SlideShare uma empresa Scribd logo
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_ PROFªEVERALDINA
1
GRAMÁTICA
ANÁLISE SINTÁTICA
FRASE/ ORAÇÃO E PERIODO
1. Das frases abaixo relacionadas, indique as que contêm oração ou orações:
( ) Que noite linda!
( ) Lindas, as noites mineiras!
( ) Já estou aqui há dois meses.
( ) 0 filho compreendeu perfeitamente o olhar
do pai.
( ) Silêncio, hospital!
( ) A estrela ainda brilhava no céu.
2. Assinale as alternativas em que não há oração:
( ) Houve muita briga naquela festa.
( ) Socorro!
( ) Que horror!
( ) Ele não foi bem sucedido nos seus negócios.
( ) Rua contramão.
( ) Despediu-se dos amigos antes de viajar para
a Europa.
( ) Atenção, curva perigosa!
( ) Caixa Econômica Federal.
3. Indique se as frases abaixo contêm uma ou mais orações. Não se esqueça de primeiramente sublinhar os
verbos:
a) As velas são negras, negros os mastros, negra a tripulação.
b) Quem entra por aí, cai na escravidão.
c) As estrelas não eliminam a noite.
d) Olha-se para cima e vê-se o firmamento pálido.
e) A glória tinha sido fabricada pelo redator-chefe da revista e apoiava-se em murmurações.
SÍNTESE DE TERMOS DA ORAÇÃO
TEMOS
ESSENCIAIS
TERMOS INTEGRANTES TERMOS ACESSÓRIOS
SUJEITO COMPLEMENTO NOMINAL ADJUNTO ADNOMINAL
COMPLEMENTO verbal(
OBJETO DIRETO e OBJETO
INDIRETO) ADJUNTO ADVERBIAL
PREDICADO AGENTE DA PASSIVA APOSTO
PREDICATIVO DO sujeito e
predicativo do objeto
VOCATIVO
SUJEITO
É o termo da oração do qual se declara alguma coisa. Pode ser identificado através da pergunta "quem é
que"... (ou "que é que"...), feita antes do verbo da oração. O verbo concorda com o sujeito. Pode vir no
inicio, meio ou final da frase. Jamais separa-se o sujeito do predicado com vírgula.
Exemplo: No céu, um sol claro anuncia o verão.
Sujeito: um sol claro
Núcleo: sol
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_ PROFªEVERALDINA
2
ATIVIDADE
1.Nas orações abaixo, sublinhe com um traço o sujeito e com dois o predicado:
a) Não gastamos dinheiro em coisas supérfluas.
b) Contaram-me um fato espantoso.
c) Na praia fazia muito calor.
d) Chegou atrasado no ginásio o ônibus escolar.
e) Alugam-se chalés nesta praia, para o período de férias.
f) Havia cavalos, cabritos e patos no sítio do meu vizinho.
g) À entrada da casa de meus avós, existiam mangueiras, pitangueiras e bananeiras
2. Leia as orações e separe o sujeito do predicado. Observe o exemplo.
O Brasil possui muitos ritmos musicais.
Sujeito: O Brasil
Predicado: possui ritmos musicais.
a) Minha turma apresentará uma dança regional.
Sujeito: ________________________________________
Predicado: _____________________________________
b) Serão inesquecíveis aqueles dias.
Sujeito: ______________________________________
Predicado: ____________________________________
c) Nós tivemos uma surpresa durante o passeio.
Sujeito: ____________________________________
Predicado: __________________________________
______________________________________________________________________________________
Classificação do sujeito:
I. Simples: tem um único núcleo.
Exemplos: O velho navio aproximava-se do cais/ Ele aproximava-se do cais.
II. Composto: tem dois ou mais núcleos
Exemplo: As ruas e as praças estão vazias.
III. Oculto, elíptico ou desinencial: o sujeito pode ser identificado pela desinência do verbo ou pelo
contexto em que aparece. Aparece sempre com as pessoas: eu, tu, ele, nós, vós.
Exemplo: Voltarás para casa (sujeito: tu)
IV. Indeterminado: Quando não é possível determinar o sujeito.
1º ) CASO►Com verbos na 3ª pessoa do plural sem referência a elemento anterior. Aparece sempre com a
pessoa eles.
Exemplo: Atualmente, espalham muitos boatos.
2º ) CASO►Com verbo na 3ª pessoa do singular + se + preposição( A, À, DE, DA, D0, COM, SEM,
PARA, POR, ENTRE, PERANTE...)
Exemplo: Precisou-se de novos professores.
3º ) CASO► Com verbo intransitivo + se+ advérbio : modo( bem, mal..),negação( não...), lugar(aqui),
dúvida( talvez...), tempo ( hoje...) etc.)
Exemplo: Come-se bem naquela cidade
Orações sem sujeito:
I. Verbo haver significando existir, acontecer e indicando tempo passado.
Exemplos: Aqui já houve grandes festas( acontecer)/ havia pessoas na fila( existir)/ Há tempos que não o
vejo( tempo passado)
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_ PROFªEVERALDINA
3
II. Verbo ser indicando tempo, horas, datas e distâncias.
tempo► Amanhã faz dez anos que ele partiu./ É primavera
Horas► ao indicar tempo, o verbo ser varia de acordo com a expressão numérica que o acompanha. (É
uma hora/ São nove horas)/
Datas► Hoje é (ou são) 15 de março. (Data)
Obs.: ao indicar data, o verbo ser poderá ficar no singular, subentendendo-se a palavra dia .
Distancia► São duas quadras da minha casa a sua ( concorda como o número a que se refere)
III. Verbos indicativos de fenômenos da natureza.
Exemplo: Ontem à tarde, ventou muito aqui.
______________________________________________________________________________________
ATIVIDADES
1. Durante a produção de um texto, o sujeito desinencial pode ser empregado para evitar repetições
desnecessárias de um mesmo sujeito e, consequentemente, deixá-lo mais bem escrito. O texto a seguir, por
exemplo, foi propositadamente escrito sem nenhum sujeito desinencial. Leia-o e constate como isso o torna
cansativo.
Eu e meus primos moramos em um sítio. Nós gostamos muito de viver em contato com a natureza. Todos
os dias, eu e meus primos levantamos bem cedo e nós cuidamos dos animais. Meu pai costuma dizer que
os animais merecem a nossa atenção e carinho. Eu acho que ele tem toda a razão. Afinal, todos nós
sabemos da importância de cada um deles em nossa vida. Depois de nós tratarmos dos animais, eu e meus
primos realizamos as outras tarefas diárias. Ao final do dia, eu e meus primos nos reunimos na varanda
para nós conversarmos sobre os mais diversos assuntos. Eu acho que nós temos uma bela amizade.
Agora, reescreva esse texto, transformando alguns sujeitos explícitos em sujeitos desinenciais. Para isso,
faça nele as adequações que achar necessárias.( CADERNO)
2. Associe:
a) sujeito simples; b) sujeito desinencial; c) sujeito inexistente ou oração sem sujeito;
d) sujeito composto; e) sujeito indeterminado.
( ) Os homens destroem a natureza.
( )Tanto os cientistas quanto os religiosos estão temerosos.
( ) Deixaram uma bomba na casa do deputado.
( ) Havia formigas na casa.
( ) Nevou muito este ano em Nova Iorque.
( ) Ela falou tanto de você.
( ) Faz um calor insuportável.
( ) Vivemos felizes.
( ) Antes de iniciar este livro, imaginei construí-lo pela divisão do trabalho
( ) Quebraram a vidraça.
( ) Ouviu-se por toda a sala um oh! de decepção.
( ) Aspirava-se a uma vida melhor naquela época.
( ) Conquistou-se uma boa posição social.
( ) Admira-se a obra prima de A S. Galvão.
3. Quando o sujeito não está explícito na oração e não pode ser identificado pela terminação do
verbo ou pelo sentido do texto em que está inserido, é classificado como um sujeito:
( ) simples ( ) composto ( ) indeterminado ( ) oração sem sujeit
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
4
4. Como já vimos, o sujeito indeterminado pode ser utilizado quando não podemos, por algum
motivo, definir quem praticou uma certa ação. Imagine a seguinte situação.
a) Ana e Rogério disseram a mãe: Mãe, quebraram a janela? Qual foi a intenção de Ana e Rogério ao
utilizarem um sujeito indeterminado para comunicar à mãe o acontecido?
_____________________________________________________________________________
b) Agora crie uma situação em que um sujeito indeterminado seja também empregado com a
intenção de omitir o responsável por um acontecimento desagradável.
_____________________________________________________________________________
5.Classifique os sujeitos das orações abaixo em simples ou composto.
a) Com carinho, os pais consolaram o filho.
_______________________________________________________________________
b) Estavam tristes o menino e o amigo.
________________________________________________________________________
c) A mãe e o pai lamentaram o acontecimento._________________________________
d) Todos sofreram muito. ___________________________________________________
6. Separe as orações abaixo em sujeito e predicado. Identifique o núcleo do sujeito.
a) Ela e eu gostamos muito de estudar sobre o folclore.
b) Muitas plantas servem como medicamento.
c) Você utiliza plantas como medicamento?
d) Ana, Marta e Marcelo fazem peças artesanais com cerâmica.
e) As duas meninas foram à feira de artesanato.
f) As festas populares são bastante animadas.
7. Encontre o sujeito das orações abaixo. Faça como o modelo:
O garoto ganhou vários presentes.
Quem ganhou vários presentes? O garoto. (sujeito)
a) A telefonista foi muito atenciosa.
b) O ônibus está lotado. c) Partiu o último trem.
d) A miséria produz a violência. e) Tio Severino falava difícil.
8. Sublinhe o sujeito das orações e classifique-os em simples, composto, oculto, indeterminado ou oração
sem sujeito:
a) Os trabalhadores desempregados concentraram-se diante da Prefeitura.
b) As garotas discutiram o texto animadamente.
c) Estiveram aqui alguns repórteres.
d) O robô virou uma grande atração.
e) Os automóveis paravam na esquina.
f) Disciplinados pedestres cruzavam a movimentada avenida.
g) Aumentavam da noite para o dia os barracos.
h) Os moradores querem um semáforo no cruzamento.
i) Voou agora o último pássaro preso.
j) Viajaram ontem nossos atletas.
k) O cadeado deste portão está com defeito.
l) O leite materno é importante nos primeiros meses da criança.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
5
ATIVIDADE DE REVISÃO
O PROBLEMA NÃO É COMPRAR
A jornalista americana Alissa Quart, autora de um livro sobre hábitos de compra dos adolescentes,
fala do consumismo juvenil
Veja – O jovem é um consumista?
Alissa Quart – Todo mundo é consumista, em maior ou menor grau, adultos ou adolescentes. Em 2001, os
jovens gastaram 155 bilhões de dólares nos Estados Unidos. Em média, o adolescente americano gasta 60
dólares por semana do próprio dinheiro. Apenas 56% desse valor vem da mesada dos pais. O restante ele
ganha sozinho, normalmente trabalhando em empregos de meio período.
Veja – Por que os jovens estão comprando produtos de luxo?
Alissa – Porque nos últimos anos as empresas adotaram a estratégia de direcionar esses produtos para os
jovens. Esse avanço foi influenciado pelo estilo de vida dos astros de rap e hip hop, que valorizam esses
produtos em sua música e em sua vida pessoal. Marcas caras, como Louis Vuitton, tornaram-se símbolos de
cultura popular. O interesse por esses símbolos de status também cresceu bastante entre os adultos e, por
conseqüência, entre seus filhos.
Veja – Por que os pais não tentam barrar essa avalanche de consumismo juvenil?
Alissa – Porque o consumismo não é considerado um problema. O que preocupa é se as filhas vão
engravidar ou se os filhos vão se viciar em crack. Nesse contexto, consumir é inofensivo. O consumo é visto
como uma conquista do adolescente, sua primeira inserção no mundo adulto. Os pais dão mesadas aos filhos
como uma preparação para a responsabilidade de ter o próprio dinheiro. Na verdade, o consumismo só se
torna realmente perigoso quando assume proporções exageradas.
Veja – Como mostrar a um adolescente que um produto de luxo que ele deseja comprar está fora da
realidade?
Alissa – Pais e filhos deveriam tentar um olhar crítico em relação à mídia e à publicidade. Não é fácil, pois o
marketing moderno utiliza-se de técnicas sutis para atingir os jovens. É comum nos Estados Unidos
"infiltrar" num shopping center adolescentes usando marcas de grife. A idéia é estimular seus amigos a
comprar aqueles produtos. Os pais não devem apenas dizer não. Precisam também estar atentos às técnicas
para induzir as compras.
http://veja.abril.com.br/especiais/jovens_2003/p_080.html
1ª) Segundo a entrevistada Allissa Quart, os jovens estão comprando produtos de luxo por quê?
a) Por que os pais não tem um olhar um olhar crítico em relação à mídia e à publicidade.
b) Porque o consumismo não é considerado um problema.
c) O consumo é visto como uma conquista do adolescente, sua primeira inserção no mundo adulto.
d) Porque nos últimos anos as empresas adotaram a estratégia de direcionar esses produtos para os jovens.
2ª) Segundo a entrevistada Allissa Quart, quem pode ser considerado consumista?
a) Apenas os jovens, pois adoram comprar.
b) Apenas os adultos, pois tem um poder aquisitivo elevado.
c) Todas as pessoas são consumistas em maior ou menor grau.
d) Apenas crianças e jovens.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
6
3ª) É incorreto afirmar em relação à entrevista que:
a) O consumismo não é considerado um problema, e sim uma conquista do adolescente, sua primeira
inserção no mundo adulto.
b) Todo mundo é consumista, em maior ou menor grau, adultos ou adolescentes.
c) Os jovens estão comprando mais por que as empresas adotaram a estratégia de direcionar produtos para
os jovens.
d) O consumismo praticado pelos filhos deixam os pais preocupados.
4ª) Uma entrevista pode se concentrar na pessoa do entrevistado ou em um assunto, conteúdo específico
que o entrevistado domina. No caso da entrevista lida concentra-se na pessoa ou no conteúdo? Justifique.
___________________________________________________________________________________
5ª) Com base no que aprendeu , relacione as colunas.
(A) Toda oração tem... ( ) existem frases sem verbo , denominadas frases nominais .
(B) Frase é... ( ) tem sentido completo e apresenta um ou mais Verbos em sua estrutura.
(C) Todo período é frase Porque... ( ) um enunciado de sentido completo e que
estabelecem comunicação .
(D) Nem toda frase é um período Por que... ( ) um verbo e/ou locução verbal em sua construção.
6ª) Leia:
a) Qual é o sujeito e predicado da oração “Eu deveria ter feito aquela dieta”?
___________________________________________________________________________________
b) Esta oração é de ordem direta ou indireta?
___________________________________________________________________________________
7ª) Leia a tirinha:
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
7
a) Qual é o sujeito, o núcleo e o predicado da oração “Você é novo por aqui.”?
_________________________________________________________________________________
b) Classifique o sujeito da oração “acabei de me mudar”. Que palavra poderia ser colocada antes do
verbo? Reescreva a frase.
_________________________________________________________________________________
8ª) Leia a tira.
a)Por que Eddie Sortudo diz que o Rei não parece muito aborrecido com o roubo?
b) O sujeito da oração “Ele não parece muito aborrecido” pode ser classificado como:
( ) Sujeito determinado simples ( ) Sujeito determinado composto
( ) Sujeito determinado oculto ( ) Sujeito indeterminado
Leia o texto a seguir para responder a 9ª e 10ª questão.
9ª) Qual foi à intenção de Ana e
Rogério ao utilizarem um sujeito
indeterminado para comunicar à
mãe o acontecido? ( - Mamãe ,
quebraram o seu vasinho de
cristal” )
____________________________
____________________________
____________________________
10ª) Qual o tipo de sujeito da
oração “ Ana e Rogério estão na
sala de sua casa fazendo uma
guerra de almofadas”.
( ) Sujeito determinado simples
( ) Sujeito determinado
composto
( ) Sujeito determinado oculto
( ) Sujeito indeterminado
_______________________________________________________________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
8
PREDICADO
É tudo que se diz do sujeito. (Retirando o sujeito, o que fica na oração é o Predicado.)
ATIVIDADE
1. Das frases abaixo, sublinhe o predicado e circule os núcleos
a) Era grande a alegria da criançada diante da notícia do passeio.
b) Sorriu o filho, nós também sorrimos, e tudo acabou em pura galhofa.
c) Fernanda estava serena e risonha.
d) Os dois foram aprovados no vestibular.
e) Quem ama o raro e o difícil?
f) Eles gostam das flores do campo.
g) Esta ficou espantada, sem palavras.
2. Preencha os parênteses, sendo: ( 1 ) predicado verbal; (2) predicado nominal; (3) predicado
verbo-nominal.
( ) 0 mau aluno está sempre desatento.
( ) A criança adoentada está em minha casa.
( ) A canoa virou de repente.
( ) Os desordeiros viraram a mesa enfurecidos.
( ) A lagarta virou borboleta.
( ) Considerei apenas o estilo.
( ) Todos o consideravam capaz de tamanho empreendimento.
( ) Andaram de carro por toda a Europa.
( ) Andavam preocupados com a notícia.
( ) Andavam pela cidade temerosos.
3. Separe o sujeito do predicado e, em seguida, retire os respectivos núcleos:
a) Na selva todos os animais respeitam o leão.
sujeito: núcleo:
predicado: núcleo:
b) Os advogados do réu usaram de todos os meios possíveis.
sujeito: núcleo:
predicado: núcleo:
c) Depuseram na Delegacia várias testemunhas a favor do acusado.
sujeito: núcleo:
predicado: núcleo:
d) Ganhaste a fama de valente.
sujeito: núcleo:
predicado: núcleo:
e) No segundo semestre, recuperaram o tempo perdido professores e alunos.
sujeito: núcleos:
predicado: núcleo:
f) São personagens de Machado de Assis Capitu e Bentinho.
sujeito: núcleos:
predicado: núcleo:
_______________________________________________________________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
9
I. Predicado verbal:
Apresenta verbos significativos( verbos de ação) . Apresenta um complemento verbal ou nominal. O núcleo
é o verbo.
Exemplo: Eles passeavam na praça.
II. Predicado nominal:
Apresenta verbos de ligação( ser, estar, ficar, viver, virar, tornar-se, continuar, permanecer
III. Predicado verbo-nominal:
Apresenta verbo significativo ( verbos de ação)
Apresenta predicativo (do sujeito ou de objeto)
Dois núcleos: o verbo e o predicativo.
Exemplos: Eles invadiram furiosos a loja./ Todos consideram ruim o filme.
ATIVIDADE
1- Classifique os verbos quanto à predicação( VTD,VTI, VI, VL) , observando o contexto em que se
encontram.
a) O trabalho honesto também produz riqueza.
b) Pedestres assistiam à cena desesperados.
c) O fato pareceu estranho naquele momento.
d) Ofereceram um bela recepção para os noivos.
e) Sua proposta saiu vitoriosa.
f) Passeamos pela cidade pela manhã.
g) As minhas pernas ardiam por causa da
queimadura.
h)Trabalha-se muito durante o horário de verão.
i) Ele se desinteressou totalmente pela livro.
j) Aquele jovem adolescente anda muito isolado.
k) Muitos bancários não aderiram à greve.
l) Daremos um prêmio ao vencedor da gincana.
m) Não estou triste, minha filha!
n) Abra o embrulho com cuidado.
o) Infelizmente a noite não estava quente.
p) Pela primeira vez chorou de tristeza.
q) Não me viste, Alberto?
2. Distinga, nas orações abaixo, os verbos transitivos diretos dos transitivos indiretos:
a) Guardou a documentação no cofre-forte.
b) Demos-lhe a informação necessária.
c) Preciso de uma boa orientação.
d) Na biblioteca encontrei a primeira edição de uma obra rara.
e) Meu irmão respondeu com presteza à carta do seu amigo.
f) Cada um cuida de si.
3. Distinga, nas seguintes orações, ( 1 ) os verbos de ligação; 2 ) verbos significativos( verbo de ação) :
( ) A vida tornou-se difícil para ele.
( ) 0 empregado tornou à casa do patrão.
( ) Os foliões da Mangueira estão nas ruas.
( ) Os pescadores estão preocupados com o
tempo.
( ) 0 peão inexperiente caiu do cavalo.
( ) A professora caiu doente.
4. Distinga nas orações dos períodos abaixo os verbos intransitivos, transitivos diretos, transitivos indiretos
e, simultaneamente, transitivos diretos e indiretos:
a) Às onze horas, a sineta deu o sinal das aulas.
b) Os passageiros não lhe deram a devida atenção.
c) Infelizmente deram, mas não receberam.
d) Confie a Deus as minhas amarguras.
e) Não pude assistir à solenidade toda.
f) O doente foi bem assistido pelo médico de plantão.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
10
5. Sublinhe o predicado de cada oração e classifique-o em verbal ou nominal:
a) A brisa soprou do mar.
b) 0 nevoeiro cobriu toda a cidade.
c) Caiu um raio na porteira do curral.
d) Lia muito durante a noite.
e) Sempre lia romances policiais.
f) A cerca impediu a fuga do gado.
6. Indique se o predicado destas orações é (1) nominal; (2) verbal; (3) verbo-nominal, sublinhando o seu
núcleo ou núcleos:
( ) São frias as noites de junho.
( ) Elegeram-no representante da turma.
( ) A garotada corria no pátio da escola.
( ) Os trabalhadores chegaram da obra cansados.
( ) Durante os jogos do campeonato, as torcidas andaram entusiasma
( ) Apesar das promessas, a exposição não foi inaugurada.
______________________________________________________________________________________
Complementos verbais
I. Objeto direto: complemento de um verbo
a) Funciona como destinatário/receptor do processo verbal.
b) Completa o sentido do verbo transitivo direto
c) Pode ser trocado por o, as, os, as.
d) A oração admite voz passiva.
Exemplo: Muitas pessoas viram o acidente
II. Objeto indireto:
a) Funciona como destinatário/receptor do processo verbal.
b) Completa o sentido do verbo transitivo direto.
c) Apresenta-se sempre com preposição
d) A oração não admite voz passiva.
Exemplo: Todos discordam de você.
ATIVIDADE
1. Sublinhe com um traço o objeto direto e com dois o indireto:
a) Enviamos circulares a todos os chefes de seção.
b) Será conferido um prêmio aos vencedores da maratona.
c) Uma medalha de ouro destinamos ao campeão de natação.
d) 0 mágico tirava coelhos da cartola.
e) Lembre-se, nas situações difíceis, dos meus--conselhos.
f) Trago-lhe o meu abraço fraterno.
7. Complete, com a preposição conveniente, os objetos indiretos:
a) Recordo-me __os meus bons tempos.
b) Aspiramos __ uma vida melhor.
c) Insisto __este assunto.
d) Assistiremos __ um bom programa de TV.
e) Precisamos confiar mais __ Deus.
f) Ansiava ___ dias melhores.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
11
Temos relacionados ao verbo
I. Agente da passiva:
a) Pratica a ação verbal na voz passiva.
b) Corresponde ao sujeito da voz ativa.
c) Iniciado por preposição: por, pelo ou de.
Exemplo: O deputado foi vaiado pelos sem terra.
_______________________________________________________________________________________
ATIVIDADE
1-. Passe as frases abaixo para a voz passiva e circule o agente da passiva.
a)As meninas pediram a presença da diretora.
________________________________________
_
b) O médico cometeria um erro terrível.
________________________________________
c) Luzia ouviu o estrondo da bomba.
________________________________________
d) João trancou todos no quarto.
________________________________________
e) Todos leram o livro.
________________________________________
f) Marina rasgará a carta.
________________________________________
g) Minha vizinha comprará um televisor LCD.
________________________________________
h) Amélia contará muitas histórias.
________________________________________
_______________________
i)Juvenal pescou um peixe enorme.
________________________________________
j) Grandes poetas escrevem poemas deliciosos.
________________________________________
k) A chuvarada molhou as plantas novas.
________________________________________
l) A polícia florestal prendeu caçadores de jacaré.
________________________________________
m) O mecânico desmontou o motor do carro.
________________________________________
n) Os alunos liam textos agradáveis.
________________________________________
II. Adjunto adverbial:
a) Acrescenta ao verbo circunstâncias de tempo, lugar, modo, dúvida, causa, intensidade.
ATIVIDADE
1. Sublinhe os adjuntos adverbiais, classificando-os quanto à circunstância:
a) Atualmente os alunos lêem muito pouco.
b) De canoa, enfrentaram as corredeiras do rio São Francisco.
c) Não saíram por causa da chuva.
d) Talvez vá a São Paulo com meu pai.
f) A porta foi derrubada a martelo.
g) De improviso, o conferencista falou sobre Literatura Portuguesa.
h) Para a escolha do prato chamou o garçom.
_______________________________________________________________________________________
Termos Relacionados a nomes
I. Adjunto adnominal:
ADJUNTO ADNOMINAL: é o termo da oração que acompanha o substantivo e a ele se refere.
Exemplos: Seu apartamento é espaçoso.
pronome substantivo
O pronome possessivo SEU acompanha o substantivo APARTAMENTO e a ele se refere. É adjunto
adnominal.
Ele sonhava com um emprego decente.
artigo subst. adjetivo
O artigo UM e o adjetivo DECENTE acompanham o substantivo EMPREGO e a ele se referem. São
adjuntos adnominais.
Podem funcionar como adjunto adnominal: o artigo, o adjetivo, a locução adjetiva, o numeral e o pronome.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
12
ATIVIDADES:
1) Sublinhe os adjuntos adnominais:
a) A violência não podia prejudicar o belíssimo jogo.
b) A esperançosa família acreditava na propaganda governamental.
c) Uma vida digna era a aspiração geral.
d) A televisão, às vezes, divulga produtos falsos.
e) Três reportagens foram escolhidas por um competente júri.
f) Você conseguiu o décimo lugar.
g) Há duas estradas ótimas, cortando a próspera região.
_______________________________________________________________________________________
II. Predicativo:
a) Exprime uma característica/qualidade atribuída ao sujeito ou ao objeto.
b) Liga-se ao sujeito ou ao objeto através de verbo de ligação (claro ou subtendido)
Exemplo:
Toda a cidade estava silenciosa.
Elegeram José representante de turma.
ATIVIDADE
1. Sublinhe e classifique os predicativos nas seguintes frases:
a) Os velhos do asilo olhavam a rua tristes.
b) O boato é um vício detestável.
c) Eles o consideravam homem de bem.
d) A verdade é que nunca mentimos.
e) Sempre lhe chamavam de ingrato.
f) Elegeram-no representante da turma.
2. Nas frases seguintes, classifique os termos destacados de acordo com o código: ( 1 ) predicativo do
sujeito, ( 2 ) predicativo do objeto direto, ( 3 ) predicativo do objeto indireto, ( 4 ) adjunto adnominal.
( ) Os candidatos aguardavam nervosos o resultado do concurso.
( ) Achamos a conferência muito monótona.
( ) Os exilados deixavam o país tristes.
( ) Chamaram-lhe de incompetente.
( ) Fatos estranhos ocorreram naquela madrugada.
( ) Passei minha infância nas tranqüilas ruas de Botafogo.
( ) A notícia deixou o pobre homem feliz.
_______________________________________________________
III. Complemento nominal:
a) Completa o sentido de nomes (substantivos abstratos, advérbios) de sentido incompleto.
b) Sempre com repetição.
Exemplo: Ninguém ficou preocupado com ele.
ATIVIDADE
1. Sublinhe os complementos nominais das seguintes orações:
a) Tudo isso é inteiramente inútil à harmonia dos povos.
b) Sob o grande guarda-sol vermelho, ele distingue o vulto da namorada.
c) Quem responderia com referência a essas críticas?
d) Tenho receio de que ele faltará com a palavra empenhada.
e) A reclamação que fizeram tornou-se útil às autoridades.
f) Nele ninguém tinha confiança.
2. Sublinhe e classifique (1) objeto indireto; (2) complemento nominal:
( ) Tinha ódio às injustiças.
( ) Nada sei relativamente a este assunto.
( ) Não duvides nunca de mim.
( ) A notícia do acidente espalhou-se por todo o bairro.
( ) Não depende de nós a aprovação unânime.
( ) Tenho certeza da sua inocência
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
13
3. Sublinhe e classifique (1) objeto indireto; (2) complemento nominal:
( ) Tinha ódio às injustiças.
( ) Nada sei relativamente a este assunto.
( ) Não duvides nunca de mim.
( ) A notícia do acidente espalhou-se por todo o bairro.
( ) Não depende de nós a aprovação unânime.
( ) Tenho certeza da sua inocência.
_____________________________________________________________________________________
IV. Aposto:
a) Detalha, caracteriza melhor, explica ou resume o nome a que se refere.
Exemplo: O Flamengo, time carioca, ganhou ontem.
V. Vocativo:
a) Usado para "chamar" o ser com quem se fala.
b) Na escrita, vem sempre isolado por vírgula(s)
Exemplo: Era a primeira vez, meu amigo, que eu a encontrava.
ATIVIDADE
1. Indique a função sintática dos termos assinalados, colocando: ( 1 ) aposto, 2 ) vocativo.
( ) Aonde vais, meu mestre, a estas horas?
( ) Ofereci-lhe tudo: dinheiro, afeto e prestígio.
( ) Carlinhos, você é ainda um menino.
( ) 0 comandante Paulo embarcou para a Europa.
( ) Deseja alguma coisa, senhor?
( ) Automóveis, iates, apartamentos, tudo foi vendido no leilão.
( ) Haverá, no domingo, campeonato de remo na Lagoa Rodrigo Freitas.
2.. Assinale os apostos e indique a que termo da oração pertence:
a) Os filhos do capitão Nerval brincam todos os dias debaixo da minha janela.
b) Toureiro de verdade só há um, o Antônio Corajoso.
c) No mês de Janeiro faz muito calor no Rio.
d) 0 poeta Casimiro de Abreu morreu muito jovem.
e) Nunca se esqueceu de Castro Alves, o poeta dos escravos.
_____________________________________________________________________________________
Principais diferenças entre complemento nominal e adjunto adnominal
O complemento nominal é sempre iniciado por uma preposição e o adjunto adnominal às vezes inicia-se
por preposição. Por esse motivo, se houver dúvida, você pode usar os seguintes critérios diferenciadores:
Adjunto adnominal Complemento nominal
I. Só se refere a substantivos (concretos e
abstratos).
II. Quando o nome se refere, exprime uma
ação; a adjunto adnominal é o agente dessa
ação.
III. Pode em certas frases indicar posse.
I. Pode se referir a substantivos abstratos, adjetivos e a
advérbio.
II. Quando o nome a que se refere exprime uma ação,
o complemento nominal é o paciente (alvo) dessa
ação.
III. Nunca indica posse.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
14
Exemplos:
I. Ele comprou alguns livros de literatura
O termo destacado (de literatura) refere-se ao nome livros, que é um substantivo concreto. Observando o
primeiro critério do quadro, conclui-se que de literatura só pode ser adjunto adnominal, uma vez que o
complemento nominal só se refere a substantivos abstratos, nunca a concreto.
II. Seu amigo está descontente com nossa atitude.
Observe que com nossa atitude refere-se a descontente, que é um adjetivo. Portanto, o tempo com nossa
amizade só pode ser complemento nominal, uma vez que o adjunto adnominal nunca se refere a adjetivo.
III. A ofensa do torcedor irritou o juiz.
Nesse exemplo, a ofensa, é uma ação e o torcedor é o agente da ação. Portanto pelo segundo critério do
quadro, do torcedor é adjunto adnominal. Você poderia chegar a essa conclusão usando também o terceiro
critério do quadro (do torcedor exprime posse).
ATIVIDADE
1. Diga se o adjetivo é adjunto adnominal ou
predicativo do sujeito:
a) A atriz francesa chegou.
_________________________________________
b) A atriz é francesa.
_________________________________________
c) O pão está quentinho.
_________________________________________
d) Ele comeu um pão quentinho.
_________________________________________
e) Deu um aviso importante.
_________________________________________
f) O aviso é importante.
_________________________________________
g) Ela construiu a casa num terreno plano.
_________________________________________
h) O terreno é plano.
_________________________________________
i) A casa ficou novinha.
_________________________________________
j) Márcia mora numa casa novinha.
_________________________________________
2. Complete com adjuntos adnominais:
a) _____________________ velhinho vendeu
_____________________ chácara.
b) _____________________ bombeiro salvou
_____________________ jovem.
c) _____________________atletas venceram a
difícil partida.
d) _____________________ crianças brincavam
com jogos _____________________.
e) No _____________________ parque,
presenciamos ____________ cena
_____________________.
3. Marque: ( 1 ) para o adjunto adnominal; ( 2 )
para o complemento nominal.
a) ( ) O povo não aceita a construção de usinas
nucleares.
b) ( ) A folha do caderno foi arrancada.
c) ( ) Comprei um dicionário de inglês.
d) ( ) A conservação da natureza é uma
necessidade.
e) ( ) As luzes do prédio estão apagadas.
f) ( ) Ela tem necessidade de muito amor.
g) ( ) Houve severa proibição ao corte de
árvores.
h) ( ) Continua a luta contra poluição.
i) ( ) Existe um órgão de proteção aos índios.
j) ( ) Os queijos de Minas são muito apreciados.
k) ( ) Ainda existem muitos engenhos de cana.
l) ( ) A saudade dos amigos é grande.
m) ( ) Não temos necessidade de auxílio.
n) ( ) Esperamos aprovação em todas as
disciplinas.
o) ( ) O Brasil não vende açúcar de beterraba.
p) ( ) Deve haver preocupação com os estudos.
_______________________________________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
15
PRODUÇÃO DE TEXTO
TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO
ASPECTOS FORMAIS E TÉCNICOS DE UMA REDAÇÃO
 Produza um texto cuja estrutura formal esteja de acordo com o tipo de composição
adequado ao assunto: dissertação, narração ou descrição;
 É fundamental a fidelidade ao assunto sugerido. Fale apenas sobre o que o comando da
redação pede;
 texto deve apresentar um título, o qual deve estar no centro da linha, destacado com uma
única sublinha e sem estar separado por uma linha em relação ao texto;
 Não é necessário atingir o total de linhas, cuja extensão é de 15, no mínimo, e de 30, no
máximo;
 Na dissertação, os parágrafos devem ter tamanhos relativamente proporcionais;
 Conserve um espaço proporcional também entre as palavras;
 Não utilize forma ou tamanho de letras diferentes;
 Cuidado com a ortografia. Se não tiver certeza da escrita correta, evite usar uma palavra.
Utilize sinônimos;
 Não repita palavras ou expressões. Utilize também sinônimos, construções equivalentes ou
termos de coesão;
 Evite ultrapassar as margens direita e esquerda. Utilize a translineação silábica, se for
necessária;
 Em relação à caligrafia, a única exigência é de que ela seja compreensível;
 Na medida do possível, não se esqueça da acentuação gráfica das palavras, que, muitas
vezes, pode gerar diferenças de sentido;
 Se houver no texto neologismos, estrangeirismos, linguagem coloquial ou ênfase a palavras
ou expressões, destaque-os com aspas;
 Não é necessário utilizar vocabulário erudito. O importante é expressar claramente o
pensamento;
 Utilize frases breves, sobretudo em dissertação, para a maior clareza do pensamento e maior
espaço para o conteúdo;
 É necessária uma boa pontuação. Além disso, há três aspectos fundamentais a um texto:
clareza, transposição compreensível do pensamento ao papel; coesão, uso adequado de
termos que ligam as partes do texto entre si; coerência, formulação de frases lógicas;
 Você pode usar o rascunho e posteriormente passar o texto para o formulário final, sendo
assim possível revisar a redação antes de sua versão definitiva;
 Lembre-se de que fazer uma redação não implica sempre a criação de ideias. Significa
simplesmente transpor o que você já sabe sobre um assunto de modo organizado à escrita.
Confie em sua capacidade de produzir um texto em sua língua;
 As duas palavras que melhor definem uma redação de Vestibular são espontaneidade e
criatividade;
 No Vestibular, vêm textos em anexo na Prova de Redação e eles sempre terão em comum o
mesmo assunto. Apesar de eles servirem de subsídio para montar o seu texto, é preferível
não "colar" as ideias deles, uma vez que isso demonstraria falta de criatividade do candidato.
Portanto não fuja do assunto e monte suas próprias ideias;
 A expressão em prosa que aparece no Vestibular indica que você fará um texto a que você
está normalmente habituado, ou seja, o que tem parágrafos, períodos e frases. Não faça
jamais texto em verso, posto que a sua redação seria invalidada por isso.
____________________________________________________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
16
PROPOSTA DE REDAÇÃO
– Tema: Os programas de TV alienam.
Redija um texto dissertativo-argumentativo em no mínimo 15 linhas e no máximo 30
defendendo o seu ponto de vista. Aponte solução para o problema.
Proposta de redação
Leia os textos abaixo e escolha um dos temas sugeridos:
Texto I
Televisão _Titãs
A Televisão
Me deixou burro
Muito burro demais
Agora todas coisas
Que eu penso
Me parecem iguais
O sorvete me deixou gripado
Pelo resto da vida
E agora toda noite
Quando deito
É boa noite, querida....
Oh! Cride, fala prá mãe
Que eu nunca li num livro
Que o espirro
Fosse um vírus sem cura
Vê se me entende
Pelo menas uma vez
Criatura!
Oh! Cride, fala prá mãe!...
A mãe diz prá eu fazer
Alguma coisa
Mas eu não faço nada
A luz do sol me incomoda
Então deixa a cortina fechada
É que a televisão
Me deixou burro
Muito burro demais
E agora eu vivo
Dentro dessa jaula
Junto dos animais...
A mãe diz prá eu fazer
Alguma coisa
Mas eu não faço nada
A luz do sol me incomoda
Então deixa
A cortina fechada
Texto II
Faz poucos anos, num debate sobre o poder da televisão, numa biblioteca pública da periferia
paulistana, um homem da platéia pediu a palavra para dar o seu depoimento. Contou que sua
filha, de 5 anos de idade, depois de ser repreendida pela mãe, reagiu gritando: "Não sou mais
sua filha. Agora eu sou filha da Xuxa". A mãe de verdade, "demitida" assim de repente, ficou
sem reação.(...) O cotidiano infantil de nossos dias já não é demarcado apenas por coisas
corpóreas, como o estilingue, a bola de futebol, a mãe ou o pai. Em grandes extensões, ele é
dado por objetos imaginários, como os cavaleiros do zodíaco, os filmes policiais e até mesmo a
Xuxa, que, na imaginação daquela telespectadora tão pequena, tinha assumido o lugar da
mãe.
Eugenio Bucci, Veja, 21/5/97
ATENÇÃO
Ao desenvolver o tema escolhido, procure utilizar os conhecimentos adquiridos para produzir
um artigo de opinião.
Siga os passos: transforme o tema num questionamento.
Suas respostas serão os argumentos.
Observações:
►O rascunho pode ser feito no caderno.
►A redação deve ser passada a limpo antes de entreg
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
17
FOLHA DE REDAÇÃO
Nome:______________________________________________________________ Nº______
Escola:_________________________________________________________
NÍVEL POR COMPETÊNCIA NOTA
RESERVADO AO
CORRETOR
COMP. I
COMP.
II
COMP.
III
COMP.
IV
COMP.
V
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
12.
13.
14.
15.
16.
17.
18.
19.
20.
21.
22.
23.
24.
25.
26.
27.
28.
29.
30.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
18
GRAMÁTICA
ORAÇÕES SUBORDINADAS
A Oração subordinada, na gramática, é aquela que exerce uma função sintática em relação a uma
outra oração, chamada oração principal e que pede complemento ou é uma oração que tem uma certa
dependência de sentido em relação a oração principal.
Dependendo da função sintática que exercem, as orações subordinadas podem ser classificadas
em: substantivas, adjetivas ou adverbiais.
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBSTANTIVAS
São introduzidas pelas conjunções integrantes que e se.
Classificação Conceito Observações Exemplo
Subjetiva
Exerce função de
sujeito da oração
principal.
O verbo da or. principal está
sempre na 3ª pessoa do singular.
Não há sujeito dentro dos
limites da OP.
É necessário que pensem.
Objetiva direta
Exerce função de
objeto direto da
oração principal.
Liga-se ao verbo da OP sem
preposição (TD ou TDI).
Há sujeito dentro dos limites da
OP.
Desejamos que pensem.
Objetiva indireta
Exerce função de
objeto indireto da
oração principal.
Liga-se ao verbo da OP com
preposição (TI ou TDI) Confio em que pensem.
Completiva
nominal
Exerce função de
complemento
nominal da oração
principal.
Liga-se a um nome da OP
através de preposição. Tenho confiança em que pensem.
Predicativa
Exerce função de
predicativo do
sujeito da oração
principal.
Liga-se à oração principal
através de verbo de ligação
(SER)
Há sujeito na OP.
Nosso desejo é que pensem
Apositiva
Exerce função de
aposto de termo
da oração
principal.
Vem, geralmente, depois de
dois pontos ou entre vírgulas. Desejo apenas isto : que pensem
1. Dê a função sintática da oração subordinada
substantiva em destaque.
a) “Meu Deus, por que me abandonaste se sabias
que eu não era Deus?” (C. D. A.)
_______________________________________
_______________________________________
b) Referiram-se a que não havia mais vagas.
_______________________________________
_______________________________________
c) Não tive dúvidas de que estivessem certos.
_______________________________________
_______________________________________
d) Sabemos de uma coisa: que podemos
esquecer sua ajuda.
_______________________________________
_______________________________________
e) Acontece que meu coração ficou frio.
_______________________________________
_______________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
19
f) Que nós e o presente não somos mais dignos
dela é a verdade.
_______________________________________
_______________________________________
g) Sou contrário a que se conceda tal regalia.
_______________________________________
_______________________________________
h) Nunca duvidei de que estivessem certos.
_______________________________________
_______________________________________
i) Se o mar é bonito não sei.
_______________________________________
_______________________________________
j) Parece que tomaram uma atitude.
_______________________________________
____________________________________
2) Sublinhe as ORAÇÕES SUBORDINADAS
SUBSTANTIVAS, circule as conjunções e classifique
as orações a seguir (verso da folha).
a) Aqui ninguém duvida de que marmota existe.
(Rachel de Queiroz)
___________________________________________
b) Estava convencido de que todos os habitantes da
cidade eram ruins. (Graciliano Ramos)
___________________________________________
c) Fabiano tinha a certeza de que não se acabaria
tão cedo. (G. Ramos)
___________________________________________
d) Essas ocorrências servem para prevenir a
população de que nunca estamos seguros nos
grandes centros urbanos.
___________________________________________
e) O lazer não deve estar restrito á idéia de que se
possa viajar à praia ou ao campo durante as férias.
___________________________________________
f) É verdade que parte da imprensa aumentou
muito o noticiário acerca da delinqüência. (Folha de
S. Paulo)
___________________________________________
g) Sabia eu que não tinha mais trança de moça no
detrás daquelas paredes (...) (J. C. de Carvalho)
___________________________________________
h) Constava também que Aurélia tinha um tutor. ( J.
Alencar)
___________________________________________
i) Aqui, não: sabe-se que cada um traz a sua alma.
(M. de Assis)
___________________________________________
j) Sinhá Inácia que lhe diga se não chorei muito...
(M. de Assis)
___________________________________________
k) Tenho certeza de que aqui é o meu lugar. (Clarice
Lispector)
___________________________________________
l) Ela não entendeu se ele se referia à hora ou a
toda a vida passada sem compreensão.
(Drummond)
___________________________________________
m) Pareceu-me que o mundo se tinha despovoado.
(G. Ramos)
___________________________________________
n) Karl Marx acreditava em que a barbárie era a
ausência de socialismo. (J. da Tarde)
___________________________________________
o) A oposição salvadorenha tem consciência disso,
que há uma diferença “fundamental” entre a
Guarda Nacional de Somoza e as Forças Armadas
de El Salvador como instituição. (Folha de S. Paulo)
___________________________________________
p) Pensei compreender por que os noivos se
presenteiam. (C. Lispector)
___________________________________________
q) Meu desejo é que você se torne um homem
responsável.
_________________________________________
r) Não tenho dúvida de quanto fui amado.
___________________________________________
s) Pergunto-lhe quantas horas são. (Drummond)
___________________________________________
t) Que bom seria se todos se amassem de verdade.
___________________________________________
u) O vizinho Pires de Melo mandou saber se eu
queria barganhar a pele da onça. ( J. C. Carvalho)
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
20
___________________________________________
v) A comadre viu que o vento se lhe ia tomando
absolutamente contrário. (M. A de Almeida)
___________________________________________
x) Dizia-se que os feiticeiros iam celebrar ali os seus
sortilégios em noite de São João. (F. Távora)
___________________________________________
w) É evidente que ninguém pode condenar o
governo por gastar dinheiro com saúde pública. (J.
Tarde)
___________________________________________
x) Afinal me convenci de que tudo aquilo eram
tolices. (G. Ramos)
___________________________________________
y) Vocês podem achar graça, mas não se
esqueçam de que o cearense é um sujeito fino,
prático. (M. Palmério)
_________________________________________
z) É quase certo que Alexandre poderá ter o lugar
de Lúcio no time.
___________________________________________
3. Dê a função sintática da oração subordinada substantiva em destaque.
a) “Meu Deus, por que me abandonaste se sabias que eu não era Deus?” (C. D. A.)
_________________________________________________________________________________
b) Referiram-se a que não havia mais vagas.
________________________________________________________________________________
c) Não tive dúvidas de que estivessem certos.
_________________________________________________________________________________
d) Sabemos de uma coisa: que podemos esquecer sua ajuda.
_________________________________________________________________________________
e) Acontece que meu coração ficou frio.
_________________________________________________________________________________
f) Que nós e o presente não somos mais dignos dela é a verdade.
_________________________________________________________________________________
g) Sou contrário a que se conceda tal regalia.
_________________________________________________________________________________
h) Nunca duvidei de que estivessem certos.
_________________________________________________________________________________
i) Se o mar é bonito não sei.
_________________________________________________________________________________
j) Parece que tomaram uma atitude.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
21
ATIVIDADE AVALIATIVA
NOME________________________________________________________Nº ____SÉRIE______
Leia a tirinha abaixo.
1. Na tira, existem três orações reduzidas de gerúndio. Transcreva-as, nas linhas abaixo, desenvolva-as e
classifique-as.
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
2. Indique a função sintática e a classificação da oração que a escola libere os garotos...
________________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
3. A palavra que, no último quadrinho, é conjunção integrante ou pronome relativo? Por quê?
_______________________________________________________________________________________
4. Qual o valor semântico da palavra enquanto, no 2º quadrinho?__________________________________
5. Leia algumas frases de Mário Quintana.
“A resposta certa não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas.”
“Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem.”
“... mas o que eles não sabem levar em conta é que o poeta é uma criatura essencialmente
dramática, isto é, contraditória, isto é, verdadeira.
E, por isso, é que o bom de escrever teatro é que se pode dizer, com toda a sinceridade, as coisas
mais opostas.
Sim, um autor que nunca se contradiz deve estar mentindo.”
a) Determine a classificação da oração que as perguntas estejam certas.
_______________________________________________________________________________________
b) Reescreva a 2ª frase de Quintana, substituindo o antecedente os por um pronome correspondente. O sentido
deve ser preservado.
_______________________________________________________________________________________
c) “mas o que eles não sabem levar em conta...” Qual é a oração adjetiva? Como se classifica? A que
antecedente se refere?
_______________________________________________________________________________________
d) Qual a função sintática do último pronome relativo que aparece na 3ª frase?______________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
22
6. Leia o trecho da crônica Meu ideal seria escrever..., de Rubem Braga.
“Meu ideal seria escrever uma história tão engraçada que aquela moça que está doente naquela
casa cinzenta quando lesse minha história no jornal risse, risse tanto que chegasse a chorar e
dissesse -- "ai meu Deus, que história mais engraçada!". E então a contasse para a cozinheira e
telefonasse para duas ou três amigas para contar a história; e todos a quem ela contasse rissem
muito e ficassem alegremente espantados de vê-la tão alegre. Ah, que minha história fosse como
um raio de sol, irresistivelmente louro, quente, vivo, em sua vida de moça reclusa, enlutada,
doente. Que ela mesma ficasse admirada ouvindo o próprio riso, e depois repetisse para si própria
-- "mas essa história é mesmo muito engraçada!"
Vocabulário:
reclusa: que vive presa, fechada;
enlutada: com tristeza profunda.
a) “Meu ideal seria escrever uma história...” A oração em itálico é subordinada substantiva predicativa.
Nas linhas abaixo, reescreva o período, transformando a substantiva em subjetiva.
_______________________________________________________________________________________
b) A que o cronista compara sua história? Por que ele gostaria de que sua história fosse assim?
_______________________________________________________________________________________
c) No trecho acima, existe um vocativo. Transcreva-o na linha abaixo.______________________________
d) “E então a contasse para a cozinheira e telefonasse para duas ou três amigas para contar a história; e
todos a quem ela contasse rissem muito e ficassem alegremente espantados de vê-la tão
alegre.”
 Indique o valor semântico da palavra em negrito._________________________________________
 Classifique a 1ª oração grifada e indique a função sintática do pronome relativo.
_________________________________________________________________________________
 Classifique a 2ª oração grifada e determine sua função sintática.
________________________________________________________________________________
7. Leia a tira abaixo.
a) Transcreva, do último quadrinho, a subordinada substantiva. Classifique-a e explique a crítica contida no
pensamento de Mafalda. Utilize, para isso, as linhas abaixo.
________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
b) Qual é o valor gramatical da palavra que, a qual introduz a subordinada?
_______________________________________________________________________________________
8. Nesta questão, você deverá unir os períodos por meio dos relativos cujo (e variações) e onde. Lembre-se de
que cujo substitui adjunto adnominal e onde, adjunto adverbial.
a) Drummond é um poeta. Seus versos a todos comovem.
_______________________________________________________________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
23
b) O cliente, imediatamente, se queixou ao guardador. Seu carro havia sido danificado no estacionamento.
_______________________________________________________________________________________
c) O país ainda tem de resolver muitos problemas sociais. Moramos nesse país.
_______________________________________________________________________________________
d) A música será apresentada pelo coral. A letra da música é muito bonita.
_______________________________________________________________________________________
Leia o trecho de um poema de Carlos Drummond de Andrade.
Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.
Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.
Os Ombros Suportam o Mundo
Carlos Drummond de Andrade
Vocabulário: depuração: ato ou efeito de purificar, limpar.
9. Sabe-se que o relativo onde, em algumas situações, pode substituir o relativo que (precedido da preposição
em). Responda: isso poderia ocorrer no 1º e no 3º versos do trecho acima? Por quê?
________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
10. Classifique o predicado das orações dos três últimos versos da 1ª estrofe.
________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
11. Transcreva um verso que seja formado por uma oração cujo predicado seja verbo-nominal. Depois,
indique os núcleos.
________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
12. “E nada esperas de teus amigos.”
a) Transcreva os complementos verbais, se houver, e classifique-os.
________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
13. Por que o poeta afirma que chega um tempo em que não se diz mais “Meu amor”?
________________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
.BOM TRABALHO!
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
24
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS
COMO IDENTIFICAR AS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS
Oração subordinada adjetiva é aquela que se encaixa na oração principal, funcionando como adjunto
adnominal de um substantivo ou de um pronome antecedente, ou equivalente a um aposto explicativo.
É introduzida, normalmente, por um pronome relativo: que (= o qual), quem, cujo, onde (= no qual, em
que), quanto (precedido de tudo), o qual (= a qual, os quais, as quais).
Ele não
aceita críticas improcedentes
Subst. Adjetivo
(adj.
adnominal)
Ele não
aceita críticas que não procedem.
(antecedent
e) Or. subord. Adjetiva
(que = as quais)oração principal
Classificação das orações adjetivas
Quanto ao sentido, as subordinadas adjetivas classificam-se em restritivas ou explicativas.
Classificação Características Exemplos
Restritiva
a) Restringe a significação do substantivo
ou do pronome antecedente, isto é,
particulariza um subconjunto dentro de um
conjunto.
“O livro que ele lia era a
loucura do homem agoniado.”
(Jorge de Lima)
(= esse livro é a loucura...;
outros não)
b) É indispensável ao sentido da frase.
c) Não se separa por vírgula da oração
principal.
 parte do conjunto = alguns
 se alguém/ alguns têm a qualidade,
os outros não têm
O homem que se esforça
vence. (= alguns; só os
esforçados;
os outros não)
Explicativa
a) Acrescenta uma qualidade acessória ao
antecedente.
Jorge de Lima, que foi um
poeta da segunda fase do
Modernismo brasileiro,
escreveu uma obra junto com
Murilo Mendes.
(= é o único Jorge de Lima e o
único que escreveu uma obra
junto com Murilo Mendes)
O homem, que é mortal,
retorna ao pó. (= todos ;
qualquer homem )
b) É dispensável.
c) Vem separada por vírgula da oração
principal.
 todo o conjunto – todos têm a
qualidade ou é o único que a tem
ATIVIDADE
1. Sublinhe as orações principais a seguir, copie as orações adjetivas e classifique-as em restritiva ou
explicativa:
01 - Duro é o sofrimento que nasce do vício. 02 - A água, que é incolor, é indispensável.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
25
03 - Comprei um papagaio que fala muito.
04 - Deus, que é o pai de todos, sabia da luta que
ele tivera.
05 - As pessoas que fingem não são dignas de
confiança.
06 - Há coisas que nos comovem.
07 - O vulcão, que parecia extinto, voltou a dar
sinal de vida.
08 - É teu tudo quanto aqui existe.
09 - Os bois da região, que contraíram febre aftosa,
serão examinados.
10 - O livro que li é muito bom.
11 - A Lua, que é satélite da terra, inspirou muitos
poetas.
12 - A neve, que é fria, provocou a morte da
vegetação.
13 - Infeliz é o homem que não age honestamente.
14 - Os homens que tem seu preço são fáceis de
corromper.
15 - Os idosos, que gostam de dançar, se
divertiram muito.
16 - O professor indicou os livros que deviam ser
lidos.
17- Conhece a casa onde moro?
18 - Espinhosa é a estrada por onde passamos.
19 - João, que era bom aluno, está desempregado.
20 – Todos adoram espelhos que se deformam.
21 – Poucas eram a árvores que o inverno despira.
22 – Balançou a rede, que rangeu nos galhos.
23 – Ele que era esperto, entendeu-me.
2) Nas frases abaixo, indique o antecedente do pronome relativo nas ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS e Dê
a função sintática dos pronomes relativos:
a) As árvores que ainda resistiam à seca estavam
despidas de suas folhas.
___________________________________________
b) O homem que mente é desprezível.
___________________________________________
c) O hospital é o lugar onde se socorrem os doentes.
___________________________________________
d) As crianças pararam em frente à loja onde os
brinquedos estavam expostos.
_________________________________________
e) As lagartixas que havia no caminho davam
carreirinhas intermitentes.
___________________________________________
f) Visitamos do sítio que pertenceu a meu avô.
___________________________________________
3) Copie as orações, completando-as com os pronomes relativos que estão no quadro:
a) Esse é um profissional ____________ capacidade não se duvida.
b) Foram arrancadas as árvores ________________ galhos havia cipós entrelaçados.
c) Deus, _____________ recorremos nos bons e nos maus momentos da vida, nunca nos desampara.
d)Não encontrei a pessoa ____________ me falaste.
e) Não mencionou o lugar _____________________ poderíamos encontrá-la.
a quem – de cuja – de quem – onde – em cujos
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
26
4) Leia o trecho abaixo, retirado de um texto em que um chefe indígena fala sobre a importância da natureza
para sua tribo:
“Cada pedaço desta terra é sagrado para meu povo. Cada ramo brilhante de um pinheiro, cada punhado de areia
das praias... são sagrados na memória e experiência de meu povo. A seiva que percorre o corpo das árvores
carrega consigo as lembranças do homem vermelho.”
a) Por que podemos afirmar que a oração “que percorre o corpo de areia das praias” é uma oração subordinada
adjetiva? Que papel ela exerce? A que ela se relaciona na oração principal?
____________________________________________________________________________________-_
b) Classifique a oração subordinada adjetiva destacada acima.
__________________________________________________________________________________________
3) Sublinhe as orações SUBORDINADAS ADJETIVAS abaixo, circule as conjunções e classifique as orações.
a) Continuava a flertar com meninos que me agradavam.
_____________________________________________________________________________________
b) Este é o caso que precisa de atenção.
_______________________________________________________________________________________
c) Falava de um modo que feria minha sensibilidade.
_______________________________________________________________________________________
d) Carlos que é europeu, estranha nossos costumes.
_______________________________________________________________________________________
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS
Oração subordinada adverbial é aquela que se encaixa na oração principal, funcionando como adjunto
adverbial.
As subordinadas adverbiais vêm, normalmente, introduzidas por uma das conjunções subordinativas (com
exclusão das integrantes), e são classificadas de acordo com a conjunção ou locução conjuntiva que as
introduz.
Classificação quanto à função
As orações subordinadas adverbiais exercem, como já visto, função de adjuntos adverbiais e se classificam
conforme o quadro a seguir:
Classificação Conceito e principais conjunções Exemplo
CAUSAL
Indica a causa da ação expressa pelo verbo da oração
principal.
Principais conjunções causais: porque, visto que, já que,
uma vez que, como ( = porque).
Fui aprovado porque
estudei.
COMPARATIVA
Estabelece uma comparação com a ação indicada pelo
verbo da oração principal.
Principais conjunções comparativas: que e do que
(precedidos de mais, menos, melhor, pior, maior,
menos), como.
Observação: Freqüentemente, omite-se nas comparativas
o verbo da oração principal.
Vamos agir como os
melhores.
( = como os melhores
agem)
CONCESSIVA
Indica uma concessão às ações do verbo da oração
principal, isto é, admite uma contradição ou um fato
inesperado.
Principais conjunções concessivas: embora, posto que, se
bem que, ainda que, conquanto, mesmo que.
Embora risse muito,
não parecia contente.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
27
CONDICIONAL
Indica a situação necessária à ocorrência da ação do verbo
da oração principal.
Principais conjunções condicionais: se, exceto se, caso,
desde que, contanto que, a menos que.
Caso chova, não
viajaremos.
CONFORMATIVA
Indica uma conformidade entre o fato que expressa e a
ação do verbo da oração principal.
Principais conjunções conformativas: como, consoante,
segundo, conforme.
Os resultados ficaram
conforme
prevíramos.
CONSECUTIVA
Indica a conseqüência resultante da ação do verbo da
oração principal.
Principais conjunções consecutivas: (tão)... que, (tanto)..
que, (tal)... que, (tamanho)... que.
O caminho é tão
longo que não tem
fim.
FINAL
Indica o fim, o objetivo a que se destina o verbo da oração
principal.
Principais conjunções finais: para que, a fim de que, que
(= para que).
Esforcei-me para
que tudo desse
certo.
PROPORCIONAL
Indica uma relação de proporcionalidade com o verbo da
oração principal.
Principais conjunções proporcionais: à medida que,
quanto mais... mais, quanto mais... menos, à proporção
que.
Quanto mais vivo,
mais aprendo.
TEMPORAL
Indica a circunstância de tempo em que ocorre a ação do
verbo da oração principal.
Principais conjunções temporais: antes que, quando,
assim que, logo que, até que, depois que, mal, apenas.
Quando você
precisar de mim,
procure-me.
_______________________________________________________________________________________
ATIVIDADE
1.Escreva o tipo de relação existente entre a oração adverbial destacada e a oração principal.
Modelo:
“Mas o chá saiu tão bom, que os parentes vivem me pedindo um pouco.” (C.D.A.)
Relação de consequência.
a) “(...) resolveu não dormir, porque valia a pena esperar de pé.” (A. Azevedo)
_b) “De soslaio atrás do jornal – tremia tanto que nem podia ler.” (Dalton Trevisan)
c) “O povo não gosta de assassinos, embora inveje os valentes.” (C. D. A.)
d) “Um amigo pintor trouxe um cavalete e tintas para que os pintores amigos possam pintar.” (R. Braga)
e) “Se me telefonarem, só estou para Maria.” (Vinícius de Moraes)
f) “Quanto mais eu gritava, mais os prejuízos brotavam de todos os lados.” (José Cândido de Carvalho)
g) “Quando chegou domingo, chegou também a preguiça (...)” (C. D. A.)
h) “(...) o mistério explica mais que a claridade (...)” (Clarice Lispector)
i) “Como ele próprio diz com certa melancolia, levou uma vida medíocre.” (Folha de S. Paulo)
2) Sublinhe as ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS abaixo, circule as conjunções e classifique as
orações.
A) As ruas ficaram alagadas porque a chuva foi muito forte.
B) Como ninguém se interessou pelo projeto, não houve outra alternativa a não ser cancelá-lo.
C) Já que você não vai, eu não vou.
D) A chuva foi tão forte que em poucos minutos as ruas ficaram alagadas.
E) Tal era sua indignação que imediatamente se uniu aos manifestantes.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
28
F) Sua fome era tanta que comeu com casca e tudo.
G) Caso você se case, convide-me para a festa.
H) Conquanto a economia tenha crescido, pelo menos metade da população continua à margem do mercado
de consumo.
I) Se o regulamento do campeonato for bem elaborado, certamente o melhor time será o campeão.
J) Conhecendo os alunos (= Se conhecesse os alunos), o professor não os teria punido. (oração reduzida de
gerúndio)
K) Embora fizesse calor; levei agasalho.
L) Sua sensibilidade é tão afinada quanto sua inteligência (é).
M) Foi aprovado sem estudar ( = sem que estudasse / embora não estudasse). (reduzida de infinitivo)
N) Ele dorme como um urso (dorme).
O) Não saia sem que eu permita.
P) Fiz o bolo conforme ensina a receita.
Q) Segundo atesta recente relatório do Banco Mundial, o Brasil é o campeão mundial de má distribuição de
renda.
R) Vim aqui a fim de que você me explicasse as questões.
S) Fez tudo porque eu não obtivesse bons resultados. (- para que eu não obtivesse...)
T) Suportou todo tipo de humilhação para obter o visto americano. (= para que obtivesse...) (reduzida de
infinitivo)
U) Quanto mais se aproxima o fim do mês, mais os bolsos ficam vazios.
V) Quanto mais te vejo, mais te desejo.
X) À medida que se aproxima o fim do campeonato, aumenta o interesse da torcida pela competição.
Y) À proporção que se acumulam as dívidas, diminuem as possibilidades de que a empresa sobreviva.
Leia o poema a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responda às questões de 1 a 6.
Ainda que mal
Ainda que mal pergunte,
ainda que mal respondas;
ainda que mal te entenda,
ainda que mal repitas;
ainda que mal insista,
ainda que mal desculpes;
ainda que mal me exprima,
ainda que mal me julgues;
ainda que mal me mostre,
ainda que mal me vejas;
ainda que mal te encare,
ainda que mal te furtes;
ainda que mal te siga,
ainda que mal te voltes;
ainda que mal te ame,
ainda que mal o saibas;
ainda que mal te agarre,
ainda que mal te mates;
ainda assim te pergunto
e me queimando em teu seio,
me salvo e me dano: amor.
(As impurezas do branco. Rio de Janeiro:José Olympio/MEC, 1973.p. 39.)
23. Quase todos os versos do poema consistem em um mesmo tipo de oração subordinada.
a) Qual é a conjunção subordinativa que introduz essas orações? ____________________________
b) Como se classificam, portanto, essas orações subordinadas? ______________________________
c) Qual é a oração principal dessas orações adverbiais? ____________________________________
24. O emprego da expressão ainda que pode apresentar mais de um sentido. Observe:
Ainda que não mereças, eu te amo.
Ainda que mal lhe pergunte, você me ama?
No primeiro enunciado, a expressão ainda que é uma típica conjunção concessiva, ou seja, apesar de indicar
algo contrário (o não merecimento) ao que se afirma na oração principal (o amor àquela pessoa), isso não é
suficiente para impedir a ação expressa na oração principal, que é amar.
Já no segundo enunciado, a expressão ainda que mal tem uma conotação de polidez, pois constitui uma
maneira educada de introduzir uma pergunta talvez inconveniente ou fora de hora.
Destaque no poema:
a) um verso em que essa expressão tenha um valor concessivo;___________________________________
b) um verso em que essa expressão tenha uma conotação de polidez, indicando cuidado ao introduzir uma
pergunta.______________________________________________________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
29
ATIVIDADE AVALIATIVA
NOME________________________________________________________Nº ____SÉRIE______
Texto I
Leia o anuncio para responder as questões de 01 a 06:
1. Foi empregados um pronome relativo na parte
principal desse anúncio. Copie-o e, depois,
indique a função sintática que ele desempenha na
orações em que foi empregado .
_________________________________________
______________________________________
2. O texto principal, escrito com letras grandes, é
intencionalmente ambíguo.
a) Por que esse texto causa impacto no leitor?
_________________________________________
_________________________________________
_________________________________________
Sapato boneca é o modelo da Coleção de
Inverno Sílvia Rabelo que vai colocar o seu
menino nos eixos: ele não vai tirar você da
cabeça, e nem largar do seu pé.
a) Quantos períodos e quantas orações há no
anúncio _____________________________
b) Lendo-se o texto escrito com letras pequenas,
percebe-se o verdadeiro sentido da
mensagem. Qual é ele?
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
3. Relacionando os dois textos com a foto, notamos ainda outros sentidos implícitos no anúncio.
a) Levando-se em conta a foto, que outro sentido pode ter a palavra boneca?
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
b) Por que realmente os garotos esqueceriam os carrinhos?
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
4. O anúncio faz uso de algumas expressões próprias de uma variedade diferente da norma-
padrão. Dê o significado destas expressões:
a) “colocar o seu menino nos eixos”__________________________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
30
b) “não vai tirar você da cabeça”____________________________________________________
c) “nem largar do seu pé”___________________________________________________________
5. Considerando que o anúncio foi publicado numa revista voltada para o público feminino e
adolescente, responda:
a) A linguagem é adequada ao público que tem esse perfil? Por quê?
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
b) Qual é o principal argumento (motivo, razão) utilizado para convencer o público-alvo a consumir
esse tipo de sapato?
_______________________________________________________________________________
6- Na frase “ A boneca que vai fazer os meninos esquecerem os carrinhos”, classifique a
oração sublinhada.
_______________________________________________________________________________
Texto II
Leia a tirinha abaixo do personagem Hagar para responder as questões 8 e 9
8. Em “Aqui está uma receita que vai lhe dar alívio imediato” :
a) Sublinhe a oração principal e separe-a com uma barra da oração subordinada.
b) Transcreva a oração subordinada e classifique-a.
_______________________________________________________________________________
9. Em “O doutor disse / que você deve partir /para invadir a Inglaterra imediatamente”,
a) Classifique a 1ª oração:_______________________________________________
a) Classifique a 2ª oração:_______________________________________________
b) Classifique a 3ª oração:_______________________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
31
Texto III
Leia a tirinha abaixo para responder à questão 10
10 . No período “Tome conta dos prisioneiros enquanto eu vou ali no caixa eletrônico.” a oração
em destaque é classificada como:_________________________________________
Texto IV
11.Leia os trechos da música para responder a questão a e b :
“Se eu quiser falar com Deus
Tenho que ficar a sós,
Tenho que apagar a luz,
Tenho que calar a voz” ...
“Se eu quiser falar com Deus
Tenho que me aventurar,
Tenho que subir aos Céus,
Sem cordas pra segura
a) Circule todas as conjunções presentes na letra da música:___________________________
b) Copie e Classifique as orações que as conjunções introduzem:
____________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________
______
c) Copie a oração dos versos: Se eu quiser falar com Deus tenho que ficar a sós
____________________________________________________________________________
___
12 .. Sublinhe e Classifique as orações subordinadas adverbiais abaixo:
A) Como a alta inflação, os investidores preferem comprar dólares._____________________
B) Se a inflação estiver alta, os investidores preferirão comprar dólares._______________
C) Quando a inflação está alta, os investidores preferem comprar dólares.____________
D)A inflação está tão alta que os investidores preferem comprar
dólar.______________________
E) Embora a inflação esteja alta, os investidores preferem comprar
dólares_________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
32
Bom trabalho!!!!!!!!!!!!!!
ORAÇÕES COORDENADAS
Possuem estrutura sintática completa (sujeito+verbo+complemento) e são independentes – diferentes
das subordinadas
- elas sempre mantêm uma relação de continuidade e sentido
- num período composto as orações não funcionam como termo de outra, nem tem outra funcionando
como termo dela.
Assindéticas – semsíndeto – sem conjunção  OCA (Orações Coordenadas Assindéticas)
Acordou bem cedo, lavou o rosto, tomou café da manhã, foi trabalhar.  4 Orações Coordenadas
Assindéticas
Sindéticas – com conjunção
Período Composto por Coordenação
Orações Coordenadas
Sindéticas Aditivas exprime
relação de soma, adição,
continuidade
Conjunções: e, nem (= não), não só... mais ainda, não
só... como também
O aluno pegou o lápis e começou a escrever. (sem
virgula!)
Orações Coordenadas
Sindéticas Adversativas
contraste, oposição, adversidade.
Conjunções: mas, porém, todavia, contudo, no
entanto, entretanto, e (= mas).
Perdeu a luta, no entanto não perdeu as esperanças.
Perdeu a luta; não perdeu, contudo, as esperanças.
Coordenadas Sindéticas
Alternativas – alternância e
escolha entre dois eventos que
se excluem
Conjunções: ou (ou...ou), ora...ora, quer...quer, já...já,
seja...seja.
Ora me bate, ora me beija. – Duas orações OCS
Alternativa
OBS: elas não iniciam por OCA como é o caso das
outras
Coordenadas Sindéticas
Conclusivas – deduções por
raciocínio lógico, uma conclusão.
Conjunções: logo, portanto, assim, por conseguinte,
por isso, pois (após o verbo!).
Treinou cinco anos para a luta, logo vencerá.
Treinou cinco anos para a luta; deve, portanto, vencer.
Treinou cinco anos para a luta; deve vencer, pois, a
luta.
Orações Coordenadas
Sindéticas Explicativas –
justificativa/explicação para uma
ordem ou pedido, ou ação.
Conjunções: que, porque, pois (antes do verbo!)
Fique mais um pouco, (pois) preciso de sua ajuda.
Reze, que o santo ajuda
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
33
ATIVIDADE ORAÇÕES COORDENADAS
1. Identifique as conjunções dos períodos abaixo:
a) Zé Brasil trabalhou muito, porém foi despedido.
b) Minhas plantas não sobrevivem, pois não consigo matar as formigas.
c) Ele não tem assistência médica; logo sofre de muitas doenças.
d) Fique aqui, porque o coronel Tatuíra já vem e vai querer falar com você.
2. Relacione as colunas:
a) Tentou matar as formigas, mas não conseguiu.
b) Ele não sabia se trabalhava ou se tentava
matar as formigas.
c) Ele queria ter uma casa e plantar uma horta.
d) Era chamado de vadio, pois trabalhava pouco.
e) Ele trabalhava pouco; logo era chamado de
vadio.
( ) relação de conclusão
( ) relação de contraste, adversidade
( ) relação de confirmação ou explicação
( ) relação de alternância
( ) relação de acréscimo.
3. Circule e classifique as conjunções
coordenadas em ADITIVA, ADVERSATIVA,
ALTERNATIVA, CONCLUSIVA,
EXPLICATIVA
a) Ora ele planta, ora ele capina o mato.
_____________________________________
b) Ele não plantou milho nem derrubou o mato.
______________________________________
c) Zé Brasil trabalha na terra, porém o coronel
fica com os lucros.
______________________________________
d) Ele trabalha muito; devia, pois, lucrar mais.
______________________________________
e) O coronel o expulsou, pois era o dono das
terras.
______________________________________
f) O camponês preparou a terra, plantou, não
colheu nada .
______________________________________
g) Quer ele seja vadio, quer seja indolente,
ninguém deve culpá-lo por isso.
______________________________________
h) Tentou matar as formigas, contudo não
conseguiu; logo, desistiu de tudo.
______________________________________
i) Zé Brasil tentou comprar umas terras;
entretanto, não comprou.
______________________________________
j) Ponha atenção nas doenças do Zé Brasil, que
você o compreenderá melhor.
______________________________________
4. Junte as orações dadas em cada item, usando
como ligação uma conjunção coordenativa;
indique o tipo de relação estabelecida.
Ex.: a) Ela não teve tempo de estudar.
b) Esforçou-se e fazer uma boa prova.
c) Ela não teve tempo de estudar, no entanto,
esforçou-se em fazer uma boa prova.
(adversativa)
►a) O campeonato foi muito duro.
b) Os atletas merecem um longo descanso.
______________________________________
►a) Você é um grande amigo nosso.
b) Contamos urgentemente com sua ajuda.
______________________________________
►a) Ele é uma pessoa competente.
b) É capaz de falhar algumas vezes, como
qualquer um de nós.
______________________________________
►a) Ele quer ficar rico.
b) Deve trabalhar com muito afinco.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
34
3- Leia a tira do Calvin a seguir e responda às questões:
www.tiras.com.br
Observe que na tira acima temos alguns períodos por coordenação:
a) Transcreva da tirinha as formas verbais presentes.
b) Qual é a oração coordenada explicativa presente no 2º quadrinho?
c) Qual o valor semântico da conjunção em destaque na oração “ou pra mostrar ação”?
d) Retire do 3º quadrinho uma oração coordenada aditiva e sublinhe a conjunção.
4- Leia a tirinha. Após, releia somente o 3º
quadrinho.
www.tiras.com.br
a) Identifique a conjunção presente na frase dita pelo personagem.
b) Informe o valor semântico da conjunção no contexto em que foi empregada.
5- Observe a relação semântica existente entre as orações de cada item seguinte e una-as numa única frase.
Utilize as conjunções coordenativas e, nem, mas, porém, porque, pois, logo
a) É um bom funcionário. ..........é um pouco distraído.
b) Pense bem................. aja moderadamente.
c) Aquele aluno não estudou de forma correta............ foi reprovado.
d) Liguei várias vezes para você.................. não atendeu.
e) Não pude ir à escola hoje. ............jamais me encontraria lá.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
35
6- Verifique o código em evidência, empregando-o corretamente de acordo com os casos expressos pelas
orações a seguir:
A – coordenada aditiva B – coordenada adversativa C – coordenada alternativa
D – coordenada explicativa E – coordenada conclusiva
a- Não fomos ao aniversário, porém trouxemos o presente ( ).
b – Ou tentas se qualificar melhor, ou serás demitido ( ).
c – Conseguimos obter um ótimo resultado, pois nos esforçamos bastante ( ).
d- A garota não compareceu à aula porque estava doente ( ).
e – Viajamos muito e chegamos exaustos. ( ).
f – Não vejo importância neste tema, portanto encerraremos a reunião. ( ).
g – Não gosto de sua atitude, todavia não lhe trato mal. ( ).
h- Os meninos não entenderam o assunto; entretanto disseram que sim. ( ).
i- A menina está se preparando para o concurso do BB há dias; logo, deverá ser aprovada. ( ).
j- Procure após o intervalo, pois estarei em casa. ( ).
k- Quer queira, quer não queira, os filhos acompanham os pais nas viagens. ( ).
l- Iremos embora que já anoiteceu. ( ).
7- Observe o seguinte excerto poético e em seguida atente-se para as questões que a ele se referem:
“As horas passam, os homens caem, a poesia fica” (Emílio Moura)
a – Estamos diante de um período, pois o mesmo é formado por várias orações. Como ele se denomina? E
por quê?
b – As orações que o compõem são coordenadas sindéticas ou assindéticas? Justifique.
c – Reescreva os versos introduzindo as conjunções coordenadas que melhor se adequarem à ideia expressa.
8- Assinale a alternativa que contém uma coordenativa conclusiva.
a – Sérgio foi bom filho; logo será um bom pai.
b – Os meninos ora brigavam, ora brincavam.
c – Jaime trabalha depressa, contudo produz pouco.
d – Os cães mordem, não por maldade, mas por precisarem viver.
e – Adão comeu a maçã, e nossos dentes até hoje doem.
_______________________________________________________________________________
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
36
PROPOSTADE REDAÇÃO
Os limites da liberdade
Não creio, no sentido filosófico do termo, na liberdade do homem. Todos agem não apenas sob
um constrangimento exterior mas também de acordo com uma necessidade interior.” Albert
Einstein
Nos últimos dias, notícias acerca do confronto entre a Polícia Militar e estudantes da USP tomaram
conta dos noticiários. O caso teve início quando a Polícia Militar deteve 3 estudantes que estavam em
posse de maconha dentro do Campus.
O Uol noticiou que estudantes contrários à presença da Polícia Militar no campus da USP continuam no
prédio da administração da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas). Encapuzados,
eles defendem a saída da PM do campus Butantã (zona oeste de São Paulo), mas não querem falar
com a imprensa.
Vejam o que mais a reportagem dizia:
“Um representante do movimento disse apenas que ‘a ocupação vai até a gente conseguir as nossas
demandas’.
Além da saída da PM, os estudantes pedem a saída do reitor João Grandino Rodas. Os manifestantes
estão trancados no prédio e, às vezes, aparecem no portão, sempre encapuzados. Há relatos de que
alguns deles chegaram a atacar um veículo da TV Record.
Do lado de fora do prédio, estudantes que defendem a permanência da PM no campus falam
normalmente com a imprensa.
Rodrigo Souza Neves, aluno do curso de políticas públicas e ex-aluno de história, afirma que os
manifestantes que ocupam o prédio da FFLCH não representam a maioria dos estudantes da
universidade.
‘Nós fizemos um plebiscito com cerca de 1.100 alunos, e 60% são a favor da presença da PM no
campus.’
Lucas Sorrillo, colaborador no grêmio da Poli (Escola Politécnica da USP), diz que, antes da presença
da PM, não havia segurança na universidade.
“Antes daquele trágico acontecimento [o assassinato do estudante Felipe Ramos de Paiva, em maio
deste ano], era comum haver tráfico de drogas e assaltos no campus.”
A reitoria da USP não se posicionou oficialmente sobre a ocupação, mas informou que a decisão do
convênio com a PM foi tomada pelo Conselho Gestor do Campus, que reúne representantes de todas
as unidades da universidade.” [fonte da reportagem]
Sobre este mesmo assunto, em 2009 foi publicada a charge que retrato abaixo. Na época, o
governador do Estado de São Paulo era José Serra.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
37
PROPOSTADE REDAÇÃO
Nesta semana vamos discutir a legitimidade desse tipo de manifestação. Você concorda com a ação
da Polícia? Os estudantes presos com maconha dentro do Campus foram discriminados. O que
desejam realmente os manifestantes?
Proposta 1
Desenvolva um texto dissertativo discutindo “ os limites da liberdade na sociedade moderna” . Em
seu texto, outras delimitações podem ser dadas desde que o assunto seja este e a fundamentação seja
concreta.
 escreva no máximo 30 linhas;
 use caneta azul escuro ou preta;
 use o padrão culto da linguagem;
 fundamente concretamente sua argumentação;
 deixa a delimitação do tema.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
38
FOLHA DE REDAÇÃO
Nome:______________________________________________________________ Nº______
Escola:_________________________________________________________
NÍVEL POR COMPETÊNCIA NOTA
RESERVADO AO
CORRETOR
COMP. I
COMP.
II
COMP.
III
COMP.
IV
COMP.
V
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
12.
13.
14.
15.
16.
17.
18.
19.
20.
21.
22.
23.
24.
25.
26.
27.
28.
29.
30.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
39
CONCORDÂNCIA NOMINAL
Nada mais é que o ajuste que fazemos aos demais termos da oração para que concordem em gênero e
número com o substantivo.
Teremos que alterar, portanto, o artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome.
Além disso, temos também o verbo, que se flexionará à sua maneira, merecendo um estudo separado de
concordância verbal.
Encontre a faculdade certa para você
REGRA GERAL: O artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome, concordam em gênero e número com o
substantivo.
- A pequena criança é uma gracinha.
- O garoto que encontrei era muito gentil e simpático.
CASOS ESPECIAIS: Veremos alguns casos que
fogem à regra geral, mostrada acima.
a) Um adjetivo após vários substantivos
1 - Substantivos de mesmo gênero: adjetivo vai
para o plural ou concorda com o substantivo mais
próximo.
- Irmão e primo recém-chegado estiveram aqui.
- Irmão e primo recém-chegados estiveram aqui.
2 - Substantivos de gêneros diferentes: vai para o
plural masculino ou concorda com o substantivo
mais próximo.
- Ela tem pai e mãe louros.
- Ela tem pai e mãe loura.
3 - Adjetivo funciona como predicativo: vai
obrigatoriamente para o plural.
- O homem e o menino estavam perdidos.
- O homem e sua esposa estiveram hospedados
aqui.
b) Um adjetivo anteposto a vários substantivos
1 - Adjetivo anteposto normalmente: concorda
com o mais próximo.
Comi delicioso almoço e sobremesa.
Provei deliciosa fruta e suco.
2 - Adjetivo anteposto funcionando como
predicativo: concorda com o mais próximo ou vai
para o plural.
Estavam feridos o pai e os filhos.
Estava ferido o pai e os filhos.
c) Um substantivo e mais de um adjetivo
1- antecede todos os adjetivos com um artigo.
Falava fluentemente a língua inglesa e a
espanhola.
2- coloca o substantivo no plural.
Falava fluentemente as línguas inglesa e
espanhola.
d) Pronomes de tratamento
1 - sempre concordam com a 3ª pessoa.
Vossa santidade esteve no Brasil.
e) Anexo, incluso, próprio, obrigado
1 - Concordam com o substantivo a que se
referem.
As cartas estão anexas.
A bebida está inclusa.
Precisamos de nomes próprios.
Obrigado, disse o rapaz.
f) Um(a) e outro(a), num(a) e noutro(a)
1 - Após essas expressões o substantivo fica
sempre no singular e o adjetivo no plural.
Renato advogou um e outro caso fáceis.
Pusemos numa e noutra bandeja rasas o peixe.
g) É bom, é necessário, é proibido
1- Essas expressões não variam se o sujeito não
vier precedido de artigo ou outro determinante.
Canja é bom. / A canja é boa.
É necessário sua presença. / É necessária a sua
presença.
É proibido entrada de pessoas não autorizadas. /
A entrada é proibida.
h) Muito, pouco, caro
1- Como adjetivos: seguem a regra geral.
Comi muitas frutas durante a viagem.
Pouco arroz é suficiente para mim.
Os sapatos estavam caros.
2- Como advérbios: são invariáveis.
Comi muito durante a viagem.
Pouco lutei, por isso perdi a batalha.
Comprei caro os sapatos.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
40
i) Mesmo, bastante
1- Como advérbios: invariáveis
Preciso mesmo da sua ajuda.
Fiquei bastante contente com a proposta de
emprego.
2- Como pronomes: seguem a regra geral.
Seus argumentos foram bastantes para me
convencer.
Os mesmos argumentos que eu usei, você copiou.
j) Menos, alerta
1- Em todas as ocasiões são invariáveis.
Preciso de menos comida para perder peso.
Estamos alerta para com suas chamadas.
k) Possível
1- Quando vem acompanhado de “mais”,
“menos”, “melhor” ou “pior”, acompanha o artigo
que precede as expressões.
A mais possível das alternativas é a que você
expôs.
Os melhores cargos possíveis estão neste setor da
empresa.
As piores situações possíveis são encontradas nas
favelas da cidade.
m) Meio
1- Como advérbio: invariável.
Estou meio insegura.
2- Como numeral: segue a regra geral.
Comi meia laranja pela manhã.
n) Só
1- apenas, somente (advérbio): invariável.
Só consegui comprar uma passagem.
2- sozinho (adjetivo): variável.
Estiveram sós durante hora
__________________________________________________________________________________
1) Complete, efetuando a concordância:
a) Vão ____________________ alguns modelos de contrato. (anexo)
b) Seguem ____________________ algumas anotações nossas. (incluso)
c) ____________________ estou remetendo algumas fotos do local. (anexo)
d) As crianças pensavam ____________________ nos doces da festa. (só)
e) Muito ____________________ pela orientação que você me deu, agradeceu a jovem. (obrigado)
f) Elas ____________________ quiseram comprar os ingressos. (mesmo)
g) Eles ____________________ foram conversar com o responsável. (próprio)
h) ____________________, disse o garotinho ao sair. (obrigado)
i) Vocês não estão ____________________ nesta luta. (só)
j) ____________________, disse sorrindo a secretária. (obrigado)
k) A reportagem ____________________ também deve ser publicada. (anexo)
2) Complete corretamente com a palavra MEIO:
a) Traduzi só ____________ página nesta tarde.
b) As fotos ficaram ____________ escuras.
c) É natural que, nos primeiros dias, as crianças fiquem ____________ irrequietas.
d) Resta ainda ____________ garrafa.
e) Sinto que você ainda está ____________ insegura.
f) Menores de 12 anos pagam só ____________ entrada neste jogo.
g) Alguns atores estavam ____________ inibidos.
h) Vovó ficou ____________ assustada quando lhe contei tudo.
i) Pedi ____________ xícara de café.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
41
CONCORDÂNCIA NOMINAL
A concordância nominal se baseia na relação entre um substantivo (ou pronome, ou numeral
substantivo) e as palavras que a ele se ligam para caracterizá-lo (artigos, adjetivos, pronomes adjetivos,
numerais adjetivos e particípios). Basicamente, ocupa-se da relação entre nomes.
Lembre-se: normalmente, o substantivo funciona como núcleo de um termo da oração, e o adjetivo,
como adjunto adnominal.
A concordância do adjetivo ocorre de acordo com as seguintes regras gerais:
1) O adjetivo concorda em gênero e número quando se refere a um único substantivo.
Por Exemplo:
As mãos trêmulas denunciavam o que sentia.
2) Quando o adjetivo se refere a vários substantivos, a concordância pode variar. Podemos
sistematizar essa flexão nos seguintes casos:
a) Adjetivo anteposto aos substantivos:
- O adjetivo concorda em gênero e número com o substantivo mais próximo.
Por Exemplo:
Encontramos caídas as roupas e os prendedores.
Encontramos caída a roupa e os prendedores.
Encontramos caído o prendedor e a roupa.
- Caso os substantivos sejam nomes próprios ou de parentesco, o adjetivo deve sempre concordar
no plural.
Por Exemplo:
As adoráveis Fernanda e Cláudia vieram me visitar.
Encontrei os divertidos primos e primas na festa.
b) Adjetivo posposto aos substantivos:
- O adjetivo concorda com o substantivo mais próximo ou com todos eles (assumindo forma masculina
plural se houver substantivo feminino e masculino).
Exemplos:
A indústria oferece localização e atendimento perfeito.
A indústria oferece atendimento e localização perfeita.
A indústria oferece localização e atendimento perfeitos.
A indústria oferece atendimento e localização perfeitos.
Obs.: os dois últimos exemplos apresentam maior clareza, pois indicam que o adjetivo efetivamente se
refere aos dois substantivos. Nesses casos, o adjetivo foi flexionado no plural masculino, que é o gênero
predominante quando há substantivos de gêneros diferentes.
- Se os substantivos possuírem o mesmo gênero, o adjetivo fica no singular ou plural.
Exemplos:
A beleza e a inteligência feminina(s).
O carro e o iate novo(s).
3) Expressões formadas pelo verbo SER + adjetivo:
a) O adjetivo fica no masculino singular, se o substantivo não for acompanhado de nenhum
modificador.
Por Exemplo:
Água é bom para saúde.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
42
b) O adjetivo concorda com o substantivo, se este for modificado por um artigo ou qualquer outro
determinativo.
Por Exemplo:
Esta água é boa para saúde.
4) O adjetivo concorda em gênero e número com os pronomes pessoais a que se refere.
Por Exemplo:
Juliana as viu ontem muito felizes.
5) Nas expressões formadas por pronome indefinido neutro (nada, algo, muito, tanto, etc.) +
preposição DE + adjetivo, este último geralmente é usado no masculino singular.
Por Exemplo:
Os jovens tinham algo de misterioso.
6) A palavra "só", quando equivale a "sozinho", tem função adjetiva e concorda normalmente
com o nome a que se refere.
Por Exemplo:
Cristina saiu só.
Cristina e Débora saíram sós.
Obs.: quando a palavra "só" equivale a "somente" ou "apenas", tem função adverbial, ficando, portanto,
invariável.
Por Exemplo:
Eles só desejam ganhar presentes.
7) Quando um único substantivo é modificado por dois ou mais adjetivos no singular, podem ser
usadas as construções:
a) O substantivo permanece no singular e coloca-se o artigo antes do último adjetivo.
Por Exemplo:
Admiro a cultura espanhola e a portuguesa.
b) O substantivo vai para o plural e omite-se o artigo antes do adjetivo.
Por Exemplo:
Admiro as culturas espanhola e portuguesa.
CasosParticulares
É proibido - É necessário - É bom - É preciso - É permitido
a) Essas expressões, formadas por um verbo mais um adjetivo, ficam invariáveis se o substantivo a que
se referem possuir sentido genérico (não vier precedido de artigo).
Exemplos:
É proibido entrada de crianças.
Em certos momentos, é necessário atenção.
No verão, melancia é bom.
É preciso cidadania.
Não é permitido saída pelas portas laterais.
b) Quando o sujeito dessas expressões estiver determinado por artigos, pronomes ou adjetivos, tanto o
verbo como o adjetivo concordam com ele.
Exemplos:
É proibida a entrada de crianças.
Esta salada é ótima.
APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA
43
A educação é necessária.
São precisas várias medidas na educação.
Anexo - Obrigado - Mesmo - Próprio - Incluso - Quite
Essas palavras adjetivas concordam em gênero e número com o substantivo ou pronome a que se
referem. Observe:
Seguem anexas as documentações requeridas.
A menina agradeceu: - Muito obrigada.
Muito obrigadas, disseram as senhoras, nós mesmas faremos isso.
Seguem inclusos os papéis solicitados.
Já lhe paguei o que estava devendo: estamos quites.
Bastante - Caro - Barato - Longe
Essas palavras são invariáveis quando funcionam como advérbios. Concordam com o nome a que se
referem quando funcionam como adjetivos, pronomes adjetivos, ou numerais.
Exemplos:
As jogadoras estavam bastante cansadas. (advérbio)
Há bastantes pessoas insatisfeitas com o trabalho. (pronome adjetivo)
Nunca pensei que o estudo fosse tão caro. (advérbio)
As casas estão caras. (adjetivo)
Achei barato este casaco.(advérbio)
Hoje as frutas estão baratas. (adjetivo)
"Vais ficando longe de mim como o sono, nas alvoradas." (Cecília Meireles) (advérbio)
"Levai-me a esses longes verdes, cavalos de vento!" (Cecília Meireles). (adjetivo)
Meio - Meia
a) A palavra "meio", quando empregada como adjetivo, concorda normalmente com o nome a que se
refere.
Por Exemplo:
Pedi meia cerveja e meia porção de polentas.
b) Quando empregada como advérbio (modificando um adjetivo) permanece invariável.
Por Exemplo:
A noiva está meio nervosa.
Alerta - Menos
Essas palavras são advérbios, portanto, permanecem sempre invariáveis.
Por Exemplo:
Os escoteiros estão sempre alerta.
Carolina tem menos bonecas que sua amiga.
___________________________________________________________________________________
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno
Apostila pronta 3º noturno

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Autobiografia-
Autobiografia-Autobiografia-
Autobiografia-
sandrammagnani
 
O projeto “As maravilhas do Poema de Literatura de Cordel”, 2º EJA, Ens. Médio.
O projeto “As maravilhas do Poema de  Literatura de Cordel”, 2º EJA, Ens. Médio.O projeto “As maravilhas do Poema de  Literatura de Cordel”, 2º EJA, Ens. Médio.
O projeto “As maravilhas do Poema de Literatura de Cordel”, 2º EJA, Ens. Médio.
Necy
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
Natália Moura
 
Pré modernismo e modernismo - exercícios
Pré modernismo e modernismo - exercíciosPré modernismo e modernismo - exercícios
Pré modernismo e modernismo - exercícios
jasonrplima
 
Exercicios extra 6 ano artigos e numerais
Exercicios extra 6 ano artigos e numeraisExercicios extra 6 ano artigos e numerais
Exercicios extra 6 ano artigos e numerais
Elaine Rabelo
 
Lista de Exercícios - água
Lista de Exercícios - águaLista de Exercícios - água
Lista de Exercícios - água
Andrea Barreto
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
Guilherme Jésus
 
Gabarito: Atividade Interdisciplinar: Alcoolismo na adolescência – 8º ou 9º a...
Gabarito: Atividade Interdisciplinar: Alcoolismo na adolescência – 8º ou 9º a...Gabarito: Atividade Interdisciplinar: Alcoolismo na adolescência – 8º ou 9º a...
Gabarito: Atividade Interdisciplinar: Alcoolismo na adolescência – 8º ou 9º a...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Lucilene Rocha
 
Orações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Orações Coordenadas Assindéticas e SindéticasOrações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Orações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Caroline Capellari
 
Substantivos biformes e uniformes
Substantivos biformes e uniformesSubstantivos biformes e uniformes
Substantivos biformes e uniformes
Susana Teixeira
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Porcentagem e decimais
Porcentagem e decimais Porcentagem e decimais
Porcentagem e decimais
Mary Alvarenga
 
Objeto direto e indireto
Objeto direto e indiretoObjeto direto e indireto
Objeto direto e indireto
Edgar Filho
 
Atividades sobre sustentabilidade
Atividades sobre sustentabilidadeAtividades sobre sustentabilidade
Atividades sobre sustentabilidade
Giselda morais rodrigues do
 
Atividades biomas brasileiros
Atividades biomas brasileirosAtividades biomas brasileiros
Atividades biomas brasileiros
Atividades Diversas Cláudia
 
FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM
Paula Meyer Piagentini
 
7º ano vi5 gabarito
7º ano   vi5 gabarito7º ano   vi5 gabarito
7º ano vi5 gabarito
Karla Costa
 
Gabarito: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
 Gabarito: Atividade interdisciplinar:  Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta Gabarito: Atividade interdisciplinar:  Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
Gabarito: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Poema e interpretação - 3º ano
Poema e interpretação - 3º anoPoema e interpretação - 3º ano
Poema e interpretação - 3º ano
Paulo Alves de Araujo
 

Mais procurados (20)

Autobiografia-
Autobiografia-Autobiografia-
Autobiografia-
 
O projeto “As maravilhas do Poema de Literatura de Cordel”, 2º EJA, Ens. Médio.
O projeto “As maravilhas do Poema de  Literatura de Cordel”, 2º EJA, Ens. Médio.O projeto “As maravilhas do Poema de  Literatura de Cordel”, 2º EJA, Ens. Médio.
O projeto “As maravilhas do Poema de Literatura de Cordel”, 2º EJA, Ens. Médio.
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
 
Pré modernismo e modernismo - exercícios
Pré modernismo e modernismo - exercíciosPré modernismo e modernismo - exercícios
Pré modernismo e modernismo - exercícios
 
Exercicios extra 6 ano artigos e numerais
Exercicios extra 6 ano artigos e numeraisExercicios extra 6 ano artigos e numerais
Exercicios extra 6 ano artigos e numerais
 
Lista de Exercícios - água
Lista de Exercícios - águaLista de Exercícios - água
Lista de Exercícios - água
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Gabarito: Atividade Interdisciplinar: Alcoolismo na adolescência – 8º ou 9º a...
Gabarito: Atividade Interdisciplinar: Alcoolismo na adolescência – 8º ou 9º a...Gabarito: Atividade Interdisciplinar: Alcoolismo na adolescência – 8º ou 9º a...
Gabarito: Atividade Interdisciplinar: Alcoolismo na adolescência – 8º ou 9º a...
 
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
Apostila de atividades adaptadas para autistas Vol. 5
 
Orações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Orações Coordenadas Assindéticas e SindéticasOrações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Orações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
 
Substantivos biformes e uniformes
Substantivos biformes e uniformesSubstantivos biformes e uniformes
Substantivos biformes e uniformes
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
Porcentagem e decimais
Porcentagem e decimais Porcentagem e decimais
Porcentagem e decimais
 
Objeto direto e indireto
Objeto direto e indiretoObjeto direto e indireto
Objeto direto e indireto
 
Atividades sobre sustentabilidade
Atividades sobre sustentabilidadeAtividades sobre sustentabilidade
Atividades sobre sustentabilidade
 
Atividades biomas brasileiros
Atividades biomas brasileirosAtividades biomas brasileiros
Atividades biomas brasileiros
 
FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM
 
7º ano vi5 gabarito
7º ano   vi5 gabarito7º ano   vi5 gabarito
7º ano vi5 gabarito
 
Gabarito: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
 Gabarito: Atividade interdisciplinar:  Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta Gabarito: Atividade interdisciplinar:  Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
Gabarito: Atividade interdisciplinar: Bullying – 8º ou 9ª ano – Com resposta
 
Poema e interpretação - 3º ano
Poema e interpretação - 3º anoPoema e interpretação - 3º ano
Poema e interpretação - 3º ano
 

Destaque

Exercicio de Sintaxe com gabarito
Exercicio de Sintaxe com gabarito Exercicio de Sintaxe com gabarito
Exercicio de Sintaxe com gabarito
Dhay Lima
 
Gramática: frase,oração e período
Gramática: frase,oração e períodoGramática: frase,oração e período
Gramática: frase,oração e período
Marcella Rocha
 
Gabaritooo 8 ano
Gabaritooo 8 anoGabaritooo 8 ano
Gabaritooo 8 ano
Luciane Xavier
 
85746295 exercicios-de-portugues-sujeito-e-predicado
85746295 exercicios-de-portugues-sujeito-e-predicado85746295 exercicios-de-portugues-sujeito-e-predicado
85746295 exercicios-de-portugues-sujeito-e-predicado
Junior Costa
 
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. exercício
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. exercícioINTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. exercício
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. exercício
ibrahim junior
 
Avaliação tipos de sujeito
Avaliação tipos de sujeito Avaliação tipos de sujeito
Avaliação tipos de sujeito
Isa ...
 
Atividades de portugues
Atividades de portuguesAtividades de portugues
Atividades de portugues
Atividades Diversas Cláudia
 
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Marcia Oliveira
 

Destaque (8)

Exercicio de Sintaxe com gabarito
Exercicio de Sintaxe com gabarito Exercicio de Sintaxe com gabarito
Exercicio de Sintaxe com gabarito
 
Gramática: frase,oração e período
Gramática: frase,oração e períodoGramática: frase,oração e período
Gramática: frase,oração e período
 
Gabaritooo 8 ano
Gabaritooo 8 anoGabaritooo 8 ano
Gabaritooo 8 ano
 
85746295 exercicios-de-portugues-sujeito-e-predicado
85746295 exercicios-de-portugues-sujeito-e-predicado85746295 exercicios-de-portugues-sujeito-e-predicado
85746295 exercicios-de-portugues-sujeito-e-predicado
 
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. exercício
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. exercícioINTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. exercício
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. exercício
 
Avaliação tipos de sujeito
Avaliação tipos de sujeito Avaliação tipos de sujeito
Avaliação tipos de sujeito
 
Atividades de portugues
Atividades de portuguesAtividades de portugues
Atividades de portugues
 
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
Simulado língua portuguesa 9º ano (análise sintática e morfológica)
 

Semelhante a Apostila pronta 3º noturno

Apostila gramatica
Apostila gramaticaApostila gramatica
Apostila gramatica
Vera Oliveira
 
AULA 04 - TIPOS DE SUJEITO e EXERCÍCIOS.ppt
AULA 04 - TIPOS DE SUJEITO e EXERCÍCIOS.pptAULA 04 - TIPOS DE SUJEITO e EXERCÍCIOS.ppt
AULA 04 - TIPOS DE SUJEITO e EXERCÍCIOS.ppt
MarliaLiloca
 
atividade - tipos de sujeito CORREÇÃO.pptx
atividade - tipos de sujeito CORREÇÃO.pptxatividade - tipos de sujeito CORREÇÃO.pptx
atividade - tipos de sujeito CORREÇÃO.pptx
CaiqueAlexandre4
 
TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO.pptx
TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO.pptxTERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO.pptx
TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO.pptx
samaramarcelino2
 
7ano 2bim_gramatica_
7ano 2bim_gramatica_7ano 2bim_gramatica_
7ano 2bim_gramatica_
Nivea Neves
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
Birangela
 
Sujeito inexistente
Sujeito inexistente Sujeito inexistente
Sujeito inexistente
TiaSan
 
Apostila gramatica
Apostila gramaticaApostila gramatica
Apostila gramatica
VERA OLIVEIRA
 
Prova-de-pronomes.doc
Prova-de-pronomes.docProva-de-pronomes.doc
Prova-de-pronomes.doc
SAMARASILVANOGUEIRAP
 
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médioOrações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
blogdoalunocefa
 
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
Josafat Junior
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
Isabella Silva
 
Sujeito E Predicado
Sujeito E PredicadoSujeito E Predicado
Sujeito E Predicado
guest7174ad
 
Pontuação Gráfica
Pontuação GráficaPontuação Gráfica
Pontuação Gráfica
linguonautas
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Colégio estadual dom joão bos
Colégio estadual dom joão bosColégio estadual dom joão bos
Colégio estadual dom joão bos
marcelozanesco
 
06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos
06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos
06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos
NAPNE
 
Caderno exercicios verbos portugueses
Caderno exercicios verbos portuguesesCaderno exercicios verbos portugueses
Caderno exercicios verbos portugueses
Luisa Cristina Rothe Mayer
 
Adverbios e-locucoes-adverbiais-exercicios
Adverbios e-locucoes-adverbiais-exerciciosAdverbios e-locucoes-adverbiais-exercicios
Adverbios e-locucoes-adverbiais-exercicios
Vinícius Fagundes Dos Santos
 
15584908 adverbios-e-locucoes-adverbiais-exercicios
15584908 adverbios-e-locucoes-adverbiais-exercicios15584908 adverbios-e-locucoes-adverbiais-exercicios
15584908 adverbios-e-locucoes-adverbiais-exercicios
Karla Costa
 

Semelhante a Apostila pronta 3º noturno (20)

Apostila gramatica
Apostila gramaticaApostila gramatica
Apostila gramatica
 
AULA 04 - TIPOS DE SUJEITO e EXERCÍCIOS.ppt
AULA 04 - TIPOS DE SUJEITO e EXERCÍCIOS.pptAULA 04 - TIPOS DE SUJEITO e EXERCÍCIOS.ppt
AULA 04 - TIPOS DE SUJEITO e EXERCÍCIOS.ppt
 
atividade - tipos de sujeito CORREÇÃO.pptx
atividade - tipos de sujeito CORREÇÃO.pptxatividade - tipos de sujeito CORREÇÃO.pptx
atividade - tipos de sujeito CORREÇÃO.pptx
 
TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO.pptx
TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO.pptxTERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO.pptx
TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO.pptx
 
7ano 2bim_gramatica_
7ano 2bim_gramatica_7ano 2bim_gramatica_
7ano 2bim_gramatica_
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
Sujeito inexistente
Sujeito inexistente Sujeito inexistente
Sujeito inexistente
 
Apostila gramatica
Apostila gramaticaApostila gramatica
Apostila gramatica
 
Prova-de-pronomes.doc
Prova-de-pronomes.docProva-de-pronomes.doc
Prova-de-pronomes.doc
 
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médioOrações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
 
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
Bacen portugues adriana_figueiredo_aula_07_e_08
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
 
Sujeito E Predicado
Sujeito E PredicadoSujeito E Predicado
Sujeito E Predicado
 
Pontuação Gráfica
Pontuação GráficaPontuação Gráfica
Pontuação Gráfica
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
 
Colégio estadual dom joão bos
Colégio estadual dom joão bosColégio estadual dom joão bos
Colégio estadual dom joão bos
 
06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos
06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos
06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos
 
Caderno exercicios verbos portugueses
Caderno exercicios verbos portuguesesCaderno exercicios verbos portugueses
Caderno exercicios verbos portugueses
 
Adverbios e-locucoes-adverbiais-exercicios
Adverbios e-locucoes-adverbiais-exerciciosAdverbios e-locucoes-adverbiais-exercicios
Adverbios e-locucoes-adverbiais-exercicios
 
15584908 adverbios-e-locucoes-adverbiais-exercicios
15584908 adverbios-e-locucoes-adverbiais-exercicios15584908 adverbios-e-locucoes-adverbiais-exercicios
15584908 adverbios-e-locucoes-adverbiais-exercicios
 

Mais de Vera Oliveira

Avaliacao literatura 2 bimestre
Avaliacao literatura 2 bimestreAvaliacao literatura 2 bimestre
Avaliacao literatura 2 bimestre
Vera Oliveira
 
Avaliacao literatura 2 bimestre 1
Avaliacao literatura 2 bimestre 1Avaliacao literatura 2 bimestre 1
Avaliacao literatura 2 bimestre 1
Vera Oliveira
 
Avaliaçao 3ºano 2015
Avaliaçao 3ºano 2015Avaliaçao 3ºano 2015
Avaliaçao 3ºano 2015
Vera Oliveira
 
Avaliação 1ª opção literatura
Avaliação 1ª opção literaturaAvaliação 1ª opção literatura
Avaliação 1ª opção literatura
Vera Oliveira
 
Avaliação literatura 2° bimestre
Avaliação literatura 2° bimestreAvaliação literatura 2° bimestre
Avaliação literatura 2° bimestre
Vera Oliveira
 
Avaliação 1 terceiro ok
Avaliação 1 terceiro  okAvaliação 1 terceiro  ok
Avaliação 1 terceiro ok
Vera Oliveira
 
Avaliação 1º ano ok
Avaliação 1º ano okAvaliação 1º ano ok
Avaliação 1º ano ok
Vera Oliveira
 
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
Vera Oliveira
 
Avaliação bimestral 1º
Avaliação bimestral 1ºAvaliação bimestral 1º
Avaliação bimestral 1º
Vera Oliveira
 
Avaliação TEXTO
Avaliação TEXTOAvaliação TEXTO
Avaliação TEXTO
Vera Oliveira
 
Prémoderismo
PrémoderismoPrémoderismo
Prémoderismo
Vera Oliveira
 
Apostila eja 2 ª parte tipos e generos textuais
Apostila eja 2 ª parte  tipos e generos textuaisApostila eja 2 ª parte  tipos e generos textuais
Apostila eja 2 ª parte tipos e generos textuais
Vera Oliveira
 
Apostila eja 1ª e 2º periodo tipos e generos textuais
Apostila eja 1ª  e 2º  periodo   tipos e generos textuaisApostila eja 1ª  e 2º  periodo   tipos e generos textuais
Apostila eja 1ª e 2º periodo tipos e generos textuais
Vera Oliveira
 
Apostila 3º ano medio
Apostila 3º  ano medioApostila 3º  ano medio
Apostila 3º ano medio
Vera Oliveira
 
Apostila redação
Apostila redaçãoApostila redação
Apostila redação
Vera Oliveira
 
Roteiro trabalho pre modernismo 1
Roteiro trabalho pre modernismo 1Roteiro trabalho pre modernismo 1
Roteiro trabalho pre modernismo 1
Vera Oliveira
 
Prova elementos-da-comunicacao-2011
Prova elementos-da-comunicacao-2011Prova elementos-da-comunicacao-2011
Prova elementos-da-comunicacao-2011
Vera Oliveira
 
QUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO À SEMANA DE ARTE MODERNA
QUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO À SEMANA DE ARTE MODERNAQUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO À SEMANA DE ARTE MODERNA
QUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO À SEMANA DE ARTE MODERNA
Vera Oliveira
 
Planejame..[3]
Planejame..[3]Planejame..[3]
Planejame..[3]
Vera Oliveira
 
Drogas
DrogasDrogas

Mais de Vera Oliveira (20)

Avaliacao literatura 2 bimestre
Avaliacao literatura 2 bimestreAvaliacao literatura 2 bimestre
Avaliacao literatura 2 bimestre
 
Avaliacao literatura 2 bimestre 1
Avaliacao literatura 2 bimestre 1Avaliacao literatura 2 bimestre 1
Avaliacao literatura 2 bimestre 1
 
Avaliaçao 3ºano 2015
Avaliaçao 3ºano 2015Avaliaçao 3ºano 2015
Avaliaçao 3ºano 2015
 
Avaliação 1ª opção literatura
Avaliação 1ª opção literaturaAvaliação 1ª opção literatura
Avaliação 1ª opção literatura
 
Avaliação literatura 2° bimestre
Avaliação literatura 2° bimestreAvaliação literatura 2° bimestre
Avaliação literatura 2° bimestre
 
Avaliação 1 terceiro ok
Avaliação 1 terceiro  okAvaliação 1 terceiro  ok
Avaliação 1 terceiro ok
 
Avaliação 1º ano ok
Avaliação 1º ano okAvaliação 1º ano ok
Avaliação 1º ano ok
 
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
1ª série médio 05 atividade de literatura barrocoarcadismo everaldina lp em 2...
 
Avaliação bimestral 1º
Avaliação bimestral 1ºAvaliação bimestral 1º
Avaliação bimestral 1º
 
Avaliação TEXTO
Avaliação TEXTOAvaliação TEXTO
Avaliação TEXTO
 
Prémoderismo
PrémoderismoPrémoderismo
Prémoderismo
 
Apostila eja 2 ª parte tipos e generos textuais
Apostila eja 2 ª parte  tipos e generos textuaisApostila eja 2 ª parte  tipos e generos textuais
Apostila eja 2 ª parte tipos e generos textuais
 
Apostila eja 1ª e 2º periodo tipos e generos textuais
Apostila eja 1ª  e 2º  periodo   tipos e generos textuaisApostila eja 1ª  e 2º  periodo   tipos e generos textuais
Apostila eja 1ª e 2º periodo tipos e generos textuais
 
Apostila 3º ano medio
Apostila 3º  ano medioApostila 3º  ano medio
Apostila 3º ano medio
 
Apostila redação
Apostila redaçãoApostila redação
Apostila redação
 
Roteiro trabalho pre modernismo 1
Roteiro trabalho pre modernismo 1Roteiro trabalho pre modernismo 1
Roteiro trabalho pre modernismo 1
 
Prova elementos-da-comunicacao-2011
Prova elementos-da-comunicacao-2011Prova elementos-da-comunicacao-2011
Prova elementos-da-comunicacao-2011
 
QUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO À SEMANA DE ARTE MODERNA
QUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO À SEMANA DE ARTE MODERNAQUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO À SEMANA DE ARTE MODERNA
QUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO À SEMANA DE ARTE MODERNA
 
Planejame..[3]
Planejame..[3]Planejame..[3]
Planejame..[3]
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 

Último

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 

Último (20)

Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 

Apostila pronta 3º noturno

  • 1. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_ PROFªEVERALDINA 1 GRAMÁTICA ANÁLISE SINTÁTICA FRASE/ ORAÇÃO E PERIODO 1. Das frases abaixo relacionadas, indique as que contêm oração ou orações: ( ) Que noite linda! ( ) Lindas, as noites mineiras! ( ) Já estou aqui há dois meses. ( ) 0 filho compreendeu perfeitamente o olhar do pai. ( ) Silêncio, hospital! ( ) A estrela ainda brilhava no céu. 2. Assinale as alternativas em que não há oração: ( ) Houve muita briga naquela festa. ( ) Socorro! ( ) Que horror! ( ) Ele não foi bem sucedido nos seus negócios. ( ) Rua contramão. ( ) Despediu-se dos amigos antes de viajar para a Europa. ( ) Atenção, curva perigosa! ( ) Caixa Econômica Federal. 3. Indique se as frases abaixo contêm uma ou mais orações. Não se esqueça de primeiramente sublinhar os verbos: a) As velas são negras, negros os mastros, negra a tripulação. b) Quem entra por aí, cai na escravidão. c) As estrelas não eliminam a noite. d) Olha-se para cima e vê-se o firmamento pálido. e) A glória tinha sido fabricada pelo redator-chefe da revista e apoiava-se em murmurações. SÍNTESE DE TERMOS DA ORAÇÃO TEMOS ESSENCIAIS TERMOS INTEGRANTES TERMOS ACESSÓRIOS SUJEITO COMPLEMENTO NOMINAL ADJUNTO ADNOMINAL COMPLEMENTO verbal( OBJETO DIRETO e OBJETO INDIRETO) ADJUNTO ADVERBIAL PREDICADO AGENTE DA PASSIVA APOSTO PREDICATIVO DO sujeito e predicativo do objeto VOCATIVO SUJEITO É o termo da oração do qual se declara alguma coisa. Pode ser identificado através da pergunta "quem é que"... (ou "que é que"...), feita antes do verbo da oração. O verbo concorda com o sujeito. Pode vir no inicio, meio ou final da frase. Jamais separa-se o sujeito do predicado com vírgula. Exemplo: No céu, um sol claro anuncia o verão. Sujeito: um sol claro Núcleo: sol
  • 2. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_ PROFªEVERALDINA 2 ATIVIDADE 1.Nas orações abaixo, sublinhe com um traço o sujeito e com dois o predicado: a) Não gastamos dinheiro em coisas supérfluas. b) Contaram-me um fato espantoso. c) Na praia fazia muito calor. d) Chegou atrasado no ginásio o ônibus escolar. e) Alugam-se chalés nesta praia, para o período de férias. f) Havia cavalos, cabritos e patos no sítio do meu vizinho. g) À entrada da casa de meus avós, existiam mangueiras, pitangueiras e bananeiras 2. Leia as orações e separe o sujeito do predicado. Observe o exemplo. O Brasil possui muitos ritmos musicais. Sujeito: O Brasil Predicado: possui ritmos musicais. a) Minha turma apresentará uma dança regional. Sujeito: ________________________________________ Predicado: _____________________________________ b) Serão inesquecíveis aqueles dias. Sujeito: ______________________________________ Predicado: ____________________________________ c) Nós tivemos uma surpresa durante o passeio. Sujeito: ____________________________________ Predicado: __________________________________ ______________________________________________________________________________________ Classificação do sujeito: I. Simples: tem um único núcleo. Exemplos: O velho navio aproximava-se do cais/ Ele aproximava-se do cais. II. Composto: tem dois ou mais núcleos Exemplo: As ruas e as praças estão vazias. III. Oculto, elíptico ou desinencial: o sujeito pode ser identificado pela desinência do verbo ou pelo contexto em que aparece. Aparece sempre com as pessoas: eu, tu, ele, nós, vós. Exemplo: Voltarás para casa (sujeito: tu) IV. Indeterminado: Quando não é possível determinar o sujeito. 1º ) CASO►Com verbos na 3ª pessoa do plural sem referência a elemento anterior. Aparece sempre com a pessoa eles. Exemplo: Atualmente, espalham muitos boatos. 2º ) CASO►Com verbo na 3ª pessoa do singular + se + preposição( A, À, DE, DA, D0, COM, SEM, PARA, POR, ENTRE, PERANTE...) Exemplo: Precisou-se de novos professores. 3º ) CASO► Com verbo intransitivo + se+ advérbio : modo( bem, mal..),negação( não...), lugar(aqui), dúvida( talvez...), tempo ( hoje...) etc.) Exemplo: Come-se bem naquela cidade Orações sem sujeito: I. Verbo haver significando existir, acontecer e indicando tempo passado. Exemplos: Aqui já houve grandes festas( acontecer)/ havia pessoas na fila( existir)/ Há tempos que não o vejo( tempo passado)
  • 3. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_ PROFªEVERALDINA 3 II. Verbo ser indicando tempo, horas, datas e distâncias. tempo► Amanhã faz dez anos que ele partiu./ É primavera Horas► ao indicar tempo, o verbo ser varia de acordo com a expressão numérica que o acompanha. (É uma hora/ São nove horas)/ Datas► Hoje é (ou são) 15 de março. (Data) Obs.: ao indicar data, o verbo ser poderá ficar no singular, subentendendo-se a palavra dia . Distancia► São duas quadras da minha casa a sua ( concorda como o número a que se refere) III. Verbos indicativos de fenômenos da natureza. Exemplo: Ontem à tarde, ventou muito aqui. ______________________________________________________________________________________ ATIVIDADES 1. Durante a produção de um texto, o sujeito desinencial pode ser empregado para evitar repetições desnecessárias de um mesmo sujeito e, consequentemente, deixá-lo mais bem escrito. O texto a seguir, por exemplo, foi propositadamente escrito sem nenhum sujeito desinencial. Leia-o e constate como isso o torna cansativo. Eu e meus primos moramos em um sítio. Nós gostamos muito de viver em contato com a natureza. Todos os dias, eu e meus primos levantamos bem cedo e nós cuidamos dos animais. Meu pai costuma dizer que os animais merecem a nossa atenção e carinho. Eu acho que ele tem toda a razão. Afinal, todos nós sabemos da importância de cada um deles em nossa vida. Depois de nós tratarmos dos animais, eu e meus primos realizamos as outras tarefas diárias. Ao final do dia, eu e meus primos nos reunimos na varanda para nós conversarmos sobre os mais diversos assuntos. Eu acho que nós temos uma bela amizade. Agora, reescreva esse texto, transformando alguns sujeitos explícitos em sujeitos desinenciais. Para isso, faça nele as adequações que achar necessárias.( CADERNO) 2. Associe: a) sujeito simples; b) sujeito desinencial; c) sujeito inexistente ou oração sem sujeito; d) sujeito composto; e) sujeito indeterminado. ( ) Os homens destroem a natureza. ( )Tanto os cientistas quanto os religiosos estão temerosos. ( ) Deixaram uma bomba na casa do deputado. ( ) Havia formigas na casa. ( ) Nevou muito este ano em Nova Iorque. ( ) Ela falou tanto de você. ( ) Faz um calor insuportável. ( ) Vivemos felizes. ( ) Antes de iniciar este livro, imaginei construí-lo pela divisão do trabalho ( ) Quebraram a vidraça. ( ) Ouviu-se por toda a sala um oh! de decepção. ( ) Aspirava-se a uma vida melhor naquela época. ( ) Conquistou-se uma boa posição social. ( ) Admira-se a obra prima de A S. Galvão. 3. Quando o sujeito não está explícito na oração e não pode ser identificado pela terminação do verbo ou pelo sentido do texto em que está inserido, é classificado como um sujeito: ( ) simples ( ) composto ( ) indeterminado ( ) oração sem sujeit
  • 4. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 4 4. Como já vimos, o sujeito indeterminado pode ser utilizado quando não podemos, por algum motivo, definir quem praticou uma certa ação. Imagine a seguinte situação. a) Ana e Rogério disseram a mãe: Mãe, quebraram a janela? Qual foi a intenção de Ana e Rogério ao utilizarem um sujeito indeterminado para comunicar à mãe o acontecido? _____________________________________________________________________________ b) Agora crie uma situação em que um sujeito indeterminado seja também empregado com a intenção de omitir o responsável por um acontecimento desagradável. _____________________________________________________________________________ 5.Classifique os sujeitos das orações abaixo em simples ou composto. a) Com carinho, os pais consolaram o filho. _______________________________________________________________________ b) Estavam tristes o menino e o amigo. ________________________________________________________________________ c) A mãe e o pai lamentaram o acontecimento._________________________________ d) Todos sofreram muito. ___________________________________________________ 6. Separe as orações abaixo em sujeito e predicado. Identifique o núcleo do sujeito. a) Ela e eu gostamos muito de estudar sobre o folclore. b) Muitas plantas servem como medicamento. c) Você utiliza plantas como medicamento? d) Ana, Marta e Marcelo fazem peças artesanais com cerâmica. e) As duas meninas foram à feira de artesanato. f) As festas populares são bastante animadas. 7. Encontre o sujeito das orações abaixo. Faça como o modelo: O garoto ganhou vários presentes. Quem ganhou vários presentes? O garoto. (sujeito) a) A telefonista foi muito atenciosa. b) O ônibus está lotado. c) Partiu o último trem. d) A miséria produz a violência. e) Tio Severino falava difícil. 8. Sublinhe o sujeito das orações e classifique-os em simples, composto, oculto, indeterminado ou oração sem sujeito: a) Os trabalhadores desempregados concentraram-se diante da Prefeitura. b) As garotas discutiram o texto animadamente. c) Estiveram aqui alguns repórteres. d) O robô virou uma grande atração. e) Os automóveis paravam na esquina. f) Disciplinados pedestres cruzavam a movimentada avenida. g) Aumentavam da noite para o dia os barracos. h) Os moradores querem um semáforo no cruzamento. i) Voou agora o último pássaro preso. j) Viajaram ontem nossos atletas. k) O cadeado deste portão está com defeito. l) O leite materno é importante nos primeiros meses da criança.
  • 5. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 5 ATIVIDADE DE REVISÃO O PROBLEMA NÃO É COMPRAR A jornalista americana Alissa Quart, autora de um livro sobre hábitos de compra dos adolescentes, fala do consumismo juvenil Veja – O jovem é um consumista? Alissa Quart – Todo mundo é consumista, em maior ou menor grau, adultos ou adolescentes. Em 2001, os jovens gastaram 155 bilhões de dólares nos Estados Unidos. Em média, o adolescente americano gasta 60 dólares por semana do próprio dinheiro. Apenas 56% desse valor vem da mesada dos pais. O restante ele ganha sozinho, normalmente trabalhando em empregos de meio período. Veja – Por que os jovens estão comprando produtos de luxo? Alissa – Porque nos últimos anos as empresas adotaram a estratégia de direcionar esses produtos para os jovens. Esse avanço foi influenciado pelo estilo de vida dos astros de rap e hip hop, que valorizam esses produtos em sua música e em sua vida pessoal. Marcas caras, como Louis Vuitton, tornaram-se símbolos de cultura popular. O interesse por esses símbolos de status também cresceu bastante entre os adultos e, por conseqüência, entre seus filhos. Veja – Por que os pais não tentam barrar essa avalanche de consumismo juvenil? Alissa – Porque o consumismo não é considerado um problema. O que preocupa é se as filhas vão engravidar ou se os filhos vão se viciar em crack. Nesse contexto, consumir é inofensivo. O consumo é visto como uma conquista do adolescente, sua primeira inserção no mundo adulto. Os pais dão mesadas aos filhos como uma preparação para a responsabilidade de ter o próprio dinheiro. Na verdade, o consumismo só se torna realmente perigoso quando assume proporções exageradas. Veja – Como mostrar a um adolescente que um produto de luxo que ele deseja comprar está fora da realidade? Alissa – Pais e filhos deveriam tentar um olhar crítico em relação à mídia e à publicidade. Não é fácil, pois o marketing moderno utiliza-se de técnicas sutis para atingir os jovens. É comum nos Estados Unidos "infiltrar" num shopping center adolescentes usando marcas de grife. A idéia é estimular seus amigos a comprar aqueles produtos. Os pais não devem apenas dizer não. Precisam também estar atentos às técnicas para induzir as compras. http://veja.abril.com.br/especiais/jovens_2003/p_080.html 1ª) Segundo a entrevistada Allissa Quart, os jovens estão comprando produtos de luxo por quê? a) Por que os pais não tem um olhar um olhar crítico em relação à mídia e à publicidade. b) Porque o consumismo não é considerado um problema. c) O consumo é visto como uma conquista do adolescente, sua primeira inserção no mundo adulto. d) Porque nos últimos anos as empresas adotaram a estratégia de direcionar esses produtos para os jovens. 2ª) Segundo a entrevistada Allissa Quart, quem pode ser considerado consumista? a) Apenas os jovens, pois adoram comprar. b) Apenas os adultos, pois tem um poder aquisitivo elevado. c) Todas as pessoas são consumistas em maior ou menor grau. d) Apenas crianças e jovens.
  • 6. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 6 3ª) É incorreto afirmar em relação à entrevista que: a) O consumismo não é considerado um problema, e sim uma conquista do adolescente, sua primeira inserção no mundo adulto. b) Todo mundo é consumista, em maior ou menor grau, adultos ou adolescentes. c) Os jovens estão comprando mais por que as empresas adotaram a estratégia de direcionar produtos para os jovens. d) O consumismo praticado pelos filhos deixam os pais preocupados. 4ª) Uma entrevista pode se concentrar na pessoa do entrevistado ou em um assunto, conteúdo específico que o entrevistado domina. No caso da entrevista lida concentra-se na pessoa ou no conteúdo? Justifique. ___________________________________________________________________________________ 5ª) Com base no que aprendeu , relacione as colunas. (A) Toda oração tem... ( ) existem frases sem verbo , denominadas frases nominais . (B) Frase é... ( ) tem sentido completo e apresenta um ou mais Verbos em sua estrutura. (C) Todo período é frase Porque... ( ) um enunciado de sentido completo e que estabelecem comunicação . (D) Nem toda frase é um período Por que... ( ) um verbo e/ou locução verbal em sua construção. 6ª) Leia: a) Qual é o sujeito e predicado da oração “Eu deveria ter feito aquela dieta”? ___________________________________________________________________________________ b) Esta oração é de ordem direta ou indireta? ___________________________________________________________________________________ 7ª) Leia a tirinha:
  • 7. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 7 a) Qual é o sujeito, o núcleo e o predicado da oração “Você é novo por aqui.”? _________________________________________________________________________________ b) Classifique o sujeito da oração “acabei de me mudar”. Que palavra poderia ser colocada antes do verbo? Reescreva a frase. _________________________________________________________________________________ 8ª) Leia a tira. a)Por que Eddie Sortudo diz que o Rei não parece muito aborrecido com o roubo? b) O sujeito da oração “Ele não parece muito aborrecido” pode ser classificado como: ( ) Sujeito determinado simples ( ) Sujeito determinado composto ( ) Sujeito determinado oculto ( ) Sujeito indeterminado Leia o texto a seguir para responder a 9ª e 10ª questão. 9ª) Qual foi à intenção de Ana e Rogério ao utilizarem um sujeito indeterminado para comunicar à mãe o acontecido? ( - Mamãe , quebraram o seu vasinho de cristal” ) ____________________________ ____________________________ ____________________________ 10ª) Qual o tipo de sujeito da oração “ Ana e Rogério estão na sala de sua casa fazendo uma guerra de almofadas”. ( ) Sujeito determinado simples ( ) Sujeito determinado composto ( ) Sujeito determinado oculto ( ) Sujeito indeterminado _______________________________________________________________________________________
  • 8. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 8 PREDICADO É tudo que se diz do sujeito. (Retirando o sujeito, o que fica na oração é o Predicado.) ATIVIDADE 1. Das frases abaixo, sublinhe o predicado e circule os núcleos a) Era grande a alegria da criançada diante da notícia do passeio. b) Sorriu o filho, nós também sorrimos, e tudo acabou em pura galhofa. c) Fernanda estava serena e risonha. d) Os dois foram aprovados no vestibular. e) Quem ama o raro e o difícil? f) Eles gostam das flores do campo. g) Esta ficou espantada, sem palavras. 2. Preencha os parênteses, sendo: ( 1 ) predicado verbal; (2) predicado nominal; (3) predicado verbo-nominal. ( ) 0 mau aluno está sempre desatento. ( ) A criança adoentada está em minha casa. ( ) A canoa virou de repente. ( ) Os desordeiros viraram a mesa enfurecidos. ( ) A lagarta virou borboleta. ( ) Considerei apenas o estilo. ( ) Todos o consideravam capaz de tamanho empreendimento. ( ) Andaram de carro por toda a Europa. ( ) Andavam preocupados com a notícia. ( ) Andavam pela cidade temerosos. 3. Separe o sujeito do predicado e, em seguida, retire os respectivos núcleos: a) Na selva todos os animais respeitam o leão. sujeito: núcleo: predicado: núcleo: b) Os advogados do réu usaram de todos os meios possíveis. sujeito: núcleo: predicado: núcleo: c) Depuseram na Delegacia várias testemunhas a favor do acusado. sujeito: núcleo: predicado: núcleo: d) Ganhaste a fama de valente. sujeito: núcleo: predicado: núcleo: e) No segundo semestre, recuperaram o tempo perdido professores e alunos. sujeito: núcleos: predicado: núcleo: f) São personagens de Machado de Assis Capitu e Bentinho. sujeito: núcleos: predicado: núcleo: _______________________________________________________________________________________
  • 9. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 9 I. Predicado verbal: Apresenta verbos significativos( verbos de ação) . Apresenta um complemento verbal ou nominal. O núcleo é o verbo. Exemplo: Eles passeavam na praça. II. Predicado nominal: Apresenta verbos de ligação( ser, estar, ficar, viver, virar, tornar-se, continuar, permanecer III. Predicado verbo-nominal: Apresenta verbo significativo ( verbos de ação) Apresenta predicativo (do sujeito ou de objeto) Dois núcleos: o verbo e o predicativo. Exemplos: Eles invadiram furiosos a loja./ Todos consideram ruim o filme. ATIVIDADE 1- Classifique os verbos quanto à predicação( VTD,VTI, VI, VL) , observando o contexto em que se encontram. a) O trabalho honesto também produz riqueza. b) Pedestres assistiam à cena desesperados. c) O fato pareceu estranho naquele momento. d) Ofereceram um bela recepção para os noivos. e) Sua proposta saiu vitoriosa. f) Passeamos pela cidade pela manhã. g) As minhas pernas ardiam por causa da queimadura. h)Trabalha-se muito durante o horário de verão. i) Ele se desinteressou totalmente pela livro. j) Aquele jovem adolescente anda muito isolado. k) Muitos bancários não aderiram à greve. l) Daremos um prêmio ao vencedor da gincana. m) Não estou triste, minha filha! n) Abra o embrulho com cuidado. o) Infelizmente a noite não estava quente. p) Pela primeira vez chorou de tristeza. q) Não me viste, Alberto? 2. Distinga, nas orações abaixo, os verbos transitivos diretos dos transitivos indiretos: a) Guardou a documentação no cofre-forte. b) Demos-lhe a informação necessária. c) Preciso de uma boa orientação. d) Na biblioteca encontrei a primeira edição de uma obra rara. e) Meu irmão respondeu com presteza à carta do seu amigo. f) Cada um cuida de si. 3. Distinga, nas seguintes orações, ( 1 ) os verbos de ligação; 2 ) verbos significativos( verbo de ação) : ( ) A vida tornou-se difícil para ele. ( ) 0 empregado tornou à casa do patrão. ( ) Os foliões da Mangueira estão nas ruas. ( ) Os pescadores estão preocupados com o tempo. ( ) 0 peão inexperiente caiu do cavalo. ( ) A professora caiu doente. 4. Distinga nas orações dos períodos abaixo os verbos intransitivos, transitivos diretos, transitivos indiretos e, simultaneamente, transitivos diretos e indiretos: a) Às onze horas, a sineta deu o sinal das aulas. b) Os passageiros não lhe deram a devida atenção. c) Infelizmente deram, mas não receberam. d) Confie a Deus as minhas amarguras. e) Não pude assistir à solenidade toda. f) O doente foi bem assistido pelo médico de plantão.
  • 10. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 10 5. Sublinhe o predicado de cada oração e classifique-o em verbal ou nominal: a) A brisa soprou do mar. b) 0 nevoeiro cobriu toda a cidade. c) Caiu um raio na porteira do curral. d) Lia muito durante a noite. e) Sempre lia romances policiais. f) A cerca impediu a fuga do gado. 6. Indique se o predicado destas orações é (1) nominal; (2) verbal; (3) verbo-nominal, sublinhando o seu núcleo ou núcleos: ( ) São frias as noites de junho. ( ) Elegeram-no representante da turma. ( ) A garotada corria no pátio da escola. ( ) Os trabalhadores chegaram da obra cansados. ( ) Durante os jogos do campeonato, as torcidas andaram entusiasma ( ) Apesar das promessas, a exposição não foi inaugurada. ______________________________________________________________________________________ Complementos verbais I. Objeto direto: complemento de um verbo a) Funciona como destinatário/receptor do processo verbal. b) Completa o sentido do verbo transitivo direto c) Pode ser trocado por o, as, os, as. d) A oração admite voz passiva. Exemplo: Muitas pessoas viram o acidente II. Objeto indireto: a) Funciona como destinatário/receptor do processo verbal. b) Completa o sentido do verbo transitivo direto. c) Apresenta-se sempre com preposição d) A oração não admite voz passiva. Exemplo: Todos discordam de você. ATIVIDADE 1. Sublinhe com um traço o objeto direto e com dois o indireto: a) Enviamos circulares a todos os chefes de seção. b) Será conferido um prêmio aos vencedores da maratona. c) Uma medalha de ouro destinamos ao campeão de natação. d) 0 mágico tirava coelhos da cartola. e) Lembre-se, nas situações difíceis, dos meus--conselhos. f) Trago-lhe o meu abraço fraterno. 7. Complete, com a preposição conveniente, os objetos indiretos: a) Recordo-me __os meus bons tempos. b) Aspiramos __ uma vida melhor. c) Insisto __este assunto. d) Assistiremos __ um bom programa de TV. e) Precisamos confiar mais __ Deus. f) Ansiava ___ dias melhores.
  • 11. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 11 Temos relacionados ao verbo I. Agente da passiva: a) Pratica a ação verbal na voz passiva. b) Corresponde ao sujeito da voz ativa. c) Iniciado por preposição: por, pelo ou de. Exemplo: O deputado foi vaiado pelos sem terra. _______________________________________________________________________________________ ATIVIDADE 1-. Passe as frases abaixo para a voz passiva e circule o agente da passiva. a)As meninas pediram a presença da diretora. ________________________________________ _ b) O médico cometeria um erro terrível. ________________________________________ c) Luzia ouviu o estrondo da bomba. ________________________________________ d) João trancou todos no quarto. ________________________________________ e) Todos leram o livro. ________________________________________ f) Marina rasgará a carta. ________________________________________ g) Minha vizinha comprará um televisor LCD. ________________________________________ h) Amélia contará muitas histórias. ________________________________________ _______________________ i)Juvenal pescou um peixe enorme. ________________________________________ j) Grandes poetas escrevem poemas deliciosos. ________________________________________ k) A chuvarada molhou as plantas novas. ________________________________________ l) A polícia florestal prendeu caçadores de jacaré. ________________________________________ m) O mecânico desmontou o motor do carro. ________________________________________ n) Os alunos liam textos agradáveis. ________________________________________ II. Adjunto adverbial: a) Acrescenta ao verbo circunstâncias de tempo, lugar, modo, dúvida, causa, intensidade. ATIVIDADE 1. Sublinhe os adjuntos adverbiais, classificando-os quanto à circunstância: a) Atualmente os alunos lêem muito pouco. b) De canoa, enfrentaram as corredeiras do rio São Francisco. c) Não saíram por causa da chuva. d) Talvez vá a São Paulo com meu pai. f) A porta foi derrubada a martelo. g) De improviso, o conferencista falou sobre Literatura Portuguesa. h) Para a escolha do prato chamou o garçom. _______________________________________________________________________________________ Termos Relacionados a nomes I. Adjunto adnominal: ADJUNTO ADNOMINAL: é o termo da oração que acompanha o substantivo e a ele se refere. Exemplos: Seu apartamento é espaçoso. pronome substantivo O pronome possessivo SEU acompanha o substantivo APARTAMENTO e a ele se refere. É adjunto adnominal. Ele sonhava com um emprego decente. artigo subst. adjetivo O artigo UM e o adjetivo DECENTE acompanham o substantivo EMPREGO e a ele se referem. São adjuntos adnominais. Podem funcionar como adjunto adnominal: o artigo, o adjetivo, a locução adjetiva, o numeral e o pronome.
  • 12. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 12 ATIVIDADES: 1) Sublinhe os adjuntos adnominais: a) A violência não podia prejudicar o belíssimo jogo. b) A esperançosa família acreditava na propaganda governamental. c) Uma vida digna era a aspiração geral. d) A televisão, às vezes, divulga produtos falsos. e) Três reportagens foram escolhidas por um competente júri. f) Você conseguiu o décimo lugar. g) Há duas estradas ótimas, cortando a próspera região. _______________________________________________________________________________________ II. Predicativo: a) Exprime uma característica/qualidade atribuída ao sujeito ou ao objeto. b) Liga-se ao sujeito ou ao objeto através de verbo de ligação (claro ou subtendido) Exemplo: Toda a cidade estava silenciosa. Elegeram José representante de turma. ATIVIDADE 1. Sublinhe e classifique os predicativos nas seguintes frases: a) Os velhos do asilo olhavam a rua tristes. b) O boato é um vício detestável. c) Eles o consideravam homem de bem. d) A verdade é que nunca mentimos. e) Sempre lhe chamavam de ingrato. f) Elegeram-no representante da turma. 2. Nas frases seguintes, classifique os termos destacados de acordo com o código: ( 1 ) predicativo do sujeito, ( 2 ) predicativo do objeto direto, ( 3 ) predicativo do objeto indireto, ( 4 ) adjunto adnominal. ( ) Os candidatos aguardavam nervosos o resultado do concurso. ( ) Achamos a conferência muito monótona. ( ) Os exilados deixavam o país tristes. ( ) Chamaram-lhe de incompetente. ( ) Fatos estranhos ocorreram naquela madrugada. ( ) Passei minha infância nas tranqüilas ruas de Botafogo. ( ) A notícia deixou o pobre homem feliz. _______________________________________________________ III. Complemento nominal: a) Completa o sentido de nomes (substantivos abstratos, advérbios) de sentido incompleto. b) Sempre com repetição. Exemplo: Ninguém ficou preocupado com ele. ATIVIDADE 1. Sublinhe os complementos nominais das seguintes orações: a) Tudo isso é inteiramente inútil à harmonia dos povos. b) Sob o grande guarda-sol vermelho, ele distingue o vulto da namorada. c) Quem responderia com referência a essas críticas? d) Tenho receio de que ele faltará com a palavra empenhada. e) A reclamação que fizeram tornou-se útil às autoridades. f) Nele ninguém tinha confiança. 2. Sublinhe e classifique (1) objeto indireto; (2) complemento nominal: ( ) Tinha ódio às injustiças. ( ) Nada sei relativamente a este assunto. ( ) Não duvides nunca de mim. ( ) A notícia do acidente espalhou-se por todo o bairro. ( ) Não depende de nós a aprovação unânime. ( ) Tenho certeza da sua inocência
  • 13. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 13 3. Sublinhe e classifique (1) objeto indireto; (2) complemento nominal: ( ) Tinha ódio às injustiças. ( ) Nada sei relativamente a este assunto. ( ) Não duvides nunca de mim. ( ) A notícia do acidente espalhou-se por todo o bairro. ( ) Não depende de nós a aprovação unânime. ( ) Tenho certeza da sua inocência. _____________________________________________________________________________________ IV. Aposto: a) Detalha, caracteriza melhor, explica ou resume o nome a que se refere. Exemplo: O Flamengo, time carioca, ganhou ontem. V. Vocativo: a) Usado para "chamar" o ser com quem se fala. b) Na escrita, vem sempre isolado por vírgula(s) Exemplo: Era a primeira vez, meu amigo, que eu a encontrava. ATIVIDADE 1. Indique a função sintática dos termos assinalados, colocando: ( 1 ) aposto, 2 ) vocativo. ( ) Aonde vais, meu mestre, a estas horas? ( ) Ofereci-lhe tudo: dinheiro, afeto e prestígio. ( ) Carlinhos, você é ainda um menino. ( ) 0 comandante Paulo embarcou para a Europa. ( ) Deseja alguma coisa, senhor? ( ) Automóveis, iates, apartamentos, tudo foi vendido no leilão. ( ) Haverá, no domingo, campeonato de remo na Lagoa Rodrigo Freitas. 2.. Assinale os apostos e indique a que termo da oração pertence: a) Os filhos do capitão Nerval brincam todos os dias debaixo da minha janela. b) Toureiro de verdade só há um, o Antônio Corajoso. c) No mês de Janeiro faz muito calor no Rio. d) 0 poeta Casimiro de Abreu morreu muito jovem. e) Nunca se esqueceu de Castro Alves, o poeta dos escravos. _____________________________________________________________________________________ Principais diferenças entre complemento nominal e adjunto adnominal O complemento nominal é sempre iniciado por uma preposição e o adjunto adnominal às vezes inicia-se por preposição. Por esse motivo, se houver dúvida, você pode usar os seguintes critérios diferenciadores: Adjunto adnominal Complemento nominal I. Só se refere a substantivos (concretos e abstratos). II. Quando o nome se refere, exprime uma ação; a adjunto adnominal é o agente dessa ação. III. Pode em certas frases indicar posse. I. Pode se referir a substantivos abstratos, adjetivos e a advérbio. II. Quando o nome a que se refere exprime uma ação, o complemento nominal é o paciente (alvo) dessa ação. III. Nunca indica posse.
  • 14. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 14 Exemplos: I. Ele comprou alguns livros de literatura O termo destacado (de literatura) refere-se ao nome livros, que é um substantivo concreto. Observando o primeiro critério do quadro, conclui-se que de literatura só pode ser adjunto adnominal, uma vez que o complemento nominal só se refere a substantivos abstratos, nunca a concreto. II. Seu amigo está descontente com nossa atitude. Observe que com nossa atitude refere-se a descontente, que é um adjetivo. Portanto, o tempo com nossa amizade só pode ser complemento nominal, uma vez que o adjunto adnominal nunca se refere a adjetivo. III. A ofensa do torcedor irritou o juiz. Nesse exemplo, a ofensa, é uma ação e o torcedor é o agente da ação. Portanto pelo segundo critério do quadro, do torcedor é adjunto adnominal. Você poderia chegar a essa conclusão usando também o terceiro critério do quadro (do torcedor exprime posse). ATIVIDADE 1. Diga se o adjetivo é adjunto adnominal ou predicativo do sujeito: a) A atriz francesa chegou. _________________________________________ b) A atriz é francesa. _________________________________________ c) O pão está quentinho. _________________________________________ d) Ele comeu um pão quentinho. _________________________________________ e) Deu um aviso importante. _________________________________________ f) O aviso é importante. _________________________________________ g) Ela construiu a casa num terreno plano. _________________________________________ h) O terreno é plano. _________________________________________ i) A casa ficou novinha. _________________________________________ j) Márcia mora numa casa novinha. _________________________________________ 2. Complete com adjuntos adnominais: a) _____________________ velhinho vendeu _____________________ chácara. b) _____________________ bombeiro salvou _____________________ jovem. c) _____________________atletas venceram a difícil partida. d) _____________________ crianças brincavam com jogos _____________________. e) No _____________________ parque, presenciamos ____________ cena _____________________. 3. Marque: ( 1 ) para o adjunto adnominal; ( 2 ) para o complemento nominal. a) ( ) O povo não aceita a construção de usinas nucleares. b) ( ) A folha do caderno foi arrancada. c) ( ) Comprei um dicionário de inglês. d) ( ) A conservação da natureza é uma necessidade. e) ( ) As luzes do prédio estão apagadas. f) ( ) Ela tem necessidade de muito amor. g) ( ) Houve severa proibição ao corte de árvores. h) ( ) Continua a luta contra poluição. i) ( ) Existe um órgão de proteção aos índios. j) ( ) Os queijos de Minas são muito apreciados. k) ( ) Ainda existem muitos engenhos de cana. l) ( ) A saudade dos amigos é grande. m) ( ) Não temos necessidade de auxílio. n) ( ) Esperamos aprovação em todas as disciplinas. o) ( ) O Brasil não vende açúcar de beterraba. p) ( ) Deve haver preocupação com os estudos. _______________________________________________________________
  • 15. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 15 PRODUÇÃO DE TEXTO TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO ASPECTOS FORMAIS E TÉCNICOS DE UMA REDAÇÃO  Produza um texto cuja estrutura formal esteja de acordo com o tipo de composição adequado ao assunto: dissertação, narração ou descrição;  É fundamental a fidelidade ao assunto sugerido. Fale apenas sobre o que o comando da redação pede;  texto deve apresentar um título, o qual deve estar no centro da linha, destacado com uma única sublinha e sem estar separado por uma linha em relação ao texto;  Não é necessário atingir o total de linhas, cuja extensão é de 15, no mínimo, e de 30, no máximo;  Na dissertação, os parágrafos devem ter tamanhos relativamente proporcionais;  Conserve um espaço proporcional também entre as palavras;  Não utilize forma ou tamanho de letras diferentes;  Cuidado com a ortografia. Se não tiver certeza da escrita correta, evite usar uma palavra. Utilize sinônimos;  Não repita palavras ou expressões. Utilize também sinônimos, construções equivalentes ou termos de coesão;  Evite ultrapassar as margens direita e esquerda. Utilize a translineação silábica, se for necessária;  Em relação à caligrafia, a única exigência é de que ela seja compreensível;  Na medida do possível, não se esqueça da acentuação gráfica das palavras, que, muitas vezes, pode gerar diferenças de sentido;  Se houver no texto neologismos, estrangeirismos, linguagem coloquial ou ênfase a palavras ou expressões, destaque-os com aspas;  Não é necessário utilizar vocabulário erudito. O importante é expressar claramente o pensamento;  Utilize frases breves, sobretudo em dissertação, para a maior clareza do pensamento e maior espaço para o conteúdo;  É necessária uma boa pontuação. Além disso, há três aspectos fundamentais a um texto: clareza, transposição compreensível do pensamento ao papel; coesão, uso adequado de termos que ligam as partes do texto entre si; coerência, formulação de frases lógicas;  Você pode usar o rascunho e posteriormente passar o texto para o formulário final, sendo assim possível revisar a redação antes de sua versão definitiva;  Lembre-se de que fazer uma redação não implica sempre a criação de ideias. Significa simplesmente transpor o que você já sabe sobre um assunto de modo organizado à escrita. Confie em sua capacidade de produzir um texto em sua língua;  As duas palavras que melhor definem uma redação de Vestibular são espontaneidade e criatividade;  No Vestibular, vêm textos em anexo na Prova de Redação e eles sempre terão em comum o mesmo assunto. Apesar de eles servirem de subsídio para montar o seu texto, é preferível não "colar" as ideias deles, uma vez que isso demonstraria falta de criatividade do candidato. Portanto não fuja do assunto e monte suas próprias ideias;  A expressão em prosa que aparece no Vestibular indica que você fará um texto a que você está normalmente habituado, ou seja, o que tem parágrafos, períodos e frases. Não faça jamais texto em verso, posto que a sua redação seria invalidada por isso. ____________________________________________________________________________
  • 16. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 16 PROPOSTA DE REDAÇÃO – Tema: Os programas de TV alienam. Redija um texto dissertativo-argumentativo em no mínimo 15 linhas e no máximo 30 defendendo o seu ponto de vista. Aponte solução para o problema. Proposta de redação Leia os textos abaixo e escolha um dos temas sugeridos: Texto I Televisão _Titãs A Televisão Me deixou burro Muito burro demais Agora todas coisas Que eu penso Me parecem iguais O sorvete me deixou gripado Pelo resto da vida E agora toda noite Quando deito É boa noite, querida.... Oh! Cride, fala prá mãe Que eu nunca li num livro Que o espirro Fosse um vírus sem cura Vê se me entende Pelo menas uma vez Criatura! Oh! Cride, fala prá mãe!... A mãe diz prá eu fazer Alguma coisa Mas eu não faço nada A luz do sol me incomoda Então deixa a cortina fechada É que a televisão Me deixou burro Muito burro demais E agora eu vivo Dentro dessa jaula Junto dos animais... A mãe diz prá eu fazer Alguma coisa Mas eu não faço nada A luz do sol me incomoda Então deixa A cortina fechada Texto II Faz poucos anos, num debate sobre o poder da televisão, numa biblioteca pública da periferia paulistana, um homem da platéia pediu a palavra para dar o seu depoimento. Contou que sua filha, de 5 anos de idade, depois de ser repreendida pela mãe, reagiu gritando: "Não sou mais sua filha. Agora eu sou filha da Xuxa". A mãe de verdade, "demitida" assim de repente, ficou sem reação.(...) O cotidiano infantil de nossos dias já não é demarcado apenas por coisas corpóreas, como o estilingue, a bola de futebol, a mãe ou o pai. Em grandes extensões, ele é dado por objetos imaginários, como os cavaleiros do zodíaco, os filmes policiais e até mesmo a Xuxa, que, na imaginação daquela telespectadora tão pequena, tinha assumido o lugar da mãe. Eugenio Bucci, Veja, 21/5/97 ATENÇÃO Ao desenvolver o tema escolhido, procure utilizar os conhecimentos adquiridos para produzir um artigo de opinião. Siga os passos: transforme o tema num questionamento. Suas respostas serão os argumentos. Observações: ►O rascunho pode ser feito no caderno. ►A redação deve ser passada a limpo antes de entreg
  • 17. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 17 FOLHA DE REDAÇÃO Nome:______________________________________________________________ Nº______ Escola:_________________________________________________________ NÍVEL POR COMPETÊNCIA NOTA RESERVADO AO CORRETOR COMP. I COMP. II COMP. III COMP. IV COMP. V 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. 26. 27. 28. 29. 30.
  • 18. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 18 GRAMÁTICA ORAÇÕES SUBORDINADAS A Oração subordinada, na gramática, é aquela que exerce uma função sintática em relação a uma outra oração, chamada oração principal e que pede complemento ou é uma oração que tem uma certa dependência de sentido em relação a oração principal. Dependendo da função sintática que exercem, as orações subordinadas podem ser classificadas em: substantivas, adjetivas ou adverbiais. CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBSTANTIVAS São introduzidas pelas conjunções integrantes que e se. Classificação Conceito Observações Exemplo Subjetiva Exerce função de sujeito da oração principal. O verbo da or. principal está sempre na 3ª pessoa do singular. Não há sujeito dentro dos limites da OP. É necessário que pensem. Objetiva direta Exerce função de objeto direto da oração principal. Liga-se ao verbo da OP sem preposição (TD ou TDI). Há sujeito dentro dos limites da OP. Desejamos que pensem. Objetiva indireta Exerce função de objeto indireto da oração principal. Liga-se ao verbo da OP com preposição (TI ou TDI) Confio em que pensem. Completiva nominal Exerce função de complemento nominal da oração principal. Liga-se a um nome da OP através de preposição. Tenho confiança em que pensem. Predicativa Exerce função de predicativo do sujeito da oração principal. Liga-se à oração principal através de verbo de ligação (SER) Há sujeito na OP. Nosso desejo é que pensem Apositiva Exerce função de aposto de termo da oração principal. Vem, geralmente, depois de dois pontos ou entre vírgulas. Desejo apenas isto : que pensem 1. Dê a função sintática da oração subordinada substantiva em destaque. a) “Meu Deus, por que me abandonaste se sabias que eu não era Deus?” (C. D. A.) _______________________________________ _______________________________________ b) Referiram-se a que não havia mais vagas. _______________________________________ _______________________________________ c) Não tive dúvidas de que estivessem certos. _______________________________________ _______________________________________ d) Sabemos de uma coisa: que podemos esquecer sua ajuda. _______________________________________ _______________________________________ e) Acontece que meu coração ficou frio. _______________________________________ _______________________________________
  • 19. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 19 f) Que nós e o presente não somos mais dignos dela é a verdade. _______________________________________ _______________________________________ g) Sou contrário a que se conceda tal regalia. _______________________________________ _______________________________________ h) Nunca duvidei de que estivessem certos. _______________________________________ _______________________________________ i) Se o mar é bonito não sei. _______________________________________ _______________________________________ j) Parece que tomaram uma atitude. _______________________________________ ____________________________________ 2) Sublinhe as ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS, circule as conjunções e classifique as orações a seguir (verso da folha). a) Aqui ninguém duvida de que marmota existe. (Rachel de Queiroz) ___________________________________________ b) Estava convencido de que todos os habitantes da cidade eram ruins. (Graciliano Ramos) ___________________________________________ c) Fabiano tinha a certeza de que não se acabaria tão cedo. (G. Ramos) ___________________________________________ d) Essas ocorrências servem para prevenir a população de que nunca estamos seguros nos grandes centros urbanos. ___________________________________________ e) O lazer não deve estar restrito á idéia de que se possa viajar à praia ou ao campo durante as férias. ___________________________________________ f) É verdade que parte da imprensa aumentou muito o noticiário acerca da delinqüência. (Folha de S. Paulo) ___________________________________________ g) Sabia eu que não tinha mais trança de moça no detrás daquelas paredes (...) (J. C. de Carvalho) ___________________________________________ h) Constava também que Aurélia tinha um tutor. ( J. Alencar) ___________________________________________ i) Aqui, não: sabe-se que cada um traz a sua alma. (M. de Assis) ___________________________________________ j) Sinhá Inácia que lhe diga se não chorei muito... (M. de Assis) ___________________________________________ k) Tenho certeza de que aqui é o meu lugar. (Clarice Lispector) ___________________________________________ l) Ela não entendeu se ele se referia à hora ou a toda a vida passada sem compreensão. (Drummond) ___________________________________________ m) Pareceu-me que o mundo se tinha despovoado. (G. Ramos) ___________________________________________ n) Karl Marx acreditava em que a barbárie era a ausência de socialismo. (J. da Tarde) ___________________________________________ o) A oposição salvadorenha tem consciência disso, que há uma diferença “fundamental” entre a Guarda Nacional de Somoza e as Forças Armadas de El Salvador como instituição. (Folha de S. Paulo) ___________________________________________ p) Pensei compreender por que os noivos se presenteiam. (C. Lispector) ___________________________________________ q) Meu desejo é que você se torne um homem responsável. _________________________________________ r) Não tenho dúvida de quanto fui amado. ___________________________________________ s) Pergunto-lhe quantas horas são. (Drummond) ___________________________________________ t) Que bom seria se todos se amassem de verdade. ___________________________________________ u) O vizinho Pires de Melo mandou saber se eu queria barganhar a pele da onça. ( J. C. Carvalho)
  • 20. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 20 ___________________________________________ v) A comadre viu que o vento se lhe ia tomando absolutamente contrário. (M. A de Almeida) ___________________________________________ x) Dizia-se que os feiticeiros iam celebrar ali os seus sortilégios em noite de São João. (F. Távora) ___________________________________________ w) É evidente que ninguém pode condenar o governo por gastar dinheiro com saúde pública. (J. Tarde) ___________________________________________ x) Afinal me convenci de que tudo aquilo eram tolices. (G. Ramos) ___________________________________________ y) Vocês podem achar graça, mas não se esqueçam de que o cearense é um sujeito fino, prático. (M. Palmério) _________________________________________ z) É quase certo que Alexandre poderá ter o lugar de Lúcio no time. ___________________________________________ 3. Dê a função sintática da oração subordinada substantiva em destaque. a) “Meu Deus, por que me abandonaste se sabias que eu não era Deus?” (C. D. A.) _________________________________________________________________________________ b) Referiram-se a que não havia mais vagas. ________________________________________________________________________________ c) Não tive dúvidas de que estivessem certos. _________________________________________________________________________________ d) Sabemos de uma coisa: que podemos esquecer sua ajuda. _________________________________________________________________________________ e) Acontece que meu coração ficou frio. _________________________________________________________________________________ f) Que nós e o presente não somos mais dignos dela é a verdade. _________________________________________________________________________________ g) Sou contrário a que se conceda tal regalia. _________________________________________________________________________________ h) Nunca duvidei de que estivessem certos. _________________________________________________________________________________ i) Se o mar é bonito não sei. _________________________________________________________________________________ j) Parece que tomaram uma atitude.
  • 21. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 21 ATIVIDADE AVALIATIVA NOME________________________________________________________Nº ____SÉRIE______ Leia a tirinha abaixo. 1. Na tira, existem três orações reduzidas de gerúndio. Transcreva-as, nas linhas abaixo, desenvolva-as e classifique-as. ________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 2. Indique a função sintática e a classificação da oração que a escola libere os garotos... ________________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 3. A palavra que, no último quadrinho, é conjunção integrante ou pronome relativo? Por quê? _______________________________________________________________________________________ 4. Qual o valor semântico da palavra enquanto, no 2º quadrinho?__________________________________ 5. Leia algumas frases de Mário Quintana. “A resposta certa não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas.” “Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem.” “... mas o que eles não sabem levar em conta é que o poeta é uma criatura essencialmente dramática, isto é, contraditória, isto é, verdadeira. E, por isso, é que o bom de escrever teatro é que se pode dizer, com toda a sinceridade, as coisas mais opostas. Sim, um autor que nunca se contradiz deve estar mentindo.” a) Determine a classificação da oração que as perguntas estejam certas. _______________________________________________________________________________________ b) Reescreva a 2ª frase de Quintana, substituindo o antecedente os por um pronome correspondente. O sentido deve ser preservado. _______________________________________________________________________________________ c) “mas o que eles não sabem levar em conta...” Qual é a oração adjetiva? Como se classifica? A que antecedente se refere? _______________________________________________________________________________________ d) Qual a função sintática do último pronome relativo que aparece na 3ª frase?______________________
  • 22. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 22 6. Leia o trecho da crônica Meu ideal seria escrever..., de Rubem Braga. “Meu ideal seria escrever uma história tão engraçada que aquela moça que está doente naquela casa cinzenta quando lesse minha história no jornal risse, risse tanto que chegasse a chorar e dissesse -- "ai meu Deus, que história mais engraçada!". E então a contasse para a cozinheira e telefonasse para duas ou três amigas para contar a história; e todos a quem ela contasse rissem muito e ficassem alegremente espantados de vê-la tão alegre. Ah, que minha história fosse como um raio de sol, irresistivelmente louro, quente, vivo, em sua vida de moça reclusa, enlutada, doente. Que ela mesma ficasse admirada ouvindo o próprio riso, e depois repetisse para si própria -- "mas essa história é mesmo muito engraçada!" Vocabulário: reclusa: que vive presa, fechada; enlutada: com tristeza profunda. a) “Meu ideal seria escrever uma história...” A oração em itálico é subordinada substantiva predicativa. Nas linhas abaixo, reescreva o período, transformando a substantiva em subjetiva. _______________________________________________________________________________________ b) A que o cronista compara sua história? Por que ele gostaria de que sua história fosse assim? _______________________________________________________________________________________ c) No trecho acima, existe um vocativo. Transcreva-o na linha abaixo.______________________________ d) “E então a contasse para a cozinheira e telefonasse para duas ou três amigas para contar a história; e todos a quem ela contasse rissem muito e ficassem alegremente espantados de vê-la tão alegre.”  Indique o valor semântico da palavra em negrito._________________________________________  Classifique a 1ª oração grifada e indique a função sintática do pronome relativo. _________________________________________________________________________________  Classifique a 2ª oração grifada e determine sua função sintática. ________________________________________________________________________________ 7. Leia a tira abaixo. a) Transcreva, do último quadrinho, a subordinada substantiva. Classifique-a e explique a crítica contida no pensamento de Mafalda. Utilize, para isso, as linhas abaixo. ________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ b) Qual é o valor gramatical da palavra que, a qual introduz a subordinada? _______________________________________________________________________________________ 8. Nesta questão, você deverá unir os períodos por meio dos relativos cujo (e variações) e onde. Lembre-se de que cujo substitui adjunto adnominal e onde, adjunto adverbial. a) Drummond é um poeta. Seus versos a todos comovem. _______________________________________________________________________________________
  • 23. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 23 b) O cliente, imediatamente, se queixou ao guardador. Seu carro havia sido danificado no estacionamento. _______________________________________________________________________________________ c) O país ainda tem de resolver muitos problemas sociais. Moramos nesse país. _______________________________________________________________________________________ d) A música será apresentada pelo coral. A letra da música é muito bonita. _______________________________________________________________________________________ Leia o trecho de um poema de Carlos Drummond de Andrade. Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus. Tempo de absoluta depuração. Tempo em que não se diz mais: meu amor. Porque o amor resultou inútil. E os olhos não choram. E as mãos tecem apenas o rude trabalho. E o coração está seco. Em vão mulheres batem à porta, não abrirás. Ficaste sozinho, a luz apagou-se, mas na sombra teus olhos resplandecem enormes. És todo certeza, já não sabes sofrer. E nada esperas de teus amigos. Os Ombros Suportam o Mundo Carlos Drummond de Andrade Vocabulário: depuração: ato ou efeito de purificar, limpar. 9. Sabe-se que o relativo onde, em algumas situações, pode substituir o relativo que (precedido da preposição em). Responda: isso poderia ocorrer no 1º e no 3º versos do trecho acima? Por quê? ________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ 10. Classifique o predicado das orações dos três últimos versos da 1ª estrofe. ________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ 11. Transcreva um verso que seja formado por uma oração cujo predicado seja verbo-nominal. Depois, indique os núcleos. ________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ 12. “E nada esperas de teus amigos.” a) Transcreva os complementos verbais, se houver, e classifique-os. ________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ 13. Por que o poeta afirma que chega um tempo em que não se diz mais “Meu amor”? ________________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________________ .BOM TRABALHO!
  • 24. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 24 ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS COMO IDENTIFICAR AS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS Oração subordinada adjetiva é aquela que se encaixa na oração principal, funcionando como adjunto adnominal de um substantivo ou de um pronome antecedente, ou equivalente a um aposto explicativo. É introduzida, normalmente, por um pronome relativo: que (= o qual), quem, cujo, onde (= no qual, em que), quanto (precedido de tudo), o qual (= a qual, os quais, as quais). Ele não aceita críticas improcedentes Subst. Adjetivo (adj. adnominal) Ele não aceita críticas que não procedem. (antecedent e) Or. subord. Adjetiva (que = as quais)oração principal Classificação das orações adjetivas Quanto ao sentido, as subordinadas adjetivas classificam-se em restritivas ou explicativas. Classificação Características Exemplos Restritiva a) Restringe a significação do substantivo ou do pronome antecedente, isto é, particulariza um subconjunto dentro de um conjunto. “O livro que ele lia era a loucura do homem agoniado.” (Jorge de Lima) (= esse livro é a loucura...; outros não) b) É indispensável ao sentido da frase. c) Não se separa por vírgula da oração principal.  parte do conjunto = alguns  se alguém/ alguns têm a qualidade, os outros não têm O homem que se esforça vence. (= alguns; só os esforçados; os outros não) Explicativa a) Acrescenta uma qualidade acessória ao antecedente. Jorge de Lima, que foi um poeta da segunda fase do Modernismo brasileiro, escreveu uma obra junto com Murilo Mendes. (= é o único Jorge de Lima e o único que escreveu uma obra junto com Murilo Mendes) O homem, que é mortal, retorna ao pó. (= todos ; qualquer homem ) b) É dispensável. c) Vem separada por vírgula da oração principal.  todo o conjunto – todos têm a qualidade ou é o único que a tem ATIVIDADE 1. Sublinhe as orações principais a seguir, copie as orações adjetivas e classifique-as em restritiva ou explicativa: 01 - Duro é o sofrimento que nasce do vício. 02 - A água, que é incolor, é indispensável.
  • 25. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 25 03 - Comprei um papagaio que fala muito. 04 - Deus, que é o pai de todos, sabia da luta que ele tivera. 05 - As pessoas que fingem não são dignas de confiança. 06 - Há coisas que nos comovem. 07 - O vulcão, que parecia extinto, voltou a dar sinal de vida. 08 - É teu tudo quanto aqui existe. 09 - Os bois da região, que contraíram febre aftosa, serão examinados. 10 - O livro que li é muito bom. 11 - A Lua, que é satélite da terra, inspirou muitos poetas. 12 - A neve, que é fria, provocou a morte da vegetação. 13 - Infeliz é o homem que não age honestamente. 14 - Os homens que tem seu preço são fáceis de corromper. 15 - Os idosos, que gostam de dançar, se divertiram muito. 16 - O professor indicou os livros que deviam ser lidos. 17- Conhece a casa onde moro? 18 - Espinhosa é a estrada por onde passamos. 19 - João, que era bom aluno, está desempregado. 20 – Todos adoram espelhos que se deformam. 21 – Poucas eram a árvores que o inverno despira. 22 – Balançou a rede, que rangeu nos galhos. 23 – Ele que era esperto, entendeu-me. 2) Nas frases abaixo, indique o antecedente do pronome relativo nas ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS e Dê a função sintática dos pronomes relativos: a) As árvores que ainda resistiam à seca estavam despidas de suas folhas. ___________________________________________ b) O homem que mente é desprezível. ___________________________________________ c) O hospital é o lugar onde se socorrem os doentes. ___________________________________________ d) As crianças pararam em frente à loja onde os brinquedos estavam expostos. _________________________________________ e) As lagartixas que havia no caminho davam carreirinhas intermitentes. ___________________________________________ f) Visitamos do sítio que pertenceu a meu avô. ___________________________________________ 3) Copie as orações, completando-as com os pronomes relativos que estão no quadro: a) Esse é um profissional ____________ capacidade não se duvida. b) Foram arrancadas as árvores ________________ galhos havia cipós entrelaçados. c) Deus, _____________ recorremos nos bons e nos maus momentos da vida, nunca nos desampara. d)Não encontrei a pessoa ____________ me falaste. e) Não mencionou o lugar _____________________ poderíamos encontrá-la. a quem – de cuja – de quem – onde – em cujos
  • 26. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 26 4) Leia o trecho abaixo, retirado de um texto em que um chefe indígena fala sobre a importância da natureza para sua tribo: “Cada pedaço desta terra é sagrado para meu povo. Cada ramo brilhante de um pinheiro, cada punhado de areia das praias... são sagrados na memória e experiência de meu povo. A seiva que percorre o corpo das árvores carrega consigo as lembranças do homem vermelho.” a) Por que podemos afirmar que a oração “que percorre o corpo de areia das praias” é uma oração subordinada adjetiva? Que papel ela exerce? A que ela se relaciona na oração principal? ____________________________________________________________________________________-_ b) Classifique a oração subordinada adjetiva destacada acima. __________________________________________________________________________________________ 3) Sublinhe as orações SUBORDINADAS ADJETIVAS abaixo, circule as conjunções e classifique as orações. a) Continuava a flertar com meninos que me agradavam. _____________________________________________________________________________________ b) Este é o caso que precisa de atenção. _______________________________________________________________________________________ c) Falava de um modo que feria minha sensibilidade. _______________________________________________________________________________________ d) Carlos que é europeu, estranha nossos costumes. _______________________________________________________________________________________ ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS Oração subordinada adverbial é aquela que se encaixa na oração principal, funcionando como adjunto adverbial. As subordinadas adverbiais vêm, normalmente, introduzidas por uma das conjunções subordinativas (com exclusão das integrantes), e são classificadas de acordo com a conjunção ou locução conjuntiva que as introduz. Classificação quanto à função As orações subordinadas adverbiais exercem, como já visto, função de adjuntos adverbiais e se classificam conforme o quadro a seguir: Classificação Conceito e principais conjunções Exemplo CAUSAL Indica a causa da ação expressa pelo verbo da oração principal. Principais conjunções causais: porque, visto que, já que, uma vez que, como ( = porque). Fui aprovado porque estudei. COMPARATIVA Estabelece uma comparação com a ação indicada pelo verbo da oração principal. Principais conjunções comparativas: que e do que (precedidos de mais, menos, melhor, pior, maior, menos), como. Observação: Freqüentemente, omite-se nas comparativas o verbo da oração principal. Vamos agir como os melhores. ( = como os melhores agem) CONCESSIVA Indica uma concessão às ações do verbo da oração principal, isto é, admite uma contradição ou um fato inesperado. Principais conjunções concessivas: embora, posto que, se bem que, ainda que, conquanto, mesmo que. Embora risse muito, não parecia contente.
  • 27. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 27 CONDICIONAL Indica a situação necessária à ocorrência da ação do verbo da oração principal. Principais conjunções condicionais: se, exceto se, caso, desde que, contanto que, a menos que. Caso chova, não viajaremos. CONFORMATIVA Indica uma conformidade entre o fato que expressa e a ação do verbo da oração principal. Principais conjunções conformativas: como, consoante, segundo, conforme. Os resultados ficaram conforme prevíramos. CONSECUTIVA Indica a conseqüência resultante da ação do verbo da oração principal. Principais conjunções consecutivas: (tão)... que, (tanto).. que, (tal)... que, (tamanho)... que. O caminho é tão longo que não tem fim. FINAL Indica o fim, o objetivo a que se destina o verbo da oração principal. Principais conjunções finais: para que, a fim de que, que (= para que). Esforcei-me para que tudo desse certo. PROPORCIONAL Indica uma relação de proporcionalidade com o verbo da oração principal. Principais conjunções proporcionais: à medida que, quanto mais... mais, quanto mais... menos, à proporção que. Quanto mais vivo, mais aprendo. TEMPORAL Indica a circunstância de tempo em que ocorre a ação do verbo da oração principal. Principais conjunções temporais: antes que, quando, assim que, logo que, até que, depois que, mal, apenas. Quando você precisar de mim, procure-me. _______________________________________________________________________________________ ATIVIDADE 1.Escreva o tipo de relação existente entre a oração adverbial destacada e a oração principal. Modelo: “Mas o chá saiu tão bom, que os parentes vivem me pedindo um pouco.” (C.D.A.) Relação de consequência. a) “(...) resolveu não dormir, porque valia a pena esperar de pé.” (A. Azevedo) _b) “De soslaio atrás do jornal – tremia tanto que nem podia ler.” (Dalton Trevisan) c) “O povo não gosta de assassinos, embora inveje os valentes.” (C. D. A.) d) “Um amigo pintor trouxe um cavalete e tintas para que os pintores amigos possam pintar.” (R. Braga) e) “Se me telefonarem, só estou para Maria.” (Vinícius de Moraes) f) “Quanto mais eu gritava, mais os prejuízos brotavam de todos os lados.” (José Cândido de Carvalho) g) “Quando chegou domingo, chegou também a preguiça (...)” (C. D. A.) h) “(...) o mistério explica mais que a claridade (...)” (Clarice Lispector) i) “Como ele próprio diz com certa melancolia, levou uma vida medíocre.” (Folha de S. Paulo) 2) Sublinhe as ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS abaixo, circule as conjunções e classifique as orações. A) As ruas ficaram alagadas porque a chuva foi muito forte. B) Como ninguém se interessou pelo projeto, não houve outra alternativa a não ser cancelá-lo. C) Já que você não vai, eu não vou. D) A chuva foi tão forte que em poucos minutos as ruas ficaram alagadas. E) Tal era sua indignação que imediatamente se uniu aos manifestantes.
  • 28. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 28 F) Sua fome era tanta que comeu com casca e tudo. G) Caso você se case, convide-me para a festa. H) Conquanto a economia tenha crescido, pelo menos metade da população continua à margem do mercado de consumo. I) Se o regulamento do campeonato for bem elaborado, certamente o melhor time será o campeão. J) Conhecendo os alunos (= Se conhecesse os alunos), o professor não os teria punido. (oração reduzida de gerúndio) K) Embora fizesse calor; levei agasalho. L) Sua sensibilidade é tão afinada quanto sua inteligência (é). M) Foi aprovado sem estudar ( = sem que estudasse / embora não estudasse). (reduzida de infinitivo) N) Ele dorme como um urso (dorme). O) Não saia sem que eu permita. P) Fiz o bolo conforme ensina a receita. Q) Segundo atesta recente relatório do Banco Mundial, o Brasil é o campeão mundial de má distribuição de renda. R) Vim aqui a fim de que você me explicasse as questões. S) Fez tudo porque eu não obtivesse bons resultados. (- para que eu não obtivesse...) T) Suportou todo tipo de humilhação para obter o visto americano. (= para que obtivesse...) (reduzida de infinitivo) U) Quanto mais se aproxima o fim do mês, mais os bolsos ficam vazios. V) Quanto mais te vejo, mais te desejo. X) À medida que se aproxima o fim do campeonato, aumenta o interesse da torcida pela competição. Y) À proporção que se acumulam as dívidas, diminuem as possibilidades de que a empresa sobreviva. Leia o poema a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responda às questões de 1 a 6. Ainda que mal Ainda que mal pergunte, ainda que mal respondas; ainda que mal te entenda, ainda que mal repitas; ainda que mal insista, ainda que mal desculpes; ainda que mal me exprima, ainda que mal me julgues; ainda que mal me mostre, ainda que mal me vejas; ainda que mal te encare, ainda que mal te furtes; ainda que mal te siga, ainda que mal te voltes; ainda que mal te ame, ainda que mal o saibas; ainda que mal te agarre, ainda que mal te mates; ainda assim te pergunto e me queimando em teu seio, me salvo e me dano: amor. (As impurezas do branco. Rio de Janeiro:José Olympio/MEC, 1973.p. 39.) 23. Quase todos os versos do poema consistem em um mesmo tipo de oração subordinada. a) Qual é a conjunção subordinativa que introduz essas orações? ____________________________ b) Como se classificam, portanto, essas orações subordinadas? ______________________________ c) Qual é a oração principal dessas orações adverbiais? ____________________________________ 24. O emprego da expressão ainda que pode apresentar mais de um sentido. Observe: Ainda que não mereças, eu te amo. Ainda que mal lhe pergunte, você me ama? No primeiro enunciado, a expressão ainda que é uma típica conjunção concessiva, ou seja, apesar de indicar algo contrário (o não merecimento) ao que se afirma na oração principal (o amor àquela pessoa), isso não é suficiente para impedir a ação expressa na oração principal, que é amar. Já no segundo enunciado, a expressão ainda que mal tem uma conotação de polidez, pois constitui uma maneira educada de introduzir uma pergunta talvez inconveniente ou fora de hora. Destaque no poema: a) um verso em que essa expressão tenha um valor concessivo;___________________________________ b) um verso em que essa expressão tenha uma conotação de polidez, indicando cuidado ao introduzir uma pergunta.______________________________________________________________________________
  • 29. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 29 ATIVIDADE AVALIATIVA NOME________________________________________________________Nº ____SÉRIE______ Texto I Leia o anuncio para responder as questões de 01 a 06: 1. Foi empregados um pronome relativo na parte principal desse anúncio. Copie-o e, depois, indique a função sintática que ele desempenha na orações em que foi empregado . _________________________________________ ______________________________________ 2. O texto principal, escrito com letras grandes, é intencionalmente ambíguo. a) Por que esse texto causa impacto no leitor? _________________________________________ _________________________________________ _________________________________________ Sapato boneca é o modelo da Coleção de Inverno Sílvia Rabelo que vai colocar o seu menino nos eixos: ele não vai tirar você da cabeça, e nem largar do seu pé. a) Quantos períodos e quantas orações há no anúncio _____________________________ b) Lendo-se o texto escrito com letras pequenas, percebe-se o verdadeiro sentido da mensagem. Qual é ele? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 3. Relacionando os dois textos com a foto, notamos ainda outros sentidos implícitos no anúncio. a) Levando-se em conta a foto, que outro sentido pode ter a palavra boneca? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ b) Por que realmente os garotos esqueceriam os carrinhos? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 4. O anúncio faz uso de algumas expressões próprias de uma variedade diferente da norma- padrão. Dê o significado destas expressões: a) “colocar o seu menino nos eixos”__________________________________________________
  • 30. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 30 b) “não vai tirar você da cabeça”____________________________________________________ c) “nem largar do seu pé”___________________________________________________________ 5. Considerando que o anúncio foi publicado numa revista voltada para o público feminino e adolescente, responda: a) A linguagem é adequada ao público que tem esse perfil? Por quê? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ b) Qual é o principal argumento (motivo, razão) utilizado para convencer o público-alvo a consumir esse tipo de sapato? _______________________________________________________________________________ 6- Na frase “ A boneca que vai fazer os meninos esquecerem os carrinhos”, classifique a oração sublinhada. _______________________________________________________________________________ Texto II Leia a tirinha abaixo do personagem Hagar para responder as questões 8 e 9 8. Em “Aqui está uma receita que vai lhe dar alívio imediato” : a) Sublinhe a oração principal e separe-a com uma barra da oração subordinada. b) Transcreva a oração subordinada e classifique-a. _______________________________________________________________________________ 9. Em “O doutor disse / que você deve partir /para invadir a Inglaterra imediatamente”, a) Classifique a 1ª oração:_______________________________________________ a) Classifique a 2ª oração:_______________________________________________ b) Classifique a 3ª oração:_______________________________________________
  • 31. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 31 Texto III Leia a tirinha abaixo para responder à questão 10 10 . No período “Tome conta dos prisioneiros enquanto eu vou ali no caixa eletrônico.” a oração em destaque é classificada como:_________________________________________ Texto IV 11.Leia os trechos da música para responder a questão a e b : “Se eu quiser falar com Deus Tenho que ficar a sós, Tenho que apagar a luz, Tenho que calar a voz” ... “Se eu quiser falar com Deus Tenho que me aventurar, Tenho que subir aos Céus, Sem cordas pra segura a) Circule todas as conjunções presentes na letra da música:___________________________ b) Copie e Classifique as orações que as conjunções introduzem: ____________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________ ______ c) Copie a oração dos versos: Se eu quiser falar com Deus tenho que ficar a sós ____________________________________________________________________________ ___ 12 .. Sublinhe e Classifique as orações subordinadas adverbiais abaixo: A) Como a alta inflação, os investidores preferem comprar dólares._____________________ B) Se a inflação estiver alta, os investidores preferirão comprar dólares._______________ C) Quando a inflação está alta, os investidores preferem comprar dólares.____________ D)A inflação está tão alta que os investidores preferem comprar dólar.______________________ E) Embora a inflação esteja alta, os investidores preferem comprar dólares_________________
  • 32. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 32 Bom trabalho!!!!!!!!!!!!!! ORAÇÕES COORDENADAS Possuem estrutura sintática completa (sujeito+verbo+complemento) e são independentes – diferentes das subordinadas - elas sempre mantêm uma relação de continuidade e sentido - num período composto as orações não funcionam como termo de outra, nem tem outra funcionando como termo dela. Assindéticas – semsíndeto – sem conjunção  OCA (Orações Coordenadas Assindéticas) Acordou bem cedo, lavou o rosto, tomou café da manhã, foi trabalhar.  4 Orações Coordenadas Assindéticas Sindéticas – com conjunção Período Composto por Coordenação Orações Coordenadas Sindéticas Aditivas exprime relação de soma, adição, continuidade Conjunções: e, nem (= não), não só... mais ainda, não só... como também O aluno pegou o lápis e começou a escrever. (sem virgula!) Orações Coordenadas Sindéticas Adversativas contraste, oposição, adversidade. Conjunções: mas, porém, todavia, contudo, no entanto, entretanto, e (= mas). Perdeu a luta, no entanto não perdeu as esperanças. Perdeu a luta; não perdeu, contudo, as esperanças. Coordenadas Sindéticas Alternativas – alternância e escolha entre dois eventos que se excluem Conjunções: ou (ou...ou), ora...ora, quer...quer, já...já, seja...seja. Ora me bate, ora me beija. – Duas orações OCS Alternativa OBS: elas não iniciam por OCA como é o caso das outras Coordenadas Sindéticas Conclusivas – deduções por raciocínio lógico, uma conclusão. Conjunções: logo, portanto, assim, por conseguinte, por isso, pois (após o verbo!). Treinou cinco anos para a luta, logo vencerá. Treinou cinco anos para a luta; deve, portanto, vencer. Treinou cinco anos para a luta; deve vencer, pois, a luta. Orações Coordenadas Sindéticas Explicativas – justificativa/explicação para uma ordem ou pedido, ou ação. Conjunções: que, porque, pois (antes do verbo!) Fique mais um pouco, (pois) preciso de sua ajuda. Reze, que o santo ajuda
  • 33. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 33 ATIVIDADE ORAÇÕES COORDENADAS 1. Identifique as conjunções dos períodos abaixo: a) Zé Brasil trabalhou muito, porém foi despedido. b) Minhas plantas não sobrevivem, pois não consigo matar as formigas. c) Ele não tem assistência médica; logo sofre de muitas doenças. d) Fique aqui, porque o coronel Tatuíra já vem e vai querer falar com você. 2. Relacione as colunas: a) Tentou matar as formigas, mas não conseguiu. b) Ele não sabia se trabalhava ou se tentava matar as formigas. c) Ele queria ter uma casa e plantar uma horta. d) Era chamado de vadio, pois trabalhava pouco. e) Ele trabalhava pouco; logo era chamado de vadio. ( ) relação de conclusão ( ) relação de contraste, adversidade ( ) relação de confirmação ou explicação ( ) relação de alternância ( ) relação de acréscimo. 3. Circule e classifique as conjunções coordenadas em ADITIVA, ADVERSATIVA, ALTERNATIVA, CONCLUSIVA, EXPLICATIVA a) Ora ele planta, ora ele capina o mato. _____________________________________ b) Ele não plantou milho nem derrubou o mato. ______________________________________ c) Zé Brasil trabalha na terra, porém o coronel fica com os lucros. ______________________________________ d) Ele trabalha muito; devia, pois, lucrar mais. ______________________________________ e) O coronel o expulsou, pois era o dono das terras. ______________________________________ f) O camponês preparou a terra, plantou, não colheu nada . ______________________________________ g) Quer ele seja vadio, quer seja indolente, ninguém deve culpá-lo por isso. ______________________________________ h) Tentou matar as formigas, contudo não conseguiu; logo, desistiu de tudo. ______________________________________ i) Zé Brasil tentou comprar umas terras; entretanto, não comprou. ______________________________________ j) Ponha atenção nas doenças do Zé Brasil, que você o compreenderá melhor. ______________________________________ 4. Junte as orações dadas em cada item, usando como ligação uma conjunção coordenativa; indique o tipo de relação estabelecida. Ex.: a) Ela não teve tempo de estudar. b) Esforçou-se e fazer uma boa prova. c) Ela não teve tempo de estudar, no entanto, esforçou-se em fazer uma boa prova. (adversativa) ►a) O campeonato foi muito duro. b) Os atletas merecem um longo descanso. ______________________________________ ►a) Você é um grande amigo nosso. b) Contamos urgentemente com sua ajuda. ______________________________________ ►a) Ele é uma pessoa competente. b) É capaz de falhar algumas vezes, como qualquer um de nós. ______________________________________ ►a) Ele quer ficar rico. b) Deve trabalhar com muito afinco.
  • 34. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 34 3- Leia a tira do Calvin a seguir e responda às questões: www.tiras.com.br Observe que na tira acima temos alguns períodos por coordenação: a) Transcreva da tirinha as formas verbais presentes. b) Qual é a oração coordenada explicativa presente no 2º quadrinho? c) Qual o valor semântico da conjunção em destaque na oração “ou pra mostrar ação”? d) Retire do 3º quadrinho uma oração coordenada aditiva e sublinhe a conjunção. 4- Leia a tirinha. Após, releia somente o 3º quadrinho. www.tiras.com.br a) Identifique a conjunção presente na frase dita pelo personagem. b) Informe o valor semântico da conjunção no contexto em que foi empregada. 5- Observe a relação semântica existente entre as orações de cada item seguinte e una-as numa única frase. Utilize as conjunções coordenativas e, nem, mas, porém, porque, pois, logo a) É um bom funcionário. ..........é um pouco distraído. b) Pense bem................. aja moderadamente. c) Aquele aluno não estudou de forma correta............ foi reprovado. d) Liguei várias vezes para você.................. não atendeu. e) Não pude ir à escola hoje. ............jamais me encontraria lá.
  • 35. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 35 6- Verifique o código em evidência, empregando-o corretamente de acordo com os casos expressos pelas orações a seguir: A – coordenada aditiva B – coordenada adversativa C – coordenada alternativa D – coordenada explicativa E – coordenada conclusiva a- Não fomos ao aniversário, porém trouxemos o presente ( ). b – Ou tentas se qualificar melhor, ou serás demitido ( ). c – Conseguimos obter um ótimo resultado, pois nos esforçamos bastante ( ). d- A garota não compareceu à aula porque estava doente ( ). e – Viajamos muito e chegamos exaustos. ( ). f – Não vejo importância neste tema, portanto encerraremos a reunião. ( ). g – Não gosto de sua atitude, todavia não lhe trato mal. ( ). h- Os meninos não entenderam o assunto; entretanto disseram que sim. ( ). i- A menina está se preparando para o concurso do BB há dias; logo, deverá ser aprovada. ( ). j- Procure após o intervalo, pois estarei em casa. ( ). k- Quer queira, quer não queira, os filhos acompanham os pais nas viagens. ( ). l- Iremos embora que já anoiteceu. ( ). 7- Observe o seguinte excerto poético e em seguida atente-se para as questões que a ele se referem: “As horas passam, os homens caem, a poesia fica” (Emílio Moura) a – Estamos diante de um período, pois o mesmo é formado por várias orações. Como ele se denomina? E por quê? b – As orações que o compõem são coordenadas sindéticas ou assindéticas? Justifique. c – Reescreva os versos introduzindo as conjunções coordenadas que melhor se adequarem à ideia expressa. 8- Assinale a alternativa que contém uma coordenativa conclusiva. a – Sérgio foi bom filho; logo será um bom pai. b – Os meninos ora brigavam, ora brincavam. c – Jaime trabalha depressa, contudo produz pouco. d – Os cães mordem, não por maldade, mas por precisarem viver. e – Adão comeu a maçã, e nossos dentes até hoje doem. _______________________________________________________________________________
  • 36. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 36 PROPOSTADE REDAÇÃO Os limites da liberdade Não creio, no sentido filosófico do termo, na liberdade do homem. Todos agem não apenas sob um constrangimento exterior mas também de acordo com uma necessidade interior.” Albert Einstein Nos últimos dias, notícias acerca do confronto entre a Polícia Militar e estudantes da USP tomaram conta dos noticiários. O caso teve início quando a Polícia Militar deteve 3 estudantes que estavam em posse de maconha dentro do Campus. O Uol noticiou que estudantes contrários à presença da Polícia Militar no campus da USP continuam no prédio da administração da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas). Encapuzados, eles defendem a saída da PM do campus Butantã (zona oeste de São Paulo), mas não querem falar com a imprensa. Vejam o que mais a reportagem dizia: “Um representante do movimento disse apenas que ‘a ocupação vai até a gente conseguir as nossas demandas’. Além da saída da PM, os estudantes pedem a saída do reitor João Grandino Rodas. Os manifestantes estão trancados no prédio e, às vezes, aparecem no portão, sempre encapuzados. Há relatos de que alguns deles chegaram a atacar um veículo da TV Record. Do lado de fora do prédio, estudantes que defendem a permanência da PM no campus falam normalmente com a imprensa. Rodrigo Souza Neves, aluno do curso de políticas públicas e ex-aluno de história, afirma que os manifestantes que ocupam o prédio da FFLCH não representam a maioria dos estudantes da universidade. ‘Nós fizemos um plebiscito com cerca de 1.100 alunos, e 60% são a favor da presença da PM no campus.’ Lucas Sorrillo, colaborador no grêmio da Poli (Escola Politécnica da USP), diz que, antes da presença da PM, não havia segurança na universidade. “Antes daquele trágico acontecimento [o assassinato do estudante Felipe Ramos de Paiva, em maio deste ano], era comum haver tráfico de drogas e assaltos no campus.” A reitoria da USP não se posicionou oficialmente sobre a ocupação, mas informou que a decisão do convênio com a PM foi tomada pelo Conselho Gestor do Campus, que reúne representantes de todas as unidades da universidade.” [fonte da reportagem] Sobre este mesmo assunto, em 2009 foi publicada a charge que retrato abaixo. Na época, o governador do Estado de São Paulo era José Serra.
  • 37. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 37 PROPOSTADE REDAÇÃO Nesta semana vamos discutir a legitimidade desse tipo de manifestação. Você concorda com a ação da Polícia? Os estudantes presos com maconha dentro do Campus foram discriminados. O que desejam realmente os manifestantes? Proposta 1 Desenvolva um texto dissertativo discutindo “ os limites da liberdade na sociedade moderna” . Em seu texto, outras delimitações podem ser dadas desde que o assunto seja este e a fundamentação seja concreta.  escreva no máximo 30 linhas;  use caneta azul escuro ou preta;  use o padrão culto da linguagem;  fundamente concretamente sua argumentação;  deixa a delimitação do tema.
  • 38. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 38 FOLHA DE REDAÇÃO Nome:______________________________________________________________ Nº______ Escola:_________________________________________________________ NÍVEL POR COMPETÊNCIA NOTA RESERVADO AO CORRETOR COMP. I COMP. II COMP. III COMP. IV COMP. V 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. 26. 27. 28. 29. 30.
  • 39. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 39 CONCORDÂNCIA NOMINAL Nada mais é que o ajuste que fazemos aos demais termos da oração para que concordem em gênero e número com o substantivo. Teremos que alterar, portanto, o artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome. Além disso, temos também o verbo, que se flexionará à sua maneira, merecendo um estudo separado de concordância verbal. Encontre a faculdade certa para você REGRA GERAL: O artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome, concordam em gênero e número com o substantivo. - A pequena criança é uma gracinha. - O garoto que encontrei era muito gentil e simpático. CASOS ESPECIAIS: Veremos alguns casos que fogem à regra geral, mostrada acima. a) Um adjetivo após vários substantivos 1 - Substantivos de mesmo gênero: adjetivo vai para o plural ou concorda com o substantivo mais próximo. - Irmão e primo recém-chegado estiveram aqui. - Irmão e primo recém-chegados estiveram aqui. 2 - Substantivos de gêneros diferentes: vai para o plural masculino ou concorda com o substantivo mais próximo. - Ela tem pai e mãe louros. - Ela tem pai e mãe loura. 3 - Adjetivo funciona como predicativo: vai obrigatoriamente para o plural. - O homem e o menino estavam perdidos. - O homem e sua esposa estiveram hospedados aqui. b) Um adjetivo anteposto a vários substantivos 1 - Adjetivo anteposto normalmente: concorda com o mais próximo. Comi delicioso almoço e sobremesa. Provei deliciosa fruta e suco. 2 - Adjetivo anteposto funcionando como predicativo: concorda com o mais próximo ou vai para o plural. Estavam feridos o pai e os filhos. Estava ferido o pai e os filhos. c) Um substantivo e mais de um adjetivo 1- antecede todos os adjetivos com um artigo. Falava fluentemente a língua inglesa e a espanhola. 2- coloca o substantivo no plural. Falava fluentemente as línguas inglesa e espanhola. d) Pronomes de tratamento 1 - sempre concordam com a 3ª pessoa. Vossa santidade esteve no Brasil. e) Anexo, incluso, próprio, obrigado 1 - Concordam com o substantivo a que se referem. As cartas estão anexas. A bebida está inclusa. Precisamos de nomes próprios. Obrigado, disse o rapaz. f) Um(a) e outro(a), num(a) e noutro(a) 1 - Após essas expressões o substantivo fica sempre no singular e o adjetivo no plural. Renato advogou um e outro caso fáceis. Pusemos numa e noutra bandeja rasas o peixe. g) É bom, é necessário, é proibido 1- Essas expressões não variam se o sujeito não vier precedido de artigo ou outro determinante. Canja é bom. / A canja é boa. É necessário sua presença. / É necessária a sua presença. É proibido entrada de pessoas não autorizadas. / A entrada é proibida. h) Muito, pouco, caro 1- Como adjetivos: seguem a regra geral. Comi muitas frutas durante a viagem. Pouco arroz é suficiente para mim. Os sapatos estavam caros. 2- Como advérbios: são invariáveis. Comi muito durante a viagem. Pouco lutei, por isso perdi a batalha. Comprei caro os sapatos.
  • 40. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 40 i) Mesmo, bastante 1- Como advérbios: invariáveis Preciso mesmo da sua ajuda. Fiquei bastante contente com a proposta de emprego. 2- Como pronomes: seguem a regra geral. Seus argumentos foram bastantes para me convencer. Os mesmos argumentos que eu usei, você copiou. j) Menos, alerta 1- Em todas as ocasiões são invariáveis. Preciso de menos comida para perder peso. Estamos alerta para com suas chamadas. k) Possível 1- Quando vem acompanhado de “mais”, “menos”, “melhor” ou “pior”, acompanha o artigo que precede as expressões. A mais possível das alternativas é a que você expôs. Os melhores cargos possíveis estão neste setor da empresa. As piores situações possíveis são encontradas nas favelas da cidade. m) Meio 1- Como advérbio: invariável. Estou meio insegura. 2- Como numeral: segue a regra geral. Comi meia laranja pela manhã. n) Só 1- apenas, somente (advérbio): invariável. Só consegui comprar uma passagem. 2- sozinho (adjetivo): variável. Estiveram sós durante hora __________________________________________________________________________________ 1) Complete, efetuando a concordância: a) Vão ____________________ alguns modelos de contrato. (anexo) b) Seguem ____________________ algumas anotações nossas. (incluso) c) ____________________ estou remetendo algumas fotos do local. (anexo) d) As crianças pensavam ____________________ nos doces da festa. (só) e) Muito ____________________ pela orientação que você me deu, agradeceu a jovem. (obrigado) f) Elas ____________________ quiseram comprar os ingressos. (mesmo) g) Eles ____________________ foram conversar com o responsável. (próprio) h) ____________________, disse o garotinho ao sair. (obrigado) i) Vocês não estão ____________________ nesta luta. (só) j) ____________________, disse sorrindo a secretária. (obrigado) k) A reportagem ____________________ também deve ser publicada. (anexo) 2) Complete corretamente com a palavra MEIO: a) Traduzi só ____________ página nesta tarde. b) As fotos ficaram ____________ escuras. c) É natural que, nos primeiros dias, as crianças fiquem ____________ irrequietas. d) Resta ainda ____________ garrafa. e) Sinto que você ainda está ____________ insegura. f) Menores de 12 anos pagam só ____________ entrada neste jogo. g) Alguns atores estavam ____________ inibidos. h) Vovó ficou ____________ assustada quando lhe contei tudo. i) Pedi ____________ xícara de café.
  • 41. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 41 CONCORDÂNCIA NOMINAL A concordância nominal se baseia na relação entre um substantivo (ou pronome, ou numeral substantivo) e as palavras que a ele se ligam para caracterizá-lo (artigos, adjetivos, pronomes adjetivos, numerais adjetivos e particípios). Basicamente, ocupa-se da relação entre nomes. Lembre-se: normalmente, o substantivo funciona como núcleo de um termo da oração, e o adjetivo, como adjunto adnominal. A concordância do adjetivo ocorre de acordo com as seguintes regras gerais: 1) O adjetivo concorda em gênero e número quando se refere a um único substantivo. Por Exemplo: As mãos trêmulas denunciavam o que sentia. 2) Quando o adjetivo se refere a vários substantivos, a concordância pode variar. Podemos sistematizar essa flexão nos seguintes casos: a) Adjetivo anteposto aos substantivos: - O adjetivo concorda em gênero e número com o substantivo mais próximo. Por Exemplo: Encontramos caídas as roupas e os prendedores. Encontramos caída a roupa e os prendedores. Encontramos caído o prendedor e a roupa. - Caso os substantivos sejam nomes próprios ou de parentesco, o adjetivo deve sempre concordar no plural. Por Exemplo: As adoráveis Fernanda e Cláudia vieram me visitar. Encontrei os divertidos primos e primas na festa. b) Adjetivo posposto aos substantivos: - O adjetivo concorda com o substantivo mais próximo ou com todos eles (assumindo forma masculina plural se houver substantivo feminino e masculino). Exemplos: A indústria oferece localização e atendimento perfeito. A indústria oferece atendimento e localização perfeita. A indústria oferece localização e atendimento perfeitos. A indústria oferece atendimento e localização perfeitos. Obs.: os dois últimos exemplos apresentam maior clareza, pois indicam que o adjetivo efetivamente se refere aos dois substantivos. Nesses casos, o adjetivo foi flexionado no plural masculino, que é o gênero predominante quando há substantivos de gêneros diferentes. - Se os substantivos possuírem o mesmo gênero, o adjetivo fica no singular ou plural. Exemplos: A beleza e a inteligência feminina(s). O carro e o iate novo(s). 3) Expressões formadas pelo verbo SER + adjetivo: a) O adjetivo fica no masculino singular, se o substantivo não for acompanhado de nenhum modificador. Por Exemplo: Água é bom para saúde.
  • 42. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 42 b) O adjetivo concorda com o substantivo, se este for modificado por um artigo ou qualquer outro determinativo. Por Exemplo: Esta água é boa para saúde. 4) O adjetivo concorda em gênero e número com os pronomes pessoais a que se refere. Por Exemplo: Juliana as viu ontem muito felizes. 5) Nas expressões formadas por pronome indefinido neutro (nada, algo, muito, tanto, etc.) + preposição DE + adjetivo, este último geralmente é usado no masculino singular. Por Exemplo: Os jovens tinham algo de misterioso. 6) A palavra "só", quando equivale a "sozinho", tem função adjetiva e concorda normalmente com o nome a que se refere. Por Exemplo: Cristina saiu só. Cristina e Débora saíram sós. Obs.: quando a palavra "só" equivale a "somente" ou "apenas", tem função adverbial, ficando, portanto, invariável. Por Exemplo: Eles só desejam ganhar presentes. 7) Quando um único substantivo é modificado por dois ou mais adjetivos no singular, podem ser usadas as construções: a) O substantivo permanece no singular e coloca-se o artigo antes do último adjetivo. Por Exemplo: Admiro a cultura espanhola e a portuguesa. b) O substantivo vai para o plural e omite-se o artigo antes do adjetivo. Por Exemplo: Admiro as culturas espanhola e portuguesa. CasosParticulares É proibido - É necessário - É bom - É preciso - É permitido a) Essas expressões, formadas por um verbo mais um adjetivo, ficam invariáveis se o substantivo a que se referem possuir sentido genérico (não vier precedido de artigo). Exemplos: É proibido entrada de crianças. Em certos momentos, é necessário atenção. No verão, melancia é bom. É preciso cidadania. Não é permitido saída pelas portas laterais. b) Quando o sujeito dessas expressões estiver determinado por artigos, pronomes ou adjetivos, tanto o verbo como o adjetivo concordam com ele. Exemplos: É proibida a entrada de crianças. Esta salada é ótima.
  • 43. APOSTILA LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANOREGULAR NOTURNO_PROFªEVERALDINA 43 A educação é necessária. São precisas várias medidas na educação. Anexo - Obrigado - Mesmo - Próprio - Incluso - Quite Essas palavras adjetivas concordam em gênero e número com o substantivo ou pronome a que se referem. Observe: Seguem anexas as documentações requeridas. A menina agradeceu: - Muito obrigada. Muito obrigadas, disseram as senhoras, nós mesmas faremos isso. Seguem inclusos os papéis solicitados. Já lhe paguei o que estava devendo: estamos quites. Bastante - Caro - Barato - Longe Essas palavras são invariáveis quando funcionam como advérbios. Concordam com o nome a que se referem quando funcionam como adjetivos, pronomes adjetivos, ou numerais. Exemplos: As jogadoras estavam bastante cansadas. (advérbio) Há bastantes pessoas insatisfeitas com o trabalho. (pronome adjetivo) Nunca pensei que o estudo fosse tão caro. (advérbio) As casas estão caras. (adjetivo) Achei barato este casaco.(advérbio) Hoje as frutas estão baratas. (adjetivo) "Vais ficando longe de mim como o sono, nas alvoradas." (Cecília Meireles) (advérbio) "Levai-me a esses longes verdes, cavalos de vento!" (Cecília Meireles). (adjetivo) Meio - Meia a) A palavra "meio", quando empregada como adjetivo, concorda normalmente com o nome a que se refere. Por Exemplo: Pedi meia cerveja e meia porção de polentas. b) Quando empregada como advérbio (modificando um adjetivo) permanece invariável. Por Exemplo: A noiva está meio nervosa. Alerta - Menos Essas palavras são advérbios, portanto, permanecem sempre invariáveis. Por Exemplo: Os escoteiros estão sempre alerta. Carolina tem menos bonecas que sua amiga. ___________________________________________________________________________________