Biossegurança

433 visualizações

Publicada em

Treinamento realizado para a equipe de enfermagem da UPA Santa Rita - PB.
Aula sobre biossegurança e uso de EPI´s

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
433
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biossegurança

  1. 1. BBiioosssseegguurraannççaa JJaannaaíínnaa NNaasscciimmeennttoo LLaassssaallaa Enfermeira CCIH / CME Formada pela Universidade Federal da Bahia Pós Graduada em Gerontologia - UFBA Especialização em Enfermagem Dermatológica - Estácio 1
  2. 2. Biossegurança na Saúde * Conjunto de normas e procedimentos considerados seguros e adequados à manutenção da saúde em atividades de risco de aquisição de doenças profissionais. 2
  3. 3. RISCO x PERIGO * RISCO é o perigo mediado pelo conhecimento que se tem da situação. É o que temos como prevenir. * PERIGO existe enquanto não se conhece a situação. É o desconhecido ou mal conhecido. Atividade ddee rriissccoo ssããoo aass ccaappaazzeess ddee pprrooppoorrcciioonnaarr ddaannoo,, ddooeennççaa oouu mmoorrttee.. 3
  4. 4. Exposições Profissionais EEqquuiippee ddee eennffeerrmmaaggeemm:: mmaaiioorr nnº ddee EExxppoossiiççããoo eennttrree ooss pprrooffiissssiioonnaaiiss MMaaiioorr eeqquuiippee ddooss sseerrvviiddoorreess ddee ssaaúúddee MMaaiiss tteemmppoo ccoomm oo aammbbiieennttee 4 Mais procedimentos nnooss ppaacciieennttee
  5. 5. Como nos Proteger Durante o Trabalho em Saúde- Cuidados PRECAUÇÕES PADRÃO * Lavagem das Mãos * Manipulação de Instrumentos e Materiais * Manipulação de Materiais Cortantes e de Punção * Ambiente e Equipamentos * Roupas e Campos de Uso no Paciente * Vacinação 5
  6. 6. Manipulação de Instrumentos e Materiais Cortantes e de Punção Instrumentos pérfuro-cortantes devem ser descartados em caixas apropriadas, rígidas e impermeáveis que devem ser colocadas próximo a área em que os materiais são usados. 6
  7. 7. RDC 306, 07 de Dezembro de 2004 Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde *14.1 - Os materiais perfurocortantes devem ser descartados separadamente, no local de sua geração, imediatamente após o uso ou necessidade de descarte, em recipientes, rígidos, resistentes à punctura, ruptura e vazamento, com tampa, devidamente identificados, atendendo aos parâmetros referenciados na norma NBR 13853/97 da ABNT. *19 - Todos os profissionais que trabalham no serviço, mesmo os que atuam temporariamente ou não estejam diretamente envolvidos nas atividades de gerenciamento de resíduos, devem conhecer o sistema adotado para o gerenciamento de RSS, a prática de segregação de resíduos, reconhecer os símbolos, expressões, padrões de cores adotados, conhecer a localização dos abrigos de resíduos, entre outros fatores 7 indispensáveis à completa integração ao PGRSS
  8. 8. 8
  9. 9. Manipulação de Instrumentos e Materiais Cortantes e de Punção * Nunca deve-se reencapar agulhas após o uso. * Não remover com as mãos agulhas usadas das seringas descartáveis e não as quebrar ou entortar. 9
  10. 10. Acidente com Pérfuro-Cortante * Injúria percutânea por objetos cortantes, ou contato de mucosa e pele não íntegra com sangue, tecidos ou fluidos corpóreos potencialmente infectantes * Riscos: - Hepatite B: 30% - Hepatite C: 3% - HIV: 0,3% (NR 32 DOU DE 16/11/05) 10
  11. 11. Como e quando usar luvas? * Usar luvas de procedimento, não estéril, quando houver possibilidade de contato em sangue, fluídos corporais, mucosas, pele não íntegra e qualquer ítem contaminado de todos os clientes; * Trocar as luvas entre um procedimento e outro; * Calçar as luvas imediatamente antes do cuidado a ser executado, evitando contaminação prévia das mesmas; 11
  12. 12. Como e quando usar luvas? * Estando de luvas, não manipule objetos fora do campo de trabalho; * Retirar as luvas imediatamente após o término da atividade; * Removê-las sem tocar na parte externa das mesmas; * Usar luvas adequadas para cada procedimento. - Luvas cirúrgicas estéreis; - Luvas de procedimentos não estéreis. 12
  13. 13. Luvas 13
  14. 14. Avental, máscara, óculos, calçados e gorro. 14
  15. 15. TTiippooss ddee EEPPII:: * Luva – proteção da pele à exposição de material biológico e produtos químicos; * Óculos de acrílico – proteção de mucosa ocular; * Avental impermeável / Capote de manga comprida – para a proteção da roupa e pele do profissional; * Sapato fechado impermeável – proteção da pele do profissional; * Máscara cirúrgica – indicada para proteção da mucosa oro-nasal; * Gorro – proteção de exposição dos cabelos e couro cabeludo à matéria orgânica; * Máscara PFF2/N95 – indicada para a proteção de doenças por transmissão aérea tuberculose, varicela, sarampo e SARG (síndrome aguda respiratória grave).
  16. 16. O uso dos EPI no Brasil é regulamentado pela NR-6 da Portaria 3214 de 1978, do Ministério do Trabalho e Emprego, que em seu parágrafo 6.7.1 diz: Cabe ao empregado quanto ao EPI: a) usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina; b) responsabilizar-se pela guarda e conservação; c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso; d) cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado.
  17. 17. 17
  18. 18. O QUE É HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS? Medida individual mais simples e menos dispendiosa para prevenir a propagação das infecções relacionadas à assistência à saúde. “Basctérias não voam” 18
  19. 19. Video 19
  20. 20. Indicação da lavagem das mãos * após tocar fluidos, secreções e itens contaminados; * após a retirada das luvas; * antes de procedimentos no paciente; * entre contatos com pacientes; * entre procedimentos num mesmo paciente; * antes e depois de atos fisiológicos; * antes do preparo de soros e medicações. 20
  21. 21. Antes de iniciar qualquer a higienização das mãos, é necessário retirar jóias (anéis, pulseiras, relógio), pois sob tais objetos podem acumular microrganismos. (Exigência da NR-32) 21
  22. 22. 22
  23. 23. 23
  24. 24. Obrigada!
  25. 25. BIBLIOGRAFIA OPPERMANN, Carla Maria, Lia Capsi Pires. Manual de biossegurança para serviços de saúde. Porto Alegre,PMPA / SMS/CGVS, 2003. PIANUCCI. Ana, Saber cuidar – Procedimentos Básicos em Enfermagem. Senac – SP, 2003. www.anvisa.gov.br/hotsite/higienizacao_maos/index.htm Norma Regulamentadora 32 - NR 32. SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE 25

×