômero de vidro civ
Cimento de ionômero de vidro  civCimento de ionômero de vidro  civ
Cimento de ionômero de vidro civ
Dr.João Calais.:
 
Materiais dentários em odontopediatria
Materiais dentários em odontopediatriaMateriais dentários em odontopediatria
Materiais dentários em odontopediatria
Flavio Salomao-Miranda
 
Saúde bucal do idoso: estratégias de manutenção preventiva e corretiva odonto...
Saúde bucal do idoso: estratégias de manutenção preventiva e corretiva odonto...Saúde bucal do idoso: estratégias de manutenção preventiva e corretiva odonto...
Saúde bucal do idoso: estratégias de manutenção preventiva e corretiva odonto...
Bruna Leitão
 
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
Italo Gabriel
 
Apresentacao urgencias e_emergencias_odontologia
Apresentacao urgencias e_emergencias_odontologiaApresentacao urgencias e_emergencias_odontologia
Apresentacao urgencias e_emergencias_odontologia
Lucas Stolfo Maculan
 
Saúde bucal x tabagismo
Saúde bucal x tabagismoSaúde bucal x tabagismo
Saúde bucal x tabagismo
Antônio Marcos
 
Palestra parque do idoso
Palestra parque do idosoPalestra parque do idoso
Palestra parque do idoso
Anderson Almeida
 
Saúde bucal do adulto
Saúde bucal do adultoSaúde bucal do adulto
Saúde bucal do adulto
Dessa Reis
 
Promoção de saúde em odontopediatria
Promoção de saúde em odontopediatria Promoção de saúde em odontopediatria
Promoção de saúde em odontopediatria
Hiolanda
 
Idosos: prevenção na saúde bucal
Idosos: prevenção na saúde bucalIdosos: prevenção na saúde bucal
Idosos: prevenção na saúde bucal
odontosocial
 
Samuel_Saude_bucal_DM
Samuel_Saude_bucal_DMSamuel_Saude_bucal_DM
Samuel_Saude_bucal_DM
comunidadedepraticas
 
Saúde bucal para a gestante e o bebê
Saúde bucal para a gestante e o bebêSaúde bucal para a gestante e o bebê
Saúde bucal para a gestante e o bebê
Priscila Freitas
 
Palestra - O cigarro e a saúde bucal - Prof Jean Santos
Palestra - O cigarro e a saúde bucal - Prof Jean SantosPalestra - O cigarro e a saúde bucal - Prof Jean Santos
Palestra - O cigarro e a saúde bucal - Prof Jean Santos
Jean Santos
 
ASPECTOS ODONTOLÓGICOS NOS IDOSOS PORTADORES DE ALZHEIMER
ASPECTOS ODONTOLÓGICOS NOS IDOSOS PORTADORES DE ALZHEIMERASPECTOS ODONTOLÓGICOS NOS IDOSOS PORTADORES DE ALZHEIMER
ASPECTOS ODONTOLÓGICOS NOS IDOSOS PORTADORES DE ALZHEIMER
Márcio Borges
 
Apresentação1 odontogeriatria
Apresentação1 odontogeriatriaApresentação1 odontogeriatria
Apresentação1 odontogeriatria
Mirian Guidi
 
Tipos de Mamoplastia
 Tipos de Mamoplastia  Tipos de Mamoplastia
Tipos de Mamoplastia
Gizele De Cassia Moro
 
Homero_Saude_bucal
Homero_Saude_bucalHomero_Saude_bucal
Homero_Saude_bucal
comunidadedepraticas
 

Destaque (20)

PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
PROMOÇÃO DE SAÚDE (TRA, CARIOSTÁTICO E FLÚOR VERNIZ)
 
Orientação em Saúde Bucal
Orientação em Saúde BucalOrientação em Saúde Bucal
Orientação em Saúde Bucal
 
Clinica Odontologica Infantil - passo a passo
Clinica Odontologica Infantil - passo a passoClinica Odontologica Infantil - passo a passo
Clinica Odontologica Infantil - passo a passo
 
Cimento de ionômero de vidro civ
Cimento de ionômero de vidro  civCimento de ionômero de vidro  civ
Cimento de ionômero de vidro civ
 
Materiais dentários em odontopediatria
Materiais dentários em odontopediatriaMateriais dentários em odontopediatria
Materiais dentários em odontopediatria
 
Saúde bucal do idoso: estratégias de manutenção preventiva e corretiva odonto...
Saúde bucal do idoso: estratégias de manutenção preventiva e corretiva odonto...Saúde bucal do idoso: estratégias de manutenção preventiva e corretiva odonto...
Saúde bucal do idoso: estratégias de manutenção preventiva e corretiva odonto...
 
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
 
Apresentacao urgencias e_emergencias_odontologia
Apresentacao urgencias e_emergencias_odontologiaApresentacao urgencias e_emergencias_odontologia
Apresentacao urgencias e_emergencias_odontologia
 
Saúde bucal x tabagismo
Saúde bucal x tabagismoSaúde bucal x tabagismo
Saúde bucal x tabagismo
 
Palestra parque do idoso
Palestra parque do idosoPalestra parque do idoso
Palestra parque do idoso
 
Saúde bucal do adulto
Saúde bucal do adultoSaúde bucal do adulto
Saúde bucal do adulto
 
Promoção de saúde em odontopediatria
Promoção de saúde em odontopediatria Promoção de saúde em odontopediatria
Promoção de saúde em odontopediatria
 
Idosos: prevenção na saúde bucal
Idosos: prevenção na saúde bucalIdosos: prevenção na saúde bucal
Idosos: prevenção na saúde bucal
 
Samuel_Saude_bucal_DM
Samuel_Saude_bucal_DMSamuel_Saude_bucal_DM
Samuel_Saude_bucal_DM
 
Saúde bucal para a gestante e o bebê
Saúde bucal para a gestante e o bebêSaúde bucal para a gestante e o bebê
Saúde bucal para a gestante e o bebê
 
Palestra - O cigarro e a saúde bucal - Prof Jean Santos
Palestra - O cigarro e a saúde bucal - Prof Jean SantosPalestra - O cigarro e a saúde bucal - Prof Jean Santos
Palestra - O cigarro e a saúde bucal - Prof Jean Santos
 
ASPECTOS ODONTOLÓGICOS NOS IDOSOS PORTADORES DE ALZHEIMER
ASPECTOS ODONTOLÓGICOS NOS IDOSOS PORTADORES DE ALZHEIMERASPECTOS ODONTOLÓGICOS NOS IDOSOS PORTADORES DE ALZHEIMER
ASPECTOS ODONTOLÓGICOS NOS IDOSOS PORTADORES DE ALZHEIMER
 
Apresentação1 odontogeriatria
Apresentação1 odontogeriatriaApresentação1 odontogeriatria
Apresentação1 odontogeriatria
 
Tipos de Mamoplastia
 Tipos de Mamoplastia  Tipos de Mamoplastia
Tipos de Mamoplastia
 
Homero_Saude_bucal
Homero_Saude_bucalHomero_Saude_bucal
Homero_Saude_bucal
 

Semelhante a Art graduação

papacárie
 papacárie papacárie
papacárie
monaodonto
 
Seminario ART.pptx
Seminario ART.pptxSeminario ART.pptx
Seminario ART.pptx
JosaOliveira3
 
Retratamento endodôntico
Retratamento endodônticoRetratamento endodôntico
Retratamento endodôntico
Rayssa Mendonça
 
Tratamento Não Cirúrgico de Um Fracasso Cirúrgico
Tratamento Não Cirúrgico de Um Fracasso CirúrgicoTratamento Não Cirúrgico de Um Fracasso Cirúrgico
Tratamento Não Cirúrgico de Um Fracasso Cirúrgico
RPCendo
 
folheto-omd-endodontia.pdf
folheto-omd-endodontia.pdffolheto-omd-endodontia.pdf
folheto-omd-endodontia.pdf
NunoMiguelBeloGonalv
 
Renata aparecidacardoso tce
Renata aparecidacardoso tceRenata aparecidacardoso tce
Renata aparecidacardoso tce
Joyce Fagundes
 
Simposio odontologia instantânia
Simposio odontologia instantâniaSimposio odontologia instantânia
Simposio odontologia instantânia
Thiago Dant
 
Manejo da Carie Oculta
Manejo da Carie OcultaManejo da Carie Oculta
Escultura dental com auxílio do método geométrico
Escultura dental com auxílio do método geométricoEscultura dental com auxílio do método geométrico
Escultura dental com auxílio do método geométrico
profguilhermeterra
 
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduoEndodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
Cristhiane Amaral
 
Apostila de estágio vi
Apostila de estágio vi Apostila de estágio vi
Apostila de estágio vi
Rayssa Mendonça
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatório
profguilhermeterra
 
Apostila de estágio v
Apostila de estágio vApostila de estágio v
Apostila de estágio v
Rayssa Mendonça
 
PLANEJAMENTO CIRÚRGICO PACIENTE I
PLANEJAMENTO CIRÚRGICO PACIENTE IPLANEJAMENTO CIRÚRGICO PACIENTE I
PLANEJAMENTO CIRÚRGICO PACIENTE I
Treeimoveis
 
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdftraumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
JessikaFreireMidlejL
 
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdftraumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
JessikaFreireMidlejL
 
Artigo hospital odontológico uma visão do futuro
Artigo hospital odontológico  uma visão do futuroArtigo hospital odontológico  uma visão do futuro
Artigo hospital odontológico uma visão do futuro
Thiago Dant
 
Dentes inclusos devem ser removidos
Dentes inclusos devem ser removidosDentes inclusos devem ser removidos
Dentes inclusos devem ser removidos
Clínica Dr. Mário Carlet
 
Dacriocistorrinostomia roithmann 2012
Dacriocistorrinostomia roithmann 2012Dacriocistorrinostomia roithmann 2012
Dacriocistorrinostomia roithmann 2012
GULR
 
Protese Protocolo Overdenture.pdf
Protese Protocolo  Overdenture.pdfProtese Protocolo  Overdenture.pdf
Protese Protocolo Overdenture.pdf
FagnerJunio3
 

Semelhante a Art graduação (20)

papacárie
 papacárie papacárie
papacárie
 
Seminario ART.pptx
Seminario ART.pptxSeminario ART.pptx
Seminario ART.pptx
 
Retratamento endodôntico
Retratamento endodônticoRetratamento endodôntico
Retratamento endodôntico
 
Tratamento Não Cirúrgico de Um Fracasso Cirúrgico
Tratamento Não Cirúrgico de Um Fracasso CirúrgicoTratamento Não Cirúrgico de Um Fracasso Cirúrgico
Tratamento Não Cirúrgico de Um Fracasso Cirúrgico
 
folheto-omd-endodontia.pdf
folheto-omd-endodontia.pdffolheto-omd-endodontia.pdf
folheto-omd-endodontia.pdf
 
Renata aparecidacardoso tce
Renata aparecidacardoso tceRenata aparecidacardoso tce
Renata aparecidacardoso tce
 
Simposio odontologia instantânia
Simposio odontologia instantâniaSimposio odontologia instantânia
Simposio odontologia instantânia
 
Manejo da Carie Oculta
Manejo da Carie OcultaManejo da Carie Oculta
Manejo da Carie Oculta
 
Escultura dental com auxílio do método geométrico
Escultura dental com auxílio do método geométricoEscultura dental com auxílio do método geométrico
Escultura dental com auxílio do método geométrico
 
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduoEndodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
Endodontia em odontopediatria - tratamento pulpar dente decíduo
 
Apostila de estágio vi
Apostila de estágio vi Apostila de estágio vi
Apostila de estágio vi
 
Isolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo OperatórioIsolamento do Campo Operatório
Isolamento do Campo Operatório
 
Apostila de estágio v
Apostila de estágio vApostila de estágio v
Apostila de estágio v
 
PLANEJAMENTO CIRÚRGICO PACIENTE I
PLANEJAMENTO CIRÚRGICO PACIENTE IPLANEJAMENTO CIRÚRGICO PACIENTE I
PLANEJAMENTO CIRÚRGICO PACIENTE I
 
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdftraumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
 
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdftraumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
traumabuco-dento-alveolar-120119002641-phpapp02.pdf
 
Artigo hospital odontológico uma visão do futuro
Artigo hospital odontológico  uma visão do futuroArtigo hospital odontológico  uma visão do futuro
Artigo hospital odontológico uma visão do futuro
 
Dentes inclusos devem ser removidos
Dentes inclusos devem ser removidosDentes inclusos devem ser removidos
Dentes inclusos devem ser removidos
 
Dacriocistorrinostomia roithmann 2012
Dacriocistorrinostomia roithmann 2012Dacriocistorrinostomia roithmann 2012
Dacriocistorrinostomia roithmann 2012
 
Protese Protocolo Overdenture.pdf
Protese Protocolo  Overdenture.pdfProtese Protocolo  Overdenture.pdf
Protese Protocolo Overdenture.pdf
 

Último

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 

Último (20)

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 

Art graduação

  • 2.  “Conhecendo o passado nos ajuda a compreender o presente e nos orientar para o futuro”
  • 3. Primórdios da odontologia Extração dentária - aliviar a dor do indivíduo Logo após Odontologia cirúrgico-restauradora, repetitiva e ineficaz
  • 4. Depois de descobrirem que as restaurações não interrompiam o processo da doença cárie.... Odontologia Preventiva Controla a progressão da doença = trata seus sintomas
  • 5. Final dos anos 80 e início da década de 90... Abordagem Restauradora e Preventiva Promoção de Saúde
  • 6. CÁRIE  “Processo patológico que inicia-se após a irrupção do elemento dentário, sendo determinado pelo amolecimento do tecido dentário duro, evoluindo para a formação de uma cavidade” (OMS)
  • 7.  MALTZ (1996)- Este amolecimento que acomete os tecidos calcificados, representam a desmineralização da porção inorgânica e destruição da substância orgânica do dente
  • 8.  KEYES (1962)- Tríade Microbiota Substrato Dente Cárie TEMPO
  • 9.  Avanços da odontologia moderna, supervalorização dos conceitos estéticos, novos materiais, novas técnicas....  Porém, o controle da doença cárie ainda continua sendo um grande problema de saúde pública, PORQUÊ???
  • 10.  TOLEDO, 1995 - Extração dentária tem sido apontada como principal procedimento realizado na população de baixa condição sócio-econômica-cultural  Realidade atual divide a qualidade de saúde bucal dos povos de acordo com a situação geográfica que se encontram. IMPARATO (2002)
  • 11. X Países Industrializados Países em Desenvolvimento e Países Subdesenvolvidos
  • 12. Como surgiu essa Técnica?  TANZÂNIA, meados do ano de 1980 – “Programa de atenção à saúde bucal na Faculdade de Odontologia de Dar e Salaam”, por J. Frencken
  • 13. TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO - ART  Foi inicialmente desenvolvido pela necessidade de se encontrar um método de preservação de dentes cariados em pessoas de todas as idades, tanto em países em desenvolvimento quanto em comunidades carentes, no qual os recursos são escassos, FRENCKEN (1998)
  • 14. ATUALMENTE...  Também está disponível como mais uma opção que o CD tem em seu consultório particular ou serviço público, como por exemplo:  Bebês com cárie precoce (ECC)  Pacientes com necessidades especiais, entre outros... SMALES (2000)
  • 15. OMS, 7 de abril de 1994, Genebra, lançou: Manual de Tratamento Restaurador Atraumático  “ ART: Método de remoção do tecido cariado através da escavação da dentina infectada, apenas com instrumentos manuais cortantes, sob isolamento relativo, sem anestesia e após limpeza da cavidade, o seu preenchimento com um material adesivo e liberador de flúor, o CIV.”
  • 16. PRINCÍPIOS DO ART  Mínima intervenção operatória  Preservação de estrutura dentária sadia  Redução da possível necessidade de Terapia Pulpar ou futura extração  Não necessita de anestesia local
  • 17. PRINCIPAL OBJETIVO  Eficácia do ART como método alternativo para população com alta prevalência de lesões cariosas e que não tem acesso ao tratamento odontológico especializado Entretanto...
  • 18.  Muitas escolas de odontologia defendem essa técnica na clínica diária como tratamento conservador definitivo SEMPRE associando com estratégia ampla de prevenção
  • 20.  Muitas escolas de odontologia defendem essa técnica na clínica diária como tratamento conservador definitivo SEMPRE associando com estratégia ampla de prevenção
  • 22. ART ADEQUAÇÃO DO MEIO Restauradora definitiva e preventiva Curativo em massa e provisória GUEDES-PINTO & IMPARATO (2002)
  • 23. INDICAÇÕES  Fator comportamental: Pacientes especiais, bebês, crianças não colaboradoras ou com comprometimento sistêmico. (NEVES et al., 1999)  Lugares que não existam consultórios odontológicos, zonas rurais, escolas públicas, etc. (RAMOS et al., 2001)  Tratamento em estágio precoce, evitando extrações. (FRENCKEN, 2001)
  • 24. CONTRA - INDICAÇÕES  Lesões de cárie em estágios avançados, com grande comprometimento de estruturas dentárias, bem como dentes com comprometimento pulpar. (FRANCKEN & PHANTUMVANIT, 1994)  Se o paciente apresentar fístulas, abcessos ou outras lesões. (PARAJARA & LEAL, 2002)
  • 25. VANTAGENS  Baixo custo, técnica simples e d fácil execução. (EPPA, 1992)  Técnica conservadora, preventiva e cariostática. (FORSS, 1997)  Não utiliza instrumentos rotatórios  Não necessita de anestesia local
  • 27. DESVANTAGENS  Algumas vezes não atende as necessidades curativas do paciente, devido suas limitações – cáries em estágio avançados. (MONICO et al., 1998).  Maior tempo quando comparado com a utilização de instrumento rotatório. (YIP et al., 2000)
  • 28. DESVANTAGENS  Cárie oculta, o esmalte está somente com uma pequena abertura – recomenda-se machados dental, para romper a camada de esmalte socavado. (FRENCKEN, 1998)  Risco dos profissionais agirem sem o devido rigor, devido a simplicidade da técnica
  • 29. Remoção Parcial de Dentina Cariada ?!?
  • 31.  WERHEIJH & GROEN (1999), verificaram que três tipos de medidas contribuem para a detenção do processo carioso:  Isolamento do processo, através do selamento da cavidade  Escavação da dentina cariada  Uso de material restaurador cariostático  Porém nenhuma medida detém o processo carioso se usada isoladamente.
  • 32.  FUSAYAMA et al., (1996), verificaram que ao retirar dentina amolecida, deixa- se dentina desmineralizada, mas não infectada, possível de remineralização
  • 33. Dentina Infectada Dentina Contaminada Consistência mole e amarelada, sendo constituída por uma zona de dentina necrótica e desorganizada Textura parcialmente mantida, semelhante a um “tecido de couro” CONSOLARO et al., (1996)
  • 34. Material Restaurador Adesivo para ART – Cimento de Ionômero de Vidro  Apresenta potencial significativo de remineralização, devido a presença de fluoretos na sua composição. TEM CATE & VANDUINEN (1995).  Além de propriedades de remineralização, possui ação antimicrobiana. FORS & SEPPA, 1980
  • 35. Material Restaurador Adesivo para ART – Cimento de Ionômero de Vidro  WEERHEIJN et al.(1996), verificaram a superioridade do CIV, quando comparado ao selante DELTON®  PALENIK et al. (1992), observaram que a placa bacteriana ao redor da restauração com CIV, tinham uma quantidade de bactéria significantemente menor.
  • 36. Material Restaurador Adesivo para ART – Cimento de Ionômero de Vidro  Os CIVs Fuji IX® e Ketac Molar®, são os materiais eleitos na técnica do ART, devido:  Fácil manipulação  Alta resistência  Menor absorção de água  Técnica simples
  • 37. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA DO ART  Instrumental básico:  Sonda exploradora  Pinça  Curetas dentinárias de vários tamanhos  Instrumentos manuais como machado dental  Espátula para inserção  Esculpidor  Espátula e bloco para manipulação do material
  • 38. TÉCNICA ART- PASSO A PASSO (FRENCKEN, 2001) 1. Organizar os instrumentos e materiais antes do preparo cavitário 2. Isolamento do campo operatório com rolos de algodão 3. Exame do dente cariado – remoção da placa com bolinhas de algodão secas 4. Acessar a lesão cariosa
  • 41. TÉCNICA ART- PASSO A PASSO (FRENCKEN, 2001) 5. Remover a dentina infectada, amolecida e desmineralizada, com cureta dentinária, fazendo movimentos circulares de raspagem 6. Limpar e secar com bolinhas de algodão 7. Condicionar a cavidade, fóssulas e fissuras adjacentes com ác. Poliacrílico, tartárico ou maleico ao redor de 35% de 10 a 15 seg.
  • 43. TÉCNICA ART- PASSO A PASSO (FRENCKEN, 2001) 8. Manipular o CIV, conforme indicação do fabricante 9. Restaurar a cavidade e preencher fóssulas e fissuras adjacentes, utilizando ponta arredondada da espátula de inserção, acomodando o CIV ao redor das margens cavitárias antes de preencher a porção central
  • 46. TÉCNICA ART- PASSO A PASSO (FRENCKEN, 2001) 10. Pressão digital sobre a restauração: 1. Esfregue uma pequena quantidade de vaselina e pressione firme o CIV 2. Deslize a ponta do dedo suavemente de vest/ling e M/D 3. Após alguns segundos retire o dedo com movimento lateral
  • 48. TÉCNICA ART- PASSO A PASSO (FRENCKEN, 2001) 11. Remover o excesso do CIV com esculpidor 12. Checagem e ajuste oclusal 13. Aplicar uma camada de vaselina ou verniz com flúor 14. Remover rolos de algodão 15. Pedir para o paciente não comer por no mínimo 1 hora
  • 50. CAUSAS DO INSUCESSO  Mistura pó/líquido inadequada • + Líquido: CIV PROPRIEDADES MECÂNICAS • + Pó: CIV não adere ao tecido dentário, tornando-se quebradiço  Presença de cáries residuais
  • 51. CAUSAS DO INSUCESSO  Restaurações que apresentam excesso de material causando sobrecontorno, concentrando forças oclusais iatrogênicas, quebrando a restauração  Contaminação do material por saliva  Tempo prolongado de inserção do material na cavidade- perde propriedade de adesão
  • 52. CAUSAS DO INSUCESSO  Instruções incorretas após restaurações  Aplicação imprópria do CIV na cavidade –presença de fendas marginais
  • 53. CONSIDERAÇÕES SOBRE A TÉCNICA  MICKENAUTSCH et al., 2002 – compararam o custo anual de restauração com ART com tratamento convecional, e verificaram que no ART as despesas são 50% mais baixas  BRECIANI (2002), verificou baixo Índice de sucesso das restaurações de classe II na dentição decídua, quando comparadas as de classe I
  • 54. CONSIDERAÇÕES SOBRE A TÉCNICA  PHANTUMVANT et al. (1998), avaliaram restaurações de ART após 1 ano, e encontraram um grau de sucesso de 79% em dentição decídua e 93% na dentição permanente
  • 55. CONCLUI-SE ENTÃO....  O ART é de conhecimento restrito, necessitando de maior difusão da mesma  A principal vantagem do ART é a prevenção do desenvolvimento de lesões de cárie  A técnica do ART está indicada para todos os tipos de cavidade, além de fóssulas e fissuras
  • 56.  Técnica bastante conservadora  A habilidade profissional também é um fator determinante para o sucesso
  • 57. “ A técnica do ART deve estar sempre associada a outros programas preventivos...” “ A técnica do ART deve estar sempre associada a outros programas preventivos...”