SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Universidade Estadual do Maranhão
Centro de Ensino Superiores De Caxias
Liga Acadêmica de Cardiologia (LACARDIO)
Aneurisma de Aorta
ANEURISMA DE AORTA
• ANEURISMAS SÃO DILATAÇÕES
PATOLÓGICAS E IRREVERSÍVEIS DA
AORTA, COM DIÂMETRO TRANSVERSAL
EXCEDENDO 1,5 VEZ O SEU DIÂMETRO
NORMAL.
• PODEM SER ABDOMINAIS OU TORÁCICOS.
• A IDADE É UM IMPORTANTE FATOR DE
RISCO
• A DIVISÃO ANATÔMICA É IMPORTANTE,
POIS OS AA DIFEREM EM ETIOLOGIA E
TRATAMENTO DE ACORDO COM A
CLASSIFICAÇÃO
Classificação
1 – Localização
Abdominais – suprarrenais e infrarrenais
Torácicos – ascendente, arco aórtico e descendente
Toracoabdominais – envolvem aortas torácica e
abdominal
2 – Morfologia
Fusiformes – forma mais comum
Saculares – formam um abaulamento em uma das
paredes da aorta
Fatores de risco
Abdominais
Tabagismo
Sexo masculino – 10x > nos homens
Idade
Hipertensão
Presença de Aterosclerose
Torácicos (ascendente)
Aorta bicúspide
Síndrome de Marfan
Sífilis
Torácicos (descendente)
Aterosclerose
Torácicos (arco aórtico)
Comumente acometido por extensão por patologias de aorta descendente
ou ascendente
Diagnóstico
Abdominais
Ultrassonografia de abdome
Angiotomografia computadorizada de aorta abdominal
Angiorressonância magnética de aorta abdominal
Angiografia
Torácicos
Radiografia de tórax
Angiotomografia computadorizada de aorta torácica
Angiografia
Ecocardiograma
Quadro Clínico
Aneurisma de Aorta Abnominais (AAAs)
Assintomáticos e descobertos durante exame de imagem por outra indicação
Exame Físico:
-Massa pulsátil abdominal -Dolorosa ou indolor
-Com ou sem sopro associado √ Sinal de DeBakey
Pcts <50 anos desconforto abdominal em hipogástrico ou lombar
Obs.: Surgimento súbito ou piora da dor indicativo de Rotura de aneurisma
Massa palpável e pulsátil nas três
dimensões localizada na linha média. Caso
esta pulsação seja percebida na região
epigástrica ou abaixo do gradil costal, é
indicativo de AAA suprarrenal acometendo
ramos viscerais (Sinal de deBakey)
Aneurisma de Aorta Toráxicos (AATs)
Assintomáticos e descobertos durante exame de imagem por outra indicação
Sintomatologia pouco específica, como dor vaga em tórax, dorso, abdome e flanco
Complicações vasculares
Efeito de massa local
Embolia
Insuficiência aórtica com
insuficiência cardíaca secundária
Disfagia
Dispneia
Síndrome de veia cava superior
Ultrassonografia é o exame de
triagem
Angiotomografia é o principal
exame utilizado
Angiorressonância é útil para o
planejamento cirúrgico
Tratamento
Indicações cirúrgicas para AAT e ATA
Diâmetro
 AAT: > 6 cm
 ATA: > 5,5 cm
Aneurisma em expansão
 0,6 cm em 1 ano
 Trombose do aneurisma
 Embolização periférica
 Compressão de estruturas adjacentes (traqueia, esôfago, brônquio
principal esquerdo)
Tratamento Cirúrgico
Aneurisma Aórtico Torácico
Aneurisma Toracoabdominal Aórtico
0,5
Correção cirúrgica de aneurisma da artéria
aorta abdominal com interposição de
enxerto
CONVENCIONAL
Correção cirúrgica de aneurisma da artéria aorta
abdominal com implante de endoprótese
ENDOVASCULAR
Tratamento Clínico
ANEURISMA AÓRTICO TORACOABDOMINAL ANEURISMA AÓRTICO TORÁCICO
-Controle dos fatores de risco
-Uso de Beta-bloqueadores
-Controle dos fatores de risco
-Medicamentoso:
1.Beta-bloqueadores Atenolol ou
Propranolol (indicação: todos os pcts)
2.Estatinas sinvastatina ; atorvastatina ou
rosuvastatina (indicação: pcts com dislipidemia)
3.Aspirina (AAS) em caso de aneurisma de
origem aterosclerótica
Questões de Residência Médica
(Cardiologia – Unifesp/2015)
Paciente jovem de 22 anos portador de síndrome de Marfan (SM), assintomático,com história
familiar de SM, em avaliação semestral apresenta atualmente aneurisma de aorta torácica
ascendente de 5,6 cm. Assinale a estratégia mais adequada.
A) Continuar com o seguimento de 6/6 meses
B) Aumentar a dose do betabloqueador
C) A cirurgia deve ser indicada
D) A cirurgia só deve ser indicada se o diâmetro da aorta > 6,0cm
E) A cirurgia não muda a história natural da Síndrome de Marfan
Questões de Residência Médica
(Cardiologia – HUUFPI - 2015)
Em aneurismas de aorta, há indicação cirúrgica em casos de
A)aneurisma de aorta descendente, assintomático.
B) aneurisma de aorta abdominal, assintomático, quando maior que 4,5 cm de diâmetro, para
mulheres.
C) aneurisma de aorta abdominal, assintomático, quando maior que 4,5 cm de diâmetro, para
homens.
D) expansão do aneurisma aórtico igual ou maior que 0,5 cm ao ano.
E) aneurisma de aorta ascendente, assintomático
Questões de Residência Médica
(Cirurgia Cardiovascular – HUUFMA - 2015)
Dos fatores abaixo, qual o mais comumente relacionado à etiologia dos aneurismas de aorta?
(A) Sífilis
(B) Salmonelose
(C) Aterosclerose
(D) Hipertensão Arterial Sistêmica
(E) Diabetes Mellitus

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Ecg básico
Ecg básicoEcg básico
Ecg básico
 
HEMODINÂMICA: ARTÉRIAS CORONÁRIAS
HEMODINÂMICA: ARTÉRIAS CORONÁRIASHEMODINÂMICA: ARTÉRIAS CORONÁRIAS
HEMODINÂMICA: ARTÉRIAS CORONÁRIAS
 
Seminário: Trombose venosa profunda - TVP
Seminário: Trombose venosa profunda - TVPSeminário: Trombose venosa profunda - TVP
Seminário: Trombose venosa profunda - TVP
 
INFARTO AGUDO MIOCÁRDIO E ANGINA PECTÓRIS
INFARTO AGUDO MIOCÁRDIO E ANGINA PECTÓRISINFARTO AGUDO MIOCÁRDIO E ANGINA PECTÓRIS
INFARTO AGUDO MIOCÁRDIO E ANGINA PECTÓRIS
 
Seminário trombose(lú e paula)
Seminário trombose(lú e paula)Seminário trombose(lú e paula)
Seminário trombose(lú e paula)
 
RM no Estudo do AVC
RM no Estudo do AVCRM no Estudo do AVC
RM no Estudo do AVC
 
Assistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de caso
Assistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de casoAssistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de caso
Assistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de caso
 
Arritmias
ArritmiasArritmias
Arritmias
 
Tep
TepTep
Tep
 
Noções de eletrocardiografia
Noções de eletrocardiografiaNoções de eletrocardiografia
Noções de eletrocardiografia
 
Trauma vascular
Trauma vascularTrauma vascular
Trauma vascular
 
Hipertensão Portal
Hipertensão PortalHipertensão Portal
Hipertensão Portal
 
Bloqueios cardiacos
Bloqueios cardiacosBloqueios cardiacos
Bloqueios cardiacos
 
Arritmias
ArritmiasArritmias
Arritmias
 
INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO
INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO TRATAMENTO FARMACOLÓGICOINFARTO AGUDO DO MIOCARDIO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO
INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO
 
Choque
Choque Choque
Choque
 
Choque
Choque   Choque
Choque
 
Cirrose Hepática
Cirrose HepáticaCirrose Hepática
Cirrose Hepática
 
Radiologia do tórax
Radiologia do tóraxRadiologia do tórax
Radiologia do tórax
 
Ultrassom do rim
Ultrassom do rimUltrassom do rim
Ultrassom do rim
 

Destaque (10)

Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica patoAnálise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
Análise dos aneurismas intracranianos operados na policlínica pato
 
10. aneurismas de aorta
10. aneurismas  de  aorta10. aneurismas  de  aorta
10. aneurismas de aorta
 
Conducto toracico
Conducto toracicoConducto toracico
Conducto toracico
 
Sindrome Metabolica slideshare
Sindrome Metabolica slideshareSindrome Metabolica slideshare
Sindrome Metabolica slideshare
 
Slideshare clase traumatismo torácico
Slideshare clase traumatismo torácicoSlideshare clase traumatismo torácico
Slideshare clase traumatismo torácico
 
Apresentação síndrome metabólica
Apresentação síndrome metabólicaApresentação síndrome metabólica
Apresentação síndrome metabólica
 
Aneurisma de Aorta
Aneurisma de AortaAneurisma de Aorta
Aneurisma de Aorta
 
Aneurisma de aorta
Aneurisma de aortaAneurisma de aorta
Aneurisma de aorta
 
Médula espinal
Médula espinalMédula espinal
Médula espinal
 
Apresentação membro torácico
Apresentação membro torácicoApresentação membro torácico
Apresentação membro torácico
 

Semelhante a Aneurisma de aorta ppt

Trombose, Arritmia & IAM
Trombose, Arritmia & IAMTrombose, Arritmia & IAM
Trombose, Arritmia & IAMGabriela Souza
 
P cardiopatia congenita
P cardiopatia congenitaP cardiopatia congenita
P cardiopatia congenitagisa_legal
 
Ultrassonografia vascular: modo B e Doppler - FLAUS 2014
Ultrassonografia vascular: modo B e Doppler - FLAUS 2014Ultrassonografia vascular: modo B e Doppler - FLAUS 2014
Ultrassonografia vascular: modo B e Doppler - FLAUS 2014Cibele Carvalho
 
aula de aneurisma de aorta abdominal vascular
aula de aneurisma de aorta abdominal vascularaula de aneurisma de aorta abdominal vascular
aula de aneurisma de aorta abdominal vascularGermano43
 
P cardiopatia congenita
P cardiopatia congenitaP cardiopatia congenita
P cardiopatia congenitagisa_legal
 
Síndromes aórticas agudas
Síndromes aórticas agudasSíndromes aórticas agudas
Síndromes aórticas agudasupload718
 
Diagnóstico diferencial de dor torácica.pdf
Diagnóstico diferencial de dor torácica.pdfDiagnóstico diferencial de dor torácica.pdf
Diagnóstico diferencial de dor torácica.pdfBiancaMaschio3
 
Cuidado com aneurisma
Cuidado com aneurismaCuidado com aneurisma
Cuidado com aneurismaenfmarcelo
 
Ca colorretal completo
Ca colorretal   completoCa colorretal   completo
Ca colorretal completoPedro Moura
 
Coraçao e anomalias congenitas
Coraçao e anomalias congenitasCoraçao e anomalias congenitas
Coraçao e anomalias congenitasLUAH
 
Desenvolvimento do coração e anomalias congênitas
Desenvolvimento do coração e anomalias congênitasDesenvolvimento do coração e anomalias congênitas
Desenvolvimento do coração e anomalias congênitasLUAH
 
Radiografia normal do tórax
Radiografia normal do tóraxRadiografia normal do tórax
Radiografia normal do tóraxFlávia Salame
 
Trabajo cardiología
Trabajo cardiologíaTrabajo cardiología
Trabajo cardiologíaGema FL
 
Tumores Benignos Hepáticos
Tumores Benignos HepáticosTumores Benignos Hepáticos
Tumores Benignos HepáticosFernanda Clara
 
DOPPLERFLUXOMETRIA OBSTETRICA
DOPPLERFLUXOMETRIA OBSTETRICADOPPLERFLUXOMETRIA OBSTETRICA
DOPPLERFLUXOMETRIA OBSTETRICAChristian Sgarbi
 

Semelhante a Aneurisma de aorta ppt (20)

00 aneurisma de la aorta
00 aneurisma de la aorta00 aneurisma de la aorta
00 aneurisma de la aorta
 
Trombose, Arritmia & IAM
Trombose, Arritmia & IAMTrombose, Arritmia & IAM
Trombose, Arritmia & IAM
 
P cardiopatia congenita
P cardiopatia congenitaP cardiopatia congenita
P cardiopatia congenita
 
Ultrassonografia vascular: modo B e Doppler - FLAUS 2014
Ultrassonografia vascular: modo B e Doppler - FLAUS 2014Ultrassonografia vascular: modo B e Doppler - FLAUS 2014
Ultrassonografia vascular: modo B e Doppler - FLAUS 2014
 
aula de aneurisma de aorta abdominal vascular
aula de aneurisma de aorta abdominal vascularaula de aneurisma de aorta abdominal vascular
aula de aneurisma de aorta abdominal vascular
 
P cardiopatia congenita
P cardiopatia congenitaP cardiopatia congenita
P cardiopatia congenita
 
Síndromes aórticas agudas
Síndromes aórticas agudasSíndromes aórticas agudas
Síndromes aórticas agudas
 
Diagnóstico diferencial de dor torácica.pdf
Diagnóstico diferencial de dor torácica.pdfDiagnóstico diferencial de dor torácica.pdf
Diagnóstico diferencial de dor torácica.pdf
 
Aneurisma
AneurismaAneurisma
Aneurisma
 
Cuidado com aneurisma
Cuidado com aneurismaCuidado com aneurisma
Cuidado com aneurisma
 
Ca colorretal completo
Ca colorretal   completoCa colorretal   completo
Ca colorretal completo
 
Infarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdioInfarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdio
 
Trauma abdominal
Trauma abdominalTrauma abdominal
Trauma abdominal
 
Coraçao e anomalias congenitas
Coraçao e anomalias congenitasCoraçao e anomalias congenitas
Coraçao e anomalias congenitas
 
Desenvolvimento do coração e anomalias congênitas
Desenvolvimento do coração e anomalias congênitasDesenvolvimento do coração e anomalias congênitas
Desenvolvimento do coração e anomalias congênitas
 
Radiografia normal do tórax
Radiografia normal do tóraxRadiografia normal do tórax
Radiografia normal do tórax
 
Trabajo cardiología
Trabajo cardiologíaTrabajo cardiología
Trabajo cardiología
 
Tumores Benignos Hepáticos
Tumores Benignos HepáticosTumores Benignos Hepáticos
Tumores Benignos Hepáticos
 
DOPPLERFLUXOMETRIA OBSTETRICA
DOPPLERFLUXOMETRIA OBSTETRICADOPPLERFLUXOMETRIA OBSTETRICA
DOPPLERFLUXOMETRIA OBSTETRICA
 
Iam infarto miocardio -
Iam   infarto miocardio -Iam   infarto miocardio -
Iam infarto miocardio -
 

Último

Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERCarlaDaniela33
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfClivyFache
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoMarianaAnglicaMirand
 
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptxAula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptxIgrejaBblica1
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxcontatofelipearaujos
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 

Último (13)

Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
 
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptxAula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 

Aneurisma de aorta ppt

  • 1. Universidade Estadual do Maranhão Centro de Ensino Superiores De Caxias Liga Acadêmica de Cardiologia (LACARDIO) Aneurisma de Aorta
  • 2. ANEURISMA DE AORTA • ANEURISMAS SÃO DILATAÇÕES PATOLÓGICAS E IRREVERSÍVEIS DA AORTA, COM DIÂMETRO TRANSVERSAL EXCEDENDO 1,5 VEZ O SEU DIÂMETRO NORMAL. • PODEM SER ABDOMINAIS OU TORÁCICOS. • A IDADE É UM IMPORTANTE FATOR DE RISCO • A DIVISÃO ANATÔMICA É IMPORTANTE, POIS OS AA DIFEREM EM ETIOLOGIA E TRATAMENTO DE ACORDO COM A CLASSIFICAÇÃO
  • 3. Classificação 1 – Localização Abdominais – suprarrenais e infrarrenais Torácicos – ascendente, arco aórtico e descendente Toracoabdominais – envolvem aortas torácica e abdominal 2 – Morfologia Fusiformes – forma mais comum Saculares – formam um abaulamento em uma das paredes da aorta
  • 4. Fatores de risco Abdominais Tabagismo Sexo masculino – 10x > nos homens Idade Hipertensão Presença de Aterosclerose Torácicos (ascendente) Aorta bicúspide Síndrome de Marfan Sífilis
  • 5. Torácicos (descendente) Aterosclerose Torácicos (arco aórtico) Comumente acometido por extensão por patologias de aorta descendente ou ascendente
  • 6. Diagnóstico Abdominais Ultrassonografia de abdome Angiotomografia computadorizada de aorta abdominal Angiorressonância magnética de aorta abdominal Angiografia Torácicos Radiografia de tórax Angiotomografia computadorizada de aorta torácica Angiografia Ecocardiograma
  • 8. Aneurisma de Aorta Abnominais (AAAs) Assintomáticos e descobertos durante exame de imagem por outra indicação Exame Físico: -Massa pulsátil abdominal -Dolorosa ou indolor -Com ou sem sopro associado √ Sinal de DeBakey Pcts <50 anos desconforto abdominal em hipogástrico ou lombar Obs.: Surgimento súbito ou piora da dor indicativo de Rotura de aneurisma Massa palpável e pulsátil nas três dimensões localizada na linha média. Caso esta pulsação seja percebida na região epigástrica ou abaixo do gradil costal, é indicativo de AAA suprarrenal acometendo ramos viscerais (Sinal de deBakey)
  • 9. Aneurisma de Aorta Toráxicos (AATs) Assintomáticos e descobertos durante exame de imagem por outra indicação Sintomatologia pouco específica, como dor vaga em tórax, dorso, abdome e flanco Complicações vasculares Efeito de massa local Embolia Insuficiência aórtica com insuficiência cardíaca secundária Disfagia Dispneia Síndrome de veia cava superior
  • 10. Ultrassonografia é o exame de triagem Angiotomografia é o principal exame utilizado Angiorressonância é útil para o planejamento cirúrgico
  • 12. Indicações cirúrgicas para AAT e ATA Diâmetro  AAT: > 6 cm  ATA: > 5,5 cm Aneurisma em expansão  0,6 cm em 1 ano  Trombose do aneurisma  Embolização periférica  Compressão de estruturas adjacentes (traqueia, esôfago, brônquio principal esquerdo) Tratamento Cirúrgico Aneurisma Aórtico Torácico Aneurisma Toracoabdominal Aórtico 0,5
  • 13. Correção cirúrgica de aneurisma da artéria aorta abdominal com interposição de enxerto CONVENCIONAL Correção cirúrgica de aneurisma da artéria aorta abdominal com implante de endoprótese ENDOVASCULAR
  • 14. Tratamento Clínico ANEURISMA AÓRTICO TORACOABDOMINAL ANEURISMA AÓRTICO TORÁCICO -Controle dos fatores de risco -Uso de Beta-bloqueadores -Controle dos fatores de risco -Medicamentoso: 1.Beta-bloqueadores Atenolol ou Propranolol (indicação: todos os pcts) 2.Estatinas sinvastatina ; atorvastatina ou rosuvastatina (indicação: pcts com dislipidemia) 3.Aspirina (AAS) em caso de aneurisma de origem aterosclerótica
  • 15. Questões de Residência Médica (Cardiologia – Unifesp/2015) Paciente jovem de 22 anos portador de síndrome de Marfan (SM), assintomático,com história familiar de SM, em avaliação semestral apresenta atualmente aneurisma de aorta torácica ascendente de 5,6 cm. Assinale a estratégia mais adequada. A) Continuar com o seguimento de 6/6 meses B) Aumentar a dose do betabloqueador C) A cirurgia deve ser indicada D) A cirurgia só deve ser indicada se o diâmetro da aorta > 6,0cm E) A cirurgia não muda a história natural da Síndrome de Marfan
  • 16. Questões de Residência Médica (Cardiologia – HUUFPI - 2015) Em aneurismas de aorta, há indicação cirúrgica em casos de A)aneurisma de aorta descendente, assintomático. B) aneurisma de aorta abdominal, assintomático, quando maior que 4,5 cm de diâmetro, para mulheres. C) aneurisma de aorta abdominal, assintomático, quando maior que 4,5 cm de diâmetro, para homens. D) expansão do aneurisma aórtico igual ou maior que 0,5 cm ao ano. E) aneurisma de aorta ascendente, assintomático
  • 17. Questões de Residência Médica (Cirurgia Cardiovascular – HUUFMA - 2015) Dos fatores abaixo, qual o mais comumente relacionado à etiologia dos aneurismas de aorta? (A) Sífilis (B) Salmonelose (C) Aterosclerose (D) Hipertensão Arterial Sistêmica (E) Diabetes Mellitus