SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
ANTIGUIDADE ORIENTAL

EGITO
1 - Características Gerais
 Uma das mais grandiosas e a mais duradouras do contexto das
civilizações pertencentes ao modo de produção asiático.
• Produção agrária;
• Sociedade estratificada;
•Estado teísta despótico (Teocracia), centralizado e forte:

Instituições:

Controlam e subordinam a
população

Burocráticas
Militares
Culturais
Religiosas

Ajudam o Estado a controlar a
estrutura socioeconômica e
administrativa.
Localização

 Nordeste da África:
 Região predominantemente desértica;
 Vale do Nilo: região fértil

Regime de chuvas: chuvas durante certos
meses leva à cheio a do Nilo, deixando o
solo fértil para plantio.
 Com a agricultura farta da região, surgiram os nomos,
comunidades autônomas, que praticavam uma agricultura
rudimentar. Eram lideradas por nomarcas.
Com o tempo...

Crescimento populacional + aprimoramento agrícola + produção de
excedentes.

Surgem as cidades e a diferenciação social

Desenvolvimento
das técnicas de
irrigação.
2.As fases do Império
Egípcio
 3 Fases:
 Antigo Império (3.200 aC – 2000 aC);
 Médio Império (2000 aC – 1580 aC);
 Novo Império (1580aC – 525 aC);
2.1 – O Antigo Império (3.200 – 2000a.C)
Conflitos entre os nomos leva à formação de dois grandes reinos (3.500aC):
 Alto Egito (Sul do Nilo)
Baixo Egito (Norte do Nilo)
 Menés, imperador do Alto Egito (3200 aC): Unifica os dois reinos e dá
origem ao período dinástico.
Subordina os diversos nomos;
 Nomarcas passam a ser representantes do faraó nas regiões.

• Concentra poderes;
• Apropria-se de todas as terras;
• Estabelece impostos e servidão;
• É considerado um “deus vivo” – teocracia.
Akhenaton (Ou Amenhotep IV)
 A partir de 2.200 aC:
 Enfraquecimento do poder central:
 Burocracia estatal era cara;
 Diminuição das cheias do Nilo;
 Crises de abastecimento e fome

Revoltas populares

Desorganização da produção
 Nomarcas ganham destaque (período feudal egípcio)
 Período marcado por diversas lutas entre nomarcas e
revoltas sociais.
2.2 - O Médio Império (2000 – 1580 a.C)
 Restabelecimento do poder do faraó e a unidade do Império.
 Tebas: nova capital.
 Grandes obras de irrigação:
 Ampliação das áreas produtivas

leva ao dinamismo do período

 Construção de grandes tumbas e templos;
 Desenvolvimento das artes e da literatura
 Por volta de 1800 aC: declínio

Invasões dos hicsos
(origem asiática)

 Nobres reivindicam maior autonomia

+

 Situação de penúria: rebeliões camponesas

Enfraquecimento do poder central

Isolam os faraós em
Tebas e controlam o país
por quase dois séculos.
2.3 - O Novo Império – (1580 – 525 a.C)
2.3 - O Novo Império – (1580 – 525 a.C)
 Dominação dos hicsos: desperta sentimento militarista e une os egípcios.

Amnósis I: lidera expulsão dos invasores (1580 aC)

Época de dominação
e escravização dos
hebreus.

 Força do Novo Império: ampliação das fronteiras (militarismo).

Destaques do período
 Tutmés III (1480 – 1448 aC):
 Maior extensão territorial;
 subjuga sírios, fenícios e outros
povos;

Câmara funerária Tutmés III

 grande poderio militar, que leva o
Egito a ser a grande potência da
época.
 Amenófis IV (1377 – 1358 aC): O “Rei Herético”
 Revolução religiosa: põe fim ao politeísmo. Passa a
cultuar Aton (Amenófis = Amen Hotep = “Amon está
satisfeito”. Akhenaton = Ech-n-Aton = Aquele que
agrada a Aton”);
 Confisca os bens dos sacerdortes, diminuindo sua
influência;

Aton

 Nova capital: Akhetaton (“Horizonte do disco solar”);
 Dificuldade de gerar um herdeiro que lhe suceda
fragiliza seu governo.

 Os sacerdotes depõem o faraó e outorgam o poder a Tutankhamon
 Anula a reforma religiosa de Amenófis;
 Mais conhecido por sua viúva (Ankesenamon) do que por
seus feitos e também devido à publicidade gerada à época do
descobrimento de seus tesouros, na década de 1920.
 Ramsés II (1292 – 1225 aC):
 Período de maior esplendor do Novo
Império:
 Prosseguimento das conquistas militares;
 manifestações culturais (ex: templos de
Karnak em Luxor).

 Após Ramsés, inicia-se o declínio da civilização egípcia:
 Disputas políticas: autoridades sacerdotais ganham mais poder. A sumosacerdote chega a ignorar o poder do faraó;
Sem a força do
 Exército mercenário
desorganização e insubordinação
exército, o
Império vai
 A partir de 1.1000 aC:
perdendo suas
conquistas.
 O império volta a se dividir (Alto e Baixo);
 Conflito entre as partes os enfraquece;
 Egito vira novamente alvo de conquistadores
(622: Assírios – Rei Assurbinapal)
Templo de Karnak em Luxor
 O Renascimento Saíta:
 Última tentativa de reerguer o poderio egípcio;
 Recupera a unidade e alguns territórios, além de se fundada uma
nova capital: Saís;
 Destaque do período: Faraó Necao:
 intensifica o comércio com a Ásia e a navegação.
 Após Necao:
 Descontrole das disputas políticas (militares, burocratas,
sacerdotes);
Rebeliões camponesas.
 525 aC: Egito é conquistado e vira uma província do Império
Persa;
 O Egito ainda sofreria várias conquistas ao longo de sua
história> gregos, macedônios, romanos, árabes, turcos e ingleses.
3 – Economia, Sociedade e
Cultura no Antigo Egito
Economia
 Estado:
 Organiza as atividades produtivas;
 População pagava impostos:
 produtos ou trabalho;
 servidão coletiva;
 época de cheias: chamava ao trabalhadores para construir obras
públicas (templos, palácios, canais de irrigação, etc).
 Era dono das terras (apropriava-se dos excedentes);
 Produção agrícola: trigo, cevada, algodão, papiro, linho.
 Criação de animais: cabras, carneiros, gansos, pesca.
 Atividades artesanais: tecidos, vidros, navios.
A Sociedade Egípcia
 Composta basicamente por:
I - Faraó e sua família;

II – Aristocracia: sacerdotes,
funcionários do Estado (burocratas e
militares) e nobres (nomarcas)
Escriba egípcio

III – Massa camponesa e escravos:
mantidos por repressão e pela influência
da religião.
Escravos
Cultura
Religião:
 Politeísta
 Remonta ao período pré-dinástico dos nomos;
Acreditavam numa espécie de reencarnação, de modo que a vida
sucederia a morte;

Mumificação: técnica usada para que a alma pudesse voltar a habitar o corpo
Múmia exposta no museu do Louvre (Paris): as técnicas de
mumificação estimularam o conhecimento sobre anatomia
humana e favoreceram o desenvolvimento da medicina.
= Anúbis
Anúbis
(ou Anupu ou Anpu)

 Deus Egípcio dos mortos e do
submundo;

 Presidia às mumificações;
 Considerado guardião das
necrópoles, das tumbas e juiz
dos mortos;
Guiava as almas dos mortos
no além.
Outros deuses do panteão egípcio:

Osiris

Ísis

Deus da vida após a
morte

Hórus

Deusa do amor

Deus do céu

Olho de Hórus
Toth:
Deus da sabedoria e
do conhecimento

Seth:

Rá (ou Ré)

Deus do caos,
deordem e violência

Deus sol,
principal deus
egípcio.
 Além disso:
 Medicina, arquitetura e engenharia era incentivados pelo poder
central;
 Estudos astronômicos (astronomia e matemática) e hidráulicos
(represamentos e irrigação) era incentivados para fins práticos,
sobretudo na agricultura.
Literatura: poesia, filosofia e medicina.
 Escrita:3 tipos
 Hieróglifa: escrita sagrada, vista em templos, possuía mais de 600
sinais;
 Hierática: geralmente usada por sacerdotes e para documentos;
 Demótica: popular, criada bem mais tarde. Possuía cerca de 350
sinais.
Algumas curiosidades sobre o Egito:
Algumas curiosidades sobre o Egito:
Esfinge de
Gizé

Sem nariz!

"O que tem quatro pernas de manhã, duas à tarde e três
a noite?"
Hipóteses sobre o desaparecimento do nariz:
Hipóteses sobre o desaparecimento do nariz:
1 – Canhões de Napoleão na Campanha do Egito;
2 – Artilharia inglesa no século XIX;
3 – Fundamentalista sufi no século XV, revoltado com as
oferendas para a Esfinge;
4 – Porém, a mais aceita tem relação com a solução do
enigma da Esfinge:
...Após decifrar o enigma proposto
pela esfinge, Chuck Norris propõe
outro a ela. A Esfinge não consegue
decifrá-lo e perde o nariz.
Curiosidades sobre as
PIRÂMIDES DE GIZÉ
• As 3 pirâmides de Gizé chamamse Quéfren, Quéops e Miquerinos,
sendo que estes nomes são gregos,
e não Egípcios.
• Quéops, a maior e mais
misteriosa das pirâmides, chamase, em egípcio, Khufu.
• Única das maravilhas do mundo antigo ainda de pé, a pirâmide de Quéops foi p
maior monumento erigido pelo homem até a construção da Torre Eiffel em 1889.
• Ela tem 146,6 metros de altura (equivalente a um edifício de 40 andares) e
contém 2.300.000 blocos de granito, pesando, em média, cerca de duas toneladas
e meia cada um. Estima-se que sua construção tenha levado cerca de 30 anos.
• Ao terminar a construção, estima-se que seu peso chegasse a
aproximadamente 6 milhões de toneladas.
• Na área ocupada pela pirâmide de Quéops, cabem oito campos de futebol.
Para dar a volta completa em sua região, deve-se caminhas cerca de 1 km.
“Soldados, do alto destas pirâmides, 40 séculos
de história nos contemplam.” - Frase de Napoleão
Bonaparte para suas tropas, em 1798.
Será coincidência?...
Será coincidência?...
• Que altura da Pirâmide de Quéops,
multiplicada por um milhão, corresponda
a aproximadamente à distância Terra-Sol,
isto é, a 146.600.000 km...
• Que o meridiano que passa pelo centro da
pirâmide divida continentes e oceanos em
duas metades exatamente iguais...
• Que o Perímetro da pirâmide, dividido pelo dobro de sua altura, tenha como
resultado o famoso número Pi...
• Que a orientação da pirâmide permitia que os raios luminosos da estrela
Sírios, ao passar pelo meridiano, penetram na câmara do núcleo da
pirâmide por meio de um conduto, no momento em que se anunciava o
princípio do ano egípcio e o inicio das inundações, como a luz da estrela
Polar entrava pelos condutos do norte...
• Que todos os quatro lados tenham praticamente o mesmo comprimento,
com uma exatidão não existente apenas por alguns centímetros...
"O tempo ri para todas as coisas, mas as pirâmides riem do tempo“
"O tempo ri para todas as coisas, mas as pirâmides riem do tempo“
--Provérbio Árabe
Provérbio Árabe
• Alguns registros mostram que as pessoas
que trabalharam nas pirâmides foram pagas
com cerveja
• Isso mostra que os trabalhadores das
pirâmides não eram escravos, pois
recebiam um pagamento em troca, que
também era feito com gêneros
alimentícios
• Como os antigos egípcios encaixaram pedras tão grandes com tanta
exatidão, usando ferramentas simples como martelos, talhadeiras, alavancas e
cordas?
• Um outro mistério é como os lados das pirâmides são simétricos com as linhas
norte-sul, leste-oeste que o homem moderno desenha no globo. Isso significa
que os antigos egípcios sabiam o tamanho e o formato da Terra?
• Se todos os blocos de pedra da pirâmide de Gizé forem alinhados sobre a linha
do equador, cobririam 2/3 do mesmo.
Egito

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Civilização indiana
Civilização indianaCivilização indiana
Civilização indiana
valdeck1
 
A religião grega
A religião gregaA religião grega
A religião grega
ceufaias
 
2 - Pré-história à idade antiga
2 - Pré-história à idade antiga2 - Pré-história à idade antiga
2 - Pré-história à idade antiga
Marcel Gois
 
Civilização indiana
Civilização indianaCivilização indiana
Civilização indiana
Lú Carvalho
 

Mais procurados (20)

Fdocumentos.tips povos e-culturas-africanas-malineses-centenas-de-povos-com-c...
Fdocumentos.tips povos e-culturas-africanas-malineses-centenas-de-povos-com-c...Fdocumentos.tips povos e-culturas-africanas-malineses-centenas-de-povos-com-c...
Fdocumentos.tips povos e-culturas-africanas-malineses-centenas-de-povos-com-c...
 
Filosofia e Mito
Filosofia e MitoFilosofia e Mito
Filosofia e Mito
 
Civilização indiana
Civilização indianaCivilização indiana
Civilização indiana
 
Egito 1
Egito 1Egito 1
Egito 1
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
 
1° ano império romano - completo
1° ano    império romano - completo1° ano    império romano - completo
1° ano império romano - completo
 
A religião grega
A religião gregaA religião grega
A religião grega
 
África Medieval - 7º Ano (2017)
África Medieval - 7º Ano (2017)África Medieval - 7º Ano (2017)
África Medieval - 7º Ano (2017)
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Mitologia egípcia
Mitologia egípciaMitologia egípcia
Mitologia egípcia
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
2 - Pré-história à idade antiga
2 - Pré-história à idade antiga2 - Pré-história à idade antiga
2 - Pré-história à idade antiga
 
05 primeiras civilizações
05   primeiras civilizações05   primeiras civilizações
05 primeiras civilizações
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 
Aula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anosAula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anos
 
História, fontes e historiadores
História, fontes e historiadoresHistória, fontes e historiadores
História, fontes e historiadores
 
Civilização indiana
Civilização indianaCivilização indiana
Civilização indiana
 
6 ano - Esparta e Atenas
6 ano - Esparta e Atenas6 ano - Esparta e Atenas
6 ano - Esparta e Atenas
 
As primeiras cidades
As primeiras cidadesAs primeiras cidades
As primeiras cidades
 

Destaque

Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedadeEgito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Carlos Pinheiro
 
O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
CPH
 
A antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípciaA antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípcia
Rainha Maga
 

Destaque (18)

Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedadeEgito Antigo: Nilo, economia e sociedade
Egito Antigo: Nilo, economia e sociedade
 
Egito slide
Egito slideEgito slide
Egito slide
 
Palestra milton zuanazzi Forúm Bombinhas 21 anos:Perspectivas para o futuro
Palestra milton zuanazzi Forúm Bombinhas 21 anos:Perspectivas  para o futuroPalestra milton zuanazzi Forúm Bombinhas 21 anos:Perspectivas  para o futuro
Palestra milton zuanazzi Forúm Bombinhas 21 anos:Perspectivas para o futuro
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 
Antigo império egípcio/história do antigo império/ Dica Enem
Antigo império egípcio/história do antigo império/ Dica EnemAntigo império egípcio/história do antigo império/ Dica Enem
Antigo império egípcio/história do antigo império/ Dica Enem
 
A sociedade egípcia
A sociedade egípciaA sociedade egípcia
A sociedade egípcia
 
O Egipto
O EgiptoO Egipto
O Egipto
 
Civilização egípcia
Civilização egípciaCivilização egípcia
Civilização egípcia
 
As PirâMides Do Egito
As PirâMides Do EgitoAs PirâMides Do Egito
As PirâMides Do Egito
 
A arte no egito
A arte no egitoA arte no egito
A arte no egito
 
A sociedade egípcia
A sociedade egípciaA sociedade egípcia
A sociedade egípcia
 
O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
 
O Egito Antigo_2015
O Egito Antigo_2015O Egito Antigo_2015
O Egito Antigo_2015
 
O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
 
História (Roma)
História (Roma)História (Roma)
História (Roma)
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
A antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípciaA antiga civilização egípcia
A antiga civilização egípcia
 

Semelhante a Egito

Semelhante a Egito (20)

EGITO ANTIGO
EGITO ANTIGOEGITO ANTIGO
EGITO ANTIGO
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
A civilização grega i
A civilização grega iA civilização grega i
A civilização grega i
 
7.a.egito.2014
7.a.egito.20147.a.egito.2014
7.a.egito.2014
 
Exodo detalhado
Exodo detalhadoExodo detalhado
Exodo detalhado
 
Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
 
Apostila de-historia-antiga-oriental
Apostila de-historia-antiga-orientalApostila de-historia-antiga-oriental
Apostila de-historia-antiga-oriental
 
História de África - parte 2
História de África - parte 2História de África - parte 2
História de África - parte 2
 
O egito antigo arquitetura
O egito antigo arquiteturaO egito antigo arquitetura
O egito antigo arquitetura
 
8. o egito antigo.2015
8. o egito antigo.20158. o egito antigo.2015
8. o egito antigo.2015
 
O egito antigo 2014
O egito antigo   2014O egito antigo   2014
O egito antigo 2014
 
Roma antiga 2
Roma antiga 2Roma antiga 2
Roma antiga 2
 
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia  - Antiguidade OrientalEgito e Mesopotâmia  - Antiguidade Oriental
Egito e Mesopotâmia - Antiguidade Oriental
 
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbiaCapítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
Capítulo 4 - África Antiga: egito e núbia
 
Antigo egito
Antigo egitoAntigo egito
Antigo egito
 
Egito e Kush
Egito e KushEgito e Kush
Egito e Kush
 
egito
 egito egito
egito
 
Revisão hstória geral
Revisão hstória geralRevisão hstória geral
Revisão hstória geral
 
Revisão hstória geral
Revisão hstória geralRevisão hstória geral
Revisão hstória geral
 

Mais de Marquês de Pombal (20)

11 hca 1 matriz
11 hca 1 matriz11 hca 1 matriz
11 hca 1 matriz
 
10 hca 1 matriz
10 hca  1 matriz10 hca  1 matriz
10 hca 1 matriz
 
Matriz 7 1 20 21
Matriz 7 1 20 21Matriz 7 1 20 21
Matriz 7 1 20 21
 
Tarefa 2 10 h
Tarefa 2 10 h Tarefa 2 10 h
Tarefa 2 10 h
 
12 f tarefa 2
12 f tarefa 212 f tarefa 2
12 f tarefa 2
 
11 f meu
11 f meu11 f meu
11 f meu
 
Cidadania desenvolvimento tarefa 2 9 b
Cidadania desenvolvimento tarefa 2 9 bCidadania desenvolvimento tarefa 2 9 b
Cidadania desenvolvimento tarefa 2 9 b
 
Tarefa 2 11 g
Tarefa  2 11 gTarefa  2 11 g
Tarefa 2 11 g
 
Tarefa 2 10 g
Tarefa 2 10 gTarefa 2 10 g
Tarefa 2 10 g
 
Tarefa 3 8 ano
Tarefa 3   8 anoTarefa 3   8 ano
Tarefa 3 8 ano
 
Tarefa 3
Tarefa 3Tarefa 3
Tarefa 3
 
Dac
DacDac
Dac
 
11 f
 11 f 11 f
11 f
 
9
99
9
 
7
77
7
 
Tarefa 2 8 ano
Tarefa 2   8 anoTarefa 2   8 ano
Tarefa 2 8 ano
 
Ficha trabalho 9 a
Ficha trabalho 9 aFicha trabalho 9 a
Ficha trabalho 9 a
 
Quadro comparativo regimes ditatoriais
Quadro comparativo regimes ditatoriaisQuadro comparativo regimes ditatoriais
Quadro comparativo regimes ditatoriais
 
Quadro comparativo regimes ditatoriais
Quadro comparativo regimes ditatoriaisQuadro comparativo regimes ditatoriais
Quadro comparativo regimes ditatoriais
 
Tarefa 2 10 f
Tarefa 2   10 fTarefa 2   10 f
Tarefa 2 10 f
 

Egito

  • 2. 1 - Características Gerais  Uma das mais grandiosas e a mais duradouras do contexto das civilizações pertencentes ao modo de produção asiático. • Produção agrária; • Sociedade estratificada; •Estado teísta despótico (Teocracia), centralizado e forte: Instituições: Controlam e subordinam a população Burocráticas Militares Culturais Religiosas Ajudam o Estado a controlar a estrutura socioeconômica e administrativa.
  • 3. Localização  Nordeste da África:  Região predominantemente desértica;  Vale do Nilo: região fértil Regime de chuvas: chuvas durante certos meses leva à cheio a do Nilo, deixando o solo fértil para plantio.
  • 4.
  • 5.  Com a agricultura farta da região, surgiram os nomos, comunidades autônomas, que praticavam uma agricultura rudimentar. Eram lideradas por nomarcas. Com o tempo... Crescimento populacional + aprimoramento agrícola + produção de excedentes. Surgem as cidades e a diferenciação social Desenvolvimento das técnicas de irrigação.
  • 6. 2.As fases do Império Egípcio  3 Fases:  Antigo Império (3.200 aC – 2000 aC);  Médio Império (2000 aC – 1580 aC);  Novo Império (1580aC – 525 aC);
  • 7. 2.1 – O Antigo Império (3.200 – 2000a.C) Conflitos entre os nomos leva à formação de dois grandes reinos (3.500aC):  Alto Egito (Sul do Nilo) Baixo Egito (Norte do Nilo)  Menés, imperador do Alto Egito (3200 aC): Unifica os dois reinos e dá origem ao período dinástico. Subordina os diversos nomos;  Nomarcas passam a ser representantes do faraó nas regiões. • Concentra poderes; • Apropria-se de todas as terras; • Estabelece impostos e servidão; • É considerado um “deus vivo” – teocracia. Akhenaton (Ou Amenhotep IV)
  • 8.  A partir de 2.200 aC:  Enfraquecimento do poder central:  Burocracia estatal era cara;  Diminuição das cheias do Nilo;  Crises de abastecimento e fome Revoltas populares Desorganização da produção  Nomarcas ganham destaque (período feudal egípcio)  Período marcado por diversas lutas entre nomarcas e revoltas sociais.
  • 9. 2.2 - O Médio Império (2000 – 1580 a.C)  Restabelecimento do poder do faraó e a unidade do Império.  Tebas: nova capital.  Grandes obras de irrigação:  Ampliação das áreas produtivas leva ao dinamismo do período  Construção de grandes tumbas e templos;  Desenvolvimento das artes e da literatura  Por volta de 1800 aC: declínio Invasões dos hicsos (origem asiática)  Nobres reivindicam maior autonomia +  Situação de penúria: rebeliões camponesas Enfraquecimento do poder central Isolam os faraós em Tebas e controlam o país por quase dois séculos.
  • 10. 2.3 - O Novo Império – (1580 – 525 a.C) 2.3 - O Novo Império – (1580 – 525 a.C)  Dominação dos hicsos: desperta sentimento militarista e une os egípcios. Amnósis I: lidera expulsão dos invasores (1580 aC) Época de dominação e escravização dos hebreus.  Força do Novo Império: ampliação das fronteiras (militarismo). Destaques do período  Tutmés III (1480 – 1448 aC):  Maior extensão territorial;  subjuga sírios, fenícios e outros povos; Câmara funerária Tutmés III  grande poderio militar, que leva o Egito a ser a grande potência da época.
  • 11.  Amenófis IV (1377 – 1358 aC): O “Rei Herético”  Revolução religiosa: põe fim ao politeísmo. Passa a cultuar Aton (Amenófis = Amen Hotep = “Amon está satisfeito”. Akhenaton = Ech-n-Aton = Aquele que agrada a Aton”);  Confisca os bens dos sacerdortes, diminuindo sua influência; Aton  Nova capital: Akhetaton (“Horizonte do disco solar”);  Dificuldade de gerar um herdeiro que lhe suceda fragiliza seu governo.  Os sacerdotes depõem o faraó e outorgam o poder a Tutankhamon  Anula a reforma religiosa de Amenófis;  Mais conhecido por sua viúva (Ankesenamon) do que por seus feitos e também devido à publicidade gerada à época do descobrimento de seus tesouros, na década de 1920.
  • 12.  Ramsés II (1292 – 1225 aC):  Período de maior esplendor do Novo Império:  Prosseguimento das conquistas militares;  manifestações culturais (ex: templos de Karnak em Luxor).  Após Ramsés, inicia-se o declínio da civilização egípcia:  Disputas políticas: autoridades sacerdotais ganham mais poder. A sumosacerdote chega a ignorar o poder do faraó; Sem a força do  Exército mercenário desorganização e insubordinação exército, o Império vai  A partir de 1.1000 aC: perdendo suas conquistas.  O império volta a se dividir (Alto e Baixo);  Conflito entre as partes os enfraquece;  Egito vira novamente alvo de conquistadores (622: Assírios – Rei Assurbinapal)
  • 13. Templo de Karnak em Luxor
  • 14.  O Renascimento Saíta:  Última tentativa de reerguer o poderio egípcio;  Recupera a unidade e alguns territórios, além de se fundada uma nova capital: Saís;  Destaque do período: Faraó Necao:  intensifica o comércio com a Ásia e a navegação.  Após Necao:  Descontrole das disputas políticas (militares, burocratas, sacerdotes); Rebeliões camponesas.  525 aC: Egito é conquistado e vira uma província do Império Persa;  O Egito ainda sofreria várias conquistas ao longo de sua história> gregos, macedônios, romanos, árabes, turcos e ingleses.
  • 15. 3 – Economia, Sociedade e Cultura no Antigo Egito
  • 16. Economia  Estado:  Organiza as atividades produtivas;  População pagava impostos:  produtos ou trabalho;  servidão coletiva;  época de cheias: chamava ao trabalhadores para construir obras públicas (templos, palácios, canais de irrigação, etc).  Era dono das terras (apropriava-se dos excedentes);  Produção agrícola: trigo, cevada, algodão, papiro, linho.  Criação de animais: cabras, carneiros, gansos, pesca.  Atividades artesanais: tecidos, vidros, navios.
  • 17. A Sociedade Egípcia  Composta basicamente por: I - Faraó e sua família; II – Aristocracia: sacerdotes, funcionários do Estado (burocratas e militares) e nobres (nomarcas) Escriba egípcio III – Massa camponesa e escravos: mantidos por repressão e pela influência da religião. Escravos
  • 18. Cultura Religião:  Politeísta  Remonta ao período pré-dinástico dos nomos; Acreditavam numa espécie de reencarnação, de modo que a vida sucederia a morte; Mumificação: técnica usada para que a alma pudesse voltar a habitar o corpo
  • 19. Múmia exposta no museu do Louvre (Paris): as técnicas de mumificação estimularam o conhecimento sobre anatomia humana e favoreceram o desenvolvimento da medicina.
  • 21. Anúbis (ou Anupu ou Anpu)  Deus Egípcio dos mortos e do submundo;  Presidia às mumificações;  Considerado guardião das necrópoles, das tumbas e juiz dos mortos; Guiava as almas dos mortos no além.
  • 22. Outros deuses do panteão egípcio: Osiris Ísis Deus da vida após a morte Hórus Deusa do amor Deus do céu Olho de Hórus
  • 23. Toth: Deus da sabedoria e do conhecimento Seth: Rá (ou Ré) Deus do caos, deordem e violência Deus sol, principal deus egípcio.
  • 24.  Além disso:  Medicina, arquitetura e engenharia era incentivados pelo poder central;  Estudos astronômicos (astronomia e matemática) e hidráulicos (represamentos e irrigação) era incentivados para fins práticos, sobretudo na agricultura. Literatura: poesia, filosofia e medicina.  Escrita:3 tipos  Hieróglifa: escrita sagrada, vista em templos, possuía mais de 600 sinais;  Hierática: geralmente usada por sacerdotes e para documentos;  Demótica: popular, criada bem mais tarde. Possuía cerca de 350 sinais.
  • 25. Algumas curiosidades sobre o Egito: Algumas curiosidades sobre o Egito: Esfinge de Gizé Sem nariz! "O que tem quatro pernas de manhã, duas à tarde e três a noite?"
  • 26. Hipóteses sobre o desaparecimento do nariz: Hipóteses sobre o desaparecimento do nariz: 1 – Canhões de Napoleão na Campanha do Egito; 2 – Artilharia inglesa no século XIX; 3 – Fundamentalista sufi no século XV, revoltado com as oferendas para a Esfinge; 4 – Porém, a mais aceita tem relação com a solução do enigma da Esfinge: ...Após decifrar o enigma proposto pela esfinge, Chuck Norris propõe outro a ela. A Esfinge não consegue decifrá-lo e perde o nariz.
  • 28. • As 3 pirâmides de Gizé chamamse Quéfren, Quéops e Miquerinos, sendo que estes nomes são gregos, e não Egípcios. • Quéops, a maior e mais misteriosa das pirâmides, chamase, em egípcio, Khufu. • Única das maravilhas do mundo antigo ainda de pé, a pirâmide de Quéops foi p maior monumento erigido pelo homem até a construção da Torre Eiffel em 1889. • Ela tem 146,6 metros de altura (equivalente a um edifício de 40 andares) e contém 2.300.000 blocos de granito, pesando, em média, cerca de duas toneladas e meia cada um. Estima-se que sua construção tenha levado cerca de 30 anos. • Ao terminar a construção, estima-se que seu peso chegasse a aproximadamente 6 milhões de toneladas. • Na área ocupada pela pirâmide de Quéops, cabem oito campos de futebol. Para dar a volta completa em sua região, deve-se caminhas cerca de 1 km. “Soldados, do alto destas pirâmides, 40 séculos de história nos contemplam.” - Frase de Napoleão Bonaparte para suas tropas, em 1798.
  • 29.
  • 30. Será coincidência?... Será coincidência?... • Que altura da Pirâmide de Quéops, multiplicada por um milhão, corresponda a aproximadamente à distância Terra-Sol, isto é, a 146.600.000 km... • Que o meridiano que passa pelo centro da pirâmide divida continentes e oceanos em duas metades exatamente iguais... • Que o Perímetro da pirâmide, dividido pelo dobro de sua altura, tenha como resultado o famoso número Pi... • Que a orientação da pirâmide permitia que os raios luminosos da estrela Sírios, ao passar pelo meridiano, penetram na câmara do núcleo da pirâmide por meio de um conduto, no momento em que se anunciava o princípio do ano egípcio e o inicio das inundações, como a luz da estrela Polar entrava pelos condutos do norte... • Que todos os quatro lados tenham praticamente o mesmo comprimento, com uma exatidão não existente apenas por alguns centímetros...
  • 31. "O tempo ri para todas as coisas, mas as pirâmides riem do tempo“ "O tempo ri para todas as coisas, mas as pirâmides riem do tempo“ --Provérbio Árabe Provérbio Árabe • Alguns registros mostram que as pessoas que trabalharam nas pirâmides foram pagas com cerveja • Isso mostra que os trabalhadores das pirâmides não eram escravos, pois recebiam um pagamento em troca, que também era feito com gêneros alimentícios • Como os antigos egípcios encaixaram pedras tão grandes com tanta exatidão, usando ferramentas simples como martelos, talhadeiras, alavancas e cordas? • Um outro mistério é como os lados das pirâmides são simétricos com as linhas norte-sul, leste-oeste que o homem moderno desenha no globo. Isso significa que os antigos egípcios sabiam o tamanho e o formato da Terra? • Se todos os blocos de pedra da pirâmide de Gizé forem alinhados sobre a linha do equador, cobririam 2/3 do mesmo.

Notas do Editor

  1. {}