SlideShare uma empresa Scribd logo
Contexto Histórico
  A partir do início dos anos de 1920, cresceu a
 oposição ás oligarquias cafeeiras no Brasil. Além
das divergências e dos conflitos internos, a crise
 mundial de 1929 acelerou o processo de perda da
       importância política dos cafeicultores.
  O resultado foi um movimento que colocou, em
       1930, fim a República do café-com-leite.
   Entretanto, ao contrário das expectativas, as
    mudanças não trouxeram maior participação
  política da população. O país entraria numa fase
marcada por ditaduras e forte repressão política.
A Revolução de 30
Ao se aproximar as eleições de 1930, as oligarquias paulista e mineira se
  desentenderam.
De acordo com a política do café-com-leite, seria a vez de Minas Gerais indicar o
  candidato oficial a presidente. Mas o presidente Washington Luis queria Júlio
  Prestes. Os mineiros não concordaram e, em 1930, nas eleições
  presidenciais, apoiaram a chapa de oposição chamada Aliança Liberal cujo
  candidato era Getúlio Vargas – governador do Rio Grande do Sul - e o vice
  João Pessoa – Governador da Paraíba.
Como as eleições eram fraudadas aconteceu o óbvio: Júlio prestes venceu.
Mas um acontecimento viria a mudar o rumo político do Brasil: João Pessoa foi
  assassinado. Apesar de ter sido motivado um questões pessoais, o crime
                                  Getúlio Vargas, por
  provocou a indignação geral e os dos principais
                                     oposicionistas aproveitando-se disso
                                   articuladores da
  começaram a revolução, ocorrendo vários30
                                   Revolução de conflitos regionais envolvendo
  partidários da Aliança Liberal e do governo.



                                       Manifestação de
                                      Apoio à Revolução
                                           de 1930
A Revolução de 30
A situação do presidente tornou-se insustentável. Mas como
  ele não desejava deixar o cargo, os chefes militares o
  destituíram. Uma junta militar ocupou a direção do governo.
Como Getúlio havia liderado a revolução, ele assumiu a
  presidência com a missão d organizar um novo governo para
  o país.
Inicialmente, Getúlio exerceu o poder como chefe do governo
  provisório (1930-1934); em seguida, com a promulgação da
                                     Cadáveres da
  segunda Constituição republicana, 30. 1934, Getúlio passou a
                                    revolução de em

  ser presidente constitucional, eleito pela assembléia
  constituinte (1934-1937); finalmente, com a instalação da
  ditadura do Estado novo, Vargas manteve-se no poder de
  1937 a 1945.             Empastelamento do
                          jornal “A Noite”
                          por ocasião da
                         Revolução, 1930.
Governo Provisório
(1930-1934)
Em 1930, Getúlio Vargas assumiu o governo em
      caráter provisório, até que fossem
  convocadas eleições para escolha do novo
 presidente. Nesse período, concentrou todo
    o poder em suas mãos. O Congresso foi
         fechado e os governantes dos
   estados, chamados interventores, foram
 nomeados pelo presidente. Getúlio começou
       seu governo atendendo a algumas
     reivindicações dos trabalhadores: (1)
Governo Provisório
(1930-1934)
Mas, por outro lado, o governo passou a exercer um
   controle muito forte sobre os trabalhadores a
       partir do Ministério do Trabalho recém-
        criado.Assim, Vargas pretendia ao mesmo
    tempo, conquistar o apoio da classe operária e
                garantir sua submissão.
     Os paulistas, em especial os fazendeiros de
café, queriam reconquistar o controle do governo. Não
   aceitavam o interventor nomeado pra São Paulo, o
   tenente Pernambucano João Alberto, e exigiam um
 interventor civil e paulista.usavam também o fato de
  Vargas não querer convocar eleições nem elaborar
A revolução
   Constitucionalista de 32
Em maio de 1932, tornaram-se mais intensas às manifestações paulistas
  contra o governo provisório. Na noite de 23 de maio os conflitos de
  rua foram violentos. Os manifestantes assaltaram uma casa de armas
  atacando em seguida redações de jornais tenentistas que apoiavam
  Vargas e a Legião revolucionária. As tropas federais reagiram e quatro
  estudantes foram mortos: Martins, miragaia, Dráusio e Camargo. As
  iniciais de seus nomes – mmdc – tornaram-se o símbolo dessa revolução
  em 9 de julho de 1932.
Os revolucionários paulistas esperavam o apoio dos estados de Minas
  Gerais, Mato Grosso e do Rio Grande do Sul. Mas isso não ocorreu.
  Somente a região sul de mato Grosso acompanhou São Paulo.
O estado de São Paulo não estava preparado para um ação militar tão Vale do
                                                              Trincheira do
                                                                    Paraíba
  grande. Isolado perante a superioridade das forças federais, os
  paulistas renderam-se em 28 de setembro de 1932.



                  Cartazes convocando os
                      paulistas para a
                         revolução
Governo Constitucional
 (1934-1937)
Embora derrotados militarmente, os constitucionalistas de 1932
  conseguiram parte de seus objetivos. Vargas convocou eleições para a
  Assembléia Constituinte, que aconteceram em maio de 1933 que
  apresentou as seguintes características:
 Voto secreto e obrigatório;
 Todos os brasileiros alfabetizados com mais de 18 anos puderam
  votar, inclusive as mulheres, que votavam pela primeira vez;
 A organização e a fiscalização das eleições foram feitas pela justiça
  eleitoral, que não existia durante a República Velha, quando as
  votações eram organizadas pelo poder executivo;
 Duzentos e cinqüenta representantes na Constituinte foram eleitos
  pelo voto popular e cinqüenta foram escolhidos pelas associações de
  trabalhadores, por meio da votação entre seus filiados.
A Assembléia Nacional Constituinte foi instalada no dia 15 de novembro de
  1933. A Nova Constituição, a segunda do período republicano, foi
  promulgada no dia 16 de julho de 1934. Foi mantida a eleição direta para
  presidente, com exceção da primeira: Getúlio Vargas foi eleito pela
A Constituição de 1934
NA constituição promulgada de 1934 - a primeira a incorporar
  avanços sociais, as outras eram só políticas - apareceram pela
  primeira vez, capítulos sobre a educação e
  cultura, instituindo, entre outras coisas, o ensino primário
  gratuito e obrigatório prevendo que com o tempo, o ensino
  secundário e o superior também deveriam ser gratuito para
  todos.
Outro aspecto importante da Constituição dizia respeito aos
  direitos dos trabalhadores. As principais conquistas foram:
 Artigo 121 § 1º. A) proibição de diferença de salário para um
  mesmo trabalho. Por motivo de idade, sexo, nacionalidade ou
  estado civil;
 b)Salário mínimo capaz de satisfazer, conforme as condições de
  cada região, às necessidades normais do trabalhador;
 c) Trabalho diário não excedente de oito horas (...);
 d) Proibição de trabalho a menores de 14 anos; de trabalho
  noturno a menores de 16 anos; e em indústrias insalubres a
  menores de 18 anos e mulheres;
 e) Repouso semanal, de preferência aos domingos;
Revoltas Sociais                   A ANL

Apesar dos avanços do governo Vargas nas Áreas social e trabalhista existiam
   correntes políticas que esperavam mudanças mais profundas e imediatas no
   Brasil. dentre elas, destacava-se o Partido Comunista do Brasil (PCB), fundado
   em 1922. proibido de funcionar livremente, esse partido passou a agir na
   ilegalidade. Os comunistas juntaram-se a outros grupos políticos com idéias
   semelhantes e formaram a Aliança Libertadora Nacional (ANL). Seu líder era
   Luís Carlos Prestes. Os integrantes da Anl eram chamados de aliancistas.
   Essa frente popular pregava a derrubada do governo e uma transformação
   profunda e rápida do país.
O Governo Vargas combateu os comunistas. Por isso, em julho de 1935, foram
   proibidas às atividades da Aliança Nacional Libertadora, acusada de subverter
   a ordem. Com tudo, os aliancistas continuaram a agir na clandestinidade e
   organizaram uma revolta para novembro de 1935. A rebelião – que recebeu o
                                                 Luis Carlos Prestes e
   nome de Intentona Comunista – teria inícios nos quartéis, mas apenas três se
                                                     Olga Benário
   rebelaram. O governo agiu rapidamente, prendendo a maioria dos revoltosos.
Luis Carlos Prestes, principal líder do movimento e sua mulher, Olga Benário
   Prestes, foram presos em março de 1936. Prestes ficou confinado numa
   solitária até o fim doIntentona Comunista
                           governo de Getúlio, em 1945, e Olga, por ser judia e
   alemã, foi enviada à Alemanha nazista, onde foi morta num câmara de gás, em
Revoltas Sociais
                    Integralismo

    Em oposição Aliança Nacional Libertadora havia a Ação
     Integralista Brasileira, liderada pelo escritor Plínio
     Salgado. Os integralistas, ferrenhos anticomunistas e
   adeptos das idéias fascistas, eram chamados de “galinhas
       verdes”, por causa da cor do uniforme que usavam.
O MOVIMENTO INTEGRALISTA foi fundado por PLÍNIO SALGADO                Plínio
                                                                Salgado, fundador do
  quando, no dia 7 DE OUTUBRO de 1932, lançou um MANIFESTO à    movimento integralista.
      NAÇÃO, que na sua primeira afirmação (Concepção do
     Universo e do Homem) diz: DEUS dirige os destinos dos
     Povos, e que o HOMEM deve praticar sobre a terra as
   virtudes que o elevam e o aperfeiçoam. O homem vale pelo
 trabalho, pelo sacrifício em favor da FAMÍLIA, da PÁTRIA e
  da Sociedade”. Estava definida a trilogia que marcou toda a
 trajetória do Movimento: DEUS, PÁTRIA E FAMÍLIA. Lançado
     em São Paulo, o Manifesto percorreu a Nação como um
                        rastilho de fogo.
O Estado Novo (1937-1945)
As eleições presidenciais estavam marcadas para o dia 3 de
  janeiro de 1938, já que Getúlio deveria passar o governo
  ao novo presidente no dia 3 de maio do mesmo ano. Em
  1937, dois candidatos já estavam em campanha. Do lado do
  governo, José Américo de Almeida, da Paraíba. Pela
  oposição, Armando de Salles Oliveira, ex-interventor de
  São Paulo.
Vargas, contudo, desejava manter-se no poder. Para isso
  planejou um golpe de Estado: junto com o capitão
  Olímpio mourão Filho e o general Góis Monteiro, simulou
  ter descoberto um plano de revolução
  comunista, chamado Plano Cohen, pelo qual haveria
  greves, assassinatos de líderes políticos, incêndios em
  igrejas, entre outros. Sob essa falsa ameaça, conseguiu
  convencer as Forças Armadas de que só um governo
O Estado Novo (1937-1945)
   Os integralistas apoiaram o golpe de
  Getúlio. Este, porém, tendo conseguido o
       seu objetivo de permanecer no
    poder, fechou toas as organizações
 partidárias, inclusive a Ação Integralista
                  Brasileira.
Para fazer propaganda do Estado Novo, foi
 organizado o Departamento de Imprensa e
 Propaganda (DIP).aqui é criado o Programa
               “Voz do Brasil”
  Nacionalista, Vargas tomou medidas que
O Estado Novo (1937-1945)
Quem financiou a construção de Volta Redonda foram os
  E.U.A. Por conta desse financiamento e outros fatores, o
  governo     Vargas   declarou    guerra    à   Itália  e
  Alemanha, entrando na Segunda Guerra Mundial. Antes e
  durante a guerra, tentando conquistar o Brasil para a
  sua zona de influência, os E.U.A desenvolveram a chamada
  política da boa vizinhança, promovendo o intercâmbio
  cultual entre os dois países.
O governo começou a ser pressionado por todo
  Brasil, acentuando-se a partir de 1943 quando políticos
  mineiros lançaram o Manifesto dos Mineiros e criaram a
  União Democrática Nacional (UDN), partido de oposição a
  Getúlio.
O Estado Novo (1937-1945)
 Mas, ao mesmo tempo, Getúlio lança o “Queremismo” (Queremos Getúlio), era o
   movimento que pedia que Getúlio ficasse. Vargas pagou os manifestantes para
   que ocorresse esse movimento, eles eram sindicalistas e operários, que viam
                      Getúlio como pai e defensor dos pobres.
     A medida que o movimento se intensificava, os militares e o ministro da
   guerra, Eurico Gaspar Dutra, planejaram uma forma de impedir a continuidade
        de Getúlio no poder. Em outubro de 1945, destituíram-no do governo.
 Os dois principais candidatos a presidência eram militares: Dutra (PSD) apoiado
  por Getúlio Vargas, e Eduardo Gomes (UDN), apoiado pela oposição, Dutra venceu.




                                      Manifestações
                                       queremistas
Governo Dutra(1945-
1950)
Com o mundo dividido entre capitalistas (EUA) e
  socialistas (URSS), o Brasil ficou na área de
   influência dos EUA. Fiel a isso o presidente
        Dutra rompeu relações com a União         Eurico Gaspar Dutra

       Soviética, fechou o partido comunista
     Brasileiro e cassou o mandato dos seus
     parlamentares; a polícia invadiu sedes de
       sindicatos e perseguiu opositores do
                      governo.
         Foi criada a escola Superior de
  Guerra, voltada para a formação estratégica
      e principalmente ideológica dos oficiais
                      militares.
  Nessa época instalam-se no Brasil grandes
O Segunda
Mandato(1950-1954)
Nas eleições de 1950, Vargas concorreu à presidência pelo Partido Trabalhista
  Brasileiro (PTB) e derrotou os adversários. A criação da campanha “o Petróleo
  é Nosso" favoreceu esse resultado somado à outros fatores.
Ao assumir novamente a presidência, Vargas colocou em prática sua política
  populista e nacionalista, que consistia em medidas destinadas a favorecer os
  trabalhadores e as empresas nacionais. O salário mínimo, por exemplo, teve um
  aumento de 100%.
Essa atitude de Vargas, contudo, deixou muita gente descontente: os grandes
  empresários afirmaram que seus lucros iam diminuir; alguns chefes militares
  diziam que Getúlio estava se aproximando dos comunistas; a classe média alta
  se via ameaçada pelos benefícios que Getúlio estava concedendo as
  trabalhadores e temi novos movimentos reivindicatórios.
Em 1953, Vargas criou a Petrobrás, dando a ela o monopólio da extração e refino
  de petróleo no Brasil.
Além de contrariar os interesses do capital estrangeiro, o governo Vargas
  enfrentava também oposições internas como a de Carlos Lacerda dono do
  jornal carioca Tribuna da Imprensa que sofrera um atentado, no qual morreu
  o major da Aeronáutica Rubem Vaz, que o acompanhava. Investigações
  comprovaram que o atentado fora praticado porFoto de Getúlioligadas à guarda
                                                   pessoas Vargas
  presidencial.
1. Filmes
 Olga – Filme que retrata a vida de Olga Benário e
               a Intentona Comunista.
   Getúlio Vargas – Documentário que narra a
  história de Vargas do seu nascimento até a sua
                       morte.
Atividades:
 1 – Aponte os aspectos positivos e negativos da Era
  Vargas, em sua opinião.
 2 – Por que Getúlio Vargas foi considerado um
  estadista?
 3 – Por que houve um confronto entre os Tenentes e
  Getúlio Vargas?
 4 - (FUVEST) A ascensão de Getúlio Vargas em 1930
  deu-se num contexto de crise mundial. Como essa
  crise afetou o Brasil?
1. http://www.integralismo.org.br – Site que reúne
   Sites
 diversas informações sobre o Movimento Integralista
                      Brasileiro.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
eiprofessor
 
Getulio Vargas
Getulio VargasGetulio Vargas
Getulio Vargas
Simone Gomes
 
Brasil república 9º ano
Brasil república 9º anoBrasil república 9º ano
Brasil república 9º ano
Eloy Souza
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Elaine Bogo Pavani
 
Formacao estado moderno
Formacao estado modernoFormacao estado moderno
Formacao estado moderno
Loredana Ruffo
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Douglas Barraqui
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
Isabel Aguiar
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquica
Douglas Barraqui
 
Segundo reinado slide
Segundo reinado slideSegundo reinado slide
Segundo reinado slide
professordehistoria
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
Janaína Bindá
 
Brasil 1930 - 2010
Brasil 1930 - 2010Brasil 1930 - 2010
Brasil 1930 - 2010
Udison Brito Oliveira
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
Daniel Alves Bronstrup
 
Revolução de 30
Revolução de 30Revolução de 30
Revolução de 30
Lú Carvalho
 
Getulio vargas
Getulio vargasGetulio vargas
Getulio vargas
maida marciano
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Janaína Tavares
 
As revoltas regenciais
As revoltas regenciaisAs revoltas regenciais
As revoltas regenciais
ProfessoresColeguium
 
Estado novo vargas
Estado novo vargasEstado novo vargas
Estado novo vargas
Dilermando12
 
Roteiro de Aula - Da Era Vargas ao Governo Dilma
Roteiro de Aula - Da Era Vargas ao Governo DilmaRoteiro de Aula - Da Era Vargas ao Governo Dilma
Roteiro de Aula - Da Era Vargas ao Governo Dilma
josafaslima
 
Guerra Fria (2)- China e Cuba
Guerra Fria (2)- China e CubaGuerra Fria (2)- China e Cuba
Guerra Fria (2)- China e Cuba
Paulo Alexandre
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Juliana Corvino de Araújo
 

Mais procurados (20)

Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
 
Getulio Vargas
Getulio VargasGetulio Vargas
Getulio Vargas
 
Brasil república 9º ano
Brasil república 9º anoBrasil república 9º ano
Brasil república 9º ano
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Formacao estado moderno
Formacao estado modernoFormacao estado moderno
Formacao estado moderno
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquica
 
Segundo reinado slide
Segundo reinado slideSegundo reinado slide
Segundo reinado slide
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
 
Brasil 1930 - 2010
Brasil 1930 - 2010Brasil 1930 - 2010
Brasil 1930 - 2010
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Revolução de 30
Revolução de 30Revolução de 30
Revolução de 30
 
Getulio vargas
Getulio vargasGetulio vargas
Getulio vargas
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
As revoltas regenciais
As revoltas regenciaisAs revoltas regenciais
As revoltas regenciais
 
Estado novo vargas
Estado novo vargasEstado novo vargas
Estado novo vargas
 
Roteiro de Aula - Da Era Vargas ao Governo Dilma
Roteiro de Aula - Da Era Vargas ao Governo DilmaRoteiro de Aula - Da Era Vargas ao Governo Dilma
Roteiro de Aula - Da Era Vargas ao Governo Dilma
 
Guerra Fria (2)- China e Cuba
Guerra Fria (2)- China e CubaGuerra Fria (2)- China e Cuba
Guerra Fria (2)- China e Cuba
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 

Semelhante a A era vargas

resumo: Era vargas
resumo: Era vargasresumo: Era vargas
resumo: Era vargas
Lucas Reis
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Íris Ferreira
 
www.CentroApoio.com -História - A Era Vargas - Parte 1 - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com -História - A Era Vargas - Parte 1 - Vídeo Aulaswww.CentroApoio.com -História - A Era Vargas - Parte 1 - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com -História - A Era Vargas - Parte 1 - Vídeo Aulas
Vídeo Aulas Apoio
 
Vargas no poder (ânderson nunes)
Vargas no poder (ânderson nunes)Vargas no poder (ânderson nunes)
Vargas no poder (ânderson nunes)
Ânderson Nunes
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
A Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - Governo
A Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - GovernoA Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - Governo
A Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - Governo
Paulo Roberto
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
isameucci
 
9° Ano - A era Vargas.ppt
9° Ano - A era Vargas.ppt9° Ano - A era Vargas.ppt
9° Ano - A era Vargas.ppt
ClaytonArtaud
 
www.AulasParticularesApoio.Com - História – Era Vargas
www.AulasParticularesApoio.Com - História – Era Vargaswww.AulasParticularesApoio.Com - História – Era Vargas
www.AulasParticularesApoio.Com - História – Era Vargas
ApoioAulas ParticularesCom
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargaswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargas
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas
AulasDeHistoriaApoio
 
www.aulaparticularonline.net.br - História – Era Vargas
www.aulaparticularonline.net.br - História – Era Vargaswww.aulaparticularonline.net.br - História – Era Vargas
www.aulaparticularonline.net.br - História – Era Vargas
Lucia Silveira
 
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - História – Era Vargas
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - História – Era Vargaswww.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - História – Era Vargas
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - História – Era Vargas
Manuela Mendes
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
Amin Zahluth
 
Aula 20 era vargas
Aula 20   era vargasAula 20   era vargas
Aula 20 era vargas
Jonatas Carlos
 
Vargas
VargasVargas
A Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
A Era Vargas (1930-1945). Prof. MedeirosA Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
A Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
João Medeiros
 
O Brasil de Vargas e Jango. Governos entre duas ditaduras.
O Brasil de Vargas e Jango. Governos entre duas ditaduras.O Brasil de Vargas e Jango. Governos entre duas ditaduras.
O Brasil de Vargas e Jango. Governos entre duas ditaduras.
ThiagoRORISDASILVA1
 
Brasil dos anos 1930 - Brasil – 1945.ppt
Brasil dos anos 1930 - Brasil  – 1945.pptBrasil dos anos 1930 - Brasil  – 1945.ppt
Brasil dos anos 1930 - Brasil – 1945.ppt
FabianaCFlr
 
Slide explicativo
Slide explicativoSlide explicativo
Slide explicativo
krrico93
 

Semelhante a A era vargas (20)

resumo: Era vargas
resumo: Era vargasresumo: Era vargas
resumo: Era vargas
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
www.CentroApoio.com -História - A Era Vargas - Parte 1 - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com -História - A Era Vargas - Parte 1 - Vídeo Aulaswww.CentroApoio.com -História - A Era Vargas - Parte 1 - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com -História - A Era Vargas - Parte 1 - Vídeo Aulas
 
Vargas no poder (ânderson nunes)
Vargas no poder (ânderson nunes)Vargas no poder (ânderson nunes)
Vargas no poder (ânderson nunes)
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
A Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - Governo
A Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - GovernoA Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - Governo
A Era Vargas 1930 -1945: Parte 2 - Governo
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
9° Ano - A era Vargas.ppt
9° Ano - A era Vargas.ppt9° Ano - A era Vargas.ppt
9° Ano - A era Vargas.ppt
 
www.AulasParticularesApoio.Com - História – Era Vargas
www.AulasParticularesApoio.Com - História – Era Vargaswww.AulasParticularesApoio.Com - História – Era Vargas
www.AulasParticularesApoio.Com - História – Era Vargas
 
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas
www.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargaswww.AulasDeHistoriaApoio.com  - História – Era Vargas
www.AulasDeHistoriaApoio.com - História – Era Vargas
 
www.aulaparticularonline.net.br - História – Era Vargas
www.aulaparticularonline.net.br - História – Era Vargaswww.aulaparticularonline.net.br - História – Era Vargas
www.aulaparticularonline.net.br - História – Era Vargas
 
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - História – Era Vargas
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - História – Era Vargaswww.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - História – Era Vargas
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - História – Era Vargas
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
 
Aula 20 era vargas
Aula 20   era vargasAula 20   era vargas
Aula 20 era vargas
 
Vargas
VargasVargas
Vargas
 
A Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
A Era Vargas (1930-1945). Prof. MedeirosA Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
A Era Vargas (1930-1945). Prof. Medeiros
 
O Brasil de Vargas e Jango. Governos entre duas ditaduras.
O Brasil de Vargas e Jango. Governos entre duas ditaduras.O Brasil de Vargas e Jango. Governos entre duas ditaduras.
O Brasil de Vargas e Jango. Governos entre duas ditaduras.
 
Brasil dos anos 1930 - Brasil – 1945.ppt
Brasil dos anos 1930 - Brasil  – 1945.pptBrasil dos anos 1930 - Brasil  – 1945.ppt
Brasil dos anos 1930 - Brasil – 1945.ppt
 
Slide explicativo
Slide explicativoSlide explicativo
Slide explicativo
 

Último

PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 

Último (20)

PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 

A era vargas

  • 1.
  • 2. Contexto Histórico A partir do início dos anos de 1920, cresceu a oposição ás oligarquias cafeeiras no Brasil. Além das divergências e dos conflitos internos, a crise mundial de 1929 acelerou o processo de perda da importância política dos cafeicultores. O resultado foi um movimento que colocou, em 1930, fim a República do café-com-leite. Entretanto, ao contrário das expectativas, as mudanças não trouxeram maior participação política da população. O país entraria numa fase marcada por ditaduras e forte repressão política.
  • 3. A Revolução de 30 Ao se aproximar as eleições de 1930, as oligarquias paulista e mineira se desentenderam. De acordo com a política do café-com-leite, seria a vez de Minas Gerais indicar o candidato oficial a presidente. Mas o presidente Washington Luis queria Júlio Prestes. Os mineiros não concordaram e, em 1930, nas eleições presidenciais, apoiaram a chapa de oposição chamada Aliança Liberal cujo candidato era Getúlio Vargas – governador do Rio Grande do Sul - e o vice João Pessoa – Governador da Paraíba. Como as eleições eram fraudadas aconteceu o óbvio: Júlio prestes venceu. Mas um acontecimento viria a mudar o rumo político do Brasil: João Pessoa foi assassinado. Apesar de ter sido motivado um questões pessoais, o crime Getúlio Vargas, por provocou a indignação geral e os dos principais oposicionistas aproveitando-se disso articuladores da começaram a revolução, ocorrendo vários30 Revolução de conflitos regionais envolvendo partidários da Aliança Liberal e do governo. Manifestação de Apoio à Revolução de 1930
  • 4. A Revolução de 30 A situação do presidente tornou-se insustentável. Mas como ele não desejava deixar o cargo, os chefes militares o destituíram. Uma junta militar ocupou a direção do governo. Como Getúlio havia liderado a revolução, ele assumiu a presidência com a missão d organizar um novo governo para o país. Inicialmente, Getúlio exerceu o poder como chefe do governo provisório (1930-1934); em seguida, com a promulgação da Cadáveres da segunda Constituição republicana, 30. 1934, Getúlio passou a revolução de em ser presidente constitucional, eleito pela assembléia constituinte (1934-1937); finalmente, com a instalação da ditadura do Estado novo, Vargas manteve-se no poder de 1937 a 1945. Empastelamento do jornal “A Noite” por ocasião da Revolução, 1930.
  • 5. Governo Provisório (1930-1934) Em 1930, Getúlio Vargas assumiu o governo em caráter provisório, até que fossem convocadas eleições para escolha do novo presidente. Nesse período, concentrou todo o poder em suas mãos. O Congresso foi fechado e os governantes dos estados, chamados interventores, foram nomeados pelo presidente. Getúlio começou seu governo atendendo a algumas reivindicações dos trabalhadores: (1)
  • 6. Governo Provisório (1930-1934) Mas, por outro lado, o governo passou a exercer um controle muito forte sobre os trabalhadores a partir do Ministério do Trabalho recém- criado.Assim, Vargas pretendia ao mesmo tempo, conquistar o apoio da classe operária e garantir sua submissão. Os paulistas, em especial os fazendeiros de café, queriam reconquistar o controle do governo. Não aceitavam o interventor nomeado pra São Paulo, o tenente Pernambucano João Alberto, e exigiam um interventor civil e paulista.usavam também o fato de Vargas não querer convocar eleições nem elaborar
  • 7. A revolução Constitucionalista de 32 Em maio de 1932, tornaram-se mais intensas às manifestações paulistas contra o governo provisório. Na noite de 23 de maio os conflitos de rua foram violentos. Os manifestantes assaltaram uma casa de armas atacando em seguida redações de jornais tenentistas que apoiavam Vargas e a Legião revolucionária. As tropas federais reagiram e quatro estudantes foram mortos: Martins, miragaia, Dráusio e Camargo. As iniciais de seus nomes – mmdc – tornaram-se o símbolo dessa revolução em 9 de julho de 1932. Os revolucionários paulistas esperavam o apoio dos estados de Minas Gerais, Mato Grosso e do Rio Grande do Sul. Mas isso não ocorreu. Somente a região sul de mato Grosso acompanhou São Paulo. O estado de São Paulo não estava preparado para um ação militar tão Vale do Trincheira do Paraíba grande. Isolado perante a superioridade das forças federais, os paulistas renderam-se em 28 de setembro de 1932. Cartazes convocando os paulistas para a revolução
  • 8. Governo Constitucional (1934-1937) Embora derrotados militarmente, os constitucionalistas de 1932 conseguiram parte de seus objetivos. Vargas convocou eleições para a Assembléia Constituinte, que aconteceram em maio de 1933 que apresentou as seguintes características:  Voto secreto e obrigatório;  Todos os brasileiros alfabetizados com mais de 18 anos puderam votar, inclusive as mulheres, que votavam pela primeira vez;  A organização e a fiscalização das eleições foram feitas pela justiça eleitoral, que não existia durante a República Velha, quando as votações eram organizadas pelo poder executivo;  Duzentos e cinqüenta representantes na Constituinte foram eleitos pelo voto popular e cinqüenta foram escolhidos pelas associações de trabalhadores, por meio da votação entre seus filiados. A Assembléia Nacional Constituinte foi instalada no dia 15 de novembro de 1933. A Nova Constituição, a segunda do período republicano, foi promulgada no dia 16 de julho de 1934. Foi mantida a eleição direta para presidente, com exceção da primeira: Getúlio Vargas foi eleito pela
  • 9. A Constituição de 1934 NA constituição promulgada de 1934 - a primeira a incorporar avanços sociais, as outras eram só políticas - apareceram pela primeira vez, capítulos sobre a educação e cultura, instituindo, entre outras coisas, o ensino primário gratuito e obrigatório prevendo que com o tempo, o ensino secundário e o superior também deveriam ser gratuito para todos. Outro aspecto importante da Constituição dizia respeito aos direitos dos trabalhadores. As principais conquistas foram:  Artigo 121 § 1º. A) proibição de diferença de salário para um mesmo trabalho. Por motivo de idade, sexo, nacionalidade ou estado civil;  b)Salário mínimo capaz de satisfazer, conforme as condições de cada região, às necessidades normais do trabalhador;  c) Trabalho diário não excedente de oito horas (...);  d) Proibição de trabalho a menores de 14 anos; de trabalho noturno a menores de 16 anos; e em indústrias insalubres a menores de 18 anos e mulheres;  e) Repouso semanal, de preferência aos domingos;
  • 10. Revoltas Sociais A ANL Apesar dos avanços do governo Vargas nas Áreas social e trabalhista existiam correntes políticas que esperavam mudanças mais profundas e imediatas no Brasil. dentre elas, destacava-se o Partido Comunista do Brasil (PCB), fundado em 1922. proibido de funcionar livremente, esse partido passou a agir na ilegalidade. Os comunistas juntaram-se a outros grupos políticos com idéias semelhantes e formaram a Aliança Libertadora Nacional (ANL). Seu líder era Luís Carlos Prestes. Os integrantes da Anl eram chamados de aliancistas. Essa frente popular pregava a derrubada do governo e uma transformação profunda e rápida do país. O Governo Vargas combateu os comunistas. Por isso, em julho de 1935, foram proibidas às atividades da Aliança Nacional Libertadora, acusada de subverter a ordem. Com tudo, os aliancistas continuaram a agir na clandestinidade e organizaram uma revolta para novembro de 1935. A rebelião – que recebeu o Luis Carlos Prestes e nome de Intentona Comunista – teria inícios nos quartéis, mas apenas três se Olga Benário rebelaram. O governo agiu rapidamente, prendendo a maioria dos revoltosos. Luis Carlos Prestes, principal líder do movimento e sua mulher, Olga Benário Prestes, foram presos em março de 1936. Prestes ficou confinado numa solitária até o fim doIntentona Comunista governo de Getúlio, em 1945, e Olga, por ser judia e alemã, foi enviada à Alemanha nazista, onde foi morta num câmara de gás, em
  • 11. Revoltas Sociais Integralismo Em oposição Aliança Nacional Libertadora havia a Ação Integralista Brasileira, liderada pelo escritor Plínio Salgado. Os integralistas, ferrenhos anticomunistas e adeptos das idéias fascistas, eram chamados de “galinhas verdes”, por causa da cor do uniforme que usavam. O MOVIMENTO INTEGRALISTA foi fundado por PLÍNIO SALGADO Plínio Salgado, fundador do quando, no dia 7 DE OUTUBRO de 1932, lançou um MANIFESTO à movimento integralista. NAÇÃO, que na sua primeira afirmação (Concepção do Universo e do Homem) diz: DEUS dirige os destinos dos Povos, e que o HOMEM deve praticar sobre a terra as virtudes que o elevam e o aperfeiçoam. O homem vale pelo trabalho, pelo sacrifício em favor da FAMÍLIA, da PÁTRIA e da Sociedade”. Estava definida a trilogia que marcou toda a trajetória do Movimento: DEUS, PÁTRIA E FAMÍLIA. Lançado em São Paulo, o Manifesto percorreu a Nação como um rastilho de fogo.
  • 12. O Estado Novo (1937-1945) As eleições presidenciais estavam marcadas para o dia 3 de janeiro de 1938, já que Getúlio deveria passar o governo ao novo presidente no dia 3 de maio do mesmo ano. Em 1937, dois candidatos já estavam em campanha. Do lado do governo, José Américo de Almeida, da Paraíba. Pela oposição, Armando de Salles Oliveira, ex-interventor de São Paulo. Vargas, contudo, desejava manter-se no poder. Para isso planejou um golpe de Estado: junto com o capitão Olímpio mourão Filho e o general Góis Monteiro, simulou ter descoberto um plano de revolução comunista, chamado Plano Cohen, pelo qual haveria greves, assassinatos de líderes políticos, incêndios em igrejas, entre outros. Sob essa falsa ameaça, conseguiu convencer as Forças Armadas de que só um governo
  • 13. O Estado Novo (1937-1945) Os integralistas apoiaram o golpe de Getúlio. Este, porém, tendo conseguido o seu objetivo de permanecer no poder, fechou toas as organizações partidárias, inclusive a Ação Integralista Brasileira. Para fazer propaganda do Estado Novo, foi organizado o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP).aqui é criado o Programa “Voz do Brasil” Nacionalista, Vargas tomou medidas que
  • 14. O Estado Novo (1937-1945) Quem financiou a construção de Volta Redonda foram os E.U.A. Por conta desse financiamento e outros fatores, o governo Vargas declarou guerra à Itália e Alemanha, entrando na Segunda Guerra Mundial. Antes e durante a guerra, tentando conquistar o Brasil para a sua zona de influência, os E.U.A desenvolveram a chamada política da boa vizinhança, promovendo o intercâmbio cultual entre os dois países. O governo começou a ser pressionado por todo Brasil, acentuando-se a partir de 1943 quando políticos mineiros lançaram o Manifesto dos Mineiros e criaram a União Democrática Nacional (UDN), partido de oposição a Getúlio.
  • 15. O Estado Novo (1937-1945) Mas, ao mesmo tempo, Getúlio lança o “Queremismo” (Queremos Getúlio), era o movimento que pedia que Getúlio ficasse. Vargas pagou os manifestantes para que ocorresse esse movimento, eles eram sindicalistas e operários, que viam Getúlio como pai e defensor dos pobres. A medida que o movimento se intensificava, os militares e o ministro da guerra, Eurico Gaspar Dutra, planejaram uma forma de impedir a continuidade de Getúlio no poder. Em outubro de 1945, destituíram-no do governo. Os dois principais candidatos a presidência eram militares: Dutra (PSD) apoiado por Getúlio Vargas, e Eduardo Gomes (UDN), apoiado pela oposição, Dutra venceu. Manifestações queremistas
  • 16. Governo Dutra(1945- 1950) Com o mundo dividido entre capitalistas (EUA) e socialistas (URSS), o Brasil ficou na área de influência dos EUA. Fiel a isso o presidente Dutra rompeu relações com a União Eurico Gaspar Dutra Soviética, fechou o partido comunista Brasileiro e cassou o mandato dos seus parlamentares; a polícia invadiu sedes de sindicatos e perseguiu opositores do governo. Foi criada a escola Superior de Guerra, voltada para a formação estratégica e principalmente ideológica dos oficiais militares. Nessa época instalam-se no Brasil grandes
  • 17. O Segunda Mandato(1950-1954) Nas eleições de 1950, Vargas concorreu à presidência pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e derrotou os adversários. A criação da campanha “o Petróleo é Nosso" favoreceu esse resultado somado à outros fatores. Ao assumir novamente a presidência, Vargas colocou em prática sua política populista e nacionalista, que consistia em medidas destinadas a favorecer os trabalhadores e as empresas nacionais. O salário mínimo, por exemplo, teve um aumento de 100%. Essa atitude de Vargas, contudo, deixou muita gente descontente: os grandes empresários afirmaram que seus lucros iam diminuir; alguns chefes militares diziam que Getúlio estava se aproximando dos comunistas; a classe média alta se via ameaçada pelos benefícios que Getúlio estava concedendo as trabalhadores e temi novos movimentos reivindicatórios. Em 1953, Vargas criou a Petrobrás, dando a ela o monopólio da extração e refino de petróleo no Brasil. Além de contrariar os interesses do capital estrangeiro, o governo Vargas enfrentava também oposições internas como a de Carlos Lacerda dono do jornal carioca Tribuna da Imprensa que sofrera um atentado, no qual morreu o major da Aeronáutica Rubem Vaz, que o acompanhava. Investigações comprovaram que o atentado fora praticado porFoto de Getúlioligadas à guarda pessoas Vargas presidencial.
  • 18.
  • 19. 1. Filmes  Olga – Filme que retrata a vida de Olga Benário e a Intentona Comunista.  Getúlio Vargas – Documentário que narra a história de Vargas do seu nascimento até a sua morte.
  • 20. Atividades:  1 – Aponte os aspectos positivos e negativos da Era Vargas, em sua opinião.  2 – Por que Getúlio Vargas foi considerado um estadista?  3 – Por que houve um confronto entre os Tenentes e Getúlio Vargas?  4 - (FUVEST) A ascensão de Getúlio Vargas em 1930 deu-se num contexto de crise mundial. Como essa crise afetou o Brasil?
  • 21. 1. http://www.integralismo.org.br – Site que reúne Sites diversas informações sobre o Movimento Integralista Brasileiro.