SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
Sustentabilidade na
       Terra
-Dinâmica dos ecossistemas
Seres vivos e Ambiente
“Os seres vivos de um ecossistema dependem das
 características físicas e químicas do meio em que se
 encontram e, por vezes, através da sua atividade, alteram
 constantemente essas características.” Planeta Vivo 8

Como estão organizados os seres vivos da biosfera?
Níveis de organização:

      Biosfera
                                    É um grande
                                 ecossistema global




    Ecossistema                 É a comunidade mais
                                   o meio abiótico



                                    É o grupo de
                                populações diferentes
   Comunidade                    de um ecossistema


                                   É o conjunto de
                                indivíduos da mesma
                                    espécie num
     População                       ecossistema



                                  É um organismo

     Indivíduo
Seres vivos e Ambiente
 Ecologia (do grego, oikos, “casa” + logos, “estudo” ) é a ciência que estuda
as relações que os organismos estabelecem entre si com o meio. A principal
unidade de estudo desta ciência é o ecossistema, que abrange organismos
que habitam uma determinada área, o meio que ocupam e as interacções
entre eles. Independentemente das dimensões e do ambiente (aquático ou
terrestre), os ecossistemas, apresentam o mesmo tipo de componentes
básicos.

      Componentes bióticos:
       são os seres vivos que          Componentes abióticos:
     habitam no meio e as suas         são os fatores não vivos
        interações. (exemplos:        do meio (exemplos: luz solar,
            plantas, seres                  ar, água, solo,…)
           microscópicos,…)



  No mundo dos seres vivos consideram-se espécies: conjuntos de
organismos, em regra, semelhantes na forma, que podem cruzar-se entre si,
originando descendência fértil. Os organismos da mesma espécie que
interactuam num determinado local e tempo, constituem uma população.
Populações de diferentes espécies que se inter-relacionam formam uma
comunidade biótica. Então, um ecossistema inclui a comunidade, o meio
abiótico e as interacções que se estabelecem.
  Os organismos num ecossistema têm “uma casa” que é o lugar onde
habitam, a que se dá o nome de habitat, que inclui: fatores abióticos do
meio e as condições biológicas.
Interações seres vivos-componentes
                   abióticos
   Cada ecossistema tem as suas condições particulares em que
  intervêm vários fatores abióticos. As espécies desenvolvem-se em
  condições muito diversas , sabendo que nenhum dos fatores do
  meio abiótico exerce a sua ação isoladamente: atuando em
  conjunto e ajudam-se mutuamente.



FATORES ABIÓTICOS:




   Ecossistemas terrestres:
          oLuz solar
                                        Ecossistemas aquáticos:
                                            oPenetração da luz
        oTemperatura
                                              oTemperatura
        oPrecipitação
                                            oCorrentes de água
           oVento
                                        oConcentração de nutrientes
            oSolo
                                                dissolvidos
          oLatitude
                                          oSólidos em suspensão
          oAtitude
                                                oSalinidade
   oFrequência de incêndios
Luz, temperatura: fatores do meio
  A luz e a temperatura são fatores que influenciam de diversas formas os
seres vivos.


   LUZ:
  Em ambientes de fraca intensidade luminosa, o crescimento dos órgãos
aéreos de muitas plantas é mais evidente ficando, contudo, são de cor
amarelada e aspeto frágil - estioladas. Se a intensidade luminosa for maior o
crescimento das plantas é menor e ficam mais verdes e robustas. A floração
das plantas é, também, influenciada pela luz.
  Nos animais conhece-se o efeito da luz , por exemplo, na lebre-americana
e a raposa-polar. O que é que acontece a estes animais? A cor do pêlo da
lebre-americana e da raposa-polar é branca no Inverno (conseguem passar
despercebidos na altura de nevões); quando começa o degelo, a cor do pêlo
torna-se mais escura.
Luz, temperatura: fatores do meio
      A luz e a temperatura são fatores que influenciam de diversas formas os
    seres vivos.


       TEMPERATURA:
      A temperatura influência muito a germinação: se as temperaturas forem
    muito frias as sementes não são germinadas pois precisam de uma
    temperatura próxima dos zero graus. Grande parte das plantas resistem ao
    Inverno porque possuem adaptações especiais que lhes permitem
    permanecer numa espécie de dormência:




o   Os bolbos, os tubérculos, os rizomas, certas raízes e as sementes, durante a
    estação desfavorável, mantém-se num estado de dormência, o que lhes
    permite resistir às condições adversas. Logo que as condições ambientais
    sejam mais favoráveis, esses órgãos originam a parte aérea da planta.

        Nos animais que vivem em regiões muito frias, a perda de calor pode ser
    reduzida pela existência de densos revestimentos. Os animais são
    influenciados pelos dois fatores: luz e temperatura, que estão normalmente
    associados.
        Alguns animais como os ursos e as rãs quando o dia natural começa a
    diminuir e o frio a aumentar, hibernem. Quando se dá a hibernação, a
    atividade do animal fica muito reduzida. Quando a temperatura é muito
    elevada (no Verão) alguns animais resguardam-se em esconderijos, entrando
    em sono estival, como por exemplo acontece no caracol.
        Existem também animais como as aves e mamíferos que são capazes de
    regular a temperatura do seu corpo – são por isso chamados animais de
    temperatura constante. Os animais que não têm esta capacidade (por
    exemplo os répteis e os anfíbios ) são animais de temperatura variável.
Luz, temperatura: fatores do meio
       A luz e a temperatura são fatores que influenciam de diversas formas os
    seres vivos.
       TEMPERATURA:
     Existem também outros animais que influenciados pela temperatura e
    outros fatores abióticos deslocam-se de umas regiões para outras,
    efetuando as chamadas migrações, que estão relacionadas com as estações
    do ano.


                     A água e os seres vivos
    Todos os organismos necessitam de água para realizarem as suas funções
vitais. Nas plantas terrestres a água que é absorvida pelas raízes é lançada para o
meio pela forma de vapor. O cato, por exemplo, é uma planta que tem as folhas
reduzidos a espinhos para evitar uma maior perda de água sob a forma de vapor.
O nenúfar, exemplo de uma planta de meio aquático, possui folhas
desenvolvidas que libertam muito vapor de água para o meio. Existem ainda
plantas que se encontram em zonas onde a água é escassa que têm sistemas
radiculares longos e ramificados, absorvendo ,assim, água em vastas áreas.
    Existem animais que precisam de porções de água muito pequenas: a água
que ingerem provém apenas dos alimentos que ingerem (como por exemplo o
rato-canguru). Os animais que vivem em zonas secas, têm de captar e armazenar
o máximo de água e reduzir as perdas.
     A salinidade da água é também um fator importante na distribuição das
populações de organismos aquáticos. Os organismos marinhos apresentam
caracteristícas que os distinguem dos organismos de águas doces e dos que
vivem em águas salobras.
O solo e os seres vivos
  O solo é constituído por muitas camadas sobrepostas onde se
desenvolvem os seres vivos. Entre as características do solo pode referir-se:
a composição, o tamanho das partículas, a forma como as partículas se
dispõem umas em relação às outras, a porosidade e a permeabilidade.
  Num solo todos os componentes são fundamentais para a vida das plantas
e dos outros organismos que habitam esse meio. O tamanho e a forma das
partículas são também importantes possuindo a função de determinar o
número e o volume de espaços de ar e a quantidade de água existente nesse
solo. Os solos com mais espaços possuem mais ar e são mais permeáveis à
água do que os solos com menos espaços, ficando mais compactados (isso
dificulta a presença dos seres vivos nessa área).
  Os agricultores já verificaram que a mesma cultura repetida em vários
anos causa um empobrecimento dos terreno, pois ao longo das colheitas são
retiradas sempre as mesmas substâncias minerais que fazem parte do solo e
permite que as plantas cresçam.
   Atualmente é muito usada a agricultura biológica que é um processo de
produção que procura fazer a rotação das culturas, utilização de adubos
orgânicos naturais, utilização de restos orgânicos de exploração agrícola,
entre outras práticas que permitem manter a fertilidade do solo e o
equilíbrio do ecossistema. Com este tipo de agricultura evita-se a utilização
de produtos sintetizados em laboratório.
Interações numa comunidade

  Na Natureza as espécies vivem em comunidades interagindo entre si.
  Os seres vivos quer estejam isolados ou em grupos têm formas de relação
muito variadas. Podem ser relações entre os seres da mesma espécie,
relações intraespecíficas e relações entre seres de espécies diferentes,
relações interespecíficas.
  Existem diversos tipos de relação interespecíficas: competição,
mutualismo, comensalismo, parasitismo e predação, podendo ser benéfica
para ambos os seres, prejudicial para ambos os seres, benéfico para um e
neutro para outro e benéfico para um e negativo para o outro,
respetivamente.
  Competição: em que os organismos lutam pelo mesmo recurso . (ambos os
seres são prejudicados).
  Mutualismo: os seres vivos que se associam têm proveito mútuo; existe
enquadrado neste tipo de interação a simbiose em que os seres não podem
viver separados (ao contrário do mutualismo, em que os seres podem viver
separados). (neste tipo de interação ambos os seres são beneficiados)
 Comensalismo: há uma interação de seres vivos em que uma das espécies é
beneficiada sem haver prejuízo significativo nem beneficio para a outra
espécie.
Parasitismo: um dos seres é beneficiado (o parasita) e o outro prejudicado
(o hospedeiro). Quando o parasita vive no exterior do hospedeiro chama-se
ectoparasita e quando vive no interior do hospedeiro chama-se
endoparasita.
Predação: Nesta interação os membros de uma espécie (predadores)
alimentam-se diretamente de um organismo ( a presa), normalmente de
outra espécie. (ou seja, um ser é beneficiado (o predador) enquanto a presa
é prejudicada).
Interações numa comunidade

Relação Predador-Presa
A presa para escapar ao predador utiliza diferentes técnicas:
Camuflagem: uma presa bem camuflada tem grande possibilidade de
passar despercebido aos predadores. O animal “veste-se” de cores
parecidas com a do meio em que se encontra. Portanto, a camuflagem está
relacionada com a alteração da cor.




 Mimetismo: alguns seres vivos utilizam o mimetismo como proteção.
Utilizam um sabor amargo, fazendo-se passar por outros seres e outras
maneiras.




 Em certas situações, a presa pode ainda revelar cores berrantes que, em
vez de a disfarçarem a tornam mais evidente. Assim, o animal é temido e
passa a ser evitado não necessitando de fugir.
 Existem também plantas que se alimentam de animais: plantas
carnívoras.
Interações numa comunidade

 Na Natureza as espécies vivem em comunidades interagindo entre si.

  Existem também vários tipos de relações bióticas intra-específicas, ou seja
dentro da mesma espécie: competição, cooperação, canibalismo, colónia,
sociedade.
 Competição: (atrás)
 Cooperação: benefícios para ambos os seres, aqui está incluído o
acasalamento, sociedade e colónias.
 Canibalismo: um indivíduo mata outro indivíduo para se alimentar.
 Colónia: grupo de seres vivos da mesma espécie que vivem em conjunto
realizando funções que contribuem para a sobrevivência da colónia.
 Sociedade: é a relação estabelecida por um grupo de indivíduos da mesma
espécie e organizada segundo uma hierarquia onde os indivíduos cooperam
entre si.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

(4) biologia e geologia 10º ano - diversidade na biosfera
(4) biologia e geologia   10º ano - diversidade na biosfera(4) biologia e geologia   10º ano - diversidade na biosfera
(4) biologia e geologia 10º ano - diversidade na biosferaHugo Martins
 
Adaptações dos seres vivos
Adaptações dos seres vivosAdaptações dos seres vivos
Adaptações dos seres vivosAndrea Barreto
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaLeonardo Alves
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protistaNelson Costa
 
Ppt 13 ReproduçãO Assexuada
Ppt 13    ReproduçãO AssexuadaPpt 13    ReproduçãO Assexuada
Ppt 13 ReproduçãO AssexuadaNuno Correia
 
Planeta Terra [7º Ano]
Planeta Terra [7º Ano] Planeta Terra [7º Ano]
Planeta Terra [7º Ano] Vivian Reis
 
Ciências Da Natureza: A Fotossíntese nas Plantas - Diana e Barbara, 6ºD
Ciências Da Natureza: A Fotossíntese nas Plantas - Diana e Barbara, 6ºDCiências Da Natureza: A Fotossíntese nas Plantas - Diana e Barbara, 6ºD
Ciências Da Natureza: A Fotossíntese nas Plantas - Diana e Barbara, 6ºDAntónio Machado
 
Seleção
SeleçãoSeleção
Seleçãounesp
 
Factores Bióticos....
Factores Bióticos....Factores Bióticos....
Factores Bióticos....Gabriela Bruno
 
A importancia da água
A importancia da águaA importancia da água
A importancia da águaCleber Reis
 
Aula 1 conceitos de ecologia
Aula 1   conceitos de ecologiaAula 1   conceitos de ecologia
Aula 1 conceitos de ecologiaGrupo UNIASSELVI
 

Mais procurados (20)

(4) biologia e geologia 10º ano - diversidade na biosfera
(4) biologia e geologia   10º ano - diversidade na biosfera(4) biologia e geologia   10º ano - diversidade na biosfera
(4) biologia e geologia 10º ano - diversidade na biosfera
 
Adaptações dos seres vivos
Adaptações dos seres vivosAdaptações dos seres vivos
Adaptações dos seres vivos
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
 
Cadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentar
 
Ppt 13 ReproduçãO Assexuada
Ppt 13    ReproduçãO AssexuadaPpt 13    ReproduçãO Assexuada
Ppt 13 ReproduçãO Assexuada
 
Reino Plantas
Reino PlantasReino Plantas
Reino Plantas
 
Planeta Terra [7º Ano]
Planeta Terra [7º Ano] Planeta Terra [7º Ano]
Planeta Terra [7º Ano]
 
Ciências Da Natureza: A Fotossíntese nas Plantas - Diana e Barbara, 6ºD
Ciências Da Natureza: A Fotossíntese nas Plantas - Diana e Barbara, 6ºDCiências Da Natureza: A Fotossíntese nas Plantas - Diana e Barbara, 6ºD
Ciências Da Natureza: A Fotossíntese nas Plantas - Diana e Barbara, 6ºD
 
Seleção
SeleçãoSeleção
Seleção
 
Factores Bióticos....
Factores Bióticos....Factores Bióticos....
Factores Bióticos....
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Ciclo Da Agua
Ciclo Da AguaCiclo Da Agua
Ciclo Da Agua
 
Agua 6º ano
Agua 6º anoAgua 6º ano
Agua 6º ano
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
A importancia da água
A importancia da águaA importancia da água
A importancia da água
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Aula 1 conceitos de ecologia
Aula 1   conceitos de ecologiaAula 1   conceitos de ecologia
Aula 1 conceitos de ecologia
 

Destaque

Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energiaCatir
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores BióticosCatir
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemasCatir
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaCatir
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosmariacarmoteixeira
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzCatir
 
Factores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaFactores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaCatir
 
Aula (1) Ecossistemas E Biodiversidade
Aula (1)   Ecossistemas E BiodiversidadeAula (1)   Ecossistemas E Biodiversidade
Aula (1) Ecossistemas E Biodiversidadeeambiental
 
8 ano cap 2 estudo das células
8 ano cap 2 estudo das células8 ano cap 2 estudo das células
8 ano cap 2 estudo das célulasSarah Lemes
 
1EM #28 Histologia: introdução
1EM #28 Histologia: introdução1EM #28 Histologia: introdução
1EM #28 Histologia: introduçãoProfessô Kyoshi
 
Ppt 1 PreservaçãO Da Biodiversidade
Ppt 1   PreservaçãO Da BiodiversidadePpt 1   PreservaçãO Da Biodiversidade
Ppt 1 PreservaçãO Da BiodiversidadeNuno Correia
 
Cn 8ºano -ecossistemas
Cn 8ºano -ecossistemasCn 8ºano -ecossistemas
Cn 8ºano -ecossistemas7f14_15
 
Apresentação 8 cn
Apresentação 8 cnApresentação 8 cn
Apresentação 8 cnIsabel Lopes
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
EcossistemasPelo Siro
 
Ppt 8º ano de escolaridade - Ciências Naturais
Ppt 8º ano de escolaridade - Ciências NaturaisPpt 8º ano de escolaridade - Ciências Naturais
Ppt 8º ano de escolaridade - Ciências NaturaisLeonardo Alves
 
Resumo CN 8º ano - Ecossistemas
Resumo CN 8º ano - EcossistemasResumo CN 8º ano - Ecossistemas
Resumo CN 8º ano - EcossistemasInês Mota
 
Ficha de trabalho 8º ano (correcção)
Ficha de trabalho 8º ano (correcção)Ficha de trabalho 8º ano (correcção)
Ficha de trabalho 8º ano (correcção)isabelalexandrapinto
 

Destaque (20)

Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores Bióticos
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemas
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - Temperatura
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
 
Factores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaFactores Abióticos - Água
Factores Abióticos - Água
 
Aula (1) Ecossistemas E Biodiversidade
Aula (1)   Ecossistemas E BiodiversidadeAula (1)   Ecossistemas E Biodiversidade
Aula (1) Ecossistemas E Biodiversidade
 
8 ano cap 2 estudo das células
8 ano cap 2 estudo das células8 ano cap 2 estudo das células
8 ano cap 2 estudo das células
 
1EM #28 Histologia: introdução
1EM #28 Histologia: introdução1EM #28 Histologia: introdução
1EM #28 Histologia: introdução
 
Ppt 1 PreservaçãO Da Biodiversidade
Ppt 1   PreservaçãO Da BiodiversidadePpt 1   PreservaçãO Da Biodiversidade
Ppt 1 PreservaçãO Da Biodiversidade
 
Cn 8ºano -ecossistemas
Cn 8ºano -ecossistemasCn 8ºano -ecossistemas
Cn 8ºano -ecossistemas
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Apresentação 8 cn
Apresentação 8 cnApresentação 8 cn
Apresentação 8 cn
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Ppt 8º ano de escolaridade - Ciências Naturais
Ppt 8º ano de escolaridade - Ciências NaturaisPpt 8º ano de escolaridade - Ciências Naturais
Ppt 8º ano de escolaridade - Ciências Naturais
 
Resumo CN 8º ano - Ecossistemas
Resumo CN 8º ano - EcossistemasResumo CN 8º ano - Ecossistemas
Resumo CN 8º ano - Ecossistemas
 
Ficha de trabalho 8º ano (correcção)
Ficha de trabalho 8º ano (correcção)Ficha de trabalho 8º ano (correcção)
Ficha de trabalho 8º ano (correcção)
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Luz
LuzLuz
Luz
 

Semelhante a Ecossistemas e interações entre seres vivos

Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasLeonardo Alves
 
Apostila ecologia-pronta.194.239
Apostila ecologia-pronta.194.239Apostila ecologia-pronta.194.239
Apostila ecologia-pronta.194.239Rigo Rodrigues
 
Interacções seres vivos-ambientes
Interacções seres vivos-ambientes Interacções seres vivos-ambientes
Interacções seres vivos-ambientes Sara Catarina
 
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicasSlide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicasGrazi! !!
 
Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2Filipe Almeida
 
Apostila de ecologia
Apostila de ecologiaApostila de ecologia
Apostila de ecologiaPaulo Lobo
 
Capítulo 01 ecologia
Capítulo 01   ecologiaCapítulo 01   ecologia
Capítulo 01 ecologiaIgor Brant
 
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar MenadeJesus
 
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar MenadeJesus
 
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres VivosOs NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivoslilisouza
 

Semelhante a Ecossistemas e interações entre seres vivos (20)

Dinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemasDinâmica dos ecossistemas
Dinâmica dos ecossistemas
 
Resumos 8 ano
Resumos 8 anoResumos 8 ano
Resumos 8 ano
 
Ciências
CiênciasCiências
Ciências
 
Apostila ecologia-pronta.194.239
Apostila ecologia-pronta.194.239Apostila ecologia-pronta.194.239
Apostila ecologia-pronta.194.239
 
Ecologia - conceitos básicos
Ecologia - conceitos básicosEcologia - conceitos básicos
Ecologia - conceitos básicos
 
Interacções seres vivos-ambientes
Interacções seres vivos-ambientes Interacções seres vivos-ambientes
Interacções seres vivos-ambientes
 
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicasSlide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
Slide sobre fotores abioticos, bioticos e relacoes ecologicas
 
ecossistemas2.ppt
ecossistemas2.pptecossistemas2.ppt
ecossistemas2.ppt
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2Introducao a biologia_2
Introducao a biologia_2
 
1.2.ecossistemas final
1.2.ecossistemas final1.2.ecossistemas final
1.2.ecossistemas final
 
Apostila de ecologia
Apostila de ecologiaApostila de ecologia
Apostila de ecologia
 
Ecologia
Ecologia Ecologia
Ecologia
 
Capítulo 01 ecologia
Capítulo 01   ecologiaCapítulo 01   ecologia
Capítulo 01 ecologia
 
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano1   introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
1 introdução ao Estudo da Biologia 1º ano
 
Ecologiaintroducao
EcologiaintroducaoEcologiaintroducao
Ecologiaintroducao
 
Entendendo a Ecologia
Entendendo a EcologiaEntendendo a Ecologia
Entendendo a Ecologia
 
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
Habitat, Nicho Ecológico, Componentes do Ecossistema, Cadeia e Teia Alimentar
 
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
Habitat, Nicho ecológico, Componentes do ecossistema, Cadeia e Teia alimentar
 
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres VivosOs NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
Os NíVeis De OrganizaçãO Dos Seres Vivos
 

Mais de inessalgado

Lírica de Camões
Lírica de CamõesLírica de Camões
Lírica de Camõesinessalgado
 
Segurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forças
Segurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forçasSegurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forças
Segurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forçasinessalgado
 
Orações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadasOrações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadasinessalgado
 
Texto poético: características
Texto poético: característicasTexto poético: características
Texto poético: característicasinessalgado
 
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"inessalgado
 
Gestão sustentável dos recursos
Gestão sustentável dos recursosGestão sustentável dos recursos
Gestão sustentável dos recursosinessalgado
 
Revoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
Revoluções: Agrícola, Industrial e LiberaisRevoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
Revoluções: Agrícola, Industrial e Liberaisinessalgado
 
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...inessalgado
 
"História da gata borralheira", de Sophia de Mello Breyner
"História da gata borralheira", de Sophia de Mello Breyner"História da gata borralheira", de Sophia de Mello Breyner
"História da gata borralheira", de Sophia de Mello Breynerinessalgado
 
Antigo regime e iluminismo
Antigo regime e iluminismo Antigo regime e iluminismo
Antigo regime e iluminismo inessalgado
 
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá" "O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá" inessalgado
 
"Saga", de Sophia de Mello Breyner
"Saga", de Sophia de Mello Breyner "Saga", de Sophia de Mello Breyner
"Saga", de Sophia de Mello Breyner inessalgado
 
Portugal no contexto europeu: século XVII a XVIII
Portugal no contexto europeu: século XVII a XVIIIPortugal no contexto europeu: século XVII a XVIII
Portugal no contexto europeu: século XVII a XVIIIinessalgado
 
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu inessalgado
 
Célula, unidade de vida
Célula, unidade de vidaCélula, unidade de vida
Célula, unidade de vidainessalgado
 
A publicidade, a carta e a notícia
A publicidade, a carta e a notíciaA publicidade, a carta e a notícia
A publicidade, a carta e a notíciainessalgado
 
Español: verbos en presente de indicativo y actividades de ocio
Español: verbos en presente de indicativo y actividades de ocioEspañol: verbos en presente de indicativo y actividades de ocio
Español: verbos en presente de indicativo y actividades de ocioinessalgado
 
Español (repasando contenidos)
Español (repasando contenidos)Español (repasando contenidos)
Español (repasando contenidos)inessalgado
 
Erosão fluvial
 Erosão fluvial Erosão fluvial
Erosão fluvialinessalgado
 

Mais de inessalgado (20)

Lírica de Camões
Lírica de CamõesLírica de Camões
Lírica de Camões
 
Segurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forças
Segurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forçasSegurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forças
Segurança e prevenção na estrada; Alguns movimentos e forças
 
Orações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadasOrações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadas
 
Texto poético: características
Texto poético: característicasTexto poético: características
Texto poético: características
 
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
Texto dramático: "Falar Verdade a mentir"
 
Gestão sustentável dos recursos
Gestão sustentável dos recursosGestão sustentável dos recursos
Gestão sustentável dos recursos
 
Revoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
Revoluções: Agrícola, Industrial e LiberaisRevoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
Revoluções: Agrícola, Industrial e Liberais
 
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
 
"História da gata borralheira", de Sophia de Mello Breyner
"História da gata borralheira", de Sophia de Mello Breyner"História da gata borralheira", de Sophia de Mello Breyner
"História da gata borralheira", de Sophia de Mello Breyner
 
Antigo regime e iluminismo
Antigo regime e iluminismo Antigo regime e iluminismo
Antigo regime e iluminismo
 
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá" "O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
"O gato Malhado e a Andorinha Sinhá"
 
"Saga", de Sophia de Mello Breyner
"Saga", de Sophia de Mello Breyner "Saga", de Sophia de Mello Breyner
"Saga", de Sophia de Mello Breyner
 
Portugal no contexto europeu: século XVII a XVIII
Portugal no contexto europeu: século XVII a XVIIIPortugal no contexto europeu: século XVII a XVIII
Portugal no contexto europeu: século XVII a XVIII
 
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
Crises e revolução no século XIV e expansionismo europeu
 
Célula, unidade de vida
Célula, unidade de vidaCélula, unidade de vida
Célula, unidade de vida
 
A publicidade, a carta e a notícia
A publicidade, a carta e a notíciaA publicidade, a carta e a notícia
A publicidade, a carta e a notícia
 
Español: verbos en presente de indicativo y actividades de ocio
Español: verbos en presente de indicativo y actividades de ocioEspañol: verbos en presente de indicativo y actividades de ocio
Español: verbos en presente de indicativo y actividades de ocio
 
Español (repasando contenidos)
Español (repasando contenidos)Español (repasando contenidos)
Español (repasando contenidos)
 
Materiais
MateriaisMateriais
Materiais
 
Erosão fluvial
 Erosão fluvial Erosão fluvial
Erosão fluvial
 

Ecossistemas e interações entre seres vivos

  • 1. Sustentabilidade na Terra -Dinâmica dos ecossistemas
  • 2. Seres vivos e Ambiente “Os seres vivos de um ecossistema dependem das características físicas e químicas do meio em que se encontram e, por vezes, através da sua atividade, alteram constantemente essas características.” Planeta Vivo 8 Como estão organizados os seres vivos da biosfera? Níveis de organização: Biosfera É um grande ecossistema global Ecossistema É a comunidade mais o meio abiótico É o grupo de populações diferentes Comunidade de um ecossistema É o conjunto de indivíduos da mesma espécie num População ecossistema É um organismo Indivíduo
  • 3. Seres vivos e Ambiente Ecologia (do grego, oikos, “casa” + logos, “estudo” ) é a ciência que estuda as relações que os organismos estabelecem entre si com o meio. A principal unidade de estudo desta ciência é o ecossistema, que abrange organismos que habitam uma determinada área, o meio que ocupam e as interacções entre eles. Independentemente das dimensões e do ambiente (aquático ou terrestre), os ecossistemas, apresentam o mesmo tipo de componentes básicos. Componentes bióticos: são os seres vivos que Componentes abióticos: habitam no meio e as suas são os fatores não vivos interações. (exemplos: do meio (exemplos: luz solar, plantas, seres ar, água, solo,…) microscópicos,…) No mundo dos seres vivos consideram-se espécies: conjuntos de organismos, em regra, semelhantes na forma, que podem cruzar-se entre si, originando descendência fértil. Os organismos da mesma espécie que interactuam num determinado local e tempo, constituem uma população. Populações de diferentes espécies que se inter-relacionam formam uma comunidade biótica. Então, um ecossistema inclui a comunidade, o meio abiótico e as interacções que se estabelecem. Os organismos num ecossistema têm “uma casa” que é o lugar onde habitam, a que se dá o nome de habitat, que inclui: fatores abióticos do meio e as condições biológicas.
  • 4. Interações seres vivos-componentes abióticos Cada ecossistema tem as suas condições particulares em que intervêm vários fatores abióticos. As espécies desenvolvem-se em condições muito diversas , sabendo que nenhum dos fatores do meio abiótico exerce a sua ação isoladamente: atuando em conjunto e ajudam-se mutuamente. FATORES ABIÓTICOS: Ecossistemas terrestres: oLuz solar Ecossistemas aquáticos: oPenetração da luz oTemperatura oTemperatura oPrecipitação oCorrentes de água oVento oConcentração de nutrientes oSolo dissolvidos oLatitude oSólidos em suspensão oAtitude oSalinidade oFrequência de incêndios
  • 5. Luz, temperatura: fatores do meio A luz e a temperatura são fatores que influenciam de diversas formas os seres vivos. LUZ: Em ambientes de fraca intensidade luminosa, o crescimento dos órgãos aéreos de muitas plantas é mais evidente ficando, contudo, são de cor amarelada e aspeto frágil - estioladas. Se a intensidade luminosa for maior o crescimento das plantas é menor e ficam mais verdes e robustas. A floração das plantas é, também, influenciada pela luz. Nos animais conhece-se o efeito da luz , por exemplo, na lebre-americana e a raposa-polar. O que é que acontece a estes animais? A cor do pêlo da lebre-americana e da raposa-polar é branca no Inverno (conseguem passar despercebidos na altura de nevões); quando começa o degelo, a cor do pêlo torna-se mais escura.
  • 6. Luz, temperatura: fatores do meio A luz e a temperatura são fatores que influenciam de diversas formas os seres vivos. TEMPERATURA: A temperatura influência muito a germinação: se as temperaturas forem muito frias as sementes não são germinadas pois precisam de uma temperatura próxima dos zero graus. Grande parte das plantas resistem ao Inverno porque possuem adaptações especiais que lhes permitem permanecer numa espécie de dormência: o Os bolbos, os tubérculos, os rizomas, certas raízes e as sementes, durante a estação desfavorável, mantém-se num estado de dormência, o que lhes permite resistir às condições adversas. Logo que as condições ambientais sejam mais favoráveis, esses órgãos originam a parte aérea da planta. Nos animais que vivem em regiões muito frias, a perda de calor pode ser reduzida pela existência de densos revestimentos. Os animais são influenciados pelos dois fatores: luz e temperatura, que estão normalmente associados. Alguns animais como os ursos e as rãs quando o dia natural começa a diminuir e o frio a aumentar, hibernem. Quando se dá a hibernação, a atividade do animal fica muito reduzida. Quando a temperatura é muito elevada (no Verão) alguns animais resguardam-se em esconderijos, entrando em sono estival, como por exemplo acontece no caracol. Existem também animais como as aves e mamíferos que são capazes de regular a temperatura do seu corpo – são por isso chamados animais de temperatura constante. Os animais que não têm esta capacidade (por exemplo os répteis e os anfíbios ) são animais de temperatura variável.
  • 7. Luz, temperatura: fatores do meio A luz e a temperatura são fatores que influenciam de diversas formas os seres vivos. TEMPERATURA: Existem também outros animais que influenciados pela temperatura e outros fatores abióticos deslocam-se de umas regiões para outras, efetuando as chamadas migrações, que estão relacionadas com as estações do ano. A água e os seres vivos Todos os organismos necessitam de água para realizarem as suas funções vitais. Nas plantas terrestres a água que é absorvida pelas raízes é lançada para o meio pela forma de vapor. O cato, por exemplo, é uma planta que tem as folhas reduzidos a espinhos para evitar uma maior perda de água sob a forma de vapor. O nenúfar, exemplo de uma planta de meio aquático, possui folhas desenvolvidas que libertam muito vapor de água para o meio. Existem ainda plantas que se encontram em zonas onde a água é escassa que têm sistemas radiculares longos e ramificados, absorvendo ,assim, água em vastas áreas. Existem animais que precisam de porções de água muito pequenas: a água que ingerem provém apenas dos alimentos que ingerem (como por exemplo o rato-canguru). Os animais que vivem em zonas secas, têm de captar e armazenar o máximo de água e reduzir as perdas. A salinidade da água é também um fator importante na distribuição das populações de organismos aquáticos. Os organismos marinhos apresentam caracteristícas que os distinguem dos organismos de águas doces e dos que vivem em águas salobras.
  • 8. O solo e os seres vivos O solo é constituído por muitas camadas sobrepostas onde se desenvolvem os seres vivos. Entre as características do solo pode referir-se: a composição, o tamanho das partículas, a forma como as partículas se dispõem umas em relação às outras, a porosidade e a permeabilidade. Num solo todos os componentes são fundamentais para a vida das plantas e dos outros organismos que habitam esse meio. O tamanho e a forma das partículas são também importantes possuindo a função de determinar o número e o volume de espaços de ar e a quantidade de água existente nesse solo. Os solos com mais espaços possuem mais ar e são mais permeáveis à água do que os solos com menos espaços, ficando mais compactados (isso dificulta a presença dos seres vivos nessa área). Os agricultores já verificaram que a mesma cultura repetida em vários anos causa um empobrecimento dos terreno, pois ao longo das colheitas são retiradas sempre as mesmas substâncias minerais que fazem parte do solo e permite que as plantas cresçam. Atualmente é muito usada a agricultura biológica que é um processo de produção que procura fazer a rotação das culturas, utilização de adubos orgânicos naturais, utilização de restos orgânicos de exploração agrícola, entre outras práticas que permitem manter a fertilidade do solo e o equilíbrio do ecossistema. Com este tipo de agricultura evita-se a utilização de produtos sintetizados em laboratório.
  • 9. Interações numa comunidade Na Natureza as espécies vivem em comunidades interagindo entre si. Os seres vivos quer estejam isolados ou em grupos têm formas de relação muito variadas. Podem ser relações entre os seres da mesma espécie, relações intraespecíficas e relações entre seres de espécies diferentes, relações interespecíficas. Existem diversos tipos de relação interespecíficas: competição, mutualismo, comensalismo, parasitismo e predação, podendo ser benéfica para ambos os seres, prejudicial para ambos os seres, benéfico para um e neutro para outro e benéfico para um e negativo para o outro, respetivamente. Competição: em que os organismos lutam pelo mesmo recurso . (ambos os seres são prejudicados). Mutualismo: os seres vivos que se associam têm proveito mútuo; existe enquadrado neste tipo de interação a simbiose em que os seres não podem viver separados (ao contrário do mutualismo, em que os seres podem viver separados). (neste tipo de interação ambos os seres são beneficiados) Comensalismo: há uma interação de seres vivos em que uma das espécies é beneficiada sem haver prejuízo significativo nem beneficio para a outra espécie. Parasitismo: um dos seres é beneficiado (o parasita) e o outro prejudicado (o hospedeiro). Quando o parasita vive no exterior do hospedeiro chama-se ectoparasita e quando vive no interior do hospedeiro chama-se endoparasita. Predação: Nesta interação os membros de uma espécie (predadores) alimentam-se diretamente de um organismo ( a presa), normalmente de outra espécie. (ou seja, um ser é beneficiado (o predador) enquanto a presa é prejudicada).
  • 10. Interações numa comunidade Relação Predador-Presa A presa para escapar ao predador utiliza diferentes técnicas: Camuflagem: uma presa bem camuflada tem grande possibilidade de passar despercebido aos predadores. O animal “veste-se” de cores parecidas com a do meio em que se encontra. Portanto, a camuflagem está relacionada com a alteração da cor. Mimetismo: alguns seres vivos utilizam o mimetismo como proteção. Utilizam um sabor amargo, fazendo-se passar por outros seres e outras maneiras. Em certas situações, a presa pode ainda revelar cores berrantes que, em vez de a disfarçarem a tornam mais evidente. Assim, o animal é temido e passa a ser evitado não necessitando de fugir. Existem também plantas que se alimentam de animais: plantas carnívoras.
  • 11. Interações numa comunidade Na Natureza as espécies vivem em comunidades interagindo entre si. Existem também vários tipos de relações bióticas intra-específicas, ou seja dentro da mesma espécie: competição, cooperação, canibalismo, colónia, sociedade. Competição: (atrás) Cooperação: benefícios para ambos os seres, aqui está incluído o acasalamento, sociedade e colónias. Canibalismo: um indivíduo mata outro indivíduo para se alimentar. Colónia: grupo de seres vivos da mesma espécie que vivem em conjunto realizando funções que contribuem para a sobrevivência da colónia. Sociedade: é a relação estabelecida por um grupo de indivíduos da mesma espécie e organizada segundo uma hierarquia onde os indivíduos cooperam entre si.