BE/CRE
Escola Sede –
Pólo 3




                  Agrupamento de
                Escolas de Macedo
                     de...
Auto-
                     Auto-Avaliação
               da Biblioteca Escolar

Destinatários: Conselho Pedagógico do Agru...
Sumário

Introdução

1- O papel e mais valias da auto-avaliação da BE

2 – O processo e o necessário envolvimento da escol...
Introdução


        Estudos internacionais mostram que as bibliotecas escolares podem
contribuir positivamente para o ens...
Esta análise permite contribuir para a afirmação e reconhecimento do
papel da BE; permite determinar até que ponto a missã...
A Biblioteca Escolar


                         Instrumento
                         essencial do
                       d...
O Modelo de Auto-Avaliação pressupõe a motivação dos seus membros
e a liderança forte do professor bibliotecário, que tem ...
1- O papel e mais valias da auto-avaliação da BE
                            auto-

A avaliação tem um papel determinante,...
2 - O processo e o necessário envolvimento da
escola/agrupamento

O modelo de avaliação é constituído por quatro domínios ...
Indicadores – sobre
                      os quais assenta o
                      trabalho da BE




                    ...
O modelo de auto-avaliação define, ainda, os seguintes perfis de
desempenho.

Perfis de Desempenho:




      Excelente   ...
Desenvolvimento do processo:

 Dar conhecimento do Modelo ao CP;
 Seleccionar o domínio a avaliar em cada ano ( ao fim de ...
O processo de auto-avaliação deve enquadrar-se no contexto da escola e
ter em conta as diferentes estruturas com as quais ...
3 – A relação com o processo de planeamento

O Modelo de avaliação está directamente ligado ao processo de
planeamento da ...
4 – A integração dos resultados na auto -
   - avaliação da escola

Segundo o Modelo de Auto-Avaliação da BE, RBE (2008)

...
Conclusão

“ A avaliação é um instrumento de melhoria da qualidade (…) e o relatório
final de auto-avaliação um instrument...
Bibliografia

- Modelo de Auto-avaliação da BE, RBE (2008)
- Texto da 2ª Sessão
- Texto da 3ª Sessão
- Manifestos IFLA/UNE...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o papel e mais - valias da A.A. da BE...

828 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

3ª Sessão - Powerpoint para apresentação no C.P. da Escola/Agrupamento - o papel e mais - valias da A.A. da BE...

  1. 1. BE/CRE Escola Sede – Pólo 3 Agrupamento de Escolas de Macedo de Cavaleiros
  2. 2. Auto- Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar Destinatários: Conselho Pedagógico do Agrupamento de Escolas de Macedo de Cavaleiros Apresentação: Formanda Maria José Peredo Novembro/2009
  3. 3. Sumário Introdução 1- O papel e mais valias da auto-avaliação da BE 2 – O processo e o necessário envolvimento da escola/agrupamento 3 – A relação com o processo de planeamento 4 – A integração dos resultados na auto-avaliação da escola
  4. 4. Introdução Estudos internacionais mostram que as bibliotecas escolares podem contribuir positivamente para o ensino e a aprendizagem, podendo-se estabelecer podendo- uma relação entre a qualidade do trabalho da e com a BE e os resultados escolares dos alunos. Neste sentido é importante que cada escola conheça o impacto que as alunos. actividades realizadas pela e com a BE vão tendo no processo de ensino e na aprendizagem, bem como o grau de eficiência e de eficácia dos serviços prestados e de satisfação dos utilizadores da BE. BE.
  5. 5. Esta análise permite contribuir para a afirmação e reconhecimento do papel da BE; permite determinar até que ponto a missão e objectivos estabelecidos para a BE estão ou não a ser concretizados; permite identificar práticas que têm sucesso e que deverão continuar a permitir identificar pontos fracos que importa melhorar. “ A auto-avaliação da biblioteca deve ser incorporada no processo de auto-avaliação da própria escola, dada a sua estreita relação com a sua missão e objectivo”. (Modelo de Auto Avaliação (2008), Gabinete RBE) [Acedido em 15/11/2009
  6. 6. A Biblioteca Escolar Instrumento essencial do desenvolvimento dos currículos Contributo Espaço importante para o privilegiado de sucesso BE conhecimento e educativo aprendizagem Recurso fundamental no desenvolvimento das várias literacias
  7. 7. O Modelo de Auto-Avaliação pressupõe a motivação dos seus membros e a liderança forte do professor bibliotecário, que tem de mobilizar a escola para a necessidade e implementação do processo avaliativo. . Participantes no processo de avaliação: Director CP DepartºS BE Professores Prof.Bibliotº Equipa BE
  8. 8. 1- O papel e mais valias da auto-avaliação da BE auto- A avaliação tem um papel determinante, permitindo validar o que fazemos, como fazemos, onde estamos e até onde queremos ir, mas sobretudo o papel e intervenção, as mais-valias que acrescentamos. Mais-valias da autoavaliação da BE: Aferir a qualidade e a eficácia dos serviços prestados; Avaliar o seu contributo no sucesso educativo dos alunos e na aprendizagem ao longo da vida; Medir o seu contributo no apoio ao currículo e à acção dos docentes; Identificar práticas que têm sucesso e que deverão ter continuidade; Identificar pontos fracos que importa melhorar; Reflectir sobre as mudanças de práticas concretas a efectuar e as possíveis acções para a melhoria; Determinar o grau de cumprimento da missão e objectivos da escola.
  9. 9. 2 - O processo e o necessário envolvimento da escola/agrupamento O modelo de avaliação é constituído por quatro domínios e respectivos subdomínios que representam áreas nucleares em que se deverá processar o trabalho da BE e que serão avaliados, separadamente, ao longo de quatro anos. Domínios Subdomínios Subdomínios Subdomínios A . Apoio ao A1. Articulação Curricular A.2. Promoção da desenvolvimento da BE com as Estruturas Literacia da Curricular Pedagógicas e os Docentes Informação B. Leitura e Literacia C. Projectos, C.1. Apoio a Actividades C.2. Projectos e Parcerias e Livres. Extra-Curriculares Parcerias actividades livres e e de Enriquecimento de abertura à Curricular comunidade D. Gestão da BE D.1. Articulação da BE D.2. Condições D. 3. Gestão da com Escola/Agrupamento. humanas e materiais colecção Acesso e serviços para prestação dos prestados pela BE serviços
  10. 10. Indicadores – sobre os quais assenta o trabalho da BE Factores críticos de sucesso A avaliação de cada um dos domínios e subdomínios, processa-se através de: Evidências a recolher Acções de melhoria a implementar
  11. 11. O modelo de auto-avaliação define, ainda, os seguintes perfis de desempenho. Perfis de Desempenho: Excelente O trabalho é de grande qualidade e tem um 4 impacto muito positivo Bom O trabalho é de qualidade mas ainda é possível 3 melhorar certos aspectos O trabalho está em desenvolvimento, mas Satisfatório necessita de melhorar para que o seu impacto 2 seja mais efectivo O trabalho não existe ou é pouco, sendo o seu Fraco impacto bastante reduzido. È necessário uma 1 intervenção urgente
  12. 12. Desenvolvimento do processo: Dar conhecimento do Modelo ao CP; Seleccionar o domínio a avaliar em cada ano ( ao fim de quatro anos todos os domínios terão sido avaliados); Recolher evidências; Gerir as evidências ao nível da escola (Agrupamento); Identificar o perfil de desempenho – nível em que se situa a BE; Partilhar os resultados da avaliação com o Director; Divulgar e discutir e aprovar nos no CP o relatório de avaliação da BE, bem como o plano de melhoria que vier a ser delineado; Incluir uma síntese da avaliação da BE no relatório de avaliação do agrupamento, com vista à avaliação externa do mesmo e a inspecção avaliar o impacto da BE na escola.
  13. 13. O processo de auto-avaliação deve enquadrar-se no contexto da escola e ter em conta as diferentes estruturas com as quais é necessário interagir. Estas estruturas têm interesses e níveis de intervenção diversos: Director – deve envolver-se desde o primeiro momento, ser líder coadjuvante no processo e aglutinar vontades e acções, de acordo com o poder que a sua posição lhe confere; Professores; - agentes que de uma forma ou Alunos; de outra, são chamados a participar Pais/Encarregados de Educação;
  14. 14. 3 – A relação com o processo de planeamento O Modelo de avaliação está directamente ligado ao processo de planeamento da BE que deve corresponder em timing , objectivos, propriedades e estratégias definidas pela escola/agrupamento. As decisões a tomar devem basear-se nas evidências e informação recolhidas, mas devem sempre ter em conta o ambiente interno/condições estruturais e externo da biblioteca (oportunidades e ameaças da escola, adequação aos objectivos e estratégias de ensino/aprendizagem. “Este plano deve assumir-se como um compromisso da escola, na sua globalidade, já que um melhor desempenho da biblioteca irá beneficiar todos os docentes e alunos” Modelo de Auto-avaliação – RBE, (2008) [acedido em 14/11/2009]
  15. 15. 4 – A integração dos resultados na auto - - avaliação da escola Segundo o Modelo de Auto-Avaliação da BE, RBE (2008) - o resultado global da auto-avaliação da BE, deverá ser integrado na auto- avaliação da escola/agrupamento; - os resultados da avaliação serão divulgados a todas a s estruturas de orientação da escola; - os resultados da avaliação serão apresentados, discutidos, aprovados no CP e contam do relatório de auto-avaliação; -Os resultados da BE, devem ser mencionados no relatório final de avaliação externa da escola/agrupamento, pela IGE.
  16. 16. Conclusão “ A avaliação é um instrumento de melhoria da qualidade (…) e o relatório final de auto-avaliação um instrumento que descreve os resultados da auto- avaliação (…) que vai dar uma visão holística do funcionamento da BE, assumindo-se como instrumento de sistematização e de difusão de resultados (…) junto dos órgãos de direcção e de decisão pedagógica”. Modelo de Auto-avaliação da BE, RBE (2008), [acedido em 15/11/2009]
  17. 17. Bibliografia - Modelo de Auto-avaliação da BE, RBE (2008) - Texto da 2ª Sessão - Texto da 3ª Sessão - Manifestos IFLA/UNESCO e IASL A Formanda: Maria José Peredo Nov/2009

×