SlideShare uma empresa Scribd logo
TRILHA SUSTENTÁVEL DO GRANDE ABC
GESTÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS SÓLIDOS:
CAMINHOS POSSÍVEIS
Diadema – 24/Março/2018
Resíduos em canal – Recife/PE
Resíduos em reservatório de
abastecimento de água
(área de manancial) – São Paulo/SP
Resíduos em praia –
Salvador/BA
Sabemos de TODOS os problemas
gerados pela má gestão e pelo manejo
inadequado dos resíduos sólidos
gerados em nossas atividades diárias...
Então, por quê não agimos?
O que diz a Lei Federal*?
Ordem de prioridade das ações
* Lei Federal nº 12.305/2010 –
Política Nacional de Resíduos Sólidos
Qual é o maior desafio?
 Inversão necessária nos resultados
Aterramento máximo
Recuperação mínima
Recuperação máxima
Aterramento mínimo
Cenário
atual
Panorama dos resíduos no Brasil
51%
32%
17%
Composição Gravimétrica RSD
2015
Matéria Orgânica
Secos
Outros
Fonte: IBGE; MMA
Situação na cidade de São Paulo
Município de São Paulo
Fonte: Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos
da cidade de São Paulo
12.000
ton/dia
RSD
6.100
ton/dia
úmidos/
orgânicos
4.100
ton/dia
secos
1.800
ton/dia
rejeitos
100%
51%
35%
14%
 Alto custo e baixa eficiência
Situação na cidade de São Paulo
Fonte: Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos
da cidade de São Paulo
 Recuperação de resíduos: - de 4%
dos resíduos gerados
 Elevada presença de rejeitos
Situação na cidade de São Paulo
 Pouco mais de 10%
das organizações de
catadores
estabelecidas na
cidade estão
conveniadas ou são
autorizadas a receber
resultado da coleta
Situação na cidade de São Paulo
Fonte: Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da cidade de São Paulo
Situação na cidade de São Paulo
 Estima-se a presença de mais de
20.000 catadores avulsos
 Cerca de 550
sucateiros/ ferros-
velhos legalizados
(10% do total dos estabeleci-
mentos)
 Estima-se a existên-
cia de outros 5.000
irregulares, operando
de forma precária
Situação na cidade de São Paulo
Fonte: Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da cidade de São Paulo
Responsabilidade de fabricantes, importa-
dores, distribuidores e comerciantes pelo
recolhimento dos resíduos pós-consumo ou
ao final da vida útil
 Pilhas e baterias;
 Pneus;
 Óleos lubrificantes e suas embalagens;
 Agrotóxicos e suas embalagens;
 Lâmpadas;
 Eletroeletrônicos;
 Embalagens.
Logística Reversa
E COMO
mudar isso?
COMO mudar?
• Novos padrões de produção:
• bens mais duráveis;
• produtos com menos embalagens;
• embalagens “amigáveis”
com a reciclagem
COMO mudar?
• Novos padrões de produção:
• Ecodesign
• Ecoeficiência – menor consumo de
matéria prima, água e energia
• Inovação tecnológica
• Pesquisa acadêmica
• Economia Circular
• Biomimética
COMO mudar?
• Novos padrões de consumo:
• escolhas
• exigências
• novos comportamentos
COMO mudar?
• Novos padrões de consumo:
• Informação e orientação
• Rotulagem
• Incentivo à produção local
• Compartilhamento
• Compras coletivas/conjuntas
• Adesão ao conceito Resíduo Zero
Resíduo Zero
conceito que aproxima nossa forma
de viver aos ciclos da natureza:
• eficientes e sustentáveis
• circuitos curtos
• não há desperdícios
• não há sobras
Resíduo Zero na prática
• coleta em 3 frações
racional
efetiva
propícia à recuperação
compostagem
biodigestão
Resíduo Zero na prática
• rota tecnológica
• ciclagem de nutrientes
• retorno da água ao solo
• geração de subprodutos
(biofertilizante, adubo)
• redução da necessidade de insumos
(fertilizantes, adubação química, etc.)
• geração de energia (biogás)
• ampliação da vida útil dos aterros
sanitários
Resíduo Zero na prática
• rota tecnológica
• aproveitamento de matéria prima
• redução do consumo de água e de
energia na produção de novos
produtos e de insumos
• geração de trabalho e de renda
(catadoras e catadores)
• ampliação da vida útil dos aterros
sanitários
RESÍDUOS
SECOS
reciclagem
Resíduo Zero na prática
• EVITAR
• perda de matéria prima
• interrupção do ciclos restaurativos
de matéria e nutrientes
• aumento do consumo de água e de
energia nos processos produtivos
• eliminação de postos de trabalho e
redução da renda (catadoras e
catadores)
• ampliação dos riscos à saúde
humana e ao ambiente
Queima
e/ou
destruição
dos resíduos
(incineração,
plasma,
gaseificação,
pirólise, etc.)
Resíduo Zero na prática
• EVITAR
• copos, pratos e talheres
descartáveis
• canudos plásticos
• sacolas e saquinhos plásticos
Uso de
utensílios de
ciclo curto, de
vida inútil
longa e de
difícil
reciclabilidade
Resíduo Zero na prática
Mais exemplos?
• Campanha: Break Free From Plastic
• exija que indústrias desenvolvam produtos
com menos embalagens e mais duráveis
• exija que comerciantes propiciem
alternativas de compras a granel
• escolha e utilize mais produtos duráveis
https://www.breakfreefromplastic.org/
Obrigado em nome da SACI e da ARZB!!!
Carlos Henrique A. Oliveira
Arquiteto Urbanista
residuozero.org.brsaciconsultoria.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gerenciamento de Resíduos Sólidos
 Gerenciamento de Resíduos Sólidos Gerenciamento de Resíduos Sólidos
Gerenciamento de Resíduos Sólidos
Master Ambiental
 
Aproveitando a água da chuva
Aproveitando a água da chuvaAproveitando a água da chuva
Aproveitando a água da chuva
vilmaacd
 
Captação de água da chuva - MIDS
Captação de água da chuva - MIDSCaptação de água da chuva - MIDS
Captação de água da chuva - MIDS
Silviene Florentino
 
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
petambiental
 
Reuso da agua
Reuso da aguaReuso da agua
Reuso da agua
Luana Barros
 
Resíduos
ResíduosResíduos
Resíduos
Tânia Reis
 
CaptaçãO De áGua De Chuva
CaptaçãO De áGua De ChuvaCaptaçãO De áGua De Chuva
CaptaçãO De áGua De Chuva
Ionara Urrutia Moura
 
Apresentação sobre reciclagem
Apresentação sobre reciclagemApresentação sobre reciclagem
Apresentação sobre reciclagem
Rodrigo Alves
 
Reuso da água
Reuso da águaReuso da água
Reuso da água
Patrícia Ventura
 
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Fluxus Design Ecológico
 
Seminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidrica
Seminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidricaSeminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidrica
Seminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidrica
Fluxus Design Ecológico
 
Agua e as proximas gerações taq
Agua e as proximas gerações taqAgua e as proximas gerações taq
Agua e as proximas gerações taq
robertaoliva
 
Projeto Coleta Seletiva Solidária (CSS)
Projeto Coleta Seletiva Solidária (CSS)Projeto Coleta Seletiva Solidária (CSS)
Projeto Coleta Seletiva Solidária (CSS)
Pablo
 
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de AguaBeneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Fluxus Design Ecológico
 
Uso racional da água aula
Uso racional da água aulaUso racional da água aula
Uso racional da água aula
profgon
 
Coleta seletiva, reciclagem e compostagem de resíduos sólidos urbanos
Coleta seletiva, reciclagem e compostagem de resíduos sólidos urbanosColeta seletiva, reciclagem e compostagem de resíduos sólidos urbanos
Coleta seletiva, reciclagem e compostagem de resíduos sólidos urbanos
Letícia Garcia
 
Cartilha Manejo Apropriado de Água
Cartilha Manejo Apropriado de ÁguaCartilha Manejo Apropriado de Água
Cartilha Manejo Apropriado de Água
Fluxus Design Ecológico
 
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USPPalestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Fluxus Design Ecológico
 
Aplicação dos princípios de design ecológico ao manejo de água: inovação na g...
Aplicação dos princípios de design ecológico ao manejo de água: inovação na g...Aplicação dos princípios de design ecológico ao manejo de água: inovação na g...
Aplicação dos princípios de design ecológico ao manejo de água: inovação na g...
Fluxus Design Ecológico
 

Mais procurados (19)

Gerenciamento de Resíduos Sólidos
 Gerenciamento de Resíduos Sólidos Gerenciamento de Resíduos Sólidos
Gerenciamento de Resíduos Sólidos
 
Aproveitando a água da chuva
Aproveitando a água da chuvaAproveitando a água da chuva
Aproveitando a água da chuva
 
Captação de água da chuva - MIDS
Captação de água da chuva - MIDSCaptação de água da chuva - MIDS
Captação de água da chuva - MIDS
 
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
 
Reuso da agua
Reuso da aguaReuso da agua
Reuso da agua
 
Resíduos
ResíduosResíduos
Resíduos
 
CaptaçãO De áGua De Chuva
CaptaçãO De áGua De ChuvaCaptaçãO De áGua De Chuva
CaptaçãO De áGua De Chuva
 
Apresentação sobre reciclagem
Apresentação sobre reciclagemApresentação sobre reciclagem
Apresentação sobre reciclagem
 
Reuso da água
Reuso da águaReuso da água
Reuso da água
 
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
Tratamento de efluentes ou reciclagem de nutrientes?
 
Seminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidrica
Seminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidricaSeminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidrica
Seminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidrica
 
Agua e as proximas gerações taq
Agua e as proximas gerações taqAgua e as proximas gerações taq
Agua e as proximas gerações taq
 
Projeto Coleta Seletiva Solidária (CSS)
Projeto Coleta Seletiva Solidária (CSS)Projeto Coleta Seletiva Solidária (CSS)
Projeto Coleta Seletiva Solidária (CSS)
 
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de AguaBeneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
 
Uso racional da água aula
Uso racional da água aulaUso racional da água aula
Uso racional da água aula
 
Coleta seletiva, reciclagem e compostagem de resíduos sólidos urbanos
Coleta seletiva, reciclagem e compostagem de resíduos sólidos urbanosColeta seletiva, reciclagem e compostagem de resíduos sólidos urbanos
Coleta seletiva, reciclagem e compostagem de resíduos sólidos urbanos
 
Cartilha Manejo Apropriado de Água
Cartilha Manejo Apropriado de ÁguaCartilha Manejo Apropriado de Água
Cartilha Manejo Apropriado de Água
 
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USPPalestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
Palestra no Escritório Piloto da Escola Politécnica da USP
 
Aplicação dos princípios de design ecológico ao manejo de água: inovação na g...
Aplicação dos princípios de design ecológico ao manejo de água: inovação na g...Aplicação dos princípios de design ecológico ao manejo de água: inovação na g...
Aplicação dos princípios de design ecológico ao manejo de água: inovação na g...
 

Semelhante a Gestão de resíduos

Coleta seletiva de lixo
Coleta seletiva de lixoColeta seletiva de lixo
Coleta seletiva de lixo
VALDIR CONCEICAO
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
girigau
 
Projeto resíduos sólidos parte 4
Projeto resíduos sólidos parte 4Projeto resíduos sólidos parte 4
Projeto resíduos sólidos parte 4
escola
 
Projeto de compostagem santa rita (grupo turma 2013.2)
Projeto de compostagem   santa rita (grupo turma 2013.2)Projeto de compostagem   santa rita (grupo turma 2013.2)
Projeto de compostagem santa rita (grupo turma 2013.2)
Camila Tavora
 
Logística Reversa e as oportunidades ao empreendedor
Logística Reversa e as oportunidades ao empreendedorLogística Reversa e as oportunidades ao empreendedor
Logística Reversa e as oportunidades ao empreendedor
Manuel Garcia Garcia
 
Apresentação Ecodesign e Ciclo de Vida
Apresentação Ecodesign e Ciclo de VidaApresentação Ecodesign e Ciclo de Vida
Apresentação Ecodesign e Ciclo de Vida
ECODESIGNTRENDS
 
Gestão residuos na constr civil e pnrs apostilha1
Gestão residuos na constr civil e pnrs   apostilha1Gestão residuos na constr civil e pnrs   apostilha1
Gestão residuos na constr civil e pnrs apostilha1
cmoitinho
 
Cartilha PNRS
Cartilha PNRSCartilha PNRS
Cartilha PNRS
Amanda Selivon
 
Gerenciamento de efluentes de abatedouros avícolas estudo de caso super fra...
Gerenciamento de efluentes de abatedouros avícolas   estudo de caso super fra...Gerenciamento de efluentes de abatedouros avícolas   estudo de caso super fra...
Gerenciamento de efluentes de abatedouros avícolas estudo de caso super fra...
Cristiano Goncalves De Araujo
 
Apresentação ciclo de vida lc
Apresentação ciclo de vida lcApresentação ciclo de vida lc
Apresentação ciclo de vida lc
Julio Rodrigues
 
Conscientizao ambiental-28227
Conscientizao ambiental-28227Conscientizao ambiental-28227
Conscientizao ambiental-28227
Kelvin Oliveira
 
Conscientização ambiental
Conscientização ambientalConscientização ambiental
Conscientização ambiental
zilda.2007
 
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
FecomercioSP
 
Votorantim
VotorantimVotorantim
Votorantim
walaceobarba
 
Centro de certificação_de_destinação _campinas
Centro de certificação_de_destinação _campinasCentro de certificação_de_destinação _campinas
Centro de certificação_de_destinação _campinas
pbjunior
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
João Boos Boos
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
João Boos Boos
 
Modelo apresentação ciclo MAUI 2016
Modelo apresentação ciclo MAUI 2016Modelo apresentação ciclo MAUI 2016
Modelo apresentação ciclo MAUI 2016
malanger
 
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do LarPalestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Michelle Raimundo dos Santos
 
Aula 5 res solidos
Aula 5 res solidosAula 5 res solidos
Aula 5 res solidos
Sidnei Ferreira
 

Semelhante a Gestão de resíduos (20)

Coleta seletiva de lixo
Coleta seletiva de lixoColeta seletiva de lixo
Coleta seletiva de lixo
 
Coleta seletiva
Coleta seletivaColeta seletiva
Coleta seletiva
 
Projeto resíduos sólidos parte 4
Projeto resíduos sólidos parte 4Projeto resíduos sólidos parte 4
Projeto resíduos sólidos parte 4
 
Projeto de compostagem santa rita (grupo turma 2013.2)
Projeto de compostagem   santa rita (grupo turma 2013.2)Projeto de compostagem   santa rita (grupo turma 2013.2)
Projeto de compostagem santa rita (grupo turma 2013.2)
 
Logística Reversa e as oportunidades ao empreendedor
Logística Reversa e as oportunidades ao empreendedorLogística Reversa e as oportunidades ao empreendedor
Logística Reversa e as oportunidades ao empreendedor
 
Apresentação Ecodesign e Ciclo de Vida
Apresentação Ecodesign e Ciclo de VidaApresentação Ecodesign e Ciclo de Vida
Apresentação Ecodesign e Ciclo de Vida
 
Gestão residuos na constr civil e pnrs apostilha1
Gestão residuos na constr civil e pnrs   apostilha1Gestão residuos na constr civil e pnrs   apostilha1
Gestão residuos na constr civil e pnrs apostilha1
 
Cartilha PNRS
Cartilha PNRSCartilha PNRS
Cartilha PNRS
 
Gerenciamento de efluentes de abatedouros avícolas estudo de caso super fra...
Gerenciamento de efluentes de abatedouros avícolas   estudo de caso super fra...Gerenciamento de efluentes de abatedouros avícolas   estudo de caso super fra...
Gerenciamento de efluentes de abatedouros avícolas estudo de caso super fra...
 
Apresentação ciclo de vida lc
Apresentação ciclo de vida lcApresentação ciclo de vida lc
Apresentação ciclo de vida lc
 
Conscientizao ambiental-28227
Conscientizao ambiental-28227Conscientizao ambiental-28227
Conscientizao ambiental-28227
 
Conscientização ambiental
Conscientização ambientalConscientização ambiental
Conscientização ambiental
 
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
Resíduos sólidos: os projetos de gestão das cidades-sede, 16/04/2012 - Aprese...
 
Votorantim
VotorantimVotorantim
Votorantim
 
Centro de certificação_de_destinação _campinas
Centro de certificação_de_destinação _campinasCentro de certificação_de_destinação _campinas
Centro de certificação_de_destinação _campinas
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
 
Modelo apresentação ciclo MAUI 2016
Modelo apresentação ciclo MAUI 2016Modelo apresentação ciclo MAUI 2016
Modelo apresentação ciclo MAUI 2016
 
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do LarPalestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
Palestra - Gestão Ambiental para Alimentação Fora do Lar
 
Aula 5 res solidos
Aula 5 res solidosAula 5 res solidos
Aula 5 res solidos
 

Último

Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 

Gestão de resíduos

  • 1. TRILHA SUSTENTÁVEL DO GRANDE ABC GESTÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS SÓLIDOS: CAMINHOS POSSÍVEIS Diadema – 24/Março/2018
  • 2. Resíduos em canal – Recife/PE
  • 3. Resíduos em reservatório de abastecimento de água (área de manancial) – São Paulo/SP Resíduos em praia – Salvador/BA
  • 4. Sabemos de TODOS os problemas gerados pela má gestão e pelo manejo inadequado dos resíduos sólidos gerados em nossas atividades diárias... Então, por quê não agimos?
  • 5. O que diz a Lei Federal*? Ordem de prioridade das ações * Lei Federal nº 12.305/2010 – Política Nacional de Resíduos Sólidos
  • 6. Qual é o maior desafio?  Inversão necessária nos resultados Aterramento máximo Recuperação mínima Recuperação máxima Aterramento mínimo Cenário atual
  • 7. Panorama dos resíduos no Brasil 51% 32% 17% Composição Gravimétrica RSD 2015 Matéria Orgânica Secos Outros Fonte: IBGE; MMA
  • 8. Situação na cidade de São Paulo Município de São Paulo Fonte: Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da cidade de São Paulo 12.000 ton/dia RSD 6.100 ton/dia úmidos/ orgânicos 4.100 ton/dia secos 1.800 ton/dia rejeitos 100% 51% 35% 14%
  • 9.  Alto custo e baixa eficiência Situação na cidade de São Paulo Fonte: Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da cidade de São Paulo  Recuperação de resíduos: - de 4% dos resíduos gerados
  • 10.  Elevada presença de rejeitos Situação na cidade de São Paulo
  • 11.  Pouco mais de 10% das organizações de catadores estabelecidas na cidade estão conveniadas ou são autorizadas a receber resultado da coleta Situação na cidade de São Paulo Fonte: Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da cidade de São Paulo
  • 12. Situação na cidade de São Paulo  Estima-se a presença de mais de 20.000 catadores avulsos
  • 13.  Cerca de 550 sucateiros/ ferros- velhos legalizados (10% do total dos estabeleci- mentos)  Estima-se a existên- cia de outros 5.000 irregulares, operando de forma precária Situação na cidade de São Paulo Fonte: Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da cidade de São Paulo
  • 14. Responsabilidade de fabricantes, importa- dores, distribuidores e comerciantes pelo recolhimento dos resíduos pós-consumo ou ao final da vida útil  Pilhas e baterias;  Pneus;  Óleos lubrificantes e suas embalagens;  Agrotóxicos e suas embalagens;  Lâmpadas;  Eletroeletrônicos;  Embalagens. Logística Reversa
  • 16. COMO mudar? • Novos padrões de produção: • bens mais duráveis; • produtos com menos embalagens; • embalagens “amigáveis” com a reciclagem
  • 17. COMO mudar? • Novos padrões de produção: • Ecodesign • Ecoeficiência – menor consumo de matéria prima, água e energia • Inovação tecnológica • Pesquisa acadêmica • Economia Circular • Biomimética
  • 18. COMO mudar? • Novos padrões de consumo: • escolhas • exigências • novos comportamentos
  • 19. COMO mudar? • Novos padrões de consumo: • Informação e orientação • Rotulagem • Incentivo à produção local • Compartilhamento • Compras coletivas/conjuntas • Adesão ao conceito Resíduo Zero
  • 20. Resíduo Zero conceito que aproxima nossa forma de viver aos ciclos da natureza: • eficientes e sustentáveis • circuitos curtos • não há desperdícios • não há sobras
  • 21. Resíduo Zero na prática • coleta em 3 frações racional efetiva propícia à recuperação
  • 22. compostagem biodigestão Resíduo Zero na prática • rota tecnológica • ciclagem de nutrientes • retorno da água ao solo • geração de subprodutos (biofertilizante, adubo) • redução da necessidade de insumos (fertilizantes, adubação química, etc.) • geração de energia (biogás) • ampliação da vida útil dos aterros sanitários
  • 23. Resíduo Zero na prática • rota tecnológica • aproveitamento de matéria prima • redução do consumo de água e de energia na produção de novos produtos e de insumos • geração de trabalho e de renda (catadoras e catadores) • ampliação da vida útil dos aterros sanitários RESÍDUOS SECOS reciclagem
  • 24. Resíduo Zero na prática • EVITAR • perda de matéria prima • interrupção do ciclos restaurativos de matéria e nutrientes • aumento do consumo de água e de energia nos processos produtivos • eliminação de postos de trabalho e redução da renda (catadoras e catadores) • ampliação dos riscos à saúde humana e ao ambiente Queima e/ou destruição dos resíduos (incineração, plasma, gaseificação, pirólise, etc.)
  • 25. Resíduo Zero na prática • EVITAR • copos, pratos e talheres descartáveis • canudos plásticos • sacolas e saquinhos plásticos Uso de utensílios de ciclo curto, de vida inútil longa e de difícil reciclabilidade
  • 26. Resíduo Zero na prática Mais exemplos? • Campanha: Break Free From Plastic • exija que indústrias desenvolvam produtos com menos embalagens e mais duráveis • exija que comerciantes propiciem alternativas de compras a granel • escolha e utilize mais produtos duráveis https://www.breakfreefromplastic.org/
  • 27. Obrigado em nome da SACI e da ARZB!!! Carlos Henrique A. Oliveira Arquiteto Urbanista residuozero.org.brsaciconsultoria.com.br

Notas do Editor

  1. 2
  2. 3
  3. 4
  4. 6
  5. 9
  6. 10
  7. 11
  8. 12
  9. 13
  10. 14
  11. 15
  12. 16
  13. 17
  14. 18
  15. 19
  16. 20
  17. 21
  18. 22
  19. 23
  20. 24
  21. 25
  22. 26