Arte paleocristã

1.751 visualizações

Publicada em

Arte Paleocristã

Publicada em: Educação
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.751
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte paleocristã

  1. 1. ARTE PALEOCRISTÃ Professor: Sandro Bottene www.sandrobottene.com
  2. 2. Também é conhecida por Arte Primitiva Cristã. O período marca a passagem da Idade Antiga para a Idade Média (476 a 1453) (século V–XV). O Cristianismo surgiu no reinado de Augusto (Império Romano) e seus seguidores foram perseguidos até o século IV d. C. Os Imperadores romanos sentiam-se ameaçados pela nova filosofia, criando uma forte oposição do Estado aos seguidores do Cristianismo.
  3. 3. O povo encontrava conforto na Religião Cristã em meio ao caos e ao declínio do Império Romano. Assim, o início da Arte Cristã desenvolveu-se no interior de catacumbas (local onde os primeiros cristãos se reuniam secretamente). Catacumba de São Calixto. Roma, Itália.
  4. 4. As catacumbas eram galerias subterrâneas em cujas paredes se faziam tumbas. Cemitério: para os cristãos era o lugar de espera para a ressurreição (por isso não cremavam os corpos). Necrópole: para os romanos era o local onde sepultavam os cadáveres ou realizavam os atos de cremação. Catacumba de São Calixto. Roma, Itália.
  5. 5. Basílica de São Paulo Fora dos Muros. Roma, Itália. ABSIDE NAVECENTRAL NAVELATERAL NAVELATERAL Basílica é o nome dado às igrejas ou templos cristãos, que surgiram a partir de 313 com o Édipo de Milão (Constantino declarava neutro o Império Romano em relação ao credo religioso, concedendo liberdade de culto aos cristãos). ARCO TRIUNFAL arquitetura
  6. 6. Catacumba de Commodilla. Roma, Itália.
  7. 7. pintura A pintura nas catacumbas era realizada em afresco. Apresentavam decorações simples e toscas, não exaltando o belo, mas o poder da misericórdia de Deus (as formas sugerem, não agradam visualmente). Sidrac, Misac e Abdêgano atirados na fornalha por Nabucodonosor. Afresco, Catacumba de Priscila, Roma, Itália.
  8. 8. A pintura possuía função pedagógica (ensinar os analfabetos em que deveriam acreditar). Temas: narrativas bíblicas (ressurreição e salvação), cenas de Noé, o Bom Pastor, Nossa Senhora (figura da Madona com o menino Jesus). O Bom Pastor. Afresco. Catacumba de Priscila, Roma, Itália.
  9. 9. Pães e peixes. Afresco. Catacumba de São Calixto, Roma, Itália. Cena da eucaristia. Afresco. Catacumba de Priscila, Roma, Itália. Outros Símbolos: o pão e o peixe (associados ao milagre da multiplicação). Outros motivos: flores, frutas e fauna (semelhante à técnica usada nas casas romanas).
  10. 10. A Virgem com o filho. Afresco. Catacumba de Priscila, Roma, Itália. A imagem da pomba simboliza a paz, o espírito santo (com um galho na boca é o anunciador de um novo dia). O símbolo do peixe é substituído pela cruz (representando o autossacrifício de Cristo por amor à humanidade).
  11. 11. O Bom Pastor. Museu do Vaticano, Itália. As esculturas encontram-se em grande parte esculpidas em sarcófagos sob forma de relevos narrativos (apropriação da tradição estética greco-romana). São poucos as esculturas encontradas soltas. escultura Sarcófago de Júlio Basso. Basílica de São Pedro, Vaticano, Itália.
  12. 12. Monograma. Simbolismo cristão: discurso espiritual de forma cifrada (revela e oculta a presença do personagem sagrado). Medida para fugir do risco de perseguição. O “x” (ch) e o “p” (r) formam o monograma “xp”, que é o som das primeiras letras da palavra grega “CHRistós”. As duas letras gregas que aparecem ao lado, Alfa e ômega, representam “o primeiro e o último”, título de Cristo mencionado no Livro do Apocalipse.

×