SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
-01-
COMTE, August. Discurso sobre o espírito positivo. Os Pensadores: textos escolhidos. São
Paulo: Abril Cultural,1983.
- definições sobre o estado positivo
- relações do positivismo com a ciência
- características do positivismo
Assuntos abordados no texto - relações do positivismo com o bom senso universal
I – O ESPÍRITO POSITIVO É MAIS APTO PARA ORGANIZAR A HARMONIA MENTAL DO QUE O
ESPÍRITO TEOLÓGICO – METAFÍSICO.
TEOLÓGICO
Estados teóricos METAFÍSICO
POSITIVO (razão humana)
-02-
II – O ESTADO METAFÍSICO – EVOLUÇÃO ENTRE UMA FASE E OUTRA (TEOLÓGICA E
POSITIVA).
“explicar a natureza íntima dos seres, a origem, e o destino
de todas as coisas.” (p.47)
Filosofia
Positiva
OBS: “O espírito positivo ou ontológico só começou a tornar-se plenamente
característica da revolução seguinte, na evolução do politeísmo em monoteísmo”. A
evolução gradual que se deu entre uma fase e outra da estruturação do pensamento
científico. Cada uma das fases contribui de forma enfática para concretizar a filosofia
do método positivo. (p.48)
-03-
Fetichismo – atribui a todos os corpos exteriores vida
essencialmente análoga.
Politeísmo – vida transportada à seres fictícios diversos,
habitualmente individuais.
Monoteísmo - sujeição necessária de todos os fenômenos
naturais a leis invariáveis.
-04-
III – CARACTERÍSTICAS DO ESTADO POSITIVO.
TEOLÓGICO
“O Espírito Teológico foi por muito tempo indispensável à combinação
permanente das ideias morais, políticas, ainda mais especialmente do que às
outras. Essa filosofia não foi menos indispensável ao crescimento preliminar de
nossa sociabilidade do que ao de nossa inteligência.” (p.48)
“única base possível de
conhecimentos verdadeiramente
acessíveis”(p.48)
“apreciação sistemática dos
fatos”(p.49)
“condições interiores e exteriores,
afeta inevitavelmente cada um dos
estados”(p.49)
“subordinação da imaginação à
observação” (p.50)
“previsão racional – ver para
prever”(p.50)
-05-
IV - O ESPÍRITO POSITIVO ESTÁ APTO PARA CONSTRUIR A HARMONIA MENTAL.
“ Renunciou francamente as pesquisas inacessíveis e
circunscrevendo sabiamente sua atividade ao domínio
verdadeiramente apreciável por nossas faculdades, a
filosofia positiva lhe traz certamente uma satisfação muito
mais completa sob todos os aspectos.” (p.52)
OBS: A Filosofia positiva centra-se na infalibilidade e considera-se mais efetiva e eficaz que outras já
mencionadas.
“ Método que contribui para explicar os fenômenos e
paralelamente conduzem a sua previsão.”(p.52)
OBS: “Toda ligação real ou estática ou dinâmica descoberta entre dois fenômenos quaisquer, permite
ao mesmo tempo explicar e prevê-los um depois do outro, pois a previsão científica convém
evidentemente ao presente, assim como ao passado e ao futuro.”(p.52)
-06-
V – ESTUDO DAS RELAÇÕES ENTRE A CIÊNCIA E A ARTE.
“ O estudo da astronomia é de todos o mais conveniente para retificar essa
tendência. A relação fundamental entre a ciência e a arte não pode ser
até agora convenientemente concebida. A ação do homem sobre a
natureza ficou essencialmente limitada ao mundo inorgânico, donde
resultou uma excitação científica demasiadamente imperfeita.”(p.56)
“ A arte deverá também contemplar aspectos políticos e morais.”(p.56)
“ Quando essa solidariedade espontânea da ciência com a arte puder ser
convenientemente organizada, não podemos então duvidar de que, ao
invés de restringir as sadias especulações filosóficas, ela lhes designaria
ao contrário, um ofício muito superior ao seu alcance efetivo.”(p.56)
A razão humana
Apreciação
estática e
dinâmica
-07-
VI – A CIÊNCIA É INCOMPATÍVEL COM A TEOLOGIA DO PONTO DE VISTA DA LÓGICA E DA
DOUTRINA.
“Incompatibilidade das concepções (monoteicas, politeicas e fetichistas) tanto
com relação ao método ou a doutrina.”(p.58)
OBS: “A ciência e a teologia não se contrapõem diretamente por apresentar questões diferenciadas”. Isso
permitiu durante certo tempo o florescimento parcial do positivismo apesar das ascendência geral
do teologismo. A previsão racional constitui o principal caráter da verdadeira ciência.”(p.58)
“O espírito positivo em consequência da falta de generalidade característica de sua lenta evolução
parcial, não podia convenientemente formular suas próprias tendências filosóficas, que se torna-
ram apenas sensíveis diretamente durante os últimos séculos.”(p.59)
-08-
ESCOLA DE TALES “Contribuiu para fundamentar a teoria do positivismo.
Decadência do regime politeico.”(p.59)
OBS: “O estudo racional dessa oposição demonstra claramente que não podia limitar-se à teologia antiga,
devendo estender-se em seguida ao próprio monoteísmo, embora sua energia tenha necessitado
de crescer, na medida que o espírito teológico continuava a decair em virtude do mesmo
progresso espontâneo.”(p.59)
REGIME MONOTEICO “Evolução preliminar do espírito positivo.”(p.60)
PRINCÍPIO DAS CONDIÇÕES DE EXISTENCIA
“Substituiu o dogma das causas finais”(p.61)
“Caráter sistemático”(p.61)
“Oferece num grau mais alto todas as propriedades lógicas”(p.61)
-09-
VII – CARACTERES DISTINTIVOS DO ESPÍRITO POSITIVO COM O BOM SENSO UNIVERSAL.
- “real, em oposição a quimérico”(p.62)
- “contraste entre útil e ocioso”(p.62)
- “oposição entre certeza e indecisão”(p.62)
- “oposição entre o preciso e o vago”((p.62)
- “positivo como contrário de negativo”(p.62)
OBS: “Estas características distinguem o método positivo de todos os outros modos possíveis, quer teológicos, quer
metafísicos, próprios a filosofia inicial.”(p.62)
VIII – Relações do espírito positivo com o bom senso universal.
“ O verdadeiro espírito filosófico consiste sobretudo na extensão sistemática do simples
bom senso a todas as especulações verdadeiramente acessíveis.”(p.63)
“ Vista sobre o aspecto dogmático, essa conexão fundamental representa a ciência propriamente
dita como simples prolongamento metódico da sabedoria universal.”(p.63)
-10-
IX – AS ESCOLAS POLÍTICAS ATUAIS SÃO IMPOTENTES PARA CONCILIAR A ORDEM E O
PROGRESSO.
“ O progresso constitui, como a ordem, uma das duas condições fundamentais
da civilização moderna.”(p.67)
PALAVRA POSITIVO
OBS: A ordem e o progresso característicos do método positivista guiaram a método científico
para a sistematização dos procedimentos aplicados sobre o sujeito estudado.
-11-
X – O POSITIVISMO FAZ DA ORDEM A CONDIÇÃO E DO PROGRESSO A META DA ORDEM.
ASSEGURA A ORDEM E GARANTE O PROGRESSO.
“Atualmente o espírito positivo se constitui como a única base possível para uma
verdadeira resolução da profunda anarquia intelectual e moral, que caracteriza
sobremaneira a grande crise moderna.”(p.68-69)
OBS: “O espírito positivo terá sempre a estabelecer exata harmonia elementar entre as ideias de
existências e as ideias de movimento.”(p.69)
“ Os conhecimentos do positivismo inspirou a fórmula de
Pascal, a primeira noção racional de progresso
humano.”(p.70)
OBS: “Sob o aspecto mais sistemático, a nova filosofia indica diretamente como seria necessário de toda
a nossa existência ao mesmo tempo pessoal e social, o melhoramento contínuo de nossa condição, e
sobretudo de nossa natureza.”(p.70)
OBS: “O espírito positivo em virtude de sua natureza eminentemente relativa, é o único a poder
representar comumentemente todas as épocas históricas, como tantas fases determinadas duma
evolução fundamental, onde cada uma resulta da precedente e prepara a seguinte.”(p.71)
-12-
XI – VALOR MORAL DO POSITIVISMO.
“ Na antiguidade a moral, radicalmente subordinada à política nunca podia adquirir
nem a dignidade, nem a universidade convenientes a sua natureza. Sua
independência fundamental e até sua ascendência normal resultaram em fim, no
regime monoteico da idade média.”(p.72)
OBS: “As diversas escolas monoteicas não impedirão o espírito positivo de terminar hoje sobre condições
convenientes, a conquista prática e teórica do domínio moral já cada vez mais entregue À razão
humana.”(p.73)
XII – A moral pública, o espírito positivo e o bom senso universal.
“ As convicções racionais puderam secundar as crenças teológicas, ou melhor,
substituí-las gradualmente a medida em que a fé se extinguira.”(p.74)
FORMULA FILOSOFICA DE
PASCAL
-13-
XIII – NECESSIDADE DE NOVO PODER ESPIRITUAL.
“Em nome da moral é preciso trabalhar para constituir a ascendência
universal do espírito positivo.”(p.75)
OBS: “O novo poder moral utilizará cuidadosamente a feliz aptidão da filosofia correspondente para
incorporar espontaneamente a sabedoria de todos os diversos regimes anteriores, segundo a tendente
ordinária do espírito positivo a respeito de um assunto qualquer.”(p.76)
-14-
XIV – CARÁTER EGOÍSTA DA MORAL TEOLÓGICO-METAFÍSICA.
O espírito positivo como sendo por natureza o único suscetível de desenvolver
diretamente o sentimento social, primeira base necessária de toda moral sadia.
(p.76)
OBS: “Esta tendência tão deplorável, e com tudo, tão constante, deve ter raízes mais profundas do que
se supõe comumente. Ela resulta, sobretudo, da natureza essencialmente pessoal dessa
filosofia.”(p.76)
OBS: “Para cada um de seus adeptos, o pensamento dominante é o “eu”, todas e quaisquer outras
existências mesmo humanas são confusamente envolvidas numa única concepção
negativa.”(p.76)
OBS: “A metafísica deriva, tanto dogmática quanto historicamente, da própria teologia.”(p.76)
OBS: “O pensamento teológico é , por sua natureza, essencialmente individual nunca diretamente
coletivo.”(p.77)
-15-
XV – ALTRUÍSMO DA MORAL POSITIVA.
“ao contrário da teologia, o espírito positivo é diretamente social” (p.77)
“o homem propriamente dito não existe, existindo apenas a humanidade.” (p.77)
“Prolongar-se por meio da espécie, o indivíduo será impulsionado a nela se
incorporar o mais completamente possível, ligando-se profundamente a toda
sua existência coletiva, não apenas atual, mas também passada e, antes de
tudo, futura.” (p.78)
-16-
XVI – CONDIÇÕES DE ESTABELECIMENTO DO REGIME POLÍTICO.
governados
governantes
Meditação
Social
OBS: “Manter a ordem política no meio de uma profunda desordem moral.”(p.79)
POSITIVISMO
“Mais orgânica que a escola teológica” (p.79)
“A escola positiva tende de um lado a consolidar todos os poderes atuais, sejam quais
forem seus possuidores e de outro a impor obrigações morais.”(p.80)
CONDIÇÕES FAVORÁVEIS
Aspecto Social
Manutenção Material
Experiência
Contemporânea
Interior e
exterior
-17-
XVII – A EDUCAÇÃO UNIVERSAL.
“ Para vencer as especulações, a educação foi usada para organizar o espaço
de atuação do método.”(p.80)
“ Apelo ao bom senso universal” (p.80)
“ Fora a geometria, a astronomia, a química, seria então uma formação para
ciências fundamentais” (p.81)
“ Clareza de tudo” (p.81)
-18-
XVIII – A EDUCAÇÃO UNIVERSAL SE DESTINA AOS PROLETÁRIOS.
“Ensino dirigido a classe mais numerosa” (p.82)
“Situação: tendências e necessidades que resultam de sua situação característica,
torna o proletariado mais favorável a acolher a nova filosofia positiva.”(p.82)
“O proletariado foi menos afetado pela filosofia transitória, e em consequência disto
está mais predisposto ao estado positivo.”(p.83)
-19-
XIX – A POLÍTICA POPULAR SEGUNDO O POSITIVISMO.
“ Não encontra hoje um sólido apoio, não ser o povo propriamente dito, o único
disposto a bem compreende-la e por ela se interessar profundamente.” (p.86)
“ (...) a escola positiva terá muito maior facilidade em fazer penetrar este salutar
ensino nos espíritos populares que em qualquer outra parte, seja porque a
metafísica negativa aí não pode enraizar-se (...)” (p.86)
-20-
XX – PAPEL DO GOVERNO.
“Que os governos atuais percebam logo quanto a propagação universal dos
conhecimentos reais pode secundar cada vez mais seus esforços contínuos para a
difícil manutenção duma ordem indispensável, não nos cabe esperar deles, nem
mesmo desejar, uma cooperação verdadeiramente ativa nesta grande preparação
racional (...)” (p.87)
“A escola positiva terá que pedir por muito tempo a nosso governo ocidental, a fim de
que possa cumprir convenientemente seu grande ofício social, apenas a liberdade
plena de exposição e de discussão, equivalente àquela de que já gozam a escola
teológica e a escola metafísica.” (p. 87)
XXI – ORDEM DOS ESTUDOS POSITIVOS.
XXII – HIERARQUIA DAS CIENCIAS.
ARRANJO DIDÁTICO
Condições essenciais
DOGMÁTICA HISTÓRICA
“Ordena as ciências segundo
sua dependência sucessiva,
de sorte que cada uma
repouse sobre a precedente e
prepare a seguinte.”(p.88)
“Prescreve sua disposição
conforme a marcha de sua
formação efetiva, passando
sempre das mais antigas
para as mais recentes.”(p.89)
“Não se poderia, com efeito, estudar
racionalmente os fenômenos estáticos ou
dinâmicos da sociabilidade se, primeiramente,
não se conhecesse suficientemente o agente
especial que os opera e o meio geral que se
realizam.”(p.89)
Filosofia Natural
Matemática: cálculo, geometria e
mecânica
(Astronomia, física, química, e
biologia)
Filosofia
Social
-21-
-22-
XXIII – A LEI ENCICLOPÉDICA COMPLETA A LEI DOS TRÊS ESTADOS.
XXIV – CONCLUSÃO: A IMPORTANCIA DA ASTRONOMIA NA EDUCAÇÃO POPULAR.
“ A combinação racional dessas duas ideias mestras,
constituindo a unidade necessária do sistema cientifico, cujas
partes concorrem progressivamente a um mesmo fim,
assegura também, de outra parte, a justa independência dos
diversos elementos principais, muitíssimas vezes alterados
ainda pro aproximações viciosas.”(p.92)
-23-
“Para cada rápida iniciação individual, como para uma lenta
iniciação coletiva, permanecerá sempre indispensável que o
espírito positivo, desenvolvendo seu regime na medida em
que amplia seu domínio, eleve-se pouco a pouco do estado
matemático inicial ao estado sociológico final, percorrendo
sucessivamente os quatro graus intermediários, astronômico,
físico, químico e biológico.”(p.93)
“(...) é preciso, contudo, considerar que não se trata ainda de
estabelecer uma sistematização direta e completa da
instrução popular, mas somente de dirigir de modo
conveniente o impulso filosófico que aí deve
desembocar”.(p.93)
“O florescimento sistemático da positividade moderna,
tendendo abertamente a um novo regime filosófico, resultou
essencialmente da grande renovação astronômica iniciada por
Copérnico, Kleper e Galileu.”(p.93)
-24-
O positivismo dentre todos os outros métodos de análise científica da realidade dedicou-se a
um estudo mais sistemático dos fenômenos sociais, transformando-se em uma filosofia diferenciada pela
sua praticidade, que seria estudar o fenômenos de forma a observá-los, ou seja, subordinando a
imaginação a subordinação. As outras filosofias anteriores demonstraram certas irregularidades
(teologia e metafísica) que não respondiam ás exigências metodológicas usadas no positivismo .
Comte preocupou-se em tentar elaborar um sistema de valores adaptado com a realidade que o mundo
vivia na época da Revolução Industrial, valorizando o ser humano, a paz e a concórdia universal. Sua
teoria que fundamentava-se no lema “ordem e progresso” influenciou pensadores no mundo inteiro. Como
afirma o próprio Comte “ o progresso constitui, como a ordem, uma das duas condições fundamentais da
civilização moderna”.
Rosyane de Moraes Martins Dutra.
CONSIDERAÇÕES PESSOAIS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nietzsche e a transmutacao de valores
Nietzsche e a transmutacao de valoresNietzsche e a transmutacao de valores
Nietzsche e a transmutacao de valoresMatheus Felipe
 
Apresentação slides i john locke teoria politica ii(1)
Apresentação slides i john locke teoria politica ii(1)Apresentação slides i john locke teoria politica ii(1)
Apresentação slides i john locke teoria politica ii(1)TamelaG
 
A questão ética em tomás de aquino
A questão ética em tomás de aquinoA questão ética em tomás de aquino
A questão ética em tomás de aquinoEdimar Brígido
 
Os contratualistas
Os contratualistasOs contratualistas
Os contratualistasConrado_p_m
 
Contratualistas quadro-comparativo
Contratualistas quadro-comparativoContratualistas quadro-comparativo
Contratualistas quadro-comparativoEurico Junior
 
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel FoucaultAula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel FoucaultProf. Noe Assunção
 
O empirismo de John Locke
O empirismo de John LockeO empirismo de John Locke
O empirismo de John LockeJoão Marcelo
 
Mapa conceitual - Filosofia política
Mapa conceitual - Filosofia políticaMapa conceitual - Filosofia política
Mapa conceitual - Filosofia políticaGilberto Cotrim
 
Mudança e transformação social
Mudança e transformação socialMudança e transformação social
Mudança e transformação socialEricka Bastos
 
Filosofia moderna e suas características
Filosofia moderna e suas característicasFilosofia moderna e suas características
Filosofia moderna e suas característicasAlexandre Misturini
 
Filosofia - O Ser Humano
Filosofia - O Ser HumanoFilosofia - O Ser Humano
Filosofia - O Ser HumanoVictoria Souza
 
A República de Platão
A República de PlatãoA República de Platão
A República de PlatãoLuci Bonini
 

Mais procurados (20)

Nietzsche e a transmutacao de valores
Nietzsche e a transmutacao de valoresNietzsche e a transmutacao de valores
Nietzsche e a transmutacao de valores
 
Personalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e TestesPersonalidade - Teorias e Testes
Personalidade - Teorias e Testes
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Apresentação slides i john locke teoria politica ii(1)
Apresentação slides i john locke teoria politica ii(1)Apresentação slides i john locke teoria politica ii(1)
Apresentação slides i john locke teoria politica ii(1)
 
O que é ideologia
O que é ideologiaO que é ideologia
O que é ideologia
 
A questão ética em tomás de aquino
A questão ética em tomás de aquinoA questão ética em tomás de aquino
A questão ética em tomás de aquino
 
Os contratualistas
Os contratualistasOs contratualistas
Os contratualistas
 
Contratualistas quadro-comparativo
Contratualistas quadro-comparativoContratualistas quadro-comparativo
Contratualistas quadro-comparativo
 
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel FoucaultAula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
 
Ideologia e Alienação
Ideologia e AlienaçãoIdeologia e Alienação
Ideologia e Alienação
 
Gestalt-Terapia
Gestalt-TerapiaGestalt-Terapia
Gestalt-Terapia
 
O empirismo de John Locke
O empirismo de John LockeO empirismo de John Locke
O empirismo de John Locke
 
Mapa conceitual - Filosofia política
Mapa conceitual - Filosofia políticaMapa conceitual - Filosofia política
Mapa conceitual - Filosofia política
 
Contratualistas
ContratualistasContratualistas
Contratualistas
 
Mudança e transformação social
Mudança e transformação socialMudança e transformação social
Mudança e transformação social
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
 
A retórica
A retóricaA retórica
A retórica
 
Filosofia moderna e suas características
Filosofia moderna e suas característicasFilosofia moderna e suas características
Filosofia moderna e suas características
 
Filosofia - O Ser Humano
Filosofia - O Ser HumanoFilosofia - O Ser Humano
Filosofia - O Ser Humano
 
A República de Platão
A República de PlatãoA República de Platão
A República de Platão
 

Destaque

AVIS BIASSONO Assemblea2010
AVIS BIASSONO Assemblea2010AVIS BIASSONO Assemblea2010
AVIS BIASSONO Assemblea2010maxerba
 
La escuela superior politécnica de chimborazo
La escuela superior politécnica de chimborazoLa escuela superior politécnica de chimborazo
La escuela superior politécnica de chimborazomiryam_espin
 
Waxman-Markey Climate Bill
Waxman-Markey Climate BillWaxman-Markey Climate Bill
Waxman-Markey Climate Billmarkemmettwilson
 
Saurabh_Patel_Resume_2Pager
Saurabh_Patel_Resume_2PagerSaurabh_Patel_Resume_2Pager
Saurabh_Patel_Resume_2PagerSaurabh Patel
 
Herramientas web
Herramientas webHerramientas web
Herramientas webkosner215
 
Guía comprensión lectora
Guía comprensión lectoraGuía comprensión lectora
Guía comprensión lectorafcagonzalez
 
Kubernetes University, Cap sur l’orchestration Docker
Kubernetes University, Cap sur l’orchestration DockerKubernetes University, Cap sur l’orchestration Docker
Kubernetes University, Cap sur l’orchestration DockerJean-Baptiste Claramonte
 
πρόγραμμα αύλειου χώρου
πρόγραμμα αύλειου χώρουπρόγραμμα αύλειου χώρου
πρόγραμμα αύλειου χώρουmargalian
 
Practica 3 power point
Practica 3 power pointPractica 3 power point
Practica 3 power pointeq3analiticauv
 
Sex i kryzysy w social media #hot
Sex i kryzysy w social media #hotSex i kryzysy w social media #hot
Sex i kryzysy w social media #hotMonika Czaplicka
 
⭐⭐⭐⭐⭐ INTRODUCCÓN A LOS CPLDs Y FPGAs
⭐⭐⭐⭐⭐ INTRODUCCÓN A LOS CPLDs Y FPGAs⭐⭐⭐⭐⭐ INTRODUCCÓN A LOS CPLDs Y FPGAs
⭐⭐⭐⭐⭐ INTRODUCCÓN A LOS CPLDs Y FPGAsVictor Asanza
 
proceso de lapiz labial
proceso de lapiz labialproceso de lapiz labial
proceso de lapiz labialiris_winni
 
Ventajas y limitaciones en el uso de recursos tecnologicos en el proceso de e...
Ventajas y limitaciones en el uso de recursos tecnologicos en el proceso de e...Ventajas y limitaciones en el uso de recursos tecnologicos en el proceso de e...
Ventajas y limitaciones en el uso de recursos tecnologicos en el proceso de e...ayerim1993
 

Destaque (20)

10012015-md-nv-11
10012015-md-nv-1110012015-md-nv-11
10012015-md-nv-11
 
Khurshid EAEGI
Khurshid EAEGIKhurshid EAEGI
Khurshid EAEGI
 
Primera parte de los medios visuales
Primera parte de los medios visualesPrimera parte de los medios visuales
Primera parte de los medios visuales
 
AVIS BIASSONO Assemblea2010
AVIS BIASSONO Assemblea2010AVIS BIASSONO Assemblea2010
AVIS BIASSONO Assemblea2010
 
La escuela superior politécnica de chimborazo
La escuela superior politécnica de chimborazoLa escuela superior politécnica de chimborazo
La escuela superior politécnica de chimborazo
 
Baby
BabyBaby
Baby
 
Marketing
MarketingMarketing
Marketing
 
Waxman-Markey Climate Bill
Waxman-Markey Climate BillWaxman-Markey Climate Bill
Waxman-Markey Climate Bill
 
Saurabh_Patel_Resume_2Pager
Saurabh_Patel_Resume_2PagerSaurabh_Patel_Resume_2Pager
Saurabh_Patel_Resume_2Pager
 
Herramientas web
Herramientas webHerramientas web
Herramientas web
 
Technical Production List Fengshan
Technical Production List FengshanTechnical Production List Fengshan
Technical Production List Fengshan
 
Rompecabezas2.1
Rompecabezas2.1Rompecabezas2.1
Rompecabezas2.1
 
Guía comprensión lectora
Guía comprensión lectoraGuía comprensión lectora
Guía comprensión lectora
 
Kubernetes University, Cap sur l’orchestration Docker
Kubernetes University, Cap sur l’orchestration DockerKubernetes University, Cap sur l’orchestration Docker
Kubernetes University, Cap sur l’orchestration Docker
 
πρόγραμμα αύλειου χώρου
πρόγραμμα αύλειου χώρουπρόγραμμα αύλειου χώρου
πρόγραμμα αύλειου χώρου
 
Practica 3 power point
Practica 3 power pointPractica 3 power point
Practica 3 power point
 
Sex i kryzysy w social media #hot
Sex i kryzysy w social media #hotSex i kryzysy w social media #hot
Sex i kryzysy w social media #hot
 
⭐⭐⭐⭐⭐ INTRODUCCÓN A LOS CPLDs Y FPGAs
⭐⭐⭐⭐⭐ INTRODUCCÓN A LOS CPLDs Y FPGAs⭐⭐⭐⭐⭐ INTRODUCCÓN A LOS CPLDs Y FPGAs
⭐⭐⭐⭐⭐ INTRODUCCÓN A LOS CPLDs Y FPGAs
 
proceso de lapiz labial
proceso de lapiz labialproceso de lapiz labial
proceso de lapiz labial
 
Ventajas y limitaciones en el uso de recursos tecnologicos en el proceso de e...
Ventajas y limitaciones en el uso de recursos tecnologicos en el proceso de e...Ventajas y limitaciones en el uso de recursos tecnologicos en el proceso de e...
Ventajas y limitaciones en el uso de recursos tecnologicos en el proceso de e...
 

Semelhante a O Positivismo como base para a harmonia mental e progresso da humanidade

Espa o e g nero na compreens_o do processo sa_de-doen_a da mulher
Espa o e g nero na compreens_o do processo sa_de-doen_a da mulherEspa o e g nero na compreens_o do processo sa_de-doen_a da mulher
Espa o e g nero na compreens_o do processo sa_de-doen_a da mulherThales Viegas
 
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologiaSlide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologiaUniversidade de Fortaleza
 
Psicologia, uma (nova) introdução
Psicologia, uma (nova) introduçãoPsicologia, uma (nova) introdução
Psicologia, uma (nova) introduçãoBruno Carrasco
 
éTica Aula005
éTica Aula005éTica Aula005
éTica Aula005Luiz
 
019 Correntes do pensamento positivista.pptx
019 Correntes do pensamento positivista.pptx019 Correntes do pensamento positivista.pptx
019 Correntes do pensamento positivista.pptxMilena Leite
 
(2) sociedade teosófica parte ii - o movimento
(2) sociedade teosófica   parte ii - o movimento(2) sociedade teosófica   parte ii - o movimento
(2) sociedade teosófica parte ii - o movimentoGraciette Andrade
 
Pedagogia espírita
Pedagogia espíritaPedagogia espírita
Pedagogia espíritaDalila Melo
 
Roteiro de aula: Psicologia Social Contemporânea
Roteiro de aula: Psicologia Social ContemporâneaRoteiro de aula: Psicologia Social Contemporânea
Roteiro de aula: Psicologia Social ContemporâneaLucas Rodrigues
 
Texto 7 homem em movimento
Texto 7 homem em movimentoTexto 7 homem em movimento
Texto 7 homem em movimentoPsicologia_2015
 
Filósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosFilósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosJecyane
 
Andrada e souza, 2012
Andrada e souza, 2012Andrada e souza, 2012
Andrada e souza, 2012prosped
 
A psicologia no brasil um ensaio sobre suas contradiçõe [28-maio] (1)
A psicologia no brasil   um ensaio sobre suas contradiçõe [28-maio] (1)A psicologia no brasil   um ensaio sobre suas contradiçõe [28-maio] (1)
A psicologia no brasil um ensaio sobre suas contradiçõe [28-maio] (1)Suelem Fernandes
 

Semelhante a O Positivismo como base para a harmonia mental e progresso da humanidade (20)

Espa o e g nero na compreens_o do processo sa_de-doen_a da mulher
Espa o e g nero na compreens_o do processo sa_de-doen_a da mulherEspa o e g nero na compreens_o do processo sa_de-doen_a da mulher
Espa o e g nero na compreens_o do processo sa_de-doen_a da mulher
 
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologiaSlide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
Slide: A psicologia social e uma nova concepção do homem para a psicologia
 
Psicologia, uma (nova) introdução
Psicologia, uma (nova) introduçãoPsicologia, uma (nova) introdução
Psicologia, uma (nova) introdução
 
éTica Aula005
éTica Aula005éTica Aula005
éTica Aula005
 
019 Correntes do pensamento positivista.pptx
019 Correntes do pensamento positivista.pptx019 Correntes do pensamento positivista.pptx
019 Correntes do pensamento positivista.pptx
 
(2) sociedade teosófica parte ii - o movimento
(2) sociedade teosófica   parte ii - o movimento(2) sociedade teosófica   parte ii - o movimento
(2) sociedade teosófica parte ii - o movimento
 
Pedagogia espírita
Pedagogia espíritaPedagogia espírita
Pedagogia espírita
 
Vigotski e o aprender a a prender
Vigotski e o aprender a a prenderVigotski e o aprender a a prender
Vigotski e o aprender a a prender
 
Vigotski e o aprender a aprender
Vigotski e o aprender a aprenderVigotski e o aprender a aprender
Vigotski e o aprender a aprender
 
Apostila - SOCIAL 2
Apostila - SOCIAL 2Apostila - SOCIAL 2
Apostila - SOCIAL 2
 
Roteiro de aula: Psicologia Social Contemporânea
Roteiro de aula: Psicologia Social ContemporâneaRoteiro de aula: Psicologia Social Contemporânea
Roteiro de aula: Psicologia Social Contemporânea
 
Texto 7 homem em movimento
Texto 7 homem em movimentoTexto 7 homem em movimento
Texto 7 homem em movimento
 
Filósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-SocráticosFilósofos Pré-Socráticos
Filósofos Pré-Socráticos
 
Filosofia e realidade2.pptx
Filosofia e realidade2.pptxFilosofia e realidade2.pptx
Filosofia e realidade2.pptx
 
172
172172
172
 
Andrada e souza, 2012
Andrada e souza, 2012Andrada e souza, 2012
Andrada e souza, 2012
 
A psicologia no brasil um ensaio sobre suas contradiçõe [28-maio] (1)
A psicologia no brasil   um ensaio sobre suas contradiçõe [28-maio] (1)A psicologia no brasil   um ensaio sobre suas contradiçõe [28-maio] (1)
A psicologia no brasil um ensaio sobre suas contradiçõe [28-maio] (1)
 
Borderlineidentificacao
BorderlineidentificacaoBorderlineidentificacao
Borderlineidentificacao
 
Psicologia 1850 a 1950 foucault
Psicologia 1850 a 1950 foucaultPsicologia 1850 a 1950 foucault
Psicologia 1850 a 1950 foucault
 
Slide positivismo
Slide positivismoSlide positivismo
Slide positivismo
 

Mais de Rosyane Dutra

Plano de Aula e elementos para um bom plano
Plano de Aula e elementos para um bom planoPlano de Aula e elementos para um bom plano
Plano de Aula e elementos para um bom planoRosyane Dutra
 
complementar - a relação pedagógica.pdf
complementar - a relação pedagógica.pdfcomplementar - a relação pedagógica.pdf
complementar - a relação pedagógica.pdfRosyane Dutra
 
complementar - taxionomia de bloom.pdf
complementar - taxionomia de bloom.pdfcomplementar - taxionomia de bloom.pdf
complementar - taxionomia de bloom.pdfRosyane Dutra
 
complementar - quadro_das_concepcoess_pedagogicas.pdf
complementar - quadro_das_concepcoess_pedagogicas.pdfcomplementar - quadro_das_concepcoess_pedagogicas.pdf
complementar - quadro_das_concepcoess_pedagogicas.pdfRosyane Dutra
 
Proposta roteirodeaula
Proposta roteirodeaulaProposta roteirodeaula
Proposta roteirodeaulaRosyane Dutra
 
Manual de selecao 2012
Manual de selecao 2012Manual de selecao 2012
Manual de selecao 2012Rosyane Dutra
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraesRosyane Dutra
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraesRosyane Dutra
 
I seminário da disciplina estado e política educacional
I seminário da disciplina estado e política educacionalI seminário da disciplina estado e política educacional
I seminário da disciplina estado e política educacionalRosyane Dutra
 
Avaliação para conselho
Avaliação para conselhoAvaliação para conselho
Avaliação para conselhoRosyane Dutra
 
Mapa conceitual durkheim
Mapa conceitual durkheimMapa conceitual durkheim
Mapa conceitual durkheimRosyane Dutra
 
Formação de professores na escola capitalista
Formação de professores na escola capitalistaFormação de professores na escola capitalista
Formação de professores na escola capitalistaRosyane Dutra
 

Mais de Rosyane Dutra (19)

Plano de Aula e elementos para um bom plano
Plano de Aula e elementos para um bom planoPlano de Aula e elementos para um bom plano
Plano de Aula e elementos para um bom plano
 
complementar - a relação pedagógica.pdf
complementar - a relação pedagógica.pdfcomplementar - a relação pedagógica.pdf
complementar - a relação pedagógica.pdf
 
complementar - taxionomia de bloom.pdf
complementar - taxionomia de bloom.pdfcomplementar - taxionomia de bloom.pdf
complementar - taxionomia de bloom.pdf
 
complementar - quadro_das_concepcoess_pedagogicas.pdf
complementar - quadro_das_concepcoess_pedagogicas.pdfcomplementar - quadro_das_concepcoess_pedagogicas.pdf
complementar - quadro_das_concepcoess_pedagogicas.pdf
 
Proposta roteirodeaula
Proposta roteirodeaulaProposta roteirodeaula
Proposta roteirodeaula
 
Manual de selecao 2012
Manual de selecao 2012Manual de selecao 2012
Manual de selecao 2012
 
Artigoparajornal
ArtigoparajornalArtigoparajornal
Artigoparajornal
 
Identidade
IdentidadeIdentidade
Identidade
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
 
Carnaval
CarnavalCarnaval
Carnaval
 
Palavras magicas
Palavras magicasPalavras magicas
Palavras magicas
 
Contos
ContosContos
Contos
 
Situações
SituaçõesSituações
Situações
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
 
Slides gt
Slides gtSlides gt
Slides gt
 
I seminário da disciplina estado e política educacional
I seminário da disciplina estado e política educacionalI seminário da disciplina estado e política educacional
I seminário da disciplina estado e política educacional
 
Avaliação para conselho
Avaliação para conselhoAvaliação para conselho
Avaliação para conselho
 
Mapa conceitual durkheim
Mapa conceitual durkheimMapa conceitual durkheim
Mapa conceitual durkheim
 
Formação de professores na escola capitalista
Formação de professores na escola capitalistaFormação de professores na escola capitalista
Formação de professores na escola capitalista
 

Último

ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 

Último (20)

“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 

O Positivismo como base para a harmonia mental e progresso da humanidade

  • 1. -01- COMTE, August. Discurso sobre o espírito positivo. Os Pensadores: textos escolhidos. São Paulo: Abril Cultural,1983. - definições sobre o estado positivo - relações do positivismo com a ciência - características do positivismo Assuntos abordados no texto - relações do positivismo com o bom senso universal I – O ESPÍRITO POSITIVO É MAIS APTO PARA ORGANIZAR A HARMONIA MENTAL DO QUE O ESPÍRITO TEOLÓGICO – METAFÍSICO. TEOLÓGICO Estados teóricos METAFÍSICO POSITIVO (razão humana) -02- II – O ESTADO METAFÍSICO – EVOLUÇÃO ENTRE UMA FASE E OUTRA (TEOLÓGICA E POSITIVA). “explicar a natureza íntima dos seres, a origem, e o destino de todas as coisas.” (p.47) Filosofia Positiva OBS: “O espírito positivo ou ontológico só começou a tornar-se plenamente característica da revolução seguinte, na evolução do politeísmo em monoteísmo”. A evolução gradual que se deu entre uma fase e outra da estruturação do pensamento científico. Cada uma das fases contribui de forma enfática para concretizar a filosofia do método positivo. (p.48)
  • 2. -03- Fetichismo – atribui a todos os corpos exteriores vida essencialmente análoga. Politeísmo – vida transportada à seres fictícios diversos, habitualmente individuais. Monoteísmo - sujeição necessária de todos os fenômenos naturais a leis invariáveis. -04- III – CARACTERÍSTICAS DO ESTADO POSITIVO. TEOLÓGICO “O Espírito Teológico foi por muito tempo indispensável à combinação permanente das ideias morais, políticas, ainda mais especialmente do que às outras. Essa filosofia não foi menos indispensável ao crescimento preliminar de nossa sociabilidade do que ao de nossa inteligência.” (p.48) “única base possível de conhecimentos verdadeiramente acessíveis”(p.48) “apreciação sistemática dos fatos”(p.49) “condições interiores e exteriores, afeta inevitavelmente cada um dos estados”(p.49) “subordinação da imaginação à observação” (p.50) “previsão racional – ver para prever”(p.50)
  • 3. -05- IV - O ESPÍRITO POSITIVO ESTÁ APTO PARA CONSTRUIR A HARMONIA MENTAL. “ Renunciou francamente as pesquisas inacessíveis e circunscrevendo sabiamente sua atividade ao domínio verdadeiramente apreciável por nossas faculdades, a filosofia positiva lhe traz certamente uma satisfação muito mais completa sob todos os aspectos.” (p.52) OBS: A Filosofia positiva centra-se na infalibilidade e considera-se mais efetiva e eficaz que outras já mencionadas. “ Método que contribui para explicar os fenômenos e paralelamente conduzem a sua previsão.”(p.52) OBS: “Toda ligação real ou estática ou dinâmica descoberta entre dois fenômenos quaisquer, permite ao mesmo tempo explicar e prevê-los um depois do outro, pois a previsão científica convém evidentemente ao presente, assim como ao passado e ao futuro.”(p.52) -06- V – ESTUDO DAS RELAÇÕES ENTRE A CIÊNCIA E A ARTE. “ O estudo da astronomia é de todos o mais conveniente para retificar essa tendência. A relação fundamental entre a ciência e a arte não pode ser até agora convenientemente concebida. A ação do homem sobre a natureza ficou essencialmente limitada ao mundo inorgânico, donde resultou uma excitação científica demasiadamente imperfeita.”(p.56) “ A arte deverá também contemplar aspectos políticos e morais.”(p.56) “ Quando essa solidariedade espontânea da ciência com a arte puder ser convenientemente organizada, não podemos então duvidar de que, ao invés de restringir as sadias especulações filosóficas, ela lhes designaria ao contrário, um ofício muito superior ao seu alcance efetivo.”(p.56) A razão humana Apreciação estática e dinâmica
  • 4. -07- VI – A CIÊNCIA É INCOMPATÍVEL COM A TEOLOGIA DO PONTO DE VISTA DA LÓGICA E DA DOUTRINA. “Incompatibilidade das concepções (monoteicas, politeicas e fetichistas) tanto com relação ao método ou a doutrina.”(p.58) OBS: “A ciência e a teologia não se contrapõem diretamente por apresentar questões diferenciadas”. Isso permitiu durante certo tempo o florescimento parcial do positivismo apesar das ascendência geral do teologismo. A previsão racional constitui o principal caráter da verdadeira ciência.”(p.58) “O espírito positivo em consequência da falta de generalidade característica de sua lenta evolução parcial, não podia convenientemente formular suas próprias tendências filosóficas, que se torna- ram apenas sensíveis diretamente durante os últimos séculos.”(p.59) -08- ESCOLA DE TALES “Contribuiu para fundamentar a teoria do positivismo. Decadência do regime politeico.”(p.59) OBS: “O estudo racional dessa oposição demonstra claramente que não podia limitar-se à teologia antiga, devendo estender-se em seguida ao próprio monoteísmo, embora sua energia tenha necessitado de crescer, na medida que o espírito teológico continuava a decair em virtude do mesmo progresso espontâneo.”(p.59) REGIME MONOTEICO “Evolução preliminar do espírito positivo.”(p.60) PRINCÍPIO DAS CONDIÇÕES DE EXISTENCIA “Substituiu o dogma das causas finais”(p.61) “Caráter sistemático”(p.61) “Oferece num grau mais alto todas as propriedades lógicas”(p.61)
  • 5. -09- VII – CARACTERES DISTINTIVOS DO ESPÍRITO POSITIVO COM O BOM SENSO UNIVERSAL. - “real, em oposição a quimérico”(p.62) - “contraste entre útil e ocioso”(p.62) - “oposição entre certeza e indecisão”(p.62) - “oposição entre o preciso e o vago”((p.62) - “positivo como contrário de negativo”(p.62) OBS: “Estas características distinguem o método positivo de todos os outros modos possíveis, quer teológicos, quer metafísicos, próprios a filosofia inicial.”(p.62) VIII – Relações do espírito positivo com o bom senso universal. “ O verdadeiro espírito filosófico consiste sobretudo na extensão sistemática do simples bom senso a todas as especulações verdadeiramente acessíveis.”(p.63) “ Vista sobre o aspecto dogmático, essa conexão fundamental representa a ciência propriamente dita como simples prolongamento metódico da sabedoria universal.”(p.63) -10- IX – AS ESCOLAS POLÍTICAS ATUAIS SÃO IMPOTENTES PARA CONCILIAR A ORDEM E O PROGRESSO. “ O progresso constitui, como a ordem, uma das duas condições fundamentais da civilização moderna.”(p.67) PALAVRA POSITIVO OBS: A ordem e o progresso característicos do método positivista guiaram a método científico para a sistematização dos procedimentos aplicados sobre o sujeito estudado.
  • 6. -11- X – O POSITIVISMO FAZ DA ORDEM A CONDIÇÃO E DO PROGRESSO A META DA ORDEM. ASSEGURA A ORDEM E GARANTE O PROGRESSO. “Atualmente o espírito positivo se constitui como a única base possível para uma verdadeira resolução da profunda anarquia intelectual e moral, que caracteriza sobremaneira a grande crise moderna.”(p.68-69) OBS: “O espírito positivo terá sempre a estabelecer exata harmonia elementar entre as ideias de existências e as ideias de movimento.”(p.69) “ Os conhecimentos do positivismo inspirou a fórmula de Pascal, a primeira noção racional de progresso humano.”(p.70) OBS: “Sob o aspecto mais sistemático, a nova filosofia indica diretamente como seria necessário de toda a nossa existência ao mesmo tempo pessoal e social, o melhoramento contínuo de nossa condição, e sobretudo de nossa natureza.”(p.70) OBS: “O espírito positivo em virtude de sua natureza eminentemente relativa, é o único a poder representar comumentemente todas as épocas históricas, como tantas fases determinadas duma evolução fundamental, onde cada uma resulta da precedente e prepara a seguinte.”(p.71) -12- XI – VALOR MORAL DO POSITIVISMO. “ Na antiguidade a moral, radicalmente subordinada à política nunca podia adquirir nem a dignidade, nem a universidade convenientes a sua natureza. Sua independência fundamental e até sua ascendência normal resultaram em fim, no regime monoteico da idade média.”(p.72) OBS: “As diversas escolas monoteicas não impedirão o espírito positivo de terminar hoje sobre condições convenientes, a conquista prática e teórica do domínio moral já cada vez mais entregue À razão humana.”(p.73) XII – A moral pública, o espírito positivo e o bom senso universal. “ As convicções racionais puderam secundar as crenças teológicas, ou melhor, substituí-las gradualmente a medida em que a fé se extinguira.”(p.74) FORMULA FILOSOFICA DE PASCAL
  • 7. -13- XIII – NECESSIDADE DE NOVO PODER ESPIRITUAL. “Em nome da moral é preciso trabalhar para constituir a ascendência universal do espírito positivo.”(p.75) OBS: “O novo poder moral utilizará cuidadosamente a feliz aptidão da filosofia correspondente para incorporar espontaneamente a sabedoria de todos os diversos regimes anteriores, segundo a tendente ordinária do espírito positivo a respeito de um assunto qualquer.”(p.76) -14- XIV – CARÁTER EGOÍSTA DA MORAL TEOLÓGICO-METAFÍSICA. O espírito positivo como sendo por natureza o único suscetível de desenvolver diretamente o sentimento social, primeira base necessária de toda moral sadia. (p.76) OBS: “Esta tendência tão deplorável, e com tudo, tão constante, deve ter raízes mais profundas do que se supõe comumente. Ela resulta, sobretudo, da natureza essencialmente pessoal dessa filosofia.”(p.76) OBS: “Para cada um de seus adeptos, o pensamento dominante é o “eu”, todas e quaisquer outras existências mesmo humanas são confusamente envolvidas numa única concepção negativa.”(p.76) OBS: “A metafísica deriva, tanto dogmática quanto historicamente, da própria teologia.”(p.76) OBS: “O pensamento teológico é , por sua natureza, essencialmente individual nunca diretamente coletivo.”(p.77)
  • 8. -15- XV – ALTRUÍSMO DA MORAL POSITIVA. “ao contrário da teologia, o espírito positivo é diretamente social” (p.77) “o homem propriamente dito não existe, existindo apenas a humanidade.” (p.77) “Prolongar-se por meio da espécie, o indivíduo será impulsionado a nela se incorporar o mais completamente possível, ligando-se profundamente a toda sua existência coletiva, não apenas atual, mas também passada e, antes de tudo, futura.” (p.78) -16- XVI – CONDIÇÕES DE ESTABELECIMENTO DO REGIME POLÍTICO. governados governantes Meditação Social OBS: “Manter a ordem política no meio de uma profunda desordem moral.”(p.79) POSITIVISMO “Mais orgânica que a escola teológica” (p.79) “A escola positiva tende de um lado a consolidar todos os poderes atuais, sejam quais forem seus possuidores e de outro a impor obrigações morais.”(p.80) CONDIÇÕES FAVORÁVEIS Aspecto Social Manutenção Material Experiência Contemporânea Interior e exterior
  • 9. -17- XVII – A EDUCAÇÃO UNIVERSAL. “ Para vencer as especulações, a educação foi usada para organizar o espaço de atuação do método.”(p.80) “ Apelo ao bom senso universal” (p.80) “ Fora a geometria, a astronomia, a química, seria então uma formação para ciências fundamentais” (p.81) “ Clareza de tudo” (p.81) -18- XVIII – A EDUCAÇÃO UNIVERSAL SE DESTINA AOS PROLETÁRIOS. “Ensino dirigido a classe mais numerosa” (p.82) “Situação: tendências e necessidades que resultam de sua situação característica, torna o proletariado mais favorável a acolher a nova filosofia positiva.”(p.82) “O proletariado foi menos afetado pela filosofia transitória, e em consequência disto está mais predisposto ao estado positivo.”(p.83)
  • 10. -19- XIX – A POLÍTICA POPULAR SEGUNDO O POSITIVISMO. “ Não encontra hoje um sólido apoio, não ser o povo propriamente dito, o único disposto a bem compreende-la e por ela se interessar profundamente.” (p.86) “ (...) a escola positiva terá muito maior facilidade em fazer penetrar este salutar ensino nos espíritos populares que em qualquer outra parte, seja porque a metafísica negativa aí não pode enraizar-se (...)” (p.86) -20- XX – PAPEL DO GOVERNO. “Que os governos atuais percebam logo quanto a propagação universal dos conhecimentos reais pode secundar cada vez mais seus esforços contínuos para a difícil manutenção duma ordem indispensável, não nos cabe esperar deles, nem mesmo desejar, uma cooperação verdadeiramente ativa nesta grande preparação racional (...)” (p.87) “A escola positiva terá que pedir por muito tempo a nosso governo ocidental, a fim de que possa cumprir convenientemente seu grande ofício social, apenas a liberdade plena de exposição e de discussão, equivalente àquela de que já gozam a escola teológica e a escola metafísica.” (p. 87)
  • 11. XXI – ORDEM DOS ESTUDOS POSITIVOS. XXII – HIERARQUIA DAS CIENCIAS. ARRANJO DIDÁTICO Condições essenciais DOGMÁTICA HISTÓRICA “Ordena as ciências segundo sua dependência sucessiva, de sorte que cada uma repouse sobre a precedente e prepare a seguinte.”(p.88) “Prescreve sua disposição conforme a marcha de sua formação efetiva, passando sempre das mais antigas para as mais recentes.”(p.89) “Não se poderia, com efeito, estudar racionalmente os fenômenos estáticos ou dinâmicos da sociabilidade se, primeiramente, não se conhecesse suficientemente o agente especial que os opera e o meio geral que se realizam.”(p.89) Filosofia Natural Matemática: cálculo, geometria e mecânica (Astronomia, física, química, e biologia) Filosofia Social -21- -22-
  • 12. XXIII – A LEI ENCICLOPÉDICA COMPLETA A LEI DOS TRÊS ESTADOS. XXIV – CONCLUSÃO: A IMPORTANCIA DA ASTRONOMIA NA EDUCAÇÃO POPULAR. “ A combinação racional dessas duas ideias mestras, constituindo a unidade necessária do sistema cientifico, cujas partes concorrem progressivamente a um mesmo fim, assegura também, de outra parte, a justa independência dos diversos elementos principais, muitíssimas vezes alterados ainda pro aproximações viciosas.”(p.92) -23- “Para cada rápida iniciação individual, como para uma lenta iniciação coletiva, permanecerá sempre indispensável que o espírito positivo, desenvolvendo seu regime na medida em que amplia seu domínio, eleve-se pouco a pouco do estado matemático inicial ao estado sociológico final, percorrendo sucessivamente os quatro graus intermediários, astronômico, físico, químico e biológico.”(p.93) “(...) é preciso, contudo, considerar que não se trata ainda de estabelecer uma sistematização direta e completa da instrução popular, mas somente de dirigir de modo conveniente o impulso filosófico que aí deve desembocar”.(p.93) “O florescimento sistemático da positividade moderna, tendendo abertamente a um novo regime filosófico, resultou essencialmente da grande renovação astronômica iniciada por Copérnico, Kleper e Galileu.”(p.93) -24-
  • 13. O positivismo dentre todos os outros métodos de análise científica da realidade dedicou-se a um estudo mais sistemático dos fenômenos sociais, transformando-se em uma filosofia diferenciada pela sua praticidade, que seria estudar o fenômenos de forma a observá-los, ou seja, subordinando a imaginação a subordinação. As outras filosofias anteriores demonstraram certas irregularidades (teologia e metafísica) que não respondiam ás exigências metodológicas usadas no positivismo . Comte preocupou-se em tentar elaborar um sistema de valores adaptado com a realidade que o mundo vivia na época da Revolução Industrial, valorizando o ser humano, a paz e a concórdia universal. Sua teoria que fundamentava-se no lema “ordem e progresso” influenciou pensadores no mundo inteiro. Como afirma o próprio Comte “ o progresso constitui, como a ordem, uma das duas condições fundamentais da civilização moderna”. Rosyane de Moraes Martins Dutra. CONSIDERAÇÕES PESSOAIS