SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
ESCOLA ESTADUAL CÔNEGO OSVALDO LUSTOSA
LÍNGUA PORTUGUESA - 20 GRAU - 30 ano
PROFESSOR: Geraldo Majela Bernardino Silva

                                    FUNÇÕES DO QUE

1- SUBSTANTIVO:Com o sentido de algo, alguma coisa(como substantivo deve ser acentuado)
Ex: Ele tem um quê de misterioso. Todos os gênios têm um quê de loucos.

2- PRONOME ADJETIVO: A)- INTERROGATIVO: Que recado me deste ontem?
                     B)- EXCLAMATIVO: Que silêncio maravilhoso!
                     C)- INDEFINIDO: (quanto + variações) Que injúrias lhe dirigiu ele!

3- PRONOME SUBSTANTIVO RELATIVO: Refere-se a um termo anterior que ele representa.
Ex: A bicicleta que eu comprei era amarela.         (sintaticamente= objeto direto)
    O aluno que é seu irmão é muito inteligente.    (sintaticamente= sujeito)
     A casa em que moro é muito pobre.                    (sintaticamente= adjunto adverbial de
lugar)
     O aluno por que eu rezei é muito meu amigo.          (sintaticamente= adjunto adverbial de
favor)
    O livro a que me refiro é muito caro.           (sintaticamente= Objeto indireto)
    A finalidade para que eu vim é a melhor possível.(sintaticamente= Adjunto adverbial de fim)
   ( Que = pronome relativo = o qual + variantes)

4- PRONOME SUBSTANTIVO INDEFINIDO INTERROGATIVO: Com o sentido de “Que
coisa?”
Ex: Que me disseste ontem?           ( sintaticamente= Objeto direto)

5- PREPOSIÇÃO: “Que” substituindo a preposição “de” na perífrase : “ter de...”
Ex: Eu tive que fazer minha obrigação.

6- ADVÉRBIO: A)- DE MODO (“que”= como):         Ex: Que assustador era aquele monstro.
             B)- DE INTENSIDADE (“que= quanto):     Que enganados andam os homens!

7- PARTÍCULA OPTATIVA: Dá sentido optativo às orações conshderadas independentes.
Ex: Que Deus o abençoe!

8- PARTÍCULA ENFÁTICA:(DE REALCE, ou EXPLETIVA, não tendo, assim, função na oração)
Ex: Há anos que não o vejo. (Há anos não o vejo.) - Trata-se, nesta frase, de mero adorno.
    Aparece constantemente nas expressões: é que, foi que, era que, será que, seria que...
Ex: Eu é que dei o recado. - Será que vai chover? - Isso é que é... (uma oração só)

9- INTERJEIÇÃO: Como o substantivo, aqui também ele é acentuado.
Ex: Quê! Vocês se revoltam?

10- PARTÍCULA ITERATIVA: (iterum= outra vez) Vem repetido por ênfase e realce.
Ex: “Ai que saudades que tenho...” -   Que felicidade que vocês me trazem!
QUE = CONJUNÇÃO COORDENATIVA

1- ADITIVA: (Com valor de “e”) : Ex: Bate que bate.   -   Mexe que mexe.

2- ALTERNATIVA: (Quando repetida)
Ex: Que me atendam que não me atendam, citá-los-ei em Juízo.           -   Um que outro vai à
Índia.

3- ADVERSATIVA: (Com o sentido de mas, porém, contudo, todavia, entretanto...)
Ex: Você pode ir que eu não irei.

4. EXPLICATIVA: (Com o sentido de “por que” “porquanto”)
Ex: Façam silêncio, que Judite está dormindo.

                           QUE = CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA

1. INTEGRANTE:Geralmente entre dois verbos, completando, integrando o sentido do primeiro.
Ex: Verificou que só se ocupava com elas! -   Ela quis que ele ficasse em casa.
    Não desejamos que tu morras.          -   Tudo depende de que estudes bastante.
    O que quero é que tu voltes logo.     -   Que você permaneça é o nosso real desejo.

2. COMPARATIVA: (depois de: mais, menos, melhor, pior, como, maior, menor, etc...)
Ex: “Não há maior erro que não conhecer o homem o seu erro”. (Fr. Heitor Pinto)

3- CAUSAL: (Quando o verbo da frase principal não for imperativo. Veja a explicativa)
Ex: Vou depressa, que preciso chegar cedo.

4- CONCESSIVA: (embora, ainda que)
Ex: Gosto de goiabas, verdes que estejam.

5- TEMPORAL: (enquanto, quando)
Ex: Não andam muito que no erguido cume
    Se acharam onde um campo se esmaltava. (Camões)

6- FINAL: (a fim de que, para que)
Ex: Dai-me igual canto aos feitos da famosa
    Gente vossa a que Marte tanto ajuda,
    Que se espalhe e se cante no Universo
    Se tão sublime preço cabe em verso. (Camões)

7- CONSECUTIVA: (Depois de tal, tanto, tão, etc...)
Ex: É de tal maneira idiota que todos se riem dele.

8- CONDICIONAL: (SE)
Ex: Não fui eu que quebrei o copo, que fosse, que tem você com isso?
FUNÇÕES DO “SE”

1- PRONOME SUBSTANTIVO PESSOAL REFLEXICO:
Ex: Pedro feriu-se. - Deixou-se arrastar.                   -   Reservou-se o direito de castigar.

2- PRONOME SUBSTANTIVO PESSOAL RECÍPROCO:
Ex:Deram-se as mãos.Eles se amam reciprocamente. Vocês se esmurraram durante o
recreio?

3- PRONOME SUBSTANTIVO APASSIVADOR (Partícula Apassivante - Partícula Apassivadora
                                                 - Passiva Pessoal)
   Seguindo um verbo transitivo direto que esteja na 3a pessoa, com sentido passivo.
Ex: Alugam-se quartos. - De todas as esmolas que se distribuíram fez-se uma lista.

4- PRONOME SUBSTANTIVO INDEFINIDO: (Passiva Impessoal, Índice de Indeterminação do
          Sujeito - Símbolo de Indeterminação do Sujeito, Partícula Indeterminante do Sujeito)
   Seguindo um verbo de outra predicação, na 3a pessoa do singular.
Ex: Entra-se na sala. - Sai-se por onde se entra. - Daqui se assiste aos desfiles.
    Está-se bem aqui. - Precisa-se de camareiras. - É-se feliz nesta casa.
    Morre-se como se vive. (Talis vita, ita finis!)

5- PARTÍCULA DE REALCE: (Pode ser retirada da oração, sem prejuízo do sentido desta).
Ex: Partiram-se jubilosos. - Acreditas no que o Profeta disse? Se creio.
    Os campos secam-se, as flores murcham-se, as aves emudecem-se.

6- PARTÍCULA IDIOMÁTICO-VERBAL: Quando vem unido aos verbos pronominais.
   É aqui parte integrante do verbo e não se analisa separadamente pois não tem função
própria
  Para alguns autores é objeto direto ou complemento direto de espontaneidade.
Ex: Absteve-se de votar. Arrependeu-se do crime. Zangou-se com o amigo.
    Esquivou-se do perigo.
OBS: VERBOS ESSENCIALMENTE PRONOMINAIS: abster-se, ater-se, apiedar-se,
      apropriar-se, arrepender-se, compadecer-se, esquivar-se, condoer-se,congratular-se,
      dignar-se, esvair-se, jactar-se, queixar-se, suicidar-se, vangloriar-se.

                             SE = CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA

1- CAUSAL: (Já que, visto que, por que)
Ex: Se não voltas logo, por que deixas aqui teus objetos?

2- CONDICIONAL:
Ex: Irei à tua casa, se não chover à noite. - Iam para o martírio como se fossem para o triunfo.
Obs: Na locução como se, separam-se as duas conjunções, analisando separadamente cada
      uma delas: Como = Conjunção subordinativa adverbial conformativa.
                  (Oração subentendida semiótica - como iam).
                  Se = Conjunção subordinativa Adverbial condicional.

3- CONCESSIVA: (Embora).
Ex: Se há maus, nem por isso devemos descrer dos bons.
4- INTEGRANTE: (Entre dois verbos, completando, integrando o sentido de um deles).
Ex: Diga-me se sabe a lição. - Pergunta-lhe se trouxe a correspondência.

                                     FUNÇÕES DO COMO

1- VERBO:
Ex: Eu como pouco.

2- ADVÉRBIO INTERROGATIVO DE MODO:
Ex: Como vai?

3- ADVÉRBIO INTERROGATIVO e EXCLAMATIVO DE INTENSIDADE:
Ex: Como vende os pêssegos?       - Como chove!

4- PREPOSIÇÃO: (por = na qualidade de, com caráter de)
Ex: Como professor ele é muito prudente. - É tido como sábio.

5- PALAVRA EXPLICATIVA: (No sentido de a saber, assim, isto é)
Ex: Teve boas notas em algumas matérias, como em Matemática, Geografia e História.

6- PALAVRA DE REALCE: (Pode ser retirada da oração, sem prejuízo do sentido desta).
Ex: Sentiu um como estalo na cabeça. - Assim é como se deve falar.

                          COMO = CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA

1- TEMPORAL: (Quando, logo que)
Ex: O menino, como ouviu isto, deu às de vila-diogo!

2- CAUSAL: ( por que )
Ex: Como estivesse doente, faltou à aula.

3- COMPARATIVA:
Ex: O rapaz era preto como carvão.

4- CONFORMATIVA: (Conforme)
Ex: Respondeu como devia.

5- INTEGRANTE:
Ex: Vê como ele canta bem! Aposto como ele virá para o jantar.
    Garanto como ele se apresentará bem.

                         COMO = CONJUNÇÃO COORDENATIVA

1- ADITIVA: (= E )
Ex: “Assim Saul como Davi eram homens de grandes espíritos”. (Pe. Antônio Vieira)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 89-90
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 89-90Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 89-90
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 89-90luisprista
 
89080511 resumo-portugues
89080511 resumo-portugues89080511 resumo-portugues
89080511 resumo-portuguesBruno Mothcy
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 10
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 10Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 10
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 10luisprista
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 93-94
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 93-94Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 93-94
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 93-94luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 52
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 52Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 52
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 52luisprista
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 100-101
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 100-101Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 100-101
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 100-101luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6luisprista
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua7 de Setembro
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 55
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 55Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 55
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 55luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 61
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 61Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 61
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 61luisprista
 
Resumão de língua portuguesa 2º ano
Resumão de língua portuguesa   2º anoResumão de língua portuguesa   2º ano
Resumão de língua portuguesa 2º anoEwerton Gindri
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 5-6
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 5-6Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 5-6
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 5-6luisprista
 
Gabarito do teste de LP - 4º bimestre
Gabarito do teste de LP - 4º bimestreGabarito do teste de LP - 4º bimestre
Gabarito do teste de LP - 4º bimestreChristiane Queiroz
 
Apontamentos Técnicas de Expressão Escrita I
Apontamentos Técnicas de Expressão Escrita IApontamentos Técnicas de Expressão Escrita I
Apontamentos Técnicas de Expressão Escrita ICatarina Abreu
 
O emprego da vírgula
O emprego da vírgulaO emprego da vírgula
O emprego da vírgulaRita Cunha
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62luisprista
 
O uso dos porquês
O uso dos porquêsO uso dos porquês
O uso dos porquêsLeYa
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36luisprista
 

Mais procurados (20)

Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 89-90
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 89-90Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 89-90
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 89-90
 
89080511 resumo-portugues
89080511 resumo-portugues89080511 resumo-portugues
89080511 resumo-portugues
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 10
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 10Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 10
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 10
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 93-94
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 93-94Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 93-94
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 93-94
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 52
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 52Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 52
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 52
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 100-101
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 100-101Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 100-101
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 100-101
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 5-6
 
Uso formal da língua
Uso formal da línguaUso formal da língua
Uso formal da língua
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 55
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 55Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 55
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 55
 
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 61
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 61Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 61
Apresentação para décimo ano de 2011 2, aula 61
 
Resumão de língua portuguesa 2º ano
Resumão de língua portuguesa   2º anoResumão de língua portuguesa   2º ano
Resumão de língua portuguesa 2º ano
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 5-6
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 5-6Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 5-6
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 5-6
 
Gabarito do teste de LP - 4º bimestre
Gabarito do teste de LP - 4º bimestreGabarito do teste de LP - 4º bimestre
Gabarito do teste de LP - 4º bimestre
 
Apontamentos Técnicas de Expressão Escrita I
Apontamentos Técnicas de Expressão Escrita IApontamentos Técnicas de Expressão Escrita I
Apontamentos Técnicas de Expressão Escrita I
 
O emprego da vírgula
O emprego da vírgulaO emprego da vírgula
O emprego da vírgula
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 61-62
 
O uso dos porquês
O uso dos porquêsO uso dos porquês
O uso dos porquês
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
Apresentação para décimo primeiro ano de 2015 6, aula 51-52
 
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 35-36
 
Aula 01 sujeito i
Aula 01   sujeito iAula 01   sujeito i
Aula 01 sujeito i
 

Semelhante a Gramática - Que, Se e Como

Sujeito E Predicado
Sujeito E PredicadoSujeito E Predicado
Sujeito E Predicadoguest7174ad
 
Morofologia - Preposicao
Morofologia - PreposicaoMorofologia - Preposicao
Morofologia - PreposicaoSadrak Silva
 
Os conectivos preposição, conjunção,interjeição .ppt
Os conectivos preposição, conjunção,interjeição    .pptOs conectivos preposição, conjunção,interjeição    .ppt
Os conectivos preposição, conjunção,interjeição .pptrosarialinha32
 
Principais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua PortuguesaPrincipais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua PortuguesaOlivaldo Ferreira
 
Curso de atualização redação oficial
Curso de atualização  redação oficialCurso de atualização  redação oficial
Curso de atualização redação oficialtelasnorte1
 
Curso matriz -_aprova_-_aulas_1_a_7
Curso matriz -_aprova_-_aulas_1_a_7Curso matriz -_aprova_-_aulas_1_a_7
Curso matriz -_aprova_-_aulas_1_a_7Rafaela Castro
 
Aula 11
Aula 11Aula 11
Aula 11gsbq
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20luisprista
 
Português – oraçõs subordinadas adverbiais 01 – 2014 – ifba
Português – oraçõs subordinadas adverbiais 01 – 2014 – ifbaPortuguês – oraçõs subordinadas adverbiais 01 – 2014 – ifba
Português – oraçõs subordinadas adverbiais 01 – 2014 – ifbaJakson Raphael Pereira Barbosa
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagemSamira Avelar
 

Semelhante a Gramática - Que, Se e Como (20)

Funções do que
Funções do queFunções do que
Funções do que
 
Sujeito E Predicado
Sujeito E PredicadoSujeito E Predicado
Sujeito E Predicado
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Aula 09 e 10
Aula 09 e 10Aula 09 e 10
Aula 09 e 10
 
654
654654
654
 
Preposicao
PreposicaoPreposicao
Preposicao
 
Morofologia - Preposicao
Morofologia - PreposicaoMorofologia - Preposicao
Morofologia - Preposicao
 
Os conectivos preposição, conjunção,interjeição .ppt
Os conectivos preposição, conjunção,interjeição    .pptOs conectivos preposição, conjunção,interjeição    .ppt
Os conectivos preposição, conjunção,interjeição .ppt
 
VERBO.pptx
VERBO.pptxVERBO.pptx
VERBO.pptx
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Principais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua PortuguesaPrincipais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
Principais dificuldades relativas à Língua Portuguesa
 
Curso de atualização redação oficial
Curso de atualização  redação oficialCurso de atualização  redação oficial
Curso de atualização redação oficial
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Preposicao[1]
Preposicao[1]Preposicao[1]
Preposicao[1]
 
Curso matriz -_aprova_-_aulas_1_a_7
Curso matriz -_aprova_-_aulas_1_a_7Curso matriz -_aprova_-_aulas_1_a_7
Curso matriz -_aprova_-_aulas_1_a_7
 
Aula 11
Aula 11Aula 11
Aula 11
 
Estude para recuperar.
Estude para recuperar.Estude para recuperar.
Estude para recuperar.
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
Apresentação para décimo segundo ano de 2016 7, aula 20
 
Português – oraçõs subordinadas adverbiais 01 – 2014 – ifba
Português – oraçõs subordinadas adverbiais 01 – 2014 – ifbaPortuguês – oraçõs subordinadas adverbiais 01 – 2014 – ifba
Português – oraçõs subordinadas adverbiais 01 – 2014 – ifba
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 

Mais de Carson Souza

Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaCarson Souza
 
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou ClássicaHistória - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou ClássicaCarson Souza
 
História - Mundo Grego
História -  Mundo GregoHistória -  Mundo Grego
História - Mundo GregoCarson Souza
 
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.Carson Souza
 
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da ArteInfluência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da ArteCarson Souza
 
Sistema Cardiovascular - Biologia
Sistema Cardiovascular - BiologiaSistema Cardiovascular - Biologia
Sistema Cardiovascular - BiologiaCarson Souza
 
Espanhol - Preposiciones
Espanhol - PreposicionesEspanhol - Preposiciones
Espanhol - PreposicionesCarson Souza
 
História - Mundo Grego
História - Mundo GregoHistória - Mundo Grego
História - Mundo GregoCarson Souza
 
Geografia - Indústria Brasileira
Geografia - Indústria BrasileiraGeografia - Indústria Brasileira
Geografia - Indústria BrasileiraCarson Souza
 
Sociologia - O socialismo e o Homem em cuba
Sociologia - O socialismo e o Homem em cubaSociologia - O socialismo e o Homem em cuba
Sociologia - O socialismo e o Homem em cubaCarson Souza
 
Literatura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemLiteratura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemCarson Souza
 
Física - Física Quântica
Física - Física QuânticaFísica - Física Quântica
Física - Física QuânticaCarson Souza
 
Literatura - Vanguarda Européia
Literatura - Vanguarda EuropéiaLiteratura - Vanguarda Européia
Literatura - Vanguarda EuropéiaCarson Souza
 
Química - Radioatividade
Química - RadioatividadeQuímica - Radioatividade
Química - RadioatividadeCarson Souza
 
Química - Reações Orgânicas
Química - Reações OrgânicasQuímica - Reações Orgânicas
Química - Reações OrgânicasCarson Souza
 
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e NitrogenadasQuímica Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e NitrogenadasCarson Souza
 
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e HidrocarbonetosQuímica Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e HidrocarbonetosCarson Souza
 
Química - Eletrólise
Química - EletróliseQuímica - Eletrólise
Química - EletróliseCarson Souza
 

Mais de Carson Souza (20)

Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
 
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou ClássicaHistória - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
 
História - Mundo Grego
História -  Mundo GregoHistória -  Mundo Grego
História - Mundo Grego
 
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
 
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da ArteInfluência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
 
Sistema Cardiovascular - Biologia
Sistema Cardiovascular - BiologiaSistema Cardiovascular - Biologia
Sistema Cardiovascular - Biologia
 
Espanhol - Preposiciones
Espanhol - PreposicionesEspanhol - Preposiciones
Espanhol - Preposiciones
 
História - Mundo Grego
História - Mundo GregoHistória - Mundo Grego
História - Mundo Grego
 
Geografia - Indústria Brasileira
Geografia - Indústria BrasileiraGeografia - Indústria Brasileira
Geografia - Indústria Brasileira
 
Sociologia - O socialismo e o Homem em cuba
Sociologia - O socialismo e o Homem em cubaSociologia - O socialismo e o Homem em cuba
Sociologia - O socialismo e o Homem em cuba
 
Literatura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemLiteratura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras Linguagem
 
Física - Ondas
Física - OndasFísica - Ondas
Física - Ondas
 
Física - Física Quântica
Física - Física QuânticaFísica - Física Quântica
Física - Física Quântica
 
Literatura - Vanguarda Européia
Literatura - Vanguarda EuropéiaLiteratura - Vanguarda Européia
Literatura - Vanguarda Européia
 
Química - Radioatividade
Química - RadioatividadeQuímica - Radioatividade
Química - Radioatividade
 
Chernobyl
ChernobylChernobyl
Chernobyl
 
Química - Reações Orgânicas
Química - Reações OrgânicasQuímica - Reações Orgânicas
Química - Reações Orgânicas
 
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e NitrogenadasQuímica Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
 
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e HidrocarbonetosQuímica Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
 
Química - Eletrólise
Química - EletróliseQuímica - Eletrólise
Química - Eletrólise
 

Gramática - Que, Se e Como

  • 1. ESCOLA ESTADUAL CÔNEGO OSVALDO LUSTOSA LÍNGUA PORTUGUESA - 20 GRAU - 30 ano PROFESSOR: Geraldo Majela Bernardino Silva FUNÇÕES DO QUE 1- SUBSTANTIVO:Com o sentido de algo, alguma coisa(como substantivo deve ser acentuado) Ex: Ele tem um quê de misterioso. Todos os gênios têm um quê de loucos. 2- PRONOME ADJETIVO: A)- INTERROGATIVO: Que recado me deste ontem? B)- EXCLAMATIVO: Que silêncio maravilhoso! C)- INDEFINIDO: (quanto + variações) Que injúrias lhe dirigiu ele! 3- PRONOME SUBSTANTIVO RELATIVO: Refere-se a um termo anterior que ele representa. Ex: A bicicleta que eu comprei era amarela. (sintaticamente= objeto direto) O aluno que é seu irmão é muito inteligente. (sintaticamente= sujeito) A casa em que moro é muito pobre. (sintaticamente= adjunto adverbial de lugar) O aluno por que eu rezei é muito meu amigo. (sintaticamente= adjunto adverbial de favor) O livro a que me refiro é muito caro. (sintaticamente= Objeto indireto) A finalidade para que eu vim é a melhor possível.(sintaticamente= Adjunto adverbial de fim) ( Que = pronome relativo = o qual + variantes) 4- PRONOME SUBSTANTIVO INDEFINIDO INTERROGATIVO: Com o sentido de “Que coisa?” Ex: Que me disseste ontem? ( sintaticamente= Objeto direto) 5- PREPOSIÇÃO: “Que” substituindo a preposição “de” na perífrase : “ter de...” Ex: Eu tive que fazer minha obrigação. 6- ADVÉRBIO: A)- DE MODO (“que”= como): Ex: Que assustador era aquele monstro. B)- DE INTENSIDADE (“que= quanto): Que enganados andam os homens! 7- PARTÍCULA OPTATIVA: Dá sentido optativo às orações conshderadas independentes. Ex: Que Deus o abençoe! 8- PARTÍCULA ENFÁTICA:(DE REALCE, ou EXPLETIVA, não tendo, assim, função na oração) Ex: Há anos que não o vejo. (Há anos não o vejo.) - Trata-se, nesta frase, de mero adorno. Aparece constantemente nas expressões: é que, foi que, era que, será que, seria que... Ex: Eu é que dei o recado. - Será que vai chover? - Isso é que é... (uma oração só) 9- INTERJEIÇÃO: Como o substantivo, aqui também ele é acentuado. Ex: Quê! Vocês se revoltam? 10- PARTÍCULA ITERATIVA: (iterum= outra vez) Vem repetido por ênfase e realce. Ex: “Ai que saudades que tenho...” - Que felicidade que vocês me trazem!
  • 2. QUE = CONJUNÇÃO COORDENATIVA 1- ADITIVA: (Com valor de “e”) : Ex: Bate que bate. - Mexe que mexe. 2- ALTERNATIVA: (Quando repetida) Ex: Que me atendam que não me atendam, citá-los-ei em Juízo. - Um que outro vai à Índia. 3- ADVERSATIVA: (Com o sentido de mas, porém, contudo, todavia, entretanto...) Ex: Você pode ir que eu não irei. 4. EXPLICATIVA: (Com o sentido de “por que” “porquanto”) Ex: Façam silêncio, que Judite está dormindo. QUE = CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA 1. INTEGRANTE:Geralmente entre dois verbos, completando, integrando o sentido do primeiro. Ex: Verificou que só se ocupava com elas! - Ela quis que ele ficasse em casa. Não desejamos que tu morras. - Tudo depende de que estudes bastante. O que quero é que tu voltes logo. - Que você permaneça é o nosso real desejo. 2. COMPARATIVA: (depois de: mais, menos, melhor, pior, como, maior, menor, etc...) Ex: “Não há maior erro que não conhecer o homem o seu erro”. (Fr. Heitor Pinto) 3- CAUSAL: (Quando o verbo da frase principal não for imperativo. Veja a explicativa) Ex: Vou depressa, que preciso chegar cedo. 4- CONCESSIVA: (embora, ainda que) Ex: Gosto de goiabas, verdes que estejam. 5- TEMPORAL: (enquanto, quando) Ex: Não andam muito que no erguido cume Se acharam onde um campo se esmaltava. (Camões) 6- FINAL: (a fim de que, para que) Ex: Dai-me igual canto aos feitos da famosa Gente vossa a que Marte tanto ajuda, Que se espalhe e se cante no Universo Se tão sublime preço cabe em verso. (Camões) 7- CONSECUTIVA: (Depois de tal, tanto, tão, etc...) Ex: É de tal maneira idiota que todos se riem dele. 8- CONDICIONAL: (SE) Ex: Não fui eu que quebrei o copo, que fosse, que tem você com isso?
  • 3. FUNÇÕES DO “SE” 1- PRONOME SUBSTANTIVO PESSOAL REFLEXICO: Ex: Pedro feriu-se. - Deixou-se arrastar. - Reservou-se o direito de castigar. 2- PRONOME SUBSTANTIVO PESSOAL RECÍPROCO: Ex:Deram-se as mãos.Eles se amam reciprocamente. Vocês se esmurraram durante o recreio? 3- PRONOME SUBSTANTIVO APASSIVADOR (Partícula Apassivante - Partícula Apassivadora - Passiva Pessoal) Seguindo um verbo transitivo direto que esteja na 3a pessoa, com sentido passivo. Ex: Alugam-se quartos. - De todas as esmolas que se distribuíram fez-se uma lista. 4- PRONOME SUBSTANTIVO INDEFINIDO: (Passiva Impessoal, Índice de Indeterminação do Sujeito - Símbolo de Indeterminação do Sujeito, Partícula Indeterminante do Sujeito) Seguindo um verbo de outra predicação, na 3a pessoa do singular. Ex: Entra-se na sala. - Sai-se por onde se entra. - Daqui se assiste aos desfiles. Está-se bem aqui. - Precisa-se de camareiras. - É-se feliz nesta casa. Morre-se como se vive. (Talis vita, ita finis!) 5- PARTÍCULA DE REALCE: (Pode ser retirada da oração, sem prejuízo do sentido desta). Ex: Partiram-se jubilosos. - Acreditas no que o Profeta disse? Se creio. Os campos secam-se, as flores murcham-se, as aves emudecem-se. 6- PARTÍCULA IDIOMÁTICO-VERBAL: Quando vem unido aos verbos pronominais. É aqui parte integrante do verbo e não se analisa separadamente pois não tem função própria Para alguns autores é objeto direto ou complemento direto de espontaneidade. Ex: Absteve-se de votar. Arrependeu-se do crime. Zangou-se com o amigo. Esquivou-se do perigo. OBS: VERBOS ESSENCIALMENTE PRONOMINAIS: abster-se, ater-se, apiedar-se, apropriar-se, arrepender-se, compadecer-se, esquivar-se, condoer-se,congratular-se, dignar-se, esvair-se, jactar-se, queixar-se, suicidar-se, vangloriar-se. SE = CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA 1- CAUSAL: (Já que, visto que, por que) Ex: Se não voltas logo, por que deixas aqui teus objetos? 2- CONDICIONAL: Ex: Irei à tua casa, se não chover à noite. - Iam para o martírio como se fossem para o triunfo. Obs: Na locução como se, separam-se as duas conjunções, analisando separadamente cada uma delas: Como = Conjunção subordinativa adverbial conformativa. (Oração subentendida semiótica - como iam). Se = Conjunção subordinativa Adverbial condicional. 3- CONCESSIVA: (Embora). Ex: Se há maus, nem por isso devemos descrer dos bons.
  • 4. 4- INTEGRANTE: (Entre dois verbos, completando, integrando o sentido de um deles). Ex: Diga-me se sabe a lição. - Pergunta-lhe se trouxe a correspondência. FUNÇÕES DO COMO 1- VERBO: Ex: Eu como pouco. 2- ADVÉRBIO INTERROGATIVO DE MODO: Ex: Como vai? 3- ADVÉRBIO INTERROGATIVO e EXCLAMATIVO DE INTENSIDADE: Ex: Como vende os pêssegos? - Como chove! 4- PREPOSIÇÃO: (por = na qualidade de, com caráter de) Ex: Como professor ele é muito prudente. - É tido como sábio. 5- PALAVRA EXPLICATIVA: (No sentido de a saber, assim, isto é) Ex: Teve boas notas em algumas matérias, como em Matemática, Geografia e História. 6- PALAVRA DE REALCE: (Pode ser retirada da oração, sem prejuízo do sentido desta). Ex: Sentiu um como estalo na cabeça. - Assim é como se deve falar. COMO = CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA 1- TEMPORAL: (Quando, logo que) Ex: O menino, como ouviu isto, deu às de vila-diogo! 2- CAUSAL: ( por que ) Ex: Como estivesse doente, faltou à aula. 3- COMPARATIVA: Ex: O rapaz era preto como carvão. 4- CONFORMATIVA: (Conforme) Ex: Respondeu como devia. 5- INTEGRANTE: Ex: Vê como ele canta bem! Aposto como ele virá para o jantar. Garanto como ele se apresentará bem. COMO = CONJUNÇÃO COORDENATIVA 1- ADITIVA: (= E ) Ex: “Assim Saul como Davi eram homens de grandes espíritos”. (Pe. Antônio Vieira)