SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 89
A Vinda da Família Real ao Brasil:
• No começo do século XIX, a Europa estava
agitada pelas guerras. Inglaterra e França
disputavam a liderança no continente
europeu. Em 1806, Napoleão Bonaparte,
imperador da França,
• decretou o Bloqueio Continental, proibindo
que qualquer país europeu comercializasse
com a Inglaterra. Quem não obedecesse, seria
invadido pelo exército francês.
O Bloqueio Continental:
Napoleão Bonaparte:
• Nessa época, Portugal era governado pelo
príncipe regente D. João, pois sua mãe, a
rainha D. Maria I, enlouquecera. D. João não
podia cumprir as ordens de Napoleão e aderir
ao Bloqueio Continental, pois tinha longa
relação comercial com a Inglaterra, por outro
lado o governo português temia o exército
francês.
D. João:
Carlota Joaquina:
Rainha D. Maria I:
• Sem outra alternativa, Portugal aceitou o
Bloqueio, mas, continuou comercializando
com a Inglaterra. Ao descobrir a trama,
Napoleão determinou a invasão de Portugal
em novembro de 1807.
• Sem condições de resistir à invasão francesa,
D. João e toda a corte portuguesa fugiram
para o Brasil, sob a proteção naval da marinha
inglesa. A Inglaterra ofereceu escolta na
travessia do Atlântico, mas em troca exigiu a
abertura dos portos brasileiros aos navios
ingleses.
D. João VI e Carlota Joaquina:
• A corte portuguesa partiu às pressas de Lisboa
sob as vaias do povo, em 29 de novembro de
1807. Na comitiva vinham D. João, sua mãe D.
Maria I, a princesa Carlota Joaquina; as
crianças D. Miguel, D. Maria Teresa, D. Maria
Isabel, D. Maria Assunção, D. Ana de Jesus
Maria e D. Pedro
• e aproximadamente de 15 a 20mil pessoas
entre nobres, militares, religiosos e
funcionários da Coroa. Trazendo tudo o que
era possível carregar; móveis, objetos de arte,
jóias, louças, livros, arquivos e todo o tesouro
real imperial.
Palácio Real Português:
O Embarque da Família Real:
• Após 54 dias de viagem a esquadra
portuguesa chegou ao porto de Salvador na
Bahia, em 22 de janeiro de 1808. Lá foram
recebidos com festas, onde permaneceram
por mais de um mês.
• Seis dias após a chegada D. João cumpriu o
seu acordo com os ingleses, abrindo os portos
brasileiros às nações amigas, isto é, a
Inglaterra. Eliminando em parte o monopólio
comercial português, que obrigava o Brasil a
fazer comércio apenas com Portugal.
• Mas o destino da Coroa portuguesa, era a
capital da colônia, o Rio de Janeiro, onde D.
João e sua comitiva desembarcaram em 8 de
março de 1808 e onde foi instalada a sede do
governo.
• Na chegada ao Rio de Janeiro, a Corte
portuguesa foi recebida com uma grande
festa: o povo aglomerou-se no porto e nas
principais ruas para acompanhar a Família
Real em procissão até a Catedral, onde, após
uma missa em ação de graças, o rei concedeu
o primeiro "beija-mão".
Beija Mão:
Rio de Janeiro em 1808:
• Era preciso acomodar os novos habitantes e
tornar a cidade digna de ser a nova sede do
Império português. O vice-rei do Brasil, D.
Marcos de Noronha e Brito cedeu sua
residência, O Palácio dos Governadores, para
o rei e sua família e exigiu que os moradores
das melhores casas da cidade fizessem o
mesmo.
• Duas mil residências foram requisitadas,
pregando-se nas portas o "P.R.", que
significava "Príncipe Regente", mas que o
povo logo traduziu como "Ponha-se na Rua".
• Prédios públicos, quartéis, igrejas e conventos
também foram ocupados. A cidade passou por
uma reforma geral: limpeza de ruas, pinturas
nas fachadas dos prédios e apreensão de
animais.
• As construções passaram a seguir os padrões
europeus. Novos elementos foram
incorporados ao mobiliário; espelhos, papéis
de parede, quadros, instrumentos musicais,
relógios de parede.
Quinta da Boa Vista:
Palácio Imperial – Rio de Janeiro:
• Em 1808, D. João VI decretou uma lei que
estabeleceu a abertura dos portos brasileiros
às nações amigas. A Inglaterra foi a principal
beneficiada desta lei, pois mantinha estreitos
laços comerciais com Portugal.
• Por causa da Abertura dos Portos, o porto do
Rio de Janeiro aumentou seu movimento que
passou de 500 para 1200 embarcações anuais.
• A oferta de mercadorias e serviços aumentou.
A Rua do Ouvidor, no centro do Rio, recebeu o
cabeleireiro da Corte, costureiras francesas,
lojas elegantes, joalherias e tabacarias. A
novidade mais requintada era os chapéus,
luvas, leques, flores artificiais, perfumes e
sabonetes.
• Sem dúvida, a vinda de D. João deu um grande
impulso à cultura no Brasil.
• Em abril de 1808, foi criado o Arquivo Central,
que reunia mapas e cartas geográficas do
Brasil e projetos de obras públicas.
Arquivo Nacional:
• Em maio, D. João criou a Imprensa Régia e, em
setembro, surgiu a Gazeta do Rio de Janeiro.
Logo vieram livros didáticos, técnicos e de
poesia.
• Em 1808, D. João VI cancelou a lei que proibia
o estabelecimento de indústrias no Brasil.
• Em janeiro de 1810, foi aberta a Biblioteca
Real, com 60 mil volumes trazidos de Lisboa.
Biblioteca Nacional:
• Em 1810, foi assinado o Tratado de Comércio
e Navegação e o tratado de Aliança e
Amizade, com a Inglaterra.
• Instalação de sistemas administrativos e
jurídicos no Rio de Janeiro, com a criação de
tribunais e ministérios.
• Estruturação econômica, com a fundação do
Banco do Brasil e da Casa da Moeda.
Banco do Brasil:
Casa da Moeda:
• Criaram-se as Escolas de Cirurgia e Academia
de Marinha (1808), a Aula de Comércio e
Academia Militar (1810) e a Academia
Médico-cirúrgica (1813). A ciência também
ganhou com a criação do Observatório
Astronômico (1808), do Jardim Botânico
(1810) e do Laboratório de Química (1818).
• Em 1813, foi inaugurado o Teatro São João
(atual João Caetano).
Teatro São João:
• Em 1818 com a morte da rainha D. Maria I,
Dom João foi proclamado e coroado Dom
João VI, Rei de Portugal e do Brasil. A
aclamação de D. João VI aconteceu nos salões
do Teatro de São João.
Coroação de D. João VI:
• Em 1816, a Missão Francesa, composta de
pintores, escultores, arquitetos e artesãos,
chegaram ao Rio de Janeiro para criar a
Imperial Academia e Escola de Belas-Artes.
• Em 1820, foi a vez da Real Academia de
Desenho, Pintura, Escultura e Arquitetura-
civil.
Carlota Joaquina:
• Quando Napoleão foi derrotado em 1815,
ficou decidido que os reis de países invadidos
pela França deveriam voltar a ocupar seus
tronos.
• D. João e sua corte não queriam voltar ao
empobrecido Portugal. Então o Brasil foi
elevado à categoria de Reino Unido de
Portugal e Algarves (uma região ao sul de
Portugal). O Brasil deixava de ser Colônia de
Portugal, adquiria autonomia administrativa.
• Em 1820, houve em Portugal a Revolução
Liberal do Porto, terminando com o
Absolutismo e iniciando a Monarquia
Constitucional. D. João deixava de ser rei com
poder absoluto e passava a seguir a
Constituição do Reino.
• A Assembleia Portuguesa exigia o retorno de
seu rei.
• O novo governo português desejava
recolonizar o Brasil, retirando sua autonomia
econômica.
• Em 26 de abril de 1821, D. João VI cedendo às
pressões, volta a Portugal, deixando seu filho
D.Pedro como príncipe regente do Brasil.
Dom Pedro I:
A vinda da família real ao brasil

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Chegada da família real portuguesa
Chegada da família real portuguesaChegada da família real portuguesa
Chegada da família real portuguesa
profdu
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
PORTAL69
 
A transferência da Família Real para o Brasil
A transferência da Família Real para o BrasilA transferência da Família Real para o Brasil
A transferência da Família Real para o Brasil
Isaquel Silva
 
A vinda da família real para o brasil
A vinda da família real para o brasilA vinda da família real para o brasil
A vinda da família real para o brasil
Brunno Andrade
 
HISTÓRIA: De Colônia à sede do Império Português
HISTÓRIA: De Colônia à sede do Império PortuguêsHISTÓRIA: De Colônia à sede do Império Português
HISTÓRIA: De Colônia à sede do Império Português
BlogSJuniinho
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ana Barreiros
 
2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI 2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI
Valesca Defante
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
Cristianerocharibas
 
Império e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviiiImpério e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviii
Carlos Vaz
 

Mais procurados (18)

Vinda familia real
Vinda familia realVinda familia real
Vinda familia real
 
Chegada da família real portuguesa
Chegada da família real portuguesaChegada da família real portuguesa
Chegada da família real portuguesa
 
slide aula período joanino
slide aula período joaninoslide aula período joanino
slide aula período joanino
 
A Corte portuguesa no brasil
A Corte portuguesa no brasilA Corte portuguesa no brasil
A Corte portuguesa no brasil
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
Familia real no brasil
Familia real no brasilFamilia real no brasil
Familia real no brasil
 
A transferência da Família Real para o Brasil
A transferência da Família Real para o BrasilA transferência da Família Real para o Brasil
A transferência da Família Real para o Brasil
 
Vinda família real para o Brasil
Vinda família real para o BrasilVinda família real para o Brasil
Vinda família real para o Brasil
 
A vinda da família real para o brasil
A vinda da família real para o brasilA vinda da família real para o brasil
A vinda da família real para o brasil
 
HISTÓRIA: De Colônia à sede do Império Português
HISTÓRIA: De Colônia à sede do Império PortuguêsHISTÓRIA: De Colônia à sede do Império Português
HISTÓRIA: De Colônia à sede do Império Português
 
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º anoFicha formativa 1 HGP 6º ano
Ficha formativa 1 HGP 6º ano
 
Familia real no_brasil
Familia real no_brasilFamilia real no_brasil
Familia real no_brasil
 
2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI 2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
História do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesaHistória do brasil, invasões holandesas e francesa
História do brasil, invasões holandesas e francesa
 
Aula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasilAula família real portuguesa no brasil
Aula família real portuguesa no brasil
 
Império e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviiiImpério e monarquia absoluta no século xviii
Império e monarquia absoluta no século xviii
 
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesasBrasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
 

Semelhante a A vinda da família real ao brasil

A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
Nelia Salles Nantes
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
historiando
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
historiando
 
A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808
ProfessoresColeguium
 
A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808
ProfessoresColeguium
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Teste
jdlimaaear
 
Resumo sobre a vinda da família real
Resumo sobre a vinda da família realResumo sobre a vinda da família real
Resumo sobre a vinda da família real
Janine Schwartz
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
carloshistoriador
 
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O BrasilVinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
henrique.jay
 
Processo de independência do Brasil
Processo de independência do BrasilProcesso de independência do Brasil
Processo de independência do Brasil
Ana Souza
 
História do brasil
História do brasilHistória do brasil
História do brasil
sueli ramos
 

Semelhante a A vinda da família real ao brasil (20)

A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)
 
Período Joanino
Período JoaninoPeríodo Joanino
Período Joanino
 
Família real no brasil
Família real no brasilFamília real no brasil
Família real no brasil
 
A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808A transferência da corte para o brasil 1808
A transferência da corte para o brasil 1808
 
A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808A transferência da Corte para o Brasil 1808
A transferência da Corte para o Brasil 1808
 
Chegada ao Brasil.pptx
Chegada ao Brasil.pptxChegada ao Brasil.pptx
Chegada ao Brasil.pptx
 
A Corte Portuguesa no Novo Mundo.pptx
A Corte Portuguesa no Novo Mundo.pptxA Corte Portuguesa no Novo Mundo.pptx
A Corte Portuguesa no Novo Mundo.pptx
 
Resumos Para O Teste
Resumos Para O TesteResumos Para O Teste
Resumos Para O Teste
 
Resumo sobre a vinda da família real
Resumo sobre a vinda da família realResumo sobre a vinda da família real
Resumo sobre a vinda da família real
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
 
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O BrasilVinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
 
Processo de independência do Brasil
Processo de independência do BrasilProcesso de independência do Brasil
Processo de independência do Brasil
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
 
Processo de independência do brasil
Processo de independência do brasilProcesso de independência do brasil
Processo de independência do brasil
 
Vinda da família real para o brasil
Vinda da família real para o brasilVinda da família real para o brasil
Vinda da família real para o brasil
 
História do brasil
História do brasilHistória do brasil
História do brasil
 

Mais de Nelia Salles Nantes

Mais de Nelia Salles Nantes (20)

A ditadura militar no brasil 2017
A ditadura militar no brasil   2017A ditadura militar no brasil   2017
A ditadura militar no brasil 2017
 
O período regencial 2017
O período regencial   2017O período regencial   2017
O período regencial 2017
 
Brasil 1945 1964 -
Brasil 1945   1964 -Brasil 1945   1964 -
Brasil 1945 1964 -
 
O 1º reinado
O 1º reinadoO 1º reinado
O 1º reinado
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
2 guerra japão e estados unidos - 2017
2 guerra   japão e estados unidos - 20172 guerra   japão e estados unidos - 2017
2 guerra japão e estados unidos - 2017
 
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -20172ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
 
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
2ª guerra 1942 a 1945   imagens2ª guerra 1942 a 1945   imagens
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
 
2ª guerra áfrica italia e alemanha
2ª guerra    áfrica italia e alemanha2ª guerra    áfrica italia e alemanha
2ª guerra áfrica italia e alemanha
 
A 2ª guerra mundial 2017
A 2ª guerra mundial   2017A 2ª guerra mundial   2017
A 2ª guerra mundial 2017
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europa
 
A crise de 1929 e o new deal 2017
A crise de 1929 e o new deal   2017A crise de 1929 e o new deal   2017
A crise de 1929 e o new deal 2017
 
O despotismo esclarecido 2017
O despotismo esclarecido   2017O despotismo esclarecido   2017
O despotismo esclarecido 2017
 
O iluminismo 2017
O iluminismo   2017O iluminismo   2017
O iluminismo 2017
 
A república velha 2017
A república velha   2017A república velha   2017
A república velha 2017
 
Trabalho daniel
Trabalho danielTrabalho daniel
Trabalho daniel
 

Último

Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 

Último (20)

5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 

A vinda da família real ao brasil

  • 1. A Vinda da Família Real ao Brasil:
  • 2.
  • 3. • No começo do século XIX, a Europa estava agitada pelas guerras. Inglaterra e França disputavam a liderança no continente europeu. Em 1806, Napoleão Bonaparte, imperador da França,
  • 4. • decretou o Bloqueio Continental, proibindo que qualquer país europeu comercializasse com a Inglaterra. Quem não obedecesse, seria invadido pelo exército francês.
  • 7. • Nessa época, Portugal era governado pelo príncipe regente D. João, pois sua mãe, a rainha D. Maria I, enlouquecera. D. João não podia cumprir as ordens de Napoleão e aderir ao Bloqueio Continental, pois tinha longa relação comercial com a Inglaterra, por outro lado o governo português temia o exército francês.
  • 11. • Sem outra alternativa, Portugal aceitou o Bloqueio, mas, continuou comercializando com a Inglaterra. Ao descobrir a trama, Napoleão determinou a invasão de Portugal em novembro de 1807.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15. • Sem condições de resistir à invasão francesa, D. João e toda a corte portuguesa fugiram para o Brasil, sob a proteção naval da marinha inglesa. A Inglaterra ofereceu escolta na travessia do Atlântico, mas em troca exigiu a abertura dos portos brasileiros aos navios ingleses.
  • 16. D. João VI e Carlota Joaquina:
  • 17.
  • 18. • A corte portuguesa partiu às pressas de Lisboa sob as vaias do povo, em 29 de novembro de 1807. Na comitiva vinham D. João, sua mãe D. Maria I, a princesa Carlota Joaquina; as crianças D. Miguel, D. Maria Teresa, D. Maria Isabel, D. Maria Assunção, D. Ana de Jesus Maria e D. Pedro
  • 19. • e aproximadamente de 15 a 20mil pessoas entre nobres, militares, religiosos e funcionários da Coroa. Trazendo tudo o que era possível carregar; móveis, objetos de arte, jóias, louças, livros, arquivos e todo o tesouro real imperial.
  • 20.
  • 22.
  • 23.
  • 24. O Embarque da Família Real:
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28. • Após 54 dias de viagem a esquadra portuguesa chegou ao porto de Salvador na Bahia, em 22 de janeiro de 1808. Lá foram recebidos com festas, onde permaneceram por mais de um mês.
  • 29.
  • 30.
  • 31. • Seis dias após a chegada D. João cumpriu o seu acordo com os ingleses, abrindo os portos brasileiros às nações amigas, isto é, a Inglaterra. Eliminando em parte o monopólio comercial português, que obrigava o Brasil a fazer comércio apenas com Portugal.
  • 32.
  • 33. • Mas o destino da Coroa portuguesa, era a capital da colônia, o Rio de Janeiro, onde D. João e sua comitiva desembarcaram em 8 de março de 1808 e onde foi instalada a sede do governo.
  • 34.
  • 35.
  • 36. • Na chegada ao Rio de Janeiro, a Corte portuguesa foi recebida com uma grande festa: o povo aglomerou-se no porto e nas principais ruas para acompanhar a Família Real em procissão até a Catedral, onde, após uma missa em ação de graças, o rei concedeu o primeiro "beija-mão".
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 41.
  • 42. Rio de Janeiro em 1808:
  • 43.
  • 44.
  • 45. • Era preciso acomodar os novos habitantes e tornar a cidade digna de ser a nova sede do Império português. O vice-rei do Brasil, D. Marcos de Noronha e Brito cedeu sua residência, O Palácio dos Governadores, para o rei e sua família e exigiu que os moradores das melhores casas da cidade fizessem o mesmo.
  • 46. • Duas mil residências foram requisitadas, pregando-se nas portas o "P.R.", que significava "Príncipe Regente", mas que o povo logo traduziu como "Ponha-se na Rua".
  • 47.
  • 48.
  • 49. • Prédios públicos, quartéis, igrejas e conventos também foram ocupados. A cidade passou por uma reforma geral: limpeza de ruas, pinturas nas fachadas dos prédios e apreensão de animais.
  • 50. • As construções passaram a seguir os padrões europeus. Novos elementos foram incorporados ao mobiliário; espelhos, papéis de parede, quadros, instrumentos musicais, relógios de parede.
  • 51. Quinta da Boa Vista:
  • 52. Palácio Imperial – Rio de Janeiro:
  • 53. • Em 1808, D. João VI decretou uma lei que estabeleceu a abertura dos portos brasileiros às nações amigas. A Inglaterra foi a principal beneficiada desta lei, pois mantinha estreitos laços comerciais com Portugal.
  • 54. • Por causa da Abertura dos Portos, o porto do Rio de Janeiro aumentou seu movimento que passou de 500 para 1200 embarcações anuais.
  • 55. • A oferta de mercadorias e serviços aumentou. A Rua do Ouvidor, no centro do Rio, recebeu o cabeleireiro da Corte, costureiras francesas, lojas elegantes, joalherias e tabacarias. A novidade mais requintada era os chapéus, luvas, leques, flores artificiais, perfumes e sabonetes.
  • 56. • Sem dúvida, a vinda de D. João deu um grande impulso à cultura no Brasil. • Em abril de 1808, foi criado o Arquivo Central, que reunia mapas e cartas geográficas do Brasil e projetos de obras públicas.
  • 58. • Em maio, D. João criou a Imprensa Régia e, em setembro, surgiu a Gazeta do Rio de Janeiro. Logo vieram livros didáticos, técnicos e de poesia.
  • 59. • Em 1808, D. João VI cancelou a lei que proibia o estabelecimento de indústrias no Brasil. • Em janeiro de 1810, foi aberta a Biblioteca Real, com 60 mil volumes trazidos de Lisboa.
  • 61.
  • 62. • Em 1810, foi assinado o Tratado de Comércio e Navegação e o tratado de Aliança e Amizade, com a Inglaterra. • Instalação de sistemas administrativos e jurídicos no Rio de Janeiro, com a criação de tribunais e ministérios.
  • 63. • Estruturação econômica, com a fundação do Banco do Brasil e da Casa da Moeda.
  • 66. • Criaram-se as Escolas de Cirurgia e Academia de Marinha (1808), a Aula de Comércio e Academia Militar (1810) e a Academia Médico-cirúrgica (1813). A ciência também ganhou com a criação do Observatório Astronômico (1808), do Jardim Botânico (1810) e do Laboratório de Química (1818).
  • 67.
  • 68.
  • 69.
  • 70.
  • 71. • Em 1813, foi inaugurado o Teatro São João (atual João Caetano).
  • 73.
  • 74. • Em 1818 com a morte da rainha D. Maria I, Dom João foi proclamado e coroado Dom João VI, Rei de Portugal e do Brasil. A aclamação de D. João VI aconteceu nos salões do Teatro de São João.
  • 75. Coroação de D. João VI:
  • 76. • Em 1816, a Missão Francesa, composta de pintores, escultores, arquitetos e artesãos, chegaram ao Rio de Janeiro para criar a Imperial Academia e Escola de Belas-Artes. • Em 1820, foi a vez da Real Academia de Desenho, Pintura, Escultura e Arquitetura- civil.
  • 78. • Quando Napoleão foi derrotado em 1815, ficou decidido que os reis de países invadidos pela França deveriam voltar a ocupar seus tronos.
  • 79. • D. João e sua corte não queriam voltar ao empobrecido Portugal. Então o Brasil foi elevado à categoria de Reino Unido de Portugal e Algarves (uma região ao sul de Portugal). O Brasil deixava de ser Colônia de Portugal, adquiria autonomia administrativa.
  • 80. • Em 1820, houve em Portugal a Revolução Liberal do Porto, terminando com o Absolutismo e iniciando a Monarquia Constitucional. D. João deixava de ser rei com poder absoluto e passava a seguir a Constituição do Reino.
  • 81.
  • 82.
  • 83.
  • 84. • A Assembleia Portuguesa exigia o retorno de seu rei. • O novo governo português desejava recolonizar o Brasil, retirando sua autonomia econômica.
  • 85.
  • 86. • Em 26 de abril de 1821, D. João VI cedendo às pressões, volta a Portugal, deixando seu filho D.Pedro como príncipe regente do Brasil.
  • 87.