SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
PROFA VALÉRIA LIMA
ALUNO: ___________________________________ SÉRIE:_____ TURMA:______
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO
(SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda às questões 01
e 02.
Alergia, alegria
São palavras parecidas
com sentido diferente:
uma coça e faz ferida,
a outra deixa contente.
A primeira só perturba,
dela a gente quer fugir.
A segunda é o contrário,
todo mundo quer sentir.
A primeira não tem jeito,
não deixa ninguém em paz.
A segunda é uma festança,
que bem a segunda faz!
Entre as duas, fique atento,
a diferença é total:
uma é doce sentimento,
outra só quer fazer mal.
A primeira é uma doença,
como custa para sarar!
A segunda é uma delícia,
dá vontade de cantar!
(AZEVEDO, Ricardo e outros. Um poema puxa o outro. São Paulo: Companhia das
Letrinhas, 2002, p.31)
01- O poema retrata
A) apenas os significados positivos da palavra alegria.
B) apenas os significados negativos da palavra alergia.
C) os significados negativos da alergia e positivos da alegria.
D) os significados positivos e negativos das palavras alegria e alergia.
02- No trecho “... dela a gente quer fugir”, o termo destacado refere-se à
A) ferida.
B) alegria.
C) alergia.
D) festança.
03- (SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda.
O cara está jantando e a comida é tão ruim que ele não aguenta:
— Por favor, garçom, eu não consigo engolir esta comida. Chama o gerente.
— Não adianta. Ele também não vai conseguir.
(PINTO, Ziraldo Alves. As Últimas Anedotinhas do Bichinho da Maçã. São Paulo:
Melhoramentos, 1988, p. 20.)
O que torna o texto engraçado é o fato de
A) o cliente chamar o gerente para resolver o problema.
B) o cliente não conseguir engolir a comida por ser muito ruim.
C) o garçom entender que era para o gerente comer a comida.
D) o garçom se recusar a chamar o gerente para resolver o problema.
(SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda às questões
04, 05 e 06.
Chapeuzinho vermelho de raiva
— Senta aqui mais perto, Chapeuzinho. Fica aqui mais pertinho da vovó, fica.
— Mas vovó, que olho vermelho... E grandão... Que que houve?
— Ah, minha netinha, estes olhos estão assim de tanto olhar para você. Aliás, está
queimada, heim?
— Guarujá, vovó. Passei o fim de semana lá. A senhora não me leva a mal, não,
mas a senhora está com um nariz tão grande, mas tão grande! Tá tão esquisito, vovó.
— Ora, Chapéu, é a poluição. Desde que começou a industrialização do bosque
que é um Deus nos acuda. Fico o dia todo respirando este ar horrível. Chegue mais
perto, minha netinha, chegue.
— Mas em compensação, antes eu levava mais de duas horas para vir de casa até
aqui e agora, com a estrada asfaltada, em menos de quinze minutos chego aqui com a
minha moto.
— Pois é, minha filha. E o que tem aí nesta cesta enorme?
— Puxa, já ia me esquecendo: a mamãe mandou umas coisas para a senhora. Olha
aí: margarina, Helmmans, Danone de frutas e até uns pacotinhos de Knorr, mas é para a
senhora comer um só por dia, viu? Lembra da indigestão do carnaval?
— Se lembro, se lembro...
— Vovó, sem querer ser chata.
— Ora, diga.
— As orelhas. A orelha da senhora está tão grande. E ainda por cima, peluda.
Credo, vovó!
— Ah, mas a culpada é você. São estes discos malucos que você me deu. Onde já
se viu fazer música deste tipo? Um horror! Você me desculpe porque foi você que me
deu, mas estas guitarras, é guitarra que diz, não é? Pois é; estas guitarras são muito
barulhentas... Não há ouvido que aguente, minha filha. Música é a do meu tempo.
Aquilo sim, eu e seu finado avô, dançando valsas... Ah, esta juventude está perdida
mesmo.
— Por falar em juventude o cabelo da senhora está um barato, hein? Todo
desfiado, pra cima, encaracolado. Que que é isso?
— Também tenho que entrar na moda, não é, minha filha? Ou você queria que eu
fosse domingo ao programa do Chacrinha de coque e com vestido preto com bolinhas
brancas?
Chapeuzinho pula para trás:
— E esta boca imensa???!!!
— Avó pula da cama e coloca as mãos na cintura, brava:
— Escuta aqui, queridinha: você veio aqui hoje para me criticar é?!
(Mário Prata. Chapeuzinho Vermelho de raiva. Porto Alegre, Globo, 1970)
04- No fragmento “Por falar em juventude o cabelo da senhora está um barato, hein?” o
termo sublinhado é
A) uma gíria.
B) exemplo de regionalismo.
C) exemplo da linguagem padrão.
D) um jargão.
05- No trecho “Aquilo sim, eu e seu finado avô, dançando valsas...” a pontuação que
finaliza o período reforça a ideia de
A) tristeza.
B) saudade.
C) impaciência.
D) esquecimento.
06-No trecho “Escuta aqui, queridinha...” a palavra sublinhada sugere
A) raiva.
B) ironia.
C) indignação.
D) nervosismo.
07-(SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda.
O cartaz mostra que
A) é proibido estacionar carrinho de picolé.
B) é proibido explorar o trabalho infantil.
C) é proibido vender picolé para as crianças.
D) é proibido agir de forma covarde com as crianças.
(SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, em seguida, responda às questões
08 e 09.
O homem do olho torto
No sertão nordestino, vivia um velho chamado Alexandre. Meio caçador, meio
vaqueiro, era cheio de conversas - falava cuspindo, - espumando como um sapo-cururu.
O que mais chamava a atenção era o seu olho torto, que ganhou quando foi caçar a égua
pampa, a pedido do pai. Alexandre rodou o sertão, mas não achou a tal égua. Pegou no
sono no meio do mato e, quando acordou, montou num animal que pensou ser a égua.
Era uma onça. No corre-corre, machucou-se com galhos de árvores e ficou sem um
olho. Alexandre até que tentou colocar seu olho de volta no buraco, mas fez errado.
Ficou com um olho torto.
(RAMOS, Graciliano. História de Alexandre. Editora Record. In Revista Educação, ano
11, n. 124, p. 14.)
08- Alexandre perdeu um olho porque
A) rodou o sertão.
B) montou na égua pampa.
C) pegou no sono no meio do mato.
D) machucou-se com galhos de uma árvore.
09-O que deu origem à história narrada foi o fato de Alexandre
A) falar cuspindo.
B) ser meio vaqueiro.
C) sair à caça de uma onça.
D) sair à caça da égua pampa.
10- (SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda.
Cidadezinha
Cidadezinha cheia de graça...
Tão pequenina que até causa dó!
Com seus burricos a pastar na praça...
Sua igrejinha de uma torre só...
Nuvens que venham, nuvens e asas,
Não param nunca nem um segundo...
E fica a torre, sobre as velhas casas,
Fica cismando como é vasto o mundo!...
Eu que de longe venho perdido,
Sem pouso fixo (a triste sina!)
Ah, quem me dera ter lá nascido!
Lá toda vida poder morar!
Cidadezinha... Tão pequenina
Que toda cabe num só olhar...
(Mario Quintana. Prosa e verso. São Paulo, Globo, 1989.)
No verso "Ah, quem me dera ter lá nascido!" O termo sublinhado dá ideia de
A) modo.
B) lugar.
C) tempo.
D) explicação.
11- (SARESP-2011). Leia o texto abaixo.
1 - Não empine perto da rede elétrica, em cima de lajes e telhados e em lugares
movimentados;
2 - Nunca use cerol: machuca os motociclistas e corta a camada de borracha dos
fios de eletricidade;
3 - Não use fios metálicos para empiná-las nem faça rabiolas de fita cassete: são
condutores de energia e dão choques terríveis;
4 - Não tente pegar nenhuma pipa que esteja enroscada em um fio elétrico;
5 - Também não tente recuperá-las se tiverem caído em Estações Transformadoras
de Distribuição (ETDs) ou em subestações da rede elétrica.
(Folha de S. Paulo. Folhinha, 19 de jul. de 2008)
O texto que você leu está sem título. Escolha abaixo o título mais adequado para ele.
A) Como fazer uma pipa.
B) Cuidados ao brincar de pipa.
C) Onde comprar uma pipa.
D) Onde enfeitar sua pipa.
12) (SARESP-2011). Leia o texto abaixo.
AS ESTRELAS
Numa das noites daquele mês de abril estava Dona Benta na sua cadeira de
balanço, lá na varanda, com olhos no céu cheio de estrelas. A criançada também se
reunira ali.
Súbito, Narizinho, que estava em outro degrau da escada fazendo tricô, deu um
berro.
– Vovó, Emília está botando a língua para mim!
Mas Dona Benta não ouviu. Não tirava os olhos das estrelas. Estranhando aquilo,
os meninos foram se aproximando. E ficaram também a olhar para o céu, em procura do
que estava prendendo a atenção da boa velha.
– Que é vovó, que a senhora está vendo lá em cima? Eu não estou enxergando
nada. – disse Pedrinho.
Dona Benta não pôde deixar de rir-se. Pôs nele os óculos e puxou-o para o seu
colo e falou:
– Não está vendo nada, meu filho? Então olha para o céu estrelado e não vê nada?
– Só vejo estrelinhas. – murmurou o menino.
– E acha pouco, meu filho?
(LOBATO, Monteiro. As estrelas. In: __. Viagem ao céu. 19. ed. São Paulo:
Brasiliense, 1971. Fragmento)
A história contada se passa
A) na varanda da casa de Dona Benta.
B) na imaginação de Emília.
C) na cozinha de Tia Anastácia.
D) no céu inventado de Pedrinho.
GABARITO
1 – C
2 –C
3- C
4- A
5- B
6- B
7- B
8- D
9- D
10- B
11- B
12- A

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Autobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textualAutobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textualMaria Cecilia Silva
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15GernciadeProduodeMat
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)GernciadeProduodeMat
 
A Poesia Visual
A  Poesia  VisualA  Poesia  Visual
A Poesia Visualtita
 
Jogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJorge Luciano
 
Atividades de Língua Portuguesa- Descritores
Atividades de Língua Portuguesa- DescritoresAtividades de Língua Portuguesa- Descritores
Atividades de Língua Portuguesa- DescritoresMarina Alessandra
 
Apresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosApresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosLeisiane Jesus
 
Lista de exercícios de Inglês (sexto ano)
Lista de exercícios de Inglês (sexto ano)Lista de exercícios de Inglês (sexto ano)
Lista de exercícios de Inglês (sexto ano)Paula Meyer Piagentini
 
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacaoGeija Fortunato
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevistaRenally Arruda
 
Tudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMASTudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMASJaicinha
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4GernciadeProduodeMat
 
Elaboração de biografia
Elaboração de biografia Elaboração de biografia
Elaboração de biografia Edson Alves
 
Ironia e humor em textos variados 2
Ironia e humor em textos variados 2Ironia e humor em textos variados 2
Ironia e humor em textos variados 2Eudesia Carvalho
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfNatália Moura
 

Mais procurados (20)

Autobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textualAutobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textual
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
 
A Poesia Visual
A  Poesia  VisualA  Poesia  Visual
A Poesia Visual
 
Jogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesaJogos de-lingua-portuguesa
Jogos de-lingua-portuguesa
 
Atividades de Língua Portuguesa- Descritores
Atividades de Língua Portuguesa- DescritoresAtividades de Língua Portuguesa- Descritores
Atividades de Língua Portuguesa- Descritores
 
Apresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosApresentação Adverbios
Apresentação Adverbios
 
Poema 6º ano
Poema 6º anoPoema 6º ano
Poema 6º ano
 
Genero textual charge
Genero textual chargeGenero textual charge
Genero textual charge
 
Lista de exercícios de Inglês (sexto ano)
Lista de exercícios de Inglês (sexto ano)Lista de exercícios de Inglês (sexto ano)
Lista de exercícios de Inglês (sexto ano)
 
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
82428046 exercicios-denotacao-e-conotacao
 
SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevista
 
Tudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMASTudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMAS
 
D5 (5º ano l.p.)
D5 (5º ano   l.p.)D5 (5º ano   l.p.)
D5 (5º ano l.p.)
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
 
Elaboração de biografia
Elaboração de biografia Elaboração de biografia
Elaboração de biografia
 
Ironia e humor em textos variados 2
Ironia e humor em textos variados 2Ironia e humor em textos variados 2
Ironia e humor em textos variados 2
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdfFICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
FICHA - GÊNEROS LITERÁRIOS - EXERCÍCIOS - Gabarito.pdf
 

Semelhante a Simulado de Língua Portuguesa - 7° ano

Simulado 2 (port. 5º ano)
Simulado 2 (port. 5º ano)Simulado 2 (port. 5º ano)
Simulado 2 (port. 5º ano)Cidinha Paulo
 
Simulado 20 (port. 5º ano)
Simulado 20 (port. 5º ano)Simulado 20 (port. 5º ano)
Simulado 20 (port. 5º ano)Cidinha Paulo
 
Simulado 14 (port. 5º ano)
Simulado 14 (port. 5º ano)Simulado 14 (port. 5º ano)
Simulado 14 (port. 5º ano)Cidinha Paulo
 
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2Cidinha Paulo
 
aulão spaece.pdf
aulão spaece.pdfaulão spaece.pdf
aulão spaece.pdfsezalpina1
 
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamentalapresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamentalLindalvaAlves2
 

Semelhante a Simulado de Língua Portuguesa - 7° ano (20)

Simulado 2 (port. 5º ano)
Simulado 2 (port. 5º ano)Simulado 2 (port. 5º ano)
Simulado 2 (port. 5º ano)
 
Simulado de português 5ºano 2016
Simulado de português 5ºano 2016Simulado de português 5ºano 2016
Simulado de português 5ºano 2016
 
Simulado 2 novo
Simulado 2   novoSimulado 2   novo
Simulado 2 novo
 
Simulado 20 (port. 5º ano)
Simulado 20 (port. 5º ano)Simulado 20 (port. 5º ano)
Simulado 20 (port. 5º ano)
 
Cge 2089
Cge 2089Cge 2089
Cge 2089
 
Ativ. férias 1º ano
Ativ. férias 1º anoAtiv. férias 1º ano
Ativ. férias 1º ano
 
Simulado 14 (port. 5º ano)
Simulado 14 (port. 5º ano)Simulado 14 (port. 5º ano)
Simulado 14 (port. 5º ano)
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
 
Simulado ana 3pdf
Simulado ana 3pdfSimulado ana 3pdf
Simulado ana 3pdf
 
Apr 03 port 5 ano
Apr 03 port 5 anoApr 03 port 5 ano
Apr 03 port 5 ano
 
LINGUA PORTUGUESA.pdf
LINGUA PORTUGUESA.pdfLINGUA PORTUGUESA.pdf
LINGUA PORTUGUESA.pdf
 
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2Simulado 5c2ba-ano-lp-2
Simulado 5c2ba-ano-lp-2
 
Simulado spaece 1º ano
Simulado spaece 1º anoSimulado spaece 1º ano
Simulado spaece 1º ano
 
Simulado de português 5ºano
Simulado de português 5ºanoSimulado de português 5ºano
Simulado de português 5ºano
 
aulão spaece.pdf
aulão spaece.pdfaulão spaece.pdf
aulão spaece.pdf
 
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamentalapresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
 
Provaportuguesmatrizreferencia2
Provaportuguesmatrizreferencia2Provaportuguesmatrizreferencia2
Provaportuguesmatrizreferencia2
 
8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp8. diagnostico _5ano_lp
8. diagnostico _5ano_lp
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTREAVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA: 5º ANO DO 2º CICLO - 4º BIMESTRE
 
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)Simulado 1 (port. 5º ano   blog do prof. Warles)
Simulado 1 (port. 5º ano blog do prof. Warles)
 

Último

Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 

Simulado de Língua Portuguesa - 7° ano

  • 1. PROFA VALÉRIA LIMA ALUNO: ___________________________________ SÉRIE:_____ TURMA:______ SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 7° ANO (SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda às questões 01 e 02. Alergia, alegria São palavras parecidas com sentido diferente: uma coça e faz ferida, a outra deixa contente. A primeira só perturba, dela a gente quer fugir. A segunda é o contrário, todo mundo quer sentir. A primeira não tem jeito, não deixa ninguém em paz. A segunda é uma festança, que bem a segunda faz! Entre as duas, fique atento, a diferença é total: uma é doce sentimento, outra só quer fazer mal. A primeira é uma doença, como custa para sarar! A segunda é uma delícia, dá vontade de cantar! (AZEVEDO, Ricardo e outros. Um poema puxa o outro. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2002, p.31) 01- O poema retrata A) apenas os significados positivos da palavra alegria. B) apenas os significados negativos da palavra alergia. C) os significados negativos da alergia e positivos da alegria. D) os significados positivos e negativos das palavras alegria e alergia. 02- No trecho “... dela a gente quer fugir”, o termo destacado refere-se à A) ferida. B) alegria. C) alergia. D) festança. 03- (SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda.
  • 2. O cara está jantando e a comida é tão ruim que ele não aguenta: — Por favor, garçom, eu não consigo engolir esta comida. Chama o gerente. — Não adianta. Ele também não vai conseguir. (PINTO, Ziraldo Alves. As Últimas Anedotinhas do Bichinho da Maçã. São Paulo: Melhoramentos, 1988, p. 20.) O que torna o texto engraçado é o fato de A) o cliente chamar o gerente para resolver o problema. B) o cliente não conseguir engolir a comida por ser muito ruim. C) o garçom entender que era para o gerente comer a comida. D) o garçom se recusar a chamar o gerente para resolver o problema. (SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda às questões 04, 05 e 06. Chapeuzinho vermelho de raiva — Senta aqui mais perto, Chapeuzinho. Fica aqui mais pertinho da vovó, fica. — Mas vovó, que olho vermelho... E grandão... Que que houve? — Ah, minha netinha, estes olhos estão assim de tanto olhar para você. Aliás, está queimada, heim? — Guarujá, vovó. Passei o fim de semana lá. A senhora não me leva a mal, não, mas a senhora está com um nariz tão grande, mas tão grande! Tá tão esquisito, vovó. — Ora, Chapéu, é a poluição. Desde que começou a industrialização do bosque que é um Deus nos acuda. Fico o dia todo respirando este ar horrível. Chegue mais perto, minha netinha, chegue. — Mas em compensação, antes eu levava mais de duas horas para vir de casa até aqui e agora, com a estrada asfaltada, em menos de quinze minutos chego aqui com a minha moto. — Pois é, minha filha. E o que tem aí nesta cesta enorme? — Puxa, já ia me esquecendo: a mamãe mandou umas coisas para a senhora. Olha aí: margarina, Helmmans, Danone de frutas e até uns pacotinhos de Knorr, mas é para a senhora comer um só por dia, viu? Lembra da indigestão do carnaval? — Se lembro, se lembro... — Vovó, sem querer ser chata. — Ora, diga. — As orelhas. A orelha da senhora está tão grande. E ainda por cima, peluda. Credo, vovó! — Ah, mas a culpada é você. São estes discos malucos que você me deu. Onde já se viu fazer música deste tipo? Um horror! Você me desculpe porque foi você que me deu, mas estas guitarras, é guitarra que diz, não é? Pois é; estas guitarras são muito barulhentas... Não há ouvido que aguente, minha filha. Música é a do meu tempo. Aquilo sim, eu e seu finado avô, dançando valsas... Ah, esta juventude está perdida mesmo. — Por falar em juventude o cabelo da senhora está um barato, hein? Todo desfiado, pra cima, encaracolado. Que que é isso? — Também tenho que entrar na moda, não é, minha filha? Ou você queria que eu fosse domingo ao programa do Chacrinha de coque e com vestido preto com bolinhas brancas? Chapeuzinho pula para trás: — E esta boca imensa???!!!
  • 3. — Avó pula da cama e coloca as mãos na cintura, brava: — Escuta aqui, queridinha: você veio aqui hoje para me criticar é?! (Mário Prata. Chapeuzinho Vermelho de raiva. Porto Alegre, Globo, 1970) 04- No fragmento “Por falar em juventude o cabelo da senhora está um barato, hein?” o termo sublinhado é A) uma gíria. B) exemplo de regionalismo. C) exemplo da linguagem padrão. D) um jargão. 05- No trecho “Aquilo sim, eu e seu finado avô, dançando valsas...” a pontuação que finaliza o período reforça a ideia de A) tristeza. B) saudade. C) impaciência. D) esquecimento. 06-No trecho “Escuta aqui, queridinha...” a palavra sublinhada sugere A) raiva. B) ironia. C) indignação. D) nervosismo. 07-(SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda. O cartaz mostra que A) é proibido estacionar carrinho de picolé. B) é proibido explorar o trabalho infantil. C) é proibido vender picolé para as crianças. D) é proibido agir de forma covarde com as crianças. (SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, em seguida, responda às questões 08 e 09. O homem do olho torto No sertão nordestino, vivia um velho chamado Alexandre. Meio caçador, meio vaqueiro, era cheio de conversas - falava cuspindo, - espumando como um sapo-cururu. O que mais chamava a atenção era o seu olho torto, que ganhou quando foi caçar a égua pampa, a pedido do pai. Alexandre rodou o sertão, mas não achou a tal égua. Pegou no sono no meio do mato e, quando acordou, montou num animal que pensou ser a égua. Era uma onça. No corre-corre, machucou-se com galhos de árvores e ficou sem um olho. Alexandre até que tentou colocar seu olho de volta no buraco, mas fez errado. Ficou com um olho torto. (RAMOS, Graciliano. História de Alexandre. Editora Record. In Revista Educação, ano 11, n. 124, p. 14.) 08- Alexandre perdeu um olho porque A) rodou o sertão.
  • 4. B) montou na égua pampa. C) pegou no sono no meio do mato. D) machucou-se com galhos de uma árvore. 09-O que deu origem à história narrada foi o fato de Alexandre A) falar cuspindo. B) ser meio vaqueiro. C) sair à caça de uma onça. D) sair à caça da égua pampa. 10- (SEDUCE-GO - 1ª P.D - 2012). Leia o texto abaixo e, a seguir, responda. Cidadezinha Cidadezinha cheia de graça... Tão pequenina que até causa dó! Com seus burricos a pastar na praça... Sua igrejinha de uma torre só... Nuvens que venham, nuvens e asas, Não param nunca nem um segundo... E fica a torre, sobre as velhas casas, Fica cismando como é vasto o mundo!... Eu que de longe venho perdido, Sem pouso fixo (a triste sina!) Ah, quem me dera ter lá nascido! Lá toda vida poder morar! Cidadezinha... Tão pequenina Que toda cabe num só olhar... (Mario Quintana. Prosa e verso. São Paulo, Globo, 1989.) No verso "Ah, quem me dera ter lá nascido!" O termo sublinhado dá ideia de A) modo. B) lugar. C) tempo. D) explicação. 11- (SARESP-2011). Leia o texto abaixo. 1 - Não empine perto da rede elétrica, em cima de lajes e telhados e em lugares movimentados; 2 - Nunca use cerol: machuca os motociclistas e corta a camada de borracha dos fios de eletricidade; 3 - Não use fios metálicos para empiná-las nem faça rabiolas de fita cassete: são condutores de energia e dão choques terríveis; 4 - Não tente pegar nenhuma pipa que esteja enroscada em um fio elétrico; 5 - Também não tente recuperá-las se tiverem caído em Estações Transformadoras de Distribuição (ETDs) ou em subestações da rede elétrica. (Folha de S. Paulo. Folhinha, 19 de jul. de 2008) O texto que você leu está sem título. Escolha abaixo o título mais adequado para ele.
  • 5. A) Como fazer uma pipa. B) Cuidados ao brincar de pipa. C) Onde comprar uma pipa. D) Onde enfeitar sua pipa. 12) (SARESP-2011). Leia o texto abaixo. AS ESTRELAS Numa das noites daquele mês de abril estava Dona Benta na sua cadeira de balanço, lá na varanda, com olhos no céu cheio de estrelas. A criançada também se reunira ali. Súbito, Narizinho, que estava em outro degrau da escada fazendo tricô, deu um berro. – Vovó, Emília está botando a língua para mim! Mas Dona Benta não ouviu. Não tirava os olhos das estrelas. Estranhando aquilo, os meninos foram se aproximando. E ficaram também a olhar para o céu, em procura do que estava prendendo a atenção da boa velha. – Que é vovó, que a senhora está vendo lá em cima? Eu não estou enxergando nada. – disse Pedrinho. Dona Benta não pôde deixar de rir-se. Pôs nele os óculos e puxou-o para o seu colo e falou: – Não está vendo nada, meu filho? Então olha para o céu estrelado e não vê nada? – Só vejo estrelinhas. – murmurou o menino. – E acha pouco, meu filho? (LOBATO, Monteiro. As estrelas. In: __. Viagem ao céu. 19. ed. São Paulo: Brasiliense, 1971. Fragmento) A história contada se passa A) na varanda da casa de Dona Benta. B) na imaginação de Emília. C) na cozinha de Tia Anastácia. D) no céu inventado de Pedrinho. GABARITO 1 – C 2 –C 3- C 4- A 5- B 6- B 7- B 8- D 9- D 10- B 11- B 12- A