SlideShare uma empresa Scribd logo
Trabalho realizado pelo aluno Diogo Miguel Alves Andrez
Os primeiros povos que habitaram a Peninsula Hibérica foram
os:iberos.
Este povo vivia da agricultura e pastorícia. Mais tarde vieram
os Celtas, os Fenícios, os Gregos, os Cartagineses, os Romanos,
os Bárbaros e , por fim, os Mouros.
Da união dos Celtas com os Iberos resultaram os Celtiberos. O
grupo de Celtiberos mais guerreiro foram os Lusitanos que
viviam no alto dos montes em Castros, dedicamdo-se à
pastorícia e à caça.
Os Lusitanos
Quando os Romanos chegaram à Peninsula tiveram muita
dificuldade em vencer este grupo de guerreiros, porém
conseguiram que um lusitano atraiçoasse o seu chefe, Viriato e
o matasse.
Os Romanos dominaram este território oito séculos, até à
invasão dos Mouros.
Construiram pontes, aquedutos, templos, estradas,
desenvolveram a agricultura, o comércio e a indústria.
Introduziram o latim, a religião, as suas leis e a moeda.
 No ano 711, os Muçulmanos passaram a dominar toda a Península Ibérica,
menos um território montanhoso no norte da Peninsula Ibérica chamado
Astúrias.
 Antes da invasão deste povo os habitantes da Peninsula Ibérica eram cristãos,
mas depois da invasão tiveram que conviver com o islamismo, que era a religião
dos Mouros.
 Os Mouros estiveram 800 anos na Peninsula Ibérica.
 As ruas das cidades eram tortas e estreitas, com escadinhas, casas muito juntas
e quase sem abertura para o exterior. Os Mouros dominavam as técnicas de
captar, elevar, armazenar e distribuir água pelos habitantes e pelas terras de
cultivo. Desenvolveram a indústria artesanal, como os tapetes de arraiolos, a
construção de armas e carros de arreio. Trouxeram novos conhecimentos de
medicina, navegação (a bússula), astronomia e matemática.
Refugiados nas Astúrias, os Cristãos organizam-se e iniciam a
reconquista cristã.
Para ajudar na reconquista vieram do Norte e centro da
Europa alguns cavaleiros cristãos, os Cruzados.
À medida que a reconquista ia avançando formaram-se novos
reinos como o de Leão, Castela, Aragão e Navarra., rei de Leão
D.Afonso VII recompensou dois cavaleiros que se destcaram
pela sua bravura. Foram eles D. Raimundo e D.Henrique.
 O conde D Henrique ficou responsável pelo Condado de Portucalense, casou
com a filha ilegítima do rei de Leão, Dona Teresa.
 Deste casamento nasceu o filho Afonso Henriques.
 D. Henrique morreu cedo , sem consequir tornar o condado independente de
Leão e Castela.
 Dona Teresa assumiu o governo do Condado.
 Aos 14 anos D.Afonso Henriques armou-se cavaleiro e derrotou a mãe na
Batalha de S. Mamede. Depois desta vitória assumiu o governo do condado e
travou lutas com os Mouros, a sul e com o rei de Leão e Castela, para conseguir
a independência.
 Em 1139,na Batalha de Ourique, depois de derrotar os Mouros, D.Afonso
Henriques intitulou-se rei, mas sé em 1143 foi reconhecido como rei de Portugal,
pelo Tratado de Zamora.

As moedas de D. Afonso Henriques terão sido fabricadas em Braga e Coimbra
e eram de bolhão (liga metálica com maior quantidade de cobre do que prata).
As únicas peças conhecidas são os dinheiros e as mealhas ou meios dinheiros, que
eram as moedas correspondentes aos valores mais baixos utilizados nos neg
Conde D.Henrique e sua esposa
Dona Teresa
D.Afonso Henriques

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

C3 cristãos e muçulmanos na península
C3 cristãos e muçulmanos na penínsulaC3 cristãos e muçulmanos na península
C3 cristãos e muçulmanos na península
Vítor Santos
 
Condado portucalense
Condado portucalenseCondado portucalense
Condado portucalense
Luisa Jesus
 
18 reconquista cristã e a formação de portugal
18   reconquista cristã e a formação de portugal18   reconquista cristã e a formação de portugal
18 reconquista cristã e a formação de portugal
Carla Freitas
 
A Crise Do Império Português
A Crise Do Império PortuguêsA Crise Do Império Português
A Crise Do Império Português
Carlos Vieira
 
Formação reino--portugal.ppt_
 Formação reino--portugal.ppt_ Formação reino--portugal.ppt_
Formação reino--portugal.ppt_
Isa Alves
 
formação de portugal
formação de portugalformação de portugal
formação de portugal
Carla Gonçalves
 
Os primeiros povos a habitar a península ibérica
Os primeiros povos a habitar a península ibéricaOs primeiros povos a habitar a península ibérica
Os primeiros povos a habitar a península ibérica
paulasalvador
 
Primeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugalPrimeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugal
Hugo Ferreira
 
Formacao de portugal
Formacao de portugalFormacao de portugal
Formacao de portugal
cattonia
 
A Revol. 1383 E A FormaçãO Da Identidade Nacional
A Revol. 1383 E A FormaçãO Da Identidade NacionalA Revol. 1383 E A FormaçãO Da Identidade Nacional
A Revol. 1383 E A FormaçãO Da Identidade Nacional
Hist8
 
Um Pouco de História de Portugal
Um Pouco de História de PortugalUm Pouco de História de Portugal
Um Pouco de História de Portugal
Ministério da Educação
 
Iberos, celtas e lusitanos
Iberos, celtas e lusitanosIberos, celtas e lusitanos
Iberos, celtas e lusitanos
Lúcia Ramalho
 
Carta de foral
Carta de foralCarta de foral
Carta de foral
Laboreiro
 
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Catarina Castro
 
A herança muçulmana em portugal
A herança muçulmana em portugalA herança muçulmana em portugal
A herança muçulmana em portugal
Luisa Jesus
 
A história de portugal
A história de portugalA história de portugal
A história de portugal
telmascapelo
 
Reconquista Cristã e o Condado Portucalense
Reconquista Cristã e o Condado PortucalenseReconquista Cristã e o Condado Portucalense
Reconquista Cristã e o Condado Portucalense
Ministério da Educação
 
Romanos
RomanosRomanos
Romanos
cattonia
 
A Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de Portugal
HistN
 
Friso cronológico
Friso cronológicoFriso cronológico
Friso cronológico
EB Foros de Amora
 

Mais procurados (20)

C3 cristãos e muçulmanos na península
C3 cristãos e muçulmanos na penínsulaC3 cristãos e muçulmanos na península
C3 cristãos e muçulmanos na península
 
Condado portucalense
Condado portucalenseCondado portucalense
Condado portucalense
 
18 reconquista cristã e a formação de portugal
18   reconquista cristã e a formação de portugal18   reconquista cristã e a formação de portugal
18 reconquista cristã e a formação de portugal
 
A Crise Do Império Português
A Crise Do Império PortuguêsA Crise Do Império Português
A Crise Do Império Português
 
Formação reino--portugal.ppt_
 Formação reino--portugal.ppt_ Formação reino--portugal.ppt_
Formação reino--portugal.ppt_
 
formação de portugal
formação de portugalformação de portugal
formação de portugal
 
Os primeiros povos a habitar a península ibérica
Os primeiros povos a habitar a península ibéricaOs primeiros povos a habitar a península ibérica
Os primeiros povos a habitar a península ibérica
 
Primeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugalPrimeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugal
 
Formacao de portugal
Formacao de portugalFormacao de portugal
Formacao de portugal
 
A Revol. 1383 E A FormaçãO Da Identidade Nacional
A Revol. 1383 E A FormaçãO Da Identidade NacionalA Revol. 1383 E A FormaçãO Da Identidade Nacional
A Revol. 1383 E A FormaçãO Da Identidade Nacional
 
Um Pouco de História de Portugal
Um Pouco de História de PortugalUm Pouco de História de Portugal
Um Pouco de História de Portugal
 
Iberos, celtas e lusitanos
Iberos, celtas e lusitanosIberos, celtas e lusitanos
Iberos, celtas e lusitanos
 
Carta de foral
Carta de foralCarta de foral
Carta de foral
 
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
 
A herança muçulmana em portugal
A herança muçulmana em portugalA herança muçulmana em portugal
A herança muçulmana em portugal
 
A história de portugal
A história de portugalA história de portugal
A história de portugal
 
Reconquista Cristã e o Condado Portucalense
Reconquista Cristã e o Condado PortucalenseReconquista Cristã e o Condado Portucalense
Reconquista Cristã e o Condado Portucalense
 
Romanos
RomanosRomanos
Romanos
 
A Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de PortugalA Formação do Reino de Portugal
A Formação do Reino de Portugal
 
Friso cronológico
Friso cronológicoFriso cronológico
Friso cronológico
 

Semelhante a A história de Portugal

Peninsula ibericadois mundos em presença
Peninsula ibericadois mundos em presençaPeninsula ibericadois mundos em presença
Peninsula ibericadois mundos em presença
lazaro12r
 
Apresenta‡æo 1§s povos
Apresenta‡æo 1§s povosApresenta‡æo 1§s povos
Apresenta‡æo 1§s povos
Li Tagarelinhas
 
Hgp 5
Hgp 5Hgp 5
Hgp 5
Elisa Dias
 
2º avanços e recuos da reconquista
2º avanços e recuos da reconquista2º avanços e recuos da reconquista
2º avanços e recuos da reconquista
Básicas ou Secundárias
 
2º avanços e recuos da reconquista
2º avanços e recuos da reconquista2º avanços e recuos da reconquista
2º avanços e recuos da reconquista
Básicas ou Secundárias
 
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Cabiamar
 
Power P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
Power P. Hist.Portugal até descobrim..pptPower P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
Power P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
PaulaAlexandraAlves1
 
7º ano - HISTÓRIA 1 - Slides. smileleiva
7º ano - HISTÓRIA 1 - Slides. smileleiva7º ano - HISTÓRIA 1 - Slides. smileleiva
7º ano - HISTÓRIA 1 - Slides. smileleiva
Edna Calderaro
 
Historia de Portugal
Historia de PortugalHistoria de Portugal
Historia de Portugal
profigor
 
Ate a segunda dinastia
Ate a segunda dinastiaAte a segunda dinastia
Ate a segunda dinastia
Froncky
 
Até a segunda dinastia
Até a segunda dinastiaAté a segunda dinastia
Até a segunda dinastia
Froncky
 
11. Os primeiros povos - colar caderno.pdf
11. Os primeiros povos - colar caderno.pdf11. Os primeiros povos - colar caderno.pdf
11. Os primeiros povos - colar caderno.pdf
AndrChico
 
História de portugal1
História de portugal1História de portugal1
História de portugal1
EB Foros de Amora
 
A+história+de+portugal
A+história+de+portugalA+história+de+portugal
A+história+de+portugal
belinhas
 
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
lmmj
 
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de PortugalAs guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
Patrícia Costa Grigório
 
A FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De PortugalA FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De Portugal
Sílvia Mendonça
 
A Reconquista
A ReconquistaA Reconquista
A Reconquista
Professores História
 
Formaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugalFormaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugal
Maria José Oliveira
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristã
ricardorodrigues23091988
 

Semelhante a A história de Portugal (20)

Peninsula ibericadois mundos em presença
Peninsula ibericadois mundos em presençaPeninsula ibericadois mundos em presença
Peninsula ibericadois mundos em presença
 
Apresenta‡æo 1§s povos
Apresenta‡æo 1§s povosApresenta‡æo 1§s povos
Apresenta‡æo 1§s povos
 
Hgp 5
Hgp 5Hgp 5
Hgp 5
 
2º avanços e recuos da reconquista
2º avanços e recuos da reconquista2º avanços e recuos da reconquista
2º avanços e recuos da reconquista
 
2º avanços e recuos da reconquista
2º avanços e recuos da reconquista2º avanços e recuos da reconquista
2º avanços e recuos da reconquista
 
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
 
Power P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
Power P. Hist.Portugal até descobrim..pptPower P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
Power P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
 
7º ano - HISTÓRIA 1 - Slides. smileleiva
7º ano - HISTÓRIA 1 - Slides. smileleiva7º ano - HISTÓRIA 1 - Slides. smileleiva
7º ano - HISTÓRIA 1 - Slides. smileleiva
 
Historia de Portugal
Historia de PortugalHistoria de Portugal
Historia de Portugal
 
Ate a segunda dinastia
Ate a segunda dinastiaAte a segunda dinastia
Ate a segunda dinastia
 
Até a segunda dinastia
Até a segunda dinastiaAté a segunda dinastia
Até a segunda dinastia
 
11. Os primeiros povos - colar caderno.pdf
11. Os primeiros povos - colar caderno.pdf11. Os primeiros povos - colar caderno.pdf
11. Os primeiros povos - colar caderno.pdf
 
História de portugal1
História de portugal1História de portugal1
História de portugal1
 
A+história+de+portugal
A+história+de+portugalA+história+de+portugal
A+história+de+portugal
 
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
 
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de PortugalAs guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
As guerras de Reconquista e a formação do Reino de Portugal
 
A FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De PortugalA FormaçãO De Portugal
A FormaçãO De Portugal
 
A Reconquista
A ReconquistaA Reconquista
A Reconquista
 
Formaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugalFormaçaõ de portugal
Formaçaõ de portugal
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristã
 

Mais de Escolas do 1º Ciclo do Agrupamento D. António da Costa

Como fazer biografia
Como fazer biografiaComo fazer biografia
Castelos
CastelosCastelos
Um conto de natal
Um conto de natalUm conto de natal
O pai natal e os seus amigos
O pai natal e os seus amigosO pai natal e os seus amigos
O pai natal dorminhoco
O pai natal dorminhocoO pai natal dorminhoco
As renas do pai natal tem fome
As renas do pai natal tem fomeAs renas do pai natal tem fome
Mam carolina
Mam carolinaMam carolina
Mam vitoria
Mam vitoriaMam vitoria
Contos da Mata dos Medos
Contos da Mata dos MedosContos da Mata dos Medos
Aquário Virtual
Aquário VirtualAquário Virtual
Animais –faz de conta a.feijoca
Animais –faz de conta a.feijocaAnimais –faz de conta a.feijoca
Maria alberta meneres 1
Maria alberta meneres 1Maria alberta meneres 1
Dinamização da biblioteca
Dinamização da bibliotecaDinamização da biblioteca
Carolina
CarolinaCarolina

Mais de Escolas do 1º Ciclo do Agrupamento D. António da Costa (14)

Como fazer biografia
Como fazer biografiaComo fazer biografia
Como fazer biografia
 
Castelos
CastelosCastelos
Castelos
 
Um conto de natal
Um conto de natalUm conto de natal
Um conto de natal
 
O pai natal e os seus amigos
O pai natal e os seus amigosO pai natal e os seus amigos
O pai natal e os seus amigos
 
O pai natal dorminhoco
O pai natal dorminhocoO pai natal dorminhoco
O pai natal dorminhoco
 
As renas do pai natal tem fome
As renas do pai natal tem fomeAs renas do pai natal tem fome
As renas do pai natal tem fome
 
Mam carolina
Mam carolinaMam carolina
Mam carolina
 
Mam vitoria
Mam vitoriaMam vitoria
Mam vitoria
 
Contos da Mata dos Medos
Contos da Mata dos MedosContos da Mata dos Medos
Contos da Mata dos Medos
 
Aquário Virtual
Aquário VirtualAquário Virtual
Aquário Virtual
 
Animais –faz de conta a.feijoca
Animais –faz de conta a.feijocaAnimais –faz de conta a.feijoca
Animais –faz de conta a.feijoca
 
Maria alberta meneres 1
Maria alberta meneres 1Maria alberta meneres 1
Maria alberta meneres 1
 
Dinamização da biblioteca
Dinamização da bibliotecaDinamização da biblioteca
Dinamização da biblioteca
 
Carolina
CarolinaCarolina
Carolina
 

Último

Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 

Último (20)

Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 

A história de Portugal

  • 1. Trabalho realizado pelo aluno Diogo Miguel Alves Andrez
  • 2. Os primeiros povos que habitaram a Peninsula Hibérica foram os:iberos. Este povo vivia da agricultura e pastorícia. Mais tarde vieram os Celtas, os Fenícios, os Gregos, os Cartagineses, os Romanos, os Bárbaros e , por fim, os Mouros. Da união dos Celtas com os Iberos resultaram os Celtiberos. O grupo de Celtiberos mais guerreiro foram os Lusitanos que viviam no alto dos montes em Castros, dedicamdo-se à pastorícia e à caça.
  • 4. Quando os Romanos chegaram à Peninsula tiveram muita dificuldade em vencer este grupo de guerreiros, porém conseguiram que um lusitano atraiçoasse o seu chefe, Viriato e o matasse. Os Romanos dominaram este território oito séculos, até à invasão dos Mouros. Construiram pontes, aquedutos, templos, estradas, desenvolveram a agricultura, o comércio e a indústria. Introduziram o latim, a religião, as suas leis e a moeda.
  • 5.
  • 6.  No ano 711, os Muçulmanos passaram a dominar toda a Península Ibérica, menos um território montanhoso no norte da Peninsula Ibérica chamado Astúrias.  Antes da invasão deste povo os habitantes da Peninsula Ibérica eram cristãos, mas depois da invasão tiveram que conviver com o islamismo, que era a religião dos Mouros.  Os Mouros estiveram 800 anos na Peninsula Ibérica.  As ruas das cidades eram tortas e estreitas, com escadinhas, casas muito juntas e quase sem abertura para o exterior. Os Mouros dominavam as técnicas de captar, elevar, armazenar e distribuir água pelos habitantes e pelas terras de cultivo. Desenvolveram a indústria artesanal, como os tapetes de arraiolos, a construção de armas e carros de arreio. Trouxeram novos conhecimentos de medicina, navegação (a bússula), astronomia e matemática.
  • 7.
  • 8. Refugiados nas Astúrias, os Cristãos organizam-se e iniciam a reconquista cristã. Para ajudar na reconquista vieram do Norte e centro da Europa alguns cavaleiros cristãos, os Cruzados. À medida que a reconquista ia avançando formaram-se novos reinos como o de Leão, Castela, Aragão e Navarra., rei de Leão D.Afonso VII recompensou dois cavaleiros que se destcaram pela sua bravura. Foram eles D. Raimundo e D.Henrique.
  • 9.
  • 10.  O conde D Henrique ficou responsável pelo Condado de Portucalense, casou com a filha ilegítima do rei de Leão, Dona Teresa.  Deste casamento nasceu o filho Afonso Henriques.  D. Henrique morreu cedo , sem consequir tornar o condado independente de Leão e Castela.  Dona Teresa assumiu o governo do Condado.  Aos 14 anos D.Afonso Henriques armou-se cavaleiro e derrotou a mãe na Batalha de S. Mamede. Depois desta vitória assumiu o governo do condado e travou lutas com os Mouros, a sul e com o rei de Leão e Castela, para conseguir a independência.  Em 1139,na Batalha de Ourique, depois de derrotar os Mouros, D.Afonso Henriques intitulou-se rei, mas sé em 1143 foi reconhecido como rei de Portugal, pelo Tratado de Zamora. 
  • 11.
  • 12. As moedas de D. Afonso Henriques terão sido fabricadas em Braga e Coimbra e eram de bolhão (liga metálica com maior quantidade de cobre do que prata). As únicas peças conhecidas são os dinheiros e as mealhas ou meios dinheiros, que eram as moedas correspondentes aos valores mais baixos utilizados nos neg
  • 13. Conde D.Henrique e sua esposa Dona Teresa D.Afonso Henriques