SlideShare uma empresa Scribd logo
16/04/2012




                                                                            I – Situação Atual
                              Prof. Dr. Claudio M. Haddad




   Brasil, 1° do Mundo
     Maior exportador mundial de carne (1,95 milhões de tons em
      2006 ou aproximadamente 30% do marcado mundial)
     Segundo maior produtor de carne bovina do mundo com mais
      de 16% do mercado
     I ú
       Inúmeras vantagens competitivas quando comparados aos
                    t           titi       d           d
      demais países produtores




                                                                                           Fonte: Carolina Barreto




                                                                                        Fonte: Carolina Barreto
                                                  Fonte: Carolina Barreto




                                                                                                                     1
16/04/2012




                                                                                    Movimentação do Rebanho




                                                                                              2004                         2010
                                                                                              Fonte: IBGE              Fonte: Independência
                                                                                                                          Alimentos Ltda.

                                                  Fonte: Carolina Barreto


                                                                                                                                        Fonte: Carolina Barreto




   Mercado: Dados Pecuária Bovina                                             Mercado: Vantagens do Brasil
     Agronegócio brasileiro representa aproximadamente 34%                          Abundância de Alimentos
      do PIB.                                                                        Baixos custos de produção (insumos, mão de obra, custo
                                                                                      de oportunidade, etc).
     Somente o setor da pecuária representa aproximadamente
      8% do PIB brasileiro
                brasileiro.                                                          Aumento da demanda mundial por produtos saudáveis e
                                                                                      seguros.
     Setor pecuário gera mais de 7,2 milhões de empregos                            Melhoria nas técnicas de produção e conseqüente aumento
      diretos no campo e na indústria                                                 da eficiência produtiva brasileira.

     Consumo interno brasileiro representa 88% da produção                          Estagnação da produção nos países concorrentes – estão
      total.                                                                          próximos ao limite da capacidade produtiva.



                                              Fonte: Fernando Queiroz                                                           Fonte: Fernando Queiroz




                                                                               Os departamentos dentro e fora da fazenda




                           II – Atividades das
                                     Empresas                                                                   Cria                 Recria




                                                                                                             Abate                 Engorda
                                                                                                                                       Fonte: Fernando Queiroz




                                                                                                                                                                  2
16/04/2012




CRIA
 Matrizes        Bezerros(as)   Sobreano
                    (7 meses    (12-14 meses)
 Machos            desmama)
 (sêmen)

RECRIA
 Sobreano                       Boi magro
 (12-14 meses)                  (24-30 meses)


ENGORDA
 Boi magro                      Boi gordo
 (24-30 meses)                  (36-40 meses)




                                                        3
16/04/2012




                                                                      III – Regiões
                                                                          Pecuárias




   Norte: AC,AM,PA,MA,RO,AP,RR,TO
   Centro-Oeste: MT,MS,GO,DF
   Nordeste: PI,CE,RN,PB,PE,AL,SE,BA
   Sudeste: MG,RJ,SP,ES
   Sul: PR SC RS
         PR,SC,RS
                                                    12%
                                                                      IV – Produção
                                                                13%       Estacional
                                                 39%


                                                          21%




                                                   15%




   Safra/Entressafra
    ◦ Função de exploração tecnologicamente mais atrasada dos
      recursos exclusivos da pastagem


   SAFRA
                Janeiro        Julho/Agosto

   ENTRESSAFRA
             Agosto            Dezembro




                                                                                         4
16/04/2012




        5
16/04/2012




                                    Bez.            BM              BG                 Carne
V – Ciclo Pecuário    CRIADOR              RECRIA         ENGORDA           FRIGORÍF           MERCADO


                      Matrizes




                     Índice                         Brasil          Bom            Excelente
                     Natalidade (%)                 60              80-85          >85
                     Mortalidade (%)                7               2              <2
                     Idade 1ª cria (meses)          40              27-30          >24
VI – Índices de      Idade abate (meses)            42              24 30
                                                                    24-30          >24

Produtividade        Peso Carcaça (kg)              230             250            280
                     Lotação (UA/ha)                0,8             2,0            >2,0
                     Desfrute (%)                   23              28-30          33

                     1 UA  450kg




                                                                                                         6
16/04/2012




   Ex. Faz A x Faz B                                    Ex. Faz A x Faz B
    ◦ Faz A = 400 cab                                     ◦ Faz A = 400 cab (bezerro desmama)
    ◦ Faz B = 360 cab                                       400 x 0,25 = 100 UA


    ◦ Qual fazenda é mais eficiente no uso do solo?       ◦ Faz B = 360 cab (vacas matrizes)
                                                            360 x 1,0 = 360 UA
    ◦   1 touro = 1,5UA
    ◦   1 vaca = 1,0UA                                   LOTAÇÃO
    ◦   Novilho/boi magro = 0,75UA                        ◦ Faz A 100 UA = 1 UA/ha
    ◦   Boi gordo = 1,0UA                                         100 ha
    ◦   Garrote/Novilha = 0,5UA
    ◦   Bezerro Desmama = 0,25UA                          ◦ Faz B 360 UA = 3,6 UA/ha
    ◦   Bezerro mamando = 0                                       100 ha




                                                         1) Nutrição inadequada: A nutrição afeta a
                                                          reprodução e o crescimento, dois dos principais
                                                          formadores do desfrute
                                                         2) Sanidade: Há doenças de produção e reprodução
                                 VII – Causas dos         afetando o aproveitamento do rebanho
                                                          3) Genética: A melhor genética não atinge rápida e
                                 baixos índices       
                                                          eficazmente as fazendas produtoras. Quando o faz, o
                                 zootécnicos              ambiente não dá suporte à essa melhor genética
                                                         4) Capital Humano: Existe e é mal aproveitado




                                                                                                                  7
16/04/2012




VIII -
Comercialização




                          8
16/04/2012




                                                                                                         ( Animal Vivo)
                        Animal vivo
 Comercialização                                                  COMERCIALIZAÇÃO EM FAZENDAS
                        Carne
                                                               Sequência:
                          a) Categorias que não vão ao abate   Recolhimento Apartação  Apresentação 
                            (boi
                            (b i magro, garrote, bezerro(a),
                                             t b         ( )    Oferta x Contra-oferta  Conclusão
                                                                                                ã
                            novilha, vaca matriz, touro) –
1) Comercialização do       R$/cabeça - fazendas/leilões
  animal vivo
                         b) Categorias que vão ao abate
                           (boi gordo, vaca gorda, toruno,
                           novilha, vitelo) – Preço unitário
                           R$/@ – frigoríficos/matadouros




                                                                                                         ( Animal Vivo)

                                                                  COMERCIALIZAÇÃO EM LEILÃO

                                                                Sequência: vendedor
                                                               Recolhimento  Apartação  Apresentação 
                                                                 Oferta x Contra-oferta  Conclusão (Venda)
                                                                                                 ã
                                                               - (Leiloeira)


                                                                Sequência: comprador
                                                               Vistoria prévia  Lances  Conclusão (Compra)




                                                                                                                          9
16/04/2012




                                                ( Animal Vivo)

     Conceito de “Gaiola cheia”

Preço do = km rodado x preço do litro diesel x 2   (Ida e volta)

  frete
Veículo               Bois gordos   Vacas       Bezerros
3/4                        8           10-12        18-20
Toco                      13            16           30
Truck                     18            20           35
Carreta                   35            40           80
2 andares                  -                -        120




                                                ( Da carne)                                  ( Da carne)

2) Comercialização de categorias que vão ao abate                     Conceito de carcaça

 Preço      = R$/@
carcaça

Quantidade   Peso Vivo x Rendimento (R%)
de arrobas =             15


Preço       =   Quantidade de arrobas x Preço/@
final




                                                                                                           10
16/04/2012




                                                   ( Da carne)                                                           ( Da carne)
                                                                      Conceito de carcaça
         Conceito de carcaça




                                                   ( Da carne)                                                           ( Da carne)

   Conceito de                                                  Venda pelo rendimento (balança da fazenda)
    carcaça
   Produto final do
    abate, onde o animal
    é sangrado, esfolado,
    eviscerado,
    eviscerado
    decapitado e retirado
    mocotós e cauda




                                                                  Quantidade              Peso Vivo x Rendimento (acordo)
                                                                  de arrobas                                15




                                                   ( Da carne)                                                           ( Da carne)
     Rendimento acordado médio                                    Tipos de carne encontrado no mercado
              Animal              Peso Kg     Rendimento %
               Búfala                             45 %
                                                                       Carne sob frio    Resfriada
      Búfalo e Vaca Holandesa                     47 %
     Vaca nelore e Boi Holandês                   50 %                                   Refrigerada
                                  450 - 480       51 %                                   Congelada
                                  480 - 510       52 %
               Nelore             510 - 550       53 %                 Carne de sol      Sal
              (51-55%)            550 - 580       54 %                                   Sol
                                  580 - 600       55 %
          Cruzado Ind. E x Z                    53 - 56 %              Carne verde  Direto do matadouro ao consumidor
            Europeu Corte                       54 - 60 %              Carne maturada  - luz / - oxigênio / 21 dias




                                                                                                                                       11
16/04/2012




Prof. Dr. Claudio M. Haddad
   cmhaddad@esalq usp br
   cmhaddad@esalq.usp.br
             (19) 3429-4134
                  3422-2161




                                     12

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Simp esalq 2011 proc grãos bc
Simp esalq 2011   proc grãos bcSimp esalq 2011   proc grãos bc
Simp esalq 2011 proc grãos bc
Universidade de São Paulo
 
Planejamento alimentar
Planejamento alimentarPlanejamento alimentar
Planejamento alimentar
Exagro
 
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte lowManejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
Universidade de São Paulo
 
RevisaoGadoCorte2012
RevisaoGadoCorte2012RevisaoGadoCorte2012
RevisaoGadoCorte2012
Universidade de São Paulo
 
04 - Suplementação na pecuária de corte - Sergio Morgulis - Asbram
04 - Suplementação na pecuária de corte - Sergio Morgulis - Asbram04 - Suplementação na pecuária de corte - Sergio Morgulis - Asbram
04 - Suplementação na pecuária de corte - Sergio Morgulis - Asbram
Miguel Cavalcanti
 
Manejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corteManejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corte
Fabrício Farias
 
Apostila 10 - Índices zootécnicos e resultados econômicos
Apostila 10 -  Índices zootécnicos e resultados econômicosApostila 10 -  Índices zootécnicos e resultados econômicos
Apostila 10 - Índices zootécnicos e resultados econômicos
Portal Canal Rural
 
Aula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leiteAula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leite
Fabio Freitas
 
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamentoInstalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Lucas Camilo
 
Apostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina finalApostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina final
Portal Canal Rural
 
Bovinos de corte
Bovinos de corteBovinos de corte
Bovinos de corte
Fabrício Farias
 

Destaque (11)

Simp esalq 2011 proc grãos bc
Simp esalq 2011   proc grãos bcSimp esalq 2011   proc grãos bc
Simp esalq 2011 proc grãos bc
 
Planejamento alimentar
Planejamento alimentarPlanejamento alimentar
Planejamento alimentar
 
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte lowManejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
 
RevisaoGadoCorte2012
RevisaoGadoCorte2012RevisaoGadoCorte2012
RevisaoGadoCorte2012
 
04 - Suplementação na pecuária de corte - Sergio Morgulis - Asbram
04 - Suplementação na pecuária de corte - Sergio Morgulis - Asbram04 - Suplementação na pecuária de corte - Sergio Morgulis - Asbram
04 - Suplementação na pecuária de corte - Sergio Morgulis - Asbram
 
Manejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corteManejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corte
 
Apostila 10 - Índices zootécnicos e resultados econômicos
Apostila 10 -  Índices zootécnicos e resultados econômicosApostila 10 -  Índices zootécnicos e resultados econômicos
Apostila 10 - Índices zootécnicos e resultados econômicos
 
Aula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leiteAula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leite
 
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamentoInstalações e equipamentos bovino de corte   pasto e confinamento
Instalações e equipamentos bovino de corte pasto e confinamento
 
Apostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina finalApostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina final
 
Bovinos de corte
Bovinos de corteBovinos de corte
Bovinos de corte
 

Semelhante a Agronegócio do boi

Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
Universidade de São Paulo
 
Palestra Francisco José Turra - feicorte 2011
Palestra Francisco José Turra - feicorte 2011Palestra Francisco José Turra - feicorte 2011
Palestra Francisco José Turra - feicorte 2011
NFT Alliance
 
Apresentção fundos de investimento
Apresentção fundos de investimentoApresentção fundos de investimento
Apresentção fundos de investimento
Felipe Souto
 
[Palestra] Vilson Simon: Uma visão de Brasil "Futuro Promissor"
[Palestra] Vilson Simon: Uma visão de Brasil "Futuro Promissor"[Palestra] Vilson Simon: Uma visão de Brasil "Futuro Promissor"
[Palestra] Vilson Simon: Uma visão de Brasil "Futuro Promissor"
AgroTalento
 
Observatorio de la economía latinoamericana
Observatorio de la economía latinoamericanaObservatorio de la economía latinoamericana
Observatorio de la economía latinoamericana
Vi Pomarinos
 
Processamento origem animal carne bovina e avicultura
Processamento origem animal carne bovina e aviculturaProcessamento origem animal carne bovina e avicultura
Processamento origem animal carne bovina e avicultura
Vilson Stollmeier
 
TPOA-1-e-2-INTRODUÇÃO (1).ppt
TPOA-1-e-2-INTRODUÇÃO (1).pptTPOA-1-e-2-INTRODUÇÃO (1).ppt
TPOA-1-e-2-INTRODUÇÃO (1).ppt
MirianFernandes15
 
Cenário Setorial - Fertilizantes
Cenário Setorial - FertilizantesCenário Setorial - Fertilizantes
Cenário Setorial - Fertilizantes
Sociedade Rural Brasileira (fan page)
 
O Brasil Dos Agrocombustiveis -Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-Manso 2008”
O Brasil Dos Agrocombustiveis -Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-Manso 2008”O Brasil Dos Agrocombustiveis -Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-Manso 2008”
O Brasil Dos Agrocombustiveis -Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-Manso 2008”
ProjetoBr
 
Setor Alimentício
Setor AlimentícioSetor Alimentício
Setor Alimentício
Barbarabp
 
O Potencial da Carne Bovina nos Circuitos Não Aftósicos
O Potencial da Carne Bovina nos Circuitos Não AftósicosO Potencial da Carne Bovina nos Circuitos Não Aftósicos
O Potencial da Carne Bovina nos Circuitos Não Aftósicos
Raphael Rocha
 
AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014
AgriculturaSustentavel
 
BRF - Resultados 3T10
BRF - Resultados 3T10BRF - Resultados 3T10
BRF - Resultados 3T10
Luiz Felipe N. Fernandes
 

Semelhante a Agronegócio do boi (13)

Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
 
Palestra Francisco José Turra - feicorte 2011
Palestra Francisco José Turra - feicorte 2011Palestra Francisco José Turra - feicorte 2011
Palestra Francisco José Turra - feicorte 2011
 
Apresentção fundos de investimento
Apresentção fundos de investimentoApresentção fundos de investimento
Apresentção fundos de investimento
 
[Palestra] Vilson Simon: Uma visão de Brasil "Futuro Promissor"
[Palestra] Vilson Simon: Uma visão de Brasil "Futuro Promissor"[Palestra] Vilson Simon: Uma visão de Brasil "Futuro Promissor"
[Palestra] Vilson Simon: Uma visão de Brasil "Futuro Promissor"
 
Observatorio de la economía latinoamericana
Observatorio de la economía latinoamericanaObservatorio de la economía latinoamericana
Observatorio de la economía latinoamericana
 
Processamento origem animal carne bovina e avicultura
Processamento origem animal carne bovina e aviculturaProcessamento origem animal carne bovina e avicultura
Processamento origem animal carne bovina e avicultura
 
TPOA-1-e-2-INTRODUÇÃO (1).ppt
TPOA-1-e-2-INTRODUÇÃO (1).pptTPOA-1-e-2-INTRODUÇÃO (1).ppt
TPOA-1-e-2-INTRODUÇÃO (1).ppt
 
Cenário Setorial - Fertilizantes
Cenário Setorial - FertilizantesCenário Setorial - Fertilizantes
Cenário Setorial - Fertilizantes
 
O Brasil Dos Agrocombustiveis -Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-Manso 2008”
O Brasil Dos Agrocombustiveis -Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-Manso 2008”O Brasil Dos Agrocombustiveis -Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-Manso 2008”
O Brasil Dos Agrocombustiveis -Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-Manso 2008”
 
Setor Alimentício
Setor AlimentícioSetor Alimentício
Setor Alimentício
 
O Potencial da Carne Bovina nos Circuitos Não Aftósicos
O Potencial da Carne Bovina nos Circuitos Não AftósicosO Potencial da Carne Bovina nos Circuitos Não Aftósicos
O Potencial da Carne Bovina nos Circuitos Não Aftósicos
 
AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014
 
BRF - Resultados 3T10
BRF - Resultados 3T10BRF - Resultados 3T10
BRF - Resultados 3T10
 

Mais de Universidade de São Paulo

Metabolismo2012
Metabolismo2012Metabolismo2012
Texto sobre Confinamento
Texto sobre ConfinamentoTexto sobre Confinamento
Texto sobre Confinamento
Universidade de São Paulo
 
Aula Confinamento
Aula ConfinamentoAula Confinamento
Aula Confinamento
Universidade de São Paulo
 
Sup bov corte graduação 05-2012
Sup bov corte   graduação 05-2012Sup bov corte   graduação 05-2012
Sup bov corte graduação 05-2012
Universidade de São Paulo
 
Bovino de corte 2012 volumosos nussio low
Bovino de corte 2012 volumosos nussio lowBovino de corte 2012 volumosos nussio low
Bovino de corte 2012 volumosos nussio low
Universidade de São Paulo
 
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Universidade de São Paulo
 
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
Universidade de São Paulo
 
Biologia do crescimento low
Biologia do crescimento lowBiologia do crescimento low
Biologia do crescimento low
Universidade de São Paulo
 

Mais de Universidade de São Paulo (8)

Metabolismo2012
Metabolismo2012Metabolismo2012
Metabolismo2012
 
Texto sobre Confinamento
Texto sobre ConfinamentoTexto sobre Confinamento
Texto sobre Confinamento
 
Aula Confinamento
Aula ConfinamentoAula Confinamento
Aula Confinamento
 
Sup bov corte graduação 05-2012
Sup bov corte   graduação 05-2012Sup bov corte   graduação 05-2012
Sup bov corte graduação 05-2012
 
Bovino de corte 2012 volumosos nussio low
Bovino de corte 2012 volumosos nussio lowBovino de corte 2012 volumosos nussio low
Bovino de corte 2012 volumosos nussio low
 
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 2 2012
 
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012Aula melhoramento bovinos corte parte 1  2012
Aula melhoramento bovinos corte parte 1 2012
 
Biologia do crescimento low
Biologia do crescimento lowBiologia do crescimento low
Biologia do crescimento low
 

Agronegócio do boi

  • 1. 16/04/2012 I – Situação Atual Prof. Dr. Claudio M. Haddad  Brasil, 1° do Mundo  Maior exportador mundial de carne (1,95 milhões de tons em 2006 ou aproximadamente 30% do marcado mundial)  Segundo maior produtor de carne bovina do mundo com mais de 16% do mercado  I ú Inúmeras vantagens competitivas quando comparados aos t titi d d demais países produtores Fonte: Carolina Barreto Fonte: Carolina Barreto Fonte: Carolina Barreto 1
  • 2. 16/04/2012  Movimentação do Rebanho 2004 2010 Fonte: IBGE Fonte: Independência Alimentos Ltda. Fonte: Carolina Barreto Fonte: Carolina Barreto  Mercado: Dados Pecuária Bovina  Mercado: Vantagens do Brasil  Agronegócio brasileiro representa aproximadamente 34%  Abundância de Alimentos do PIB.  Baixos custos de produção (insumos, mão de obra, custo de oportunidade, etc).  Somente o setor da pecuária representa aproximadamente 8% do PIB brasileiro brasileiro.  Aumento da demanda mundial por produtos saudáveis e seguros.  Setor pecuário gera mais de 7,2 milhões de empregos  Melhoria nas técnicas de produção e conseqüente aumento diretos no campo e na indústria da eficiência produtiva brasileira.  Consumo interno brasileiro representa 88% da produção  Estagnação da produção nos países concorrentes – estão total. próximos ao limite da capacidade produtiva. Fonte: Fernando Queiroz Fonte: Fernando Queiroz  Os departamentos dentro e fora da fazenda II – Atividades das Empresas Cria Recria Abate Engorda Fonte: Fernando Queiroz 2
  • 3. 16/04/2012 CRIA Matrizes Bezerros(as) Sobreano (7 meses (12-14 meses) Machos desmama) (sêmen) RECRIA Sobreano Boi magro (12-14 meses) (24-30 meses) ENGORDA Boi magro Boi gordo (24-30 meses) (36-40 meses) 3
  • 4. 16/04/2012 III – Regiões Pecuárias  Norte: AC,AM,PA,MA,RO,AP,RR,TO  Centro-Oeste: MT,MS,GO,DF  Nordeste: PI,CE,RN,PB,PE,AL,SE,BA  Sudeste: MG,RJ,SP,ES  Sul: PR SC RS PR,SC,RS 12% IV – Produção 13% Estacional 39% 21% 15%  Safra/Entressafra ◦ Função de exploração tecnologicamente mais atrasada dos recursos exclusivos da pastagem  SAFRA Janeiro Julho/Agosto  ENTRESSAFRA Agosto Dezembro 4
  • 6. 16/04/2012 Bez. BM BG Carne V – Ciclo Pecuário CRIADOR RECRIA ENGORDA FRIGORÍF MERCADO Matrizes Índice Brasil Bom Excelente Natalidade (%) 60 80-85 >85 Mortalidade (%) 7 2 <2 Idade 1ª cria (meses) 40 27-30 >24 VI – Índices de Idade abate (meses) 42 24 30 24-30 >24 Produtividade Peso Carcaça (kg) 230 250 280 Lotação (UA/ha) 0,8 2,0 >2,0 Desfrute (%) 23 28-30 33 1 UA  450kg 6
  • 7. 16/04/2012  Ex. Faz A x Faz B  Ex. Faz A x Faz B ◦ Faz A = 400 cab ◦ Faz A = 400 cab (bezerro desmama) ◦ Faz B = 360 cab 400 x 0,25 = 100 UA ◦ Qual fazenda é mais eficiente no uso do solo? ◦ Faz B = 360 cab (vacas matrizes) 360 x 1,0 = 360 UA ◦ 1 touro = 1,5UA ◦ 1 vaca = 1,0UA  LOTAÇÃO ◦ Novilho/boi magro = 0,75UA ◦ Faz A 100 UA = 1 UA/ha ◦ Boi gordo = 1,0UA 100 ha ◦ Garrote/Novilha = 0,5UA ◦ Bezerro Desmama = 0,25UA ◦ Faz B 360 UA = 3,6 UA/ha ◦ Bezerro mamando = 0 100 ha  1) Nutrição inadequada: A nutrição afeta a reprodução e o crescimento, dois dos principais formadores do desfrute  2) Sanidade: Há doenças de produção e reprodução VII – Causas dos afetando o aproveitamento do rebanho 3) Genética: A melhor genética não atinge rápida e baixos índices  eficazmente as fazendas produtoras. Quando o faz, o zootécnicos ambiente não dá suporte à essa melhor genética  4) Capital Humano: Existe e é mal aproveitado 7
  • 9. 16/04/2012 ( Animal Vivo) Animal vivo Comercialização  COMERCIALIZAÇÃO EM FAZENDAS Carne Sequência: a) Categorias que não vão ao abate Recolhimento Apartação  Apresentação  (boi (b i magro, garrote, bezerro(a), t b ( ) Oferta x Contra-oferta  Conclusão ã novilha, vaca matriz, touro) – 1) Comercialização do R$/cabeça - fazendas/leilões animal vivo b) Categorias que vão ao abate (boi gordo, vaca gorda, toruno, novilha, vitelo) – Preço unitário R$/@ – frigoríficos/matadouros ( Animal Vivo)  COMERCIALIZAÇÃO EM LEILÃO  Sequência: vendedor Recolhimento  Apartação  Apresentação  Oferta x Contra-oferta  Conclusão (Venda) ã - (Leiloeira)  Sequência: comprador Vistoria prévia  Lances  Conclusão (Compra) 9
  • 10. 16/04/2012 ( Animal Vivo)  Conceito de “Gaiola cheia” Preço do = km rodado x preço do litro diesel x 2 (Ida e volta) frete Veículo Bois gordos Vacas Bezerros 3/4 8 10-12 18-20 Toco 13 16 30 Truck 18 20 35 Carreta 35 40 80 2 andares - - 120 ( Da carne) ( Da carne) 2) Comercialização de categorias que vão ao abate  Conceito de carcaça Preço = R$/@ carcaça Quantidade Peso Vivo x Rendimento (R%) de arrobas = 15 Preço = Quantidade de arrobas x Preço/@ final 10
  • 11. 16/04/2012 ( Da carne) ( Da carne)  Conceito de carcaça  Conceito de carcaça ( Da carne) ( Da carne)  Conceito de Venda pelo rendimento (balança da fazenda) carcaça  Produto final do abate, onde o animal é sangrado, esfolado, eviscerado, eviscerado decapitado e retirado mocotós e cauda Quantidade Peso Vivo x Rendimento (acordo) de arrobas 15 ( Da carne) ( Da carne) Rendimento acordado médio Tipos de carne encontrado no mercado Animal Peso Kg Rendimento % Búfala 45 % Carne sob frio Resfriada Búfalo e Vaca Holandesa 47 % Vaca nelore e Boi Holandês 50 % Refrigerada 450 - 480 51 % Congelada 480 - 510 52 % Nelore 510 - 550 53 % Carne de sol Sal (51-55%) 550 - 580 54 % Sol 580 - 600 55 % Cruzado Ind. E x Z 53 - 56 % Carne verde  Direto do matadouro ao consumidor Europeu Corte 54 - 60 % Carne maturada  - luz / - oxigênio / 21 dias 11
  • 12. 16/04/2012 Prof. Dr. Claudio M. Haddad cmhaddad@esalq usp br cmhaddad@esalq.usp.br (19) 3429-4134 3422-2161 12