SlideShare uma empresa Scribd logo
NOTIFICAR  É  PRECISO DF na Rede Sentinela  de Notificação de  Acidentes e Agravos  Relacionados ao Trabalho 28 de abril de 2008
Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador RENAST   criada através da  Portaria n.º 1679/GM  em 19 de setembro de 2002 Dispõe sobre a estruturação da rede nacional de  atenção integral à saúde do trabalhador no SUS e dá outras providências.   
Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador A  RENAST  é uma rede desenvolvida de forma articulada entre o  Ministério da Saúde   e as  Secretarias de Saúde   dos Estados,  do Distrito Federal  e  dos Municípios.  Tem como objetivo articular, no âmbito do SUS, ações de  prevenção,  promoção  e  recuperação  da saúde dos trabalhadores urbanos e rurais, independentemente  do vínculo empregatício e  tipo de inserção no mercado de trabalho.
Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador CEREST -  Centro Estadual de Referência  em Saúde do Trabalhador O CEREST-DF foi habilitado em dezembro de 2003 através da Portaria nº 387 Estão previstos 2 CERESTs Regionais para o Distrito Federal conforme dispõe a  Portaria n° 2.437/GM de 7 de dezembro de 2005.
Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador O funcionamento do  CEREST-DF  na Diretoria de  Saúde do Trabalhador do Distrito Federal – DISAT - foi estabelecido pela Portaria SES-DF nº. 08 de  07/03/2006  que,  em seu artigo 1º, determina  “ habilitar, na DISAT, o  funcionamento do CEREST-DF”   e, no artigo 2º, define que  “ o CEREST/DF será coordenado pelo Diretor de Saúde do Trabalhador”.
Notificar é Preciso
NOTIFICAR  É  PRECISO DF na Rede Sentinela  de Notificação de  Acidentes e Agravos  Relacionados ao Trabalho
Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador RENAST   criada através da  Portaria n.º 1679/GM  em 19 de setembro de 2002 Dispõe sobre a estruturação da rede nacional de  atenção integral à saúde do trabalhador no SUS e dá outras providências.   
Renast – Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador Base Legal ( artigos 198 e 200 da CF), Lei 8.080/90, Portaria GM/MS 1.679 de 20 de setembro de 2002 que instituiu a Renast; Portaria GM/MS 777/04 – estabelece a notificação compulsória dos agravos à Saúde do Trabalhador; Portaria GM/MS 1.172/04 – aplicação da NOB-SUS sobre vigilância em saúde; Portaria  GM 2.023/04 – define responsabilidade dos Municípios e do DF; Portaria GM 2.437/05  – ampliação e fortalecimento da Renast.
Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador A  RENAST  é uma rede desenvolvida de forma articulada entre o  Ministério da Saúde   e as  Secretarias de Saúde   dos Estados,  do Distrito Federal  e  dos Municípios.  Tem como objetivo articular, no âmbito do SUS, ações de  prevenção,  promoção  e  recuperação  da saúde dos trabalhadores urbanos e rurais, independentemente  do vínculo empregatício e  tipo de inserção no mercado de trabalho.
Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador CEREST -  Centro Estadual de Referência  em Saúde do Trabalhador O CEREST-DF foi habilitado em dezembro de 2003 através da Portaria nº 387 Estão previstos 2 CERESTs Regionais para o Distrito Federal conforme dispõe a  Portaria n° 2.437/GM de 7 de dezembro de 2005.
Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador O funcionamento do  CEREST-DF  na Diretoria de  Saúde do Trabalhador do Distrito Federal – DISAT - foi estabelecido pela Portaria SES-DF nº. 08 de  07/03/2006  que,  em seu artigo 1º, determina  “ habilitar, na DISAT, o  funcionamento do CEREST-DF”   e, no artigo 2º, define que  “ o CEREST/DF será coordenado pelo Diretor de Saúde do Trabalhador”.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  Portaria 777/GM de 28 abril 2004 Dispõe sobre os procedimentos técnicos para a notificação compulsória de agravos à saúde do trabalhador em rede de serviços sentinela específica, no Sistema Único de Saúde (SUS) Determina como  instrumento  de notificação compulsória a ficha do  SINAN Sistema de Informação de Agravos de Notificação
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  Portaria  GM/MS nº.  777 de 28 de abril de 2004   I - Acidente de Trabalho Fatal II - Acidentes de Trabalho com Mutilações III - Acidente com Exposição a Material Biológico IV - Acidentes do Trabalho em Crianças e Adolescentes V - Dermatoses Ocupacionais VI - Intoxicações Exógenas (por substâncias químicas, incluindo agrotóxicos, gases tóxicos e metais pesados) VII - Lesões por Esforços Repetitivos (LER), Distúrbios Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (DORT) VIII – Pneumoconioses IX - Perda Auditiva Induzida por Ruído – PAIR X - Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho XI - Câncer Relacionado ao Trabalho.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTE  DE  TRABALHO  GRAVE São considerados acidentes de trabalho aqueles que ocorram no exercício da atividade laboral, ou no percurso de casa para o trabalho e vice-versa (acidentes de trajeto), podendo o trabalhador estar inserido tanto no mercado formal quanto no informal de trabalho. São considerados Acidentes de Trabalho Graves aqueles que resultam em morte, aqueles que resultam em mutilações e aqueles que acontecem com menores de dezoito anos.
Acidente de Trabalho com Mutilações É quando o acidente ocasiona lesão  ( politraumatismos, amputações, esmagamentos, traumatismos cranio-encafálico, fratura de coluna, lesão de medula espinhal, traumas com lesões viscerais, asfixia, queimaduras, perda da consciência e aborto) que resulte em internações hospitalar ou poderá levar á redução temporária ou permanente da capacidade para o trabalho.
Acidente de Trabalho Fatal É quando o acidente resulta em óbito imediatamente ou até 12 horas do acidente
Acidente de Trabalho com Crianças e Adolescentes É quando o acidente acontece com menores de 18 anos.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTE  COM  MATERIAL  BIOLÓGICO Acidentes envolvendo sangue e outros fluidos orgânicos ocorridos com profissionais da área da saúde durante o desenvolvimento do seu trabalho, onde os mesmos estão expostos a materiais potencialmente contaminados. Os ferimentos com agulhas e material pérfuro-cortante  em geral são considerados extremamente perigosos por serem potencialmente capazes de transmitir mais de 20 tipos de patógenos diferentes, sendo o vírus da Imunodeficiência humana (HIV), o da hepatite B e o da hepatite C (HCV)  os agentes infecciosos mais comumente envolvidos.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO DERMATOSES OCUPACIONAIS Compreendem as alterações da pele, mucosas ou anexos, direta ou indiretamente causadas, mantidas ou agravadas pelo trabalho, podendo estar relacionadas com  substâncias químicas, agentes  biológicos ou físicos.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO INTOXICAÇÕES  EXÓGENAS Caso suspeito: todo aquele indivíduo que, tendo sido exposto a substâncias químicas (agrotóxicos, medicamentos, produtos de uso doméstico, cosméticos e higiene pessoal, produtos químicos de uso industrial, drogas, plantas e alimentos e bebidas), apresente sinais e sintomas clínicos de intoxicação e/ou alterações laboratoriais provavelmente ou possivelmente compatíveis.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO LER/DORT LESÕES  POR  ESFORÇOS  REPETITIVOS DISTÚRBIOS  OSTEOMUSCULARES  RELACIONADOS  AO  TRABALHO É uma síndrome clínica que afeta o sistema músculo-esquelético em geral, caracterizada pela ocorrência de vários sintomas concomitantes ou não, de aparecimento insidioso, tais como dor crônica, parestesia, fadiga muscular, manifestando-se principalmente no pescoço, cintura escapular e/ou membros superiores. Acontece em decorrência das relações e da organização do trabalho, onde as atividades são realizadas com movimentos repetitivos, com posturas inadequadas, trabalho muscular estático e outras condições inadequadas.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA    DEFINIÇÃO DE CASO PNEUMOCONIOSES Conjunto de doenças pulmonares causadas pelo acúmulo de poeira nos pulmões e reação tissular à presença dessas poeiras, presentes no ambiente de trabalho. Podem abranger os seguintes grupos: a)  Pneumoconiose causada pela inalação de poeiras contendo sílica livre cristalina. b)  Pneumoconiose dos trabalhadores do carvão:  causada pela inalação de poeiras de carvão mineral. c)  Asbestose:  causada pela inalação de fibras de asbesto ou amianto. d)  Pneumoconiose devido a outras poeiras inorgânicas:  beriliose (exposição ao berílio); siderose (exposição a fumos de óxido de ferro) e estanhose (exposição a estanho). e)  Pneumoconiose por poeiras mistas:  englobam pneumocinioses com padrões radiológicos diferentes, de capacidades regulares e irregulares, devidas à inalação de poeiras de diversos tipos de minerais, com significativo grau de contaminação por sílica livre, porém sem apresentar o substrato anátomopatológico típico de silicose.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO PAIR PERDA  AUDITIVA  INDUZIDA  POR  RUÍDO É a diminuição gradual da acuidade auditiva, decorrente da exposição continuada a níveis elevados de ruído  no ambiente de trabalho. É sempre neurossensorial, irreversível e passível de não progressão uma vez cessada a exposição ao ruído.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO TRANSTORNOS  MENTAIS RELACIONADOS  AO  TRABALHO Transtornos mentais e do comportamento  relacionados ao trabalho são aqueles resultantes de  situações do processo de trabalho, provenientes de  fatores pontuais como exposição à determinados  agentes tóxicos, até a completa articulação de fatores  relativos á organização do trabalho, como a divisão  e parcelamento das tarefas, as políticas de  gerenciamento das pessoas, assédio moral no trabalho  e a estrutura hierárquica organizacional.  Transtornos mentais e do comportamento,  para uso deste instrumento, serão considerados  os estados de estresses pós-traumáticos  decorrentes do trabalho (CID F 43.1).
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO É todo câncer que surgiu como conseqüência da exposição a agentes carcinogênicos presentes no ambiente de trabalho, mesmo após a cessação da exposição. Para uso deste instrumento, serão considerados casos confirmados, como eventos sentinelas, entre outros, aqueles que resultarem em  leucemia por exposição ao benzeno  CID C 91 e C 95,  mesotelioma por amianto CID C 45  e angiossarcoma hepático por  exposição a cloreto de vinila CID 22.3.
Sistema de Notificação - Sinan Sistema de informação de  agravos de notificação; Implantado de forma gradual e heterogênea a partir de 1993; Portaria Funasa/Cenepi 073/98 – implantação nacional; Permite a realização de um diagnóstico dinâmico da ocorrência de um evento na população podendo fornecer subsídios para explicações causais dos agravos, além de vir a indicar riscos aos quais pessoas estão sujeitas, contribuindo assim, para a identificação da realidade epidemiológica de determinada área geográfica.
Por Que Uma Estrutura Diferenciada para Atender o Trabalhador? A estrutura de saúde decorrente do processo produtivo, deve extrapolar o ambiente de um serviço de saúde tradicional e exige o desenvolvimento de uma cultura na sociedade e nos Serviços de Saúde, na área de Segurança, na Previdência Social, no Ministério do Trabalho, no Ministério Público, na Vigilância Sanitária e Ambiental, entre outros. Dessa forma, a Rede RENAST deve produzir seus serviços, sem jamais substituir a rede de serviços do SUS.  Não são pontos de entrada do sistema, e sim a retaguarda técnica das ações de saúde do Trabalhador.
Querer é Poder e Ousar é Fazer, com a Ajuda de Todos Conseguiremos Tornar o Distrito Federal Referência em Notificação  pois: Notificar é Preciso.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  Portaria 777/GM de 28 abril 2004 Dispõe sobre os procedimentos técnicos para a notificação compulsória de agravos à saúde do trabalhador em rede de serviços sentinela específica, no Sistema Único de Saúde (SUS) Determina como  instrumento  de notificação compulsória a ficha do  SINAN Sistema de Informação de Agravos de Notificação
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  Portaria  GM/MS nº.  777 de 28 de abril de 2004 I - Acidente de Trabalho Fatal II - Acidentes de Trabalho com Mutilações III - Acidente com Exposição a Material Biológico IV - Acidentes do Trabalho em Crianças e Adolescentes V - Dermatoses Ocupacionais VI - Intoxicações Exógenas (por substâncias químicas, incluindo agrotóxicos, gases tóxicos e metais pesados) VII - Lesões por Esforços Repetitivos (LER), Distúrbios Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (DORT) VIII – Pneumoconioses IX - Perda Auditiva Induzida por Ruído – PAIR X - Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho XI - Câncer Relacionado ao Trabalho.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTE  DE  TRABALHO  GRAVE São considerados acidentes de trabalho aqueles que ocorram no exercício da atividade laboral, ou no percurso de casa para o trabalho e vice-versa (acidentes de trajeto), podendo o trabalhador estar inserido tanto no mercado formal quanto no informal de trabalho. São considerados Acidentes de Trabalho Graves aqueles que resultam em morte, aqueles que resultam em mutilações e aqueles que acontecem com menores de dezoito anos. *Acidente de trabalho fatal:  é quando o acidente resulta em óbito imediatamente ou até 12 horas após sua ocorrência. *Acidentes de trabalho com mutilações:  é quando o acidente ocasiona lesão (poli traumatismos, amputações, esmagamentos, traumatismo crânio-encefálico, fratura da coluna, lesão de medula espinhal, trauma com lesões viscerais, eletrocussão, asfixia, queimaduras, perda de consciência e aborto) que resulte em internação hospitalar, a qual poderá levar à redução temporária ou permanente da capacidade para o trabalho. *Acidentes do trabalho em crianças e adolescentes:  é quando o acidente de trabalho acontece com pessoas menores de dezoito anos.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTE  COM  MATERIAL  BIOLÓGICO Acidentes envolvendo sangue e outros fluidos orgânicos ocorridos com profissionais da área da saúde durante o desenvolvimento do seu trabalho, onde os mesmos estão expostos a materiais potencialmente contaminados. Os ferimentos com agulhas e material pérfuro-cortante  em geral são considerados extremamente perigosos por serem potencialmente capazes de transmitir mais de 20 tipos de patógenos diferentes, sendo o vírus da Imunodeficiência humana (HIV), o da hepatite B e o da hepatite C (HCV)  os agentes infecciosos mais comumente envolvidos.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO DERMATOSES OCUPACIONAIS Compreendem as alterações da pele, mucosas ou anexos, direta ou indiretamente causadas, mantidas ou agravadas pelo trabalho, podendo estar relacionadas com  substâncias químicas, agentes  biológicos ou físicos.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO INTOXICAÇÕES  EXÓGENAS Caso suspeito: todo aquele indivíduo que, tendo sido exposto a substâncias químicas (agrotóxicos, medicamentos, produtos de uso doméstico, cosméticos e higiene pessoal, produtos químicos de uso industrial, drogas, plantas e alimentos e bebidas), apresente sinais e sintomas clínicos de intoxicação e/ou alterações laboratoriais provavelmente ou possivelmente compatíveis.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO LER/DORT LESÕES  POR  ESFORÇOS  REPETITIVOS DISTÚRBIOS  OSTEOMUSCULARES  RELACIONADOS  AO  TRABALHO É uma síndrome clínica que afeta o sistema músculo-esquelético em geral, caracterizada pela ocorrência de vários sintomas concomitantes ou não, de aparecimento insidioso, tais como dor crônica, parestesia, fadiga muscular, manifestando-se principalmente no pescoço, cintura escapular e/ou membros superiores. Acontece em decorrência das relações e da organização do trabalho, onde as atividades são realizadas com movimentos repetitivos, com posturas inadequadas, trabalho muscular estático e outras condições inadequadas.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA    DEFINIÇÃO DE CASO PNEUMOCONIOSES Conjunto de doenças pulmonares causadas pelo acúmulo de poeira nos pulmões e reação tissular à presença dessas poeiras, presentes no ambiente de trabalho. Podem abranger os seguintes grupos: a)  Pneumoconiose causada pela inalação de poeiras contendo sílica livre cristalina. b)  Pneumoconiose dos trabalhadores do carvão:  causada pela inalação de poeiras de carvão mineral. c)  Asbestose:  causada pela inalação de fibras de asbesto ou amianto. d)  Pneumoconiose devido a outras poeiras inorgânicas:  beriliose (exposição ao berílio); siderose (exposição a fumos de óxido de ferro) e estanhose (exposição a estanho). e)  Pneumoconiose por poeiras mistas:  englobam pneumocinioses com padrões radiológicos diferentes, de capacidades regulares e irregulares, devidas à inalação de poeiras de diversos tipos de minerais, com significativo grau de contaminação por sílica livre, porém sem apresentar o substrato anátomopatológico típico de silicose.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO PAIR PERDA  AUDITIVA  INDUZIDA  POR  RUÍDO É a diminuição gradual da acuidade auditiva, decorrente da exposição continuada a níveis elevados de ruído  no ambiente de trabalho. É sempre neurossensorial, irreversível e passível de não progressão uma vez cessada a exposição ao ruído.
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO TRANSTORNOS  MENTAIS RELACIONADOS  AO  TRABALHO Transtornos mentais e do comportamento  relacionados ao trabalho são aqueles resultantes de  situações do processo de trabalho, provenientes de  fatores pontuais como exposição à determinados  agentes tóxicos, até a completa articulação de fatores  relativos á organização do trabalho, como a divisão  e parcelamento das tarefas, as políticas de  gerenciamento das pessoas, assédio moral no trabalho  e a estrutura hierárquica organizacional.  Transtornos mentais e do comportamento,  para uso deste instrumento, serão considerados  os estados de estresses pós-traumáticos  decorrentes do trabalho (CID F 43.1).
AGRAVOS  DE  NOTIFICAÇÃO  COMPULSÓRIA  DEFINIÇÃO DE CASO CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO É todo câncer que surgiu como conseqüência da exposição a agentes carcinogênicos presentes no ambiente de trabalho, mesmo após a cessação da exposição. Para uso deste instrumento, serão considerados casos confirmados, como eventos sentinelas, entre outros, aqueles que resultarem em  leucemia por exposição ao benzeno  CID C 91 e C 95,  mesotelioma por amianto CID C 45  e angiossarcoma hepático por  exposição a cloreto de vinila CID 22.3.
CÂNCER DA PELE Cerca de 60.000 pessoas morrem  anualmente no mundo em decorrência de  câncer da pele causado por excesso  de exposição solar, segundo estudo recente da Organização Mundial de Saúde. Das 60.000 mortes,  48.000 são causadas por melanomas e 12.000 por outros tipos de câncer da pele.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

perfil profissiografico previdenciario
perfil profissiografico previdenciarioperfil profissiografico previdenciario
perfil profissiografico previdenciario
Wanessa Macedo
 
Curso ppp
Curso pppCurso ppp
Curso ppp
Nilton Goulart
 
Doenças ocupacionais
Doenças ocupacionaisDoenças ocupacionais
Doenças ocupacionais
Tiago Malta
 
Decreto estadual nº 40222 2000 sist
Decreto estadual nº 40222 2000 sistDecreto estadual nº 40222 2000 sist
Decreto estadual nº 40222 2000 sist
Braulio Salvador
 
Saúde do Trabalhador e Atenção Básica
Saúde do Trabalhador e Atenção BásicaSaúde do Trabalhador e Atenção Básica
Saúde do Trabalhador e Atenção Básica
Professor Robson
 
Nr 7 comentada
Nr 7 comentadaNr 7 comentada
Nr 7 comentada
stoc3214
 
Doença do trabalho e profissional
Doença do trabalho e profissionalDoença do trabalho e profissional
Doença do trabalho e profissional
Márcia Cristina
 
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionaisMódulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Marcio Claro de Oliveira
 
Saúde Ocupacional
Saúde  OcupacionalSaúde  Ocupacional
Saúde do trabalhador et sus
Saúde do trabalhador et susSaúde do trabalhador et sus
Saúde do trabalhador et sus
MARY SOUSA
 
Aula 3 doenças ocupacionais
Aula 3   doenças ocupacionaisAula 3   doenças ocupacionais
Aula 3 doenças ocupacionais
Daniel Moura
 
Saude Ocupacional - Doenças Profissionais
Saude Ocupacional - Doenças ProfissionaisSaude Ocupacional - Doenças Profissionais
Saude Ocupacional - Doenças Profissionais
Helena Rocha
 
promoçâo a saúde do trabalhador
 promoçâo a saúde do trabalhador promoçâo a saúde do trabalhador
promoçâo a saúde do trabalhador
Joao Kleber Capistana Farias
 
Modelo de pcmso
Modelo de pcmsoModelo de pcmso
Modelo de pcmso
Tersio Gorrasi
 
Curso ppp
Curso pppCurso ppp
Curso ppp
Gleuciane Rocha
 
01 130818192745-phpapp02
01 130818192745-phpapp0201 130818192745-phpapp02
01 130818192745-phpapp02
Carlos Moreira
 
Política nacional-de-saúde-do-trabalhador-e-da-trabalhadora
Política nacional-de-saúde-do-trabalhador-e-da-trabalhadoraPolítica nacional-de-saúde-do-trabalhador-e-da-trabalhadora
Política nacional-de-saúde-do-trabalhador-e-da-trabalhadora
pauloandrey333
 
Pcmso Modelo
Pcmso    ModeloPcmso    Modelo
Pcmso Modelo
Karol Oliveira
 
01. Saúde e Segurança no Trabalho:Introdução
01. Saúde e Segurança no Trabalho:Introdução01. Saúde e Segurança no Trabalho:Introdução
01. Saúde e Segurança no Trabalho:Introdução
Debora Miceli
 

Mais procurados (19)

perfil profissiografico previdenciario
perfil profissiografico previdenciarioperfil profissiografico previdenciario
perfil profissiografico previdenciario
 
Curso ppp
Curso pppCurso ppp
Curso ppp
 
Doenças ocupacionais
Doenças ocupacionaisDoenças ocupacionais
Doenças ocupacionais
 
Decreto estadual nº 40222 2000 sist
Decreto estadual nº 40222 2000 sistDecreto estadual nº 40222 2000 sist
Decreto estadual nº 40222 2000 sist
 
Saúde do Trabalhador e Atenção Básica
Saúde do Trabalhador e Atenção BásicaSaúde do Trabalhador e Atenção Básica
Saúde do Trabalhador e Atenção Básica
 
Nr 7 comentada
Nr 7 comentadaNr 7 comentada
Nr 7 comentada
 
Doença do trabalho e profissional
Doença do trabalho e profissionalDoença do trabalho e profissional
Doença do trabalho e profissional
 
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionaisMódulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
Módulo saúde do trabalhador doenças ocupacionais
 
Saúde Ocupacional
Saúde  OcupacionalSaúde  Ocupacional
Saúde Ocupacional
 
Saúde do trabalhador et sus
Saúde do trabalhador et susSaúde do trabalhador et sus
Saúde do trabalhador et sus
 
Aula 3 doenças ocupacionais
Aula 3   doenças ocupacionaisAula 3   doenças ocupacionais
Aula 3 doenças ocupacionais
 
Saude Ocupacional - Doenças Profissionais
Saude Ocupacional - Doenças ProfissionaisSaude Ocupacional - Doenças Profissionais
Saude Ocupacional - Doenças Profissionais
 
promoçâo a saúde do trabalhador
 promoçâo a saúde do trabalhador promoçâo a saúde do trabalhador
promoçâo a saúde do trabalhador
 
Modelo de pcmso
Modelo de pcmsoModelo de pcmso
Modelo de pcmso
 
Curso ppp
Curso pppCurso ppp
Curso ppp
 
01 130818192745-phpapp02
01 130818192745-phpapp0201 130818192745-phpapp02
01 130818192745-phpapp02
 
Política nacional-de-saúde-do-trabalhador-e-da-trabalhadora
Política nacional-de-saúde-do-trabalhador-e-da-trabalhadoraPolítica nacional-de-saúde-do-trabalhador-e-da-trabalhadora
Política nacional-de-saúde-do-trabalhador-e-da-trabalhadora
 
Pcmso Modelo
Pcmso    ModeloPcmso    Modelo
Pcmso Modelo
 
01. Saúde e Segurança no Trabalho:Introdução
01. Saúde e Segurança no Trabalho:Introdução01. Saúde e Segurança no Trabalho:Introdução
01. Saúde e Segurança no Trabalho:Introdução
 

Destaque

Boletim informativo janeiro 2012
Boletim informativo janeiro 2012Boletim informativo janeiro 2012
Boletim informativo janeiro 2012
fespiritacrista
 
Botten, de theorie
Botten, de theorieBotten, de theorie
Botten, de theorie
Jasper Vreugdenhil
 
Instituto federal de_educa_o_ciencia_e_tecnologia_do
Instituto federal de_educa_o_ciencia_e_tecnologia_doInstituto federal de_educa_o_ciencia_e_tecnologia_do
Instituto federal de_educa_o_ciencia_e_tecnologia_do
Josefa Medeiros
 
Caixas de Madeira: um estudo da imagem fotográfica no acervo Ramos de Azevedo
Caixas de Madeira: um estudo da imagem fotográfica no acervo Ramos de AzevedoCaixas de Madeira: um estudo da imagem fotográfica no acervo Ramos de Azevedo
Caixas de Madeira: um estudo da imagem fotográfica no acervo Ramos de Azevedo
victorbuck
 
Mejorando la educacion power point (1)
Mejorando  la educacion power point (1)Mejorando  la educacion power point (1)
Mejorando la educacion power point (1)
cecyelizabeth11
 
Ptg
PtgPtg
Presentacion
PresentacionPresentacion
Presentacion
Trstn
 
Menafsirkan Gagasan Tan Malaka dalam Pendidikan Matematika final
Menafsirkan Gagasan Tan Malaka dalam Pendidikan Matematika   finalMenafsirkan Gagasan Tan Malaka dalam Pendidikan Matematika   final
Menafsirkan Gagasan Tan Malaka dalam Pendidikan Matematika final
Iwan Pranoto
 
P28 hidratos de carbono
P28 hidratos de carbonoP28 hidratos de carbono
P28 hidratos de carbono
DavidSPZGZ
 
Caro
CaroCaro
Crsitiane cultura digital
Crsitiane   cultura digitalCrsitiane   cultura digital
Crsitiane cultura digital
CristianeMendoncaMaia
 
Proceso del pisco
Proceso del piscoProceso del pisco
Proceso del pisco
Edsson Ochoa Lobox
 
Προτεινόμενες εργαστηριακές ασκήσεις λυκείου
Προτεινόμενες εργαστηριακές ασκήσεις λυκείουΠροτεινόμενες εργαστηριακές ασκήσεις λυκείου
Προτεινόμενες εργαστηριακές ασκήσεις λυκείου
charalampatou
 
Prophix Explainer: Visual Analytics
Prophix Explainer: Visual AnalyticsProphix Explainer: Visual Analytics
Prophix Explainer: Visual Analytics
Prophix Software
 
FinalReport
FinalReportFinalReport
FinalReport
Omar Xacur
 
Trinity Daily 28th Oct, 2016
Trinity Daily 28th Oct, 2016Trinity Daily 28th Oct, 2016
Trinity Daily 28th Oct, 2016
Arun Surendran
 
Trabalho final
Trabalho finalTrabalho final
Trabalho final
Magdalag
 
Harnessing the Crowd: Framing a Research Agenda
Harnessing the Crowd: Framing a Research AgendaHarnessing the Crowd: Framing a Research Agenda
Harnessing the Crowd: Framing a Research Agenda
Enda Donlon
 
EVC LAURA LOPEZ MALDONADO
EVC LAURA LOPEZ MALDONADOEVC LAURA LOPEZ MALDONADO
EVC LAURA LOPEZ MALDONADO
Laura Lopez Maldonado
 
Caderno de anotações
Caderno de anotaçõesCaderno de anotações
Caderno de anotações
cristimoraes23
 

Destaque (20)

Boletim informativo janeiro 2012
Boletim informativo janeiro 2012Boletim informativo janeiro 2012
Boletim informativo janeiro 2012
 
Botten, de theorie
Botten, de theorieBotten, de theorie
Botten, de theorie
 
Instituto federal de_educa_o_ciencia_e_tecnologia_do
Instituto federal de_educa_o_ciencia_e_tecnologia_doInstituto federal de_educa_o_ciencia_e_tecnologia_do
Instituto federal de_educa_o_ciencia_e_tecnologia_do
 
Caixas de Madeira: um estudo da imagem fotográfica no acervo Ramos de Azevedo
Caixas de Madeira: um estudo da imagem fotográfica no acervo Ramos de AzevedoCaixas de Madeira: um estudo da imagem fotográfica no acervo Ramos de Azevedo
Caixas de Madeira: um estudo da imagem fotográfica no acervo Ramos de Azevedo
 
Mejorando la educacion power point (1)
Mejorando  la educacion power point (1)Mejorando  la educacion power point (1)
Mejorando la educacion power point (1)
 
Ptg
PtgPtg
Ptg
 
Presentacion
PresentacionPresentacion
Presentacion
 
Menafsirkan Gagasan Tan Malaka dalam Pendidikan Matematika final
Menafsirkan Gagasan Tan Malaka dalam Pendidikan Matematika   finalMenafsirkan Gagasan Tan Malaka dalam Pendidikan Matematika   final
Menafsirkan Gagasan Tan Malaka dalam Pendidikan Matematika final
 
P28 hidratos de carbono
P28 hidratos de carbonoP28 hidratos de carbono
P28 hidratos de carbono
 
Caro
CaroCaro
Caro
 
Crsitiane cultura digital
Crsitiane   cultura digitalCrsitiane   cultura digital
Crsitiane cultura digital
 
Proceso del pisco
Proceso del piscoProceso del pisco
Proceso del pisco
 
Προτεινόμενες εργαστηριακές ασκήσεις λυκείου
Προτεινόμενες εργαστηριακές ασκήσεις λυκείουΠροτεινόμενες εργαστηριακές ασκήσεις λυκείου
Προτεινόμενες εργαστηριακές ασκήσεις λυκείου
 
Prophix Explainer: Visual Analytics
Prophix Explainer: Visual AnalyticsProphix Explainer: Visual Analytics
Prophix Explainer: Visual Analytics
 
FinalReport
FinalReportFinalReport
FinalReport
 
Trinity Daily 28th Oct, 2016
Trinity Daily 28th Oct, 2016Trinity Daily 28th Oct, 2016
Trinity Daily 28th Oct, 2016
 
Trabalho final
Trabalho finalTrabalho final
Trabalho final
 
Harnessing the Crowd: Framing a Research Agenda
Harnessing the Crowd: Framing a Research AgendaHarnessing the Crowd: Framing a Research Agenda
Harnessing the Crowd: Framing a Research Agenda
 
EVC LAURA LOPEZ MALDONADO
EVC LAURA LOPEZ MALDONADOEVC LAURA LOPEZ MALDONADO
EVC LAURA LOPEZ MALDONADO
 
Caderno de anotações
Caderno de anotaçõesCaderno de anotações
Caderno de anotações
 

Semelhante a 5555555555555

Renast 120108125421-phpapp01
Renast 120108125421-phpapp01Renast 120108125421-phpapp01
Renast 120108125421-phpapp01
Mairim Nascimento
 
SINAN e ADRT
SINAN e ADRTSINAN e ADRT
SINAN e ADRT
nutecs
 
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normasPoliticas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
pamcolbano
 
Risco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Risco saude trabalhadores_expostos_benzenoRisco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Risco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Luana Alves
 
Ppraimc modificado
Ppraimc modificadoPpraimc modificado
Ppraimc modificado
Nestor Neto
 
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptxCOMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
Sandraoliveira116913
 
acidentes_trabalho na unidades basicas de saude.pdf
acidentes_trabalho na unidades basicas de saude.pdfacidentes_trabalho na unidades basicas de saude.pdf
acidentes_trabalho na unidades basicas de saude.pdf
AnielleAlvesMarchesi
 
Aula fatores de_risco
Aula fatores de_riscoAula fatores de_risco
Aula fatores de_risco
pamcolbano
 
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdfapresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
EnfaVivianeCampos
 
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptxSAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
LucasDaher2
 
Aula agentes causais fatores de_risco
Aula agentes causais fatores de_riscoAula agentes causais fatores de_risco
Aula agentes causais fatores de_risco
pamcolbano
 
Apresentação aula sobre nr32 em biossegurança ceeps
Apresentação aula sobre  nr32 em biossegurança  ceepsApresentação aula sobre  nr32 em biossegurança  ceeps
Apresentação aula sobre nr32 em biossegurança ceeps
Jose Maciel Dos Anjos
 
regis-vigilnciasanitria3-141101082334-conversion-gate01.pptx
regis-vigilnciasanitria3-141101082334-conversion-gate01.pptxregis-vigilnciasanitria3-141101082334-conversion-gate01.pptx
regis-vigilnciasanitria3-141101082334-conversion-gate01.pptx
Lucas Emanuel
 
Nr4comentada 110929202853-phpapp02
Nr4comentada 110929202853-phpapp02Nr4comentada 110929202853-phpapp02
Nr4comentada 110929202853-phpapp02
Marcio Luiz DA Silva
 
Apresentação ACS.ppt......................
Apresentação ACS.ppt......................Apresentação ACS.ppt......................
Apresentação ACS.ppt......................
AlbaCristina10
 
VIGILANCIA EM SAUDE E SANITARIA.pdf
VIGILANCIA EM SAUDE E SANITARIA.pdfVIGILANCIA EM SAUDE E SANITARIA.pdf
VIGILANCIA EM SAUDE E SANITARIA.pdf
ProfYasminBlanco
 
Protocolo dermatoses
Protocolo dermatosesProtocolo dermatoses
Protocolo dermatoses
Cosmo Palasio
 
1444150998MASS.pdf
1444150998MASS.pdf1444150998MASS.pdf
1444150998MASS.pdf
ssuser4f35ee1
 
Aula 1 - INTRODUCAO A SEGURANCA DO TRABALHO - CONCEITOS E DEFINICOES x (1).pdf
Aula 1  - INTRODUCAO A SEGURANCA DO TRABALHO - CONCEITOS E DEFINICOES x (1).pdfAula 1  - INTRODUCAO A SEGURANCA DO TRABALHO - CONCEITOS E DEFINICOES x (1).pdf
Aula 1 - INTRODUCAO A SEGURANCA DO TRABALHO - CONCEITOS E DEFINICOES x (1).pdf
LuciaGuiomarBasto
 
1 introdução
1 introdução1 introdução
1 introdução
Claudio Silva
 

Semelhante a 5555555555555 (20)

Renast 120108125421-phpapp01
Renast 120108125421-phpapp01Renast 120108125421-phpapp01
Renast 120108125421-phpapp01
 
SINAN e ADRT
SINAN e ADRTSINAN e ADRT
SINAN e ADRT
 
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normasPoliticas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
Politicas publicas em_saude_do_trabalhador_e_normas
 
Risco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Risco saude trabalhadores_expostos_benzenoRisco saude trabalhadores_expostos_benzeno
Risco saude trabalhadores_expostos_benzeno
 
Ppraimc modificado
Ppraimc modificadoPpraimc modificado
Ppraimc modificado
 
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptxCOMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
COMPLETA _Doença Profissional e Doença do Trabalho - Copia.pptx
 
acidentes_trabalho na unidades basicas de saude.pdf
acidentes_trabalho na unidades basicas de saude.pdfacidentes_trabalho na unidades basicas de saude.pdf
acidentes_trabalho na unidades basicas de saude.pdf
 
Aula fatores de_risco
Aula fatores de_riscoAula fatores de_risco
Aula fatores de_risco
 
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdfapresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
 
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptxSAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
SAÚDE DO TRABALHADOR.pptx
 
Aula agentes causais fatores de_risco
Aula agentes causais fatores de_riscoAula agentes causais fatores de_risco
Aula agentes causais fatores de_risco
 
Apresentação aula sobre nr32 em biossegurança ceeps
Apresentação aula sobre  nr32 em biossegurança  ceepsApresentação aula sobre  nr32 em biossegurança  ceeps
Apresentação aula sobre nr32 em biossegurança ceeps
 
regis-vigilnciasanitria3-141101082334-conversion-gate01.pptx
regis-vigilnciasanitria3-141101082334-conversion-gate01.pptxregis-vigilnciasanitria3-141101082334-conversion-gate01.pptx
regis-vigilnciasanitria3-141101082334-conversion-gate01.pptx
 
Nr4comentada 110929202853-phpapp02
Nr4comentada 110929202853-phpapp02Nr4comentada 110929202853-phpapp02
Nr4comentada 110929202853-phpapp02
 
Apresentação ACS.ppt......................
Apresentação ACS.ppt......................Apresentação ACS.ppt......................
Apresentação ACS.ppt......................
 
VIGILANCIA EM SAUDE E SANITARIA.pdf
VIGILANCIA EM SAUDE E SANITARIA.pdfVIGILANCIA EM SAUDE E SANITARIA.pdf
VIGILANCIA EM SAUDE E SANITARIA.pdf
 
Protocolo dermatoses
Protocolo dermatosesProtocolo dermatoses
Protocolo dermatoses
 
1444150998MASS.pdf
1444150998MASS.pdf1444150998MASS.pdf
1444150998MASS.pdf
 
Aula 1 - INTRODUCAO A SEGURANCA DO TRABALHO - CONCEITOS E DEFINICOES x (1).pdf
Aula 1  - INTRODUCAO A SEGURANCA DO TRABALHO - CONCEITOS E DEFINICOES x (1).pdfAula 1  - INTRODUCAO A SEGURANCA DO TRABALHO - CONCEITOS E DEFINICOES x (1).pdf
Aula 1 - INTRODUCAO A SEGURANCA DO TRABALHO - CONCEITOS E DEFINICOES x (1).pdf
 
1 introdução
1 introdução1 introdução
1 introdução
 

Mais de Curso Atryo

Redacao oficial
Redacao oficialRedacao oficial
Redacao oficial
Curso Atryo
 
Sus
SusSus
Ler dort ppt perícia
Ler dort ppt períciaLer dort ppt perícia
Ler dort ppt perícia
Curso Atryo
 
2 cuide seus_olhos
2 cuide seus_olhos2 cuide seus_olhos
2 cuide seus_olhos
Curso Atryo
 
Apostila de sus do professor juremir abrunhosa
Apostila de sus do professor  juremir abrunhosaApostila de sus do professor  juremir abrunhosa
Apostila de sus do professor juremir abrunhosa
Curso Atryo
 
PROJETO CURSO ATRYO QUALIFICARE - CURSO DE EXTENSÃO
PROJETO CURSO ATRYO QUALIFICARE - CURSO DE EXTENSÃOPROJETO CURSO ATRYO QUALIFICARE - CURSO DE EXTENSÃO
PROJETO CURSO ATRYO QUALIFICARE - CURSO DE EXTENSÃO
Curso Atryo
 
Módulo língua portuguesa 1
Módulo língua portuguesa 1Módulo língua portuguesa 1
Módulo língua portuguesa 1
Curso Atryo
 
Dilvo ristoff1
Dilvo ristoff1Dilvo ristoff1
Dilvo ristoff1
Curso Atryo
 
Adriano
AdrianoAdriano
Adriano
Curso Atryo
 
Powerpoint aula medicos peritos
Powerpoint aula medicos peritosPowerpoint aula medicos peritos
Powerpoint aula medicos peritos
Curso Atryo
 
Renasts
RenastsRenasts
Renasts
Curso Atryo
 
Epidemiologia 1
Epidemiologia 1Epidemiologia 1
Epidemiologia 1
Curso Atryo
 

Mais de Curso Atryo (13)

Redacao oficial
Redacao oficialRedacao oficial
Redacao oficial
 
Sus
SusSus
Sus
 
Ler dort ppt perícia
Ler dort ppt períciaLer dort ppt perícia
Ler dort ppt perícia
 
2 cuide seus_olhos
2 cuide seus_olhos2 cuide seus_olhos
2 cuide seus_olhos
 
Apostila de sus do professor juremir abrunhosa
Apostila de sus do professor  juremir abrunhosaApostila de sus do professor  juremir abrunhosa
Apostila de sus do professor juremir abrunhosa
 
PROJETO CURSO ATRYO QUALIFICARE - CURSO DE EXTENSÃO
PROJETO CURSO ATRYO QUALIFICARE - CURSO DE EXTENSÃOPROJETO CURSO ATRYO QUALIFICARE - CURSO DE EXTENSÃO
PROJETO CURSO ATRYO QUALIFICARE - CURSO DE EXTENSÃO
 
Módulo língua portuguesa 1
Módulo língua portuguesa 1Módulo língua portuguesa 1
Módulo língua portuguesa 1
 
Dilvo ristoff1
Dilvo ristoff1Dilvo ristoff1
Dilvo ristoff1
 
Adriano
AdrianoAdriano
Adriano
 
Powerpoint aula medicos peritos
Powerpoint aula medicos peritosPowerpoint aula medicos peritos
Powerpoint aula medicos peritos
 
Renasts
RenastsRenasts
Renasts
 
Epidemiologia 1
Epidemiologia 1Epidemiologia 1
Epidemiologia 1
 
curso atryo
curso atryocurso atryo
curso atryo
 

5555555555555

  • 1. NOTIFICAR É PRECISO DF na Rede Sentinela de Notificação de Acidentes e Agravos Relacionados ao Trabalho 28 de abril de 2008
  • 2. Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador RENAST criada através da Portaria n.º 1679/GM em 19 de setembro de 2002 Dispõe sobre a estruturação da rede nacional de atenção integral à saúde do trabalhador no SUS e dá outras providências.  
  • 3. Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador A RENAST é uma rede desenvolvida de forma articulada entre o Ministério da Saúde e as Secretarias de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. Tem como objetivo articular, no âmbito do SUS, ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde dos trabalhadores urbanos e rurais, independentemente do vínculo empregatício e tipo de inserção no mercado de trabalho.
  • 4. Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador CEREST - Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador O CEREST-DF foi habilitado em dezembro de 2003 através da Portaria nº 387 Estão previstos 2 CERESTs Regionais para o Distrito Federal conforme dispõe a Portaria n° 2.437/GM de 7 de dezembro de 2005.
  • 5. Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador O funcionamento do CEREST-DF na Diretoria de Saúde do Trabalhador do Distrito Federal – DISAT - foi estabelecido pela Portaria SES-DF nº. 08 de 07/03/2006 que, em seu artigo 1º, determina “ habilitar, na DISAT, o funcionamento do CEREST-DF” e, no artigo 2º, define que “ o CEREST/DF será coordenado pelo Diretor de Saúde do Trabalhador”.
  • 7. NOTIFICAR É PRECISO DF na Rede Sentinela de Notificação de Acidentes e Agravos Relacionados ao Trabalho
  • 8. Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador RENAST criada através da Portaria n.º 1679/GM em 19 de setembro de 2002 Dispõe sobre a estruturação da rede nacional de atenção integral à saúde do trabalhador no SUS e dá outras providências.  
  • 9. Renast – Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador Base Legal ( artigos 198 e 200 da CF), Lei 8.080/90, Portaria GM/MS 1.679 de 20 de setembro de 2002 que instituiu a Renast; Portaria GM/MS 777/04 – estabelece a notificação compulsória dos agravos à Saúde do Trabalhador; Portaria GM/MS 1.172/04 – aplicação da NOB-SUS sobre vigilância em saúde; Portaria GM 2.023/04 – define responsabilidade dos Municípios e do DF; Portaria GM 2.437/05 – ampliação e fortalecimento da Renast.
  • 10. Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador A RENAST é uma rede desenvolvida de forma articulada entre o Ministério da Saúde e as Secretarias de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. Tem como objetivo articular, no âmbito do SUS, ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde dos trabalhadores urbanos e rurais, independentemente do vínculo empregatício e tipo de inserção no mercado de trabalho.
  • 11. Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador CEREST - Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador O CEREST-DF foi habilitado em dezembro de 2003 através da Portaria nº 387 Estão previstos 2 CERESTs Regionais para o Distrito Federal conforme dispõe a Portaria n° 2.437/GM de 7 de dezembro de 2005.
  • 12. Rede Nacional de Atenção Integral à Saúde do Trabalhador Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador O funcionamento do CEREST-DF na Diretoria de Saúde do Trabalhador do Distrito Federal – DISAT - foi estabelecido pela Portaria SES-DF nº. 08 de 07/03/2006 que, em seu artigo 1º, determina “ habilitar, na DISAT, o funcionamento do CEREST-DF” e, no artigo 2º, define que “ o CEREST/DF será coordenado pelo Diretor de Saúde do Trabalhador”.
  • 13. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA Portaria 777/GM de 28 abril 2004 Dispõe sobre os procedimentos técnicos para a notificação compulsória de agravos à saúde do trabalhador em rede de serviços sentinela específica, no Sistema Único de Saúde (SUS) Determina como instrumento de notificação compulsória a ficha do SINAN Sistema de Informação de Agravos de Notificação
  • 14. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA Portaria GM/MS nº. 777 de 28 de abril de 2004 I - Acidente de Trabalho Fatal II - Acidentes de Trabalho com Mutilações III - Acidente com Exposição a Material Biológico IV - Acidentes do Trabalho em Crianças e Adolescentes V - Dermatoses Ocupacionais VI - Intoxicações Exógenas (por substâncias químicas, incluindo agrotóxicos, gases tóxicos e metais pesados) VII - Lesões por Esforços Repetitivos (LER), Distúrbios Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (DORT) VIII – Pneumoconioses IX - Perda Auditiva Induzida por Ruído – PAIR X - Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho XI - Câncer Relacionado ao Trabalho.
  • 15. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTE DE TRABALHO GRAVE São considerados acidentes de trabalho aqueles que ocorram no exercício da atividade laboral, ou no percurso de casa para o trabalho e vice-versa (acidentes de trajeto), podendo o trabalhador estar inserido tanto no mercado formal quanto no informal de trabalho. São considerados Acidentes de Trabalho Graves aqueles que resultam em morte, aqueles que resultam em mutilações e aqueles que acontecem com menores de dezoito anos.
  • 16. Acidente de Trabalho com Mutilações É quando o acidente ocasiona lesão ( politraumatismos, amputações, esmagamentos, traumatismos cranio-encafálico, fratura de coluna, lesão de medula espinhal, traumas com lesões viscerais, asfixia, queimaduras, perda da consciência e aborto) que resulte em internações hospitalar ou poderá levar á redução temporária ou permanente da capacidade para o trabalho.
  • 17. Acidente de Trabalho Fatal É quando o acidente resulta em óbito imediatamente ou até 12 horas do acidente
  • 18. Acidente de Trabalho com Crianças e Adolescentes É quando o acidente acontece com menores de 18 anos.
  • 19. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO Acidentes envolvendo sangue e outros fluidos orgânicos ocorridos com profissionais da área da saúde durante o desenvolvimento do seu trabalho, onde os mesmos estão expostos a materiais potencialmente contaminados. Os ferimentos com agulhas e material pérfuro-cortante em geral são considerados extremamente perigosos por serem potencialmente capazes de transmitir mais de 20 tipos de patógenos diferentes, sendo o vírus da Imunodeficiência humana (HIV), o da hepatite B e o da hepatite C (HCV) os agentes infecciosos mais comumente envolvidos.
  • 20. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO DERMATOSES OCUPACIONAIS Compreendem as alterações da pele, mucosas ou anexos, direta ou indiretamente causadas, mantidas ou agravadas pelo trabalho, podendo estar relacionadas com substâncias químicas, agentes biológicos ou físicos.
  • 21. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO INTOXICAÇÕES EXÓGENAS Caso suspeito: todo aquele indivíduo que, tendo sido exposto a substâncias químicas (agrotóxicos, medicamentos, produtos de uso doméstico, cosméticos e higiene pessoal, produtos químicos de uso industrial, drogas, plantas e alimentos e bebidas), apresente sinais e sintomas clínicos de intoxicação e/ou alterações laboratoriais provavelmente ou possivelmente compatíveis.
  • 22. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO LER/DORT LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO É uma síndrome clínica que afeta o sistema músculo-esquelético em geral, caracterizada pela ocorrência de vários sintomas concomitantes ou não, de aparecimento insidioso, tais como dor crônica, parestesia, fadiga muscular, manifestando-se principalmente no pescoço, cintura escapular e/ou membros superiores. Acontece em decorrência das relações e da organização do trabalho, onde as atividades são realizadas com movimentos repetitivos, com posturas inadequadas, trabalho muscular estático e outras condições inadequadas.
  • 23. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO PNEUMOCONIOSES Conjunto de doenças pulmonares causadas pelo acúmulo de poeira nos pulmões e reação tissular à presença dessas poeiras, presentes no ambiente de trabalho. Podem abranger os seguintes grupos: a) Pneumoconiose causada pela inalação de poeiras contendo sílica livre cristalina. b) Pneumoconiose dos trabalhadores do carvão: causada pela inalação de poeiras de carvão mineral. c) Asbestose: causada pela inalação de fibras de asbesto ou amianto. d) Pneumoconiose devido a outras poeiras inorgânicas: beriliose (exposição ao berílio); siderose (exposição a fumos de óxido de ferro) e estanhose (exposição a estanho). e) Pneumoconiose por poeiras mistas: englobam pneumocinioses com padrões radiológicos diferentes, de capacidades regulares e irregulares, devidas à inalação de poeiras de diversos tipos de minerais, com significativo grau de contaminação por sílica livre, porém sem apresentar o substrato anátomopatológico típico de silicose.
  • 24. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO PAIR PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUÍDO É a diminuição gradual da acuidade auditiva, decorrente da exposição continuada a níveis elevados de ruído no ambiente de trabalho. É sempre neurossensorial, irreversível e passível de não progressão uma vez cessada a exposição ao ruído.
  • 25. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS AO TRABALHO Transtornos mentais e do comportamento relacionados ao trabalho são aqueles resultantes de situações do processo de trabalho, provenientes de fatores pontuais como exposição à determinados agentes tóxicos, até a completa articulação de fatores relativos á organização do trabalho, como a divisão e parcelamento das tarefas, as políticas de gerenciamento das pessoas, assédio moral no trabalho e a estrutura hierárquica organizacional. Transtornos mentais e do comportamento, para uso deste instrumento, serão considerados os estados de estresses pós-traumáticos decorrentes do trabalho (CID F 43.1).
  • 26. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO É todo câncer que surgiu como conseqüência da exposição a agentes carcinogênicos presentes no ambiente de trabalho, mesmo após a cessação da exposição. Para uso deste instrumento, serão considerados casos confirmados, como eventos sentinelas, entre outros, aqueles que resultarem em leucemia por exposição ao benzeno CID C 91 e C 95, mesotelioma por amianto CID C 45 e angiossarcoma hepático por exposição a cloreto de vinila CID 22.3.
  • 27. Sistema de Notificação - Sinan Sistema de informação de agravos de notificação; Implantado de forma gradual e heterogênea a partir de 1993; Portaria Funasa/Cenepi 073/98 – implantação nacional; Permite a realização de um diagnóstico dinâmico da ocorrência de um evento na população podendo fornecer subsídios para explicações causais dos agravos, além de vir a indicar riscos aos quais pessoas estão sujeitas, contribuindo assim, para a identificação da realidade epidemiológica de determinada área geográfica.
  • 28. Por Que Uma Estrutura Diferenciada para Atender o Trabalhador? A estrutura de saúde decorrente do processo produtivo, deve extrapolar o ambiente de um serviço de saúde tradicional e exige o desenvolvimento de uma cultura na sociedade e nos Serviços de Saúde, na área de Segurança, na Previdência Social, no Ministério do Trabalho, no Ministério Público, na Vigilância Sanitária e Ambiental, entre outros. Dessa forma, a Rede RENAST deve produzir seus serviços, sem jamais substituir a rede de serviços do SUS. Não são pontos de entrada do sistema, e sim a retaguarda técnica das ações de saúde do Trabalhador.
  • 29. Querer é Poder e Ousar é Fazer, com a Ajuda de Todos Conseguiremos Tornar o Distrito Federal Referência em Notificação pois: Notificar é Preciso.
  • 30. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA Portaria 777/GM de 28 abril 2004 Dispõe sobre os procedimentos técnicos para a notificação compulsória de agravos à saúde do trabalhador em rede de serviços sentinela específica, no Sistema Único de Saúde (SUS) Determina como instrumento de notificação compulsória a ficha do SINAN Sistema de Informação de Agravos de Notificação
  • 31. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA Portaria GM/MS nº. 777 de 28 de abril de 2004 I - Acidente de Trabalho Fatal II - Acidentes de Trabalho com Mutilações III - Acidente com Exposição a Material Biológico IV - Acidentes do Trabalho em Crianças e Adolescentes V - Dermatoses Ocupacionais VI - Intoxicações Exógenas (por substâncias químicas, incluindo agrotóxicos, gases tóxicos e metais pesados) VII - Lesões por Esforços Repetitivos (LER), Distúrbios Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (DORT) VIII – Pneumoconioses IX - Perda Auditiva Induzida por Ruído – PAIR X - Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho XI - Câncer Relacionado ao Trabalho.
  • 32. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTE DE TRABALHO GRAVE São considerados acidentes de trabalho aqueles que ocorram no exercício da atividade laboral, ou no percurso de casa para o trabalho e vice-versa (acidentes de trajeto), podendo o trabalhador estar inserido tanto no mercado formal quanto no informal de trabalho. São considerados Acidentes de Trabalho Graves aqueles que resultam em morte, aqueles que resultam em mutilações e aqueles que acontecem com menores de dezoito anos. *Acidente de trabalho fatal: é quando o acidente resulta em óbito imediatamente ou até 12 horas após sua ocorrência. *Acidentes de trabalho com mutilações: é quando o acidente ocasiona lesão (poli traumatismos, amputações, esmagamentos, traumatismo crânio-encefálico, fratura da coluna, lesão de medula espinhal, trauma com lesões viscerais, eletrocussão, asfixia, queimaduras, perda de consciência e aborto) que resulte em internação hospitalar, a qual poderá levar à redução temporária ou permanente da capacidade para o trabalho. *Acidentes do trabalho em crianças e adolescentes: é quando o acidente de trabalho acontece com pessoas menores de dezoito anos.
  • 33. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO Acidentes envolvendo sangue e outros fluidos orgânicos ocorridos com profissionais da área da saúde durante o desenvolvimento do seu trabalho, onde os mesmos estão expostos a materiais potencialmente contaminados. Os ferimentos com agulhas e material pérfuro-cortante em geral são considerados extremamente perigosos por serem potencialmente capazes de transmitir mais de 20 tipos de patógenos diferentes, sendo o vírus da Imunodeficiência humana (HIV), o da hepatite B e o da hepatite C (HCV) os agentes infecciosos mais comumente envolvidos.
  • 34. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO DERMATOSES OCUPACIONAIS Compreendem as alterações da pele, mucosas ou anexos, direta ou indiretamente causadas, mantidas ou agravadas pelo trabalho, podendo estar relacionadas com substâncias químicas, agentes biológicos ou físicos.
  • 35. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO INTOXICAÇÕES EXÓGENAS Caso suspeito: todo aquele indivíduo que, tendo sido exposto a substâncias químicas (agrotóxicos, medicamentos, produtos de uso doméstico, cosméticos e higiene pessoal, produtos químicos de uso industrial, drogas, plantas e alimentos e bebidas), apresente sinais e sintomas clínicos de intoxicação e/ou alterações laboratoriais provavelmente ou possivelmente compatíveis.
  • 36. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO LER/DORT LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO É uma síndrome clínica que afeta o sistema músculo-esquelético em geral, caracterizada pela ocorrência de vários sintomas concomitantes ou não, de aparecimento insidioso, tais como dor crônica, parestesia, fadiga muscular, manifestando-se principalmente no pescoço, cintura escapular e/ou membros superiores. Acontece em decorrência das relações e da organização do trabalho, onde as atividades são realizadas com movimentos repetitivos, com posturas inadequadas, trabalho muscular estático e outras condições inadequadas.
  • 37. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO PNEUMOCONIOSES Conjunto de doenças pulmonares causadas pelo acúmulo de poeira nos pulmões e reação tissular à presença dessas poeiras, presentes no ambiente de trabalho. Podem abranger os seguintes grupos: a) Pneumoconiose causada pela inalação de poeiras contendo sílica livre cristalina. b) Pneumoconiose dos trabalhadores do carvão: causada pela inalação de poeiras de carvão mineral. c) Asbestose: causada pela inalação de fibras de asbesto ou amianto. d) Pneumoconiose devido a outras poeiras inorgânicas: beriliose (exposição ao berílio); siderose (exposição a fumos de óxido de ferro) e estanhose (exposição a estanho). e) Pneumoconiose por poeiras mistas: englobam pneumocinioses com padrões radiológicos diferentes, de capacidades regulares e irregulares, devidas à inalação de poeiras de diversos tipos de minerais, com significativo grau de contaminação por sílica livre, porém sem apresentar o substrato anátomopatológico típico de silicose.
  • 38. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO PAIR PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUÍDO É a diminuição gradual da acuidade auditiva, decorrente da exposição continuada a níveis elevados de ruído no ambiente de trabalho. É sempre neurossensorial, irreversível e passível de não progressão uma vez cessada a exposição ao ruído.
  • 39. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS AO TRABALHO Transtornos mentais e do comportamento relacionados ao trabalho são aqueles resultantes de situações do processo de trabalho, provenientes de fatores pontuais como exposição à determinados agentes tóxicos, até a completa articulação de fatores relativos á organização do trabalho, como a divisão e parcelamento das tarefas, as políticas de gerenciamento das pessoas, assédio moral no trabalho e a estrutura hierárquica organizacional. Transtornos mentais e do comportamento, para uso deste instrumento, serão considerados os estados de estresses pós-traumáticos decorrentes do trabalho (CID F 43.1).
  • 40. AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DEFINIÇÃO DE CASO CÂNCER RELACIONADO AO TRABALHO É todo câncer que surgiu como conseqüência da exposição a agentes carcinogênicos presentes no ambiente de trabalho, mesmo após a cessação da exposição. Para uso deste instrumento, serão considerados casos confirmados, como eventos sentinelas, entre outros, aqueles que resultarem em leucemia por exposição ao benzeno CID C 91 e C 95, mesotelioma por amianto CID C 45 e angiossarcoma hepático por exposição a cloreto de vinila CID 22.3.
  • 41. CÂNCER DA PELE Cerca de 60.000 pessoas morrem anualmente no mundo em decorrência de câncer da pele causado por excesso de exposição solar, segundo estudo recente da Organização Mundial de Saúde. Das 60.000 mortes, 48.000 são causadas por melanomas e 12.000 por outros tipos de câncer da pele.