SlideShare uma empresa Scribd logo

III - FATORES ABIÓTICOS II

O documento discute os fatores abióticos de luz, temperatura, água, substrato e vento e como eles influenciam os seres vivos. Explica como a água é essencial para a vida e como animais e plantas desenvolveram adaptações para sobreviver em ambientes secos. Também descreve como o substrato e o vento afetam ecossistemas e a dispersão de sementes e esporos.

1 de 22
Baixar para ler offline
III – FATORES ABIÓTICOS II
ESCOLA CATUJAL
14/15
PROFª SANDRA NASCIMENTO
Fatores abióticos
LUZ
TEMPERATURA
ÁGUA
SUBSTRATO
VENTO
Profª: Sandra Nascimento
2
III - Água3
Profª: Sandra Nascimento
Água
 Serve de habitat e é indispensável a todas as suas
atividades vitais.
 Fatores como a humidade e a pluviosidade,
condiciona a disponibilidade de água no meio
ambiente.
Profª: Sandra Nascimento
4
 Seres vivos hidrófilos
 Seres vivos que vivem
permanentemente na água.
Profª: Sandra Nascimento
5
Influência da água nos seres vivos
 Seres vivos higrófilos
 Seres vivos que vivem em locais
húmidos.
Animal Hidrófilo
Planta Hidrófila
Animal Higrófilo
Planta Higrófila
 Seres vivos mesófilos
 Seres vivos que necessitam de
quantidades moderadas de
água.
Profª: Sandra Nascimento
6
 Seres vivos xerófilos
 Seres vivos que habitam em
locais secos.
Animal Mesófilo
Planta Mesófila
Animal Xerófilo
Planta Xerófila
Influência da água nos seres vivos
Adaptações dos animais à escassez
de água
 Animais como o escorpião possuem
um exoesqueleto quitinoso, que
evita a perda da água por
transpiração.
Profª: Sandra Nascimento
7
 O camelo e o dromedário apresentam
reservas de tecido adiposo que utilizam
para produzir água.
Adaptações dos animais à escassez de
água
 Alguns roedores, como o gerbilo, que vive em desertos,
não transpiram e produzem pouca urina para evitar
as perdas de água. Para além disso são mais ativos
durante a noite.
Profª: Sandra Nascimento
8
 Nas regiões secas as plantas
desenvolvem adaptações morfo-
lógicas, tais como :
 caules carnudos, para acumular
água de reserva;
 folhas transformadas em espinhos,
para reduzir as perdas de água por
transpiração;
 raízes extensas e pouco profundas
para captar a maior quantidade de
água possível.
Profª: Sandra Nascimento
9
Adaptações das plantas à escassez de
água
 Muitas plantas de ambientes desérticos apresentam, ainda,
uma cutícula cerosa impermeável ou pelos, de forma a
diminuir a transpiração.
Profª: Sandra Nascimento
10
Adaptações das plantas à escassez de
água
IV - SUBSTRATO11
Profª: Sandra Nascimento
 Meio sólido que serve de suporte à maior parte dos seres
vivos.
 Nos ambientes aquáticos:
 substratos moles, como os fundos arenosos que podem ser
encontrados no leito dos rios e nos oceanos, e que servem de
suporte aos seres vivos;
 substratos duros, como as rochas, sobre as quais vivem animais
como as lapas e os mexilhões.
Profª: Sandra Nascimento
12
Substrato
O que é o solo?
Profª: Sandra Nascimento
13
 Camada mais superficial da crusta terrestre, sendo constituído
por matéria orgânica, matéria mineral, água e ar.
Composição do solo
Matéria
orgânica
Seres vivos
Folhas mortas
Cadáveres de
animais
Matéria
mineral
Resulta das
alterações físicas
e química da
rocha mãe
Profª: Sandra Nascimento
14
Solo
 Funciona como habitat
para uma grande
diversidade de seres
vivos, tais como insetos,
minhocas, toupeiras,
fungos e bactérias.
Profª: Sandra Nascimento
15
IV -VENTO16
Profª: Sandra Nascimento
Vento
 Resulta da deslocação das massas de ar das altas
para as baixas pressões.
 Desempenha um papel importante na dinâmica dos
ecossistemas
Profª: Sandra Nascimento
17
Vento
 Contribui para a dispersão de algumas sementes,
como por exemplo as sementes aladas, de modo a
que estas se possam dispersar por uma maior área,
de forma a encontrarem condições mais apropriadas
à sobrevivências das plantas após a germinação .
Profª: Sandra Nascimento
18
Vento
 O vento intervém na polinização
de inúmeras plantas.
 É responsável pelo transporte de
bactérias e de fungos, bem como
das suas estruturas reprodutoras.
Profª: Sandra Nascimento
19
Vento
 Nos ambientes aquáticos, o vento promove o arejamento das
águas e dá origem à ondulação dos oceanos.
 O vento pode condicionar a morfologia das plantas e dos
animais. Em regiões muito ventosas encontram-se,
preferencialmente, plantas rasteiras e animais de pequeno
porte e achatados.
Profª: Sandra Nascimento
20
Vento
 Alguns seres vivos apresentam adaptações comportamentais
de modo a tirarem partido do vento.
 Ex: nuvens de gafanhotos que se movimentam aproveitando a
deslocação das massas de ar.
Profª: Sandra Nascimento
21
III - FATORES ABIÓTICOS II

Recomendados

Factores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaFactores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaCatir
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaCatir
 
Factores Abióticos - Solo
Factores Abióticos - SoloFactores Abióticos - Solo
Factores Abióticos - SoloCatir
 
Ambientes, biosfera e habitats
Ambientes, biosfera e habitatsAmbientes, biosfera e habitats
Ambientes, biosfera e habitatsIsabel Ribeiro
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Factores Abióticos Temperatura
Factores Abióticos TemperaturaFactores Abióticos Temperatura
Factores Abióticos TemperaturaTeresa Monteiro
 
Factores Abióticos
Factores AbióticosFactores Abióticos
Factores AbióticosSérgio Luiz
 
Trabalho de geografia secas
Trabalho de geografia   secasTrabalho de geografia   secas
Trabalho de geografia secasprotecaocivil
 
Disponibilidades Hídricas
Disponibilidades HídricasDisponibilidades Hídricas
Disponibilidades Hídricasacbaptista
 
Floresta em Portugal Continental
Floresta em Portugal ContinentalFloresta em Portugal Continental
Floresta em Portugal ContinentalIdalina Leite
 
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo testeCiências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo testeEspaço Crescer Centro de Estudos
 
Fatores abióticos - humidade
  Fatores abióticos - humidade  Fatores abióticos - humidade
Fatores abióticos - humidadeAna Castro
 
Factores Bióticos....
Factores Bióticos....Factores Bióticos....
Factores Bióticos....Gabriela Bruno
 
Factores abióticos - luz
Factores abióticos - luzFactores abióticos - luz
Factores abióticos - luzCatir
 
Forma Dos Animais E Simetria
Forma Dos Animais E SimetriaForma Dos Animais E Simetria
Forma Dos Animais E Simetriafernandesilvia
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzCatir
 
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terraI2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terraLuís Filipe Marinho
 

Mais procurados (20)

Factores Abióticos Temperatura
Factores Abióticos TemperaturaFactores Abióticos Temperatura
Factores Abióticos Temperatura
 
Factores Abióticos
Factores AbióticosFactores Abióticos
Factores Abióticos
 
Trabalho de geografia secas
Trabalho de geografia   secasTrabalho de geografia   secas
Trabalho de geografia secas
 
Disponibilidades Hídricas
Disponibilidades HídricasDisponibilidades Hídricas
Disponibilidades Hídricas
 
Fatores abióticos
Fatores abióticosFatores abióticos
Fatores abióticos
 
Floresta em Portugal Continental
Floresta em Portugal ContinentalFloresta em Portugal Continental
Floresta em Portugal Continental
 
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo testeCiências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
 
As rochas
As rochasAs rochas
As rochas
 
Solo
SoloSolo
Solo
 
Fatores abióticos - humidade
  Fatores abióticos - humidade  Fatores abióticos - humidade
Fatores abióticos - humidade
 
Factores Bióticos....
Factores Bióticos....Factores Bióticos....
Factores Bióticos....
 
Factores abióticos - luz
Factores abióticos - luzFactores abióticos - luz
Factores abióticos - luz
 
Forma Dos Animais E Simetria
Forma Dos Animais E SimetriaForma Dos Animais E Simetria
Forma Dos Animais E Simetria
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
 
Características da agricultura portuguesa
Características da agricultura portuguesaCaracterísticas da agricultura portuguesa
Características da agricultura portuguesa
 
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terraI2   equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
I2 equilíbrio dinâmico e sustentabilidade da terra
 
Francês 7º Ano
Francês 7º AnoFrancês 7º Ano
Francês 7º Ano
 
1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO1ª Ficha De AvaliaçãO
1ª Ficha De AvaliaçãO
 
Resumos de ciências - 8.º Ano
Resumos de ciências - 8.º AnoResumos de ciências - 8.º Ano
Resumos de ciências - 8.º Ano
 
Fatores abióticos
Fatores abióticosFatores abióticos
Fatores abióticos
 

Destaque

I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICAI - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICAsandranascimento
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaLeonardo Alves
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores BióticosCatir
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemasCatir
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosmariacarmoteixeira
 
3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matériaMargarida Cardoso
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energiaCatir
 
A célula
A célulaA célula
A célulaCatir
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistemahugo dias
 
Condições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vidaCondições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vidacn2012
 
Fatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticosFatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticosmmbbss
 
Distribuição mundial da população
Distribuição mundial da população Distribuição mundial da população
Distribuição mundial da população Paula Melo
 
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticosEcossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticosCarlos Priante
 
Interacções entre os seres vivos
Interacções entre os seres vivosInteracções entre os seres vivos
Interacções entre os seres vivosCatir
 
Deriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placasDeriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placasCláudia Moura
 
Factores AbióTicos
Factores AbióTicosFactores AbióTicos
Factores AbióTicoscatiacsantos
 

Destaque (20)

I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICAI - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
I - NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO BIOLÓGICA
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores Bióticos
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemas
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
 
3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
 
Condições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vidaCondições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vida
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
I - CONDIÇÕES DA TERRA
I - CONDIÇÕES DA TERRAI - CONDIÇÕES DA TERRA
I - CONDIÇÕES DA TERRA
 
Fatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticosFatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticos
 
Distribuição mundial da população
Distribuição mundial da população Distribuição mundial da população
Distribuição mundial da população
 
II - A TERRA COMO SISTEMA
II - A TERRA COMO SISTEMAII - A TERRA COMO SISTEMA
II - A TERRA COMO SISTEMA
 
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticosEcossistema: Fatores bióticos e abióticos
Ecossistema: Fatores bióticos e abióticos
 
Interacções entre os seres vivos
Interacções entre os seres vivosInteracções entre os seres vivos
Interacções entre os seres vivos
 
Sistema terra
Sistema terraSistema terra
Sistema terra
 
Deriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placasDeriva continental e tectónica de placas
Deriva continental e tectónica de placas
 
Factores AbióTicos
Factores AbióTicosFactores AbióTicos
Factores AbióTicos
 

Semelhante a III - FATORES ABIÓTICOS II

Meio Ambiente - Água
Meio Ambiente - ÁguaMeio Ambiente - Água
Meio Ambiente - ÁguaPanquecasSIAA
 
Terrrio 121127005022-phpapp01
Terrrio 121127005022-phpapp01Terrrio 121127005022-phpapp01
Terrrio 121127005022-phpapp01Luiza Kmaz
 
Fatores abioticos teoria
Fatores abioticos teoriaFatores abioticos teoria
Fatores abioticos teoriaJoão Rodrigues
 
Trindade et al. 2010. macrófitas do campus carreiros
Trindade et al. 2010. macrófitas do campus carreirosTrindade et al. 2010. macrófitas do campus carreiros
Trindade et al. 2010. macrófitas do campus carreirosFURG
 
03 factores abióticos_humidade_pluviosidade_tc_20102011
03 factores abióticos_humidade_pluviosidade_tc_2010201103 factores abióticos_humidade_pluviosidade_tc_20102011
03 factores abióticos_humidade_pluviosidade_tc_20102011Teresa Monteiro
 
Jornal - O movimento
Jornal - O movimentoJornal - O movimento
Jornal - O movimentonancydeborah
 
Problemas Ambientais.97ppt
Problemas Ambientais.97pptProblemas Ambientais.97ppt
Problemas Ambientais.97pptamendorins
 
Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasinessalgado
 
Perda De Biodiversidade
Perda De BiodiversidadePerda De Biodiversidade
Perda De Biodiversidadeguest0f0d8
 
Voar na escrita_casal_telheiro
Voar na escrita_casal_telheiroVoar na escrita_casal_telheiro
Voar na escrita_casal_telheirocorreia-gil
 
Voar na escrita_casal_telheiro
Voar na escrita_casal_telheiroVoar na escrita_casal_telheiro
Voar na escrita_casal_telheirocorreia-gil
 
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho  2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho Luiza Collet
 
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho 2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho Luiza Collet
 

Semelhante a III - FATORES ABIÓTICOS II (20)

Influência da água e do solo
Influência da água e do soloInfluência da água e do solo
Influência da água e do solo
 
Meio Ambiente - Água
Meio Ambiente - ÁguaMeio Ambiente - Água
Meio Ambiente - Água
 
Terrrio 121127005022-phpapp01
Terrrio 121127005022-phpapp01Terrrio 121127005022-phpapp01
Terrrio 121127005022-phpapp01
 
Fatores abioticos teoria
Fatores abioticos teoriaFatores abioticos teoria
Fatores abioticos teoria
 
Trindade et al. 2010. macrófitas do campus carreiros
Trindade et al. 2010. macrófitas do campus carreirosTrindade et al. 2010. macrófitas do campus carreiros
Trindade et al. 2010. macrófitas do campus carreiros
 
6 ano Ecologia
6 ano Ecologia6 ano Ecologia
6 ano Ecologia
 
03 factores abióticos_humidade_pluviosidade_tc_20102011
03 factores abióticos_humidade_pluviosidade_tc_2010201103 factores abióticos_humidade_pluviosidade_tc_20102011
03 factores abióticos_humidade_pluviosidade_tc_20102011
 
Jornal - O movimento
Jornal - O movimentoJornal - O movimento
Jornal - O movimento
 
8º ano 5.3
8º ano 5.38º ano 5.3
8º ano 5.3
 
Ecologia 7
Ecologia 7Ecologia 7
Ecologia 7
 
Texto colectivo
Texto colectivoTexto colectivo
Texto colectivo
 
Problemas Ambientais.97ppt
Problemas Ambientais.97pptProblemas Ambientais.97ppt
Problemas Ambientais.97ppt
 
Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemas
 
Perda De Biodiversidade
Perda De BiodiversidadePerda De Biodiversidade
Perda De Biodiversidade
 
Texto colectivo
Texto colectivoTexto colectivo
Texto colectivo
 
Voar na escrita_casal_telheiro
Voar na escrita_casal_telheiroVoar na escrita_casal_telheiro
Voar na escrita_casal_telheiro
 
Texto colectivo
Texto colectivoTexto colectivo
Texto colectivo
 
Voar na escrita_casal_telheiro
Voar na escrita_casal_telheiroVoar na escrita_casal_telheiro
Voar na escrita_casal_telheiro
 
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho  2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
 
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho 2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
2 estudo da agua nos ecossitemas. junho
 

Mais de sandranascimento

Mais de sandranascimento (20)

I - PAISAGENS GEOLOGICAS - Ciências naturais 7
I - PAISAGENS GEOLOGICAS - Ciências naturais 7I - PAISAGENS GEOLOGICAS - Ciências naturais 7
I - PAISAGENS GEOLOGICAS - Ciências naturais 7
 
XII - PAISAGENS GEOLO
XII - PAISAGENS GEOLOXII - PAISAGENS GEOLO
XII - PAISAGENS GEOLO
 
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICASIX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
 
VII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIAVII - SISMOLOGIA
VII - SISMOLOGIA
 
Vi vulcanismo secundario
Vi   vulcanismo secundarioVi   vulcanismo secundario
Vi vulcanismo secundario
 
V - VULCANISMO
V - VULCANISMOV - VULCANISMO
V - VULCANISMO
 
III - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACASIII - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACAS
 
II - DERIVA CONTINENTAL
II - DERIVA CONTINENTALII - DERIVA CONTINENTAL
II - DERIVA CONTINENTAL
 
I estrutura interna da ter
I   estrutura interna da terI   estrutura interna da ter
I estrutura interna da ter
 
Ficha nº5 - sistema excretor
Ficha nº5 - sistema excretorFicha nº5 - sistema excretor
Ficha nº5 - sistema excretor
 
III - SISTEMA RESPIRATÓRIO
III - SISTEMA RESPIRATÓRIOIII - SISTEMA RESPIRATÓRIO
III - SISTEMA RESPIRATÓRIO
 
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIOII - SISTEMA CIRCULATÓRIO
II - SISTEMA CIRCULATÓRIO
 
I - SAÚDE
I - SAÚDEI - SAÚDE
I - SAÚDE
 
PROGRAMA: SAÚDE INFANTIL
PROGRAMA: SAÚDE INFANTILPROGRAMA: SAÚDE INFANTIL
PROGRAMA: SAÚDE INFANTIL
 
FT10 - DEFORMAÇÕES
FT10 - DEFORMAÇÕESFT10 - DEFORMAÇÕES
FT10 - DEFORMAÇÕES
 
FT9 - ROCHAS MAGMÁTICAS
FT9 - ROCHAS MAGMÁTICASFT9 - ROCHAS MAGMÁTICAS
FT9 - ROCHAS MAGMÁTICAS
 
FT8 - ROCHAS SEDIMENTARES
FT8 - ROCHAS SEDIMENTARESFT8 - ROCHAS SEDIMENTARES
FT8 - ROCHAS SEDIMENTARES
 
EXAMES NACIONAIS DESDE 2006
EXAMES NACIONAIS DESDE 2006EXAMES NACIONAIS DESDE 2006
EXAMES NACIONAIS DESDE 2006
 
TESTES INTERMÉDIOS 11ºANO
TESTES INTERMÉDIOS 11ºANOTESTES INTERMÉDIOS 11ºANO
TESTES INTERMÉDIOS 11ºANO
 
Testes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºanoTestes Intermédios 10ºano
Testes Intermédios 10ºano
 

III - FATORES ABIÓTICOS II

  • 1. III – FATORES ABIÓTICOS II ESCOLA CATUJAL 14/15 PROFª SANDRA NASCIMENTO
  • 3. III - Água3 Profª: Sandra Nascimento
  • 4. Água  Serve de habitat e é indispensável a todas as suas atividades vitais.  Fatores como a humidade e a pluviosidade, condiciona a disponibilidade de água no meio ambiente. Profª: Sandra Nascimento 4
  • 5.  Seres vivos hidrófilos  Seres vivos que vivem permanentemente na água. Profª: Sandra Nascimento 5 Influência da água nos seres vivos  Seres vivos higrófilos  Seres vivos que vivem em locais húmidos. Animal Hidrófilo Planta Hidrófila Animal Higrófilo Planta Higrófila
  • 6.  Seres vivos mesófilos  Seres vivos que necessitam de quantidades moderadas de água. Profª: Sandra Nascimento 6  Seres vivos xerófilos  Seres vivos que habitam em locais secos. Animal Mesófilo Planta Mesófila Animal Xerófilo Planta Xerófila Influência da água nos seres vivos
  • 7. Adaptações dos animais à escassez de água  Animais como o escorpião possuem um exoesqueleto quitinoso, que evita a perda da água por transpiração. Profª: Sandra Nascimento 7  O camelo e o dromedário apresentam reservas de tecido adiposo que utilizam para produzir água.
  • 8. Adaptações dos animais à escassez de água  Alguns roedores, como o gerbilo, que vive em desertos, não transpiram e produzem pouca urina para evitar as perdas de água. Para além disso são mais ativos durante a noite. Profª: Sandra Nascimento 8
  • 9.  Nas regiões secas as plantas desenvolvem adaptações morfo- lógicas, tais como :  caules carnudos, para acumular água de reserva;  folhas transformadas em espinhos, para reduzir as perdas de água por transpiração;  raízes extensas e pouco profundas para captar a maior quantidade de água possível. Profª: Sandra Nascimento 9 Adaptações das plantas à escassez de água
  • 10.  Muitas plantas de ambientes desérticos apresentam, ainda, uma cutícula cerosa impermeável ou pelos, de forma a diminuir a transpiração. Profª: Sandra Nascimento 10 Adaptações das plantas à escassez de água
  • 11. IV - SUBSTRATO11 Profª: Sandra Nascimento
  • 12.  Meio sólido que serve de suporte à maior parte dos seres vivos.  Nos ambientes aquáticos:  substratos moles, como os fundos arenosos que podem ser encontrados no leito dos rios e nos oceanos, e que servem de suporte aos seres vivos;  substratos duros, como as rochas, sobre as quais vivem animais como as lapas e os mexilhões. Profª: Sandra Nascimento 12 Substrato
  • 13. O que é o solo? Profª: Sandra Nascimento 13  Camada mais superficial da crusta terrestre, sendo constituído por matéria orgânica, matéria mineral, água e ar.
  • 14. Composição do solo Matéria orgânica Seres vivos Folhas mortas Cadáveres de animais Matéria mineral Resulta das alterações físicas e química da rocha mãe Profª: Sandra Nascimento 14
  • 15. Solo  Funciona como habitat para uma grande diversidade de seres vivos, tais como insetos, minhocas, toupeiras, fungos e bactérias. Profª: Sandra Nascimento 15
  • 17. Vento  Resulta da deslocação das massas de ar das altas para as baixas pressões.  Desempenha um papel importante na dinâmica dos ecossistemas Profª: Sandra Nascimento 17
  • 18. Vento  Contribui para a dispersão de algumas sementes, como por exemplo as sementes aladas, de modo a que estas se possam dispersar por uma maior área, de forma a encontrarem condições mais apropriadas à sobrevivências das plantas após a germinação . Profª: Sandra Nascimento 18
  • 19. Vento  O vento intervém na polinização de inúmeras plantas.  É responsável pelo transporte de bactérias e de fungos, bem como das suas estruturas reprodutoras. Profª: Sandra Nascimento 19
  • 20. Vento  Nos ambientes aquáticos, o vento promove o arejamento das águas e dá origem à ondulação dos oceanos.  O vento pode condicionar a morfologia das plantas e dos animais. Em regiões muito ventosas encontram-se, preferencialmente, plantas rasteiras e animais de pequeno porte e achatados. Profª: Sandra Nascimento 20
  • 21. Vento  Alguns seres vivos apresentam adaptações comportamentais de modo a tirarem partido do vento.  Ex: nuvens de gafanhotos que se movimentam aproveitando a deslocação das massas de ar. Profª: Sandra Nascimento 21