SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Baixar para ler offline
AULA 19 – ELETRÓLISE
     Eletrólise é a parte da eletroquímica que estuda a transformação de
energia elétrica em energia química.

         ENERGIA      não espontâneo     ENERGIA
         ELÉTRICA                        QUÍMICA

        A eletrólise é um processo não espontâneo, onde ocorre a descarga de
íons.
     Na descarga de íons os cátions irão receber elétrons, sofrendo redução;
enquanto que os ânions irão ceder elétrons, sofrendo oxidação.
     Vejamos agora alguns exemplos de descargas:
     Descarga de cátions:
          Na+ + 1 e- Æ Na
           Al3+ + 3e- Æ Al
          Mg2+ + 2e- Æ Mg
     Descarga de ânions:
          2 Cl- Æ Cl2 + 2e-
          2 Br- Æ Br2 + 2e-
          2 OH- Æ _ O2 + H2O + 2e-

       Para que um sistema sofra eletrólise é necessária a presença de íons
livres, os quais como já vimos serão descarregados durante o processo.
       Na eletrólise a corrente elétrica atravessa o sistema, descarrega os íons,
e provoca uma reação química (não espontânea) de óxido-redução.
       Acho que já deu para perceber que sem íons livres não irá ocorrer
eletrólise.
  Obtenção de íons livres

             •   pela fusão de substâncias iônicas
             •   pela dissociação ou ionização de substâncias em meio
                 aquoso


Tipos de eletrólise

         •   eletrólise ígnea (ausência de água)
         •   eletrólise em meio aquoso



Eletrólise ígnea
     A eletrólise ígnea é a eletrólise feita em ausência de água, normalmente
são compostos iônicos fundidos. A eletrólise ígnea é por exemplo, como se
obtém alumínio a partir da bauxita (minério de alumínio).

                                                                               1
Para fazermos a eletrólise é necessário termos uma fonte de corrente
contínua, uma cuba eletrolítica onde se encontra o sistema que sofrerá a
eletrólise e eletrodos inertes que podem ser fios de platina ou barras de
carbono grafite.




      Como exemplo vamos fazer a eletrólise de NaCl.
      Primeiro passo é fundir o material para que os íons fiquem livres, se não
o sistema não conduzirá corrente e não ocorrerá a eletrólise.
      NaCl(s) Æ NaCl(l)

     O NaCl fundido apresenta os seguintes íons:

     NaCl(l) Æ Na+(l) + Cl-(l)

     Quando a corrente começar a atravessar o sistema, iniciam-se as
reações de óxido-redução não espontâneas.

      Reação catódica (redução)
      2 Na+(l) + 2e- Æ 2 Na(s)

      Reação anódica (oxidação)
      2 Cl-(l) Æ 2e- + Cl2(g)

     Para você lembrar: ânion migra para o ânodo, cátion migra para o
cátodo.
     Para obtermos a equação global da eletrólise vamos somar as equações
de cada etapa.

     Reação global da eletrólise

dissociação:                 2 NaCl(l) Æ 2 Na+(l) + 2 Cl-(l)
reação catódica:         2 Na+(l) + 2e- Æ 2 Na(s)
reação anódica:                  2 Cl-(l) Æ 2e- + Cl2(g)

                                                                             2
reação global da eletrólise:   2NaCl(l) Æ 2 Na(s) + Cl2(g)
Eletrólise em meio aquoso

      O que muda na eletrólise em meio aquoso é que a água participa do
processo, portanto, ela é um pouco mais complexa. A diferença é que
precisamos saber a ordem de descarga dos íons frente a água, já que essa
interfere na descarga.




      Conhecendo a ordem de descarga dos íons podemos montar a eletrólise
em meio aquoso, precisamos dos mesmos itens só que a cuba eletrolítica não
precisa ter aquecedores pois não iremos fundir o material.
      Como exemplo vamos montar a eletrólise de NaCl em meio aquoso.




                                                                        3
O importante para montar as equações da eletrólise é identificar os íons
presentes no sistema bem como não esquecer das moléculas de água que
estão presentes (a água ioniza muito pouco em H+ e OH-).
      No nosso exemplo as espécies presentes na cuba são:
      NaCl que em meio aquoso dissocia em Na+ e Cl- e as moléculas de água.
      Quando ligarmos a fonte começa uma reação de óxido-redução não
espontânea, onde os íons ou as moléculas de água serão descarregados nos
respectivos pólos. No nosso exemplo irão ser descarregados primeiramente o
Cl- no ânodo e H2O no cátodo.

Reações

dissociação do sal :    2 NaCl(aq) Æ 2 Na+(aq) + 2 Cl-(aq)
água :                    2 H2O(l) Æ 2 H2O(l)
reação anódica:           2Cl-(aq) Æ Cl2(g) + 2e-
reação catódica:    2 H2O(l) + 2 e- Æ H2(g) + 2OH-(aq)

reação global:2 NaCl(aq) + 2 H2O(l) Æ Cl2(g) + H2(g) + 2 Na+(aq) + 2 OH-(aq)

                                                              NaOH




                                                                               4
Observe na figura a formação de gás cloro no ânodo e de gás hidrogênio
no cátodo, sobrando na cuba Na+ e OH- .

      Lembre–se que a água pode ser descarregada no cátodo ou no ânodo, a
seguir são dadas as equações de descarga da água no cátodo e no ânodo.


                           Descarga da água

             no cátodo: 2 H2O(l) + 2e- Æ H2(g) + 2 OH-(aq)

             no ânodo:   H2O(l) Æ _ O2(g) + 2 H+(aq) + 2e-


     Descarga do OH-

    2 OH-(aq) Æ _ O2(g) + H2O(l) + 2e-

Exercícios

1)(unitau) Assinale a alternativa incorreta:
a) Eletrólise ígnea é a reação química provocada pela passagem de corrente
elétrica através de um composto iônico fundido.
b) Eletrólise aquosa é a reação química provocada pela passagem de corrente
elétrica por meio de uma solução aquosa de um eletrólito.
c) Com a eletrólise podemos produzir substâncias na indústria química como a
soda cáustica e hipocloritos.
d) A ddp negativa indica que a reação é espontânea e que poderá ser usada
para gerar corrente elétrica.
e) Na eletrólise de uma solução aquosa de KI, o íon iodeto, quando volta a ser
átomo, perde um elétron.

2)(fuvest) A eletrólise de cloreto de sódio fundido produz sódio metálico e gás
cloro. Nesse processo, cada íon
a) sódio recebe dois elétrons.
b) cloreto recebe um elétron.
c) sódio recebe um elétron.
d) cloreto perde dois elétrons.
e) sódio perde um elétron.

3)(fuvest) É comum encontrar nas lojas de materiais para piscinas o anúncio:

"Temos cloro líquido."

a) Há erro em tal anúncio? Explique.
Quando se obtém cloro por eletrólise de solução aquosa de cloreto de sódio
também se forma hidrogênio.
b) Mostre como se formam o cloro e o hidrogênio nessa eletrólise.

                                                                               5
4)(fuvest) Michael Faraday (1791-1867), eletroquímico cujo 2º centenário de
nascimento se comemora este ano, comentou que "uma solução de iodeto de
potássio e amido é o mais admirável teste de ação eletroquímica" pelo
aparecimento de uma coloração azul, quando da passagem de corrente elétrica
sobre o iodeto.
a) Escreva a equação que representa a ação da corrente elétrica sobre o
iodeto.
b) Em que pólo surge a coloração azul? Justifique sua resposta.

5)(unicamp) O cobre metálico, para ser utilizado como condutor elétrico,
precisa ser muito puro, o que se consegue por via eletrolítica. Neste processo
os íons cobre-II são reduzidos no cátodo, a cobre metálico, ou seja,

    Cu2+ (aq) + 2e_ Æ Cu (s)

Qual a massa de cobre que se obtém por mol de elétrons que atravessa a cuba
eletrolítica? Massa atômica relativa do cobre = 64

6)(fatec) Obtém-se magnésio metálico por eletrólise do MgCl‚ fundido. Nesse
processo, a semi-reação que ocorre no cátodo é

a) Mg2+ + Mg2- Æ Mg.

b) Mg2+ - 2e_ Æ Mg.

c) 2Cl- - 2e_ Æ Cl2.

d) Mg2+ + 2e_ Æ Mg.

e) 2Cl- + 2e_ Æ Cl2.

7) Faça o esquema experimental e as equações envolvidas na eletrólise do
CuSO4 em água.

8) Dê a equação global da eletrólise ígnea do Al2O3.


Gabarito

  1) d
  2) c
  3) a) O cloro nas condições ambientes, é gasoso.

      b) cátodo: 2H2O + 2e_ Æ H2 + 2OH-
         ânodo: 2Cl- Æ Cl2 + 2e_
  4) a) 2 I- Æ I2 + 2e_


                                                                            6
b) No ânodo, onde ocorre a oxidação do iodo que com o amido adquire a
coloração azul.

5) 32g
6) d
7) dissociação do sal: CuSO4(aq)      Æ Cu2+(aq) + SO42-(aq)
   água: :                H2O(l)      Æ H2O(l)
   reação catódica : Cu (aq) + 2e-
                       2+
                                      Æ Cu(s)
   reação anódica:           H2O(l)   Æ _ O2(g) + 2 H+(aq) + 2e-

reação global:      CuSO4(aq) + H2O Æ Cu(s) + _ O2(g) + H2SO4(aq)

8) Al2O3(l) Æ 2Al(s) + 3/2 O2(g)




                                                                       7

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação de inglês 2c
Avaliação de inglês 2cAvaliação de inglês 2c
Avaliação de inglês 2cMarcia Oliveira
 
1ο κεφάλαιο χημεία β λυκείου γπ ασκήσεις τράπεζας θεμάτων 2014 2015
1ο κεφάλαιο χημεία β λυκείου γπ ασκήσεις τράπεζας θεμάτων 2014 20151ο κεφάλαιο χημεία β λυκείου γπ ασκήσεις τράπεζας θεμάτων 2014 2015
1ο κεφάλαιο χημεία β λυκείου γπ ασκήσεις τράπεζας θεμάτων 2014 2015DimPapadopoulos
 
7o ano revisão 1 listão 1
7o ano revisão 1   listão 17o ano revisão 1   listão 1
7o ano revisão 1 listão 1Otávio Sales
 
Prueba d 7º materia y sus transformaciones
Prueba d 7º materia y sus transformacionesPrueba d 7º materia y sus transformaciones
Prueba d 7º materia y sus transformacionesprofesoraudp
 
Lista de exercícios VI Termoquímica
Lista de exercícios VI TermoquímicaLista de exercícios VI Termoquímica
Lista de exercícios VI TermoquímicaCarlos Priante
 
Ασκήσεις Χημείας B Λυκείου 2016 - 2017
Ασκήσεις Χημείας B Λυκείου 2016 - 2017Ασκήσεις Χημείας B Λυκείου 2016 - 2017
Ασκήσεις Χημείας B Λυκείου 2016 - 2017Stathis Gourzis
 
Exercícios Geometria Molecular
Exercícios Geometria MolecularExercícios Geometria Molecular
Exercícios Geometria MolecularGiovani Araujo
 
Avaliação bimestral dos 1º anos A e B
Avaliação bimestral dos 1º anos A e BAvaliação bimestral dos 1º anos A e B
Avaliação bimestral dos 1º anos A e BMarcio Reis
 
Manual marca do Coritiba Football Club
Manual marca do Coritiba Football ClubManual marca do Coritiba Football Club
Manual marca do Coritiba Football ClubLuedy Costa
 
Σχέδιο μαθήματος Οξέα Teaching plan_acids
Σχέδιο μαθήματος Οξέα Teaching plan_acidsΣχέδιο μαθήματος Οξέα Teaching plan_acids
Σχέδιο μαθήματος Οξέα Teaching plan_acidsIoannis Theodonis
 
Ejercicios-resueltos-redox
Ejercicios-resueltos-redoxEjercicios-resueltos-redox
Ejercicios-resueltos-redoxSandra Quintana
 
Οργανική Χημεία - Εισαγωγή
Οργανική Χημεία - ΕισαγωγήΟργανική Χημεία - Εισαγωγή
Οργανική Χημεία - Εισαγωγήcathykaki
 
ΑΕΠΠ: 3ο Επαναληπτικό Τεστ
ΑΕΠΠ: 3ο Επαναληπτικό ΤεστΑΕΠΠ: 3ο Επαναληπτικό Τεστ
ΑΕΠΠ: 3ο Επαναληπτικό ΤεστNikos Michailidis
 

Mais procurados (20)

Python - Ασκήσεις Δομές Επιλογής
Python - Ασκήσεις Δομές ΕπιλογήςPython - Ασκήσεις Δομές Επιλογής
Python - Ασκήσεις Δομές Επιλογής
 
Avaliação de inglês 2c
Avaliação de inglês 2cAvaliação de inglês 2c
Avaliação de inglês 2c
 
1ο κεφάλαιο χημεία β λυκείου γπ ασκήσεις τράπεζας θεμάτων 2014 2015
1ο κεφάλαιο χημεία β λυκείου γπ ασκήσεις τράπεζας θεμάτων 2014 20151ο κεφάλαιο χημεία β λυκείου γπ ασκήσεις τράπεζας θεμάτων 2014 2015
1ο κεφάλαιο χημεία β λυκείου γπ ασκήσεις τράπεζας θεμάτων 2014 2015
 
7o ano revisão 1 listão 1
7o ano revisão 1   listão 17o ano revisão 1   listão 1
7o ano revisão 1 listão 1
 
Avaliação lp 8º ano
Avaliação lp 8º anoAvaliação lp 8º ano
Avaliação lp 8º ano
 
Prueba d 7º materia y sus transformaciones
Prueba d 7º materia y sus transformacionesPrueba d 7º materia y sus transformaciones
Prueba d 7º materia y sus transformaciones
 
Ασκήσεις στα διαλύματα
Ασκήσεις στα διαλύματαΑσκήσεις στα διαλύματα
Ασκήσεις στα διαλύματα
 
Lista de exercícios VI Termoquímica
Lista de exercícios VI TermoquímicaLista de exercícios VI Termoquímica
Lista de exercícios VI Termoquímica
 
Ασκήσεις Χημείας B Λυκείου 2016 - 2017
Ασκήσεις Χημείας B Λυκείου 2016 - 2017Ασκήσεις Χημείας B Λυκείου 2016 - 2017
Ασκήσεις Χημείας B Λυκείου 2016 - 2017
 
Taller nomenclatura
Taller nomenclaturaTaller nomenclatura
Taller nomenclatura
 
Exercícios Geometria Molecular
Exercícios Geometria MolecularExercícios Geometria Molecular
Exercícios Geometria Molecular
 
Avaliação bimestral dos 1º anos A e B
Avaliação bimestral dos 1º anos A e BAvaliação bimestral dos 1º anos A e B
Avaliação bimestral dos 1º anos A e B
 
Η έννοια του mol
Η έννοια του molΗ έννοια του mol
Η έννοια του mol
 
Manual marca do Coritiba Football Club
Manual marca do Coritiba Football ClubManual marca do Coritiba Football Club
Manual marca do Coritiba Football Club
 
D8 (5º ano l.p.)
D8 (5º ano   l.p.)D8 (5º ano   l.p.)
D8 (5º ano l.p.)
 
Σχέδιο μαθήματος Οξέα Teaching plan_acids
Σχέδιο μαθήματος Οξέα Teaching plan_acidsΣχέδιο μαθήματος Οξέα Teaching plan_acids
Σχέδιο μαθήματος Οξέα Teaching plan_acids
 
Ejercicios-resueltos-redox
Ejercicios-resueltos-redoxEjercicios-resueltos-redox
Ejercicios-resueltos-redox
 
Οργανική Χημεία - Εισαγωγή
Οργανική Χημεία - ΕισαγωγήΟργανική Χημεία - Εισαγωγή
Οργανική Χημεία - Εισαγωγή
 
ΑΕΠΠ: 3ο Επαναληπτικό Τεστ
ΑΕΠΠ: 3ο Επαναληπτικό ΤεστΑΕΠΠ: 3ο Επαναληπτικό Τεστ
ΑΕΠΠ: 3ο Επαναληπτικό Τεστ
 
AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA - 5º ANO DO 2º CICLO - 1º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA - 5º ANO DO 2º CICLO - 1º BIMESTREAVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA - 5º ANO DO 2º CICLO - 1º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE MATEMÁTICA - 5º ANO DO 2º CICLO - 1º BIMESTRE
 

Semelhante a Eletrólise: Transformação de Energia Elétrica em Química

Semelhante a Eletrólise: Transformação de Energia Elétrica em Química (20)

Aulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptx
Aulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptxAulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptx
Aulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptx
 
Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de Química
 
Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de Química
 
Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica
 
Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]
 
Lista de exercícios 35 eletrólise
Lista de exercícios 35   eletróliseLista de exercícios 35   eletrólise
Lista de exercícios 35 eletrólise
 
Aula eletrolise
Aula  eletroliseAula  eletrolise
Aula eletrolise
 
EletroquÍmica
EletroquÍmicaEletroquÍmica
EletroquÍmica
 
Aula+escrita+eletrólise
Aula+escrita+eletróliseAula+escrita+eletrólise
Aula+escrita+eletrólise
 
PILHAS DE VOLTAS
PILHAS DE VOLTASPILHAS DE VOLTAS
PILHAS DE VOLTAS
 
Aula 4 (eletrólise)
Aula 4 (eletrólise)Aula 4 (eletrólise)
Aula 4 (eletrólise)
 
Conceito de oxidação e de redução
Conceito de oxidação e de reduçãoConceito de oxidação e de redução
Conceito de oxidação e de redução
 
Eletrólise kelvin
Eletrólise kelvinEletrólise kelvin
Eletrólise kelvin
 
TEORIA da ELETROQUÍMICA
TEORIA da ELETROQUÍMICATEORIA da ELETROQUÍMICA
TEORIA da ELETROQUÍMICA
 
Eletrólise_ Fundamentos
Eletrólise_ FundamentosEletrólise_ Fundamentos
Eletrólise_ Fundamentos
 
Eletroquímica eletrólise
Eletroquímica   eletróliseEletroquímica   eletrólise
Eletroquímica eletrólise
 
Aula pilhas
Aula pilhasAula pilhas
Aula pilhas
 
Aula pilhas
Aula pilhasAula pilhas
Aula pilhas
 
eletroquimica.pdf
eletroquimica.pdfeletroquimica.pdf
eletroquimica.pdf
 
Eletroquimica - aula de pilhas e baterias
Eletroquimica - aula de pilhas e bateriasEletroquimica - aula de pilhas e baterias
Eletroquimica - aula de pilhas e baterias
 

Mais de Carson Souza

Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaCarson Souza
 
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou ClássicaHistória - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou ClássicaCarson Souza
 
História - Mundo Grego
História -  Mundo GregoHistória -  Mundo Grego
História - Mundo GregoCarson Souza
 
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.Carson Souza
 
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da ArteInfluência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da ArteCarson Souza
 
Sistema Cardiovascular - Biologia
Sistema Cardiovascular - BiologiaSistema Cardiovascular - Biologia
Sistema Cardiovascular - BiologiaCarson Souza
 
Espanhol - Preposiciones
Espanhol - PreposicionesEspanhol - Preposiciones
Espanhol - PreposicionesCarson Souza
 
História - Mundo Grego
História - Mundo GregoHistória - Mundo Grego
História - Mundo GregoCarson Souza
 
Geografia - Indústria Brasileira
Geografia - Indústria BrasileiraGeografia - Indústria Brasileira
Geografia - Indústria BrasileiraCarson Souza
 
Sociologia - O socialismo e o Homem em cuba
Sociologia - O socialismo e o Homem em cubaSociologia - O socialismo e o Homem em cuba
Sociologia - O socialismo e o Homem em cubaCarson Souza
 
Gramática - Que, Se e Como
Gramática - Que, Se e ComoGramática - Que, Se e Como
Gramática - Que, Se e ComoCarson Souza
 
Literatura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemLiteratura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemCarson Souza
 
Física - Física Quântica
Física - Física QuânticaFísica - Física Quântica
Física - Física QuânticaCarson Souza
 
Literatura - Vanguarda Européia
Literatura - Vanguarda EuropéiaLiteratura - Vanguarda Européia
Literatura - Vanguarda EuropéiaCarson Souza
 
Química - Radioatividade
Química - RadioatividadeQuímica - Radioatividade
Química - RadioatividadeCarson Souza
 
Química - Reações Orgânicas
Química - Reações OrgânicasQuímica - Reações Orgânicas
Química - Reações OrgânicasCarson Souza
 
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e NitrogenadasQuímica Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e NitrogenadasCarson Souza
 
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e HidrocarbonetosQuímica Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e HidrocarbonetosCarson Souza
 

Mais de Carson Souza (20)

Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
 
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou ClássicaHistória - Antiguidade Ocidental ou Clássica
História - Antiguidade Ocidental ou Clássica
 
História - Mundo Grego
História -  Mundo GregoHistória -  Mundo Grego
História - Mundo Grego
 
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
 
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da ArteInfluência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
Influência da Cultura Holandesa no Brasil - História da Arte
 
Sistema Cardiovascular - Biologia
Sistema Cardiovascular - BiologiaSistema Cardiovascular - Biologia
Sistema Cardiovascular - Biologia
 
Espanhol - Preposiciones
Espanhol - PreposicionesEspanhol - Preposiciones
Espanhol - Preposiciones
 
História - Mundo Grego
História - Mundo GregoHistória - Mundo Grego
História - Mundo Grego
 
Geografia - Indústria Brasileira
Geografia - Indústria BrasileiraGeografia - Indústria Brasileira
Geografia - Indústria Brasileira
 
Sociologia - O socialismo e o Homem em cuba
Sociologia - O socialismo e o Homem em cubaSociologia - O socialismo e o Homem em cuba
Sociologia - O socialismo e o Homem em cuba
 
Gramática - Que, Se e Como
Gramática - Que, Se e ComoGramática - Que, Se e Como
Gramática - Que, Se e Como
 
Literatura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras LinguagemLiteratura - Figuras Linguagem
Literatura - Figuras Linguagem
 
Física - Ondas
Física - OndasFísica - Ondas
Física - Ondas
 
Física - Física Quântica
Física - Física QuânticaFísica - Física Quântica
Física - Física Quântica
 
Literatura - Vanguarda Européia
Literatura - Vanguarda EuropéiaLiteratura - Vanguarda Européia
Literatura - Vanguarda Européia
 
Química - Radioatividade
Química - RadioatividadeQuímica - Radioatividade
Química - Radioatividade
 
Chernobyl
ChernobylChernobyl
Chernobyl
 
Química - Reações Orgânicas
Química - Reações OrgânicasQuímica - Reações Orgânicas
Química - Reações Orgânicas
 
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e NitrogenadasQuímica Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
Química Orgânica - Funções Orgânicas Oxigenadas e Nitrogenadas
 
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e HidrocarbonetosQuímica Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
Química Orgânica - Nomenclatura de Compostos Orgânicos e Hidrocarbonetos
 

Eletrólise: Transformação de Energia Elétrica em Química

  • 1. AULA 19 – ELETRÓLISE Eletrólise é a parte da eletroquímica que estuda a transformação de energia elétrica em energia química. ENERGIA não espontâneo ENERGIA ELÉTRICA QUÍMICA A eletrólise é um processo não espontâneo, onde ocorre a descarga de íons. Na descarga de íons os cátions irão receber elétrons, sofrendo redução; enquanto que os ânions irão ceder elétrons, sofrendo oxidação. Vejamos agora alguns exemplos de descargas: Descarga de cátions: Na+ + 1 e- Æ Na Al3+ + 3e- Æ Al Mg2+ + 2e- Æ Mg Descarga de ânions: 2 Cl- Æ Cl2 + 2e- 2 Br- Æ Br2 + 2e- 2 OH- Æ _ O2 + H2O + 2e- Para que um sistema sofra eletrólise é necessária a presença de íons livres, os quais como já vimos serão descarregados durante o processo. Na eletrólise a corrente elétrica atravessa o sistema, descarrega os íons, e provoca uma reação química (não espontânea) de óxido-redução. Acho que já deu para perceber que sem íons livres não irá ocorrer eletrólise. Obtenção de íons livres • pela fusão de substâncias iônicas • pela dissociação ou ionização de substâncias em meio aquoso Tipos de eletrólise • eletrólise ígnea (ausência de água) • eletrólise em meio aquoso Eletrólise ígnea A eletrólise ígnea é a eletrólise feita em ausência de água, normalmente são compostos iônicos fundidos. A eletrólise ígnea é por exemplo, como se obtém alumínio a partir da bauxita (minério de alumínio). 1
  • 2. Para fazermos a eletrólise é necessário termos uma fonte de corrente contínua, uma cuba eletrolítica onde se encontra o sistema que sofrerá a eletrólise e eletrodos inertes que podem ser fios de platina ou barras de carbono grafite. Como exemplo vamos fazer a eletrólise de NaCl. Primeiro passo é fundir o material para que os íons fiquem livres, se não o sistema não conduzirá corrente e não ocorrerá a eletrólise. NaCl(s) Æ NaCl(l) O NaCl fundido apresenta os seguintes íons: NaCl(l) Æ Na+(l) + Cl-(l) Quando a corrente começar a atravessar o sistema, iniciam-se as reações de óxido-redução não espontâneas. Reação catódica (redução) 2 Na+(l) + 2e- Æ 2 Na(s) Reação anódica (oxidação) 2 Cl-(l) Æ 2e- + Cl2(g) Para você lembrar: ânion migra para o ânodo, cátion migra para o cátodo. Para obtermos a equação global da eletrólise vamos somar as equações de cada etapa. Reação global da eletrólise dissociação: 2 NaCl(l) Æ 2 Na+(l) + 2 Cl-(l) reação catódica: 2 Na+(l) + 2e- Æ 2 Na(s) reação anódica: 2 Cl-(l) Æ 2e- + Cl2(g) 2
  • 3. reação global da eletrólise: 2NaCl(l) Æ 2 Na(s) + Cl2(g) Eletrólise em meio aquoso O que muda na eletrólise em meio aquoso é que a água participa do processo, portanto, ela é um pouco mais complexa. A diferença é que precisamos saber a ordem de descarga dos íons frente a água, já que essa interfere na descarga. Conhecendo a ordem de descarga dos íons podemos montar a eletrólise em meio aquoso, precisamos dos mesmos itens só que a cuba eletrolítica não precisa ter aquecedores pois não iremos fundir o material. Como exemplo vamos montar a eletrólise de NaCl em meio aquoso. 3
  • 4. O importante para montar as equações da eletrólise é identificar os íons presentes no sistema bem como não esquecer das moléculas de água que estão presentes (a água ioniza muito pouco em H+ e OH-). No nosso exemplo as espécies presentes na cuba são: NaCl que em meio aquoso dissocia em Na+ e Cl- e as moléculas de água. Quando ligarmos a fonte começa uma reação de óxido-redução não espontânea, onde os íons ou as moléculas de água serão descarregados nos respectivos pólos. No nosso exemplo irão ser descarregados primeiramente o Cl- no ânodo e H2O no cátodo. Reações dissociação do sal : 2 NaCl(aq) Æ 2 Na+(aq) + 2 Cl-(aq) água : 2 H2O(l) Æ 2 H2O(l) reação anódica: 2Cl-(aq) Æ Cl2(g) + 2e- reação catódica: 2 H2O(l) + 2 e- Æ H2(g) + 2OH-(aq) reação global:2 NaCl(aq) + 2 H2O(l) Æ Cl2(g) + H2(g) + 2 Na+(aq) + 2 OH-(aq) NaOH 4
  • 5. Observe na figura a formação de gás cloro no ânodo e de gás hidrogênio no cátodo, sobrando na cuba Na+ e OH- . Lembre–se que a água pode ser descarregada no cátodo ou no ânodo, a seguir são dadas as equações de descarga da água no cátodo e no ânodo. Descarga da água no cátodo: 2 H2O(l) + 2e- Æ H2(g) + 2 OH-(aq) no ânodo: H2O(l) Æ _ O2(g) + 2 H+(aq) + 2e- Descarga do OH- 2 OH-(aq) Æ _ O2(g) + H2O(l) + 2e- Exercícios 1)(unitau) Assinale a alternativa incorreta: a) Eletrólise ígnea é a reação química provocada pela passagem de corrente elétrica através de um composto iônico fundido. b) Eletrólise aquosa é a reação química provocada pela passagem de corrente elétrica por meio de uma solução aquosa de um eletrólito. c) Com a eletrólise podemos produzir substâncias na indústria química como a soda cáustica e hipocloritos. d) A ddp negativa indica que a reação é espontânea e que poderá ser usada para gerar corrente elétrica. e) Na eletrólise de uma solução aquosa de KI, o íon iodeto, quando volta a ser átomo, perde um elétron. 2)(fuvest) A eletrólise de cloreto de sódio fundido produz sódio metálico e gás cloro. Nesse processo, cada íon a) sódio recebe dois elétrons. b) cloreto recebe um elétron. c) sódio recebe um elétron. d) cloreto perde dois elétrons. e) sódio perde um elétron. 3)(fuvest) É comum encontrar nas lojas de materiais para piscinas o anúncio: "Temos cloro líquido." a) Há erro em tal anúncio? Explique. Quando se obtém cloro por eletrólise de solução aquosa de cloreto de sódio também se forma hidrogênio. b) Mostre como se formam o cloro e o hidrogênio nessa eletrólise. 5
  • 6. 4)(fuvest) Michael Faraday (1791-1867), eletroquímico cujo 2º centenário de nascimento se comemora este ano, comentou que "uma solução de iodeto de potássio e amido é o mais admirável teste de ação eletroquímica" pelo aparecimento de uma coloração azul, quando da passagem de corrente elétrica sobre o iodeto. a) Escreva a equação que representa a ação da corrente elétrica sobre o iodeto. b) Em que pólo surge a coloração azul? Justifique sua resposta. 5)(unicamp) O cobre metálico, para ser utilizado como condutor elétrico, precisa ser muito puro, o que se consegue por via eletrolítica. Neste processo os íons cobre-II são reduzidos no cátodo, a cobre metálico, ou seja, Cu2+ (aq) + 2e_ Æ Cu (s) Qual a massa de cobre que se obtém por mol de elétrons que atravessa a cuba eletrolítica? Massa atômica relativa do cobre = 64 6)(fatec) Obtém-se magnésio metálico por eletrólise do MgCl‚ fundido. Nesse processo, a semi-reação que ocorre no cátodo é a) Mg2+ + Mg2- Æ Mg. b) Mg2+ - 2e_ Æ Mg. c) 2Cl- - 2e_ Æ Cl2. d) Mg2+ + 2e_ Æ Mg. e) 2Cl- + 2e_ Æ Cl2. 7) Faça o esquema experimental e as equações envolvidas na eletrólise do CuSO4 em água. 8) Dê a equação global da eletrólise ígnea do Al2O3. Gabarito 1) d 2) c 3) a) O cloro nas condições ambientes, é gasoso. b) cátodo: 2H2O + 2e_ Æ H2 + 2OH- ânodo: 2Cl- Æ Cl2 + 2e_ 4) a) 2 I- Æ I2 + 2e_ 6
  • 7. b) No ânodo, onde ocorre a oxidação do iodo que com o amido adquire a coloração azul. 5) 32g 6) d 7) dissociação do sal: CuSO4(aq) Æ Cu2+(aq) + SO42-(aq) água: : H2O(l) Æ H2O(l) reação catódica : Cu (aq) + 2e- 2+ Æ Cu(s) reação anódica: H2O(l) Æ _ O2(g) + 2 H+(aq) + 2e- reação global: CuSO4(aq) + H2O Æ Cu(s) + _ O2(g) + H2SO4(aq) 8) Al2O3(l) Æ 2Al(s) + 3/2 O2(g) 7