SlideShare uma empresa Scribd logo
TPC — Completa «Definição
telegráfica» de Crónica de D. João I.
O envio do trabalho de gravação (para
quem não o fez) tem de ser feito agora.
No filme O amor acontece
Em O amor acontece
Em «Do alvoroço que foi na cidade […]»
(Crónica de D. João I), Fernão Lopes…
No filme relata / diz
O filme diz / relata
No filme diz-se / relata-se
Do meu ponto de vista, acho que
A meu ver, considero que
Na minha opinião, penso que
Do meu ponto de vista, …
A meu ver, ….
Na minha opinião, …
Considero que …
Acho que ….
Penso que …
Repetir o que se ouviu informalmente ou o
que estava nos textos ou nas folhas —
não era para tratar das alusões aos
portugueses nas duas obras; era para
aludir às duas obras (logo, referi-las
apenas de passagem).
Ter ideias; pensar.
Critérios para distinguir funções sintáticas
O SUJEITO concorda com o verbo. Se
experimentarmos alterar o número ou
pessoa do sujeito, isso refletir-se-á no
verbo que é núcleo do predicado:
Caiu a cadeira. → Caíram as cadeiras
(Para se confirmar que «a cadeira» não é aqui o
complemento direto: → *Caiu-a.)
O PREDICADO pode ser identificado se
se acrescentar «e» + grupo nominal +
«também» (ou «também não») à oração:
O Egas partiu para o Dubai. →
O Egas partiu para o Dubai e o Sancho
também (também partiu para o Dubai).
O VOCATIVO distingue-se do sujeito
porque fica isolado por vírgulas e não é
com ele que o verbo concorda. Antepor-
lhe um «ó» pode confirmar que se trata de
vocativo.
Tu, Rosa, não percebes nada disto! →
Tu, ó Rosa, não percebes nada disto!
Para distinguir o MODIFICADOR DE
FRASE do modificador do grupo verbal,
pode ver-se que as construções que
ponho à direita (a interrogar ou a negar)
são possíveis com o modificador do grupo
verbal mas não com o advérbio que incide
sobre toda a frase.
Evidentemente, a Uber tem razão. →
*É evidentemente que a Uber tem razão?
Talvez Portugal ganhe. → *Não talvez Portugal
ganhe.
Com um modificador de grupo verbal o resultado
seria gramatical:
Ele come alarvemente. → É alarvemente que ele come?
O COMPLEMENTO DIRETO é substituível
pelo pronome «o» («a», «os», «as»):
Dei mil doces ao diabético. → Dei-os ao
diabético.
O COMPLEMENTO INDIRETO, introduzido
pela preposição «a», é substituível por
«lhe»:
Ofereci uma sopa de nabiças ao arrumador. →
Ofereci-lhe uma sopa de nabiças.
O COMPLEMENTO OBLÍQUO, e mesmo
quando usa a preposição «a» (uma das
várias que o podem acompanhar), nunca
é substituível por «lhe»:
Assistiu ao jogo contra as Ilhas Faroé. →
*Assistiu-lhe.
Para identificarmos um MODIFICADOR DO
GRUPO VERBAL, podemos fazer a pergunta
«O que fez [sujeito] + [modificador]?» e tudo
soará gramatical:
Marcelo fez um discurso na segunda-feira.
Que fez Marcelo na segunda-feira? Fez um
discurso.
Se se tratar de um complemento oblíquo, o resultado
já será agramatical:
Dona Dolores foi à Madeira.
*Que fez Dona Dolores à Madeira? Foi.
O COMPLEMENTO AGENTE DA PASSIVA
começa com a preposição «por»,
precedida por verbo na passiva, e
podemos adotá-lo como sujeito da mesma
frase na voz ativa:
A casa foi comprada por Monica Bellucci. →
Monica Bellucci comprou a casa.
As joias de Kim foram roubadas pelos ladrões.
→ Os ladrões roubaram as joias de Kim.
O PREDICATIVO DO SUJEITO é uma
função sintática associada a verbos
copulativos (como «ser», «estar»,
«parecer», «ficar», «permanecer»,
«continuar», mas também «tornar-se»,
«revelar-se», «manter-se», etc.). Atribui
uma qualidade ao sujeito ou localiza-o
no tempo ou no espaço.
Os taxistas andam revoltados.
A Violeta está em casa.
O PREDICATIVO DO COMPLEMENTO DIRETO é
uma função sintática associada a verbos
transitivos-predicativos (como «achar»,
«considerar», «eleger», «nomear», «designar» e
poucos mais), os que selecionam um
complemento direto e, ao mesmo tempo, lhe
atribuem uma qualidade / característica.
A ONU elegeu Guterres secretário-geral.
(Para confirmar que «Guterres» é o complemento direto e
«secretário-geral», o predicativo do complemento direto: →
A ONU elegeu-o secretário-geral.)
Eles deixaram a porta aberta. (→ Eles deixaram-na
aberta.)
O COMPLEMENTO DO NOME, quando tem
a forma de grupo preposicional, é selecio-
nado pelo nome (ou seja, é obrigatório,
mesmo se, em alguns casos, possa ficar
apenas implícito). Os nomes que selecio-
nam complemento são muitas vezes deri-
vados de verbos.
A absolvição do réu desagradou-me. (Seria
aceitável «A absolvição desagradou-me» num
contexto em que a referência ao absolvido
ficasse implícita.)
A necessidade de estudar gramática é uma
balela. (*A necessidade é uma balela.)
Quando tem a forma de grupo adjetival, o
complemento do nome constitui uma
unidade com o nome, ficando tão
intimamente ligado a ele, que, na sua
ausência, aquele parece ter já outro
sentido. (Reconheça-se que estes casos
não são fáceis de distinguir de certos
modificadores restritivos do nome.)
A previsão meteorológica falhou.
Os conhecimentos informáticos são úteis.
O MODIFICADOR RESTRITIVO DO NOME
restringe a realidade que refere, mas não é
selecionado pelo nome (não é «obrigató-
rio»).
Comprei o casaco azul.
Cão que ladra não morde.
O MODIFICADOR APOSITIVO DO NOME,
sempre isolado por vírgulas, travessões
ou parênteses, não restringe a realidade a
que se refere nem é selecionado pelo
nome (a sua falta não prejudicaria o
sentido da frase).
O filme de que te falei, Birdman, está a acabar.
O Renato Alexandre, que é amigo do seu
amigo, conhece o Busto.
O COMPLEMENTO DO ADJETIVO é
selecionado por um adjetivo (embora seja,
frequentemente, opcional).
Ela ficou radiante com os presentes. (Ela
ficou radiante.)
Isso é passível de pena máxima. (*Isso é
passível.)
Ver na p. 325 as listas de verbos que
selecionam complemento oblíquo,
predicativo do sujeito, predicativo do
complemento direto
Alguns verbos que selecionam
complemento oblíquo
Gostar de
Ir a / para
Vir de
Insistir em
Entrar em
Desistir de
Aludir a
Chegar a
…
Verbos copulativos (os que pedem
predicativo do sujeito)
Ser
Estar
Parecer
Ficar
Continuar
Permanecer
Tornar-se
Revelar-se
Verbos transitivos predicativos (os que
pedem predicativo do complemento direto)
Eleger
Achar
Designar
Declarar
Considerar
Julgar
Ter por
…
Moras em Cabul?
complemento oblíquo
Que fazes em Cabul? *Moro.
Os estores da minha casa foram
estragados pela ventania.
agente da passiva
[Ativa:] A ventania estragou os estores
da minha casa.
Em Miranda do Douro come-se boa
carne.
modificador
Que se faz em Miranda do Douro?
Come--se boa carne.
O Salvador é o último português sem
telemóvel.
predicativo do sujeito
Comi anteontem uma costeleta de gato
excelente.
Modificador do grupo verbal
Que fizeste anteontem? Comi uma
costeleta de gato excelente.
O Alípio foi ali e já vem.
complemento oblíquo
Que fez o Alípio ali? *Foi.
Iracema mentiu a Adalberto.
complemento indireto
Iracema mentiu-lhe.
Na livraria vendem carapaus.
complemento direto
Na livraria vendem-nos.
vendem + os
vendem-nos
dão + a
dão-na
faz+os = fá-los
pus + o = pu-lo
cantar + as = cantá-las
Ontem passei por ela.
complemento oblíquo
* Que fizeste por ela? Passei.
Regressaste da Líbia.
complemento oblíquo
* Que fizeste da Líbia? Regressei.
 
O Ulisses põe o livro na estante.
complemento oblíquo
*Que faz o Ulisses na estante? Põe o livro.
Todas estas funções (complementos
direto, indireto, oblíquo, agente da pas-
siva, predicativos do sujeito e do comple-
mento direto, modificador do grupo
verbal) integram o Predicado.
 
Sinto-o nos meus dedos,
Sinto-o nos meus pés,
o = complemento direto (cujo referente são
os versos 4-7; trata-se, portanto de uma
catáfora).
Ø Sinto-o nos meus dedos,
Ø Sinto-o nos meus pés,
[eu] (subentendido) = sujeito
O amor anda à minha volta,
à minha volta = complemento oblíquo
O Natal está à minha volta,
à minha volta = predicativo do sujeito
E o sentimento cresce,
o sentimento = sujeito
E o sentimento cresce,
cresce = predicado
Está escrito no vento,
escrito no vento = predicativo do sujeito
Está onde quer que vá.
Está onde quer que vá = predicado
Por isso, se gostam do Natal,
do Natal = complemento oblíquo
Ø Deixem nevar.
[vocês] (subentendido) = sujeito
ensina + empolga = ensolga
nutracêutico
nutracêutico
nutrição + farmacêutico
Conheces as reportagens que são
incluídas em telejornais ou programas de
informação. A jornalista faz introdução
(descreve o contexto), depois ouve uns
populares ou uns especialistas, volta a
sintetizar, pode até dialogar com o pivô no
estúdio, etc.
Escreve um desses diretos, no
momento do cerco de Lisboa, baseando-te
no texto de Fernão Lopes (pp. 90-92), mas
criando também parte do contexto.
Construção da intriga
(organização das sequências
narrativas)
• por encadeamento
• por encaixe
• por alternância
TPC — Lê as páginas sobre ‘Funções
sintáticas’ que estão copiadas em Gaveta
de Nuvens. Talvez possas ler sobretudo as
das funções sintáticas ao nível da frase
(sujeito, predicado, vocativo, modificador
de frase) e as internas ao grupo verbal
(complementos direto, indireto, oblíquo,
agente da passiva, predicativo do sujeito,
modificador do verbo; há ainda o
predicativo do complemento direto, que
daremos brevemente).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slide 05 grafia e acentuação
Slide 05 grafia e acentuaçãoSlide 05 grafia e acentuação
Slide 05 grafia e acentuação
Nilberte
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
luisprista
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 45-46
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 45-46Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 45-46
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 45-46
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 87-88
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 87-88Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 87-88
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 87-88
luisprista
 
Gramática aula 16 - colocação pronominal
Gramática   aula 16 - colocação pronominalGramática   aula 16 - colocação pronominal
Gramática aula 16 - colocação pronominal
mfmpafatima
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 44
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 44Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 44
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 44
luisprista
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 49-50
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 49-50Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 49-50
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 49-50
luisprista
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
luisprista
 
Pronomes demonstrativos
Pronomes demonstrativosPronomes demonstrativos
Pronomes demonstrativos
Ana Castro
 
A crase
A craseA crase
A crase
Roberto Luiz
 
Acentuacao grafica
Acentuacao graficaAcentuacao grafica
Acentuacao grafica
Dai Novaes
 
Gramatica completa
Gramatica completaGramatica completa
Gramatica completa
Claudio Bertode
 
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográficoAtividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
anne carolyne
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 41
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 41Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 41
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 41
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 6
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 6Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 6
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 6
luisprista
 
Crase
CraseCrase
Crase
CrisBiagio
 
Homônimos
HomônimosHomônimos
Homônimos
Sônia Marques
 
Figuras e vícios de linguagem
Figuras e vícios de linguagemFiguras e vícios de linguagem
Figuras e vícios de linguagem
Seduc/AM
 
ColocaçãO Pronominal
ColocaçãO PronominalColocaçãO Pronominal
ColocaçãO Pronominal
guest0cbfe
 

Mais procurados (20)

Slide 05 grafia e acentuação
Slide 05 grafia e acentuaçãoSlide 05 grafia e acentuação
Slide 05 grafia e acentuação
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 45-46
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 45-46Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 45-46
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 45-46
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 87-88
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 87-88Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 87-88
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 87-88
 
Gramática aula 16 - colocação pronominal
Gramática   aula 16 - colocação pronominalGramática   aula 16 - colocação pronominal
Gramática aula 16 - colocação pronominal
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 44
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 44Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 44
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 44
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 49-50
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 49-50Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 49-50
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 49-50
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 48
 
Pronomes demonstrativos
Pronomes demonstrativosPronomes demonstrativos
Pronomes demonstrativos
 
A crase
A craseA crase
A crase
 
Acentuacao grafica
Acentuacao graficaAcentuacao grafica
Acentuacao grafica
 
Gramatica completa
Gramatica completaGramatica completa
Gramatica completa
 
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográficoAtividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
Atividade sobre acentuação gráfica e o novo acordo ortográfico
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 41
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 41Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 41
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 41
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 6
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 6Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 6
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 6
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Homônimos
HomônimosHomônimos
Homônimos
 
Figuras e vícios de linguagem
Figuras e vícios de linguagemFiguras e vícios de linguagem
Figuras e vícios de linguagem
 
ColocaçãO Pronominal
ColocaçãO PronominalColocaçãO Pronominal
ColocaçãO Pronominal
 

Semelhante a Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58

Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
luisprista
 
Verbos 2
Verbos 2Verbos 2
Verbos 2
Aportuguesando
 
grupo 6 (2).pptx
grupo 6 (2).pptxgrupo 6 (2).pptx
grupo 6 (2).pptx
FrankilsonCarvalhoda
 
Portugues para concursos
Portugues para concursosPortugues para concursos
Portugues para concursos
Adail Silva
 
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Valdimiro Cardoso
 
Sujeito e predicado completo e atividades
Sujeito e predicado completo e atividadesSujeito e predicado completo e atividades
Sujeito e predicado completo e atividades
Sandra Paula
 
grupo 6.pptx
grupo 6.pptxgrupo 6.pptx
grupo 6.pptx
DeuseCoelho1
 
Análise do período simples
Análise do período simplesAnálise do período simples
Análise do período simples
Faell Vasconcelos
 
Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.
Carolina Loçasso Pereira
 
Slide tópicos de linguagem e uso porquês
Slide tópicos de linguagem e uso porquêsSlide tópicos de linguagem e uso porquês
Slide tópicos de linguagem e uso porquês
Jomari
 
Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbal
Rebeca Kaus
 
Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbal
Rebeca Kaus
 
Estrutura da língua - discurso direto e indireto
Estrutura da língua - discurso direto e indiretoEstrutura da língua - discurso direto e indireto
Estrutura da língua - discurso direto e indireto
Carlos Gomes
 
Classes de palavras
Classes de palavrasClasses de palavras
Classes de palavras
Manuel Nunes Correia
 
Resumo de portugues
Resumo de portuguesResumo de portugues
Resumo de portugues
Rita Pereira
 
8_ Aula de advérbios (1).pptx
8_ Aula de advérbios (1).pptx8_ Aula de advérbios (1).pptx
8_ Aula de advérbios (1).pptx
tatianesouza923757
 
Funcoessintaticas
FuncoessintaticasFuncoessintaticas
Funcoessintaticas
Aline Castro
 
As palavras que e se
As palavras que e seAs palavras que e se
As palavras que e se
catarinodilson
 
Trabalho de inglês
Trabalho de inglêsTrabalho de inglês
Trabalho de inglês
Jorge Stewart Domingos
 
Substantivo 6
Substantivo 6Substantivo 6
Substantivo 6
Karla Costa
 

Semelhante a Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58 (20)

Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
 
Verbos 2
Verbos 2Verbos 2
Verbos 2
 
grupo 6 (2).pptx
grupo 6 (2).pptxgrupo 6 (2).pptx
grupo 6 (2).pptx
 
Portugues para concursos
Portugues para concursosPortugues para concursos
Portugues para concursos
 
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
Verbos e-vozes-verbais-ii2610201119519
 
Sujeito e predicado completo e atividades
Sujeito e predicado completo e atividadesSujeito e predicado completo e atividades
Sujeito e predicado completo e atividades
 
grupo 6.pptx
grupo 6.pptxgrupo 6.pptx
grupo 6.pptx
 
Análise do período simples
Análise do período simplesAnálise do período simples
Análise do período simples
 
Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.
 
Slide tópicos de linguagem e uso porquês
Slide tópicos de linguagem e uso porquêsSlide tópicos de linguagem e uso porquês
Slide tópicos de linguagem e uso porquês
 
Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbal
 
Apostila regencia verbal
Apostila regencia verbalApostila regencia verbal
Apostila regencia verbal
 
Estrutura da língua - discurso direto e indireto
Estrutura da língua - discurso direto e indiretoEstrutura da língua - discurso direto e indireto
Estrutura da língua - discurso direto e indireto
 
Classes de palavras
Classes de palavrasClasses de palavras
Classes de palavras
 
Resumo de portugues
Resumo de portuguesResumo de portugues
Resumo de portugues
 
8_ Aula de advérbios (1).pptx
8_ Aula de advérbios (1).pptx8_ Aula de advérbios (1).pptx
8_ Aula de advérbios (1).pptx
 
Funcoessintaticas
FuncoessintaticasFuncoessintaticas
Funcoessintaticas
 
As palavras que e se
As palavras que e seAs palavras que e se
As palavras que e se
 
Trabalho de inglês
Trabalho de inglêsTrabalho de inglês
Trabalho de inglês
 
Substantivo 6
Substantivo 6Substantivo 6
Substantivo 6
 

Mais de luisprista

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
luisprista
 

Mais de luisprista (20)

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 73-74
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 71-72
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 69-70
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 67-68
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 65-66
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 61-62
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 63-64
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 59-60
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 55-56
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 53-54
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 49-50
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 51-52
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 47-48
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 45-46
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 43-44
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 37-38
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 39-40
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 33-34
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 31-32
 

Último

12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 

Último (20)

12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 57-58

  • 1.
  • 2. TPC — Completa «Definição telegráfica» de Crónica de D. João I.
  • 3. O envio do trabalho de gravação (para quem não o fez) tem de ser feito agora.
  • 4. No filme O amor acontece Em O amor acontece Em «Do alvoroço que foi na cidade […]» (Crónica de D. João I), Fernão Lopes…
  • 5. No filme relata / diz O filme diz / relata No filme diz-se / relata-se
  • 6. Do meu ponto de vista, acho que A meu ver, considero que Na minha opinião, penso que Do meu ponto de vista, … A meu ver, …. Na minha opinião, … Considero que … Acho que …. Penso que …
  • 7. Repetir o que se ouviu informalmente ou o que estava nos textos ou nas folhas — não era para tratar das alusões aos portugueses nas duas obras; era para aludir às duas obras (logo, referi-las apenas de passagem). Ter ideias; pensar.
  • 8.
  • 9. Critérios para distinguir funções sintáticas
  • 10. O SUJEITO concorda com o verbo. Se experimentarmos alterar o número ou pessoa do sujeito, isso refletir-se-á no verbo que é núcleo do predicado: Caiu a cadeira. → Caíram as cadeiras (Para se confirmar que «a cadeira» não é aqui o complemento direto: → *Caiu-a.)
  • 11. O PREDICADO pode ser identificado se se acrescentar «e» + grupo nominal + «também» (ou «também não») à oração: O Egas partiu para o Dubai. → O Egas partiu para o Dubai e o Sancho também (também partiu para o Dubai).
  • 12. O VOCATIVO distingue-se do sujeito porque fica isolado por vírgulas e não é com ele que o verbo concorda. Antepor- lhe um «ó» pode confirmar que se trata de vocativo. Tu, Rosa, não percebes nada disto! → Tu, ó Rosa, não percebes nada disto!
  • 13. Para distinguir o MODIFICADOR DE FRASE do modificador do grupo verbal, pode ver-se que as construções que ponho à direita (a interrogar ou a negar) são possíveis com o modificador do grupo verbal mas não com o advérbio que incide sobre toda a frase. Evidentemente, a Uber tem razão. → *É evidentemente que a Uber tem razão? Talvez Portugal ganhe. → *Não talvez Portugal ganhe. Com um modificador de grupo verbal o resultado seria gramatical: Ele come alarvemente. → É alarvemente que ele come?
  • 14. O COMPLEMENTO DIRETO é substituível pelo pronome «o» («a», «os», «as»): Dei mil doces ao diabético. → Dei-os ao diabético.
  • 15. O COMPLEMENTO INDIRETO, introduzido pela preposição «a», é substituível por «lhe»: Ofereci uma sopa de nabiças ao arrumador. → Ofereci-lhe uma sopa de nabiças.
  • 16. O COMPLEMENTO OBLÍQUO, e mesmo quando usa a preposição «a» (uma das várias que o podem acompanhar), nunca é substituível por «lhe»: Assistiu ao jogo contra as Ilhas Faroé. → *Assistiu-lhe.
  • 17. Para identificarmos um MODIFICADOR DO GRUPO VERBAL, podemos fazer a pergunta «O que fez [sujeito] + [modificador]?» e tudo soará gramatical: Marcelo fez um discurso na segunda-feira. Que fez Marcelo na segunda-feira? Fez um discurso. Se se tratar de um complemento oblíquo, o resultado já será agramatical: Dona Dolores foi à Madeira. *Que fez Dona Dolores à Madeira? Foi.
  • 18. O COMPLEMENTO AGENTE DA PASSIVA começa com a preposição «por», precedida por verbo na passiva, e podemos adotá-lo como sujeito da mesma frase na voz ativa: A casa foi comprada por Monica Bellucci. → Monica Bellucci comprou a casa. As joias de Kim foram roubadas pelos ladrões. → Os ladrões roubaram as joias de Kim.
  • 19. O PREDICATIVO DO SUJEITO é uma função sintática associada a verbos copulativos (como «ser», «estar», «parecer», «ficar», «permanecer», «continuar», mas também «tornar-se», «revelar-se», «manter-se», etc.). Atribui uma qualidade ao sujeito ou localiza-o no tempo ou no espaço. Os taxistas andam revoltados. A Violeta está em casa.
  • 20. O PREDICATIVO DO COMPLEMENTO DIRETO é uma função sintática associada a verbos transitivos-predicativos (como «achar», «considerar», «eleger», «nomear», «designar» e poucos mais), os que selecionam um complemento direto e, ao mesmo tempo, lhe atribuem uma qualidade / característica. A ONU elegeu Guterres secretário-geral. (Para confirmar que «Guterres» é o complemento direto e «secretário-geral», o predicativo do complemento direto: → A ONU elegeu-o secretário-geral.) Eles deixaram a porta aberta. (→ Eles deixaram-na aberta.)
  • 21. O COMPLEMENTO DO NOME, quando tem a forma de grupo preposicional, é selecio- nado pelo nome (ou seja, é obrigatório, mesmo se, em alguns casos, possa ficar apenas implícito). Os nomes que selecio- nam complemento são muitas vezes deri- vados de verbos. A absolvição do réu desagradou-me. (Seria aceitável «A absolvição desagradou-me» num contexto em que a referência ao absolvido ficasse implícita.) A necessidade de estudar gramática é uma balela. (*A necessidade é uma balela.)
  • 22. Quando tem a forma de grupo adjetival, o complemento do nome constitui uma unidade com o nome, ficando tão intimamente ligado a ele, que, na sua ausência, aquele parece ter já outro sentido. (Reconheça-se que estes casos não são fáceis de distinguir de certos modificadores restritivos do nome.) A previsão meteorológica falhou. Os conhecimentos informáticos são úteis.
  • 23. O MODIFICADOR RESTRITIVO DO NOME restringe a realidade que refere, mas não é selecionado pelo nome (não é «obrigató- rio»). Comprei o casaco azul. Cão que ladra não morde.
  • 24. O MODIFICADOR APOSITIVO DO NOME, sempre isolado por vírgulas, travessões ou parênteses, não restringe a realidade a que se refere nem é selecionado pelo nome (a sua falta não prejudicaria o sentido da frase). O filme de que te falei, Birdman, está a acabar. O Renato Alexandre, que é amigo do seu amigo, conhece o Busto.
  • 25. O COMPLEMENTO DO ADJETIVO é selecionado por um adjetivo (embora seja, frequentemente, opcional). Ela ficou radiante com os presentes. (Ela ficou radiante.) Isso é passível de pena máxima. (*Isso é passível.)
  • 26. Ver na p. 325 as listas de verbos que selecionam complemento oblíquo, predicativo do sujeito, predicativo do complemento direto
  • 27. Alguns verbos que selecionam complemento oblíquo Gostar de Ir a / para Vir de Insistir em Entrar em Desistir de Aludir a Chegar a …
  • 28. Verbos copulativos (os que pedem predicativo do sujeito) Ser Estar Parecer Ficar Continuar Permanecer Tornar-se Revelar-se
  • 29. Verbos transitivos predicativos (os que pedem predicativo do complemento direto) Eleger Achar Designar Declarar Considerar Julgar Ter por …
  • 30.
  • 31. Moras em Cabul? complemento oblíquo Que fazes em Cabul? *Moro.
  • 32. Os estores da minha casa foram estragados pela ventania. agente da passiva [Ativa:] A ventania estragou os estores da minha casa.
  • 33. Em Miranda do Douro come-se boa carne. modificador Que se faz em Miranda do Douro? Come--se boa carne.
  • 34. O Salvador é o último português sem telemóvel. predicativo do sujeito
  • 35. Comi anteontem uma costeleta de gato excelente. Modificador do grupo verbal Que fizeste anteontem? Comi uma costeleta de gato excelente.
  • 36. O Alípio foi ali e já vem. complemento oblíquo Que fez o Alípio ali? *Foi.
  • 37. Iracema mentiu a Adalberto. complemento indireto Iracema mentiu-lhe.
  • 38. Na livraria vendem carapaus. complemento direto Na livraria vendem-nos.
  • 40. faz+os = fá-los pus + o = pu-lo cantar + as = cantá-las
  • 41. Ontem passei por ela. complemento oblíquo * Que fizeste por ela? Passei.
  • 42. Regressaste da Líbia. complemento oblíquo * Que fizeste da Líbia? Regressei.
  • 43.   O Ulisses põe o livro na estante. complemento oblíquo *Que faz o Ulisses na estante? Põe o livro.
  • 44. Todas estas funções (complementos direto, indireto, oblíquo, agente da pas- siva, predicativos do sujeito e do comple- mento direto, modificador do grupo verbal) integram o Predicado.  
  • 45.
  • 46.
  • 47. Sinto-o nos meus dedos, Sinto-o nos meus pés, o = complemento direto (cujo referente são os versos 4-7; trata-se, portanto de uma catáfora).
  • 48. Ø Sinto-o nos meus dedos, Ø Sinto-o nos meus pés, [eu] (subentendido) = sujeito
  • 49. O amor anda à minha volta, à minha volta = complemento oblíquo
  • 50. O Natal está à minha volta, à minha volta = predicativo do sujeito
  • 51. E o sentimento cresce, o sentimento = sujeito
  • 52. E o sentimento cresce, cresce = predicado
  • 53. Está escrito no vento, escrito no vento = predicativo do sujeito
  • 54. Está onde quer que vá. Está onde quer que vá = predicado
  • 55. Por isso, se gostam do Natal, do Natal = complemento oblíquo
  • 56. Ø Deixem nevar. [vocês] (subentendido) = sujeito
  • 57.
  • 58.
  • 59. ensina + empolga = ensolga
  • 61.
  • 62.
  • 64.
  • 65. Conheces as reportagens que são incluídas em telejornais ou programas de informação. A jornalista faz introdução (descreve o contexto), depois ouve uns populares ou uns especialistas, volta a sintetizar, pode até dialogar com o pivô no estúdio, etc. Escreve um desses diretos, no momento do cerco de Lisboa, baseando-te no texto de Fernão Lopes (pp. 90-92), mas criando também parte do contexto.
  • 66.
  • 67. Construção da intriga (organização das sequências narrativas) • por encadeamento • por encaixe • por alternância
  • 68.
  • 69.
  • 70.
  • 71.
  • 72.
  • 73.
  • 74. TPC — Lê as páginas sobre ‘Funções sintáticas’ que estão copiadas em Gaveta de Nuvens. Talvez possas ler sobretudo as das funções sintáticas ao nível da frase (sujeito, predicado, vocativo, modificador de frase) e as internas ao grupo verbal (complementos direto, indireto, oblíquo, agente da passiva, predicativo do sujeito, modificador do verbo; há ainda o predicativo do complemento direto, que daremos brevemente).