SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
ADAPTAÇÃO CURRICULAR VIDEOCONFERÊNCIA PROFº ELADIO HEREDERO Adaptado por Karen
PCN: Caráter aberto e flexível Equilíbrio entre os diferentes conteúdos e seu grau de aquisição Desenvolvimento de diferentes capacidades CONTEXTUALIZAÇÃO
CURRÍCULO: Adequação dos objetivos dentro das possibilidades dos alunos Atenção à diversidade CONTEXTUALIZAÇÃO
Resolução CNE – nº02/01 “Artigo 8 – As escolas da rede regular de ensino devem prever e prover na organização de suas classes comuns: III – flexibilização e adaptações curriculares que considerem o significado prático e instrumental dos conteúdos básicos, metodologias e ensino e recursos didáticos diferenciados e processos de avaliação adequados ao desenvolvimento dos alunos que apresentam necessidades educacionais especiais, em consonância com o projeto pedagógico da escola, respeitada a frequência obrigatória.” CONTEXTUALIZAÇÃO
Os princípios da escola inclusiva: A Inclusão é um direito; A educação deve discriminar positivamente Importância do aluno e sua singularidade Interdisciplinaridade Ensino em equipe CONTEXTUALIZAÇÃO
FORMAS DE ADAPTAÇÃO Adaptações de pequeno porte, ordinárias e não significativas Repetição da série Programas de reforço e  apoio (SAPE) Adaptações em grupo Adaptações de grande porte, extraordinárias e significativas
ASPECTOS POSITIVOS: Solidariedade dos demais alunos; Boa integração social; Socialização rápida; O aluno com n.e. aprende a conviver em grupo; Empenho dos professores; Valorização de todos os envolvidos no processo; Os alunos com n.e. passam a ser mais respeitados e acolhidos pelos alunos. ANÁLISE DA INCLUSÃO NO BRASIL
ASPECTOS NEGATIVOS: Carência de recursos técnico-pedagógicos especializados; Espaço físico inadequado; Falta de preparo técnico do professor para ensinar na diversidade; Carência de suporte técnico; Agressividade do aluno com necessidades especiais; Número alto de alunos em sala de aula; Dificuldade de comunicação com alunos surdos; Falta de participação dos pais. ANÁLISE DA INCLUSÃO NO BRASIL
ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCATIVAS Alunos com dificuldades de aprendizagem Alunos com condutas típicas Alunos com deficiência Alunos com superdotação
TIPOS DE ADAPTAÇÕES CURRICULARES
TIPOS DE ADAPTAÇÕES CURRICULARES
ADAPTAÇÕES NOS ELEMENTOS BÁSICOS
Elementos do plano geral de inclusão: Ações Competências de cada um Tarefas e responsabilidades Cronograma e metodologia Avaliação. COMO FAZER A ADAPTAÇÃO
Critérios para a adaptação individualizada: Partir sempre do currículo comum. Assegurar-se que foram esgotados todos os recursos comuns. Levar em conta os aspectos positivos do aluno. Considerar o processo de adaptação dinâmico e flexível. Buscar que o aluno vá superando metas para que ele precise sempre de menos adaptações. Tentar se aproximar ao máximo dos objetivos e conteúdos comuns. Partir sempre do que o aluno já sabe e identificar suas possibilidades. Sempre registrar tudo. COMO FAZER A ADAPTAÇÃO
COMO FAZER A ADAPTAÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Portfolio adaptação curricular
Portfolio adaptação curricularPortfolio adaptação curricular
Portfolio adaptação curricularJuvenal Alves
 
relatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágiorelatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágioUFMA e UEMA
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializadoceciliaconserva
 
Plano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEEPlano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEEPatricia Bampi
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciaispedagogianh
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Arivaldom
 
Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019Lindomar Oliveira
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência IntelectualEdilene Sampaio
 
Reunião pedagógica AEE
Reunião pedagógica AEEReunião pedagógica AEE
Reunião pedagógica AEEDelziene Jesus
 
Adaptação curricular - EE PROFESSORA JADYR G. CASTRO
Adaptação curricular - EE PROFESSORA JADYR G. CASTROAdaptação curricular - EE PROFESSORA JADYR G. CASTRO
Adaptação curricular - EE PROFESSORA JADYR G. CASTROeejadyr
 
Coordenador Pedagógico
Coordenador PedagógicoCoordenador Pedagógico
Coordenador PedagógicoNailson Rocha
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervençãomoniquests
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Instituto Consciência GO
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula mtolentino1507
 
Histórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialHistórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialVera Zacharias
 

Mais procurados (20)

Portfolio adaptação curricular
Portfolio adaptação curricularPortfolio adaptação curricular
Portfolio adaptação curricular
 
Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1Ed inclusiva unidade 1
Ed inclusiva unidade 1
 
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação InclusivaCapacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
Capacitação de educadores e cuidadores Educação Inclusiva
 
relatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágiorelatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágio
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializado
 
Plano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEEPlano de Ação do AEE
Plano de Ação do AEE
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries IniciaisRelatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
Relatório de Estágio de Prática Docente II - Séries Iniciais
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Coordenação pedagógica
Coordenação pedagógicaCoordenação pedagógica
Coordenação pedagógica
 
Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019Plano de ação gestão 2016 2019
Plano de ação gestão 2016 2019
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
Reunião pedagógica AEE
Reunião pedagógica AEEReunião pedagógica AEE
Reunião pedagógica AEE
 
Adaptação curricular - EE PROFESSORA JADYR G. CASTRO
Adaptação curricular - EE PROFESSORA JADYR G. CASTROAdaptação curricular - EE PROFESSORA JADYR G. CASTRO
Adaptação curricular - EE PROFESSORA JADYR G. CASTRO
 
Estudo de caso
Estudo de caso Estudo de caso
Estudo de caso
 
Coordenador Pedagógico
Coordenador PedagógicoCoordenador Pedagógico
Coordenador Pedagógico
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Histórico da Educação Especial
Histórico da Educação EspecialHistórico da Educação Especial
Histórico da Educação Especial
 

Semelhante a Adaptação curricular

ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptxppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptxValquiriaFernandesOl2
 
Adequação curricular ec 303
Adequação curricular ec 303Adequação curricular ec 303
Adequação curricular ec 303sedf
 
Orientações Pedagógicas: Deficiências
Orientações Pedagógicas: Deficiências Orientações Pedagógicas: Deficiências
Orientações Pedagógicas: Deficiências Jardeane Fontenele
 
Adquação curricular ppt
Adquação curricular pptAdquação curricular ppt
Adquação curricular pptsedf
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricularAnaí Peña
 
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02sedf
 
Educação especial escola inclusiva slides
Educação especial  escola inclusiva slidesEducação especial  escola inclusiva slides
Educação especial escola inclusiva slidesgindri
 
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricularEducacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricularNTE
 
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).pptppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).pptValquiriaFernandesOl2
 
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO SlideTrabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slidesoniaitaalo
 
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO SlideTrabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slidesoniaitaalo
 
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02sedf
 
Educação inclusiva- Escola inclusiva
Educação inclusiva- Escola inclusivaEducação inclusiva- Escola inclusiva
Educação inclusiva- Escola inclusivaSimone Dias
 
Multideficiencia
MultideficienciaMultideficiencia
MultideficienciaFilipAna
 
2 Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
2  Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx2  Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
2 Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptxLucieneVianaLuciene
 
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficienteFAMETRO/SEDUC
 
Inclusão na escola avancos e difivculdades
Inclusão na escola avancos e difivculdadesInclusão na escola avancos e difivculdades
Inclusão na escola avancos e difivculdadesosorioramos
 

Semelhante a Adaptação curricular (20)

ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptxppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
 
Adequação curricular ec 303
Adequação curricular ec 303Adequação curricular ec 303
Adequação curricular ec 303
 
Orientações Pedagógicas: Deficiências
Orientações Pedagógicas: Deficiências Orientações Pedagógicas: Deficiências
Orientações Pedagógicas: Deficiências
 
Adquação curricular ppt
Adquação curricular pptAdquação curricular ppt
Adquação curricular ppt
 
Edu Inclusiva Maristela
Edu Inclusiva MaristelaEdu Inclusiva Maristela
Edu Inclusiva Maristela
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
 
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
Adequaocurricularec303 110708115335-phpapp02
 
Educação especial escola inclusiva slides
Educação especial  escola inclusiva slidesEducação especial  escola inclusiva slides
Educação especial escola inclusiva slides
 
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricularEducacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
Educacao inclusiva numa_ perspectiva_curricular
 
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).pptppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
 
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO SlideTrabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
 
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO SlideTrabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
Trabalho Da MariâNgela Em ConstruçãO Slide
 
127
127127
127
 
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
 
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
Adaptaescurriculares 110729101049-phpapp02
 
Educação inclusiva- Escola inclusiva
Educação inclusiva- Escola inclusivaEducação inclusiva- Escola inclusiva
Educação inclusiva- Escola inclusiva
 
Multideficiencia
MultideficienciaMultideficiencia
Multideficiencia
 
2 Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
2  Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx2  Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
2 Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
 
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
 
Inclusão na escola avancos e difivculdades
Inclusão na escola avancos e difivculdadesInclusão na escola avancos e difivculdades
Inclusão na escola avancos e difivculdades
 

Mais de Karen Araki

Perfil professores do ATPC - EM
Perfil professores do ATPC - EMPerfil professores do ATPC - EM
Perfil professores do ATPC - EMKaren Araki
 
Replanejamento 2013
Replanejamento 2013Replanejamento 2013
Replanejamento 2013Karen Araki
 
Discussão aval em processo
Discussão aval em processoDiscussão aval em processo
Discussão aval em processoKaren Araki
 
L ingua, linguagem e fonologia 2011
L ingua, linguagem e fonologia 2011L ingua, linguagem e fonologia 2011
L ingua, linguagem e fonologia 2011Karen Araki
 
Planejamento 2013
Planejamento 2013Planejamento 2013
Planejamento 2013Karen Araki
 
Planejamento 2012
Planejamento 2012Planejamento 2012
Planejamento 2012Karen Araki
 

Mais de Karen Araki (13)

Perfil professores do ATPC - EM
Perfil professores do ATPC - EMPerfil professores do ATPC - EM
Perfil professores do ATPC - EM
 
Replanejamento 2013
Replanejamento 2013Replanejamento 2013
Replanejamento 2013
 
Discussão aval em processo
Discussão aval em processoDiscussão aval em processo
Discussão aval em processo
 
L ingua, linguagem e fonologia 2011
L ingua, linguagem e fonologia 2011L ingua, linguagem e fonologia 2011
L ingua, linguagem e fonologia 2011
 
Geração z
Geração zGeração z
Geração z
 
Planejamento 2013
Planejamento 2013Planejamento 2013
Planejamento 2013
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Cle
Cle Cle
Cle
 
Planejamento 2012
Planejamento 2012Planejamento 2012
Planejamento 2012
 
Rendimento3
Rendimento3Rendimento3
Rendimento3
 
Diasaresp2011
Diasaresp2011Diasaresp2011
Diasaresp2011
 
Bichos
BichosBichos
Bichos
 
Autismo marisa
Autismo  marisaAutismo  marisa
Autismo marisa
 

Último

c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.pptDaniloConceiodaSilva
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do BrasilMary Alvarenga
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 

Adaptação curricular

  • 1. ADAPTAÇÃO CURRICULAR VIDEOCONFERÊNCIA PROFº ELADIO HEREDERO Adaptado por Karen
  • 2. PCN: Caráter aberto e flexível Equilíbrio entre os diferentes conteúdos e seu grau de aquisição Desenvolvimento de diferentes capacidades CONTEXTUALIZAÇÃO
  • 3. CURRÍCULO: Adequação dos objetivos dentro das possibilidades dos alunos Atenção à diversidade CONTEXTUALIZAÇÃO
  • 4. Resolução CNE – nº02/01 “Artigo 8 – As escolas da rede regular de ensino devem prever e prover na organização de suas classes comuns: III – flexibilização e adaptações curriculares que considerem o significado prático e instrumental dos conteúdos básicos, metodologias e ensino e recursos didáticos diferenciados e processos de avaliação adequados ao desenvolvimento dos alunos que apresentam necessidades educacionais especiais, em consonância com o projeto pedagógico da escola, respeitada a frequência obrigatória.” CONTEXTUALIZAÇÃO
  • 5. Os princípios da escola inclusiva: A Inclusão é um direito; A educação deve discriminar positivamente Importância do aluno e sua singularidade Interdisciplinaridade Ensino em equipe CONTEXTUALIZAÇÃO
  • 6. FORMAS DE ADAPTAÇÃO Adaptações de pequeno porte, ordinárias e não significativas Repetição da série Programas de reforço e apoio (SAPE) Adaptações em grupo Adaptações de grande porte, extraordinárias e significativas
  • 7. ASPECTOS POSITIVOS: Solidariedade dos demais alunos; Boa integração social; Socialização rápida; O aluno com n.e. aprende a conviver em grupo; Empenho dos professores; Valorização de todos os envolvidos no processo; Os alunos com n.e. passam a ser mais respeitados e acolhidos pelos alunos. ANÁLISE DA INCLUSÃO NO BRASIL
  • 8. ASPECTOS NEGATIVOS: Carência de recursos técnico-pedagógicos especializados; Espaço físico inadequado; Falta de preparo técnico do professor para ensinar na diversidade; Carência de suporte técnico; Agressividade do aluno com necessidades especiais; Número alto de alunos em sala de aula; Dificuldade de comunicação com alunos surdos; Falta de participação dos pais. ANÁLISE DA INCLUSÃO NO BRASIL
  • 9. ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCATIVAS Alunos com dificuldades de aprendizagem Alunos com condutas típicas Alunos com deficiência Alunos com superdotação
  • 10. TIPOS DE ADAPTAÇÕES CURRICULARES
  • 11. TIPOS DE ADAPTAÇÕES CURRICULARES
  • 13. Elementos do plano geral de inclusão: Ações Competências de cada um Tarefas e responsabilidades Cronograma e metodologia Avaliação. COMO FAZER A ADAPTAÇÃO
  • 14. Critérios para a adaptação individualizada: Partir sempre do currículo comum. Assegurar-se que foram esgotados todos os recursos comuns. Levar em conta os aspectos positivos do aluno. Considerar o processo de adaptação dinâmico e flexível. Buscar que o aluno vá superando metas para que ele precise sempre de menos adaptações. Tentar se aproximar ao máximo dos objetivos e conteúdos comuns. Partir sempre do que o aluno já sabe e identificar suas possibilidades. Sempre registrar tudo. COMO FAZER A ADAPTAÇÃO
  • 15. COMO FAZER A ADAPTAÇÃO