Jesus e as sinagogas

2.922 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.922
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
536
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jesus e as sinagogas

  1. 1. EVANGELHO À LUZ DO ESPIRITISMO JESUS E AS SINAGOGAS
  2. 2. Depois de reconhecido e anunciado por Entretanto, ainda não pregavaJoão Batista como o Messias, Jesus já abertamente. fizera alguns discípulos e realizara atransformação da água em vinho nas bodas de Caná.
  3. 3. Quando ouviu dizer que o Batista fora preso, Jesus saiu da Judéia e foi para a Galiléia; ali deixou acidade de Nazaré e passou a morar em Cafarnaum.
  4. 4. Então, mais "O tempo é abertamente chegado, começou sua arrependei-vos tarefa, pois o reino dos produzindo E era aclamado céus está fenômenos e por todos". (4 próximo." (Mt. pregando com vs. 14/15.) 4vs. 12/22, as mesmas Mc. 1 vs. 14/ palavras que 15 e Lc. 4 vs.João costumava 14/15.) usar:
  5. 5. Jesus sempre falava do reino dos céus, ensinando asverdades espirituais, aonde quer que fosse.Mas procurava especialmente visitar os locais ondeos israelitas habitualmente se reuniam para o tratodas coisas espirituais.
  6. 6. Em Jerusalém, era no Templo. Nas demais cidades, era nas sinagogas, onde não havia cultos e oferendas mas, nos sábados, se estudavam a lei e os profetas e se faziam orações.
  7. 7. Narra Mateus (4 vs. 23/25) que "Jesus percorriatoda a Galiléia, ensinando nas suas sinagogas,pregando o evangelho do reino, curando todas asdoenças e enfermidades entre o povo.
  8. 8. Sua fama Grandesespalhou-se por multidões toda a Síria: acompanharam- traziam-lhe os no da Galiléia, e E ele curava a doentes e os da Decápole, de enfermos, os todos. Jerusalém, da possessos, os Judéia e dos lunáticos, os países do outro paralíticos. lado do Jordão".
  9. 9. Lucas acrescenta um importante detalhe E a sua fama divulgou-se poresclarecedor: "Jesus, então, toda a região. Ele ensinava nascheio de força do Espírito, sinagogas. voltou para a Galiléia.
  10. 10. NA SINAGOGA DE NAZARÉ(Mt. 13 vs. 54/58, Mc. 6 vs. 1/6, Lc. 4 vs. 16/30 e Jo. 4 vs. 43/45.) Quando Jesus se dirigiu para Nazaré (onde fora criado), a fama de seus feitos já havia chegado lá. Ele entrou na sinagoga, num dia de sábado, "segundo o seu costume" (todo bom israelita fazia assim), e levantou-se para ler a escritura (qualquer homem israelita podia fazer isso, desde que convidado pelo dirigente da sinagoga).
  11. 11. "O Espírito do Senhor está sobre mim, pois que me ungiu; e enviou-me para anunciar a boa Deram-lhe o livro do profeta nova aos pobres, para sarar osIsaías. Jesus desenrolou o livro contritos de coração, anunciar(rolo de papiro ou pergaminho) aos cativos a redenção, aos cegos e escolheu a passagem onde a restauração da vista, para pôr estava escrito: em liberdade os algemados, para apregoar o ano da graça do Senhor".
  12. 12. Era costume que, depois de ler, a pessoacomentasse a passagem.Mas Jesus leu, fechou o livro, deu-o ao ministro ese sentou. Todos na sinagoga ficaram de olhosfixos nele, em expectativa, até que Jesus falou:"Hoje se cumpriu esta Escritura que acabais deouvir".
  13. 13. Deve ter dito ainda Estava se outras coisas mais,anunciando como o porque os judeus, "Donde lhe vem isso?Messias prometido! perplexos, se indagavam: Não é ele o carpinteiro, o filho de Não vivem aqui entreQue sabedoria é essa Maria, o irmão de nós também suas que lhe foi dada? Tiago, de José, de irmãs? Judas e de Simão?
  14. 14. "Como se operam por suas mãos tãoQuanto aos grandes milagres?"fenômenos queouviam dizer queJesus realizara,comentavamincrédulos:
  15. 15. Desconfiavam tanto, que Jesus se admirou da incredulidadedeles e não pôde ali fazer nenhum milagre, apenas aplicoupasses curadores em uns poucos enfermos.Jesus explicou para eles o porquê do insucesso:"Sem dúvida me citareis este provérbio: Médico, cura a timesmo; todas as maravilhas que fizeste em Cafarnaum,segundo ouvimos dizer, faze-o também aqui na tua pátria".
  16. 16. Igualmente havia muitos leprosos em Israel no tempo do Em verdade vos digo, profeta Eliseu, mas muitas viúvas havia nenhum deles foi limpo em Israel, no tempo de senão o sírio Naamã"."De fato vos afirmo, Elias, quando se fechounenhum profeta é bem o céu por três anos eaceito na sua pátria. seis meses e houve grande fome por toda a terra; mas a nenhuma delas foi mandado Elias, senão a uma viúva em Sarepta, de Sidónia.
  17. 17. Levantaram-se e lançaram-no fora Quer dizer que da cidade; e faltavam a eles "A estas palavras, conduziram-no até condições para encheram-se todos ao alto do monte receberem os de cólera na sobre o qual estavabenefícios por não sinagoga. construída a sua acreditarem. cidade, e queriam precipitá-lo dali abaixo.
  18. 18. Ele, porém, passou entre eles e retirou-se". Contudo, Jesus nãodesanimou e "percorria as aldeias vizinhas, a ensinar".
  19. 19. NA SINAGOGA DE CAFARNAUMJesus morava em Cafarnaum e, portanto, há muitas de suaspassagens evangélicas pregando nas sinagogas dessa cidade, nos diasde sábado.Uma dessas sinagogas foi construída com a ajuda de um centuriãoromano, ao qual Jesus atenderia curando um servo seu (Lc. 7 v.1/10).Jesus curou, também, a filha de Jairo, chefe de uma das sinagogas deCafarnaum.
  20. 20. Sei quem Vieste és: o perder- Santo de "Quem Deus!" tens tu nos? Jesus está pregando conosco, Expulsão Jesus de de um e umVejamos obsidiado Nazaré?algumas espírito obsessor começa adas gritar:passagens: (Mc. 1 vs. 21/28)
  21. 21. Jesus o faz da sua calar pregação(perturbava (com e de quea pregação e autoridade mande e os fazia Todos se e não espíritos revelação admiram: como os "imundos"prematura) escribas e que se que sempre obedeçam. afaste do citavam a obsidiado. lei);
  22. 22. Cura de um homem de Escribas e fariseusmão seca(Lc. 6vs. 6/11 espionam. eMc. 3 vs. 1/6) Se Jesus curar (é sábado), o acusarão. Sabendo disso e, indignado, Jesus chama o aleijado para o meio de todos e argumenta:
  23. 23. Se uma ovelha E um homem cair no poço não vale num sábado muito mais não irão que uma socorrê-la? ovelha?
  24. 24. Os adversários Então é enchem-se de permitido E restabelece- furor efazer o bem no lhe a mão. tramamdia de sábado. contra ele.
  25. 25. Havia ali uma mulher que, há 18 anos, eraCura de uma mulher possessa de um espírito Jesus a cura, impondo-encurvada (Lc. 13 vs. que a detinha doente: andava encurvada e não lhe as mãos. 10/17) podia absolutamente erguer-se.
  26. 26. A mulher se endireita e louva a Deus.O chefe da sinagoga se indigna, diz que a semana tem outros 6 diaspara curar.Jesus replica que no sábado desamarram animais e os levam parabeber; se não deveria ser libertada a mulher daquela prisãotambém, apesar de sábado.Os adversários de Jesus se confundiram, ao passo que o povo sealegrava.
  27. 27. No dia seguinte ao da multiplicação dos pães, ao ver que Jesus e os seus discípulos já"Eu sou o Pão da não estavam ali, a Vida" (Jo. 6, vs. multidão atravessou o 22/65) lago para procurar o Mestre e o encontrou em Cafarnaum, na sinagoga (V. 59).
  28. 28. Começou, então, uma longa conversa de Jesuscom os circunstantes, cheia de grandes revelações. Começou com Jesus dizendo:
  29. 29. Trabalhai, não pela— "Vós me buscais não comida que perece, masporque vistes sinais, mas pela que dura até a vidaporque comestes dos pães eterna, que o Filho do e vos fartastes. Homem vos dará".
  30. 30. Então, pediram orientação a Os que haviam presenciado a Jesus ("Que faremos para multiplicação dos pães,realizar as obras de Deus?") talvez não duvidassem disso, que disse ser preciso crerem pois até tinham queridonele como o enviado divino. proclamar Jesus rei, antes.
  31. 31. Mas muitas pessoas, na sinagoga, só tinham ouvido falar do fenômeno, não o tinham presenciado.Devem ter sido estas que perguntaram:
  32. 32. E parece que desejavam a "Nossos pais comeram o maná noreprodução do fenômeno ali, porque deserto, como está escrito: Deu-lhes aludiram ao episódio do maná, a comer pão do céu". ocorrido ao tempo de Moisés:
  33. 33. Aliás, tudo vem de Deus, até mesmo o maná, recurso alimentar que os hebreus não conheciam mas que bem pode ter sido um fenômenoDe fato, Moisés só pedia a natural (gotejamento de certaDeus, que providenciara o espécie de tamargueiras, fenômeno. espontâneo ou provocado por minúsculo inseto, a cochonilha, somente encontrado na região do Sinai).
  34. 34. (...) "o Porque o pão deverdadeiro pão Deus é o que "Senhor, dá-nos do céu é meu desce do céu e sempre desse Pai quem vos dá vida ao pão", pediram. dá. mundo".
  35. 35. "Eu sou o pão da vida; oque vem a mim, jamais terá fome; e o que crê em mim, jamais terá sede.(...) Porque eu desci do céu não para fazer a minha própria vontade; e, sim, a vontade daquele que me enviou".
  36. 36. "Não é este Jesus, o filho de José? Como, pois, agora diz:Desci do céu?" Acaso não lhe Assim conhecemos omurmuravam pai e a mãe? os judeus.
  37. 37. (...) Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém"Vossos pais comeram o dele comer, viverá maná no deserto e eternamente; e o pão que eu morreram. darei pela vida do mundo, é a minha carne".
  38. 38. "Se não comerdes a carne do Filho do"Como pode este Homem e nãodar-nos a comer a beberdes o seu sangue, não tereissua própria carne?" vida em vós mesmos.
  39. 39. (...) Assim como o Pai, que (...) Quem come a minha vive, me enviou, ecarne e bebe o meu sangue, igualmente eu vivo pelo Pai; permanece em mim e eu também quem de mim se nele. alimenta, por mim viverá".
  40. 40. Tais afirmativas de Jesusforam incompreendidas atémesmo por muitos dos seus discípulos; que "Duro é este discurso, quem o murmuravam entre si: pode ouvir?"
  41. 41. Que será, pois, se virdes o Filho do homem subir para o lugar onde primeiro estava? (a ascensão que se daria futuramente)."Isto vos escandaliza? O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que vos tenho dito, são espírito e são vida".
  42. 42. Equivalia a dizer: Não falo: comerem minha carne material para terem vida; a matéria não dá vida, o que dá vida é o espírito; e a mensagem que vos trago é que tem vida espiritual.
  43. 43. Tirando o véu da letra, a verdade espiritual surge clara, luminosa:Jesus "desceu do céu" (veio de planos superiores), "para dar a suacarne e o seu sangue" (oferecer sua existência na Terra), "como pão"(ensinamento e exemplo que alimenta a alma), que deve ser"comido" (assimilado) e "dar vida" (ativar-nos espiritualmente).
  44. 44. Mas muitos dos seus "Porventur Então, discípulos a quereis perguntou Ao que não também Jesus aos Pedroentenderam e vós outros doze responde:deixaram de retirar-acompanhá- apóstolos: vos?" lo.
  45. 45. "Senhor, para quem iremos? tu tens as palavras da vidaeterna; e nós temos crido e conhecido que tu és o Santode Deus".Da presença e pregação de Jesus nas sinagogas,testemunha o próprio Mestre, respondendo ao SumoSacerdote Anás (Jo. 18 vs. 20/21)."Eu tenho falado francamente ao mundo; ensineicontinuamente, tanto nas sinagogas como no templo,onde todos os judeus se reúnem, e nada disse em oculto".
  46. 46. Estudos Espíritas do EvangelhoColeção: Estudos e cursos - Therezinha Oliveira – Capítulo 16. Grupo Espírita Allan Kardec www.luzdoespiritismo.com
  47. 47. Grupo Espírita Allan Kardec www.luzdoespiritismo.com

×