SlideShare uma empresa Scribd logo
COLÉGIO DE SÃO BENTO
             FILOSOFIA

             Contemporânea I
3ª SÉRIE - 2012           Prof. Bruno Bahia
“Nada de grande se realizou
    no mundo sem paixão.”




              G. W. F. HEGEL
                  (1770-1831)
Século XIX
• Revolução Industrial
  (meados do século XVIII) –
  Capitalismo;
• Inovações tecnológicas;
• Exploração do trabalho
  humano (tripalium);
• Dois blocos antagônicos:
  burguesia empresarial x
  trabalhadores.
• Lutas e correntes
  socialistas: base no ideário
  da Revolução Francesa
  (1789-1799).
Romantismo: indivíduo, emoção e natureza

• Movimento cultural: arte e filosofia;
• Exaltação das paixões e
  sentimentos valorosos (amor x
  racionalidade);
• Valorização da sensibilidade e
  subjetividade;
• Retomada da idéia da natureza
  como força vital;
• Desenvolvimento do nacionalismo;
• Influência direta no Idealismo
  Alemão.
Idealismo Alemão
•   O sujeito exerce um papel
    mais determinante no
    processo do conhecimento;

•   O que ele conhece são suas
    ideias, suas representações do
    mundo e sua consciência.

•   Base no pensamento kantiano:
    “das coisas só conhecimentos
    a priori aquilo que nós
    mesmos colocamos nelas”.

•   O saber não é absoluto, mas é
    absoluto como saber (Fichte).
J. GOTTLIEB FICHTE (1726-1814)
•   Somente podemos conhecer a
    consciência ou o pensamento
    que temos das coisas;

•   Existência do Eu como princípio
    da consciência, criador de toda a
    realidade;

•   A realidade objetiva é produto do
    espírito humano;

•   O que é exterior ao homem é o
    não-Eu.
FRIEDRICH SCHELLING (1775-1854)
•   Existe um único princípio,
    uma inteligência exterior ao
    próprio Eu, que rege todas
    as coisas.

•   “o homem ou, mais
    geralmente, o que nós
    chamamos razão”.

•   Funda a ideia de uma
    Inteligência, ou Espírito, que
    se manifesta e se concretiza
    no mundo sensível.
G. W. F. HEGEL (1770-1831)
•   Principal expoente do
    idealismo alemão;
•   Sua filosofia representa o
    ponto culminante do
    racionalismo;
•   Reconciliação da filosofia
    com a realidade;
•   Pensar a realidade como
    Espírito, ou seja, não
    somente como substância,
    mas também como sujeito.
•   Isso significa pensar a
    realidade como processo,
    como movimento.
MOVIMENTO DIALÉTICO
•   A realidade como Espírito possui uma vida própria, um movimento dialético
    (movimentos sucessivos e contraditórios)

                         TESE – ANTÍTESE – SÍNTESE

•   Ex.: Revolução Francesa – Barbarismo – Liberdade;
•   A realidade é dinâmica.
•   Embate e superação das contradições: dialética [movimento real da realidade].

                     Ser em-si, ser fora-de-si, ser para-si.
Consciência rumo ao saber absoluto
•   Afastamento do conhecimento
    comum e se voltar para o absoluto;
•   A consciência que alcança o saber
    absoluto atinge a razão - λογος;
•   Neste momento a Razão alcança a
    consciência da unidade entre ser e
    pensar, harmonizando subjetividade
    e objetividade;
•   A filosofia estaria aí para superar o
    conhecimento finito e limitado para
    alcançar o saber absoluto – o saber
    da coisa-em-si.
Relação entre filosofia e história
Superioridade do Espírito, que se realiza na
     História dos homens por meio da
     liberdade;

03 momentos do Espírito:
•    Espírito subjetivo: que se refere ao
     indivíduo e à consciência individual;

•     Espírito objetivo: que se refere às
      instituições e costumes historicamente
      produzidos pelos homens;

•     Espírito absoluto: que se manifesta na
      arte, na religião e na filosofia, como
      espírito que se compreende a si mesmo.
História
•    A História é um desdobramento do Espírito objetivo
     no tempo;

•    O Espírito objetivo é a realização da liberdade na
     sociedade: se manifesta no direito, na moralidade e
     na eticidade, englobando família, sociedade e
     Estado;

•    O indivíduo só existe como membro do Estado –
     Princípios da Filosofia do Direito.

•    A filosofia da história deve captar o movimento
     histórico como uma contínua evolução da idéia de
     liberdade, que se desenvolve segundo um plano
     racional.

Tudo o que é real é racional, tudo que é racional é real.
G. W. F. HEGEL
Páginas
  125 – 134
Fenomenologia do Espírito
§ 179, 183, 184, 185, 189, 190.
Contestação do sistema hegeliano
LUDWIG FEUERBACH
              (1804-1872)

•   Idealismo de Hegel: “especulação vazia”;
•   Não trata do ser real, das coisas reais e dos
    homens concretos;
•   Propõe uma filosofia partindo do concreto – e
    não de Idéia, Espírito e Razão.
•   Parte do ser humano como um ser natural e
    social.
•   É o materialismo que influenciará Marx.
ARTHUR SCHOPENHAUER (1788-1860)
•   Visão pessimista da vida,
    encarada como uma
    história de sofrimentos;

•   Para ele, Hegel constrói
    sua filosofia segundo os
    interesses do Estado
    prussiano, ao englobar as
    situações históricas como
    desdobramentos do
    Espírito objetivo,
    legitimando todas as
    formas de governo,
    mesmo as mais nefastas.
O mundo como vontade e representação
•   O conhecimento é uma relação na qual o objeto é
    percebido pelo sujeito, não como ele é, mas como ele pode
    ser percebido e interpretado;
•   Retoma Kant na oposição de um saber absoluto;
•   O mundo é representação. O conhecimento do mundo
    parte do sujeito;
•   É possível alcançar a essência das coisas através de um
    insight intuitivo: a atividade estética permitiria ao homem
    a compreensão da verdade.
•   Pela arte, o sujeito se desprenderia de sua individualidade
    para fundir-se no objeto, numa entrega pura e plena.
•   O ser humano seria essencialmente vontade, o que levaria
    a desejar sempre mais, produzindo uma insatisfação
    constante;
•   Essa insatisfação é a origem das lutas entre os homens, da
    dor e do sofrimento;
•   A vida do homem é um pêndulo que oscila entre a
    ansiedade e o tédio.
SØREN KIERKEGAARD (1813-1855)
             •     Foco na realidade humana
                   concreta;

             •     Obra teológica centralizada na
                   ética cristã e nas instruções da
                   Igreja;

             •     Inspiração em diálogos socráticos
                   na forma e método de escrita;

             •     A tarefa da descoberta do
                   significado das suas obras é
                   deixada ao leitor, porque "a tarefa
                   deve ser tornada difícil, visto que
                   apenas a dificuldade inspira os
                   nobre de espírito";

                 Filosofia de cunho existencialista.
A experiência única da vida
• Contestou a
  supremacia da razão
  como único
  instrumento capaz de
  estabelecer a
  verdade, tal como
  Hegel propunha.

• Defende o
  conhecimento que se
  origina da fé.
As três dimensões da existência humana
•      Estética: na qual se procura
       o prazer;

•      Ética: na qual se vivencia o
       problema da liberdade e da
       contradição entre prazer e o
       dever;

•      Religiosa: marcada pela fé.



    Cabe ao homem escolher em qual dimensão quer viver, já que
      são excludentes entre si. Essas dimensões também poderiam
      ser entendidas como etapas da vida do homem em sua
      existência.
Existencialismo

•   Trata de temas como amor,
    sofrimento, angústia,
    desespero, que, segundo ele,
    não poderiam ser explicados
    através da razão.

•   Kierkegaard procurou destacar
    as condições específicas da
    existência humana e
    incorporá-las às reflexões
    filosóficas.
Análise das relações do homem com:
O mundo:
Angústia: sentimento profundo que temos ao
    perceber a instabilidade de viver num
    mundo de acontecimentos possíveis, sem
    garantia de que nossas expectativas
    sejam realizadas.

         No possível, tudo é possível.


Consigo mesmo:
Inquietação e desespero: o homem nunca
     está satisfeito com as possibilidades que
     realizou, ou porque não conseguiu
     realizar o que pretendia, esgotando os
     limites do possível e fracassando diante
     de suas expectativas.

Deus:
Superação da angústia e do desespero: é
     marcada pelo paradoxo de ter de
     compreender pela fé o que é
     incompreensível pela razão.
Auguste Comte (1789-1857)
              •   Amor por princípio,
                  Ordem por base,
                  Progresso por fim.

              •   Positivismo: extrema
                  valorização do método
                  científico das ciências
                  positivas (baseadas nos fatos
                  e na experiência);

              •   Culto da ciência e sacralização
                  do método científico;

              •   Benefícios da industrialização
                  e otimismo em relação ao
                  progresso capitalista;
Lei dos três estados
Evolução histórica do
    conhecimento:

    1. estado teológico ou
    fictício: ponto de partida para
    a inteligência humana.

    2. estado metafísico ou
    abstrato: forças abstratas
    consideradas como
    representantes dos seres do
    mundo.

    3. estado científico ou
    positivo: evolução racional
    da humanidade.
Discurso sobre o espírito positivo
       REALIDADE

UTILIDADE

        CERTEZA

               PRECISÃO

     ORGANIZAÇÃO

RELATIVIDADE

  ORDEM E PROGRESSO
Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Karl Marx (1818-1883)
•   O ser humano é histórico-social.

•   Critica o idealismo hegeliano.

•   Marx procurou compreender a
    história real dos homens em
    sociedade a partir das condições
    materiais nas quais elas vivem.

•   A essência humana é o conjunto
    das relações sociais.

•   O modo de produção da vida
    material condiciona o processo
    geral de vida social, política e
    espiritual.

•   Trabalho: atividade massacrante e
    alienada no capitalismo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Karl marx
 Karl marx Karl marx
Karl marx
maynara marques
 
6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide
Erica Frau
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
Carson Souza
 
Poder e política
Poder e políticaPoder e política
Poder e política
Edenilson Morais
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
Janny Vitoriano
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
José Aristides Silva Gamito
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
José Ferreira Júnior
 
Sartre e o existencialismo
Sartre e o existencialismoSartre e o existencialismo
Sartre e o existencialismo
Bruno Carrasco
 
Karl Marx - O capital
Karl Marx - O capitalKarl Marx - O capital
Karl Marx - O capital
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
Portal do Vestibulando
 
Surgimento da Sociologia
Surgimento da SociologiaSurgimento da Sociologia
Surgimento da Sociologia
roberto mosca junior
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
Wagner Stefani
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
José Ferreira Júnior
 
Fatos sociais
Fatos sociaisFatos sociais
Fatos sociais
Fabson Calixto
 
Estado moderno
Estado modernoEstado moderno
Estado moderno
Alê Maldonado
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Juliana Corvino de Araújo
 
Sociologia: Uma Ciência Social
Sociologia: Uma Ciência SocialSociologia: Uma Ciência Social
Sociologia: Uma Ciência Social
Fábio Roque
 
Introdução às Ciências Humanas
Introdução às Ciências HumanasIntrodução às Ciências Humanas
Introdução às Ciências Humanas
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
Portal do Vestibulando
 

Mais procurados (20)

Karl marx
 Karl marx Karl marx
Karl marx
 
6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide6 idealismo dialetico hegel slide
6 idealismo dialetico hegel slide
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
 
Poder e política
Poder e políticaPoder e política
Poder e política
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
 
Sartre e o existencialismo
Sartre e o existencialismoSartre e o existencialismo
Sartre e o existencialismo
 
Karl Marx - O capital
Karl Marx - O capitalKarl Marx - O capital
Karl Marx - O capital
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Surgimento da Sociologia
Surgimento da SociologiaSurgimento da Sociologia
Surgimento da Sociologia
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
 
Nietzsche
NietzscheNietzsche
Nietzsche
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
Fatos sociais
Fatos sociaisFatos sociais
Fatos sociais
 
Estado moderno
Estado modernoEstado moderno
Estado moderno
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
Sociologia: Uma Ciência Social
Sociologia: Uma Ciência SocialSociologia: Uma Ciência Social
Sociologia: Uma Ciência Social
 
Introdução às Ciências Humanas
Introdução às Ciências HumanasIntrodução às Ciências Humanas
Introdução às Ciências Humanas
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
 

Destaque

Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
Gabriel Resende
 
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outrosFilosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Rodrigo Moysés
 
Idealismo vs positivismo
Idealismo vs positivismoIdealismo vs positivismo
Idealismo vs positivismo
eli_medra
 
Romantismo -slides (1)
Romantismo  -slides (1)Romantismo  -slides (1)
Romantismo -slides (1)
Aparecida Mallagoli
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Rodrigo Moysés
 
Idealismo a lemão
Idealismo a lemãoIdealismo a lemão
Idealismo a lemão
Alexandre Misturini
 
Filosofia e ciência no século xix pedagogia
Filosofia e ciência no século xix pedagogiaFilosofia e ciência no século xix pedagogia
Filosofia e ciência no século xix pedagogia
renanmedonho
 
Sociedade alemã a contribuição de max weber
Sociedade alemã   a contribuição de max weberSociedade alemã   a contribuição de max weber
Sociedade alemã a contribuição de max weber
Viviane Guerra
 
Havi Carel - Filosofia Contemporânea em Ação
Havi Carel  - Filosofia Contemporânea em AçãoHavi Carel  - Filosofia Contemporânea em Ação
Havi Carel - Filosofia Contemporânea em Ação
Tiago Lacerda
 
A pintura e as artes plásticas no romantismo
A pintura e as artes plásticas no romantismoA pintura e as artes plásticas no romantismo
A pintura e as artes plásticas no romantismo
ma.no.el.ne.ves
 
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mpRacionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
alemisturini
 
Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo
Michele Macedo
 
Hfc aula introdução ao existencialismo
Hfc aula introdução ao existencialismoHfc aula introdução ao existencialismo
Hfc aula introdução ao existencialismo
Luiz
 
Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo  Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo
Gustavo de Melo
 
4 filosofia contemporanea filosofia
4 filosofia contemporanea   filosofia4 filosofia contemporanea   filosofia
4 filosofia contemporanea filosofia
Daniele Rubim
 
Socialismo e Comunismo
Socialismo e ComunismoSocialismo e Comunismo
Socialismo e Comunismo
Leo Pipolo
 
Filosofía contemporánea
Filosofía contemporáneaFilosofía contemporánea
Filosofía contemporánea
Sofia F Ortega G
 
Filosofia contemporânea I
Filosofia contemporânea IFilosofia contemporânea I
Filosofia contemporânea I
Amanda Calixto
 
Filosofía Contemporanea
Filosofía ContemporaneaFilosofía Contemporanea
Filosofía Contemporanea
vinisdb87
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Lucas Queiroz
 

Destaque (20)

Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
 
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outrosFilosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
 
Idealismo vs positivismo
Idealismo vs positivismoIdealismo vs positivismo
Idealismo vs positivismo
 
Romantismo -slides (1)
Romantismo  -slides (1)Romantismo  -slides (1)
Romantismo -slides (1)
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Idealismo a lemão
Idealismo a lemãoIdealismo a lemão
Idealismo a lemão
 
Filosofia e ciência no século xix pedagogia
Filosofia e ciência no século xix pedagogiaFilosofia e ciência no século xix pedagogia
Filosofia e ciência no século xix pedagogia
 
Sociedade alemã a contribuição de max weber
Sociedade alemã   a contribuição de max weberSociedade alemã   a contribuição de max weber
Sociedade alemã a contribuição de max weber
 
Havi Carel - Filosofia Contemporânea em Ação
Havi Carel  - Filosofia Contemporânea em AçãoHavi Carel  - Filosofia Contemporânea em Ação
Havi Carel - Filosofia Contemporânea em Ação
 
A pintura e as artes plásticas no romantismo
A pintura e as artes plásticas no romantismoA pintura e as artes plásticas no romantismo
A pintura e as artes plásticas no romantismo
 
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mpRacionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
 
Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo
 
Hfc aula introdução ao existencialismo
Hfc aula introdução ao existencialismoHfc aula introdução ao existencialismo
Hfc aula introdução ao existencialismo
 
Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo  Socialismo e comunismo
Socialismo e comunismo
 
4 filosofia contemporanea filosofia
4 filosofia contemporanea   filosofia4 filosofia contemporanea   filosofia
4 filosofia contemporanea filosofia
 
Socialismo e Comunismo
Socialismo e ComunismoSocialismo e Comunismo
Socialismo e Comunismo
 
Filosofía contemporánea
Filosofía contemporáneaFilosofía contemporánea
Filosofía contemporánea
 
Filosofia contemporânea I
Filosofia contemporânea IFilosofia contemporânea I
Filosofia contemporânea I
 
Filosofía Contemporanea
Filosofía ContemporaneaFilosofía Contemporanea
Filosofía Contemporanea
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 

Semelhante a Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx

Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Cap 16 Os Seguidores e os Críticos de Kant
Cap 16   Os Seguidores e os Críticos de KantCap 16   Os Seguidores e os Críticos de Kant
Cap 16 Os Seguidores e os Críticos de Kant
José Ferreira Júnior
 
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Ane Caroline*
 
Confessionalidade.pptx
Confessionalidade.pptxConfessionalidade.pptx
Confessionalidade.pptx
RenatoRBorges
 
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 05 - Períodos...
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 05 - Períodos...Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 05 - Períodos...
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 05 - Períodos...
Jordano Santos Cerqueira
 
Johannes Hessen 06-06.pptx
Johannes Hessen  06-06.pptxJohannes Hessen  06-06.pptx
Johannes Hessen 06-06.pptx
GUILHERMEBERTOLIN2
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
Amanda Nunes
 
Apresentacao de antropologia psicologia
Apresentacao de antropologia psicologia  Apresentacao de antropologia psicologia
Apresentacao de antropologia psicologia
faculdade11
 
Eric voegelin e o cenário político atual
Eric voegelin e o cenário político atualEric voegelin e o cenário político atual
Eric voegelin e o cenário político atual
Andre Assi Barreto
 
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
Paulo Alexandre
 
linha do tempo filosofia antiga, medieval,
linha do tempo filosofia antiga, medieval,linha do tempo filosofia antiga, medieval,
linha do tempo filosofia antiga, medieval,
lianebarreto982
 
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos RacionalistasHistória da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
Andre Nascimento
 
Eric Voegelin e as religiões políticas
Eric Voegelin e as religiões políticasEric Voegelin e as religiões políticas
Eric Voegelin e as religiões políticas
Andre Assi Barreto
 
A ética em aristóteles
A ética em aristótelesA ética em aristóteles
A ética em aristóteles
rikardofs
 
Filosofia: trajetórias
Filosofia: trajetóriasFilosofia: trajetórias
Filosofia: trajetórias
Roney Gusmão
 
histriadapsicologia-110403221410-phpapp02.pdf
histriadapsicologia-110403221410-phpapp02.pdfhistriadapsicologia-110403221410-phpapp02.pdf
histriadapsicologia-110403221410-phpapp02.pdf
profzacviana
 
Mini curso marxismo e ecologia
Mini curso marxismo e ecologiaMini curso marxismo e ecologia
Mini curso marxismo e ecologia
ajr_tyler
 
Cap 15 O Iluminismo
Cap 15   O IluminismoCap 15   O Iluminismo
Cap 15 O Iluminismo
José Ferreira Júnior
 
Cap 04 sociologia
Cap 04   sociologiaCap 04   sociologia
Cap 04 sociologia
Jesanias Rodrigues
 

Semelhante a Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx (20)

Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
 
Cap 16 Os Seguidores e os Críticos de Kant
Cap 16   Os Seguidores e os Críticos de KantCap 16   Os Seguidores e os Críticos de Kant
Cap 16 Os Seguidores e os Críticos de Kant
 
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Confessionalidade.pptx
Confessionalidade.pptxConfessionalidade.pptx
Confessionalidade.pptx
 
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 05 - Períodos...
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 05 - Períodos...Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 05 - Períodos...
Faceli - Direito - 2° Período - Curso de Filosofia do Direito - 05 - Períodos...
 
Johannes Hessen 06-06.pptx
Johannes Hessen  06-06.pptxJohannes Hessen  06-06.pptx
Johannes Hessen 06-06.pptx
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
Apresentacao de antropologia psicologia
Apresentacao de antropologia psicologia  Apresentacao de antropologia psicologia
Apresentacao de antropologia psicologia
 
Eric voegelin e o cenário político atual
Eric voegelin e o cenário político atualEric voegelin e o cenário político atual
Eric voegelin e o cenário político atual
 
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020Aula de filosofia 1 ano   i bimestre 2020
Aula de filosofia 1 ano i bimestre 2020
 
linha do tempo filosofia antiga, medieval,
linha do tempo filosofia antiga, medieval,linha do tempo filosofia antiga, medieval,
linha do tempo filosofia antiga, medieval,
 
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos RacionalistasHistória da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
 
Eric Voegelin e as religiões políticas
Eric Voegelin e as religiões políticasEric Voegelin e as religiões políticas
Eric Voegelin e as religiões políticas
 
A ética em aristóteles
A ética em aristótelesA ética em aristóteles
A ética em aristóteles
 
Filosofia: trajetórias
Filosofia: trajetóriasFilosofia: trajetórias
Filosofia: trajetórias
 
histriadapsicologia-110403221410-phpapp02.pdf
histriadapsicologia-110403221410-phpapp02.pdfhistriadapsicologia-110403221410-phpapp02.pdf
histriadapsicologia-110403221410-phpapp02.pdf
 
Mini curso marxismo e ecologia
Mini curso marxismo e ecologiaMini curso marxismo e ecologia
Mini curso marxismo e ecologia
 
Cap 15 O Iluminismo
Cap 15   O IluminismoCap 15   O Iluminismo
Cap 15 O Iluminismo
 
Cap 04 sociologia
Cap 04   sociologiaCap 04   sociologia
Cap 04 sociologia
 

Mais de Rodrigo Moysés

Exercícios Física - Monitoria
Exercícios Física - MonitoriaExercícios Física - Monitoria
Exercícios Física - Monitoria
Rodrigo Moysés
 
Pré-modernismo
Pré-modernismoPré-modernismo
Pré-modernismo
Rodrigo Moysés
 
Descolonização afro asiática
Descolonização afro asiáticaDescolonização afro asiática
Descolonização afro asiática
Rodrigo Moysés
 
Crise de 29
Crise de 29Crise de 29
Crise de 29
Rodrigo Moysés
 
Nazi fascismo a
Nazi fascismo aNazi fascismo a
Nazi fascismo a
Rodrigo Moysés
 
Populismo 1946 1964
Populismo 1946 1964Populismo 1946 1964
Populismo 1946 1964
Rodrigo Moysés
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Rodrigo Moysés
 
A queda do socialismo
A queda do socialismoA queda do socialismo
A queda do socialismo
Rodrigo Moysés
 

Mais de Rodrigo Moysés (8)

Exercícios Física - Monitoria
Exercícios Física - MonitoriaExercícios Física - Monitoria
Exercícios Física - Monitoria
 
Pré-modernismo
Pré-modernismoPré-modernismo
Pré-modernismo
 
Descolonização afro asiática
Descolonização afro asiáticaDescolonização afro asiática
Descolonização afro asiática
 
Crise de 29
Crise de 29Crise de 29
Crise de 29
 
Nazi fascismo a
Nazi fascismo aNazi fascismo a
Nazi fascismo a
 
Populismo 1946 1964
Populismo 1946 1964Populismo 1946 1964
Populismo 1946 1964
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
A queda do socialismo
A queda do socialismoA queda do socialismo
A queda do socialismo
 

Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx

  • 1. COLÉGIO DE SÃO BENTO FILOSOFIA Contemporânea I 3ª SÉRIE - 2012 Prof. Bruno Bahia
  • 2. “Nada de grande se realizou no mundo sem paixão.” G. W. F. HEGEL (1770-1831)
  • 3. Século XIX • Revolução Industrial (meados do século XVIII) – Capitalismo; • Inovações tecnológicas; • Exploração do trabalho humano (tripalium); • Dois blocos antagônicos: burguesia empresarial x trabalhadores. • Lutas e correntes socialistas: base no ideário da Revolução Francesa (1789-1799).
  • 4. Romantismo: indivíduo, emoção e natureza • Movimento cultural: arte e filosofia; • Exaltação das paixões e sentimentos valorosos (amor x racionalidade); • Valorização da sensibilidade e subjetividade; • Retomada da idéia da natureza como força vital; • Desenvolvimento do nacionalismo; • Influência direta no Idealismo Alemão.
  • 5. Idealismo Alemão • O sujeito exerce um papel mais determinante no processo do conhecimento; • O que ele conhece são suas ideias, suas representações do mundo e sua consciência. • Base no pensamento kantiano: “das coisas só conhecimentos a priori aquilo que nós mesmos colocamos nelas”. • O saber não é absoluto, mas é absoluto como saber (Fichte).
  • 6. J. GOTTLIEB FICHTE (1726-1814) • Somente podemos conhecer a consciência ou o pensamento que temos das coisas; • Existência do Eu como princípio da consciência, criador de toda a realidade; • A realidade objetiva é produto do espírito humano; • O que é exterior ao homem é o não-Eu.
  • 7. FRIEDRICH SCHELLING (1775-1854) • Existe um único princípio, uma inteligência exterior ao próprio Eu, que rege todas as coisas. • “o homem ou, mais geralmente, o que nós chamamos razão”. • Funda a ideia de uma Inteligência, ou Espírito, que se manifesta e se concretiza no mundo sensível.
  • 8. G. W. F. HEGEL (1770-1831) • Principal expoente do idealismo alemão; • Sua filosofia representa o ponto culminante do racionalismo; • Reconciliação da filosofia com a realidade; • Pensar a realidade como Espírito, ou seja, não somente como substância, mas também como sujeito. • Isso significa pensar a realidade como processo, como movimento.
  • 9. MOVIMENTO DIALÉTICO • A realidade como Espírito possui uma vida própria, um movimento dialético (movimentos sucessivos e contraditórios) TESE – ANTÍTESE – SÍNTESE • Ex.: Revolução Francesa – Barbarismo – Liberdade; • A realidade é dinâmica. • Embate e superação das contradições: dialética [movimento real da realidade]. Ser em-si, ser fora-de-si, ser para-si.
  • 10. Consciência rumo ao saber absoluto • Afastamento do conhecimento comum e se voltar para o absoluto; • A consciência que alcança o saber absoluto atinge a razão - λογος; • Neste momento a Razão alcança a consciência da unidade entre ser e pensar, harmonizando subjetividade e objetividade; • A filosofia estaria aí para superar o conhecimento finito e limitado para alcançar o saber absoluto – o saber da coisa-em-si.
  • 11. Relação entre filosofia e história Superioridade do Espírito, que se realiza na História dos homens por meio da liberdade; 03 momentos do Espírito: • Espírito subjetivo: que se refere ao indivíduo e à consciência individual; • Espírito objetivo: que se refere às instituições e costumes historicamente produzidos pelos homens; • Espírito absoluto: que se manifesta na arte, na religião e na filosofia, como espírito que se compreende a si mesmo.
  • 12. História • A História é um desdobramento do Espírito objetivo no tempo; • O Espírito objetivo é a realização da liberdade na sociedade: se manifesta no direito, na moralidade e na eticidade, englobando família, sociedade e Estado; • O indivíduo só existe como membro do Estado – Princípios da Filosofia do Direito. • A filosofia da história deve captar o movimento histórico como uma contínua evolução da idéia de liberdade, que se desenvolve segundo um plano racional. Tudo o que é real é racional, tudo que é racional é real.
  • 13. G. W. F. HEGEL Páginas 125 – 134 Fenomenologia do Espírito § 179, 183, 184, 185, 189, 190.
  • 14. Contestação do sistema hegeliano LUDWIG FEUERBACH (1804-1872) • Idealismo de Hegel: “especulação vazia”; • Não trata do ser real, das coisas reais e dos homens concretos; • Propõe uma filosofia partindo do concreto – e não de Idéia, Espírito e Razão. • Parte do ser humano como um ser natural e social. • É o materialismo que influenciará Marx.
  • 15. ARTHUR SCHOPENHAUER (1788-1860) • Visão pessimista da vida, encarada como uma história de sofrimentos; • Para ele, Hegel constrói sua filosofia segundo os interesses do Estado prussiano, ao englobar as situações históricas como desdobramentos do Espírito objetivo, legitimando todas as formas de governo, mesmo as mais nefastas.
  • 16. O mundo como vontade e representação • O conhecimento é uma relação na qual o objeto é percebido pelo sujeito, não como ele é, mas como ele pode ser percebido e interpretado; • Retoma Kant na oposição de um saber absoluto; • O mundo é representação. O conhecimento do mundo parte do sujeito; • É possível alcançar a essência das coisas através de um insight intuitivo: a atividade estética permitiria ao homem a compreensão da verdade. • Pela arte, o sujeito se desprenderia de sua individualidade para fundir-se no objeto, numa entrega pura e plena. • O ser humano seria essencialmente vontade, o que levaria a desejar sempre mais, produzindo uma insatisfação constante; • Essa insatisfação é a origem das lutas entre os homens, da dor e do sofrimento; • A vida do homem é um pêndulo que oscila entre a ansiedade e o tédio.
  • 17. SØREN KIERKEGAARD (1813-1855) • Foco na realidade humana concreta; • Obra teológica centralizada na ética cristã e nas instruções da Igreja; • Inspiração em diálogos socráticos na forma e método de escrita; • A tarefa da descoberta do significado das suas obras é deixada ao leitor, porque "a tarefa deve ser tornada difícil, visto que apenas a dificuldade inspira os nobre de espírito"; Filosofia de cunho existencialista.
  • 18. A experiência única da vida • Contestou a supremacia da razão como único instrumento capaz de estabelecer a verdade, tal como Hegel propunha. • Defende o conhecimento que se origina da fé.
  • 19. As três dimensões da existência humana • Estética: na qual se procura o prazer; • Ética: na qual se vivencia o problema da liberdade e da contradição entre prazer e o dever; • Religiosa: marcada pela fé. Cabe ao homem escolher em qual dimensão quer viver, já que são excludentes entre si. Essas dimensões também poderiam ser entendidas como etapas da vida do homem em sua existência.
  • 20. Existencialismo • Trata de temas como amor, sofrimento, angústia, desespero, que, segundo ele, não poderiam ser explicados através da razão. • Kierkegaard procurou destacar as condições específicas da existência humana e incorporá-las às reflexões filosóficas.
  • 21. Análise das relações do homem com: O mundo: Angústia: sentimento profundo que temos ao perceber a instabilidade de viver num mundo de acontecimentos possíveis, sem garantia de que nossas expectativas sejam realizadas. No possível, tudo é possível. Consigo mesmo: Inquietação e desespero: o homem nunca está satisfeito com as possibilidades que realizou, ou porque não conseguiu realizar o que pretendia, esgotando os limites do possível e fracassando diante de suas expectativas. Deus: Superação da angústia e do desespero: é marcada pelo paradoxo de ter de compreender pela fé o que é incompreensível pela razão.
  • 22. Auguste Comte (1789-1857) • Amor por princípio, Ordem por base, Progresso por fim. • Positivismo: extrema valorização do método científico das ciências positivas (baseadas nos fatos e na experiência); • Culto da ciência e sacralização do método científico; • Benefícios da industrialização e otimismo em relação ao progresso capitalista;
  • 23. Lei dos três estados Evolução histórica do conhecimento: 1. estado teológico ou fictício: ponto de partida para a inteligência humana. 2. estado metafísico ou abstrato: forças abstratas consideradas como representantes dos seres do mundo. 3. estado científico ou positivo: evolução racional da humanidade.
  • 24. Discurso sobre o espírito positivo REALIDADE UTILIDADE CERTEZA PRECISÃO ORGANIZAÇÃO RELATIVIDADE ORDEM E PROGRESSO
  • 26. Karl Marx (1818-1883) • O ser humano é histórico-social. • Critica o idealismo hegeliano. • Marx procurou compreender a história real dos homens em sociedade a partir das condições materiais nas quais elas vivem. • A essência humana é o conjunto das relações sociais. • O modo de produção da vida material condiciona o processo geral de vida social, política e espiritual. • Trabalho: atividade massacrante e alienada no capitalismo.