GERENCIAMENTO DEGERENCIAMENTO DE
RESÍDUOS BIOLÓGICOS EMRESÍDUOS BIOLÓGICOS EM
LABORATÓRIOS DELABORATÓRIOS DE
PESQUISA CIEN...
10/08/07 2
Introdução
 Os resíduos gerados em atividades de pesquisa e análises de
rotinas são quase sempre negligenciado...
10/08/07 3
 Quantificar o resíduo gerado na Embrapa
Gado de Leite e avaliar mediante a
metodologia do Discurso do Sujeito...
10/08/07 4
 Local de Estudo
 Embrapa Gado de Leite, Centro de
Pesquisa Agropecuária localizada no
município de Juiz de F...
10/08/07 5
SUJEITOS DA PESQUISA
 Participaram deste levantamento 33 pessoas,
escolhidos aleatoriamente das Unidades gerad...
10/08/07 6
Materiais e Métodos
MÉTODO DA PESQUISA
 Estratégia metodológica em pesquisa qualitativa: Discurso
do Sujeito C...
10/08/07
COLETA DE DADOS
 1ª fase: Entrevista gravada com roteiro semi-
estruturado;
 2ª fase: Foi entregue aos responsá...
10/08/07 8
Materiais e Métodos
Qualiquantisoft
 Sofware desenvolvido por Lefèvre e Lefèvre
na USP em parceria com Sales &...
10/08/07
Resultados
 A primeira fase da pesquisa denotam as
representações dos resíduos biológicos para os
entrevistados;...
10/08/07
“Na sua opinião o que é
resíduo biológico?”
10/08/07
1º Discurso gerado a partir da Idéia Central (IC) A: Material
que pode ser descartado
“Tudo aquilo que já foi uti...
10/08/07
“É toda substância que contenha origem biológica e qualquer resto
biológico de laboratório que possa ter uma cont...
10/08/07
10/08/07
A B
Figura 1 - Distribuição dos dados do levantamento quantitativo referentes ao
descarte e acondicionamento dos ...
10/08/07
Quantidade Kg/semana
Laboratório
Grupo A (A1 e A4) e B –
Saco branco leitoso
Grupo E – Caixa de
perfurocortante
T...
10/08/07
Conclusões
 Os atores desta pesquisa como inseridos num contexto atual de
preocupação com o manejo dos resíduos ...
Legislação, Documentação e
Credencimamento como Unidade Geradora
Os RSS são classificados em função de suas
característica...
Tratamento
Pela Resolução ANVISA nº 306/04, o tratamento
consiste na aplicação de método, técnica ou processo
que modifiqu...
Acondicionamento
Os resíduos segregados devem ser embalados em sacos
ou recipientes que evitem vazamentos e resistam às aç...
Materiais perfurocortantes e todos os
utensílios de vidro quebrados no laboratório e
outros similares devem ser descartado...
Credenciamento como Unidade Geradora
No contexto de enquadramento regional A Embrapa
Gado de Leite localizada no município...
Continua
Neste documento é estabelecido que as instituições
geradoras de resíduos biológicos na cidade deverão elaborar
o ...
Plano de Gerenciamento
O Plano de Gerenciamento de Resíduos Biológicos (PGRB)
deve ser elaborado com base nas característi...
Legislação, Documentação e
Credencimamento como Unidade Geradora
Os RSS são classificados em função de suas
característica...
Tratamento
Pela Resolução ANVISA nº 306/04, o tratamento
consiste na aplicação de método, técnica ou processo
que modifiqu...
Acondicionamento
Os resíduos segregados devem ser embalados em sacos
ou recipientes que evitem vazamentos e resistam às aç...
Materiais perfurocortantes e todos os
utensílios de vidro quebrados no laboratório e
outros similares devem ser descartado...
Credenciamento como Unidade Geradora
No contexto de enquadramento regional A Embrapa
Gado de Leite localizada no município...
Continua
Neste documento é estabelecido que as instituições
geradoras de resíduos biológicos na cidade deverão elaborar
o ...
Plano de Gerenciamento
O Plano de Gerenciamento de Resíduos Biológicos (PGRB) deve ser
elaborado com base nas característi...
Classificação dos Resíduos Biológicos
Os RSS são classificados em função de suas
características e conseqüentes riscos que...
Classificação dos Resíduos
Biológicos
Grupo A - engloba os componentes com possível
presença de agentes biológicos que, po...
Grupo B - contém substâncias químicas que podem
apresentar risco à saúde pública ou ao meio ambiente,
dependendo de suas c...
Grupo C - quaisquer materiais resultantes de atividades
humanas que contenham radionuclídeos em quantidades
superiores aos...
Grupo D - não apresentam risco biológico, químico ou
radiológico à saúde ou ao meio ambiente, podendo ser
equiparados aos ...
Grupo E - materiais perfuro-cortantes ou escarificantes,
tais como lâminas de barbear, agulhas, ampolas de vidro,
pontas d...
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)

17.542 visualizações

Publicada em

Gerenciamento de resíduos biológicos o caso da embrapa gado de leite; curso de gerenciamento de resíduos

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.542
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
294
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gerenciamento de resíduos biológicos (resíduos de serviços de saúde)

  1. 1. GERENCIAMENTO DEGERENCIAMENTO DE RESÍDUOS BIOLÓGICOS EMRESÍDUOS BIOLÓGICOS EM LABORATÓRIOS DELABORATÓRIOS DE PESQUISA CIENTÍFICAPESQUISA CIENTÍFICA Marcelo Henrique Otenio
  2. 2. 10/08/07 2 Introdução  Os resíduos gerados em atividades de pesquisa e análises de rotinas são quase sempre negligenciados, quer seja pela característica de pequeno volume, quer seja pela inconstância de geração. Embora condenada pelos próprios pesquisadores a conduta de destinar os resíduos biológicos laboratoriais em lixo comum, é prática rotineira em muitas instituições do país e a sua segregação com o correto tratamento e descarte quase sempre não é feita.  Todo resíduo gerado pelos laboratórios de pesquisa com animais, plantas ou microrganismos é passível de conter ou de diretamente classificado como resíduo biológico. Não somente hospitais ou clínicas são geradores de resíduos biológicos, como também instituições com outras atividades são consideradas geradoras.
  3. 3. 10/08/07 3  Quantificar o resíduo gerado na Embrapa Gado de Leite e avaliar mediante a metodologia do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), a opinião de Pesquisadores, Analistas e Estagiários a respeito da problemática do resíduo biológico gerado pela pesquisa científica. Objetivo
  4. 4. 10/08/07 4  Local de Estudo  Embrapa Gado de Leite, Centro de Pesquisa Agropecuária localizada no município de Juiz de Fora – MG ;  A Unidade possui 11 laboratórios de pesquisa científica.. Materiais e Métodos
  5. 5. 10/08/07 5 SUJEITOS DA PESQUISA  Participaram deste levantamento 33 pessoas, escolhidos aleatoriamente das Unidades geradoras de resíduo (laboratórios) da Embrapa Gado de Leite;  Pesquisador responsável pelo Laboratório  Analista ou técnico do laboratório e estagiário (3 pessoas por unidade geradora)  Uma pessoa responsável pela limpeza geral e transporte dos resíduos gerados dentro da unidade. Materiais e Métodos
  6. 6. 10/08/07 6 Materiais e Métodos MÉTODO DA PESQUISA  Estratégia metodológica em pesquisa qualitativa: Discurso do Sujeito Coletivo (LEFÈVRE et. al., 2000; LEFÈVRE e LEFÈVRE, 2003).  Levantamento da geração, segregação e destino final do resíduo biológico, utilizado em cada unidade geradora (laboratórios de pesquisa e prestação de serviços) da Embrapa Gado de Leite. Foi entregue aos responsáveis pelos laboratórios um formulário para o levantamento do tipo e quantidade de resíduo gerado em cada laboratório. Após a coleta dos dados, estes foram tabulados utilizando o programa de planilhas e gráficos BrOffice.org 2.1-Calc, para avaliar a freqüência do aparecimento das respostas obtidas.
  7. 7. 10/08/07 COLETA DE DADOS  1ª fase: Entrevista gravada com roteiro semi- estruturado;  2ª fase: Foi entregue aos responsáveis pelos laboratórios um formulário para o levantamento do tipo e quantidade de resíduo gerado em cada laboratório. Após a coleta dos dados, estes foram tabulados utilizando o programa de planilhas e gráficos BrOffice.org 2.1-Calc, para avaliar a freqüência do aparecimento das respostas obtidas. Materiais e Métodos
  8. 8. 10/08/07 8 Materiais e Métodos Qualiquantisoft  Sofware desenvolvido por Lefèvre e Lefèvre na USP em parceria com Sales & Paschoal Informática;  Permite maior agilidade nas tarefas mecânicas da pesquisa.
  9. 9. 10/08/07 Resultados  A primeira fase da pesquisa denotam as representações dos resíduos biológicos para os entrevistados;  A segunda fase refere-se aos dados do levantamento quantitativo referentes ao descarte e acondicionamento dos resíduos biológicos gerados na Embrapa Gado de Leite em 2007.
  10. 10. 10/08/07 “Na sua opinião o que é resíduo biológico?”
  11. 11. 10/08/07 1º Discurso gerado a partir da Idéia Central (IC) A: Material que pode ser descartado “Tudo aquilo que já foi utilizado e talvez não tenha mais um aproveitamento que deve ser descartado dando um destino apropriado ou não, para não atingir o meio ambiente. Qualquer subproduto de processamento do organismo vivo, que tem origem biológica, não química, como células, tecidos ou qualquer coisa que é subtraído ou excluído de um material utilizado em atividades fins dos laboratórios, no caso microrganismo, bactéria, fungo, levedura e protozoário ou até mesmo água contaminada por um excedente de um reagente que está sendo utilizado ou um produto originário de uma reação química que você vai descartar.”
  12. 12. 10/08/07 “É toda substância que contenha origem biológica e qualquer resto biológico de laboratório que possa ter uma contaminação causada por microorganismos, podendo ser um resíduo animal ou vegetal, ou ainda algum tipo de lixo tóxico. 2º Discurso gerado a partir da Idéia Central (IC) B: Substâncias biológicas contaminadas É todo subproduto de uma atividade humana ou de algum experimento, oriundo de processamento de uma análise de pesquisa ou prestação de serviço que envolve organismos vivos, que seja alguma coisa orgânica e que pode conter agentes patogênicos, bactérias, vírus e protozoários que possam de alguma maneira ter conseqüências para a vida, infectar outros tipos de pessoas ou animais e causar prejuízo ao ambiente.”
  13. 13. 10/08/07
  14. 14. 10/08/07 A B Figura 1 - Distribuição dos dados do levantamento quantitativo referentes ao descarte e acondicionamento dos resíduos biológicos gerados na Embrapa Gado de Leite em 2007. A - Resíduos gerados pelas unidades laboratoriais descartados em lixo comum: resíduos biológicos em azul e resíduos comuns em vermelho. B - Acondicionamento dos resíduos biológicos gerados: resíduos que recebem um acondicionamento específico (azul); acondicionados em recipiente rígido com tampa (vermelho) e em saco branco leitoso (amarelo).
  15. 15. 10/08/07 Quantidade Kg/semana Laboratório Grupo A (A1 e A4) e B – Saco branco leitoso Grupo E – Caixa de perfurocortante Total gerado Parasitologia 8,78 0,14 8,92 Genética Vegetal 0,00 0,00 0 Reprodução Animal 1,36 0,46 1,82 Microbiologia do Rúmen 0,53 0,58 1,11 Genética Molecular 0,40 0,00 0,4 Qualidade do Leite 4,06 0,06 4,12 Microbiologia do Leite 2,70 0,02 2,72 Entomologia 0,02 0,00 0,02 Biotecn. e Fisiol. Vegetal 0,00 0,00 0 Análise de Alimentos 0,00 0,70 0,7 Total (Embrapa Gado de Leite) Kg/semana 17,85 1,96 19,81 Tabela 1 – Quantidade de resíduo biológico gerado por semana nas Unidades laboratoriais da Embrapa Gado de Leite, referente á média do período de dezembro a fevereiro de 2008.
  16. 16. 10/08/07 Conclusões  Os atores desta pesquisa como inseridos num contexto atual de preocupação com o manejo dos resíduos de processo expressam que o resíduo biológico está relacionado à questão de saúde, ambiente e sociedade.  A implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Biológicos (PGRB) é imprescindível ao desenvolvimento das Instituições de Pesquisa no âmbito da adequação e modernização das práticas envolvidas.  O Plano de Gerenciamento de Resíduos Biológicos (PGRB) deve ser elaborado com base nas características e volume dos resíduos de serviços de saúde gerados, estabelecendo as diretrizes de manejo desses resíduos, incluindo as medidas de: segregação, acondicionamento, identificação, transporte interno, armazenamento intermediário, armazenamento temporário, tratamento, armazenamento externo, coleta e transporte externo e destinação final.
  17. 17. Legislação, Documentação e Credencimamento como Unidade Geradora Os RSS são classificados em função de suas características e conseqüentes riscos que podem acarretar ao meio ambiente e à saúde. De acordo com a RDC ANVISA nº 306/04 e Resolução CONAMA nº 358/05, os Resíduos de Serviço de Saúde (Resíduos Biológicos) são classificados em cinco grupos: A, B, C, D e E.
  18. 18. Tratamento Pela Resolução ANVISA nº 306/04, o tratamento consiste na aplicação de método, técnica ou processo que modifique as características dos riscos inerentes aos resíduos, reduzindo ou eliminando o risco de contaminação, de acidentes ocupacionais ou de danos ao meio ambiente. Há várias formas de se proceder ao tratamento: desinfecção química ou térmica (autoclavagem, microondas, incineração).
  19. 19. Acondicionamento Os resíduos segregados devem ser embalados em sacos ou recipientes que evitem vazamentos e resistam às ações de punctura e ruptura, impermeáveis, respeitados os limites de peso de cada saco, sendo proibido o seu esvaziamento ou reaproveitamento, conforme estabelecido na NBR 9191/2000. Os sacos devem estar contidos em recipientes de material lavável, resistente a punctura, ruptura e vazamento, com tampa provida de sistema de abertura sem contato manual, com cantos arredondados e ser resistentes ao tombamento.
  20. 20. Materiais perfurocortantes e todos os utensílios de vidro quebrados no laboratório e outros similares devem ser descartados separadamente em recipientes rígidos, resistentes à punctura, ruptura e vazamento, com tampa, devidamente identificados, baseados nas normas da ABNT NBR 13853/97 (RDC Nº 33/2003). A caixa deve ser fechada ao atingir 2/3 da capacidade de armazenamento usando o sistema de travas da mesma e posteriormente encaminhada ao local designado dentro da Unidade. Acondicionamento
  21. 21. Credenciamento como Unidade Geradora No contexto de enquadramento regional A Embrapa Gado de Leite localizada no município de Juiz de Fora, onde o Conselho Municipal de Meio ambiente (COMDEMA), em sua Deliberação Nº. 22/2005 e a Lei Municipal Nº. 9896/2000 dispõe sobre normas específicas para o gerenciamento de resíduos biológicos gerados por instituições da cidade.
  22. 22. Continua Neste documento é estabelecido que as instituições geradoras de resíduos biológicos na cidade deverão elaborar o Plano de Gerenciamento de Serviços de Saúde Simplificado – PGRSS. Os geradores de resíduos do Grupo A (Subgrupo A1, A2 e A4), e/ou Grupo B, e/ou Grupo E, em quantidade igual ou inferior a 80 kg/ mês, devem se cadastrar e regularizar o estabelecimento. Este cadastro deve ser feito pelo preenchimento de um formulário específico onde são tipificados, classificados e relacionados os resíduos gerados de acordo com a legislação vigente.
  23. 23. Plano de Gerenciamento O Plano de Gerenciamento de Resíduos Biológicos (PGRB) deve ser elaborado com base nas características e volume dos resíduos de serviços de saúde gerados, estabelecendo as diretrizes de manejo desses resíduos. Medidas: Segregação; Acondicionamento; Identificação; Transporte interno; Armazenamento intermediário; Armazenamento temporário; Tratamento; Armazenamento externo; Coleta e transporte externo; Destinação final.
  24. 24. Legislação, Documentação e Credencimamento como Unidade Geradora Os RSS são classificados em função de suas características e conseqüentes riscos que podem acarretar ao meio ambiente e à saúde. De acordo com a RDC ANVISA nº 306/04 e Resolução CONAMA nº 358/05, os Resíduos de Serviço de Saúde (Resíduos Biológicos) são classificados em cinco grupos: A, B, C, D e E.
  25. 25. Tratamento Pela Resolução ANVISA nº 306/04, o tratamento consiste na aplicação de método, técnica ou processo que modifique as características dos riscos inerentes aos resíduos, reduzindo ou eliminando o risco de contaminação, de acidentes ocupacionais ou de danos ao meio ambiente. Há várias formas de se proceder ao tratamento: desinfecção química ou térmica (autoclavagem, microondas, incineração).
  26. 26. Acondicionamento Os resíduos segregados devem ser embalados em sacos ou recipientes que evitem vazamentos e resistam às ações de punctura e ruptura, impermeáveis, respeitados os limites de peso de cada saco, sendo proibido o seu esvaziamento ou reaproveitamento, conforme estabelecido na NBR 9191/2000. Os sacos devem estar contidos em recipientes de material lavável, resistente a punctura, ruptura e vazamento, com tampa provida de sistema de abertura sem contato manual, com cantos arredondados e ser resistentes ao tombamento.
  27. 27. Materiais perfurocortantes e todos os utensílios de vidro quebrados no laboratório e outros similares devem ser descartados separadamente em recipientes rígidos, resistentes à punctura, ruptura e vazamento, com tampa, devidamente identificados, baseados nas normas da ABNT NBR 13853/97 (RDC Nº 33/2003). A caixa deve ser fechada ao atingir 2/3 da capacidade de armazenamento usando o sistema de travas da mesma e posteriormente encaminhada ao local designado dentro da Unidade. Acondicionamento
  28. 28. Credenciamento como Unidade Geradora No contexto de enquadramento regional A Embrapa Gado de Leite localizada no município de Juiz de Fora, onde o Conselho Municipal de Meio ambiente (COMDEMA), em sua Deliberação Nº. 22/2005 e a Lei Municipal Nº. 9896/2000 dispõe sobre normas específicas para o gerenciamento de resíduos biológicos gerados por instituições da cidade.
  29. 29. Continua Neste documento é estabelecido que as instituições geradoras de resíduos biológicos na cidade deverão elaborar o Plano de Gerenciamento de Serviços de Saúde Simplificado – PGRSS. Os geradores de resíduos do Grupo A (Subgrupo A1, A2 e A4), e/ou Grupo B, e/ou Grupo E, em quantidade igual ou inferior a 80 kg/ mês, devem se cadastrar e regularizar o estabelecimento. Este cadastro deve ser feito pelo preenchimento de um formulário específico onde são tipificados, classificados e relacionados os resíduos gerados de acordo com a legislação vigente.
  30. 30. Plano de Gerenciamento O Plano de Gerenciamento de Resíduos Biológicos (PGRB) deve ser elaborado com base nas características e volume dos resíduos de serviços de saúde gerados, estabelecendo as diretrizes de manejo desses resíduos. Medidas: Segregação; Acondicionamento; Identificação; Transporte interno; Armazenamento intermediário; Armazenamento temporário; Tratamento; Armazenamento externo; Coleta e transporte externo; Destinação final.
  31. 31. Classificação dos Resíduos Biológicos Os RSS são classificados em função de suas características e conseqüentes riscos que podem acarretar ao meio ambiente e à saúde. De acordo com a RDC ANVISA nº 306/04 e Resolução CONAMA nº 358/05, os Resíduos de Serviço de Saúde (Resíduos Biológicos) são classificados em cinco grupos: A, B, C, D e E.
  32. 32. Classificação dos Resíduos Biológicos Grupo A - engloba os componentes com possível presença de agentes biológicos que, por suas características de maior virulência ou concentração, podem apresentar risco de infecção. Exemplos: placas e lâminas de laboratório, carcaças, peças anatômicas (membros), tecidos, bolsas transfusionais contendo sangue, dentre outras.
  33. 33. Grupo B - contém substâncias químicas que podem apresentar risco à saúde pública ou ao meio ambiente, dependendo de suas características de inflamabilidade, corrosividade, reatividade e toxicidade. Ex: medicamentos apreendidos, reagentes de laboratório, resíduos contendo metais pesados, dentre outros. Classificação dos Resíduos Biológicos
  34. 34. Grupo C - quaisquer materiais resultantes de atividades humanas que contenham radionuclídeos em quantidades superiores aos limites de eliminação especificados nas normas da Comissão Nacional de Energia Nuclear - CNEN, como, por exemplo, serviços de medicina nuclear e radioterapia etc. Classificação dos Resíduos Biológicos
  35. 35. Grupo D - não apresentam risco biológico, químico ou radiológico à saúde ou ao meio ambiente, podendo ser equiparados aos resíduos domiciliares. Ex: sobras de alimentos e do preparo de alimentos, resíduos das áreas administrativas etc. Classificação dos Resíduos Biológicos VIDRO PLÁSTICO PAPEL METAL ORGÂNICO
  36. 36. Grupo E - materiais perfuro-cortantes ou escarificantes, tais como lâminas de barbear, agulhas, ampolas de vidro, pontas diamantadas, lâminas de bisturi, lancetas, espátulas e outros similares. Classificação dos Resíduos Biológicos RESÍDUO PERFUROCORTANTE

×