SlideShare uma empresa Scribd logo
Administração eficaz de conflitos
2




Administração Eficaz de Conflitos

Carga horária: 1h TV e 2 hs Web


Palestrante: Ernesto Artur Berg
Pós-graduado pela FVG de Brasília, graduado em Administração e Sociologia.
Consultor de empresas, palestrante, articulista, autor de vários livros,
especialista em desenvolvimento organizacional, negociação, gestão do
tempo, criatividade na tomada de decisão, administração de conflitos.
Editor do site www.quebrandobarreiras.com.br voltado para a área de
administração e negócios.

Conteudista: Denise Tozzi da S. Chemin

Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas pela FAE, graduada em
Administração         de     Empresas        pela     UTP-PR.       Atua      no    treinamento         e
desenvolvimento de equipes no O Boticário S/A.

Canal: AD



Resumo do curso
Este é o curso Administração Eficaz de Conflitos. Diariamente nos defrontamos
com situações ou pessoas com atitudes que aprovamos ou não, conforme nossos
valores e forma de pensar. Algumas vezes essas divergências causam conflitos.
Neste estudo faremos uma reflexão acerca dos conflitos, buscando soluções para
administrá-los da melhor forma possível.



Objetivos do curso
   • Reconhecer as situações que possam gerar conflitos;
   • Identificar os tipos de conflitos;
   • Identificar a conduta para resolução de conflitos.


Mapa do Curso
I. INTRODUÇÃO................................................................................................ 4
  1. Definição de Conflito............................................................... 5
  2. As Possíveis Causas do Conflito ................................................... 7
  3. Tipos de Conflito.................................................................... 8
3




   4.Níveis de Conflito ..................................................................10
   5.Estilos de Administração de Conflitos ..........................................12
   6.Dicas para Administrar Conflitos ................................................14
II. CONCLUSÃO ................................................................................................19
III. Referências ...............................................................................................20
4




       I. INTRODUÇÃO


        Olá,      seja    bem     vindo       ao     curso
Administração Eficaz de Conflitos.
        Os conflitos existem desde o início da
humanidade,       fazem   parte    do     processo      de
evolução      e   desenvolvimento       das        relações
humanas. Eles podem ser ignorados ou abafados,
ou sanados e transformados num elemento de
fortalecimento individual ou de uma organização ou sociedade.
             Até pouco tempo atrás a ausência de conflitos era vista como
expressão de boas relações e, no caso das organizações, como sinal de
competência. Alguns profissionais viam o conflito de forma negativa, como
resultante da ação e do comportamento de pessoas indesejáveis, prejudicando
assim o bom relacionamento entre as pessoas e, consequentemente, ao bom
funcionamento das organizações.
             Este cenário tende a se modificar cada vez mais, porém, ainda não
somos adequadamente preparados para agirmos com equilíbrio nos momentos de
conflitos.
             Na teleaula você teve acesso a importantes informações, e que tal
vermos mais algumas neste estudo? Acompanhe!
5




1. Definição de Conflito


      Como já vimos, por muito tempo a ausência de conflitos foi vista como um
sinal de competência.



                                  Você pode remeter a ideia de conflito como
                         sendo algo positivo?




      O conflito pode ser considerado como fonte de crescimento a partir do
momento em que as pessoas envolvidas se abrem para ideias novas, podendo
levar a discussões abertas sobre determinados assuntos. Dessa forma, o conflito
se revela positivo, pois permite a expressão e exploração de diferentes pontos
de vista, interesses e valores.
      Em alguns momentos, e em determinados
níveis, o conflito pode ser considerado necessário
para que não haja um processo de estagnação.
      Assim, os conflitos não são necessariamente
negativos; a maneira como lidamos com eles é que
pode gerar algumas reações desagradáveis.
      Você já havia considerado essa possibilidade?
      A administração de conflitos consiste basicamente na escolha e
implementação das estratégias mais adequadas para se lidar com cada tipo de
situação.
6




       Agora, vamos dar continuidade ao nosso estudo buscando um consenso
sobre o significado da palavra conflito, já que existem várias definições. Veja:


       Apesar dos sentidos divergentes, um conflito deve ser percebido pelas
partes: se um conflito existe ou não é uma questão de percepção. Se ninguém
está ciente de um conflito, então é consenso geral que não há nenhum conflito.
A forma como se lida com esta percepção é que pode tornar este conflito em um
problema ou num ponto de partida para a busca de solução.
       Veja como alguns especialistas destacam esse assunto: Hampton (1991)
definiu-o como um processo que começa quando uma parte percebe que a outra
parte frustrou ou vai frustrar seus interesses. Na definição de Pruitt e Rubin
(1986), conflito é a divergência percebida de interesses, ou pela crença que as
aspirações atuais das partes não podem ser atingidas simultaneamente. Fisher
(1969) definiu conflito como a interação de pessoas interdependentes que tem
objetivos incompatíveis e interferem entre si no alcance desses objetivos.
       Como você pode ver, várias são as definições, assim como a forma como
ele é visto; A visão positiva a respeito do conflito diz que:

                                Visão interacionista:

                                Estimula o conflito com base em que um grupo
                         harmonioso, calmo e tranquilo é inclinado a tornar-se
                         estático   e   não   responder   às    necessidades   de
                         mudança e inovação.


       Portanto, na abordagem interacionista os líderes são
incentivados a manterem um nível mínimo de conflito,
suficiente para manter o grupo viável, autocrítico e
criativo.
7




      Para entendimento conceitual, vamos conhecer rapidamente outras duas
visões sobre conflito:




2. As Possíveis Causas do Conflito


      Bem, como você tem acompanhado, nossos estudos nos trouxeram alguns
conceitos que nos fizeram compreender que o conflito nem sempre pode ser
visto como sendo algo negativo. Agora, convido você a procurar entender um
pouco mais sobre as possíveis causas de conflitos.
      Diariamente nos defrontamos com pessoas e
situações diferentes do que somos e do que estamos
acostumados,    ou   que   aprovamos   ou   desaprovamos
conforme nossos valores e forma de pensar. Alguns
fatores podem nos levar aos conflitos, vamos conhecê-los?
Acompanhe os quadros a seguir:
8




3. Tipos de Conflito


      Quando nos deparamos com uma situação que tenhamos que administrar,
a condição básica é conhecê-la, para tomarmos a melhor decisão, você
concorda?
      Esta “regra” também se aplica quando queremos
administrar os conflitos da melhor forma. Por isso a
importância de conhecer os tipos de conflitos existentes
para que se possa escolher a estratégia adequada. Vamos
explicar melhor, veja:
9




Não é declarado e não há, mesmo por parte das pessoas envolvidas, uma clara
consciência de sua existência.




As pessoas envolvidas percebem, racionalmente, a existência do conflito,
embora não haja ainda manifestações abertas.




É aquele que já atinge ambas as partes, e em que há emoção consciente;




Trata-se do conflito que já atingiu ambas as partes, já é percebido por terceiros
e pode interferir na dinâmica da organização.


                                 Perceba outra situação: é possível que você já
                       tenha ouvido ou dito, “tal pessoa está em conflito”, isso
                       também configura uma situação de conflito. Este é o
                       denominado conflito interno: ele é intrapessoal ou
                       intrapsíquico, envolve a dissonância emocional para uma
                       pessoa, refletindo o abismo entre o que ela diz e o que
                       ela faz. Ocorre dentro do individuo. Será que você já não
                       sentiu isso?
10




4. Níveis de Conflito




                               "Eles podem esquecer o que você disse, mas eles
                                     nunca esquecerão como você os fez sentir” .
                                                                Carl W. Buechner


      Como vimos, um conflito pode surgir de uma pequena diferença de
opiniões, podendo se agravar e atingir um nível de hostilidade que o classifica
como conflito destrutivo.
       Vejamos como acontece a evolução dos conflitos e suas principais
características:




Nível 1 - É o estágio inicial do conflito; caracteriza-se normalmente por ser
racional, aberta e objetiva;
____________________________




Nível 2 - Neste estágio, as pessoas fazem generalizações e buscam demonstrar
alguns padrões de comportamento. O grau de objetividade existente no nível 1
começa a diminuir;
____________________________




Nível 3 - As partes envolvidas no conflito começam a mostrar grande falta de
confiança no caminho ou alternativa escolhida pela outra parte envolvida;
____________________________
11




Nível 4 - São estabelecidas imagens preconcebidas com relação à outra parte,
fruto de experiências anteriores ou de preconceitos que trazemos, fazendo com
que as pessoas assumam posições fixas e rígidas;
____________________________




Nível 5 – Ou ficar com a cara no chão: Trata-se da postura de continuar neste
conflito custe o que custar, o que acaba por gerar dificuldades para que uma das
partes envolvidas se retire;
____________________________




Nível 6 - Começam a surgir ameaças e as punições ficam mais evidentes. O
processo de comunicação fica cada vez mais restrito;
____________________________




Nível 7 - No nível anterior evidenciam-se as ameaças e punições. Neste,
aparecem com muita frequência os primeiros comportamentos destrutivos e as
pessoas passam a se sentir cada vez mais desprovidas de sentimentos;
____________________________




Nível 8 - Nesta fase, a necessidade de se autopreservar passa a ser a única
preocupação. A principal motivação é a preparação para atacar e ser atacado;
____________________________
12




Nível 9 - Neste nível chega-se às vias de fato e não há
alternativa a não ser a retirada de um dos dois lados
envolvidos ou a derrota de um deles.
____________________________


      Perceba que dependendo da importância que se dá ao conflito -
ignorando-o ou reprimindo-o - ele tende a crescer e a se agravar. Porém, quando
é reconhecido e as ações corretivas são aplicadas imediatamente, este conflito
poderá ser resolvido e transformar-se numa força positiva, capaz de mudar
hábitos e nos estimular a buscar resultados mais positivos.



                        Quando identificar um conflito, transforme-o em
                        uma força positiva para buscar resultados positivos!




5. Estilos de Administração de Conflitos


      Sabendo das possíveis causas e dos tipos de conflitos,
torna-se   necessário   uma    conduta     voltada   para     o
aprendizado e crescimento. Acompanhe a seguir os estilos
de administração de conflitos e como melhor lidar com
cada um:




1.    Retirada: Não envolvimento, é uma atitude não assertiva e não
cooperativa, na qual a pessoa não se esforça para alcançar seus próprios
13




interesses ou os dos outros. Este estilo pode tomar a forma diplomática de
desviar-se do assunto, adiando-o para um momento melhor, ou simplesmente
retirando-se de uma situação ameaçadora.
      Comportamento      característico:   ignora   os   conflitos   esperando    que
desapareçam.
      Quando utilizar este estilo: quando uma questão tem pouca importância
ou não existe nada de mais urgente. Quando é mais importante recolher
informações do que tomar uma decisão imediata.




2.    Aceitação: Condescendente, é uma atitude não assertiva, porém
cooperativa. A pessoa negligencia seus próprios interesses, para satisfazer os
interesses dos outros. Pode obedecer a situações de que não gosta, ou submeter-
se aos pontos de vista dos outros.
      Comportamento      característico:    Cede    constantemente,
sempre coloca os outros em primeiro lugar.
      Quando utilizar este estilo: quando se constata estar
errado, para permitir ser ouvido, aprender e mostrar que se é
razoável e quando a harmonia e a estabilidade têm particular
importância.




3.    Concessão     mútua:     é     um    comportamento      intermediário      entre
assertividade e cooperação. O objetivo é encontrar alguma conveniência, uma
solução aceita por ambos que satisfaçam, em parte, as pessoas envolvidas.
      Comportamento característico: procura entendimento e compromissos,
encontra soluções satisfatórias ou aceitáveis.
      Quando utilizar este estilo: quando os objetivos são importantes, mas não
valem o esforço necessário e a ruptura é iminente caso usem-se formas mais
assertivas e para resolver de forma temporária questões complexas.
14




4.    Dominador: é uma atitude assertiva, mas, não cooperativa. Um indivíduo
persegue seus interesses à custa dos da outra pessoa. Trata-se de um
comportamento orientado pela força da qual o indivíduo faz uso quando lhe
parecer apropriado para vencer alguém.
      Comportamento característico: cria situações claras de
ganhar ou perder, utiliza a rivalidade, utiliza jogos de poder para
chegar aos seus propósitos.
      Quando utilizar este estilo: quando existe necessidade
absoluta de uma ação rápida e decisiva, por exemplo, em casos de
urgência. Quando se tem razão a respeito de assuntos cruciais para
a empresa.




5.    Colaborador: é uma atitude tanto assertiva quanto cooperativa. Envolve
uma atitude de trabalhar com a outra pessoa, de encontrar uma solução que
satisfaça plenamente os interesses de ambos. Significa ir fundo em um
determinado assunto, identificando os pontos de vista de cada um e encontrando
uma atitude que conjugue os interesses.
      Comportamento característico: quer resolver os problemas, confronta as
diferenças partilhando ideias e informações.
      Quando utilizar este estilo: para encontrar uma solução integradora,
quando os dois conjuntos de princípios são muito importantes em termos de
compromisso, quando o objetivo é aprender.




6. Dicas para Administrar Conflitos


        Vamos dar sequência ao nosso estudo trazendo algumas dicas que
poderão ajudá-lo em seu cotidiano, quando encontrar alguma situação
conflituosa. Acompanhe!
15




1. Ocupe-se em pensar nas soluções
Se você for procurar, sempre encontrará um culpado.
Ao fazer isso, estará também desviando sua energia e
tempo de forma improdutiva.
Para melhores resultados, focalize sua atenção nos
ganhos da solução e esqueça a sessão de acusações
mútuas. Olhe um nível acima! Concentre as pessoas nas metas, enfoque as
convergências, comprometa as pessoas na busca da melhor solução de forma
objetiva e também positiva. Só depois fale a sós com o causador do incidente (se
houver um e puder identificá-lo), mostrando-lhe a inadequação da atitude e os
resultados disso.


2. Analise a situação
   Procure ao máximo fazer perguntas abertas:
   - QUAL é realmente o problema?
   - QUEM está envolvido?
   - O QUE aconteceu?
   - Desde QUANDO vem ocorrendo?
   - ONDE aconteceu o desentendimento (em que departamento, setor, área?).
   - POR QUE ocorreu o conflito?
   - Poderia ter sido evitado?
Utilize suas respostas para evitar que esse problema aconteça novamente!
16




3. Mantenha um clima de respeito
Ao dialogar com as partes envolvidas, mantenha sempre um clima de respeito e
consideração, pois essa será a plataforma que sustentará o entendimento. Evite
todo o tipo de sarcasmo, ironia ou agressividade, pois funcionarão como
combustível para aumentar o problema.


4. Aperfeiçoe sua comunicação
Não interrompa quando a outra pessoa estiver se explicando, saiba ouvir e ouça
também as entrelinhas, isto é, o que ela não está dizendo, mas, insinuando por
gestos, tom de voz e postura, assim você descobrirá muito além das aparências.
Faça perguntas que levem ao esclarecimento do problema. Mesmo que em
circunstâncias normais não se deve interromper quem fala, se a outra pessoa não
consegue desenvolver seu pensamento, ou estiver
desviando-se do assunto ou, ainda, expressando-se
com dificuldade, aí sim, interrompa fazendo perguntas
objetivas que recoloquem o diálogo nos trilhos.
Pergunte qual é a sugestão da outra pessoa para sanar
o conflito.


5. Seja construtivo ao fazer uma crítica
As pessoas sentem-se acusadas e colocam-se na defensiva quando ouvem frases
como “Você fez isso” ou “Você errou aquilo”. Concentre-se no problema ou no
comportamento e não na personalidade das pessoas.
Utilize: “Seu comportamento de afastar-se do grupo tem trazido problemas
quanto ao cumprimento de prazos do setor”. Da mesma forma, quando alguém
lhe dirigir críticas vagas, solicite esclarecimentos. Usar expressões como “Você é
muito negativo” ou “Seu trabalho está abaixo da média” não dizem muito.
Pergunte então: “Em que o meu trabalho está abaixo da média? Eu gostaria de
saber para melhorar”.
17




6. Procure a solução ganha-ganha
O ganha-perde ou perde-perde são as piores formas de solucionar conflitos.
Sempre restarão alguns estilhaços doloridos, aguardando a melhor hora para o
contra-ataque.
Para melhores resultados, procure a relação ganha-ganha sem impor ou humilhar
a outra parte. Os conflitos não são casuais. Eles ocorrem quando as pessoas
sentem-se frustradas ou humilhadas, ignoradas, não reconhecidas, injustiçadas,
inseguras, traídas ou algo assim. Por outro lado, felizmente, as pessoas evitam
conflitos e tornam-se cooperativas sempre que percebem algo de vantajoso para
elas ou para o grupo. Mostre, portanto, à outra parte o que ela tem a ganhar
com a solução do conflito (ou o que ela tem a perder se perdurar) e terá dado
um grande passo para a solução do desentendimento.


7. Evite preconceitos
Preconceitos são, talvez, os piores bloqueadores na administração de conflitos.
Estão relacionados com valores e crenças profundamente arraigados no íntimo
das pessoas. O conceito já está previamente cristalizado na mente da pessoa,
atuando como um rótulo, sempre que determinado assunto é abordado.
Suspende-se o julgamento e aciona-se o piloto automático que passa, então, a
comandar os pensamentos a respeito do tema ou da situação enfrentada.
Uma das melhores alternativas contra eles é conscientizar-se de que o problema
deve ser administrado dentro de sua realidade única e específica, por mais
parecido que possa ser com casos semelhantes do passado.


8. Mantenha a calma
Administrar conflitos significa também administrar a si
mesmo e ao seu humor. Ambiguidades, incertezas e
atitudes passionais fazem parte do processo de conflito,
principalmente nos estágios mais agudos. Escolha
sempre o momento mais adequado para tratar do
assunto conflitante. Convoque uma reunião para mais tarde ou para o dia
18




seguinte e, enquanto isso, analise bem a situação para estabelecer sua
estratégia de abordagem.


9. Quando errar, reconheça o erro
Ao admitir um erro você provocará o respeito dos outros por demonstrar que o
seu interesse não é provar que você é perfeito ou infalível, mas que busca a
melhor solução para o conflito.


10. Não mascare os problemas
Não ignore a situação achando que o tempo sanará o
desentendimento. O tempo quase sempre só o
agrava. Pode, no entanto, haver situações especiais
em que é mais vantajoso não encarar o conflito do
que enfrentá-lo, pois a relação custo-benefício pode
ser desfavorável. Neste caso, use o seu bom senso para discernir quando fazê-lo.




                                  O que você achou das dicas?
                                  Retome-as sempre que necessário e assim
                        seu comportamento será sempre positivo e suas
                        metas serão alcançadas!
19




      II. CONCLUSÃO


      Os conflitos podem ocorrer por vários motivos: diferenças de idade, sexo,
valores, crenças, por falta de recursos materiais, financeiros, por diferenças de
papeis.   As rixas pessoais fazem com que as pessoas não se entendam e,
portanto, não se falem. Em geral os conflitos surgem a partir de pequenas coisas
ou situações nunca abordadas entre os interessados. O resultado é um confronto
que reduz em muito a eficiência das relações.
      Ele está presente na dinâmica pessoal ou organizacional e por mais que se
desenvolvam esforços no sentido de eliminá-lo, não se pode contê-lo. Conhecê-
lo sim, é um primeiro passo para administração eficaz.
      Pense nisso da próxima vez em que tiver de solucionar um conflito sobre o
qual você acredita saber tudo a respeito, por já ter enfrentado situações iguais e
pessoas parecidas.
      Nosso estudo sobre Administração Eficaz de Conflitos fica por aqui!
Esperamos ter contribuído para o seu aperfeiçoamento! Não esqueça a
avaliação. Até nosso próximo encontro!
20




     III. Referências


      Para você saber mais sobre como administrar conflitos e continuar com seu
aprimoramento consulte as indicações a seguir



FOWLER, A. Resolvendo Conflitos, Editora Nobel.

MARTINELLI, D. P.; ALMEIDA, A. P. Negociação e Solução de Conflitos. São
Paulo: Atlas, 1998.

NASCIMENTO, E. M.; EL SAYED, K. M. Administração de Conflitos. Volume V
- Gestão do Capital Humano, Coleção Gestão Empresarial - FAE Business
School.

www.quebrandobarreiras.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão de conflitos gerenciamento de conflitos -gestão de pessoas
Gestão de conflitos gerenciamento de conflitos  -gestão de pessoasGestão de conflitos gerenciamento de conflitos  -gestão de pessoas
Gestão de conflitos gerenciamento de conflitos -gestão de pessoas
Antonio Bezerra ON
 
Aula 1 maravilha
Aula 1   maravilhaAula 1   maravilha
Aula 1 maravilha
Samuel Gomes
 
Capítulo 14
Capítulo 14Capítulo 14
Capítulo 14
textosdegestao
 
14º Encontro de Gestores de Recursos Humanos - O líder e a Gestão de conflitos
14º Encontro de Gestores de Recursos Humanos - O líder e a Gestão de conflitos14º Encontro de Gestores de Recursos Humanos - O líder e a Gestão de conflitos
14º Encontro de Gestores de Recursos Humanos - O líder e a Gestão de conflitos
Desenbahia
 
A administração de conflitos interpessoais dentro da equipe (1)
A administração de conflitos interpessoais dentro da equipe (1)A administração de conflitos interpessoais dentro da equipe (1)
A administração de conflitos interpessoais dentro da equipe (1)
Jeane Valentim
 
357013 O%20 Conflit 461e6a14b7336
357013 O%20 Conflit 461e6a14b7336357013 O%20 Conflit 461e6a14b7336
357013 O%20 Conflit 461e6a14b7336
guest520833
 
Gestão de conflitos
Gestão de conflitosGestão de conflitos
Gestão de conflitos
Claudio Martins Jr.
 
AdministraçãO De Conflitos
AdministraçãO De ConflitosAdministraçãO De Conflitos
AdministraçãO De Conflitos
Dalker Roberto Walter
 
Gestao%20de%20conflitos Tixa
Gestao%20de%20conflitos TixaGestao%20de%20conflitos Tixa
Gestao%20de%20conflitos Tixa
guest98b8c3
 
Gestao de conflitos
Gestao de conflitosGestao de conflitos
Administração de Conflitos
Administração de ConflitosAdministração de Conflitos
Administração de Conflitos
Araguaci Andrade
 
Sugestes para gesto_de_conflitos
Sugestes para gesto_de_conflitosSugestes para gesto_de_conflitos
Sugestes para gesto_de_conflitos
guest386b8a
 
Introdução estudo de caso RH CONFLITO
Introdução estudo de caso RH CONFLITOIntrodução estudo de caso RH CONFLITO
Introdução estudo de caso RH CONFLITO
Ailon Almeida
 
Gestão de conflitos
Gestão de conflitosGestão de conflitos
Gestão de conflitos
Ailon Almeida
 
Palestra gestão de conflitos março 2013
Palestra gestão de conflitos   março 2013Palestra gestão de conflitos   março 2013
Palestra gestão de conflitos março 2013
Clube de RH de Extrema e Região
 
Conflito
ConflitoConflito
Conflito
Marina-fsousa
 
Gestao de conflitos
Gestao de conflitosGestao de conflitos
Gestao de conflitos
Carlos Renan Oliveira
 
O conflito
O conflitoO conflito
O conflito
Paulo Peixinho
 
Administração de Conflito e tomada de decisão
Administração de Conflito e tomada de decisãoAdministração de Conflito e tomada de decisão
Administração de Conflito e tomada de decisão
Fernanda Marinho
 
Conflito No Trabalho
Conflito No TrabalhoConflito No Trabalho
Conflito No Trabalho
carinalves
 

Mais procurados (20)

Gestão de conflitos gerenciamento de conflitos -gestão de pessoas
Gestão de conflitos gerenciamento de conflitos  -gestão de pessoasGestão de conflitos gerenciamento de conflitos  -gestão de pessoas
Gestão de conflitos gerenciamento de conflitos -gestão de pessoas
 
Aula 1 maravilha
Aula 1   maravilhaAula 1   maravilha
Aula 1 maravilha
 
Capítulo 14
Capítulo 14Capítulo 14
Capítulo 14
 
14º Encontro de Gestores de Recursos Humanos - O líder e a Gestão de conflitos
14º Encontro de Gestores de Recursos Humanos - O líder e a Gestão de conflitos14º Encontro de Gestores de Recursos Humanos - O líder e a Gestão de conflitos
14º Encontro de Gestores de Recursos Humanos - O líder e a Gestão de conflitos
 
A administração de conflitos interpessoais dentro da equipe (1)
A administração de conflitos interpessoais dentro da equipe (1)A administração de conflitos interpessoais dentro da equipe (1)
A administração de conflitos interpessoais dentro da equipe (1)
 
357013 O%20 Conflit 461e6a14b7336
357013 O%20 Conflit 461e6a14b7336357013 O%20 Conflit 461e6a14b7336
357013 O%20 Conflit 461e6a14b7336
 
Gestão de conflitos
Gestão de conflitosGestão de conflitos
Gestão de conflitos
 
AdministraçãO De Conflitos
AdministraçãO De ConflitosAdministraçãO De Conflitos
AdministraçãO De Conflitos
 
Gestao%20de%20conflitos Tixa
Gestao%20de%20conflitos TixaGestao%20de%20conflitos Tixa
Gestao%20de%20conflitos Tixa
 
Gestao de conflitos
Gestao de conflitosGestao de conflitos
Gestao de conflitos
 
Administração de Conflitos
Administração de ConflitosAdministração de Conflitos
Administração de Conflitos
 
Sugestes para gesto_de_conflitos
Sugestes para gesto_de_conflitosSugestes para gesto_de_conflitos
Sugestes para gesto_de_conflitos
 
Introdução estudo de caso RH CONFLITO
Introdução estudo de caso RH CONFLITOIntrodução estudo de caso RH CONFLITO
Introdução estudo de caso RH CONFLITO
 
Gestão de conflitos
Gestão de conflitosGestão de conflitos
Gestão de conflitos
 
Palestra gestão de conflitos março 2013
Palestra gestão de conflitos   março 2013Palestra gestão de conflitos   março 2013
Palestra gestão de conflitos março 2013
 
Conflito
ConflitoConflito
Conflito
 
Gestao de conflitos
Gestao de conflitosGestao de conflitos
Gestao de conflitos
 
O conflito
O conflitoO conflito
O conflito
 
Administração de Conflito e tomada de decisão
Administração de Conflito e tomada de decisãoAdministração de Conflito e tomada de decisão
Administração de Conflito e tomada de decisão
 
Conflito No Trabalho
Conflito No TrabalhoConflito No Trabalho
Conflito No Trabalho
 

Semelhante a Administração eficaz de conflitos

Conflito
ConflitoConflito
Conflito
Bruna Telles
 
Resolucao de conflitos
Resolucao de conflitosResolucao de conflitos
Resolucao de conflitos
Rômulo Araújo Romão
 
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptxCONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
Josimar Reis
 
Administração de conflito
Administração de conflitoAdministração de conflito
Administração de conflito
Serafim Matemba 1988
 
Modelos de liderança 5a aula - 17/03/2011
Modelos de liderança 5a aula - 17/03/2011Modelos de liderança 5a aula - 17/03/2011
Modelos de liderança 5a aula - 17/03/2011
Unip e Uniplan
 
Adm de conflitos
Adm de conflitosAdm de conflitos
Adm de conflitos
Luciene Lima Alves
 
Collaborative book-5 apoena20130809
Collaborative book-5 apoena20130809Collaborative book-5 apoena20130809
Collaborative book-5 apoena20130809
Adriano Rosanelli
 
Collaborative book-5 apoena20130809
Collaborative book-5 apoena20130809Collaborative book-5 apoena20130809
Collaborative book-5 apoena20130809
Adriano Rosanelli
 
gestão de conflitos 1.pptx
gestão de conflitos 1.pptxgestão de conflitos 1.pptx
gestão de conflitos 1.pptx
henrique fernandes
 
Manual gestão de conflitos
Manual gestão de conflitosManual gestão de conflitos
Manual gestão de conflitos
Isabel Rodrigues
 
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte iRpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i
Isabel Rodrigues
 
Trabalho justiça e mediação
Trabalho justiça e mediaçãoTrabalho justiça e mediação
Trabalho justiça e mediação
Liliana Queirós Fonseca
 
Como resolver conflitos em sua vida - Dale Carnegie.pdf
Como resolver conflitos em sua vida - Dale Carnegie.pdfComo resolver conflitos em sua vida - Dale Carnegie.pdf
Como resolver conflitos em sua vida - Dale Carnegie.pdf
JeronimoDosSantos
 
1206986086gestaodeconflito1 100308161913-phpapp02
1206986086gestaodeconflito1 100308161913-phpapp021206986086gestaodeconflito1 100308161913-phpapp02
1206986086gestaodeconflito1 100308161913-phpapp02
Ana A. Costa
 
12698686_gestao_de_conflito.pdf
12698686_gestao_de_conflito.pdf12698686_gestao_de_conflito.pdf
12698686_gestao_de_conflito.pdf
ssuserb7e16a
 
gestao_conflitos.ppt
gestao_conflitos.pptgestao_conflitos.ppt
gestao_conflitos.ppt
henrique fernandes
 
apresentação powderpoint gestao_conflitos.ppt
apresentação powderpoint gestao_conflitos.pptapresentação powderpoint gestao_conflitos.ppt
apresentação powderpoint gestao_conflitos.ppt
henrique fernandes
 
Aptidões sociais
Aptidões sociaisAptidões sociais
Aptidões sociais
Micas Cullen
 
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i (1)
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i (1)Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i (1)
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i (1)
Isabel Rodrigues
 
Aula 05 (1ºsem) 2013 comportamento humano nas organizações
Aula 05 (1ºsem) 2013   comportamento humano nas organizaçõesAula 05 (1ºsem) 2013   comportamento humano nas organizações
Aula 05 (1ºsem) 2013 comportamento humano nas organizações
admunip2013
 

Semelhante a Administração eficaz de conflitos (20)

Conflito
ConflitoConflito
Conflito
 
Resolucao de conflitos
Resolucao de conflitosResolucao de conflitos
Resolucao de conflitos
 
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptxCONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
CONFLITO&NEGOCIACAO_I.pptx
 
Administração de conflito
Administração de conflitoAdministração de conflito
Administração de conflito
 
Modelos de liderança 5a aula - 17/03/2011
Modelos de liderança 5a aula - 17/03/2011Modelos de liderança 5a aula - 17/03/2011
Modelos de liderança 5a aula - 17/03/2011
 
Adm de conflitos
Adm de conflitosAdm de conflitos
Adm de conflitos
 
Collaborative book-5 apoena20130809
Collaborative book-5 apoena20130809Collaborative book-5 apoena20130809
Collaborative book-5 apoena20130809
 
Collaborative book-5 apoena20130809
Collaborative book-5 apoena20130809Collaborative book-5 apoena20130809
Collaborative book-5 apoena20130809
 
gestão de conflitos 1.pptx
gestão de conflitos 1.pptxgestão de conflitos 1.pptx
gestão de conflitos 1.pptx
 
Manual gestão de conflitos
Manual gestão de conflitosManual gestão de conflitos
Manual gestão de conflitos
 
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte iRpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i
 
Trabalho justiça e mediação
Trabalho justiça e mediaçãoTrabalho justiça e mediação
Trabalho justiça e mediação
 
Como resolver conflitos em sua vida - Dale Carnegie.pdf
Como resolver conflitos em sua vida - Dale Carnegie.pdfComo resolver conflitos em sua vida - Dale Carnegie.pdf
Como resolver conflitos em sua vida - Dale Carnegie.pdf
 
1206986086gestaodeconflito1 100308161913-phpapp02
1206986086gestaodeconflito1 100308161913-phpapp021206986086gestaodeconflito1 100308161913-phpapp02
1206986086gestaodeconflito1 100308161913-phpapp02
 
12698686_gestao_de_conflito.pdf
12698686_gestao_de_conflito.pdf12698686_gestao_de_conflito.pdf
12698686_gestao_de_conflito.pdf
 
gestao_conflitos.ppt
gestao_conflitos.pptgestao_conflitos.ppt
gestao_conflitos.ppt
 
apresentação powderpoint gestao_conflitos.ppt
apresentação powderpoint gestao_conflitos.pptapresentação powderpoint gestao_conflitos.ppt
apresentação powderpoint gestao_conflitos.ppt
 
Aptidões sociais
Aptidões sociaisAptidões sociais
Aptidões sociais
 
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i (1)
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i (1)Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i (1)
Rpa apresentacoes egrh1_1_08_gc parte i (1)
 
Aula 05 (1ºsem) 2013 comportamento humano nas organizações
Aula 05 (1ºsem) 2013   comportamento humano nas organizaçõesAula 05 (1ºsem) 2013   comportamento humano nas organizações
Aula 05 (1ºsem) 2013 comportamento humano nas organizações
 

Último

Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 

Último (20)

Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 

Administração eficaz de conflitos

  • 2. 2 Administração Eficaz de Conflitos Carga horária: 1h TV e 2 hs Web Palestrante: Ernesto Artur Berg Pós-graduado pela FVG de Brasília, graduado em Administração e Sociologia. Consultor de empresas, palestrante, articulista, autor de vários livros, especialista em desenvolvimento organizacional, negociação, gestão do tempo, criatividade na tomada de decisão, administração de conflitos. Editor do site www.quebrandobarreiras.com.br voltado para a área de administração e negócios. Conteudista: Denise Tozzi da S. Chemin Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas pela FAE, graduada em Administração de Empresas pela UTP-PR. Atua no treinamento e desenvolvimento de equipes no O Boticário S/A. Canal: AD Resumo do curso Este é o curso Administração Eficaz de Conflitos. Diariamente nos defrontamos com situações ou pessoas com atitudes que aprovamos ou não, conforme nossos valores e forma de pensar. Algumas vezes essas divergências causam conflitos. Neste estudo faremos uma reflexão acerca dos conflitos, buscando soluções para administrá-los da melhor forma possível. Objetivos do curso • Reconhecer as situações que possam gerar conflitos; • Identificar os tipos de conflitos; • Identificar a conduta para resolução de conflitos. Mapa do Curso I. INTRODUÇÃO................................................................................................ 4 1. Definição de Conflito............................................................... 5 2. As Possíveis Causas do Conflito ................................................... 7 3. Tipos de Conflito.................................................................... 8
  • 3. 3 4.Níveis de Conflito ..................................................................10 5.Estilos de Administração de Conflitos ..........................................12 6.Dicas para Administrar Conflitos ................................................14 II. CONCLUSÃO ................................................................................................19 III. Referências ...............................................................................................20
  • 4. 4 I. INTRODUÇÃO Olá, seja bem vindo ao curso Administração Eficaz de Conflitos. Os conflitos existem desde o início da humanidade, fazem parte do processo de evolução e desenvolvimento das relações humanas. Eles podem ser ignorados ou abafados, ou sanados e transformados num elemento de fortalecimento individual ou de uma organização ou sociedade. Até pouco tempo atrás a ausência de conflitos era vista como expressão de boas relações e, no caso das organizações, como sinal de competência. Alguns profissionais viam o conflito de forma negativa, como resultante da ação e do comportamento de pessoas indesejáveis, prejudicando assim o bom relacionamento entre as pessoas e, consequentemente, ao bom funcionamento das organizações. Este cenário tende a se modificar cada vez mais, porém, ainda não somos adequadamente preparados para agirmos com equilíbrio nos momentos de conflitos. Na teleaula você teve acesso a importantes informações, e que tal vermos mais algumas neste estudo? Acompanhe!
  • 5. 5 1. Definição de Conflito Como já vimos, por muito tempo a ausência de conflitos foi vista como um sinal de competência. Você pode remeter a ideia de conflito como sendo algo positivo? O conflito pode ser considerado como fonte de crescimento a partir do momento em que as pessoas envolvidas se abrem para ideias novas, podendo levar a discussões abertas sobre determinados assuntos. Dessa forma, o conflito se revela positivo, pois permite a expressão e exploração de diferentes pontos de vista, interesses e valores. Em alguns momentos, e em determinados níveis, o conflito pode ser considerado necessário para que não haja um processo de estagnação. Assim, os conflitos não são necessariamente negativos; a maneira como lidamos com eles é que pode gerar algumas reações desagradáveis. Você já havia considerado essa possibilidade? A administração de conflitos consiste basicamente na escolha e implementação das estratégias mais adequadas para se lidar com cada tipo de situação.
  • 6. 6 Agora, vamos dar continuidade ao nosso estudo buscando um consenso sobre o significado da palavra conflito, já que existem várias definições. Veja: Apesar dos sentidos divergentes, um conflito deve ser percebido pelas partes: se um conflito existe ou não é uma questão de percepção. Se ninguém está ciente de um conflito, então é consenso geral que não há nenhum conflito. A forma como se lida com esta percepção é que pode tornar este conflito em um problema ou num ponto de partida para a busca de solução. Veja como alguns especialistas destacam esse assunto: Hampton (1991) definiu-o como um processo que começa quando uma parte percebe que a outra parte frustrou ou vai frustrar seus interesses. Na definição de Pruitt e Rubin (1986), conflito é a divergência percebida de interesses, ou pela crença que as aspirações atuais das partes não podem ser atingidas simultaneamente. Fisher (1969) definiu conflito como a interação de pessoas interdependentes que tem objetivos incompatíveis e interferem entre si no alcance desses objetivos. Como você pode ver, várias são as definições, assim como a forma como ele é visto; A visão positiva a respeito do conflito diz que: Visão interacionista: Estimula o conflito com base em que um grupo harmonioso, calmo e tranquilo é inclinado a tornar-se estático e não responder às necessidades de mudança e inovação. Portanto, na abordagem interacionista os líderes são incentivados a manterem um nível mínimo de conflito, suficiente para manter o grupo viável, autocrítico e criativo.
  • 7. 7 Para entendimento conceitual, vamos conhecer rapidamente outras duas visões sobre conflito: 2. As Possíveis Causas do Conflito Bem, como você tem acompanhado, nossos estudos nos trouxeram alguns conceitos que nos fizeram compreender que o conflito nem sempre pode ser visto como sendo algo negativo. Agora, convido você a procurar entender um pouco mais sobre as possíveis causas de conflitos. Diariamente nos defrontamos com pessoas e situações diferentes do que somos e do que estamos acostumados, ou que aprovamos ou desaprovamos conforme nossos valores e forma de pensar. Alguns fatores podem nos levar aos conflitos, vamos conhecê-los? Acompanhe os quadros a seguir:
  • 8. 8 3. Tipos de Conflito Quando nos deparamos com uma situação que tenhamos que administrar, a condição básica é conhecê-la, para tomarmos a melhor decisão, você concorda? Esta “regra” também se aplica quando queremos administrar os conflitos da melhor forma. Por isso a importância de conhecer os tipos de conflitos existentes para que se possa escolher a estratégia adequada. Vamos explicar melhor, veja:
  • 9. 9 Não é declarado e não há, mesmo por parte das pessoas envolvidas, uma clara consciência de sua existência. As pessoas envolvidas percebem, racionalmente, a existência do conflito, embora não haja ainda manifestações abertas. É aquele que já atinge ambas as partes, e em que há emoção consciente; Trata-se do conflito que já atingiu ambas as partes, já é percebido por terceiros e pode interferir na dinâmica da organização. Perceba outra situação: é possível que você já tenha ouvido ou dito, “tal pessoa está em conflito”, isso também configura uma situação de conflito. Este é o denominado conflito interno: ele é intrapessoal ou intrapsíquico, envolve a dissonância emocional para uma pessoa, refletindo o abismo entre o que ela diz e o que ela faz. Ocorre dentro do individuo. Será que você já não sentiu isso?
  • 10. 10 4. Níveis de Conflito "Eles podem esquecer o que você disse, mas eles nunca esquecerão como você os fez sentir” . Carl W. Buechner Como vimos, um conflito pode surgir de uma pequena diferença de opiniões, podendo se agravar e atingir um nível de hostilidade que o classifica como conflito destrutivo. Vejamos como acontece a evolução dos conflitos e suas principais características: Nível 1 - É o estágio inicial do conflito; caracteriza-se normalmente por ser racional, aberta e objetiva; ____________________________ Nível 2 - Neste estágio, as pessoas fazem generalizações e buscam demonstrar alguns padrões de comportamento. O grau de objetividade existente no nível 1 começa a diminuir; ____________________________ Nível 3 - As partes envolvidas no conflito começam a mostrar grande falta de confiança no caminho ou alternativa escolhida pela outra parte envolvida; ____________________________
  • 11. 11 Nível 4 - São estabelecidas imagens preconcebidas com relação à outra parte, fruto de experiências anteriores ou de preconceitos que trazemos, fazendo com que as pessoas assumam posições fixas e rígidas; ____________________________ Nível 5 – Ou ficar com a cara no chão: Trata-se da postura de continuar neste conflito custe o que custar, o que acaba por gerar dificuldades para que uma das partes envolvidas se retire; ____________________________ Nível 6 - Começam a surgir ameaças e as punições ficam mais evidentes. O processo de comunicação fica cada vez mais restrito; ____________________________ Nível 7 - No nível anterior evidenciam-se as ameaças e punições. Neste, aparecem com muita frequência os primeiros comportamentos destrutivos e as pessoas passam a se sentir cada vez mais desprovidas de sentimentos; ____________________________ Nível 8 - Nesta fase, a necessidade de se autopreservar passa a ser a única preocupação. A principal motivação é a preparação para atacar e ser atacado; ____________________________
  • 12. 12 Nível 9 - Neste nível chega-se às vias de fato e não há alternativa a não ser a retirada de um dos dois lados envolvidos ou a derrota de um deles. ____________________________ Perceba que dependendo da importância que se dá ao conflito - ignorando-o ou reprimindo-o - ele tende a crescer e a se agravar. Porém, quando é reconhecido e as ações corretivas são aplicadas imediatamente, este conflito poderá ser resolvido e transformar-se numa força positiva, capaz de mudar hábitos e nos estimular a buscar resultados mais positivos. Quando identificar um conflito, transforme-o em uma força positiva para buscar resultados positivos! 5. Estilos de Administração de Conflitos Sabendo das possíveis causas e dos tipos de conflitos, torna-se necessário uma conduta voltada para o aprendizado e crescimento. Acompanhe a seguir os estilos de administração de conflitos e como melhor lidar com cada um: 1. Retirada: Não envolvimento, é uma atitude não assertiva e não cooperativa, na qual a pessoa não se esforça para alcançar seus próprios
  • 13. 13 interesses ou os dos outros. Este estilo pode tomar a forma diplomática de desviar-se do assunto, adiando-o para um momento melhor, ou simplesmente retirando-se de uma situação ameaçadora. Comportamento característico: ignora os conflitos esperando que desapareçam. Quando utilizar este estilo: quando uma questão tem pouca importância ou não existe nada de mais urgente. Quando é mais importante recolher informações do que tomar uma decisão imediata. 2. Aceitação: Condescendente, é uma atitude não assertiva, porém cooperativa. A pessoa negligencia seus próprios interesses, para satisfazer os interesses dos outros. Pode obedecer a situações de que não gosta, ou submeter- se aos pontos de vista dos outros. Comportamento característico: Cede constantemente, sempre coloca os outros em primeiro lugar. Quando utilizar este estilo: quando se constata estar errado, para permitir ser ouvido, aprender e mostrar que se é razoável e quando a harmonia e a estabilidade têm particular importância. 3. Concessão mútua: é um comportamento intermediário entre assertividade e cooperação. O objetivo é encontrar alguma conveniência, uma solução aceita por ambos que satisfaçam, em parte, as pessoas envolvidas. Comportamento característico: procura entendimento e compromissos, encontra soluções satisfatórias ou aceitáveis. Quando utilizar este estilo: quando os objetivos são importantes, mas não valem o esforço necessário e a ruptura é iminente caso usem-se formas mais assertivas e para resolver de forma temporária questões complexas.
  • 14. 14 4. Dominador: é uma atitude assertiva, mas, não cooperativa. Um indivíduo persegue seus interesses à custa dos da outra pessoa. Trata-se de um comportamento orientado pela força da qual o indivíduo faz uso quando lhe parecer apropriado para vencer alguém. Comportamento característico: cria situações claras de ganhar ou perder, utiliza a rivalidade, utiliza jogos de poder para chegar aos seus propósitos. Quando utilizar este estilo: quando existe necessidade absoluta de uma ação rápida e decisiva, por exemplo, em casos de urgência. Quando se tem razão a respeito de assuntos cruciais para a empresa. 5. Colaborador: é uma atitude tanto assertiva quanto cooperativa. Envolve uma atitude de trabalhar com a outra pessoa, de encontrar uma solução que satisfaça plenamente os interesses de ambos. Significa ir fundo em um determinado assunto, identificando os pontos de vista de cada um e encontrando uma atitude que conjugue os interesses. Comportamento característico: quer resolver os problemas, confronta as diferenças partilhando ideias e informações. Quando utilizar este estilo: para encontrar uma solução integradora, quando os dois conjuntos de princípios são muito importantes em termos de compromisso, quando o objetivo é aprender. 6. Dicas para Administrar Conflitos Vamos dar sequência ao nosso estudo trazendo algumas dicas que poderão ajudá-lo em seu cotidiano, quando encontrar alguma situação conflituosa. Acompanhe!
  • 15. 15 1. Ocupe-se em pensar nas soluções Se você for procurar, sempre encontrará um culpado. Ao fazer isso, estará também desviando sua energia e tempo de forma improdutiva. Para melhores resultados, focalize sua atenção nos ganhos da solução e esqueça a sessão de acusações mútuas. Olhe um nível acima! Concentre as pessoas nas metas, enfoque as convergências, comprometa as pessoas na busca da melhor solução de forma objetiva e também positiva. Só depois fale a sós com o causador do incidente (se houver um e puder identificá-lo), mostrando-lhe a inadequação da atitude e os resultados disso. 2. Analise a situação Procure ao máximo fazer perguntas abertas: - QUAL é realmente o problema? - QUEM está envolvido? - O QUE aconteceu? - Desde QUANDO vem ocorrendo? - ONDE aconteceu o desentendimento (em que departamento, setor, área?). - POR QUE ocorreu o conflito? - Poderia ter sido evitado? Utilize suas respostas para evitar que esse problema aconteça novamente!
  • 16. 16 3. Mantenha um clima de respeito Ao dialogar com as partes envolvidas, mantenha sempre um clima de respeito e consideração, pois essa será a plataforma que sustentará o entendimento. Evite todo o tipo de sarcasmo, ironia ou agressividade, pois funcionarão como combustível para aumentar o problema. 4. Aperfeiçoe sua comunicação Não interrompa quando a outra pessoa estiver se explicando, saiba ouvir e ouça também as entrelinhas, isto é, o que ela não está dizendo, mas, insinuando por gestos, tom de voz e postura, assim você descobrirá muito além das aparências. Faça perguntas que levem ao esclarecimento do problema. Mesmo que em circunstâncias normais não se deve interromper quem fala, se a outra pessoa não consegue desenvolver seu pensamento, ou estiver desviando-se do assunto ou, ainda, expressando-se com dificuldade, aí sim, interrompa fazendo perguntas objetivas que recoloquem o diálogo nos trilhos. Pergunte qual é a sugestão da outra pessoa para sanar o conflito. 5. Seja construtivo ao fazer uma crítica As pessoas sentem-se acusadas e colocam-se na defensiva quando ouvem frases como “Você fez isso” ou “Você errou aquilo”. Concentre-se no problema ou no comportamento e não na personalidade das pessoas. Utilize: “Seu comportamento de afastar-se do grupo tem trazido problemas quanto ao cumprimento de prazos do setor”. Da mesma forma, quando alguém lhe dirigir críticas vagas, solicite esclarecimentos. Usar expressões como “Você é muito negativo” ou “Seu trabalho está abaixo da média” não dizem muito. Pergunte então: “Em que o meu trabalho está abaixo da média? Eu gostaria de saber para melhorar”.
  • 17. 17 6. Procure a solução ganha-ganha O ganha-perde ou perde-perde são as piores formas de solucionar conflitos. Sempre restarão alguns estilhaços doloridos, aguardando a melhor hora para o contra-ataque. Para melhores resultados, procure a relação ganha-ganha sem impor ou humilhar a outra parte. Os conflitos não são casuais. Eles ocorrem quando as pessoas sentem-se frustradas ou humilhadas, ignoradas, não reconhecidas, injustiçadas, inseguras, traídas ou algo assim. Por outro lado, felizmente, as pessoas evitam conflitos e tornam-se cooperativas sempre que percebem algo de vantajoso para elas ou para o grupo. Mostre, portanto, à outra parte o que ela tem a ganhar com a solução do conflito (ou o que ela tem a perder se perdurar) e terá dado um grande passo para a solução do desentendimento. 7. Evite preconceitos Preconceitos são, talvez, os piores bloqueadores na administração de conflitos. Estão relacionados com valores e crenças profundamente arraigados no íntimo das pessoas. O conceito já está previamente cristalizado na mente da pessoa, atuando como um rótulo, sempre que determinado assunto é abordado. Suspende-se o julgamento e aciona-se o piloto automático que passa, então, a comandar os pensamentos a respeito do tema ou da situação enfrentada. Uma das melhores alternativas contra eles é conscientizar-se de que o problema deve ser administrado dentro de sua realidade única e específica, por mais parecido que possa ser com casos semelhantes do passado. 8. Mantenha a calma Administrar conflitos significa também administrar a si mesmo e ao seu humor. Ambiguidades, incertezas e atitudes passionais fazem parte do processo de conflito, principalmente nos estágios mais agudos. Escolha sempre o momento mais adequado para tratar do assunto conflitante. Convoque uma reunião para mais tarde ou para o dia
  • 18. 18 seguinte e, enquanto isso, analise bem a situação para estabelecer sua estratégia de abordagem. 9. Quando errar, reconheça o erro Ao admitir um erro você provocará o respeito dos outros por demonstrar que o seu interesse não é provar que você é perfeito ou infalível, mas que busca a melhor solução para o conflito. 10. Não mascare os problemas Não ignore a situação achando que o tempo sanará o desentendimento. O tempo quase sempre só o agrava. Pode, no entanto, haver situações especiais em que é mais vantajoso não encarar o conflito do que enfrentá-lo, pois a relação custo-benefício pode ser desfavorável. Neste caso, use o seu bom senso para discernir quando fazê-lo. O que você achou das dicas? Retome-as sempre que necessário e assim seu comportamento será sempre positivo e suas metas serão alcançadas!
  • 19. 19 II. CONCLUSÃO Os conflitos podem ocorrer por vários motivos: diferenças de idade, sexo, valores, crenças, por falta de recursos materiais, financeiros, por diferenças de papeis. As rixas pessoais fazem com que as pessoas não se entendam e, portanto, não se falem. Em geral os conflitos surgem a partir de pequenas coisas ou situações nunca abordadas entre os interessados. O resultado é um confronto que reduz em muito a eficiência das relações. Ele está presente na dinâmica pessoal ou organizacional e por mais que se desenvolvam esforços no sentido de eliminá-lo, não se pode contê-lo. Conhecê- lo sim, é um primeiro passo para administração eficaz. Pense nisso da próxima vez em que tiver de solucionar um conflito sobre o qual você acredita saber tudo a respeito, por já ter enfrentado situações iguais e pessoas parecidas. Nosso estudo sobre Administração Eficaz de Conflitos fica por aqui! Esperamos ter contribuído para o seu aperfeiçoamento! Não esqueça a avaliação. Até nosso próximo encontro!
  • 20. 20 III. Referências Para você saber mais sobre como administrar conflitos e continuar com seu aprimoramento consulte as indicações a seguir FOWLER, A. Resolvendo Conflitos, Editora Nobel. MARTINELLI, D. P.; ALMEIDA, A. P. Negociação e Solução de Conflitos. São Paulo: Atlas, 1998. NASCIMENTO, E. M.; EL SAYED, K. M. Administração de Conflitos. Volume V - Gestão do Capital Humano, Coleção Gestão Empresarial - FAE Business School. www.quebrandobarreiras.com.br